Lava Jato acusa Paulo Preto de lavagem de R$ 1,38 milhão no exterior

Operador do PSDB, que já está condenado a 145 anos de prisão, é acusado de lavagem de dinheiro de US$ 400 mil em 2016

Paulo Preto tem quebra de sigilo bancário na Suíça
Paulo Preto tem quebra de sigilo bancário na Suíça (Foto: José Cruz/ABr)

247 - O Ministério Público Federal no Paraná apresentou nesta segunda-feira, 24, nova denúncia contra Paulo Vieira de Souza, conhecido por Paulo Preto, ex-diretor da estatal paulista Dersa e apontado como operador de porpinas do PSDB. 

A denúncia, oferecida no âmbito da Lava Jato, acusa Paulo Preto de lavagem de dinheiro de US$ 400 mil em 2016.

Segundo o Ministério Público Federal narra na nova denúncia, o ex-diretor transferiu o dinheiro de uma conta na Suíça para outra em Hong Kong, por meio de offshores e com o apoio do doleiro Wu-Yu Sheng e do operador financeiro Rodrigo Tacla Duran.

Para finalmente ter acesso a quantia no Brasil, Duran teria realizado quatro entregas do valor equivalente em reais —somando R$ 1,38 milhão— a Paulo Preto, entre maio em junho de 2016. De acordo com a denúncia, entre as provas do crime estão registro do celular do ex-diretor, em que constaria “Grude – OK Rui Rei”, sendo “Rui Rei” um dos codinomes utilizados por Duran.

Paulo Preto já foi condenado a 145 anos de prisão por fraude nas obras do Rodoanel Sul em São Paulo, acusado dos crimes de peculato, associação criminosa e inserção de dados falsos em sistema público.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247