STF homologa delação premiada de Zwi Skornicki

O engenheiro foi detido na 23ª fase da Lava Jato, batizada de Acarajé, mesma operação que prendeu o casal João Santana e Mônica Moura, responsável por campanhas do PT, e atualmente cumpre prisão domiciliar; pelo acordo, Zwi terá de devolver US$ 23,8 milhões e mais de 50 obras de arte

O engenheiro foi detido na 23ª fase da Lava Jato, batizada de Acarajé, mesma operação que prendeu o casal João Santana e Mônica Moura, responsável por campanhas do PT, e atualmente cumpre prisão domiciliar; pelo acordo, Zwi terá de devolver US$ 23,8 milhões e mais de 50 obras de arte
O engenheiro foi detido na 23ª fase da Lava Jato, batizada de Acarajé, mesma operação que prendeu o casal João Santana e Mônica Moura, responsável por campanhas do PT, e atualmente cumpre prisão domiciliar; pelo acordo, Zwi terá de devolver US$ 23,8 milhões e mais de 50 obras de arte (Foto: Gisele Federicce)

Paraná 247 – O acordo de delação premiada do engenheiro Zwi Skornicki, no âmbito da Operação Lava Jato, foi homologado pelo ministro Teori Zavascki, relator do caso no Supremo Tribunal Federal.

Zwi foi detido na 23ª fase, batizada de Acarajé, mesma operação que prendeu o casal de marqueteiros João Santana e Mônica Moura, e atualmente cumpre prisão domiciliar. Pelo acordo, ele terá de devolver US$ 23,8 milhões e mais de 50 obras de arte. Após o acordo, ele ambém poderá pegar no máximo 15 anos de prisão somadas as condenações na Lava Jato.

A homologação do acordo foi informada pelo Ministério Público Federal ao juiz Sérgio Moro. Em seus depoimentos, o engenheiro disse que pagou US$ 4,5 milhões a João Santana como caixa 2 da campanha presidencial de Dilma Rousseff.

Conheça a TV 247

Mais de Sul

Ao vivo na TV 247 Youtube 247