Requião: projeto de abuso de autoridade ‘não tem nada a ver com a Lava Jato’

Em vídeo, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) defende o projeto contra abuso de autoridade por parte de juízes e procuradores e afirma que ele "não tem nada a ver com a Lava Jato"; "Não é possível  que haja continuidade do abuso de poder, da mentira da imprensa, da manipulação da informação. Essa canalhice tem que acabar", diz; Requião, que é relator da proposta, anuncia que irá processar a Folha de S. Paulo, por tentar te "envolver neste processo" e dizer "mentirosamente, criminosamente, que eu fui envolvido numa delação premiada do Sérgio Machado"

senador Roberto Requião (PMDB-PR)
senador Roberto Requião (PMDB-PR) (Foto: Paulo Emílio)

Paraná 247 - O senador Roberto Requião (PMDB-PR) afirmou que vai processar a Folha de S. Paulo pelo fato de o jornal ter publicado que ele é mencionado em delação premiada do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado. Segundo o senador, o jornal "mente".

Em vídeo publicado no Facebook, o parlamentar diz que se dispôs a ser o relator do projeto que trata do abuso de autoridade por juízes e procuradores, mas que "a Folha não sabe como seria o meu voto e o que eu diria a respeito disso. Mas tenta me envolver neste processo e diz mentirosamente, criminosamente, que eu fui envolvido numa delação premiada do Sérgio Machado. Mentira. Vou processar os canalhas da Folha de São Paulo".

Assista:

 

Para o parlamentar, "não é possível " que haja continuidade do "abuso de poder, da mentira da imprensa, da manipulação da informação. Essa canalhice tem que acabar", diz. Segundo ele, a proposta contra o abuso de poder "não tem nada a ver com a Lava Jato". "Eu fui o primeiro senador a apoiar a Lava Jato. Ela prestou um grande serviço ao país", ressaltou.

"Agora eu quero acabar com o abuso de poder. Do abuso de um delegado de polícia numa cidade do interior, do fiscal da receita estadual que achaca o dono de um botequim, do fiscal da Receita federal, e dos juízes e promotores também. Todos são iguais perante a lei", afirma.

O peemedebista também critica o não posicionamento dos integrantes do poder Judiciário em torno de temas polêmicos como o foro privilegiado. "Devemos acabar com o foro privilegiado para crimes comuns. Mas você sabia que promotores e juízes têm foro privilegiado? Vocês já ouviram dizer que eles querem abrir mão disso? E você sabia que em função disso eles são julgados por um colegiado do Poder Judiciário, por seus pares?", diz.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247