Brasil 24/7 http://www.brasil247.com/ O seu jornal digital 24 horas por dia 7 dias por semana pt Copyright 2015, Brasil 24/7 Tue, 04 Aug 2015 20:53:06 +0000 60 Newscoop http://www.brasil247.com/themes/publication_1/theme_4/assets/img/logo.png Brasil 24/7 http://www.brasil247.com/ 144 120 Janot nega ao STF que atue para afastar Cunha http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/191635 : O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, negou que esteja trabalhando para que as investigações da Operação Lava Jato acabem por justificar o afastamento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ); "É absolutamente improcedente a ilação de que haveria interesse do procurador-Geral da República em conseguir depoimentos que sustente uma tese de influência indevida do reclamante nas investigações a fim de instruir um absurdo pedido de afastamento do reclamante da presidência da Câmara dos deputados", afirmou Janot ao Supremo Tirbunal Federal (STF) <br clear="all"> :

247 - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, negou que esteja trabalhando para que as investigações da Operação Lava Jato acabem por justificar o afastamento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Em um comunicado ao Supremo Tribunal Federal (STF), Janot também pediu que a instituição rejeite o pedido feito por Cunha para que a ação penal que tramita no Paraná, onde o lobista Júlio Camargo acusa o peemedebista de ter recebido US$ 5 milhões em propina, seja enviado ao STF.

Segundo Janot, as investigações da Lava Jato ocorrem dentro da legalidade e que as delações premiadas são realizadas de forma voluntária e espontânea, seguindo a legislação. "Não são suposições, ilações ou quaisquer outras considerações fantasiosas que terão o condão de afastar o correto procedimento que se vem adotando na produção das provas sempre mediante a submissão ao devido processo e à ampla defesa", disse o procurador-geral da República.

Janot também destacou que a investigação contra Cunha está sendo realizada exclusivamente pelo Ministério Público Federal e devidamente autorizada elo STF por causa do foro privilegiado a que o parlamentar tem direito.

"É absolutamente improcedente a ilação de que haveria interesse do procurador-Geral da República em conseguir depoimentos que sustente uma tese de influência indevida do reclamante nas investigações a fim de instruir um absurdo pedido de afastamento do reclamante da presidência da Câmara dos deputados", justificou Janot.

Ainda segundo ele, "todo procedimento de colheita de provas sem reserva de jurisdição é submetido integralmente ao STF, exatamente para que a Corte Constitucional averigue e controle, minuciosamente, o correto e devido processo legal adotado na condução no bojo de todas as investigações".

A manifestação de Janot ao STF veio na esteira de um pedido feito pela defesa de Cunha para que a ação penal referente ao recebimento de propina fosse realizada pelo STF e não pelo juiz federal do Paraná Sérgio Moro. Segundo a defesa, Moro teria usurpado as atribuições da corte ao investigar um parlamentar que só pode ser alvo de um processos do gênero após autorização do próprio STF.

 

Brasil Paulo Emílio Tue, 04 Aug 2015 18:35:09 +0000 http://www.brasil247.com/191635
Falcão sobre Dirceu: “não se deve presumir a culpa” http://www.brasil247.com/pt/247/poder/191634 : Em entrevista coletiva, o presidente do partido defendeu que "o combate implacável à corrupção deve continuar, mas não de forma seletiva, sem o espetáculo midiático, não com a inversão do ônus da prova, não com prisões preventivas sendo objeto de coação para forçar delação"; o dirigente ressaltou que o partido não está "abandonando nenhum companheiro" e lembrou que "qualquer pessoa que seja acusada, não só o Zé Dirceu, é inocente até que se prove o contrário"; Rui Falcão falou ainda em um processo de "criminalização" sofrido pela legenda; "Prossegue a escalada dirigida por setores conservadores, pela mídia monopolizada, por alguns partidos da oposição, tentando, como sempre, criminalizar nosso partido" <br clear="all"> :

Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, defendeu hoje (4) o combate à corrupção, mas fez críticas à condução das investigações da Operação Lava Jato, afirmando que o partido está sendo prejudicado no processo.

"O combate implacável à corrupção deve continuar, mas não de forma seletiva, sem o espetáculo midiático, não com a inversão do ônus da prova, não com prisões preventivas sendo objeto de coação para forçar delação", disse Falcão.

Em entrevista coletiva à imprensa na sede do partido em Brasília, Falcão explicou que o partido sofre processo de "criminalização" por setores da sociedade. "Prossegue a escalada dirigida por setores conservadores, pela mídia monopolizada, por alguns partidos da oposição, tentando, como sempre, criminalizar nosso partido, de modo a fragilizar o governo da presidenta Dilma e atingir a popularidade do [ex-] presidente Lula."

As declarações do presidente do PT ocorrem um dia após a prisão de José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil e ex-presidente do próprio PT, no âmbito da Lava Jato. Falcão acrescentou que não há culpados até que sejam apresentadas provas.

"Não estamos abandonando nenhum companheiro. Mas, independente disso, não se deve presumir a culpa. Para mim, qualquer pessoa que seja acusada, não só o Zé Dirceu, é inocente até que se prove o contrário."

As declarações de Falcão vão ao encontro de uma nota divulgada hoje à tarde pelo partido.

"Se o princípio da presunção da inocência é violado, se o espetáculo jurídico-político-midiático se sobrepõe à necessária produção de provas [...], se prisões preventivas sem fundamento são feitas e prolongadas para constranger psicologicamente e induzir denúncias [...], não é a corrupção que está sendo extirpada. É um estado de exceção sendo gestado em afronta à Constituição e à democracia", diz um trecho do comunicado.

A nota também faz críticas ao ataque contra o Instituto Lula, atingido por um artefato explosivo arremessado de dentro de um carro contra o local. "[O atentado] merece o repúdio de todos os democratas e exige das autoridades a identificação dos responsáveis e sua punição exemplar". Na nota, o partido se diz "indignado" pela "conveniência silenciosa de certos meios de comunicação e partidos, que se dizem democráticos, com o atentado de caráter fascista".

Na entrevista, Falcão informou que o mês de agosto terá uma série de manifestações de rua com participação do PT. Dentre elas, a Marcha das Margaridas (caravana de trabalhadoras rurais rumo a Brasília), dias 11 e 12 de agosto, e o Ato Nacional pela Educação, dia 14 de agosto. Esse último, também marcado para Brasília, deverá contar com a presença de Lula.

Dois dias depois do Ato pela Educação, está marcada uma manifestação nacional contra o governo de Dilma Rousseff. Em relação a essa manifestação, Falcão disse: "É um direito que eles têm de fazer as manifestações. Espero que transcorra sem violência, sem depredações".

Poder Gisele Federicce Tue, 04 Aug 2015 18:26:07 +0000 http://www.brasil247.com/191634
Aécio convoca, mas não diz se vai aos protestos http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/191625 : "Reiteramos aqui o nosso apoio às manifestações que tomarão conta das ruas do Brasil no próximo dia 16 de agosto, registrando sempre que são manifestações da sociedade, organizadas por um conjunto de movimentos e nós, dentro dos limites da democracia, mostraremos também a nossa indignação com a corrupção", declarou, sem informar se estará nos protestos; "Não somos protagonistas desses atos, nem temos a intenção de sê-lo, mas assumiremos a nossa responsabilidade clara de dar apoio àqueles que se sentem indignados com tudo que vem acontecendo", acrescentou; Aécio foi chamado de "traíra" por líderes dos movimentos anti-Dilma por não ter comparecido aos últimos atos <br clear="all"> :

247 – O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), reiterou o apoio do partido às manifestações contra o governo da presidente Dilma Rousseff organizadas por movimentos de oposição para o próximo dia 16 de agosto. Mas não informou, como em outras ocasiões, se irá comparecer aos protestos. Nos últimos atos, o tucano chegou a ser chamado de "traíra" por líderes desses movimentos.

"Reiteramos aqui o nosso apoio às manifestações que tomarão conta das ruas do Brasil no próximo dia 16 de agosto, registrando sempre que são manifestações da sociedade, organizadas por um conjunto de movimentos e nós, dentro dos limites da democracia, mostraremos também a nossa indignação com a corrupção, a nossa indignação com tanta mentira, com tanto descalabro que tomou conta do país", disse Aécio nesta terça-feira 4.

"É uma posição do PSDB, que já havia anunciado alguns dias atrás, hoje reiterada pelo conjunto das lideranças que aqui estiveram, de apoio a essa movimentação da sociedade civil da qual o PSDB é parte. Não somos protagonistas desses atos, nem temos a intenção de sê-lo, mas assumiremos a nossa responsabilidade clara de dar apoio àqueles que se sentem indignados com tudo que vem acontecendo no Brasil", acrescentou.

Questionado se o PSDB é a favor do impeachment, o senador afirmou: "A questão não é apoiar o impeachment. O que apoiamos são as investigações. O que defendemos são as nossas instituições". "O papel do PSDB nesse instante é, acima de qualquer outro, garantir que as nossas instituições continuem funcionando com autonomia, com independência, com coragem como vem fazendo o Ministério Público, como vem fazendo a Polícia Federal e como continuarão fazendo, tenho certeza, o Tribunal de Contas e o TSE", ressaltou. "O que queremos no Brasil é o cumprimento da lei e vamos garantir que isso ocorra", acrescentou o tucano.

Sobre a prisão do ex-ministro José Dirceu, Aécio voltou a dizer que "o PSDB não comemora e também não lamenta a prisão de qualquer agente político". "Apenas esperamos que, como vem ocorrendo, elas se deem com base em indícios muito claros de malversação de dinheiro público, de delitos cometidos", comentou.

Minas 247 Gisele Federicce Tue, 04 Aug 2015 18:00:52 +0000 http://www.brasil247.com/191625
Dólar sobe pelo 4º dia seguido e fecha a R$ 3,479 http://www.brasil247.com/pt/247/seudinheiro/191632 Sukree Sukplang / Reuters: Um funcionário de banco conta notas de cem dólares em Bangcoc. O fluxo cambial, entrada e saída e moeda estrangeira do país, ficou negativo em 1,95 bilhões de dólares na semana passada, fazendo com que fevereiro como um todo fechasse no vermelho, com défi Moeda norte-americana subiu 0,28%, a R$ 3,4642 na venda, renovando a máxima de 20 de março de 2003, em um reação a preocupações com o quadro político e econômico no Brasil e expectativas de alta dos juros nos Estados Unidos no mês que vem <br clear="all"> Sukree Sukplang / Reuters: Um funcionário de banco conta notas de cem dólares em Bangcoc. O fluxo cambial, entrada e saída e moeda estrangeira do país, ficou negativo em 1,95 bilhões de dólares na semana passada, fazendo com que fevereiro como um todo fechasse no vermelho, com défi

Por Bruno Federowski e Flavia Bohone

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar avançou ante o real pela quarta sessão consecutiva nesta terça-feira, chegando a aproximar-se de 3,49 reais, reagindo a preocupações com o quadro político e econômico no Brasil e expectativas de alta dos juros nos Estados Unidos no mês que vem.

A moeda norte-americana subiu 0,28 por cento, a 3,4642 reais na venda, renovando a máxima de 20 de março de 2003 e acumulando valorização de 4,05 por cento em quatro sessões.

Na máxima do dia, chegou a 3,4885 reais, com alta de quase 1 por cento, mas o movimento perdeu fôlego na reta final da sessão com investidores aproveitando a forte valorização recente para vender a moeda.

"A cautela continua dominando o ambiente do câmbio

interno", escreveu o operador da corretora Correparti Jefferson Luiz Rugik em nota a clientes.

Na véspera, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu foi preso como parte de nova fase da Operação Lava Jato, que investiga escândalo bilionário de corrupção no Brasil. Investidores temem que golpes à credibilidade do país afastem capitais do mercado local e dificultem a aprovação de importantes medidas no Congresso Nacional.

Ao pessimismo interno somou-se a expectativa de alta de juros nos Estados Unidos em setembro após as declarações do presidente do Federal Reserve de Atlanta, Dennis Lockhart, de que teria de sofrer "uma deterioração significativa" para ele não apoiar uma alta das taxas em setembro, informou o Wall Street Journal à tarde.

"(Lockhart) foi mais assertivo do que qualquer um esperava", disse o economista da 4Cast Pedro Tuesta.

Juros mais altos nos EUA --promovidos pelo Fed, banco central norte-americano-- podem atrair para a maior economia do mundo recursos aplicados em outros países, como o Brasil. Nesse contexto, o dólar passou a subir em relação a uma cesta de moedas.

Mais cedo, a moeda dos EUA chegou a recuar no exterior e no Brasil, atingindo 3,4297 reais, com investidores comprando ativos de maior risco diante de nova alta da bolsa da China.

"O cenário interno aqui está muito complicado. Não vai ser um dia de alta na China que vai mudar isso", disse o operador de uma corretora nacional, sob condição de anonimato.

Nesta manhã, o Banco Central brasileiro deu continuidade à rolagem dos contratos que vencem em setembro, vendendo a oferta total de até 6 mil contratos, que equivalem a venda futura de dólares. Ao todo, a autoridade monetária rolou o correspondente a 582,9 milhões de dólares, ou cerca de 6 por cento do lote total, equivalente a 10,027 bilhões de dólares.

Seu Dinheiro Gisele Federicce Tue, 04 Aug 2015 18:04:54 +0000 http://www.brasil247.com/191632
CPI vai à Suíça e aos EUA ouvir Marin e J. Hawilla http://www.brasil247.com/pt/247/esporte/191629 Jefferson Rudy /Agência Senado: Primeira reunião de trabalho da Comissão, nesta terça-feira 4, resultou na criação de comissões de senadores para ouvir, na Suíça, o ex-presidente da CBF, José Maria Marin, e, nos Estados Unidos, o empresário José Hawilla, presos por envolvimento em corrupção no futebol; pedidos aprovados são de autoria do presidente da CPI, senador Romário (PSB-RJ) <br clear="all"> Jefferson Rudy /Agência Senado:

Mariana Jungmann - Repórter da Agência Brasil

A primeira reunião de trabalho da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), realizada hoje (4), resultou na criação de comissões de senadores para ouvir, na Suíça, o ex-presidente da CBF, José Maria Marin, e, nos Estados Unidos, o empresário José Hawilla, presos por envolvimento em corrupção no futebol.

Os requerimentos aprovados são de autoria do presidente da CPI, senador Romário (PSB-RJ), que também ficará encarregado de designar os membros das duas comitivas. A votação ocorreu na ausência do relator da CPI, senador Romero Jucá (PMDB-RR), que não participou da reunião.

"Fiquei e fico feliz com o começo da CPI, apesar da ausência do relator. Acho que o que ocorreu hoje mostra que a CPI quer de fato mudar alguma coisa", declarou Romário ao fim do encontro.

Romário também anunciou que ainda hoje terá uma reunião com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e membros do Ministério Público e da Polícia Federal, de modo a definir a melhor estratégia para que as autoridades brasileiras solicitem às polícias suíça e norte-americana informações sobre as investigações que resultaram na prisão de Marín e Hawilla.

"Sou atacante nato e não será diferente na CPI. Vou me cercar de pessoas do bem, que queiram realmente que a CPI dê resultado. Por isso, os requerimentos para pedir apoio de pessoas do Ministério Público, da Polícia Federal, do TCU e de profissionais que realmente possam ajudar em todos os sentidos, de modo que possamos fazer um trabalho sério e verdadeiro", explicou Romário.

A investigação americana sobre episódios de fraude e corrupção na Federação Internacional de Futebol (Fifa), inclusive na escolha dos países-sede das copas de 2008 e 2010, motivou a criação da CPI da CBF no Brasil. Marin e Hawilla foram presos por causa de denúncias do FBI, em parceria com a polícia suíça.

De acordo com o presidente da CPI, a expectativa é que na próxima semana o relator possa apresentar um plano de trabalho aos demais membros da comissão. Com o plano, também deve ser apresentado um cronograma, que deverá guiar os próximos passos da CPI.

Esporte Gisele Federicce Tue, 04 Aug 2015 17:43:33 +0000 http://www.brasil247.com/191629
Cunha fecha acordo com PSDB por impeachment http://www.brasil247.com/pt/247/poder/191627 : Acordo determinaria que, após parecer do TCU sobre as contas de 2014 do governo da presidente Dilma Rousseff e as chamadas 'pedaladas fiscais', o presidente da Câmara, Edurado Cunha (PMDB-RJ), rejeitaria o pedido de impeachment, mas a oposição, liderada pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG), apresentaria recurso a ser votado e aprovado, garantindo a votação em plenário; integrantes do DEM e Solidariedade também participaram do acerto, discutido na reunião ocorrida ontem à noite; questionado hoje se o PSDB apoia o impeachment, Aécio respondeu: "A questão não é apoiar o impeachment. O que apoiamos são as investigações. O que defendemos são as nossas instituições" <br clear="all"> :

Por Rodrigo Tolotti Umpieres

SÃO PAULO - Durante um encontro realizado na segunda-feira (3) entre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e seus aliados do PSDB, DEM e Solidariedade foi discutida a possibilidade de se realizar uma manobra  para pautar um pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff (PT). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo, que citou duas fontes que participaram da reunião.

De acordo com a publicação, ficou acordada a possibilidade de que, após o TCU (Tribunal de Contas da União) encaminhar seu parecer a respeito das contas de governo de Dilma, Cunha rejeitaria o pedido de abertura de processo de impeachment, mas a oposição apresentaria um recurso, que seria votado e aprovado, garantindo a votação do impedimento da petista.

Neste momento, o TCU avalia se o atual governo fez as chamadas "pedaladas fiscais", irregularidade ao atrasar propositalmente o repasse de dinheiro a bancos e autarquias em 2014 e, com isso, teria omitido ao mercado financeiro e aos especialistas a real situação do saldo de suas contas. Após o julgamento, o relatório será encaminhado ao Congresso, que toma a decisão final.

