Brasil 24/7 http://www.brasil247.com/ O seu jornal digital 24 horas por dia 7 dias por semana pt Copyright 2014, Brasil 24/7 Fri, 19 Sep 2014 20:51:30 +0000 60 Newscoop http://www.brasil247.com/themes/publication_1/theme_4/assets/img/logo.png Brasil 24/7 http://www.brasil247.com/ 144 120 Expoente da ‘pessimídia’, Folha volta atrás em Pnad http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/154084 : Jornal reconheceu, em um "erramos", que "não é possível afirmar que a desigualdade no país aumentou apenas com base no crescimento de 0,002 do indicador que mensura a distribuição dos rendimentos do trabalho e de 0,001 do que mede as fontes de rendimento"; nota corrige notícia, em vez disso, para "estagnação" do modelo de redução da desigualdade; ontem, apesar de a Pnad ter apontado a desigualdade no mesmo nível, mas sem piora, de acordo com o IBGE, o jornal – assim como outros da mídia familiar – agiu como o "Pessimildo", personagem do PT que só vê o lado ruim das coisas, e noticiou que houve aumento <br clear="all"> :

247 – A Folha de S. Paulo reconheceu que a desigualdade no Brasil não aumentou sob o governo da presidente Dilma Rousseff, como noticiou em manchete de primeira página nesta quinta-feira 18 (leia aqui). "Sob governo Dilma, desigualdade no Brasil aumenta pela primeira vez desde 2001", dizia o título, maior que o usual. A informação teria como base dados da Pnad, divulgada ontem pelo IBGE.

A verdade, porém, é que o índice que mede a desigualdade variou apenas 0,002 em relação à distribuição da renda, passando de 0,496 em 2012 para 0,498 em 2013 (quanto mais próximo de 0 e mais distante de 1, reflete menor desigualdade) e apenas 0,001 no indicador sobre fontes de rendimento. O próprio IBGE considerou que a desigualdade se manteve no mesmo nível, e não que houve piora.

Outros veículos da mídia familiar, como o portal G1, da Globo, o site da revista Veja e o jornal O Globo seguiram a mesma linha, noticiando que houve aumento da desigualdade. No início da noite, a Folha de S. Paulo publicou um "erramos", retificando a manchete maldosa e com tom pessimista de horas antes, que lembrou o personagem "Pessimildo", criado para a propaganda eleitoral do PT e que só vê o lado negativo das coisas. Leia abaixo a correção:

"Diferentemente do que informou o título da reportagem "Sob governo Dilma, desigualdade no Brasil aumenta pela primeira vez desde 2001"(Mercado - 18/09/2014 10h00), não é possível afirmar que a desigualdade no país aumentou apenas com base no crescimento de 0,002 do indicador que mensura a distribuição dos rendimentos do trabalho e de 0,001 do que mede as fontes de rendimento. Os dados apontam que há uma estagnação do modelo de redução da desigualdade. O texto foi corrigido".

Mídia Gisele Federicce Fri, 19 Sep 2014 16:34:31 +0000 http://www.brasil247.com/154084
Como Dilma resiste a mais de dois anos de pancadaria http://www.brasil247.com/pt/247/poder/154046 : Em meio a toda sorte de críticas e ataques, pela direita e à esquerda, na política, economia e administração do governo, presidente Dilma Rousseff resiste e cresce nas pesquisas; eppur si muove; mesmo sob a névoa de cobertura francamente de oposição na mídia tradicional e com inimigos nos clãs mais ricos da bilionária indústria da comunicação brasileira; institutos convergem em colocar Dilma no caminho dos 40% de intenções, cerca de dez pontos adiante de Marina Silva, do PSB; sobre a 2ª volta, aferições informam fim da larga vantagem da adversária e o estabelecimento de empate técnico; base de sustentação é atribuída aos efeitos dos programas sociais como Bolsa Família, mas só eles teriam sido capazes de trazer Dilma sã, salva e forte até aqui?; há mais  <br clear="all"> :

Marco Damiani, 247 - Tratada como fenômeno, a verdadeira surpresa da eleição presidencial até aqui, no sentido de ter mais e crescente confiança da opinião pública neste primeiro turno, não é, já se sabia desde a semana passada, Marina Silva. Falta, porém, os adversários reconhecerem, o que é duro, que esse fenômeno é mesmo a presidente Dilma Rousseff.

Quem tem conseguido resistir e, para irritação dos que lhe são contra, ainda avançar diante da maior saraivada de críticas e ataques despejada diariamente nos veículos de comunicação de maior faturamento publicitário do País pelo menos nos últimos dois anos? Nenhuma pessoa de presidente da República, a não ser pelos exemplos históricos dramáticos de Getúlio Vargas, em 1954, e Jango Goulart, em 1961, apanhou tanto da mídia quanto Dilma. Com a diferença que ela tem sofrido por mais tempo e a partir de máquinas bilionárias com altíssimo poder de destruição. E, repita-se, ela está de pé.

A simples atribuição de todas e cada uma das forças da presidente ao programa Bolsa Família, com 14 milhões de beneficiários, não explica o verdadeiro fenômeno de resiliência que ela encerra. Dilma não tem interlocutores éticos na cúpula da pirâmide patronal da mídia, mas vai sabendo, como primeiro anotou, em 247, o editor Paulo Moreira Leite, voltar ao seu estado natural de favorita à vitória,mesmo após todas as iniciativas para a deformação de sua imagem.

Para quem só acredita em números de pesquisas, ainda que estas tenham apresentado falhas grosseiras nas eleições municipais de 2012, todas convergem para colocar Dilma numa posição, longe de ser confortável, perto da que os adversários não queriam. Vai se lembrar que, se Dilma jamais baixou de 30 pontos nas pesquisas para primeiro turno, também faz tempo que não apresenta 40. No momento, porém, tanto Datafolha como Ibope apresentam a presidente com seu caminhão de campanha na direção de voltar ao patamar inicial. Um subido íngreme, mas que a campanha do PT está sabendo, sem grandes retrocessos, escalar.

Em janeiro do ano passado,  os veículos conhecidos genericamente como 'formadores de opinião' associaram em suas capas, manchetes e matérias de televisão e rádio Dilma à "inflação do tomate". Montagens, charges, caricaturas, editorialistas, economistas e fontes de toda espécie se somaram, então, no maior movimento de depreciação que um governo que manteve a inflação dentro da meta e a taxa de desemprego em níveis históricos de baixa já havia sofrido. Neste e em muitos outros medidores macroeconômicos, Dilma e seu governo entregaram resultados absolutamente razoáveis e facilmente compreensíveis dentro do contexto global, mas não houve taxa ou percentual que barrasse a onda crescente de notícias escolhidas a pior, projeções catastrofistas e análises que não se combinaram com a realidade.

De Dilma e seu governo, voz corrente entre os analistas, tem o País o Ministério mais fraco de todos os tempos, na expressão cunhada pelo 'pauteiro' José Serra. As escolhas políticas da presidente são acusados de serem, sempre, as piores. Os programas sociais de seu governo sofrem boicote. Basta lembrar, neste sentido o que se passou com a repercussão dada aos achincalhes ao Mais Médicos – além da vigilância crítica permanente sobre o mundialmente reconhecido programa Bolsa Família. Vitórias globais de Dima foram minimizadas, como a a eleição, por articulação pessoal da presidente, do brasileiro Roberto Azêvedo para o comando da OMC. Ou a resposta dura dada ao presidente Barack Obama por espionar o governo, as empresas e os cidadãos brasileiros. Isso tudo, assim como espetacular e brilhantemente executada manobra de criação do Novo Banco de Desenvolvimento, com verbas de US$ 100 bilhões dos Brics. Um ou outro inevitável elogio, e olhe lá, foram dados com saliente má vontade. Percalços nacionais, com a mão pesada de quem bate, foram amplificados. Foi assim que uma ofensa  contra Dilma na abertura da Copa do Mundo, feita a partir do setor de camarotes, ganhou dimensão nacional por dias a fio.

EPPUR SI MUOVE - Tudo foi contra Dilma. E tudo continua contra ela. Eppur si muove. Num país que, a cada eleição, fica cada vez mais dependente das pesquisas de opinião de precisão discutível para entender o presente e projetar o futuro, a presidente está ganhando no critério que mais se leva em consideração: as próprias pesquisas.

Já está ocorrendo de um contingente em ascensão acreditar que Dilma é uma boa presidente e uma candidata extremamente competitiva.  Se mostrou ter 'casca grossa' para chegar sã e salva até aqui, como evitar devolver a ela o favoritismo que sempre exibiu?

Poder Ana Pupulin Fri, 19 Sep 2014 14:36:46 +0000 http://www.brasil247.com/154046
Saída de Poeta do JN teria relação com Cachoeira http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/154075 : Fato teria associação direta com a notícia de que a jornalista, que fica na bancada do Jornal Nacional até 3 de novembro, e seu marido, o diretor de programação da TV Globo, Amauri Soares, compraram um apartamento no valor de R$ 23 milhões no Rio de Janeiro do empresário Georges Sadala, membro da chamada "gangue do guardanapo" e citado nas investigações sobre o bicheiro Carlinhos Cachoeira <br clear="all"> :

247 – O afastamento de Patrícia Poeta do posto de âncora do Jornal Nacional, principal programa da TV Globo, pode estar relacionado com uma decisão pessoal da jornalista.

Segundo a coluna Outro Canal, da Folha de S. Paulo, a notícia tem a ver com a compra de um apartamento feita por ela e seu marido, o diretor de programação da TV Globo, Amauri Soares.

O imóvel, no Rio de Janeiro, teria custado R$ 23 milhões. Mas não estaria aí o problema, e sim no proprietário que vendeu o apartamento para o casal.

Trata-se do empresário Georges Sadala, citado nas investigações sobre o bicheiro Carlinhos Cachoeira e como membro da chamada "gangue dos guardanapos", termo criado pela oposição ao ex-governador Sérgio Cabral.

De acordo com a coluna, o vazamento à imprensa da notícia da compra do apartamento pela apresentadora do JN teria desagradado a cúpula da emissora dos Marinho e até sido tema de reunião.

Mais de um ano na 'geladeira'

De acordo com o colunista de TV Ricardo Feltrin, também da Folha, os protagonistas do embate que resultou na saída de Poeta do JN foram Ali Kamel, diretor de jornalismo da Globo, e Soares, marido da apresentadora, que vivem em "constante rixa".

Kamel, que já estudava Renata Vasconcellos na bancada do jornal, teria sido determinante para a saída de Patrícia.

Segundo Feltrin, não há, até o momento, nenhum projeto de novo programa para a jornalista, seja no entretenimento, no jornalismo ou na dramaturgia, fato que a deve deixar na geladeira por um ano ou mais.

Mídia Gisele Federicce Fri, 19 Sep 2014 15:01:06 +0000 http://www.brasil247.com/154075
Dilma: "é ridículo ligar queda da Bolsa às pesquisas" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/154073 : "Acho desagradável ligar uma coisa a outra", afirmou a presidente nesta sexta-feira, após encontro com jovens atletas olímpicos e paraolímpicos; Ibovespa está tendo hoje dia de baixa após pesquisa Datafolha, que mostrou leve alta de Dilma, queda de Marina e recuperação de Aécio <br clear="all"> :

Por Lara Rizério

SÃO PAULO - Em fala após encontro com jovens atletas olímpicos e paraolímpicos, a presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, comentou com jornalistas as pesquisas eleitorais e o seu efeito na Bolsa. Hoje, a presidente afirmou que "é ridículo ligar a queda da Bolsa às pesquisas". "Acho desagradável ligar uma coisa a outra", afirmou.

Cabe lembrar que hoje, o Ibovespa está tendo um dia de baixa após a pesquisa Datafolha. Dilma teve uma leve variação para cima nas intenções de voto no primeiro turno, de 36% para 37% das intenções de voto, enquanto Marina Silva caiu 3 pontos, de 33% para 30%. Assim, a diferença passou de 3 para 7 pontos entre as candidatas. Aécio Neves subiu de 15% para 17%.

Já no segundo turno, a dianteira de Marina também caiu, passando de uma diferença de 4 pontos para uma diferença de apenas 2 pontos (46% da candidata do PSB frente 44% da petista). Na simulação com Aécio, Dilma aparece dez pontos na frente, com 49% a 39%, ante diferença de 11 pontos há uma semana.

Em meio aos escândalos envolvendo a Petrobras, a presidente destacou ainda que tem o compromisso de avançar contra a impunidade.

Cabe lembrar que, no último sábado, a presidente também buscou desvincular as variações do mercado financeiro ao seu desempenho nas pesquisas de intenção de voto e previu uma alta nas ações da Petrobras.

Dilma havia atribuído à "especulação" as oscilações nos mercados de ações e de câmbio e negou que essas altas e baixas tivessem relação com as pesquisas de intenção de voto para presidente da República, que têm sido acompanhadas de perto pelo mercado financeiro.

"Esse negócio de usar pesquisas eleitorais, avaliações eleitorais para descer e subir dólar tem a ver mais com a especulação e não com propriamente uma rejeição de A, B ou C", avaliou a presidente.

Poder Gisele Federicce Fri, 19 Sep 2014 14:39:29 +0000 http://www.brasil247.com/154073
Datafolha consolida “onda da razão”, celebra Aécio http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/154079 Emiliano Capozoli: Pesquisa que apontou crescimento de dois pontos percentuais do candidato do PSDB mostra movimento no qual eleitores perceberam que candidatura é a única que tem projeto para derrotar o PT, disse Aécio Neves, após ato com sindicalistas em São Paulo; ele também comemorou ser o candidato com menor rejeição e voltou a bater em Marina Silva ao dizer que a adversária tem uma candidatura de "improviso"; "Está ficando claro que é trocar seis por meia dúzia", disse, ao comparar PT e o PSB de Marina <br clear="all"> Emiliano Capozoli:

247 – O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, comemorou nesta sexta-feira o crescimento de dois pontos percentuais registrados na pesquisa Datafolha divulgada hoje. A mostra apontou ainda crescimento de um ponto da presidente Dilma Rousseff e queda de três pontos da adversária do PSB, Marina Silva.

Para Aécio, que participou hoje de ato com sindicalistas em São Paulo, o cenário da pesquisa consolida a "onda da razão" e mostra um movimento no qual os eleitores perceberam que a candidatura do PSDB é a única que tem um projeto seguro para derrotar o PT e a candidatura de "improviso" de Marina.

O candidato também comemorou a menor rejeição entre os presidenciáveis. "Esse é um dado que chama atenção e que me alegra. Apareço agora com a menor rejeição dentre todos os candidatos que estão efetivamente disputando a reeleição, inclusive do que a candidata Marina".

Sobre a adversária do PSB, reafirmou que "ela não se preparou, não construiu um projeto exequível e nem tem quadros para executá-lo". Segundo ele, o brasileiro percebeu que votar em Marina é "trocar seis por meia dúzia". A campanha do presidenciável tucano também divulgou nota comentando a pesquisa. Leia um trecho:

O Datafolha reforça o cenário já apresentado pelo Ibope na terça-feira (16/09) em que Aécio foi o único candidato que subiu em todos os cenários. E mostra que o atual movimento virtuoso da Coligação Muda Brasil é resultado da "Onda da Razão", na qual eleitores avaliam que Aécio é quem representa a mudança com segurança, experiência e competência, enquanto rejeitam o fracasso do governo do PT e a candidatura de improviso de Marina Silva, que muda de posição a toda hora, não diz com quem vai governar e que militou também no PT por mais de 20 anos.

SP 247 Gisele Federicce Fri, 19 Sep 2014 15:48:04 +0000 http://www.brasil247.com/154079
Eike volta ao Twitter para explicar ‘retorno à classe média’ http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/154071 : Após 15 meses afastado das redes sociais, empresário diz que sua frase, de que "estar de volta à classe média é um baque gigantesco", foi mal interpretada; "Esclarecendo: A menção a classe média referia-se a sua capacidade (da classe média) de adaptar-se a situações adversas!!! Nao foi analogia com minha atual situacao financeira", postou em sua conta <br clear="all"> :

Por Rodrigo Tolotti Umpieres

SÃO PAULO - Depois de voltar aos holofotes com entrevistas à diversos jornais, o empresário Eike Batista decidiu "ressuscitar" sua conta no Twitter, que não era utilizada desde maio de 2013. Nesta madrugada, ele realizou três publicações para explicar suas declarações feitas ao jornal Folha de S. Paulo, onde ele disse que "voltar para a classe média é um baque gigantesco", sobre o fato de ter perdido sua fortuna.

Por volta da meia-noite, Eike twittou: "Esclarecendo: A mencao a classe media referia-se a sua capacidade(da classe media) de adaptar-se a situacoes adversas!!! (sic)". Logo em seguida ele complementou: "Nao foi analogia com minha atual situacao financeira... (sic)", "Falava da origem da minha familia e dos desafios que tenho enfrentado,querendo dizer que nao temo voltar a ela! Eike (sic)", disse o empresário em mais duas publicações.

Após passar um tempo fora dos holofotes, o empresário Eike Batista voltou com tudo para o noticiário, mas desta vez para um cenário completamente diferente de quando surgiu. Ainda no final de semana, o Ministério Público pediu o bloqueio de até R$ 1,5 bilhão em bens do executivo, mas isso apenas destacou a decadência em que ele está neste momento, após chegar a ser o 7º homem mais rico do mundo.

A volta do empresário ao centro dos noticiários ocorreu após a Justiça Federal bloquear R$ 117,3 milhões em um pedido que poderia atingir R$ 1,5 bilhão - valor que o empresário diz não ter em suas contas. A decisão de bloquear os bens de Eike ocorreu com o objetivo de assegurar o pagamento de indenização que ele possa ter causado a investidores com as ações da petrolífera OGX, hoje OGPar. Entre as denúncias sobre o executivo está a manipulação de preço das ações e uso de informação privilegiada, o chamada insider trading.

No início da semana, o advogado de Eike, Sérgio Bermudes, disse ao InfoMoney que o empresário, atualmente, só tem dinheiro para "despesas comuns". "Eike só tem dinheiro para despesas correntes, comuns, domésticas", explicou Bermudes, acrescentando que a cifra que Batista possui em suas contas é utilizada para o pagamento de gastos com a educação da família, alimentação e manutenção da casa. Nesta tarde, Bermudes voltou a destacar a situação e disse que em pelo menos uma conta "resta apenas R$ 1".

Ontem, o empresário virou piada nas redes sociais devido à declaração feita sobre a classe média.

Mídia Gisele Federicce Fri, 19 Sep 2014 14:26:17 +0000 http://www.brasil247.com/154071
Veritá/247: Marconi lidera com 44,1% e Iris tem 24,8% http://www.brasil247.com/pt/247/goias247/154085 : Pesquisa Veritá encomendada pelo Brasil 247 mostra favoritismo do governador Marconi Perillo a 16 dias da eleição; tucano lidera com 44,1% contra 24,8% de Iris Rezende (PMDB); Vanderlan Cardoso (PSB) tem 8,7% e Antônio Gomide (PT) ficou com 5,3%; levantamento indica que Marconi pode vencer a eleição no primeiro turno, pois tem 52,1% dos votos válidos; instituto Veritá ainda perguntou ao entrevistado: “Independentemente do seu voto, quem você acha que vai vencer a eleição para governador?”; resultado é favorável a Marconi: tucano obteve 61,3% e Iris ficou com 14% <br clear="all"> :

José Barbacena, Goiás247 - Pesquisa Veritá contratada pelo Brasil 247 mostra que a 16 dias da eleição o governador Marconi Perillo (PSDB) segue com folga na liderança do pleito. O tucano tem 44,1% das intenções de voto contra 24,8% de Iris Rezende, que é o segundo colocado.

Vanderlan Cardoso (PSB) é o terceiro, com 8,7% e Antônio Gomide (PT) ocupa a quarta posição, com 5,3%. Alexandre Magalhães (PSDC) tem 1%, Marta Jane (PCB) 0,5% e Wesleu Garcia (PSol) aparece com 0,3%.

O levantamento indica que Marconi pode vencer a eleição no primeiro turno, pois tem 52,1% dos votos válidos. Na espontânea, o governador lidera com 31,9% diante de 18,2% de Iris Rezende.

O instituto Veritá ainda perguntou ao entrevistado: “Independentemente do seu voto, quem você acha que vai vencer a eleição para governador?”. O resultado é de amplo favoritismo para Marconi. O tucano obteve 61,3% e Iris ficou com 14%. Vanderlan tem 2,5% e Gomide 1,9%.

A pesquisa Veritá/247 foi realizada entre os dias 15 e 18 de setembro e entrevistou 2.203 eleitores. A margem de erro é de 2,09 pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento está registrado no TRE com o protocolo GO-00125/2014 e no TSE com o protocolo BR-00683/2014.

Goiás 247 José Barbacena Fri, 19 Sep 2014 17:09:58 +0000 http://www.brasil247.com/154085
PML: no TSE, Gilmar defende censura e BC de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/154057 : Doze anos depois de o tribunal ter liberado o "medo" de Regina Duarte sobre um eventual governo Lula, rejeitando pedido do PT, retoma o debate sobre censura, observa Paulo Moreira Leite, em nova coluna no 247; decisão sobre pedido de Marina Silva (PSB), que quer direito de resposta e suspensão da propaganda petista que critica sua proposta de independência do Banco Central, recebeu voto favorável de Gilmar Mendes nas duas questões; "É sintomático que, em 2002, quando se tratava de atender um pedido que, mesmo errado, poderia trazer benefícios ao PT, o TSE tenha agido de uma forma", diz PML, ressaltando que a proibição se baseia no Código Eleitoral da ditadura militar <br clear="all"> :

247 – "Dois pesos, duas campanhas". É como Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, intitula sua nova coluna sobre o julgamento no TSE do pedido de Marina Silva (PSB) de direito de resposta e suspensão de propaganda do PT que critica sua proposta de independência do Banco Central. O debate começou ontem no Tribunal Superior Eleitoral e prossegue na semana que vem. Mas já recebeu voto favorável às duas questões por parte do ministro Gilmar Mendes, que ainda defendeu a independência do BC em plenário.

O jornalista compara o caso atual com um de doze anos atrás, quando o PT pediu à mesma corte que retirasse do ar uma propaganda do PSDB anti-Lula, que trazia um depoimento da atriz Regina Duarte dizendo que "tinha medo" de um eventual governo do ex-sindicalista. À época, recorda PML, o ministro Gerardo Grossi, que relatou o pedido dos petistas, lembrou os direitos do eleitor, dizendo que caberia a ele "concordar ou não com tais previsões e análises", e assim dando uma "lição de democracia" ao rejeitar a solicitação.

"É curioso que, doze anos depois, o mesmo tribunal retorne ao assunto. Mas é sintomático que, em 2002, quando se tratava de atender um pedido que, mesmo errado, poderia trazer benefícios ao PT, o TSE tenha agido de uma forma. Doze anos depois, quando debate-se uma decisão em que o mesmo partido pode ser prejudicado, as belíssimas palavras de Grossi podem ser esquecidas. Deve ser coincidência, né?", questiona o colunista.

Leia a íntegra em Dois pesos, duas campanhas

Brasil Gisele Federicce Fri, 19 Sep 2014 12:23:24 +0000 http://www.brasil247.com/154057
Barbosa acredita em vitória de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/154059 : Segundo a coluna Radar, de Lauro Jardim, ex-presidente do STF vem dizendo a pessoas próximas acreditar que Marina Silva (PSB) vencerá a eleição e que a saída do PT, permitindo a alternância no poder, faria bem à democracia brasileira <br clear="all"> :

Por Lara Rizério 

SÃO PAULO - O PSDB sonha com uma "bala de prata" para a sua campanha à presidência, o ex-ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Joaquim Barbosa. De acordo com informações da coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, Barbosa já foi abordado mais de uma vez por tucanos que tentam convencê-lo a fazer algum gesto de adesão ao candidato, mas rechaça a ideia.

Porém, de acordo com informações da coluna Radar da Veja, de Lauro Jardim, que destaca ser pouquíssimo provável Joaquim Barbosa declarar seu candidato a presidente preferido – pelo menos no primeiro turno, tem seus palpites, como todo mundo.

Segundo a coluna, ele vem dizendo a gente próxima acreditar que Marina Silva vencerá a eleição e que a saída do PT, permitindo a alternância no poder, faria bem à democracia brasileira.

Brasil Ana Pupulin Fri, 19 Sep 2014 12:40:41 +0000 http://www.brasil247.com/154059
Mino Carta: Marina é "poço de confusão e contradições" http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/154044 : Diretor de redação da CartaCapital diz que a revista acredita que, "nas mãos da ex-seringueira o destino do Brasil não seria promissor"; Mino Carta questiona ainda se vale confiar "em uma candidata que, ao se apresentar como tal, atribui a sua chance à Providência Divina"; "Teríamos de entender que a mesma manifestação do Altíssimo determinou a morte trágica de Eduardo Campos?", pergunta o jornalista <br clear="all"> :

247 – Em editorial publicado nesta sexta-feira 19 no site da CartaCapital, o diretor de redação da revista, Mino Carta, define a candidata do PSB como "um poço de confusão e contradições". Logo na chamada, o jornalista lembra que a presidenciável é postulante do partido socialista "sem ser socialista".

"CartaCapital acredita que nas mãos da ex-seringueira o destino do Brasil não seria promissor. Mas acredita também que desta feita o País saberá evitar o risco, e não receia abalar-se a um vaticínio que muitos reputarão prematuro. Nadar contra a corrente estimula quem dá a braçada honesta", escreve Mino Carta.

O jornalista ressalta também análises dos jornais da Itália sobre a candidata. O La Repubblica, por exemplo, diz que Marina Silva tem um passado honroso e nem por isso as qualidades necessárias ao exercício da Presidência de um país do tamanho e da importância do Brasil. "Sua formação política é precária e suas ideias, quando manifestadas com um mínimo de clareza semântica, são confusas e contraditórias, de sorte a ressaltar a dramática incógnita que a candidata representaria se eleita", descreve Mino Carta.

O editorialista pergunta, ao final, "se vale confiar" em uma candidata que, ao se apresentar como tal, "atribui a sua chance à Providência Divina. Teríamos de entender que a mesma manifestação do Altíssimo determinou a morte trágica de Eduardo Campos?". Leia aqui a íntegra.

Mídia Gisele Federicce Fri, 19 Sep 2014 10:34:40 +0000 http://www.brasil247.com/154044
Mercado digere Datafolha e Bovespa tem queda http://www.brasil247.com/pt/247/economia/154045 : Às 16h59, o Ibovespa registrava perdas de 0,93%, aos 57.833 pontos, com o mercado digerindo a nova pesquisa eleitoral que se mostrou ainda mais acirrada entre Marina Silva e Dilma Rousseff; em uma simulação de segundo turno, de acordo com a mostra divulgada nesta sexta-feira 19, a presidente teria 44% das intenções de voto, contra 46% da adversária do PSB; no primeiro turno, a petista tem 37%, Marina 30% e Aécio Neves, do PSDB, 17%; ações de estatais e bancos lideram as perdas da sessão <br clear="all"> :

Por Lara Rizério

SÃO PAULO - Após iniciar a sessão com perdas que chegaram a 0,84% e zerar nos primeiros vinte minutos, o Ibovespa logo voltou a cair na sessão desta sexta-feira (19), com o mercado digerindo a nova pesquisa eleitoral que se mostrou ainda mais acirrada entre Marina Silva e Dilma Rousseff, ao mesmo tempo que o dia aponta para ser positivo no exterior.

Às 12h40 (horário de Brasília), o índice registra perdas de 1,46%, a 57.520 pontos. Às 16h59, a queda era de 0,93%, aos 57.833 pontos,  com as ações de estatais e bancos liderando as perdas da sessão, mas diminuindo fortemente as perdas em relação à mínima do dia. As ações da Petrobras chegaram a abrir em baixa, zerou a queda e voltou a cair, enquanto Banco do Brasil passou a ter baixa de 2%.

"Em suma, acreditamos que a bolsa já tenha precificado em grande parte esta pesquisa", avalia a equipe de análise da XP Investimentos, destacando que ontem, em meio aos rumores sobre a pesquisa, o índice já havia caído 1,24%.

O Datafolha, divulgado na madrugada desta sexta pelo jornal Folha de S. Paulo, surpreendeu parte do mercado ao mostrar que Marina Silva (PSB), sob intenso ataque da presidente Dilma e de Aécio, continuou em queda. Na simulação de primeiro turno, Dilma obteve 37% das intenções de voto, contra 30% de Marina. E, de acordo com a LCA Consultores, esta pesquisa mostra que a disputa continuará acirrada entre as candidatas que estão na dianteira das pesquisas de intenção de voto.

Nas simulações de segundo turno, Marina não conseguiu se estabilizar neste levantamento, com uma vantagem de apena 2 pontos percentuais: 46% contra 44% de Dilma. "Como se pode ver, ao contrário de outras pesquisas, Marina não conseguiu se estabilizar nas simulações de segundo turno. Nossa expectativa é que a disputa continue acirrada entre Marina e Dilma, com a possibilidade de pequenas novas oscilações das intenções de votos destas candidatas", aponta a LCA Consultores.

Teles no radar

O noticiário corporativo também é bastante movimentado com destaque, mais uma vez, para as teles. A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) rejeitou ontem os principais pedidos de impugnação de trechos do leilão de serviços 4G na faixa de 700 megahertz (MHz), cujo leilão ocorrerá no próximo dia 30. A Oi (OIBR4), Vivo (VIVT4), TIM (TIMP3) e Claro estavam entre as empresas que apresentaram questionamentos ao órgão regulador.

Ainda no setor, o grupo francês de mídia Vivendi concluiu um acordo para vender seu negócio brasileiro de banda larga GVT para a espanhola Telefónica, dona da Vivo, por dinheiro e ações no valor de cerca de 7,2 bilhões de euros (9,29 bilhões de dólares), anunciaram as empresas nesta sexta-feira.

A transação está sujeita à aprovação regulatória no Brasil. A Telefónica planeja incorporar a GVT à Vivo, sua marca de telefonia móvel no Brasil, para criar o maior grupo de telecomunicações do país, Telefônica Brasil.

A Petrobras (PETR3; PETR4) também segue no radar corporativo também por notícias internas. A presidente da estatal, Maria das Graças Foster, disse que a empresa está dando uma guinada na produção de petróleo. Segundo a executiva, a produção atingiu um ponto de inflexão entre julho e agosto, ou seja, um período em que passou a crescer de forma mais intensa. A meta da empresa é aumentar a produção em 7,5% no Brasil em relação ao ano passado, quando havia produzido 1,93 milhão de barris.

Graça confirmou ainda o início da produção de três novas plataformas até o fim deste ano: P-61, Cidade de Mangaratiba e Cidade de Ilha Bela. De acordo com Graça, a P-61 está prevista para novembro, a Cidade de Mangaratiba para entre outubro e novembro e a Cidade de Ilha Bela, "neste trimestre".

Enquanto isso, a Vale tem um dia de baixa, após uma nova queda do preço do minério de ferro. A cotação fechou a semana em queda e renovou a mínima em 5 anos em US$ 81,7 a tonelada.

Economia Gisele Federicce Fri, 19 Sep 2014 10:59:15 +0000 http://www.brasil247.com/154045
Mantega: novo ministro não muda política econômica http://www.brasil247.com/pt/247/economia/154036 Valter Campanato/ Agência Brasil: Entrevista coletiva sobreo Programa Minha Casa, Minha Vida. Na foto, o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil Ministro da Fazenda, Guido Mantega afirma que mudança na cúpula da pasta em um eventual segundo turno da presidente Dilma Rousseff não significará alterações na política econômica; "As diretrizes serão mantidas em 2015", afirmou, na primeira entrevista depois que Dilma declarou que teria "equipe nova" caso reeleita <br clear="all"> Valter Campanato/ Agência Brasil: Entrevista coletiva sobreo Programa Minha Casa, Minha Vida. Na foto, o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil

247 – Na primeira entrevista concedida depois da declaração da presidente Dilma Rousseff de que teria "equipe nova" caso reeleita, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que uma alteração na cúpula da pasta não significará alterações na política econômica. "As diretrizes serão mantidas", disse ele ao Broadcast, serviço do jornal O Estado de S. Paulo (leia aqui).

Questionado se avalia que o superávit primário será atingido esse ano, Mantega lembrou que "estamos em um ano mais difícil do ponto de vista fiscal, com um crescimento econômico menor do que em 2013, e isso reflete na arrecadação". O ministro acrescentou: "de fato, a arrecadação até agora está menor do que foi projetado, mas estamos fazendo todo o esforço para fazer o melhor primário possível".

Em relação ao programa de swaps do Banco Central, para estabilizar a cotação do dólar, Mantega disse que a iniciativa "vale até o fim do ano e não está previsto renovar". O ministro também falou em ajustes para 2015, uma vez que "estamos nos aproximando do fim deste ciclo de crise mundial". "Então, é preciso recuperar a arrecadação para aumentar o esforço fiscal e assim abrir espaço para a flexibilização da política monetária, que está muito, muito apertada", detalhou.

Economia Gisele Federicce Fri, 19 Sep 2014 09:58:49 +0000 http://www.brasil247.com/154036
Coordenadora de Marina admite "falha" com religiões africanas http://www.brasil247.com/pt/247/bahia247/154038 : Questão das religiões de matriz africana está sem detalhes no programa de governo da candidata do PSB à presidência da República, Marina Silva, que é evangélica; coordenadora de promoção da igualdade racial da campanha, Valneide Nascimento diz que equipe "errou ao não detalhar" políticas para religiões como candomblé e umbanda; "Como a Marina, sou protestante e não tinha acúmulo de conhecimento sobre políticas específicas para religiões de matriz africana. Deixamos para os militantes do PSB de Salvador. Foi uma falha nossa" <br clear="all"> :

Bahia 247 - Tema atual, a questão das religiões de matriz africana está sem detalhes no programa da candidata do PSB à presidência da República, Marina Silva, que é evangélica. A coordenadora de promoção da igualdade racial da campanha da socialista, Valneide Nascimento, admite que a equipe "errou ao não detalhar" políticas para religiões como candomblé e umbanda.

"Como a Marina, sou protestante e não tinha um acúmulo de conhecimento sobre políticas específicas para religiões de matriz africana. Então deixamos para os militantes do PSB de Salvador. Foi uma falha nossa", disse Valneide à coluna Tempo Presente, do jornal A Tarde, na edição desta sexta-feira (19).

Por conta disso, a candidata ao governo do Estado, Lídice da Mata; o vereador de Salvador Silvio Humberto (ambos do PSB); e o presidente da Fundação Palmares, Zulu Araújo, estão no processo de elaboração de um documento em que contém as reivindicações do movimento negro para entregar a Marina.

A candidata estará em Salvador no sábado (20) com o objetivo de conversar com os grupos religiosos de matriz africana.

Bahia 247 Romulo Faro Fri, 19 Sep 2014 10:08:35 +0000 http://www.brasil247.com/154038
Desigualdade está em queda, garante ministro http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/154031 : "Não acho que parou, essa estabilizada da desigualdade não veio para ficar. Os dados mostram que ela continua essa tendência de queda em 2014, para além dos dados da Pnad [Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios]", disse o ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Marcelo Neri, em coletiva de imprensa para comentar a pesquisa divulgada ontem pelo IBGE <br clear="all"> :

Mariana Tokarnia - Repórter da Agência Brasil

Apesar da estabilidade em índice que mede a desigualdade, ministros dizem, em coletiva de imprensa, que os desequilíbrios sociais estão em queda constante. "Não acho que parou, essa estabilizada da desigualdade não veio para ficar. Os dados mostram que ela continua essa tendência de queda em 2014, para além dos dados da Pnad [Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios]", disse o ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Marcelo Neri.

O índice de Gini, que mede a desigualdade de renda em um país - quanto mais próximo de 0 e mais distante de 1, reflete menor desigualdade - teve variação de 0,001, segundo os dados divulgados hoje (18). Em 2013, o indicador referente ao rendimento dos domicílios brasileiros ficou em 0,5, depois de ter caído pela primeira vez para 0,499 no ano anterior. De 2011 para 2012, a variação também foi pequena, de 0,501 para 0,499.

"De um lado, teve uma expansão importante, recente, do [Programa] Brasil sem Miséria, que é um programa muito focado. Isso, em junho de 2014. E, por outro, um aumento da escolaridade e redução do analfabetismo. São indicadores antecentes, os mais importantes para prever o futuro da desigualdade de renda no Brasil", acrescentou o ministro, ressaltando que são indicadores de que a desigualdade continuará caindo.

"Nossa avaliação é que a vida continua melhorando para todos os brasileiros. Tem vários aspectos que não só são extremamente positivos, mas mostram a sustentabilidade do crescimento e da melhoria de vida da população brasileira", disse a ministra de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello. Ela citou que o rendimento médio de todos os trabalhadores, em 2013, melhorou 5,7% na comparação com 2012, subindo de R$ 1.590 para R$ 1.681.

Os dados também mostram, entretanto, que o aumento da renda entre os mais ricos cresceu mais que o aumento da renda entre os mais pobres. De 2012 para 2013, o crescimento da renda dos 10% mais ricos foi 6,3%, enquanto os 10% mais pobres tiveram ganho de rendimento de 3,5%.

Neri justificou a situação pelo alto crescimento, no ano anterior, da renda da parcela mais pobre. "A renda dos mais pobres está crescendo. Sempre que tem um ano de crescimento muito forte - no ano passado os 5% mais pobres tiveram crescimento real de 20%, isso é uma coisa, um crescimento triplamente chinês - então, este ano está tendo um crescimento mais ou menos em linha, até acima do PIB [Produto Interno Bruto] brasileiro", disse.

O ministro da Educação, Henrique Paim, comemorou os resultados da área. Segundo ele, houve incremento no ritmo da média dos anos de estudo dos brasileiros. "Em uma década alcançaremos dois anos a mais de estudo, o que é significativo", disse.

Brasil Gisele Federicce Fri, 19 Sep 2014 09:42:02 +0000 http://www.brasil247.com/154031
Blatter diz que Fifa é modelo de ética no esporte http://www.brasil247.com/pt/247/esporte/154033 PAULO WHITAKER: Presidente da Fifa, Joseph Blatter, discursa durante o 65º Congresso da Fifa em São Paulo. 09/09/2014 REUTERS/Paulo Whitaker "Desde as reformas, nós temos uma organização exemplar na ética... temos duas câmaras... com presidentes independentes", disse Joseph Blatter no Fórum Mundial para Ética no Esporte; "Somos a única organização esportiva que tem um órgão independente para ética, ninguém mais, nem mesmo o COI (Comitê Olímpico Internacional)", acrescentou o presidente da Federação <br clear="all"> PAULO WHITAKER: Presidente da Fifa, Joseph Blatter, discursa durante o 65º Congresso da Fifa em São Paulo. 09/09/2014 REUTERS/Paulo Whitaker

Por Brian Homewood

ZURIQUE (Reuters) - A Fifa tem um modelo de ética exemplar sem comparação no mundo esportivo, afirmou o presidente da entidade, Joseph Blatter, nesta sexta-feira.

"Desde as reformas, nós temos uma organização exemplar na ética... temos duas câmaras... com presidentes independentes", disse Blatter no Fórum Mundial para Ética no Esporte.

"Somos a única organização esportiva que tem um órgão independente para ética, ninguém mais, nem mesmo o COI (Comitê Olímpico Internacional)", afirmou.

"O que é importante é que eles são totalmente independentes, eles foram eleitos pelo congresso (da Fifa)", acrescentou.

Blatter disse que o comitê de ética da Fifa é inteiramente independente e, desde 2011, consiste de duas partes - a câmara de investigação, responsável por investigar infrações éticas, e a câmara de decisão, que determina as sanções.

A Fifa tem sido atingida por uma série de escândalos de corrupção nos últimos anos, resultando na suspensão de vários membros do comitê executivo da entidade, enquanto alguns tiveram até que renunciar. Alguns dirigentes da Fifa ainda estão sob investigação.

Entre os que se afastaram da Fifa por denúncias de corrupção estão o ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, e Mohamed Bin Hammam, candidato à presidência da entidade em 2011 que foi excluído do futebol para sempre por um escândalo de compra de votos.

O comitê de ética está atualmente investigando os processos de escolha das sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022, que foram concedidas, respectivamente, para Rússia e Catar.

"No futebol nós temos desafios, porque temos 209 associações nacionais, temos 300 milhões de participantes ativos do nosso esporte no mundo... jogadores, técnicos, árbitros, e com as famílias deles nós temos 1,2 bilhão de pessoas direta ou indiretamente envolvidas em nosso esporte", acrescentou Blatter.

"É fácil controlar o futebol, nosso esporte, quando é jogado no campo, há limites, há um limite de tempo e há um árbitro, então é fácil trabalhar com os nossos 300 milhões de participantes no campo de jogo. Fora do campo de jogo, não temos limitações, nem árbitros, nem cronometragem."

Esporte Gisele Federicce Fri, 19 Sep 2014 09:51:05 +0000 http://www.brasil247.com/154033
Atrizes do Vidigal abrem loja com produtos locais http://www.brasil247.com/pt/247/favela247/154035 Foto: Agnaldo Santana: Cíntia e Sabrina Rosa inauguraram há três meses a Mundo Vidigal, na principal avenida do morro, a Presidente João Goulart. O estabelecimento vende mercadorias produzidas por artesão da própria favela. “Tem muita gente talentosa na comunidade. Então pensamos em criar um espaço para que essas pessoas pudessem deixar suas criações expostas à venda", explica Cíntia <br clear="all"> Foto: Agnaldo Santana:

Favela 247 – Duas atrizes profissionais nascidas e criadas no morro do Vidigal, na zona sul do Rio, abriram há três meses a loja Mundo Vidigal, na Avenida Presidente João Goulart, a principal do morro, para vender produtos feitos por artesãos locais. De acordo com matéria do site da UPP RJ, as irmãs Cíntia e Sabrina Rosa começaram a carreira no grupo Nós do Morro.

"O Vidigal sempre foi ligado às artes. E tem muita gente talentosa na comunidade. Então pensamos em criar um espaço para que essas pessoas pudessem deixar suas criações expostas à venda", diz Cíntia, de 34 anos. Ela fez o seriado “Cidade dos Homens”, no papel de Zuleide, e participou recentemente da novela “Em Família”, como a personagem Carolaine. Cíntia ainda é protagonista do filme "O fim e os meios", do diretor Murilo Sales, que vai estrear no Festival de Cinema do Rio no próximo dia 25.

"Nós sempre trabalhamos com arte, não sabemos fazer outra coisa. Mas como a vida de ator é instável, vínhamos há algum tempo pensando em ter um negócio próprio, que também envolvesse nosso lado artístico", explica Sabrina, de 36 anos. Ela fez a mulher do personagem Mané Galinha, interpretado pelo cantor Seu Jorge, no filme “Cidade de Deus”. Até agora, a Mundo Vidigal expõe produtos de 11 artistas. "Somos uma loja de presentes", define Cíntia.

 

Por Alfredo Mergulhão, para a UPP RJ

Irmãs abrem loja com produtos feitos por artesãos do Vidigal

As duas são atrizes e resolveram investir no lado artístico da comunidade

Dos palcos para os negócios. Esse foi o caminho traçado pelas irmãs Cíntia e Sabrina Rosa, atrizes profissionais que agora estão à frente de um novo empreendimento no Morro do Vidigal. As duas são nascidas e criadas na comunidade e juntas abriram a loja Mundo Vidigal, para vender produtos feitos por artesãos locais. O estabelecimento funciona há três meses na Avenida Presidente João Goulart, a principal do morro.

"Nós sempre trabalhamos com arte, não sabemos fazer outra coisa. Mas como a vida de ator é instável, vínhamos há algum tempo pensando em ter um negócio próprio, que também envolvesse nosso lado artístico", explica Sabrina, de 36 anos. Ela fez a mulher do personagem Mané Galinha, interpretado pelo cantor Seu Jorge, no filme Cidade de Deus.

As duas começaram a carreira no grupo Nós do Morro. "O Vidigal sempre foi ligado às artes. E tem muita gente talentosa na comunidade. Então pensamos em criar um espaço para que essas pessoas pudessem deixar suas criações expostas à venda", diz Cíntia, de 34 anos. Ela fez o seriado Cidade dos Homens, no papel de Zuleide, e participou recentemente da novela Em Família, como a personagem Carolaine. Cíntia ainda é protagonista do filme "O fim e os meios", do diretor Murilo Sales, que vai estrear no Festival de Cinema do Rio, no dia 25 de setembro.

A fachada do estabelecimento é pintada pelo arquiteto goiano Joel Costa, com uma imagem do Morro Dois Irmãos, da comunidade e das praias do Leblon e Ipanema. No fundo da loja, a janela é um verdadeiro porta-retrato que enquadra as Ilhas Cagarras, ao fundo.

A vista privilegiada já motiva a primeira expansão do negócio. Para aproveitar a vista, as irmãs já planejam alterações no espaço físico da loja. "Pretendemos colocar uma parede de vidro para ampliar a visão. E criar uma espécie de café, para servir sucos, sanduíches. A ideia é que as pessoas tenham uma experiência diferente ao vir comprar aqui", afirma Sabrina.

Cíntia relata que é crescente o número de visitantes que desejam parar e conversar, além de fazer compras. Principalmente pessoas estrangeiras. "Quando a gente fala que os produtos foram feitos aqui, por artesãos do morro, eles ficam ainda mais interessados nas compras", destaca Cíntia. A loja atende exatamente esse desejo dos turistas, que por onde passam querem levar lembranças. "Somos uma loja de presentes", define.

Até agora, a Mundo Vidigal expõe produtos de 11 artistas: as garrafas luminárias de Wendel Barros; as bijuterias de Tânia Martins; os tapetes e capas de fuxico de dona Cícera; os biscuit e ímãs de geladeira feitos por dona Cidinha; as roupas costuradas por Alexandra Martins, a "Xanda"; as peças de crochê de Fernanda Zagallo; os cachecóis de Andréa Brito; as garrafas de coca-cola personalizadas e morros de argila de Sônia Magalhães; os chinelos e bijuterias de Augusta Santiago; as fotos de Arthur Sherman e Vander Bhirtwish; além das canecas e sabonetes feitos pelas proprietárias da loja.

 

Favela 247 Silvia Baisch Fri, 19 Sep 2014 10:18:59 +0000 http://www.brasil247.com/154035
Datafolha: Dilma tem 37%, Marina 30% e Aécio 17% http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153942 : Na nova pesquisa Datafolha, divulgada nesta sexta-feira, a presidente Dilma Rousseff, do PT, abre vantagem, com 37% dos votos, contra 30% de Marina Silva, do PSB; o candidato do PSDB, Aécio Neves, também esboça reação e vai a 17%; na principal simulação de segundo turno, entre Dilma e Marina, a presidente pontuou 44%, contra 46% da adversária - situação de empate técnico; dianteira da ex-senadora nunca foi tão baixa; em agosto, era de dez pontos; na pesquisa anterior, de 10 de setembro, Dilma tinha 36%, contra 33% de Marina e 15% de Aécio <br clear="all"> :

247 - Foi divulgada, nesta sexta-feira, a nova pesquisa Datafolha. Nela, a presidente Dilma Rousseff, do PT, abre vantagem sobre Marina Silva no primeiro turno, com 37% das intenções de voto, seguida da candidata do PSB, com 30%. O presidenciável do PSDB, Aécio Neves, também esboçou reação e subiu para 17%.

Na principal simulação de segundo turno, entre Dilma e Marina Silva, os números são: 44% para a candidata do PT e 46% para a ex-senadora, o que é considerado situação de empate técnico. Dianteira de Marina nunca foi tão baixa. Em agosto, era de dez pontos. 

Leia, abaixo, o resultado da pesquisa Datafolha da semana passada, divulgada no dia 10 de setembro:

DATAFOLHA: DILMA CRESCE E EMPATA COM MARINA

Acaba de ser divulgada nova pesquisa Datafolha; nela, a presidente Dilma Rousseff tem 36%, contra 33% da ex-senadora Marina Silva e 15% do senador Aécio Neves; no segundo turno, a presidente tem 44%, contra 47% de Marina, o que configura situação de empate técnico; eleição disputadíssima promete emoção até os instantes finais

10 DE SETEMBRO DE 2014 ÀS 20:19

Poder Leonardo Attuch Fri, 19 Sep 2014 03:41:16 +0000 http://www.brasil247.com/153942
Lula admite volta em 2018 contra ‘retrógrados no poder’ http://www.brasil247.com/pt/247/rs247/153995 STUCKERT: 18/09/2014- Caxias do Sul- RS, Brasil- O ex-presidente Lula e o governador e candidato à reeleição Tarso Genro durante comíco em Caxias do sul (RS). Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula Em comício em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha, de apoio a candidatos do PT, ex-presidente Lula disse que pode voltar em 2018, ‘se não tiver outra opção melhor do que ele’, para evitar que “pessoas retrógradas, que não gostam de pobre andando de avião ou entrando em shopping” voltem ao governo; ele também voltou a criticar as propostas de governo de Marina Silva (PSB), ironizando a volta do senador Pedro Simon (PMDB) às urnas: “Que nova política é essa? Que história é essa de nova política feita com os velhos políticos”  <br clear="all"> STUCKERT: 18/09/2014- Caxias do Sul- RS, Brasil- O ex-presidente Lula e o governador e candidato à reeleição Tarso Genro durante comíco em Caxias do sul (RS). Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

247 - O ex-presidente Lula voltou a admitir que pode ser candidato em 2018. Em comício em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha, de apoio a candidatos do PT, ele disse quer evitar que “pessoas retrógradas, que não gostam de pobre andando de avião ou entrando em shopping” voltem ao governo.

“Trabalho com a ideia de que a gente tenha muita gente boa na política e que não precise que o Lula volte em 2018. Se até 2018 eu estiver em condições de eleger uma pessoa melhor do que eu, eu vou trabalhar para isso”, afirmou.

Ele também voltou a criticar as propostas de governo de Marina Silva, apontada como principal adversária da presidente Dilma Rousseff. “É muito fácil as pessoas dizerem ‘eu quero uma nova política’, é muito fácil dizerem ‘eu vou governar com os miór(sic)’. Aonde é que estão esses ‘miór’? Aonde é que está essa nova política fora da política? É como se a igreja católica tentasse se renovar fora da igreja. É como se as coisas acontecessem fora das instituições. Não é possível mudar a política por fora da política”, afirmou.

Ele ironizou Marina com a volta do senador Pedro Simon (PMDB) às urnas: “Que nova política é essa? Que história é essa de nova política feita com os velhos políticos”.

Rio Grande do Sul 247 Roberta Namour Fri, 19 Sep 2014 05:28:43 +0000 http://www.brasil247.com/153995
Aécio se beneficia da guerra entre Dilma e Marina http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/153998 : “A estratégia da campanha de Aécio de reunir Dilma e Marina sob o rótulo do continuísmo e de se posicionar como o candidato da "mudança de fato", parece ter surtido efeito em parte dos eleitores”, disse Mauro Paulino, diretor do Datafolha; em dez dias, candidata do PSB oscilou três pontos entre os que têm renda até 5 salários mínimos, que correspondem a 77% da população, caiu quatro no Sudeste e três entre os que moram no Sul, que juntos somam 58% dos brasileiros; já o tucano, em 15 dias, oscilou positivamente três pontos percentuais, destacando-se entre os mais escolarizados e ricos <br clear="all"> :

247 – Nova sondagem do Datafolha aponta que o presidenciável tucano Aécio Neves se beneficiou da “guerra” travada nas últimas semanas entre a presidente Dilma Rousseff e Marina Silva (PSB).

Segundo análise de Mauro Paulino, diretor-geral do Datafolha, e de Alessandro Janoni, diretor de pesquisas, “a estratégia da campanha de Aécio de reunir Dilma e Marina sob o rótulo do continuísmo e de se posicionar como o candidato da "mudança de fato", parece ter surtido efeito em parte dos eleitores”.

Em dez dias, a candidata do PSB oscilou três pontos entre os que têm renda até 5 salários mínimos, que correspondem a 77% da população, caiu quatro pontos entre os eleitores do Sudeste e três entre os que moram no Sul, que juntos somam 58% dos brasileiros.

Já o tucano, em 15 dias, oscilou positivamente três pontos percentuais, destacando-se entre os mais escolarizados e ricos. O candidato carece de melhor desempenho no Norte e no Nordeste, onde encontra-se bem abaixo de sua média.

Para as próximas pesquisas, os diretores do Datafolha dizem que Dilma ficará entre 33% e 40%, o de Marina entre 26% e 33% e o de Aécio entre 15% e 21% (leia mais).

Minas 247 Roberta Namour Fri, 19 Sep 2014 05:11:16 +0000 http://www.brasil247.com/153998
Escócia diz 'não' à independência http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/154002 : Escoceses se reúnem na praça George em Glasgow nesta quinta-feira.   REUTERS/Paul Hackett Referendo sobre possível separação do Reino Unido encerou com vitória do "não" por mais de 55% dos votos; líder separatista, Alex Salmond, reconheceu a derrota: "a Escócia decidiu que este não é o momento de ser um país independente" <br clear="all"> : Escoceses se reúnem na praça George em Glasgow nesta quinta-feira.   REUTERS/Paul Hackett

EDIMBURGO, 19 Set 2014 (AFP) - A Escócia rejeitou a independência do Reino Unido no referendo realizado na quinta-feira, com a vitória do "não" por mais de 55% dos votos, informou na madrugada desta sexta a rede BBC, baseada na apuração de 31 das 32 seções eleitorais.

O "não" obteve 1.914.187 votos, ultrapassando os 1.852.828 votos necessários para se vencer o referendo, com a proposta de independência sendo rejeitada por 55,42% dos eleitores.

O líder separatista, Alex Salmond, reconheceu a derrota: "a Escócia decidiu que este não é o momento de ser um país independente".

Salmond agradeceu Glasgow e todos "os escoceses por este apoio incrível". O "sim" venceu por boa margem em Glasgow.

A vice-primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, admitiu que "há uma real decepção com o fato de que não conseguimos a vitória, por pouco", neste histórico referendo celebrado pelos escoceses.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, falou "com Alistair Darling (líder da campanha do "não") para felicitá-lo pelo bom trabalho".

A apuração foi retardada devido ao alto índice de participação, em torno de 84%, exceto por algumas exceções, como em Glasgow, onde a participação foi de 75%.

Michael Gove, ministro da Educação e um dos membros do gabinete britânico mais próximos a David Cameron, disse: "o Reino Unido está salvo".

No total, 4.285.323 eleitores estavam habilitados: todos os residentes legais na Escócia - britânicos ou não - com idades acima de 16 anos. Os escoceses que vivem no exterior não puderam votar.

Os eleitores responderam à pergunta: "Escócia deve se tornar um país independente?"

A aposta dos investidores na vitória do "não" colocou nesta sexta a libra esterlina em seu nível mais elevado em relação ao euro nos últimos dois anos no mercado de Tóquio.

O euro valia 78,09 pence na manhã desta sexta em Tóquio, seu nível mais baixo desde julho de 2012. Na quinta-feira, a moeda da União Europeia havia fechado a 78,82 pence em Nova York.

A libra também subia em relação à moeda americana, a 1,6522 dólar nesta manhã em Tóquio, contra 1,6389 em Nova York e 1,6227 dólar na Ásia na quinta-feira.

A moeda britânica era negociada a 180,69 ienes, seu maior valor em quase seis anos.

Mundo Roberta Namour Fri, 19 Sep 2014 05:43:32 +0000 http://www.brasil247.com/154002
Aloysio: 'Marina desqualifica PT-PSDB para parecer salvadora' http://www.brasil247.com/pt/247/poder/154005 : Vice na chapa do presidenciável tucano Aécio Neves, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) aposta na virada do cenário eleitoral com as contradições da candidata do PSB: "Marina procura desqualificar o embate entre PT e PSDB como se fosse birra de criança. Faz isso para aparecer como salvadora da pátria. Esse bom-mocismo é esperteza política. Acredito que a razão prevalecerá no fim"; segundo ele, Aécio representa uma corrente política inquestionável e consolidada <br clear="all"> :

247 – Vice na chapa do presidenciável tucano Aécio Neves, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) bate duro nas contradições da candidata do PSB, Marina Silva. "Marina procura desqualificar o embate entre PT e PSDB como se fosse birra de criança. Faz isso para aparecer como salvadora da pátria. Esse bom-mocismo é esperteza política. Acredito que a razão prevalecerá no fim", afirma.

Em entrevista ao Valor, ele acusa a campanha da ex-senadora de adotar a política econômica do PSDB nos grandes temas. Ele se coloca, no entanto, contra a proposta de independência do Banco Central (BC): "O BC tem todas as condições de cumprir seu papel de guardião da moeda e da estabilidade econômica sem precisar institucionalizar isso. Basta respeitar a legislação. Essa proposta é uma tentativa da Marina de se blindar e dizer que não é mais petista", diz.

Quanto ao cenário eleitoral, ele afirma que quem for para o segundo turno contra a presidente Dilma Rousseff, Marina ou Aécio, ganha a eleição. “O próximo governo vai enfrentar uma pedreira com a herança desse governo petista. Nesse aspecto, Aécio representa uma corrente política absolutamente inquestionável e consolidada, com apoio de políticos e capacidade de articulação para frente em condições de dar consistência ao nosso governo. Coisa que não vejo no lado da Marina” (leia mais).

Poder Roberta Namour Fri, 19 Sep 2014 06:06:44 +0000 http://www.brasil247.com/154005
MP denunciará empreiteiras que atuaram com doleiro http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/154006 : OAS, Camargo Corrêa, Queiroz Galvão serão formalmente responsabilizadas por lavagem de dinheiro por usar empresas de fachada do doleiro Alberto Youssef, preso pela PF; “Por que as empreiteiras compravam notas da Rigidez e da MO Laudos? Para dar aspecto de licitude a uma operação completamente ilegal", acusam promotores do Ministério Público  <br clear="all"> :

247 – Investigadores de operação Lava-Jato afirmam que as empreiteiras OAS, Camargo Corrêa, Queiroz Galvão e Mendes Júnior serão formalmente responsabilizadas por lavagem de dinheiro por usar empresas de fachada do doleiro Alberto Youssef, preso pela PF. 

Segundo promotores do Ministério Publico ouvidos pelo site do Valor, não há razão para uma empreiteira ou para um consórcio como o Rnest [da obra da refinaria Abreu e Lima] ou o CNCC [Consórcio CNCC] pagarem por um serviço que de fato não existe: “Por que as empreiteiras compravam notas da Rigidez e da MO Laudos? Para dar aspecto de licitude a uma operação completamente ilegal", acusam.

Eles acrescentam que "a lavagem está perfeitamente caracterizada. O difícil é rastrear cada pagamento, porque o esquema envolveu muito dinheiro vivo".

Segundo reportagem do Globo, documentos apreendidos no escritório da contadora Meire Poza cita transações da Rigidez, do doleiro, com empresas como a OAS, Queiroz Galvão, e Camargo Corrêa para obras na refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

O Consórcio Ipojuca, formado pela Queiroz Galvão e Iesa Óleo e Gás, repassou ao menos R$ 1,3 milhão para a Rigidez, de Youssef, que não tem funcionário algum. Já a Sanko Sider, subcontratada pela Camargo Corrêa, contratou empresa por R$ 2,3 milhões para “serviços específicos de consultoria técnica”. A Coesa, do grupo OAS, pagou R$ 650 mil.

Paraná 247 Roberta Namour Fri, 19 Sep 2014 06:39:07 +0000 http://www.brasil247.com/154006
Maior voto espontâneo anima campanha de Aécio http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153932 : Presidenciável tucano cresceu não apenas na pesquisa estimulada na última mostra do Ibope, mas também na espontânea – quando os entrevistadores não apresentam cartelas de nomes, apenas perguntam em quem o eleitor irá votar; índice de Aécio Neves subiu de 12% para 15% nesse quesito, enquanto o de Marina Silva (PSB) passou de 23% para 24% e Dilma caiu de 35% para 31%, ressalta Tereza Cruvinel, em seu blog no 247; "Para muitos analistas, a pesquisa espontânea indica a maior solidez no potencial de voto de um candidato e suas chances de crescimento na reta final. Também por isso, Aécio e o comando de sua campanha entendem que ele voltou ao jogo e ainda tem tempo e condições para disputar com Marina a segunda vaga no segundo turno", avalia a jornalista; leia a íntegra <br clear="all"> :

247 – Um dos motivos para que o comitê do presidenciável Aécio Neves (PSDB) tenha confiança de que ele voltou ao jogo eleitoral, após o crescimento de quatro pontos percentuais (de 15% para 19%) de acordo com a última pesquisa Ibope, é o crescimento do voto espontâneo no candidato tucano.

O voto espontâneo é dado quando o entrevistador apenas pergunta em quem o eleitor irá voltar, sem mostrar placas com nomes dos candidatos. "Na pesquisa feita entre os dias 5 e 7, Aécio tinha 12% de voto espontâneo. Na que foi realizada entre os dias 13 e 15, este índice subiu para 15%", ressalta Tereza Cruvinel, em seu blog no 247.

"Para muitos analistas, a pesquisa espontânea indica a maior solidez no potencial de voto de um candidato e suas chances de crescimento na reta final. Também por isso, Aécio e o comando de sua campanha entendem que ele voltou ao jogo e ainda tem tempo e condições para disputar com Marina a segunda vaga no segundo turno", escreve ainda a jornalista.

Leia a íntegra em Cresce também o voto espontâneo em Aécio

Poder Aline Lima Thu, 18 Sep 2014 15:02:28 +0000 http://www.brasil247.com/153932
Janot é a favor de prisão domiciliar para Delúbio http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/153940 : Procurador-geral da República enviou nesta quinta-feira 18 ao Supremo Tribunal Federal parecer no qual defende a concessão do regime aberto ao ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, condenado na Ação Penal 470; documento será analisado pelo ministro Luís Roberto Barroso <br clear="all"> :

André Richter - Repórter da Agência Brasil

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou hoje (18) ao Supremo Tribunal Federal parecer no qual defende a concessão do regime aberto ao ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, condenado na Ação Penal 470, o processo do mensalão. Se o parecer for aceito pelo ministro Luís Roberto Barroso, responsável por julgar as execuções penais do processo, Delúbio vai cumprir a pena em casa.

De acordo com o procurador, Delúbio cumpriu um sexto da pena, requisito exigido pela Lei de Execução Penal para a concessão do benefício. O ex-tesoureiro foi condenado a seis anos e oito meses de prisão no regime semiaberto.

"Em consulta aos dados de sua execução penal, verifica-se que ele cumpriu mais nove meses e 27 dias no regime semiaberto, além de remir 117 dias de sua pena, fatos que inexoravelmente conduzem a constatação do atendimento do requisito objetivo previsto no Artigo 112 da Lei 7.210/84 (Lei de Execução Penal), qual seja, o cumprimento de um sexto de sua pena no regime inicial semiaberto". concluiu Janot.

De acordo com o Código Penal, o regime aberto deve ser cumprido em uma casa de albergado, para onde os presos retornam somente para dormir. No Distrito Federal, pela inexistência do estabelecimento no sistema prisional, os juízes determinam que o preso fique em casa e cumpra algumas regras, como horário para chegar ao domicílio, não sair da cidade sem autorização da Justiça e manter endereço fixo.

Brasília 247 Gisele Federicce Thu, 18 Sep 2014 15:34:01 +0000 http://www.brasil247.com/153940
Blog da Cidadania aponta suposta fraude do Ibope http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153943 : "Só o Ibope viu a reação de Aécio", escreve o blogueiro Eduardo Guimarães, sobre o instituto de Carlos Augusto Montenegro; ele conta ter pesquisado e constatado que as campanhas dos adversários do tucano "não detectaram a reação dele nem nos trackings (por telefone) nem nas pesquisas de campo"; Guimarães acrescenta que, "pelo visto, a eleição em segundo turno precisará de investigação igual" à feita em 2010 <br clear="all"> :

Por Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania

Serei curto e grosso.

Na última quarta-feira (17/9), este blogueiro se surpreendeu ao ser contatado por fonte que se disse ligada à campanha de Marina Silva. A pessoa afirmou ter "informação quente" sobre a pesquisa Ibope divulgada na noite anterior pelo Jornal Nacional.

Segundo o informante, as pesquisas e os trackings do PSB não haviam detectado a reação de Aécio, quem, segundo o Ibope, teria subido fora da margem de erro nas simulações de primeiro e segundo turnos tanto contra Dilma quanto contra Marina.

Devido aos evidentes interesses que a campanha de Marina tem em vender que Aécio não ameaça a ida dela ao segundo turno, empreendi uma busca frenética de informações mais confiáveis. Resultado: só o Ibope viu a reação de Aécio.

Sim, é isso mesmo: as campanhas dos adversários de Aécio não detectaram a reação dele nem nos trackings (por telefone) nem nas pesquisas de campo. O cenário estaria igual ao da pesquisa Vox Populi, divulgada na segunda-feira (16/9).

Mais especificamente: Aécio continuaria patinando na faixa de 14 a 16 por cento, Marina na faixa de 27 a 30 por cento e Dilma entre 36 e 40 por cento. No segundo turno, Dilma e Marina estariam empatadas tecnicamente e Aécio ainda muito longe de ambas.

Segundo a fonte inicial e outras fontes, PSB e PT vêm detectando que Aécio continua patinando nos mesmos patamares pré-Ibope.

Outra informação: a pesquisa Datafolha que sai nesta sexta-feira tentará dar uma última chance para Aécio reagir. Divulgará pesquisa parecida com a do Ibope, com Aécio reagindo no primeiro e no segundo turnos, Marina estagnada ou caindo pouco e Dilma caindo pouco mais.

Ibope primeiro e Datafolha depois estariam dando a Aécio a última chance. Se nem assim ele reagir, será abandonado e Marina se tornará a candidata oficial da mídia e dos interesses que ela representa. Sem volta.

A volatilidade da campanha eleitoral a presidente da República tem facilitado sobremaneira as manipulações dos institutos de pesquisa. Devido à baixa produção de sondagens do Vox Populi e da adesão do Sensus à campanha de Aécio, em 2014 as pesquisas estão piores que as de 2010.

Em 2010, este Blog conseguiu, através da ONG Movimento dos Sem Mídia, que a Procuradoria Geral Eleitoral determinasse abertura de inquérito na Polícia Federal contra os institutos de pesquisa. Pelo visto, a eleição em segundo turno precisará de investigação igual.

Mídia Gisele Federicce Thu, 18 Sep 2014 15:45:25 +0000 http://www.brasil247.com/153943
Diretor diz que BC trabalha com autonomia operacional http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153938 : "O Banco Central funciona com autonomia operacional. Todas as decisões que tomei foi com a minha consciência", disse o diretor de Fiscalização da autarquia, Anthero Meirelles, ressaltando que nunca recebeu nenhuma sugestão para tomar suas decisões <br clear="all"> :

Kelly Oliveira – Repórter da Agência Brasil

O Banco Central (BC) funciona com autonomia operacional, afirmou hoje (18) o diretor de Fiscalização da autarquia, Anthero Meirelles. Em entrevista sobre o Relatório de Estabilidade Financeira, Meirelles foi questionado sobre o debate eleitoral em torno da autonomia da intituição.

Meirelles lembrou que está na diretoria do Banco Central há sete anos e que já participou de mais de 50 reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom, responsável pela definição da taxa Selic). "O Banco Central funciona com autonomia operacional. Todas as decisões que tomei foi com a minha consciência", disse ele, ressaltando que nunca recebeu nenhuma sugestão para tomar suas decisões. "O trabalho do Banco Central precisa de autonomia operacional, mas não vou entrar na discussão sobre a necessidade de [isso] estar na lei", enfatizou.

A discussão sobre a autonomia do Banco Central é um dos temas do debate entre os candidatos à Presidência da República. No último dia 10, a presidenta Dilma Rousseff, candidata do PT à reeleição, disse que não "acha necessária" a autonomia e criticou propostas que defendem autonomia técnica da instituição, sem o controle do governo e do Congresso Nacional.

Já a candidata do PSB, Marina Silva, defende a autonomia do Banco Central, para garantir que o país recupere a credibilidade e volte a crescer. De acordo com Marina, a autonomia da instituição servirá também para preservar os empregos.

Economia Gisele Federicce Thu, 18 Sep 2014 15:25:50 +0000 http://www.brasil247.com/153938
Janot é contra direito de resposta de Marina ao PT http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153929 : Campanha da candidata do PSB requer direito de um minuto no programa eleitoral de Dilma Rousseff para responder críticas sobre o que pensa sobre o pré-sal; Marina Silva considera que programa de Dilma usou de distorção maliciosa e evidente ao abordar o tema; procurador-geral eleitoral entende que peça não ofende a presidenciável ou sua coligação <br clear="all"> :

247 – O procurador-geral eleitoral, Rodrigo Janot, enviou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um parecer contra o pedido da candidata Marina Silva por direito de resposta à propaganda eleitoral do PT sobre o pré-sal. Janot entendeu que a peça não ofende a presidenciável do PSB nem sua coligação.

No comercial de 30 segundos, a campanha de Dilma Rousseff diz que Marina "vai reduzir a prioridade do pré-sal" e que, com isso, a Educação e a Saúde perderiam R$ 1,3 trilhão. Na avaliação do comitê de Marina, o programa usou de distorção maliciosa e evidente ao abordar o tema.

Em ação no TSE, os advogados da candidata pediram um minuto no programa de Dilma. O tribunal pode apreciar a ação ainda nesta quinta-feira. Por outro lado, os petistas defendem que a peça respeita os princípios que regem a propaganda eleitoral e que a campanha de Marina Silva quer transferir uma discussão que é absolutamente política para o campo jurídico.

Assista ao programa: 

Poder Gisele Federicce Thu, 18 Sep 2014 14:18:04 +0000 http://www.brasil247.com/153929
“Pessimilda”, mídia familiar vê maior desigualdade http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153907 : Índice que mede a desigualdade é considerado estável há dois anos pelo IBGE; de 2012 para 2013, passou de 0,496 para 0,498; segundo o instituto, com essa variação, não é possível afirmar que houve piora da desigualdade, e sim que ela se manteve no mesmo nível; na Folha, porém, a manchete foi: "Sob governo Dilma, desigualdade no Brasil aumenta pela primeira vez desde 2001"; no G1, portal da Globo, e no site da revista Veja títulos foram similares; cobertura da Pnad lembra comportamento de Pessimildo, personagem do PT que só vê o lado ruim das coisas; vale lembrar que pesquisa trouxe uma série de dados positivos, como aumento da renda e a queda do trabalho infantil e do analfabetismo <br clear="all"> :

247 – O índice que mede a desigualdade de renda no Brasil mantém-se estável há dois anos, na avaliação do IBGE. Segundo o instituto, com a variação registrada nos últimos anos, não é possível afirmar que houve piora da desigualdade, e sim que ela se manteve no mesmo nível. Na avaliação da mídia familiar, no entanto, o índice de Gini, que passou de 0,496 para 0,498 entre 2012 e 2013, registra "aumento da desigualdade".

Foi o que registraram os portais da imprensa familiar, como a Folha de S. Paulo, que escancarou na primeira página o seguinte título: "Sob governo Dilma, desigualdade no Brasil aumenta pela primeira vez desde 2001". No portal G1, da Globo, a constatação foi semelhante: "desigualdade aumenta e volta ao patamar de 2011". Já o portal da revista Veja ressalta que "há três anos país não reduz desiguldade".

"Eu não diria que houve queda nem redução, porque a variação é muito pequena de 2011 para cá. A gente percebe que, desde 2011, [o índice] está variando para cima ou para baixo, mas eu não diria que é uma melhora ou uma piora". A avaliação é de Maria Lucia Vieira, gerente da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, Pnad, e aponta o contrário do que foi divulgado pela mídia.

A cobertura da pesquisa divulgada nesta quinta-feira 18 pelo IBGE lembra o comportamento de Pessimildo, personagem do programa eleitoral do PT que vê tudo de forma negativa. Vale ressaltar, por exemplo, que a mesma pesquisa trouxe uma série de dados positivos, como o aumento da renda do trabalhador, do número de trabalhadores com carteira assinada e do número de crianças com mais de quatro anos na escola. Além disso, houve queda de 12,35% do trabalho infantil e do analfabetismo.

Mídia Gisele Federicce Thu, 18 Sep 2014 12:30:30 +0000 http://www.brasil247.com/153907
Veritá/DF: segundo turno entre Agnelo e Rollemberg http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/153906 : Na pesquisa divulgada nesta quinta-feira (18) pelo Instituto Veritá, Rollemberg (PSB) aparece com 25,5% das intenções de voto, seguido pelo atual governador Agnelo Queiroz (PT), que tem 19,2%. Em terceiro, vem Jofran Frejat (PR), com 17,1%; mesmo com a esposa de José Roberto Arruda (PR), Flavia Peres (PR), como vice, Frejat não consegue sustentar herança eleitoral deixada pelo parceiro impugnado e vê seu desempenho cair a menos da metade dos 37% que as pesquisas apontavam no dia da renúncia de Arruda <br clear="all"> :

Brasília 247 - Pesquisa Veritá divulgada nesta quinta-feira (18) indica que haverá 2º turno entre Rollemberg (PSB) e Agnelo Queiroz (PT) na disputa pelo governo do Distrito Federal. O senador socialista aparece com 25,5% das intenções de voto, seguido pelo atual governador, que tem 19,2%. Em terceiro, vem Jofran Frejat (PR), com 17,1%. Luiz Pitiman (PSDB) tem 3,4%, Toninho do Psol (PSOL), 1,7% e Perci Marrara (PCO), 0,2%

Mesmo com a esposa de Arruda, Flavia Peres (PR), como vice, Frejat não conseguiu sustentar a herança eleitoral deixada pelo parceiro impugnado e, a pouco mais de duas semanas da votação, vê seu desempenho junto ao eleitorado cair a menos da metade do que as pesquisas apontavam no dia em que Arruda renunciou, com 37% das intenções de voto.

Na simulação de 2º turno entre Rollemberg e Agnelo, 55,7% dos entrevistados disseram que votariam no senador, enquanto 26,5% escolheram o atual governador e candidato à reeleição.

A pesquisa, registrada no TRE-DF (DF-00048/2014), foi realizada entre 15 e 17 de setembro com 1510 eleitores. A margem de erro é de 2,52% para cima ou para baixo.

Brasília 247 Leonardo Araújo Thu, 18 Sep 2014 11:47:26 +0000 http://www.brasil247.com/153906
Ex-diretor da Petrobras poderá voltar à CPMI http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/153922 : Relator da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da Petrobras, deputado Marco Maia (PT-RS), afirmou que assim que forem esclarecidos os termos do acordo de delação premiada de Paulo Roberto Costa, a CPMI pode voltar a ouvi-lo e questioná-lo de forma mais precisa sobre as denúncias de corrupção; ontem, ele afirmou que usaria seu direito de permanecer em silêncio; parlamentares agendaram reunião no STF para a próxima terça-feira 23 para solicitar informações sobre a delação <br clear="all"> :

Emanuelle Brasil, Agência Câmara - O relator da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras, deputado Marco Maia (PT-RS), afirmou que assim que forem esclarecidos os termos do acordo de delação premiada do ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa, a CPMI pode voltar a ouvi-lo e questioná-lo de forma mais precisa sobre as denúncias de corrupção.

No início de seu depoimento desta quarta-feira na CPMI, Paulo Roberto Costa afirmou que usaria seu direito de permanecer em silêncio, independentemente de a sessão ser aberta ou fechada.

O presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), assinalou que o trabalho da CPMI foi frustrado pelo silêncio do depoente, no entanto o processo investigatório seguirá para outra fase. "Nós tentamos sensibilizar o Supremo Tribunal Federal (STF) e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para a possibilidade de compartilhamento efetivo de informações sobre a delação premiada", disse.

Ida ao STF
Os integrantes da CPMI já agendaram uma reunião com ministros do STF para a próxima terça-feira (23), às 18 horas, para solicitar informações sobre a delação e saber quando os parlamentares poderão ter acesso à integra do processo.

Os parlamentares negociam uma data para audiência com o procurador-geral Rodrigo Janot.

Rêgo afirma que a dificuldade de acesso a detalhes do acordo não prejudicará as funções da comissão a qual também já fez análises sobre o sigilo de dados bancários e telefônicos.

Luis Macedo / Câmara dos Deputados
Oitiva do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa
Paulo Roberto Costa se negou a responder todas as perguntas dos parlamentares argumentando ter direito de permanecer em silêncio.
Vital do Rêgo pediu a prorrogação até 23 de dezembro do prazo para a CPMI apresentar relatório. O prazo original para a conclusão dos trabalhos era em 23 de novembro. O objetivo do senador é dar continuidade às funções investigatórias e compensar o período do "recesso branco."

O deputado Marco Maia assumiu o compromisso de dar continuidade aos trabalhos mesmo durante o período eleitoral, sem que haja interrupção no processo investigatório.

Depoimento
Paulo Roberto Costa se eximiu de responder a todas as perguntas dos parlamentares com o argumento de que tem o direito de permanecer em silêncio. Um dos primeiros questionamentos foi do relator Marco Maia sobre o desvio de recursos a empreiteiras no âmbito da construção da refinaria Abreu e Lima.

Costa também manteve sua reserva de sigilo em relação às perguntas sobre detalhes do acordo de delação premiada e sobre seu suposto vinculo com o doleiro Alberto Youssef.

Os parlamentares chegaram a votar requerimento que pedia a transformação da sessão de aberta em fechada, mas por 10 votos a 8, os integrantes da CPMI decidiram manter a sessão aberta porque o depoente disse que manteria a posição mesmo que a reunião fosse fechada.

Durante e depois da reunião desta quarta, os líderes partidários manifestaram a frustração com a falta de esclarecimento das supostas denúncias de Costa às vésperas da eleição, como afirmou o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP). "Estou preocupado com quem assaltou a Petrobras. Não é justo a população brasileira definir o seu voto sem saber quem, de fato, agiu como político ou como marginal, surrupiando a Petrobras".

