PSDB aposta em Pessuti para ter apoio do PMDB

O ex-governador Orlando Pessuti, secretário-geral do PMDB, se transformou numa espécie de "tábua da salvação" do Palácio Iguaçu para garantir o PMDB na coligação de reeleição do governador Beto Richa (PSDB); a conversa nos bastidores é para que o ex-governador aceite a vice na chapa de Richa e enterre de uma vez por todas a tese da candidatura própria

O ex-governador Orlando Pessuti, secretário-geral do PMDB, se transformou numa espécie de "tábua da salvação" do Palácio Iguaçu para garantir o PMDB na coligação de reeleição do governador Beto Richa (PSDB); a conversa nos bastidores é para que o ex-governador aceite a vice na chapa de Richa e enterre de uma vez por todas a tese da candidatura própria
O ex-governador Orlando Pessuti, secretário-geral do PMDB, se transformou numa espécie de "tábua da salvação" do Palácio Iguaçu para garantir o PMDB na coligação de reeleição do governador Beto Richa (PSDB); a conversa nos bastidores é para que o ex-governador aceite a vice na chapa de Richa e enterre de uma vez por todas a tese da candidatura própria (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Blog do Esmael - O ex-governador Orlando Pessuti, secretário-geral do PMDB, se transformou numa espécie de "tábua da salvação" do Palácio Iguaçu para garantir o PMDB na coligação de reeleição do governador Beto Richa (PSDB).

Outrora rejeitado como opção pela agora diminuta bancada estadual peemedebista que ainda luta pelo entendimento com o tucano, Pessuti almoçou semana passada na Assembleia Legislativa do Paraná.

A conversa nos bastidores é para que o ex-governador aceite a vice na chapa de Richa e enterre de uma vez por todas a tese da candidatura própria.

As esperanças do governador do PSDB ganhar as eleições de outubro já no primeiro turno estão nas mãos de Pessuti, portanto.

Se isso é bom ou ruim? Somente a história nos contará.

Em mensagem a este blogueiro, o ex-governador garantiu que se reuniu com 50 municípios na semana passada em nome da candidatura própria do PMDB.

Na outra ponta, o senador Roberto Requião também trabalha pelo projeto autônomo. No último sábado, por exemplo, ele fechou uma série de reuniões regionais em Francisco Beltrão, Sudoeste, onde o deputado Caíto Quintana anunciou que abandonou o barco do tucano Beto Richa e aderiu à campanha "Volta, Requião".

Enquanto espera o desfecho do imbróglio no PMDB, resta o governador Beto Richa estudar outras possibilidades políticas. Dentre as quais, o próprio Palácio Iguaçu não descarta uma candidatura ao Senado e ceder a vaga para o senador Álvaro Dias tentar voltar ao governo depois de 25 anos.

Você duvida que vaca voe nestas plagas, caro leitor? Ontem à noite, pelo Twitter, Richa deu uma piscadela em direção a Requião. "Lula devolve apoio de Requião em 5 eleições com ingratidão. Memória curta. Esqueceu a lealdade ao apoiar novo aliado", solidarizou-se (clique aqui).

Mesmo com o afago, o peemedebista não titubeou sobre 2014: "o Estado não pode ser governado nem pela Barbie nem pelo Ken", afirma, usando os apelidos que criou para Gleisi Hoffmann (PT) e para o governador Beto Richa.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email