Governo Richa discute estratégia para se precaver no dia 29 de abril

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), reuniu secretamente membros de sua equipe para discutir o dia 29 de abril, quando se completa um ano do massacre de professores no Centro Cívico, que deixou mais de 200 feridos e teve repercussão nacional; integrantes do executivo consideram que a próxima sexta-feira, dia 29, poderá representar o fim do governo Beto Richa, caso o sindicato leve uma massa considerável às ruas da capital

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), reuniu secretamente membros de sua equipe para discutir o dia 29 de abril, quando se completa um ano do massacre de professores no Centro Cívico, que deixou mais de 200 feridos e teve repercussão nacional; integrantes do executivo consideram que a próxima sexta-feira, dia 29, poderá representar o fim do governo Beto Richa, caso o sindicato leve uma massa considerável às ruas da capital
O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), reuniu secretamente membros de sua equipe para discutir o dia 29 de abril, quando se completa um ano do massacre de professores no Centro Cívico, que deixou mais de 200 feridos e teve repercussão nacional; integrantes do executivo consideram que a próxima sexta-feira, dia 29, poderá representar o fim do governo Beto Richa, caso o sindicato leve uma massa considerável às ruas da capital (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Blog do Esmael - O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), reuniu secretamente ontem (27), no 24º andar do edifício Lumiere, em Curitiba, sua entourage para discutir o dia 29 de abril – quando se completa 1 ano do massacre de professores no Centro Cívico.

No seleto grupo, segundo orelha seca do Blog do Esmael, estava o “primo distante” e lobista Luiz Abi Antoun.

Pois bem, a análise do tucanato não poderia ser mais trágica. Eles mesmos consideram que a próxima sexta-feira, dia 29, poderá representar o fim do governo Beto Richa, caso o sindicato leve uma massa considerável às ruas da capital.

O conclave palaciano buscou culpados pelo não represamento da manifestação dos educadores depois de amanhã.

Subirão ao cadafalso os seguintes membros do governo, por ordem: 1- Adilson Casitas (Casa Militar); 2- Paulino Viapiana (Comunicação); e 3- Valdir Rossoni (Casa Civil).

Casitas caiu em desgraça por causa do massacre em si; Viapiana pelas debilidades na comunicação; e Rossoni por que, segundo o mesmo orelha seca, não teve competência para segurar a APP-Sindicato.

O Blog do Esmael, em parceria com a TV 15, vai transmitir ao vivo para o Brasil e o mundo o protesto de 1 ano pelo massacre de 213 educadores.

Abaixo, relembre o Palácio Iguaçu comemorando ataque a manifestantes:

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247