Juíza transfere para o STF decisão sobre Lula no semiaberto

A juíza Carolina Lebbos afirmou que o ex-presidente Lula pode progredir ao regime semiaberto para o cumprimento do restante da pena. No entanto, ela confirma que uma liminar do ministro Edson Fachin, do STF, garante a ao ex-presidente o direito de permanecer preso na Polícia Federal em Curitiba. Lula rejeita semiaberto e diz que quer sair com sua inocência reconhecida

Lula concede entrevista ao site Brasil de Fato
Lula concede entrevista ao site Brasil de Fato (Foto: Ricardo Stuckert)

Conjur - Uma liminar do ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, garante ao ex-presidente Lula o direito de permanecer preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.  

A decisão deve ser seguida até que seja concluído o julgamento do Habeas Corpus que trata da suspeição do ex-juiz Sergio Moro.

É como entendeu a juíza Carolina Moura Lebbos, da 12ª Vara Federal de Curitiba, ao manter o ex-presidente recolhido em Curitiba.

A decisão é desta quarta-feira (30/10) e acolhe o pedido da defesa de Lula, feito pelos advogados Cristiano Zanin e Valeska Teixeira.

Na petição, eles negaram mais uma vez a concessão da progressão de regime para o semiaberto — benefício do qual o petista já pode usufruir.

Lebbos determinou ainda expedição de ofício a Fachin, informando que ela reconhece o preenchimento dos requisitos para a progressão de regime e que mantém ele lá até que haja deliberação da Corte Superior.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247