Youssef e outros 3 são condenados por lavagem

Em despacho desta quarta-feira, 6, o juiz federal Sérgio Moro condenou o doleiro Alberto Youssef, Carlos Habib Chater, Ediel Viana da Silva e Carlos Alberto Pereira da Costa por lavagem de dinheiro de recursos que pertenciam ao ex-deputado José Janene (PP), que morreu em setembro de 2010; sobre Youssef, Moro destacou que mesmo com essa e outras possíveis condenações futuras, ele deverá cumprir somente três anos de prisão em regime fechado por conta do acordo de delação premiada

Em despacho desta quarta-feira, 6, o juiz federal Sérgio Moro condenou o doleiro Alberto Youssef, Carlos Habib Chater, Ediel Viana da Silva e Carlos Alberto Pereira da Costa por lavagem de dinheiro de recursos que pertenciam ao ex-deputado José Janene (PP), que morreu em setembro de 2010; sobre Youssef, Moro destacou que mesmo com essa e outras possíveis condenações futuras, ele deverá cumprir somente três anos de prisão em regime fechado por conta do acordo de delação premiada
Em despacho desta quarta-feira, 6, o juiz federal Sérgio Moro condenou o doleiro Alberto Youssef, Carlos Habib Chater, Ediel Viana da Silva e Carlos Alberto Pereira da Costa por lavagem de dinheiro de recursos que pertenciam ao ex-deputado José Janene (PP), que morreu em setembro de 2010; sobre Youssef, Moro destacou que mesmo com essa e outras possíveis condenações futuras, ele deverá cumprir somente três anos de prisão em regime fechado por conta do acordo de delação premiada (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Paraná 247 - O juiz federal Sérgio Moro condenou nesta quarta-feira, 6, quatro réus da Operação Lava Jato por lavagem de dinheiro de recursos que pertenciam ao ex-deputado José Janene (PP), que morreu em setembro de 2010 e era um dos réus da Ação Penal 490, o chamado "Mensalão". 

Os condenados são: Alberto Youssef, Carlos Habib Chater, Ediel Viana da Silva e Carlos Alberto Pereira da Costa. Ediel Viana da Silva também foi condenado por uso de documento falso.

O doleiro Alberto Youssef, apontado pela Polícia Federal (PF) como um dos operadores do esquema e que já é reincidente, teve R$ 1.165.600,08 confiscados pelo crime de lavagem, segundo a Justiça. Sobre a condenação, Sérgio Moro destacou que mesmo com essa e outras possíveis condenações futuras, ele deverá cumprir somente três anos de prisão em regime fechado por conta do acordo de delação premiada.

"Após o cumprimento desses três anos, progredirá diretamente para o regime aberto em condições a serem fixadas e sensíveis a sua segurança", argumentou Moro. No despacho, o juiz destacou ainda que redução de pena pode ser revista se a delação premiada não for de todo verdadeira.
Já o doleiro Carlos Habib Chater, foi condenado a 4 anos e 9 meses de prisão, sendo que o cumprimento inicial será em regime fechado. Como ele já tem outra condenação, segundo o juiz, a pena pode ultrapassar oito anos.

Chater é dono do Posto da Torre, um posto de gasolina em Brasília, que foi usado para lavagem de dinheiro e que inspirou o nome e deu origem à operação. Ele está detido no sistema prisional do Paraná.

Carlos Alberto Pereira da Costa lavou R$ 748.447,08 dos recursos de Janene, segundo Moro. Por não ter antecedentes e ter confessado o crime, a pena dele cairia de 4 anos para 2 anos e oito meses. Porém, o juiz substituiu a pena de prisão por restrição de direitos. São elas: prestação de serviços comunitários em entidade assistencial e pagamento de 5 salários mínimos à entidade.

Já Ediel Viana da Silva lavou R$ 130.013,50 dos recursos do ex-deputado Janene. Também por não ter antecedentes e ter confessado, ele irá cumprir pena de 2 anos e 3 meses referentes ao crime de lavagem de dinheiro, mais 9 meses por uso de documento falso. Ao todo, ele ficará três anos preso.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]m.br

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247