Lava Jato: último foragido se entrega à PF em Curitiba

Adarico Negromonte Filho é o irmão mais velho do ex-ministro das Cidades Mário Negromonte e trabalhava para o doleiro Alberto Youssef, apontado como líder do esquema de lavagem de dinheiro e desvios de recursos públicos; de acordo com a Polícia Federal, Adarico tinha como função levar dinheiro do escritório do doleiro até os agentes públicos e a partidos políticos

Adarico Negromonte Filho é o irmão mais velho do ex-ministro das Cidades Mário Negromonte e trabalhava para o doleiro Alberto Youssef, apontado como líder do esquema de lavagem de dinheiro e desvios de recursos públicos; de acordo com a Polícia Federal, Adarico tinha como função levar dinheiro do escritório do doleiro até os agentes públicos e a partidos políticos
Adarico Negromonte Filho é o irmão mais velho do ex-ministro das Cidades Mário Negromonte e trabalhava para o doleiro Alberto Youssef, apontado como líder do esquema de lavagem de dinheiro e desvios de recursos públicos; de acordo com a Polícia Federal, Adarico tinha como função levar dinheiro do escritório do doleiro até os agentes públicos e a partidos políticos (Foto: Leonardo Lucena)

Paraná 247 – O último foragido na sétima fase da Operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF), Adarico Negromonte Filho, se entregou à PF em Curitiba (PR) na manhã desta segunda-feira (24).

Ele é o irmão mais velho mais velho do ex-ministro das Cidades Mário Negromonte, e trabalhava para o doleiro Alberto Youssef, apontado como líder de um esquema de lavagem de dinheiro e desvios de recursos públicos. Pelo menos R$ 10 bilhões teriam sido desviados.

De acordo com a PF, Adarico tinha como função levar dinheiro do escritório do doleiro até os agentes públicos e a partidos políticos. Dezenas de políticos, empreiteiras e a Petrobras estão envolvidos no esquema. 

Em consequência do esquema, o Banco Bradesco bloqueou R$ 33.598.881,56 das contas de 16 dos 23 executivos de empresas presos na operação, atendendo à determinação da Justiça Federal paranaense.

Com o novo bloqueio, já chega a R$ 81.486.046,45 a quantia retida desde a deflagração da sétima fase da Lava Jato, no último dia (14), pois vale ressaltar que o Banco Central já havia informado ao juiz Sérgio Moro, responsável condução das investigações, o bloqueio R$ 47.887.164,89 das contas de investigados.

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247