Requião: “Lula é símbolo da luta pela soberania”

Após o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ser condenado pelo Tribunal Regional Federal (TRF4) no processo envolvendo o triplex no Guaruja, o senador Roberto Requião (MDB-PR) voltou a manifestar seu apoio ao petista; "Eles dizem:'uma multidão de indícios faz a convicção do juiz'. Eu digo, pelos indícios minha convicção é de que estamos vendo o Estado Social destruído. Lula é o símbolo da luta pela soberania!", escreveu

Após o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ser condenado pelo Tribunal Regional Federal (TRF4) no processo envolvendo o triplex no Guaruja, o senador Roberto Requião (MDB-PR) voltou a manifestar seu apoio ao petista; "Eles dizem:'uma multidão de indícios faz a convicção do juiz'. Eu digo, pelos indícios minha convicção é de que estamos vendo o Estado Social destruído. Lula é o símbolo da luta pela soberania!", escreveu
Após o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ser condenado pelo Tribunal Regional Federal (TRF4) no processo envolvendo o triplex no Guaruja, o senador Roberto Requião (MDB-PR) voltou a manifestar seu apoio ao petista; "Eles dizem:'uma multidão de indícios faz a convicção do juiz'. Eu digo, pelos indícios minha convicção é de que estamos vendo o Estado Social destruído. Lula é o símbolo da luta pela soberania!", escreveu (Foto: Leonardo Lucena)

Paraná 247 - Após o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ser condenado pelo Tribunal Regional Federal (TRF4) no processo envolvendo o triplex no Guaruja, o senador Roberto Requião (MDB-PR) voltou a manifestar seu apoio ao petista.

"Eles dizem:'uma multidão de indícios faz a convicção do juiz'. Eu digo, pelos indícios minha convicção é de que estamos vendo o Estado Social destruído. Lula é o símbolo da luta pela soberania!", escreveu o parlamentar em sua conta no Twitter.

Lula foi condenado nesta quarta-feira (24) por unanimidade pelo TRF4 e teve a pena aumentada para 12 anos de prisão - em primeira instância jurídica, o juiz Sergio Moro condenou o petista a 9 anos e 6 meses de prisão.

Nos dois julgamentos, Lula foi condenado sem provas. Em setembro de 2016, ele foi denunciado pelo Ministério Público Federal, que acusou o petista de ter recebido R$ 3,7 milhões em benefício próprio da empreiteira OAS, entre 2006 e 2012, através de um triplex no Guarujá (SP).

Mas, no começo de janeiro deste ano, há pouco mais de 15 dias, a juíza Luciana Correa Torres de Oliveira, da 2ª Vara de Execução e Títulos no Distrito Federal, determinou a penhora dos bens da OAS, numa ação movida por credores. Um dos ativos penhorados é justamente o triplex que a Operação Lava Jato atribuiu a Lula (veja aqui). Também foi publicado o termo de penhora do triplex, com data de 5 de dezembro de 2017 (leia aqui).

Quando o MPF denunciou o petista, um dos procuradores, Henrique Pozzobon, admitiu não existir "prova cabal" de que o petista é "proprietário no papel" do tripléx. 

"Precisamos dizer desde já que, em se tratando da lavagem de dinheiro, ou seja, em se tratando de uma tentativa de manter as aparências de licitude, não teremos aqui provas cabais de que Lula é o efetivo proprietário no papel do apartamento, pois justamente o fato de ele não figurar como proprietário do tríplex, da cobertura em Guarujá é uma forma de ocultação, dissimulação da verdadeira propriedade", disse o procurador.

Antes da denúncia, o ex-presidente havia publicado no site do Instituto Lula um dossiê completo em que disponibiliza todos os documentos referentes ao apartamento. Foram publicados seus contratos com a Bancoop, sua declaração de Imposto de Renda, a declaração de bens ao Tribunal Superior Eleitoral e os contratos que compravam a desistência da ex-primeira-dama Marisa Letícia em continuar com o imóvel (confira).

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247