Mesmo desocupadas, escolas no Paraná não terão Enem

Colégios já desocupados por estudantes secundaristas no Paraná tiveram o adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) mantido pelo Ministério da Educação (MEC), conforme divulgou o próprio governo federal nesta sexta-feira (4); o Paraná é o segundo estado com o maior número de candidatos do Enem afetados pelo adiamento das provas; em todo o estado, 77 dos 682 locais de prova paranaenses tiveram a data do exame transferida para 3 e 4 de dezembro; isso afeta a realização das provas para 43.618 candidatos; nos últimos dias, a Justiça concedeu liminares ao governo do estado, garantindo a reintegração de posse de várias escolas

Colégios já desocupados por estudantes secundaristas no Paraná tiveram o adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) mantido pelo Ministério da Educação (MEC), conforme divulgou o próprio governo federal nesta sexta-feira (4); o Paraná é o segundo estado com o maior número de candidatos do Enem afetados pelo adiamento das provas; em todo o estado, 77 dos 682 locais de prova paranaenses tiveram a data do exame transferida para 3 e 4 de dezembro; isso afeta a realização das provas para 43.618 candidatos; nos últimos dias, a Justiça concedeu liminares ao governo do estado, garantindo a reintegração de posse de várias escolas
Colégios já desocupados por estudantes secundaristas no Paraná tiveram o adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) mantido pelo Ministério da Educação (MEC), conforme divulgou o próprio governo federal nesta sexta-feira (4); o Paraná é o segundo estado com o maior número de candidatos do Enem afetados pelo adiamento das provas; em todo o estado, 77 dos 682 locais de prova paranaenses tiveram a data do exame transferida para 3 e 4 de dezembro; isso afeta a realização das provas para 43.618 candidatos; nos últimos dias, a Justiça concedeu liminares ao governo do estado, garantindo a reintegração de posse de várias escolas (Foto: Valter Lima)

247 - Colégios já desocupados por estudantes secundaristas no Paraná tiveram o adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) mantido pelo Ministério da Educação (MEC), conforme divulgou o próprio governo federal nesta sexta-feira (4).

Segundo o movimento Ocupa Paraná, é o caso dos colégios Fazenda Velha, em Araucária, Djalma Marinho, em Campo Largo, Dr. Xavier da Silva e Tiradentes, ambos em Curitiba, Manoel Ribas, em Guarapuava, Doze de Novembro, em Realeza e Humberto de Alencar Castelo Branco, em Santa Helena - todos desocupados nesta semana.

A Secretaria Estadual de Educação do Paraná (Seed) não quis divulgar os nomes das escolas desocupadas nesta sexta-feira, mas afirma que todas que não foram liberadas pelos manifestantes até a segunda-feira (31), mesmo que tenham sido depois, seguem na lista do MEC.

Por causa das ocupações, o Paraná é o segundo estado com o maior número de candidatos do Enem afetados pelo adiamento das provas. Em todo o estado, 77 dos 682 locais de prova paranaenses tiveram a data do exame transferida para 3 e 4 de dezembro. Isso afeta a realização das provas para 43.618 candidatos, segundo balanço divulgado pelo Inep nesta sexta-feira (4).

Minas Gerais, com 90 locais de provas, é o estado mais afetado pela decisão do MEC de adiar parcialmente o Enem. Segundo dados do Inep, 60.659 candidatos terão que fazer as provas em dezembro.

O Paraná é o estado com o maior número de ocupações estudantis do Brasil. O movimento Ocupa Paraná começou em 3 de outubro e o número de escolas ocupadas chegou a 850, de acordo com os alunos.

Nos últimos dias, a Justiça concedeu liminares ao governo do estado, garantindo a reintegração de posse de várias escolas. Além disso, o movimento começou a perder força também pela morte de um estudante, no Colégio Estadual Santa Felicidade. O principal suspeito é um adolescente, que também estudava na escola. A Polícia Civil diz que o garoto que assassinou o colega estava sob efeito de drogas.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247