Requião: agora vocês já sabem o porquê do golpe? Era para entregar o petróleo

Um dos maiores defensores da soberania nacional, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) resumiu de maneira simples e direta o objetivo principal que levou o Congresso Nacional a aprovar um impeachment sem comprovação de crime de responsabilidade contra uma presidente honesta e legítima, e colocar em seu lugar um político acusado de chefiar uma quadrilha; "Agora vcs já sabem o porque do golpe? Era para entregar o petróleo", afirmou o senador

Um dos maiores defensores da soberania nacional, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) resumiu de maneira simples e direta o objetivo principal que levou o Congresso Nacional a aprovar um impeachment sem comprovação de crime de responsabilidade contra uma presidente honesta e legítima, e colocar em seu lugar um político acusado de chefiar uma quadrilha; "Agora vcs já sabem o porque do golpe? Era para entregar o petróleo", afirmou o senador
Um dos maiores defensores da soberania nacional, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) resumiu de maneira simples e direta o objetivo principal que levou o Congresso Nacional a aprovar um impeachment sem comprovação de crime de responsabilidade contra uma presidente honesta e legítima, e colocar em seu lugar um político acusado de chefiar uma quadrilha; "Agora vcs já sabem o porque do golpe? Era para entregar o petróleo", afirmou o senador (Foto: Aquiles Lins)

Paraná 247 - Um dos maiores defensores da soberania nacional, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) resumiu de maneira simples e direta o objetivo principal que levou o Congresso Nacional a aprovar um impeachment sem comprovação de crime de responsabilidade contra uma presidente honesta e legítima, e colocar em seu lugar um político acusado de chefiar uma quadrilha.

"Agora vcs já sabem o porque do golpe? Era para entregar o petróleo", afirmou o senador. 

Requião protestou contra o leilão de campos do pré-sal pelo governo de Pedro Parente, e afirmou que o procedimento foi irregular. A defesa do senador denuncia que a decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região que cassou a liminar concedida por um juiz de Manaus, que suspendia o leilão do pré-sal realizado pelo governo federal nesta sexta-feira 27, não está protocolada. A inexistência de número impede que a defesa entre com recurso, ferindo o devido processo legal, argumenta o advogado Rubens Rodrigues Francisco (leia mais).

Conheça a TV 247

Mais de Sul

Ao vivo na TV 247 Youtube 247