Mensagem neonazista é encontrada em banheiro da UFPR

Charllotesville é aqui: mensagem “Fora cotistas. Poder branco”, de cunho claramente racista e nazi-fascista, é encontrada em parede do banheiro da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Paraná; pichação acontece menos de uma semana após a manifestação “supremacista” e nazista nos Estados Unidos 

Charllotesville é aqui: mensagem “Fora cotistas. Poder branco”, de cunho claramente racista e nazi-fascista, é encontrada em parede do banheiro da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Paraná; pichação acontece menos de uma semana após a manifestação “supremacista” e nazista nos Estados Unidos 
Charllotesville é aqui: mensagem “Fora cotistas. Poder branco”, de cunho claramente racista e nazi-fascista, é encontrada em parede do banheiro da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Paraná; pichação acontece menos de uma semana após a manifestação “supremacista” e nazista nos Estados Unidos  (Foto: Charles Nisz)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - Para quem acha que a ascensão da ideologia neonazi-fascista está longe do Brasil, se engana. Apesar de inúmeras manifestações desse cunho terem acontecido aqui ao longo dos últimos anos, após o evento de Charlottesville, nos Estados Unidos, muitos acharam que ali havia um contexto diferente do brasileiro.

Uma mensagem encontrada no banheiro da Universidade Federal do Paraná (UFPR) nesta terça-feira (15), no entanto, prova que este tipo de pensamento está em alta no mundo todo, inclusive aqui.

Fora cotistas. Poder branco”, estava escrito na parede do banheiro da Faculdade de Medicina da universidade. O autor da pichação não foi identificado. Pelas redes sociais, a coordenadora do curso de Medicina se manifestou.

“Esta mensagem desrespeita todos os alunos que ingressaram na Universidade, pois fere os direitos humanos. Saibam que esta Coordenação repudia atitudes como esta”, disse a professora Marta Rehme. “Todos os alunos que ingressaram nesta Universidade advindos de escolas públicas ou particulares, merecem todo o respeito independente de cor, gênero, orientação sexual, crença religiosa ou ideologia política. É bom lembrar que racismo é crime!”, completou a docente.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email