Poder Gisele Federicce Tue, 04 Aug 2015 17:30:49 +0000 http://www.brasil247.com/191627
'Não há crise estrutural, e sim dificuldades' http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/191623 : Senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) disse que depois do "imagina na Copa", o Brasil vive o momento do "apesar da crise", em que todo mundo questiona a situação atual do País mais por aquilo que outras pessoas comentam ou por notícias negativas divulgadas pela imprensa do que pela realidade; "Se nós persistirmos no pessimismo, se o Congresso não dá base e apoio para que o governo faça as medidas necessárias para que a gente enfrente esse momento, se nós não tivermos o entusiasmo para investir e consumir e ficarmos com o discurso de paralisia, aí nós vamos entrar na crise" <br clear="all"> :

Agência e Rádio Senado - A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) disse que depois do "imagina na Copa", o Brasil vive o momento do "apesar da crise", em que todo mundo questiona a situação atual do país mais por aquilo que outras pessoas comentam ou por notícias negativas divulgadas pela imprensa do que pela realidade.

Mesmo reconhecendo que o país passa por um momento de dificuldade, ela acredita que a situação não é tão ruim quanto as pessoas dizem, e aproveitou para ler diversas notícias positivas publicadas em jornais de todo o país em que o texto trazia a expressão "apesar da crise".

Glesi Hoffmann disse que no setor da construção civil, por exemplo, por causa da necessidade de investimentos em infraestrutura e do lançamento da terceira etapa do programa Minha Casa, Minha Vida, muitos empregos deverão ser gerados.

— Nós não estamos numa crise estrutural, nós estamos passando por um momento de dificuldade. Agora, se nós persistirmos no pessimismo, se o Congresso Nacional não dá base e apoio para que o governo faça as medidas necessárias para que a gente enfrente esse momento, se nós não tivermos o entusiasmo para investir e consumir e ficarmos com o discurso de paralisia, aí nós vamos entrar na crise — advertiu a senadora.

Paraná 247 Leonardo Lucena Tue, 04 Aug 2015 17:16:38 +0000 http://www.brasil247.com/191623
Dirceu é transferido para PF em Curitiba http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/191557 José Cruz/Agência Brasil: <p>O ex-ministro José Dirceu foi preso hoje (3) em Brasília, pela Polícia Federal, na 17ª fase da Operação Lava Jato (José Cruz/Agência Brasil)</p> Ex-ministro, preso ontem pela Operação Lava Jato, embarcou no início da tarde para a capital do Paraná; ele estava detido na Superintendência da PF em Brasília; Dirceu deve passar pelo exame de corpo de delito nesta quarta-feira 5; ainda não há data para seu depoimento <br clear="all"> José Cruz/Agência Brasil: <p>O ex-ministro José Dirceu foi preso hoje (3) em Brasília, pela Polícia Federal, na 17ª fase da Operação Lava Jato (José Cruz/Agência Brasil)</p>

Ivan Richard* - Repórter da Agência Brasil

O ex-ministro José Dirceu, preso ontem (3) na 17ª fase da Operação Lava Jato, embarcou no início da tarde para Curitiba. Ele estava detido na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Brasília e será transferido para a capital paranaense, onde estão concentradas as investigações da Lava Jato. O ex-ministro deve chegar a Curitiba por volta das 16h.

Dirceu deve passar pelo exame de corpo de delito amanhã (5). Ainda não há data para depoimento dele. 

Mais cedo, sete presos passaram por exame de corpo de delito em Curitiba. Do total, cinco foram presos preventivamente: Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, irmão de Dirceu; o ex-assessor de Dirceu Roberto Marques; Júlio Cesar dos Santos, sócio minoritário da JD Consultoria até 2013; Olavo Hourneaux de Moura Filho, acusado pela Polícia Federal de receber quase R$ 300 mil do esquema de corrupção na Petrobras para o irmão Fernando Moura. O presidente da Consist Software, Pablo Alejandro Kipersmit, também está preso preventivamente.

Segundo a Polícia Federal e o Ministério Público Federal (MPF), o lobista Fernando Moura teria indicado a Dirceu o nome de Renato Duque para a diretoria de Serviços da Petrobras, e de Celso Araripe para gerente na estatal. Araripe é investigado na Lava Jato de receber propina para providenciar aditivos em contrato da petrolífera com a Odebrecht.

“Governo não interfere”

O ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, disse hoje (4) que a Operação Lava Jato e a prisão do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu não afetam a credibilidade nem interferem nas atividades cotidianas do governo federal. Segundo o ministro, a prisão de Dirceu é “um fato decorrente de um processo de investigação que já vem há alguns meses”, e que por isso tem de ser tratada “com serenidade e sem qualquer tipo de interferência na nossa atividade cotidiana”.

“As autoridades do Poder Judiciário, a Polícia Federal e o Ministério Público conduzem a investigação. Cabe aos investigados tomar as providências que julgarem necessárias para se defender perante a Justiça”, disse o ministro após participar da cerimônia de lançamento do Programa Usinas Digitais.

De acordo com Berzoini, o governo nunca impediu as investigações. “Ao contrário: o governo sempre manifestou publicamente seu apoio a todo tipo de investigação”, acrescentou.

*Colaboraram Aline Leal e Pedro Peduzzi

Paraná 247 Leonardo Lucena Tue, 04 Aug 2015 10:31:24 +0000 http://www.brasil247.com/191557
TJ-PR paralisa ação que julga primo de Richa http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/191604 : O TJ-PR suspendeu a ação penal que julga o envolvimento do empresário Luiz Abi Antoun, primo do governador Beto Richa (PSDB), nos crimes de fraude a licitação e organização criminosa; a decisão atendeu a um pedido dos advogados de Abi, acusado de ser o líder do suposto esquema que fraudou uma licitação de R$ 1,5 milhão no Executivo paranaense, conforme as investigações da Operação Voldemort; ele nega as acusações; a decisão do TJ é provisória <br clear="all"> :

Paraná 247 - O Tribunal de Justiça do Paraná suspendeu, na noite desta segunda-feira (3), a ação penal que julga o envolvimento do empresário Luiz Abi Antoun, primo do governador Beto Richa (PSDB), nos crimes de fraude a licitação e organização criminosa. A decisão atendeu a um pedido dos advogados de Abi, acusado de ser o líder do suposto esquema que fraudou uma licitação de R$ 1,5 milhão no Executivo paranaense, conforme as investigações da Operação Voldemort. Ele nega as acusações. A decisão do TJ é provisória.

A defesa de Abi argumento é que a investigação apontou suspeitas de envolvimento da secretária estadual da Administração, Dinorah Nogara, e, como consequência, deveria ter sido remetida ao TJ, já que secretários têm foro privilegiado. Nogara negou participação de irregularidades.

O Ministério Público (MP-PR), que ofereceu a denúncia contra Abi, argumenta que as suspeitas em relação a Nogara foram remetidas à Procuradoria-Geral de Justiça, responsável por investigar e denunciar aqueles com prerrogativa de foro. Segundo informação da Gazeta do Povo, O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) irá recorrer da decisão do tribunal.

O procurador de Justiça e coordenador estadual do Gaeco, Leonir Batisti, disse que o órgão não investigou a secretária de Administração e Previdência, Dinorah Nogara. “Em nenhum momento as investigações foram em face da secretária", disse. “O juiz de 1.º grau [Juliano Nanuncio] não deferiu nenhuma medida contra a secretária. Isso quer dizer que a questão do crime ou do não crime sequer foi questionada neste momento das investigações pelo Gaeco de Londrina", acrescentou.

 

Paraná 247 Leonardo Lucena Tue, 04 Aug 2015 15:58:36 +0000 http://www.brasil247.com/191604
Aloysio chama manifestantes de “vagabundos” http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/191616 : Petroleiros protestavam no aeroporto de Brasília contra a aprovação do projeto de lei que altera a participação da Petrobras na exploração do pré-sal, do senador José Serra (PSDB-SP), e cercaram o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), chamando-o de "entreguista"; "O que faziam esses pretensos petroleiros que não estavam trabalhando? Ao que eu saiba, em Brasília não há grandes instalações da Petrobras. O que eu disse foi o seguinte: 'Vão trabalhar, vagabundos!'", postou o tucano nas redes sociais <br clear="all"> :

Brasília 247 – O senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) chamou de "vagabundos" manifestantes que protestavam nesta terça-feira 4, no aeroporto de Brasília, contra o projeto do senador José Serra (PSDB-SP) que retira a obrigatoriedade da Petrobras de participar da exploração do pré-sal em todos os poços.

"Serra entreguista do pré-sal", dizia uma faixa com a foto do senador segurada pelo grupo, que é ligado à Federação Única dos Petroleiros (FUP). Quando Aloysio Nunes desembarcou na capital federal, os petroleiros o cercaram, chamando-o de "entreguista" e fazendo barulho com buzinas.

"Muito irritado, Aloysio Nunes preferiu xingar os trabalhadores do que argumentar", dizia um texto postado na página da FUP no Facebook, com um vídeo da cena. Na gravação não é possível ouvir o senador chamando os manifestantes de vagabundos.

O senador repetiu o xingamento, porém, em sua própria página na rede social: "O que faziam esses pretensos petroleiros que não estavam trabalhando? Ao que eu saiba, em Brasília não há grandes instalações da Petrobras. O que eu disse foi o seguinte: 'Vão trabalhar, vagabundos!'", escreveu.

Confira abaixo o comentário de Aloysio Nunes, que compartilhou o vídeo da FUP:

 

Esses fascitoides são os democratas do PT tentado agredir aqueles que não concordam com seus pontos de vista. Estavam...

Posted by Aloysio Nunes Ferreira on Terça, 4 de agosto de 2015
Brasília 247 Gisele Federicce Tue, 04 Aug 2015 16:25:35 +0000 http://www.brasil247.com/191616
Lava Jato muda narrativa para chegar a Lula http://www.brasil247.com/pt/blog/terezacruvinel/191584 : "A narrativa inicial da Lava Jato falava de um cartel de empresas que atuava na Petrobrás em conluio com diretores corruptos que, por sua vez, dividiam as propinas com os partidos que os sustentavam nos cargos", escreve Tereza Cruvinel, destacando que a "nova narrativa" pode ser observada no despacho do juiz Sérgio Moro e na entrevista do procurador Fernando dos Santos Lima; para a jornalista, o "mais importante" dessa nova narrativa "foi a menção à compra de votos", na qual "é preciso dar nome aos bois"; ela ressalta que, "se Dirceu é um 'dos líderes principais'", como dizem os procuradores, "se os presidentes das maiores empreiteiras já foram presos e alguns viraram delatores, se todos os operadores e funcionários corruptos já foram identificados, quem mais falta? Estão apontando o fuzil para Lula, vão prendê-lo e acusá-lo de ser o grande chefe"; leia a íntegra <br clear="all"> :

José Dirceu foi preso porque em liberdade representava uma “ameaça à ordem”, como disse o juiz Sergio Moro. Cumpre disciplinadamente uma prisão domiciliar sob a supervisão do STF. E se quisesse, teria fugido durante a angustiante espera da nova prisão. Tem know how nisso, viveu na clandestinidade e sob a pele de outra pessoa, o Carlos Henrique de Cruzeiro do Oeste, até reassumir sua identidade com a aprovação da Anistia. Sua prisão, como nos romances e novelas, é um fato que permite a alteração do curso da narrativa.

A narrativa inicial da Lava Jato falava de um cartel de empresas que atuava na Petrobrás em conluio com diretores corruptos que, por sua vez, dividiam as propinas com os partidos que os sustentavam nos cargos: PT, PMDB e PP. Principalmente. Ricardo Pessoa, da UTC, foi amplamente apresentado como “líder” do cartel entre as empreiteiras.

Quem prestar atenção ao texto do despacho de Moro e da entrevista do procurador verá surgir as primeiras linhas da nova narrativa. Vejamos alguns destes indícios.

"Chegamos a um dos líderes principais, que instituiu o esquema, permitiu que ele existisse e se beneficiou dele", disse o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima.

Ora, procurador: O esquema da Petrobrás todo mundo sabe que sempre existiu. O próprio delator Barusco admitiu que já ganhava propina em 1997, na era FHC. O jornalista Paulo Francis infartou-se de indignação depois de ser condenado a pagar multa milionária por ter “caluniado” os então dirigentes da Petrobrás, que acusou de roubarem a empresa. Este crime não pode ser debitado a Dirceu, ainda que ele tenha acolhido a indicação do ex-diretor Renato Duque, feita por Fernando Moura, segundo a Lava Jato.  

Ademais, como escreveu Jânio de Freitas, atribuir o papel de instituidor a Dirceu “é aliviar de um grande peso acusatório os empreiteiros e ex-dirigentes da Petrobras que têm feito delação premiada e, por isso, são chamados pelos componentes da Lava Jato de "colaboradores". Ainda que não seja por deliberação, a transferência de responsabilidades, concentrando-as em um só, é como um prêmio adicional à delação já premiada.

O procurador Lima é um narrador eficiente. Inovou agora dizendo que o esquema na Petrobras reproduziu as características do mensalão, porque parte do dinheiro abasteceu políticos do PT e de partidos aliados. "O DNA é o mesmo: compra de apoio partidário".

Bem contado mas improcedente. Quanto ao DNA, os esquemas são bem diferentes. O do mensalão envolveu empréstimos bancários, que a Justiça considerou fictícios (embora o PT os tenha quitado) e os recursos da Visanet transferidos à agência de Marcos Valério. O julgamento do TSE acolheu a tese de que foram desviados, as defesas sustentam até hoje que os serviços foram executados. O que importa aqui, porém, é apontar a diferença. Na Petrobrás teve continuidade, e deve mesmo ter se sofisticado, o sistema de pagamento de propinas em porcentagem sobre o valor dos contratos que eram repartidos entre as empresas do cartel.

Mais importante para a nova narrativa, entretanto, foi a menção à compra de votos. Ou seja, havia também um “mensalão” na Petrobrás. Mas quais são os deputados ou senadores comprados? Para se falar em compra de voto numa Câmara de 513 deputados e num Senado de 81 senadores é preciso dar nome aos bois. Mas como a ação penal 470 não deu e mesmo assim alguns ministros apontaram um “crime contra a democracia”, a nova narrativa também não se incomodará com isso. Até porque não ocorreu a nenhum jornalista perguntar se a Lava Jato já tinha o nome de pelo menos um vendilhão de voto.

Com muita insistência o procurador afirmou que o esquema teve início “no governo Lula” e os jornalistas perguntaram se o ex-presidente também será investigado. Lima respondeu: "nenhuma pessoa no regime republicano está isenta de ser investigada". É certo. Mas a frase inteira em que ele responsabiliza Dirceu é claramente insinuante:

"Não descarto que existam outros cabeças mas chegamos a um dos líderes principais, que instituiu o esquema, permitiu que ele existisse e se beneficiou dele".

Ora, se Dirceu é um “dos líderes principais”, se os presidentes das maiores empreiteiras já foram presos e alguns viraram delatores, se todos os operadores e funcionários corruptos já foram identificados, quem mais falta? Estão apontando o fuzil para Lula, vão prendê-lo e acusá-lo de ser o grande chefe.

Faltarão provas? Não tem importância. Para isso existe a teoria do domínio do fato, que já não precisará ser aplicada a Dirceu. Fica reservada para Lula, que já nem tem direito ao foro privilegiado. Como presidente da República, tinha responsabilidade sobre tudo o que faziam sob sua liderança política e funcional, como disseram no STF em relação a Dirceu quando chefe do Gabinete Civil.

Esta narrativa está delineada para continuar sendo escrita nas atuais condições políticas: com todo apoio da mídia, com o governo preocupado apenas em se blindar e em blindar Dilma, com o PT encurralado e zonzo, como em 2005, e a oposição no ataque. E, desta vez,  com uma direita na rua disposta até a jogar bombas. Como dificilmente tais condições serão alteradas – a não ser por uma iniciativa de Lula, de ir para a rua para o que der e vier – o folhetim chegará ao desfecho que aparece nas entrelinhas para quem quiser ler.

Mais uma vez o timing de Moro

A 17ª fase da Lava Jato foi desencadeada com precisão político-temporal, a mesma que fez com que as primeiras delações de Paulo Roberto Costa fossem divulgadas no primeiro dia da campanha em segundo turno em 2014 e a de Ricardo Pessoa, confirmando doações à campanha de Dilma, vazassem na véspera da viagem dela aos EUA.

A prisão de Dirceu aconteceu no início da semana em que o PT apresentará seu programa semestral, em defesa do partido e do governo de Dilma Rousseff, que também dele participará. Se não estava, agora está tudo pronto para um panelaço durante a exibição.

Antecede também em 13 dias as manifestações contra Dilma marcadas para o dia 16. Um intervalo suficiente para que as denúncias sejam marteladas e os ouvidos indignados atendam aos chamados do Vem prá Rua, MBL e agora, do PSDB.

Tereza Cruvinel Tereza Cruvinel Tue, 04 Aug 2015 14:08:19 +0000 http://www.brasil247.com/191584
Câmara diz que Lava Jato causa instabilidade política http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/191600 : Governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), defendeu os desdobramentos da Operação Lava Jato, mas disse estar preocupado com a instabilidade política gerada pelas investigações; "Temos que respeitar as investigações espero que elas sejam cada vez mais céleres e que continuem acontecendo se preciso. O que nos preocupa é a instabilidade política que isso gera. Nós defendemos que as investigações sejam feitas e que tudo seja apurado, porém que seja mais rápido porque a crise política atrapalha a crise econômica", afirmou <br clear="all"> :

Pernambuco 247 - O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), defendeu os desdobramentos da Operação Lava Jato, mas disse estar preocupado com a instabilidade política gerada pelas investigações. "Temos que respeitar as investigações espero que elas sejam cada vez mais céleres e que continuem acontecendo se preciso. O que nos preocupa é a instabilidade política que isso gera. Nós defendemos que as investigações sejam feitas e que tudo seja apurado, porém que seja mais rápido porque a crise política atrapalha a crise econômica", observou.

