Moro nega pedido de Lula para adiar depoimentos de Marcelo Odebrecht e Palocci

Juiz federal Sérgio Moro negou pedido feito pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para suspender os interrogatórios do empreiteiro Marcelo Odebrecht e do ex-ministro Antonio Palocci, marcados para esta segunda-feira (4) e para quarta-feira (6); interrogatórios dizem respeito ao processo que Lula responde pela suspeita de ter recebido vantagens indevidas por parte da Odebrecht; defesa do ex-presidente alega cerceamento da defesa, já que não teria tido acesso à integra dos documentos referentes a contabilidade paralela da Odebrecht 

Juiz federal Sérgio Moro negou pedido feito pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para suspender os interrogatórios do empreiteiro Marcelo Odebrecht e do ex-ministro Antonio Palocci, marcados para esta segunda-feira (4) e para quarta-feira (6); interrogatórios dizem respeito ao processo que Lula responde pela suspeita de ter recebido vantagens indevidas por parte da Odebrecht; defesa do ex-presidente alega cerceamento da defesa, já que não teria tido acesso à integra dos documentos referentes a contabilidade paralela da Odebrecht 
Juiz federal Sérgio Moro negou pedido feito pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para suspender os interrogatórios do empreiteiro Marcelo Odebrecht e do ex-ministro Antonio Palocci, marcados para esta segunda-feira (4) e para quarta-feira (6); interrogatórios dizem respeito ao processo que Lula responde pela suspeita de ter recebido vantagens indevidas por parte da Odebrecht; defesa do ex-presidente alega cerceamento da defesa, já que não teria tido acesso à integra dos documentos referentes a contabilidade paralela da Odebrecht  (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Paraná 247 - O juiz federal Sérgio Moro negou pedido feito pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para suspender os interrogatórios do empreiteiro Marcelo Odebrecht e do ex-ministro Antonio Palocci, marcados para esta segunda-feira (4) e para quarta-feira (6), respectivamente. Os interrogatórios dizem respeito ao processo que Lula responde pela suspeita de ter recebido vantagens indevidas por parte da Odebrecht. Lula deverá depor no próximo dia 13.

A defesa do ex-presidente alega cerceamento da defesa, já que não teria tido acesso à integra dos documentos referentes a contabilidade paralela da Odebrecht e pediu 30 dias a serem contabilizados partir da disponibilização destas informações.

Segundo Moro, caso seja necessário, os acusados poderão prestar depoimentos complementares aos documentos anexados. "Não há base legal, porém, para a pretensão da defesa de Luiz Inácio Lula da Silva de requerer tais provas antecipadamente e com isso suspender o processo para aguardar a produção dessas mesmas provas. Isso sem prejuízo de serem os acusados ouvidos novamente para questões complementares no futuro", destacou Moro em sua decisão.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247