Secretário: servidores só terão reajuste com o fim do governo Richa

A informação foi repassada pelo secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, ao adiantar que os servidores públicos não verão este ano reajuste nos seus salários; para a APP-Sindicato, que representa a maior categoria de funcionários públicos, os educadores, trata-se do prolongamento e oficialização do calote do governador Beto Richa (PSDB)

Secretário da Fazenda do Paraná, Mauro Ricardo Costa. Curitiba, 02/01/2017. Foto: Julio César da Costa Souza / Arquivo / SEFA
Secretário da Fazenda do Paraná, Mauro Ricardo Costa. Curitiba, 02/01/2017. Foto: Julio César da Costa Souza / Arquivo / SEFA (Foto: Leonardo Lucena)

Blog do Esmael - A informação foi repassada nesta quarta-feira (27) pelo secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, ao adiantar que os servidores públicos não verão este ano reajuste nos seus salários.

Para a APP-Sindicato, que representa a maior categoria de funcionários públicos, os educadores, trata-se do prolongamento e oficialização do calote do governador Beto Richa (PSDB).

O sindicato destaca que, na audiência pública do secretário na Assembleia Legislativa, ficou demonstrado que as receitas totais do estado registram crescimento real de 3,26% e somaram um valor de R$ 30,1 bilhões nos oito primeiros meses de 2017.

De acordo com Mauro Ricardo, as receitas foram puxadas pelo aumento de 0,82% nas receitas tributárias, que respondem por quase 70% do total. Já a arrecadação do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) cresceu 0,97%.

“Os servidores estão ganhando muito bem”, disse o secretário da Fazenda.

“Há sim margem fiscal e financeira para negociar o reajuste salarial e o gasto com pessoal está abaixo do limite prudencial, o que falta mesmo é vontade do governo”, contestou o economista Cid Cordeiro.

O Paraná tem cerca de 300 mil servidores públicos que, pela explanação do secretário, terão de esperar um próximo governo para reaver seus reajustes sonegados por Beto Richa.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247