Segundo o socialista, é preciso que os fatos sejam esclarecidos e os culpados punidos, mas é necessário que o "Brasil volte a funcionar com rapidez", disse o governador nesta terça-feira (4) durante o lançamento de uma campanha para a construção do Instituto de Oncologia Governador Eduardo Campos.

Pernambuco 247 Paulo Emílio Tue, 04 Aug 2015 15:20:57 +0000 http://www.brasil247.com/191600
Polícia mata duas pessoas por dia no Rio de Janeiro http://www.brasil247.com/pt/247/favela247/191580 FOTO: Tércio Teixeira/R.U.A Foto Coletivo: Segundo o relatório “Você matou meu filho – Homicídios cometidos pela Polícia Militar na cidade do Rio de Janeiro” divulgado ontem (3) pela Anistia Internacional, entre 2005 e 2014 8.466 pessoas foram mortas em decorrência de operação polícial, uma média de duas pessoas assassinadas por dia. A pesquisa que compõe o relatório utilizou como base a análise de 10 homicídios praticados por policiais na Favala de Acari entre agosto de 2014 a junho de 2015. Em 9 dos 10 casos foram encontradas evidências de execução por parte da PM. Em quatro casos, as vítimas já estavam feridas ou rendidas quando foram mortas <br clear="all"> FOTO: Tércio Teixeira/R.U.A Foto Coletivo:

Por Pedro Martins, para o Canal Ibase

Anistia Internacional: Polícia mata duas pessoas por dia no Rio de Janeiro

A Anistia Internacional divulgou nesta segunda-feira (3) o relatório “Você matou meu filho – Homicídios cometidos pela Polícia Militar na cidade do Rio de Janeiro”. O documento traz a análise de execuções e outras violações de direitos humanos cometidos pela Polícia Militar durante operações. Segundo os números, em um período de dez anos (2005 a 2014), 8.466 pessoas foram vítimas de homicídios em decorrência de alguma operação polícial, uma média de duas pessoas assassinadas por dia. Dentre os principais problemas desse tipo de morte apontado pelo relatório está a falta de investigação sobre os casos. Este fato acaba gerando a ideia de que o poder público permite que tais execuções possam ser cometidas pelos agentes do Estado sem qualquer investigação.

A pesquisa que compõe o relatório utilizou como base a análise de 10 homicídios praticados por policiais na Favalea de Acari, no Rio de Janeiro no período de agosto de 2014 a junho de 2015. A área em que Acari está inserida foi a que teve o maior número de homicídios causados por intervenção policial em 2014, 68 mortos num total de 244 em toda a cidade. Em 9 dos 10 casos avaliados foram encontradas evidências de execução por parte da Polícia Militar. Em quatro casos, as vítimas já estavam feridas ou rendidas quando foram mortas. Em outros quatro casos foram baleadas sem nenhum aviso. E em um deles a vítima estava fugindo da polícia.


Relatos evidenciam execuções sumárias.

“Perdi, perdi perdi!”. Essas foram as últimas palavras de Gustavo de 31 anos antes de ser executado. Ao seu apelo, Gustavo ainda pode ouvir do policial do Bope: “Perdeu nada. Eu quero a sua alma!”. Gustavo que já tomara um tiro, foi então executado com mais um. A notícia da morte de Gustavo fez com que muitos moradores saíssem de suas casas para ver o que tinha acontecido, e quando tentaram se aproximar do do corpo, foram dispersados com truculência pelos soldados ali presentes. No mesmo dia, Ricardo de 29 anos, que vendia drogas na favela, foi morto também em casa, sem haver troca de tiros com os policiais. Ao tentar fugir foi baleado e levado ainda com vida para o hospital. Quando os familiares chegaram ao hospital Ricardo não se encontrava lá, chegou somente uma hora depois e já se encontrava morto no carro da Bope.

Já Ana Claudia, de 29 anos, tinha quatro filhos e estava grávida e foi atingida por um tiro vindo de um caveirão quando saiu de casa para buscar o filho. Os irmãos dela ainda pediram ajuda à polícia, que se negou a prestar socorro à vítima. A mãe de Ana Claudia perdera outra filha em 1994 pelas mãos da polícia quando estava grávida de oito meses também e a família sequer foi indenizada pelo Estado. Ela relata ainda que na hora em Ana Clauda foi morta não havia sequer troca de tiros no local. Diante desse cenário, ela afirma que tem medo de fazer denúncias e pressionar pela apuração do caso.

Um dos casos mais impressionantes do relatório diz respeito às mortes de Pedro Ivo e de Lucas. Com 19 e 17 anos, respectivamente, os jovens foram mortos quando Pedro Ivo chamava o amigo para ir a Igreja. Neste momento, policiais do Batalhão de Choque chegaram atirando, os amigos não correram e foram atingidos. Enquanto Pedro Ivo agonizava e pedia socorro, policiais chutaram seu rosto e pisaram em sua cabeça. Um dos militares ainda disse: “Vai morrer desgraçado!”. No registro de ocorrência os policiais relataram que encontraram estojos de munição, diversos cartuchos, entorpecentes e anotações do tráfico com Pedro Ivo, além de carregadores de bateria e rádio portátil com Lucas. Helena, mãe de Pedro Ivo, não se sente intimidada a lutar por justiça: “Isso é muito doloroso: ver uma criança com um futuro pela frente tomar um tiro nas costas ou na cabeça.”.

Além desses casos, ainda são citadas a mortes de Davi, Marcelo, Leonardo, Roberto, Vítor e João Carlos Geraldo Martins.


Jovens negros são as maiores vítimas da violência policial

O relatório aponta ainda que as características das pessoas mortas pela polícia seguem em geral a mesma dos homicídios em geral.Segundo os dados dos mortos pela polícia entre 2010 e 2013 no Rio de Janeiro, 99,5% eram homens, 79% negros e 75% tinham entre 15 e 29 anos. A maior parte dessas mortes acaba sendo legitimada pelo discurso da “Guerra às Drogas”, criando um cenário em que a morte daqueles que estão envolvidos no comércio de drogas é aceitável. Por conta disso, Átila Roque ressaltou: “As autoridades e a sociedade precisam entender que a repressão ao crime não é incompatível com a garantia dos direitos de todos à vida.”

Foi ressaltada ainda pelos representantes da Anistia Internacional, que a falta de investigações das mortes cometidas pela polícia passa a imagem de que esse tipo de ação é permitida e tolerada pelo Estado. Nesse sentido, uma das recomendações é que todos os casos de mortes cometidas por intervenções policiais sejam investigadas pela Divisão de Homicídios de forma ampla, imparcial e independente para que possam subsidiar os processos criminais.

Além dos casos de morte, outros pontos de violações de direitos foram apontados, tais como intimidações e ameaças a testemunhas e defensores de direitos humanos, além de manipulações em locias onde ocorreram os crimes e falhas nas investigações.

E a polícia não é o único ponto problemático. A Anistia Internacional denuncia ainda a falha na atuação do Ministério Público, órgão externo responsável pelo controle da ação policial, que na imensa maioria dos casos não investiga a ação policial como deveria. Somente em 2015, de 183 casos só um foi investigado e 12 tiveram o arquivamento solicitado.


As mães: mobilização ainda é a forma mais eficiente para que investigação seja feita.

Segundo Renata Nader, da Anistia, a visibilidade desses casos em geral só vem à tona a partir da mobilização de familiares e amigos das vítimas. Muitas vezes, mesmo com as ameaças que sofrem, somente a partir das denúncias e cobranças incessantes que se consegue abrir as investigações sobre o caso. Os preconceitos que envolvem a criminalização de negros e pobres dificulta que os casos ganhem as devidas repercussões. A partir dessa estigmatização que atinge especialmente moradores de favelas e periferias, o discurso oficial culpa as vítimas pela morte e inverte o ônus da prova, fazendo com a a vítima tenha de provar sua inocência mesmo após ser assassinada por um agente do Estado. Esse discurso perpassa as instituições e também é corroborado em grande medida pela grande mídia. O resultado é que dizer que qualquer morto por ação policial era criminoso torna-se um recurso discurso aceitável e silenciador de violações. Nesse sentido, legitima-se ainda que mesmo aquele que cometeu um crime não tenha assegurado seu direito a um julgamento isento, avalizando que a polícia possa executá-lo sem qualquer procedimento legal.

A integrante do Movimento Moleque, que reúne mães e familiares de jovens egressos do sistema sócio-educativo, Mônica Cunha esteve no lançamento do relatório e deu seu depoimento: “Agradeço essa visibilidade que os casos ganharam pela Anistia mostrar que nossos filhos tinham direito não de terem morrido. O motivo maior da morte do meu filho foi ser negro e favelado.”. Ela ressaltou ainda que o relatório é um “grito que estava tampado” todo esse tempo e ressaltou a importância da mobilização por justiça.


Casos apontam para um padrão de violência policial arbitrária e com recorrentes violações.

Além dos casos da favela de Acari, o relatório aponta outras mortes causadas pela Polícia Militar que foram emblemáticas no Rio de Janeiro, como as de Alan de Souza Lima da favela da Palmeirinha em Honório Gurgel e a do bailarino DG morto numa creche no morro Pavão-Pavãozinho em Copacabana. Esses e outros casos lembrados dutrante a apresentação do relatório apontam para um padrão das operações policiais. Alteração da cena do crime e uso indiscriminado dos autos de resistência para encobrir práticas de execução são elementos ainda muito utilizados.

Além disso, o uso excessivo, desnecessário e arbitráio da força por parte dos policiais também foi mencionada. A falta de critério no uso de armas como fuzis e blindados corroboram para que as execuções sejam facilitadas.

Átila Roque lembrou que os resultados do relatório antes de serem publicizados foram apresentados à alta cúpula da segurança pública do Rio de Janeiro, inclusive para o secretário José Mariano Beltrame. Em nota, Beltrame classificou a divulgação dos dados como temerária e injusta, alegando melhoras noíndices de violência a partir de 2007, mas reconhecendo ainda haver “áreas de guerra”.

Favela 247 Artur Tue, 04 Aug 2015 13:44:54 +0000 http://www.brasil247.com/191580
Na oposição, Cunha deixa PT fora do comando de CPIs http://www.brasil247.com/pt/247/poder/191582 LUIS MACEDO: Presidente da Câmara acertou com aliados da oposição e da base governista que o PT ficará de fora do comando das quatro novas CPIs que deverão ser instaladas nos próximos dias; acerto prevê que a CPI do BNDES será presidida pelo PMDB e terá como relator um membro do PR; a CPI dos fundos de pensão será controlada pelo DEM e relatada pelo PMDB; PSDB será responsável por conduzir a CPI dos crimes cibernéticos e o PSD ficará com a de maus tratos a animais <br clear="all"> LUIS MACEDO:

247 - O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ),acertou com os aliados da oposição e da base governista que o PT, partido da presidente Dilma Rousseff e do qual o PMDB é aliado, ficará de fora do comando das quatro novas CPIs que deverão ser instaladas nos próximos dias.

A decisão de deixar o PT de fora do comando das CPIs foi acertada nesta segunda-feira (3), durante um jantar promovido por Cunha. Na reunião ficou acertado que a CPI para apurar possíveis irregularidades no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e social (BNDES) será presidida pelo PMDB e terá como relator um membro do PR. A CPI dos fundos de pensão será controlada pelo DEM e relatada pelo PMDB. 

O PSDB será responsável por conduzir a CPI dos crimes cibernéticos e o PSD ficará com a de maus tratos a animais. As relatorias destas duas últimas não ficaram definidas pelos participantes do encontro.

A divisão do controle das CPIs foi anunciada nesta terça-feira (4) após uma reunião dos líderes dos partidos de oposição da qual participaram o DEM, PSDB e PPS. Como o comando das CPIs costuma ficar com os maiores partidos da Câmara, a escolha acabou por irritar o PT, segundo maior partido da Casa.

“Primeiro que não tem essa de excluir ninguém. Era só o que faltava, a segunda maior bancada ficar fora da CPI. Baixa o tom. Isso não é aconselhável aqui dentro. Quem decide é a base. Nem presidente nem oposição decidem quem vai ser presidente ou relator. Esse discurso não é real. É um desejo vão da oposição. A oposição não é porta-voz nem do PR, nem do PT, nem de nenhum partido da base”, disse o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE).

Poder Paulo Emílio Tue, 04 Aug 2015 13:46:07 +0000 http://www.brasil247.com/191582
CPI cancela acareação de Youssef e Costa http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/191581 : Motivo do cancelamento foi a apresentação de um atestado médico dizendo que o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa está doente; acareação estava prevista para quinta-feira 6; ainda não foi marcada uma nova data pelos deputados <br clear="all"> :

Agência Câmara - A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras cancelou a acareação entre o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, prevista para quinta-feira (6). O motivo do cancelamento foi a apresentação de um atestado médico dizendo que Costa está doente.

Uma nova data para a acareação ainda não foi marcada.

Costa e Youssef fizeram acordo de delação premiada com a Justiça, mas divergem em alguns pontos. Segundo o ex-diretor da estatal, Youssef operacionalizou um pagamento de R$ 2 milhões para a campanha de Dilma Rousseff em 2010, pedido que teria sido intermediado pelo ex-ministro da Fazenda Antonio Pallocci. O doleiro nega.

O deputado Celso Pansera (PMDB-RJ), que solicitou a acareação, afirma que o objetivo é dar celeridade e eficiência às investigações da CPI. "As acareações serão importantes para esclarecer obscuridades remanescentes e fornecer subsídios mais precisos para a elaboração do relatório final das atividades", aponta.

Brasília 247 Gisele Federicce Tue, 04 Aug 2015 13:35:02 +0000 http://www.brasil247.com/191581
Governo anuncia 3 mil novas vagas de residência para o Mais Médicos http://www.brasil247.com/pt/247/saudeebemestar/191578 Roberto Stuckert Filho/PR: <p>Brasília - DF, 04/08/2015. Presidenta Dilma Rousseff durante cerimônia de celebração de 2 anos do Programa Mais Médicos. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR.</p> Maioria das bolsas será para estudantes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste; 75% serão destinadas à formação de especialistas em medicina geral de família e de comunidade; anúncio foi feito em cerimônia de comemoração de dois anos do programa; segundo a presidente Dilma, em discurso, "havia um desconhecimento do objetivo do programa", quando ele foi lançado; "O Mais Médicos engradece meu mandato", destacou a presidente <br clear="all"> Roberto Stuckert Filho/PR: <p>Brasília - DF, 04/08/2015. Presidenta Dilma Rousseff durante cerimônia de celebração de 2 anos do Programa Mais Médicos. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR.</p>

Luana Lourenço e Marieta Cazarré, repórteres da Agência Brasil 

O governo anunciou hoje (4) a criação de três mil vagas de residência médica, sendo a maioria oferecidas a estudantes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Setenta e cinco por cento das bolsas serão destinadas à formação de especialistas em medicina geral de família e de comunidade. O anúncio foi feito durante cerimônia de comemoração de dois anos do Programa Mais Médicos, no Palácio do Planalto. As bolsas serão financiadas pelos ministérios da Saúde e da Educação.

A meta do governo é criar, até 2018, 11,5 mil novas vagas de graduação em medicina e 12,4 mil vagas de residência para formação de médicos em áreas prioritárias para o Sistema Único de Saúde (SUS). Com o anúncio de hoje, o programa chega a 62% da meta de novas vagas de residência.

Também foi anunciada hoje a contratação de 880 professores para lecionar nas universidades federais que abriram novas vagas nos cursos de medicina ou criaram faculdades na área, após a criação do programa.

Um decreto assinado pela presidenta Dilma Rousseff durante a cerimônia vai regulamentar o Cadastro Nacional de Especialistas, com informações de médicos de todo o país. O objetivo, segundo o Ministério da Saúde, é melhorar o planejamento para distribuição de especialistas pelo país.

Balanço

Criado em 2013 para levar médicos a regiões distantes e periferias, o programa foi alvo de polêmica e resistência dos profissionais de saúde, principalmente pela possibilidade de contratação de médicos estrangeiros. Em dois anos, de acordo com o Ministério da Saúde, 18.240 médicos foram contratados para trabalhar em 4.058 municípios e cerca de 30 distritos indígenas, beneficiando um total de 63 milhões de pessoas.

Na avaliação do ministro da Saúde, Arthur Chioro, o programa reverteu um déficit histórico de atenção à saúde em algumas áreas do país. "Ao longo de 27 anos do SUS, o atendimento estava comprometido pois não tínhamos médicos para o atendimento básico. Hoje temos o direito à atenção básica garantido a todos os brasileiros e brasileiras", comparou. "É um programa que veio para mudar a qualidade [do atendimento] e o acesso da população brasileira à saúde", acrescentou.

Pesquisa encomendada pelo ministério ao Grupo de Opinião Pública da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) mostra que a nota média dos usuários para o programa é nove. De acordo com o levantamento, a maioria dos pacientes beneficiados pelo programa são mulheres (80%), com filhos e renda de até dois salários-mínimos. Cerca de 40% recebem o Bolsa Família.

Em um relatório de avaliação dos dois anos do Mais Médicos, o Tribunal de Contas da União (TCU) reconheceu avanços, mas apontou falhas na execução do programa. Para o TCU, foram detectadas falhas na distribuição dos médicos e 26% dos municípios carentes ainda não foram atendidos pelo Mais Médicos.

