Covid-19 em atletas: carreiras postas em jogo

Apesar dos riscos menores, esportistas que contraem a doença podem ter próximos passos de suas carreiras prejudicados

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Nicola Ferreira, da Agência Einstein - Considerados por parte da população imunes a doenças como o novo coronavírus, diversos atletas de alto nível foram infectados pela Covid-19. É o caso de Novak Djokovic, atual melhor tenista do mundo, do jogador Paulo Dybala, da Juventus e da seleção argentina de futebol, e de Kevin Durant, que foi duas vezes campeão da NBA e uma vez melhor jogador da liga de basquete norte-americana. Apesar de correrem menos riscos de agravamento da doença por, na teoria, serem mais saudáveis - prática de esportes, boa alimentação, acompanhamento médico frequente, por exemplo - o diagnóstico positivo para a Sars-CoV-2 pode causar graves consequências para a carreira dos esportistas.

“Por um momento eu não sabia se ia continuar jogando basquete. Fiquei com medo de não voltar a estar 100% para voltar às quadras”, contou Maique Tavares, atleta de basquete que ano passado atuou na NBB, liga brasileira da modalidade, pelo Clube Atlético Paulistano. “Fiquei em um estado febril, dor no corpo e uma dor de cabeça fora do normal. Foi uma das piores sensações que tive”, relatou o atleta que ficou dois dias no hospital e continuou o tratamento em casa.

Sintoma comum nas doenças respiratórias, a complicação na capacidade pulmonar pode comprometer o futuro da carreira de um atleta, levando a uma aposentadoria precoce e um baixo rendimento na prática esportiva. Outro aspecto que diversos pesquisadores estão intrigados é o alto índice de coágulos sanguíneos que podem resultar em uma trombose – doença que impede o retorno do fluxo sanguíneo ao coração – e uma possível embolia pulmonar, causando lesões graves nos pulmões, além de poder ser fatal. “A parte muscular também é atingida. Quem contrai a Covid-19 sente muita fraqueza. Além disso, há o comprometimento do paladar e do olfato”, afirma Luciana Janot, cardiologista e médica do esporte do Hospital Israelita Albert Einstein. 

Para identificar quaisquer problemas que possam afetar os atletas, testes rígidos estão sendo feitas para permitir a volta aos treinos e competições. “Caso um atleta esteja com Covid-19, antes do retorno ele passa por uma avaliação médica detalhada, que inclui exame cardiopulmonar para analisar possíveis problemas decorrentes da doença”, explica a médica do Einstein. 

Maique Tavares, por exemplo, tratou a doença com repouso e alguns xaropes para alguns sintomas. “Fiquei três semanas abalado, mas depois de um mês sem a doença já estava me sentindo bem melhor! Estou conseguindo treinar bem aqui em casa”, disse o atleta de basquete.

Volta do futebol

Para o retorno das competições de futebol no país, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e as federações regionais estão tomando ações para prevenir que os atletas sejam contaminados pela Covid-19. Para isso estão sendo feitos testes em massa, além de limpeza nos centros de treinamento, exigência do uso de máscaras nas dependências do clube – com a permissão da retirada somente no momento da atividade física – e distanciamento físico durante boa parte dos treinamentos.

“Todos, incluindo atletas, devem evitar aglomerações e ir para o banho após o treino e minimizar as chances de contaminação. Em esportes de contato é importantíssimo manter diversos cuidados extras, como os exames rotineiros, por exemplo”, complementa Janot.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247