Paraná fica sem ministro no 2º governo Dilma

Paulo Bernardo, das Comunicações, cederá lugar ao baiano Jacques Wagner; Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência, abrirá ala para o gaúcho Miguel Rossetto; e a Casa Civil, que era de Gleisi Hoffmann, permanecerá nas mãos do paulista Aloizio Mercadante; chances de o deputado paranaense João Arruda (PMDB), sobrinho do senador Roberto Requião, assumir o Turismo foram por terra na madrugada desta terça-feira (23)

Paulo Bernardo, das Comunicações, cederá lugar ao baiano Jacques Wagner; Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência, abrirá ala para o gaúcho Miguel Rossetto; e a Casa Civil, que era de Gleisi Hoffmann, permanecerá nas mãos do paulista Aloizio Mercadante; chances de o deputado paranaense João Arruda (PMDB), sobrinho do senador Roberto Requião, assumir o Turismo foram por terra na madrugada desta terça-feira (23)
Paulo Bernardo, das Comunicações, cederá lugar ao baiano Jacques Wagner; Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência, abrirá ala para o gaúcho Miguel Rossetto; e a Casa Civil, que era de Gleisi Hoffmann, permanecerá nas mãos do paulista Aloizio Mercadante; chances de o deputado paranaense João Arruda (PMDB), sobrinho do senador Roberto Requião, assumir o Turismo foram por terra na madrugada desta terça-feira (23) (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Blog do Esmael - Uma reunião entre a presidenta Dilma Rousseff (PT) e o vice Michel Temer (PMDB), que avançou a noite de ontem, em Brasília, retirou as possibilidades de o Paraná manter um único ministro no segundo governo que começará a partir do dia 1º de janeiro de 2015.

De três ministros neste primeiro governo, o estado não ficará com nenhum. Paulo Bernardo, das Comunicações, cederá o lugar para o baiano Jacques Wagner; Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência, abrirá ala para o gaúcho Miguel Rossetto; e a Casa Civil, que era de Gleisi Hoffmann permanecerá nas mãos do paulista Aloizio Mercadante.

As chances de o deputado paranaense João Arruda (PMDB), sobrinho do senador Roberto Requião, assumir o Turismo foram por terra na madrugada desta terça-feira (23) quando Temer apresentou os nomes de Eliseu Padilha (RS) para a Aviação e do deputado Edinho Araújo (SP), na cota da Câmara, para os Portos.

A bancada peemedebista se diz “não contemplada” com as indicações do vice-presidente da República para o primeiro escalão no governo Dilma, mas seu poder de reação é praticamente nulo durante o recesso parlamentar.

A presidenta deverá fechar todos os nomes até o próximo dia 29.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247