Análise de dados de 28 mil pacientes confirma que controle de pressão reduz a chance de demência

Hipertensão é um fator de risco para doenças como o Alzheimer

www.brasil247.com -
(Foto: Reprodução)


Por Gabriela Cupani, da Agência Einstein - Manter a pressão arterial sob controle é uma forma efetiva de diminuir a chance de desenvolver demência. Embora essa relação seja conhecida pela ciência, ela acaba de ser reforçada por uma mega revisão de estudos envolvendo 28 mil pacientes em 20 países, recém-publicada no "European Heart Journal".

O trabalho avaliou artigos que usaram diferentes formas de tratar a hipertensão em indivíduos com idade média de 69 anos ao longo de 4 anos. 

"O estudo oferece uma evidência robusta e mostra que reduzir a pressão arterial diminui o risco de demências degenerativas como o Alzheimer", diz o neurologista André Felício, do Hospital Israelita Albert Einstein. 

Sabe-se que envelhecimento é o principal fator de risco não modificável para esse tipo de demência. "No entanto, os fatores modificáveis, aqueles que levam a risco cardiovascular, como hipertensão, diabetes, tabagismo, obesidade, são sem dúvida muito importantes", completa o especialista. 

A hipertensão causa alterações vasculares no cérebro que acabam levando à diminuição do fluxo sanguíneo. A queda no aporte de oxigênio e nutrientes favorece a morte de neurônios e o acúmulo anormal de proteínas. "Isso contribui para o desenvolvimento da doença neurodegenerativa que leva à demência", explica Felício.

Porém, nem todas as demências têm relação com a pressão arterial. Alguns tipos não degenerativos, como a hidrocefalia de pressão normal, associada à deficiência de vitamina B12, têm outras causas e podem até ser potencialmente tratáveis.

Epidemia de demência 

Estima-se que 50 milhões de pessoas no mundo sejam portadoras de demência e o número pode triplicar até 2050 devido ao envelhecimento populacional. Além de controlar a pressão, é preciso combater o tabagismo, o sedentarismo, a obesidade e o diabetes para minimizar o risco de desenvolver a doença. 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email