MP arquiva denúncia contra procuradores da Lava Jato que ajudaram em pedido de impeachment contra Gilmar

Denúncia havia sido feita junto ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) pela Associação Brasileira de Juristas pela Democracia, que apontou desvio funcional dos procuradores da força-tarefa Deltan Dallagnol e Thamea Danelon. Revelação foi feita pela Vaza Jato

Gilmar Mendes Thaméa Danelon Deltan Dallagnol
Gilmar Mendes Thaméa Danelon Deltan Dallagnol

247 - A corregedora-geral do Ministério Público Federal, Elizeta Maria de Paiva Ramos, arquivou representação contra os procuradores da Lava Jato Deltan Dallagnol e Thamea Danelon, que eram acusados de desvio funcional em uma denúncia apresentada pela Associação Brasileira de Juristas pela Democracia, informa o jornalista Fábio Zanini.

A ação da ABJD, apresentada junto ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) se deu após revelação, nos diálogos da Vaza Jato no site The Intercept em setembro, de que os dois contribuíram de forma indevida com a elaboração de um pedido de impeachment do ministro Gilmar Mendes, do STF.

Com apoio do coordenador da força-tarefa, Thaméa Danelon aceitou em 2017 pedido do advogado do setor privado Modesto Carvalhosa para redigir uma minuta que pedia o impeachment do ministro do STF Gilmar Mendes. 

"Oi. O professor Carvalhosa vai abrir o impeachment do Gilmar. Ele pediu para eu minutar para ele", contou Thaméa ao chefe, Dallagnol. "Sensacional, manda ver", respondeu Dallagnol sobre o ato ilegal. "Seu apoio é muito importante para mim", disse a colega. "Apoiadíssima. Se quiser, podemos olhar depois de você redigir", ofereceu ainda o chefe da força-tarefa. "Quero sim, lógico. Obrigada", concluiu.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247