Por Leonardo Sobreira

Para onde vai o mercado cripto em 2022?

É bolha? Em outubro passado, o banqueiro André Esteves, do BTG Pactual, apontou para a existência de “uma bolha atômica rolando por aí”, que poderia levar o preço do bitcoin aos US$ 200 mil

A imprensa ainda não trata a queda brusca no preço do bitcoin (BTC), para baixo dos US$ 40 mil, como um estouro de bolha

Para os céticos, as indicações de que o banco central americano diminuirá a liquidez nos mercados, caso concretizadas, derrubarão ainda mais os preços dos criptoativos

O ambiente favorável ao risco pode ter chegado ao fim, como indicou Jerome Powell repetidamente, em tentativa de conter a maior inflação em 39 anos

Por outro lado, entusiastas cripto não veem a redução no ritmo de injeções de liquidez como uma grande ameaça

Eles apontam para a amplificação de ecossistemas de uso de criptomoedas e na sua utilização como reserva de valor contra uma eventual inflação galopante

“Ambas as teorias estão prestes a enfrentar seu maior teste até então”, pondera a Bloomberg

Isto é: as criptomoedas demonstram seu potencial de uso ou serão vítimas da seca nos mercados

Nada disso passa batido pelos bancos centrais… 

No caso do Brasil, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, pretende regular primeiro as criptomoedas como forma de investimento e depois como meio de pagamento

O BC também começou a testar o real digital, em seu Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (LIFT)

O Fed, nos EUA, também conduz estudos para avaliar a criação de uma Central Bank Digital Currency (CBDC)

A Índia talvez esteja na frente da corrida mundial, tendo introduzido proposta de Orçamento que impõe tributação de 30% sobre renda oriunda de cripto e que também lança a rupia digital

A China segue o caminho inverso, tendo declarado ilegal transações cripto, preferindo o caminho da centralização em blockchain. O BC do país asiático lançou o app para o e-CNY, o yuan digital

Na esfera privada, a big tech Meta promete patentes de cripto gratuitas, e desenvolve um supercomputador para garantir a segurança no metaverso, que muitos veem como uma nova fase no mercado cripto

Ao passo que BCs mundiais adotam protocolos blockchain e moedas digitais e ecossistemas se desenvolvem na esfera privada, o ambiente nos mercados permanece de correção

Contudo, nada garante que uma correção mais brusca, mas ainda dentro de padrões históricos, não possa ocorrer