Moro libera R$ 10 milhões bloqueados de João Santana e Monica Moura

Juiz federal Sérgio Moro determinou a liberação de R$ 10 milhões que haviam sido bloqueados pela Justiça para o casal de publicitários João Santana e Monica Moura, presos durante uma das etapas da Operação Lava Jato; segundo a defesa, eles enfrentavam dificuldades financeiras; ao todo, a Justiça havia bloqueado R$ 28,7 milhões em contas do casal

Juiz federal Sérgio Moro determinou a liberação de R$ 10 milhões que haviam sido bloqueados pela Justiça para o casal de publicitários João Santana e Monica Moura, presos durante uma das etapas da Operação Lava Jato; segundo a defesa, eles enfrentavam dificuldades financeiras; ao todo, a Justiça havia bloqueado R$ 28,7 milhões em contas do casal
Juiz federal Sérgio Moro determinou a liberação de R$ 10 milhões que haviam sido bloqueados pela Justiça para o casal de publicitários João Santana e Monica Moura, presos durante uma das etapas da Operação Lava Jato; segundo a defesa, eles enfrentavam dificuldades financeiras; ao todo, a Justiça havia bloqueado R$ 28,7 milhões em contas do casal (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Paraná 247 - O juiz federal Sérgio Moro determinou a liberação de R$ 10 milhões que haviam sido bloqueados pela Justiça para o casal de publicitários João Santana e Monica Moura, presos durante uma das etapas da Operação Lava Jato. Segundo a defesa, o casal enfrentava dificuldades financeiras.

Na decisão, Moro destacou que o casal havia tomado as providências necessárias à repatriação e ao perdimento de valores depositados irregularmente em bancos no exterior. Ao todo, a Justiça havia bloqueado R$ 28.7 milhões em contas pertencentes a João Santana e Monica Moura.

"Não é justo, a ver do Juízo, penalizar os colaboradores, que fizeram a sua parte no que se refere ao acordo, retendo em bloqueio judicial valores que não foram perdidos no acordo de colaboração. Não seria, porém, prudente liberar todo o numerário, enquanto a repatriação não for ultimada", observou Moro em sua decisão.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247