O líder do PT, deputado Vicentinho (SP), foi outro que lamentou a falta de depoimento. "Lamento porque, ao não falar, continuam o espetáculo e a postura enganadora e mentirosa. A oposição tem uma grande aliada que é a grande mídia. Nós queremos a verdade em todas as circunstâncias".

O líder do PMDB, deputado Eduardo Cunha (RJ), também protestou. "O PMDB não tem nada a esconder. O PMDB gostaria, sim, que o senhor Paulo Roberto aqui confirmasse ou desmentisse os nomes dos parlamentares que supostamente foram mencionados como participantes ou não de sua suposta delação. Porque pior do que deixar em aberto nomes de parlamentares que não foram citados, é citar ou vazar nomes de parlamentares que não têm, sequer, o direito de defesa porque não sabem, sequer, daquilo que estão sendo acusados às vésperas de um processo eleitoral".

Brasília 247 Gisele Federicce Thu, 18 Sep 2014 12:56:28 +0000 http://www.brasil247.com/153922
Marina muda e diz: "direito trabalhista é sagrado" http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153868 : Um dia depois de falar em "atualização da CLT", numa declaração que foi interpretada pelo presidente da CUT, Vagner Freitas, como sinalização para flexibilizar direitos dos trabalhadores, a candidata Marina Silva mais uma vez ajustou seu discurso; atribuiu eventuais mudanças na CLT a "fofocas" e "mentiras" espalhadas por opositores; “Os direitos dos trabalhadores precisam ser respeitados, todas as suas conquistas devem e precisam ser respeitadas, não vou ficar tratando de especulações, fofocas que estão sendo espalhadas no Brasil inteiro. Temos um programa que é claro”, disse ela <br clear="all"> :

247 - A candidata Marina Silva, do PSB, mais uma vez fez ajustes em seu discurso. Um dia depois de se encontrar com empreendedores e prometer "atualizar" as regras da CLT, que garante direitos dos trabalhadores, ela atribui eventuais mudanças na lei trabalhista a "fofocas e mentiras". 

A fala de Marina repercutiu mal e foi interpretada por Vagner Freitas como uma sinalização para flexibilizar direitos trabalhistas. "Marina fala em atualizar as regras para ajudar na geração de empregos. O que isso significa? Quando os empresários falam isso eles são claros: querem diminuir direitos e ampliar lucros. Nada mais que isso", disse ele.

Ontem à noite, Marina abandonou de vez o tema da atualização da CLT e afirmou que "direitos trabalhistas são sagrados". Leia, abaixo, reportagem da Reuters a respeito:

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A candidata à Presidência Marina Silva (PSB) disse que se eleita respeitará os “sagrados” direitos dos trabalhadores brasileiros, afirmando também que não vai admitir “fofocas e mentiras” espalhadas por meio de programa eleitoral na TV, numa alusão a propagandas da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT).

“Os direitos dos trabalhadores precisam ser respeitados, todas as suas conquistas devem e precisam ser respeitadas, não vou ficar tratando de especulações, fofocas que estão sendo espalhadas no Brasil inteiro. Temos um programa que é claro”, disse ela.

“A defesa dos direitos dos trabalhadores é sagrada para nós”, acrescentou, lembrando seu passado como sindicalista.

Na véspera, Marina falou em "atualização" das regras trabalhistas, mas procurou deixar claro que isso seria feito "sem prejuízo das conquistas" dos trabalhadores.

Nesta manhã, Dilma, que tenta a reeleição, também entrou no assunto, ao ser questionada sobre possíveis alterações nessa área. "Eu não mudo direitos na legislação trabalhista... lei de férias, décimo terceiro, fundo de garantia, hora-extra, isso não mudo nem que a vaca tussa", disse a petista.[nL1N0RI1N7] 

"FOFOCAS E MENTIRAS"

Marina aproveitou para ressaltar a desvantagem de sua candidatura em relação ao tempo para propaganda eleitoral na TV, na qual os rivais estariam tentando pautar o debate eleitoral por meio da disseminação de “fofocas e mentiras”.

“O nosso projeto é o que faz com que com apenas 2 minutos de televisão --contra 5 minutos do governador Aécio e quase 12 minutos de Dilma-- a gente consiga com que nosso projeto esteja avançando e fazendo com que esses segmentos que apostam na estagnação, na polarização, fiquem desesperados”, disse ela, ao responder se tais ataques estariam tendo efeito no eleitorado.

Pesquisa Ibope divulgada na terça-feira mostrou Marina oscilando 1 ponto para baixo, a 30 por cento das intenções de voto para o primeiro turno, atrás de Dilma, que perdeu 3 pontos e foi a 36 por cento, mas ainda com boa vantagem sobre Aécio Neves (PSDB), que cresceu 4 pontos, para 19 por cento.

Na simulação de segundo turno, a candidata do PSB e a presidente estão em empate técnico, mas com vantagem numérica para a ex-senadora: 43 a 40 por cento.

Ao ser questionada sobre declarações de seu candidato a vice, Beto Albuquerque (PSB), que nesta quarta-feira sugeriu em entrevista uma eventual aliança com o PMDB caso vença a eleição, Marina retomou o discurso de que pretende governar “com os melhores” e creditou às composições governamentais "pragmáticas" os casos de corrupção envolvendo a Petrobras.

“Eu não vou aceitar as composições feitas há 20 anos pelo PT e PSDB, que são feitas de forma pragmática, com base na distribuição de pedaços do Estado, o que acaba fazendo o que está acontecendo com as agências e a Petrobras", disse, referindo-se a recentes denúncias sobre a estatal.

"A escolha do senhor Paulo Roberto (Costa), que está há 12 anos como funcionário de confiança da presidente Dilma é o resultado dessa governabilidade que essas pessoas estão reivindicando”, disse Marina, referindo-se ao ex-diretor da petroleira que se encontra preso.

(Reportagem de Felipe Pontes)

Economia Leonardo Attuch Thu, 18 Sep 2014 07:31:17 +0000 http://www.brasil247.com/153868
Aécio mira Marina: "sonhar, todo mundo sonha" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153885 : No programa eleitoral de rádio desta quinta-feira, candidato do PSDB comemora crescimento de 4 pontos no Ibope e volta a provocar Marina Silva (PSB) e seus aliados, os "sonháticos"; "Sonhar todo mundo sonha. Agora eu quero ver transformar o sonho em realidade", alfinetou Aécio Neves; na avaliação de Tereza Cruvinel, em seu blog no 247, avanço se deve ao fato de eleitores anti-petistas terem refluído para Aécio depois da exposição de contradições de Marina; "Logo, o tucano está recuperando parte do que perdeu para Marina, justamente quando ela foi confrontada fortemente por Dilma", escreve a jornalista; leia a íntegra <br clear="all"> :

247 – Comemorando o crescimento de quatro pontos de acordo com a última pesquisa Ibope, o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, voltou a atacar a adversária do PSB, Marina Silva, e seus aliados, os "sonháticos", em seu programa eleitoral de rádio na manhã desta quinta-feira 18. "Sonhar todo mundo sonha. Agora eu quero ver transformar o sonho em realidade", afirmou Aécio.

Em nova referência a Marina, Aécio Neves diz que um candidato não deve ser julgado "apenas por aquilo que promete", mas "principalmente por aquilo que fez". "Até porque, se promessa resolvesse alguma coisa, o Brasil estava bem melhor", afirmou o tucano. Um locutor diz na peça que Aécio é "quem pode enfrentar a Dilma de frente no segundo turno".

O crescimento do presidenciável – que se mantinha em 15% das intenções de voto – na última pesquisa Ibope deu fôlego à campanha do PSDB. Conforme avalia Tereza Cruvinel, em seu blog no 247, "o que explica seu crescimento é o refluxo de eleitores anti-petistas que o haviam abandonado no auge da onda pró-Marina". A jornalista acrescenta: "logo, o tucano está recuperando parte do que perdeu para Marina, justamente quando ela foi confrontada fortemente por Dilma, e um pouco menos, por ele mesmo, em algumas de suas posições".

Nesta quarta-feira 17, segundo reportagem da Folha de S. Paulo, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, principal cabo eleitoral de Aécio, disse acreditar que os ataques do candidato deveriam mirar a presidente Dilma Rousseff, do PT, e não Marina. "O chumbo grosso deve se concentrar no PT e, portanto, na Dilma", disse ele, embora tenha declarado considerar "natural" as críticas a Marina. A estratégia de Aécio, no entanto, visam diminuir o movimento do "voto útil" à candidata do PSB.

Leia a íntegra do texto de Tereza Cruvinel em seu blog no 247.

Poder Gisele Federicce Thu, 18 Sep 2014 10:01:36 +0000 http://www.brasil247.com/153885
Merval vê Aécio Neves “de volta ao jogo” http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153877 : Segundo colunista Merval Pereira, nas contas da campanha do PSDB, uma diferença dessas de hoje nas pesquisas de intenção de voto significa na verdade 6 pontos, e mais uma redução de 2 ou 3 pontos já indicará o empate com a candidata Marina Silva; ‘Para tanto, pretendem continuar na mesma linha, denunciando a proximidade da Marina com o PT, “até por que ela está confirmando isso”’, disse  <br clear="all"> :

247 – O colunista Merval Pereira, que já projetou Marina Silva (PSB) como favorita do cenário eleitoral, agora vê o presidenciável tucano Aécio Neves “de volta ao jogo”.

Segundo ele, nas contas da campanha do PSDB, uma diferença dessas de hoje nas pesquisas de intenção de voto significa na verdade 6 pontos, e mais uma redução de 2 ou 3 pontos já indicará o empate com a candidata Marina Silva; ‘Para tanto, pretendem continuar na mesma linha, denunciando a proximidade da Marina com o PT, “até por que ela está confirmando isso”’, disse. Leia:

Aécio Neves, de volta ao jogo

A campanha do candidato do PSDB, Aécio Neves, vive momento de euforia contida, “muito pé no chão, muito focada”, na definição de um assessor próximo ao candidato.

De volta ao jogo, com planos de atacar a candidata do PSB para recuperar o lugar no segundo turno, a avaliação é que, quando começou o fenômeno Marina, houve uma demora de duas semanas para ele parar de cair, que era a primeira providência para reverter o quadro.

Esse intervalo deu margem a diversos boatos, todos indicando que Aécio poderia até desistir de concorrer.

Em seguida, era preciso diminuir a diferença para Marina, o que aconteceu agora, segundo a pesquisa Ibope divulgada na terça-feira.

Na definição de um assessor, “o que a gente apostava que ia acontecer está acontecendo: diziam que íamos virar nanicos, e paramos de cair; diziam que estávamos estagnados, e apostávamos que voltaríamos a crescer”.

Mais importante até do que os 4 pontos ganhos, na visão da campanha, é redução da distância que o separa da candidata do PSB. Duas semanas atrás, Aécio estava 18 pontos atrás da Marina, agora está 11, sem dúvida uma mudança de patamar.

Agora, todo o esforço será para continuar a reduzir essa diferença, com o objetivo de na próxima semana estar 7 ou 8 pontos atrás dela, na direção do empate técnico.

Nas contas da campanha, uma diferença dessas de hoje significa na verdade 6 pontos, e mais uma redução de 2 ou 3 pontos já indicará o empate dos dois candidatos. Para tanto, pretendem continuar na mesma linha, denunciando a proximidade da Marina com o PT, “até por que ela está confirmando isso”.

Quando ela chora e diz que sempre defendeu o Lula, e não esperava que fosse tratada dessa maneira, está confirmando essa proximidade, é o raciocínio dos marqueteiros e assessores que cuidam da campanha.

Um dado considerado “precioso” na campanha de Aécio Neves é a redução da diferença entre ele e a presidente Dilma no segundo turno. “Estávamos 15 pontos atrás da Dilma e estamos a 6 pontos. Esse é um dado que reforça a tese de que o Aécio tem condições de vencer a Dilma no segundo turno”.

O voto no Aécio no primeiro turno passaria a ser o voto útil, o que também é importante, pois a campanha sabe que há eleitores do PSDB que estão votando na Marina porque consideram que ela é a única que pode derrotar o PT.

Nem é verdade que a Marina vencerá a Dilma no segundo turno, nem é verdade que o Aécio não pode vencê-la, argumentam. O tempo escasso para a recuperação, de 16 dias, não preocupa a campanha de Aécio, porque acham que essa progressão não é aritmética.

“A eleição começa a ganhar a atenção das pessoas e a questão ética está entrando no radar do eleitor”. É preciso aproveitar esse movimento e seguir crescendo.

Em Minas Gerais, Aécio Neves está crescendo bem, começa a recuperar a votação no Sul do país e precisa recuperar em São Paulo. O objetivo é recuperar o eleitor tucano que foi para Marina pensando que o Aécio não tinha mais chance de vencer. O eleitor conservador, antipetista, que sempre foi do PSDB.

Nas pesquisas internas do PSDB há a identificação de uma perda de substância na votação de Marina. Neste momento, estaria saindo mais voto em Marina do que entrando. O eleitor tem pouca permanência na escolha de Marina.

A propaganda de Marina indignada, citando Dilma diretamente e quase chorando, não pegou bem entre os eleitores que participaram de uma pesquisa qualitativa realizada para o PSDB.

Teve eleitor que achou exagerado, acima do tom, e quem fizesse o seguinte comentário: quero ter um presidente frágil, que chore? Quero cuidar da minha presidente ou quero que o presidente cuide de mim?

Para manter o ânimo, será preciso que a próxima pesquisa do Datafolha, a ser divulgada na sexta-feira, confirme que a tendência de Aécio Neves é de crescimento.

Mídia Roberta Namour Thu, 18 Sep 2014 08:37:54 +0000 http://www.brasil247.com/153877
Economistas respondem Arminio, que diz que salários cresceram "muito" http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153880 : Ex-presidente da Caixa Jorge Mattoso e professor do Instituto de Economia da Unicamp Pedro Rossi respondem, em artigo, à declaração do ex-presidente do Banco Central Arminio Fraga; segundo eles, o liberalismo "esbarra em suas próprias contradições" quando trata da questão social e distributiva, e "talvez venha daí a dificuldade de Arminio Fraga em explicar claramente aos brasileiros por que os salários cresceram 'muito' e por que, na visão dele, isso seria ruim para a economia e a sociedade" <br clear="all"> :

247 - Os economistas Jorge Mattoso, ex-presidente da Caixa e ex-Unicamp, e o professor do Instituto de Economia da Unicamp Pedro Rossi, respondem, em artigo na Folha de S. Paulo nesta quinta-feira 18, à declaração do ex-presidente do Banco Central Arminio Fraga de que os salários cresceram "muito". Segundo Mattoso e Rossi, o liberalismo "esbarra em suas próprias contradições" quando trata da questão social e distributiva, e "talvez venha daí a dificuldade de Arminio Fraga em explicar claramente" o que quis dizer com a afirmação. Leia abaixo:

Dois projetos econômicos em disputa

Ainda que o clima eleitoral possa encorajar posturas mais militantes, esperávamos que um economista experiente como Arminio Fraga se dispusesse a dialogar com opiniões divergentes com alguma serenidade. Lamentamos o tom e os termos de sua resposta ao nosso artigo publicado em 1º de setembro neste mesmo espaço.

Mesmo assim, agradecemos sua resposta. Ela reforça nossa constatação de que desqualificar o interlocutor e apresentar questões econômicas como um problema técnico seriam apenas uma tentativa de esconder divergências essencialmente políticas ou determinados interesses econômicos.

Divergências no campo da economia têm diferentes pontos de partida. O paradigma keynesiano fundamenta o papel do Estado na preservação de bancos públicos, no incentivo à diversificação da estrutura produtiva, no provimento de serviços sociais universais e na redução das desigualdades. Nessa perspectiva, os mecanismos de mercado seriam incapazes de garantir uma distribuição de renda mais igualitária ou o acesso de todos aos direitos sociais fundamentais.

Já o paradigma neoclássico, que fundamenta o atual liberalismo econômico, tem outra visão do papel do Estado e das políticas sociais e da desigualdade de renda. Alguns economistas neoclássicos, como Gregory Mankiw, justificam explicitamente a desigualdade de renda e os supersalários do setor financeiro alegando que as remunerações de mercado refletem a meritocracia e remuneram fatores de produção de acordo com a contribuição que esses proporcionam à sociedade.

Esse argumento crê que a criação de riqueza depende de incentivos de renda. Por isso, a desigualdade seria funcional ao crescimento e deveria ser "corrigida" pelo próprio mercado. Com relação às políticas sociais, os neoclássicos defendem a focalização em detrimento do acesso universal aos serviços sociais. Ao Estado caberia apenas cuidar dos mais pobres, enquanto os demais buscariam no setor privado o atendimento de suas demandas.

Portanto, além de refratários à distribuição da renda, há também evidentes contradições entre a visão neoclássica e o Estado de bem-estar proposto pela Constituição de 1988.

No debate brasileiro, os economistas neoclássicos mostram seu liberalismo ao defender a redução do Estado no setor produtivo e no sistema financeiro. Mas quando tratam da questão social e distributiva, o liberalismo esbarra em suas próprias contradições. Talvez venha daí a dificuldade de Arminio Fraga em explicar claramente aos brasileiros por que os salários cresceram "muito" e por que, na visão dele, isso seria ruim para a economia e a sociedade.

Essas concepções marcam a diferença entre um projeto econômico liberal e outro em que o Estado seja ativo na garantia dos direitos sociais e na busca do crescimento econômico com distribuição da renda.

O projeto liberal reaparece nas candidaturas de Aécio Neves e de Marina Silva trazendo de volta a possibilidade de o país retomar um padrão de crescimento concentrador de renda e de desmontar nosso incipiente Estado de bem-estar social.

Em contrapartida, nos últimos 12 anos, o Brasil caminhou na direção da redução de nossa histórica desigualdade de renda --mesmo em meio à turbulência da crise internacional-- e a candidatura da presidenta Dilma Rousseff vem reafirmando esse compromisso.

Se ninguém tem o monopólio do repúdio à pobreza, existem concepções diversas sobre igualdade, meritocracia e justiça social que diferenciam os dois projetos econômicos em disputa nesta eleição e que precisam ser cada vez mais explicitadas no debate público.

JORGE MATTOSO, 64, economista, é professor aposentado do Instituto de Economia da Unicamp. Foi presidente da Caixa Econômica Federal (2003-2006)

PEDRO ROSSI, 33, é professor do Instituto de Economia da Unicamp

Economia Gisele Federicce Thu, 18 Sep 2014 09:38:17 +0000 http://www.brasil247.com/153880
Apoio à permanência da Escócia no Reino Unido é de 53% http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/153892 PAUL HACKETT: Pessoas deixam local de votação do referendo da Escócia em Edimburgo. 18/09/2014  REUTERS/Paul Hackett Vantagem era de seis pontos percentuais em relação aos que defendem a independência do país, segundo numa última pesquisa de opinião sobre a independência divulgada enquanto os eleitores já estavam indo às urnas <br clear="all"> PAUL HACKETT: Pessoas deixam local de votação do referendo da Escócia em Edimburgo. 18/09/2014  REUTERS/Paul Hackett

LONDRES (Reuters) - Os defensores da manutenção Escócia dentro do Reino Unido estavam com uma vantagem de 6 pontos percentuais numa última pesquisa de opinião sobre a independência divulgada enquanto os eleitores já estavam indo às urnas para decidir se a Escócia deve romper 307 de permanência no Reino Unido, do qual fazem parte Gales, Escócia, Inglaterra e Irlanda do Norte.

A pesquisa Ipsos Mori para o jornal London Evening Standard indica que o apoio para permanecer no Reino Unido estava em 53 por cento, e o dos partidários da independência, em 47 por cento.

A sondagem revelou que 4 por cento dos escoceses ainda estavam indecisos.

O referendo se realiza nesta quinta feira e a previsão é de divulgação do resultado na manhã de sexta-feira.

(Reportagem de Kate Holton)

Mundo Gisele Federicce Thu, 18 Sep 2014 10:30:09 +0000 http://www.brasil247.com/153892
Moreira Franco ao 247: PSB é quem faz terrorismo http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153818 : Ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil rebateu ao blog de Tereza Cruvinel, do 247, a declaração do coordenador do programa econômico de Marina Silva, Alexandre Rands, de que o governo Dilma trata os empresários como prostitutas; "Fico assustado quando vejo um economista com responsabilidade na campanha de uma candidata afirmar que a presidente Dilma trata os empresários como prostitutas. Primeiro, porque o fez valendo-se de metáforas rasteiras, numa linguagem imprópria ao debate das políticas públicas. Depois, pelo teor profundamente equivocado da declaração. Isso sim, é querer criar um ambiente terrorista na disputa eleitoral", disse; para a jornalista, comparação de Rands é "metáfora bem rasa" <br clear="all"> :

247 – Depois de ter sido contestado pelo presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, o coordenador do programa econômico de Marina Silva, Alexandre Rands, é agora rebatido pelo ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco, sobre declaração de que a presidente Dilma Rousseff trata os empresários como prostitutas.

A resposta foi dada ao blog de Tereza Cruvinel, no 247: "Fico assustado quando vejo um economista com responsabilidade na campanha de uma candidata afirmar que a presidente Dilma trata os empresários como prostitutas. Primeiro, porque o fez valendo-se de metáforas rasteiras, numa linguagem imprópria ao debate das políticas públicas. Depois, pelo teor profundamente equivocado da declaração. Isso sim, é querer criar um ambiente terrorista na disputa eleitoral", disse Moreira Franco.

A jornalista traz à tona ainda outro trecho da entrevista de Rands ao jornal O Globo, na qual fez a afirmação sobre Dilma. Questionado por que os empresários resistem à petista, uma vez que lucram, o economista respondeu: "Você acha que a prostituta confia nos homens que recebe? Chamaria um deles para a festa de aniversário do filho? Claro que não. Só tem interesse e medo". Na definição de Tereza Cruvinel, "uma metáfora bem rasa".

Leia a íntegra em "Terrorismo é dizer que Dilma trata empresários como prostitutas"

Brasil Gisele Federicce Thu, 18 Sep 2014 05:33:08 +0000 http://www.brasil247.com/153818
Tucanos apostam em JB para tentar "salvar" Aécio http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/153854 : Ex-presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Joaquim Barbosa já foi abordado mais de uma vez pela campanha do presidenciável tucano Aécio Neves para tentar convencê-lo a fazer algum gesto de adesão ao candidato; "Ele poderia declarar voto ou então aceitar convite para ser ministro [num eventual governo de Aécio Neves]", disse o governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho <br clear="all"> :

247 – Em terceiro nas pesquisas de intenção de voto, coordenadores da campanha à Presidência de Aécio Neves apostam em uma saída para tentar alavancar sua popularidade a poucas semanas do primeiro turno das eleições.

Segundo a colunista Mônica Bergamo, o ex-presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Joaquim Barbosa já foi abordado mais de uma vez por tucanos que tentam convencê-lo a fazer algum gesto de adesão ao candidato.

"Ele poderia declarar voto ou então aceitar convite para ser ministro [num eventual governo de Aécio Neves]", diz o governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho.

JB, no entanto, não demonstra interesse em entrar este ano na vida política. Ele tem se mantido em silêncio sobre a sucessão e, aos que insistem, diz que nem sequer sabe se estará no Brasil no dia da eleição.

Minas 247 Roberta Namour Thu, 18 Sep 2014 05:10:15 +0000 http://www.brasil247.com/153854
Líder rural declara voto em Aécio Neves http://www.brasil247.com/pt/247/agro/153860 : Coordenador do Centro de Agronegócio da FGV, Roberto Rodrigues, afirmou que o presidenciável tucano Aécio Neves (PSDB) é o candidato à Presidência que mais representa e se identifica com o setor: “O candidato que olhou para o agronegócio, que tem compromisso, foi o Aécio Neves, até agora”, disse o ministro da Agricultura na gestão de Lula, entre 2003 e 2006, declarando voto no tucano <br clear="all"> :

247 – O coordenador do Centro de Agronegócio da FGV (GV Agro) Roberto Rodrigues, afirmou em entrevista ao Broadcast Político que Aécio Neves (PSDB) é o candidato à Presidência da República que mais representa e se identifica com o setor.

“O candidato que olhou (para o agronegócio), que tem compromisso, foi o Aécio Neves, até agora”, disse o ministro da Agricultura na gestão de Lula, entre 2003 e 2006, declarando voto no tucano.

Ele reconhece, no entanto, que o setor está dividido sobre a disputa eleitoral: o segmento sucroenergético está com Marina Silva; já os agricultores que dependem do crédito rural e de recursos do Plano Safra continuam próximos da presidente Dilma Rousseff.

Quanto a ele, não poupa críticas ao plano de governo da ex-senadora: “Marina ressuscitou o famoso índice de produtividade, que não faz mais sentido. E o desmatamento zero é um ponto muito forte. Eu combato o desmatamento ilegal, mas é perfeitamente possível abrir áreas para a produção de alimentos” (leia mais).

Agro Roberta Namour Thu, 18 Sep 2014 06:22:44 +0000 http://www.brasil247.com/153860
Janot pede 35 anos de prisão a filho de Maluf http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153853 : Procurador-geral da República, Rodrigo Janot pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a condenação de Flávio Maluf, filho do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), a uma pena de 35 anos e 15 dias de reclusão no regime fechado por suposto envolvimento com desvios nas obras das Águas Espraiadas, em São Paulo; na mesma declaração, ele concluiu que não é mais possível punir Paulo Maluf porque já teria ocorrido a prescrição, no entanto, pede a devolução de R$ 32,5 milhões aos cofres públicos <br clear="all"> :

247 - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a condenação de Flávio Maluf, filho do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), a uma pena de 35 anos e 15 dias de reclusão no regime fechado por suposto envolvimento com desvios nas obras das Águas Espraiadas, em São Paulo.

Na mesma declaração, ele concluiu que não é mais possível punir Paulo Maluf porque já teria ocorrido a prescrição. No entanto, ele pede a devolução de R$ 32,5 milhões aos cofres públicos.

Eles foram acusados de corrupção passiva, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha durante os anos de 1997 a 2001. Também são citados como réus na ação o ex-diretor da empresa Mendes Junior Simeão Damasceno e operador de valores Vivaldo Alves.

Brasil Roberta Namour Thu, 18 Sep 2014 05:23:40 +0000 http://www.brasil247.com/153853
Erundina erra e diz que faz campanha para Dilma http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/153852 : Coordenadora-geral da candidatura de Marina Silva (PSB) ao Palácio do Planalto, Luiza Erundina (PSB-SP), uma das fundadoras do PT, cometeu gafe ao anunciar apoio à campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT); "Tenho feito campanha da Dilma na periferia de São Paulo", disse; alertada, se corrigiu: "Foi ato falho"; em seguida, saiu em defesa da ex-senadora contra “os ataques do PT": "Lamentavelmente, aquele PT que nós fundamos, construímos, não existe mais. Quando eles chegaram ao poder dos espaços institucionais, se distanciaram daquela utopia, daquele sonho original que era um processo de mudança da cultura política do País para além do poder" <br clear="all"> :

247 – Considerada uma das fiéis escudeiras de Marina Silva, a deputada federal e candidata à reeleição Luiza Erundina (PSB-SP) cometeu uma gafe e disse que está fazendo a “campanha da Dilma”.

Coordenadora-geral da candidatura da ex-senadora ao Palácio do Planalto, ela fez confusão com o nome da presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT).

“Tenho feito campanha da Dilma na periferia de São Paulo”, disse Erundina. Alertada, se corrigiu: “Foi ato falho”.
Erundina é, assim como Marina, uma das crias políticas do PT. Ela foi uma das fundadoras do partido e prefeita de São Paulo de 1989 a 1992, mas se filiou PSB em 1998.

Depois, ela saiu em defesa de Marina contra “os ataques do PT”. “Lamentavelmente, aquele PT que nós fundamos, construímos, não existe mais. Quando eles chegaram ao poder dos espaços institucionais, se distanciaram daquela utopia, daquele sonho original que era um processo de mudança da cultura política do País para além do poder, da conquista de poder”, declarou.

SP 247 Roberta Namour Thu, 18 Sep 2014 05:19:20 +0000 http://www.brasil247.com/153852
Barroso libera circulação da revista IstoÉ http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153861 : Ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, derrubou decisão de uma juíza do Ceará que havia proibido a revista IstoÉ de circular, após uma reportagem que citava o governador Cid Gomes (Pros) em escândalo da Petrobras; segundo o magistrado, a divulgação de informações sob sigilo processual em órgãos de imprensa não pode ser proibida, pois a Constituição veda expressamente atos de censura <br clear="all"> :

Por Felipe Luchete
Consultor Jurídico - A divulgação de informações sob sigilo processual em órgãos de imprensa não pode ser proibida, pois a Constituição veda expressamente atos de censura. Essa foi uma das teses aplicadas pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, ao derrubar decisão de uma juíza do Ceará que havia proibido a revista IstoÉ de circular, após uma reportagem que citava o governador Cid Gomes (Pros) em escândalo da Petrobras. A liminar foi proferida nesta quarta-feira (17/9) a distância, pois o ministro analisou o caso enquanto participa de evento na Universidade de Yale, nos Estados Unidos.

No fim de semana, a juíza Maria Marleide Maciel Queiroz, de Fortaleza, determinou que a última edição da revista fosse retirada de circulação para impedir a veiculação de “fatos desabonadores” ao governador cearense, fixando multa de R$ 5 milhões em caso de descumprimento. Cid Gomes (foto) foi à Justiça depois de ser procurado pela IstoÉ, que dizia ter informação de que o nome dele havia sido apontado em depoimento ligado à operação lava jato. Segundo o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, Gomes estaria entre as autoridades que recebiam favorecimento em uma “rede de tráfico de influência”.

Para Gomes, a divulgação de dados sob sigilo processual seria proibida, “além de ferir de morte a honra pessoal do requerente” e causar “danos irreversíveis à sua carreira política, reconhecidamente pautada na ética e na moralidade”. A juíza que determinou a censura disse que a liberdade de imprensa e o direito à informação não se enquadravam no caso, pois “o direito à imagem e à honra é inviolável”.

A revista recorreu então ao Supremo, com a tese de que não é proibido divulgar notícia sobre investigações criminais em curso envolvendo pessoas públicas. O advogado Alexandre Fidalgo, do EGSF Advogados, alegou que o assunto da reportagem — suposto esquema de desvio de dinheiro público envolvendo a Petrobras e personalidades públicas — é atualmente “o mais relevante no cenário político nacional”. Ele disse ainda que a juíza havia ferido decisão do próprio STF, que rejeitou a validade da chamada Lei de Imprensa na ADPF 130.

"A liberdade de expressão é imanente ao regime político que adotamos, de modo que qualquer espécie de censura deve ser prontamente afastada, como acertadamente fez o Supremo Tribunal Federal", afirma Fidalgo.

Equilíbrio

O ministro Barroso adotou uma série de parâmetros para pesar se a liberdade de expressão prevalecia sobre direitos da personalidade. Segundo ele, a notícia não é deliberadamente falsa, o governador é uma figura pública e existe interesse público na divulgação de supostos crimes e de fatos relacionados à atuação de órgãos públicos. Além disso, deve-se preferir sanções a posteriori, e não proibições prévias.

“A solução constitucionalmente adequada não envolve proibir a divulgação da notícia, mas sim o exercício do direito de resposta ou a reparação dos danos”, afirmou o ministro. Segundo ele, a decisão da juíza “impôs censura prévia a uma publicação jornalística em situação que não admite esse tipo de providência”, conduta aparentemente contrária ao entendimento da corte ao avaliar a extinta Lei de Imprensa.

“As liberdades de expressão, informação e imprensa são pressupostos para o funcionamento dos regimes democráticos, que dependem da existência de um mercado de livre circulação de fatos, ideias e opiniões. Existe interesse público no seu exercício, independentemente da qualidade do conteúdo que esteja sendo veiculado”, escreveu na decisão. Ele já havia abordado o tema em seminário promovido em setembro na capital paulista.

Mídia Roberta Namour Thu, 18 Sep 2014 06:28:49 +0000 http://www.brasil247.com/153861
Marina: escândalo da Petrobras é maior mensalão da história http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153859 : Durante o Face to Face realizado pelo Facebook Brasil, a candidata à presidência pelo PSB, Marina Silva, classificou o suposto esquema de corrupção envolvendo a estatal denunciado pelo ex-diretor Paulo Roberto Costa, preso pela PF, como o “maior mensalão da história” do País; a ex-ministra voltou a questionar os motivos que levaram a companhia “a ser reduzida à metade de seu valor” <br clear="all"> :

SÃO PAULO – Com discurso contundente, a presidenciável do PSB, Marina Silva, classificou o suposto esquema de corrupção que envolve a Petrobras como o “maior mensalão da história” do País, durante o Face to Face realizado pelo Facebook Brasil nesta quarta-feira.

A ex-senadora garantiu que, se eleita, não permitirá indicações políticas para cargos na estatal. “O PMDB e outros partidos nomearam um diretor (Paulo Roberto Costa), que transformou o mensalão em mensalinho. Agora temos o maior mensalão da história do Brasil”, pontuou a pessebista.

Mais cedo, Marina já tinha desferido crítica contra Dilma Rousseff, do PT, porque a presidente considerava Costa um funcionário de confiança. A ex-ministra voltou a questionar os motivos que levaram a estatal “a ser reduzida à metade de seu valor”.

Além disso, a presidenciável do PSB afirmou que os seus principais adversários, Dilma e Aécio Neves (PSDB), se tornaram uma central de boatos e que espalharam uma série de inverdades sobre sua candidatura. “Ultimamente, eu tenho respondido a uma série de boatos. Como meus adversários não têm programa, ele ficam inventando boatos e falando mentiras sobre nosso projeto”.

Orgulhosa, Marina acredita que a sociedade está conseguindo enxergar sua candidatura como um legítimo processo de mudança. “Espalham que se eu ganhar, vou acabar com programas, como o Bolsa Família, o ProUni e a exploração do pré-sal. Para conseguir acabar com tudo isso, não seria uma pessoa e sim o exterminador do futuro”.

A pessebista voltou a criticar o “marketing selvagem” adotado pelos adversários e reforçou que a sua maneira de combater esses ataques é por meio do discernimento.

Indagado sobre as possíveis mudanças na lei trabalhista, Marina voltou a dizer que respeitará as conquistas dos trabalhadores.

Durante o encontro virtual com os internautas, a ex-senadora disse ainda que não vai terceirizar a sua gestão, respondendo às insinuações de que ela não teria experiência suficiente para ocupar a presidência. “Não acredito naqueles que terceirizam a gestão e se fazem de gestores”.

A candidata ao Planalto explicou que pretende fortalecer o Mercosul e que, em paralelo, espera interagir com outros blocos nacionais.
Marina voltou a falar de reforma de política e repetiu que sua candidatura já trabalha com a possibilidade de inovar o processo político. Além de discutir sobre o financiamento público das campanhas, a ex-senadora sinalizou que pretende ampliar o mandato para cinco anos e que quer acabar com a reeleição.

“Para governar o Brasil, é preciso visão estratégica e experiência. É preciso ser capaz de distribuir as responsabilidade”, avaliou. A ex-ministra disse que os ex-presidentes, Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso, governaram como homens com visão estratégica e que conseguiram dar suas contribuições para o país. “O sociólogo promoveu a estabilidade econômica e o operário estabeleceu a igualdade social, enquanto Dilma entregará o país com um crescimento pífio e os juros elevados”, concluiu.

Poder Roberta Namour Thu, 18 Sep 2014 06:14:25 +0000 http://www.brasil247.com/153859
"100% Aécio", Armínio defende autonomia do BC http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153856 : Ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga afirma que a autonomia do Banco Central, uma das principais propostas de Marina Silva (PSB), pode proteger o povo da inflação e chama de “sórdida” campanha petista contra a iniciativa; “mas isso não é para o BC fazer o que quiser, mas para fazer o que o governo legitimamente eleito define", diz; no entanto, descarta qualquer possibilidade integrar um possível governo da ex-senadora: "Estou 100% com Aécio. Não consideraria, acho que Aécio é a melhor alternativa" <br clear="all"> :

247 - O ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga afirma que a autonomia do Banco Central, uma das principais propostas de Marina Silva (PSB), pode proteger o povo da inflação e chama de “sórdida” campanha petista contra a iniciativa.

"Em algum momento vai chegar a hora de formalizar a independência operacional do Banco Central, mas isso não é para o BC fazer o que quiser, mas para fazer o que o governo legitimamente eleito define", disse em entrevista ao Valor.
No entanto, descarta qualquer possibilidade integrar um possível governo da ex-senadora: "Estou 100% com Aécio. Não consideraria, acho que Aécio é a melhor alternativa".

Nomeado futuro ministro por Aécio, ele defende um programa de governo que combine reformas (política e tributária), prioridade para infraestrutura, correções microeconômicas e um forte rearranjo macroeconômico ancorado em uma meta de superávit primário de 3% do PIB (leia mais).

Economia Roberta Namour Thu, 18 Sep 2014 05:45:19 +0000 http://www.brasil247.com/153856
Rico que cede apê em SP a Marina fraudou gasolina http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153822 : Milionário Carlos Henrique Ribeiro do Valle, proprietário do grupo RVM, que possui postos de gasolina e a distribuidora Petronac, empresta seu apartamento na Vila Nova Conceição, para a candidata do PSB se hospedar de graça; Valle, a Petronac e um de seus postos, o Saema Auto Posto, já foram condenados por adulteração de combustível; furo é do site O Cafezinho; "A troco de que um sujeito com esse perfil emprestaria, de graça, um apartamento à Marina Silva?", questiona jornalista Miguel do Rosário <br clear="all"> :

247 – Mais uma notícia constrangedora coloca em xeque a proposta de 'nova política' da candidata à Presidência pelo PSB, Marina Silva. Desta vez, sobre o passado do empresário Carlos Henrique Ribeiro do Valle, que empresta, sem custos, seu apartamento na Vila Nova Conceição, um dos bairros mais luxuosos e caros de São Paulo, para a presidenciável.

Filiado ao DEM, Ribeiro do Valle é também proprietário do grupo RVM, que possui vários postos de gasolina, e da distribuidora de combustível Petronac, além de fazendas em Minas, Mato Grosso e Pará. "A troco de que um sujeito com esse perfil emprestaria, de graça, um apartamento a Marina Silva?", questiona Miguel do Rosário, do blog O Cafezinho, que divulga o caso.

Segundo reportagemda Folha de S. Paulo publicada no dia 4, o apartamento de 107 m² fica no 11º andar de um prédio situado a poucas quadras do parque Ibirapuera. O empresário, de acordo com o jornal, firmou um contrato de comodato com a campanha de Eduardo Campos no dia 4 de julho para ceder o imóvel até 5 de outubro, primeiro turno das eleições, podendo ser prorrogado até o fim do segundo turno. Ribeiro do Valle disse à Folha que é "mais próximo do pessoal da Marina" do que de Campos e, segundo a assessoria da candidata, "doou" o imóvel porque tem um "amigo antigo" em comum com a presidenciável.

O site noticia que o milionário, a Petronac e um de seus postos, o Saema Auto Posto, foram condenados pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região por adulteração de combustível (veja aqui decisão em última instância). E que a distribuidora de combustíveis, que vive em briga constante com a Petrobras para avançar mais no mercado de distribuição de combustíveis, também foi acusada de fraudar licitação em Marília, cidade do interior paulista.

Sobre a aquisição e uso irregular, pela campanha do PSB, do jato Cessna que caiu em agosto, causando a morte de Eduardo Campos, Marina disse desconhecer os fatos e ilegalidades do caso. O partido alegou que os papéis importantes sobre o assunto estavam no avião e que apenas o ex-governador poderia explicar questionamentos sobre as finanças da campanha. E agora, o que a candidata dirá?

Brasil Gisele Federicce Wed, 17 Sep 2014 18:06:40 +0000 http://www.brasil247.com/153822
CPI pode ouvir Graça Foster sobre telefone usado com Youssef http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/153823   Joedson Alves / Tânia Rêgo-ABr: Integrantes da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras apresentaram nesta quarta-feira (17) requerimento para que a presidente da Petrobras, Graça Foster, preste esclarecimentos sobre um número de telefone corporativo da estatal, do qual foram feitas ligações para o doleiro Alberto Youssef em 2010. Foi pedida, também, a quebra de sigilo para essa linha telefônica <br clear="all">   Joedson Alves / Tânia Rêgo-ABr:

Agência Brasil - Integrantes da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras apresentaram nesta quarta-feira (17) requerimento para que a presidente da Petrobras Graça Foster preste esclarecimentos sobre um número de telefone corporativo da estatal, do qual foram feitas ligações para o doleiro Alberto Youssef em 2010. Foi pedida, também, a em 2010 e a quebra de sigilo para essa linha telefônica.

Pelo pedido, Foster terá que se manifestar em até 48 horas, informando quem era o usuário do número, que foi identificado nos documentos de sigilo telefônico de Youssef.

Em outro requerimento, parlamentares da CPMI pedem a convocação de José Dirceu, ex-ministro-chefe da Casa Civil, e de Gilberto Carvalho, ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República. A intenção é que eles prestem esclarecimentos a respeito de supostos pagamentos irregulares a pessoas que ameaçassem trazer a público informações sobre o envolvimento de autoridades nos negócios da empresa, conforme noticiado pela imprensa.

Também pode ser votado requerimento para que seja ouvida a ex-contadora do doleiro, Meire Poza. Os requerimentos ainda terão que ser votados pela CPI Mista da Petrobras.

Brasília 247 Leonardo Araújo Wed, 17 Sep 2014 17:59:09 +0000 http://www.brasil247.com/153823
ACM Neto: "Meu avô era pirracento. Eu, não" http://www.brasil247.com/pt/247/bahia247/153828 : Embora faça questão de deixar claro que tem como mentor político seu falecido avô, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), rejeita comparações entre seus estilos de exercício de poder; o ex-governador e ex-senador Antônio Carlos Magalhães era conhecido por sua linha dura no trato com adversários e era até acusado de 'perseguição' a prefeitos de cidades que não fossem de seu grupo político; mas ACM Neto dá sinais completamente opostos ao 'carlismo'; "Meu avô era pirracento, eu não. Ele não aguentava pirraça" <br clear="all"> :

Romulo Faro, do Bahia 247 - Embora faça questão de deixar claro que tem como mentor político seu falecido avô, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), rejeita comparações entre seus estilos de exercício de poder. O ex-governador e ex-senador Antônio Carlos Magalhães era conhecido por sua linha dura no trato com adversários e era até acusado de 'perseguição' a prefeitos de cidades que não fossem de seu grupo político.

Mas ACM Neto dá sinais completamente opostos ao 'carlismo'. Em entrevista ao ex-prefeito de Salvador Mário Kertész, na rádio Metrópole, nesta quarta-feira (17), o prefeito lhe respondeu que não é pirracento e atribuiu qualidade ao avô. "Meu avô era pirracento, eu não. Ele não aguentava pirraça".

Assim que as urnas apontaram sua vitória nas urnas em 2012, os adversários anunciavam a volta do carlismo. Estavam enganados. Ciente das dificuldades pelas quais passavam a Prefeitura de Salvador após oitos anos de caos imposto pelo ex-prefeito João Henrique, ACM Neto tratou de procurar o governador Jaques Wagner, do PT, partido de posição completamente oposta ao seu, o DEM.

Mais além, ACM Neto não hesitou em pedir ajuda ao governador para tratar de projetos importantes para a terceira maior cidade do País com a presidente Dilma Rousseff, sua correligionária.

Na Câmara Municipal, por mais que a oposição exerça seu papel, não se ouve queixa no trato pessoal do prefeito por parte dos vereadores. Há e sempre haverá contestações político-partidárias. 

Bahia 247 Romulo Faro Wed, 17 Sep 2014 18:31:20 +0000 http://www.brasil247.com/153828
PML: Janot toma partido de Marina, que tenta censura http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153780 : A censura não chega a ser uma novidade curricular para a candidata do PSB, escreve Paulo Moreira Leite, em nova coluna no 247; o "mais preocupante", diz ele, é o procurador-geral eleitoral, Rodrigo Janot, ter acolhido o pedido de Marina Silva contra a propaganda do PT que critica propostas da presidenciável; "Teria sido coerente com leis de um país que realiza eleições livres e proíbe a censura esclarecer que a Justiça não tem por que envolver-se numa questão que é a matéria prima de uma campanha — o confronto de ideias e concepções. Não há calúnia nem difamação no caso", diz <br clear="all"> :

247 – Marina Silva foi à Justiça Eleitoral para censurar a propaganda eleitoral do PT contra sua proposta de independência do Banco Central. Ontem, conseguiu decisão favorável do TSE pela retirada imediata do site Muda Mais do ar. A censura não chega a ser novidade curricular da candidata, avalia Paulo Moreira Leite, no 247. O "mais preocupante", diz ele, é o procurador-geral eleitoral, Rodrigo Janot, ter tomado partido em seu favor ao se manifestar em defesa da suspensão do comercial petista.

"Teria sido coerente com leis de um país que realiza eleições livres e proíbe a censura esclarecer que a Justiça não tem por que envolver-se numa questão que é a matéria prima de uma campanha — o confronto de ideias e concepções. Não há calúnia nem difamação no caso", escreve PML. O jornalista ainda questiona: "Ao apoiar censura à propaganda do PT, a PGR diz que ela cria, 'artificialmente', reações 'emocionais' contra a independência do BC. Como ele sabe?".

Para o diretor do 247 em Brasília, "não cabe interditar o debate porque Marina não gosta e o PGR não concorda. Estamos falando de uma questão essencial da eleição. Marina queria que a mensagem chegasse aos banqueiros, na esperança de receber seus votos e suas contribuiçõe$. Mas não quer que seja discutida pelo povão, que pode transformar essa alegria no patamar de cima em festa inútil".

Leia a íntegra em Janot tomou partido de Marina

Poder Gisele Federicce Wed, 17 Sep 2014 16:07:18 +0000 http://www.brasil247.com/153780
Perda de tempo: delator decide ficar calado na CPMI http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/153803 Geraldo Magela/Agência Senado: Parlamentares votaram requerimento e, por 10 votos a 8, rejeitaram proposta de transformar sessão em fechada; ex-diretor da Petrobras evocou o direito de ficar calado e não responder às perguntas dos membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) Mista da Petrobras; Paulo Roberto Costa entrou na sala da comissão, no Senado, às 14h58, acompanhado de uma advogada e disse logo que não falaria <br clear="all"> Geraldo Magela/Agência Senado:

247, com Agência Senado - O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa evocou o direito de ficar calado e não responder às perguntas dos parlamentares na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) Mista. O acusado entrou na sala da comissão às 14h58, acompanhado de uma advogada e disse logo que não falaria.

- Boa tarde a todos. Vou me reservar ao direito de ficar calado - afirmou.

Diante da posição do ex-diretor, o presidente da CPI Mista, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) ainda perguntou se ele aceitaria uma sessão secreta, o que foi negado.

Neste momento, o relator Marco Maia (PT-RS) apresenta suas indagações, mesmo sabendo que não deve haver respostas.

Regras

Após uma discussão de quase 30 minutos sobre os procedimentos a serem adotados para a oitiva, deputados e senadores votaram requerimento para transformar a sessão em fechada, mas pedido foi rejeitado por 10 votos a 8.

Antes, a maioria dos parlamentares já havia se manifestado em defesa de uma sessão aberta, a fim de que todos tivessem o direito de perguntar, mesmo sabendo que o acusado pudesse ficar em silêncio.

O senador Humberto Costa (PT-PE) chegou a lembrar que "não existe sessão secreta no Congresso Nacional", e lembrou de vazamentos que ocorreram anteriormente na CPI do Cachoeira.

Brasília 247 Gisele Federicce Wed, 17 Sep 2014 15:15:38 +0000 http://www.brasil247.com/153803
Beto reconhece: "Ninguém governa sem o PMDB" http://www.brasil247.com/pt/247/rs247/153817 : O candidato a vice-presidente de Marina Silva, Beto Albuquerque, do PSB, sinalizou nesta quarta-feira, 17, que um eventual governo de Marina teria que contar com a ajuda fundamental do PMDB para governar o país, principalmente no Congresso Nacional; "Ninguém governa sem o PMDB, mas não é preciso entregar o governo para o PMDB para ter governabilidade", disse Albuquerque; há quatro dias, o vice-presidente Michel Temer deu o recado para Marina e disse que, caso ela seja eleita, o partido fará o oposição; se ninguém governa sem o PMDB e o PMDB seria oposição ao governo Marina, a conta política não fecha <br clear="all"> :

Rio Grande do Sul 247 - O candidato a vice-presidente da chapa de Marina Silva, Beto Albuquerque, do PSB, tentou ser duro nas críticas contra a aliança entre o PT e o PMDB, dois maiores partidos do país. Mas reconheceu a importância do PMDB para a governabilidade de Marina Silva. 

"Ninguém governa sem o PMDB, mas não é preciso entregar o governo para o PMDB para ter governabilidade. Assim como não precisa entregar o governo ao PSDB se nós vamos ter quadros do PSDB governando. Ou seja, o governo tem um programa, esse é o nosso pilar de negociação, entendimento e escolha daqueles que terão funções", afirmou Albuquerque, em entrevista ao "Estado de S.Paulo".

O deputado gaúcho foi questionado se políticos de outros partidos citados por Marina desobedeciam orientação partidária para votar em projetos de um eventual governo pessebista. Segundo ele, "há uma diferença entre entregar o governo e governar". "Por que eu, no governo, tenho que perguntar para Renan Calheiros quem devo indicar para ministérios ou para a Transpetro? Não que as indicações de partidos e lideranças sejam ruins. Mas tem que ter perfil", defendeu. 

Beto Albuquerque pode estar sinalizando um armistício ao presidente nacional do PMDB, Michel Temer, para garantir a governabilidade de um eventual governo de Marina Silva. Na mesma série de entrevistas promovida pelo Estadão, Michel Temer afirmou que caso Marina Silva se eleita, o PMDB será oposição ao governo da peessebista. O vice-presidente candidato à reeleição criticou a ideia de governar com as pessoas e não com os partidos, como Marina ressalta, chamou o PMDB de partido da governabilidade e ainda afirmou que é difícil governar o Brasil sem o apoio do PMDB.

 

Rio Grande do Sul 247 Aquiles Lins Wed, 17 Sep 2014 17:39:07 +0000 http://www.brasil247.com/153817
Blog da Cidadania contesta Luciana Genro: uma ova! http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153811 : Segundo Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania, a presidenciável do Psol "cometeu um erro imperdoável ao ignorar que toda a corrupção – verdadeira ou não – de que membros do PT foram acusados ao longo de seus 12 anos de governo só foi investigada, julgada e punida graças ao mesmo PT, que, à diferença do PSDB, não aparelhou os órgãos de controle que fizeram as denúncias darem em alguma coisa"  <br clear="all"> :

Por Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania

Vejo pessoas respeitáveis comemorando resposta que a candidata do PSOL à Presidência, Luciana Genro, deu ao tucano Aécio Neves quando por ele foi perguntada sobre "educação" no debate da CNBB, na última terça-feira. Ela aproveitou a pergunta para lembrar quem é o PSDB e o próprio Aécio.

Antes de prosseguir, assista, abaixo, ao vídeo. Tem cerca de 5 minutos. 

O tucano e o "pastor" Everaldo – que só não quer privatizar o dízimo que "igrejas" como a dele recebem do Estado via subvenções e renúncias fiscais de toda sorte – tinham acabado de fazer uma tabelinha para acusar o PT de corrupção. Eis que Luciana ignora a pergunta e manifesta indignação com a cara-de-pau de justamente um tucano fazer acusações de "corrupção".

Luciana é uma grande oradora. Inteligente, simpática e a sua indignação com tanta coisa errada que há no Brasil, soa legítima. Contudo, ela parece ser vítima de um radicalismo e de uma visão curta e superficial dos fatos que, amiúde, esbarra na mais clara injustiça.

A candidata do PSOL lembrou bem que operadores de caixa 2 como Marcos Valério – quem viabilizou o caixa 2 petista, o qual inventaram ser "pagamento de deputados para votar com o governo" – começaram a atuar no dito "mensalão tucano". E até o caso do "aécioporto", que envolve o próprio candidato do PSDB.

Contudo, para desmascarar Aécio, Luciana fez uma acusação injusta ao dizer que o partido "continuou o que o PSDB fazia". Nesse ponto, aproprio-me da expressão apropriada que ela usou para rebater acusação do tucano de que estaria atuando como "linha auxiliar" do PT, apesar de o estar acusando:

Uma ova, Luciana Genro! O PT não faz o que o PSDB fazia.

Luciana cometeu um erro imperdoável ao ignorar que toda a corrupção – verdadeira ou não – de que membros do PT foram acusados ao longo de seus 12 anos de governo só foi investigada, julgada e punida graças ao mesmo PT, que, à diferença do PSDB, não aparelhou os órgãos de controle que fizeram as denúncias darem em alguma coisa.

Comecemos pela Procuradoria Geral da República, como é óbvio que tem que ser. Afinal, Luciana citou o caso da compra de votos para aprovar no Congresso a emenda constitucional que permitiu a FHC disputar a própria sucessão em 2008 e essa vergonha não foi apurada justamente devido à PGR de então.

Se no tempo de FHC houvesse na PGR um procurador-geral como os que o PT indicaria ao chegar ao poder, o próprio ex-presidente seria condenado por ter o "domínio do fato" de um escândalo que o beneficiou pessoalmente. Contudo, o ex-presidente tucano nomeou para o cargo o primo do então vice-presidente da República, Marco Maciel.

Geraldo Brindeiro, ex-procurador-geral da República, primo do vice de FHC, ficou OITO ANOS no cargo e sua atuação foi tão escandalosamente parcial em prol de quem o indicou que ficou conhecido como "engavetador-geral da República". Em todo o seu tempo à frente da PGR, não incomodou uma só vez o governo que o indicou.

Durante o período de Lula na Presidência, tudo mudou. A começar pela PGR. Em primeiro lugar, enquanto FHC manteve um só procurador-geral por 8 anos, no mesmo tempo de governo Lula nomeou TRÊS PGR's. O terceiro, Antonio Fernando de Souza, inclusive, foi quem literalmente massacrou o PT ao fazer ao STF a denúncia do mensalão.

Mídia Gisele Federicce Wed, 17 Sep 2014 16:35:03 +0000 http://www.brasil247.com/153811
Filho de Kátia Abreu propõe redução do salário mínimo http://www.brasil247.com/pt/247/tocantins247/153805 : Deputado federal e candidato à reeleição Irajá Abreu (PSD), filho da senadora e também candidata à reeleição, Kátia Abreu (PMDB), bate de frente com a política de valorização do salário mínimo, uma das bandeiras principais do PT, e apresentou Projeto de Lei que diminui o reajuste do vencimento mínimo dos trabalhadores; deputado Eduardo Gomes (SDD), adversário de Kátia na vaga pelo Senado, diz que a proposta prejudica o trabalhador; "Em um ano, a redução equivale a 11% de um salário mínimo, são quase R$ 100 reais do bolso do trabalhador brasileiro, que já recebe tão pouco", afirmou Gomes; projeto tramita na Câmara em regime de urgência <br clear="all"> :

Tocantins 247 - O deputado federal e candidato a senador Eduardo Gomes (SDD), da coligação "A mudança que a gente vê", afirmou nesta quarta-feira, 17, que, se eleito para o Senado, vai trabalhar para o Congresso Nacional rejeitar o Projeto de Lei nº 7.731, de autoria do deputado federal e candidato à reeleição Irajá Abreu (PSD), filho da senadora Kátia Abreu (PMDB), também candidata à reeleição pela coligação "A experiência faz a mudança".

O Projeto de Lei do deputado Irajá Abreu, cuja mãe é uma das principais aliadas da presidente Dilma Rousseff, bate de frente com a política de valorização do salário mínimo executada pelo PT nos últmos 12 anos. Irajá propõe que o salário mínimo seja calculado pela taxa de crescimento real do PIB per capita de 2013, que atingiu 1,4%, mais o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação, cuja estimativa para 2014 é de 6,65%.

O projeto tramita na comissão de Constituição e Justiça da Câmara em regime de urgência. Caso seja aprovado, o valor do salário mínimo para 2015 seria reduzido de R$ 788,06 para R$ 781. 

Na opinião de Eduardo Gomes, o projeto do deputado Irajá vai prejudicar o trabalhador. "Esta proposta do deputado Irajá, que não se preocupa com o trabalhador e tem o apoio da mãe dele, a senadora Kátia Abreu, vai tirar em um ano o equivalente a 11% de um salário mínimo, são quase R$ 100 reais do bolso do trabalhador brasileiro, que já recebe tão pouco. Com o bom relacionamento que eu tenho em Brasília vou trabalhar e vou conseguir impedir a aprovação desta proposta que impacta diretamente o trabalhador brasileiro e sua família", afirmou o deputado federal e candidato a senador.

Entenda

O salário mínimo do trabalhador brasileiro será reajustado com base na Lei n° 12.382, de 25 de fevereiro de 2011, até 2015. A legislação trata, entre outros pontos, da política de valorização a longo prazo do valor mensal mínimo recebido. Pela regra, a cada ano, o aumento do salário mínimo corresponderá à variação do Produto Interno Bruto (PIB) do ano retrasado mais a inflação do ano anterior medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Em 2013, o reajuste totalizou 8,83%. Desse total, 2,73 pontos percentuais estavam ligados ao crescimento do PIB em 2011 e, o restante, à variação do INPC em 2012. Como base nessa alíquota, o valor foi reajustado em janeiro desse ano, passando de R$ 622 para R$ 678. O novo valor acresceu R$ 56 à renda de quem recebe um salário mínimo e será responsável, até o início de 2014, por um impacto estimado nas contas da Previdência Social de mais de R$ 12,3 bilhões. Ao todo, cerca de 20 milhões de pessoas tiveram os benefícios reajustados.

Com base na legislação, em 2014, será aplicado ao salário mínimo o percentual equivalente à taxa de crescimento real do PIB, apurada pelo IBGE, para o ano de 2012. Já em 2015, o percentual será o equivalente à taxa de crescimento real do PIB, em 2013. A esses valores serão somadas as inflações dos respectivos anos anteriores. Para reajustes futuros, até 31 de dezembro de 2015, o Poder Executivo encaminhará ao Congresso Nacional projeto de lei dispondo sobre a política para o período de 2016 a 2019.

Outro lado

Em nota divulgada à imprensa, o deputado Irajá Abreu disse que o Projeto de Lei 7731 tem como objetivo exclusivo o aumento anual do salário mínimo, nunca e jamais a redução, com base no crescimento do PIB. "Prefiro acreditar no desconhecimento do deputado federal e candidato a senador Eduardo Gomes do que na má fé com o objetivo de confundir o povo do Tocantins. Chega a ser uma irresponsabilidade um parlamentar com a história do deputado declarar inverdades tão graves" afirmou Irajá.

Clique aqui para ler na íntegra o Projeto de Lei 7731, de Irajá Abreu. 

(Matéria atualizada às 10h04 de 18.09.2014)

Tocantins 247 Aquiles Lins Wed, 17 Sep 2014 16:25:21 +0000 http://www.brasil247.com/153805
Vital vai ao STF por acesso a depoimentos de Costa http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/153808 Moreira Mariz/Agência Senado: Presidente da CPI Mista da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) vai pedir uma reunião com o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, para solicitar o acesso ao conteúdo dos depoimentos prestados à justiça pelo ex-diretor da Petrobras <br clear="all"> Moreira Mariz/Agência Senado:

247, com Agência Senado - O presidente da CPI Mista da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), vai pedir uma reunião com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, para solicitar o acesso ao conteúdo dos depoimentos prestados à justiça pelo ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa.

Em troca de redução de pena, Costa estaria dando detalhes sobre corrupção na Petrobras em acordo de delação premiada com a Justiça. Vital do Rêgo afirmou que já foram tomadas todas as providências legais possíveis para que a CPI receba essa documentação.

O líder do Democratas, José Agripino (RN), insistiu na importância de a comissão parlamentar de inquérito analisar essas informações, ainda mais diante da decisão de Paulo Roberto Costa de permanecer calado na sessão desta quarta-feira (19).

- A comissão deve ter como meta obter do Supremo Tribunal Federal o compromisso definitivo: chegando ao Supremo cada depoimento da delação premiada, a comissão ter acesso imediatamente. Para que a CPI possa, como o Ministério Público e a Justiça Federal, cumprir seu papel constitucional.

Brasília 247 Gisele Federicce Wed, 17 Sep 2014 16:10:52 +0000 http://www.brasil247.com/153808
Barroso concede progressão de regime a Bispo Rodrigues http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/153807 : Bispo Rodrigues


Ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, concedeu nesta quarta-feira 17 progressão do regime semiaberto para o aberto a Carlos Alberto Pinto Rodrigues (Bispo Rodrigues); ex-deputado já cumpriu um sexto da pena, requisito exigido pela Lei de Execução Penal <br clear="all"> : Bispo Rodrigues

André Richter - Repórter da Agência Brasil

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu hoje (17) progressão de regime ao ex-deputado federal Carlos Alberto Pinto Rodrigues (Bispo Rodrigues). Com a decisão, Rodrigues passará para o regime aberto, por ter cumprido um sexto da pena, requisito exigido pela Lei de Execução Penal. Na Ação Penal 470, o processo do mensalão, ele foi condenado a seis anos e três meses de prisão em regime semiaberto.

O ex-deputado cumprirá o restante da pena em casa. De acordo com o Código Penal, o regime aberto deve ser cumprido em uma casa de albergado, para onde os presos retornam somente para dormir. No Distrito Federal, pela inexistência do estabelecimento no sistema prisional, os juízes determinam que o preso fique em casa e cumpra algumas regras, como horário para chegar ao domicílio, não sair da cidade sem autorização da Justiça e manter endereço fixo.

O ex-deputado José Genoino e o ex-tesoureiro do antigo PL (atual PR), Jacinto Lamas, já foram beneficiados com o regime de prisão domiciliar. Eles também cumpriram um sexto da pena no semiaberto.

Brasília 247 Gisele Federicce Wed, 17 Sep 2014 15:55:01 +0000 http://www.brasil247.com/153807
Dilma rebate Marina e diz que jamais tocará na CLT http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153787 : Um dia depois de Marina Silva admitir mexer num vespeiro popular e defender a "atualização" da Consolidação das Leis do Trabalho, que assegura direitos dos trabalhadores, a presidente Dilma Rousseff voltou a contestá-la; ao ser questionada por um empresário no interior paulista sobre se poderia alterar pontos como férias e décimo-terceiro, ela não deu margem a dúvidas: "nem que a vaca tussa"; mais um ponto que separa as duas candidatas que lideram as pesquisas eleitorais <br clear="all"> :

247 - Um dia depois de Marina Silva admitir mexer num vespeiro e falar em "atualização da CLT" (leia mais aqui), que assegura direitos dos trabalhadores, a presidente Dilma Rousseff marcou posição contrária.

Nesta quarta-feira, ao ser questionada por um empresário, em Campinas (SP), sobre eventuais mudanças em leis trabalhistas, ela foi clara. "Nem que a vaca tussa", disse, ressaltando que jamais mexerá em direitos assegurados desde a era Vargas como 13º salário, férias e horas extras.

Marina havia falado em atualização das leis trabalhistas depois de ter sido aconselhada, segundo ela própria afirmou pelo "professor Giannetti", referindo-se ao economista Eduardo Giannetti da Fonseca, que defende políticas de corte mais liberal para o mercado de trabalho.

Polarizando a disputa presidencial com Marina, Dilma tem tentado marcar posições antagônicas à da candidata do PSB, que se cercou de economistas ortodoxos.

Leia, abaixo, reportagem da Agência Brasil: 

Dilma diz que não reduz direitos trabalhistas “nem que a vaca tussa”

Luana Lourenço Edição: Nádia Franco

A presidenta Dilma Rousseff, que disputa a reeleição pelo PT, afirmou hoje (17) que não fará reformas na lei trabalhista que reduzam direitos dos trabalhadores, “nem que a vaca tussa”. Segundo Dilma, o direito às férias e ao décimo terceiro salário está entre os itens que não podem ser alterados para atender a interesses de empresários.

“Eu não mudo direitos na legislação trabalhista. Férias, décimo terceiro, FGTS [Fundo de Garantia do Tempo de Serviço], hora extra, isso não mudo nem que a vaca tussa”, enfatizou a candidata, em entrevista após encontro com empresários na Associação Comercial e Industrial de Campinas, no interior paulista.

Em alguns casos, segundo Dilma, é possível fazer adaptações na lei, mas sem reduzir direitos, como no caso de trabalho de jovens aprendizes em micro e pequenas empresas. A candidata lembrou que a lei determina que os empresários paguem pela formação dos aprendizes, mas, para estimular a contratação, o governo anunciou na última semana que, nesses casos, aformação será custeada com recursos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

A candidata à reeleição voltou a comentar uma proposta apresentada nos últimos dias, de que, se reeleita, criará um regime tributário de transição para que micro e pequenos empresários não tenham que limitar o crescimento por medo de perder os benefícios e isenções do Simples Nacional. Dilma também se comprometeu a “acabar com a indústria da multa”, garantindo que a atuação dos fiscais tributários nas empresas de pequeno porte seja primeiro educativa, antes da aplicação da punição.

Ela reforçou o compromisso de reduzir a burocracia para os processos de abertura e, principalmente, fechamento de empresas e disse que as primeiras medidas serão anunciadas ainda neste mês. “Abrir e fechar empresas no Brasil é, de fato, um grande desafio. Temos o compromisso de assegurar que esse tempo seja reduzido, que saia de 100, para, em alguns casos, cinco dias”.

Economia Leonardo Attuch Wed, 17 Sep 2014 13:39:17 +0000 http://www.brasil247.com/153787
O bilionário agora é remediado, diz advogado de Eike http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153797 : "Eike só tem dinheiro para despesas comuns", declarou Sérgio Bermudes, advogado do empresário; segundo ele, o fundador do grupo EBX não tem nem perto de R$ 1,5 bilhão em sua conta bancária; para piorar, as ações de uma das últimas empresas sobreviventes de Eike Batista, a CCX Carvão, desabam 40% na Bovespa em meio às incertezas sobre seu futuro <br clear="all"> :

Por Marcello Ribeiro Silva

SÃO PAULO - Nem mesmo os maiores desafetos do empresário Eike Batista poderiam imaginar as dificuldades que assolam a vida do fundador do grupo EBX atualmente. Em entrevista exclusiva ao Infomoney, o advogado de Eike, Sérgio Bermudes, falou sobre o bloqueio de bens do empresário de até R$ 1,5 bilhão, determinado pela Justiça. Bermudes foi contundente ao afirmar que o empresário não possui esse montante em suas contas bancárias.

"Eike só tem dinheiro para despesas correntes, comuns, domésticas", explicou Bermudes, acrescentando que a cifra que Batista possui em suas contas é utilizada para o pagamento de gastos com a educação da família, alimentação e manutenção da casa. O advogado descartou que o dono do grupo EBX tenha qualquer gasto de luxo.

Além disso, o representante de Eike na Justiça reforçou que o empresário não possui a cifra que a Justiça determinou para ser bloqueada em suas contas. "Posso garantir que Eike não tem nem perto de R$ 1,5 bilhão em suas contas pessoais. Ele não tem esse dinheiro", explicou o advogado, completando que a Justiça não deve ceder ao pedido do Ministério Público para os bens do fundador do grupo EBX também sejam bloqueados. "A Justiça sabe que os bens não fogem, nem se escondem. O dinheiro que ele tinha ele gastou ostensivamente nas empresas", concluiu.

O prazo é de 15 dias para que a defesa comprove que o valor do dano causado no mercado financeiro, calculado pelo Ministério Público em R$ 1,5 bilhão, é excessivo. Se tiver êxito no recurso, essa cifra pode ser ajustada. Na semana passada, o MPF denunciou o empresário por crimes contra o mercado de capitais, manipulação do mercado e uso indevido de informação privilegiada. Eike pode ser condenado em até 13 anos.

Empresa sobrevivente de Eike desaba 40% na Bolsa

Por Paula Barra • Leonardo Silva

SÃO PAULO - A CCX Carvão (CCXC3), uma das últimas companhias do "Grupo X" que ainda está sob controle de Eike Batista, atravessa uma fase turbulenta no mercado em meio às incertezas sobre seu futuro. Nos últimos três pregões da Bovespa, as ações da companhia apresentaram uma movimentação atípica e desabaram mais de 40%. Sem dar explicações, a produtora de carvão disse ontem à noite, em comunicado enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários), que desconhecia "atos ou fatos" que pudessem justificar a queda.

Embora aparentemente não tenha nenhuma novidade sobre a empresa, quanto mais se aproxima do fim de setembro, mais crescem as expectativas sobre seu desfecho. O cenário mais esperado é que a companhia venda seus ativos na Colômbia para a turca Yildirim por US$ 125 milhões - valor 72% abaixo do previsto em um memorando assinado entre as duas companhias no final de outubro, de US$ 450 milhões. O acordo, que foi fechado em fevereiro, aguarda ainda pela aprovação dos acionistas dos termos e condições para a venda, entretanto, a empresa vem prorrogando a apreciação do tema. Na última reunião do conselho de administração da CCX, do dia 8 de setembro, a companhia disse que estava adotando todas as condições precedentes para fechar a operação dentro do prazo, no dia 30 de setembro.

Apesar das expectativas em torno da operação, uma fonte próxima ao assunto disse, em entrevista ao InfoMoney, que alguma informação negativa sobre a venda já deve estar circulando dentro da empresa, até sobre uma possível sinalização de que isso não irá ocorrer, ao menos dentro do prazo estipulado. Uma das principais razões para isso é o forte movimento de venda de ações da CCX realizado por intermédio do Morgan Stanley, banco que atua como assessor financeiro exclusivo da CCX na transação.

De acordo com a fonte, o Morgan Stanley havia comprado mais de 14 milhões de ações da CCX, mas vem nos últimos dias se desfazendo da posição. Embora não dê para afirmar que as operações sejam propriamente do Morgan, ou se ele está atuando apenas como intermediário das vendas, nos últimos três pregões (período em que a ação da empresa desabou na Bolsa) o banco liderou as vendas dos papéis da companhia.

Segundo dados do ProfitChart, entre os dias 12 e 16 de setembro, o Morgan Stanley vendeu 3,8 milhões de ações da companhia - liderando com folga o saldo vendedor dos papéis da empresa. Nesses dias, o Morgan representou 26% de todas as vendas com ações da CCX.

Para a fonte, "essas vendas monstruosas são uma clara sinalização de que algo aconteceu, mas nem a CVM e nem a empresa estão comunicando". No último comunicado ao mercado, a CCX disse que não tinha conhecimento de atos ou fatos relevantes que pudessem justificar a movimentação atípica das ações ordinárias da companhia na Bolsa. Vale mencionar ainda que nos últimos dias surgiram rumores de que a companhia seria um dos bens a serem bloqueados pelo MPF (Ministério Público Federal) por dois crimes cometidos por Eike Batista contra o mercado de capitais.

Ontem, a Justiça Federal do Rio de Janeiro decretou o bloqueio dos ativos financeiros do empresário Eike Batista no Brasil até o limite de R$ 1,5 bilhão, atendendo parcialmente a pedido do Ministério Público Federal.

Economia Gisele Federicce Wed, 17 Sep 2014 14:37:13 +0000 http://www.brasil247.com/153797
Temer: governo não joga denúncias para "debaixo do tapete" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153799 : Vice-presidente da República disse nesta quarta-feira 17 que as denúncias sobre corrupção na Petrobras não deverão ter influência nas eleições, porque o governo não está "pondo panos quentes" no assunto ou "jogando para debaixo do tapete". Ele lembrou que a própria Polícia Federal, vinculado ao Ministério da Justiça, é responsável pelas investigações <br clear="all"> :

Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil

O vice-presidente da República, Michel Temer, disse hoje (17) que as denúncias sobre corrupção na Petrobras não deverão ter influência nas eleições, porque o governo não está "pondo panos quentes" no assunto ou "jogando para debaixo do tapete". Temer disse que a própria Polícia Federal, vinculado ao Ministério da Justiça, é responsável pelas investigações.

Segundo ele, é a comprovação de que o governo não quer impedir qualquer investigação. " O que se quer é justamente apurar. Não terá, penso eu, nenhuma repercussão eleitoral. Teria se o governo estivesse pondo panos quentes ou jogando para debaixo do tapete. Mas isso não está sendo feito", afirmou.

Temer disse acreditar que as denúncias não prejudicarão o trabalho da Petrobras. "A Petrobras é uma empresa com potencialidades extraordinárias. A Petrobras de hoje não é a de 30 anos atrás. Hoje, estive reunido com o pessoal do IBP [Instituto Brasileiro do Petróleo, que reúne as empresas do setor petrolífero] e verifiquei a crença que eles têm [na empresa]. É claro que são precisos alguns ajustes. Não tenho dúvidas de que a Petrobras é um símbolo nacional".

O vice-presidente visitou a Feira da Indústria do Petróleo Rio Oil & Gas, no Riocentro, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. Acompanhado da diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Magda Chambriard, Temer visitou alguns estandes, entre eles o da Petrobras.

Temer também comentou a pesquisa de intenção de voto do Ibope, encomendada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo. Os números mostram que a candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) perdeu três pontos, ficando com 39%, enquanto Marina Silva (PSB) perdeu apenas um ponto, chegando a 30%. Aécio Neves (PSDB) ganhou quatro pontos, alcançando 19%.

Em um possível segundo turno, Marina teria 43% e Dilma, 40%. "Lá atrás, ela [Dilma] estava numa situação muito mais delicada. A Marina estava com dez pontos à frente. Então, essa variação é razoável. Vamos trabalhar nessas duas, três semanas, com muita tranquilidade", disse Temer.

Poder Gisele Federicce Wed, 17 Sep 2014 14:29:53 +0000 http://www.brasil247.com/153799
Crianças atendidas pelo Bolsa Família crescem mais e com mais saúde http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153783 : Santarém - PA, 09 de julho de 2009.
A beneficiária Marta Lúcia Gonzaga com a família toda reunida. E/C: Lúcia Gonzada da Silva, Thailine Oliveira, Dalgisa Silva Trindade, Matrícia Silva Trindade com o filho Wagner Silva Trindade, Marta Lúcia Gonzaga e o Meninas de cinco anos atendidas pelo programa ficaram 0,7 centímetro mais altas em um período de quatro anos; os meninos, 0,8 centímetro, segundo o Ministério do Desenvolvimento Social; crescimento é atribuído diretamente ao melhor acesso à alimentação e à saúde nos primeiros anos de vida <br clear="all"> : Santarém - PA, 09 de julho de 2009.
A beneficiária Marta Lúcia Gonzaga com a família toda reunida. E/C: Lúcia Gonzada da Silva, Thailine Oliveira, Dalgisa Silva Trindade, Matrícia Silva Trindade com o filho Wagner Silva Trindade, Marta Lúcia Gonzaga e o

247 – Entre 2008 e 2012, as meninas de cinco anos de idade atendidas pelo programa Bolsa Família ficaram 0,7 centímetro mais altas. Os meninos, no mesmo período, 0,8 centímetro. O dado, divulgado pelo Ministério do Desenvolvimento Social, é o que melhor reflete o avanço em relação ao acesso à alimentação no Brasil.

O crescimento de quase um centímetro em um período de quatro anos nos meninos e meninas que são atendidos pelo programa do governo federal é atribuído diretamente ao melhor acesso à alimentação e à saúde nos primeiros anos de vida.

A altura, conforme explicou a ministra de Desenvolvimento Social, Tereza Campello, é o indicador mais confiável de melhora na nutrição da população brasileira. O peso também é importante, mas pode representar um aumento não saudável.

"O peso não é o melhor indicador. A criança pode aumentar o peso, mas não ter o desenvolvimento físico necessário", explica, lembrando que a altura demonstra que a criança absorve nutrientes suficientes para crescer.

Brasil Gisele Federicce Wed, 17 Sep 2014 13:21:03 +0000 http://www.brasil247.com/153783
Aécio de volta ao jogo: hora de encarar Marina http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153763 : Único a crescer na pesquisa Ibope divulgada na terça-feira 16, com quatro pontos de alta, candidato do PSDB  ainda pode chegar ao segundo turno; para isso, primeiro obstáculo à sua frente é adversária do PSB, colocada entre ele e a presidente Dilma Rousseff; no entanto, ex-presidente Fernando Henrique quer que Aécio incremente ataques a Dilma e ao PT; maior chance do senador mineiro, porém, é dar ordem unida às suas tropas e focar esforços para retomar de Marina o segundo posto que era seu até a morte de Eduardo Campos; movimento passa, claramente, por desgastar a ex-ministra nos 17 dias que separam o País das urnas de 5 de outubro; Aécio moverá a peça de seu interesse ou a de FHC, que não quer "melindrar" Marina? <br clear="all"> :

Marco Damiani _ 247 – No momento em que já ia sendo relegado à condição de personagem terciário da disputa presidencial, o candidato do PSDB, Aécio Neves, voltou ao jogo maior. Em pesquisa Ibope divulgada na terça-feira 16, ele foi o único a crescer em mais este momento decisivo da disputa eleitoral. A 17 dias das urnas, o senador mineiro resgatou para si quatro pontos perdidos e subiu de 15% de intenções para 19% de referências de voto. Ao mesmo tempo, Marina Silva perdeu um ponto e a presidente Dilma Rousseff, outros três.

O resultado incentivou o ex-presidente Fernando Henrique, que já declarou não querer "melindrar" a adversária do PSB, a insistir publicamente que a estratégia de Aécio é seguir criticando duramente a gestão de Dilma e do PT. Na mesma linha de atuação, o ex-governador José Serra se mantém alheio a ataques a Marina e não se incomoda com as versões que já transmite aos mais próximos de que os tucanos deverão votar 'útil' a favor dela, em 5 de outubro.

