Lava Jato: Bumlai depõe em Curitiba

O pecuarista José Carlos Bumlai, preso no último dia 24, prestará depoimento na Superintendência da Polícia Federal (PF), em Curitiba; segundo a Assessoria de Comunicação da PF, ele será ouvido na tarde desta segunda-feira (30); juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato, autorizou a PF a ouvir o depoimento do empresário

22 10 15 EXCLUSIVO EMBARGADO ESPECIAL NACIONAL . Entrevista com o empresario investigado pelo Lava Jato Jose Carlos Bumlai FOTO GABRIELA BILO / ESTADAO
22 10 15 EXCLUSIVO EMBARGADO ESPECIAL NACIONAL . Entrevista com o empresario investigado pelo Lava Jato Jose Carlos Bumlai FOTO GABRIELA BILO / ESTADAO (Foto: Leonardo Lucena)

Michelle Canes - Repórter da Agência Brasil

O pecuarista José Carlos Bumlai, preso no último dia 24, prestará depoimento na Superintendência da Polícia Federal (PF), em Curitiba. Segundo a Assessoria de Comunicação da PF, ele será ouvido por volta das 14h30 desta segunda-feira (30).

Na sexta-feira (27), o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato, autorizou a PF a ouvir o depoimento do empresário.

A decisão foi tomada após o juiz negar pedido feito pela defesa de Bumlai para a realização de uma audiência de custódia destinada a avaliar a necessidade de Bumlai continuar preso.

Ele cumpre prisão preventiva na carceragem da PF, em Curitiba.

Bumlai foi preso durante a Operação Passe Livre, 21ª fase da Lava Jato, em Brasília. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), ele usou contratos firmados com a Petrobras para quitar empréstimos com o Banco Schahin.

Segundo o procurador da República Diogo Mattos, depoimentos de investigados que assinaram acordos de delação premiada indicam que o empréstimo se destinava ao Partido dos Trabalhadores e foi pago mediante a contratação do Schahin como operador do navio-sonda Vitória 10.000, da Petrobras, em 2009.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247