Engenheiro com permissão para plantar cannabis diz que decisão judicial ajuda pessoas

"Tenho uma ansiedade generalizada, depressão recorrente, transtorno de déficit de atenção e transtorno pós-traumático", disse um engenheiro de 27 anos

www.brasil247.com -
(Foto: Michaela Rehle/Reuters)


247 - Um engenheiro de Sorocaba (SP) e outras duas pessoas conseguiram a permissão para cultivar maconha para uso medicinal em casa após decisão unânime da Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ). O homem de 27 anos falou sobre as dificuldades de um tratamento caro e afirmou que tem problemas de saúde desde os 12 anos.

"Tenho uma ansiedade generalizada, depressão recorrente, transtorno de déficit de atenção e transtorno pós-traumático. São várias patologias relacionadas à parte psicológica e psiquiátrica e que eu estou tentando lidar há muito tempo, lidar com a terapia, com medicamentos comuns e nunca faz efeito", disse em entrevista ao portal G1

O engenheiro disse que não tem crises de ansiedade há dois anos, quando passou a procurar o tratamento com cannabis medicinal. "Logo depois que percebemos melhoras absurdamente rápidas e consistentes, a gente conversou com a doutora Bianca, que é advogada do caso, e a gente começou o processo para ter o salvo conduto pra fazer o plantio da cannabis medicinal", acrescentou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De acordo com a advogada do rapaz, Bianca Uequed, a autorização dada para o cliente é para que ele não seja preso pelo plantio. "Reconhece que o habeas corpus é a forma jurídica cabível de se fazer esse pedido de resguardo da liberdade. Como uma primeira decisão, ela se torna um marco e, por ser a mais recente, faz a jurisprudência para que outras pessoas possam ajuizar o seu habeas corpus e não serem impedidas de plantar", disse ela à TV TEM.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email