Presos encerram rebelião no Noroeste do estado

A Polícia Civil infirmou que presos da cadeia pública de Umuarama, no noroeste do Paraná, encerraram a rebelião; ao todo, 260 detentos se rebelaram. O local fica anexo ao prédio da delegacia da cidade, abriga 260 presos e tem capacidade para 64

A Polícia Civil infirmou que presos da cadeia pública de Umuarama, no noroeste do Paraná, encerraram a rebelião; ao todo, 260 detentos se rebelaram. O local fica anexo ao prédio da delegacia da cidade, abriga 260 presos e tem capacidade para 64
A Polícia Civil infirmou que presos da cadeia pública de Umuarama, no noroeste do Paraná, encerraram a rebelião; ao todo, 260 detentos se rebelaram. O local fica anexo ao prédio da delegacia da cidade, abriga 260 presos e tem capacidade para 64 (Foto: Leonardo Lucena)

Paraná 247 - A Polícia Civil infirmou que presos da cadeia pública de Umuarama, no noroeste do Paraná, encerraram a rebelião que teve início na noite desta quarta-feira. Ao todo, 260 detentos se rebelaram. O local fica anexo ao prédio da delegacia da cidade, abriga 260 presos e tem capacidade para 64. Os internos se aproveitaram de uma manifestação de moradores em frente à delegacia para sair aos poucos das celas, de acordo com a polícia. 

O protesto ocorreu por causa da prisão de um suspeito de ter matado a menina Tabata Fabiana Crespilho da Rosa, que tinha seis anos. Manifestantes tentaram invadir a delegacia. A corporação informou, que, por volta das 10h, a revolta terminou com 12 veículos destruídos, sendo seis carros policiais, quatro de imprensa local, e dois veículos particulares. Oito foram incendiados. O rapaz  confessou o crime e foi transferido da delegacia por questões de segurança. 

De acordo com o delegado-chefe da Polícia Civil de Umuarama, Osnildo Lemes, o suspeito de matar Tábata responde, em liberdade, por outro homicídio contra uma adolescente de 15 anos, em Chopinzinho, em 2010. 

 

Conheça a TV 247

Mais de Sul

Ao vivo na TV 247 Youtube 247