Marcia Tiburi lança livro no acampamento Lula Livre e celebra luta pela verdade

Filósofa e escritora Marcia Tiburi esteve na Acampamento Lula Livre, em Curitiba, onde lançou seu livro Feminismo em Comum; ela permaneceu por cerca de três horas na vigília e conduziu o "boa tarde" ao ex-presidente, diante da sede da Polícia Federal da capital paranaense, que o aprisiona desde 7 de abril. "A gente deve vir pra cá com nossos esforços, porque nossos esforços pessoais, hoje, representam nosso desejo de política e democracia no Brasil. Isso é uma manifestação de amor, solidariedade, lucidez, amor ao conhecimento"

Filósofa e escritora Marcia Tiburi esteve na Acampamento Lula Livre, em Curitiba, onde lançou seu livro Feminismo em Comum; ela permaneceu por cerca de três horas na vigília e conduziu o "boa tarde" ao ex-presidente, diante da sede da Polícia Federal da capital paranaense, que o aprisiona desde 7 de abril. "A gente deve vir pra cá com nossos esforços, porque nossos esforços pessoais, hoje, representam nosso desejo de política e democracia no Brasil. Isso é uma manifestação de amor, solidariedade, lucidez, amor ao conhecimento"
Filósofa e escritora Marcia Tiburi esteve na Acampamento Lula Livre, em Curitiba, onde lançou seu livro Feminismo em Comum; ela permaneceu por cerca de três horas na vigília e conduziu o "boa tarde" ao ex-presidente, diante da sede da Polícia Federal da capital paranaense, que o aprisiona desde 7 de abril. "A gente deve vir pra cá com nossos esforços, porque nossos esforços pessoais, hoje, representam nosso desejo de política e democracia no Brasil. Isso é uma manifestação de amor, solidariedade, lucidez, amor ao conhecimento" (Foto: Aquiles Lins)

Cláudia Motta, para a RBA - Há pouco mais de duas semanas, a artista plástica e professora de Filosofia, Marcia Tiburi, foi impedida de lançar seu livro Feminismo em Comum, em Curitiba.

Ameaças virtuais à escritora levaram ao cancelamento do evento que seria realizado em 5 de abril. Mas neste sábado (21), feriado de Tiradentes, Marcia fez o lançamento para um público ainda maior, no Acampamento Lula Livre. Em dia de sol forte e céu azul, mais de 300 volumes foram vendidos e uma imensa fila foi formada para os autógrafos.

Ela permaneceu por cerca de três horas na vigília e conduziu o "boa tarde" ao ex-presidente, diante da sede da Polícia Federal da capital paranaense, que o aprisiona desde 7 de abril. "A gente deve vir pra cá com nossos esforços, porque nossos esforços pessoais, hoje, representam nosso desejo de política e democracia no Brasil. Isso é uma manifestação de amor, solidariedade, lucidez, amor ao conhecimento."

Como professora de Filosofia, Marcia Tiburi diz sentir-se muito próxima do presidente Lula. "Quando ele diz que precisamos restituir a verdade no Brasil, sinto-me tomada por essa ideia. É disso que se trata desde que a filosofia existe na história: a gente precisa lutar pela verdade, bancar a verdade, se comprometer com a verdade. Eu estou buscando a verdade". Leia a reportagem na íntegra.

Inscreva-se na TV 247 e assista a depoimento de Marcia Tiburi: 

Conheça a TV 247

Mais de Sul

Ao vivo na TV 247 Youtube 247