Suplicy também é impedido de visitar e entregar cartas a Lula

O vereador Eduardo Suplicy (PT-SP) foi a Curitiba com esperança de visitar o ex-presidente Lula, mas foi impedido também pela juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara; ele disse que, se não puder visitar, queria ao menos tentar "entregar os 11 cadernos espirais com todas as quase três mil cartas" dos brasileiros ao ex-presidente que estão com ele; "Eu acho que vai fazer bem para ele", disse; assista sua fala em frente à PF

suplicy
suplicy (Foto: Gisele Federicce)

Paraná 247 - O vereador Eduardo Suplicy (PT-SP) foi a Curitiba nesta quinta-feira 26 com esperança de visitar o ex-presidente Lula na sede da Polícia Federal, onde está preso, uma vez que o Ministério Público havia sinalizado a favor, mas foi impedido, assim como diversas outras pessoas já haviam sido, pela juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara da Justiça Federal do Paraná.

Suplicy ressaltou que os termos das 'Regras de Mandela', no que diz respeito às visitas de familiares e amigos do prisioneiro, são "muito claros". Ele leu o trecho correspondente e defendeu: "O Brasil tem que respeitar, assim como respeita A Declaração dos Direitos da Pessoa Humana, da qual foi signatário".

"Quem sabe se ela não permitir eu possa ao menos passar onde está o Lula e dar uma sinalização a Lula, de longe, e entregar os 11 cadernos espirais com todas as quase três mil cartas para ele. Eu acho que vai fazer bem para ele", disse Suplicy. 

Assista sua declaração a jornalistas em frente ao prédio da PF:

Ao vivo na TV 247 Youtube 247