Os profissionais inscritos no programa recebem R$ 10,5 mil por mês, pagos pelo governo federal.

Dilma agradece a médicos cubanos que vieram trabalhar no Brasil

URL:
Luana Lourenço – Ao comemorar hoje (4) os dois anos do Mais Médicos, a presidenta Dilma Rousseff agradeceu os médicos estrangeiros que vieram ao Brasil para trabalhar, principalmente aos profissionais cubanos, que foram hostilizados no início do programa. Criado em 2013 para levar médicos a regiões distantes e periferias do país, o programa foi alvo de polêmica e resistência dos profissionais de saúde, principalmente pela possibilidade de contratação de médicos estrangeiros.

"Quero fazer um agradecimento a todos os médicos intercambistas, os médicos que vieram de fora, de outros países, participar de forma solidária conosco. E tenho obrigação de me referir à participação dos médicos cubanos, que deram mostras, junto com governo cubano, de solidariedade, profissionalismo e atendimento absolutamente humanizado", disse a presidenta para uma plateia de representantes do governo, parlamentares, médicos e estudantes simpatizantes do governo.

"Quero agradecê-los e dizer que vocês estreitam as relações entre Brasil e Cuba. Vocês são responsáveis por uma relação que hoje não está concentrada, está distribuída por todo o território nacional. Em cada um dos municípios em que vocês estão, tenho certeza que vocês têm amigos, pessoas que dedicam a vocês uma grande amizade, fraternidade e os sentimentos mais elevados", acrescentou.

Dilma também destacou o engajamento dos médicos brasileiros e lembrou que, este ano, na ampliação do programa, as 4.139 vagas foram preenchidas por médicos brasileiros. "Isso é algo a comemorar porque mostra o efeito positivo do Mais Médicos, que é o bom convívio. É um bom exemplo de que esse programa podia trazer, também para o médico, grandes vantagens", avaliou.

Segundo Dilma, antes do programa, "faltava médico em tudo quanto era canto" e o Mais Médicos conseguiu levar a profissionais a 700 municípios que não tinham nenhum médico, além de periferias de grandes cidades, inclusive das capitais.

A presidenta destacou os números de dois anos do programa que, segundo o Ministério da Saúde, levou 18.240 médicos para trabalhar em 4.058 municípios e 34 distritos indígenas – beneficiando um total de 63 milhões de pessoas – e disse que o próximo passo é lançar o programa Mais Especialidades, uma de suas promessas na campanha à reeleição. Na cerimônia de hoje, Dilma assinou um decreto que cria o Cadastro Nacional de Médicos Especialistas.

"Para que a gente complete o sistema de saúde pública e dê mais um passo no caminho de estruturação do Sistema Único de Saúde nos importa o atendimento de especialistas, não que ele irá substituir a atenção básica, pelo contrário, a atenção básica resolve hoje 80% dos problemas principais de saúde de uma população, mas temos de ter especialistas, daí o cadastro é importante porque temos que saber quem são, onde estão e o que fazem para a gente ter um segundo passo que é o Mais Especialidades", disse, sem informar data para lançamento do programa.

Saúde e Bem Estar Paulo Emílio Tue, 04 Aug 2015 13:14:04 +0000 http://www.brasil247.com/191578
Janio: concentrar culpa em Dirceu é prêmio adicional à delação já premiada http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/191577 : "Dizê-lo instituidor é aliviar de um grande peso acusatório os empreiteiros e ex-dirigentes da Petrobras que têm feito delação premiada e, por isso, são chamados pelos componentes da Lava Jato de 'colaboradores'", escreve o jornalista; segundo Janio de Freitas, "se houve um 'instituidor' do 'esquema', seu nome perdeu-se na desmemória do tempo" <br clear="all"> :

247 – Para o colunista da Folha Janio de Freitas, o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima "desde logo criou uma imprecisão sujeita a reparo histórico e atual" quando "definiu Dirceu como 'o instituidor e beneficiário' do 'esquema' de corrupção na Petrobras".

"Dizê-lo instituidor é aliviar de um grande peso acusatório os empreiteiros e ex-dirigentes da Petrobras que têm feito delação premiada e, por isso, são chamados pelos componentes da Lava Jato de 'colaboradores'", afirma o jornalista. "Ainda que não seja por deliberação, a transferência de responsabilidades, concentrando-as em um só, é como um prêmio adicional à delação já premiada", acrescenta.

"A corrupção na Petrobras investigada pela Lava Jato seguiu o 'esquema' praticado há décadas pelas grandes empreiteiras nas licitações e acréscimos de custo, em contratos com estatais e administração pública. Se houve um 'instituidor' do 'esquema', seu nome perdeu-se na desmemória do tempo", conclui Janio.

Leia aqui a íntegra.

Mídia Gisele Federicce Tue, 04 Aug 2015 12:59:25 +0000 http://www.brasil247.com/191577
“Se você entregar o Lula, sai rapidinho” http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/191534 : Segundo dirigentes do PT, presos na Operação Lava Jato estariam sendo coagidos por integrantes da Polícia Federal e do Ministério Público a delatar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que seria o objetivo maior dos investigadores do Paraná; reportagem do jornal Valor Econômico informa que Lula entrou definitivamente no radar da operação e que pode vir a ser um dos presos numa das próximas fases <br clear="all"> :

SÃO PAULO - De acordo informações do jornal Valor Econômico, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou no "radar" da Operação Lava Jato, de acordo com uma autoridade diretamente envolvida nas investigações logo após a prisão preventiva do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu.

Dirceu foi preso ontem na 17ª fase da Operação, a Pixuleco. Ele é investigado por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro por receber R$ 29 milhões em sete anos, de empresas investigadas por meio da JD Assessoria e Consultoria.

"Por enquanto são suspeitas. Ele [Lula], por ora, não é investigado. Mas ele está no radar", afirmou a autoridade ao jornal. Segundo o jornal, chama a atenção dos investigadores o fato do ex-presidente ter recebido pagamentos a título de remuneração por palestras de empresas investigadas na Operação Lava Jato. Aliás, no mês passado, foi aberto um inquérito no MPF (Ministério Público Federal) para investigar o petista por suposto tráfico de influência.

Segundo o procedimento investigatório criminal aberto no último dia 8, o ex-presidente “teria obtido vantagens econômicas da Empreiteira Odebrecht, a pretexto de influir em atos praticados por agentes públicos estrangeiros, notadamente dos governos da República Dominicana e de Cuba, em relação a obras financiadas pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e por agentes públicos federais brasileiros”.

De acordo com a fonte ouvida pelo Valor, "ele [Lula] recebeu valores daquelas empresas investigadas. No exercício do mandato dele não há nenhum indício de que tenha recebido. Mas depois que ele saiu do cargo, recebeu aqueles valores referentes a palestras pelo Instituto [Lula], que têm de ser pensados". A Lils palestras, Eventos e Publicidade Ltda, empresa aberta por Lula para receber remuneração pelas palestras, recebeu R$ 1,5 milhão da Camargo Corrêa.

"Nenhum dos delatores disse que os pagamentos recebidos por Lula foram propina. Mas os valores não deixam de ser suspeitos. Nos parece incompatível se considerarmos que as empresas pagavam mais de R$ 300 mil por palestra que sequer comprovação têm, e ainda com esse custo". O ex-presidente, por meio de sua assessoria, ressaltou a legalidade das palestras.

E a prisão de Dirceu no âmbito da Lava Jato acirrou ainda mais os ânimos contra o PT e a presidente Dilma Rousseff, segundo o Palácio do Planalto. Segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo, auxiliares de Dilma temem que a investigação atinja Lula, mesmo sem provas concretas.

De acordo com o jornal, o assunto foi tratado em conversas reservadas entre ministros, ontem, antes da reunião de coordenação política. A ordem no Planalto é proteger Dilma do novo escândalo, que tem potencial para dar munição aos protestos marcados para o dia 16 contra o governo e a corrupção.

Dirigentes da corrente majoritária Construindo um Novo Brasil, de Lula e Dirceu, discutiram os desdobramentos da crise em Brasília na segunda-feira, e hoje haverá reunião da Executiva Nacional. Petistas teriam recebido informações de que integrantes da Polícia Federal e do Ministério Público estariam dizendo aos presos: “Se você entregar o Lula, sairá rapidinho.”

Brasil Roberta Namour Tue, 04 Aug 2015 08:44:27 +0000 http://www.brasil247.com/191534
Laerte ironiza tratamento da mídia a bomba no Instituto Lula http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/191570 : Cartunista compara como foi noticiado na imprensa o arremesso de uma bolinha de papel contra José Serra, durante a campanha de 2010, e o atentado a bomba na sede do Instituto Lula, em São Paulo, na última quinta-feira 30; jornalista Tereza Cruvinel já havia destacado a minimização dos jornais sobre o caso, ressaltando o fato de que foi uma "bomba caseira" <br clear="all"> :

247 – Em nova charge publicada nesta terça-feira 4, a cartunista Laerte ironiza o tratamento dispensado pela imprensa tradicional ao atentado a bomba na sede do Instituto Lula, em São Paulo, ocorrido na última quinta-feira 30.

Na arte, ela lembra como foi noticiado - com estardalhaço - o arremesso de uma bolinha de papel contra José Serra (PSDB) durante a campanha eleitoral de 2010, enquanto uma bomba contra o Instituto Lula, seria "suposto atentado" para os jornais.

Na semana passada, os veículos destacaram bastante o fato de a bomba ser caseira. O assunto foi comentado pela jornalista Tereza Cruvinel, colunista do 247, que apontou a minimização dos jornais em relação ao atentado, que poderia, conforme disse em outro artigo, ser tipificado como crime de terrorismo, se houvesse uma lei sobre isso no Brasil.

Mídia Gisele Federicce Tue, 04 Aug 2015 11:53:14 +0000 http://www.brasil247.com/191570
'Prisão de Dirceu deve ser tratada com serenidade' http://www.brasil247.com/pt/247/poder/191568 : Ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, acredita que a prisão do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, do PT, tem que ser tratada "com serenidade, sem qualquer tipo de interferência na nossa atividade cotidiana"; "Cabe aos investigados tomarem as providências que julgarem necessárias para se defenderem perante a Justiça", acrescentou <br clear="all"> :

247 – O ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, afirmou nesta terça-feira 4 que a prisão do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, ocorrida ontem pela manhã, pela 17ª fase da Operação Lava Jato, deve ser tratada com "serenidade".

"Temos de tratar com serenidade, sem qualquer tipo de interferência na nossa atividade cotidiana", afirmou. Ele participou hoje de evento em que lançou o Programa Usinas Digitais.

"Cabe aos investigados tomarem as providências que julgarem necessárias para se defenderem perante a Justiça", acrescentou Berzoini. Para ele, a prisão de Dirceu é um fato decorrente das investigações que já vinham sendo realizadas.

O ministro da Defesa, Jaques Wagner, falou ontem em nome do governo sobre o assunto e manifestou preocupação com o ambiente de negócios no País. Para ele, é preciso que o Brasil continue a receber investimentos. "As investigações seguem, e o País também segue", disse.

Poder Gisele Federicce Tue, 04 Aug 2015 11:39:15 +0000 http://www.brasil247.com/191568
Duque promete entregar políticos em delação http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/191565 Gabriela Korossy - Câmara dos Deputados: O envolvimento de políticos no esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato é apontado como um dos focos centrais para que o ex-diretor de Serviços da Petrobras negocie um acordo de delação premiada com a Justiça; Renato Duque está preso desde março em Curitiba <br clear="all"> Gabriela Korossy - Câmara dos Deputados:

247 - O ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque deverá entregar à Polícia Federal (PF) e ao Ministério Público Federal (MPF) informações sobre políticos em cargos públicos que estariam envolvidos no esquema de desvios e corrupção na Petrobras investigados pela Operação Lava Jato. Duque está preso desde março em Curitiba (PR).

As informações apontando o envolvimento de políticos no esquema são apontadas como um dos focos centrais para que o ex-executivo negocie um acordo de delação premiada com a Justiça.

Na sexta-feira da semana passada (31), familiares de Renato Duque assinaram contrato com o escritório de advocacia Arns de Oliveira e Andreazza, que atuou na elaboração dos termos de delação premiada dos ex-executivos da empreiteira Camargo Corrêa, Eduardo Leite e Dalton Avancini.

Brasil Paulo Emílio Tue, 04 Aug 2015 11:23:18 +0000 http://www.brasil247.com/191565
Haddad: há veículos focados em atacar meu governo http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/191563 Fernando Pereira/ Secom/ PMSP: Em entrevista à Folha, prefeito afirma que debate sobre São Paulo não é feito da "maneira mais democrática"; "Você tem duas ou três rádios e duas ou três emissoras de TV que têm o pressuposto de atacar a administração", criticou Fernando Haddad (PT); para ele, há uma "frente de ataque" à sua administração, não vista em outra cidade do País <br clear="all"> Fernando Pereira/ Secom/ PMSP:

SP 247 – O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), avalia que os temas em pauta recentemente na capital paulista, como as ciclovias e a redução da velocidade das marginais não são debatidos da "maneira mais democrática".

Questionado sobre o motivo de tanta reação sobre a medida que reduz a velocidade das marginais, Haddad respondeu, em entrevista à Folha de S. Paulo: "Porque estamos vivendo um momento em que o debate não se estabelece da maneira mais democrática".

"Há da parte de alguns veículos de comunicação, sobretudo uma parte da radiodifusão, o pressuposto que é o combate às ações da administração, é uma ação quase que editorial. Você tem duas ou três rádios e duas ou três emissoras de TV que têm o pressuposto de atacar a administração", acrescentou o petista.

Haddad falou ainda em uma "frente de ataque" à sua administração, não vista em outra cidade. "Em que cidade do Brasil você tem uma frente contrária a ações da prefeitura como você tem aqui? Você não tem em nenhuma outra cidade. É uma frente de ataque a todas as medidas da prefeitura independentemente do mérito", disse.

Leia aqui a íntegra.

SP 247 Gisele Federicce Tue, 04 Aug 2015 11:11:51 +0000 http://www.brasil247.com/191563
Produção industrial do Brasil cai 0,3% em junho http://www.brasil247.com/pt/247/economia/191543 : <p>veiculo, fabrica</p> Produção industrial brasileira caiu 0,3% em junho frente a maio; segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE); em comparação com junho de 2014, a produção diminuiu 3,2% <br clear="all"> : <p>veiculo, fabrica</p>

Reuters - A produção industrial brasileira caiu 0,3 por cento em junho frente a maio, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira.

Na comparação com junho de 2014, a produção diminuiu 3,2 por cento. Os resultados vieram melhores que o esperado em pesquisa da Reuters com economistas, que projetavam queda de 0,70 na variação mensal e de 5 por cento na anual.

(Por Rodrigo Viga Gaier; Edição de Patrícia Duarte)

Economia Paulo Emílio Tue, 04 Aug 2015 09:34:13 +0000 http://www.brasil247.com/191543
Prisão de Dirceu dá cavalo de pau na tese da Lava Jato http://www.brasil247.com/pt/blog/brenoaltman/191497 : "Antes, a explicação predominante era que se tratava de cartel empresarial na Petrobras, pagando suborno para diretores da empresa e fazendo repasses clandestinos para partidos políticos. Agora, na versão dos procuradores, fala-se de esquema criado pelo primeiro governo Lula, sob o comando de José Dirceu, para comprar apoio parlamentar. Uma espécie de segundo 'mensalão', digamos", diz o colunista Breno Altman, num novo artigo, em que analisa a segunda prisão do ex-ministro da Casa Civil; "Não precisa de muito esforço para registrar que estamos diante de sorrateiro enredo, cuja meta essencial é desgastar o ex-presidente da República e, talvez, levá-lo aos tribunais e à prisão. Perguntarão os roteiristas da Lava Jato e seus apaniguados: quem seria o chefe do chefe?" <br clear="all"> :

A prisão preventiva do ex-ministro da Casa Civil não é apenas decisão arbitrária, sem provas e motivos razoáveis, o que já bastaria para ser fortemente questionada.

Além de estar sob regime de prisão domiciliar, à disposição da Justiça, os próprios procuradores alegam que a incriminação contra o líder petista está exclusivamente apoiada sobre duas delações premiadas cujas provas de verificação sequer foram colhidas.

O juiz Sérgio Moro deu guarida à tese da ilegalidade dos contratos de consultoria da JD Associados com empreiteiras ligadas a Petrobras, no valor de R$ 9,5 milhões em oito anos, porque dois réus confessos, em troca de eventuais benefícios, Milton Pascowitch e Júlio Camargo, afirmaram se tratar de propinas disfarçadas.

A questão central é entender os motivos que levam Moro e seus aliados por um caminho que afronta garantias constitucionais.

Sinais de manobra política são evidentes.

Como já havia ocorrido com a detenção de Joao Vaccari, a nova reclusão do principal líder da história petista, depois de Lula, é efetivada praticamente às vésperas do programa nacional do PT ir ao ar, o que está previsto para o próximo dia 6.

Também serve de combustível para as manifestações da direita, convocadas para 16 de agosto.

Um terceiro objetivo igualmente sobressai: tirar Eduardo Cunha do centro das denúncias, arrastando o PT e os governos Lula-Dilma para a linha de tiro, mais uma vez usando José Dirceu como símbolo e alvo.

O mais importante, porém, é que a prisão do ex-chefe da Casa Civil foi anunciada pela Procuradoria-Geral da República e pela Polícia Federal através de narrativa que dá cavalo de pau na caracterização da Operação Lava Jato.

Antes, a explicação predominante era que se tratava de cartel empresarial na Petrobras, pagando suborno para diretores da empresa e fazendo repasses clandestinos para partidos políticos.

