Requião defende “frente por eleições sem fraude parlamentarista”

Uma das principais vozes críticas ao governo de Michel Temer, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) voltou a defender um projeto que não desmantele a soberania nacional sob o ponto de vista econômico e defendeu eleição sem fraude; "O movimento nacionalista e progressista, desenvolvimentista, não pode ser desmobilizado. Frente por eleições sem fraude parlamentarista, com claro projeto nacional de desenvolvimento, e participação de todos candidatos. Sem veto judicial, o povo decide", escreveu o parlamentar no Twitter

Uma das principais vozes críticas ao governo de Michel Temer, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) voltou a defender um projeto que não desmantele a soberania nacional sob o ponto de vista econômico e defendeu eleição sem fraude; "O movimento nacionalista e progressista, desenvolvimentista, não pode ser desmobilizado. Frente por eleições sem fraude parlamentarista, com claro projeto nacional de desenvolvimento, e participação de todos candidatos. Sem veto judicial, o povo decide", escreveu o parlamentar no Twitter
Uma das principais vozes críticas ao governo de Michel Temer, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) voltou a defender um projeto que não desmantele a soberania nacional sob o ponto de vista econômico e defendeu eleição sem fraude; "O movimento nacionalista e progressista, desenvolvimentista, não pode ser desmobilizado. Frente por eleições sem fraude parlamentarista, com claro projeto nacional de desenvolvimento, e participação de todos candidatos. Sem veto judicial, o povo decide", escreveu o parlamentar no Twitter (Foto: Leonardo Lucena)

Paraná 247 - Uma das principais vozes críticas ao governo de Michel Temer, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) voltou a defender um projeto que não desmantele a soberania nacional sob o ponto de vista econômico e defendeu eleição sem fraude.

"O movimento nacionalista e progressista,desenvolvimentista,não pode ser desmobilizado. Frente por eleições sem fraude parlamentarista, com claro projeto nacional de desenvolvimento, e participação de todos candidatos. Sem veto judicial, o povo decide", escreveu o parlamentar no Twitter.

Além de colocar em prática uma política econômica entreguista, Michel Temer tem dito que o País está saindo da recessão. Mas, com 328 mil demissões em dezembro, o Brasil fechou 2017 no vermelho, com mais cortes do que admissões no mercado de trabalho, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Também vale ressaltar que a agência de classificação de risco Standard & Poor’s reduziu neste mês a nota de crédito da dívida soberana do Brasil para BB- ante a nota anterior BB.

No plano político, Temer chegou ao poder por meio de um golpe parlamentar. Tanto o Ministério Público quanto uma auditoria do Senado confirmaram que Dilma Rousseff não cometeu as chamadas pedaladas fiscais.

Temer também é o político mais rejeitado do Brasil, de acordo com levantamento do Instituto Ipsos da série Barômetro Político Estadão-Ipsos, divulgado pelo jornal nesta terça-feira (30). O emedebista amarga uma taxa de desaprovação a Temer caiu de 92%, a maior entre todos os nomes pesquisados

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247