Requião: ‘Ponte para o Futuro’ é a negação de nossa história

Um dos principais nomes do PMDB aliados da presidente Dilma, o senador Roberto Requião (PR) criticou, no Twitter, o documento "A Ponte para o Futuro" um dia antes de a Executiva Nacional da sigla peemedebista decidir se continua ou não na base aliada da petista; o parlamentar afirmou que "grave não é o PMDB sair ou não da base do governo", mas sim o documento; segundo ele, "a política econômica do governo é horrível, mas a "Ponte para o Futuro" provocaria uma crise social sem precedentes na historia do Brasil"; "Ponte para o Futuro, redigido por aloprados, fora do PMDB, é a negação de toda a nossa historia"

Um dos principais nomes do PMDB aliados da presidente Dilma, o senador Roberto Requião (PR) criticou, no Twitter, o documento "A Ponte para o Futuro" um dia antes de a Executiva Nacional da sigla peemedebista decidir se continua ou não na base aliada da petista; o parlamentar afirmou que "grave não é o PMDB sair ou não da base do governo", mas sim o documento; segundo ele, "a política econômica do governo é horrível, mas a "Ponte para o Futuro" provocaria uma crise social sem precedentes na historia do Brasil"; "Ponte para o Futuro, redigido por aloprados, fora do PMDB, é a negação de toda a nossa historia"
Um dos principais nomes do PMDB aliados da presidente Dilma, o senador Roberto Requião (PR) criticou, no Twitter, o documento "A Ponte para o Futuro" um dia antes de a Executiva Nacional da sigla peemedebista decidir se continua ou não na base aliada da petista; o parlamentar afirmou que "grave não é o PMDB sair ou não da base do governo", mas sim o documento; segundo ele, "a política econômica do governo é horrível, mas a "Ponte para o Futuro" provocaria uma crise social sem precedentes na historia do Brasil"; "Ponte para o Futuro, redigido por aloprados, fora do PMDB, é a negação de toda a nossa historia" (Foto: Leonardo Lucena)

Paraná 247 - Um dos principais nomes do PMDB aliados da presidente Dilma Rousseff (PT), o senador Roberto Requião (PR) criticou o documento "A Ponte para o Futuro" um dia antes de a Executiva Nacional da sigla peemedebista decidir se continua ou não na base aliada da petista. A decisão será tomada nesta terça-feira (29), e, se confirmado o rompimento, fortalecerá o golpe contra a presidente.

O parlamentar afirmou que "grave não é o PMDB sair ou não da base do governo", mas sim o documento. Segundo ele, "a política econômica do governo é horrível, mas a "Ponte para o Futuro" provocaria uma crise social sem precedentes na historia do Brasil". "Ponte para o Futuro, redigido por aloprados, fora do PMDB, é a negação de toda a nossa historia", afirmou o senador no Twitter.

O vice-presidente da República e presidente nacional do PMDB, Michel Temer, apresentou, em outubro do ano passado, o documento com uma sério de medidas para a retomada do crescimento econômico. O texto disse, por exemplo que o governo "cometeu excessos" nos últimos anos e defende medidas como a privatização de ativos estatais para a recuperação das contas públicas. O documento foi duramente criticado pelo presidente nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas (veja aqui).

A relação entre Michel Temer e a presidente Dilma não é amistosa, apesar de a legenda integrar oficialmente a base governista. No ano passado, o peemedebista enviou uma carta à petista dizendo ter sido apenas "vice decorativo" no primeiro mandato. Temer disse, ainda, que jamais ele ou o PMDB foram "chamados para discutir formulações econômicas ou políticas do País".

 

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Sul

Ao vivo na TV 247 Youtube 247