'Vamos vender tudo', diz Onyx sobre privatizações de estatais

De acordo com o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, o Brasil tem "22 empresas estatais em processo de privatização". "E nós vamos vender tudo, devolvendo à sociedade brasileira o que é dela", disse

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni
O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, reforçou a política entreguista do governo Jair Bolsonaro e defendeu o plano de privatizações de estatais. 

"Nós temos, hoje, 22 empresas estatais em processo de privatização. A tese é o seguinte: cabe ao estado prover a defesa, a segurança, a saúde em parceria com a sociedade, a educação, e ponto final. O resto, quem tem que fazer, são os brasileiros e as brasileiras. E nós vamos vender tudo, devolvendo à sociedade brasileira o que é dela", disse em palestra direcionada a empresários na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul (RS).

No dia 26 de agosto, o governo federal anunciou o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) para privatizar nove empresas estatais. Segundo Onyx, o Brasil possui R$ 1,4 trilhão em carteira. 

O governo aposta no setor privado para retomar o crescimento econômico. No entanto, desde que a agenda ultraneoliberal voltou com força ao Brasil, em 2016, com o golpe contra Dilma Rousseff, o que se tem visto é a estagnação econômica.

A iniciativa privada ainda não se sente segura para investir devido à falta de proposta do governo para atrair investidores. O País ainda amarga quase 13 milhões de desempregados e as projeções oficiais de expansão do PIB (Produto Interno Bruto) seguem abaixo de 1% para 2019. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email