Requião critica sabatina com Moraes no Senado

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) criticou a indicação do ministro licenciado da Justiça, Alexandre Moraes, para o STF; membros da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado fazem uma sabatina com o tucano; "Ministro de governo com 5 ou 6 colegas de ministério envolvidos na lavajato pode e deve ser aprovado como ministro do STF que os julgará", questionou o parlamentar no Twitter

Plenário do Senado durante Sessão deliberativa ordinária.

Em discurso, senador Roberto Requião (PMDB-PR)

Foto: Moreira Mariz/Agência Senado
Plenário do Senado durante Sessão deliberativa ordinária. Em discurso, senador Roberto Requião (PMDB-PR) Foto: Moreira Mariz/Agência Senado (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Paraná 247 - O senador Roberto Requião (PMDB-PR) criticou a indicação do ministro licenciado da Justiça, Alexandre Moraes, para o Supremo Tribunal Federal (STF). Nesta terça-feira (21), membros da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado fazem uma sabatina com o tucano. 

"Ministro de governo com 5 ou 6 colegas de ministério envolvidos na lavajato pode e deve ser aprovado como ministro do STF QUE OS JULGARÁ?", questionou o parlamentar no Twitter.

São seis ministros delatados: Padilha (Casa Civil/PMDB), José Serra (Relações Exteriores/PSDB), Moreira Franco (Secretaria Geral/PMDB), Bruno Araújo (Cidades/PSDB), Gilberto Kassab (Ciência, Tecnologia e Comunicações/PSD) e Marcos Pereira (MDIC/PRB), o último de que se tem notícia.

Outro detalhe é que dez senadores da CCJ são alvos da Lava Jato, dentre eles o presidente da comissão, Edison Lobão (PMDB-MA). "Lobão preside a CCJ visivelmente abatido", disse Requião.

Lobão é alvo de dois inquéritos no STF no âmbito da Lava Jato por ter recebido suposto propina em decorrência das obras da usina de Angra 3 (RJ). Peemedebista também é alvo de outras duas investigações sobre irregularidades na usina de Belo Monte, no Pará.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email