Mas o caminho de Aécio para o segundo turno, mostram claramente os números mais recentes, é outro.

Para participar da segunda volta, Aécio precisa ultrapassar quem está imediatamente à sua frente – e está é Marina, e não Dilma. Com 30% de intenções no Ibope, ao registrar perda de um ponto sobre pesquisa anterior do mesmo instituto, Marina é um obstáculo concreto entre o tucano e a petista. Não há como não perceber essa situação eleitoral. Caso, num próximo levantamento, repita-se o desempenho de Marina perder mais um pontinho e Aécio subir outros quatro, como aconteceu agora, bingo! Estará criada, com boa vontade de interpretação, a situação de empate técnico entre ambos, na marca dos 26% (Aécio com 23 pontos mais três para cima, Marina com 29 pontos menos três para baixo).

Sabe-se que, na reta final, assim como a perda de pontos abate dirigentes e militantes dos partido, o ganho anima decisivamente as equipes partidárias e seus simpatizantes. Aécio, nesta tendência, estaria ultra fortalecido.

FOCO PARA RECUPERAR POSIÇÃO PERDIDA - Por mais que ainda pareça difícil a situação de Aécio, a estratégia política correta pode fazê-lo ressurgir. Será preciso, neste instante histórico, ao menos, ele arquivar momentaneamente as críticas à Dilma e ao PT que, de resto, a própria Marina já vem fazendo, para concentrar-se no resgate do lugar que era dele antes da morte do presidenciável Eduardo Campos.

Até a tragédia de Santos, Aécio nunca perdeu sua posição consolidada de segundo colocado. Ele próprio assegurou em diferentes declarações que o segundo turno eleitoral já estava contratado, com ele próprio e Dilma na nova disputa.

Como tarefa número para completar o que será um verdadeira façanha, Aécio tem deixar de agir, agora, como candidato a presidente e "botar o chapéu", como gosta de dizer o próprio Fernando Henrique, de presidente do PSDB. Um chefe partidário que precisa dizer com todas as palavras para sua direção, militantes e apoiadores que não é hora de despejar bílis sobre o PT, mas sim sobre Marina.

A candidatura da musa do PSB está repleta de falhas e contradições, que têm sido explorada somente por Dilma e o PT. A ponto de essa estratégia já ter beneficiado a própria Dilma, que se descolou a ex-ministra e com ela empata em todos as projeções de segundo turno – no qual chegou a sofrer dez pontos de desvantagem no Datafolha.

Tarimbado por uma incessante atividade política desde o início da década de 1980, ao lado de seu avô Tancredo, Aécio tem a simpatia de todos no meio político por seu comportamento entusiasmado, gentil e conciliador.

No principal momento de sua vida política, porém, Aécio precisará ser bem mais duro para chegar ao topo. Paradoxalmente, ele nunca teve pela frente uma adversária com tantas fragilidades eleitorais já comprovadas. O primeiro passo é convencer Fernando Henrique sobre quem é o verdadeiro adversário neste momento – ou tocar a campanha neste começo de reta final ignorando, pelo triunfo, os conselhos do ex-presidente.

No tabuleiro da sucessão, quem joga agora é Aécio.

Poder Felipe L. Goncalves Wed, 17 Sep 2014 11:54:31 +0000 http://www.brasil247.com/153763
Para FHC, Aécio deveria mirar Dilma em ataques http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153749 : Ex-presidente avalia que foco dos tucanos deve ser a candidata do PT, presidente Dilma Rousseff; Fernando Henrique Cardoso nega, como foi divulgado, que ele tenha criticado ataques de Aécio Neves a Marina Silva, e acredita que isso seja "natural", mas que são os petistas quem têm que estar no centro dos ataques do candidato do PSDB; "O chumbo grosso deve se concentrar no PT e, portanto, na Dilma", disse <br clear="all"> :

247 – O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso acredita que o candidato do PSDB à presidência, Aécio Neves, deve mirar principalmente a adversária do PT, Dilma Rousseff, ao fazer ataques durante a campanha.

Ele avalia ser "natural" o tucano criticar Marina Silva, do PSB, mas ressalta que são os petistas quem têm que estar no centro dos ataques. "O chumbo grosso deve se concentrar no PT e, portanto, na Dilma", disse ele à Folha de S. Paulo.

Depois de ter sido citado por aliados de Marina como um dos defensores de que os ataques à candidata cessassem, FHC negou ter feito qualquer comentário a respeito da postura do candidato do PSDB. Segundo esse aliados, o ex-presidente endossaria a tese de que, atacando Marina, Aécio ajuda Dilma.

"Não fiz qualquer comentário sobre as críticas do Aécio com quem quer que fosse. Acho natural que ele, que está no fogo, dê uma ou outra cutucada na Marina", declarou FHC. Para ele, as denúncias de corrupção na Petrobras devem ser a principal exploração do discurso do PSDB.

Poder Gisele Federicce Wed, 17 Sep 2014 10:53:23 +0000 http://www.brasil247.com/153749
Costa já está no Senado e aguarda CPMI da Petrobras http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/153773 : O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou antes da chegada do ex-diretor da Petrobras que, em casos de delação premiada, o sigilo é obrigatório. "A lei impede que qualquer pessoa se refira a eventual delação e a seu conteúdo. É imposição do sigilo legal", salientou <br clear="all"> :

Karine Melo - Repórter da Agência Brasil

O ex-diretor de Abastecimento e Refino da Petrobras, Paulo Roberto Costa, já está nas dependências do Senado Federal. Às 14h30, ele prestará depoimento aos senadores que integram a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga irregularidades na empresa. Paulo Roberto chegou pouco depois das 12h e aguardará o início da sessão na sala da comissão. Costa decolou às 10h05, em um avião da Polícia Federal, do Aeroporto Internacional Afonso Pena, na Região Metropolitana de Curitiba.

Antes da chegada de Costa, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, esteve no gabinete do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Depois da audiência, Janot afirmou que, em casos de delação premiada, o sigilo é obrigatório. "A lei impede que qualquer pessoa se refira a eventual delação e a seu conteúdo. É imposição do sigilo legal", salientou.

A explicação do procurador-geral reforça a aposta dos que acreditam que, durante a sessão da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga irregularidades na Petrobras, marcada para as 14h30, o ex-diretor de Abastecimento e Refino da Petrobras, Paulo Roberto Costa, ficará calado. Segundo Janot, não cabe a ele ter expectativas sobre o depoimento. "Esse assunto diz respeito à CPMI e a esse investigado. Não tenho nenhuma expectativa", acrescentou.

Conforme Rodrigo Janot, o encontro com o presidente do Senado foi protocolar e apenas para entregar o relatório de um ano de atividades à frente da Procuradoria-Geral da República.

Preso em Curitiba

O ex-diretor da Petrobras está preso na sede da PF na capital do Paraná e fez acordo de delação premiada em que teria citado autoridades que estariam envolvidas com desvio de recursos da Petrobras, segundo reportagem da revista Veja da semana passada.

Para o relator da CPMI, deputado Marco Maia (PT-RS), o depoimento de Costa é uma oportunidade para confirmar se as informações publicadas na imprensa, sobre o envolvimento de políticos, são verdadeiras.

A reunião para ouvir o ex-diretor deve começar aberta e, em seguida, ser fechada ao público e à imprensa. A intenção é evitar que o executivo fique em silêncio, já que ele tem o direito constitucional de ficar calado para não produzir provas contra si. "Ele tem garantia constitucional de não se incriminar. Nós vamos provocar para que ele tenha com a CPI a mesma colaboração que está tendo com o Ministério Público e com a Polícia Federal", afirmou o presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB).

Regras

Apesar da possibilidade de o depoimento ser tomado em reunião fechada, um esquema especial de segurança está sendo montado no Senado para ouvir o ex-diretor. No plenário 2 da ala Nilo Coelho, no Senado, reservado para a reunião, só cabem 60 pessoas.

Quem ficar de fora vai poder acompanhar a audiência em telões instalados em outras três salas. Uma delas (sala 6) será exclusiva para jornalistas e as outras duas (salas 3 e 7) para o público em geral.

O acesso à ala Nilo Coelho vai ser controlado pela Polícia do Senado e será restrito a servidores, senadores, deputados e à imprensa credenciada. Cada parlamentar poderá contar com um assessor parlamentar.

CPI do Senado

Este será o segundo depoimento de Paulo Roberto Costa no Congresso. Em junho, antes da delação premiada, ele esteve na CPI do Senado e negou a participação em desvios de dinheiro da Petrobras. Ele se disse injustiçado, acusou a imprensa de "publicar dados sem fundamento" e disse que não sabia que Alberto Youssef era doleiro.

À CPI, Paulo Roberto Costa admitiu também que, embora não tivesse formalizado um contrato, prestou um serviço de consultoria ao doleiro e recebeu como pagamento um carro no valor de R$ 250 mil, mais R$ 50 mil pela blindagem.

No dia seguinte do depoimento aos senadores, o ex-diretor da Petrobras foi novamente preso, depois que o Ministério Público descobriu que ele mantinha US$ 23 milhões em contas no exterior.

Paraná 247 Gisele Federicce Wed, 17 Sep 2014 11:54:23 +0000 http://www.brasil247.com/153773
Povo quer Constituinte, mas a mídia silencia http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153719 : Plebiscito popular sobre reforma política realizado no último 7 de setembro teve 1.744.872 votos de brasileiros de todas as regiões do País, com mais de 96% de apoio à Constituinte exclusiva, mas foi solenemente ignorado pelos meios de comunicação tradicionais, aponta Tereza Cruvinel, colunista do 247; "O silêncio da mídia sobre o plebiscito expressa, além de sua dissintonia com as iniciativas populares, a descrença no resultado de tudo que não tem origem no status quo", diz ela; movimento nasceu com as manifestações de junho e evidencia a urgência de se rediscutir o modelo de representação popular; leia a íntegra <br clear="all"> :

247 - Uma iniciativa popular sobre reforma política mobilizou 1.744.872 brasileiros, no último dia 7 de setembro, mas foi solenemente ignorada pelos meios de comunicação tradicionais. Trata-se do plebiscito sobre a urgência de uma reforma política, realizado na internet, em que 96,9% dos votantes declararam apoio a uma Constituinte exclusiva para tratar do tema.

Esse plebiscito é o tema do novo artigo de Tereza Cruvinel, colunista do 247. "O movimento que preparou esta consulta começou no ano passado, depois das manifestações de junho, quando ficou evidente a falência do atual sistema eleitoral para garantir a legitimidade de nosso  regime  democrático baseado na representação popular através dos partidos políticos.  Entre as 450 instituições patrocinadoras há sindicados, organismos de classe, associações civis as mais diversas e apenas três partidos políticos: PT, PC do B e PCR", diz ela no texto "A mídia, o povo e o plebiscito popular".

"O silêncio da mídia sobre o plebiscito expressa, além de sua dissintonia com as iniciativas populares,  a descrença no resultado de tudo que não tem origem no status quo.  A História, entretanto, já mostrou algumas vezes que o caminho social pode nascer das pequenas trilhas.  Em 1983,  um jovem deputado de terno branco e chapéu panamá, recém chegado à Câmara, chamado Dante de Oliveira,  corria atrás dos jornalistas no Salão Verde da Câmara para falar de sua proposta de emenda constitucional restabelecendo as eleições diretas para presidente da Repúblicas. Que utópico, diziamos nós, e o ouviamos por delicadeza.  Saía um registro aqui, outro ali. Ate que em algum momento dr. Ulysses Guimaráes, como nós e todos o chamávamos, colocou-a na agenda do PMDB. Os outros partidos de oposição se juntaram, levantaram a bandeira e aconteceu a memorável campanha das diretas-já", lembra a jornalista.
 
Leia a íntegra no blog de Tereza Cruvinel.
Poder Leonardo Attuch Wed, 17 Sep 2014 07:22:52 +0000 http://www.brasil247.com/153719
Congresso se prepara para depoimento de Costa http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/153720 : Ex-diretor da companhia Paulo Roberto Costa deverá embarcar de Curitiba, onde está preso, para Brasília (DF) sob escolta da Polícia Federal (PF); ele também seguirá escoltado até o Congresso, quando passará a ficar sob a guarda da Polícia do Senado; a ordem judicial é que ele não precisa usar algemas; “Desde ontem que estou aqui cuidando da logística do transporte do depoente, das condições físicas para receber a todos com o mínimo de conforto necessário”, disse o senador Vital do Rêgo, presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras <br clear="all"> :

Mariana Jungmann - Repórter da Agência Brasil - O presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), aproveitou essa terça-feira (16) para acertar os detalhes logísticos do depoimento do ex-diretor da companhia Paulo Roberto Costa, hoje (17) no Congresso.

Costa deverá embarcar de Curitiba, onde está preso, para Brasília (DF) sob escolta da Polícia Federal (PF). Ele também seguirá escoltado até o Congresso, quando passará a ficar sob a guarda da Polícia do Senado. A ordem judicial é que ele não precisa usar algemas.

No Senado, onde ocorrerá a sessão da CPMI, a Ala Nilo Coelho será isolada, impedindo o acesso de visitantes à sala da comissão. No entanto, o trânsito de parlamentares, assessores, servidores e jornalistas estará liberado.

Também para garantir o acompanhamento da sessão por parte da imprensa, caso ela não seja secreta, o senador Vital do Rêgo solicitou que sejam instalados telões em outras salas, uma vez que a da CPMI será pequena para acomodar a todos.

“Desde ontem que estou aqui cuidando da logística do transporte do depoente, das condições físicas para receber a todos com o mínimo de conforto necessário”, disse o senador.

A expectativa, no entanto, é que o depoimento de Paulo Roberto Costa possa ser frustrado pelo acordo de delação premiada que ele fez com a Justiça e que coloca as informações sob sigilo. Para tentar evitar que o ex-diretor se recuse a falar, com receio de perder os benefícios da delação, alguns parlamentares defendem que o depoimento ocorra em sessão secreta.

Brasília 247 Roberta Namour Wed, 17 Sep 2014 07:29:10 +0000 http://www.brasil247.com/153720
Nassif declara apoio à reeleição de Dilma http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153728 : "Pela primeira vez assinei um manifesto de apoio a um candidato a presidente, no caso Dilma Rousseff", diz o jornalista Luis Nassif; "Acredito em um determinado modelo de desenvolvimento do país. Pela linha econômica de dois candidatos - Aécio e Marina - é impossível que seja implementado em seu governo. No caso de Dilma, é possível que seja implementado, mas não é garantido", afirma; leia suas razões <br clear="all"> :

247 - O jornalista Luis Nassif declarou seu apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff. Confira, abaixo, as razões:

Porque apoio Dilma

Pela primeira vez assinei um manifesto de apoio a um candidato a presidente, no caso Dilma Rousseff.

As razões são as seguintes.

Acredito em um determinado modelo de desenvolvimento do país.

Pela linha econômica de dois candidatos - Aécio e Marina - é impossível que seja implementado em seu governo. No caso de Dilma, é possível que seja implementado, mas não é garantido devido ao estilo de gestão adotado por ela no primeiro governo.

Esse modelo passa por algumas pernas:

1. Aprofundamento da democracia social, com a criação cada vez mais ampla de canais de participação da sociedade, através de conselhos, ampliando o escopo da democracia digital, retomando os fóruns públicos de participação, sem que implique em avançar nas atribuições dos demais poderes.

2. Entender a inclusão como processo central do desenvolvimento, com suas vertentes social, regional e empresarial.

3. O entendimento do governo como uma confluência de tendências do país, procurando compor o quadro de Ministros e Secretários com a diversidade das forças sociais e econômicas existentes. Atrair para os quadros de governo as melhores lideranças de cada setor econômico e social abrindo espaço para que tragam novas ideias e experiências.

4. Para conferir caráter democrático aos programas, submetê-los a modelos de consulta interministerial e intersetorial, visando dar sinergia e visão sistêmica a cada qual.

5. Aprofundar as políticas setoriais, identificando setores prioritários e amparando com os diversos mecanismos já existentes na economia. Prioridade para setores em que haja ganhos de escala e aqueles ligados a políticas de bem estar (saúde, educação, saneamento) e poder de compra do governo (pré-sal, Defesa).

6. Políticas fiscal e cambial responsáveis, que garantam o financiamento dos programas sociais e econômicos com total transparência.

7. Políticas de estímulo fiscal e creditício amarradas a regras claras e previsíveis, acabando com o voluntarismo que caracterizou a última gestão.

8. Reforma responsável no modelo de metas inflacionárias e no custo de carregamento da dívida pública, de maneira a reduzir o peso dos juros no orçamento público.

9. Radicalização da Lei de Transparência através da criação de indicadores de eficácia e de estímulo a organizações incumbidas de monitorar as ações públicas.

10. Mudanças no modelo de grupos de mídia, visando trazer equilíbrio às diversas manifestações no mercado de opiniões.

Muitas dessas políticas já estão em curso. Várias foram planejadas pela própria Dilma, enquanto Ministra e Presidente. Várias políticas públicas amadureceram nos últimos anos, oferecendo um quadro inédito de possibilidades para a montagem de programas de ação estratégicos.

Não significa que a eleição de Dilma, por si, garanta o aperfeiçoamento desse modelo.

O primeiro governo Dilma foi caracterizado por inúmeros problemas operacionais, ligados ao estilo da presidente que comprometeram o modelo:

1. Um governo com algumas (boas) ideias centrais, mas sem plano de vôo, perdido entre as pressões do curto prazo.

2. Visão tecnocrática anacrônica, trazendo de volta políticas de gabinete que se supunha extintas pelos novos tempos. Insensibilidade para temas políticos que significassem abrir as janelas do governo às pressões sociais e empresariais.

3. Estilo de tratar os Ministros que espantou do seu convívio personalidades de maior fôlego. Como agravante, a ampla complacência com a mediocrização do Ministério.

4, Impaciência com a consolidação de programas de médio e longo prazo, que acabaram levando a movimentos erráticos do Banco Central e ao uso condenável do câmbio e tarifas para controlar pressões de preço de curto prazo.

Nas conversas com o Chefe da Casa Civil Aloizio Mercadante, e nas próprias declarações recentes de Dilma, há uma aceitação implícita dessas críticas. Na entrevista com Mercadante ele apresenta um conjunto de respostas às críticas, ao acenar com maior participação social, com a convocação das principais lideranças para compor o novo governo.

Ocorre que em diversas oportunidades, sob pressão dos fatos, Dilma simulava abrir-se. Mas o máximo que concedia era receber os críticos em audiências, como se fosse favor da Rainha aos súditos, encantá-los com sua prosa mineira e não resultar em nenhuma ação sistemática para atender ao reclamos.

O que seria um segundo governo Dilma, em caso de vitória? A campanha eleitoral terá sido pedagógica, um banho de política que será bem assimilado no segundo governo? Ou, ao contrário, reforçará a auto-confiança, levando-a a um governo mais centralizador e autocrático que o atual?

Esse é o dilema.

Mídia Leonardo Attuch Wed, 17 Sep 2014 08:55:24 +0000 http://www.brasil247.com/153728
Dano à imagem do Itaú pode custar mais que a multa http://www.brasil247.com/pt/247/relacoes_com_investidores/153652 : O casamento entre Marina Silva e Neca Setubal, herdeira do Itaú e coordenadora do programa de governo da candidata do PSB, já causa danos à imagem do banco; na internet e nas redes sociais, a instituição financeira é alvo de uma série de "memes", que questionam, inclusive, a multa de R$ 18,7 bilhões imposta pela Receita Federal, por sonegação de impostos, ao banco da família Setubal; na web, a candidata socialista já é chamada de "Marineca" e há até uma campanha para que ela seja lançada candidata à presidência do Itaú; com seu engajamento pró-Marina, banco assumiu o risco e, mesmo que vença, pode vir a ter problemas; afinal, como reagiria a opinião pública, num eventual governo Marina, a um perdão da Receita Federal ao Itaú? <br clear="all"> :

247 - Dias atrás, uma gerente do Itaú Personalité, em São Paulo, recebeu uma resposta inusitada de um potencial cliente, que prospectava para sua carteira.

– Não, obrigado. Não tenho interesse em ser cliente de um banco que tenta interferir no processo político brasileiro.

A reação era decorrente do excessivo engajamento do Itaú no processo eleitoral de 2014. Uma de suas acionistas, Neca Setubal, além de coordenadora do programa de Marina Silva, doou 83% dos recursos que bancam seu instituto. Além disso, em diversas entrevistas, defendeu temas de interesse do Itaú, como a independência do Banco Central e a redução do papel de bancos públicos, como Banco do Brasil, BNDES e Caixa Econômica Federal, na economia brasileira.

O impacto do casamento entre Marina Silva e Neca Setubal nos negócios do Itaú ainda levará tempo para ser devidamente avaliado. Mas os danos à imagem do banco já podem ser medidos nas redes sociais. Essa associação já produziu dezenas de "memes" – peças na internet que ironizam a situação.

Num deles, Neca Setubal "afirma": "Devo R$ 240 milhões para a Receita Federal. Eleja Marina e me ajude a sair dessa". Em outro, a mensagem é: "Fora Marina. E leve o Itaú junto". Há, também, na internet uma campanha para que Marina seja lançada candidata à presidência do Itaú. E já se espalha o apelido "Marineca" para a candidata, como se ela fosse uma marionete da herdeira do banco.

Tradicionalmente, bancos costumam ser mais conservadores, quando o assunto é política. Mantêm distância protocolar dos candidatos e, quando têm preferências, não as assumem explicitamente, mas apenas nos bastidores. Desta vez, no entanto, o Itaú decidiu correr o risco de uma exposição maior. E já paga o preço nas redes sociais.

Além disso, mesmo que "vença" as eleições presidenciais de 2014, com Marina Silva, o Itaú não terá tantos motivos para comemorar. Temas de interesse direto da instituição financeira, como a multa de R$ 18,7 bilhões imposta, por sonegação, pela Receita Federal, serão acompanhados de perto pela opinião pública. Afinal, qual seria a reação da opinião pública se o leão ficasse mais manso para os acionistas do Itaú?

Relações com Investidores Aline Lima Wed, 17 Sep 2014 06:32:49 +0000 http://www.brasil247.com/153652
Dilma: "Vai ganhar eleição quem mudou o Brasil" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153706 : Aparecida - SP, 16/09/2014. Dilma Rousseff durante debate da CNBB. Foto:Ichiro Guerra Durante debate da CNBB realizado na noite desta terça-feira, a candidata à reeleição pelo PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, destacou que "quem vai ganhar essas eleições é quem mudou o Brasil, quem combateu a fome e a miséria, quem reduziu a miséria e quem combateu a crise, não deixando que houvesse desemprego e inflação"; já Aécio Neves (PSDB) voltou a ligar Marina Silva (PSB) ao PT: "Temos uma nova candidata, cheia de boas intenções, mas que já foi do PT e votou contra a lei de responsabilidade Fiscal. Estou apresentando um projeto amplamente discutido e aprofundado em todas as regiões do país" <br clear="all"> : Aparecida - SP, 16/09/2014. Dilma Rousseff durante debate da CNBB. Foto:Ichiro Guerra

SÃO PAULO - Em suas considerações finais no debate da CNBB realizado na noite desta terça-feira, a candidata à reeleição pelo PT à presidência da república, Dilma Rousseff, destacou que "quem vai ganhar essas eleições é quem mudou o Brasil, quem combateu a fome e a miséria, quem reduziu a miséria e quem combateu a crise, não deixando que houvesse desemprego e inflação".

Dilma destacou que o Brasil saiu do Mapa da Fome e que o fim da miséria é só um começo. "O nosso país tem um grande caminho a percorrer, focado na educação, que é o caminho pelo qual nós iremos nos introduzir na sociedade moderna", afirmou.

Em sua última fala durante o debate, Marina Silva, do PSB, voltou a dizer que neste processo eleitoral os embates entre os candidatos não são necessários. A ex-senadora reforçou que é a favor do debate de propostas entre os presidenciáveis, destacando que seu programa de governo inclui questões como o passe livre e a segurança pública.

"Tenho dito que quem vai ganhar essas eleições não serão os partidos da estrutura da polarização PT-PSDB. Quem vai ganhar a eleição vai ser a nova política", conclui Marina, acrescentando que estabelecerá no país uma nova forma de governabilidade que não é baseada na troca de cargos.

O presidenciável do PSDB, Aécio Neves, afirmou que que querem dividir o Brasil entre "nós e eles". O tucano se referiu a "nós" aos que apoiam o governo, e a "eles" aos que se opõem à atual gestão". As críticas do peessedebista também foram contra a ex-senadora.

"Temos uma nova candidata, cheia de boas intenções, mas que já foi do PT e votou contra a lei de responsabilidade Fiscal. Estou apresentando um projeto amplamente discutido e aprofundado em todas as regiões do país", concluiu o ex-governador mineiro.

Poder Roberta Namour Wed, 17 Sep 2014 05:08:21 +0000 http://www.brasil247.com/153706
Agronegócio vai explorar "flexibilidade" de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/agro/153708 : Ex-ministro Roberto Rodrigues, que hoje preside a Academia Nacional da Agricultura, alerta que representantes do setor pressionam por mudanças no programa da candidata do PSB para que ela não sofra "veto"; Marina Silva tem sido bombardeada por propor o índice de produtividade agrícola para facilitar a reforma agrária e o desmatamento zero; Rodrigues vai discutir alterações na próxima semana com o vice da ex-senadora, Beto Albuquerque (PSB-RS); "Tenho achado a Marina muito mais flexível do que no passado", diz ele <br clear="all"> :

247 – Seduzido pela “nova fase” de Marina Silva, o agronegócio vai pressionar por mudanças no programa da candidata do PSB para atender seus interesses.

Segundo a colunista Mônica Bergamo, o ex-ministro Roberto Rodrigues, que hoje preside a Academia Nacional da Agricultura, vai se reunir na próxima sexta com Beto Albuquerque (PSB-RS), candidato a vice-presidente na chapa de Marina Silva para propor alterações no plano de governo. Representantes do agronegócio pressionam por mudanças no programa da candidata para que ela não sofra "veto" do setor.

Ele admite que é "difícil" Marina Silva mudar oficialmente o programa, após ser bombardeada por uma série de recuos, mas pode firmar "um compromisso" com o setor: "Tenho achado a Marina muito mais flexível do que no passado", diz ele.

Marina têm sido criticada por propor índice de produtividade agrícola para facilitar a reforma agrária e o desmatamento zero.

O ex-ministro explica, no entanto, que o setor não fechará apoio a uma só candidatura. No Centro-Oeste, "setores que dependem de crédito e logística são muito gratos à Dilma porque o crédito tem sido farto e barato".

Agro Roberta Namour Wed, 17 Sep 2014 05:13:36 +0000 http://www.brasil247.com/153708
PSB alega que apenas Campos cuidava das doações http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/153709 : Ao Tribunal Superior Eleitoral, advogado Renato Thièbaut afirma não ter informações para fazer a prestação de contas completa do PSB, hoje representado por Marina Silva nas urnas; partido não declarou gastos com o uso do jato Cessna; “O candidato geria algumas tratativas de sua campanha, em especial doações em valores estimáveis, sendo certo que detinha pessoalmente o controle, documentação e informações sobre as mesmas”, diz documento em nome do partido <br clear="all"> :

247 – Cada vez mais enrolado para explicar o uso do jato Cessna pela campanha de Eduardo Campos e de Marina Silva à Presidência, o PSB agora alega que apenas o ex-governador, que morreu no mês passado, tinha controle das doações à sigla.

O partido até agora não declarou à Justiça Eleitoral os gastos com o uso do avião, que caiu em Santos, matando a comitiva de Campos, e é investigado pela Polícia.

Ao Tribunal Superior Eleitoral, advogado Renato Thièbaut alega não ter informações para fazer a prestação de contas completa do PSB: “O candidato geria algumas tratativas de sua campanha, em especial doações em valores estimáveis, sendo certo que detinha pessoalmente o controle, documentação e informações sobre as mesmas”, diz documento em nome do partido.

Ele também diz que desconhecia as irregularidades em torno do avião. Segundo fonte ouvida pelo Globo, dois dias após a morte de Campos, dirigentes do partido foram chamados a uma reunião num hotel de São Paulo pelos empresários João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho e Apolo Santana Vieira, donos do jato. Eles teriam dito que a sigla teria problemas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) porque a transação estava “irregular”.

O avião foi comprado com pelo menos 16 depósitos diferentes, incluindo de empresas fantasmas, mas ainda aparecia em nome da AF Andrade nos registros da Anac.

Duas semanas após o encontro, no entanto, o PSB divulgou nota alegando que estava “alheio” às negociações.

Pernambuco 247 Roberta Namour Wed, 17 Sep 2014 05:44:37 +0000 http://www.brasil247.com/153709
Empreiteiras contrataram empresa falsa de doleiro http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153710 : OAS, Queiroz Galvão e Camargo Corrêa constam entre as transações da Rigidez, empresa ligada a Alberto Youssef, que não tem nenhum funcionário; elas mantêm contratos com a refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco; só o Consórcio Ipojuca gastou ao menos R$ 1,3 milhão com “serviços de consultoria”; doleiro foi preso pela PF por suspeita de comandar esquema de lavagem de dinheiro e pagamento de propina a servidores, que movimentou mais de R$ 10 bilhões <br clear="all"> :

247 – As maiores empreiteiras do Brasil contrataram serviços de uma empresa de fachada ligada ao doleiro Alberto Youssef, preso pela Polícia Federal por suspeita de comandar esquema de lavagem de dinheiro e pagamento de propina a servidores, que movimentou mais de R$ 10 bilhões.

Segundo reportagem do Globo, documentos apreendidos no escritório da contadora Meire Poza cita transações da Rigidez com empresas como a OAS, Queiroz Galvão, e Camargo Corrêa para obras na refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

O Consórcio Ipojuca, formado pela Queiroz Galvão e Iesa Óleo e Gás, repassou ao menos R$ 1,3 milhão para a Rigidez, de Youssef, que não tem funcionário algum. Já a Sanko Sider, subcontratada pela Camargo Corrêa, contratou empresa por R$ 2,3 milhões para “serviços específicos de consultoria técnica”. A Coesa, do grupo OAS, pagou R$ 650 mil.

Brasil Roberta Namour Wed, 17 Sep 2014 05:56:44 +0000 http://www.brasil247.com/153710
Embate entre Luciana e Aécio vira piada na web http://www.brasil247.com/pt/247/rs247/153702 : Após acusar o PSDB de ser “igual” ao PT em termos de corrupção, citando o mensalão tucano e o cartel dos trens no governo paulista, presidenciável do PSOL, Luciana Genro foi chamada pelo tucano Aécio Neves de “linha auxiliar do PT”; na réplica soltou a frase: “Com todo o respeito, linha auxiliar do PT uma ova!”, que virou memes pela internet; embate ocorreu no debate dos promovido pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) <br clear="all"> :

SÃO PAULO (Reuters) - Um duelo indireto entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) sobre denúncias de corrupção esquentou um até então insosso debate entre presidenciáveis promovido pela CNBB na terça-feira, que teve um direito de resposta para cada um deles, algo inédito nos debates realizados até aqui nesta campanha.

A candidata do PSB, Marina Silva, ficou mais distante da disputa entre os dois rivais, mas aproveitou suas considerações finais para voltar a criticar a polarização PT-PSDB.

Aécio aproveitou uma pergunta do pastor Everaldo (PSC) para atacar a presidente sobre as recentes denúncias de corrupção na Petrobras, o que gerou um pedido de direito de resposta da petista, atendido pela produção do debate.

Já o tucano, ao fazer uma pergunta sobre educação para Luciana Genro (PSOL), acabou ouvindo da adversária afirmações duras lembrando denúncias de irregularidades de governos do PSDB. Ele também teve um pedido de direito de resposta aceito.

"Os brasileiros estão envergonhados, indignados com o que vem acontecendo com a nossa mais importante empresa pública, submetida a sanha de um grupo político que para se manter no poder permitiu que um vale-tudo fosse feito na nossa maior empresa", disse Aécio ao responder Everaldo que, usando um termo cunhado pelo tucano, se referiu às denúncias como "mensalão 2".

"Não é possível que o Brasil continue a ser administrado com tanto descompromisso com a ética, com a decência, com os valores cristãos", disparou Aécio, aproveitando o contexto do debate ser realizado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

Na sequência, o tucano questionou a candidata do PSOL sobre educação, mas ela preferiu centrar artilharia nos escândalos de corrupção tucanos, como o mensalão mineiro --que segundo ela é a origem do mensalão petista--, denúncias de corrupção nas privatizações do governo Fernando Henrique Cardoso e de compra de votos para aprovar a emenda da reeleição no mesmo governo.

"O senhor falando do PT é o sujo falando do mal lavado", disparou Luciana.
Irônico, Aécio fez questão de lembrar as origens petistas da candidata do PSOL e a acusou de atuar como "linha auxiliar do PT", o que só aumentou a artilharia da adversária.

"Com todo o respeito, linha auxiliar do PT, uma ova, candidato Aécio! Porque o PT aprendeu com o senhor, aprendeu com o seu partido", emendou ela, que chegou a chamar o tucano de "fanático da corrupção", o que gerou o pedido de direito de resposta do candidato do PSDB.
No direito de resposta, Aécio evitou rebater diretamente as acusações da adversária do PSOL, que classificou como "irrelevantes", "irresponsáveis" e "levianas".

Já Dilma usou o seu direito de resposta para lembrar que as denúncias na Petrobras foram "investigadas e descobertas" por um órgão do governo, a Polícia Federal.

"Nós fortalecemos a Polícia Federal, criamos o Portal da Transparência, nomeamos o Ministério Público de acordo com a lista tríplice a nós apresentada, nunca escolhemos engavetador-geral da República. E se hoje se descobre atos de corrupção e ilícitos é porque nós não varremos para debaixo do tapete", disse a presidente.

Alheia à disputa entre os dois principais adversários em um debate que, por conta das regras, não teve sequer um duelo direto entre os três principais candidatos, Marina usou suas considerações finais para atacar a polarização vigente nas últimas cinco eleições presidenciais.

"Eu tenho dito que quem vai ganhar as eleições não são as estruturas dos partidos da polarização PT-PSDB que acabaram de aqui se digladiar. Quem vai ganhar as eleições é uma nova postura, principalmente do cidadão brasileiro... que identifica no nosso projeto a verdadeira mudança."

Dilma, que fez suas considerações finais logo depois da rival, não perdeu a oportunidade de contestar a rival.

"Quem vai ganhar essas eleições, é quem mudou o Brasil", declarou.

Já Aécio usou sua fala final para repetir a avaliação de que o governo Dilma "fracassou" e de que Marina "não consegue superar suas enormes contradições". O tucano comemorou ainda a pesquisa Ibope, que apontou crescimento de suas intenções de voto e que, na visão dele, já mostra "um crescimento muito claro da nossa candidatura".

Ibope divulgado na noite de terça-feira mostrou que Aécio foi o único dos postulantes ao Palácio do Planalto a crescer. O tucano saltou 4 pontos para 19 por cento. Já Dilma recuou 3 pontos para 36 por cento, enquanto Marina oscilou 1 ponto para baixo, a 30 por cento.

(Reportagem de Eduardo Simões)

Rio Grande do Sul 247 Roberta Namour Wed, 17 Sep 2014 05:33:30 +0000 http://www.brasil247.com/153702
Marina cobra R$ 100 mil em jantar com banqueiros http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153633 : Candidata do PSB participou ontem de um jantar com banqueiros e investidores nacionais; cada um teve de pagar R$ 100 mil para sentar à mesa com a candidata do PSB, o Partido Socialista Brasileiro; oferecido por Florian Batunek, da empresa de investimentos Constellation, o encontro contou com as presenças de nomes como José Berenguer, do JP Morgan, Luiz Stuhlberger, do Credit Suisse, José Roberto Moraes, do Grupo Votorantim, Ana Maria Diniz, ex-Pão de Açúcar, Andrea Pinheiro, do BR Partners, e Jair Ribeiro, do Indusval; tesoureiro de Marina, Álvaro de Souza (ex-Citibank) justificou o preço de R$ 100 mil alegando ser necessário financiar "a luta de David contra Golias"; segundo os presentes, Marina foi aprovada "com louvor" <br clear="all"> :

247 - Quer jantar com Marina Silva? O preço é de R$ 100 mil. Pelo menos, esse foi o valor cobrado ontem pela candidata do Partido Socialista Brasileiro, o PSB, num encontro com banqueiros.

De acordo com Álvaro de Souza, o banqueiro (ex-Citibank), que coordena a arrecadação de Marina, essa cobrança foi necessária para financiar "a luta de Davi contra Golias" da sucessão presidencial.

De acordo com os presentes, a candidata do PSB, que promete independência do Banco Central e a revisão do modelo do pré-sal, com menos espaço para a Petrobras, foi aprovada "com louvor". Leia, abaixo, nota publicada pela coluna Radar, de Lauro Jardim:

Aproximação com o mercado

Convencendo o mercado

Se o jantar de ontem de Marina Silva com parte do mercado financeiro, na casa de Florian Batunek, da empresa de investimentos Constellation, em São Paulo, fosse um teste, a candidata teria passado com louvor.

Marina convenceu, ao responder perguntas duras sobre os rumos da economia, e garantiu que vai propiciar a retomada do ambiente de negócios no Brasil. Também ironizou a satanização que o PT tem feito de seu nome e suas propostas.

Compareceram José Berenguer, do JP Morgan; Luiz Stuhlberger, do Credit Suisse; José Roberto Moraes, do Grupo Votorantim; Geyze e Ana Maria Diniz, respectivamente mulher e irmã de Abilio Diniz; Tito Alencastro e Anis Chacur do Banco ABC; Andrea Pinheiro, do BR Partners; Jair Ribeiro, do Indusval; entre outros.

Os convidados contribuíram com um mínimo de 100 000 reais para participar da noite. A despeito do alto preço do convite, Alvaro de Souza ainda fez um discurso final pedindo mais doações financeiras para “a luta de David contra Golias”.

Poder Leonardo Attuch Tue, 16 Sep 2014 15:00:59 +0000 http://www.brasil247.com/153633
Marina garante: não é a exterminadora do futuro http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153643 : "Com certeza vocês já viram aí que eu vou acabar com o pré-sal, com o Minha Casa Minha Vida, com o Bolsa Família, com o Mais Médicos, que vou parar com a transposição do Rio São Francisco, parar com a Transnordestina... só se eu fosse a 'Exterminadora do Futuro'", disse ela, ao participar de um encontro com empreendedores <br clear="all"> :

SÃO PAULO (Reuters) - A candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, se defendeu do que chamou de "marketing selvagem", praticado contra ela por seus adversários na disputa presidencial.

Em encontro com jovens empreendedores em São Paulo, Marina afirmou que está sendo combatida "a ferro e fogo" por já ter apresentado suas propostas, enquanto seus rivais ainda não o fizeram. 

"Com certeza vocês já viram aí que eu vou acabar com o pré-sal, com o Minha Casa Minha Vida, com o Bolsa Família, com o Mais Médicos, que vou parar com a transposição do Rio São Francisco, parar com a Transnordestina... só se eu fosse a 'Exterminadora do Futuro'", disse, numa alusão a conhecido filme de ficção-científica.

"Mas o marketing selvagem faz isso e ainda produz um filmezinho. Vocês viram uma peça que a criança está lendo, e se eu ganhar, o livro fica em branco?", questionou em alusão a uma peça de propaganda da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT), que tenta a reeleição.

"Como que alguém que a educação fez um milagre na vida vai acabar com o Fies, o Pronatec, o Prouni?", acrescentou Marina, que teve a oportunidade de se alfabetizar e estudar apenas quando já era adolescente.

A ex-senadora também criticou Dilma sobre a atual administração da Petrobras, defendendo que a indicação de diretores da empresa seja feita "a partir de critérios de competência, de ética, por comitê de busca, valorizando os funcionários que são altamente competentes e relevantes".

"Se isso incomoda... a candidata presidente Dilma, que disse que vai manter do mesmo jeito, que no seu governo não haverá mudanças... continuarão (a fazer indicações) por critérios puramente políticos, com os resultados que o Brasil está vendo: a Petrobras, uma empresa respeitada, eficiente, competente, ameaçando --isso sim-- a exploração do pré-sal e os recursos para a Saúde e para a Educação", declarou.

Marina também apontou que o atual governo provocou "distorção" nos objetivos originais do BNDES, já que alguns procedimentos que foram adotados quando do aprofundamento da crise internacional no final de 2008, não foram mais abandonados.

"Naquele momento de crise, se justificavam determinados procedimentos, que foram repetidos mesmo quando a crise já dava sinais de que era necessário voltar aos objetivos iniciais, isso foi criando uma distorção", disse.

"Mas a mais nefasta de todas as políticas que hoje precisam ser reparadas é o volume de dinheiro que foi destinado, sem que o contribuinte saiba quais os critérios, sem que isso tenha passado por um debate dentro do Congresso,... para meia dúzia de empresas que foram escolhidas pelo Estado". 

A candidata também se comprometeu a apresentar uma proposta para a Reforma Tributária em seu primeiro mês de governo, acrescentando, porém, que ainda estão sendo feitas discussões sobre o assunto.

"Nossa determinação é orientada por aquilo que eu tenho repetido sempre, o princípio da justiça tributária, da simplificação e da transparência, ao mesmo tempo em que queremos fazer uma reforma tributária de forma fatiada para evitar que ela seja boicotada pelos agentes do próprio pacto federativo", explicou, admitindo que "não é uma equação fácil".

"Se fosse fácil fazer reformas, o sociólogo teria feito a reforma política, e o operário teria feito a reforma trabalhista. Eu prefiro ter humildade e continuar o debate exatamente para evitar as distorções que estão sendo feitas." 

 

(Reportagem de Pedro Belo)

Poder Leonardo Attuch Tue, 16 Sep 2014 15:30:47 +0000 http://www.brasil247.com/153643
Em quatro meses, Cantareira perde o equivalente a 'volume morto' http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/153651 : Volume de água continua em queda e chegou hoje a 8,9% da capacidade dos reservatórios. Com isso, as represas que abastecem parte da Grande São Paulo e municípios do interior atingem praticamente o mesmo nível de 15 de maio (8,2%), antes de ser usada a reserva técnica, que adicionou 182,5 bilhões de litros de água <br clear="all"> :

Daniel Mello - Repórter da Agência Brasil 

O volume do Sistema Cantareira continua em queda e chegou hoje (16) a 8,9% da capacidade dos reservatórios. Com isso, as represas que abastecem parte da Grande São Paulo e municípios do interior atingem praticamente o mesmo nível de 15 de maio (8,2%). A chegada a esse patamar crítico fez com que o sistema começasse a ser usada a reserva técnica que adicionou 182,5 bilhões de litros de água.

A falta de chuvas tem dificultado a reposição do volume das represas. Foram registrados na região 30,1 milímetros de chuva neste mês. A média histórica é 91,9 milímetros de precipitação ao longo de setembro.

Segundo a Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo, no entanto, o abastecimento de água está garantido até março de 2015. Além disso, a expectativa é de que, até o final do mês, chova regularmente e não haja necessidade de se recorrer à segunda cota da chamada reserva técnica ou volume morto. Essa solução só será utilizada em último caso, segundo o governo paulista. Além disso, gradativamente, será reduzida a dependência do Sistema Cantareira para outros mananciais.

A partir deste mês, o processo de transferência de água para a área abastecida por Cantareira permitirá o bombeamento de mais 500 litros por segundo com a utilização das águas do Rio Grande e, em outubro, mais 1 mil litros por segundo retirados do Rio Guarapiranga. Com esse volume, haverá redução de dependência do Cantareira para o abastecimento de 500 mil moradores. Só neste ano, acrescenta a nota, a estimativa é diminuir de 8,8 milhões para 6 milhões o número de consumidores atendidos por esse sistema.

Como medida preventiva, a Sabesp solicitou a retirada de 106 bilhões de litros de água da segunda reserva técnica do Sistema Cantareira. A obra já foi autorizada pelo Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee), porém, não há previsão para o início.

SP 247 Gisele Federicce Tue, 16 Sep 2014 15:55:02 +0000 http://www.brasil247.com/153651
PIB do agronegócio cresce 1,9% no 1º semestre http://www.brasil247.com/pt/247/agro/153654 : Crescimento se deve a um aumento da produção combinado a preços mais altos na comparação com o mesmo período do ano passado, disse nesta terça-feira o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Universidade de São Paulo; resultado aponta desempenho bem superior ao da economia brasileira em geral <br clear="all"> :

SÃO PAULO (Reuters) - O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro cresceu 1,9 por cento no primeiro semestre devido a um aumento da produção combinado a preços mais altos na comparação com o mesmo período do ano passado, disse nesta terça-feira o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Universidade de São Paulo, apontando um desempenho bem superior ao da economia brasileira em geral.

Os cálculos do PIB do agronegócio --incluindo produção primária, insumos, logística e agroindústrias-- são mais abrangentes que os feitos pelo IBGE para a agricultura, que inclui apenas a produção "dentro da porteira".

Segundo o Cepea, o agronegócio responde por 22,5 por cento das riquezas produzidas no país.

No geral, a economia brasileira entrou em recessão no primeiro semestre, com retração de 0,6 por cento no segundo trimestre sobre os três meses anteriores, com forte retração nos investimentos e na indústria e a Copa do Mundo prejudicando a atividade econômica.

Nos cálculos do Cepea, a pecuária brasileira se destacou no primeiro semestre, com crescimento de 5,52 por cento, incluindo crescimento de 16,2 por cento na pecuária de corte.

A agricultura expandiu 2,91 por cento --com destaque para uma alta de 10,45 por cento no valor da produção de soja e de 31,7 por cento no algodão.

Já as indústrias do setor avançaram apenas 0,10 por cento no semestre, disse o Cepea.

"Entre as treze indústrias analisadas pelo Cepea, sete fecharam o período em baixa", disse o centro, em nota, destacando que a perda de participação das agroindústrias dentro do PIB do agronegócio é uma tendência dos últimos dez anos.

A perda de participação da agroindústria indica que o agronegócio não tem conseguido avançar nos segmentos de maior valor agregado, em boa parte devido às dificuldades enfrentadas na exportação de produtos manufaturados, disse o Cepea.

"Nas nossas exportações predominam as matérias-primas e semiprocessados, enquanto os processados e os produtos frescos (frutas, flores, por exemplo) enfrentam barreiras comerciais ou não atendem às exigências de qualidade e sanitárias", disse o coordenador do Cepea, professor Geraldo Barros.

Os setores de insumos e de distribuição cresceram 1,84 por cento e 1,57 por cento, respectivamente no primeiro semestre.

PERSPECTIVA PARA 2014

O PIB do agronegócio crescerá no máximo 3,8 por cento em 2014, estimou o Cepea, ante um crescimento de 3,92 por cento em 2013, quando o atingiu cerca de 1,1 trilhão de reais.

"Variações climáticas, no entanto, podem levar a ajustes nas estimativas atuais de produção nacional e mundial", disse o centro de pesquisas.

Já as perspectivas para o crescimento da economia em geral não são tão positivas.

A pesquisa Focus do Banco Central divulgada na segunda-feira mostrou que a projeção para o crescimento do PIB brasileiro em 2014 caiu pela 16ª semana seguida, a apenas 0,33 por cento.

(Por Gustavo Bonato)

Agro Gisele Federicce Tue, 16 Sep 2014 16:14:44 +0000 http://www.brasil247.com/153654
Neca mostra preconceito sobre Lula, o "sindicalista" http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153618 : Nova coluna de Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, aponta "visão preconceituosa" de Neca Setubal, herdeira do Itaú, sobre o ex-presidente; em entrevista à Bloomberg, durante campanha internacional por Marina Silva, a banqueira disse que, "como Lula, Marina é uma pessoa do povo, mas seguiu por outro caminho. Escolheu a educação, enquanto Lula escolheu ser um sindicalista"; PML comenta: "Pensei, honestamente, que a moda tinha passado. Achava que ninguém mais iria cobrar de Lula sua falta de diploma"; ele lembra, em seguida, como Marina se filiou ao PT, criado por Lula, e foi vice-presidente da CUT, também construída por ele; "Talvez fosse possível dizer que foi no mundo daquelas greves que comoveram o país e tudo aquilo que veio depois que Lula encontrou a História. Será o preconceito que impede de ver isso? Será egoísmo? Vaidade?", questiona o jornalista <br clear="all"> :

247 – "Pensei, honestamente, que a moda tinha passado. Achava que ninguém mais iria cobrar de Lula sua falta de diploma". O comentário é de Paulo Moreira Leite, em nova coluna em seu blog no 247, sobre uma declaração de Neca Setubal em entrevista à Bloomberg. Enquanto fazia campanha internacional para a candidata do PSB, Marina Silva, a herdeira do Itaú afirmou: "Como Lula, Marina é uma pessoa do povo, mas seguiu por outro caminho. Escolheu a educação, sempre valorizou a educação, conseguiu formar-se professora, enquanto Lula escolheu ser um sindicalista".

O jornalista ressalta como Marina Silva, hoje candidata à Presidência da República pelo PSB, ingressou no PT cinco anos depois de ele ter sido criado por Lula. E se tornou, mais tarde, vice-presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores) no Acre, também construída por ele. E como, em 1994, se elegeu senadora, na chapa do PT, negociada por Lula. Depois, em 2003, se tornou ministra, a convite dele, então presidente, e foi reconduzida ao cargo em 2007.

"Como disse Neca, Lula 'escolheu ser sindicalista'. Seria possível dizer que preferiu ficar junto do povo. Mas ela poderia achar que essa frase é meio forte, retórica demais. Ninguém é obrigado a gostar de Lula nem de 'sindicalistas'. Mas talvez fosse possível dizer que foi no mundo daquelas greves que comoveram o país e tudo aquilo que veio depois que Lula encontrou a História. É isso que sabem os homens e mulheres que tentaram entender a experiência infinita desse mundo. Será o preconceito que impede de ver isso? Será egoísmo? Vaidade? É tão difícil assim enxergar a vida real do alto de tantos milhões em dividendos por ano?", questiona Paulo Moreira Leite.

Leia a íntegra de seu artigo em A banqueira, a professora e o sindicalista

Mídia Gisele Federicce Tue, 16 Sep 2014 13:03:55 +0000 http://www.brasil247.com/153618
Barbosa diz que reeleição prejudica sistema político http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153619 : Ex-presidente do STF, Joaquim Barbosa avalia que atual modelo possibilita a troca de favores entre políticos; "O sistema político fica prejudicado quando há o instituto da reeleição para os cargos do Executivo", disse, em palestra feita a empresários do setor de shopping centers, em São Paulo; alternativa, segundo ele, seria a adoção de um mandato mais longo, de cinco anos, como propõem os candidatos Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB) <br clear="all"> :

247 – Depois de um período de quarentena fora do País, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa ministrou nesta terça-feira 16 uma palestra a empresários do setor de shopping centers em São Paulo, na qual criticou o atual sistema político. Segundo ele, a reeleição possibilita a troca de favores entre políticos.

"O sistema político fica prejudicado quando há o instituto da reeleição para os cargos do Executivo", disse Barbosa. Ele argumentou que, quando há reeleição, existe maior negociação de cargos e apoio a programas inadequados, com o fim de ampliar a base aliada.

Na opinião do ex-ministro, uma alternativa seria a adoção de um mandato único mais longo, de cinco anos. A proposta é feita pelos presidenciáveis do PSB, Marina Silva, e do PSDB, Aécio Neves. Ele declarou, na palestra, que sua crítica "não tem relação com qualquer caso concreto da atualidade".

Brasil Gisele Federicce Tue, 16 Sep 2014 13:04:51 +0000 http://www.brasil247.com/153619
Marina propõe atualização de leis trabalhistas http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153632 : Citando o "professor Eduardo Giannetti", candidata ressaltou que um dos graves problemas da informalidade no Brasil é a complexidade das leis trabalhistas e, sem dar detalhes, sugeriu atualizar a legislação "para a realidade do mercado atual"; declaração foi feita durante encontro com empreendedores em São Paulo <br clear="all"> :

247 – A presidenciável pelo PSB, Marina Silva, propôs nesta terça-feira 16, durante encontro com empreendedores, a atualização da legislação trabalhista "para a realidade do mercado atual". Sem dar detalhes da proposta, a candidata rechaçou o termo "flexibilização da CLT" (em referência à Consolidação das Leis de Trabalho, principal norma legislativa brasileira ao direito dos trabalhadores).

Citando o "professor Eduardo Giannetti", Marina afirmou que um dos graves problemas da informalidade no País é justamente a complexidade da lei trabalhista, "que muitas vezes priva aquela pessoa que tem uma pequena empresa de contratar e de formalizar (o empregado) de alguma forma que seja compatível com as suas possibilidades".

Ela admitiu que essa não é uma discussão fácil e "acontece sempre no terreno de como não precarizar as relações trabalhistas e não perder conquistas que foram obtidas com muito sacrifício, mas como fazer uma atualização para resolver problemas do mercado, do mundo do trabalho.

Segundo Marina Silva, o debate sobre o tema ainda está sendo feito entre os membros de seu comitê de campanha e partidos coligados e não há qualquer proposta fechada.

Brasil Gisele Federicce Tue, 16 Sep 2014 14:41:13 +0000 http://www.brasil247.com/153632
Rumor sobre Ibope faz Ibovespa disparar http://www.brasil247.com/pt/247/relacoes_com_investidores/153622 : Ibovespa engatou uma nova sessão de forte alta nesta terça-feira, fechando o dia com ganhos de 2,01%, a 59.114 pontos; mais cedo, índice chegou a subir 3,96%; ações da Petrobras subiram cerca de 5% em meio a novos rumores eleitorais; o motivo é expectativa sobre a pesquisa Ibope que será divulgada nesta terça-feira e poderá apontar Marina Silva à frente da presidente Dilma Rousseff nas simulações de segundo turno; trackings dos partidos também apontam leve alta do tucano Aécio Neves <br clear="all"> :

Por Lara Rizério • Rodrigo Tolotti Umpieres 

SÃO PAULO - Após abrir com leves ganhos, o Ibovespa engatou uma nova sessão de forte alta nesta terça-feira, revertendo parte das perdas da semana passada, fechando o dia com ganhos de 2,01%, a 59.114 pontos - chegando a subir 3,96% e superar os 60 mil pontos na máxima do dia -, com a ajuda da alta de cerca de 5% das ações da Petrobras em meio a novos rumores eleitorais. Após o Vox Populi, ontem, esta noite será a vez da divulgação do Ibope. Bancos, também sensíveis às pesquisas, registram forte sessão de alta. O giro financeiro na Bovespa neste pregão foi de R$ 10,003 bilhões.

Vale ressaltar que o mercado fica ainda de olho no Federal Reserve: após Wall Street iniciar o dia em queda, a sessão encerrou esta terça com ganhos de quase 1% por lá com a expectativa de que o Federal Reserve mantenha a expressão "período considerável" em relação às taxas de juros nos EUA, o que deve indicar que os juros devem ficar baixos por um longo período de tempo.

Mas o grande destaque segue pela expectativa pelas próximas pesquisas eleitorais Datafolha e Ibope. De acordo com rumores de mercado, a expectativa é de que o Ibope a ser divulgado hoje já mostre que Marina deva ficar novamente à frente de Dilma no segundo turno, voltando a mostrar uma "reação" da candidata do PSB após perder força nas últimas pesquisas.

Ontem, foi divulgado o Vox Populi, que mostrou Dilma Rousseff liderando as intenções de voto no primeiro turno, mas em situação de empate técnico com Marina Silva no 2º turno. No 1º turno Dilma aparece com 36% das intenções de voto, Marina com 27% e Aécio com 15% das intenções de voto. Apesar da vantagem de Dilma no 1º turno, o levantamento mostra que Marina está 1 ponto acima da petista na simulação de 2º turno, com 42% ante 41%.

"Apesar do menor horário eleitoral e da intensa campanha de Dilma para desconstruir a imagem da candidata do PSB, Marina conseguiu manter as suas intenções de voto tanto nas simulações de primeiro como de segundo turnos", destaca a LCA Consultores.

Destaques de ações

No noticiário corporativo também foi destaque, com o "novo capítulo das teles". De acordo com informações do Jornal II Sole, o CEO da Telecom Italia, Patuano estaria "estudando" aliança com a Oi, relata o Il Sole 24 Ore, sem citar fontes. Patuano discutiu com banqueiros de investimento, destacou o jornal e novos detalhes poderiam surgir na reunião de 25 de setembro.

A oferta seria uma alternativa para oferecer pela Oi com parceiros para compra da unidade da Telecom Italia Brasil, diz Sole, com a aliança com a Oi podendo ser mais "aceitável" para os reguladores do Brasil do que uma venda da unidade da Telecom Italia. As ações da TIM registraram a maior baixa do índice, enquanto as da Oi dispararam mais de 8% após chegar a disparar 14% na máxima do dia.

Por sua vez, as ações da Cemig (CMIG4) ficaram no negativo após chegarem a cair cerca de 6% mais cedo em meio à notícia de que o candidato do PT ao governo de Minas Gerais, Fernando Pimentel, que lidera as pesquisas de intenção de voto, deve fazer diversas mudanças na gestão da Cemig , de acordo com informações do jornal Valor Econômico de hoje.

Em entrevista ao ValorPro, serviço de informações em tempo real, o coordenador-geral do programa de governo, Marco Aurélio Crocco, disse que entre as intenções de um futuro governo do PT no estado está a redução da tarifa de energia elétrica e de uma Cemig menos voltada ao mercado.

Relações com Investidores Leonardo Attuch Tue, 16 Sep 2014 13:51:23 +0000 http://www.brasil247.com/153622
Diretor recebia propina para liberar presos no MA http://www.brasil247.com/pt/247/maranhao247/153627 : Ao menos dez presos que cumpriam pena na Casa de Detenção do Complexo Penitenciário de Pedrinhas podem ter pago ao diretor da unidade, Cláudio Barcelos, para fugir; a informação foi confirmada pelo delegado Luís Jorge, da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic); o diretor foi preso em caráter temporário suspeito de corrupção passiva, prevaricação e facilitação de fuga <br clear="all"> :

Alex Rodrigues - Repórter da Agência Brasil

Ao menos dez presos que cumpriam pena na Casa de Detenção do Complexo Penitenciário de Pedrinhas podem ter pago ao diretor da unidade, Cláudio Barcelos, para fugir. A informação foi confirmada pelo delegado Luís Jorge, da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), órgão da Polícia Civil que vinha investigando o esquema há cerca de um ano. O diretor foi preso em caráter temporário na manhã dessa segunda-feira (15), suspeito de corrupção passiva, prevaricação e facilitação de fuga.

Segundo Luís Jorge, o próprio diretor admitiu o esquema de facilitação de fugas ao prestar depoimento, logo após ter sido detido em seu gabinete, na Casa de Detenção. "[As provas] Mais significativas [de sua atuação] são a documentação em que o diretor autoriza a saída de presos de dentro do sistema penitenciário sem o conhecimento do juiz da Vara de Execução Penal. Ele próprio se arvorava dessa função e autorizava a saída de detentos. Inclusive de condenados ao regime fechado", disse o delegado à equipe do telejornal Repórter Brasil, da TV Brasil.

Durante as investigações, policiais civis interceptaram, com autorização judicial, mensagens trocadas por Barcelos e por supostos bandidos beneficiados pelo esquema. Em uma delas, o diretor pede ao destinatário da mensagem que retorne ao complexo penitenciário para uma recontagem de presos, mas a pessoa afirma já ter cruzado a fronteira e deixado o Brasil. Entre os presos a quem o diretor teria facilitado a fuga estão os assaltantes de bancos Paulo Leandro Maciel da Silva, Rodrigo Bezerra Lima Nunes e José Wilson Pereira.

A Casa de Detenção é uma das várias unidades penais que formam o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, maior estabelecimento prisional do Maranhão. Palco de constantes rebeliões, fugas, brigas e assassinatos de presos, Pedrinhas já contabiliza 16 detentos mortos só este ano. O último homicídio no interior do presídio foi confirmado no sábado à noite (14). Segundo a Sejap, Eduardo Cesar Viegas Cunha foi morto na Central de Custódia de Presos de Justiça (CCPJ). Um inquérito policial foi instaurado para apurar as circunstâncias da morte. Em 2013, dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), mostram pelo menos 60 mortes.

Na noite da última quarta-feira (10), 36 detentos fugiram do Centro de Detenção Provisória (CDP) depois que bandidos atiraram um caminhão-caçamba contra o muro do complexo. O choque proposital abriu um grande buraco no muro de concreto, por onde os presos fugiram. Segundo a assessoria da Sejap, apenas três dos fugitivos haviam sido capturados até esta manhã. Além dos presos que conseguiram escapar, quatro ficaram feridos e um foi recapturado.

Também partiram do interior do complexo ordens para que os bandidos atacassem delegacias da região metropolitana da capital maranhense e ateassem fogo em ônibus, no início de janeiro deste ano. O episódio resultou na morte da menina Ana Clara Santos Souza, de 6 anos.

Maranhão 247 Leonardo Lucena Tue, 16 Sep 2014 14:23:26 +0000 http://www.brasil247.com/153627
"Quem não é homofóbico tem vontade de dar" http://www.brasil247.com/pt/247/bahia247/153620 : Conhecido por seus posicionamentos taxativos, inclusive sobre assuntos polêmicos, o apresentador do programa Balanço Geral na TV Itapoan (Record) e na rádio Sociedade, Raimundo Varela, despertou ira do universo homossexual em seu programa de rádio nesta terça; ele respondeu a convite para comparecer à Parada Gay no domingo: "Quem mandou o convite mande para sua mãe. Quem não é homofóbico tem vontade de dar" <br clear="all"> :

Bahia 247 - Conhecido por seus posicionamentos taxativos, inclusive sobre assuntos polêmicos, o apresentador do programa Balanço Geral na TV Itapoan (Record) e na rádio Sociedade, Raimundo Varela, despertou a ira do universo homossexual em seu programa de rádio nesta terça-feira (16). Ele respondeu a convite para comparecer à Parada Gay marcada para o domingo (21) em Salvador: "Quem mandou o convite mande para sua mãe. Quem não é homofóbico tem vontade de dar", disse Varela, ao vivo (ouça aqui).

O presidente do Grupo Gay da Bahial, Luiz Mott, (GGB) afirma que vai denunciar o radialista à Defensoria Pública do Estado. Ele postou no seu perfil no Facebook uma crítica a Varela e o classificou de "homofóbico reincidente".

Em entrevista ao site Bahia Notícias, Mott cobrou que o apresentador peça desculpas pela declaração. "O que ele quis dizer é que quem defende gay quer dar e quem não é, é homofóbico. Ele quer dizer que se você é contra homofobia quer dar o c***".

Ele diz que o GGB tratará do assunto com a Defensoria ainda na tarde desta terça-feira (16), em uma reunião já agendada para tratar de ações contra a homofobia, que coincidiu com a data de ocorrência do caso.

Bahia 247 Romulo Faro Tue, 16 Sep 2014 13:11:22 +0000 http://www.brasil247.com/153620
PSB assume: quer abrir o pré-sal a estrangeiros http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153591 : Com todas as letras, coordenador de campanha Walter Feldman disse a empresários em São Paulo que modelo de partilha será mudado em caso de vitória de Marina Silva (PSB); pelo atual regime, aprovado durante o governo Lula, o País fica com a maior parte dos lucros obtidos e a Petrobras é parte obrigatória na exploração de todos os campos; Feldman chamou política de "doutrinária" e errada e disse que executivos do setor se queixaram do modelo; pelo regime de concessão, em vigor do governo FHC e mais apropriado para áreas onde há menor quantidade de petróleo, predominam os interesses das multinacionais; proposta de acabar com o modelo de partilha também é defendida pelo tucano Aécio Neves <br clear="all"> :

247 – O PSB da candidata Marina Silva assumiu: tem a intenção de priorizar o interesse das multinacionais na exploração do pré-sal. É o que prevê, pelo menos, a revisão do regime de partilha, aprovado durante o governo Lula. Nesta segunda-feira 15, durante encontro com empresários em São Paulo, o coordenador da campanha da presidenciável, Walter Feldman, chamou a política atual de "doutrinária" e errada.

No atual modelo, vigente para a exploração de áreas cuja expectativa é de grandes quantidades de petróleo, o Estado fica com a maior parte dos lucros obtidos e a participação da Petrobras é obrigatória na exploração de todos os campos. Feldman argumenta que a situação financeira da estatal não permite que isso seja praticado. "A própria Petrobras se diz com dificuldades de responder a essa demanda", disse ele.

No modelo de concessão, vigente durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e apropriado para áreas de maior risco exploratório e com expectativa menor em relação a quantidades, predominam os interesses das grandes multinacionais, como Shell, BP (British Petroleum) e Chevron, que passariam a explorar e obter a maior parte dos lucros da riqueza extraída de mares brasileiros.

Segundo Walter Feldman, executivos do setor criticaram a emissários da candidata, durante encontro na semana passada, a política de conteúdo local – que prevê que 60% dos componentes sejam feitos no Brasil. Rever o regime de partilha na exploração de petróleo também é uma proposta do candidato do PSDB, Aécio Neves, duramente criticada pelo ex-presidente da ANP Haroldo Lima, em entrevista ao 247 concedida em abril desse ano (leia aqui).

Economia Gisele Federicce Tue, 16 Sep 2014 10:39:43 +0000 http://www.brasil247.com/153591
Brasil reduz fome à metade e cumpre meta da ONU http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153580 : Relatório divulgado hoje pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), presidida pelo brasileiro José Graziano da Silva, aponta que o número de pessoas subnutridas diminuiu em mais de 100 milhões na última década; redução da fome nos países em desenvolvimento significa que a meta dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) de diminuir à metade a proporção de pessoas subnutridas até 2015 pode ser alcançado "se apropriados e imediatos esforços forem intensificados"; até o momento, 63 países atingiram o objetivo, entre eles o Brasil, que se tornou um dos sete estudos de caso da ONU; Programa Fome Zero, diz documento, foi o que possibilitou o País a atingir este ODM <br clear="all"> :

Ana Cristina Campos - Repórter da Agência Brasil

Cerca de 805 milhões de pessoas no mundo, uma em cada nove, sofrem de fome crônica no mundo, segundo o relatório O Estado da Insegurança Alimentar no Mundo (Sofi 2014, na sigla em inglês), divulgado nesta terça-feira 16 em Roma, na Itália, pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

O estudo confirmou tendência positiva observada nos últimos anos de redução da desnutrição mundialmente: o número de pessoas subnutridas diminuiu em mais de 100 milhões na última década e em mais de 200 milhões desde o período 1990-1992.

Segundo o documento, a redução da fome nos países em desenvolvimento significa que a meta dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) de diminuir à metade a proporção de pessoas subnutridas até 2015 pode ser alcançado "se apropriados e imediatos esforços forem intensificados".

Até o momento, 63 países em desenvolvimento alcançaram o objetivo, entre eles o Brasil, e outros seis estão a caminho de consegui-lo até 2015. O documento incluiu este ano sete estudos de casos, entre eles o Brasil. De acordo com o levantamento, o Programa Fome Zero, que colocou a segurança alimentar no centro da agenda política, foi o que possibilitou o país a atingir este ODM. O estudo também destaca os programas de erradicação da extrema pobreza, a agricultura familiar e as redes de proteção social como medidas de inclusão social no Brasil

O relatório é uma publicação conjunta da FAO, do Programa Mundial de Alimentos (PMA) e do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (Fida).

"Isto prova que podemos ganhar a guerra contra a fome e devemos inspirar os países a seguir adiante, com a ajuda da comunidade internacional se for necessário", dizem, no relatório, o diretor-geral da FAO, o brasileiro José Graziano da Silva, o presidente do Fida, Kanayo Nwanze, e a diretora executiva do PMA, Ertharin Cousin. Eles ressaltaram que "substancial e sustentável redução da fome é possível com comprometimento político".

O documento ressaltou que o acesso a alimentos melhorou significativamente em países que experimentaram progresso econômico, especialmente no Leste e Sudeste da Ásia. O acesso à comida também aumentou no Sul da Ásia e na América Latina, mas principalmente em países que têm formas de proteção social, incluídos os pobres no campo, segundo o estudo.

No entanto, o relatório apontou que apesar do progresso significativo geral, ainda persistem várias regiões que ficaram atrás. Na África Subsaariana, mais de uma em cada quatro pessoas continua com fome crônica. A Ásia abriga a maioria dos famintos – 526 milhões de pessoas. A América Latina e o Caribe são as regiões que fizeram os maiores avanços na segurança alimentar.

Como o número de pessoas subnutridas permanece alto, os chefes das agências reforçaram a necessidade de renovar o compromisso político para combater a fome por meio de ações concretas e encorajam o cumprimento do acordo alcançado na cúpula da União Africana, em junho, de acabar com a fome no continente até 2025.

Os líderes das organizações destacaram que a insegurança alimentar e a desnutrição são problemas complexos que devem ser resolvidos de maneira coordenada e apelam aos governos para trabalhar em estreita colaboração com o setor privado e a sociedade civil.

O relatório reforça que a erradicação da fome requer o estabelecimento de um ambiente propício e um enfoque integrado, que incluam investimentos públicos e privados para aumentar a produtividade agrícola, o acesso à terra, aos serviços, às tecnologias e aos mercados, além de medidas para promover o desenvolvimento rural e a proteção social dos mais vulneráveis.

Brasil Gisele Federicce Tue, 16 Sep 2014 09:32:40 +0000 http://www.brasil247.com/153580
Dono do Estado de Minas sobe no palanque tucano http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/153569 : O empresário Álvaro Teixeira da Costa (no detalhe), principal acionista dos Diários Associados, empresa que controla os jornais Estado de Minas e Correio Braziliense, subiu no palanque de Aécio Neves e Pimenta da Veiga no último sábado em Belo Horizonte; ao que tudo indica, o grupo já escolheu seus candidatos tanto para os governos federal como de Minas Gerais <br clear="all"> :

Minas 247 - Uma presença inusitada chamou atenção no último comício do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e do candidato Pimenta da Veiga, que concorre ao governo mineiro, em Belo Horizonte. Estava lá, no alto do palanque, ninguém menos que o empresário Alvaro Teixeira da Costa, principal acionista dos Diários Associados, grupo de mídia que controla os jornais Estado de Minas e Correio Braziliense.

Os jornais não declararam apoio formal às candidaturas do PSDB aos governos federal e mineiro, mas tudo indica que é essa a linha editorial dos Diários Associados. Na semana passada, o grupo não divulgou uma pesquisa EM/DATA para o Palácio da Liberdade, que havia sido registrada pelo próprio Estado de Minas. Não se sabe o resultado, mas outros institutos têm apontado vantagem do petista Fernando Pimentel superior a dez pontos.

Em Minas, onde Aécio pretendia abrir uma vantagem de 4 milhões de votos na disputa presidencial, as pesquisas também vêm apontando a liderança da presidente Dilma Rousseff. E o tucano aparece embolado com Marina Silva. Nos últimos dias, Aécio reforçou sua presença no estado e trata como questão de honra a vitória de Pimenta da Veiga. O PT também trabalha para decidir a disputa no primeiro turno.

Minas 247 Leonardo Attuch Tue, 16 Sep 2014 08:06:42 +0000 http://www.brasil247.com/153569
Brasil tem 22 universidades entre as melhores do mundo http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153586 : USP ficou na 132ª posição no QS World University Ranking 2014; resultado representa queda de cinco posições em relação ao ano passado, quando a instituição havia ficado na 127ª posição; ao todo, 22 universidades brasileiras estão entre as 800 melhores do mundo: 14 são federais, cinco estaduais e três particulares <br clear="all"> :

Giselle Garcia – Correspondente da Agência Brasil/EBC

A Universidade de São Paulo ficou na 132ª posição no QS World University Ranking 2014, divulgado ontem (15). O resultado representa queda de cinco posições em relação ao ano passado, quando a instituição havia ficado na 127ª posição. Ao todo, 22 universidades brasileiras estão entre as 800 melhores do mundo: 14 são federais, cinco estaduais e três particulares.

Entre as 10 melhores do ranking, seis são americanas e quatro britânicas. O Instituto Tecnológico de Massachussets (MIT), que fica nos Estados Unidos, ocupa a primeira posição, seguido da Universidade de Cambridge e da Imperial College, ambas situadas na Inglaterra.

Quando comparada apenas a instituições da América Latina, a USP ocupa a segunda posição do ranking, com 98,2 pontos, atrás apenas da Universidade Católica do Chile. Outras cinco universidades brasileiras figuram entre as 10 mais bem posicionadas entre as latino-americanas: a Universidade Estadual de Campinas (3ª), a Universidade Federal do Rio de Janeiro (4ª), a Universidade Estadual Paulista – Unesp (9ª), e a Universidade Federal de Minas Gerais (10ª).

No ranking das 200 melhores instituições localizadas nos países do bloco Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), apenas duas brasileiras estão entre as dez primeiras: a Universidade Federal de São Paulo (7º), e a Universidade Estadual de Campinas (9º). A primeira entre os Brics é a Universidade de Tsinghua, na China.

O QS World University Ranking tem reconhecimento mundial e é realizado anualmente desde 2004. A metodologia de pesquisa considera a reputação da universidade na visão dos estudantes e dos empregados; a estrutura da instituição, incluindo a média de estudantes por professor; as citações em trabalhos de pesquisa e a presença de alunos e colaboradores internacionais.

Confira a lista das instituições brasileiras no ranking QS 2014:

Universidade de São Paulo (USP) – 132 lugar
Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) – 206 lugar
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – 271 lugar
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) e Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) - 421-430*
Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) - 451-460
Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) - 471-480
Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) - 501-550
Pontificia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) – 551-600
Universidade de Brasília (UnB) – 551-600
Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) - 551-600
Universidade Federal da Bahia (Ufba) – 601 - 650
Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) – 651-700
Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) – 651-700
Universidade Federal do Paraná (UFPR) – 651-700
Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) – 701-800
Universidade Estadual de Londrina (UEL) – 701-800
Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) – 701-800
Universidade Federal de Viçosa (UFV) – 701-800
Universidade Federal do Ceará (UFC) – 701-800
Universidade Federal do Pernambuco (UFPE) – 701-800
Universidade Federal Fluminense (UFF) – 701-800

*a partir da posição 400, o ranking situa a universidade em um intervalo

Brasil Gisele Federicce Tue, 16 Sep 2014 10:05:22 +0000 http://www.brasil247.com/153586
Dilma promete a artistas uso do pré-sal na cultura http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/153549 : Grupo de intelectuais e artistas repete ato de 2010 e lota Teatro Oi Casagrande, na Zona Sul do Rio de Janeiro, em apoio à campanha pela reeleição de Dilma Rousseff; estiveram presentes figuras como Leonardo Boff, Marilena Chauí, Elza Soares, Otto, Alcione e Beth Carvalho; "Vamos colocar a Cultura dentro da nossa estratégia de crescimento econômico", disse a presidente; ela lembrou que os recursos do pré-sal irão garantir os investimentos em educação e em cultura, e disse que não há "alquimia ou milagre" que faça a educação evoluir: "temos que pagar bem o professor e exigir que ele fique na aula"; ela afirmou ainda que o relativo desconhecimento sobre a riqueza representada pelo pré-sal tem como uma das origens o “pessimismo militante” da imprensa brasileira <br clear="all"> :

247 – Repetindo ato de 2010, um grupo de Intelectuais, cientistas, lideranças sociais, religiosas, políticos e artistas, lotou o Teatro Oi Casagrande, na Zona Sul do Rio de Janeiro, ao lado do ex-presidente Lula, em apoio à candidatura de Dilma Rousseff à Presidência.

Participaram do evento figuras como Leonardo Boff, Chico César e Marilena Chauí, além de Elza Soares, Otto, Alcione e Beth Carvalho. Do lado de fora, mais de mil pessoas acompanharam o ato, que durou cerca de três horas.

Ao discursar, Dilma observou: "De todos aqueles que me apoiaram em 2010, a grande maioria está de volta aqui, muito obrigada. Quando estive aqui em 2010, foi já no segundo turno, eu senti que a gente iria vencer a eleição e nós vencemos."

“Não vamos voltar para trás, e faremos isso investindo em educação qualificada, para todos, e colocando a cultura dentro da nossa estratégia de crescimento e desenvolvimento econômico. Não queremos só obras, queremos utopias. Não queremos só vantagens materiais, queremos nos compreender. Vamos colocar a Cultura dentro da nossa estratégia de crescimento econômico”, acrescentou.

A presidente lembrou que os recursos do pré-sal irão garantir os investimentos em educação e em cultura, e disse que não há "alquimia ou milagre" que faça a educação evoluir: temos que pagar bem o professor e exigir que ele fique na aula".

"Pessimismo militante" da imprensa

Dilma afirmou ainda que o relativo desconhecimento sobre a riqueza representada pelo pré-sal tem como uma das origens o “pessimismo militante” da imprensa brasileira, após Lula ter defendido a aprovação de um marco regulatório para o setor de comunicação no país.

“Hoje o nível de consciência que o Brasil tem sobre o petróleo que sai do pré-sal é muito baixo, até por conta da desinformação sistemática e do pessimismo militante que viceja e, a gente sabe, é característico da forma como se transmitem as informações na imprensa brasileira”, disse Dilma.

Dilma expressou desconforto com a cobertura da mídia também ao falar sobre a investigação de casos de corrupção durante seu governo, dizendo que “o que é errado no Brasil é a exposição desnecessária de pessoas sem se ter certeza da culpa”.

A presidente fez referência às denúncias de corrupção que vieram à tona após o vazamento de depoimentos feitos pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa à Polícia Federal, mediante acordo de delação premiada, que teriam revelado um suposto esquema de desvio de recursos envolvendo a estatal e políticos da base aliada. 