Agora, na versão dos procuradores, fala-se de esquema criado pelo primeiro governo Lula, sob o comando de José Dirceu, para comprar apoio parlamentar. Uma espécie de segundo “mensalão”, digamos.

Não precisa de muito esforço para registrar que estamos diante de sorrateiro enredo, cuja meta essencial é desgastar o ex-presidente da República e, talvez, levá-lo aos tribunais e à prisão.

Possivelmente não irá demorar para ser apresentado o próximo capítulo: se José Dirceu, então ministro, montou o suposto “esquema de propina”, que teria sobrevivido depois de sua saída do ministério, quem teria ordenado a continuidade da operação?

Perguntarão os roteiristas da Lava Jato e seus apaniguados: quem seria o chefe do chefe?

Os abutres da oposição de direita, aliás, já surfam nesta onda, arremessando contra Lula e Dilma.

Se o governo e o PT não saírem da pasmaceira e continuarem a validar, com a cabeça debaixo da terra, os movimentos da República de Curitiba, claramente comprometidos com as forças mais conservadoras do país, logo será tarde demais para defender o processo de mudanças iniciado em 2003 e seu líder histórico.

A política aceita quase qualquer coisa, menos a humilhação de quem decide, por covardia ou erro de cálculo, perder sem lutar.

Breno Altman Breno Altman Tue, 04 Aug 2015 09:36:25 +0000 http://www.brasil247.com/191497
Ministra defende Dilma: “fomos torturadas e não viramos delatoras” http://www.brasil247.com/pt/247/tocantins247/191537 : A solenidade de adesão do Tocantins ao programa "Mulher, Viver sem Violência", nessa segunda-feira, 3, no Palácio Araguaia, teve forte peso político e foi marcada pela defesa do governo da presidente Dilma Rousseff; a ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, lembrou que ela e Dilma foram presas e torturadas durante a Ditadura Militar; "Nunca nos curvamos nem viramos delatoras"; ministra afirmou que turbulências fazem parte dos governos. "Não existe céu de brigadeiro em governos o tempo todo", completou; governador Marcelo Miranda voltou a criticar as ações que tentam abreviar o mandato de Dilma; "Ninguém aguenta mais essa tentativa de fazerem um terceiro turno", afirmou; solenidade contou também com a presença da ministra Kátia Abreu, em seu primeiro evento no Palácio após a eleição de Marcelo <br clear="all"> :

Tocantins 247 - A ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, da Presidência da República (SPM/PR), Eleonora Menicucci, esteve em Palmas nessa segunda-feira, 3, para participar da adesão do Tocantins ao programa "mulher, Viver sem Violência", que prevê, entre outras ações, a construção da Casa da Mulher Brasileira, em Palmas.

A solenidade no Palácio Araguaia teve forte peso político, reunindo o governador Marcelo Miranda (PMDB), a vice-governadora Cláudia Lélis (PV), presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargaor Ronaldo Eurípedes, senador Donizeti Nogueira (PT), deputados estaduais, prefeitos e líderes políticos. Foi também o primeiro evento no Palácio Araguaia com a participação da ministra da Agricultura, Kátia Abreu, no governo Marcelo.

Em seu discurso, a ministra Eleonora Menicucci fez uma forte defesa do governo da presidente Dilma Rousseff. Menicucci lembrou que ela e Dilma foram presas e torturadas durante a Ditadura Militar. "Nunca nos curvamos nem viramos delatoras", afirmou. Menicucci afirmou que turbulências fazem parte dos governos. "Não existe céu de brigadeiro em governos o tempo todo", completou. 

Durante o evento, o governador Marcelo Miranda voltou a criticar as ações que tentam abreviar o governo da presidente Dilma. "Ninguém aguenta mais essa tentativa de fazerem um terceiro turno", afirmou. O governador destacou também a importância do apoio recebido do governo federal, especialmente no tocante às políticas de garantia ao direito da mulher tocantinense. "Neste momento em que estamos nos dirigindo especialmente às mulheres, o nosso trabalho é para garantir que elas não sejam vítimas de atos de discriminação, de repreensão e de violência", ressaltou.

O termo de adesão foi pactuado entre os governos estadual e federal, Tribunal de Justiça (TJ), Defensoria Pública Estadual (DPE), Ministério Público Estadual (MPE) e a Prefeitura de Palmas, com foco na prestação integrada de atendimento à mulher vítima de violência. Na ocasião, o prefeito da Capital, Carlos Amastha, fez a entrega simbólica do terreno para construção da Casa da Mulher Brasileira.

Tolerância Zero

A ministra Eleonora Menicucci destacou que a meta do governo federal é tolerância zero a atos de violência contra mulher e ressaltou que a mulher tocantinense vive um momento importante. "Com a Casa da Mulher Brasileira serão colocadas em prática as diretrizes da Lei Maria da Penha, universalizado o acesso às estratégias de combate à violência, além de acabarmos com a via crucis das vítimas de violência em busca de atendimento", apontou.

Para garantir celeridade no desenvolvimento das obras em Palmas, a ministra declarou que visitará a Capital mensalmente. "A assinatura do termo de adesão feita aqui entre gestores federais, estaduais e municipais não é um ato meramente simbólico. É um ato real, concreto. Acreditem", enfatizou a ministra, ao lembrar que é necessário garantir que todas as mulheres "sejam donas dos seus destinos".

A secretária de Estado de Defesa e Proteção Social, Gleidy Braga, ressaltou a importância de um diálogo integrado entre as instituições públicas no enfrentamento da violência. "A Casa da Mulher é um espaço de gestão compartilhada entre Governo do Estado, prefeituras, Ministério Público, Defensoria e Judiciário. Esse equipamento traz para nós a necessidade de aprofundar o diálogo entre as diferentes instituições que compõem a rede de atendimento às mulheres em situação de violência", disse.

Centro de Referência

Por meio do Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, os prefeitos dos municípios de Gurupi e Tocantinópolis, Laurez Moreira e Fabion Gomes de Souza, respectivamente, receberam mobílias e equipamentos para as unidades dos Centros de Referência de Atendimento à Mulher (Cram), tais como geladeiras, televisores, máquinas fotográficas e computadores, entre outros itens. Também está prevista a entrega dos equipamentos para outros três municípios.

O Cram funciona como porta de entrada especializada para a inclusão da mulher em situação de risco na rede de atendimento. "Os centros vão auxiliar a Casa da Mulher Brasileira. Os municípios vão receber as mulheres e, se necessário, as encaminham para a Casa", apontou a secretária Gleidy Braga.

Pacto Estadual

O governador Marcelo Miranda e a vice-governadora Claudia Lelis entregaram à ministra Eleonora Menicucci o Pacto Estadual de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres. O documento foi elaborado pela vice-governadora, conforme as propostas do Pacto Nacional, e prevê a seguridade da difusão dos direitos e o estímulo à participação e incorporação de gênero nas políticas culturais, de inclusão, valorização e empoderamento das mulheres.

Presenças

Também estiveram presentes no evento a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu; a secretária nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher, Aparecida Gonçalves; a deputada federal Josi Nunes; o prefeito de Palmas, Carlos Amastha; o defensor público-geral, Marlon Costa Luz Amorim; o procurador-geral de Justiça, Clenan Renaut de Melo; a deputada federal e membro da Comissão Permanente Mista de Combate à Violência contra a Mulher Dulce Miranda; o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Ronaldo Eurípedes; secretários de Estado, líderes políticos estaduais e municipais, dentre outros.

Tocantins 247 Aquiles Lins Tue, 04 Aug 2015 09:31:25 +0000 http://www.brasil247.com/191537
Para presidente do PT-BA, 'Moro age como um ditador' http://www.brasil247.com/pt/247/bahia247/191540 : Para o presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, os depoimentos dos acusados de envolvimento na Operação Lava Jato poderiam ser tomados sem necessidade de prendê-los; "Acho um absurdo prender pessoas que poderiam estar prestando depoimento sem criar essa cena. O juiz está prendendo para colocar todos num ambiente de constrangimento e forçar a delação premiada. É uma ferramente antidemocrática. Ele (o juiz Sérgio Moro) está agindo como um ditador" <br clear="all"> :

Bahia 247 - Tal qual líderes políticos e partidários de todo o País, os dirigentes baianos também avaliam a condução do juiz federal Sérgio Moro, de Curitiba, à Operação Lava Jato, que apura esquema de corrupção que começou com pagamento de propina de empreiteiras em contratos com a Petrobras. Os baianos avaliam que há 'exagero' nas prisões preventivas determinadas pelo magistrado.

Para o presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, os depoimentos dos acusados poderiam ser tomados sem necessidade de prendê-los.

"Acho um absurdo prender pessoas que poderiam estar prestando depoimento sem criar essa cena. O juiz está prendendo para colocar todos num ambiente de constrangimento e forçar a delação premiada. É uma ferramente antidemocrática. Ele (o juiz Sérgio Moro) está agindo como um ditador".

Até Geddel Vieira Lima, que detona o governo e o PT sempre que tem oportunidade, vê exagero por parte do juiz. Ele diz em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia que "o mais grave é que as prisões se eternizem e se transformem na antecipação de uma condenação".

"Isso é grave num regime de direito. Concordo que a delação premiada é positiva, mas é um equívoco se feita de forma com pressão psicológica", afirma o presidente do PMDB na Bahia.

Bahia 247 Romulo Faro Tue, 04 Aug 2015 09:27:10 +0000 http://www.brasil247.com/191540
Noblat: Aécio “não verterá uma lágrima se Lula for preso” http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/191542 : Em novo artigo, Ricardo Noblat prevê que o ex-presidente Lula será o próximo alvo da Lava Jato e diz que o senador Aécio Neves, presidente do PSDB, lavará as mãos caso isso aconteça; o tucano foi delatado pelo doleiro Alberto Youssef, mas não foi investigado <br clear="all"> :

247 - Em novo artigo no Globo, o jornalista Ricardo Noblat prevê que o ex-presidente Lula será o próximo alvo da Lava Jato e que, caso ele seja preso, o senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, lavará as mãos. O tucano foi um dos delatados pelo doleiro Alberto Youssef, mas não chegou a ser investigado na operação.

"Governador de Minas Gerais, Aécio foi o cacique da oposição que mais se empenhou para livrar Lula de qualquer maior incômodo", escreve Noblat, em referência ao 'mensalão'. "Agora, ele repete que nem comemora prisões nem as lamenta. A declaração não deverá se aplicar somente à prisão de Dirceu. Aécio, mas não só ele, não verterá uma lágrima se Lula for preso", acrescenta o colunista.

Leia aqui a íntegra de seu artigo.

Mídia Gisele Federicce Tue, 04 Aug 2015 09:31:01 +0000 http://www.brasil247.com/191542
Lucro do Itaú Unibanco cresce 22%; calotes sobem http://www.brasil247.com/pt/247/economia/191529 : Itaú Unibanco teve lucro líquido de 5,984 bilhões de reais no segundo trimestre, alta de 22,1 por cento na comparação com um ano antes, mas viu um repique da inadimplência após 11 trimestres seguidos em queda; o estoque de financiamentos do banco, incluindo avais e fianças, avançou 9 por cento em 12 meses, fechando junho em 531,7 bilhões de reais <br clear="all"> :

SÃO PAULO (Reuters) - O Itaú Unibanco teve lucro líquido de 5,984 bilhões de reais no segundo trimestre, alta de 22,1 por cento na comparação com um ano antes, mas viu um repique da inadimplência após 11 trimestres seguidos em queda.

Em bases recorrentes, o lucro do maior banco privado do país foi de 6,134 bilhões de reais, 23,35 maior ano a ano e pouco acima da previsão média de analistas consultados pela Reuters, de 5,74 bilhões, anunciou nesta terça-feira..

O lucro foi lastreado em parte no aumento de 19,4 por cento das margem financeira gerencial, a 16,24 bilhões de reais, o que reflete maiores ganhos nas operações de crédito.

O estoque de financiamentos do banco, incluindo avais e fianças, avançou 9 por cento em 12 meses, fechando junho em 531,7 bilhões de reais.

O índice de inadimplência, medido pelo saldo de operações vencidas com mais de 90 dias, foi a 3,3 por cento, subindo ante os 3 por cento do trimestre anterior, embora ainda abaixo dos 3,4 por cento de um ano antes.

A provisão feita no trimestre para perdas com calotes somou 4,387 bilhões de reais, recuo de 1,5 por cento na base sequencial, mas um salto de 35,8 por cento sobre um ano antes.

De abril a junho, o retorno sobre o patrimônio líquido médio do Itaú Unibanco foi de 24,2 por cento, estável na comparação sequencial e alta de 0,9 ponto percentual ante mesma etapa de 2014.

(Por Aluísio Alves)

 

Economia Roberta Namour Tue, 04 Aug 2015 08:11:06 +0000 http://www.brasil247.com/191529
Dias: Redução de ministérios chega tarde http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/191525 Waldemir Barreto: <p>Senador Alvaro Dias (PSDB-PR) afirma que o projeto de lei para fiscalização da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), PLS 221/2014, não prevê qualquer tipo de intervenção no futebol brasileiro</p> Para o senador Alvaro Dias (PSDB-PR), a possibilidade de o governo reduzir o número de ministérios é uma medida que chega tarde, embora seja necessária: “O governo não tem autoridade quando fala em ajuste fiscal exatamente porque não faz reformas e sobretudo a reforma administrativa que teria objetivo de reduzir os gastos de custeio do governo” <br clear="all"> Waldemir Barreto: <p>Senador Alvaro Dias (PSDB-PR) afirma que o projeto de lei para fiscalização da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), PLS 221/2014, não prevê qualquer tipo de intervenção no futebol brasileiro</p>

247 – O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) questionou a possibilidade de o governo reduzir o número de ministérios. Segundo ele, é uma medida que chega tarde, embora seja necessária:

“O governo não tem autoridade quando fala em ajuste fiscal exatamente porque não faz reformas e sobretudo a reforma administrativa que teria objetivo de reduzir os gastos de custeio do governo. Os gatos crescem de forma exagerada na contramão de medidas de impõem rigor para a sociedade”, disse à Agência Senado.

Paraná 247 Roberta Namour Tue, 04 Aug 2015 06:53:57 +0000 http://www.brasil247.com/191525
Fenabrave: Venda de veículos cresce 6,9% em julho http://www.brasil247.com/pt/247/economia/191524 : De acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), no mês passado foram emplacadas 352.423 unidades contra 329.629 unidades em junho; para o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, o resultado de julho é explicado em parte pelo fato de o mês ter tido 23 dias úteis contra 21 dias no mês anterior <br clear="all"> :

247 - As vendas de veículo em todos os segmentos registraram alta de 6,92% em julho na comparação com o mês anterior. De acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), no mês passado foram emplacadas 352.423 unidades contra 329.629 unidades em junho.

Para o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, o resultado de julho é explicado em parte pelo fato de o mês ter tido 23 dias úteis contra 21 dias no mês anterior.

Em nota, ele afirma, no entanto, que no acumulado do ano, o segmento registra queda de 17,87% sobre 2014. “Mantemos a nossa posição de que não ocorrerá grande mudança nas vendas de veículos nos próximos meses, mantendo, assim, as nossas projeções, que apontam queda de cerca de 20% para o setor em 2015", disse, em nota.

Economia Roberta Namour Tue, 04 Aug 2015 06:45:42 +0000 http://www.brasil247.com/191524
Viana: É tarefa de quem ocupa a Presidência procurar o diálogo http://www.brasil247.com/pt/247/poder/191523 Waldemir Barreto: <p>Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa ordinária. Em discurso, senador Jorge Viana (PT-AC). Foto: Waldemir Barreto /Agência Senado</p> Vice-presidente do Senado, senador Jorge Viana (PT-AC) afirmou advertiu que o enfrentamento entre o PSDB e o PT não faz bem ao país e que se faz necessário um diálogo isento de vínculos partidários: “Acho que cabe a quem ocupa a função da Presidência da República procurar o diálogo, seja com quem for, pensando o país, o fortalecimento das apurações dos malfeitos, mas pensando essencialmente como vamos superar essa fase e fazer com que o Brasil siga em frente num ambiente ainda melhor” <br clear="all"> Waldemir Barreto: <p>Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa ordinária. Em discurso, senador Jorge Viana (PT-AC). Foto: Waldemir Barreto /Agência Senado</p>

Agência Senado 

O senador Jorge Viana (PT-AC) afirmou nesta segunda-feira (3) que a proposta do governo de diálogo com a oposição é legítima e necessária, mas chega atrasada. Ele disse que essa conversa deveria ter ocorrido no final do ano passado, após a eleição, por entender que quem ganha deve buscar diálogo com o derrotado e a sociedade visando à solução dos problemas do país.

Jorge Viana advertiu que o enfrentamento entre o PSDB e o PT não faz bem ao país e que se faz necessário um diálogo isento de vínculos partidários, que vise à continuidade das investigações sobre corrupção e à busca de soluções para a crise.

—  Acho que cabe à presidenta, na função que ocupa, um diálogo com chefe de Poderes. Acho que cabe a quem ocupa a função da Presidência da República procurar o diálogo, seja com quem for, pensando o país, o fortalecimento das apuração dos malfeitos, mas pensando essencialmente como vamos superar essa fase e fazer com que o Brasil siga em frente num ambiente ainda melhor — declarou.

Instituto Lula

Jorge Viana também lamentou e protestou contra o ataque à bomba realizado na sexta-feira, dia 31, à sede do Instituto Lula, em São Paulo. Ele disse que o fato de ter sido uma bomba caseira não diminui a gravidade do artefato, porque alguém poderia ter morrido no ataque. Para o senador, esse episódio é criminoso e gravíssimo, mas ainda não ganhou a devida importância.

