TRF nega HC e mantém depoimento de Lula a Moro

Juiz federal Nivaldo Bonini, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, negou nesta terça-feira (9) o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para suspender a ação penal a que ele responde na Justiça Federal do Paraná e adiar o depoimento do petista ao juiz Sergio Moro; na véspera, a defesa de Lula pediu, por meio de um habeas corpus, a imediata suspensão do processo criminal em que ele é réu por corrupção e lavagem de dinheiro no caso triplex no Guarujá, litoral de São Paulo; a defesa de Lula argumentou que não dispõe de tempo suficiente para analisar o conteúdo que a Petrobras anexou aos autos

Juiz federal Nivaldo Bonini, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, negou nesta terça-feira (9) o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para suspender a ação penal a que ele responde na Justiça Federal do Paraná e adiar o depoimento do petista ao juiz Sergio Moro; na véspera, a defesa de Lula pediu, por meio de um habeas corpus, a imediata suspensão do processo criminal em que ele é réu por corrupção e lavagem de dinheiro no caso triplex no Guarujá, litoral de São Paulo; a defesa de Lula argumentou que não dispõe de tempo suficiente para analisar o conteúdo que a Petrobras anexou aos autos
Juiz federal Nivaldo Bonini, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, negou nesta terça-feira (9) o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para suspender a ação penal a que ele responde na Justiça Federal do Paraná e adiar o depoimento do petista ao juiz Sergio Moro; na véspera, a defesa de Lula pediu, por meio de um habeas corpus, a imediata suspensão do processo criminal em que ele é réu por corrupção e lavagem de dinheiro no caso triplex no Guarujá, litoral de São Paulo; a defesa de Lula argumentou que não dispõe de tempo suficiente para analisar o conteúdo que a Petrobras anexou aos autos (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Do Infomoney - O juiz federal Nivaldo Bonini, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, negou nesta terça-feira (9) o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para suspender a ação penal a que ele responde na Justiça Federal do Paraná e adiar o depoimento do petista ao juiz Sergio Moro.

Na véspera, a defesa de Lula pediu, por meio de um habeas corpus, a imediata suspensão do processo criminal em que ele é réu por corrupção e lavagem de dinheiro no caso triplex no Guarujá, litoral de São Paulo. A defesa alega que não dispõe de tempo suficiente para analisar o conteúdo que a Petrobras anexou aos autos.

A defesa quer que "seja concedido prazo razoável para a análise dos documentos, além da apresentação da íntegra da relação antes requerida e deferida pelo Juízo, com a eventual renovação dos atos processuais subsequentes que tenham sido prejudicados pela decisão ilegal".

Segundo os advogados de Lula - criminalistas Cristiano Zanin Martins e Roberto Teixeira -, os documentos da Petrobras foram solicitados desde 10 de outubro de 2016, mas "foram levados - em parte - ao processo somente nos dias 28 de abril e 2 de maio de 2017, por meio digital".

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247