Em discurso antes da presidente, Lula fez duras críticas à cobertura política feita pela imprensa e, ao lembrar das conferências nacionais de comunicação realizadas em seu governo, defendeu a aprovação de um novo marco legal para o setor. 

“O marco regulatório das comunicações é uma necessidade nesse país... O que não é possível é que as concessões do Estado tenham o comportamento que têm”, afirmou Lula (Reuters)

Rio 247 Roberta Namour Tue, 16 Sep 2014 05:10:26 +0000 http://www.brasil247.com/153549
Amaral manda guru econômico de Marina se calar http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153553 : Presidente do PSB, Roberto Amaral se diz surpreso com a quantidade de ‘especialistas’ e ‘consultores’ que se apresentam como formuladores de Marina Silva e desautoriza economista Alexandre Rands, que afirmou que as teses de Celso Furtado, economista brasileiro mais reconhecido internacionalmente e que inspirou a Sudene, talvez nunca tenham feito sentido; segundo Amaral, Celso Furtado é o formulador do partido: “O PSB tem profunda admiração pela obra e pelo pensamento de Celso Furtado. Morto, não há substituto à altura” <br clear="all"> :

247 – Em mais um sinal de incoerência na campanha de Marina Silva, o presidente do PSB, Roberto Amaral, desautorizou o economista Alexandre Rands, que se apresenta como guru econômico.

Em entrevista ao Globo, Rands dá sua receita para corrigir os “erros” da gestão de Dilma Rousseff: diz que um Banco Central independente teria subido juros antes e garante que a retomada do crescimento só deve ocorrer no quarto ano do próximo mandato. Vai além e afirma ainda que as teses de Celso Furtado, economista brasileiro mais reconhecido internacionalmente e que inspirou a Sudene, talvez nunca tenham feito sentido (leia aqui).

Amaral manda Rands se calar e diz, em nome do PSB, que o economista Celso Furtado é o formulador do partido: “O PSB tem profunda admiração pela obra e pelo pensamento de Celso Furtado. Morto, não há substituto à altura”.

Leia na nota de Ilimar Franco sobre o assunto:

O PSB pede Celso Furtado

Os socialistas estão inconformados com a quantidade de gurus econômicos que se apresentam como formuladores de Marina Silva. O presidente do partido, Roberto Amaral, resume: “Estou preocupado com a quantidade de ‘especialistas’ e ‘consultores’ que a imprensa está descobrindo na nossa campanha”. Ele afirma que surgem nomes “desconhecidos por nós” e “um novo coautor do programa de Marina”. E destaca que o economista Celso Furtado, nacional desenvolvimentista, é o formulador do partido. Amaral sentencia: “O PSB tem profunda admiração pela obra e pelo pensamento de Celso Furtado. Morto, não há substituto à altura”.

Poder Roberta Namour Tue, 16 Sep 2014 05:47:19 +0000 http://www.brasil247.com/153553
Serra: "não damos como perdida candidatura Aécio" http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/153551 marcelo ribeiro: Ao lado do governador Geraldo Alckmin, o candidato ao Senado José Serra reiterou apoio à campanha Aécio Neves em evento da classe artística em São Paulo que excluiu o nome do presidenciável: "Nós não damos a candidatura do Aécio como perdida. A campanha eleitoral ainda não terminou", ressaltou o ex-governador; o maestro Amilson Godoy atribuiu ocorrido a uma "falha de omissão" ou "erro na datilografia" do manifesto <br clear="all"> marcelo ribeiro:

247 – Ao lado do governador Geraldo Alckmin, o candidato ao Senado José Serra saiu em defesa do presidenciável tucano Aécio Neves. "Nós não damos a candidatura do Aécio como perdida. A campanha eleitoral ainda não terminou", disse ele em evento de apoio da classe artística às candidaturas do PSDB em São Paulo.

"Queremos declarar apoio a José Serra para senador e ao governador Geraldo Alckmin como nosso candidato ao governo de São Paulo", diz o manifesto que foi lido nesta segunda-feira (15), sem citar o nome de Aécio Neves.

Estiveram presentes a atriz Beatriz Segall, o maestro Júlio Medaglia, o cantor Rolando Boldrin, o cineasta João Batista de Andrade, entre outros.

O maestro Amilson Godoy, atribuiu a exclusão do nome de Aécio a uma "falha de omissão", a um "erro na datilografia".

SP 247 Roberta Namour Tue, 16 Sep 2014 05:24:46 +0000 http://www.brasil247.com/153551
Campanha de Marina critica modelo do PT sobre pré-sal http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153554 : Coordenador da campanha do PSB, Walter Feldman chamou regime de partilha em vigor de "doutrinário"; aprovado em 2010, durante o governo Lula, modelo determina que a exploração das áreas do pré-sal seja controlada pela Petrobras, para garantir a extração por uma empresa brasileira; Marina Silva, que ameaçou a produção do pré-sal em discurso contra “a idade do petróleo”, agora tenta obter apoio do setor  <br clear="all"> :

247 – Após ameaçar a produção do pré-sal em discurso contra “a idade do petróleo”, a campanha de Marina Silva critica o modelo do PT de exploração da matéria.

Em encontro com empresários em São Paulo, o coordenador da campanha, Walter Feldman, chamou a política de "doutrinária".

O regime de partilha em vigor, aprovado em 2010, durante o governo Lula, determina a exploração das áreas do pré-sal seja controlada pela Petrobras, para garantir que a extração por uma empresa brasileira.

"A própria Petrobras se diz com dificuldades de responder a essa demanda. É a operadora única e, ao que parece, discorda disso, o que é inédito", disse Feldman.

Economia Roberta Namour Tue, 16 Sep 2014 05:50:33 +0000 http://www.brasil247.com/153554
PT cria 'Pessimildo' contra críticos de Dilma http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153550 : Inspirado em figuras ranzinzas do cinema e da TV, como o Gru, do "Malvado Favorito", e "Seu Saraiva", do programa de TV "Zorra Total", personagem rabugento criado pelo marqueteiro João Santana ironiza ataques de adversários da presidente, com o mote: "Chega de pessimismo. Pense positivo, pense Dilma" <br clear="all"> :

247 – O marqueteiro João Santana lançará no horário eleitoral o "Pessimildo", personagem rabugento que ironiza os críticos do governo Dilma.

Inspirado em figuras ranzinzas do cinema e da TV, como o Gru, do "Malvado Favorito", e "Seu Saraiva", do programa de TV "Zorra Total", ele satiriza ataques de adversários da presidente.

"Viu que os empregos continuam subindo?", indaga um locutor. "Tudo o que sobe, desce", contradiz “Pessimildo”.

Cada cena será encerrada pelo mote: "Chega de pessimismo. Pense positivo, pense Dilma".

Leia aqui reportagem de Natuza Nery sobre o assunto.

 

Mídia Roberta Namour Tue, 16 Sep 2014 05:18:10 +0000 http://www.brasil247.com/153550
Fernando Meirelles será consultor de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/cultura/153552 Vagner Campos: Candidata à Presidência da República pela Coligação Unidos pelo Brasil, Marina Silva cumpre agenda em São Paulo, acompanhada por seu candidato a vice, Beto Albuquerque. Na foto Marina Silva e Beto Albuquerque durante encontro com artistas onde ouviram rei Diretor de "Cidade de Deus" (2002), Fernando Meirelles foi convidado pelo PSB para ajudar nos programas de TV de Marina Silva no segundo turno das eleições; candidata terá direito a dez minutos de exposição no horário eleitoral gratuito – hoje tem cerca de dois minutos <br clear="all"> Vagner Campos: Candidata à Presidência da República pela Coligação Unidos pelo Brasil, Marina Silva cumpre agenda em São Paulo, acompanhada por seu candidato a vice, Beto Albuquerque. Na foto Marina Silva e Beto Albuquerque durante encontro com artistas onde ouviram rei

247 – O cineasta Fernando Meirelles foi convidado pela campanha de Marina Silva (PSB) para ajudar nos programas de TV da candidata à Presidência.

Diretor de "Cidade de Deus" (2002), Meirelles será uma espécie de consultor informal para rechear os dez minutos do horário eleitoral gratuito a que a pessebista terá direito em caso de 2° turno – hoje tem cerca de dois minutos.

Meirelles já atuou na campanha de Marina, na disputa pela Presidência de 2010. Ele também foi chamado, no início do ano, pelo então candidato do PSB, Eduardo Campos (PSB) a atuar no programa. No entanto, na época, alegou impedimento com outros projetos.

Cultura Roberta Namour Tue, 16 Sep 2014 05:39:05 +0000 http://www.brasil247.com/153552
Saída de Patrícia Poeta evidencia crise no JN http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153556 : Passagem de Patrícia Poeta pelo Jornal Nacional, ao lado de William Bonner, foi marcada por uma queda acentuada de telespectadores; segundo o Ibope, ela chegou à bancada quando o jornal marcava 30% de audiência, em 2011, e a entrega um terço menor; além disso, ela foi protagonista de uma inacreditável agressão eleitoral contra a presidente Dilma Rousseff durante entrevista, ao fazer cara de nojo e ao colocar o dedo em riste diante de Dilma; para o colunista Paulo Nogueira, mudança antecipa a morte do JN pressionada pela Era Digital <br clear="all"> :

247 – A Rede Globo divulgou ontem a saída da jornalista Patrícia Poeta da bancada do Jornal Nacional no dia 3 de novembro. Ela se dedicará a um novo projeto de entretenimento e será substituída por Renata Vasconcellos, que atualmente apresenta o programa Fantástico, aos domingos.

A emissora tenta esconder a crise no principal noticiário da televisão brasileira e alega que esse era o prazo de Poeta no jornal, estipulado no momento de sua escalação. A notícia, porém, nunca foi divulgada.

A passagem de Poeta pelo JN, ao lado de William Bonner, foi marcada por uma queda acentuada de telespectadores. Segundo o Ibope, ela chegou à bancada quando o jornal marcava 30% de audiência, em 2011, e a entrega um terço menor.

Além disso, ela foi protagonista de uma inacreditável ação eleitoral contra a presidente Dilma Rousseff. Na série de entrevistas com os presidenciáveis, Patrícia Poeta chegou a fazer cara de nojo e a colocar o dedo em riste diante de Dilma em razão do "nada" que teria sido feito na área da saúde em 12 anos, ditos com ênfase pela apresentadora. O ataque foi fortemente criticado nas redes sociais. 

Para o colunista Paulo Nogueira, Patrícia Poeta foi tragada pela “destruição criadora”. Em artigo no Diário do Centro do Mundo, ele diz que mudança antecipa a morte do JN pressionada pela Era Digital “Em termos de JN, isso quer dizer que mesmo que fosse um telejornal esplêndido, a audiência seria declinante na Era Digital. Ninguém imaginava até recentemente que a tevê se transformaria numa mídia decadente, mas a internet fez isso” (leia aqui).

Mídia Roberta Namour Tue, 16 Sep 2014 06:36:01 +0000 http://www.brasil247.com/153556
Dona da Ambev prepara aquisição de US$ 122 bi http://www.brasil247.com/pt/247/relacoes_com_investidores/153555 : Cervejaria belgo-brasileira AB InBev negocia a compra da rival SABMiller, segundo informações do "Wall Street Journal"; união das empresas pode abrir para a Ambev presença na África; além disso, se concretizada, será a terceira maior já registrada entre todos os setores; em 2008, a transação que deu origem à AB InBev, chegou a US$ 52 bilhões <br clear="all"> :

247 - A cervejaria belgo-brasileira AB InBev, controladora da Ambev, está prestes a comprar a rival SABMiller. Segundo informações do "Wall Street Journal", a operação pode chegar a US$ 122 bilhões.

A união das empresas pode abrir para a Ambev presença na África. Além disso, se concretizada, será a terceira maior já registrada entre todos os setores. Em 2008, a transação que deu origem à AB InBev, chegou a US$ 52 bilhões.

Atualmente, a AB InBev é a líder global de cervejas, com participação de mercado de 20%, à frente da SABMiller (9,6%) e da Heineken (9,3%), segundo dados de 2013 da consultoria Euromonitor.

Leia a reportagem da Reuters sobre o assunto:

Ações da SABMiller saltam com notícia do WSJ sobre interesse da AB InBev

LONDRES (Reuters) - As ações da SABMiller chegaram a saltar 13 por cento para uma máxima histórica nesta segunda-feira, após uma notícia do Wall Street Journal afirmar que a rival de maior porte Anheuser-Busch InBev está conversando com bancos sobre o financiamento de uma possível oferta de aquisição de 122 bilhões de dólares.

O jornal, citando uma pessoa familiarizada com o tema, disse que a AB InBev não está em discussões ativas com a SABMiller, acrescentando que a companhia está aguardando alinhar o financiamento antes de fazer uma abordagem formal.

A AB InBev, líder mundial e fabricante da Budweiser e da Stella Artois, se recusou a comentar. No Brasil, a companhia controla a Ambev, maior empresa de bebidas da América Latina e responsável por quase 70 por cento do mercado de cervejas brasileiro.

A SABMiller, segunda maior cervejaria global e fabricante da Peroni e da Grolsch, não respondeu imediatamente pedidos de comentários.

A notícia vem um dia após a holandesa Heineken afirmar que foi abordada pela SABMiller sobre uma potencial aquisição, mas que seu acionista controlador pretende manter a companhia independente.

Diversos analistas viram a medida da SABMiller como uma tentativa de se esquivar de uma aquisição pela AB InBev, ou uma forma de a SABMiller possivelmente forçar a companhia maior a agir.

"Se os mecanismos ainda não estavam em movimento para outro grande acordo no setor, eles podem estar agora, já que a SABMiller pode ter lançado o desafio", disseram analistas do Grupo Santander em nota.

Especulações sobre o desejo da AB InBev de adquirir a SABMiller têm circulado há anos, com as conversas se intensificando nos últimos meses e novamente na última semana.

As ações da SABMiller subiam 8,6 por cento às 10h39 no horário de Brasília, enquanto as da AB InBev subiam 3,5 por cento e as da Heineken ganhavam 2,2 por cento.

(Por Martinne Geller em Londres, reportagem adicional de Blaise Robinson em Paris e Francisco Canepa em Londres)

Relações com Investidores Roberta Namour Tue, 16 Sep 2014 06:11:45 +0000 http://www.brasil247.com/153555
Marina, como vítima, ataca: "PT deve desculpas ao País" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153524 : Candidata do PSB retruca ação do PT contra ela por "difamação eleitoral"; Marina Silva reiterou, sobre Paulo Roberto Costa, que o partido manteve um diretor por 12 anos para assaltar os cofres da Petrobras; "Ao invés de tentar constranger aqueles que cobram o PT por esses malfeitos o PT deveria explicar-se e pedir desculpas para o Brasil", disse; em discurso hoje durante encontro com artistas e intelectuais, ela voltou a criticar "mentiras e boatos" contra ela e a se fazer de vítima: "Mesmo que essas mentiras me reduzam a pó, minha história não vai mudar"; e prosseguiu: "Nossa jornada não está sendo fácil. É um Davi contra um batalhão de Golias com artilharia pesada" <br clear="all"> :

247 – Em resposta à ação do PT por "difamação eleitoral", conforme alegou o partido, a candidata do PSB, Marina Silva, afirmou que a legenda deve explicações e "desculpas para o Brasil" pelos "malfeitos" que cometeu. Ela reiterou que o PT manteve um diretor na Petrobras por 12 anos para assaltar os cofres da empresa, como havia dito na última quinta-feira, o que motivou a ação dos petistas.

"É realmente surpreendente que o governo do PT tenha mantido na Petrobras, por 12 anos, um diretor que se dedicou a assaltar aquela que era a maior e melhor empresa nacional. Ao invés de tentar constranger aqueles que cobram o PT por esses malfeitos o PT deveria explicar-se e pedir desculpas para o Brasil", disse Marina em nota nesta segunda-feira 15 divulgada pelo portal G1.

Nesta tarde, durante encontro com artistas e intelectuais, ela voltou a fazer discurso de vítima, seguindo a linha do fim de semana. A candidata criticou "mentiras e boatos" propagados pelos adversários contra ela e declarou: "Mesmo que essas mentiras me reduzam a pó, minha história não vai mudar". "Nossa jornada não está sendo fácil. É um Davi contra um batalhão de Golias com artilharia pesada", prosseguiu.

A presidenciável disse desconfiar que a presidente Dilma "não fica confortável" com o que diz a seu respeito. "Mas deve ter um marqueteiro dizendo para falar isso", complementou. A campanha de Marina Silva promoveu nesta tarde um 'tuitaço' para mostrar a #MarinaDeVerdade.

Leia abaixo reportagem da Reuters sobre o encontro com artistas e intelectuais:

Marina se diz preocupada com manutenção de programa de Dilma

SÃO PAULO (Reuters) - A candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, disse nesta segunda-feira estar preocupada com a declaração da presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, de que seu programa de governo é o período em que ela esteve na Presidência.

Indagada sobre quando lançará o programa de governo para um eventual segundo mandato, Dilma e dirigentes petistas têm dito que o programa será aquele realizado nos últimos 12 anos em que os petistas estiveram à frente do governo federal.

"Eu fico preocupada porque os juros estão altos, a inflação está subindo e o crescimento do país é pífio. Eu fico muito preocupada que seja a mesma coisa", disse Marina durante encontro com integrantes do setor cultural na zona oeste de São Paulo.

Marina também disse que Dilma vai manter os critérios de indicação aos cargos no governo e nas empresas estatais e disse que a presidente precisa explicar essa manutenção.

A candidata do PSB reclamou que está havendo uma "inversão" porque, segundo ela, quem apresentou um programa de governo está sendo "crucificado", enquanto seus rivais --Dilma e o candidato do PSDB, Aécio Neves-- ainda não apresentaram seu programa.

Marina disparou contra as denúncias de irregularidades na Petrobras e disse que o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, não tem "legitimidade" para estar no cargo, exceto por "ser indicado pelo Sarney".

A candidata voltou a reclamar das "mentiras e boatos" das quais, segundo ela, vem sendo alvo, e não quis responder quando questionadas sobre declarações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em relação a ela.

"Mesmo que essas mentiras me reduzam a pó, minha história não vai mudar", disse Marina, lembrando figuras como a do ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela, e o defensor dos direitos civis norte-americano Martin Luther King.

(Reportagem de Eduardo Simões)

Poder Gisele Federicce Mon, 15 Sep 2014 18:39:28 +0000 http://www.brasil247.com/153524
Abreu e Lima: Gabrielli nega superfaturamento http://www.brasil247.com/pt/247/bahia247/153525 : Ex-presidente da Petrobras voltou a negar existência de superfaturamento e pagamento de propina nas obras de construção da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco; em depoimento prestado hoje (15) à Justiça Federal no Paraná (por meio de vídeo conferência direto da sede da Polícia Federal em Salvador) sobre investigação da Operação Lava Jato, o atual secretário do Planejamento da Bahia também disse não ter ligações com Alberto Youssef, réu na ação penal; ele depôs como testemunha, chamado pela defesa do doleiro <br clear="all"> :

André Richter - Repórter da Agência Brasil

O ex-presidente da Petrobras José Sergio Gabrielli voltou a negar a existência de superfaturamento e pagamento de propina nas obras de construção da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Em depoimento prestado hoje (15) na Justiça Federal no Paraná, responsável pela investigação da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, Gabrielli também disse não ter ligações com o doleiro Alberto Youssef, réu na ação penal. Ele depôs como testemunha, chamado pela defesa de Youssef.

Assim como no depoimento prestado na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, Gabrielli reafirmou que não houve superfaturamento na obra. "Não tenho nenhum conhecimento concreto. As auditorias e os procedimentos internos da Petrobras não indicam nenhum comportamento desse tipo. Se há esse comportamento, não foi do meu conhecimento", declarou ao juiz.

Gabrielli confirmou ao juiz Sérgio Moro, responsável pelo caso, que a construção da Refinaria Abreu e Lima estava vinculada à Diretoria de Abastecimento, que à época era comandada por Paulo Roberto Costa, suspeito de participar do suposto esquema de desvio de verbas da Petrobras.

O ex-presidente da empresa também relatou que somente os contratos acima de R$ 32 milhões precisavam de autorização do Conselho de Administração para serem executados. Valores abaixo da quantia ficavam sob a responsabilidade do diretor da área envolvida na operação.

Gabrielli disse não saber se houve alguma influência do ex-deputado José Janene, morto em 2010, na indicação de Paulo Roberto Costa para a Diretoria de Abastecimento. Segundo Gabrelli, cabe ao Conselho de Administração aprovar e demitir diretores. Janene foi réu na Ação Penal 470, o processo do mensalão, julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

"A decisão sobre a composição da diretoria é uma decisão que é tomada no âmbito do governo. O presidente da Petrobras é comunicado. As razões e motivações são problemas internos do governo. Paulo Roberto Costa era um técnico de carreira, com uma tradição na companhia, vinha da área de exploração e produção, não era da área de refino, foi apresentado pelo conselho e foi aprovado ", ressaltou.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), os desvios na construção da refinaria pernambucana ocorreram por meio de contratos superfaturados, feitos com empresas que prestaram serviços à Petrobras entre 2009 e 2014. Segundo o MPF, a obra, inicialmente orçada em R$ 2,5 bilhões, custou mais de R$ 20 bilhões. A investigação indica que os desvios tiveram a participação de Paulo Roberto Costa, então diretor de Abastecimento, e de Alberto Youssef, dono de empresas de fachada.

Bahia 247 Romulo Faro Mon, 15 Sep 2014 18:55:02 +0000 http://www.brasil247.com/153525
Semana terá Vox Populi, Ibope e Datafolha http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153520 : Instituto Vox Populi divulga levantamento sobre a disputa presidencial hoje à noite, no Jornal da Record; Ibope deve ser divulgada nesta terça-feira 16 e Datafolha a partir de quinta-feira; as duas últimas pelo Jornal Nacional, da TV Globo <br clear="all"> :

Lara Rizério

SÃO PAULO - Novas pesquisas eleitorais serão divulgadas e agitam o mercado nesta semana, segundo apontam os registros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). A pesquisa Vox Populi será divulgada hoje à noite no Jornal da Record; já o Ibope terá sua pesquisa divulgada na próxima terça-feira (16) e o Datafolha terá seu levantamento revelado na próxima quinta-feira. Tanto o Ibope quanto o Datafolha serão revelados no Jornal Nacional, na Rede Globo.

O Vox Populi realizou entrevista com 2 mil eleitores entre os dias 13 e 14 de setembro a ser divulgado pela TV Record. Além de perguntas estimuladas sobre as intenções de voto para presidente, também foram feitos questionamentos sobre a avaliação de governo da atual presidente, Dilma Rousseff. A pesquisa foi registrada com o número de protocolo BR-00632/2014.

Enquanto isso, o Ibope teve levatamento contratado pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo. A pesquisa foi feita com 3.010 eleitores entre os dias 11 e 16 de setembro e tem o número de protocolo BR-00657/2014. Confira o questionário clicando aqui.

Por fim, o Datafolha irá a campo para entrevistar 5.362 eleitores entre os dias 17 e 18 de setembro, de acordo com registro do TSE, com o número de protocolo BR-00665/2014. A pesquisa foi contratada pela Folha de S. Paulo e pela Globo. Confira o questionário clicando aqui.

Poder Gisele Federicce Mon, 15 Sep 2014 17:39:39 +0000 http://www.brasil247.com/153520
Justiça proíbe circulação de IstoÉ que cita Cid Gomes http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153510 : Edição desta semana da revista diz que o governador do Ceará é mais um dos beneficiados de esquema de corrupção delatado por Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras; Cid Gomes entrou com ação na Justiça afirmando que os fatos são falsos e que a investigação ainda não terminou e corre sob sigilo processual; juíza Maria Marleide Maciel Queiroz, de Fortaleza, concordou e determinou que a edição seja impedida de circular ou recolhida; há uma semana, Veja também divulgou supostas declarações de Costa <br clear="all"> :

Por Pedro Canário, do Conjur

Quem defende o poder do Judiciário de retirar informações de circulação diz que não se trata de censura. Censura, dizem, seria se a proibição fosse prévia. Agora, o debate vai esquentar, uma vez que a juíza Maria Marleide Maciel Queiroz, de Fortaleza, determinou que a edição desta semana da revista IstoÉ seja impedida de circular, ou, caso já tenha sido distribuída, seja recolhida. A magistrada quer impedir que a revista "veicule fatos desabonadores" ao governador do Ceará, Cid Gomes (Pros). Caso desobedeça a ordem, a revista pagará multa de R$ 5 milhões. O caso corre sob segredo de Justiça.

Cid Gomes foi à Justiça depois de ter recebido o seguinte e-mail da reportagem da IstoÉ: "Obtivemos novos nomes citados pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa em seu depoimento de delação premiada. O nome do governador Cid Gomes integra a lista de autoridades que, segundo Costa, recebiam favorecimento financeiro e participavam da rede de tráfico de influência investigada no âmbito da operação lava jato [da Polícia Federal]". Em seguida a revista faz duas perguntas. "O governador tinha relações próximas com Paulo Roberto Costa?" e "diretórios partidários liderados por Cid Gomes receberam recursos de empreiteiras envolvidas no esquema da lava jato?".

Em sua petição, Gomes afirma que os fatos a que a IstoÉ teve acesso são falsos e que a investigação ainda não terminou e corre sob sigilo processual. A revista, portanto, estaria pronta a divulgar informações que, segundo Gomes e seus advogados, não poderia, já que são sigilosas. A publicação desses fatos, diz a petição, "além de ferir de morte a honra pessoal do requerente, causarão danos irreversíveis à sua carreira política, reconhecidamente pautada na ética e na moralidade".

A juíza Maria Maciel Queiroz é titular da 3ª Vara de Família de Fortaleza, mas, como esteve de plantão no fim de semana dos dias 13 e 14 de setembro, foi sorteada para cuidar do caso. E concordou com Cid Gomes, proibindo a revista de circular. Quem representará a editora Três Editorial, responsável pela publicação da IstoÉ, é o advogado Alexandre Fidalgo, do EGSF Advogados. Ele informa que tomará as medidas cabíveis para reverter a situação.

"Entendo que a veiculação de seu nome com os fatos ligados à operação lava jato poderá lhe causar dano irreparável ou de difícil reparação, vez que exerce um cargo público da mais alta relevância, governador do estado do Ceará", escreveu a juíza, na liminar. E continuou: "O autor encontra-se na iminência do perigo de ver o seu nome envolvido em uma situação cuja futura ação apreciada pelo Poder Judiciário, ante ser notório que os fatos ainda estão em fase de investigação tramitando em segredo de Justiça".

A decisão segue no sentido contrário do que já foi afirmado pelo Supremo Tribunal Federal, de que o segredo de Justiça não alcança a imprensa, que deve ter acesso a informações por dever de ofício. O entendimento foi firmado no julgamento da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental 130, que discutiu a constitucionalidade da hoje cassada Lei de Imprensa, e reafirmado pelo ministro Celso de Mello, decano do STF, em caso semelhante, envolvendo a ConJur.

A juíza Maria Maciel já traz uma resposta pronta para esse tipo de questionamento em sua decisão. "É assente que o direito a imagem e a honra é inviolável. Nem precisaria estar escrito, mas o constituinte de 1988 fez questão de trazer no inciso X do artigo 5º da Carta da República. E que não se queira falar em liberdade de imprensa e direito à informação. No caso, não houve nem a propositura da denúncia pelo Ministério Público, estando a matéria em fase de apuração, investigação, a qual deve deter a melhor descrição e sigilo. Afinal, nenhum direito, mesmo que fundamental, é absoluto."

Com base nesses argumentos, ela determina "que a Três Editorial se abstenha de divulgar, veicular a revista IstoÉ, ou qualquer outra, que em seu bojo contenham qualquer notícia relacionada à pessoa do requerente, em relação ao depoimento de Paulo Roberto Costa (foto) ou qualquer outro fato que diga respeito à operação lava jato e que possa envolver direta ou indiretamente o requerente, Cid Gomes". Caso a revista descumpra a ordem, terá de pagar multa de R$ 5 milhões.

Mídia Gisele Federicce Mon, 15 Sep 2014 16:50:57 +0000 http://www.brasil247.com/153510
Ibovespa sobe 1,8% de olho em pesquisas eleitorais http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153522 : Mercado repercute noticiário bastante movimentado e segue na expectativa pela divulgação do Vox Populi, hoje à noite; Datafolha e Ibope serão apresentados ainda esta semana; Ibovespa fechou com alta de 1,79% nesta segunda-feira, aos 57.948 pontos, com as ações da Petrobras e da Vale acentuando os ganhos nesta sessão <br clear="all"> :

Por Lara Rizério • Rodrigo Tolotti Umpieres

SÃO PAULO - O Ibovespa acelerou os ganhos na tarde desta segunda-feira (15) e fechou com alta de 1,79%, a 57.948 pontos, com as ações da Petrobras e da Vale acentuando os ganhos nesta sessão. O mercado repercute noticiário bastante movimentado e segue na expectativa pela divulgação do Vox Populi, hoje à noite. Nesta semana, o mercado fica de olho ainda no Datafolha e Ibope. O volume movimentado na Bovespa neste pregão hoje fechou em R$ 9,557 bilhões.

Vale destacar que o exercício de opções sobre ações movimentou R$ 3,23 bilhões na BM&FBovespa, dos quais R$ 1,63 bilhão em opções de compra e R$ 1,6 bilhão em opções de venda. A Petrobras ficou em destaque, com 4 opções entre as que mais movimentaram, enquanto a Braskem apareceu como "surpresa" na quarta colocação.

O mercado fica de olho ainda nos dados do minério de ferro, que registram um movimento de alta e levam aos ganhos de mais de 1% dos ativos da Vale, enquanto segue atento às próximas pesquisas eleitorais e repercute a revisão do PIB brasileiro para baixo pelo Focus e pela OCDE.

No cenário macroeconômico, destaque para o Focus, que cortou mais uma vez - pela 16ª semana seguida - a previsão para o crescimento da economia brasileira. A expansão do PIB (Produto Interno Bruto) em 2014 diminuiu para 0,33%, ante 0,48% da semana anterior.

Vale ressaltar que a OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) também reduziu suas expectativas de crescimento do Brasil neste e no próximo ano, também piorando as contas para as principais economias desenvolvidas nesta segunda- feira. Agora, a OCDE vê que a economia brasileira crescerá 0,3%, ante 1,8% que enxergava em maio. Para 2015, a expectativa é de expansão de 1,4%, contra 2,2% anteriormente.

O mercado segue de olho na alta do dólar que fechou, na semana passada, em sua maior alta em 10 meses, o que beneficia exportadoras, caso de Fibria, Suzano e siderúrgicas, enquanto a Gol é afetada negativamente, por ter boa parte da sua dívida atrelada ao dólar. Já as ações da Ambev avançam em meio aos rumores de que sua controladora, a AB Inbev, estaria preparando uma oferta pela concorrente SABMiller. O WSJ informou que AB Inbev negocia com bancos um financiamento para uma possível oferta de US$ 112 bilhões para comprar a rival.

Noticiário da Petrobras em destaque

Nesta data, o noticiário corporativo se junta ao político com destaque, mais uma vez, para a Petrobras, em meio a novas denúncias envolvendo a companhia, que também anunciou sua produção mensal. As ações da companhia, após abrirem praticamente estáveis, engataram um movimento de alta.

A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, afirmou no domingo que não preocupa a presença do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito. Costa foi convocado após denúncia de suposto esquema de repasse de recursos da estatal a políticos.

Já segundo informado pela revista IstoÉ no sábado (13), o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa citou mais um governador, dois senadores e um deputado federal entre os políticos envolvidos num esquema de corrupção na estatal.

A Istoé incluiu na lista o governador do Ceará, Cid Gomes, os senadores Delcídio Amaral (PT- MS) e Francisco Dornelles (PP-RJ) e o líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha, do Rio. Costa firmou um acordo de delação com o MPF (Ministério Público Federal) e tem revelado detalhes do suposto esquema de desvio de recursos públicos dentro da estatal. A Veja já havia citado 12 nomes de políticos envolvidos no esquema: dentre eles, Eduardo Campos, ex-governador de Pernambuco morto em 13 de agosto de 2014, além de Roseana Sarney (PMDB-MA) e Sérgio Cabral (PMDB-RJ).

A produção de petróleo da Petrobras no Brasil atingiu em agosto a média de 2,105 milhões de barris/dia (bpd), um aumento de 2,7% em relação a julho e de 10,4% na comparação com o mesmo mês de 2013, informou a empresa na noite desta sexta-feira. O volume ficou próximo do recorde registrado em dezembro de 2010, de 2,121 milhões de barris/dia.

"O crescimento da produção decorreu, principalmente, do aumento do volume produzido pelas plataformas P-55, no campo de Roncador (Bacia de Campos), P-58, que começou a operar em março no Parque das Baleias (área norte da Bacia de Campos), e FPSO Cidade de Paraty, em Lula Nordeste (Bacia de Santos)", disse a Petrobras em comunicado.

Mercado internacional de olho no Fed e China Os principais índices asiáticos, exceto o benchmark Shangai Composto, encerraram a segunda- feira em queda, após fracos dados econômicos da China. Vale mencionar que o índice Nikkei de Tóquio estava fechado devido a um feriado público no Japão. Já na Europa, os índices iniciam a semana sem uma direção única, com investidores à espera da reunião de política monetária do Fed (Federal Reserve), que acontece nesta quarta-feira (17).

Dados divulgados no sábado mostraram que a produção industrial da China cresceu ao ritmo mais fraco em quase seis anos em agosto, enquanto o crescimento em outros setores importantes também desacelerou. A produção industrial avançou 6,9% em agosto ante o ano anterior, ante expectativa de alta de 8,8% e desacelerando fortemente ante os 9,0% registrados em julho.

Na Europa, investidores seguem na expectativa da reunião do Fed e esperam que os líderes da autoridade monetária façam algum comunicado sobre quando deve terminar o programa de estímulos no país. "A política do Fed é de deixar o mais claro possível quais serão seus próximos passos, e se não comunicarem nada com certeza agora, a reunião seguinte com certeza contará com a decisão sobre o fim do QE3", explica o gestor da FCL Capital, Fernando Araújo.

Economia Gisele Federicce Mon, 15 Sep 2014 17:59:45 +0000 http://www.brasil247.com/153522
Vereador do PSB sugere segregar gays em uma ilha http://www.brasil247.com/pt/247/matogrossodosul247/153517 : Sérgio Nogueira (PSB), vereador de Dourados (MS), afirmou que os homossexuais devem ser "colocados em uma ilha" por 50 anos; "Não podemos passar a ideia de que o anormal é normal. Bota (sic) as pessoas que pensam assim numa ilha por 50 anos. Coloca essas pessoas numa ilha e depois de 50 anos volta para ver; não vai ter mais ninguém", declarou; "Não sou a favor da homofobia. Quero colocar a população para refletir" <br clear="all"> :

Mato Grosso do Sul 247 – O vereador da cidade de Dourados (MS) Sérgio Nogueira (PSB) afirmou, nesta segunda-feira (15), que os homossexuais devem ser colocados em uma ilha por 50 anos. Apesar do seu posicionamento, o parlamentar, que é pastor evangélico, disse não ser homofóbico. As informações são da Rádio (4 FM Dourados.

"Não podemos passar a ideia de que o anormal é normal. Bota (sic) as pessoas que pensam assim numa ilha por 50 anos. Coloca essas pessoas numa ilha e depois de 50 anos volta para ver; não vai ter mais ninguém", declarou Nogueira, que presidente da Comissão de Assistência Social Câmara Municipal.

O vereador proferiu seu discurso após um convite para que assistisse a palestras contra a homofobia organizadas pela Secretaria Municipal de Assistência Social. "Perguntaria para qualquer vereador se podendo ser adotado se optaria por ser adotado por uma família de homossexuais. Não sou a favor da homofobia. Quero colocar a população para refletir. Isso é contra os nossos princípios", disse;.

Mato Grosso do Sul 247 Leonardo Lucena Mon, 15 Sep 2014 17:25:55 +0000 http://www.brasil247.com/153517
Vitimização de Marina interdita o debate político http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153496 : Candidata do PSB e seus aliados incorrem na interdição do debate quando reagem quase emocionalmente às críticas da presidente Dilma e do candidato do PSDB, Aécio Neves, a propostas apresentadas pela campanha do PSB, afirma Tereza Cruvinel, em seu blog no 247; "Se toda divergência ou crítica for tomada como ofensa por um dos candidatos, as diferenças não se explicitam, o debate não flui e perde o eleitor a oportunidade de escolher com mais racionalidade", ressalta; jornalista diz que Marina Silva alimenta a aura de "coitadinha", mas lembra que tudo, ou quase tudo, que vem sendo criticado pelos adversários na plataforma da presidenciável "foi dito por ela ou escrito em seu programa de governo" <br clear="all"> :

247 – A vitimização da candidata do PSB, Marina Silva, tem interditado o debate político durante a campanha presidencial. A avaliação é da jornalista Tereza Cruvinel, que aborda o tema em novo artigo no blog do 247. "Se toda divergência ou crítica for tomada como ofensa por um dos candidatos, as diferenças não se explicitam, o debate não flui e perde o eleitor a oportunidade de escolher com mais racionalidade", diz ela.

Neste fim de semana, Marina chorou ao falar das críticas que teria recebido do ex-presidente, em entrevista à Folha de S. Paulo, e tem se colocado como vítima de uma "frente" montada por seus adversários, que querem desconstruir sua imagem, conforme afirma. Dilma disse considerar "alto nível discutir proposta", negando interpretações de que estaria atacando Marina Silva. "Uma eleição é onde se tem debate", acrescentou a presidente.

As críticas direcionadas à candidata, no entanto, são todas – ou quase todas – baseadas no que foi dito por ela ou escrito em seu programa de governo, diz Tereza Cruvinel. Marina "alimenta a aura de 'coitadinha'", opina a jornalista, que descreve seu discurso como de "auto-compadecimento". Ela alerta, porém, para a "escorregada" de Dilma, que em sua opinião, passou "da crítica de conteúdo para o uso de um adjetivo pejorativo contra a adversária" quando falou que "coitadinho" não pode chegar à Presidência.

Leia a íntegra em Vitimização interdita o debate

Poder Aline Lima Mon, 15 Sep 2014 15:49:19 +0000 http://www.brasil247.com/153496
Aécio: Brasil não precisa de “um PT de roupa nova” http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/153497 Igo Estrela: Em provocação a Marina Silva, presidenciável tucano afirma que "para tirar o PT no governo é preciso colocar algo melhor no lugar, e não um PT renovado, não um PT de roupa nova"; candidata do PSB era filiada ao partido, pelo qual foi senadora; durante campanha no Espírito Santo, Aécio Neves (PSDB) disse ser "oposição ao PT desde que o PT mostrou descompromisso com a ética" e com a "incapacidade de gestão" <br clear="all"> Igo Estrela:

247 – O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, voltou a alfinetar a adversária Marina Silva (PSB) durante campanha em Linhares, no Espírito Santo, nesta segunda-feira 15. Segundo ele, "é cada vez mais claro que para tirar o PT no governo é preciso colocar algo melhor no lugar, e não um PT renovado, não um PT de roupa nova". A ex-senadora era filiada ao partido, que tem como candidata a presidente Dilma Rousseff.

O tucano reafirmou também que o Brasil "não é para amadores" e nem "comporta mais improvisos". "O aprendizado da atual presidente da República no governo custou imensamente caro ao Brasil, porque na política o tempo perdido se vai, não há ativo mais valioso do que o tempo. O governo do PT demonizou durante 10 anos as parcerias com o setor privado e o tempo se foi. Um outro improviso, um outro aprendizado, como propõe a candidata Marina Silva no governo, não fará bem ao Brasil", disse.

Aécio declarou ser "oposição ao PT desde que o PT mostrou descompromisso com a ética, o 'mensalão', incapacidade de gestão, com o aparelhamento absurdo da máquina pública, e uma visão absolutamente atrasada do mundo, com esse alinhamento ideológico a qual se submeteu". Segundo o candidato, "hoje cada vez mais as propostas de Marina se parecem com as propostas do PT de quatro anos atrás. Até porque Dilma e Marina militaram durante muito tempo no PT".

Minas 247 Gisele Federicce Mon, 15 Sep 2014 15:05:51 +0000 http://www.brasil247.com/153497
Irmão de Campos aciona Protógenes por "atentado" http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/153500 : O advogado pernambucano Antônio Campos, irmão do falecido ex-governador Eduardo Campos (PSB), anunciou que irá acionar o Ministério Público Federal (MPF) de Santos (SP) para que o delegado da Polícia Federal e deputado Protógenes Queiroz (PCdoB/SP) prove oficialmente que o avião que caiu no dia 13 de agosto matando Campos e outras seis pessoas foi alvo de um atentado; a denúncia de que o acidente aéreo foi provocado em decorrência de um atentado foi publicada pelo colunista Cláudio Humberto neste domingo (14) <br clear="all"> :

Pernambuco 247 - O advogado pernambucano Antônio Campos, irmão do falecido ex-governador Eduardo Campos (PSB), anunciou que irá acionar o Ministério Público Federal (MPF) de Santos (SP) para que o delegado da Polícia Federal e deputado Protógenes Queiroz (PCdoB/SP) prove oficialmente que o avião que caiu no dia 13 de agosto matando Campos e outras seis pessoas foi alvo de um atentado. A denúncia de que o acidente aéreo foi provocado em decorrência de um atentado foi publicada pelo colunista Cláudio Humberto neste domingo (14).

De acordo com Antônio Campos, a petição para que o MPF de Santos e o juiz da 5ª Vara Federal intimem e ouçam o delegado será feito ainda nesta segunda-feira (15). "Queremos que ele diga em depoimento e formalmente perante o Ministério Público o que ele afirma ter [provas de que o acidente foi fruto de um atentado] e que foi objeto de uma nota em Cláudio Humberto", disse Antônio Campos.

Segundo a nota, Protógenes teria comentado com colegas da Policia Federal que Eduardo Ainda conforme o colunista, o delegado teria chegado ao local pouco depois do acidente ter sido confirmado. Ali, ele teria colhido indícios e depoimentos com o objetivo de encaminhá-los à Procuradoria Geral da República, além de pedir o aprofundamento das investigações. Entre os objetos recolhidos por ele, estaria a capa de um livro do piloto, porém, sem as páginas internas. Protógenes queria reencontrar-se com Campos, com quem havia conversado no dia1o de maio e na Semana Santa.

Antônio Campos disse, ainda, que a família está acompanhando o andamento das investigações com firmeza e serenidade e condenou o uso político do acontecido por parte dos adversários. "Evidentemente, vemos com muita tristeza essa utilização indevida de temas que estão sendo investigados e serão aclarados de forma muito tranquila. Então, nós estamos tranquilos quanto a isso. E vemos essa utilização como uma arma eleitoral própria de quem não tem o que dizer e parte para a agressão", afirmou durante um evento em celebração aos 35 anos de anistia no Brasil e o retorno de Miguel Arraes ao País, após ter sido deposto e exilado durante o golpe militar de 1964.

 

Pernambuco 247 Paulo Emílio Mon, 15 Sep 2014 15:25:15 +0000 http://www.brasil247.com/153500
Folha de SP acusava Marina de misturar governo com religião http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153499 : Após desistir da candidatura de Aécio Neves, o jornal de Otávio Frias Filho passou a apoiar a de Marina Silva, escreve Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania. "Por conta disso, tal qual seu ídolo maior, Fernando Henrique Cardoso, a Folha espera que, hoje, esqueçamos o que escreveu tantas vezes – inclusive em editorial – sobre o fundamentalismo religioso de Marina", diz ele <br clear="all"> :

por Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania

Uma das maiores preocupações que envolvem a possível eleição de Marina Silva como presidente da República reside nas crenças religiosas da candidata. Não por acalentar tais crenças, mas por muitos acreditarem que, uma vez no poder, poderia misturá-las com a administração pública.

Recentemente, o doutor Rógério Cezar de Cerqueira Leite, de 83 anos, físico, professor emérito da Unicamp, membro do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia e do Conselho Editorial do Jornal Folha de São Paulo, teve artigo publicado nesse jornal. No texto, manifesta preocupação com o fundamentalismo religioso da ora candidata a presidente da República.

"Não me sinto confortável em ter como presidente uma pessoa que acredita que o universo foi criado em sete dias há apenas 4 mil anos", disse o acadêmico no artigo "Desvendando Marina", em 31 de agosto, na seção Tendências/Debates daquele jornal.

Abaixo, o artigo de Cerqueira Leite

 

O artigo de Cerqueira Leite gerou respostas furiosas de aliados de Marina naquele jornal. Inclusive do jornalista Edson Barbosa, um dos coordenadores do setor de comunicação da campanha de Marina.

Em artigo publicado no último dia 3 no mesmo espaço em que Cerqueira Leite manifestou sua preocupação com o fundamentalismo religioso de uma mulher que ameaça eleger-se presidente da República, Barbosa afirmou que "Marina não é fundamentalista".

Antes de prosseguir, vale explicar que o Artigo 19 da Constituição Federal reza que "É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los (...) ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança".

Continuando. O jornal em questão, após desistir da candidatura de Aécio Neves, passou a apoiar a de Marina. Por conta disso, tal qual seu ídolo maior, Fernando Henrique Cardoso, a Folha espera que, hoje, esqueçamos o que escreveu tantas vezes – inclusive em editorial – sobre o fundamentalismo religioso de Marina.

A candidata do "povo de Deus", como tem sido chamada por "líderes religiosos" como o "pastor" Silas Malafaia – quem, com quatro tuites, fez a candidata verde (ou seria laranja?) humilhar os homossexuais ao abandonar a criminalização da homofobia –, nem sempre foi tão bem-vista pela Folha.

Em editorial publicado poucos meses antes de maio de 2008, quando a então ministra do Meio Ambiente pediu para sair do governo Lula – mas só após comunicar a saída antes à imprensa –, o jornal Folha de São Paulo via na hoje candidata "verde" (ou laranja) "graves e complexos problemas".

Abaixo, editorial da Folha de 20 de janeiro de 2008, intitulado "Criacionismo, não"

 

Como, à época, Marina pertencia ao governo Lula, não desfrutava da moleza que a Folha lhe dá hoje ao endossar sua acusação criminosa de que está sendo "difamada" por Lula e Dilma Rousseff por "ser negra e "pobre". Assim sendo, a Folha denunciava inclusive violações da Constituição que ela praticava no governo ao misturar a pasta do Meio Ambiente com religião.

Três dias após criticar Marina em editorial, a Folha publicou a reportagem "Pastor usa pasta para organizar evento religioso".

Abaixo, a reportagem.

 

Na verdade, o que aconteceu no ministério que Marina pilotava aos trancos e barrancos – onde tinha reiteradas crises de personalismo e vitimização quando não conseguia do então presidente Lula o que queria – foi violação da lei.

Prossigamos. Em maio de 2008, quando o mundo estava às portas da maior crise econômica da história, Marina pediu para sair. Só que, para tanto, montou um espetáculo – provavelmente, visando a candidatura a presidente que levaria a cabo dois anos depois.

Abaixo, matéria da mesma Folha sobre a saída de Marina da pasta do Meio Ambiente. O texto informava que ela avisou a imprensa de seu pedido de demissão antes mesmo de avisar o então presidente da República.

 

Anos mais tarde, porém, Lula revelou a verdadeira razão da saída de Marina de seu governo. A imprensa já anunciava que a então ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, fora indicada por Lula ao PT para ser candidata à sua sucessão. Marina esperava que fosse ela mesma e, assim, armou um espetáculo em torno de sua saída do governo.

A partir dali, as críticas a Marina sumiram da grande imprensa. Sobretudo quanto aos "problemas graves e complexos" que a Folha, em editorial – ou seja, no espaço em que a família Frias manifesta sua opinião sem dissimular –, enxergava naquela que, hoje, defende furiosamente contra Dilma Rousseff.

Mídia Gisele Federicce Mon, 15 Sep 2014 15:07:39 +0000 http://www.brasil247.com/153499
Operação prende 22 PMs. Entre eles, o chefe do COE http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/153498 : Foram presos no Rio o chefe do Comando de Operações Especiais (COE), coronel Alexandre Fontenelle Ribeiro de Oliveira (foto), considerado o terceiro homem na hierarquia da Polícia Militar, e o subcomandante do 3º Batalhão do Méier, major Carlos Alexandre de Jesus; ao todo, 22 policiais foram detidos suspeitos de cobrarem propina de comerciantes, empresários e ambulantes da zona oeste; Operação Compadre visa cumprir 25 mandados de prisão, sendo 24 contra PMs, entre eles, seis oficiais superiores, além de 43 buscas e apreensões <br clear="all"> :

Rio 247, com Agência Brasil – Foram presos no Rio o chefe do Comando de Operações Especiais (COE) da PM, coronel Alexandre Fontenelle Ribeiro de Oliveira, e o subcomandante do 3º Batalhão do Méier, major Carlos Alexandre de Jesus, além de 22 policiais militares suspeitos de cobrarem propina de comerciantes, empresários e ambulantes da zona oeste da capital fluminense.

A Operação Compadre tem como finalidade de cumprir 25 mandados de prisão, sendo 24 contra policiais militares (PMs), entre eles, seis oficiais superiores, além de 43 buscas e apreensões. A ação conta também com o apoio da Corregedoria da Polícia Militar e da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais.

De acordo com as investigações, os policiais envolvidos na quadrilha prejudicavam o policiamento ostensivo no bairro de Bangu, deixando de servir à população, ignorando o combate ao transporte irregular de pessoas por vans ou kombis em situação ilegal, por mototaxistas, inclusive pelo uso de motocicletas com a documentação irregular, roubadas, furtadas ou com chassis adulterados.

A ação é um desdobramento da Operação Compadre, deflagrada pela Subsecretaria de Inteligência da SSP em abril de 2013, quando foram expedidos 78 mandados de prisão, 53 deles contra PMs, para desarticular quadrilha que fazia cobranças de propina aos feirantes e comerciantes com mercadorias ilícitas.

De acordo com a denúncia do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MP, a quadrilha é formada por 24 PMs que integravam o 14° Batalhão. A denúncia foi encaminhada à 1ª Vara Criminal de Bangu.

Entre os denunciados estão seis oficiais que eram lotados no 14° BPM: o ex-comandante coronel Alexandre Fontenelle Ribeiro de Oliveira e o ex-subcomandante major Carlos Alexandre de Jesus Lucas – ambos lotados atualmente no Comando de Operações Especiais –, os majores Nilton João dos Prazeres Neto (chefe da 3ª Seção) e Edson Alexandre Pinto de Góes (coordenador de Operações), além dos capitães Rodrigo Leitão da Silva (chefe da 1ª Seção) e Walter Colchone Netto (chefe do Serviço Reservado). Também são acusados de integrar a quadrilha18 praças e um civil.

Entre 2012 e o segundo semestre de 2013, os acusados e mais 80 pessoas, entre eles os policiais do 14° BPM, da 34ª DP (Bangu), da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes contra a Propriedade Imaterial, além de PMs reformados, praticavam diversos crimes de concussão (extorsão cometida por servidor público).

A quadrilha exigia propinas que variavam entre R$ 30 e R$ 2.600. Eram cobradas diárias, semanal ou mensal, como garantia de não reprimir qualquer ação criminosa, seja na atuação de mototaxistas, motoristas de vans e kombis não autorizados, o transporte de cargas em situação irregular ou a venda de produtos piratas no comércio popular de Bangu.

De acordo com a denúncia, baseada em depoimentos de testemunhas, documentos e diálogos telefônicos interceptados com autorização judicial compõem mais de 20 volumes de inquérito.

"O 14° BPM foi transformado em verdadeiro 'balcão de negócios', numa verdadeira 'sociedade empresária S/A', em que os lucros eram provenientes de arrecadação de propinas por parte de diversas equipes policiais responsáveis pelo policiamento ostensivo. A principal parte era repassada para a denominada 'Administração', ou seja, os oficiais militares integrantes do 'Estado Maior', que detinham o controle do 14º BPM, os controles das estratégias, das equipes subalternas e do poder hierárquico".

Os acusados responderão na 1ª Vara Criminal de Bangu por crime de associação criminosa armada, que não consta do Código Penal Militar. A pena é de dois a seis anos de reclusão. Os integrantes da quadrilha também serão responsabilizados, pelo Ministério Público, por diversos crimes de concussão, que serão apurados pela Auditoria de Justiça Militar Estadual.

Rio 247 Leonardo Lucena Mon, 15 Sep 2014 15:12:44 +0000 http://www.brasil247.com/153498
Lula: “Quem está contra o pré-sal é contra o futuro” http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153486 : Em ato de "abraço" à sede da Petrobras, no Rio de Janeiro, ex-presidente veste camisa de petroleiro para demonstrar "orgulho"; "Em oito anos, depois da descoberta do pré-sal, já tiramos mais petróleo do que nos primeiros 31 anos de história da companhia"; empolgado, Lula deu recado indireto para adversária Marina Silva, do PSB, que atacou a gestão da estatal a partir da delação premiada do ex-diretor Paulo Roberto Costa; "Eu tenho 34 anos no mesmo partido político, não falo mal das pessoas", alfinetou; Marina deixou o PT rumo ao PV, tentou montar o Rede e está no PSB; ela disse ver o petróleo como um "mal necessário"; "Quem é contra a riqueza do pré-sal é contra o futuro do Brasil", carimbou Lula <br clear="all"> :

247 – Sem citar diretamente a candidata do PSB, Marina Silva, o ex-presidente Lula fez o principal discurso no ato de "abraço" à Petrobras, realizado na tarde desta segunda-feira 15, diante da sede da estatal.

- Quem é contra o pré-sal é contra o futuro do Brasil, disse Lula, num recado indireto à adversária do PSB, que tem apenas duas linhas sobre a exploração do pré-sal em seu programa de governo e afirmou considerar o petróleo "um mal necessário".

- Quem é contra essa riqueza? Certamente não é o trabalhador brasileiro, nem o petroleiro nem o metalúrgico da indústria naval, acentou Lula.

No Rio de Janeiro, a presidente Dilma Rousseff, citada várias vezes por Lula, está na frente de Marina nas pesquisas de opinião. O candidata do PSB passou a enfrentar problemas no Estado após ter demonstrado frieza sobre "a maior descoberta de petróleo na história contemporânea no plante Terra", conforme descrição de Lula sobre o palanque.

Com uma camisa de petroleiro da estatal brasileira, Lula disse diante de estimadas 5 mil pessoas que o gesto era para demonstrar "orgulho" pela companhia. Ele lembrou como se sentiu, em 2006, quando foi informado sobre a primeira confirmação da extensão do pré-sal:

- Cheguei em casa e disse para a Marisa: 'Será que eu nasci mesmo com aquilo virado para a lua para ter no meu governo a descoberta dessa que é a maior riqueza do mundo? De lá para cá, em apenas oito anos, já retiramos mais petróleo para o Brasil dos que nos 31 primeiros anos da história da Petrobras.

Para Lula, o pré-sal vai produzir, nos próximos anos, quatro milhões de barris diários de petróleo.

Ao tratar do tema da CPI da Petrobras, em curso no Congresso e aquecida pela delação premiada do ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa, Lula foi fiel ao seu estilo:

- A gente sabe que muitas vezes uma CPI só serve para achacar empresários, disse ele, sem entrar em detalhes sobre as denúncias de Costa veiculadas na mídia.

Lula procurou associar as conquistas da Petrobras no campo da exploração do pré-sal, "a sete mil metros de profundidade", também à presidente Dilma.

- Nós fizemos a Petrobras apresentar números hoje que nunca teve na sua história.

Abaixo, reportagem da Agência Brasil sobre o ato:

Manifestantes fazem ato em defesa do pré-sal e da Petrobras no Rio

Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil - Centrais sindicais e movimentos sociais fizeram hoje (15) um ato em defesa da atual política da exploração do pré-sal com a Petrobras como operadora. Os manifestantes também defenderam a Petrobras do que chamaram de "ataques políticos" à estatal.

O coordenador da Federação Única dos Petroleiros (FUP), José Maria Rangel, disse que o objetivo do ato foi mostrar que as riquezas do petróleo da camada pré-sal devem ser usadas em benefício da população. "Os recursos oriundos do pré-sal devem ser usados em benefício da saúde e da educação. Esta é uma oportunidade ímpar que o povo brasileiro está tendo", disse Rangel.

Para ele, a Petrobras precisa ser defendida dos "ataques" que está sofrendo, em decorrência das investigações sobre um suposto esquema de corrupção na empresa petrolífera. "Os ataques que são feitos à Petrobras querem passar para a sociedade uma imagem de incompetência, ineficiência administrativa, para que, num segundo momento, possam aparecer aquelas vozes para dizer: 'a Petrobras não pode ser a operadora única do pré-sal'", afirmou o representante dos petroleiros.

O ato, que contou com a participação de representantes de entidades como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a União Nacional dos Estudantes (UNE) e o Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST), também defendeu a candidatura da presidenta Dilma Rousseff à reeleição pelo PT.

Também presente ao evento, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu, em discurso, a Petrobras, a investigação de pessoas envolvidas em episódios de corrupção na estatal e a candidatura de Dilma. O ato, que começou na Cinelândia, terminou em frente à sede da estatal, no centro da cidade, com um abraço dos manifestantes ao edifício.

Poder Ana Pupulin Mon, 15 Sep 2014 13:57:02 +0000 http://www.brasil247.com/153486
PT rebate Forbes e dá 5 razões para votar em Dilma http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153494 : Partido da presidente diz que revista americana, que publicou cinco motivos para os brasileiros não reelegeram Dilma Rousseff, citou dados incorretos e rebate todas as colocações, afirmando, entre outras coisas, que o Brasil está crescendo <br clear="all"> :

Por Rodrigo Tolotti Umpieres

SÃO PAULO - Na última semana, um colunista da Revista Forbes listou 5 motivos para os brasileiros não reelegerem Dilma Rousseff presidente. Entre as razões estão o fraco crescimento econômico do País nos últimos quatro anos, além do aumento da dívida, entre outros. Além disso, a publicação afirma que mesmo as melhorias que o Brasil mostrou não foram mérito da atual presidente, mas sim de FHC e Lula.

Por isso, o PT (Partido dos Trabalhadores) decidiu "defender" sua candidata e afirmou que as razões apresentadas pela revista norte-americana não estão corretas. No Facebook, o partido justificou cada um dos motivos listados pela Forbes de forma bem sucinta e deu 5 motivos para que os eleitores votem em Dilma:

1) O Brasil está crescendo Segundo o PT, o País está crescendo sim. O partido lembra que o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central) - um tipo de prévia do PIB -, registrou na última sexta- feira (12) alta de 1,5% em julho, o maior avanço mensal do indicador em seis anos. "Mas ainda insistem que Brasil não cresceu", diz o PT.

2) A Petrobras não está mal O partido rebate as acusações de que a Petrobras estaria sendo prejudicada pelo governo. "Só em 2014 já atingiu a marca dos 500 mil barris de petróleo produzidos por dia do pré-sal", diz o PT. "No primeiro semestre deste ano, a empresa lucrou R$ 38,5 bilhões, valor superior ao mesmo período de 2013", completam.

3) Desemprego O PT destaca a menor taxa de desemprego em mais de uma década, e ainda afirma que não há arrocho salarial no Brasil. "Em março, o IBGE divulgou que a taxa de desemprego atingiu a menor marca, desde 2002; Ou seja, com Dilma o povo está mais empregado e sem arrocho salarial. E a inflação, em julho, praticamente zerou e se mantém na taxa prevista pelo BC", diz o partido.

4) Dívida pública não é ruim Neste item, o partido até admite que a dívida pública está crescendo, mas, segundo eles, a alta é considerada baixa. "A dívida pública, cresce, sim! Mas, de acordo com o Ministério da Fazenda, tem taxas de crescimento de apenas 3% ao mês, consideradas baixas", diz o PT.

5) Menos pobreza No último item, sobre a redução da pobreza, o PT diz que a razão listada pela Forbes é "absurda" e que a revista está errada. "Vale destacar que Dilma e Lula tiraram mais de 36 milhões de brasileiros da extrema pobreza e outros 42 milhões ascenderam à classe C', começa o PT. "Além do mais, em 2012, o coeficiente Gini – que mede a desigualdade de renda entre os países – atingiu o menor nível em mais de 35 anos, chegando a 0,53. Em 2001, o índice era de 0,60", completa.

Por fim, o PT ainda destaca alguns programas realizados e o quanto foi investido pelo atual governo para ajudar as famílias brasileiras. Segundo o partido, pelo programa "Água Para Todos", 1 milhão de cisternas foram construídas, enquanto 18 mil máquinas foram doadas às prefeituras de 5.060 municípios. Além disso, o Luz Para Todos fez 15 milhões de ligações elétricas nos municípios brasileiros. "Foram investidos R$ 3 bilhões em saneamento em 600 cidades e R$ 2,5 bilhões em agricultura familiar, beneficiando 13 milhões de pessoas", diz o PT.

Mídia Gisele Federicce Mon, 15 Sep 2014 14:45:25 +0000 http://www.brasil247.com/153494
Juiz autoriza ida de Costa à CPMI da Petrobras http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/153489 : Juiz federal Sérgio Moro, responsável pelo processo da Operação Lava Jato na primeira instância, deu aval para a ida do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa ao Congresso na próxima quarta-feira 17; Costa delata um esquema de corrupção na Petrobras em acordo com a Justiça; ele deverá ser escoltado por policiais federais e poderá depor em reunião secreta <br clear="all"> :

Agência Câmara - A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras conseguiu autorização do juiz federal Sérgio Moro para ouvir o ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa nesta quarta-feira (17).

Costa está preso no Paraná e fez acordo de delação premiada em que teria citado autoridades que estariam envolvidas com desvio de recursos da Petrobras, segundo reportagem da revista Veja da semana passada. O juiz é responsável pelo processo da Operação Lava Jato na primeira instância, que é investigada pela CPMI.

Costa deverá ser escoltado por policiais federais e poderá depor em reunião secreta.

O depoimento está marcado para as 14h30, no plenário 2, da ala Nilo Coelho, no Senado.

STF

Na semana passada, a CPMI havia pedido autorização ao Supremo Tribunal Federal (STF) para ouvir o ex-diretor. No entanto, o ministro do STF Teori Zavascki disse, na sexta-feira, que a convocação para prestar depoimento perante CPIs é prerrogativa constitucional dessas comissões.

"Sua implementação, nesse caso, independe de prévia autorização judicial, e nenhuma providência especial cabe nesse caso ao STF", disse Zavascki.

Paraná 247 Gisele Federicce Mon, 15 Sep 2014 14:16:23 +0000 http://www.brasil247.com/153489
Mantega: Brasil está preparado para a retomada do crescimento http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153480 REUTERS/Chico Ferreira: Ministro da Fazenda, Guido Mantega, durante coletiva de imprensa em São Paulo. 29/08/2014.  REUTERS/Chico Ferreira Ministro da Fazenda disse nesta segunda-feira 15, durante encontro com empresários em São Paulo, que o Brasil tem uma economia mais sólida do que tinha em 2008, início da crise econômica internacional, e salientou que o país está preparado para a retomada do crescimento; "Estamos prontos para o novo ciclo de expansão da economia", declarou Guido Mantega <br clear="all"> REUTERS/Chico Ferreira: Ministro da Fazenda, Guido Mantega, durante coletiva de imprensa em São Paulo. 29/08/2014.  REUTERS/Chico Ferreira

Camila Maciel - Repórter da Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse hoje (15), na capital paulista, que o Brasil tem uma economia mais sólida do que tinha em 2008, início da crise econômica internacional. Salientou que o país está preparado para a retomada do crescimento. Entre as condições conjunturais que favorecem esse crescimento, apontou o retorno do crédito com a recuperação do mercado de consumo, a existência de reservas financeiras elevadas, um alto fluxo de investimento externo, a baixa dívida externa e o câmbio relativamente estável. "Estamos prontos para o novo ciclo de expansão da economia", declarou, ao participar do 11° Fórum de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Conforme o ministro, especialistas estimam que o fim da crise deve ocorrer até o próximo ano. "De qualquer forma, a economia internacional tende a melhorar e isso criará condições para que possamos ter um crescimento maior. Não podemos subestimar o impacto da crise na economia brasileira", declarou. Mantega voltou a defender as políticas anticíclicas assumidas pelo governo para enfrentar a desaceleração na economia mundial, entre elas a desoneração para a indústria, medidas de estímulo ao consumo e aumento das reservas financeiras. Reforçou, no entanto, que a política econômica do país foi feita com base na manutenção da massa salarial e do emprego.

Ao falar para uma plateia de economistas, com objetivo de debater os ajustes macroeconômicos necessários para o próximo ano, Mantega rebateu as críticas de defensores de uma estratégia neoliberal. Um dos temas abordados por ele foi a independência do Banco do Central (BC), proposta em alta no debate eleitoral. "Independência, você dá para os governos, para o Congresso, mas não para um núcleo de iluminados, que não foi votado pela população e teria poder de definir a política monetária e cambial, portanto a política econômica. Isso poderia ser feito sem ter um diálogo com as pessoas eleitas, os representantes da República. Acho complicado", acentuou.

O ministro avaliou que a atual autonomia operacional do BC funciona como as mudanças implementadas em ano eleitoral. "Nenhum governo gostaria de, em ano eleitoral, elevar taxas de juros e baixar o crédito. Mas tem essa autonomia. E, claro, deve sempre combater a inflação", apontou. O ministro também fez críticas à proposta de "desmame" da indústria, com retirada de subsídios, redução dos investimentos no Pré-sal, fim dos subsídios agrícolas e retração dos bancos públicos.

Mantega defendeu, além de ajustes no tripé macroeconômico – políticas fiscal, monetária e cambial –, a necessidade de manter políticas de desenvolvimento. Na política fiscal, o aumento gradual do primário, redução de despesas e recuperação de receita, com crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) entre 2 e 2,5%. Na política monetária, propôs a autonomia operacional do Banco Central. Já para a política cambial, apoia a manutenção do câmbio flutuante e intervenções do BC, para corrigir a volatilidade excessiva. Nas políticas de desenvolvimento, sugeriu a reforma tributária, a continuidade das desonerações e a política industrial com subsídios à inovação,

Economia Gisele Federicce Mon, 15 Sep 2014 12:25:34 +0000 http://www.brasil247.com/153480
Itaú pagou dividendos de R$ 56,5 mi a Neca desde 2010 http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153466 : Em entrevista à agência americana de notícias financeiras Bloomberg, educadora Neca Setubal fala como legítima herdeira do maior banco privado do País, o Itaú; "O mercado é contra Dilma", sentenciou ela; "O mercado está apostando em Marina, que tem convicções sérias", completou, posicionando-se como banqueira no debate eleitoral a também principal assessora da candidata do PSB; segundo a consultoria Economatica, o Itaú pagou R$ 56,5 milhões em dividendos por 0,5% de suas ações desde 2010; jornal Folha de S. Paulo estimou que irmã de Roberto Setúbal tem 0,5% das ações da instituição <br clear="all"> :

247 – Instalado no centro da eleição presidencial em razão de ter na herdeira Neca Setubal a principal auxiliar da candidata Marina Silva, o banco Itaú pagou R$ 56,5 milhões em dividendos acionários a Neca, desde 2010. A informação é da consultoria Economatica, consultoria especializada na análise de balanços e desempenho das companhias de capital aberto listadas na Bolsa de Valores de São Paulo.

O cálculo foi feito a partir de afirmação de Neca ao jornal Folha de S. Paulo, ao qual declarou ter apenas 0,5% das ações do banco fundado por seu pai, Olavo Setubal, e presidido por seu irmão, Roberto Setubal. Se como porcentual, o pedaço é pequeno, na prática vale muito. Em 2010, o pagamento de dividendos para quem tem 0,5% do Itaú foi de cerca de R$ 9 milhões. Em 2011, 11 milhões. Nos cálculos da Economatica, o resultado foi melhor em 2013, com R$ 12 milhões para o meio por cento da instituição e, neste 2014, essa marca já ficou para trás: de janeiro a setembro, 0,5% do Itaú já renderam R$ 12,5 milhões.

Abaixo, notícia da Agência Bloomberg, na qual Neca Setubal afirma que "o mercado é contra Dilma":

acionistas do Itau/Unibanco vão lavar a égua. E Paulo Setúbal acha tudo um grande desastre.

Neca Setubal diz que mercado 'é contra' Dilma Rousseff

Bloomberg

Uma é herdeira de uma fortuna bancária brasileira, estudou inglês e francês enquanto esquiava na Suíça. A outra passou parte da infância cortando seringueiras na Amazônia e retirando latex para ajudar a pagar as dívidas do pai. Ela sobreviveu a malária, hepatite e intoxicação por mercúrio. Hoje Maria Alice Setubal, multimilionária de 63 anos e conhecida como Neca, cujo pai já liderou o antecessor ao Itaú Unibanco Holding, é uma grande amiga e conselheira de campanha de Marina Silva, ex-empregada doméstica que as pesquisas mostram com a melhor chance de derrotar Dilma Rousseff na eleição presidencial de outubro. Improvável amizade é agora um ponto de ataque de Dilma, que disse em campanha na TV que Marina é "sustentada pelos banqueiros" e pretende entregar a eles o controle da economia Neca Setubal nega que ela ou sua família tenham papel na formulação da política econômica para Marina, de 56 anos, que disse que bancos "nunca ganharam tanto" como nos 4 anos de mandato de Dilma

"O mercado é contra Dilma", disse Neca em entrevista na semana passada na sede da campanha de Marina em SP. "O mercado está apostando que Marina, que tem convicções sérias, terá um melhor planejamento, mais transparência e responsabilidade fiscal", os quais Neca classifica como fundamentais para ajudar a lidar com a desigualdade social. Alguns investidores já estão contando com isso. O Ibovespa saltou 6,5% e o real foi a moeda com melhor desempenho entre as principais nas 3 semanas após Marina anunciar candidatura em 16/ago. e pesquisas a mostrarem na liderança. Grande parte desses ganhos evaporaram na semana passada após novas pesquisas mostrarem Dilma reduzindo a diferença. A campanha de Dilma se recusou a comentar percepção do mercado sobre seu governo ou relação entre Neca Setubal e Marina.

Economia Marco Damiani Mon, 15 Sep 2014 11:10:50 +0000 http://www.brasil247.com/153466
Artistas assinam manifesto em apoio a Dilma http://www.brasil247.com/pt/247/cultura/153470 : Lista é composta por atores renomados, como Osmar Prado, Paulo Betti e Matheus Nachtergaele, e personalidades da música, como Chico Buarque e as cantoras Beth Carvalho e Zezé Motta; entre os escritores estão Fernando Morais e Luis Fernando Veríssimo, além de intelectuais e jornalistas; "Os brasileiros decidem agora se o caminho em que o país está desde 2003 é positivo e deve ser mantido, melhorado e aprofundado, ou se devemos voltar ao Brasil de antes - o do desemprego, da entrega, da pobreza e da humilhação", diz texto do manifesto <br clear="all"> :

247 – Dezenas de artistas renomados, entre cantores, compositores, atores e escritores, além de jornalistas e intelectuais, assinam um manifesto de apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) em outubro. "Os brasileiros decidem agora se o caminho em que o país está desde 2003 é positivo e deve ser mantido, melhorado e aprofundado, ou se devemos voltar ao Brasil de antes - o do desemprego, da entrega, da pobreza e da humilhação", diz trecho do texto.

O manifesto, publicado no site manifesto.dilma.com.br, afirma ainda que "nunca o Brasil havia vivido um processo tão profundo e prolongado de mudança e de justiça social, reconhecendo e assegurando os direitos daqueles que sempre foram abandonados". Os artistas acreditam que "abandonar esse caminho para retomar fórmulas econômicas que protegem os privilegiados de sempre seria um enorme retrocesso".

"O brasileiro já pagou um preço demasiado para beneficiar os especuladores e os gananciosos. Não se pode admitir voltar atrás e eliminar os programas sociais, tirar do Estado sua responsabilidade básica e fundamental", prossegue o manifesto, ressaltando que o Brasil precisa reformular determinadas políticas e aprofundar transformações, mas que precisa "mudar avançando e não recuando". "O caminho iniciado por Lula e continuado por Dilma é o da primavera de todos os brasileiros. Por isso apoiamos Dilma Rousseff", conclui o texto.

Entre os que assinam estão atores famosos, como Osmar Prado, Paulo Betti e Matheus Nachtergaele, personalidades da música, como Chico Buarque e as cantoras Beth Carvalho e Zezé Motta. Entre os escritores estão Fernando Morais e Luis Fernando Veríssimo, além de intelectuais e jornalistas.

Cultura Gisele Federicce Mon, 15 Sep 2014 11:40:47 +0000 http://www.brasil247.com/153470
Patrícia Poeta deixa o JN e é substituída por Renata Vasconcellos http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153450 : Âncora do principal noticiário da TV Globo, Jornal Nacional, a jornalista Patrícia Poeta deixará o posto no dia 3 de novembro, logo após as eleições; segundo comunicado da emissora, ela se dedicará a um novo projeto da área de entretenimento <br clear="all"> :

247 – A jornalista Patrícia Poeta só estará na bancada do Jornal Nacional até o dia 3 de novembro, informou a TV Globo em um comunicado nesta segunda-feira 15.

Segundo a emissora, a âncora do principal noticiário da televisão brasileira, ao lado de William Bonner, se dedicará a um novo projeto de entretenimento.

Patrícia será substituída por Renata Vasconcellos, que atualmente apresenta o programa Fantástico, aos domingos, com Tadeu Schmidt. Quem a substitui é Poliana Abritta.

Segundo a Globo, o prazo de Patrícia Poeta à frente do JN era de três anos, determinado assim que ela assumiu o cargo. A notícia, porém, nunca foi divulgada à época e nem recentemente.

Mídia Gisele Federicce Mon, 15 Sep 2014 09:55:44 +0000 http://www.brasil247.com/153450
Noblat distorce fala de Dilma e a compara a Collor http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153436 : Estratégia de vitimização de Marina Silva entra numa nova fase; agora, o colunista Ricardo Noblat, do Globo, distorce o significado da crítica política feita pela presidente Dilma Rousseff à candidata Marina Silva e compara a situação de hoje à de 1989, quando o então candidato Fernando Collor dizia que Lula poderia congelar a caderneta de poupança; em entrevista realizada ontem no Palácio do Planalto, a presidente Dilma, acusada de ser o anticristo por simpatizantes de Marina, lembrou que a Presidência da República não é lugar para "coitadinhos"; aliás, Noblat, foi o Globo quem disse que Marina pretende "tirar a prioridade do pré-sal" <br clear="all"> :

247 - Desconstruída por suas próprias contradições, a ponto de ser classificada pelo colunista Ricardo Melo como uma "errata de si mesma" (leia aqui), a ex-senadora Marina Silva, candidata do PSB à presidência da República, ainda utiliza, como último recurso, uma estratégia de vitimização, contando com alianças nos grupos de comunicação conservadores.

Nesta segunda, o colunista Ricardo Noblat, do Globo, dá mais um passo nessa direção na coluna "Dilma faz com Marina o que Collor fez com Lula em 1989". Naquela eleição, como se sabe, Collor acusava Lula de ter a intenção se congelar a caderneta de poupança – o que ele próprio acabou fazendo depois de eleito.

O que isso tem a ver com a crítica política feita pela presidente Dilma a Marina Silva? Absolutamente nada, mas Noblat afirma que o PT mente e espalha terror ao dizer que Marina seria "favorável à liquidação do Banco do Brasil, da Caixa Econômica e do BNDES". 

Na verdade, é Noblat quem distorce a crítica feita, pelo PT, ao programa de governo coordenado por Neca Setubal, herderia do Itaú, que prega, sim, a redução do papel dos bancos públicos na economia. Aliás, sobre Neca, Noblat insiste na tese de que ela não é banqueira pelo simples fato de jamais ter trabalhado no banco – pouco importa se é dona e se, como porta-voz de Marina, defende a agenda política da instituição financeira da qual é acionista (leia mais aqui).

Noblat também distorce outra crítica de Dilma a Marina, ao dizer que, em 2010, ela "defendeu a autonomia do Banco Central". Sim, naquele ano, Dilma defendeu a autonomia operacional do Banco Central – como a defende até hoje. O que é bem diferente da independência do Banco Central, defendida por Marina Silva, que confere ao presidente da autoridade monetária e aos seus diretores mandatos fixos. Será que Noblat não conhece a diferença entre autonomia e independência, ou confunde intencionalmente os dois conceitos?

O colunista do Globo também afirma que o PT mente ao dizer que Marina irá "acabar com o pré-sal". No entanto, foi o próprio jornal da família Marinho, sediado no Rio de Janeiro, que chamou atenção para o risco para o pré-sal que a vitória de Marina poderia representar, uma vez que mal consta de seu programa de governo.

Ontem, em entrevista no Palácio do Alvorada, a presidente Dilma lembrou que a presidência da República "não é lugar para coitadinhos". Aliás, ontem, aliados de Marina distribuíam material de campanha no Rio de Janeiro comparando Dilma ao anticristo (leia mais aqui).

Mídia Leonardo Attuch Mon, 15 Sep 2014 06:32:58 +0000 http://www.brasil247.com/153436
PT e PSDB concentram maior fatia de doações http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153432 : Partido da presidente Dilma Rousseff obteve a maior arrecadação até o momento com R$ 264 milhões, cerca de 25% do volume total e com 8% oriundos de doações de pessoas físicas; na sequência, aparece a sigla do vice-presidente Michel Temer, com R$ 21 milhões; em terceiro figura o PSDB de Aécio Neves, com R$ 169 milhões; a legenda de Marina Silva, o PSB, ficou em 7°; 19 grupos privados, como JBS, OAS e Vale, foram os maiores financiadores <br clear="all"> :

247 – O PT da presidente Dilma Rousseff lidera com folga o volume de doações feitas às campanhas até o momento. Segundo levantamento do ‘Estadão Dados’, o partido, que tem a maior bancada na Câmara, obteve R$ 264 milhões, cerca de 25% do volume total e com 8% oriundos de doações de pessoas físicas. Na sequência, aparece o PMDB, do vice-presidente Michel Temer, com R$ 21 milhões.