Após sublinhar que o Instituto tem uma história de 20 anos e realiza projetos importantes, Jorge Viana atribuiu o ataque ao clima de intolerância que existe atualmente no país.

— Fico muito sentido de ver um país tão bonito como o nosso, que tem um povo fantástico, uma miscigenação, vivendo agora esse ambiente de absoluta intolerância. Eu não posso calar diante disso. Ainda bem que começaram a vir de todo os lugares da sociedade manifestações contra esse ambiente de tolerância, que não combina com o país, que não combina com nossa história, que não combina com nosso povo, que não combina com o ambiente em que nós vivemos.

Jorge Viana afirmou que o Brasil ainda não aprendeu a lidar com seus ex-presidentes e advertiu que não existe democracia que não respeite os que já ocuparam uma função tão nobre como a Presidência da República.

Imigrantes

O senador também registrou debate realizado na manhã desta segunda na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) sobre a situação dos haitianos recebidos pelo Brasil. Para Jorge Viana, a audiência pública mostrou que a política de acolhimento aos haitianos enfim começa a dar resultados. Isso porque já caiu o número de entrada ilegal e cresceu a entrada legalizada de haitianos no país.

De dezembro 2010 para cá, somente pelo Acre, entraram no Brasil 36.285 haitianos e 3.550 pessoas de outras nacionalidades, informou o senador. Jorge Viana comentou que a imigração é hoje um problema que preocupa o mundo inteiro.

— Acho que esse é um dos temas que o mundo inteiro debate, em todos os continentes, e que o Brasil precisa enfrentar com uma política que precisa seguir sendo humanitária, solidária, especialmente com o povo do Haiti.

Poder Roberta Namour Tue, 04 Aug 2015 06:29:21 +0000 http://www.brasil247.com/191523
Justiça britânica condena Maluf a devolver US$ 23 mi a SP http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/191513 JANINE MORAES: <p>Plenário 1 Comissão de Constituição e Justiça Reunião Ordinária Dep. Paulo Maluf Foto: Janine Moraes 08.06.2010</p> Dinheiro, depositado na Ilha de Jersey nas contas das empresas offshores Durant International Corporation e Kildare Finance Limited, foi desviado de obras públicas durante a gestão de Maluf à frente do governo municipal entre 1993-1996, segundo o MP; "É uma decisão histórica porque a Prefeitura e o Ministério Público conseguiram uma decisão para reaver o dinheiro que claramente foi desviado pelo ex-prefeito Paulo Maluf", disse o promotor Sílvio Marques <br clear="all"> JANINE MORAES: <p>Plenário 1 Comissão de Constituição e Justiça Reunião Ordinária Dep. Paulo Maluf Foto: Janine Moraes 08.06.2010</p>

247 - A Justiça britânica condenou nesta segunda-feira a família do ex-prefeito Paulo Maluf a devolver cerca de US$ 23 milhões aos cofres públicos de São Paulo.

O dinheiro, depositado na Ilha de Jersey nas contas das empresas offshores Durant International Corporation e Kildare Finance Limited, foi desviado de obras públicas durante a gestão de Maluf à frente do governo municipal entre 1993-1996, segundo o MP.

"É uma decisão histórica porque a Prefeitura e o Ministério Público conseguiram uma decisão para reaver o dinheiro que claramente foi desviado pelo ex-prefeito Paulo Maluf", disse o promotor Sílvio Marques, do Ministério Público de São Paulo.

SP 247 Roberta Namour Tue, 04 Aug 2015 06:23:56 +0000 http://www.brasil247.com/191513
PT quer comando de crise com governo e Instituto Lula http://www.brasil247.com/pt/247/poder/191511 ANTONIO CRUZ-ABR: Após a 17ª fase da operação Lava Jato, que resultou na prisão preventiva do ex-ministro José Dirceu, dirigentes do PT acham que a força-tarefa da operação tentará voltar o foco das investigações para as gestões de Dilma Rousseff e Lula; segundo a colunista Vera Magalhães, eles defendem a criação de um comando de crise que reúna governo, Instituto Lula e o partido, para contestar teses que vinculem o ‘petrolão’ ao chamado ‘mensalão’  <br clear="all"> ANTONIO CRUZ-ABR:

247 – A 17ª fase da Lava Jato, que resultou na prisão preventiva do ex-ministro José Dirceu, deixou o PT em alerta. Segundo a colunista Vera Magalhães, caciques do partido defendem a criação de um comando de crise que reúna governo, Instituto Lula e o partido.

Petistas acreditam, de acordo com a nota, que a força-tarefa tentará voltar o foco das investigações –que estava dividido entre Executivo e Congresso– para as gestões de Dilma Rousseff e Lula.

“A tese agora é que o petrolão é uma continuação do mensalão, coordenado pelos governos do PT. É isso que vão sustentar no STF”, teria constatado um dirigente (leia mais).

Poder Roberta Namour Tue, 04 Aug 2015 05:57:34 +0000 http://www.brasil247.com/191511
Mello: Lava Jato envolve o crime no atacado, não mais no varejo http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/191510 : Na avaliação do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), a Lava Jato mostra que o chamado 'mensalão' não pode ser mais considerado o maior escândalo de corrupção do país: “Quando eu tomei posse, em 2006, no TSE [Tribunal Superior Eleitoral], eu fiz um discurso que foi considerado muito ácido. Mas, foi um discurso leve. Eu falei que era o maior escândalo da República [mensalão]. Hoje, nós temos aí esse, que envolve o crime no atacado, não mais no varejo”, disse <br clear="all"> :

Agência Brasil

O ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), comentou nesta segunda-feira (3) as investigações da 17ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada nesta manhã. Segundo Marco Aurélio, o escândalo de corrupção investigado na Lava Jato “envolve o crime no atacado, não mais no varejo”.

Na avaliação do ministro, a Lava Jato mostra que o mensalão não pode ser mais considerado o maior escândalo de corrupção do país. Marco Aurélio participou do julgamento da Ação Penal 470, conhecido como o processo do mensalão.“Quando eu tomei posse, em 2006, no TSE [Tribunal Superior Eleitoral], eu fiz um discurso que foi considerado muito ácido. Mas, foi um discurso leve. Eu falei que era o maior escândalo da República [mensalão]. Hoje, nós temos aí esse, que envolve o crime no atacado, não mais no varejo”, disse.

Para Marco Aurélio, as prisões efetuadas durante todas as fases da operação mostram que as instituições que participam da investigação, como a Polícia Federal, o Ministério Público e o Poder Judiciário, estão funcionando no país. “A quadra ao meu ver é alvissareira, porque não se esconde mais essas mazelas. Elas afloram a partir, inclusive, do que foi veiculado pela imprensa, há descoberta de fatos e, ante esses fatos, se têm os inquéritos e as ações penais. Vamos buscar novos rumos, melhores dias para o Brasil”, declarou o ministro.

Um dos presos na 17ª fase da Lava Jato é o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu. De acordo com a Polícia Federal e o Ministério Público Federal, Dirceu foi o criador e beneficiário do esquema de corrução na Petrobras, investigado pela Lava Jato. Segundo os investigadores, Dirceu, na época em que era ministro da Casa Civil no governo Lula, nomeou Renato Duque para Diretoria de Serviços da estatal, quando foi iniciado o esquema de superfaturamento de contratos na estatal.

A defesa de Dirceu informou que irá se manifestar somente após ter acesso aos documentos que motivaram a prisão.

Brasília 247 Roberta Namour Tue, 04 Aug 2015 05:48:18 +0000 http://www.brasil247.com/191510
Dirceu descarta acordo de delação na Lava Jato http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/191509 : "Delação não tem pé nem cabeça. Primeiro porque não tenho o que delatar. Segundo porque não tem nada a ver com minha vida e trajetória", afirmou recentemente o ex-ministro José Dirceu, diante da interpretação de que poderia, se preso, colaborar com a Justiça; ele foi um dos alvos da 17ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada ontem pela manhã  <br clear="all"> :

247 – Antes mesmo de ser preso, o ex-ministro José Dirceu rechaçava qualquer possibilidade de se tornar delator na Operação Lava Jato, segundo a colunista Mônica Bergamo.

"Delação não tem pé nem cabeça. Primeiro porque não tenho o que delatar. Segundo porque não tem nada a ver com minha vida e trajetória", afirmou ele em mensagem enviada à coluna, diante da interpretação de que poderia, se preso, colaborar com a Justiça (leia mais).

Ele foi um dos alvos da 17ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada ontem pela manhã. O advogado Roberto Podval, classificou como "desnecessária" e "sem fundamento jurídico" a prisão preventiva dele. Disse que o ex-ministro cumpre prisão domiciliar e já havia se colocado à disposição da Justiça por diversas vezes para prestar depoimento e esclarecer o trabalho de consultoria prestado às construtoras sob investigação.

Paraná 247 Roberta Namour Tue, 04 Aug 2015 05:38:48 +0000 http://www.brasil247.com/191509
'Luta política deve se concentrar na redução da desigualdade' http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/191507 : Frei Betto afirma que "temos que concentrar a nossa luta política na redução da desigualdade social ou 'vamos todos para o brejo', com o aumento da fome, migrações e criminalidade, enquanto a diminuta elite festeja na ilha do privilégio e da ganância"; "O aumento da precarização do trabalho e o desmonte dos sindicatos somados aos paraísos fiscais, faz com que a diminuta elite apropriadora da riqueza supere toda a fantasia do personagem Tio Patinhas", ressalta <br clear="all"> :

Por Redação Rede Brasil Atual 

São Paulo – "Temos que concentrar a nossa luta política na redução da desigualdade social ou 'vamos todos para o brejo', com o aumento da fome, migrações e criminalidade, enquanto a diminuta elite festeja na ilha do privilégio e da ganância", afirma Frei Betto ontem (3) em sua coluna na Rádio Brasil Atual, ao falar sobre a desigualdade social no mundo.

O assessor de movimentos sociais citou o livro O Capital no século XXI de Thomas Piketty. "Ele demonstra que a concentração de riqueza mundial em mãos de poucas famílias se deve ao aumento da especulação financeira agravado por um sistema injusto de transmissão de heranças."

"O aumento da precarização do trabalho e o desmonte dos sindicatos somados aos paraísos fiscais, faz com que a diminuta elite apropriadora da riqueza supere toda a fantasia do personagem Tio Patinhas", ressalta.

Frei Betto também utiliza o estudo do francês François Bourguignon, que mostra o aumento nos padrões de vida de países como China e Índia comparados à França e Alemanha. "Segundo François, há 20 anos o padrão de vida em países como França e Alemanha era 20 vezes maior do que na China e na Índia. Hoje, a diferença é de apenas 10 vezes. Podem pensar que reduziu a desigualdade, mas não. O crescimento da China e da Índia segue os mesmo parâmetros da França e da Alemanha: o voraz e piramidal capitalismo. Isso resulta em três bilhões de pessoas sobrevivendo em nosso planeta com menos de US$ 2,50 por dia."

Ele afirma que as privatizações de empresas públicas, que são aclamadas em países da América Latina, fazem surgir novos rentistas e amplia desigualdades. "Entre os anos 1980 e 1990, ocorreu um aumento da desigualdade social nos países que patrocinaram esses programas de ajustes, como a Argentina, México, Equador e Brasil.”

Brasil Roberta Namour Tue, 04 Aug 2015 05:50:07 +0000 http://www.brasil247.com/191507
FHC tem agropecuária em Osasco, cidade sem zona rural http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/191505 : Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é sócio de seus três filhos na empresa Goytacazes Participações Ltda, de agronomia e de consultoria às atividades agrícolas e pecuárias; no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica, na Receita Federal, a empresa tem como atividade principal o cultivo de cana-de-açúcar; empresa, no entanto, está sediada em Osasco, na Grande São Paulo, cidade sem zona rural; e em busca no Google Maps, a imagem que identifica o endereço é uma residência simples <br clear="all"> :

por Helena Sthephanowitz, da Rede Brasil Atual

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é sócio de seus três filhos na empresa Goytacazes Participações Ltda, cujas atividades registradas na Junta Comercial de São Paulo são serviços de agronomia e de consultoria às atividades agrícolas e pecuárias.

No Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica, na Receita Federal, a empresa tem como atividade principal o cultivo de cana-de-açúcar. As atividades secundárias são a criação de bovinos para corte e cultivo de outras plantas de lavoura.

O curioso é que a empresa está sediada na cidade de Osasco, na Grande São Paulo, ou seja, não é uma área rural. E o mais curioso ainda é que, quando se faz uma busca no Google Maps, a imagem que identifica o endereço é uma residência simples. Seria uma empresa de fachada?

Nenhum dos quatro sócios mora em Osasco. O ex-presidente reside em São Paulo, uma filha reside em Brasília, outra no Rio de Janeiro, assim como seu filho.

Antes de ser político, FHC nunca foi ruralista. Formou-se em Sociologia e sempre trabalhou como professor, até ingressar na política.

O interesse pela, digamos, "sociologia bovina", só surgiu aos 58 anos, quando ele já era senador. Em 1989, adquiriu a fazenda Córrego da Ponte, de 1046 hectares, em Buritis (MG), próximo de Brasília. Comprou em sociedade com seu amigo e ex-ministro Sérgio Motta, um engenheiro e político de vida urbana que, assim como FHC, causou surpresa o súbito pendor ruralista, já passados da meia idade.
Motta faleceu em 1998 e FHC passou a fazenda para os filhos que venderam a propriedade em 2003. Só em 2012 a empresa Goytacazes Participações foi aberta em Osasco.

Em 1999, a revista IstoÉ publicou uma reportagem sobre a construção em 1995, quando FHC já era presidente, de um aeroporto construído pela Camargo Corrêa na fazenda Pontezinha da empreiteira, vizinha da propriedade do ex-presidente. Segundo a reportagem, o aeroporto era usado sobretudo para atender à família Cardoso. Este compadrio não despertou na época a curiosidade do Ministério Público, pelo menos para conferir, confirmando a tradição de engavetamento quando suspeitas atingem tucanos.

Se em vez de ser FHC, fosse um petista o dono de empresa agropecuária em Osasco, cidade sem zona rural e onde nenhum sócio reside, choveriam ilações nas três revistas de maior circulação e, dada as relações de compadrio no passado com a Camargo Corrêa, a força-tarefa da Lava Jato muito provavelmente colocaria a empresa na mira das investigações. Mas trata-se de gente do PSDB, então... deixa pra lá.

SP 247 Roberta Namour Tue, 04 Aug 2015 05:22:31 +0000 http://www.brasil247.com/191505
Globo pede Lula preso e diz: 'Agora, só falta você' http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/191502 : O jornal da família Marinho enviou o recado por meio da charge de Chico Caruso, publicada na primeira página do jornal O Globo; o desenho retrata José Dirceu atrás das grades com um smartphone, a imagem do ex-presidente Lula e o título da famosa canção 'Agora, só falta você', de Rita Lee; internamente, colunista Merval Pereira afirmou que "já é possível perguntar e discutir se Lula vai ser preso"; antes dele, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que, "se Lula merece ser preso, é de se lamentar porque terá jogado fora sua história"; direita busca inviabilizar eventual volta de Lula em 2018, por meio da via judicial <br clear="all"> :

247 – O jornal O Globo, da família Marinho, usou a charge de Chico Caruso, publicada em sua primeira página, para expressar seu principal objetivo relacionado à Operação Lava Jato: a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O desenho retrata José Dirceu atrás das grades com um smartphone, a imagem do ex-presidente Lula e o título da famosa canção 'Agora, só falta você', de Rita Lee.

Internamente, o colunista Merval Pereira afirmou que "já é possível perguntar e discutir se Lula vai ser preso". Merval foi além e disse ainda que "agora resta aguardar para ver se nossa democracia já está madura o suficiente para vermos com naturalidade, embora indignados, um ex-presidente da República sendo investigado por corrupção".

Antes dele, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que, "se Lula merece ser preso, é de se lamentar porque terá jogado fora sua história". Fica claro, portanto, que a direita busca inviabilizar eventual volta de Lula em 2018, por meio da via judicial.

Leia, abaixo, reportagem da agência Reuters sobre eventual investigação contra Lula:

PF prende ex-ministro José Dirceu e Lava Jato se aproxima de Lula

Por Sérgio Spagnuolo

CURITIBA (Reuters) - A Polícia Federal prendeu nesta segunda-feira o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, apontado como um dos “líderes principais” que instituiu o esquema bilionário de corrupção na Petrobras ainda durante o período em que ocupava o cargo no Palácio do Planalto, levando a operação Lava Jato diretamente ao centro do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo os investigadores, o modelo era semelhante ao do mensalão, esquema de compra de votos no Congresso descoberto durante o governo Lula pelo qual o ex-ministro já cumpria uma sentença de prisão domiciliar.

Dirceu, homem forte do governo Lula durante o período em que comandou a Casa Civil (2003 a 2005), foi preso pela PF de forma preventiva em sua casa em Brasília como parte da 17ª etapa da operação Lava Jato, que recebeu o nome “Pixuleco” em alusão ao termo utilizado para nominar a propina recebida em contratos.

“Temos uma investigação que busca José Dirceu como o instituidor do esquema Petrobras ainda no tempo da Casa Civil, ainda no tempo do governo do ex-presidente Lula”, disse o procurador do Ministério Público Federal Carlos Fernando dos Santos Lima em entrevista coletiva em Curitiba, onde estão concentradas as investigações da Lava Jato.

Nesse caso, Dirceu é acusado de enriquecer pessoalmente ao receber propinas de prestadores de serviços da Petrobras, inclusive enquanto estava preso em Brasília, condenado no esquema do mensalão. 

