Moro determina novo sigilo em listão de propina da Odebrecht

Juiz federal do Paraná Sérgio Moro determinou o sigilo em todos os documentos da Operação Xepa, 26ª fase da Lava Jato; razões para o sigilo ainda não foram justificadas por Moro; nesta quarta-feira (23), ele já havia colocado sob sigilo planilhas que foram encontradas na 23ª fase, batizada de Acarajé; na lista aparecem nomes de parlamentares da base governista e da oposição, como os senadores Aécio Neves e José Serra, ambos do PSDB, e o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), entre outros

Brasília- DF- Brasil- 07/04/2015- O juiz federal Sérgio Moro participa de apresentação de um conjunto de medidas contra a impunidade e pela efetividade da Justiça, na sede Associação dos Juízes Federais do Brasil (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Brasília- DF- Brasil- 07/04/2015- O juiz federal Sérgio Moro participa de apresentação de um conjunto de medidas contra a impunidade e pela efetividade da Justiça, na sede Associação dos Juízes Federais do Brasil (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Paulo Emílio)

247 - O juiz federal do Paraná Sérgio Moro determinou o sigilo em todos os documentos da Operação Xepa, 26ª fase da Lava Jato. O material está relacionado ao sistema de contabilidade paralela da Odebrecht revelado pela ex-secretária da empreiteira Maria Lúcia Tavares e a lista com o nome de mais de 200 parlamentares e políticos que teriam sido beneficiados com recursos repassados pela companhia.

As razões para o sigilo ainda não foram explicitadas por Moro que nesta quarta-feira (23) já havia colocado sob sigilo planilhas que foram encontradas na 23ª fase da Lava Jato, batizada de Acarajé.

Nas planilhas encontradas pela Polícia Federal aparecem nomes de parlamentares da base governista e também da oposição como os senadores tucanos Aécio Neves e José Serra, ambos do PSDB, e o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), entre outros.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247