Em terceiro figura o PSDB do presidenciável Aécio Neves, com R$ 169 milhões. A legenda de Marina Silva, o PSB, ficou em 7°.

Os maiores financiadores foram 19 grupos privados, que distribuíram R£ 522 milhões do total de R$ 1,040 bilhão vindo de pessoas físicas e jurídicas até agora. O maior deles é o Grupo JBS, que doou R$ 113 milhões, ou 11% do total, sendo R$ 28,8 milhões só para o PT.

A Ambev, gigante do setor de bebidas, aparece em 4° lugar, com R$ 41,5 milhões, distribuídos em sua maioria ao PMDB, PT e PSDB.

Entre os bancos, o Bradesco lidera, com R$ 30 milhões. Quanto as empreiteiras, a OAS é a segunda no ranking geral, com R$ 66,7 milhões – sendo 47,4% ao PT, 18,9% ao PMDB, 11,1% ao PSDB e apenas 5,2% ao PSB.

Economia Roberta Namour Mon, 15 Sep 2014 05:33:40 +0000 http://www.brasil247.com/153432
A 20 dias das urnas, tensão sobe entre presidenciáveis http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153417 : Nesta segunda-feira 15, apenas 20 dias separam a eleição mais surpreendente dos últimos 25 anos do desfecho em 1º turno; tendências se inverteram e reverteram nas duas últimas semanas; a partir de agora, uma escalada de tensão quebrará recordes até que o tempo caia, como num jogo de xadrez-relâmpago; momento se mostra propício para presidente Dilma Rousseff, mas Marina Silva procura estancar viés de queda e retomar a ofensiva, enquanto Aécio Neves avalia que adversária do PSB vai "esfarelar" e ele mesmo chegará ao 2º turno <br clear="all"> :

247 – No cronômetro, o tempo da eleição está quase caindo. Já se dá conta, na virada do domingo para a segunda-feira 15, que faltam apenas 20 dias para a data do 1º turno. Paradoxalmente, enquanto a corrida se acelera, os três principais candidatos passarão a viver, até lá, os dias mais intensos e longos de suas vidas políticas.

É certo que, neste momento, está em curso uma reversão da tendência apresentada desde a morte do ex-governador Eduardo Campos, em 13 de agosto, e uma semana atrás. Mas igualmente se sabe que, nesta que é a eleição mais surpreendente dos últimos 25 anos, quando nova virada dos humores do eleitorado será vista como absolutamente normal. A eleição, afinal, já teve desde o início de 2014 seu momento de favoritismo da presidente Dilma Rousseff, em janeiro até maio, segundo as pesquisa.

Na fase que foi de junho a agosto, a oposição com Aécio Neves, pelo PSDB, e Eduardo Campos, do PSB, conseguiu construir uma tendência de alta paulatina, que já esbarrava na fronteira da realização de um segundo turno. Ao mesmo tempo em que eles ganhavam ponto a ponto nas pesquisa, Dilma gradualmente perdia alguns dos seus.

A disputa eleitoral experimentou um trauma em 13 de agosto, e ainda não se recuperou dele. Com o desaparecimento do ex-governo, o furacão Marina varreu da face da terra todas as certezas dos analistas e remexeu nos resultados das pesquisas. Na primeira semana de exposição como candidata, Marina largou diretamente no segundo lugar do Datafolha, um ponto a frente de Aécio, ampliou a distância e foi buscar a liderança que nunca, até então, havia sido tirada de Dilma nem no 1º nem no 2º turno.

MARINA PROTAGONIZOU A PRIMEIRA VIRADA - Na primeira grande virada da campanha, Marina abriu dez pontos sobre Dilma em segundo turno e, imediatamente, boa parte da mídia tradicional a alçou à posição de imbatível. Principal atingido, Aécio voltou para o patamar de 15%, quando antes frequentara os de mais de 20%. A presidente resistiu quanto pode, mas desceu a 33% no Ibope, o menor índice de sua trajetória aqui.

A partir da divulgação do programa de governo de Marina, as coisas mudaram de novo. A ex-ministra passou a ser alvo de críticas em série da presidente e do ex-presidente Lula, despertou aversão entre intelectuais e, até agora, ainda não encontrou um remédio adequado para estancar a sangria. Certo de que, assim como foi o grande prejudicado, poderá ser, a partir de agora, o principal beneficiado por Marina estar “esfarelando”, segundo expressão do próprio Aécio.

A eleição está se mostrando muito sensível aos fatos novos. Em comparação a todas as eleições desse Collor X Lula, em 1989, o debate entre os eleitores brasileiros está muito mais amplificado e com maior alcance, ainda que se possa discutir o nível em que ele se dá. O motivo, claro, é o crescimento da internet no Brasil, com toda a sua malha de informações replicadas em todos os seus fios.

TENDÊNCIA FAVORÁVEL A DILMA - Tudo, assim, pode mudar. A tendência das pesquisas é, sim, favorável a Dilma e ao PT. Mesmo debaixo da maior saraivada de ataques de sua história, o partido trabalha com projeções de que, outra vez, elegerá a maior bancada do Congresso. E Dilma, que nunca teve defensores nos meios mais antigos de comunicação e nos veículos que os ocupam, vai afirmando, com seus resultados nas pesquisas, que é muito mais resistente do que os adversários gostaria que ela fosse. Mais, está demonstrando uma capacidade de recuperação que, sem não leva-la a liquidar a fatura já na primeira volta, a lançará, para a segunda, em alta voltagem, como favorita.

Mas isso é hoje, que pode ser diferente dentro de dez dias e na data do voto. Aécio reorganizou sua campanha em Minas Gerais, mas sofre com articulações de tucanos ilustres, como o ex-presidente Fernando Henrique e o ex-governador e candidato a senador José Serra, por uma atitude menos agressiva contra Marina.

O senador mineiro sabe, ao contrário, que sua maior chance está em herdar os votos que Marina vai perdendo nas pesquisas. E com um discurso novo e afiado, ele vai querer ser, na fase decisiva, a surpresa do final do primeiro turno.

A cada vinte e quatro horas, a partir de hoje, os presidenciáveis estarão vivendo os dias mais intensos e longos e suas vidas políticas. Para eles, o tempo vai passar de maneira diferente, no ritmo dos fatos políticos, até que caia na hora marcada.

 

Poder Felipe L. Goncalves Sun, 14 Sep 2014 21:57:02 +0000 http://www.brasil247.com/153417
Bresser-Pereira explica por que votará em Dilma http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153416 : Fundador do PSDB e ex-ministro do governo FHC, o cientista político Luiz Carlos Bresser-Pereira anuncia seu voto na presidente Dilma Rousseff e aponta as razões; "é ela quem melhor atende aos critérios que adoto para escolher o candidato", diz ele; "são dois esses critérios: quanto o candidato está comprometido com os interesses dos pobres, e quão capaz será ele e os partidos políticos que o apoiam de atender a esses interesses, promovendo o desenvolvimento econômico e a diminuição da desigualdade"; leia a íntegra <br clear="all"> :

247 - O cientista político Luiz Carlos Bresser-Pereira, um dos principais intelectuais brasileiros, que foi fundador do PSDB e ministro do governo FHC, anunciou, neste domingo, que votará na presidente Dilma Rousseff. Segundo ele, é ela quem está melhor capacitada a reduzir a desigualdade social no País. Leia abaixo o artigo de Bresser-Pereira:

Meu voto em Dilma

Vou votar pela reeleição de Dilma Rousseff porque é ela quem melhor atende aos critérios que adoto para escolher o candidato à Presidência da República.

Luiz Carlos Bresser-Pereira

Em 1988 fui um dos fundadores do Partido da Social Democracia Brasileira e sempre votei em seus candidatos à presidência. Mas, gradualmente, fui me afastando do partido por razões de ordem ideológica e, depois da última eleição presidencial, vendo que o partido havia dado uma forte guinada para a direita, que deixara de ser um partido de centro-esquerda, e que abandonara a perspectiva desenvolvimentista e nacional para se tornar um campeão do liberalismo econômico, desliguei-me dele. Por isso quando hoje perguntam em quem vou votar, a pergunta faz sentido.

Vou votar pela reeleição de Dilma Rousseff, não por que seu governo tenha sido bem sucedido, mas porque é ela quem melhor atende aos critérios que adoto para escolher o candidato. São dois esses critérios: quanto o candidato está comprometido com os interesses dos pobres, e quão capaz será ele e os partidos políticos que o apoiam de atender a esses interesses, promovendo o desenvolvimento econômico e a diminuição da desigualdade.

Dilma atende ao primeiro critério melhor do que Marina Silva e muito melhor do que Aécio Neves. Isto nos é dito com clareza pelas pesquisas de intenção de voto, onde ela vence na faixa dos salários mais baixos, e reflete a preferência clara pelos pobres que os três governos do PT revelaram. O mesmo se diga em relação ao segundo critério na parte referente à desigualdade. O grande avanço social ocorrido nos doze anos de governo do PT tem um valor inestimável.

Já em relação ao desafio do desenvolvimento econômico, o problema é mais complexo. Estou convencido que Dilma conhece melhor do que seus competidores quais os obstáculos maiores que vêm impedindo a retomada do desenvolvimento econômico desde que, em 1994, a alta inflação inercial foi superada. Os resultados econômicos no seu governo não foram bons, mas isto se deveu menos a suas fraquezas e erros, e, mais, ao fato que não teve as condições necessárias de enfrentar a falha de mercado estrutural que está apreciando cronicamente a taxa de câmbio e desligando as empresas competentes do país de seu mercado, e, assim, , está condenando a economia brasileira à quase-estagnação. Desde 1990-91 , ao se realizar a abertura comercial, os economistas brasileiros (inclusive eu, naquele momento) não estávamos nos dando conta que o imposto sobre exportações de commodities denominado “confisco cambial” – essencial para a neutralização da doença holandesa – estava sendo extinto. Em consequência, as empresas industriais brasileiras passavam a ter uma desvantagem (custo maior) para exportar de cerca de 25% em relação às empresas de outros países por razão exclusivamente cambial, e uma desvantagem desse valor menos a tarifa de importação (hoje, em média, de 12%) para concorrer no mercado interno com as empresas que para aqui exportam.

A esta causa estrutural de apreciação cambial (a não-neutralização da doença holandesa[*]) devem ser adicionadas duas políticas equivocadas normalmente adotadas pelos países em desenvolvimento. A política de crescimento com poupança externa (de déficit em conta-corrente) e a política de âncora cambial para controlar a inflação apreciam o câmbio no longo prazo. Elas são responsáveis por cerca de mais 10 pontos percentuais de apreciação da taxa de câmbio que devem ser somados aos 25% acima referidos. Logo, a desvantagem total das empresas brasileiras em relação às empresas de outros países que exportam para os mesmos mercados que nós é, em média, de 35% ( 25% 10%), e a desvantagem total em relação às empresas estrangeiras que exportam para o mercado brasileiro é de 23% (35% - 12%). Estas duas desvantagens desaparecem nos momentos de crise financeira, que, mais cedo ou mais tarde, decorrem necessariamente dessa sobreapreciação.

Quando digo que a presidente não teve “condições”, estou dizendo que ela não teve poder suficiente eliminar essa desvantagem competitiva de longo prazo. Ela tentou: iniciou o governo fazendo um ajuste fiscal, reduzindo os juros, e promovendo uma depreciação real de cerca de 20%. Mas ela recebeu do governo anterior, marcado pelo populismo cambial, uma taxa de câmbio brutalmente apreciada, de R$ 1,90 por dólar, a preços de hoje. Por isso, a elevação da taxa de câmbio para cerca de R$ 2,28 por dólar não foi suficiente para torná-la competitiva.
 
A taxa de câmbio que torna competitivas as empresas competentes existentes no Brasil (que denomino “de equilíbrio industrial”) deve estar em torno de R$ 3,00 por dólar. Em consequência desse fato e da retração da economia mundial, a depreciação não foi suficiente para levar as empresas a voltar a investir; foi, porém, suficiente para aumentar um pouco a inflação. Diante desses dois resultados negativos, os economistas do mercado financeiro e a mídia liberal gritaram, mostraram erros do governo (como o controle dos preços da eletricidade e do petróleo e a “aritmética criativa” para aumentar o superávit primário) e assim, sob forte pressão e preocupada em não ser reeleita, a presidente foi obrigada a recuar.

Mas não terão os outros dois candidatos mais importantes condições de fazer o que Dilma não fez? Estou convencido que não. Não apenas porque eles também não terão poder para enfrentar os interesses de curto prazo dos que rejeitam a depreciação cambial porque não querem ver seus salários e demais rendimentos diminuam e a inflação aumente, ainda que temporariamente. Também porque seus economistas não reconhecem o problema da doença holandesa e não são críticos das duas políticas acima referidas. Supõem, equivocadamente, que a grande sobreapreciação cambial existente no país é um problema de curto prazo, de “volatilidade cambial”. Basta ler seus programas de governo.

Terá a presidente poder suficiente para mudar esse quadro caso reeleita? É duvidoso. Ela não enfrenta apenas a oposição liberal e colonial, que é incapaz de criticar a ortodoxia liberal e não vê os conflitos entre os interesses do Brasil e a dos países ricos. A presidente enfrenta também a incompetência da grande maioria dos economistas brasileiros, que, apegados a seus livros-texto convencionais, não compreendem hoje a tese central da macroeconomia novo-desenvolvimentista (a tendência à sobreapreciação cíclica e crônica da taxa de câmbio) como não entendiam entre 1981 e 1994 a teoria da inflação inercial. Naquele tempo havia apenas oito (sim, oito) economistas que entendiam a inflação inercial. Quantos entenderão hoje os economistas que compreendem porque, deixada livre, a taxa de câmbio tende a ser sobreapreciada no longo prazo, só se depreciando bruscamente nos momentos de crise de balanço de pagamentos?

Voto pela reeleição da presidente, mas já deve estar ficando claro que não estou otimista em relação ao futuro do Brasil. Quando as elites brasileiras não conseguem sequer identificar o fato novo (mas que já tem 23 anos) que impede que o Brasil volte a crescer de maneira satisfatória desde 1990-91, como podemos pensar em retomar o desenvolvimento econômico? A esquerda associada ao PT está muda, perplexa; a direita liberal supõe que basta fazer um ajuste fiscal para resolver o problema. Embora um ajuste fiscal forte seja essencial para a política novo-desenvolvimentista de colocar os preços macroeconômicos no lugar certo, apenas esse ajuste não basta. Será necessário também baixar o nível da taxa de juros e depreciar a taxa de câmbio para que a taxa de lucro se torne satisfatória e as empresas voltem a investir. Só assim a economia brasileira deixará de estar a serviço de rentistas e financistas, como está há muito tempo, e os interesses dos empresários ou do setor produtivo da economia voltem a coincidir razoavelmente com os interesses dos trabalhadores.

A presidente tem uma famosa dificuldade de ouvir os outros, mas é dotada de coragem, determinação, espírito republicano e se orienta por um padrão moral elevado. Conta, ao seu lado, com alguns políticos de boa qualidade. Ela foi derrotada no primeiro round, mas, quem sabe, vencerá o segundo?

[*] Nota da Redação:
"Em economia, doença holandesa (do inglês Dutch disease) refere-se à relação entre a exportação de recursos naturais e o declínio do setor manufatureiro. A abundância de recursos naturais gera vantagens comparativas para o país que os possui, levando-o a se especializar na produção desses bens e a não se industrializar ou mesmo a se desindustrializar - o que, a longo prazo, inibe o processo de desenvolvimento econômico.

A expressão "doença holandesa" foi inspirada em eventos dos anos 1960, quando uma escalada dos preços do gás teve como consequência um aumento substancial das receitas de exportação dos Países Baixos e a valorização do florim (moeda da época). A valorização cambial acabou por derrubar as exportações dos demais produtos holandeses, cujos preços se tornaram menos competitivos internacionalmente, na década seguinte." (Fonte: Wikipédia, verbete "Doença holandesa)

Poder Leonardo Attuch Sun, 14 Sep 2014 18:46:33 +0000 http://www.brasil247.com/153416
TCU acha irregularidades em contrato da Odebrecht http://www.brasil247.com/pt/247/relacoes_com_investidores/153433 : Técnicos do Tribunal de Contas da União confirmaram falhas já identificadas pela Petrobras em contrato de US$ 825 milhões feito em 2010 com a empreiteira de Marcelo Odebrecht; foram detectados a inclusão indevida de impostos na formação de preços em três países, o que teria elevado o valor de alguns serviços em US$ 15 milhões <br clear="all"> :

247 - O TCU (Tribunal de Contas da União) confirmou auditoria realizada pela Petrobras e apontou irregularidades em contrato de US$ 825 milhões com a Odebrecht firmado em 2010.

O acordo com a empreiteira de Marcelo Odebrecht, feito sem controle, segundo a corte, previa serviços de segurança, meio ambiente e saúde para padronizar as unidades da companhia petroleira no Brasil e em nove países.

Ao justificar revisão do valor do contrato, praticamente a metade, a gestão da atual presidente, Maria das Graças Foster, apontou remuneração de R$ 22 mil a pedreiros e a inclusão indevida de impostos na formação de preços em três países, o que teria elevado o valor de alguns serviços em US$ 15 milhões.

Aparecem no relatório do TCU o ex-presidente da estatal José Sergio Gabrielli e os ex-diretores Jorge Zelada e Paulo Roberto Costa, preso sob suspeita de integrar esquema de lavagem de dinheiro do doleiro Alberto Youssef.

Leia aqui reportagem de Fernando Odilla sobre o assunto.

Relações com Investidores Roberta Namour Mon, 15 Sep 2014 05:42:01 +0000 http://www.brasil247.com/153433
PF investiga elo entre Youssef e Cachoeira http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153435 : Documentos encontrados no escritório da contadora do doleiro Alberto Youssef, Meire Poza, indicam suposta conexão com a quadrilha do bicheiro Carlinhos Cachoeira; notas sugerem repasses de dinheiro entre empresas laranjas ligadas aos dois; Youssef é acusado de comandar um esquema de desvio de verbas de contratos públicos e de intermediar pagamento de propina de empreiteiros a políticos, que movimentou mais de R$ 10 bilhões <br clear="all"> :

247 – Documentos encontrados no escritório da contadora do doleiro Alberto Youssef, Meire Poza, levantaram suspeitas de elo do esquema de lavagem de dinheiro com a quadrilha do bicheiro Carlinhos Cachoeira.

A RCI software, empresa de fachada de Youssef, preso na operação Lava Jato, manteve negócios com outra companhia laranja que atuava no esquema operado por Cachoeira, a Alberto & Pantoja.

Youssef é acusado de comandar um esquema de desvio de verbas de contratos públicos e de intermediar pagamento de propina de empreiteiros a políticos, que movimentou mais de R$ 10 bilhões.

Segundo reportagem do Estadão, repasses de R$ 753 mil da RCI para a Alberto & Pantoja, de 2010, foram levantados pela CPI do caso Cachoeira. Agora, a Polícia Federal investiga se transações tem ligação com a quadrilha do doleiro.

Brasil Roberta Namour Mon, 15 Sep 2014 06:21:14 +0000 http://www.brasil247.com/153435
Aliados de Marina acusam Dilma de ser o anticristo http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/153415 : Material de campanha distribuído no Rio de Janeiro pelos candidatos a deputado Ezequiel Teixeira e Édino Fonseca, aliados de Marina Silva, incita o ódio homofóbico e prega o extremismo religioso; numa revista digitalizada pelo deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ), a presidente Dilma Rousseff é chamada de "anticristo"; "Será que Marina, ou sua coordenação de campanha concordaram com essa sujeira e "deixaram" que ela fosse feita porque, na reta final, tudo o que servir para somar votos é bem-vindo, mesmo que provenha do esgoto político e da baixaria mais imperdoável?", pergunta Jean Wyllys; não vale chorar, Marina <br clear="all"> :

Rio 247 - Aliados de Marina Silva no Rio de Janeiro, os candidatos Ezequiel Teixeira e Édino Fonseca produziram uma revista que está sendo distribuída a eleitores, em que a presidente Dilma Rousseff é acusada de ser o "anticristo". Um dos motivos é o combate feito pelo governo federal à homofobia – tema que produziu a primeira crise na campanha de Marina Silva, depois que ela abandonou seus compromissos, ao ser pressionada pelo pastor Silas Malafaia.

Nesta semana, numa estratégia articulada com seus marqueteiros e meios de comunicação das famílias midiáticas brasileiras, Marina se vitimizou e encenou um choro em razão de supostos ataques que estaria sofrendo do PT e do ex-presidente Lula.

A verdade, no entanto, é que seus aliados partiram para ataques vis e rasteiros na reta final da campanha eleitoral. Leia, abaixo, texto postado pelo deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ) sobre o material que está sendo distribuído no Rio de Janeiro:

ASSUSTADOR!, por Jean Wyllys

O esgoto eleitoreiro já começa a vazar de maneira repugnante nessa reta final de campanha. Na zona oeste do Rio de Janeiro, um exército de fiéis recrutados como voluntários por igrejas evangélicas fundamentalistas está distribuindo um material de campanha tão bizarro quanto criminoso e assinado pelas campanhas de Marina Silva para presidenta, Ezequiel Teixeira para deputado federal e Édino Fonseca para deputado estadual (sendo este último quem se responsabiliza com seu CNPJ eleitoral, 20583168000184, pelo material): milhares de revistas de 24 páginas em cores acompanhadas de um DVD com MENTIRAS e FALSIDADES acerca de LGBTs, no sentido de estimular o ódio e a violência contra estes, mas também com DETURPAÇÕES acerca das pautas dos movimentos feministas e negro com intuito de prejudicar a candidatura da presidenta Dilma.

Para quem está duvidando dessa sujeira, aqui está o link para a digitalização que fiz do material difamatório para usá-la como prova quando acionar a justiça eleitoral no intuito de que essa porcaria seja apreendida e seus responsáveis sancionados de acordo com a lei.https://www.dropbox.com/s/qjo7q91eb7btmz6/Fonseca-Teixeira-Marina.pdf?dl=0

Na capa, a revista com Fonseca, Teixeira e Marina anuncia: "Veja os planos do anticristo: nova ordem mundial contra a família e a igreja" (a palavra "Veja" é escrita com a mesma tipografia usada pela revista da editora Abril), e depois enumera: "eutanásia, mercado do feto, prostituição de menores, carícias de homossexuais em lugares sagrados...", etc. Misturando um discurso religioso da época da Inquisição (com repetidas alusões ao "anticristo") e uma linha argumentativa que lembra a propaganda nazista contra os judeus (no caso, em vez dos judeus, o "inimigo" apontado é composto por homossexuais, prostitutas, ateus, comunistas, "abortistas", usuários de drogas e o governo Dilma), a publicação descreve uma conspiração satânica internacional para a criação de uma "nova ordem mundial" que pretende "se rebelar contra Deus" e "dominar a mente do povo com a legalização das drogas", acusa o governo do PT de querer legalizar a eutanásia para "matar os mais velhos" e o aborto para provocar um "extermínio" e comercializar os órgãos dos fetos abortados (!).

O delírio é tal que a revista traz uma tabela de preços do "mercado do feto" e diz que a legalização do aborto provocará um aumento da pedofilia, porque as meninas estupradas serão obrigadas a abortar para esconder o crime.

Nas páginas seguintes, a revista ataca a regulamentação da prostituição, relacionando-a também, com extremo cinismo e má fé, à pedofilia (como se o abuso sexual de crianças pudesse ser equiparado à prostituição exercida por pessoas adultas!); diz que a criminalização da homofobia permitirá que os gays pratiquem sexo dentro das igrejas; refere-se a gays, lésbicas e transexuais como doentes mentais; ataca com argumentos igualmente toscos a proposta de legalização da maconha e até diz que existe um plano do "anticristo" para dominar a água e os alimentos.

Quase todas as páginas da publicação são dedicadas a atacar meus projetos e os de outros parlamentares progressistas e comprometidos com os direitos humanos, embora não nos mencione expressamente, mas o alvo explícito da publicação é o governo Dilma, que seria, de acordo com a publicação, o principal representante no Brasil da rebelião mundial comandada por Satanás.

A publicação faz uma relação direta entre o "plano do anticristo" e as eleições de 5 de outubro: para impedir a vitória do Demônio, os eleitores deveriam votar em Marina Silva para presidenta e em Teixeira e Fonseca para os parlamentos federal e estadual. Na última página, a publicação traz uma foto em cores dos três candidatos, com a logo da campanha de Marina destacada no centro.

Uma pergunta que não quer calar é: quem pagou por tudo isso? Por todo esse lodo?

Eu gostaria de saber se Marina Silva sabe que seu nome está sendo usado nessa campanha suja, abjeta e evidentemente criminosa. Fonseca é candidato pelo PEN, uma legenda de aluguel de ultra-direita que faz parte da coligação de Aécio Neves, da mesma forma que o partido Solidariedade, formado por parlamentares que decidiram sair das legendas pelas quais se elegeram, entre eles Teixeira. Ambos fazem parte, também, da coligação estadual que apoia o governador Pezão, que por sua vez é do PMDB, aliado à presidenta Dilma, mas que também faz campanha por Aécio. Contudo, Fonseca e Teixeira fazem campanha por Marina — e juntos, apesar de suas candidaturas proporcionais não estarem coligadas.

Além de ser incompreensível e causar confusão a qualquer eleitor, essa esquizofrenia eleitoral também é ilegal, já que um candidato proporcional (ou seja, a deputado federal ou estadual) não pode citar em seus materiais de campanha o nome de um candidato majoritário (ou seja, presidente ou governador) que não seja o de seu partido ou coligação. Porém, para as gangues da velha política corrupta do nosso querido país, vale tudo!

Será que Marina, ou sua coordenação de campanha concordaram com essa sujeira e "deixaram" que ela fosse feita porque, na reta final, tudo o que servir para somar votos é bem-vindo, mesmo que provenha do esgoto político e da baixaria mais imperdoável? Ou será que Fonseca e Teixeira estão usando o nome de Marina sem a anuência dela porque acham que a figura da candidata do PSB pode ser mais atraente para o eleitorado evangélico fundamentalista que pretendem conquistar que o do liberal Aécio?

Seja como for, Marina deveria se perguntar por que o nome dela pode ser associado a esse discurso fascista. Será por que seu discurso, em vez de questionar, à esquerda, as falências do governo Dilma, como muitos dos seus eleitores progressistas de 2010 esperavam, é cada dia mais reacionário, aproximando-a da linha discursiva da revista Veja (que essa semana saiu em defesa dela), do Círculo Militar (que se declarou esperançoso com a sua candidatura), dos pastores que pregam discurso de ódio contra a população LGBT e dos setores mais conservadores da sociedade, que podem se sentir representados pela propaganda de Fonseca e Teixeira?

Marina deveria preparar um café, sentar no sofá e, com calma, refletir sobre o que está fazendo ou sobre o que estão fazendo com o nome dela. E você, eleitor, eleitora, deveria pensar com qual Brasil você sonha. O fundamentalismo está aí, virando a esquina, e dá medo.

Rio 247 Leonardo Attuch Sun, 14 Sep 2014 17:46:33 +0000 http://www.brasil247.com/153415
Artistas querem lançar movimento "Fica, Marta" http://www.brasil247.com/pt/247/cultura/153434 : Segundo a colunista Mônica Bergamo, o desejo da classe artística pela permanência de Marta Suplicy no Ministério da Cultura será expressado em ato de apoio a Dilma Rousseff, desta segunda-feira, no Rio; gestão foi marcada pela criação do Vale-Cultura de R$ 50 mensais para o trabalhador, além da construção de 340 Centros de Artes e Esportes Unificados (CEUs), que levaram cinema e biblioteca a regiões periféricas <br clear="all"> :

247 – No ato de apoio a presidente Dilma Rousseff, organizado para esta segunda-feira, no Rio de Janeiro, artistas estudavam lançar um movimento "Fica, Marta", de apoio à permanência de Marta Suplicy no Ministério da Cultura, em caso de reeleição. É o que afirma a colunista Mônica Bergamo.

Em sua gestão no Minc, Marta ficou marcada pela criação de um Vale-Cultura de R$ 50 mensais para o trabalhador investir em programas culturais. Construiu também 340 Centros de Artes e Esportes Unificados (CEUs), que incentivam talentos locais, formam artistas e levam cinema e biblioteca a regiões periféricas.

Instituiu ainda o Sistema Nacional de Cultura, que cria controle social, repasse obrigatório de recursos e maior transparência no setor.

Cultura Roberta Namour Mon, 15 Sep 2014 05:45:07 +0000 http://www.brasil247.com/153434
Verissimo explica por que não vota em Marina http://www.brasil247.com/pt/247/cultura/153371 : Para o escritor Luis Fernando Verissimo, Marina Silva, candidata do PSB, dificilmente chegará à presidência da República por ser muito contraditória; de qualquer forma, diz que não dará seu voto à candidata “mais revolucionaria destas eleições, que ao mesmo tempo é a mais conservadora”; ele condena suas posições contra a liberação do aborto e a pesquisa com células-tronco; afirma que a oposição à última questão, ‘que pode levar à cura de várias doenças hoje mortais é criminosa’; o escritor gaúcho afirma que irá votar "com o coração", ou seja, em defesa da saúde e contra Marina <br clear="all"> :

247 – O escritor Luis Fernando Verissimo declarou, em artigo publicado neste domingo, por que não votará em Marina Silva, do PSB.

Ainda que não acredite em suas chances de chegar à Presidência do Brasil por “todas as suas contradições”, explica que prefere seguir o voto do seu coração.

Veríssimo condena as posições da candidata “mais revolucionaria destas eleições, que ao mesmo tempo é a mais conservadora”, especialmente em relação ao aborto e às pesquisas com células-tronco.

“É impossível saber quantas mulheres já morreram em abortos clandestinos por culpa direta da proibição do uso de preservativos pelo Vaticano, por exemplo”, cita. “Mas a oposição à pesquisa com células-tronco que pode levar à cura de várias doenças hoje mortais não é brincadeira. É criminosa”, conclui.

Verissimo diz que irá votar "com seu coração", ou seja, contra Marina. "Acho a Marina uma mulher extraordinária. Mas, como alguém que está na fila para receber os eventuais benefícios de pesquisas com células-tronco, voto no meu coração." (leia aqui a íntegra)

Cultura Roberta Namour Sun, 14 Sep 2014 06:35:09 +0000 http://www.brasil247.com/153371
Guru de Marina critica até Celso Furtado http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/153372 : Economista Alexandre Rands, que faz o programa econômico de Marina Silva, dá sua receita para corrigir os “erros” da gestão de Dilma Rousseff: diz que um Banco Central independente teria subido juros antes e garante que a retomada do crescimento só deve ocorrer no quarto ano do próximo mandato; ele afirma ainda que as teses de Celso Furtado, economista brasileiro mais reconhecido internacionalmente e que inspirou a Sudene, talvez nunca tenham feito sentido; para ele, a atual política econômica do governo é “excessivamente influenciada” por economistas da Unicamp, que chama de feudo parado no tempo; Rands, dono de uma empresa de telemarketing em Recife, diz ainda que o governo trata empresários como prostitutas <br clear="all"> :

247 - Depois de uma rápida ascensão, a onda Marina Silva vem perdendo força, em grande parte, pela incoerência de suas propostas de governo. Por trás delas, um time de "gurus" que tem multiplicado aparições na mídia com teorias questionáveis.

Neste domingo, Alexandre Rands, principal assessor econômico de Eduardo Campos (PSB) e agora articulador de Marina, dá sua receita para corrigir "erros" da presidente Dilma Rousseff.

Em entrevista ao Globo, insiste que um Banco Central independente teria subido juros antes, “não ficaria subjugado à presidente”. Afirma ainda que a retomada do crescimento só deve ocorrer no quarto ano. Promete crescimento de 4% no último ano do governo Marina.

Além disso, afirma que as teses de Celso Furtado, economista brasileiro mais reconhecido internacionalmente e inspirador da Sudene, talvez nunca tenham feito sentido.

Para ele, a atual política econômica do governo é “excessivamente influenciada” por economistas da Unicamp, que chama de feudo parado no tempo. Diz que a presidente Dilma detesta os empresários, mas todas as políticas são para eles fazerem o que bem entende. “O governo bate, mas depois convida para um drinque. Trata os empresários como prostitutas”, afirma.

Embora questione Celso Furtado, Rands tem com credenciais o fato de ser dono de uma empesa de telemarketing em Recife.

Pernambuco 247 Roberta Namour Sun, 14 Sep 2014 06:58:27 +0000 http://www.brasil247.com/153372
Otimista, Aécio diz que Marina vai se esfarelar http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/153377 : Baseado em pesquisas internas do PSDB que apontam que Marina Silva tem perdido votos na classe média e em cidades grandes, o presidenciável tucano Aécio Neves disse a aliados em São Paulo ver sinais de "nervosismo" na campanha do PSB e uma mudança no ambiente eleitoral que pode ser o início de um "esfarelamento" da ex-senadora; em terceiro lugar nas pesquisas com 15% das intenções de voto, ele afirmou ainda que nas próximas semanas vai "esbarrar com ela" na casa dos 22%, 23% <br clear="all"> :

247 – Em terceiro lugar nas pesquisas com 15% das intenções de voto, o presidenciável tucano Aécio Neves rebate rumores dentro e fora do partido de que irá desistir da disputa.

Ele descarta qualquer chance de se aliar à candidata do PSB, Marina Silva, reafirmando que irá para a oposição se não chegar ao segundo turno contra a presidente Dilma Rousseff.

Na sexta-feira (12), o tucano disse a aliados em São Paulo ver sinais de "nervosismo" na campanha de Marina e uma mudança no ambiente eleitoral que pode ser o início de um "esfarelamento" da rival.

Pesquisas internas do PSDB apontam que a ex-senadora tem perdido votos na classe média e em cidades grandes.

"Não vou fazer ataques pessoais. Mas não tem jeito. Ainda acredito que dá para virar isso aí. Se der certo, nas próximas semanas vou esbarrar com ela na casa dos 22%, 23% dos votos", diz.

Minas 247 Roberta Namour Sun, 14 Sep 2014 07:54:17 +0000 http://www.brasil247.com/153377
Estadão praticamente declara apoio a Aécio http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153373 : Jornal comandado por Francisco de Mesquita Neto diz que “no momento em que o PT apela para o que sabe fazer de melhor – atacar e iludir – e Marina recorre ao bom-mocismo e à manipulação de obviedades para seduzir o eleitorado ávido por mudanças, o candidato do PSDB, Aécio Neves, introduziu um sopro de racionalidade no debate eleitoral”; segundo a publicação, “além do comprometimento histórico dos tucanos com a estabilidade e o desenvolvimento econômico do país, Aécio pode contar com a credibilidade de quadros técnicos comprovadamente competentes” <br clear="all"> :

247 – A poucas semanas do primeiro turno das eleições, o “Estado de S. Paulo” praticamente declara em seu editorial deste domingo apoio em Aécio Neves.

O presidenciável tucano aparece isolado nas pesquisas de intenções de voto, atrás da presidente Dilma Rousseff e de Marina Silva, do PSB. Mas para a publicação comandada por Francisco de Mesquita Neto, o tucano é a razão contra a “baixaria e a apelação”.

“No momento em que o PT apela para o que sabe fazer de melhor – atacar e iludir – e Marina recorre ao bom-mocismo e à manipulação de obviedades para seduzir o eleitorado ávido por mudanças, o candidato do PSDB introduziu um sopro de racionalidade no debate eleitoral”, afirma.

Diz ainda que, “além do comprometimento histórico dos tucanos com a estabilidade e o desenvolvimento econômico do país, Aécio pode contar com a credibilidade de quadros técnicos comprovadamente competentes”.

Mídia Roberta Namour Sun, 14 Sep 2014 07:18:18 +0000 http://www.brasil247.com/153373
Alckmin já se prepara para o Planalto em 2018 http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/153375 : Segundo o colunista Ilimar Franco, derrotado por Lula em 2006, seus aliados avaliam que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) “não terá adversários no seu partido sobretudo com Aécio Neves fora do segundo turno em 2014”; tucano veria caminho livre com Marina Silva presidente, que já declarou ser contra a reeleição, e também com Dilma Rousseff reeleita, após 16 anos do PT na Presidência  <br clear="all"> :

247 – Com grandes chances de se reeleger no primeiro turno das eleições, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) já se projeta no Planalto em 2018.

Segundo o colunista Ilimar Franco, derrotado por Lula em 2006, seus aliados avaliam que ele “não terá adversários no seu partido sobretudo com Aécio Neves fora do segundo turno em 2014”.

Quanto às suas chances diante do cenário eleitoral atual, acreditaria ter o caminho livre; já que Marina Silva já declarou ser contra a reeleição e que, mesmo com Dilma Rousseff reeleita, terá “a imagem de bom administrador e a fadiga material”, após 16 anos do PT na Presidência.

SP 247 Roberta Namour Sun, 14 Sep 2014 07:41:10 +0000 http://www.brasil247.com/153375
Marina participa de comício esvaziado em Teresina http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153374 : Presidenciável do PSB chegou a evento em Teresina com mais de 3 horas de atraso e subiu ao palco quando por volta das 23h20, quando a maior parte do público já havia ido embora; no Estado, a presidente Dilma Rousseff conta com mais de 60% das intenções de voto, segundo pesquisa do Ibope   <br clear="all"> :

247 – Depois de mais de 3 horas de atraso, a candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, subiu ao palco de seu comício em Teresina (PI) por volta das 23h20, quando a maior parte do público já havia ido embora.

No Estado, a presidente Dilma Rousseff conta com mais de 60% das intenções de voto, segundo pesquisa do Ibope.

A legislação eleitoral proíbe a realização de comícios entre meia-noite e 8h, mas a assessoria de Marina alega que se tratava de uma “reunião partidária” em local fechado, sem restrição de horário.

Durante o evento, Marina pediu um minuto de silêncio em homenagem a seu antecessor na chapa, o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que morreu em um acidente aéreo em Santos há um mês.

Além disso, voltou a se vitimizar diante das “calúnias e boatos” que diz sofrer: “Não vou usar as armas sujas que meus concorrentes estão usando”, disse. Segundo ela, entre os três primeiros colocados na disputa pela Presidência, ela tem o menor tempo de propaganda eleitoral. “Mesmo assim eles estão tremendo que nem uma vara verde”.

Poder Roberta Namour Sun, 14 Sep 2014 07:30:22 +0000 http://www.brasil247.com/153374
Em nova peça de campanha, Veja agora vitimiza Marina http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153302 : Edição desta semana acusa o PT de promover baixarias e disseminar mentiras contra a candidata Marina Silva, do PSB; uma dessas mentiras, segundo Veja, é o fato de Marina ser sustentada por uma banqueira; o problema central da reportagem é que as mentiras são verdades (basta lembrar que Neca Setubal, herdeira do Itaú, bancou 83% dos gastos do instituto de Marina) e que o confronto de ideias e posições faz parte do processo democrático; capa de Veja é reação da Marginal Pinheiros às mais recentes pesquisas sobre a sucessão presidencial, que voltam a apontar o favoritismo de Dilma <br clear="all"> :

247 - Na ausência de um novo escândalo, a revista Veja desta semana optou por dedicar sua capa a uma peça de propaganda em favor de Marina Silva, candidata do PSB à presidência da República.

Na capa "A fúria contra Marina", a revista acusa o Partido dos Trabalhadores de promover baixarias contra a candidata que, hoje, representa a esperança de vitória de setores mais conservadores da sociedade brasileira na disputa presidencial de outubro. "Nunca antes neste país se usou de tanta mentira e difamação para atacar um adversário como faz agora o PT", diz o subtítulo.

Veja não se referia às diversas tentativas frustradas comandadas por ela própria para tentar impedir vitórias do PT em 2002, 2006 e 2010, como as capas sobre os dólares de Cuba, o apoio financeiro das Farc ao PT ou os pacotes de dinheiro entregues na Casa Civil – teses que jamais se comprovaram.

O tema da reportagem desta semana é a crítica que começou a ser feita, pelo PT, a algumas contradições de Marina. O texto de Veja lista o que chama de "as 6 mentiras de Dilma". Seriam as seguintes: Marina vai abandonar o pré-sal, será um novo Collor, Banco Central independente significa miséria para os brasileiros, Marina é sustentada por banqueiros, vai acabar com o Bolsa-Família e vai tirar R$ 1,3 trilhão de reais da educação e da saúde.

O problema é que muitas dessas "mentiras" estão mais próximas da realidade do que da fantasia. Foi a própria Marina quem, em seu programa de governo, negligenciou o pré-sal, dedicando algumas poucas linhas ao grande vetor da economia brasileira nos dias de hoje. 

Sobre o fato de ser sustentada por banqueiros, é uma verdade absoluta. Afinal, Neca Setubal, herdeira do Itaú doou 83% dos recursos que bancam seu instituto. E graças a essa generosidade passou a falar em nome da candidata, defendendo uma agenda que atende ao interesse de bancos privados, com propostas como a independência do Banco Central.

Sobre ser um novo Collor, a crítica do PT não é dirigida à personalidade de Marina, mas sim à sua falta de sustentatação política e ao fato de se colocar acima dos partidos, com sua promessa de uma "nova política".

Ao vitimizar Marina, Veja sinaliza que, hoje, acredita mais na candidata do PSB do que em Aécio Neves, do PSDB, como alternativa mais viável para derrotar o PT. Hoje, faltam pouco mais de vinte dias para as eleições presidenciais, período que comporta mais três capas de Veja.

Ao que tudo indica, o arsenal de denúncias da revista se esgotou e resta à editora da Marginal Pinheiros apelar a novas peças de propaganda política.


Mídia Aline Lima Sat, 13 Sep 2014 06:36:23 +0000 http://www.brasil247.com/153302
Marina enfrenta rejeição crescente do eleitor LGBT http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153306 : Presidenciável do PSB foi recebida com manifestação da comunidade LGBT em comício no centro de Fortaleza, nesta sexta-feira; grupo protestava contra recuo do programa de governo de Marina Silva referente à causa gay; menos de 24 horas após o lançamento, a ex-senadora divulgou “errata” contra o apoio ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, depois de ser pressionada pelo pastor evangélico Silas Malafaia; reviravolta provocou a saída de Luciano Freitas da campanha, secretário nacional do comitê LGBT do então candidato Eduardo Campos <br clear="all"> :

247 – A candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, foi recebida com um protesto de integrantes e apoiadores da comunidade LGBT em comício no centro de Fortaleza, nesta sexta-feira, 12.

O grupo protestava por causa do recuo do programa de governo da candidata referente à causa gay. Menos de 24 horas após o lançamento do seu plano de gestão, a ex-senadora divulgou uma “errata” em relação ao apoio ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, depois de ser pressionada pelo pastor evangélico Silas Malafaia.

A reviravolta provocou a saída de Luciano Freitas da campanha, secretário nacional do comitê LGBT do então candidato Eduardo Campos, e a rejeição crescente do eleitor gay.

Ao chegar ao Ceará, Marina foi recebida em clima de tensão. Manifestantes seguravam faixa com a frase: “Abra sua mente, gay também é gente”. Houve princípio de confusão com militantes.

Poder Roberta Namour Sat, 13 Sep 2014 06:39:33 +0000 http://www.brasil247.com/153306
PT volta a sonhar em vencer no 1º turno http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153288 : Velocidade e disseminação da queda de Marina Silva nas pesquisas e, especialmente, desempenho da presidente Dilma Rousseff em campanha reanimam PT; economia cresce 1,50% em julho sobre junho, melhor resultado desde 2008; com 101.425  empregos com carteira assinada em agosto, ano tem saldo positivo de 751 mil vaga abertas; direção partidária projeta eleger maior bancada do Congresso; diferença entre resultado de Dilma no Ibope fica nove pontos abaixo da soma dos adversários; favoritismo que existia até a morte de Eduardo Campos vai sendo retomado; desempenho em São Paulo pode ser decisivo; ganhar na primeira volta é mesmo uma missão impossível? <br clear="all"> :

247 – Os números da economia estão se somando à recuperação da presidente Dilma Rousseff nas pesquisas eleitorais. Ao mesmo tempo, a principal adversária dela, Marina Silva, do PSB, perde pontos nos levantamentos de opinião na mesma velocidade com que os ganhou após a morte do ex-governador Eduardo Campos. No campo tucano, o senador Aécio Neves aparece estacionado no patamar de 15%.

A conjunção desses e outros fatores está levando a cúpula do PT a uma euforia contida e controlada, mas que parece mesmo ter base real: vencer em primeiro turno a eleição presidencial não se parece mais com uma missão impossível. Ao contrário, a vinte e dois dias do 5 de outubro, está mais perto do que parecia.

Nos números quente da pesquisa Ibope divulgada nesta sexta-feira 12, Dilma marcou 39% contra 48% da soma de seus adversários – Marina, com 31%, Aécio, com 15% e os demais com o total de 2%. Significa, na matemática da eleição, que a presidente está a nove pontos percentuais mais um voto de ganhar a disputa já na primeira volta.

Essa possibilidade era presente até a morte do ex-governador Eduardo Campos, quando Dilma aparecia, em todos os levantamento, ao menos em situação de empate técnico com sua primeira vitória em primeiro turno. Agora, a distância ainda é grande, mas as condições para a escalada são diferentes – para melhor.

A comoção pela morte de Campos já foi assimilada em benefício de Marina Silva e não prejudicou o desempenho de Dilma, que manteve-se, a toda prova, folgadamente acima dos 30% de intenções em quaisquer pesquisas.

O que se tem agora é que, por erros e contradições de sua campanha, os novos levantamentos mostrados esta semana apontaram para uma queda rápida de Marina, quase na mesma velocidade e disseminação com a qual ela cresceu ao substituir o candidato falecido.

Dilma demonstrou reflexo apurado e faturar, de imediato, dois escorregões da ex-ministra, nas questões de falta de prioridade de Marina ao pré-sal e na proposta reafirmada de autonomia do Banco Central. A presidente tomou, ainda, a decisão corajosa de liberar o marqueteiro João Santana para uma desconstrução pesada de Marina no horário eleitoral gratuito e nos comercias de 30 segundos aos quais o PT tem direito.

O que se vê é uma inversão da tendência que se apresentava no final do mês passado. Após abrir dez pontos de vantagem num eventual segundo turno, de acordo com o Datafolha da primeira semana de setembro, Marina tem agora, no Ibope da metade da primeira metade do mês, apenas um ponto de frente. Quase igual a zero, uma vez que representa o empate técnico.

A cúpula do PT está concentrada na campanha presidencial, mas não apenas. Com a recuperação de Dilma e a elevação proporcional da avaliação do governo, também a chapa nacional de deputados federais e senadores do partido vai se beneficiando. O partido já projeta, sobre pesquisas internas, a eleição de até 95 parlamentares à Camara Federal de 2015-2018. Dilma, que ajuda a puxar a tropa, só tem a ganhar com o resgate dessa sustentação de base.

Mas não é apenas a política com seus números que estão fazendo os petistas a voltar a sonhar com a chance de liquidar a eleição já em 5 de novembro. É também a economia que os anima.

O IBC-Br, Índice de Atividade Econômica do Banco Central e um dos dados oficiais mais respeitados por analistas, apontou um crescimento de 1,50% no conjunto da economia brasileira em julho sobre julho. Não se um salto dessa dimensão desde junho de 2008. Na outra ponta da balança, o Caged exigiu a criação de 101 mil empregos com carteira assinada em agosto, totalizando 751 mil desde janeiro. Na comparação com períodos anterior, houve sim um declínio na geração de vagas, mas é certo que ela ainda é bastante positiva – e isso é o que conta para efeito de comunicação de massa e sentimento do eleitorado.

Nesse cenário, enquanto Aécio se mostra estacionado e Marina desce,  não apenas para de crescer, Dilma apresenta uma trajetória ascendente em grandes eleitorados, como os do Rio de Grande do Sul e da estratégica região Nordeste. Ela ainda está, segundo as pesquisas, na frente de Aécio em Minas Gerais, parece perto de ampliar sua frente no Rio de Janeiro, em razão da polêmica a seu favor do pré-sal, mas ainda tem em São Paulo seu calcanhar de Aquiles. Se conseguir avançar no maior reduto tucano do País, Dilma pode estar feita presidente reeleita.

Poder Aline Lima Fri, 12 Sep 2014 20:49:35 +0000 http://www.brasil247.com/153288
Temer: se Marina vencer, PMDB será oposição http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/153304 : Vice presidente da República e candidato à reeleição na chapa de Dilma Rousseff, Michel Teme criticou a ideia de governar com as pessoas e não com os partidos, como Marina ressalta, chamou o PMDB de sigla da governabilidade e ainda afirmou que é difícil governar o Brasil sem o apoio da legenda; ao comentar a necessidade de mudanças em um eventual segundo mandato de Dilma, defendeu ainda uma revisão do pacto federativo <br clear="all"> :

SÃO PAULO - O vice presidente da República, Michel Temer, participou da série Entrevistas Estadão e disse que, caso Marina Silva (PSB) ganhe as eleições o seu partido, o PMDB, será oposição "num primeiro momento". Ele é candidato à reeleição como vice na chapa Dilma Rousseff.

Ele criticou a ideia de governar com as pessoas e não com os partidos, como Marina ressalta, chamou o PMDB de partido da governabilidade e ainda afirmou que é difícil governar o Brasil sem o apoio do PMDB.

Questionado sobre o cenário para 2018, com o PMDB indicando o lançamento de uma candidatura própria enquanto o PT cogita a volta de Lula, Temer sinaliza: "Será inevitavelmente em 2018, nós teremos um candidato".

Ao comentar a necessidade de mudanças no governo em um eventual segundo mandato de Dilma, defendeu ainda uma revisão do pacto federativo e disse que a política de desonerações do governo afeta a arrecadação de estados e municipios.

Brasília 247 Roberta Namour Sat, 13 Sep 2014 06:01:37 +0000 http://www.brasil247.com/153304
Aécio também reafirma oposição a governo Marina http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/153305 : Em entrevista à RedeTV! e ao IG, candidato do PSDB, Aécio Neves, reforçou o discurso da presidente Dilma Rousseff contra Marina Silva e disse que a presidenciável do PSB muda de opinião "ao sabor do vento": "Ou ganhamos as eleições e vamos governar o Brasil, e é a alternativa que eu prefiro e vou lutar por ela, ou perdermos as eleições e vamos para a oposição", completou, acrescentando que nem mesmo as semelhanças das propostas econômicas fariam com que ele se inclinasse a apoiar a ex-senadora <br clear="all"> :

SÃO PAULO - Mesmo diante dos rumores de que o PSDB estaria cada vez mais próximo de se aliar ao PSB, o candidato à presidência tucano, Aécio Neves garantiu que se perder a eleição, o seu partido vai compor a oposição no próximo ano.

Em entrevista à RedeTV! e ao IG, Aécio afirmou que não dará apoio ao governo mesmo que Marina Silva, presidenciável do PSB, se consagre nas urnas em outubro.

"Não cogito essa hipótese, porque ganharemos as eleições", enfatizou o peessedebista. "Ou ganhamos as eleições e vamos governar o Brasil, e é a alternativa que eu prefiro e vou lutar por ela, ou perdermos as eleições e vamos para a oposição", completou, acrescentando que nem mesmo as semelhanças das propostas econômicas fariam com que ele se inclinasse a apoiar a ex-senadora.

O tucano explicou que é ele quem tem condições de derrotar Dilma Rousseff, do PT, e explicou que ele representa a mudança do país na direção certa, voltando a afinetar Marina.

Durante a entrevista, o ex-governador de Minas Gerais repetiu as críticas feitas pela presidente à Marina. Dilma participou da sabatina na noite desta quinta-feira. O tucano sinalizou que uma eventual vitória da presidenciável do PSB pode representar uma nova decepção da sociedade brasileira, como, segundo ele, aconteceu com a atual presidente.

"A presidência da República não pode ser instrumento para as pessoas treinarem. A experiência de Dilma custou muito caro ao Brasil", afirmou Aécio, que destacou a inconsistência e a inconstância de Marina. "Marina fala sobre nova política, mas não gosta que se lembrem que ela militou 20 anos no PT e praticava aquilo que chama de velha política", contextualizou o pessedebista.

Em seu discurso agressivo, o candidato do PSDB indagou qual é a verdadeira Marina. "A Marina de hoje é aquela que abre os braços para o agronegócio ou aquela de apresentou projeto em 1999 proibindo os transgênicos? É a Marina que abraça nossa política econômica ou aquela que se posicionou contra o Plano Real e votou contra a Lei de Responsabilidade Fiscal?", questionou.

Minas 247 Roberta Namour Sat, 13 Sep 2014 06:21:03 +0000 http://www.brasil247.com/153305
Alckmin atrai apoio de prefeitos de outras siglas http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/153311 : Com a intenção de garantir vitória já no primeiro turno, governador Geraldo Alckmin (PSDB) buscou apoio em reunião com prefeitos do PP e do PDT, partidos aliados do PMDB, e do PR e do PC do B, siglas que fazem parte da coligação do PT; "O governador é bom para a cidade. Não interessa o partido, interessa quem trabalhou para o município", disse o prefeito de Mendonça, Cyozi Aizawa (PP) <br clear="all"> :

247 – A poucas semanas das eleições, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) deu início a uma ofensiva em São Paulo para conquistar o apoio de prefeitos de partidos rivais. 

A intenção do tucano é garantir vitória já no primeiro turno na disputa com Paulo Skaf (PMDB) e Alexandre Padilha (PT). Nas últimas pesquisas de intenção de voto, o governador ainda aparece como favorito, mas tem visto o peemedebista diminuir a diferença. Segundo o Datafolha, o Alckmin perdeu quatro pontos em relação à semana passada, mas, com 49%, assegura vantagem de 27 pontos sobre Skaf.

O tucano se reuniu com prefeitos do PP e do PDT, partidos aliados do PMDB, e do PR e do PC do B, siglas que fazem parte da coligação do PT.

"O governador é bom para a cidade. Não interessa o partido, interessa quem trabalhou para o município", disse o prefeito de Mendonça, Cyozi Aizawa (PP).

Leia aqui a reportagem de Gustavo Uribe sobre o assunto.

SP 247 Roberta Namour Sat, 13 Sep 2014 07:49:49 +0000 http://www.brasil247.com/153311
Vogue pode ser acionada por expor crianças em poses sensuais http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153310 : No ensaio intitulado “Sombra e Água Fresca”, da “Vogue Kids”, duas meninas aparecem com as pernas abertas, roupas íntimas e blusas levantadas; o Instituto Alana, que atua na defesa dos direitos da criança, já fez uma denúncia formal ao Ministério Público: “É um convite à erotização precoce e ao consumo daquelas roupas. A matéria está vendendo roupa da forma mais apelativa possível”, disse a psicóloga da organização, Laís Fontenelle <br clear="all"> :

247 – A revista “Vogue Kids” pode ser acionada pelo Ministério Público por publicar, na edição de setembro, imagens sensuais de crianças em um ensaio intitulado “Sombra e Água Fresca”.

Nas imagens, duas meninas aparecem com as pernas abertas, roupas íntimas e blusas levantadas.

O Instituto Alana, que atua na defesa dos direitos da criança, já fez uma denúncia formal. A psicóloga da organização, Laís Fontenelle, disse que foi alertada pela repercussão nas redes sociais. “É um convite à erotização precoce e ao consumo daquelas roupas. A matéria está vendendo roupa da forma mais apelativa possível”, diz.

Um post da página Pediatria Integral no Facebook criticando as fotos recebeu mais de 4 mil compartilhamentos.

Mídia Roberta Namour Sat, 13 Sep 2014 07:33:44 +0000 http://www.brasil247.com/153310
Kassab: Senadores não souberam negociar por SP http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/153313 MARCIO FERNANDES: Em terceiro nas pesquisas sobre a disputa ao Senado em São Paulo, o presidente do PSD e ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, critica desempenho dos últimos senadores paulistas e afirma que o Estado precisa de seu perfil articulador no Congresso: “São Paulo perdeu muita força nos últimos 30 anos –perdemos recursos, qualidade de vida, investimentos. Nossos senadores não souberam ou não criaram negociações que pudessem reverter o cenário” <br clear="all"> MARCIO FERNANDES:

247– Em terceiro nas pesquisas sobre a disputa ao Senado em São Paulo, o presidente do PSD e ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, afirma que o Estado precisa de seu perfil articulador no Congresso. De acordo com o Datafolha, José Serra (PSDB) lidera com 34% das intenções de voto, seguido de Eduardo Suplicy (PT) com 31% e de Gilberto Kassab (PSD), com 9%. 

“Então, dar um apoio aqui para receber um apoio lá, dentro da mais absoluta ética e transparência. Evidente que no Senado deve haver compensações entre pares. Nessa questão específica, tenho bom perfil”, afirma.

Em entrevista à Folha de S. Paulo, ele critica o desempenho dos últimos senadores paulistas: “São Paulo perdeu muita força nos últimos 30 anos –perdemos recursos, qualidade de vida, investimentos. Nossos senadores não souberam ou não criaram negociações que pudessem reverter o cenário”. 

Ele se compromete ainda a defender temas como a redução da maioridade penal, ampliação da isenção de Santas Casas e a isonomia salarial entre os sexos (leia mais).

SP 247 Roberta Namour Sat, 13 Sep 2014 08:21:23 +0000 http://www.brasil247.com/153313
Ana Amélia não explica cargo em gabinete do marido http://www.brasil247.com/pt/247/rs247/153312 Pedro Fran�a: Sess�o especial em comemora��o aos 50 anos de cria��o do estado do Acre. 

Em discurso na tribuna do plen�rio do Senado, senadora Ana Am�lia  (PP-RS). Candidata ao governo do Estado pelo PP, Ana Amélia Lemos, ocupou Cargo em Comissão no gabinete do marido, o senador biônico Octávio Cardoso, entre 1986 e 1987, ao mesmo tempo em que dirigia a sucursal do Grupo RBS em Brasília; cargo de CC exige carga de 40 horas semanais de trabalho; em declaração, ela não responde a questões de que modo conciliava os empregos <br clear="all"> Pedro Fran�a: Sess�o especial em comemora��o aos 50 anos de cria��o do estado do Acre. 

Em discurso na tribuna do plen�rio do Senado, senadora Ana Am�lia  (PP-RS).

Ana Ávila
Sul 21 - A candidata ao governo do Estado pelo PP, Ana Amélia Lemos, divulgou nota sobre o período em que ocupou Cargo em Comissão no gabinete do marido, o senador biônico Octávio Cardoso, entre 1986 e 1987, ao mesmo tempo em que dirigia a sucursal do Grupo RBS em Brasília. No entanto, na declaração, a candidata não responde a questões como de que modo conciliava os empregos. Desde a tarde de quinta-feira (11), o Sul21 tenta falar com a progressista, mas conseguiu contato apenas com seus assessores e com o presidente do PP, Celso Bernardi. Ana Amélia concedeu entrevistas a outros veículos na manhã desta sexta (12), mas sua assessoria informou que ela está cumprindo agenda de campanha no interior do Estado, e não pode falar com o Sul21.

Ana Amélia não informou até agora, nem na nota oficial, nem nas declarações à imprensa, como cumpria a carga de 40 horas semanais de trabalho como CC, que deveriam ser atestadas pelo titular do Gabinete, juntamente com a função de diretora da sucursal da empresa de comunicação gaúcha em Brasília.

Questionado sobre o assunto, o presidente o PP, Celso Bernardi, disse que ainda não havia conversado com Ana Amélia, mas falou um pouco sobre o modo como acredita que seja cumprida a carga horária pelos CCs. “Essa exigência de oito horas é meio interessante”, disse Bernardi. “O CC é Cargo em Comissão. Muitas vezes, a pessoa tem escritório fora, trabalha de noite. Por exemplo, o deputado que tem escritório em Porto Alegre, tu achas que oito horas é uma exigência? É muito mais, é a campanha, viajando junto. Eu não sei. Tu estás pegando um ponto que não fazia oito horas. Eu não sei. Na época, quem controlava isso é que tinha que avaliar se a pessoa fazia, ou não fazia”, afirmou o presidente do PP.

Ao ouvir que seria de interesse público saber se o funcionário cumpria as horas pelas quais recebia, Bernardi disse que “desde 1988, foi bem mais assegurado isso aí. Eu não posso avaliar um assunto que aconteceu há 28 anos. Eu não estou em Brasília, eu não estou no Senado”.

Na nota que divulgou nesta sexta (12), Ana Amélia também se refere à Lei do Nepotismo, de 1988, que passou a coibir a prática. “Após a Constituição de 1988 é que foi admitido o impedimento de parentes no setor público! O fato de ter ocupado esse cargo não me proíbe, hoje, de criticar os abusos nessas contratações!”, diz o texto, sem entrar na discussão do aspecto moral.

A candidata afirmou também, em entrevista ao Portal Terra, que não havia incompatibilidade na função que desempenhava: “Fiz uma assessoria com um ‘salariozinho’ para o meu marido. Não havia nenhuma incompatibilidade porque o salário na época era baixo”, disse Ana Amélia. O salário ao qual Ana Amélia se refere era de Cr$ 9 mil, (cerca de R$ 8.115,00 em valores atualizados). A quantia corresponderia hoje a mais de nove salários mínimos regionais.

Segundo Ato da Comissão Diretora do Senado nº12, de 1978, a função de Secretária Parlamentar exercida pela então jornalista tinha como tarefa prestar “apoio administrativo ao titular do Gabinete, preparar e expedir sua correspondência, atender as partes que solicitam audiência, executar trabalhos datilográficos, realizar pesquisas, acompanhar junto às repartições públicas assuntos de interesse do Parlamentar e desempenhar outras atividades peculiares à função”.

Confira a nota na íntegra:

“Na política brasileira, alguns partidos se especializaram em tentar destruir reputações, como ocorreu recentemente com as biografias de dois conhecidos jornalistas. Agora, vasculham minha vida e o que encontram? Trabalho! Um contrato de 1986, no qual prestei por 11 meses assessoria parlamentar no Senado quando era jornalista em Brasília! Naquela época, não havia a tecnologia de hoje e eu fazia pautas e clipagens, que não eram incompatíveis com a minha função na RBS! Após a Constituição de 1988 é que foi admitido o impedimento de parentes no setor público! O fato de ter ocupado esse cargo não me proíbe, hoje, de criticar os abusos nessas contratações! Meu gabinete é a prova que valorizo os CCs porque a maior parte deles está nessa condição! Lembro também que esses cargos não têm direito a FGTS, assistência médica, etc! O que critico é o excesso de CCs no Rio Grande do Sul, pois o atual governo possui 6 mil funções comissionadas!

Com gasto mensal de R$ 10,5 milhões mensais, não incluindo aí todas as despesas desse contingente com diárias, telefone e outros gastos inerentes às funções desempenhadas. Em quatro anos, o atual governo terá gasto mais de meio bilhão de reais somente com CCs! Devo ser avaliada pelo meu mandato no Senado e não por um fato de 30 anos que não possui ilegalidade!”

Senador biônico

Octávio Omar Cardoso, marido de Ana Amélia, morto em 2011, era filiado à Arena, partido que dava apoio aos governos da ditadura. Ele foi vereador entre 1950 e 1954, deputado estadual entre 1962 e 1966 e suplente de Nelson Marchezan na Câmara, em 1974. Durante o regime militar, foi suplente do senador Tarso Dutra, em 1978, também ele senador biônico. Em 1983, quando o partido já se chamava PDS, assumiu definitivamente o cargo de senador, após a morte de Dutra. Cardoso foi secretário de Economia do governador Ildo Meneghetti e ocupou diretorias na Companhia Rio-grandense de Mineração (CRM) e na Caixa Econômica Federal.

A inclusão de um percentual de senadores eleitos indiretamente por colégio eleitoral foi instituída pela chamada Emenda Constitucional n° 8 , de 1977, que também ampliou o mandato presidencial de cinco para seis anos, instituiu governadores e prefeitos biônicos e ampliou o número de deputados federais nos estados menos populosos. O dispositivo garantiu maioria aos militares no Congresso Nacional.

Rio Grande do Sul 247 Roberta Namour Sat, 13 Sep 2014 08:06:08 +0000 http://www.brasil247.com/153312
PML: Quanto mais Marina aparece, mais perde pontos http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153272 : É o que explica a "queda rápida" da candidata do PSB nas pesquisas, avalia o colunista Paulo Moreira Leite, em novo artigo no 247; "Aprovada com louvor no teste de imagem pessoal, não conseguiu demonstrar consistência na discussão de ideias ou propostas", afirma o jornalista; segundo ele, a presidenciável "tornou-se irreconhecível para seus antigos eleitores"; enquanto isso, a "arrancada" da presidente Dilma no Ibope, divulgado hoje, confirma aquilo que era fácil de imaginar: "a campanha presidencial retorna ao ponto de partida e Dilma se aproxima da posição original de favorita"; leia a íntegra <br clear="all"> :

247 – "O bom candidato é aquele que cresce toda vez que abre a boca", escreve Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, em novo artigo em seu blog. É assim que ele avalia a "queda rápida" da candidata do PSB à Presidência nas pesquisas eleitorais. No Ibope divulgado nesta sexta-feira 12, por exemplo, a presidente Dilma Rousseff lidera o primeiro turno com 39% das intenções de voto, contra 31% de Marina. As duas empatam no segundo.

"Capaz de navegar na onda emocional, que deixou o país em estado de choque, chegou o momento de demonstrar que é uma candidata competitiva. Seu desempenho, até aqui, tem sido desastroso", observa PML. O jornalista diz ainda que, "em função de posições políticas abertamente conservadoras, Marina tornou-se irreconhecível para seus antigos eleitores".

"Quanto mais aparece como candidata, o que implica em comprar o debate a partir de uma perspectiva política, perde pontos e credibilidade", afirma Paulo Moreira Leite, ainda sobre Marina Silva. Enquanto isso, "a arrancada de Dilma no Ibope confirma aquilo que era fácil de imaginar. Após o imenso impacto da tragédia que matou Eduardo Campos, a campanha presidencial retorna ao ponto de partida e Dilma se aproxima da posição original de favorita".

Leia a íntegra em Subida de Dilma coloca Marina contra a parede

Poder Gisele Federicce Fri, 12 Sep 2014 16:43:34 +0000 http://www.brasil247.com/153272
Candidata ao governo do RS é acusada de nepotismo http://www.brasil247.com/pt/247/rs247/153269 : Senadora Ana Amélia Lemos (PP) trabalhou como assessora no gabinete do marido, o senador Octávio Omar Cardoso enquanto exercia cargo de chefia no grupo de comunicação RBS; o Cargo em Comissão, conhecido como CC, foi assumido no Congresso em 1986, enquanto ela era diretora da sucursal de Brasília da empresa; denúncia é do portal Sul 21 <br clear="all"> :

Sul 21 - A senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS) foi Cargo em Comissão (CC) do próprio marido, já falecido, o senador biônico Octávio Omar Cardoso, em 1986, acumulando essa função com o cargo de diretora da Sucursal do Grupo RBS, em Brasília. A portaria nº 256, de 9 de junho de 1986, assinada pelo então Primeiro-Secretário do Senado, senador Enéas Faria, designou Ana Amélia de Lemos "para exercer a função de Secretária Parlamentar, do gabinete do vice-líder do Partido Democrático Social, Senador Octávio Cardoso, a partir de 1º de abril do corrente ano".

 

Segundo Ato da Comissão Diretora do Senado nº12, de 1978, a função de Secretária Parlamentar exercida pela então jornalista tinha como tarefa prestar "apoio administrativo ao titular do Gabinete, preparar e expedir sua correspondência, atender as partes que solicitam audiência, executar trabalhos datilográficos, realizar pesquisas, acompanhar junto às repartições públicas assuntos de interesse do Parlamentar e desempenhar outras atividades peculiares à função".

Pelo exercício dessas funções, o ato em questão definia o salário mensal de Cr$ 9 mil, (cerca de R$ 8.115,00 em valores atualizados), sujeito o contratado ao regime de 40 horas semanais de trabalho, sendo de 8 horas a jornada diária, devendo a frequência ser atestada, quinzenalmente, pelo titular do Gabinete.

 

Na época, Ana Amélia era diretora da sucursal da RBS, em Brasília, assinando uma coluna no jornal Zero Hora. A jornalista mudou-se para Brasília em 1979, acompanhando seu então marido Octávio Omar Cardoso, suplente do senador biônico Tarso Dutra (falecido em 1983), e efetivado no cargo em 1983, exercendo-o até 1987. Na capital federal atuou como repórter e colunista do jornal Zero Hora, da RBS TV, do Canal Rural e da rádio Gaúcha. Em 1982, foi promovida à diretora da Sucursal em Brasília.

No dia em que a portaria de nomeação era publicada (09/06/1986), Ana Amélia Lemos assinava sua coluna no jornal Zero Hora, com o título principal: "As preocupações com a informática".

Neste mesmo dia, um editorial de ZH defendia a moralidade nas nomeações de cargos públicos.

"A obrigatoriedade do concurso para provimento efetivo de cargos públicos é constantemente ignorada pela política do nepotismo, do apadrinhamento e do favorecimento", afirmava então o editorial do jornal.

Em outra coluna, de 11 de abril de 1986, a jornalista comentou "a repercussão crítica feita pelo senador Octávio Cardoso ao presidente do Senado, José Fragelli, que desrespeitando acordo de lideranças sobre encerramento de atividades do Senado no dia do jogo Brasil-Argélia apareceu na TV como se fosse o único senador presente naquele dia em Brasília".

Quase um ano depois da nomeação, em 17 de março de 1987, a Diretoria da Subsecretaria de Administração de Pessoal do Senado convocou Ana Amélia e um grupo de servidores que exerciam a função de Secretário Parlamentar "a fim de formalizarem a rescisão contratual". Três dias depois, em 20 de março de 1987, os servidores em questão foram novamente convocados, por edital, publicado no Diário do Congresso Nacional,do dia 17 de Março de 1987, para, num prazo de três dias úteis, formalizarem a rescisão.

 

A reportagem do Sul21 procurou contato com a senadora Ana Amélia Lemos, por intermédio de sua assessoria de imprensa, na tarde desta quinta-feira (11), em várias oportunidades, para que ela confirmasse os dados apurados. No início da noite, a assessoria informou que ela estivera em atividades de campanha e não teria tido intervalo em sua agenda para tratar do tema.

Rio Grande do Sul 247 Gisele Federicce Fri, 12 Sep 2014 16:10:15 +0000 http://www.brasil247.com/153269
Aécio promete implantar Detecta em todo o País http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/153277 Orlando Brito: "Estamos incluindo a experiência do governo de São Paulo com o Detecta pelos resultados positivos que vem trazendo. Queremos levar esse sistema às médias e grandes cidades brasileiras", disse o presidenciável, ao visitar o prédio onde funciona o Programa Detecta da Polícia Militar de São Paulo; o Detecta é um sistema inteligente de monitoramento criminal para aprimorar o trabalho policial <br clear="all"> Orlando Brito:

Flávia Albuquerque – Repórter da Agência Brasil

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, afirmou hoje (12), durante visita ao prédio onde funciona o Programa Detecta da Polícia Militar de São Paulo, que já apresentou em seu programa de governo as principais medidas para a área de segurança pública desde a garantia da execução do Orçamento até a colocação de mais policiais nas ruas e o controle mais efetivo das fronteiras.

"Estamos incluindo a experiência do governo de São Paulo com o Detecta pelos resultados positivos que vem trazendo. Queremos levar esse sistema às médias e grandes cidades brasileiras. É a tecnologia e a inteligência a serviço da segurança pública, que, para nós, é uma questão central", destacou o candidato.

O senador mineiro disse ainda que tem compromisso com a reforma do Código Penal, com a descentralização das ações e parcerias efetivas com os estados. "É sempre importante lembrar que 13% dos investimentos em segurança pública vêm da União, e queremos aumentar essa participação. E o Detecta tem um ótimo custo benefício."

O Detecta é um sistema inteligente de monitoramento criminal para aprimorar o trabalho policial. O programa, desenvolvido pela Microsoft em parceria com a prefeitura de Nova York, funciona como os buscadores de sites na internet, indexando grande volume de informações policiais e associando tais dados automaticamente.

SP 247 Gisele Federicce Fri, 12 Sep 2014 17:12:28 +0000 http://www.brasil247.com/153277
Janot é contra depoimento de Costa à CPMI da Petrobras http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153263 : Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve solicitar ao ministro do STF Teori Zavascki que não libere o ex-diretor Paulo Roberto Costa para depor à CPI Mista da Petrobras; Costa está em meio a um acordo de delação premiada, sob segredo de Justiça <br clear="all"> :

247, com Agência Senado - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve solicitar ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki que não libere o ex-diretor Paulo Roberto Costa para depor à CPI Mista da Petrobras.

A solicitação para a oitiva de Costa no Senado, na próxima quarta-feira (17), foi feita a Zavascki pelo presidente da CPI, Vital do Rêgo. Os parlamentares esperam que Costa esclareça e reafirme as denúncias que fez em delação premiada sobre esquema de corrupção na estatal.

O senador Agripino Maia, líder do DEM, afirmou que a data do depoimento, porém, pode ser adiada, uma vez que a delação premiada do ex-diretor da Petrobras ainda não foi concluída e a oitiva com sua participação poderia invalidar todo o processo, que corre sob sigilo.

 

Brasil Gisele Federicce Fri, 12 Sep 2014 15:47:25 +0000 http://www.brasil247.com/153263
Corinthians divulga manifesto contra a homofobia http://www.brasil247.com/pt/247/esporte/153274 : Clube pede que torcedores não gritem mais "bicha" na cobrança de tiro de meta; grito foi criado para provocar o goleiro do São Paulo Rogério Ceni, mas virou quase uma tradição; texto diz que "a homofobia, além de ir contra o princípio de igualdade que está no DNA corinthiano, ainda pode prejudicar o Timão" <br clear="all"> :

247 – O Corinthians divulgou nesta sexta-feira 12 um manifesto contra a homofobia e pelo fim do grito de "bicha" que antecede a cobrança de tiro de meta do adversário.

O grito foi criado para provocar o goleiro do São Paulo Rogério Ceni, mas acabou virando quase uma tradição entre os corinthianos.

"Pelo fim do grito de 'bicha' no tiro de meta do goleiro adversário. Porque a homofobia, além de ir contra o princípio de igualdade que está no DNA corinthiano, ainda pode prejudicar o Timão", diz um trecho do manifesto.

Leia aqui.

Esporte Gisele Federicce Fri, 12 Sep 2014 17:05:59 +0000 http://www.brasil247.com/153274
Ibope: Dilma abre 8 pontos no 1º turno e empata no 2º http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153224 : Pesquisa divulgada nesta manhã aponta a presidente Dilma Rousseff na liderança, com 39% das intenções de voto, contra 31% da adversária do PSB, Marina Silva; Aécio Neves se mantém isolado na terceira posição, com 15%; em comparação com a última pesquisa, divulgada no dia 3, Dilma cresceu dois pontos, Marina caiu dois e Aécio estagnou; em um eventual segundo turno, as candidatas do PT e PSB empatam tecnicamente; Marina teria 43%, contra 42% de Dilma; levantamento foi encomendado pela CNI <br clear="all"> :

247 – Pesquisa CNI/Ibope divulgada na manhã desta sexta-feira 12 mostra a presidente Dilma Rousseff oito pontos de vantagem sobre a segunda colocada, Marina Silva. A petista registrou 39% das intenções de voto, contra 31% da adversária do PSB. Aécio Neves, do PSDB, se manteve isolado na terceira posição, com 15%.

A pesquisa foi encomendada pela Confederação Nacional da Indústria. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O grau de confiança estimado é de 95%.

Os demais candidatos à Presidência somados acumulam 2% dos votos. Brancos e nulos somam 8% e indecisos, 5%. A pesquisa foi realizada entre os dias 5 e 8 de setembro. Levantamento do instituto Datafolha divulgado na última quarta-feira 10 foi realizado entre os dias 8 e 9. Nele, a presidente Dilma registrou 36%, contra 33% de Marina.

O levantamento do Ibope, encomendado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), revela ainda que as duas primeiras colocadas empatam tecnicamente em simulação de segundo turno. Marina Silva teria 43% das intenções de voto e Dilma Rousseff, 42%. No segundo turno, brancos e nulos são 10% e indecisos, 5%.

Na pesquisa anterior do instituto, divulgada no dia 3, Dilma tinha 37%, Marina, 33%, e Aécio, 15%. Na comparação, portanto, Dilma cresceu dois pontos, Marina caiu dois e Aécio se manteve com 15%. No último levantamento, o percentual de indecisos era de 5% e o dos que disseram que votarão nulo ou em branco era de 7%.

A aprovação do governo Dilma - entrevistados que consideram o governo "ótimo" ou "bom" - cresceu de 31% para 38%. Já a desaprovação - ou seja, aqueles que consideram o governo "ruim" ou "péssimo" - caiu de 33% para 28%.

Dilma lidera as intenções de voto no primeiro turno nas regiões Norte, Centro-Oeste e Nordeste e nos municípios com até 100 mil habitantes. Marina Silva é favorita entre eleitores com educação superior, residentes na região Sudeste e nos municípios com mais de 100 mil habitantes.

De acordo com a pesquisa, a candidata com o menor grau de rejeição é Marina Silva. Entre os entrevistados 26% disseram que não votariam nela de jeito nenhum. A rejeição a Dilma Rousseff é de 42% e de Aécio Neves, 35%.