“Estamos diante de um caso de reiteração criminosa em que José Dirceu vem, dentro desse esquema de recebimento de propina, desde as investigações do mensalão, passando pela acusação e passando até por sua prisão”, disse o procurador.

Entre as acusações contra o ex-ministro está a de que teria recebido 96 mil reais mensais entre 2004 e 2013 a título de propina por conta de um contrato de terceirização na Petrobras. A acusação foi feita pelo lobista Milton Pascowitch, um dos delatores da Lava Jato, segundo o despacho da Justiça que determinou a prisão preventiva de Dirceu. 

Em entrevista coletiva em Brasília, o advogado Roberto Podval, que representa Dirceu, disse que a prisão preventiva do ex-ministro foi desnecessária e que Dirceu tornou-se "bode expiatório".

Na noite desta segunda, o ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), colocou Dirceu à disposição da Justiça Federal do Paraná, permitindo sua transferência de Brasília para Curitiba.

O irmão do ex-ministro, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, também preso nesta segunda-feira em caráter temporário, seria o responsável pela coleta do dinheiro nas empresas para a JD Assessoria, de propriedade de Dirceu, enquanto o ex-ministro estava preso, disseram os investigadores da Lava Jato.

Ecoando comentários recentes do ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes, Lima discorreu sobre as semelhanças desse esquema com o chamado mensalão. 

“Nós entendemos que o DNA, como diz o ministro Gilmar (Mendes, do STF), é o mesmo do mensalão e da Lava Jato. Nesse caso, creio que José Dirceu é uma das pessoas que decidiu pela criação desse esquema”, afirmou. 

LÍDER

Mais do que um beneficiário, a força-tarefa busca provar que Dirceu era um dos “líderes principais” na instituição do esquema de corrupção da Petrobras.

“Queremos mostrar José Dirceu como um dos agentes responsáveis pela instituição do esquema Petrobras ainda no tempo em que... era ministro da Casa Civil”, disse o procurador.

Dirceu teria sido, segundo o MPF, o responsável pela indicação de dois diretores da Petrobras envolvidos no escândalo: os ex-diretores de Serviços e de Abastecimento, Renato Duque e Paulo Roberto Costa, respectivamente.

Ainda segundo o MPF, Dirceu era responsável por definir cargos na administração da Petrobras e dessa forma instituiu o esquema de pagamento de propinas na estatal, do qual era um dos beneficiários.

“Esse esquema passa pela compra de apoio parlamentar, ele passa por uma facilitação do lucro das empreiteiras, ele passa pelo enriquecimento de diversas pessoas -- no caso de José Dirceu, temos provas de enriquecimento pessoal, não mais de dinheiro só para o partido”, disse o procurador.

COLETA DE PROVAS E PRISÃO

Há tempos se especulava sobre uma eventual implicação de Dirceu nas investigações da Lava Jato, mas autoridades ainda não haviam vinculado o nome do ex-ministro ao escândalo da Petrobras. Isso mudou com o acordo de delação feito pelas autoridades com o lobista Milton Pascowitch. 

No começo de julho, a defesa do ex-ministro chegou a entrar com pedido de habeas corpus preventivo junto ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região para evitar que ele fosse preso no âmbito da Lava Jato. O pedido foi negado.

“Estávamos aguardando elementos que permitissem a confirmação das hipóteses que a gente tinha trabalhado, que ocorreu apenas recentemente tanto com acordo do Pascowitch quando do Julio (Camargo, da empresa Toyo Setal), e de algumas outras ações que a gente conseguiu confirmar”, disse a jornalistas o delegado da PF Márcio Adriano Ancelmo. 

O ex-ministro é o primeiro integrante de destaque do governo Lula a ser preso como parte da Lava Jato.

Perguntado se o próprio Lula pode ser investigado ou até mesmo detido pelas autoridades, o procurador do MPF disse que “ninguém está isento de ser alvo de investigação”, mas acrescentou que “não existe neste momento nenhum indicativo de necessidade de prisão de quem quer que seja que não esteja atualmente preso”. 

Procurado pela Reuters, o Instituto Lula informou que não irá comentar as declarações do procurador.

A PF deve aguardar permissão do Supremo Tribunal Federal para que Dirceu possa ir para Curitiba, já que ele atualmente cumpre prisão domiciliar, por condenação decorrente do mensalão.

Entre os detidos nesta segunda-feira também está o lobista Fernando Moura, ligado ao PT. Uma das suspeitas é que ele tenha exercido influência na indicação de Renato Duque para a diretoria de Serviços da Petrobras.

Em Brasília, após reunião de coordenação política com a presidente Dilma Rousseff, o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, disse que não há no governo "nenhuma expectativa" de que as investigações venham a se aproximar da presidente ou de sua administração.

“Em relação à questão do ex-ministro José Dirceu... É uma questão das investigações e todos nós confiamos muito na conduta da presidenta Dilma. Em nenhum momento passa por nós nenhuma expectativa que se aproxime dela qualquer investigação e de seu governo”, disse Kassab a jornalistas.

17ª FASE

Entre os crimes investigados pela PF na 17ª fase estão corrupção ativa e passiva, formação de quadrilha, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro, de acordo com a polícia. A PF também cumpriu medidas de sequestro de imóveis e bloqueio de ativos financeiros. Segundo o Ministério Público Federal, serão bloqueados 20 milhões de reais em bens de cada um dos envolvidos nesta etapa.

A Lava Jato investiga um esquema bilionário de corrupção principalmente na Petrobras, no qual empreiteiras formaram um cartel para vencerem contratos de obras da estatal. Em troca, pagavam propina a funcionários da empresa, a operadores que lavavam dinheiro do esquema, a políticos e partidos.

De acordo com investigações da PF e do Ministério Público Federal, o esquema de corrupção se espalhou para outras esferas do poder público, como o setor elétrico.

(Reportagem adicional de Pedro Fonseca e Caio Saad, no Rio de Janeiro; Maria Carolina Marcello e Leonardo Goy, em Brasília; e Eduardo Simões, em São Paulo)

Mídia Leonardo Attuch Tue, 04 Aug 2015 05:11:03 +0000 http://www.brasil247.com/191502
Trabuco: Bradesco pode crescer em um ano o que levaria uma década http://www.brasil247.com/pt/247/economia/191501 Mario M. Leite/Divulgação: <p>Luiz Carlos Trabuco Cappi</p> Presidente do banco Bradesco, Luiz Carlos Trabuco defende o preço elevado pago pelo HSBC Brasil: 'Checamos avaliações e consideramos que era um preço bom para o Bradesco em função de ser um ativo em escassez no mercado brasileiro. Além disso, trata-se de crescer em um ano o que organicamente se faria em dez. Tempo é uma variável importante em um processo de aquisição' <br clear="all"> Mario M. Leite/Divulgação: <p>Luiz Carlos Trabuco Cappi</p>

247 – O Bradesco surpreendeu nesta segunda-feira ao anunciar a aquisição do HSBC Brasil por US$ 5,3 bilhões, valor considerado elevado pelo mercado.

Apesar da reação negativa na bolsa, o presidente da instituição Luiz Carlos Trabuco justifica: “Checamos avaliações e consideramos que era um preço bom para o Bradesco em função de ser um ativo em escassez no mercado brasileiro”.

Em entrevista ao Broadcast, da Agência Estado, ele afirma que o HSBC tem um ativo intangível, que são o capital humano e a profissionalização; e tangível, que é a rede de agências, localizada onde possuímos vazios, como no Sul e no Sudeste. “Além disso, trata-se de crescer em um ano o que organicamente se faria em dez. Tempo é uma variável importante em um processo de aquisição”, conclui.

Sobre a competição com o Itaú Unibanco, o executivo rechaça comparações: “O nosso objetivo é aumentar a escala. Banco não combina com emoção nem com paixão”. “Temos capital excedente e a aplicação desse capital fora do Brasil não faz parte da nossa vocação. Então, esse esforço valeu e vale a pena, pois estamos aprofundando nossa inserção na economia brasileira. Fizemos um bom negócio », conclui (leia aqui).

Economia Roberta Namour Tue, 04 Aug 2015 05:36:07 +0000 http://www.brasil247.com/191501
Em jantar, Dilma pede apoio e diz que 'horizonte é positivo' http://www.brasil247.com/pt/247/poder/191500 : Na reunião com líderes e presidentes de partidos aliados, na noite desta segunda-feira, a presidente Dilma Rousseff cobrou responsabilidade com as contas públicas nas votações do Congresso; ela reforçou que o governo encara o cenário de crise como um momento de travessia e que o ‘horizonte é positivo’ com o ajuste; presidente também afirmou que a Petrobras deve retomar os investimentos em breve <br clear="all"> :

247 – No jantar com líderes e presidentes de partidos aliados, na noite desta segunda-feira, a presidente Dilma Rousseff cobrou responsabilidade com as contas públicas nas votações do Congresso. Ele ressaltou a importância da aprovação do ajuste fiscal e dos vetos às propostas que elevam as despesas, como o reajuste do Judiciário e a que estende a correção real aos aposentados.

Ela reforçou que o governo encara o cenário de crise como um momento de travessia e que o ‘horizonte é positivo’ com o ajuste. Ela relacionou o contexto ao efeito do preço das commodities, do câmbio e lembrou que os países emergentes também estão em dificuldades.

A presidente afirmou ainda que a Petrobras deve retomar os investimentos em breve, após concluído o processo de auditoria.

Leia aqui reportagem de Thiago Resende e Andrea Jubé sobre o assunto.

Poder Roberta Namour Tue, 04 Aug 2015 05:43:58 +0000 http://www.brasil247.com/191500
Redução de ministérios "é preocupação constante" http://www.brasil247.com/pt/247/bahia247/191486 Foto: Evanise Santos: Após reunião de coordenação política do Planalto nesta segunda-feira, o ministro da Defesa, Jaques Wagner, afirmou que a redução do número de ministérios é "uma preocupação constante de qualquer governo"; "Eu acho que é sempre positivo você fazer a racionalização da máquina. O guarda-chuva da boa gestão e da racionalidade vai estar sempre persistindo, principalmente num momento de dificuldade. Então, tudo que você puder fazer para redução de custos, sem prejuízo do objetivo político, eu acho que é sempre bem vindo" <br clear="all"> Foto: Evanise Santos:

Bahia 247 - Após reunião de coordenação política do Planalto nesta segunda-feira (3), o ministro da Defesa, Jaques Wagner, afirmou que a redução do número de ministérios (atualmente são 39) é "uma preocupação constante de qualquer governo".

"Eu acho que é sempre positivo você fazer a racionalização da máquina, mas hoje realmente não teve nenhuma discussão objetiva sobre pasta A, B ou C, fusão desta com aquela, mas eu diria que o guarda-chuva da boa gestão e da racionalidade vai estar sempre persistindo, principalmente num momento de dificuldade. Então, tudo que você puder fazer para redução de custos, sem prejuízo do objetivo político, eu acho que é sempre bem vindo", disse o ministro.

Wagner disse ainda que, por ora, o governo tem como foco "a mudança do ambiente político para que o País estimule investidores e a economia a crescer".

"Esse fim de semana, vários analistas disseram que a economia não piorou e que a gente está num ponto de retomada. E essa é a expectativa do Governo. Do ponto de vista do ambiente empresarial, do ambiente de negócios, essa é minha preocupação maior. Se a gente está precisando de uma retomada, você precisa ter algum grau de estabilidade para que os investimentos ocorram normalmente".

O ministro avaliou como "muito importante" a reunião da presidente Dilma Rousseff com 26 governadores e um vice na semana passada.

"Eu acredito que a maioria ou quase a totalidade dos governadores abraçaram a tese da responsabilidade fiscal, se manifestaram. Acredito que muitos deles vão se manifestar na ação que corre no supremo em relação à autonomia dos poderes. Todo mundo está entendendo que é preciso dar uma caminhada para frente na questão da economia".

Bahia 247 Romulo Faro Mon, 03 Aug 2015 19:02:41 +0000 http://www.brasil247.com/191486
EUA anunciam plano para reduzir emissão de carbono http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/191491 : O presidente norte-americano, Barack Obama, anunciou hoje (3) um plano que pretende reduzir em 32% a emissão de carbono das centrais termoelétricas até 2030. O chamado "Plano Energia Limpa", ou Clean Power Plan, propõe um cronograma de ações para minimizar o impacto do aquecimento global no mundo <br clear="all"> :

Leandra Felipe – Correspondente da Agência Brasil/EBC

O presidente norte-americano, Barack Obama, anunciou hoje (3) um plano que pretende reduzir em 32% a emissão de carbono das centrais termoelétricas até 2030. O chamado "Plano Energia Limpa", ou Clean Power Plan, propõe um cronograma de ações para minimizar o impacto do aquecimento global no mundo.

Obama manteve o discurso já adotado, anteriormente, em defesa de adaptação às mudanças climáticas. "Não há maior ameaça para as futuras gerações do que as alterações do clima, e isso também é uma ameaça à segurança dos Estados Unidos", afirmou.

Se for atingida, a meta de 32% de redução deverá fazer com que as centrais termoelétricas voltem aos níveis de emissão de dióxido de carbono emitidos em 2005.

Durante a apresentação do plano, em uma cerimônia na Casa Branca, Obama disse que as termoelétricas são responsáveis por um terço da contaminação total por carbono em território norte-americano, e que, por isso, a decisão é considerada uma das mais importantes tomadas até agora pelo país.

Entretanto, o plano precisa do apoio do Congresso, majoritariamente republicano na atual legislatura. Alguns senadores já se posicionaram de forma contrária a adoção das medidas alegando que haverá redução de postos de trabalho e que os custos serão muito elevados para a economia norte-americana.

Ao apresentar o plano, Obama rebateu os argumentos já conhecidos, e disse que as mudanças climáticas são um problema para as futuras gerações. "Não há um plano B neste assunto. Temos que nos adaptar", afirmou.

Além disso, o presidente disse que as empresas terão tempo e um cronograma "flexível" para se adaptarem às novas normas fixadas. O plano anunciado por Obama era esperado dentro do país e também pela comunidade internacional, em um momento em que as Nações Unidas se preparam para a Conferência do Clima de Paris, a COP 21.

O evento será realizado em dezembro e os países do mundo tentaram, mais uma vez, assinar um protocolo global e um plano conjunto para combater os efeitos das mudanças climáticas.

Mundo Gisele Federicce Mon, 03 Aug 2015 19:23:37 +0000 http://www.brasil247.com/191491
Dilma sancionará projeto sobre uso de recursos de depósitos judiciais http://www.brasil247.com/pt/247/economia/191489 Wilson Dias/Agência Brasil: Informação foi dada nesta segunda-feira 3 pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy; projeto permite que estados e municípios saquem, de imediato, cerca de R$ 21 bilhões para pagamento de precatórios judiciais, dívida pública e investimentos; Levy e os ministros Aloizo Mercadante e Luís Inácio Adams se reuniram com os governadores de São Paulo, Geraldo Alckmin, e do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, além de representantes dos estados do Ceará, da Bahia e de Goiás <br clear="all"> Wilson Dias/Agência Brasil:

Paulo Victor Chagas – Repórter da Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse hoje (3) que a presidenta Dilma Rousseff sancionará o projeto de lei que autoriza estados e municípios a sacar até 70% dos recursos depositados em juízo em processos envolvendo entes públicos. De acordo com o ministro, os trechos que serão vetados tratam de "detalhes" referentes a questões técnicas, como alguns parágrafos em conflito com a legislação.

O projeto permite que estados e municípios saquem, de imediato, cerca de R$ 21 bilhões para pagamento de precatórios judiciais, dívida pública e investimentos. A partir de 2016, eles teriam direito a retirar R$ 1,6 bilhão por ano. Joaquim Levy afirmou que a hierarquia de retirada desses recursos prevista no projeto será mantida, ou seja, eles precisam utilizar os recursos para o pagamento que terá que ser feito na seguinte ordem: precatórios judiciais, dívida pública, despesas de capital e recomposição dos fluxos de pagamento.

O projeto aprovado prevê que até 10% da parcela destinada ao fundo de reserva, que será criado após a lei entrar em vigor, poderão ser usados pelos estados, municípios e pelo Distrito Federal para constituírem o Fundo Garantidor de Parcerias Público-Privadas, destinados "exclusivamente a investimentos de infraestrutura". Essa parte do projeto, segundo o ministro, não será vetada. Segundo ele, foi possível em uma reunião ocorrida esta tarde no Palácio do Planalto chegar a um "bom entendimento" sobre os "pontos essenciais", e haverá "eventualmente alguns vetos técnicos".

Levy e os ministros da Casa Civil, Aloizo Mercadante, e da Advocacia-Geral da União, Luís Inácio Adams, se reuniram com os governadores de São Paulo, Geraldo Alckmin, e do Distrito Federal (DF), Rodrigo Rollemberg, além de representantes dos estados do Ceará, da Bahia e de Goiás. A lei entrará em vigor assim que for sancionada pela presidenta. O prazo para sanção é até quarta-feira (5).

Ao dizer que os governadores se posicionaram favoravelmente à sanção do projeto de lei, Alckmin lembrou que 30% dos depósitos judiciais serão preservados e ficarão depositados. "Nunca pode reduzir abaixo disso [dos 30%]. Se isso ocorrer, os estados terão 48 horas para recompor os valores". Segundo o governador de São Paulo, só será possível saber com certeza o valor que caberá ao estado depois de sancionado o projeto.

Para Rollemberg, a lei é "extremamente importante" e dá "segurança jurídica" a todos os governadores. "Sem dúvida vai melhorar o ambiente econômico nos diversos estados da Federação", declarou, após a reunião.

