Mello Franco: Moro deve ouvir Cunha, e não ser advogado de Temer

O colunista Bernardo Mello Franco criticou o juiz Sergio Moro por supostamente proteger Michel Temer das revelação que Eduardo Cunha pode fazer contra ele; "A tarefa de evitar constrangimentos a Temer pode ser deixada para os advogados do presidente", afirma o jornalista

Brasília- DF 01-07-2015- Vice-Presidente Michel Temer, Eduarado Cunha, Renan Calheiros, Presidente do PT, Rui Falcão durante posse da presidente do PCdoB, Luciana Santos. Foto: Lula Marques/ Agência PT
Brasília- DF 01-07-2015- Vice-Presidente Michel Temer, Eduarado Cunha, Renan Calheiros, Presidente do PT, Rui Falcão durante posse da presidente do PCdoB, Luciana Santos. Foto: Lula Marques/ Agência PT (Foto: Leonardo Attuch)

Paraná 247 – O colunista Bernardo Mello Franco criticou o juiz Sergio Moro por supostamente proteger Michel Temer das revelação que Eduardo Cunha pode fazer contra ele, no artigo A censura do Dr. Moro.

"Nesta sexta (10), Moro recusou um pedido para soltar Cunha. Na decisão, voltou a reclamar das perguntas a Temer. Disse que tinham como objetivo 'constranger o exmo. sr. presidente da República e provavelmente buscavam com isso provocar alguma espécie de intervenção indevida da parte dele'. Faltou explicar que tipo de intervenção estaria ao alcance presidencial", diz Mello Franco.

"De acordo com Moro, Cunha recorre a 'extorsão, ameaça e intimidações' para tentar escapar da lei. Os métodos do ex-deputado são conhecidos, mas o juiz deveria parecer mais interessado no que ele tem a revelar. A tarefa de evitar constrangimentos a Temer pode ser deixada para os advogados do presidente."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247