Confira os outros cenários de segundo turno considerados pelo Ibope:

Segundo turno

- Marina Silva: 43%
- Dilma Rousseff: 42%
- Branco/nulo: 10%
- Não sabe/não respondeu: 5%

- Dilma Rousseff: 48%
- Aécio Neves: 33%
- Branco/nulo: 13%
- Não sabe/não respondeu: 6%

- Marina Silva: 51%
- Aécio Neves: 27%
- Brancos e nulos: 14%
- Não sabe/não respondeu: 8%

Poder Gisele Federicce Fri, 12 Sep 2014 10:40:12 +0000 http://www.brasil247.com/153224
PIB se recupera com força e antecipa trimestre positivo http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153213 : Economia brasileira cresceu 1,50% em julho sobre o mês anterior, melhor resultado em seis anos, desde junho de 2008, e acima do esperado, segundo dados do Banco Central divulgados nesta sexta-feira 12; Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado uma prévia do PIB, mostrou que a atividade voltou a crescer após duas quedas mensais seguidas é dá sinal de recuperação no início do terceiro trimestre <br clear="all"> :

SÃO PAULO (Reuters) - A economia brasileira cresceu 1,50 por cento em julho sobre o mês anterior, indicou o Banco Central nesta sexta-feira, melhor resultado em seis anos e acima do esperado, um sinal de que a atividade pode ter começado o terceiro trimestre em recuperação.

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado espécie de sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), mostrou que a atividade voltou a crescer após duas quedas mensais seguidas. O resultado de julho passado foi o melhor desde junho de 2008, quando a expansão foi de 3,32 por cento, antes do auge da crise internacional.

Em junho, o indicador havia mostrado contração de 1,51 por cento sobre maio em dados dessazonalizados revisados pelo BC. Anteriormente, havia sido divulgado queda de 1,48 por cento em junho.

O resultado de agora foi também bem melhor que o esperado em pesquisa da Reuters, cuja mediana de 21 projeções apontava alta de 0,80 por cento em julho.

Na comparação com julho de 2013, o IBC-Br recuou 0,31 por cento e acumula alta de 1,14 por cento em 12 meses, ainda segundo dados dessazonalizados.

A economia brasileira entrou em recessão no primeiro semestre, afetada sobretudo pela indústria e pelos investimentos em queda. O cenário de atividade fraca vem junto com o de inflação ainda elevada, num momento em que a presidente Dilma Rousseff (PT) tenta a reeleição.

Em julho, a produção industrial havia avançado 0,7 por cento frente a junho após cinco meses de queda, ainda que os dados tenham sido encarados com cautela por agentes econômicos, que ainda não estavam convencidos na tendência de recuperação.

No mesmo período, no entanto, as vendas no varejo recuaram 1,1 por cento, muito pior do que o esperado, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O IBC-Br incorpora estimativas para a produção nos três setores básicos da economia: serviços, indústria e agropecuária, assim como os impostos sobre os produtos.

(Por Camila Moreira)

Economia Gisele Federicce Fri, 12 Sep 2014 09:38:00 +0000 http://www.brasil247.com/153213
Após pesquisa, Marina diz que não mudará estratégia http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153254 : Candidata do PSB disse também que manterá tranquilidade em sua campanha ao comentar pesquisa CNI/Ibope, na qual aparece com 31%, contra 39% da presidente Dilma; ela cobrou que sejam divulgados os programas de governo de seus adversários na eleição; em entrevista após evento na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Marina reafirmou que a proposta de governar com os melhores, independente do partido, é sustentável <br clear="all"> :

Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil

A candidata à Presidência da República pelo PSB, Marina Silva, disse que não vai mudar a estratégia política e manterá tranquilidade em sua campanha, ao comentar o resultado pesquisa de intenção de voto divulgada hoje (12) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), na qual aparece em segundo lugar. Ela cobrou a divulgação dos programas de governo dos adversários para que a população discuta as propostas.

A primeira pesquisa CNI-Ibope incluindo Marina (a pesquisa anterior, de junho, ainda tinha como candidato Eduardo Campos) apresenta a candidata com 31% dos votos no primeiro turno, ante 39% de Dilma Rousseff (PT) e 15% de Aécio Neves (PSDB). Marina disse que continuará "buscando o debate e não o embate" com seus adversários.

"A sociedade brasileira tem maturidade e no decorrer do processo haverá de firmar seu posicionamento com base nas ideias que estamos apresentando. Nós apresentamos propostas através de um programa. Nossos adversários ainda não apresentaram seus programas. Não vale tudo para ganhar uma eleição", disse, em entrevista, depois de evento na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan).

A candidata do PSB também disse que sua proposta de convidar os melhores nomes de cada partido político para compor seu governo é sustentável. "Insustentável é defender que se governe com os piores. Estou dizendo que quero governar com os melhores. E eu acredito que existem pessoas boas em todos os lugares, dentro dos partidos, dentro do Congresso, dentro da gestão pública. Os partidos têm pessoas boas com quem a gente pode dialogar", disse.

Durante o evento na Firjan, Marina compromteu-se a destinar 10% do Produto Interno Bruto (PIB) à educação, de fomentar escolas de tempo integral, o passe livre para estudantes da rede pública, gastar 10% da arrecadação bruta com a saúde, controlar a inflação e dar autonomia ao Banco Central.

Marina também disse que continuará com investimentos para exploração e produção de petróleo da camada pré-sal, ao mesmo tempo em que investirá em energias alternativas, como a solar, a eólica e a gerada por biomassa. A candidata do PSB chamou o pré-sal de "safra que dá só uma vez" e que, por isso, precisa ser muito bem aproveitada.

Em relação à inovação tecnológica, a candidata defendeu investimentos maiores em centros de pesquisas e acordos de cooperação científica com países como Estados Unidos e China. Questionada sobre projetos para segurança pública, ela disse que suas propostas são reconhecer que a violência é um problema federal e não apenas dos estados, adotar o programa Pacto pela Vida (iniciativa do governo pernambucano de redução da violência), ampliar recursos destinados ao Fundo Nacional de Segurança Pública e combater os tráficos de drogas e de armas.

Poder Gisele Federicce Fri, 12 Sep 2014 14:23:46 +0000 http://www.brasil247.com/153254
Sindicância conclui que não houve fraude da CPI http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153255 : Comissão de sindicância instalada no Senado para apurar manipulação de depoimentos prestados à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, conforme afirmou a revista Veja, concluiu que "não houve qualquer indício de vazamento de informações privilegiadas, de documentos internos" e decidiu arquivar o processo <br clear="all"> :

Karine Melo - Repórter da Agência Brasil

A comissão de sindicância instalada no Senado para apurar denúncia publicada pela revista Veja de manipulação dos depoimentos prestados à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras concluiu que "não houve qualquer indício de vazamento de informações privilegiadas, de documentos internos" e decidiu arquivar o processo.

Segundo a revista, a presidenta da estatal, Graça Foster; o ex-presidente José Sergio Gabrielli e o ex-diretor da Área Internacional Nestor Cerveró "tiveram acesso antecipado" e foram treinados para responder perguntas dos senadores que investigam a existência de irregularidades na Petrobras.

A nota da Assessoria de Imprensa da Casa informa ainda que a comissão de sindicância funcionou por 37 dias, tomou 14 depoimentos, investigou as caixas-postais de correio eletrônico dos envolvidos, verificou o controle de acesso aos arquivos eletrônicos confidenciais, examinou os documentos consultados nas reuniões da CPI e analisou os vídeos dos depoimentos, por diferentes câmeras, bem como o vídeo que originalmente fundamentou a denúncia.

Entre as pessoas ouvidas pela sindicância está Paulo Argenta, assessor especial do ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, além de três funcionários da Petrobras: o chefe do escritório em Brasília, José Eduardo Barrocas; o advogado Bruno Ferreira e o chefe do Departamento Jurídico do escritório em Brasília, Leonan Calderaro Filho. Eles aparecem em um vídeo, mostrado por Veja, conversando sobre as perguntas que seriam formuladas.

A solicitação de abertura de sindicância foi feita pelo presidente da CPI da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). À época – no ofício encaminhado ao presidente da Casa, senador Renan Calheiros, e o ao diretor-geral, Luiz Fernando Bandeira de Mello –, ele pediu a "instauração de sindicância com a finalidade de apurar a ocorrência de irregularidade administrativa".

O senador também pediu investigação pela Polícia Federal. Três servidores de carreira do Senado foram designados, pela Diretoria-Geral da Casa, para fazer parte da comissão de sindicância: o consultor legislativo especialista em direito penal Tiago Ivo Odon, o analista da Secretaria-Geral da Mesa e especialista em direito eleitoral Marcelo Inácio de Aranha Menezes e o analista da primeira-secretaria, especialista em direito legislativo e processual, José Mendonça de Araújo Filho.

Brasil Gisele Federicce Fri, 12 Sep 2014 14:27:31 +0000 http://www.brasil247.com/153255
Em 2009, Giannetti defendia Bush e a guerra do Iraque http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153235 : Guru econômico da candidata Marina Silva, Eduardo Giannetti declarou em uma entrevista à revista Época, em fevereiro de 2009, que "motivação" da guerra do Iraque era de "segurança interna e de ordem internacional" e que entendia o "argumento moral" de quem defendia o conflito; "Os americanos se sentem realmente vulneráveis e ameaçados", disse ele; guerra deixou dezenas de milhares de iraquianos mortos, inclusive crianças, sob o argumento do então presidente dos EUA, George W. Bush, de que o país tinha armas químicas e nucleares, o que provou-se ser mentiroso posteriormente <br clear="all"> :

247 – Em uma entrevista resgatada de fevereiro de 2009 concedida à revista Época (leia aqui), o economista Eduardo Giannetti, hoje coordenador econômico da campanha da candidata do PSB, Marina Silva, defendia a guerra do Iraque e os argumentos do então presidente George W. Bush. Ele disse que a "motivação" da guerra era de "segurança interna e de ordem internacional" e que entendia o "argumento moral" de quem defendia o conflito.

Questionado se era uma guerra por petróleo, Giannetti respondeu ao jornalista Marcelo Aguiar: "Não. Eu consigo entender o argumento moral de quem defende a guerra. A motivação é de segurança interna e de ordem internacional. Essa posição não é só do governo americano, mas da sociedade. A guerra não teria acontecido não fosse o 11 de setembro. Não teria legitimidade interna, nem a pouca que tem externa. Os ataques mudaram muito a psicologia americana e sua percepção do mundo. Os americanos se sentem realmente vulneráveis e ameaçados".

O economista afirmou ainda que tratava-se de uma "questão geopolítica" e que os americanos haviam cometido "um erro muito sério de política externa quando não terminaram a primeira guerra do Iraque", quando deixaram "de pé um ditador claramente hostil", em referência a Saddam Hussein. Ele definiu Hussein como "um risco para a humanidade". Giannetti complementou ainda que a guerra não era "uma iniciativa isolada de um presidente americano despreparado". "É uma coisa mais séria", declarou.

Embora quase todos os números do conflito sejam questionados, principalmente em relação aos iraquianos, pela falta de estatísticas oficiais, estima-se que ocorreram entre 97.461 e 106.348 mortes entre os iraquianos até julho de 2010. Os Estados Unidos perderam 3.492 soldados em campo e a Grã-Bretanha, 179. O motivo usado por Bush para a ocupação militar, o de que o Iraque estava desenvolvendo armas de destruição em massa, provou-se mentiroso posteriormente.

Brasil Gisele Federicce Fri, 12 Sep 2014 12:05:06 +0000 http://www.brasil247.com/153235
Stiglitz, prêmio Nobel: BC independente enfraquece países http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153160 : Ganhador do prêmio Nobel de Economia, americano Joseph Stiglitz atribuiu bom desempenho do Brasil frente a crise financeira global ao Banco Central ligado ao governo; "Países com bancos centrais menos independentes, como Brasil, China e Índia se saíram muito, mas muito melhor do que países com BCs mais independentes, como na Europa e nos Estados Unidos", disse ele, em palestra na sede da autoridade monetária da Índia; "Um BC independente é desnecessário e impossível", prosseguiu; raciocínio está em linha com posição da presidente Dilma Rousseff e bate de frente com defesa de BC independente feita por Marina Silva e herdeira do banco Itaú, Neca Setúbal; debate do momento <br clear="all"> :

247 – O debate econômico do momento nas eleições presidenciais brasileiras ganhou nesta quinta-feira 11 uma opinião de peso. Em palestra na sede do Banco Central da Índia, o economista americano Joseph Stiglitz – agraciado com Prêmio Nobel de Economia, em 2001, e economista-chefe do Banco Mundial, entre 1997 e 2000,  afirmou que a discussão sobre a autonomia dos bancos centrais é superestimada:

- A crise mostrou que um dos princípios centrais defendidos pelos banqueiros do Centro-Oeste (Europa e Estados Unidos) é o desejo de independência do banco central, disse ele, para em seguida se opor à iniciativa:

- Mas na melhor das hipóteses, essa posição é questionável. Na crise, os países com bancos centrais menos independentes como China, Índia e Brasil fizeram muito, mas muito melhor mesmo do que os países com bancos centrais mais independentes, caso da Europa e dos Estados Unidos, completou ele.

No Brasil, a candidata Marina Silva, do PSB, tem defendido com ênfase a necessidade de dar autonomia ao Banco Central. Essa posição também está sendo vocalizada pela coordenadora de seu programa de governo, Neca Setubal, herdeira do banco Itaú, a maior instituição privada do País.

A presidente Dilma Rousseff fez da promessa de Marina um cavalo de batalha. Na propaganda eleitoral na televisão, o PT de Dilma comparou o BC independente à entrega de um poder semelhante ao de presidente do Congresso a alguém sem mandato e com grande risco de ligação com os interesses do mercado financeiro.

Podendo decidir sobre as taxas de juros e câmbio, estabelecer e executar metas de inflação e baixar a mais variada legislação de regulação de mercado, um presidente de BC autônomo em relação ao Poder Executivo pode operar a macroeconomia na direção que julgar mais conveniente.

Stiglitz manifestou uma opinião em linha com a de Dilma.

- As instituições públicas são responsáveis, este não é o problema. A questão é quem vai estar lá e qual política ele vai praticar, frisou Stiglitz.

Modelo de BC independente, o Federal Reserv dos Estados Unidos foi criticado por Stiglitz, que se ateve ao papel desempenhado, antes da eclosão da crise financeira, pelo presidente do Fed de Nova York, William Dudley.

- Dudley executou um modelo de má governança em razão de seu conflito de interesses: ele salvou os mesmos bancos que ele deveria regular - os mesmos bancos que lhe permitiram ganhar a sua posição de mando, sentenciou.

Ao seu feito sem meias palavras e polêmico, o prêmio Nobel passou a mensaquis dizer que um presidente de BC escolhido pelo mercado, como anunciam Marina e Neca, tende a atender os interesses desse mesmo mercado, ainda que estes sejam contrários ao do grande público.

Economia Aline Lima Fri, 12 Sep 2014 11:18:03 +0000 http://www.brasil247.com/153160
Militantes do Taliban que atacaram Malala são presos http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/153220 CARLO ALLEGRI: Ativista paquistanesa Malala Yousafzai posa para foto no prédio da ONU em Nova York. 18/08/2014  REUTERS/Carlo Allegri O Exército do Paquistão afirmou nesta sexta-feira que as autoridades prenderam militantes do Taliban responsáveis ​​por atirar em Malala Yousafzai, a ativista adolescente que foi baleada por causa de sua campanha contra os esforços do Taliban para negar educação às meninas <br clear="all"> CARLO ALLEGRI: Ativista paquistanesa Malala Yousafzai posa para foto no prédio da ONU em Nova York. 18/08/2014  REUTERS/Carlo Allegri

ISLAMABAD (Reuters) - O Exército do Paquistão afirmou nesta sexta-feira que as autoridades prenderam militantes do Taliban responsáveis ​​por atirar em Malala Yousafzai, a ativista adolescente que foi baleada por causa de sua campanha contra os esforços do Taliban para negar educação às meninas.

Militantes do Taliban paquistanês assumiram a responsabilidade pelo ataque a Malala em 2012 por sua defesa apaixonada do direito das mulheres à educação, mas até agora ninguém havia sido preso. Duas outras estudantes foram feridas no ataque.

O chefe de imprensa do Exército, Asim Bajwa, disse a jornalistas que as autoridades identificaram e prenderam 10 envolvidos no ataque.

Malala sobreviveu e foi levada de avião à Grã-Bretanha para o tratamento, e desde então se tornou um símbolo da luta contra os militantes que operam em áreas tribais no noroeste do Paquistão.

Malala ganhou um prêmio de direitos humanos da União Europeia e foi indicada para o Prêmio Nobel da Paz no ano passado.

Agora, morando na Grã-Bretanha, ela não pode retornar à sua terra natal por causa das ameaças do Taliban de matá-la e a seus familiares.

(Reportagem de Syed Hassan Raza)

Mundo Gisele Federicce Fri, 12 Sep 2014 10:17:57 +0000 http://www.brasil247.com/153220
Dilma atribui a Marina atrasos em hidrelétricas http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153191 : Em entrevista ao portal "IG" e à "Rede TV", presidente Dilma Rousseff disse que os atrasos nas obras de construção das usinas hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio foram causados pela demora na concessão de licenças ambientais, na época em que Marina Silva comandava a pasta do Meio Ambiente na gestão do Lula; Dilma também admitiu "divergências" com ela quando era ministra da Casa Civil e ironizou a presidenciável do PSB por ter “uma posição de manhã e outra à tarde” <br clear="all"> :

247 – A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, voltou a enfrentar a presidenciável do PSB, Marina Silva, e atribuiu à sua gestão como ministra do Meio Ambiente os atrasos nas obras de construção das usinas hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio. 

Em entrevista ao portal "IG" e à "Rede TV", ela disse que os problemas foram causados pela demora na concessão de licenças ambientais. A presidente admitiu "divergências" com Marina quando era ministra da Casa Civil de Lula, por tentar assegurar a execução dos projetos estratégicos do governo.

"Nunca houve embate assim, muito ácido. Mas houve divergências sim. A candidata tinha uma reação muito acentuada. Houve muitas demoras, sempre por responsabilidade dela. Todo mundo tem que ter prazo. Ninguém no governo está acima de cumprir prazos", afirmou Dilma.

Questionada sobre as propostas da candidata, Dilma ironizou as constantes mudanças de posição de Marina: "Não sou responsável por ela ter uma posição de manhã e outra a tarde. [] Na democracia, todo mundo tem o direito e o dever de discutir posicionamento e concepções. Enquanto estivermos fazendo isso, está dentro correto", disse.

Poder Roberta Namour Fri, 12 Sep 2014 06:03:38 +0000 http://www.brasil247.com/153191
Neca dá mais R$ 2 milhões a aliados de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153197 Leo Cabral/ MSILVA Online: Marina Silva visita a Bienal do Livro de São Paulo. Acionista do banco Itaú, fada-madrinha de Marina Silva é a 3ª maior doadora entre pessoas físicas das eleições de 2014; coordenadora do programa de governo da ex-senadora, Neca Setubal bancou parte da campanha da presidenciável, de concorrentes do PSB e de candidatos de outros três partidos vinculados à Rede, o PV, PDT e PPS; no ano passado, ele doou R$ 1 milhão a Marina, bancando 83% dos gastos do seu instituto <br clear="all"> Leo Cabral/ MSILVA Online: Marina Silva visita a Bienal do Livro de São Paulo.

247 – A “educadora” Neca Setubal, como gosta de ser chamada, se tornou a terceira maior doadora individual das eleições de 2014. Coordenar do programa de governo de Marina Silva (PSB), a acionista do banco Itaú, havia dado, até o início de setembro, R$ 2 milhões a candidatos do PSB e de outros três partidos vinculados à Rede: PV, PDT e PPS.

As maiores doações, de R$ 200 mil cada, foram destinadas a Marina e aos candidatos a deputado federal em São Paulo, José Gustavo Fávaro, e Tocantins, Rafael Boff, e o candidato a governador do PSB no Amazonas, Marcelo Ramos Rodrigues.

Outros maiores beneficiados foram Eliana Calmon (PSB-BA) e Reguffe (PDT-DF), com depósitos de R$ 130 mil.

No ano passado, a herdeira do Itaú doou R$ 1 milhão a Marina, bancando 83% dos gastos do seu instituto.

Ontem, a presidente Dilma Rousseff rebateu a operação midiática que Neca tem feito para desvincular seu trabalho na campanha de Marina do apoio da família de banqueiros.

"Neca educadora é a Neca educadora. Agora, na medida que eu sou herdeira do Banco Itaú e defendo uma política que beneficia claramente os bancos, que é a política de independência do Banco Central, de redução do papel dos bancos públicos, eu estou fazendo papel de banqueira e eu não estou falando sobre educação, sobre criança ou sobre creche", afirmou a presidente. "O que estou dizendo é que o que mudou é a atitude e a postura da pessoa (Neca). Nada mais mudou. Cada um de nós é o que é", afirmou.

Leia aqui reportagem do Estado de S. Paulo sobre o assunto.

Poder Roberta Namour Fri, 12 Sep 2014 06:31:41 +0000 http://www.brasil247.com/153197
Aécio em MG: não me deixem passar por mentiroso http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/153192 : Isolado em terceiro lugar nas pesquisas, presidenciável Aécio Neves fez um apelo aos mineiros para evitar derrota em seu reduto político: "Não posso acreditar que nós vamos deixar isso acontecer. Vocês não podem me deixar passar por mentiroso, porque falei para repórteres do Brasil inteiro agora há pouco. Disse lá e quero repetir aqui: vou ganhar as eleições em Minas Gerais, sim", afirmou o tucano, ao lado dos candidatos ao governo, Pimenta da Veiga, e ao Senado, Antonio Anastasia; segundo Datafolha, Dilma lidera entre as preferências do eleitor mineiro, com 33% e o petista Fernando Pimentel está na frente na disputa estadual <br clear="all"> :

247 – O presidenciável tucano, Aécio Neves, isolado em terceiro lugar nas pesquisas de intenções de voto, fez um apelo aos mineiros para evitar uma desastrosa derrota em seu reduto político.

Em discurso a militantes e a correligionários em Montes Claros, o tucano disse não acreditar na vitória da presidente Dilma Rousseff no Estado e pediu que não o deixem "passar por mentiroso".

"Eu não acredito. Não posso acreditar que nós vamos deixar isso acontecer. Vocês não podem me deixar passar por mentiroso, porque falei para repórteres do Brasil inteiro agora há pouco. Disse lá e quero repetir aqui: vou ganhar as eleições em Minas Gerais, sim", afirmou o tucano, ao lado dos candidatos ao governo, Pimenta da Veiga, e ao Senado, Antonio Anastasia.

Segundo recente pesquisa Datafolha, Dilma lidera entre as preferências do eleitor mineiro, com 33%; o ex-governador do Estado de 2003 a 2010, tem 26%, em empate técnico com Marina Silva (PSB), que tem 25%. No cenário nacional, Aécio tem 15%, Marina, 33% e Dilma, 36%.

Minas 247 Roberta Namour Fri, 12 Sep 2014 06:11:21 +0000 http://www.brasil247.com/153192
Laranjas do jato de Campos querem pagar indenizações http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/153193 : Avião que caiu em Santos com a comitiva do candidato à Presidência do PSB, Eduardo Campos, estava registrado na Anac em nome do grupo A.F. Andrade, mas foi vendido em contrato polêmico aos empresários pernambucanos João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho e Apolo Santana Vieira; segundo o advogado da dupla, eles decidiram pagar as indenizações aos donos dos imóveis por "razão humanitária", mas não pretendem fazer o mesmo aos familiares das vítimas <br clear="all"> :

247 – Designados como donos do jato Cessna Citation, os empresários pernambucanos João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho e Apolo Santana Vieira querem indenizar os donos dos imóveis danificados no desastre ocorrido em Santos.

A bordo da aeronave se encontravam o presidenciável Eduardo Campos (PSB) e mais quatro pessoas de sua comitiva, além de dois pilotos. 

O jato estava registrado na Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) em nome do grupo A.F. Andrade, dono de usinas de açúcar. Em maio, em contrato polêmico, Mello Filho e Vieira acertaram a compra do avião. Mais de 16 depósitos bancários de empresas diferentes quitaram as parcelas do financiamento.

Segundo o advogado da dupla, eles decidiram pagar as indenizações aos donos dos imóveis por "razão humanitária", mas não pretendem fazer o mesmo aos familiares das vítimas.

Pernambuco 247 Roberta Namour Fri, 12 Sep 2014 06:22:15 +0000 http://www.brasil247.com/153193
Argôlo não escapa: ganhou helicóptero de Youssef http://www.brasil247.com/pt/247/bahia247/153190 : Advogado Carlos Alberto Pereira da Costa, laranja de Alberto Youssef, disse em depoimento à Justiça que o deputado federal Luiz Argôlo (SDD-BA) ganhou a aeronave, comprada por R$ 796 mil, doleiro do contraventor preso na Operação Lava Jato <br clear="all"> :

247 - O deputado federal Luiz Argôlo (SDD-BA) está cada vez mais envolvido no esquema de corrupção montado pelo doleiro Alberto Youssef. Agora, o advogado Carlos Alberto Pereira da Costa, disse em depoimento à Justiça, que o parlamentar ganhou um helicóptero do contraventor preso na Operação Lava Jato.

Laranja de Youssef na empresa GFD Investimentos, ele afirma que a companhia pagou R$ 796 mil pela aeronave em janeiro de 2013.

Em outro depoimento, da contadora Meire Pozza, que trabalhava para o doleiro, Youssef é apontado como sócio do deputado numa empreiteira, a Malga Engenharia.

Leia aqui reportagem de Mario Cesar Carvalho sobre o assunto.

Bahia 247 Roberta Namour Fri, 12 Sep 2014 05:41:31 +0000 http://www.brasil247.com/153190
Lula se diz amigo de adversários de Dilma http://www.brasil247.com/pt/247/amazonas247/153187 STUCKERT: De olho no 2° turno contra a presidente Dilma Rousseff, ex-presidente cita a origem petista dos presidenciáveis Marina Silva (PSB), Luciana Genro (PSOL) e Zé Maria (PSTU); "De todos que estão aí, apenas dois, o companheiro Aécio Neves (PSDB) e o pastor Everaldo (PSC), não vieram do PT", disse Lula em comício ao lado do governador do Amazonas, Eduardo Braga (PMDB); ao defender voto em Dilma, ele afirmou que sentia-se como um pai da nação brasileira que só entregaria seus filhos a quem tivesse muita confiança <br clear="all"> STUCKERT:

247 – Maior cabo eleitoral da campanha pela reeleição de Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou nesta quinta-feira ser amigo de todos os candidatos que disputam a vaga ao Palácio do Planalto, citando a origem petista da maioria dos presidenciáveis na disputa.

"Eu sou amigo do Aécio (Neves), sou amigo da Marina (Silva), sou amigo da Dilma, sou amigo da Luciana Genro, sou amigo do Zé Maria", disse Lula em comício ao lado do governador do Amazonas, Eduardo Braga (PMDB). "De todos que estão aí, apenas dois, o companheiro Aécio e o pastor Everaldo, não vieram do PT".

Ao defender voto pela reeleição de Dilma, disse que “ela foi escolhida para cuidar de uma família de 200 milhões de pessoas", afirmando que sentia-se como um pai da nação brasileira que só entregaria seus filhos a quem tivesse muita confiança.

Em Campo Grande (MS), o petista cutucou a ex-senadora; defendeu o pré-sal, brincando que ele próprio iria mergulhar nas profundezas do mar para extrair petróleo: "E tem gente que quer acabar com o pré-sal."

Amazonas 247 Roberta Namour Fri, 12 Sep 2014 05:17:59 +0000 http://www.brasil247.com/153187
Caetano: "Marina é o esboço de um novo Lula" http://www.brasil247.com/pt/247/cultura/153186 : Cantor Caetano Veloso sai em defesa da presidenciável do PSB no Facebook: “As maluquices crescem e proliferam em reação à força eleitoral de Marina'', escreveu; “Marina não é nada de Collor nem nada de Jânio. Marina é o esboço de um novo Lula”, disse, rebatendo comparação feita por propaganda eleitoral do PT  <br clear="all"> :

247 - O cantor Caetano Veloso saiu em defesa de Marina Silva no Facebook. “As maluquices crescem e proliferam em reação à força eleitoral de Marina'', escreveu.

Ele rebateu comparação feita pela campanha da presidente Dilma Rousseff com a presidenciável do PSB: “Marina não é nada de Collor nem nada de Jânio. Marina é o esboço de um novo Lula.”

Leia:

"As maluquices crescem e proliferam em reação à força eleitoral de Marina. Rogério César de Cerqueira Leite repete que ela é criacionista, sem que ela nada tenha dito que justificasse tal conclusão. Os católicos também seguem a Bíblia e nem por isso se diz que Frei Beto ou Gilberto Carvalho são criacionistas ou que afirmam que o mundo foi criado há poucos milênios. Mesmo de pessoas mais sensatas li textos que tomam Marina como risco de fundamentalismo. Mas como? Uma mulher que tem, com mais clareza e firmeza do que todos os outros postulantes, falado sobre o sentido do Estado laico! Uma carreira política em que se vêem as discussões que se passam na mente da militante, da vereadora, da ministra, da senadora, da candidata - sem que se perca a certeza da coerência íntima da pessoa! Faz sentido querer-se reafirmar a gratidão pelos conseguimentos do PT no poder; também é certo ter esperanças na sensatez do cadidato do PSDB, com o economista indicado para a pasta da Fazenda apresentando, em entrevistas, planos sensatos de superação do que parece ser o beco-sem-saída em que entrou a política econômica petista. Mas nada disso dá o direito a ninguém de desconsiderar a seriedade com que Marina se comporta sempre - e desde sempre. Marina não é nada de Collor nem nada de Jânio. Marina é o esboço de um novo Lula. É o organismo Brasil movendo-se internamente para metabolizar novos conteúdos. Esses novos conteúdos têm relação com os velhos - às vezes sentidos como eternos - problemas brasileiros: a desigualdade, a sociedade hierárquica, o atraso. Entendo a reação de Jean Willys ao recuo, no programa de Marina, quanto a temas cruciais dos grupos LGBT. Sempre me senti mais identificado com os gays do que com os caretas. Mas nem de longe isso me abala em minha decisão de votar em Marina. Os recuos no seu programa não a colocam em posição menos progressista do que a de seus oponentes. E Marina é tão maior promessa! Por que não ter coragem de apostar nela? Se eu pudesse influir, diria: VOTE EM MARINA. VOTE EM FREIXO. VOTE EM JEAN WILLYS.”

Cultura Roberta Namour Fri, 12 Sep 2014 05:26:24 +0000 http://www.brasil247.com/153186
Lei Rouanet autoriza FHC a captar R$ 6,2 mi http://www.brasil247.com/pt/247/cultura/153200 : Ministério da Cultura cede incentivo fiscal ao Instituto Fernando Henrique Cardoso para preservar e informatizar seu acervo; verba será destinada a digitalizar imagens, textos e objetos da vida do ex-presidente FHC e de familiares como o avô, Joaquim Ignácio Cardoso, e o pai, Leônidas Cardoso <br clear="all"> :

247 - O Instituto Fernando Henrique Cardoso foi autorizado pelo Ministério da Cultura a captar, pela lei Rouanet, de incentivo fiscal, cerca de R$ 6,2 milhões para dar continuidade ao processo de descrição, preservação e informatização de seu acervo.

Segundo a colunista Mônica Bergamo, a verba será destinada a digitalizar fotos, vídeos, textos e objetos da vida de FHC e de familiares como o avô dele, Joaquim Ignácio Cardoso, e o pai, Leônidas Cardoso. 

Os programas educativos do Instituto, como o "Diálogos com um Presidente", em que FHC conversa com alunos de escolas do ensino médio e de faculdades, também estão incluídos no pacote.

No ano passado, o ex-presidente se tornou membro da Academia Brasileira Letras (ABL).

Cultura Roberta Namour Fri, 12 Sep 2014 06:55:27 +0000 http://www.brasil247.com/153200
Exonerado servidor que alterou perfis da Wikipédia http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/153152 : Casa Civil informou em nota nesta quinta-feira 11 que foi identificado o servidor público responsável pelas alterações nos perfis dos jornalistas Miriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg na enciclopédia virtual; a Comissão de Sindicância Investigativa identificou Luiz Alberto Marques Vieira Filho, funcionário efetivo da carreira de finanças e controle, como autor das mudanças; será aberto processo administrativo disciplinar sobre o caso, mas Luiz Alberto já solicitou desligamento do cargo que atualmente ocupa, de chefe da Assessoria Parlamentar do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão <br clear="all"> :

Paulo Victor Chagas, repórter da Agência Brasil - A Casa Civil da Presidência informou nesta quinta-feira (11) que foi identificado o servidor público responsável pelas alterações nos perfis da enciclopédia virtual Wikipédia dos jornalistas Miriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg. Segundo a pasta, a Comissão de Sindicância Investigativa identificou Luiz Alberto Marques Vieira Filho como autor das mudanças. Ele é servidor público de cargo efetivo da carreira de finanças e controle.

De acordo com nota da Casa Civil, será aberto processo administrativo disciplinar sobre o caso, mas Luiz Alberto já solicitou desligamento do cargo que atualmente ocupa, chefiando a Assessoria Parlamentar do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Na época das alterações, o servidor era assessor da Secretaria de Relações Institucionais, pasta que funciona nas instalações do Palácio do Planalto.

A denúncia da alteração dos perfis dos dois jornalistas na enciclopédia virtual foi feita no dia 8 de agosto pelo jornal O Globo. Segundo a reportagem, a publicação foi feita em maio do ano passado e incluíram no Wikipedia críticas às atuações dos profissionais como comentaristas econômicos.

No mesmo dia, a Secretaria de Administração da Presidência da República informou, em nota, que irá apurar o uso da rede de internet do Palácio do Planalto para alteração de perfis de jornalistas. No dia seguinte, a presidenta Dilma Rousseff classificou o ato como inadmissível.

Brasília 247 Leonardo Araújo Thu, 11 Sep 2014 18:35:21 +0000 http://www.brasil247.com/153152
Brasil cria 101,4 mil novos empregos em agosto http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153131 : País gerou 101.425 postos de trabalho com carteira assinada no mês passado; destaque ficou para o setor de serviços, que criou 71,3 mil vagas no período, seguido por comércio, responsável por 40,6 mil empregos; de janeiro a agosto, o número de empregos formais criados no País foi de 751,5 mil; dados foram divulgados hoje pelo Ministério do Trabalho e Emprego e fazem parte do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregado); segundo Dilma, dados mostram que o número de postos de trabalho está aumentando no Brasil, apesar de "uma crise de emprego no mundo" <br clear="all"> :

247 – O Brasil criou em agosto 101.425 vagas formais de emprego, anunciou o Ministério do Trabalho e Emprego na tarde desta quinta-feira 11. De janeiro a agosto, o número de empregos formais foi de 751,5 mil.

O destaque ficou para o setor de serviços, que criou 71,3 mil postos de trabalho no período. O setor de comércio, responsável por 40,6 mil empregos com carteira assinada no mês, ficou em segundo lugar.

Os dados fazem parte do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregado) e foram divulgados na tarde desta quinta-feira 11 pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

Em julho, haviam sido criados 11.796 postos com carteira assinada, sem ajustes. O resultado de agosto é 21,5% inferior ao do mesmo período do ano passado, quando o país criou 127,6 mil postos de trabalho.

Emprego é uma das principais armas da campanha da presidente Dilma, que vem alertando sobre o risco de redução na criação de vagas com a proposta de autonomia do Banco Central.

Leia abaixo declaração da presidente sobre os números:

Dilma diz que Caged de agosto mostra alta do emprego apesar de crise

BRASÍLIA (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, disse que os dados sobre geração de emprego divulgados nesta quinta-feira mostram que o número de postos de trabalho está aumentando no Brasil, apesar do que chamou de "uma crise de emprego no mundo".

A presidente disse a jornalistas que, embora esteja "extremamente satisfeita com os dados de agosto do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), gostaria que o número fosse muito maior.

Segundo dados do Caged, o Brasil abriu 101.425 vagas formais de trabalho no mês passado, no mais baixo resultado para agosto desde 2012 influenciado pela continuidade das demissões líquidas na indústria e pela menor oferta de vagas em quase todos os setores produtivos. [nL1N0RC20I]

O número, no entanto, foi melhor do que o fraco resultado de julho, quando foram abertos 11.796 postos, sem ajustes, num mês de baixa base de comparação afetado pela retração dos negócios em decorrência da Copa do Mundo.

De acordo com a presidente, a redução da atividade da indústria "não é um fenômeno brasileiro". Dilma também se declarou "bastante otimista" com a capacidade de retomada da economia brasileira.

(Reportagem de Jeferson Ribeiro)

Economia Gisele Federicce Thu, 11 Sep 2014 15:53:37 +0000 http://www.brasil247.com/153131
Marina e Aécio levam debate para o Twitter http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153151 : Candidata do PSB publicou uma crítica que havia feito durante sabatina no Globo, de que o tucano "está agora fazendo o mesmo trabalho de desconstrução que o PT faz sobre mim"; Aécio Neves respondeu que está fazendo o "debate político", "não desconstruindo a imagem da candidata"; presidenciável do PSDB ainda criticou Dilma por comparar Marina ao ex-presidente Fernando Collor <br clear="all"> :

247 – Os candidatos à Presidência pelo PSB, Marina Silva, e pelo PSDB, Aécio Neves, levaram para o Twitter a discussão da campanha política nesta quinta-feira 11. Depois de uma crítica publicada por Marina em seu perfil na rede social, de que o adversário tucano estaria fazendo o mesmo trabalho de desconstrução que o PT contra ela, o candidato do PSDB rebateu, afirmando que faz apenas o "debate político".

"O Aécio está agora fazendo o mesmo trabalho de desconstrução que o PT faz sobre mim. Com os mesmos argumentos usados contra Lula", dizia a mensagem publicada na página de Marina. A crítica havia sido feita pela manhã, durante sabatina no jornal O Globo, no Rio de Janeiro. À tarde, Aécio respondeu: "Na verdade, estou fazendo o debate político. Fundamental para a democracia. Não desconstruindo sua imagem".

Confira abaixo os tuítes, na ordem:

Mídia Gisele Federicce Thu, 11 Sep 2014 18:10:09 +0000 http://www.brasil247.com/153151
No Alvorada, 54 reitores federais apoiam Dilma http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153145 : Grupo de reitores anunciou hoje, durante encontro no Palácio da Alvorada, apoio à candidatura à reeleição da presidente Dilma Rousseff; reitores reconhecem "todo o trabalho" desenvolvido pelo governo Dilma na área da educação, segundo a porta-voz Margareth Diniz, da Universidade Federal do Piauí, e acreditam que o Brasil está no "rumo certo"; grupo prevê ainda que o governo do PT ficará marcado como o que mais investiu na área; presidente Dilma defendeu a importância da transferência dos recursos do pré-sal para a educação e recebeu uma carta de reivindicações para o próximo governo <br clear="all"> :

247 – Um grupo formado por 54 reitores de universidades federais se reuniram nesta quinta-feira 11 com a presidente Dilma Rousseff (PT), a quem declararam apoio à reeleição. No Palácio da Alvorada, onde Dilma discursou, os reitores também entregaram a Dilma uma carta com reivindicações para o ensino superior público em um eventual segundo governo da petista.

O encontro aconteceu no mesmo dia em que a campanha do candidato do PSDB, Aécio Neves, divulgou um site e uma lista com 100 nomes de especialistas em diversas áreas que declaram ser "100% Aécio". Estratégia é mostrar apoio qualificado ao tucano e passara mensagem de que fazem parte do time do candidato, e não aceitariam formar outro governo, como o de Marina Silva, que diz que governará com "os melhores".

Porta-voz dos reitores que foram hoje a Brasília, a reitora da Universidade Federal da Paraíba, Margareth Diniz, disse que o grupo reconhece "todo o trabalho" desenvolvido pelo governo da presidente na área da educação, e que o Brasil está no "rumo certo". O grupo acredita ainda, segundo ela, que o governo do PT ficará marcado como o que mais investiu em educação.

Segundo Margareth Diniz, 54 dos 58 reitores que compõem a Associação Nacional de Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) oficializaram o apoio à petista. Em maio, o grupo havia se reunido com Dilma para apresentar um plano para o ensino superior nos próximos dez anos. Nesta quinta-feira, os reitores pediram que Dilma reafirme seus compromissos com a expansão das universidades federais.

Durante o encontro, Dilma defendeu a importância da transferência dos recursos do pré-sal para a educação e "recebeu a carta com muita alegria", segundo o relato da reitora. "Porque sendo uma classe de reitores, que lida com a educação superior, considerando a importância que é tratar da educação superior no país, receber um manifesto de reitores é algo que ela achou muito importante", contou ela.

Brasil Gisele Federicce Thu, 11 Sep 2014 17:23:39 +0000 http://www.brasil247.com/153145
Posse de Lewandowski: o dia em que o Brasil melhorou http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153142 : Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania, entregou ontem ao ministro Ricardo Lewandowski, que assumiu o cargo de presidente do Supremo Tribunal Federal, um calhamaço com 600 comentários de apoio de leitores; leia seu relato sobre a cerimônia de posse <br clear="all"> :

Por Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania 

Na última quarta-feira (10), enquanto o Brasil desperto (pero no tanto) se concentrava na troca de sopapos da campanha eleitoral, a "nata" da República se reunia para festejar a posse do ministro Ricardo Lewandowski na Presidência do Supremo Tribunal Federal.

"Alívio" e "Alegria" foram palavras que se ouviu amiúde nos vários salões do STF, que, além do plenário, tiveram que ser lotados para dar conta da expressiva quantidade de pessoas que acorreu ao evento.

Antes de comentar interessante declaração que o novo presidente daquela Corte deu durante coquetel oferecido aos convidados para sua posse, vale elencar alguns fatos relevantes.

Conforme anunciei anteriormente, participei da cerimônia a convite do agora presidente Lewandowski e, mais tarde, do coquetel oferecido aos convidados. Como também participei da cerimônia de posse de Joaquim Barbosa, em 2012, por naquele dia estar no STF visitando Lewandowski, foi-me possível comparar os dois eventos.

Qualquer um que tenha estado na última e na penúltima cerimônias de posse de presidentes do Supremo haverá de concordar não só com que houve expressiva diferença de público entre o evento de dezembro de 2012 e o de setembro de 2014, mas, também, com que houve diferença de "clima" entre os eventos.

Detalhe: as duas diferenças são favoráveis à posse de Lewandowski.

Mas não houve apenas mais gente e melhores expectativas na cerimônia de posse de Lewandowski, houve muito menos cobertura da mídia. Em 2012, com Barbosa no auge após ter massacrado os réus do mensalão, havia mais jornalista da grande mídia do que convidados.

O menor interesse da mídia pela posse do novo presidente do STF, porém, não empanou o brilho do momento.

Dois fatos corroboram a narrativa sobre o clima da posse de Lewandowski, descrito como de "alegria" e "alívio": os discursos do ministro Marco Aurélio Mello e de Marcus Vinicius Furtado Coelho, presidente nacional da OAB. As falas deles vieram recheadas de críticas indiretas a Barbosa.

Marco Aurélio aludiu ao comportamento beligerante do antecessor de Lewandowski e, veladamente, acusou-o de ter querido ser "maior do que o STF"; Furtado Coelho, também em críticas indiretas, acusou Barbosa de ter buscado promoção pessoal durante sua gestão inacabada.

A ausência de Barbosa no evento sugere que ele previu não só a diferença de apoio que Lewandowski receberia em termos de volume de público, mas, também, que o clima não estaria bom para ele. Desse modo, poupou a si mesmo de dar um piti ao ouvir as críticas veladas.

A presidente Dilma Rousseff teve participação discreta no evento – entrou (quase) muda e saiu (quase) calada. Contudo, o tempo todo manteve expressão no rosto que sugeriu satisfação com o que ali ocorria.

Assisti ao evento ao lado do amigo Luis Nassif e, por diversas vezes, ele repetiu que o discurso de Marco Aurélio foi "consagrador" para Lewandowski, com o que concordo em gênero, número e grau.

Ao término da cerimônia, formou-se uma fila gigantesca de cumprimentos a Lewandowski. Eu e Nassif a encaramos.

Quando chegou a minha vez, fui brindado com um abraço caloroso do presidente do STF e de sua senhora, quem conheci em 2012 – à época, ela relatou quanto sua família sofreu com a difamação de que o esposo foi alvo durante o julgamento do mensalão.

Foi então que cumpri a promessa que fiz aos leitores desta página e entreguei ao presidente um calhamaço com centenas e centenas de comentários desses leitores congratulando-se com ele pela missão que começa a desempenhar à frente do Poder Judiciário (vide foto no alto da página).

Comunico, pois, aos caros leitores que o presidente do Supremo comprometeu-se a ler cada um dos comentários de congratulação que deixaram para ele aqui no Blog.

Terminada a cerimônia, do STF fui para um shopping próximo esperar a hora do coquetel – devido ao preço extorsivo dos taxis em Brasília, não convinha voltar à residência do jornalista Leandro Fortes, que me hospedou de quarta para quinta-feira.

Chego ao centro de eventos Unique Palace por volta das 20 horas. As autoridades não paravam de chegar.

Entre outros, estiveram presentes ministros do governo Dilma, Marcus Vinicius Furtado Coelho, presidente da OAB, o ex-procurador-geral da República Antonio Fernando de Souza, o ministro do STF José Antonio Dias Toffoli (o único ministro que vi no coquetel), a ex-subprocuradora-geral-eleitoral Sandra Cureau, juristas, advogados e jornalistas independentes.

Pelo salão, uma aglomeração gravitava em torno de Lewandowski. Onde ele estavesse parecia que havia caído um balão. Por conta disso, só por volta das 22 horas criei coragem para me aproximar para um papo rápido.

Mais uma vez, Lewandowski acolheu-me como se abraçasse cada leitor desta página. Em volta de nós, formou-se uma aglomeração. A mim e ao presidente do STF juntou-se Furtado Coêlho, presidente nacional da OAB.

Devido ao tratamento que me foi dispensado pelo presidente, disse a ele que não se mede um homem pela forma como trata os poderosos, mas pela forma como trata cidadãos comuns como eu, pessoas que não têm aquele tipo de "importância" que atrai gentilezas.

O presidente sorriu, virou-se para o presidente da OAB e disse: "Conta para o Eduardo que você lê o Blog dele". Furtado Coelho assentiu e conversamos rapidamente sobre este ou aquele post publicado aqui.

Relato esse fato para que as pessoas entendam o tipo de homem que é Ricardo Lewandowski. Quem somos nós, editor e leitores deste Blog? A homenagem que fizemos ao presidente poderia ter sido retribuída com um simples sorriso e com um muito obrigado. E olhe lá.

Prossigamos. Já durante seu discurso no STF, Lewandowski permitiu ver quanto sua gestão diferirá da anterior. Sinalizou com revisão da Lei da Anistia, por exemplo. Mas foi em comentário que fez enquanto conversávamos que disse uma frase bastante significativa.

Por reproduzi-la de cabeça, não leva aspas. Porém, o que disse é que o Brasil caminha para se tornar a 5ª economia do planeta e uma nação de tal importância precisa ter instituições à altura dessa importância.

A frase tem um significado mais amplo do que parece. Vejamos: primeiro, diga lá, leitor, o que foi que a gestão de Joaquim Barbosa trouxe ao país além de ódio, ódio e mais ódio?

Se tivesse que resumir o que ele fez no um ano e pouco de sua Presidência do STF, diria que dedicou o período a fazer política partidária. E a maior prova disso é que até a grande mídia suspeitava de que ou sairia candidato a presidente neste ano ou apoiaria publicamente algum candidato.

O fato de Barbosa ter submergido após deixar o STF não significa que os que previram que ele atuaria na política estavam errados – sua conduta na Presidência do STF sugeriu isso. Na verdade, acho que ele só descobriu agora quanto desagradou a comunidade jurídica.

Nesse ponto, volto à frase de Lewandowski sobre a futura 5ª economia do mundo ter que dispor de instituições à altura. No meu entender, ainda que não tenha dito exatamente isso, ele fez uma promessa, a de que terminaram os showzinhos de personalismo no STF.

Lewandowski não será "estrela". Sua gestão será discreta e focada no que interessa aos cidadãos. Ele pretende devolver-nos a confiança na Justiça.

Como eu disse nas redes sociais algumas horas após o evento, alegre-se, leitor. Na última quarta-feira, com o Poder Judiciário passando a ser presidido por um homem da envergadura moral e intelectual de Lewandowski, o Brasil melhorou.

Mídia Gisele Federicce Thu, 11 Sep 2014 16:46:21 +0000 http://www.brasil247.com/153142
STJD aumenta multa ao Grêmio por racismo http://www.brasil247.com/pt/247/rs247/153133 : Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) reajustou a multa de R$ 10 mil para R$ 30 mil, aplicada ao Grêmio pelo ato de racismo em partida disputada pelo Campeonato Gaúcho, em março, contra o zagueiro Paulão, do Internacional; o torcedor que ofendeu o atleta não foi identificado; o tricolor gaúcho foi expulso recentemente da Copa do Brasil por ofensas racistas contra o goleiro do Santos, Aranha, que foi chamado de "macaco" <br clear="all"> :

Rio Grande do Sul 247 – O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) reajustou a multa de R$ 10 mil para R$ 30 mil, aplicada ao Grêmio pelo ato de racismo em partida disputada pelo Campeonato Gaúcho, no dia 30 de março, contra o zagueiro Paulão, do Internacional. O torcedor que ofendeu o atleta não foi identificado.

O STJD pediu, ainda, que o valor seja pago a uma entidade que lute contra o racismo, e não à entidade de administração do desporto (Federação de Futebol do Rio Grande do Sul).

O Grêmio já havia se envolvido em racismo em partida contra o Santos, pela Copa do Brasil, no dia 28 de agosto, quando torcedores gremistas chamaram o goleiro adversário, Aranha, de "macaco". O tricolor foi expulso do torneio.

O Inter também se envolveu em confusão, após uma briga com a torcida do Grêmio, em março. O colorado foi multado em R$ 5 mil.

Rio Grande do Sul 247 Leonardo Lucena Thu, 11 Sep 2014 16:20:39 +0000 http://www.brasil247.com/153133
Desmatamento na Amazônia é o segundo menor em 25 anos http://www.brasil247.com/pt/247/ecologia/153136 : Taxa foi de 5.891 km² e abrange o período de agosto de 2012 a julho de 2013. Além disso, o cálculo das reduções de emissões de gás carbônico causadas pelo do desmatamento foi de 516 milhões de toneladas <br clear="all"> :

Blog do Planalto - O desmatamento na Amazônia em 5.891 km2 é a segunda menor taxa registrada anualmente nos últimos 25 anos. O número foi confirmado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), por meio do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal (Prodes), espécie de acompanhamento via satélite, e abrange o período de agosto de 2012 a julho de 2013.

Além disso, o cálculo das reduções de emissões de gás carbônico causadas pelo do desmatamento foi de 516 milhões de toneladas. Com o resultado, o Brasil poderá receber até 2,5 bilhões de dólares por redução de emissões de desmatamento alcançados na Amazônia Legal, baseado em dados do Fundo Amazônia, que adota o valor de US$ 5,00 por tonelada de CO2 para captação de recursos de doações junto aos governos estrangeiros, empresas, instituições multilaterais, organizações não governamentais e pessoas físicas.

Os números confirmam, ainda, uma redução de 79% desde a criação do Plano de Ação para Prevenção e Combate ao Desmatamento na Amazônia Legal, coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente e pela Casa Civil da Presidência da República, em 2004.

Redução da degradação
Em agosto o Inpe divulgou relatório em que a degradação na Amazônia Legal atingiu, em 2013, o menor valor registrado desde o início da série histórica, em 2007.

Área degradada é aquela onde há deterioração florestal progressiva pela exploração predatória de madeira (com ou sem uso de fogo), mas ainda não removidas totalmente (corte raso), que neste caso é o desmatamento propriamente dito.

Ecologia Gisele Federicce Thu, 11 Sep 2014 16:26:16 +0000 http://www.brasil247.com/153136
Marina fez e disse, mas não lembra. Amnésia seletiva? http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153107 : Entre seu passado político e o que apresenta em campanha, candidata Marina Silva esquece algumas partes; jornal do PSB diz que ela apoiou a CPMF, que destinava verbas bilionárias para a Saúde; quando foi senadora (1994-2011), porém, votou contra duas vezes; "Não faço oposição pela oposição", diz Marina hoje, que naquele tempo boicotou a Lei de Responsabilidade Fiscal, a criação da Anatel, a reforma administrativa e o modelo de exploração do petróleo; dia 29, desdenhou do pré-sal - "o petróleo é um mal necessário" -, mas já na manhã seguinte voltou atrás sem reconhecer que seu programa de governo tem apenas uma linha sobre o assunto; no Fisco, esqueceu de declarar todos os seus bens, lembrando apenas depois de o PT ameaçar pedir investigação; ativista da causa LGBT, é agora contra o casamento de pessoas do mesmo sexo; Freud explica? <br clear="all"> :

247 – Ao não enfrentar o cotejo de informações produzidas por seu passado político, distante e recente, com posições e atitudes atuais, de postulante a presidente, Marina Silva também se torna candidata a caso clínico, daqueles que, como diz o povo, só "Freud explica". À primeira vista dos leigos, parece que a ex-seringueira, ex-senadora e ex-ministra sofre do que se pode chamar de amésia seletiva. Lembra ou esquece, apenas do que quer, não de tudo o que foi, fez ou disse.

O caso mais recente diz respeito à sua declaração de bens à Receita Federal. Marina só pode ter esquecido de acrescentar ao seu patrimônio pessoal R$ 46 mil, o que só feito na Receita após ameaça de pedido do PT por uma investigação. Num dado que era desconhecido até a semana passada, revelou-se que Marina recebeu R$ 1,6 milhão em palestras a clientes que, sim, ela se lembra, mas está impedida por contrato de revelar os nomes.

Se R$ 46 mil podem ser pouco para lembrar, esquecer dos bilhões que a CPMF – imposto de 0,38% de cada cheque – representava para a saúde deve ser mais fácil. O instrumento vigorou no governo de Fernando Henrique, mas foi cortado antes de beneficiar a administração Lula. Marina foi senadora entre 1994 e 2011, e por duas vezes votou contra a CPMF. Ela também não apoiou a iniciativa do senador Eduardo Suplicy (PT-SP) de resgatar a verba carimbada, não endossando o projeto. No jornal da campanha de Marina para presidente, no entanto, está escrito que Marina apoiou a CPMF. Isso nunca foi verdade.

- Eu não faço oposição por oposição, tem repetido Marina nesta campanha. Trata-se, à medida em que ela não assume o debate sobre suas posições públicas, tomadas no Senado, diante de todos os registros públicos, de um verdadeiro atestado de  esquecimento. E não é o único sobre sua atuação no Senado, onde, ao contrário do que diz hoje, praticou sim a oposição a praticamente tudo.

Em oposição à grande maioria do Congresso, Marina votou contra temas quase consensuais como a criação da Anatel – Agência Nacional de Telecomunicações --, a quebra do monopólio estatal e o modelo de concessão para exploração de petróleo, e, também, contra a reforma administrativa. No  dia da votação da reforma da Previdência, estava de licença médica. Em 2000, votou contra a Lei de Responsabilidade Fiscal que, reconhecidamente, tem normatizado minimamente as  finanças dos Estados.

A coisa é complexa. Um caso gritante é a ida e vinda, sem reconhecer que foi e voltou, a respeito do pré-sal. Menos de uma dia depois de afirmar, em 29 de agosto, que não tinha o pré-sal como uma de suas prioridades – "minha posição é conhecido: o petróleo é um mal necessário" -, Marina não apenas não assumiu o que disse, enfrentando, assim, o debate, como aderiu, de forma classicamente oportunista, à maré de desaprovação ao posicionamento. De resto, subjugado em seu programa de governo.

Marina esqueceu, outra vez na primeira hora de sua candidatura de 2014. De olho no voto das igrejas pentecostais, reagiu a quatro tuites do "pastor" Silas Malafaia com um imediato rompimento com seu compromisso histórico com os militantes LGBT. Ao menos, é que se tinha no início da carreira política dela, quando, no melhor estilo hippie, ajudou a criar as bases nacionais para a expansão do movimento. Mesmo cavalgando nessa comunidade politicamente influente e carregando a bandeira de prestígio,

Marina Silva marcou posição contra a formalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

- Nem sei que tuites são esses, devolveu Marina a respeito do motivo de sua virada ideológica. Deve ser verdade, pode ser esquecimento.

Entre lapsos, Marina também começa a ver sua tendência de ascensão nas pesquisas parar, na melhor análise para ela, ou se inverter, no que muitos acreditam. De tão flagrantes, os paradoxos entre a história política de Marina e a maneira como ela se apresenta agora estão, nitidamente, decepcionando legiões de eleitores que a tinha como alternativa. Falou alto o crescimento do índice de rejeição dela.

Se continuar a esquecer quem foi e não dizer mais claramente quem é, Marina corre o risco de não ser lembrada pelos eleitores.

Poder Felipe L. Goncalves Thu, 11 Sep 2014 13:58:23 +0000 http://www.brasil247.com/153107
PSDB soma cem intelectuais '100% Aécio' em hora difícil http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153086 : Campanha do presidenciável tucano divulga hoje 100 nomes de pesquisadores, gestores, educadores e intelectuais de diversas áreas que apoiam Aécio Neves para presidente; foi criado também o site 100porcento.aecioneves.com.br, onde a lista é publicada; movimento quer dar visibilidade ao apoio técnico e qualificado do candidato e passar a mensagem de que especialistas não estariam dispostos a compor outro governo, como o de Marina Silva (PSB), que tem dito que irá governar com "os melhores"; texto convida leitor a entrar no "time de quem ama o Brasil e quer ajudar os brasileiros a reconquistar a confiança no nosso país" <br clear="all"> :

247 – A equipe de campanha do presidenciável Aécio Neves (PSDB) divulga a partir desta quinta-feira 11 uma lista com 100 nomes de especialistas técnicos que afirmam ser "100% Aécio". Trata-se de uma forma de passar a mensagem de que não existe o movimento de voto útil em Marina Silva, do PSB, e dar visibilidade a um apoio considerado qualificado ao candidato do PSDB.

Muitos nomes fizeram parte do governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, cabo eleitoral de Aécio. Compõem a lista pesquisadores, formuladores e gestores de diversas áreas, sempre de perfil técnico, por isso, não estão incluídos artistas ou atletas. Segundo a equipe de campanha, são pessoas que contribuíram com propostas de governo para o candidato.

Outra mensagem é a de que esses especialistas fazem parte do time de Aécio, ou seja, não estariam dispostos a compor outro governo, como o de Marina Silva, que tem dito que irá governar com "os melhores", independente do partido. De acordo com a campanha, não há qualquer compromisso com essas pessoas no momento de formar um eventual governo Aécio.

No site 100porcento.aecioneves.com.br, criado para divulgar e aumentar o apoio ao movimento, um texto convida o leitor a entrar no "time de quem ama o Brasil e quer ajudar os brasileiros a reconquistar a confiança no nosso país". "O Brasil precisa mudar, mas mudar com segurança, precisamos sonhar. Mas precisamos ser capazes de construir", diz ainda a mensagem.

Assinaram a lista, entre outros nomes, o ex-ministro Pedro Malan, o ex-presidente do Banco Central Gustavo Franco, o ex-presidente do BNDES Luiz Carlos Mendonça de Barros e seu irmão, José Roberto Mendonça de Barros, ex-secretário da Política Econômica do Ministério da Fazenda. Em outras áreas, estão o embaixador Rubens Barbosa, o antropólogo Roberto da Matta e o economista Sérgio Besserman. Há ainda educadores como Guiomar de Melo e Iara Prado e, na área social, Ana Lobato e Carminha Brant.

Confira aqui a lista completa.

Poder Gisele Federicce Thu, 11 Sep 2014 12:16:49 +0000 http://www.brasil247.com/153086
No Pará, Dilma ironiza quem “não aguenta o Twitter” http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153111 Ichiro Guerra: Declaração pode ter sido feita em referência à candidata do PSB, Marina Silva, que recuou em defesa da causa gay após ter sido pressionada, via Twitter, pelo pastor Silas Malafaia; o tucano Aécio Neves também processou a empresa nessa semana para conseguir dados de 66 tuiteiros que acusa de "disseminar conteúdo ilícito" contra ele; presidente também criticou, ao lado do ex-presidente Lula, "quem muda de lado" e "aqueles que falam mal da Caixa, do Banco do Brasil e do BNDES"; Ângela Mendes, filha de Chico Mendes e que militava com Marina Silva no Acre, subiu ao palco para declarar apoio a Dilma Rousseff <br clear="all"> Ichiro Guerra:

247 – A presidente Dilma Rousseff ironizou, durante comício realizado em Belém (PA) na noite desta quarta-feira 10, quem "não aguenta o Twitter" e "fica mudando de lado". A candidata do PT à reeleição possivelmente fazia referência à adversária do PSB, Marina Silva, que recuou em defesa da causa gay após ter sido pressionada, pelo Twitter, pelo líder evangélico Pastor Silas Malafaia.

Nessa semana, o candidato do PSDB, Aécio Neves, também vivenciou um episódio com a rede social. O tucano processou o Twitter para que a empresa disponibilizasse informações de 66 tuiteiros que disseminaram "conteúdo ilícito" contra ele.

"Se ficar mudando de lado está rodado. Vai mudar de lado a cada cinco minutos. Quem não tem força e determinação para ser presidente, não se estabeleça, pois não dá certo. Não aguentam o Twitter, quanto mais uma manchete negativa, ou alguém falando mal", discursou Dilma.

"Me desculpe aqueles que falam mal da Caixa, do Banco do Brasil e do BNDES. Quero saber como vão fazer com o Minha Casa, Minha Vida se diminuírem o papel dos bancos públicos", disse ainda a presidente. O evento teve a participação de uma filha do ex-líder seringueiro Chico Mendes. Ângela Mendes, que militou com Marina Silva no Acre, estado natal da candidata, subiu ao palco e anunciou apoio à Dilma.

Em seu discurso, o ex-presidente Lula alfinetou Marina Silva ao dizer que "tem gente dizendo que, para o Brasil melhorar, temo que acabar com o pré-sal. Tem gente achando que para o Brasil melhorar é preciso que o Banco Central tenha autonomia e acabar com os bancos públicos". Ele também criticou aqueles que prometem "um futuro que, quando perguntados, eles não sabem o que é".

Brasil Gisele Federicce Thu, 11 Sep 2014 12:58:24 +0000 http://www.brasil247.com/153111
Irmão de assassino de Chico Mendes faz campanha para Marina no Acre http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153096 : Aleci Alves da Silva pede votos e dirige um carro de som que toca o jingle da candidata do PSB no município de Senador Guiomard, a 32 km de Rio Branco; ele é irmão de Darly Alves da Silva e tio de Darci Alves, os homens condenados pelo assassinato, em 1988, do líder seringueiro Chico Mendes, amigo pessoal de Marina Silva <br clear="all"> :

247 – O servidor público Aleci Alves da Silva, de 46 anos, tem pedido votos para Marina Silva, do PSB, ao dirigir um carro que toca um jingle da presidenciável no município de Senador Guilmard, a 32 quilômetros de Rio Branco, capital do Acre, estado natal da candidata.

Aleci é irmão de Darly Alves da Silva e tio de Darci Alves, os homens condenados pelo assassinato, em 1988, do líder seringueiro Chico Mendes amigo pessoal de Marina Silva. Ele contou à reportagem do portal G1 que era admirador do candidato Eduardo Campos, que morreu num acidente no dia 13 de agosto, mas que tem "orgulho" de Marina ter se candidatado no lugar dele.

Antes de trabalhar pela candidatura de Marina Silva, o servidor público, que é filiado ao PSB há sete anos, conta ter consultado o irmão. Segundo ele, Darly apoiou sua intenção. "Ele me disse, vai fundo, me liberou. Acho que ele também vota na Marina", disse. Aleci defende que Darly é inocente no caso de Chico Mendes, e que foi "injustiçado" no processo. "Pegaram ele como bode expiatório", afirmou.

Brasil Gisele Federicce Thu, 11 Sep 2014 11:46:19 +0000 http://www.brasil247.com/153096
Haddad leva 200 sem-teto a hoteis no centro de SP http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/153119 : Nos hotéis, eles serão acompanhados pelo sistema municipal de assistência social. É a primeira experiência do Programa Autonomia em Foco, da Prefeitura de São Paulo, que oferece abrigo para famílias ou pessoas sozinhas em situação de rua que já têm renda e estão próximas da autonomia plena <br clear="all"> :

Camila Maciel – Repórter da Agência Brasil

Uma ação da prefeitura de São Paulo está retirando, hoje (11), cerca de 200 sem-teto que moram em uma área pública do Parque Dom Pedro, no centro da capital. Eles serão levados para dois hotéis na mesma região, onde serão acompanhados pelo sistema municipal de assistência social. É a primeira experiência do Programa Autonomia em Foco, que oferece abrigo para famílias ou pessoas sozinhas em situação de rua que já têm renda e estão próximas da autonomia plena. Segundo a Secretaria Municipal de Assistência Social, a saída das famílias foi negociada ao longo de sete meses e não houve resistência à desocupação nesse primeiro dia.

"O programa foi construído com eles para a saída pacífica desse espaço. Nós acreditamos que essas pessoas, devidamente acolhidas, podem construir sua autonomia e sair da rede socioassistencial", explicou a secretária de Assistência Social, Luciana Temer. O programa segue os moldes do Projeto De Braços Abertos, implementado há cerca de um ano, com usuários de drogas da região da Luz, também no centro.

A diarista Maria Gilda Ferreira, 65 anos, mora no local há cerca de um ano com a filha de 23 anos e dois netos, de 3 e 6 anos. "Eu morava em ocupação, mas não tinha condição de pagar o aluguel, de uns R$ 200. Aqui, deixaram eu ficar sem pagar nada, mas não é lugar para gente", apontou. Ela espera reconstruir a vida com essa oportunidade. Ela tinha uma casa e vendeu para acompanhar a filha que precisou sair de São Paulo. "Quando voltei, fiquei sem ter para onde ir, até que vim parar aqui", relatou. Gilda espera reconstruir a vida com essa oportunidade e, inclusive voltar a estudar. "É um sonho que eu tenho. Estudar e casar meus netos".

Para acolhimento no hotel, foram definidas regras como a impossibilidade de receber visitas no local. Além disso, o grupo será responsável pela alimentação e pela limpeza dos quartos. "É necessário para que se tenha um controle mínimo do espaço. As regras podem, inclusive, ser flexibilizadas em assembleias dos moradores, posteriormente", explicou a secretária. As crianças e os adolescentes terão garantidas vagas em creches, escolas e no Centro de Convivência da Criança e do Adolescente no contraturno escolar. Os beneficiados poderão fazer cursos pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico (Pronatec) e terão ajuda no encaminhamento profissional para o mercado de trabalho.

Essas regras estão incomodando Fiama Ferreira, 22 anos, que mora com toda a família na ocupação do parque. "É ruim ter esse controle todo na sua casa", relatou. Ela ocupará um quarto com o filho de 5 anos. Já para Maria de Fátima Pereira, 54 anos, as regras são necessárias para permitir uma boa convivência. "Aqui, até que era organizado, mas tinha coisa errada. Marido que batia em mulher, briga, muita sujeira, essas coisas", relatou. Ela espera que a nova moradia lhe traga tranquilidade para se cuidar do acidente vascular cerebral que teve há quatro anos. Fátima espera organizar melhor a vida a partir de agora com a aposentadoria que recebe pela doença. "Eu pagava R$ 500 num quarto de pensão. Ia quase tudo que eu recebo", declarou.

Na área onde estão as barracas, haverá a recomposição do parque, com colocação de grama e retirada da tenda que era usada para serviço de assistência social, mas que, com a nova etapa da ação, também foi ocupada por moradores de rua. "Vamos deixar isso daqui bonito e devolver a praça para o povo. Pretendemos, em no máximo 30 dias, concluir esse trabalho. Já tem tudo planejado", explicou o subprefeito da Sé, Alcides Amazonas.

SP 247 Gisele Federicce Thu, 11 Sep 2014 14:35:54 +0000 http://www.brasil247.com/153119
Centro pega fogo às vésperas de casamento gay http://www.brasil247.com/pt/247/rs247/153117 : Incêndio destruiu nesta madrugada parte do Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Sentinelas do Planalto, em Santana de Livramento (RS). As causas ainda serão apuradas. A Polícia Civil não descarta a hipótese crime, praticado por pessoas contrárias à solenidade, no próximo sábado 13, da união de duas mulheres, durante casamento coletivo com 28 casais heterossexuais <br clear="all"> :

Alex Rodrigues - Repórter da Agência Brasil

Um incêndio destruiu na madrugada de hoje (11) parte do Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Sentinelas do Planalto, em Santana de Livramento (RS). As causas do incêndio ainda serão apuradas. Entretanto, a Polícia Civil do Rio Grande do Sul não descarta a hipótese de incêndio criminoso, praticado por pessoas contrárias à solenidade, no próximo sábado (13), da união de duas mulheres, durante casamento coletivo com 28 casais heterossexuais.

"Ainda não temos nenhum dado concreto sobre as causas, mas testemunhas informaram ter visto uma movimentação estranha de pessoas nas redondezas. Oportunamente, vamos ouvi-las oficialmente, apurar tudo e aguardar a conclusão do laudo pericial", informou à Agência Brasil a delegada Michele Mendes Arigony. Segundo ela, qualquer nova informação que possa ajudar nas investigações pode ser encaminhada à Delegacia de Pronto-Atendimento (DPPA) de Santana de Livramento.

Por meio das redes sociais, o presidente do CTG local, Gilbert Gisler, lamentou o ocorrido. "Sinto-me triste, magoado, indignado. São 30 anos de história [do centro]", salientou. Em entrevista ao jornal Zero Hora, Gisler acrescentou que, minutos antes das labaredas consumirem parte do galpão, integrantes do centro faziam um churrasco no local.

Apesar dos estragos, a cerimônia está mantida. O casamento coletivo é organizado pela Vara de Família do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, em parceria com o Cartório de Registro Civil de Santana de Livramento. Em março deste ano, a comarca já havia sediado o primeiro casamento homoafetivo organizado pelo Poder Judiciário gaúcho. A proposta de que essa segunda cerimônia fosse realizada no CTG foi da diretora do Foro de Livramento, juíza Carine Labres.

O dia 13 de setembro marca o início das comemorações da Semana Farroupilha e das homenagens ao general Bento Gonçalves da Silva, líder da revolução que buscava a independência da então província do Rio Grande do Sul do Império. Bento Gonçalves é o símbolo da valentia gaúcha.

Rio Grande do Sul 247 Gisele Federicce Thu, 11 Sep 2014 14:25:27 +0000 http://www.brasil247.com/153117
Pergunta de 2014 é: Brasil melhora ou piora sem o PT? http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153084 : Em nova coluna, Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, avalia a recuperação da presidente Dilma Rousseff nas pesquisas e o fato de a onda Marina ter cessado; "O eleitor olha para a concorrente com atenção e quer saber o que ela representa como candidata. Marina foi adotada pela herdeira de um dos grandes bancos privados do país e assumiu uma proposta que o cidadão comum pode não entender — independência do Banco Central — mas compreende o que significa: deixa o controle da política econômica nas mãos do mercado, sem respeitar autoridades eleitas pelo povo", diz ele, sobre a relação entre Marina e Neca Setúbal; segundo PML, Aécio não decola por não ter "lastro popular" <br clear="all"> :

247 - O jornalista Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, avalia que, passada a comoção em torno da morte de Eduardo Campos, o eleitor começa a se perguntar se o País ficará melhor ou pior sem a reeleição da presidente Dilma Rousseff.

"Não se trata de achar que o governo é bom ou ótimo, ruim ou péssimo. Mas de perguntar se o país não irá ficar pior se Dilma não for reeleita. Essa é a pergunta da campanha. A reação de aliados reticentes e distanciados, que nas últimas semanas se reagruparam em apoio ao governo, demonstra aonde está a força de gravidade e explica a retomada de Dilma nas pesquisas", diz ele, na coluna "Alguns números não mentem" (leia aqui a íntegra).

Segundo ele, o eleitor começa a se questionar sobre a consistência das propostas de Marina Silva. "O eleitor olha para a concorrente com atenção e quer saber o que ela representa como candidata. Marina foi adotada pela herdeira de um dos grandes bancos privados do país e assumiu uma proposta que o cidadão comum pode não entender — independência do Banco Central — mas compreende o que significa: deixa o controle da política econômica nas mãos do mercado, sem respeitar autoridades eleitas pelo povo. Sua assessoria econômica produz cenas frequentes de opera-bufa. Em sucessivas demonstrações de fraqueza, a candidata corrige o programa de governo depois de quatro tuítes, o que é deprimente. Depois anuncia que irá formar um comitê para recrutar “homens de bem” para formar sua equipe, o que é ridículo. Seu programa de governo não trazia uma linha sobre o pré-sal, o que surpreendeu até os adversários, pois demonstra uma dificuldade imensa para pensar seriamente o futuro do país."

De acordo com PML, o tucano Aécio Neves não cresce porque padece de "lastro popular". Leia aqui a íntegra da coluna e acesse o blog de Paulo Moreira Leite.

Poder Leonardo Attuch Thu, 11 Sep 2014 10:02:28 +0000 http://www.brasil247.com/153084
Vieira: postura de Tarso sobre dívida foi ineficaz http://www.brasil247.com/pt/247/rs247/153077 Jefferson Bernardes: Em Cachoeira do Sul, o candidato do PDT ao governo do RS, Vieira da Cunha, voltou a afirmar que poderá, se eleito, recorrer à Justiça para garantir a redução do percentual das parcelas pagas pela dívida do Estado com a União; “O governador Tarso se orgulha de ter liderado um esforço nacional pela renegociação da dívida, mas isso resultou em absolutamente nada”, declarou <br clear="all"> Jefferson Bernardes:

Sul 21 - O candidato do PDT ao governo do RS, Vieira da Cunha, fez campanha, nesta quarta-feira (10), em sua cidade natal, Cachoeira do Sul. Em entrevistas à imprensa local, Vieira voltou a afirmar que poderá, se eleito, recorrer à Justiça para garantir a redução do percentual das parcelas pagas pela dívida do Estado com a União. “O governador Tarso se orgulha de ter liderado um esforço nacional pela renegociação da dívida, mas isso resultou em absolutamente nada”, declarou. “Temos um sistema bicameral, e o projeto precisa ser aprovado no Senado, onde está engavetado a mando do ministro da presidente Dilma. Onde está o alinhamento das estrelas? Por muito menos ficamos dez anos peleando na Revolução Farroupilha”, afirmou.

O trabalhista fez uma caminhada pelo Centro da cidade, conversou com eleitores e disse estar com as energias recarregadas para enfrentar as últimas semanas da campanha eleitoral. “Precisamos de um cachoeirense no Palácio Piratini, que se lembre de trabalhar por esta região. E, se depender da receptividade que tivemos aqui, vamos ter!”, disse.

Acompanhado do vice, Flávio Gomes, Vieira também participou de um almoço com a militância e com candidatos a deputado estadual e federal no CTG José Bonifácio Gomes, no Parque da Fenarroz. No final da tarde, o candidato esteve no Sindicato do Comércio Varejista de Cachoeira do Sul (Sindilojas), onde falou sobre suas propostas, especialmente na área da segurança. O candidato disse que investirá em tecnologia, na recomposição do efetivo e na integração das polícias.

*Com informações da assessoria do candidato

Rio Grande do Sul 247 Leonardo Lucena Thu, 11 Sep 2014 12:22:05 +0000 http://www.brasil247.com/153077
Human Rights Watch: Bibi é criminoso de guerra http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/153081 : ONG fez a declaração um dia depois do Exército israelense anunciar a abertura de investigações criminais internas sobre ações envolvendo suas forças militares; em comunicado, a organização de defesa dos direitos humanos diz que Israel causou a morte de "inúmeros civis em violação das leis da guerra" em três casos examinados no conflito contra Gaza; relatório apenas confirma o que já se sabia: primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que assassinou mais de 2 mil palestinos impunemente, é um criminoso de guerra <br clear="all"> :

Da Agência Lusa

Israel provavelmente cometeu crimes de guerra no conflito na Faixa de Gaza, disse hoje (11) a organização não governamental Human Rights Watch, um dia depois do Exército israelense anunciar a abertura de investigações criminais internas sobre ações envolvendo suas forças militares.

O conflito de 50 dias em Gaza entre os militantes liderados pelo Hamas terminou no dia 26 de agosto, após terem sido mortos 2.140 palestinos, a maioria civis, e 73 israelenses, 67 dos quais soldados.

Em comunicado, a organização de defesa dos direitos humanos com sede em Nova York diz que Israel causou a morte de "inúmeros civis em violação das leis da guerra" em três casos examinados.

Os incidentes foram os bombardeios de 24 e 30 de julho contra duas escolas das Nações Unidas no Norte da Faixa de Gaza, que abrigavam palestinos que fugiram dos confrontos. O terceiro refere-se ao disparo de um míssil, no dia 3 de agosto, contra uma terceira escola em Rafah, no sul. Os ataques provocaram 45 mortes, incluindo de 17 crianças, de acordo com a Human Rights Watch.

"Dois dos três ataques que a Human Rights Watch investigou aparentemente não visaram alvos militares e não foram mais do que ataques ilegalmente indiscriminados. O terceiro, em Rafah, foi ilegalmente desproporcional senão indiscriminado", informa o comunicado.

"Esses ataques ilegais praticados intencionalmente – ou seja, de forma deliberada ou impetuosa – são crimes de guerra", ressaltou a organização.