Economia Gisele Federicce Mon, 03 Aug 2015 19:19:47 +0000 http://www.brasil247.com/191489
Ministro pede providências sobre violência contra índios Kayapó http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/191488 : Integrantes da tribo, entre eles crianças, teriam sido constrangidos em ônibus que os levaria de Alto Paraíso (GO) a Palmas (TO); o ministro da Cultura, Juca Ferreira, repudiou o episódio; "Especialmente por fazermos parte de uma sociedade essencialmente plural e diversa em suas origens e formação étnica e cultural", destacou ele em ofício encaminhado ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot <br clear="all"> :

O ministro da Cultura, Juca Ferreira, pediu ao Ministério da Justiça, à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e à Procuradoria-Geral da República que apurem o caso de discriminação sofrido por índios Kayapó. Na madrugada de 27 de julho, oito integrantes da tribo, entre eles crianças, teriam sido constrangidos no ônibus que os levaria de Alto Paraíso (GO) a Palmas (TO). Eles haviam participado do 15º Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros, evento apoiado pelo MinC.

De acordo com o relato dos kayapó à imprensa, a representantes do MinC e a organizadores do 15º Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros, 18 deles embarcaram num ônibus da Companhia Real Maia. Quatorze se acomodaram nos assentos da parte superior do veículo. Os demais sentaram na parte inferior.

Uma passageira acomodada nessa área teria se irritado com a presença dos indígenas e ameaçado chamar a polícia caso não se instalassem na parte superior do veículo. Intimidados, quatro deles, acompanhados de quatro crianças, decidiram descer do ônibus e ficaram na estrada à espera de uma van da organização do evento até às 4h.

O ministro Juca Ferreira repudiou o episódio. "Especialmente por fazermos parte de uma sociedade essencialmente plural e diversa em suas origens e formação étnica e cultural", destacou ele em ofício encaminhado ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Ferreira pediu ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que seja aberta uma investigação para apurar o ocorrido e identificar os responsáveis. Ao diretor-geral da ANTT, Jorge Luiz Bastos, o ministro fez a mesma solicitação para que sanções a cargo da agência sejam aplicadas.

Brasil Gisele Federicce Mon, 03 Aug 2015 19:14:51 +0000 http://www.brasil247.com/191488
Requião: “Prisão de Dirceu é espetáculo para a mídia” http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/191483 Moreira Mariz: Senador Roberto Requião (PMDB-PR) propõe debate sobre reforma agrária e remessas de lucros "A prisão de Dirceu é ilegal e absurda. Deverá ser revogada pelo Supremo Tribunal Federal", disse o senador do PMDB; para o peemedebista, que é advogado, do ponto de vista legal, não há como prender quem já está preso; "Dirceu cumpre pena domiciliar pela condenação da AP 470, logo ele não poderia ser preso. No máximo seria uma condução coercitiva para depoimento em Curitiba", afirmou; Roberto Requião sinalizou ainda que os procuradores da Lava Jato estariam agindo como "justiceiros", sem o equilíbrio necessário <br clear="all"> Moreira Mariz: Senador Roberto Requião (PMDB-PR) propõe debate sobre reforma agrária e remessas de lucros

Blog do Esmael Morais - O senador Roberto Requião (PMDB-PR), ao Blog do Esmael, afirmou nesta segunda-feira (3) que a prisão do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu é espetáculo para satisfazer a mídia.

"A prisão de Dirceu é ilegal e absurda. Deverá ser revogada pelo Supremo Tribunal Federal", disse o senador Requião, que, além de jornalista é advogado.

José Dirceu foi preso pela 17ª fase da Operação Lava Jato, conduzida pelo juiz Sérgio Moro, que decretou sua prisão preventiva. Ele é investigado por envolvimento no esquema, por meio de sua empresa JD assessoria, já desativada.

Para o parlamentar peemedebista, do ponto de vista legal, não há como prender quem já está preso. "Dirceu cumpre pena domiciliar pela condenação da AP 470, logo ele não poderia ser preso. No máximo seria uma condução coercitiva para depoimento em Curitiba", explicou.

Requião também afirmou que juízes e procuradores estariam vestindo capuz da Santa Inquisição e máscara do Zorro. O senador quis dizer que os responsáveis pela Operação Lava Jato estariam agindo como "justiceiros", sem o equilíbrio necessário.

O senador do PMDB tem sido um dos principais defensores da Operação Lava Jato. Ele tem repetido a importância do trabalho do judiciário, em especial do juiz federal Sérgio Moro, no entanto, nesta 17ª fase, Requião viu ilegalidade e flagrante espetacularização para o consumo da mídia.

A sintonia de Requião com Moro é tanta que o magistrado pediu a ele, senador, que apresentasse Projeto de Lei 402/2015, que tramita no Senado, que permitindo a prisão, como uma regra para crimes graves, já após a condenação em 2ª instância ou pelo Júri. Ou seja, o apenado não terá direito à liberdade até o processo transitar em julgado.

Paraná 247 Gisele Federicce Mon, 03 Aug 2015 18:41:24 +0000 http://www.brasil247.com/191483
Lava Jato não pode parar o País, diz vice do PT http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/191480 Gustavo Lima - Câmara dos Deputados: "É isso que a oposição quer. A Lava Jato não pode paralisar o país. As empresas têm que continuar investindo. Qualquer denúncia, cria-se um fantasma", afirmou o deputado José Guimarães (PT-CE); ele negou, porém, que a prisão do ex-ministro José Dirceu resulte em um novo desgaste para o Partido dos Trabalhadores; "O Brasil vive um momento de desgaste de todos os lados", observou <br clear="all"> Gustavo Lima - Câmara dos Deputados:

247 - O vice-presidente nacional do PT, deputado José Guimarães (CE), disse que as investigações e prisões resultantes da Operação Lava Jato não podem paralisar o país. "É isso que a oposição quer. A Lava Jato não pode paralisar o país. As empresas têm que continuar investindo. Qualquer denúncia, cria-se um fantasma", disse o parlamentar.

A referência de Guimarães tem como alvo a prisão do ex-ministro José Dirceu, preso nesta segunda-feira (3) durante a 17ª fase da Operação Lava Jato. Segundo os investigadores, Dirceu foi o responsável por montar o esquema de corrupção na Petrobras investigado pela Lava Jato.

Para Guimarães, é necessário que se garanta "condições de igualdade para tudo", com "ampla defesa e direito aos contraditórios". O petista, porém, negou que a prisão de Dirceu resulte em um novo desgaste para o Partido dos Trabalhadores. "O Brasil vive um momento de desgaste de todos os lados", observou.

Brasil Paulo Emílio Mon, 03 Aug 2015 18:05:34 +0000 http://www.brasil247.com/191480
'Cunha não é investigado pela Justiça Federal' http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/191469 : Juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas ações penais da Operação Lava Jato, informou ao Supremo que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não é investigado pela Justiça Federal em Curitiba; Moro enviou as informações ao STF após solicitação do ministro Ricardo Lewandowski, presidente da Corte; advogados de Cunha, citado pelo delator Julio Camargo, pediram a suspensão do processo por entenderem que cabe ao STF presidir o inquérito, já que o peemedebista tem prerrogativa de foro <br clear="all"> :

André Richter - Repórter da Agência Brasil

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas ações penais da Operação Lava Jato, informou nesta segunda-feira (3) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não é investigado pela Justiça Federal em Curitiba.

Moro enviou as informações ao STF após solicitação do ministro Ricardo Lewandowski, presidente da Corte. O pedido foi motivado por uma ação da defesa de Cunha, que pretende suspender a ação penal em que ele foi citado por Júlio Camargo, um dos delatores do esquema de corrupção.

Os advogados pediram a suspensão do processo por entenderem que cabe ao Supremo presidir o inquérito, em razão da citação do presidente da Câmara, que tem prerrogativa de foro.

O juiz esclareceu que, apesar de Cunha ter sido citado no depoimento do delator, ele não é investigado na Justiça Federal. De acordo com Sérgio Moro, a Justiça não pode silenciar ou orientar o que testemunhas devem falar ao juízo.

"O foro por prerrogativa de função apenas outorga ao seu detentor o direito de ser processado perante a Corte própria, privilégio este garantido ao reclamante no presente caso, já que o deputado federal Eduardo Cunha está sendo investigado pelos supostos crimes cometidos perante o Supremo Tribunal Federal no aludido Inquérito 3983", explicou Moro.

Segundo o juiz, os detalhes sobre o suposto envolvimento de Cunha já foram relatados à Procuradoria-Geral da República (PGR), órgão que atua no Supremo.

“Agregue-se que este Juízo evitou colher, no depoimento judicial, maiores detalhes sobre o suposto envolvimento do deputado federal Eduardo Cunha, exatamente porque o depoente Júlio Camargo declarou que já havia prestado tais informações ao Supremo Tribunal Federal e porque quis evitar possível prejuízo às investigações em andamento”, acrescentou Moro.

Na semana passada, Camargo, ex-consultor da empresa Toyo Setal, afirmou ao juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, que Eduardo Cunha pediu US$ 5 milhões de propina para que um contrato de navios-sonda da Petrobras fosse viabilizado. Durante o depoimento, Camargo comprometeu-se a falar a verdade por ter assinado acordo de delação premiada.

Após a divulgação do depoimento, Cunha voltou a negar que tenha recebido propina de Júlio Camargo. “Qualquer coisa que seja a versão é mentira. É mais um fato falso, até porque esse delator [Camargo], se ele está mentindo, desmentindo o que delatou, por si só ele já perde o direito à delação”, esclareceu à época o presidente da Câmara.

 

Brasília 247 Leonardo Lucena Mon, 03 Aug 2015 17:32:43 +0000 http://www.brasil247.com/191469
ONG Luta pela Paz atende 6 mil jovens no Brasil http://www.brasil247.com/pt/247/favela247/191473 FOTO: Reprodução: A ONG Luta pela Paz divulgou hoje (3) os resultados do trabalho Rede Brasil, iniciativa realizada em sete comunidades do Brasil, com a finalidade de resgatar e evitar a entrada de jovens no mundo do crime. De acordo com os dados, a LPP treinou instituições para oferecer aulas de esportes e desenvolvimento pessoal, atendendo a mais de 6 mil jovens no Brasil <br clear="all"> FOTO: Reprodução:

Por Agência Brasil

ONG Luta pela Paz atende 6 mil jovens no Brasil com esporte e disciplina

A ONG Luta pela Paz (LPP) divulgou hoje (3) os resultados do trabalho Rede Brasil, iniciativa realizada em sete comunidades do Brasil, com a finalidade de resgatar e evitar a entrada de jovens no mundo do crime. De acordo com os dados, a LPP treinou instituições para oferecer aulas de esportes e desenvolvimento pessoal, com atendimento a mais de 6 mil jovens em todo o país.

Fundador da Luta pela Paz, o inglês e ex-lutador de boxe amador Luke Dowdney explicou que o trabalho foi iniciado há dois anos, quando a LPP fez o processo seletivo das instituições que seriam parceiras do programa Rede Brasil. Segundo ele, a seleção contou com uma ampla pesquisa sobre organizações que já atuavam em comunidades afetadas pela violência.

A LPP tem como base a "metodologia dos cinco pilares (ensino de boxe e artes marciais; educação; empregabilidade, suporte social; e formação de liderança juvenil) e conta com parceira da Petrobras, que fornece equipamentos para academias e professores.

Coordenadora do programa, Diana Bonar, acredita que, por meio do boxe e das artes marciais, é possível atrair jovens para ensiná-los valores importantes, entre eles a disciplina. “Os esportes de luta têm muito apelo entre os jovens. Muitos deles querem aprender a brigar - que é diferente de lutar - para se defender ou para entrar em uma gangue. A luta não ensina violência, mas conceitos positivos como disciplina e respeito à regra e aos colegas. Também temos a mentoria, que busca o desenvolvimento do discurso e do pensamento crítico”, explicou.

A ONG Espaço Progredir foi a escolhida no Rio para receber o treinamento da LPP. A organização atendia a cerca de 170 jovens da comunidade da Grama, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Com as turmas de artes marciais e boxe, passou a receber mais 80 jovens interessados nos novos cursos.

Leonardo de Oliveira, de 15 anos, mora na comunidade e faz parte dos novos alunos."No Espaço Progredir somos uma família. Todo mundo está sempre querendo ajudar. Leonardo foi um dos adolescentes entrevistados na pesquisa que resultou no relatório divulgado hoje. Os números mostram que 82% dos 6 mil jovens beneficiados pelo projeto informaram que deixaram de se envolver em confusões, em casa ou na rua, após ingresso no programa Rede Brasil.

Os dados da LPP mostram ainda que 92% disseram ter mais capacidade de trabalhar em equipe. Dos pesquisados, 91% acreditam ter mais tolerância e respeito à diversidade e 84% perceberam que o relacionamento com a família melhorou consideravelmente.

A Luta pela Paz foi fundada em 2000 e tem sede no Complexo da Maré e em Londres. Além do projeto Rede Brasil, iniciado em 2013, a organização conta também com 135 organizações parceiras em 25 países, beneficiando 250 mil crianças e jovens.

 

Favela 247 Artur Mon, 03 Aug 2015 17:35:06 +0000 http://www.brasil247.com/191473
PT nega ter participado de esquema de corrupção http://www.brasil247.com/pt/247/poder/191479 : Em nota assinada pelo presidente nacional do partido, Rui Falcão, o PT"refuta as acusações de que teria realizado operações financeiras ilegais ou participado de qualquer esquema de corrupção", em referência a denúncias da Operação Lava Jato; sem citar a prisão do ex-ministro José Dirceu, ocorrida na manhã desta segunda-feira, a legenda ressalta ainda que "todas as doações feitas ao PT ocorreram estritamente dentro da legalidade, por intermédio de transferências bancárias, e foram posteriormente declaradas à Justiça Eleitoral" <br clear="all"> :

247 - O Partido dos Trabalhadores negou nesta segunda-feira 3 qualquer envolvimento no esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato e ressaltou, em nota, que todas as doações ao partido foram legais.

"O Partido dos Trabalhadores refuta as acusações de que teria realizado operações financeiras ilegais ou participado de qualquer esquema de corrupção", diz o comunicado, assinado pelo presidente da sigla, Rui Falcão.

"Todas as doações feitas ao PT ocorreram estritamente dentro da legalidade, por intermédio de transferências bancárias, e foram posteriormente declaradas à Justiça Eleitoral", ressalta ainda a legenda, sem citar a prisão do ex-ministro José Dirceu, que ocorreu nesta manhã.

Abaixo matéria da Agência Brasil:

PT nega ter recebido doações ilegais

Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil

A direção do PT divulgou hoje (3) nota oficial informando que as doações recebidas ocorreram dentro da lei. Publicada no site oficial e assinada pelo presidente nacional do partido, Rui Falcão, a nota afirma que as doações foram feitas via transferência bancária e declaradas à Justiça Eleitoral.

“O Partido dos Trabalhadores refuta as acusações de que teria realizado operações financeiras ilegais ou participado de qualquer esquema de corrupção. Todas as doações feitas ao PT ocorreram estritamente dentro da legalidade, por intermédio de transferências bancárias, e foram posteriormente declaradas à Justiça Eleitoral.”

Em acordo de delação premiada, Milton Pascowitch disse que intermediou pagamento de propina ao ex-ministro José Dirceu, preso hoje pela Polícia Federal, e ao PT. Executivo da Toyo Setal, Júlio Camargo contou, também após assinar acordo de delação premiada com a Justiça, que repassou R$ 4 milhões ao ex-ministro.

De acordo com a Polícia Federal e o Ministério Público Federal, Dirceu foi o criador e beneficiário do esquema de corrução investigado pela Lava Jato. Segundo os investigadores, Dirceu, na época em que era ministro da Casa Civil, nomeou Renato Duque para a Diretoria de Serviços da estatal, iniciando o esquema de superfaturamento de contratos.

A defesa de Dirceu informou que irá se manifestar somente após ter acesso aos documentos que motivaram a prisão.

Poder Gisele Federicce Mon, 03 Aug 2015 18:01:26 +0000 http://www.brasil247.com/191479
PSDB diz que “não comemora nem lamenta” prisões http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/191477 : "O que deve ser louvado neste momento é o pleno funcionamento das nossas instituições. Cabe a nós, como de resto a todos os democratas no Brasil, zelar pelo seu bom funcionamento", afirmou, em nota, o presidente do partido, senador Aécio Neves (MG); segundo ele, instituições "autônomas, independentes e altivas são a garantia do exercício pleno da democracia" <br clear="all"> :

247 - O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), afirmou nesta segunda-feira, 3, que deve ser louvado o "pleno funcionamento das instituições", ao comentar as prisões realizadas pela Polícia Federal, entre elas a do ex-ministro José Dirceu, na 17ª fase da operação Lava Jato.

"O PSDB não comemora nem lamenta as novas prisões da Operação Lava Jato, entre elas a do ex-ministro José Dirceu. O que deve ser louvado neste momento é o pleno funcionamento das nossas instituições", afirmou Aécio, em nota à imprensa. "Cabe a nós, como de resto a todos os democratas no Brasil, zelar pelo seu bom funcionamento", acrescentou.

Para o dirigente tucano, instituições "autônomas, independentes e altivas são a garantia do exercício pleno da democracia". "Aqueles que cometeram delitos, independentemente da função que ocupam ou ocuparam, devem responder por eles dentro do que determina a lei", declarou. 

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também enalteceu o fortalecimento das instituições ao comentar as prisões desta segunda-feira. "Os tribunais começam a funcionar. A polícia começa a prender quem não era preso. Os procuradores acusam e a imprensa divulga. Ou seja, a democracia está trabalhando", afirmou FHC (leia mais).

Brasil Aquiles Lins Mon, 03 Aug 2015 17:56:10 +0000 http://www.brasil247.com/191477