Um terço dos presos da Lava Jato não foi julgado

Das 21 pessoas presas pela Lava Jato por ordem do juiz Sergio Moro, em três anos de investigação, sete não foram julgadas; todos os delatores foram libertados, com exceção de Marcelo Odebrecht, também o único empreiteiro preso até agora; prisões preventivas têm sido alvo de críticas de ministros do STF; na semana passada, Gilmar Mendes disse que a corte tem um "encontro marcado com as alongadas prisões que se determinam em Curitiba"

São Paulo - Polícia Federal chega a construtora Odebrecht na 23ª fase da Operação Lava Jato( Rovena Rosa/Agência Brasil)
São Paulo - Polícia Federal chega a construtora Odebrecht na 23ª fase da Operação Lava Jato( Rovena Rosa/Agência Brasil) (Foto: Gisele Federicce)

Paraná 247 – Um terço dos presos atualmente na Lava Jato em três anos de investigação não recebeu julgamento. São 21 detidos por ordem do juiz Sergio Moro, no Rio de Janeiro ou no Paraná, por ordem do juiz Sergio Moro.

Os sete que não foram julgados são: o ex-governador do Rio Sérgio Cabral, seu ex-secretário Wilson Cordeiro, o ex-ministro Antonio Palocci, o ex-deputado Eduardo Cunha e os empresários Carlos Miranda, Flávio Macedo e Eduardo Meira. Os outros 14 têm algum tipo de condenação.

Destes, há também apenas um delator, Marcelo Odebrecht. Todos os outros delatores já foram libertados. As informações são de reportagem da Folha de S.Paulo neste sábado 18. O ex-presidente da Odebrecht também é o único empreiteiro preso até agora.

Prisões preventivas têm sido alvo de críticas de ministros do STF; na semana passada, Gilmar Mendes disse que a corte tem um "encontro marcado com as alongadas prisões que se determinam em Curitiba".

Ao vivo na TV 247 Youtube 247