O Exército israelense anunciou nessa quarta-feira (10) ter aberto investigações criminais internas para cinco incidentes ocorridos durante o conflito (de 8 de julho a 26 agosto), incluindo o bombardeio de 24 de julho, contra uma escola da ONU no Norte do enclave palestino.

"Israel tem um longo histórico de fracassar em concluir investigações confiáveis a alegados crimes de guerra", enfatizou a Human Rights Watch.

Os palestinos ameaçaram apresentar queixa contra Israel no Tribunal Penal Internacional por crimes de guerra.

Mundo Gisele Federicce Thu, 11 Sep 2014 09:29:45 +0000 http://www.brasil247.com/153081
Vendas no varejo caem 1,1% em julho, diz IBGE http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153082 : Este foi o pior resultado desde outubro de 2008, informou o IBGE nesta quinta-feira 11; com esse dado, o setor não registra crescimento nas vendas há cinco meses; na comparação com um ano antes, as vendas varejistas recuaram 0,9% <br clear="all"> :

RIO DE JANEIRO (Reuters) - As vendas no varejo brasileiro surpreenderam e caíram 1,1 por cento em julho sobre junho, pior resultado desde outubro de 2008, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira.

Com esse resultado, o setor não registra crescimento nas vendas há cinco meses. Na comparação com um ano antes, as vendas varejistas recuaram 0,9 por cento.

A expectativa em pesquisa da Reuters era de que as vendas subissem 0,50 por cento em julho na base mensal segundo a mediana de 26 projeções, que foram de queda de 0,60 por cento a alta de 1,30 por cento.

Sobre o mesmo período do ano anterior, a expectativa era de alta de 1,90 por cento na mediana de 25 projeções, que variaram de recuo de 2,0 por cento a avanço de 4,4 por cento.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier e Felipe Pontes)

Economia Gisele Federicce Thu, 11 Sep 2014 09:40:21 +0000 http://www.brasil247.com/153082
Afinal, Neca Setubal é banqueira ou educadora? http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153060 AYRTON VIGNOLA: Brasil, S„o Paulo, SP, 31/08/2010. Retrato da candidata ‡ PresidÍncia da Rep˙blica pelo Partido Verde (PV), Marina Silva(e), que se re˙ne com um grupo de mulheres de diferentes ·reas de atuaÁ„o para falar sobre as propostas do programa de governo e da lid Coordenadora do programa de governo de Marina Silva, Neca Setubal deflagra, nesta quinta-feira, uma operação midiática para sair das cordas e deixar de representar um peso para sua candidata; em entrevista ao Estado de S. Paulo, ela diz ser alvo de "preconceito"; na Folha, conta com uma generosa reportagem em que é sempre identificada como "educadora"; no entanto, ela própria diz que vive com os dividendos que recebe como acionista do Itaú e foi na condição de banqueira, não de educadora, que ela doou R$ 1 milhão ou 83% de todos os recursos do instituto de Marina Silva; na primeira entrevista que concedeu, após a morte de Eduardo Campos, a acionista do Itaú defendeu a agenda dos bancos e não mencionou a palavra educação uma única vez; até o fim da disputa, Neca não sairá da linha de tiro <br clear="all"> AYRTON VIGNOLA: Brasil, S„o Paulo, SP, 31/08/2010. Retrato da candidata ‡ PresidÍncia da Rep˙blica pelo Partido Verde (PV), Marina Silva(e), que se re˙ne com um grupo de mulheres de diferentes ·reas de atuaÁ„o para falar sobre as propostas do programa de governo e da lid

247 - A coordenadora do programa de governo de Marina Silva, Maria Alice Setubal, conhecida como Neca, deflagrou, nesta quinta-feira, uma operação para tentar sair das cordas e deixar de representar um peso para sua candidata, depois que as pesquisas eleitorais desta semana apontaram os primeiros problemas na campanha do PSB. Em dois levantamentos, da CNT/MDA e do Datafolha, Marina perdeu pontos e passou a estar em empate técnico com a presidente Dilma Rousseff no segundo turno. Uma das razões é o fato de Marina estar extremamente associada a Neca, herdeira do Banco Itaú, que deu a ela R$ 1 milhão no ano passado (83% de toda a receita do seu instituto).

A ação de imagem de Neca Setubal envolveu dois jornais paulistas. Ao Estado de S. Paulo, ela concedeu uma entrevista à colunista Sonia Racy, em que diz ser alvo de um preconceito contra banqueiros que vem desde a Idade Média. Na mesma entrevista, enfatiza sua condição de "educadora" (leia aqui). Na Folha, ela contou com uma generosa reportagem, que vai na mesma linha. "Acionista do Itaú e colaboradora de Marina viveu afastada dos negócios da família", diz o título (leia aqui).

O tom da reportagem não poderia ser mais claro:

Aos 63 anos, a educadora Maria Alice Setubal, mais conhecida como Neca, é dona de 1,3% das ações do grupo (o equivalente a 0,5% do Itaú Unibanco), mas nunca teve cargo nas empresas comandadas pela família.

Ela já deu aula em escolas e numa faculdade, e trabalha há anos com educação, cultura e projetos sociais. Seus filhos também estão fora do Itaú. Os dois rapazes trabalham em bancos concorrentes. A filha é psicanalista.

Neca não tem, praticamente, nada a ver com os destinos do Itaú. E a orientação interna da Folha, que talvez tenha marinado, parece ser tratá-la sempre como "educadora".

O problema, no entanto, é que foi a própria Neca quem escolheu desempenhar o papel de banqueira e porta-voz da agenda dos bancos na campanha de Marina.

Afinal, foi na condição de banqueira ou educadora que ela doou 83% dos recursos do instituto que se dedica a alimentar o mito Marina Silva? 

O ponto mais importante não é esse. Logo após a morte de Eduardo Campos, Neca Setubal passou a falar em nome da candidata Marina Silva, numa entrevista concedida ao jornalista Fernando Rodrigues, e defendeu a agenda dos bancos. O título da reportagem foi explícito: "Marina Silva acena ao mercado e promete autonomia para o BC" (leia aqui).

Na longa entrevista, a "educadora" Neca Setúbal não menciona uma única vez a palavra "educação". No entanto, discorre longamente sobre metas de inflação, autonomia do Banco Central e outros temas econômicos. Diz, inclusive, que Marina concederá autonomia ao BC, mesmo sem concordar com esta tese. Eis um trecho:

Eduardo Campos falou várias vezes que a meta de inflação seria perseguir 4,5% nos próximos quatro anos para assumir uma meta, de 3%, a partir de 2019. Isso vai estar explicitado no programa?

Vai.

Dessa forma?
Dessa forma. Exatamente. A meta de inflação vai para o centro, para 4,5%, ao longo do governo de quatro anos. Para depois chegar a 3%. Isso está explícito.

Economistas ortodoxos e alguns do governo dizem que para reduzir a inflação ao longo de quatro anos nesse nível seria necessário aumentar juros e produzir desemprego no país. Esse tema é tratado no programa?
Não dessa forma, não vai dizer. Acho que não existe "vou aumentar juros". Nenhum programa vai colocar dessa forma.
O capítulo de economia tem um olhar que combina com uma parte da gestão de recursos naturais. Busca-se um diálogo com o desenvolvimento sustentável.
O Eduardo [Campos] tinha um compromisso com o social. Ao mesmo tempo que enfatizava a gestão, nunca perdia de vista o compromisso com a questão social. Ele dizia que conseguiria compor: trazer a inflação [para o centro da meta] e ter responsabilidade fiscal. No programa de governo tem o que ele falou. Ele já havia falado de ter um conselho de fiscalização.

Marina, como o programa já está pronto, concordava com todos esses pontos e vai assumi-los?
Vai assumi-los. Vai assumir todos os programas. Ela tinha se posicionado em alguns pontos de uma forma diferente do Eduardo. Por exemplo, o caso do Banco Central. Ela achava que não era necessário ter uma autonomia formal do Banco Central. Ela não achava que precisaria... 

De uma lei...
...De uma lei para dar mais autonomia. Mas acho que são os consensos. Existiam diferenças e o programa reflete o que é de consenso. Então ela, enfim, aceitou isso.

No caso do Banco Central, como Eduardo propunha autonomia, mandatos para o presidente e diretores, isso tudo está mantido e será assumido por Marina?
Será assumido pela Marina. A declaração dela é que vai assumir todos os compromissos do Eduardo.

No caso do Banco Central, uma lei seria proposta?
Muitas vezes, Marina falava: "Bom, isso não era a minha posição, mas essa foi a posição do Eduardo e a gente concordou com isso". Então, ela vai assumir essas posições.

A autonomia do Banco Central?
É.

A entrevista de Neca Setubal após a morte de Campos deixa absolutamente claro que ela não falava como "educadora", mas sim como "banqueira". Ou, na melhor das hipóteses, como herdeira de um grande banco, cujos dividendos a sustentam, assim como o instituto Marina Silva.

Economia Leonardo Attuch Thu, 11 Sep 2014 05:54:22 +0000 http://www.brasil247.com/153060
Com menos doações, PSDB enxuga orçamento http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/153059 : Após liderar no volume de arrecadações entre os principais candidatos à Presidência na primeira prestação de contas, o tucano Aécio Neves reuniu até 28 de agosto R$ 42 milhões; já a presidente Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva(PSB) declararam, no mesmo período, R$ 123 milhões e R$ 22 milhões em doações, respectivamente; isolado no terceiro lugar, comitê do PSDB ordenou corte de "supérfluos", como pesquisas internas <br clear="all"> :

247 – Isolado na terceira posição nas pesquisas de intenção de voto, o presidenciável Aécio Neves viu cair o valor de doações a sua campanha no último mês.

Após liderar o volume de investimentos entre os principais candidatos à Presidência na primeira prestação de contas, o tucano afirmou ter reunido até 28 de agosto R$ 42 milhões. Já a presidente Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva(PSB) declararam, no mesmo período, arrecadação de R$ 123 milhões e R$ 22 milhões, respectivamente.

A constatação fez com que o comitê do PSDB enxugasse o orçamento, cortando "supérfluos", como pesquisas internas. O coordenador financeiro da campanha, José Gregori, minimizou e disse que a arrecadação está "de acordo com o previsto, suprindo as necessidades".

Minas 247 Roberta Namour Thu, 11 Sep 2014 05:28:50 +0000 http://www.brasil247.com/153059
Merrill Lynch ajudou doleiro a trazer US$ 3,5 mi ao Brasil http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153058 : Em acordo de delação premiada, advogado Carlos Alberto Pereira da Costa, laranja de Alberto Youssef, afirma que o banco americano simulou empréstimo para uma empresa controlada pelo doleiro, a GFD Investimentos; operação realizada em 2008 teria sido sugerida por Júlio Lage, gerente do Merrill Lynch em Nova York <br clear="all"> :

247 - O banco americano Merrill Lynch organizou uma operação simulada para ajudar o doleiro Alberto Youssef, preso pela Polícia Federal, a trazer para o Brasil, em 2008, US$ 3,5 milhões. A informação foi revelada em depoimento do advogado Carlos Alberto Pereira da Costa.

Em acordo de delação premiada, o laranja de Youssef em uma empresa no Brasil e em duas nos Estados Unidos afirma que, para disfarçar a origem do dinheiro, o banco abriu uma linha de crédito para uma empresa controlada pelo doleiro, a GFD Investimentos.

A operação teria sido sugerida por Júlio Lage, gerente do Merrill Lynch em Nova York. Lage também aparece nas investigações do chamado “mensalão”, por uma das secretárias do publicitário Marcos Valério.

Leia aqui reportagem de Mario Cesar Carvalho sobre o assunto.

Brasil Roberta Namour Thu, 11 Sep 2014 05:23:13 +0000 http://www.brasil247.com/153058
Andrade Gutierrez pode ter pago propina na Santa Casa http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/153061 : Superintendente Antonio Carlos Forte e o tesoureiro Hercílio Ramos, responsáveis por fiscalizações de contratos na cúpula da Santa Casa de São Paulo, receberam R$ 100 mil por “serviços de consultoria” da Logimed, empresa do grupo Andrade Guitierrez que fornece suprimentos para o hospital; em julho, o atendimento emergencial da instituição ficou fechado por mais de 48 horas alegando falta de suprimentos medicais e uma dívida de R$ 50 milhões com os fornecedores <br clear="all"> :

247 – Dois responsáveis por fiscalizações de contratos na cúpula da Santa Casa de São Paulo, podem ter recebido suborno de R$ 100 mil da Logimed, empresa do grupo Andrade Guitierrez que fornece suprimentos para o hospital.

Em julho, o atendimento emergencial do hospital, que recebe 1,2 mil pacientes diariamente, ficou fechado por mais de 48 horas alegando falta de suprimentos medicais e uma dívida de R$ 50 milhões com os fornecedores.

O superintendente Antonio Carlos Forte e o tesoureiro Hercílio Ramos confirmam ter recebido o dinheiro por “serviço de consultoria”, mas negam terem beneficiado a Logimed.

Leia aqui reportagem de Rogério Pagnan sobre o assunto.

SP 247 Roberta Namour Thu, 11 Sep 2014 05:54:19 +0000 http://www.brasil247.com/153061
Política externa é novo alvo do PT contra Marina http://www.brasil247.com/pt/247/poder/153057 JOSE CRUZ                       : Após ressaltar contradições da candidata do PSB, Marina Silva, sobre o pré-sal, a independência do BC e o apoio à causa gay, a campanha pela reeleição da presidente Dilma Rousseff vai explorar riscos do programa da ex-senadora ao comércio internacional; Marina quer que questões ambientais e de direitos humanos sejam levadas em conta nas negociações <br clear="all"> JOSE CRUZ                       :

247 – A rejeição de eleitores à presidenciável do PSB, Marina Silva, bateu o seu recorde nessa semana desde que o PT passou a explorar as contradições de seu programa.

Depois de ressaltar declarações incoerentes sobre a produção do pré-sal, a independência do Banco Central e o apoio à causa gay, a campanha pela reeleição de Dilma Rousseff elegeu como novo front a política externa.

Segundo o colunista Bernardo Mello Franco, o PT vai acusar a candidata do PSB de pôr o comércio brasileiro em risco ao defender que questões ambientais e de direitos humanos sejam levadas em conta nas negociações sobre comércio internacional. Segundo petistas, isso poderia afetar as vendas de empresas brasileiras para países como China e Rússia, grandes compradores de soja, carne e minério.

Poder Roberta Namour Thu, 11 Sep 2014 05:47:07 +0000 http://www.brasil247.com/153057
Marina: BC independente traz credibilidade http://www.brasil247.com/pt/247/economia/153062 : Candidata do PSB à Presidência, Marina Silva sai em defesa de uma de suas propostas de governo mais polêmicas: a independência do Banco Central: “é importante para o restabelecimento da credibilidade da economia brasileira, condição para a retomada dos investimentos e do crescimento”; ela, no entanto, não diz se instituição BC cuidará também de uma meta de emprego, além da inflação <br clear="all"> :

247 – A presidenciável Marina Silva voltou a bater na tecla da independência do Banco Central, uma de suas propostas de governo mais polêmicas

Em entrevista ao site do Valor, ela afirma que isso "é importante para o restabelecimento da credibilidade da economia brasileira, condição para a retomada dos investimentos e do crescimento”. No entanto, não diz se a instituição perseguirá só a meta de inflação ou cuidará também de uma meta de emprego.

Questionada sobre seus compromissos que implicam gastos de R$ 140 bi nas contas do PT e R$ 157 bi nas do PSDB, ela afirma que está fazendo uma escolha. Dia que a redução de um ponto percentual nos juros, na taxa Selic, significa cerca de R$ 25 bilhões. “Este dinheiro circulando na economia alimenta o processo que nos ajuda a ir criando o espaço fiscal para os investimentos. O PT e o PSDB fazem a conta de deixar tudo como está e reivindicam ganhar a Presidência da República”, critica.

Quanto a questão do pré-sal, acusa o partido da presidente Dilma Rousseff de mentir: “O PT quer nos obrigar a dizer é que não se pode investir em tecnologia limpa, renovável e segura, que vamos desistir do etanol. Isso nós não vamos dizer. É possível fazer as duas coisas” (leia mais).

Economia Roberta Namour Thu, 11 Sep 2014 06:16:10 +0000 http://www.brasil247.com/153062
Pelé: Aranha precipitou-se ao denunciar racismo http://www.brasil247.com/pt/247/esporte/153056 : Rei do Futebol diz que se fizesse o mesmo que o goleiro do Santos em toda a partida que disputou e lhe fizeram ofensas racistas, não teria terminado nenhum jogo: "Se eu fosse parar o jogo ou gritar desde quando comecei a jogar, na América Latina, aqui no Brasil e no interior, toda vez que me chamassem de crioulo ou de macaco, aí todo jogo teria que parar. O torcedor, dentro da sua animosidade, ele está gritando ali. A gente tem que coibir o racismo, mas acho que não é tudo que vai coibir" <br clear="all"> :

Cristina Indio do Brasil - Repórter da Agência Brasil – Para o ídolo e ex-jogador de futebol Pelé, o goleiro do Santos, Aranha, precipitou-se quando manifestou-se publicamente no episódio de racismo em um jogo do Grêmio no Rio Grande do Sul. O Rei do Futebol diz que se fizesse o mesmo que Aranha em toda a partida que disputou e lhe fizeram ofensas racistas, não teria terminado nenhum jogo.

"O Aranha precipitou-se um pouco querendo brigar com a torcida. Se eu fosse parar o jogo ou gritar desde quando comecei a jogar, na América Latina, aqui no Brasil e no interior, toda vez que me chamassem de crioulo ou de macaco, aí todo jogo teria que parar. O torcedor, dentro da sua animosidade, ele está gritando ali. A gente tem que coibir o racismo, mas acho que não é tudo que vai coibir", disse.

Pelé acrescentou que "quanto mais atenção se der para isso, mais vai aguçar esta coisa. Tem que coibir o racismo, mesma coisa que pegar alguém de raça amarela, é racismo também, o pobre, como pessoa discriminada, é racismo também. Então tem que tomar muito cuidado com as ações das pessoas". Pelé destacou que é preciso verificar as reações do público, porque podem ocorrer casos de torcedores que agem de forma negativa com a camisa ou nas instalações de um clube justamente para prejudicar uma agremiação adversária.

Pelé esteve hoje (10) na inauguração de um campo de futebol no Morro da Mineira, no Catumbi, zona central do Rio de Janeiro, que faz parte de um projeto de uma parceria da prefeitura do Rio de Janeiro, por meio do Programa Rio + Social, com o Instituto Pereira Passos e a empresa de energia Shell.

Na inauguração das novas instalações do projeto, Pelé assinou camisas e até chuteiras e cumprimentou moradores. No meio do campo, o Rei do Futebol entregou para o presidente da Associação de Moradores do Morro da Mineira, Pedro Paulo Ferreira, uma bola autografada e assistiu a uma apresentação de quatro integrantes de um grupo de passinho (estilo de dança que mistura ritmos como funk, break, samba, frevo e forró). Ao cumprimentar os dançarinos, surpreso com as habilidades deles, perguntou: " Vocês são de borracha?".

Pelé também comentou um pouco sobre a seleção de futebol do Brasil. Ele disse que o atacante Neymar já é uma referência em campo, por isso não precisaria ocupar a função de capitão da seleção brasileira. "Se o Neymar já é uma referência, acho que o capitão podia ser outro. É talvez uma maneira de pensar. Acho que podíamos ter dois homens dentro de campo com duas referências para o árbitro respeitar", disse. "Para se fazer uma seleção não pode ter apenas o número 10. Tem que fazer uma equipe e Neymar sozinho não vai ganhar a Copa do Mundo".

O Rei do Futebol também falou sobre o técnico Dunga, que considera uma pessoa confiável e séria. Pelé disse acreditar na reestruturação do time brasileiro, mas é preciso investir na formação de jogadores e não deixar a tarefa para empresários. "Não é difícil remontar a seleção brasileira se a gente realmente fizer um trabalho mais sério. Um dos problemas que tivemos nos últimos anos, a seleção brasileira, embora tivesse os melhores jogadores do mundo, a formação sempre dependia de empresários. Esse é um cuidado que temos que ter daqui para frente. Para o empresário não interessa muito se o time vai vencer ou não, o empresário quer é botar os seus jogadores [na seleção]", disse.

Esporte Roberta Namour Thu, 11 Sep 2014 05:35:38 +0000 http://www.brasil247.com/153056
Sob risco de investigação, Marina altera patrimônio http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152997 : Candidata do PSB enviou retificação à Justiça Eleitoral acrescentando R$ 45,6 mil ao seu patrimônio, no mesmo dia em que foi publicada na imprensa a intenção da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) de pedir ao Ministério Público investigação sobre ocultação de bens de Marina Silva; valor acrescentado representa um terço do patrimônio total que ela havia declarado em julho, que agora passou de R$ 135 mil para R$ 181 mil; correção e ameaça de investigação aconteceram quatro dias depois de revelação do faturamento da empresa de palestras da presidenciável, de R$ 1,6 milhão em três anos <br clear="all"> :

247 – Quatro dias depois da revelação, por uma reportagem da Folha de S. Paulo, de que a empresa de palestras de Marina Silva havia registrado faturamento de R$ 1,6 milhão entre março de 2011 e maio de 2014, a candidata do PSB enviou uma retificação à Justiça Eleitoral para corrigir seu patrimônio.

De acordo com informação divulgada hoje pelo jornal, a presidenciável acrescentou R$ 45,6 mil ao seu patrimônio, aplicados em poupança e renda fixa no HSBC. A quantia representa um terço do que ela havia declarado anteriormente, no início de julho, como sendo o total de seus bens. O patrimônio sobe agora de R$ 135 mil para R$ 181 mil.

A correção foi solicitada por Marina no mesmo dia em que foi divulgada na imprensa a intenção da campanha do PT, da presidente Dilma Rousseff, de pedir ao Ministério Público investigação sobre ocultação de bens da candidata, por conta do faturamento de sua empresa.

Segundo o advogado da campanha de Marina, Ricardo Penteado, o que ocorreu foi um esquecimento na primeira declaração feita à Justiça Eleitoral. Os valores, segundo ele, estão todos informados na declaração de Imposto de Renda da candidata.

Poder Gisele Federicce Wed, 10 Sep 2014 16:27:49 +0000 http://www.brasil247.com/152997
Marina defende Neca: "está sendo satanizada" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152992 : Candidata do PSB diz que Neca Setubal, herdeira do Itaú e coordenadora de seu programa de governo, é vítima da "visão autoritária da esquerda", que, segundo ela, protege quem está do lado deles, mas "sataniza" quando se tem outra escolha; Marina também defendeu que a autonomia do Banco Central "é para controlar a inflação, conquistar credibilidade para o Brasil voltar a crescer e preservar o emprego" <br clear="all"> :

247 – A presidenciável pelo PSB, Marina Silva, defendeu nesta quarta-feira 10 sua aliada Neca Setubal, herdeira do banco Itaú e coordenadora de seu programa de governo. Para Marina, ela está sendo "satanizada" e "vítima de uma visão autoritária da esquerda", que defende quem está do seu lado, mas critica quem fez outra escolha.

"Há uma visão autoritária da esquerda que se você estiver a serviço deles, você está ungido pelo manto de sua proteção. Se você tem outra escolha, aí você é satanizado. A Neca ajudou no programa do Haddad e, naquele momento, era tratada como educadora. Agora está sendo tratada como banqueira", disse Marina.

A candidata, que cumpre agenda na zona leste da capital paulista, rebateu também a declaração da presidente Dilma Rousseff, que provocou Marina ontem ao dizer que não está sendo "sustentada" por banqueiro. ""Em 2010, quem recebeu a maior quantidade de doações e financiamento de campanha do Banco Itaú foi a própria Dilma", afirmou a adversária.

Marina também falou sobre a proposta de autonomia do Banco Central e defendeu que ela servirá para controlar a inflação e preservar os empregos. Leia abaixo reportagem da Reuters:

Marina rebate Dilma e diz que autonomia do BC é para preservar empregos

SÃO PAULO (Reuters) - A candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, disse nesta quarta-feira que a institucionalização da autonomia do Banco Central defendida por ela terá como objetivo em um eventual governo seu a retomada da credibilidade para que o Brasil volte a crescer e a preservação do emprego.

Visivelmente incomodada com a campanha negativa feita pela candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), Marina disse que seus adversários --PT e PSDB-- têm atuado apenas para "desconstruir" suas propostas acrescentando que os advogados da campanha tomarão as providências contra o que chamou de "mentiras" e "calúnias".

"Banco Central autônomo é para controlar a inflação, conquistar credibilidade para o Brasil voltar a crescer e preservar o emprego", disse Marina a jornalistas após visitar uma casa que dá atendimento a vítimas de violência doméstica na zona leste de São Paulo.

A candidata respondia a um anúncio da campanha de Dilma que afirma que a autonomia do BC defendida por Marina entregaria aos "banqueiros" decisões como taxa de juros, emprego e salários. O anúncio mostra um grupo de homens engravatados sorrindo em uma sala em contraste com uma família à mesa de jantar, que vai ficando cada vez mais preocupada com o que poderia acontecer.

A coligação encabeçada pelo PSB entrou junto ao Tribunal Superior Eleitoral com dois pedidos de direito de resposta contra a campanha petista: um por conta do anúncio sobre a autonomia do BC e outro que afirma que Marina reduziria os investimentos no pré-sal, o que foi novamente negado nesta quarta pela candidata do PSB.

Marina reclamou ainda das perguntas dos jornalistas em busca de respostas dela aos ataques da campanha do PT e voltou a cobrar que Dilma e o candidato do PSDB, Aécio Neves, apresentem seus programas de governo, como ela fez no último dia 29.

"Gostaria muito que os nossos adversários estivessem fazendo o mesmo que nós, tivessem apresentado um programa de governo para ser debatido", disse Marina.

"Cada um que pega o nosso programa de governo é para desqualificar", reclamou.

Marina pediu que a sociedade que quer mudanças, que segundo ela é representado pelo seu projeto, defenda sua candidatura nas redes sociais. Questionada se sentia-se injustiçada pela imprensa, a candidata do PSB não respondeu diretamente, mas disse que os jornalistas poderiam ajudar a esclarecer o eleitorado.

"Eu me sinto injustiçada pelas mentiras e pelos boatos que estão sendo feitos. E a imprensa pode ajudar. É só verificar o nosso programa de governo e dizer 'estão dizendo que vai acabar com o Bolsa Família, mas aqui está dizendo que vai manter o Bolsa Família'" , disse.

"Não vejo em que a verdade possa prejudicar, só vejo como pode ajudar."

Marina disse ainda que a visita que fez à entidade que fornece atendimento psicológico a vítimas de violência doméstica foi mais uma das "visitas técnicas" que realizou com o objetivo de conhecer "experiências bem-sucedidas que possam ser transformadas em políticas públicas" caso ela vença a eleição em outubro.

(Reportagem de Eduardo Simões)

Poder Gisele Federicce Wed, 10 Sep 2014 15:09:16 +0000 http://www.brasil247.com/152992
Itaú faz mesmo um bom negócio ao bancar Marina? http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152985 : Com doação de R$ 2 milhões do banco Itaú à campanha de Marina Silva, do PSB, realizada em 5 de agosto, declaração de voto do presidente da instituição, Roberto Setubal, "pela mudança" e o fim "dessa política econômica medíocre" e apoio financeiro e intelectual dado pela herdeira Neca Setubal a Marina – ela doou R$ 1 milhão ao Instituto Marina Silva, equivalente a 83% do orçamento da entidade em 2013 –, exposição de marca vai ao limite; antes, banco já havia mudado cartão de crédito de Redecard para Rede, coincidindo com nome de partido que Marina tentou fundar; já se sabe, portanto, que Itaú e Marina estão juntos, um dos motivos apontados para a queda da candidata nas pesquisas; politização radical é positiva para uma instituição financeira? <br clear="all"> :

247 – Os marqueteiros do banco Itaú devem estar curiosos para ver onde vai dar. Comandado e executado pessoalmente pelo presidente Roberto Setubal e a irmã dele, a herdeira Neca Setubal, um plano que, na prática, grudou a marca, como um carimbo ou uma tatuagem, na candidatura de Marina Silva à Presidência da República, foi posto em prática. E, se era mesmo para ter como resultado uma associação direta, pelo pública, entre a ex-seringueira pobre e a marca do maior banco privado do Brasil, de R$ 5,1 bilhões de lucro no primeiro semestre, deu certo.

Mas para quem?

Do ponto de vista de Marina, a sobreposição de imagens tem se mostrado nefasta. Em 5 de agosto, o PSB recebeu uma doação formal do Itaú de R$ 2 milhões. Em seguida, na festa de 90 anos do Unibanco, Setubal discursou sua posição "pela mudança" e pelo "fim dessa política econômica medíocre". Declarou-se, na interpretação generalizada, por Marina. O mesmo que fez, muito tempo antes, sua irmã e herdeira do banco, Neca Setúbal.

No ano passado, Neca foi responsável por 83% de todos os recursos que abasteceram o Instituto Marina Silva, fundação criada pela candidata do PSB. Neca fez um gesto financeiro de R$ 1 milhão, e nunca deixou de ser uma das principais conselheiras da candidata. A herdeira do Itaú apresentou-se como coordenadora do programa de governo, pelo lado do Rede, durante a feitura em conjunto com o PSB. A peça, de 242 páginas, deu no que deu: comprovações de trechos plagiados, contraditórios e duramente criticados. Num deles, defende-se a autonomia do Banco Central, proposta reafirmada por Marina ainda na terça-feira 9.

Não há dúvidas, entre analistas de pesquisas e observadores da cena eleitoral, que a associação com o Itaú tem contribuído decisivamente para prejudicar o desempenho de Marina. Na pesquisa Vox Populi divulgada hoje, a candidata do PSB já apareceu oito pontos atrás da presidente, com 28% contra 36% da líder.

A presidente Dilma escolheu uma frase dura, porém verdadeira, para referir-se à ligação tão próxima de Marina com o Itaú, a ponto de aceitar doações para seu instituto, sempre tão cioso em selecionar fontes de recursos.

- Eu não sou sustentada por banqueiros, declarou Dilma, num verdadeiro direto de esquerda sobre a oponente.

Até aqui, a unidade de Marina com Neca e o mundo que ela representa foi sempre positiva para a candidata. Ao mudar, continuará a ser interessante para Marina aparecer tão colada à antiga parceira? E para os negócios do irmão de Neca, Roberto Setubal, o que poderá significar uma derrota de Marina. Se, em caso de vitória, ele será visto como um dos nomes politicamente mais fortes do sistema financeiro nacional, o que será de se prestígio em caso de resultado reverso? No ano passado, Setubal adiou a sua própria aposentadoria, mexendo nos estatutos do banco para poder ficar mais um ano. Se o movimento de "mudança" não der certo, ele não terá novos motivos para permanecer.

E a marca? O que pode acontecer com a marca Itaú?

Economia Ana Pupulin Wed, 10 Sep 2014 14:32:08 +0000 http://www.brasil247.com/152985
Receita cobra R$ 13 milhões de Andrés Sanchez, acusado de burlar fisco http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/152994 : Ex-presidente do Corinthians e candidato a deputado federal pelo PT, Andrés Sanchez é acusado de armar um esquema para burlar o fisco e sonegar impostos; ele, seu sócio e uma de suas firmas devem à Receita Federal R$ 13,9 milhões relativos a impostos não recolhidos <br clear="all"> :

247 – O ex-presidente do Corinthians e candidato a deputado federal pelo PT, Andrés Sanchez, deve à Receita Federal, junto com um sócio, R$ 13,9 milhões relativos a impostos não recolhidos.

A dívida é proveniente de cerca de R$ 40 milhões em lucro não declarado de uma de suas empresas. Sanchez é acusado de articular um esquema para burlar o fisco e sonegar impostos. Outra acusação aponta ainda que o ex-cartola usou um laranja para esconder seus lucros.

Os crimes são relacionados à pequena empresa Orion, que, no poder de Sanchez e seus sócios, movimentou em 2005 R$ 42,3 milhões, mesmo tendo um capital social de apenas R$ 5 mil.

SP 247 Gisele Federicce Wed, 10 Sep 2014 15:38:42 +0000 http://www.brasil247.com/152994
"Dilma desmoralizou a reeleição", diz Aécio no Rio http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/153000 : Em caminhada na Zona Oeste da capital fluminense, o presidenciável Aécio Neves (PSDB) disse que é contra a reeleição e defendeu mandato único de cinco anos para todos os governantes e criticou a presidente Dilma; "Eu apresentei essa proposta lá atrás, pelo fim da reeleição. Eu acho que a presidente da República desmoralizou a reeleição. Mandato de cinco anos para todo mundo", afirmou o tucano <br clear="all"> :

Vladimir Platonow – Repórter da Agência Brasil

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, disse hoje (10) que é contra a reeleição e defendeu mandato único de cinco anos para todos os governantes. Ele participou de uma caminhada no calçadão de Campo Grande, bairro da zona oeste do Rio.

"Eu apresentei essa proposta lá atrás, pelo fim da reeleição. Eu acho que a presidente da República desmoralizou a reeleição. Mandato de cinco anos para todo mundo", afirmou o candidato, enquanto caminhava pelo calçadão, cercado por cabos eleitorais e por simpatizantes, que se esforçavam para vê-lo de perto e tentar fazer uma foto com ele.

Aécio parou por cerca de cinco minutos para falar com a imprensa e frisou as diferenças entre um possível governo seu e um de Marina Silva, candidata do PSB, segunda colocada nas pesquisas de intenção de voto, lideradas pela presidenta Dilma Rousseff, que disputa a reeleição pelo PT.

"Eu não conheço as propostas da Marina, até porque elas mudam a todo tempo. Eu tenho um projeto para o Brasil. O país não é para principiantes. O Brasil terá um quadro extremamente complexo a enfrentar, do ponto de vista econômico", ressaltou o presidenciável tucano.

Depois de percorrer cerca de 200 metros pelo calçadão, Aécio embarcou em um dos carros de sua comitiva e deixou Campo Grande.

Rio 247 Leonardo Lucena Wed, 10 Sep 2014 16:58:16 +0000 http://www.brasil247.com/153000
Vazamento de delação foi feito "de forma seletiva" http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/153002 Valter Campanato/ABr: Afirmação é do deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), que negou participação em suposto esquema de corrupção delatado pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa; "A notícia não cita fonte de um vazamento que, além de ilegal, é feito declaradamente de forma seletiva, já que entre dezenas de deputados que teriam sido envolvidos o meu nome foi destacado", disse o parlamentar <br clear="all"> Valter Campanato/ABr:

Karine Melo e Marina Jungmann - Repórteres Agência Brasil 

O deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) negou, nesta quarta-feira (10), participação em um suposto esquema de pagamento de propina envolvendo a Petrobras, empresas e políticos. O parlamentar é um dos citados em reportagem publicada na última edição da Veja.

Segundo a revista, o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, revelou em depoimentos à Polícia Federal (PF) que três governadores, seis senadores, um ministro [Edison Lobão, de Minas e Energia] e pelo menos 25 deputados federais foram beneficiados com pagamentos de propina de contratos com fornecedores da estatal.

"A notícia não cita fonte de um vazamento que, além de ilegal, é feito declaradamente de forma seletiva, já que entre dezenas de deputados que teriam sido envolvidos o meu nome foi destacado", disse o parlamentar. Vaccarezza acrescentou que não se preocupará com as denúncias e nem contratará advogado.

O deputado disse desconhecer a veracidade das declarações da contadora do doleiro Alberto Youseff, Meire Poza. Ela teria sido procurada por um assessor dele [Cândido Vaccarezza] interessado em fazer investimentos em um fundo operado pelo doleiro.

Brasil Gisele Federicce Wed, 10 Sep 2014 16:45:14 +0000 http://www.brasil247.com/153002
Desemprego continua "um dos menores do mundo" http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152972 : Ministro da Fazenda, Guido Mantega, considera normal a queda do emprego industrial; em julho, a indústria brasileira teve redução de 0,7% no emprego em comparação com junho; "Nós temos uma rotatividade que é normal. Em alguns momentos é um pouco maior a saída em algum setor. Mas o que interessa é o saldo geral, que [indica que] o emprego continua aumentando e o nosso desemprego continua sendo um dos menores do mundo", defendeu <br clear="all"> :

Daniel Lima - Repórter da Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, considera normal a queda do emprego industrial. Hoje (10) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que a indústria brasileira teve redução de 0,7% no emprego em julho, na comparação com junho. Em 2014, o setor já acumula perda de 2,6%.

"Nós temos uma rotatividade que é normal. Em alguns momentos é um pouco maior a saída em algum setor. Mas o que interessa é o saldo geral, que [indica que] o emprego continua aumentando e o nosso desemprego continua sendo um dos menores do mundo", defendeu Mantega.

O IBGE informou ainda que, no índice acumulado no ano, o emprego industrial acumulou taxas negativas em treze dos quatorze locais e em quatorze dos dezoito setores investigados. São Paulo (-3,7%) apontou o principal impacto negativo, vindo a seguir Rio Grande do Sul (-4,0%), Paraná (-3,9%), Minas Gerais (-1,8%), Região Nordeste (-1,3%) e Rio de Janeiro (-1,9%). O instituto destacou, porém, que Pernambuco, com avanço de 1,1%, exerceu a única pressão positiva.

Setorialmente, apontam os dados do IBGE, as contribuições negativas mais relevantes vieram de produtos de metal (-6,7%), máquinas e equipamentos (-5,0%), máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (-6,7%), calçados e couro (-7,7%), meios de transporte (-3,7%), produtos têxteis (-5,1%), refino de petróleo e produção de álcool (-8,3%), vestuário (-2,6%) e outros produtos da indústria de transformação (-3,2%). Já os principais impactos positivos vieram de alimentos e bebidas (0,5%) e produtos químicos (1,9%).

Economia Gisele Federicce Wed, 10 Sep 2014 12:06:21 +0000 http://www.brasil247.com/152972
Paulo Roberto Costa será ouvido pela CPMI da Petrobras http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/152978 : Logo após reunião de líderes do Congresso, nesta manhã, o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), presidente da CPI Mista da Petrobras, informou que o ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa será convocado a depor na comissão; expectativa é de que ele seja ouvido na próxima quarta-feira 17 e a CPI já está tomando providências para seu transporte do Paraná, onde está preso, para Brasília <br clear="all"> :

Agência Senado - Diante da divulgação de informações relacionadas ao processo de delação premiada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, preso pela Polícia Federal na Operação Lava Jato, a CPI mista que investiga denúncias de irregularidades na estatal decidiu convocá-lo para prestar depoimento. Ele será ouvido na próxima quarta-feira (17).

A determinação foi anunciada nesta quarta-feira (10) pelo presidente da CPI, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), após reunião de líderes em seu gabinete.

- Nós queremos ouvi-lo. Durante esse processo, a nossa assessoria e a diretoria da comissão vão tomar as providências cabíveis para o translado do senhor Paulo Roberto – anunciou Vital.

A convocação de Costa pela CPI mista já tinha sido aprovada antes do processo de delação premiada. O ex-diretor da Petrobras depôs à CPI exclusiva do Senado em junho. À época, porém, ele afirmou que não tinha envolvimento em qualquer fraude em contratos e alegou desconhecer as atividades de Alberto Youssef como doleiro. O ex-executivo, que havia sido solto por decisão do ministro do STF Teori Zavascki, voltaria a ser preso no dia seguinte ao depoimento.

Além da convocação de Paulo Roberto Costa, a CPI mista elaborou um ofício para requerer à Justiça Federal no Paraná acesso a todas as informações referentes aos depoimentos de Costa, mesmo com o processo de delação premiada ainda em curso.

- A CPI, com seus poderes constitucionais, terá a responsabilidade de receber e guardar os documentos apresentados. Já determinamos a elaboração de uma petição para o senhor ministro Teori Zavascki [relator do processo no STF] para que esses documentos coletados na delação premiada possam vir automaticamente à comissão. Este é o nosso direito. A CPI quer ser parte nesse processo. A delação está em curso e temos insistindo para o que já foi coletado possa vir à comissão – explicou Vital.

Questionado sobre o fato de o processo correr em sigilo de justiça, o que impediria o acesso a essas informações, Vital respondeu:

- A CPI não é qualquer pessoa. Ela tem os poderes constitucionais – reiterou.

Reunião

Outra providência tomada pelos parlamentares foi a redação de uma petição solicitando uma reunião com Teori Zavascki para discutir o compartilhamento de informações sobre o processo.

- Estou insistindo muito com essa audiência para discutirmos e afinarmos os procedimentos. Vamos integrar as ações do Supremo com a CPI – afirmou Vital.

Para o senador José Agripinio (DEM-RN), que participou da reunião, marcar o depoimento antes mesmo da chegada das informações da delação premiada não atrapalhará o trabalho da CPI.

- Não dá para fazer compatibilizações. Temos que tomar iniciativas como marcar a vinda dele. Não tem que ficar vinculando uma coisa com a outra – disse o líder do DEM no Senado.

Nestor Cerveró

Além da reunião de líderes, está marcado para a tarde desta quarta (10), às 14h30, o depoimento do ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró. Ele vai falar sobre a compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), por ter sido autor do resumo executivo que embasou a decisão a favor do negócio, que custou US$ 1,24 bilhão aos cofres da empresa.

Além de denúncia de que teria repassado imóveis a familiares logo após o caso Pasadena ter surgido na imprensa, Cerveró será questionado sobre um apartamento onde morou durante cinco anos em Ipanema, no Rio de Janeiro. O imóvel é cotado em R$ 7,5 milhões e, segundo a revista Veja, pertence a uma empresa offshore com sede no Uruguai. Offshores são empresas abertas fora dos países de origem dos proprietários, em geral para fugir da tributação.

Brasília 247 Gisele Federicce Wed, 10 Sep 2014 12:52:13 +0000 http://www.brasil247.com/152978
Bolsa fecha na 6ª baixa seguida em dia de pesquisas http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152973 : Queda tinha sido acentuada durante a manhã pela divulgação da pesquisa Vox Populi que, assim como outros levantamentos, mostrou Dilma e Marina empatadas em um eventual segundo turno e chegou a ter baixa de 2,09%. Porém, o índice amenizou, fechando em baixa de 0,81%, a 58.198 pontos, respeitando o patamar dos 58 mil pontos. Agora, o mercado espera pelo Datafolha, que será divulgado no Jornal Nacional <br clear="all"> :

Por Lara Rizério

SÃO PAULO - Em queda desde a abertura, o Ibovespa encerrou esta quarta-feira (10) em sua sexta sessão consecutiva de baixa. A queda tinha sido acentuada pela divulgação da pesquisa Vox Populi que, assim como outros levantamentos, mostrou Dilma e Marina empatadas em um eventual segundo turno e chegou a ter baixa de 2,09%. Agora, o mercado espera pelo Datafolha, que será divulgado hoje no Jornal Nacional. Porém, o índice amenizou, fechando em baixa de 0,81%, a 58.198 pontos, respeitando o patamar dos 58 mil pontos. Na última uma hora e meia de pregão, o índice "subiu" 1,3%. Os papéis da Petrobras, bancos tiveram um novo dia de baixa.

A pesquisa Vox Populi, encomendada pela Carta Capital, mostrou um cenário mais acirrado na corrida presidencial. No primeiro turno, Dilma segue na frente, com 36% das intenções de voto, enquanto Marina aparece com 28%, seguida de Aécio Neves, com 15%. Em caso de segundo turno, a candidata petista está empatada tecnicamente com Marina: 42% a 41% para a candidata do PSB.

Ainda no radar dos investidores está a nova pesquisa Datafolha, que deve ser divulgada na noite de hoje, no Jornal Nacional. Ontem o dia ficou marcado por outra pesquisa, a CNT/MDA, que também mostrou um empate entre Marina e Dilma. Além disso, o rebaixamento da perspectiva de rating do Brasil para negativa feito pela Moody's levou um maior pessimismo para os investidores.

Ainda sobre o noticiário de estatais, a Petrobras voltou novamente para o foco em meio ao depoimento de Nelson Cerveró na CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito). O ex- diretor internacional da estatal, disse que apesar da imagem negativa que se criou em torno da aquisição da refinaria de Pasadena (EUA), o cenário atual é "altamente favorável nos próximos anos" para a estatal brasileira. "Essa refinaria hoje processa em sua capacidade máxima e atende plenamente a produção de gasolina no mercado americano", declarou.

Juros nos EUA guiam sessão

Já no exterior, os principais índices asiáticos encerraram esta quarta em queda, enquanto as bolsas europeias fecharam estáveis, com os mercados à espera de novidades sobre uma possível elevação da taxa de juros feita pelo Federal Reserve. O dólar chegou a ultrapassar os R$ 2,30, mas fechou praticamente estável.

Investidores seguem apostando que o Fed irá subir suas taxas de juros antes que o esperado, após a economia do país mostrar uma melhora na taxa do emprego e índices de inflação melhorarem. Porém, o noticiário corporativo e as ações do setor de tecnológico influenciaram positivamente as bolsas norte-americanas, que fecharam em alta.

Economia Gisele Federicce Wed, 10 Sep 2014 12:06:24 +0000 http://www.brasil247.com/152973
Clube Militar nega apoio a Marina e diz preferir Aécio http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/152987 : Em nota, entidade diz que tucano, o "menos pior", foi o único a ser convidado para expor seu plano de governo. Mas não compareceu, talvez pela "mudança radical do cenário político, em seu desfavor"; na semana passada, outra nota do clube se referiu a Marina Silva como "um fio de esperança" <br clear="all"> :

Por Rede Brasil Atual

São Paulo – O Clube Militar divulgou nota para informar que não está apoiando a candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, e manifestou preferência – ainda que chamando de o "menos pior" – ao tucano Aécio Neves. A entidade lembra que o candidato do PSDB foi único a ser convidado pelos presidentes dos clubes militares para expor o seu plano governo, mas não compareceu.

"Estava tudo acertado com seus coordenadores de campanha (Otávio Leite e Marcio Fortes). Infelizmente, o candidato desistiu, depois da tragédia aérea", diz a nota, assinada pelo presidente do Clube Militar, general Gilberto Rodrigues Pimentel, em referência ao acidente que matou o então candidato do PSB, Eduardo Campos, em 13 de agosto. "A mudança radical do cenário político, em seu desfavor, parece tê-lo (Aécio) obrigado a rever seus compromissos. Avaliou que sua agenda não devia mais nos incluir. Pena também é que seus correligionários já dão sinais de aceitarem a derrota", afirma o general.

O esclarecimento é motivo pelo fato de um outro artigo, escrito na semana passada pelo general Clovis Bandeira, ter sido interpretado como um apoio a Marina. O título do texto, Um fio de esperança, deve ser visto, diz Pimentel, "como a esperança do fim da era Lula/PT, que tantos males já causou ao país" e não como favorável à candidata do PSB.

"Observe que o texto do Gen. Bandeira, que discutimos bastante, não tem uma só palavra de elogio a Marina, muito pelo contrário. Seria total incoerência apoiá-la. Moveu-me, na oportunidade, o desejo de recolocar o Clube na mídia, no debate, do que tanto nos ressentimos, mas não se consegue isso sem um mínimo de polêmica. Assim funcionam as coisas", escreve o general Pimentel, que disse ter sugerido o título "provocativo".

Rio 247 Gisele Federicce Wed, 10 Sep 2014 14:32:06 +0000 http://www.brasil247.com/152987
Vox Populi: Dilma abre 8 pontos sobre Marina http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152966 : Na simulação de primeiro turno, pesquisa Carta Capital/Vox Populi mostra presidente Dilma Rousseff, 36%, Marina Silva, 28% e Aécio Neves, 15%; simulação de segundo turno revela novo crescimento de Dilma sobre adversária; enquanto Marina marcou 42%, presidente fez 41%; expectativa agora é pela divulgação da pesquisa Datafolha; mercado financeiro abre dia em agitação; no campo político, petistas vão insistir em desconstrução da adversária do PSB; números mostram que está dando certo; como Marina irá reagir? <br clear="all"> :

247 – Os disparos feitos em todas frentes de campanha pelo PT contra a candidata do PSB, Marina Silva, estão dando resultados. Um dia após pesquisas MDA e Ibope apresentarem números de recuperação da presidente Dilma Rousseff no Brasil e nos Estados chave do Rio de Janeiro e São Paulo, levantamento do instituto Vox Populi, contratado pela revista Carta Capital, apresentou uma dianteira de oito pontos de Dilma sobre Marina em primeiro turno, com 36% e 28%, respectivamente. O candidato do PSDB, Aécio Neves, ficou com 15%.

Na projeção de segundo turno, nova notícia boa para a petista. Marcando 41% contra 42% da adversária, Dilma chegou pela segunda vez a uma situação de empate técnico com Marina, antes apontada pelo MDA. Entre Dilma e Aécio, segundo o Vox, a presidente seria reeleita por 44% a 36%. 

Pesquisa Datafolha será divulgada também hoje – e a expectativa é a de que o quadro siga em mudança favorável para Dilma. Além de os ataques disparados pela propaganda do PT sobre pontos frágeis da candidata do PSB, como a posição dúbia sobre o pré-sal e a reafirmada autonomia do Banco Central, há mais um fator: Marina está reagindo mal.

O máximo que a candidata do PSB conseguiu fazer, até agora, foi dizer que está sendo “alvo de muitas pedras”, de “calúnias” e “mentiras”. Mas não está conseguindo convencer a respeito dos improvisos, plágios e paradoxos de seu programa de governo, sua real posição sobre o Pré-Sal e a questão da autonomia do Banco Central. Quanto a esta última, Marina reafirmou que, sim, é isso mesmo o que pretende fazer, “para livrar o BC dos interesses políticos”. Desse jeito, está lutando ao feitio que Dilma, Lula e o marqueteiro João Santana queriam.

Esta foi a primeira pesquisa do instituto depois da morte do ex-candidato do PSB Eduardo Campos e a entrada de Marina Silva na disputa ao Palácio do Planalto. Desta forma, não existe base de comparação com levantamentos anteriores. Os demais candidatos somam 2%. Brancos e nulos seriam 7%. Outros 13% não souberam indicar um candidato ou não quiseram responder.

Abaixo, reportagem da agência Reuters sobre a pesquisa:

Vox Populi mostra Marina com 42% e Dilma com 41% no segundo turno

(Reuters) - Pesquisa Vox Populi divulgada nesta quarta-feira mostrou a ex-ministra Marina Silva (PSB) com 42 por cento das intenções de voto contra 41 por cento da presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT), em empate técnico, em um eventual segundo turno da eleição presidencial de outubro.

Segundo a pesquisa, publicada no site da revista Carta Capital, Dilma lidera no primeiro turno com 36 por cento das intenções de voto, ante 28 por cento de Marina e 15 por cento de Aécio Neves, do PSDB. A margem de erro de 2,2 pontos.

O levantamento é o primeiro do instituto Vox Populi para a revista Carta Capital desde a entrada de Marina na corrida presidencial no lugar de Eduardo Campos, que morreu em acidente aéreo em agosto.

Levantamentos da semana passada dos institutos Datafolha e Ibope, cujas pesquisas são mais frequentes e mais utilizadas, mostraram Dilma e Marina empatadas no primeiro turno, sendo que a ex-ministra venceria em um eventual segundo turno.[nL1N0R503V]

O campo da pesquisa Vox Populi foi realizado após a divulgação, na sexta-feira, de denúncias de um suposto esquema de corrupção na Petrobas.

Informações vazadas a partir do depoimento do ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa à Política Federal, mediante delação premiada, revelaram um suposto esquema de repasse de recursos a políticos de partidos da base aliada do governo.

De acordo com a Carta Capital, no entanto, o caso "ainda não surtiu efeitos eleitorais".

O tucano Aécio Neves tem o maior índice de rejeição entre os candidatos, com 45 por cento, de acordo com a pesquisa, enquanto a rejeição a Dilma alcança 42 por cento e a Marina, 40 por cento.

O Vox Populi entrevistou 2 mil eleitores entre os dias 8 e 9 de setembro, em 147 municípios do país.

(Por Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro)

Poder Gisele Federicce Wed, 10 Sep 2014 11:34:21 +0000 http://www.brasil247.com/152966
Aécio tenta resistir: "não saí de uma nuvem" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152960 : Maior vítima do crescimento rápido da candidata Marina Silva, do PSB, tucano procura marcar posição em sabatina no jornal O Globo; contrário à reeleição – "faz mal ao Brasil" – e defensor de uma estrutura menor de governo, Aécio Neves (PSDB) tenta se diferenciar da adversária que o ultrapassou sem, no entanto, suspender as críticas à presidente Dilma Rousseff; "Nenhum de nós saiu de uma nuvem, cheio de boas intenções, para se apresentar agora", disse ele, referindo-se à incógnita representada por Marina; a esta atura da eleição, discurso vai funcionar? <br clear="all"> :

247 – Isolado na terceira posição depois da entrada de Marina Silva na disputa presidencial, o candidato do PSDB, Aécio Neves, voltou a mostrar confiança nesta quarta-feira 10 ao dizer que é ele quem tem chances de derrotar a presidente Dilma Rousseff (PT) e ao criticar o governo e a postura da petista na campanha – "Acho um equívoco o que a presidente falou da Marina, você nunca ouvirá isso de mim" – declarou, em sabatina no jornal O Globo, sobre a declaração feita ontem por Dilma de que ela não é sustentada por banqueiros, em uma crítica direta a Marina Silva.

Sobre Marina, reafirmou respeita suas "boas intenções", e avaliou que ela "consegue catalisar o sentimento negativo da política", mas ressaltando "contradições" de seu discurso. "Quem tem chance de verdade de ganhar da presidente no segundo turno somos nós. É importante que os candidatos se desnudem até lá. Somos, em boa parte, o que nós fizemos durante a nossa vida. Nenhum de nós saiu de uma nuvem, cheios de boas intenções, para se apresentar agora", afirmou.

Aécio disse que o discurso da candidata de "não partido" o "preocupa muito". "Essa coisa de 'vou pegar o bom aqui, outro bom ali'... isso não funciona", disse o tucano. Na opinião do presidenciável, existe uma "desconexão" entre as boas intenções da candidata do PSB e a "prática". Aécio acrescentou ainda que não vê Marina "lembrar em nenhum momento de seus 24 anos no PT". E voltou a questionar sobre "qual Marina" estaríamos votando hoje, a que "abre os braços para o agronegócio ou a que proibia a plantação de transgênicos?". "É hora de as pessoas saberem", defendeu.

Aos colunistas do Globo Ilimar Franco, Flávia Oliveira, Jorge Luiz Rodrigues, Arthur Xexéo, Míriam Leitão, Pedro Doria, Arnaldo Bloch, Ancelmo Gois e Merval Pereira, Aécio Neves comentou não se interessar pela reeleição ao segundo mandato. "Não morro de amores [por um segundo mandato], mas não faria essa afirmação para não parecer eleitoreiro", disse. Questionado se a proposta, aprovada durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), teria sido, então, um erro, ele respondeu: "foi uma experiência". Constatando, em seguida, que "a reeleição faz mal ao Brasil".

Abaixo, reportagem da Reuters sobre a entrevista:

Aécio diz que 2015 será "muito difícil" mas que sua eleição resgatará os investimentos

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, afirmou nesta quarta-feira que o ano que vem será "muito difícil" e repetiu que em um eventual governo seu a política econômica terá "previsibilidade"

"A nossa eleição vai sinalizar a baixa dos juros em longo prazo e o resgate dos investimentos", afirmou o candidato durante sabatina do jornal O Globo, no Rio de Janeiro, ao ser perguntado como sairia de uma situação de inflação acima da meta e baixo crescimento.

O tucano afirmou ter uma meta ousada de investimento de 24 por cento do PIB até o fim do mandato. A taxa de investimento atual é de 16,5 por cento do PIB, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Aécio afirmou ainda que entre os empresários "está todo mundo temeroso". "Está todo mundo aguardando", disse.

Ao ser questionado se há necessidade de "tomar medidas amargas", como afirmou antes, o tucano voltou a dizer que sob o atual governo essa situação já existe.

"Amargas o governo fez todas as medidas. Fez desandar a economia brasileira", disse.

Se for vitorioso em outubro, Aécio disse que apresentaria uma simplificação do sistema tributário, "já na largada".

"Porque você falar em diminuição da carga enquanto os gastos correntes aumentam é uma falácia",

O tucano voltou a criticar a presidente por ter antecipado que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, não estará em seu ministério em um segundo mandato.

"Dilma, ao antecipar uma decisão como essa (demissão do Mantega), ela antecipa a fragilidade da equipe econômica", disse. "Esse governo acabou antes da hora. Encerrou, fechou as portas."

CONFIANÇA NA RECUPERAÇÃO

Terceiro colocado nas pesquisas de intenção de voto, lideradas por Dilma e pela candidata do PSB, Marina Silva, Aécio reiterou sua confiança de que vai recuperar o voto de quem quer mudança.

"Estou absolutamente convencido de que no momento da eleição vai haver a possibilidade de comparar as trajetórias. Estou oferecendo ao Brasil minha experiência de administrador público", afirmou. "O Brasil não é para iniciantes."

O tucano defendeu ainda o fim da releição, com mandato de cinco anos, como já havia feito antes.

"Eu acho que a reeleição faz mal ao Brasil. Digo isso porque fui reeleito, e sei como é. A atual presidente acabou por desmoralizar a reeleição. Não tem diferença entre o público e o privado."

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

Poder Ana Pupulin Wed, 10 Sep 2014 11:16:18 +0000 http://www.brasil247.com/152960
Emprego na indústria cai pelo quarto mês seguido http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152958 : unfinished automobiles in a car plant A indústria brasileira teve queda de 0,7% no emprego em julho, na comparação com junho, divulgou nesta quarta-feira 10 o IBGE. Em 2014, o setor já acumula perda de 2,6% <br clear="all"> : unfinished automobiles in a car plant

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil 

A indústria brasileira teve queda de 0,7% no emprego em julho, na comparação com junho, divulgou hoje (10) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2014, o setor já acumula perda de 2,6%.

Desde abril do ano passado, o patamar de trabalhadores na indústria apresenta trajetória descendente, e julho foi o quarto mês consecutivo de queda. Na comparação com o mesmo período de 2013, a queda chegou a 3,6%, e o dado anualizado - que leva em conta o período de 12 meses encerrado em julho - aponta retração de 2,2%. Quando analisadas as variações na comparação com mesmo período do ano anterior, a pesquisa mostra que julho foi o 34º mês seguido de queda.

Os 14 locais pesquisados pelo IBGE tiveram queda do pessoal ocupado, na comparação com juho de 2013. Maior parque industrial do país, São Paulo perdeu 5,1%, com redução em 16 das 18 atividades pesquisadas. No estado, os produtos de metal tiveram queda de 12,2% e a indústria de meios de transporte, de 7,2%.

O Paraná (5,6%), Rio Grande do Sul (3,8%), Minas Gerais (23%) e o Rio de Janeiro (2,9%) também apresentaram queda no número de trabalhadores na indústria.

A pesquisa mostra ainda que houve queda de 0,3% no número de horas pagas em relação a junho, e de 4,2% em relação a julho de 2013. De janeiro a julho, o número de horas pagas caiu 3,1%.

A retração nos dois índices foi acompanhada pela redução da folha de pagamento real, com queda de 2,9% ante junho, e de 3,4% na comparação com julho do ano passado.

Nos dois indicadores, São Paulo manteve impacto negativo, com quedas de 5,4% no número de horas pagas e de 4,2% na folha real de pagamento. Todos os locais pesquisados tiveram redução nas horas pagas e 12, de 14, caíram na folha de pagamento real. As duas exceções foram a Bahia, que teve alta de 2,4%, e as regiões Norte e Centro-Oeste, cujo indicador subiu 0,5%.

Economia Gisele Federicce Wed, 10 Sep 2014 10:43:14 +0000 http://www.brasil247.com/152958
Por que Dilma cresceu? A resposta é: comunicação http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152939 : Em sua análise sobre o crescimento da presidente Dilma Rousseff na pesquisa CNT/MDA, a jornalista Tereza Cruvinel, colunista do 247, avalia que a recuperação deve ser atribuída a ajustes na linha de campanha, conduzida por João Santana; "Primeiro, ela partiu para o confronto com Marina Silva, evitando desqualificá-la pessoalmente mas descascando com suas propostas de governo. Especialmente com a pouca ênfase ao pré-sal e o compromisso com a independência do Banco Central", diz ela; "Depois, a pedido de Lula e da cúpula do PT, os programas de Dilma no rádio e na TV tornaram-se mais politizados e menos técnicos. E agora, ganharam uma linha mais popular" <br clear="all"> :

247 - A jornalista Tereza Cruvinel, colunista do 247, atribui o crescimento da presidente Dilma Rousseff na pesquisa CNT/MDA a importantes ajustes feitos na sua campanha.

"Primeiro, ela partiu para o confronto com Marina Silva, evitando desqualificá-la pessoalmente mas descascando com suas propostas de governo. Especialmente com a pouca ênfase ao pré-sal e o compromisso com a independência do Banco Central", diz ela, no post "Últimos lances" (leia aqui a íntegra). "Depois, a pedido de Lula e da cúpula do PT, os programas de Dilma no rádio e na TV tornaram-se mais politizados e menos técnicos. E agora, ganharam uma linha mais popular, com personagens do povo falando das realizações do governo  e um desfile de sotaques de todas as regiões do pais.

Para o PSDB, no entanto, a delação premiada de Paulo Roberto Costa ainda não surtiu o efeito esperado. "O PSDB, que ao contrário do PSB de Marina Silva não teve ninguém citado por Costa, segundo Veja, viu no escândalo a grande oportunidade de realavancar a candidatura de Aecio Neves, abalroada por Marina Silva para o terceiro lugar. Ele bateu pesado e o tempo todo, desde sexta-feira passada, ao contrário de Marina, que ficou na saia justa, entre atacar Dilma e o governo e defender Eduardo Campos, citado pelo delator", diz Tereza. "Segundo a pesquisa CNT-MDA, isso não aconteceu agora. Mais difícil será que ocorra com o passar dos dias.  A não ser que Costa compareça a uma das CPIs do Congresso e gire a metralhadora, atingindo governistas que, pela relação com Dilma, poderiam atingi-la."

Leia a íntegra do texto no blog de Tereza Cruvinel.

Poder Leonardo Attuch Wed, 10 Sep 2014 08:30:14 +0000 http://www.brasil247.com/152939
Tarifaço de Gianetti repete fórmula de Rainha da França http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152879 : Em artigo em seu blog, Paulo Moreira Leite compara a liberação geral de preços represados, defendida por Eduardo Gianetti, braço-direito de Marina Silva, com fórmula utilizada pela Rainha da França Maria Antonieta, que no século XVIII recomendou ao povo faminto que procurasse brioches, já que lhe faltava pão; chamado de "pioneiro do neo-conservadorismo tropical", Gianetti é descrito pelo jornalista como economista que sofre de "alienação social" e não aceita que nos dias de hoje a economia funcione respeitando os interesses da maioria <br clear="all"> :

247 - O jornalista Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, comparou nesta terça-feira 9, em seu blog, as propostas para a economia de Eduardo Gianetti, principal assessor da presidenciável do PSB, Marina Silva, com a Rainha da França Maria Antonieta, que no século XVIII recomendou ao povo francês, faminto, que procurasse brioches já que lhe faltava pão.

Leite classificou as ideias do economista de Marina Silva como "aristocráticas e antiquadas". Ele citou a mais recente proposta de Gianetti, o chamado "choque tarifário", para liberar geral os preços represados pela política do governo Dilma Rousseff. Paulo Moreira Leite lembra ainda o radicalismo na posição de Eduardo Gianetti sobre a sustentabilidade.

"No esforço para diminuir a poluição ambiental produzida pelos puns do gado na Amazônia, Gianetti sugere uma mudança na alimentação do brasileiro: "Comer bife é uma extravagância do ponto de vista ambiental. O preço da carne vai ter de ser muito caro, o leite terá de ficar mais caro. Tudo que tem impacto ambiental vai ter de embutir o custo real e não apenas o monetário. Essa é a mudança decisiva"", escreve. 

Eis um trecho da análise de Paulo Moreira Leite:

"Garoto mimado do Estado mínimo brasileiro, pioneiro do neo-conservadorismo tropical, com muita audiência em jornais onde defende propostas que nunca tiveram voto em urna, o pensamento de Gianetti sofre de uma alienação social em grau absurdo. Não aceita a noção de que nos dias de hoje a economia de um país não pode funcionar sem respeitar os interesses da maioria, sem garantir a negociação entre classes sociais, base do regime político que permitiu ao capitalismo conviver com a democracia e o progresso dos humildes.

Economia, neste pensamento, é um exercício com ratos de laboratório. Não é uma obra de homens e mulheres com sua consciência e seus interesses, direitos adquiridos e projetos para o futuro, para suas famílias e seu país.

A última ideia de Gianetti para a economia, em caso de vitória de Marina Silva, é promover um tarifaço — a medida é tratada por um eufemismo, "choque tarifário" — para liberar preços represados pela política de Dilma Rousseff-Guido Mantega. São preços administrados, que estão no coração da economia."

Leia aqui a íntegra do texto.

Poder Aline Lima Wed, 10 Sep 2014 09:22:45 +0000 http://www.brasil247.com/152879
Por que o Correio apontou a metralhadora para Dilma? http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/152937 : Foto na primeira página da edição de segunda-feira (8/9) do Correio Braziliense coloca deliberadamente o rosto da presidente da República, Dilma Rousseff, na mira de uma metralhadora do carro blindado do Exército Brasileiro, que desfila na parada de 7 de setembro, em Brasília; estando na capa, trata-se de uma escolha de responsabilidade dos editores do jornal <br clear="all"> :

Por Venício A. de Lima, do Observatório da Imprensa

A foto abaixo (11,8 x 19,6 cm, na edição original) está na primeira página da edição de segunda-feira (8/9) do Correio Braziliense. É de autoria do fotógrafo Daniel Ferreira, que trabalha para o Correio e para a D.A. Press, ambos do grupo dos Diários Associados.

Estando na capa, por óbvio, trata-se de uma escolha e é de responsabilidade dos editores do jornal.

Observe o leitor(a) que a foto coloca deliberadamente o rosto da presidente da República, Dilma Rousseff, na mira de uma metralhadora do carro blindado do Exército Brasileiro, que desfila na parada de 7 de setembro, em Brasília.

Qual a mensagem implícita/explícita na foto?

É normalmente aceito como sendo de Confúcio, filósofo chinês que viveu no século V antes de Cristo, a conhecida frase “uma imagem vale mais que mil palavras”. Os que vivemos no mundo contemporâneo sabemos que a afirmação de Confúcio permanece atualíssima, vinte e cinco séculos depois, nestes tempos marcados por imagens de todos os tipos, do cinema, da televisão, das fotos popularizadas digitalmente nas redes da internet.

O que estaria o Correio Braziliense sugerindo a seus leitores(as) com a foto publicada na capa do jornal?

Nela está a maior autoridade da República brasileira, no palanque oficial, rodeada de outras autoridades constituídas, assistindo ao desfile da data símbolo da pátria brasileira: o 7 de setembro, dia de nossa independência.

A foto foi cuidadosamente selecionada, entre centenas de outras disponíveis. É, portanto, legítimo concluir que havia, sim, uma intenção orientando a escolha.

O jornalista que fez a edição da foto para o Correio Braziliense (e respondeu a meu e-mail sobre as razões da escolha) a considerou excelente e a melhor ilustração para o noticiário político do dia.

Credibilidade da democracia

Para além da partidarização inequívoca da grande mídia brasileira e diante de exemplos sucessivos, parece que ela não está sendo capaz de fazer uma distinção fundamental, sobretudo agora, em tempos de campanha eleitoral: a distinção entre o ritual dos cargos públicos, os símbolos nacionais, a institucionalidade da política, dos políticos, dos ocupantes dos mais elevados cargos públicos da democracia representativa brasileira; e sua opinião/posição (dela, grande mídia) em relação a esses eventuais ocupantes.

As consequências dessa “não-distinção” podem ser trágicas para a própria democracia. Ao se desrespeitar reiteradamente eventuais ocupantes de altos cargos públicos, inclusive em fotos com insinuações inconfessáveis, esse desrespeito é transferido para as instituições e a credibilidade da própria democracia. Como mostrou há décadas a professora Maria do Carmo Campello de Souza, “o teor exclusivamente denunciatório de grande parte das informações [dos meios de comunicação] acaba por estabelecer junto à sociedade (...) uma ligação direta e extremamente nefasta entre a desmoralização da atual conjuntura e a substância mesma dos regimes democráticos”.

No atual nível de partidarização da grande mídia brasileira, não há solução de curto prazo para que se desfaça esta confusão nefasta. A cobertura adversa e a desqualificação da politica e dos políticos é sua pauta preferencial. Resta torcer para que a democracia representativa brasileira sobreviva a uma grande mídia que, apesar de se apresentar como sua principal defensora, corrói, cotidiana e reiteradamente, seus fundamentos mais caros.

A ver.

Mídia Roberta Namour Wed, 10 Sep 2014 08:34:16 +0000 http://www.brasil247.com/152937
Lewandowski deixa gabinete com menor acervo de processos http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/152947 : Desde 2006, quando o ministro tomou posse no Supremo, o número de processos do gabinete foi reduzido em 80%. Os 1,7 mil processos que permanecem agora no gabinete, quando ele assume a presidênica da corte, correspondem a apenas 3,3% do acervo atual do STF, que é de 56,7 mil processos <br clear="all"> :

STF - Ao assumir a Presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) na tarde desta quarta-feira (10), o ministro Ricardo Lewandowski deixará o gabinete com o menor número de processos da Corte. Desde 2006, quando o ministro tomou posse no Supremo, o acervo do gabinete foi reduzido em 80%. Os 1,7 mil processos que permanecem no gabinete correspondem a apenas 3,3% do acervo atual do STF, que é de 56,7 mil processos.

Um mecanismo de organização do gabinete e do trabalho dos servidores foi desenvolvido para permitir o aumento da produtividade, ano a ano. Nos primeiros três anos, o ministro Lewandowski conseguiu reduzir o estoque de processos pela metade. Eram mais de 8 mil na época. Nos últimos quatro anos, a média do acervo se manteve em cerca 3 mil processos, o que para o ministro é fruto do trabalho em equipe.

"Esse resultado não seria possível sem o apoio de toda uma equipe comprometida com a prestação jurisdicional célere e de qualidade", afirma o presidente eleito do STF.

Além dos processos que herdou ao tomar posse no STF, ao longo destes oito anos, foram distribuídos ao gabinete do ministro Lewandowski cerca de 50 mil novos recursos e ações. Entre 2010 e 2012, o ministro conciliou a Presidência do Tribunal Superior Eleitoral, a organização de eleições gerais e o intenso trabalho no plenário do Supremo.

O acervo deixado pelo ministro Ricardo Lewandowski ficará para o próximo integrante da Corte a ser indicado pela Presidência da República e aprovado pelo Senado Federal.

Esforço concentrado

O resultado foi obtido a despeito do fluxo intenso de novos processos que chegam aos gabinetes do STF. Foram 33 mil novas ações distribuídas em 2014, mais de 3 mil por ministro. Para superar o estoque e a chegada de novas ações, o ministro Ricardo Lewandowski proferiu mais de 4,6 mil decisões este ano.

De 2006 até hoje, foram 72 mil decisões, entre as monocráticas e colegiadas e redigiu 10,6 mil acórdãos de decisões colegiadas em que seu voto conduziu o resultado do julgamento.

Qualidade

Em 2007, o gabinete do ministro Lewandowski chegou a obter o certificado ISO 9001 como reconhecimento da excelência dos serviços prestados. O ISO 9001 é um conjunto de normas que orienta empresas e instituições a qualificar produtos e serviços oferecidos ao público.

Os dados completos sobre o acervo processual dos gabinetes se encontram no site do STF, na opção Estatísticas/Acervo.

Brasil Gisele Federicce Wed, 10 Sep 2014 09:47:12 +0000 http://www.brasil247.com/152947
Filhos de Campos entram na campanha do PSB http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/152946 : Os filhos do ex-governador Eduardo Campos engrossaram as fileiras de militantes do PSB em torno da candidatura do ex-secretário da Fazenda Paulo Câmara ao Governo do Estado; os dois filhos mais velhos do socialista, João e Pedro Campos, participaram de uma caminhada de rua ao lado de Câmara no bairro de Caetés I, em Abreu e Lima, Região Metropolitana do Recife (RMR); a caminhada aconteceu quatro semanas após a morte de Campos e outras seis pessoas em um acidente aéreo ocorrido em Santos, no litoral de São Paulo <br clear="all"> :

Pernambuco 247 - Os filhos do ex-governador Eduardo Campos engrossaram as fileiras de militantes do PSB em torno da candidatura do ex-secretário da Fazenda Paulo Câmara ao Governo do Estado. Os dois filhos mais velhos do socialista participaram de uma caminhada de rua ao lado de Câmara no bairro de Caetés I, em Abreu e Lima, Região Metropolitana do Recife (RMR). A caminhada aconteceu quatro semanas após a morte de Campos e outras seis pessoas em um acidente aéreo ocorrido em Santos, no litoral de São Paulo.

O ato da noite desta terça-feira (9) foi o terceiro da coligação da Frente Popular de Pernambuco a contar com a participação dos jovens João e Pedro Campos. O primeiro deles foi no dia seguinte a funeral do ex-governador, quando eles participaram de um encontro convocado pela ex-primeira dama Renata Campos com os integrantes da Frente Popular para pedir o máximo de empenho para eleger Paulo Câmara. Na sequência, João e Pedro participaram do lançamento da nova chapa presidencial do PSB, que apresentou a ex-senadora Marina Silva como cabeça de chapa e o deputado federal Beto Albuquerque como vice, no Recife.

Apesar de não trem realizado nenhum tipo de pronunciamento ou discurso, João e Pedro campos foram bastante assediados pela população que acompanhou o evento pelas ruas de Abreu e Lima. A presença dos jovens foi exaltada por lideranças socialistas, como o candidato ao Senado Fernando Bezerra Coelho, que disse que os jovens levaram para o evento "o espírito guerreiro do pai".

 

Pernambuco 247 Paulo Emílio Wed, 10 Sep 2014 09:30:55 +0000 http://www.brasil247.com/152946
Depois de Costa, Youssef estuda delação premiada http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/152919 : Advogado Antônio Figueredo Basto admitiu que o doleiro Alberto Youssef, preso na operação Lava Jato, poderá mudar de ideia e negociar acordo com a Justiça, como o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa; “Se fizerem uma proposta que atenda aos interesses de Youssef, e é ele quem decide, ele tem todo o direito de procurar o melhor caminho de ir para casa”; doleiro é acusado de chefiar quadrilha de lavagem de dinheiro e pagamento de propina a servidores públicos, que movimentou mais de R$ 10 bilhões; segundo reportagem da Veja, em depoimentos, Costa já envolveu deputados, senadores e governadores no esquema <br clear="all"> :

247 – Após obter acordo de delação premiada com o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, o Ministério Público Federal está prestes a fechar colaboração com o doleiro preso Alberto Youssef, acusado como chefe de quadrilha de lavagem de dinheiro e pagamento de propina a servidores, que movimentou mais de R$ 10 bilhões.

Em seus depoimentos, Costa decidiu denunciar as relações suspeitas entre políticos e empresas em contratos com a estatal. Nas mais de 40 horas de depoimento à Polícia Federal, Paulo Roberto Costa menciona, segundo a revista Veja, governadores, como Sergio Cabral (PMDB), ex-governador do Rio, Roseana Sarney (PMDB), atual governadora do Maranhão, e o falecido Eduardo Campos (PSB), ex-governador de Pernambuco; seis senadores, o ministro Edison Lobão, de Minas e Energia, e pelo menos 25 deputados federais como parte do esquema.

Num primeiro momento, Youssef negou a orientação de Costa para colaborar com a Justiça. Mas, ontem, o advogado Antônio Figueredo Basto admitiu que o doleiro poderá mudar de ideia. “Se fizerem uma proposta que atenda aos interesses de Youssef, e é ele quem decide, ele tem todo o direito de procurar o melhor caminho de ir para casa”, disse Basto em entrevista ao Globo.

A família de Youssef também o pressiona para aceitar o acordo e assim se livrar de parte de futuras condenações (leia mais no blog do Josias). Mesmo com a delação, o doleiro teria de ficar mais dois ou três anos preso. Esse teria sido o empecilho até agora para contar o que sabe. Ele também cobra garantia de reaver seu dinheiro bloqueado.

 
Brasil Roberta Namour Wed, 10 Sep 2014 05:12:59 +0000 http://www.brasil247.com/152919
Ex-tucano, Feldman prevê morte do PSDB após eleição http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/152921 : "Se Marina for eleita, muda tudo. Os partidos vão se reestruturar. O PSDB não sei se sobrevive. O PSDB, se perder as eleições, vai haver uma debandada", disse o coordenador-geral da campanha de Marina Silva, ex-deputado federal Walter Feldman, em encontro organizado por Rosangela Lyra, presidente da Associação de Lojistas dos Jardins; em um eventual governo do PSB, o ex-governador José Serra, candidato ao Senado, já é cotado para ser seu ministro <br clear="all"> :

247 - Diante de uma plateia de cerca de 70 pessoas, em encontro organizado por Rosangela Lyra, presidente da Associação de Lojistas dos Jardins, o coordenador-geral da campanha de Marina Silva, o ex-tucano Walter Feldman, antecipou a “morte” do PSDB. 

Segundo ele, caso a ex-senadora seja eleita, o PSDB, partido do presidenciável tucano Aécio Neves, "talvez não sobreviva" ao seu modelo de governabilidade.

"Se Marina for eleita, muda tudo. Os partidos vão se reestruturar. O PSDB não sei se sobrevive. O PSDB, se perder as eleições, vai haver uma debandada", disse Feldman.

Marina tem dito que quer formar um governo com os “bons” de cada partido. Mas o João Paulo Capobianco, considerado como braço direito da ex-senadora Marina Silva, já descartou aliança com os tucanos em eventual segundo turno.

