Moro nega prova a Lula e diz que palavra da acusação merece fé

Em decisão tomada nesta sexta-feira, o juiz Sérgio Moro negou à defesa do ex-presidente Lula acesso às correspondências do Ministério Público Federal e do órgão correspondente na Suíça, para obter informações sobre o My Webb Day, espécie de sistema de propinas da Odebrecht; o MP alega não ter acesso ao dispositivo, mas um delator da empreiteira chegou a afirmar ter a chave de acesso, mudando a versão 5 dias depois do pedido da defesa de Lula; o sistema provaria que Lula jamais recebeu propinas da Odebrecht, ao contrário de vários políticos que hoje estão no poder; Moro afirmou que "o pedido não tem cabimento", que o MP disse não ter tido acesso ao sistema e que a palavra da acusação "merece fé"; ele também afirmou que eventualmente tais provas poderão surgir

Em decisão tomada nesta sexta-feira, o juiz Sérgio Moro negou à defesa do ex-presidente Lula acesso às correspondências do Ministério Público Federal e do órgão correspondente na Suíça, para obter informações sobre o My Webb Day, espécie de sistema de propinas da Odebrecht; o MP alega não ter acesso ao dispositivo, mas um delator da empreiteira chegou a afirmar ter a chave de acesso, mudando a versão 5 dias depois do pedido da defesa de Lula; o sistema provaria que Lula jamais recebeu propinas da Odebrecht, ao contrário de vários políticos que hoje estão no poder; Moro afirmou que "o pedido não tem cabimento", que o MP disse não ter tido acesso ao sistema e que a palavra da acusação "merece fé"; ele também afirmou que eventualmente tais provas poderão surgir
Em decisão tomada nesta sexta-feira, o juiz Sérgio Moro negou à defesa do ex-presidente Lula acesso às correspondências do Ministério Público Federal e do órgão correspondente na Suíça, para obter informações sobre o My Webb Day, espécie de sistema de propinas da Odebrecht; o MP alega não ter acesso ao dispositivo, mas um delator da empreiteira chegou a afirmar ter a chave de acesso, mudando a versão 5 dias depois do pedido da defesa de Lula; o sistema provaria que Lula jamais recebeu propinas da Odebrecht, ao contrário de vários políticos que hoje estão no poder; Moro afirmou que "o pedido não tem cabimento", que o MP disse não ter tido acesso ao sistema e que a palavra da acusação "merece fé"; ele também afirmou que eventualmente tais provas poderão surgir (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em decisão tomada nesta sexta-feira, o juiz Sérgio Moro negou à defesa do ex-presidente Lula acesso às correspondências entre o Ministério Público Federal e o órgão correspondente na Suíça, para obter informações sobre o My Webb Day, espécie de sistema de propinas da Odebrecht.

Em pedido anterior de acesso ao sistema feito pelos advogados de Lula, o MP alegou não ter acesso ao dispositivo. No entanto, um delator da empreiteira chegou a afirmar aos procuradores da Lava Jato ter a chave de acesso. Ele mudou a versão de seu depoimento cinco dias depois de Lula pedir acesso ao sistema.

O My Webb Day provaria que Lula jamais recebeu propinas da Odebrecht, ao contrário de vários políticos que hoje estão no poder. Em seu despacho, Moro afirmou que "o pedido não tem cabimento", e que se o MP disse não ter tido acesso ao sistema, "a afirmação merece fé".

Ele também afirmou que eventualmente tais provas poderão surgir e negou outros pedidos de Lula, como da realização de perícia de novos documentos que foram incluídos no processo, relacionados à Odebrecht.

 Confira aqui a íntegra do despacho de Moro. E aqui o pedido feito pela defesa.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email