“Analisando o cenário hoje em relação ao PSDB, é muito mais provável que não haja uma aliança entre nós e os tucanos no segundo turno. Até porque o grau de agressividade com que o Aécio está partindo para cima da Marina superou todas as nossas expectativas. Os ataques têm sido mais agressivos até mesmo que os da campanha da presidente Dilma”, disse. 

Por outro lado, a equipe de Marina exaltou boa relação com o ex-presidente FHC. Além disso, em um eventual governo, o ex-governador José Serra, candidato ao Senado, já é cotado para ser seu ministro. Segundo a colunista Mônica Bergamo, um de seus interlocutores com a Rede de Marina é o próprio Walter Feldman.

Quando ainda era candidata a vice de Eduardo Campos, Marina declarava que, se morasse em SP, votaria em Eduardo Suplicy (PT-SP) para o Senado. Uma vez presidenciável, passou a elogiar também Serra.

SP 247 Roberta Namour Wed, 10 Sep 2014 05:24:51 +0000 http://www.brasil247.com/152921
Neca Setubal é o calcanhar de Aquiles de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152925 : Após rebater acusações de Marina Silva e ressaltar que candidata do PSB é “sustentada por banqueiro”, campanha da presidente Dilma Rousseff deve focar em Neca Setubal, herdeira do Itaú e coordenadora do programa de governo da ex-senadora; fada-madrinha da presidenciável, Neca doou R$ 1 milhão e bancou 83% dos custos do instituto de Marina Silva no ano passado; também partiu dela a defesa da autonomia do Banco Central, tese apoiada por instituições privadas e agora sob ataque do PT <br clear="all"> :

247 – A relação de Marina Silva com a família Setubal, controladora do Itaú Unibanco, pode custar caro para a candidatura do PSB.

Depois de um comercial da campanha do PT ter acusado Marina de dar aos banqueiros um poder de decisão de presidente e do Congresso ao defender independência do Banco Central, a presidente Dilma Rousseff atacou novamente: "Não adianta querer falar que eu fiz bolsa banqueiro. Eu não tenho banqueiro me apoiando.

A decisão de ligar a adversária a supostos interesses de instituições financeiras foi endossada por pesquisas internas que mostram que parte dos eleitores tem aversão aos bancos privados, segundo a colunista Mônica Bergamo.

As comparações devem se intensificar, visando a coordenadora de seu programa de governo Neca Setubal, herdeira do Itaú.

Fada-madrinha da ex-senadora, a campanha do PT estuda mostrar que Neca doou R$ 1 milhão e bancou 83% dos custos do instituto de Marina Silva no ano passado. Além disso, Roberto Setubal, presidente do Itaú Unibanco, já teria tratado Marina como já eleita, no aniversário de 90 anos da instituição, na semana passada.

 

Poder Roberta Namour Wed, 10 Sep 2014 06:00:42 +0000 http://www.brasil247.com/152925
Lewandowski assume STF com apoio da blogosfera http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/152924 : Após gestão polêmica de Joaquim Barbosa, Ricardo Lewandowski assume hoje a Presidência do Supremo Tribunal Federal sob expectativa de que Corte “reforme decisões intempestivas, inconstitucionais e injustas que tomou nos últimos anos e que ficarão pairando como ameaças sobre a democracia brasileira até que sejam revistas”, segundo Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania; centenas de mensagens de congratulação de internautas serão entregues a ele antes da cerimônia <br clear="all"> :

Por Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania

Após a passagem catastrófica do ex-ministro do STF Joaquim Barbosa pela Presidência do Poder Judiciário brasileiro, nesta quarta-feira, 10 de setembro de 2014, a principal Corte de Justiça do país ingressa em uma nova era, ao menos pelos próximos 2 anos.
Enrique Ricardo Lewandowski (66) assume hoje a Presidência do Supremo Tribunal Federal trazendo consigo a esperança da nação em que tenha fim o uso daquela instituição como instrumento político.

Todavia, a Presidência de Lewandowski desperta outras esperanças. Por exemplo, em que o STF reforme decisões intempestivas, inconstitucionais e injustas que tomou nos últimos anos e que ficarão pairando como ameaças sobre a democracia brasileira até que sejam revistas.

Sim, como o leitor intuiu, o parágrafo anterior alude ao julgamento do mensalão. Daqui até 2015 a Corte analisará os últimos recursos de condenados pelo julgamento do mensalão e o que se espera é que, desta feita, reavalie decisões que foram tomadas sob o tacão de Barbosa.

Enquanto tudo isso não acontece, o país comemora a volta da sensatez ao comando do STF. Lewandowski, como presidente, passa a administrar a pauta da Corte e é nesse ponto que reside a esperança, pois Barbosa interferia politicamente naquela pauta.

Nesta data auspiciosa, o signatário desta página, a convite de Lewandowski, terá a honra de participar de sua cerimônia de posse. A cerimônia terá lugar às 15 horas e às 20 horas haverá um coquetel em um hotel de Brasília.

O blogueiro, por óbvio, terá muito a registrar. Em 2012, esteve no gabinete de Lewandowski no mesmo dia da posse de Joaquim Barbosa.

Fora entregar um manifesto de apoio ao ministro firmado por milhares de seus amigos, alunos, familiares e até admiradores.

Estando no STF, o blogueiro literalmente penetrou na cerimônia de posse de Barbosa e viu muita coisa interessante. A fauna política presente incluiu figurinhas carimbadas da grande mídia e as mais importantes autoridades da República.

Desta vez, como convidado, será bem mais fácil anotar fatos políticos que fatalmente ocorrerão no evento.

Vale confidenciar aos leitores que o novo presidente do STF é leitor antigo deste Blog. Começou a lê-lo em 2007, quando o blogueiro convocou centenas de pessoas a realizarem um ato público diante do Jornal Folha de São Paulo.

Lewandowski, poucos dias antes, fora flagrado por uma repórter daquele jornal enquanto conversava ao telefone em um restaurante em Brasília. Ela o ouviu dizer que o STF aceitara indiciar José Dirceu no inquérito do mensalão por conta de a mídia ter lhe posto uma “faca no pescoço”.

Este blogueiro não se conformou com que o Judiciário brasileiro pudesse processar alguém por pressão da mídia e, assim, convocou uma manifestação diante do jornal que deu o “furo” sobre a “faca no pescoço”.

No dia 15 de setembro de 2007, duas centenas de leitores desta página reuniram-se diante da Folha de São Paulo para protestar. No dia seguinte, o jornal noticiou o protesto discretamente, citando este blogueiro.

Segundo relato do próprio Lewandowski, aquela notícia o fez descobrir o Blog da Cidadania, que, desde setembro de 2007, tem a honra de ter o agora presidente do STF entre seus leitores.

Conforme promessa feita aqui no domingo, as centenas de mensagens de congratulação que os leitores do Blog deixaram a Lewandowski via comentários foram impressas, encadernadas (vide foto no alto da página) e serão entregues a ele em mãos antes da cerimônia de sua posse.

Cada leitor do Blog da Cidadania que deixou mensagem de congratulação ao novo presidente do STF estará hoje com o blogueiro, quem, além de homenagear Lewandowski, ficará de olhos e ouvidos bem abertos durante evento que reunirá a nata da República.

O resultado da participação em tão importante evento estará aqui ao fim desta quarta-feira ou, no máximo, amanhã. Em nome do doutor Lewandowski, pois, o Blog cumprimenta os amigos leitores que atenderam ao seu pedido e deixaram mensagens.

Brasil Roberta Namour Wed, 10 Sep 2014 05:41:08 +0000 http://www.brasil247.com/152924
Delúbio Soares pode cumprir resto da pena em casa http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/152922 ANDRE DUSEK: DF - MENSALÃO/DELÚBIO - POLÍTICA - O ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares retorna ao Centro de   Progressão Penitenciária (CPP), no Distrito Federal, após  seu   primeiro dia de trabalho fora da prisão, nesta segunda-feira. Delúbio   foi submetido nesta seg Ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, condenado a seis anos e oito meses de prisão na AP 470, pode ser libertado a qualquer momento para cumprir o resto de sua pena em prisão domiciliar; segundo a Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal, como já cumpriu um sexto da condenação, ele pode pedir a progressão de regime; autorização depende do ministro Luís Roberto Barroso, relator do chamado 'mensalão' no Supremo Tribunal Federal (STF)  <br clear="all"> ANDRE DUSEK: DF - MENSALÃO/DELÚBIO - POLÍTICA - O ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares retorna ao Centro de   Progressão Penitenciária (CPP), no Distrito Federal, após  seu   primeiro dia de trabalho fora da prisão, nesta segunda-feira. Delúbio   foi submetido nesta seg

247 - Condenado a seis anos e oito meses de prisão na AP 470, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, pode ser libertado a qualquer momento para cumprir o resto de sua pena em prisão domiciliar.

Segundo a Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal, como já cumpriu um sexto da pena, ele pode pedir a progressão de regime.
Atualmente, ele está preso na Papuda, em Brasília, no regime semiaberto. Sai para trabalhar na Central Única dos Trabalhadores (CUT) durante o dia e volta para a cadeia à noite, para dormir.

O pedido de progressão da pena deve ser julgado pelo ministro Luís Roberto Barroso, relator do chamado mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF).

O benefício já foi acordado ao ex-deputado José Genoino (PT-SP) e o ex-tesoureiro do PL (atual PR) Jacinto Lamas.

Brasília 247 Roberta Namour Wed, 10 Sep 2014 05:33:09 +0000 http://www.brasil247.com/152922
Cardozo lamenta vazamento e quer punição http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/152918 : Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, lamentou o vazamento de informações obtidas pela Justiça, por meio da delação premiada, do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e disse que PF irá apurar a hipótese de “fato delituoso”; “Eu, sinceramente, espero - sei que não é fácil -, mas que se encontre as pessoas responsáveis, porque isso traz grande dano à sociedade e às pessoas que podem não ser condenadas posteriormente” <br clear="all"> :

Mariana Jungmann - Repórter da Agência Brasil - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, lamentou ontem (9) o vazamento de informações obtidas pela Justiça, por meio da delação premiada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e disse que a Polícia Federal (PF) irá investigar o caso. Segundo Cardozo, as informações divulgadas no último fim de semana pela revista Veja são fruto de um depoimento prestado em sigilo legal, e a PF irá apurar a hipótese de “fato delituoso” e responsabilizar os autores.

“Esse vazamento de notícias, ou pretenso vazamento de notícias, é sempre algo nocivo, é algo que caracteriza uma violação manifesta à lei. Nessa perspectiva é que a PF abriu inquérito para apurar as notícias que falam de informações que estão em um inquérito que corre sob sigilo legal. Eu, sinceramente, espero - sei que não é fácil -, mas que se encontre as pessoas responsáveis, porque isso traz grande dano à sociedade e às pessoas que podem não ser condenadas posteriormente”, disse Cardozo logo depois da cerimônia de posse do novo ministro do Superior Tribunal de Justiça, Luiz Alberto Gurgel de Faria.

O ministro da Justiça disse ainda que solicitou ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, acesso ao depoimento de Paulo Roberto Costa na delação premiada para “tomar a decisão de abrir processo administrativo ou medidas corretivas, de acordo com os fatos narrados”. No entanto, segundo ele, Janot ainda não deu resposta sobre a solicitação.

“Na verdade, foi encaminhado ao procurador-geral da República porque, como sabemos, o juiz de primeira instância, se correta a notícia divulgada, não poderia homologar a delação premiada, porque haveria foro privilegiado de algumas das pessoas mencionadas. E não estando ainda o inquérito no Supremo Tribunal Federal, pedimos ao procurador-geral que tomasse as providências para que tivéssemos acesso a isso. Sempre deixando claro: desde que a lei assim o permita”, explicou.

O ministro negou ainda que tenha recebido ligações das autoridades relacionadas na matéria da revista Veja, entre as citadas pelo ex-diretor da Petrobras como beneficiadas por esquema de corrupção na estatal.

No Congresso, o presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga as denúncias de corrupção na Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), deve se reunir amanhã (10) com as lideranças partidárias para definir como a comissão irá atuar no que se refere à delação premiada de Costa. Há requerimento para ser votado na CPMI, que pede acesso à transcrição do depoimento, pelos membros da comissão. Já estão disponíveis aos membros da CPMI as informações sobre quebra dos sigilos telefônicos de Paulo Roberto Costa, do doleiro Alberto Youssef e mais três pessoas envolvidas na Operação Lava Jato.

Brasil Roberta Namour Wed, 10 Sep 2014 05:39:24 +0000 http://www.brasil247.com/152918
Gilmar adia votação de recurso de Arruda no TSE http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/152917 : José Roberto Arruda, candidato ao governo do Distrito Federal, pede para ter sua candidatura, barrada pela Justiça Eleitoral com base na Lei da Ficha Limpa, liberada; antes do pedido de vista de Gilmar Mendes, os ministros Henrique Neves e Admar Gonzaga votaram pela rejeição do recurso por entenderem que não houve erros ou contradições na decisão do TSE <br clear="all"> :

André Richter - Repórter da Agência Brasil - O ministro Gilmar Mendes, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pediu vista do recurso no qual José Roberto Arruda, candidato ao governo do Distrito Federal, pede para ter a candidatura liberada. Arruda foi barrado pela Justiça Eleitoral com base na Lei da Ficha Limpa, que impede a candidatura de condenados pela segunda instância da Justiça.

Antes da interrupção do julgamento, os ministros Henrique Neves e Admar Gonzaga votaram pela rejeição do recurso por entenderem que não houve erros ou contradições na decisão do TSE. No dia 26 de agosto, a maioria dos ministros manteve decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal, que negou o registro do candidato.

Não há prazo para que o julgamento seja retomado. Até decisão final do TSE, mesmo sem ter registro de candidatura, Arruda pode continuar a campanha normalmente.

No dia 9 de julho, Arruda foi condenado por improbidade administrativa pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal. A condenação é referente à Operação Caixa de Pandora, que investigou o esquema de corrupção que ficou conhecido como mensalão do DEM.

Brasília 247 Roberta Namour Wed, 10 Sep 2014 05:30:23 +0000 http://www.brasil247.com/152917
Paulo Roberto deverá ter proteção policial em casa http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/152916 DANIEL CASTELLANO: PR - LAVA JATO/STF/SOLTURA - POLÕTICA - O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, que estava preso na SuperintendÍncia da PolÌcia Federal   (PF) em Curitiba, È solto na tarde desta segunda-feira (19). O alvar· de soltura foi expedido pelo   juiz SÈrg Após acordo de delação premiada, em que listou políticos como supostos beneficiários de esquema de propina, Ministério Público Federal quer transferir o Paulo Roberto Costa para o presídio federal de Catanduvas (PR) temendo represálias; se for libertado ao fim dos depoimentos, deverá contar com proteção policial em casa <br clear="all"> DANIEL CASTELLANO: PR - LAVA JATO/STF/SOLTURA - POLÕTICA - O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, que estava preso na SuperintendÍncia da PolÌcia Federal   (PF) em Curitiba, È solto na tarde desta segunda-feira (19). O alvar· de soltura foi expedido pelo   juiz SÈrg

247 – Após acordo de delação premiada, Paulo Roberto Costa pode contar com escolta policial. Em depoimentos ao Ministério Público Federal, o ex-diretor da Petrobras, preso na operação Lava Jato, indicou o nome de senadores, deputados federais e até o de um ministro que teriam sido beneficiados pelo esquema de propina e lavagem de dinheiro comandado pelo doleiro Alberto Youssef.

Segundo o colunista Bernardo Mello Franco, temendo represálias, o MP quer transferir Costa para o presídio federal de Catanduvas (PR). Se for libertado ao fim dos depoimentos, deverá contar com proteção policial em casa.

A CPI da Petrobras identificou movimentações de até R$ 36,92 milhões em sete contas bancárias em nome do ex-diretor, entre janeiro de 2005 e maio de 2014. Os integrantes da comissão vão analisar se o montante é compatível com sua renda.

Paraná 247 Roberta Namour Wed, 10 Sep 2014 06:14:01 +0000 http://www.brasil247.com/152916
FHC: "Se Dilma não viu nada, não é uma boa gerente" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152888 : Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso cobra presidente Dilma Rousseff sobre a delação premiada feita por Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras; "Não é um caso, são muitos, não é uma prática, é uma constante, não é um desvio, é quase que uma regra, e eu acho que ela precisa dar explicações mais consistentes", afirmou; tucano disse ainda que a estatal "caiu nas mãos da política partidária"; episódios da era FHC na Petrobras, como a troca de ativos com a Repsol, também estão sendo investigados pela CPMI no Congresso <br clear="all"> :

247 – O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso cobrou nesta terça-feira 9 a presidente Dilma Rousseff (PT) a respeito das denúncias feitas pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, de suposto esquema de propina envolvendo políticos e grandes empresas com contratos com a estatal. Segundo o tucano, se Dilma nada sabia, como diz, não é uma "gerente competente".

"A presidente Dilma disse que não viu nada, acredito, mas então ela não é uma gerente competente. Não é um caso, são muitos, não é uma prática, é uma constante, não é um desvio, é quase que uma regra, e eu acho que ela precisa dar explicações mais consistentes", afirmou o ex-presidente, que está em Nova York em reunião na Comissão Global de Políticas sobre Drogas, da qual é presidente.

"O que estamos vendo é que ela [a Petrobras] caiu nas mãos da política partidária. Não digo nas suas orientações gerais, mas na sua efetivação do dia a dia. A Petrobras é a empresa mais importante do Brasil e está se vendo que houve uma ocupação política", prosseguiu FHC, segundo reportagem do jornal O Globo. O antecessor de Lula disse não saber se a delação de Costa chega a mudar a campanha, "mas torna outra vez tema de campanha a ética".

Fernando Henrique diz não ver que candidatos têm responsabilidade direta no assunto, mas atitude. "Temos que ser mais restritivos, não aceitar tanta leniência. Por enquanto são afirmações, vai chegar um momento da documentação. Eu não sou precipitado, não vou julgar antes de ver o que se trata, mas está visto desde já que se trata de um escândalo de grandes proporções". Ele também defendeu a Petrobras como uma empresa, não uma "repartição pública", e avaliou que a CPI que investiga a estatal no Congresso "está muito politizada, não fez nada até agora".

Episódios envolvendo a Petrobras durante o governo FHC também estão sendo investigados pelo colegiado. Recentemente, a presidente Dilma Rousseff tem citado, quando questionada sobre corrupção na Petrobras durante os governos do PT, casos como a troca de ativos com o grupo espanhol Repsol, que trouxe grande prejuízo à estatal (leia aqui), e o afundamento da plataforma P-36.

Poder Gisele Federicce Tue, 09 Sep 2014 16:47:03 +0000 http://www.brasil247.com/152888
Apple lança iPhones maiores e relógio inteligente http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/152887 : Companhia lançou nesta terça-feira seu relógio inteligente "Apple Watch" junto a dois novos iPhones com telas maiores e de maior definição, considerando os aparelhos como novo capítulo da história da empresa <br clear="all"> :

CUPERTINO Califórnia (Reuters) - A Apple lançou nesta terça-feira seu relógio inteligente "Apple Watch" junto a dois novos iPhones com telas maiores e de maior definição, considerando os aparelhos como novo capítulo da história da empresa.

O primeiro novo produto desenvolvido e introduzido pelo presidente-executivo Tim Cook é um aparelho ligado ao iPhone que combina acompanhamento de saúde e exercícios com comunicações.

O relógio inteligente será vendido por preço inicial de 349 dólares e estará disponível no início de 2015.

Gigantes dos eletrônicos concorrentes como Sony, Samsung, LG Electronics e Qualcomm já lançaram relógios inteligentes, sem muito sucesso.

A maior companhia de tecnologia do mundo ficou sob pressão para impressionar em seu "evento especial" em Cupertino. A perspectiva do lançamento do relógio atraiu um público mais amplo que o usual, com celebridades, editores da indústria de moda e até mesmo executivos de saúde entre o público composto majoritariamente por profissionais de tecnologia.

A companhia lançou seu iPhone 6, de 4,7 polegadas, e o iPhone 6 Plus, de 5,5 polegadas. Eles poderão operar com mais de 200 empresas de telecomunicações em todo o mundo, incluindo três na China -- mercado-chave para a companhia.

A empresa também introduziu um novo serviço de pagamentos móveis chamado "Apple Pay". Cada telefone virá equipado com novos serviços de pagamentos, que serão lançados nos Estados Unidos no mês que vem e permitem aos usuários pagar por itens nas lojas com telefones em vez de cartões de crédito ou débito.

Em uma rara decisão da companhia, a Apple transmitiu o evento ao vivo pela Internet, com tradução simultânea em chinês. Mas a transmissão caiu para muitos usuários por cerca de meia hora, fazendo muitos expressarem sua frustração no Twitter.

(Por Christina Farr, Alexei Oreskovic e Deepa Seetharaman)

Mídia Gisele Federicce Tue, 09 Sep 2014 16:36:22 +0000 http://www.brasil247.com/152887
Bovespa cai com nova pesquisa eleitoral e Moody´s http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152883 : bovespa Ibovespa conheceu nesta terça-feira 9 seu quinto pregão seguido de queda, ao cair 0,87%, aos 58.676 pontos, com os investidores avaliando a melhora de Dilma Rousseff na nova pesquisa eleitoral divulgada e o risco de corte de rating da economia brasileira anunciado pela agência Moody's <br clear="all"> : bovespa

Por Marina Neves

SÃO PAULO - O Ibovespa conheceu nesta terça-feira (9) seu 5º pregão seguido de queda, ao cair 0,87%, aos 58.676 pontos, com os investidores avaliando a melhora de Dilma Rousseff na nova pesquisa eleitoral divulgada e o risco de corte de rating da economia brasileira anunciado pela agência Moody's. Dessa forma, o principal índice da bolsa brasileira acumula perdas de 5,1% nos últimos cinco pregões, se distanciando cada vez mais dos 62 mil pontos. O volume financeiro da Bovespa nesta sessão foi de R$ 8,942 bilhões. Além disto, nesta sessão o dólar subiu 0,91%, a R$ 2,2862 na venda, após atingir R$ 2,2935 na máxima da sessão, sendo o maior patamar de fechamento da moeda em duas semanas.

A pesquisa CNT/MDA mostrou uma menor vantagem de Marina Silva (PSB) sobre Dilma Rousseff (PT) em um eventual 2º turno, o que pressionou as ações do "kit eleições" (estatais, bancos e Cosan), já que o mercado tem reagido com otimismo sempre que a atual presidente cai nas pesquisas e com pessimismo quando ela cresce. Além disso, repercute o anúncio da agência de classificação de risco Moody's, que rebaixou a perspectiva de rating do Brasil para negativa, deixando em aberto um novo corte na nota brasileira nos próximos meses.

Destaques: eleições, Vale e TIM Com as novidades eleitorais, as ações do "kit eleições" aparecem com quedas de mais de 1%, prejudicando o desempenho do Ibovespa, tendo em vista o forte peso que elas têm na composição do índice. Dentre as quedas, aparecem Petrobras (PETR3, R$ 20,39, -1,45%; PETR4, R$ 21,48, -1,01%), Eletrobras (ELET3, R$ 7,29, -2,80%; ELET6, R$ 10,84, -2,61%), Banco do Brasil (BBAS3, R$ 32,35, -0,43%), Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 38,90, -1,54%), Bradesco (BBDC4, R$ 39,22, -1,33%) e Cosan (CSAN3, R$ 42,70, -0,93%).

Indo na contramão do mercado, as ações da Vale (VALE3, R$ 28,61, +1,81%; VALE5, R$ 25,13, +1,33%) - que podem se tornar a "nova inimiga" de Marina Silva na Bolsa - subiram mais de 1% e ajudaram a amenizar as perdas do índice, já que a mineradora responde por cerca de 10% de participação na carteira teórica. O minério registrou nova mínima, de US$ 83,20 a tonelada. Contudo, uma boa notícia: a China pode atingir sua meta de crescimento econômico de cerca de 7,5% neste ano embora o país não consiga evitar flutuações de curto prazo na atividade, afirmou o primeiro-ministro, Li Keqiang, segundo a agência de notícias estatal Xinhua. Autoridades também manterão estável a política monetária da China, segundo a agência.

Como maior alta do dia, aparece a TIM (TIMP3, R$ 13,56, +2,11%), digerindo a notícia de que a Telecom Italia calcula levantar US$ 16,8 bilhões com a venda de sua fatia na companhia, segundo informações da Bloomberg. Ainda vale mencionar que os papéis da Oi (OIBR4, R$ 1,56, -4,88%) caíram forte com o que pode ser uma reavaliação do mercado sobre os benefícios da fusão da companhia com Portugal Telecom. João Pedro Brugger, analista da Leme Investimentos, disse que este é "um papel que sempre teve muitos problemas de governança, e agora com fusão aprovada pode ter ganhos de sinergia a longo prazo, mas isto deverá vir depois".

Economia Gisele Federicce Tue, 09 Sep 2014 16:06:30 +0000 http://www.brasil247.com/152883
Michael Schumacher deixa hospital e vai para casa http://www.brasil247.com/pt/247/esporte/152890 REUTERS/Tony Gentile: Ex-piloto de Fórmula 1 Michael Schumacher durante coletiva de imprensa no circuito de Mugello, na Itália. 24/01/2006. REUTERS/Tony Gentile "Daqui em diante, a reabilitação de Michael vai ser feita em sua casa. Considerando as graves lesões sofridas por ele, houve algum progresso nas últimas semanas e meses", disse o breve comunicado, emitido pela empresária do ex-piloto, Sabine Kehm <br clear="all"> REUTERS/Tony Gentile: Ex-piloto de Fórmula 1 Michael Schumacher durante coletiva de imprensa no circuito de Mugello, na Itália. 24/01/2006. REUTERS/Tony Gentile

GENEBRA (Reuters) - Michael Schumacher deixou o hospital para continuar sua recuperação em casa, mas o ex-piloto sete vezes campeão de Fórmula 1 ainda deve enfrentar "uma longa e difícil estrada adiante" após sofrer um acidente de esqui no ano passado, disse um comunicado nesta terça-feira.

"Daqui em diante, a reabilitação de Michael vai ser feita em sua casa. Considerando as graves lesões sofridas por ele, houve algum progresso nas últimas semanas e meses", disse o breve comunicado, emitido por sua empresária, Sabine Kehm.

"Há ainda, no entanto, uma longa e difícil estrada adiante", diz o texto.

Um porta-voz do hospital universitário de Lausane confirmou que o ex-piloto alemão de 45 anos deixou o local.

Schumacher sofreu uma grave lesão na cabeça em um acidente de esqui nos Alpes Franceses no fim de dezembro e foi transferido para Lausane, na Suíça, em junho, após sair do coma. Ele foi submetido a estímulos dos sentidos em uma área ao ar livre do hospital escondida da visão de curiosos.

(Reportagem de Stephanie Nebehay)

Esporte Gisele Federicce Tue, 09 Sep 2014 17:13:22 +0000 http://www.brasil247.com/152890
Engajado com Marina, Itaú é o banco mais pessimista http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152863 : Pior previsão para o crescimento da economia brasileira em 2014 é a do banco presidido por Roberto Setubal e que tem a irmã dele, Neca, como herdeira: 0,1%; projeção foi enviada a clientes; antes, na festa de 90 anos do Unibanco, Setubal declarou voto pela "mudança", referindo-se a Marina Silva, que tem em Neca a maior financiadora do Instituto Marina Silva, com doações de R$ 1 milhão no ano passado; lucro do Itaú no primeiro semestre foi R$ 9,31; mudança para ganhar mais? <br clear="all"> :

247 – O Banco Itaú Unibanco, que já ofereceu, dois anos atrás, R$ 0,01 pela operação do Banco Postal, de milhares de agências montadas, agora usa de novo o número 1 depois da vírgula. Em relatório a clientes, o banco das famílias Setúbal e Moreira Salles rebaixou de 0,6% para 0,1% sua projeção de crescimento do PIB para 2014. É a menor previsão do mercado, abaixo até mesmo da feita pela Mauá Sekular, do ex-diretor do BC Luiz Fernando Figueiredo, que atuou durante a presidência de Armínio Fraga e prevê, agora, uma elevação de apenas 0,3% no PIB.

A nova leitura do quadro econômico pelo Itaú, que tem como economista-chefe outro ex-diretor do BC nos tempos de Fraga, Ilan Goldfajn, combina com a avaliação da agência americana de classificação de risco Moody´s, que também nesta terça-feira 9 mudou sua perspectiva da economia brasileira de estável para negativa.

Como se sabe, as projeções de agentes econômicos, especialmente as feitas pelos maiores – o Itaú Unibanco é o maior banco privado do País, com lucro superior de R$ 4,42 bilhões no segundo trimestre – têm poder suficiente para animar ou afugentar investidores. Perspectivas igualmente influenciam os hábitos e os humores dos consumidores, o que pode acentuar problemas na economia ou contribuir para a sua superação.

O próprio Itaú, no entanto, não tem do que reclamar. Presidido por Roberto Setubal, o banco nunca lucrou tanto como agora. O próprio Setubal, na festa de aniversário de 90 anos do Unibanco, já declarou seu voto pela "mudança", referindo-se a Marina Silva. Acredita-se que seja mudar para melhor. Somente no primeiro semestre, o Itaú apresentou um lucro de R$ 9,31 bilhões, cifra 35% maior do que a alcançada no ano passado. Ou seja, para o banco dos Setubal houve crescimento de 35% e seis meses, mas, para eles, o Brasil só vai crescer 0,1% em um ano inteiro.

A irmã Roberto, Neca Setubal, é uma das principais conselheiras da candidata do PSB e responsável por  82% do recursos obtidos no ano passado pelo Instituto Marina Silva. Neca fez um depósito na conta da fundação e R$ 1 milhão. O Instituto, além da herdeira do Itaú, teve apenas mais uma doação ao longo de 2013.

Economia Ana Pupulin Tue, 09 Sep 2014 15:37:23 +0000 http://www.brasil247.com/152863
Moody´s confirma “deterioração" da economia, diz Aécio http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152868 : Em nota, coligação do candidato do PSDB diz que mudança de projeção estável para negativa da economia brasileira aponta erros da política econômica; em terceiro lugar nas pesquisas, Aécio Neves aposta em sua plataforma econômico para reverter situação difícil <br clear="all"> :

247 – O candidato do PSDB, Aécio Neves, pegou uma carona na mudança de projeção da agência americana Moody´s para a economia brasileira. Mais cedo, a produtora de classificações de risco retirou a perspectiva "estável" para apontar como "negativa" a tendência de desenvolvimento do País.

Com seu candidato em terceiro lugar nas pesquisas de opinião, a coligação Muda Brasil expediu o seguinte pronunciamento:

NOTA OFICIAL

A decisão da agência de classificação de   risco Moody's Investors Service de rebaixar a perspectiva do rating   do Brasil para negativa confirma a infeliz deterioração do quadro   econômico do nosso país. Mostra que as conquistas econômicas e sociais do   Brasil estão em risco por decisões equivocadas da política econômica,   com exagerada flexibilização fiscal, que abalaram de maneira significativa a   confiança dos investidores. Para reverter esse quadro e devolver o Brasil a   um caminho virtuoso, é preciso um governo comprometido com a adoção de uma   política econômica transparente, com solidez fiscal e decisivo combate à   inflação.

Coligação Muda Brasil

Poder Aline Lima Tue, 09 Sep 2014 14:35:39 +0000 http://www.brasil247.com/152868
Marina rebate comercial: PT deu "bolsa banqueiro" http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/152873 : Presidenciável do PSB respondeu às críticas da campanha da presidente Dilma Rousseff, que, em comercial na TV, afirmou que Marina Silva queria dar aos banqueiros poder de presidente e Congresso, com a proposta de independência do Banco Central; segundo Marina, foi Dilma quem beneficiou os bancos; "Ela disse que ia ganhar para baixar os juros. Nunca os banqueiros ganharam tanto como no seu governo. E agora, eles que fizeram o 'bolsa empresário', o 'bolsa banqueiro', a 'bolsa juros altos', estão querendo nos acusar de forma injusta em seus programas eleitorais", afirmou em BH; candidata conclamou a militância a aderir à campanha nas redes sociais para "rebater mentiras" dos adversários <br clear="all"> :

Minas 247 – A presidenciável Marina Silva (PSB) rebateu nesta terça-feira 9 o comercial da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT), que diz que Marina Silva dará aos banqueiros poder de presidente e de Congresso, que são eleitos pelo povo (veja aqui). Segundo Marina, porém, foi Dilma quem beneficiou os bancos.

"Ela disse que ia ganhar para baixar os juros. Nunca os banqueiros ganharam tanto como no seu governo. E agora, eles que fizeram o 'bolsa empresário', o 'bolsa banqueiro', a 'bolsa juros altos', estão querendo nos acusar de forma injusta em seus programas eleitorais", declarou a candidata.

Durante evento em Belo Horizonte (MG), ela também conclamou a militância do seu partido para "rebater mentiras" divulgadas pelas campanhas dos seus principais adversários, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), ex-governador de Minas Gerais.

"Apresentamos um programa de governo com todas as propostas e nossos adversários que não apresentaram propostas estão espalhando boatos", disse Marina, durante evento em Belo Horizonte (MG). Ela chamou a militância a aderir à campanha nas redes sociais.

A ex-senadora criticou tanto a petista com o tucano. Segundo Marina, a eleição da presidente Dilma foi decorrente do apoio que ela teve de aliados, e não de mérito próprio.

"Porque se juntou ao Sarney (senador José Sarney), Collor (senador Fernando Collor), Maluf (deputado federal Paulo Maluf) e ao Renan (presidente da Câmara e deputado federal Renan Calheiros)", justificou.

Marina disse que, se vencer a eleição, a conquista é exclusiva do eleitor. "Se eu ganhar, só tenho a agradecer ao povo", declarou. A ex-senadora também afirmou que prefere "perder ganhando do que transgredindo princípios".

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto MDA e divulgada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), Marina continua ocupa a segunda posição, com 33,5% dos votos, atrás da presidente Dilma, com 38,1%. Em terceiro lugar está Aécio Neves, com 14,7%.

Em simulação de segundo turno, Marina registra 45,5%, e Dilma, 42,7%. Na disputa com Aécio, Marina venceria por 52,2% a 26,7%. Em um confronto da petista contra o tucano, Dilma venceria por 47,5% a 33,7%.

Minas 247 Leonardo Lucena Tue, 09 Sep 2014 15:17:11 +0000 http://www.brasil247.com/152873
Senador promete renunciar se ligação dele com Yousseff ficar provada http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152865 : Ao mesmo tempo, porém, Ciro Nogueira, do PP do Piauí, exonerou assessor direto que teve passagem de avião paga pelo doleiro preso na Operação Lava Jato; Nogueira e o senador Cícero Lucena (PSDB-PB) também teriam sido beneficiados por Yousseff para fazer viagem Brasília-São Paulo, via TAM; promessa de renúncia foi feita por escrito a juiz federal de Curitiba; tucano Lucena ainda não se pronunciou <br clear="all"> :

Karine Melo - Repórter da Agência Brasil

O senador Ciro Nogueira (PP-PI) afirmou hoje (9) que renuncia ao mandato se ficar comprovado qualquer relação dele com o doleiro Alberto Youssef e com o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa. Em fax enviado ao juiz Sérgio Fernando Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, responsável pelo caso da estatal, Nogueira disse que recebeu com "perplexidade e indignação" as acusações envolvendo o nome dele.

"Renunciarei ao meu mandato se houver qualquer transação que beneficie a mim ou qualquer estrutura empresarial da qual seja sócio, cotista ou esteja de alguma forma, individual e diretamente, relacionado no contexto das investigações vigentes", garantiu.

No documento, Ciro Nogueira também se compromete a renunciar ao mandato de senador, caso sejam encontrados registros financeiros, no Brasil ou no exterior, que sirvam como vínculo com as confissões feitas pelo ex-diretor da Petrobras e, ainda, se houver a revelação de áudio ou vídeo de conversas impróprias, do ponto de vista ético, entre ele, Paulo Roberto ou qualquer integrante do suposto esquema.

O senador comunicou, ainda, que exonerou o assessor Mauro Conde Soares, que trabalhava com ele desde o início do mandato. A medida foi tomada depois que o jornal O Estado de S. Paulo publicou ontem (8) reportagem com provas de que o doleiro Alberto Youssef pagou passagens de assessores dos senadores Ciro Nogueira (PP-PI) e Cicero Lucena (PSDB-PB), de Brasília a São Paulo. O jornal teve acesso ao recibo da compra dos bilhetes aéreos, ida e volta, da companhia TAM, no valor de R$ 3.543,25. É o primeiro documento que liga diretamente o gabinete de parlamentares ao doleiro.

Segundo Ciro Nogueira, o assessor exonerado admitiu que realmente foi a São Paulo, a convite da contadora de Yousseff, Meire Poza. "Como era período de recesso parlamentar, não tinha falado comigo, pois se tratava de um assunto que ( segundo ele) não dizia respeito ao gabinete. Além de confessar que tinha agido sem meu conhecimento, o assessor também isentou de participação qualquer outro funcionário do gabinete", explicou o senador.

Salientou que, após ser ouvido no gabinete, o assessor dirigiu-se à Delegacia de Polícia do Senado Federal, onde registrou o ocorrido em depoimento. O senador Cícero Lucena está em Brasília, mas, procurado pela Agência Brasil, ainda não se pronunciou.

Poder Marco Damiani Tue, 09 Sep 2014 14:16:27 +0000 http://www.brasil247.com/152865
Juruna: "Marina deixa trabalhador com pulga atrás da orelha" http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/152872 : Vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna, fala sobre desconfiança da classe trabalhadora com uma eventual eleição de Marina Silva à presidência; "A análise fria do seu programa de governo gera a desconfiança de que os direitos dos trabalhadores poderão sofrer ataques irreversíveis", diz ele, em entrevista ao blog de Paulo Moreira Leite no 247; leia a íntegra <br clear="all"> :

247 – A classe trabalhadora tem mostrado desconfiança em relação à candidatura de Marina Silva. Quem diz é um importante representante dos trabalhadores, João Carlos Gonçalves, o Juruna. Em entrevista ao blog de Paulo Moreira Leite, no 247, Juruna, que é vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e secretário Geral da Força Sindical, diz que o programa de governo da candidata "gera desconfiança" de que podem haver "ataques irreversíveis" aos direitos dos trabalhadores caso ela seja eleita.

"A candidata pelo PSB, Marina Silva, tem boas intenções e promete fazer do Brasil um país melhor. Porém, de boas intenções o inferno está cheio. A análise fria do seu programa de governo gera a desconfiança de que os direitos dos trabalhadores poderão sofrer ataques irreversíveis. Em primeiro lugar: o que ela quer dizer com tornar o Banco Central independente? Entregar a administração da política monetária para os banqueiros privados? Imagina só, se com a Dilma os juros foram lá pra cima, o que poderá acontecer se deixarmos o Banco Central nas mãos dos credores da dívida pública? Se o BC for independente como propõe o programa de Marina, não vacilará em aumentar os juros ao menor sinal de aumento da inflação. E juros altos se traduzem em recessão, desemprego, redução dos salários e, consequentemente, aumento da miséria", diz ele.

Apesar de ser um dos líderes da Força Sindical, entidade que apoia oficialmente a candidatura do tucano Aécio Neves, Juruna é forte apoiador das campanhas do ex-presidente Lula desde o segundo turno de 2002. Esse ano, foi um dos organizadores do encontro entre a presidente Dilma e os sindicatos. Segundo ele, "dentre os trabalhadores dos centros urbanos mais desenvolvidos há uma tendência majoritária a favor da candidatura Dilma Rousseff, mesmo com a ascensão da candidata Marina Silva".

Leia aqui a íntegra da entrevista.

Brasil Gisele Federicce Tue, 09 Sep 2014 14:58:09 +0000 http://www.brasil247.com/152872
Dilma na TV: Marina dará poder de presidente ao BC http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/152859 : Presidente da República Dilma Rousseff bate duro em proposta de independência do Banco Central da principal adversária, Marina Silva; em um comercial de 30 segundos, que começou a ser transmitido hoje na TV, locutor afirma que o plano "parece algo distante da vida da gente", mas que não é, e significaria entregar aos banqueiros "um grande poder de decisão sobre a sua vida e de sua família. Os juros que você paga, seu emprego, preços e até salários"; comercial diz ainda que "os bancos assumem um poder que é do presidente e do Congresso, eleitos pelo povo"; e questiona o eleitor: "você quer dar a eles esse poder?" <br clear="all"> :

247 – A campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) partiu para o duro ataque nesta terça-feira 9 contra a proposta da adversária do PSB, Marina Silva, de independência do Banco Central. Em um comercial de 30 segundos, o locutor passa a mensagem de que a decisão parece distante "da vida da gente", mas que afeta diretamente a vida e a família dos brasileiros.

"Marina tem dito que, se eleita, vai fazer a autonomia do Banco Central. Parece algo distante da vida da gente, né? Parece, mas não é... Isso significaria entregar aos banqueiros um grande poder de decisão sobre sua vida e de sua família. Os juros que você paga... seu emprego, preços e até salário...", diz o texto do vídeo, publicado pelo jornalista Fernando Rodrigues.

As cenas são de uma família comendo à mesa, alternada com a de homens de terno e gravata, simulando os banqueiros. "Ou seja, os bancos assumem um poder que é do presidente e do Congresso, eleitos pelo povo. Você quer dar a eles esse poder?", questiona o narrador. Na mesa da família, o alimento que estava à mesa desaparece.

A campanha petista, que tem à frente o marqueteiro João Santana, começou a fazer ataques mais firmes a Marina Silva na semana passada, quando comparou a presidenciável pelo PSB aos ex-presidentes Jânio Quadros e Fernando Collor de Mello, que não terminaram seus mandatos. A ideia é transmitir o risco-Marina e questionar como a candidata pretende governar sem apoio no Congresso.

O tema também foi usado pela presidente Dilma em perguntas a Marina no último debate presidencial, organizado por Folha, Uol, SBT e Jovem Pan. Contra os ataques, a ex-senadora tem dito que existe uma "frente" contra sua candidatura, a fim de desconstruir sua imagem. Aécio Neves, do PSDB, tem usado a mesma estratégia, afirmando que o Brasil não aguenta uma "nova aventura".

Brasil Gisele Federicce Tue, 09 Sep 2014 13:10:20 +0000 http://www.brasil247.com/152859
CNT/MDA: Dilma cresce no 1º turno e empata no 2º http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152836 : Presidente lidera a disputa ao Planalto no primeiro turno, segundo pesquisa do instituto MDA divulgada nesta manhã pela CNT; na comparação com última mostra, Dilma Rousseff subiu 3,9%, Marina Silva cresceu 5,3% e Aécio Neves caiu 1,3%; na simulação de 2º turno, petista empata tecnicamente com a candidata do PSB,  com 42,7% contra 45,5% da adversária; avaliação positiva do governo subiu de 33,1% para 37,5%; negativa caiu de 28,8% para 23% <br clear="all"> :

247 – Pesquisa realizada pelo Instituto MDA divulgada nesta manhã pela Confederação Nacional dos Tranportes (CNT) aponta liderança da presidente Dilma Rousseff no primeiro turno da disputa ao Planalto, com 38,1% das intenções de voto. A candidata do PSB, Marina Silva, registrou 33,5%. Em terceiro lugar, Aécio Neves, do PSDB, tem 14,7%.

Na comparação com a última pesquisa CNT/MDA, divulgada no dia 27 de agosto, Dilma subiu 3,9%, Marina subiu 5,3% e Aécio caiu 1,3%. O número de indecisos caiu quase pela metade, de 10,4% para 5,7%. Brancos e nulos caíram de 8,7% para 5,9%.

Em uma simulação de segundo turno entre Dilma e Marina, a petista, com 42,7% das intenções de voto, empata tecnicamente com a candidata do PSB, que registra 45,5%. Em uma eventual disputa entre Dilma e Aécio, a petista venceria com 47,5%, contra 33,7% do presidenciável tucano. Em uma terceira possibilidade, Marina (52,2%) também ganharia de Aécio (26,7%).

A pesquisa aponta que a maior parte dos entrevistados (49%) acredita que Dilma é quem vencerá as eleições. Em segundo lugar, está Marina (34,9%), e, em terceiro, Aécio (6,2%). A candidata do PT também lidera o limite de voto: 22,8% disseram que ela é a única em quem votariam. Marina tem 18,5% dessas intenções, e Aécio, 6,3%.

Avaliação do governo

A popularidade da presidente Dilma cresceu, segundo a mostra. A avaliação de governo era positiva para 33,1% na última pesquisa, no fim do mês passado. Hoje o indicador é de 37,5%. Enquanto isso, o percentual dos que consideraram seu governo ótimo cresceu de 6,8% para 7,7%. A performance considerada boa passou de 26,3% para 29,8%, e a regular de 37,4% para 39%.

A avaliação negativa, por sua vez, caiu e passou de 28,8% para 23%. A atuação considerada ruim passou de 11,8% para 10,8%, e a péssima, de 17% para 12,2%. Em relação ao desempenho pessoal, Dilma também registrou crescimento: de 47,4%, ela foi para 52,4% de aprovação. Já a quantidade dos que desaprovam passou de 47,4% para 42,9%.

Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 estados das cinco regiões, entre os dias 5 e 7 de setembro. 

Confira a íntegra da pesquisa:

Poder Ana Pupulin Tue, 09 Sep 2014 10:52:41 +0000 http://www.brasil247.com/152836
Estadão segue Noblat e fala em "pré-sal de lama" http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/152830 : Jornal comandado por Francisco de Mesquita Neto usa o termo para se referir às denúncias de corrupção feitas peo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e acusa a presidente Dilma Rousseff de ter tirado "proveito material" do apoio, supostamente pago com propina da estatal, à base aliada do governo – o que resultou em tempo de propaganda para a candidata à reeleição <br clear="all"> :

247 – Depois do colunista do Globo Ricardo Noblat, que retomou o discurso do "mar de lama" para comentar as denúncias de corrupção contra a Petrobras, hoje foi a vez do jornal O Estado de S. Paulo, comandado por Francisco Mesquita Neto. Editorial menciona o termo "pré-sal de lama" para se referir à delação premiada do ex-diretor Paulo Roberto Costa.

Jornal diz que "é ainda muito pouco – e incerto – o que acaba de vir a público do esquema", mas que "o que se publicou foi suficiente para obrigar os principais candidatos ao Planalto a repensar suas estratégias". "O tema da corrupção migra da periferia para o centro do debate - tendo como foco o que se cometeu, desde a ida do PT ao poder, na maior e mais estimada empresa nacional", diz o editorial.

O jornal acusa a presidente Dilma Rousseff de ter tirado "proveito material" do apoio, pago com propina da Petrobras, à base aliada do governo no Congresso – o que resultou em tempo de propaganda para a candidata à reeleição. O texto diz ainda que "pode sobrar também para Marina", uma vez que o ex-governador de Pernambuco, que era presidente do PSB, é um dos citados por Costa como beneficiário do esquema.

Leia aqui.

Mídia Gisele Federicce Tue, 09 Sep 2014 10:08:42 +0000 http://www.brasil247.com/152830
Moody's altera para negativa perspectiva de rating do Brasil http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152854 MIKE SEGAR: A Moody's sign on the 7 World Trade Center tower is photographed in New York in this August 2, 2011 file photo.   Moody's reported a 41 percent jump in quarterly profit October 26, 2012, and raised its full-year earnings forecast for the second time in si Agência de classificação de risco mudou nesta terça-feira 9 a perspectiva de nota dos títulos do governo brasileiro de estável para negativa; segundo a agência, a mudança reflete o aumento do risco de baixo crescimento contínuo e a piora nos indicadores de dívida; esses fatores podem indicar uma redução na qualidade do crédito no Brasil, diz a Moody's <br clear="all"> MIKE SEGAR: A Moody's sign on the 7 World Trade Center tower is photographed in New York in this August 2, 2011 file photo.   Moody's reported a 41 percent jump in quarterly profit October 26, 2012, and raised its full-year earnings forecast for the second time in si

Kelly Oliveira – Repórter da Agência Brasil

A agência de classificação de risco Moody's mudou hoje (9) a perspectiva de nota dos títulos do governo brasileiro de estável para negativa.

Segundo a agência, a mudança reflete o aumento do risco de baixo crescimento contínuo e a piora nos indicadores de dívida. Esses fatores podem indicar uma redução na qualidade do crédito no Brasil, diz a Moody's.

Ao mesmo tempo, a agência reafirmou a classificação de risco dos títulos brasileiros em Baa2, devido à resistência da economia brasileira a choques externos, garantida pelo nível de reservas internacionais.

Em outubro do ano passado, a Moody's reduziu a perspectiva da nota da dívida soberana do Brasil de positiva para estável. Na época, a agência também manteve o rating do país em Baa2, garantindo o grau de investimento.

Economia Gisele Federicce Tue, 09 Sep 2014 12:12:28 +0000 http://www.brasil247.com/152854
Petrobras: Marina nega “dois pesos e duas medidas” http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152850 : Em entrevista ao Jornal da Record, na noite desta segunda-feira, presidenciável pelo PSB defende que sua postura não é incoerente ao condenar o PT por denúncias de corrupção contra a Petrobras e criticar "segunda morte" de Eduardo Campos, também citado por Paulo Roberto Costa, "por leviandade"; "Nós queremos a verdade. Isso não tem nada a ver com dois pesos e duas medidas. Dois pesos e duas medidas é querer se promover a custa de escândalo" <br clear="all"> :

247 – A candidata do PSB à presidência, Marina Silva, negou na noite desta segunda-feira 8, em entrevista ao Jornal da Record, usar "dois pesos e duas medidas" ao tratar do envolvimento do PT e do PSB nas denúncias de corrupção contra a Petrobras, por meio do ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa em delação premiada.

A presidenciável disse ontem que o governo Dilma foi "conivente" com a quadrilha que atuava na petroleira e que a presidente teve "benefício político" com o esquema. Já sobre o suposto envolvimento de Eduardo Campos, citado por Costa como um dos beneficiários do esquema de propina a políticos, pediu a "verdade" e criticou o que seria uma "segunda morte" de Campos "por leviandade".

"Na Petrobras, esse não é um único escândalo. Uma empresa que era eficiente e hoje está numa situação de completa insolvência em função da incompetência", criticou Marina, ressaltando que a empresa, que era "respeitada e valorizada", no atual governo "está quatro vezes mais endividada e tem o seu patrimônio equivalente a apenas a metade do que era quando a presidente Dilma assumiu o cargo".

Segundo a candidata, sua postura não é incoerente. "Nós queremos a verdade. Isso não tem nada a ver com dois pesos e duas medidas. Dois pesos e duas medidas é querer se promover a custa de escândalo". A acusação de "dois pesos, duas leviandades" foi feita ontem pelo jornalista Paulo Moreira Leite, em seu blog no 247 (leia aqui).

Poder Gisele Federicce Tue, 09 Sep 2014 12:01:23 +0000 http://www.brasil247.com/152850
Marina tenta reverter às pressas imagem no pré-sal http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/152804 : Campanha do PSB organiza ato no Rio de Janeiro para Marina Silva explicar “mal-entendido” sobre interrupção na produção do pré-sal, caso vença a eleição; “temos que sair da idade do petróleo", disse ela, que dedica apenas uma linha nas 242 páginas de seu programa de governo ao assunto; posição corroeu popularidade da ex-senadora no Estado e não conseguiu alavancar imagem dela no agronegócio <br clear="all"> :

247 – A “gafe” de Marina Silva sobre a produção do pré-sal no Brasil pesou em sua popularidade. Depois de dizer que o petróleo é um “mal necessário” e que temos de “acabar com a idade do petróleo”, candidata do PSB à Presidência tenta, às pressas, reverter imagem no setor.

Em seu programa na TV, a presidente Dilma Rousseff acusou a candidata do PSB de querer "acabar com o pré-sal".

O partido organiza um ato no Rio de Janeiro, na próxima quinta-feira, para Marina explicar o “mal entendido”. O apoio à ex-senadora no estado, segundo nota do colunista Ilimar Franco, está sendo corroído, e um dirigente de sua campanha afirma que é preciso acabar logo com essa “cortina de fumaça”.

O atual programa do PSB diz que o petróleo e seus derivados "continuarão a ser fonte importante na matriz energética brasileira", mas defende necessidade de investimento em energia limpa.

"Ninguém vai acabar com o pré-sal. Ele é como se fosse uma reserva de valor. Mas é preciso entender que o futuro da Petrobras não é como uma empresa exclusivamente de petróleo, mas de energia", disse o deputado federal Alfredo Sirkis (PSB).

Se Marina ficou queimada na pré-sal, também não conseguiu ganhar popularidade no agronegócio. Segundo o colunista Bernardo Mello Franco, o PT de Dilma recebeu R$ 2 milhões em doações de empresas sucroalcooleiras em 29 de agosto, um dia depois de Marina atacar a política do governo para o etanol e prometer apoio aos produtores. Antes da fala de Marina, o setor deu R$ 1,75 milhão ao PSB.

Rio 247 Roberta Namour Tue, 09 Sep 2014 05:20:14 +0000 http://www.brasil247.com/152804
PSDB contrata militância para "engrossar" atos http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152805 : Em agosto, PSDB contratou a Entreter Festas e Eventos por R$ 2,5 milhões para fornecer 1.112 cabos eleitorais para a campanha do presidenciável Aécio Neves, em terceiro nas pesquisas de intenção de voto; no total, comitê do tucano declarou ter gasto R$ 6,8 milhões com “serviços prestados por terceiros”, nos últimos dois meses; despesa só perde para a produção do programa de TV, que consumiu R$ 6,9 milhões <br clear="all"> :

247 – Em terceiro isolado nas pesquisas de intenção de voto, o PSDB do presidenciável Aécio Neves tem contratado militantes profissionais para engrossar seus atos de rua. Em agosto, a Entreter Festas e Eventos recebeu R$ 2,5 milhões do partido para fornecer 1.112 cabos eleitorais para a campanha do tucano. 

A estratégia não é ilegal, desde que o comitê de Aécio informe ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) os dados de cada um dos funcionários.

Segundo reportagem do Estadão, além dos cabos eleitorais terceirizados, a campanha do tucano também declarou ter gasto R$ 6,8 milhões com “serviços prestados por terceiros”, nos últimos dois meses. Despesa só perde para a produção do programa de TV, que consumiu R$ 6,9 milhões (leia mais).

Poder Roberta Namour Tue, 09 Sep 2014 05:22:53 +0000 http://www.brasil247.com/152805
Com ingressos a R$ 100, JB dá palestra sobre ética http://www.brasil247.com/pt/247/sc247/152801 : Uma exportadora de tabaco, um escritório de advocacia, uma empresa de eventos e uma faculdade de Santa Catarina se uniram para organizar o primeiro grande evento público do presidente aposentado do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa; ex-ministro vai falar sobre “O Poder e a Ética no Brasil atual”, em um ginásio esportivo; no Conselho Nacional de Justiça, JB baixou resolução que limitava a participação de magistrados em eventos patrocinados; sem a toga, fica liberado <br clear="all"> :

Por Leonardo Léllis
Consultor Jurídico - Uma exportadora de tabaco, um escritório de advocacia, uma empresa de eventos e uma faculdade se uniram para organizar o primeiro grande evento público do ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa. Agora longe das tormentas jurídicas do STF, Barbosa palestrará na cidade de Tubarão (SC), no dia 19 de setembro, às 20h. Em um ginásio esportivo, o ex-ministro vai falar sobre “O Poder e a Ética no Brasil atual”.

Tudo pago

Durante a presidência de Barbosa, o Conselho Nacional de Justiça baixou resolução que limitava a participação de magistrados em eventos patrocinados. Sem a toga, Barbosa não tem restrição para participar do evento, cujos ingressos são vendidos a R$ 100 (estudantes e idosos pagam meia). As entradas estão à venda na Ótica Alcino (Rua Lauro Muller, 98, no calçadão da cidade de Tubarão). Informações pelo telefone (48) 3621-3129. Um dia antes (18/9), Barbosa fala sobre o mesmo tema no salão nobre da Associação Comercial e Industrial de Joinville. O valor, porém, é mais salgado: R$ 170 para associados e estudantes e R$ 220 para os demais interessados. Mais informações no telefone (47) 3461-3344.

 

Santa Catarina 247 Roberta Namour Tue, 09 Sep 2014 05:37:48 +0000 http://www.brasil247.com/152801
Janot: MP vai investigar depoimento de Costa http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/152802 : Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, quer garantir o prosseguimento das investigações da Operação Lava Jato após a divulgação do depoimento em que o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, cita nomes de políticos que receberam propina no suposto esquema <br clear="all"> :

André Richter – Repórter da Agência Brasil - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, discutiu ontem (8) com integrantes do Ministério Público medidas para garantir o prosseguimento das investigações da Operação Lava Jato após a divulgação do depoimento em que o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, cita nomes de políticos que receberam propina no suposto esquema. Em maio, Janot criou uma força-tarefa para auxiliar nas investigações.

De acordo com nota divulgada à imprensa, durante a reunião foram “avaliadas medidas para garantir a efetividade das investigações”. Os nomes de políticos citados pelo ex-diretor foram divulgados no sábado (6) pela revista Veja.

O procurador também declarou, por meio de nota, que não vai se manifestar sobre a divulgação dos nomes. Segundo Janot, o Ministério Público vai continuar a investigação de forma imparcial e respeitando a presunção de inocência dos envolvidos.

A presidenta Dilma Rousseff disse ontem que pretende pedir à Procuradoria-Geral da República informações sobre as denúncias de que integrantes do governo foram citados pelo ex-diretor da Petrobras.

Paraná 247 Roberta Namour Tue, 09 Sep 2014 06:45:24 +0000 http://www.brasil247.com/152802
Malafaia compara selfie em avião a racismo do Grêmio http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/152806 : Em seu perfil no Twitter, pastor Silas Malafaia relacionou a imagem de Murielle Facure, em um avião ao lado do pastor ironizando seu posicionamento contra o casamento de homossexuais, a da torcedora do Grêmio Patrícia Moreira, que xingou o goleiro Aranha, do Santos, de “macaco”; escreveu em seguida para seus seguidores: “Vcs tem que ler o frenesi da gayzada aqui no meu Twitter!! Palavrões e ameaças!! São tão democráticos! Não suportam o contraditório!” <br clear="all"> :

247 - O pastor Silas Malafaia comparou a selfie feita por uma jovem ironizando seu posicionamento contra o casamento de homossexuais aos recentes xingamentos racistas da torcida do Grêmio contra o goleiro Aranha, do Santos.

Em seu perfil no Twitter, Malafaia relacionou a imagem de Murielle Facure, em um avião ao lado do pastor, a da torcedora Patrícia Moreira, que xingou o jogador de “macaco”.

Escreveu em seguida para seus seguidores: “Vcs tem que ler o frenesi da gayzada aqui no meu Twitter!! Palavrões e ameaças!! São tão democráticos! Não suportam o contraditório! Só kkkk”.

Brasil Roberta Namour Tue, 09 Sep 2014 05:34:57 +0000 http://www.brasil247.com/152806
Com maior rejeição, Marina cai no 2° turno http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152807 : Pesquisas internas realizadas pelas três principais campanhas à Presidência apontam que Marina Silva registra oscilação negativa no segundo turno; na expectativa de vitória, presidente Dilma Rousseff abre 10 pontos à frente da candidata do PSB; rejeição também aumenta, assim como sinalizou o Datafolha: em meados de agosto, 11% diziam que não votariam nela, percentual que saltou para 16% na semana passada <br clear="all"> :

247 – A rápida ascensão de Marina Silva nas últimas pesquisas eleitorais já foi interrompida. Sondagens internas realizadas pelas três principais campanhas à Presidência apontam que a candidata do PSB se mantém estável no primeiro turno, em relação às sondagens da semana anterior, mas registram oscilação negativa no segundo turno.

Segundo a colunista Mônica Bergamo, a rejeição de Marina também aumenta, num movimento que já vinha sendo registrado pelo Datafolha: em meados de agosto, 11% diziam que não votariam nela, percentual que saltou para 16% na semana passada.

Outro sinal de fumaça para o PSB veio da coluna de Ilimar Franco, do Globo. Segundo ele, a oposição estaria intrigada. Nas pesquisas de segundo turno, Marina Silva leva vantagem de 4 a 5 pontos contra a presidente Dilma. Mas, quando se quer saber sobre a expectativa de vitória, Dilma tira cerca de 10 pontos à frente de Marina.

Poder Roberta Namour Tue, 09 Sep 2014 06:24:48 +0000 http://www.brasil247.com/152807
Empresários sabatinam campanha de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152808 : Cerca de 500 clientes do Bank of America Merrill Lynch (BofA) reuniram-se ontem em um hotel na Vila Olímpia, em São Paulo, para esclarecer diretamente suas principais dúvidas sobre as propostas da presidenciável Marina Silva; estavam presentes Beto Albuquerque, candidato a vice na chapa, o ex-deputado Walter Feldman e Maurício Rands, coordenador do programa do PSB. empresária Rosangela Lyra, presidente da Associação dos Lojistas dos Jardins, também organiza encontro com os coordenadores da campanha <br clear="all"> :

247 – Coordenadores da campanha de Marina Silva (PSB) à Presidência foram sabatinados ontem em encontro com cerca de 500 clientes do Bank of America Merrill Lynch (BofA) reuniram-se ontem em um hotel na Vila Olímpia, em São Paulo.

Segundo a instituição, encontro não representa apoio à candidata e sim uma intenção de esclarecer diretamente principais dúvidas sobre seu programa.

De acordo com a colunista Mônica Bergamo, o economista André Lara Resende, ex-presidente do BNDES no governo FHC, acompanhou os marineiros ao evento. Estavam também Beto Albuquerque, candidato a vice de Marina, o ex-deputado Walter Feldman e Maurício Rands, coordenador do programa do PSB.

Articulador do programa de governo do PSB junto ao agronegócio, João Paulo Capobianco disse que "as principais dúvidas eram sobre a visão de Marina para a economia e qual a expectativa para processos de licenciamento ambiental, considerando que projetos de infraestrutura têm um papel relevante no programa de governo".

Para hoje, a empresária Rosangela Lyra, presidente da Associação dos Lojistas dos Jardins, organiza encontro com os coordenadores da campanha de Marina. "Todo mundo conhece Dilma [Rousseff] e Aécio [Neves]", diz ela, afirmando que não declara voto.

Economia Roberta Namour Tue, 09 Sep 2014 06:39:28 +0000 http://www.brasil247.com/152808
PML: "manchete do Globo é falsa como nota de 3 reais" http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/152769 : "Campanha da Dilma muda após delação de corrupção milionária", diz título da primeira página do jornal desta segunda-feira; mas as mudanças na equipe, conforme esclarece Paulo Moreira Leite, em seu blog no 247, já haviam sido definidas antes de virem à tona as denúncias do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa em delação premiada; "Se trata de notícia velha e errada", escreve PML <br clear="all"> :

247 – A manchete principal do jornal O Globo noticiou nesta segunda-feira 8 que a equipe de campanha da presidente Dilma Rousseff sofreu alterações após as denúncias de corrupção feitas pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. As alterações, no entanto, já haviam sido anunciadas por conta do cenário político, que mostrava alta da adversária do PSB, Marina Silva, nas pesquisas. "Se trata de notícia velha e errada", escreve Paulo Moreira Leite, em seu blog no 247.

"Conforme o Globo, a entrada do ministro Miguel Rossetto, do Desenvolvimento Agrário, na coordenação da campanha de Dilma foi realizada como uma resposta às denúncias de Paulo Roberto da Costa. Segundo sua versão, a chegada de Rossetto teve como finalidade enfraquecer o deputado Rui Falcão, presidente do PT, que pertence a mesma corrente petista ligada ao escândalo da Petrobras. O problema é que se trata de notícia velha e errada", escreve PML.

O jornalista resgata manchete do jornal O Estado de S. Paulo da última sexta-feira, 24 horas antes de a Veja chegar às bancas com a reportagem sobre a delação premiada: "PT monta força-tarefa para enfrentar alta de Marina". "Poucas semanas depois da tragédia que matou Eduardo Campos, quando Marina Silva já havia ultrapassado Aécio Neves, a campanha de Dilma procurava ampliar-se e ganhar reforços", esclarece ele.

"Para supor que a entrada de Miguel Rossetto pudesse representar o crescimento de uma tendência no comando da campanha implica em ignorar as proximidades e conexões dos outros ministros que chegaram com Rossetto, na mesma leva. Jornais do mundo inteiro cometem erros. O curioso é cometer um erro tão fácil de ser evitado, pois estava na manchete do Estado de S. Paulo, publicação que compete com o Globo e com a Folha pela posição de liderança dos grandes jornais brasileiros", avalia Paulo Moreira Leite.

Leia aqui a íntegra de seu post.

Mídia Gisele Federicce Mon, 08 Sep 2014 17:27:17 +0000 http://www.brasil247.com/152769
Reuters: Tombini deve ficar no BC se Dilma for reeleita http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152778 Antonio Cruz/ABr: Brasília - O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, fala sobre as diretrizes, a implementação e as perspectivas da política monetária, durante audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Informação é de uma fonte oficial próxima do núcleo do governo, segundo a agência de notícias; sobre a substituição do ministro da Fazenda, Guido Mantega, a mesma fonte informou que os nomes mais cotados são Nelson Barbosa, ex-secretário-executivo da Fazenda, e Otaviano Canuto, ex-vice-presidente do Banco Mundial; "Tombini está fazendo um bom trabalho no Banco Central. Tirá-lo do BC para que assuma a Fazenda não é tido como uma boa solução", disse a fonte <br clear="all"> Antonio Cruz/ABr: Brasília - O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, fala sobre as diretrizes, a implementação e as perspectivas da política monetária, durante audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado

Por Luciana Otoni

BRASÍLIA (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff (PT), caso seja reeleita, deve manter Alexandre Tombini no comando do Banco Central, disse à Reuters uma fonte oficial próxima do núcleo do governo.

A presidente surpreendeu na semana passada ao anunciar que fará mudanças na sua equipe, inclusive no Ministério da Fazenda, atualmente comandado por Guido Mantega, em um eventual segundo mandato.

"Tombini está fazendo um bom trabalho no Banco Central. Tirá-lo do BC para que assuma a Fazenda não é tido como uma boa solução", disse.

De acordo com a fonte, que falou em condição de anonimato, os nomes de Nelson Barbosa, ex-secretário-executivo da Fazenda, e de Otaviano Canuto, ex-vice-presidente do Banco Mundial, estão sendo cogitados como possíveis substitutos de Mantega.

"Os dois nomes que mais circulam (no Palácio do Planalto) são o Nelson e o Otaviano", disse.

Ainda que haja considerações sobre quem assumirá o comando da equipe econômica, a fonte disse que Dilma não falará em nomes até depois das eleições.

"Faltam apenas quatro semanas para a eleição e nesse período ela não apresentará nomes", disse.

A fonte acrescentou que a sinalização que a presidente tinha a fazer durante a campanha eleitoral sobre a equipe econômica ocorreu na semana passada, quando indicou que Guido Mantega não será mantido.[ID:nL1N0R53AB]

Nesta tarde, questionada sobre a mudança, Dilma disse que Mantega já havia lhe avisado que não poderia permanecer em um eventual segundo mandato por questões pessoais. [nE6N0PY005]

(Reportagem de Luciana Otoni)

Economia Gisele Federicce Mon, 08 Sep 2014 17:56:18 +0000 http://www.brasil247.com/152778
"Não colaboro com o inimigo", diz militar convocado à CNV http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/152777 Tânia Rêgo\Agência Brasil: "Não vou comparecer. Se virem. Não colaboro com o inimigo", afirmou o oficial da reserva José Conegundes, ao se recusar a depor nesta segunda-feira 8 na Comissão Nacional da Verdade; para o coordenador da comissão, Pedro Dallari (foto), a hostilidade deste e de outros militares foi estimulada pela resistência das Forças Armadas em reconhecer as violações aos direitos humanos cometidas durante a ditadura <br clear="all"> Tânia Rêgo\Agência Brasil:

Pedro Peduzzi – Repórter da Agência Brasil

"Não vou comparecer. Se virem. Não colaboro com o inimigo", afirmou o oficial da reserva José Conegundes, ao se recusar a depor hoje (8) na Comissão Nacional da Verdade (CNV).

Para o coordenador da comissão, Pedro Dallari, a hostilidade deste e de outros militares foi estimulada pela resistência das Forças Armadas em reconhecer as violações aos direitos humanos cometidas durante a ditadura (1964-1985). Ele, no entanto, destaca o fato de a comissão ter recebido, do Ministério da Defesa, a "folha de alteração" de 114 militares suspeitos da prática desse tipo de violência.

A folha de alterações é "um documento preciso", que registra, passo a passo, toda a trajetória funcional de um militar. Por meio dela, é possível documentar, por exemplo, datas de diárias e de passagens, ou mesmo atos e sessões das quais participaram os militares. Assim é possível saber se eles estavam nos locais onde, segundo testemunhas, teriam cometido os crimes.

"Nós estávamos pedindo [esses documentos] desde setembro às Forças Armadas. Havia muita resistência, mas recorremos, então, ao ministro [da Defesa, Celso Amorim]. Na semana passada [no dia 5] recebemos 114 das 115 folhas de militares cuja documentação havíamos solicitado. Houve, no entanto, um caso onde a viúva de um oficial recorreu ao Poder Judiciário e obteve liminar para que o ministério não a entregasse", disse Dallari.

Ele lamentou a ausência de praticamente todos os depoentes previstos para hoje e, também, o tom "agressivo e hostil" apresentado por dois oficiais em resposta à convocação da CNV. "É a primeira vez que recebemos respostas grosseiras como essas", disse Dallari, referindo-se às respostas dadas na véspera por dois convocados, José Conegundes e José Brant Teixeira.

"Segundo orientação do comando do Exército, as convocações devem partir daquela autoridade", justificou Brant. Para Dallari, essas respostas representam "uma afronta" à comissão. "Optamos por informar o Ministério da Defesa para que apure. Até porque estamos diante de uma infração disciplinar. Nesse sentido, teremos de verificar se isso não pode estar ocorrendo em função de problemas de saúde, tal a gravidade da afronta."

De acordo com Dallari, a comissão tem identificado muita resistência de oficiais da reserva convocados em colaborar com a comissão. "Temos absoluta clareza de que eles, de certa maneira, estão sendo estimulados pelo fato de que, até hoje, as Forças Armadas se recusam a reconhecer que houve tortura e graves violações de direitos humanos, na qual tiveram papel protagonista", disse ele.

Até então, a justificativa mais comum para o não comparecimento era relativa à saúde dos convocados, já com idade mais avançada. "Mas agora eles parecem estar se sentindo mais estimulados a se recusar a depor. Esses depoentes que estão afrontando a comissão certamente se sentiram fortalecidos e estimulados por essa conduta dos comandos militares", acrescentou Dallari.

Dos nove agentes da repressão convocados para depor hoje e amanhã (9) em Brasília, apenas um está sendo chamado pela primeira vez. O único que compareceu às audiências de hoje foi o oficial da reserva Ricardo Agnesi Faiadi, que, segundo Dallari, respondeu a todas as perguntas com um "nada a declarar".

Entre os agentes que estão sendo novamente convocados está o coronel Sebastião Rodrigues de Moura, o Major Curió, e o coronel Leo Frederico Cinelli – ambos atuaram na repressão à Guerrilha do Araguaia, nos anos 70. Também foi reconvocado o general José Antonio Nogueira Belham, que comandava o Destacamento de Operações de Informações do Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi) do Rio de Janeiro quando da tortura, morte e desaparecimento do deputado Rubens Paiva.

A ausência ou a recusa em responder às perguntas da comissão tem preocupado os integrantes do colegiado. "Mais do que um impasse nos trabalhos, isso pode gerar enorme frustração pelo fato de a comissão ficar impedida de exercer sua função legal, que é produzir um relatório sobre as graves violações de direitos humanos que ocorreram no Brasil", disse Dallari. Ele tem estudado a possibilidade de fazer algumas conduções coercitivas para obter os depoimentos de oficiais.

"A lei estabelece que a comissão tem poder de convocação, e a condução coercitiva é uma decorrência natural desse poder. Inclusive nos certificamos desse entendimento junto ao Ministro da Justiça, que concordou integralmente com esse entendimento. Temos essa ferramenta, que evidentemente pode ser usada, mas com muita parcimônia. O que a comissão quer é que os depoimentos sejam prestados, que eles sejam feitos. Para isso, o que esperamos é uma postura de cooperação com a comissão", disse.

Dallari lembra que a CNV já usou desse expediente no caso do capitão Wilson Machado, envolvido no atentado do Riocentro, no Rio de Janeiro. "Ele não compareceu, então, determinamos a condução coercitiva, e a Polícia Federal foi ao seu encalço. Ele não foi localizado, mas, posteriormente, acabou prestando depoimento."

Brasil Gisele Federicce Mon, 08 Sep 2014 17:49:03 +0000 http://www.brasil247.com/152777
Explosão deixa 8 feridos em Santiago; governo culpa "terroristas" http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/152775 REUTERS/Ivan Alvarado: Policial deixa local onde bomba explodiu em Santiago nesta segunda-feira.  REUTERS/Ivan Alvarado Explosão de bomba aconteceu na hora do almoço em um pequeno shopping center e praça de alimentação próximos à estação Escuela Militar do metrô; duas pessoas ficaram gravemente feridas, enquanto outras sofreram perdas de audição; "Este é um feito que tem todas as marcas de um ato terrorista", disse Alvaro Elizalde, ministro e porta-voz do governo do Chile; "Não há dúvidas. (O ataque) foi conduzido com a intenção de ferir pessoas inocentes", afirmou <br clear="all"> REUTERS/Ivan Alvarado: Policial deixa local onde bomba explodiu em Santiago nesta segunda-feira.  REUTERS/Ivan Alvarado

Por Felipe Iturrieta

SANTIAGO (Reuters) - Uma explosão de uma bomba em um restaurante fast-food próximo a uma estação de trem subterrânea na capital chilena, Santiago, feriu oito pessoas nesta segunda-feira.

"Às 14h um artefato explosivo foi detonado no centro (mini-shopping center) ao lado da estação de metrô, e no momento as investigações estão sendo feitas para determinar a origem", afirmou Mario Rozas, chefe de comunicação da polícia.

A explosão aconteceu na hora do almoço em um pequeno shopping center e praça de alimentação próximos à estação Escuela Militar do metrô no bairro residencial e comercial de Las Condes.

Duas pessoas ficaram gravemente feridas, afirmou um bombeiro, enquanto outras sofreram perdas de audição. Uma autoridade local presente na cena do incidente disse que um dos feridos era da Argentina.

"Este é um feito que tem todas as marcas de um ato terrorista", disse Alvaro Elizalde, ministro e porta-voz do governo.

"Não há dúvidas. (O ataque) foi conduzido com a intenção de ferir pessoas inocentes", afirmou.

O governo deve acionar leis antiterrorismo, acrescentou Elizalde. As leis normalmente garantem mais poderes aos promotores e permitem sentenças mais severas.

O ministro do Interior, Mahmud Aleuy, disse que a polícia acreditava que dois suspeitos armaram o dispositivo explosivo e fugiram em um carro. Nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque.

"Eu estava almoçando, ouvi o barulho e saímos para ver e vimos muita fumaça, pessoas correndo e gritando", disse Joanna Magneti, que trabalha no shopping center.

"Um rapaz estava gravemente ferido, e uma mulher tinha ferimentos na mão", afirmou.

O Chile comemora nesta semana o 41º aniversário do golpe militar de 1973, que removeu do poder o presidente socialista Salvador Allende. Tradicionalmente, a data é marcada por protestos que às vezes se tornam violentos.

Uma série de artefatos explosivos já foi instalada perto de bancos e delegacias de polícia nos últimos anos. Em um dos casos um membro de um grupo de anarquista foi morto e outro ficou ferido quando os dois tentavam acionar o dispositivo.

Em julho, um artefato incendiário explodiu em um trem subterrâneo sem que ninguém ficasse ferido.

O metrô estava operando normalmente após a explosão, embora a estação Escuela Militar estivesse fechada, afirmou a polícia.

(Reportagem de Felipe Iturrieta, Fabian Cambero e Anthony Esposito)

Mundo Gisele Federicce Mon, 08 Sep 2014 17:45:25 +0000 http://www.brasil247.com/152775
“Não darei à imprensa um caráter que ela não tem” http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152755 : Presidente Dilma diz ter questionado a Polícia Federal sobre se há algum membro do governo envolvido no esquema delatado pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, a fim de "poder tomar todas as providências baseadas em informações oficiais"; "Caso o Ministério Público não possa me responder, vou pedir ao STF", anunciou; "É prudente saber se isso é verdade. A própria revista que divulga os fatos não diz da onde tirou nem como tirou", disse, em sabatina realizada pelo Estadão; sobre anúncio de "equipe nova", respondeu que foi o próprio ministro Guido Mantega quem disse a ela que não poderia continuar no governo; sem citar Aécio Neves (PSDB), declarou que "quem anuncia ministro antes da hora dá azar"; e sobre Marina Silva, acredita ser "bem intencionada", mas que "quem acha que pode governar sem apoio geralmente tem alguém muito poderoso por trás, geralmente os mais ricos" <br clear="all"> :

247 - A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira 8 ter determinado ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que pedisse à Polícia Federal "informações oficiais" sobre suposto envolvimento de algum membro do governo no esquema denunciado pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. Ela declarou que então poderá "tomar todas as providências baseadas em informações oficiais". "Caso o Ministério Público não possa me responder, vou pedir ao STF", anunciou Dilma.

Em sabatina realizada pelo jornal O Estado de S. Paulo, a presidente disse também que não dá à imprensa "um caráter que ela não tem", em alusão à denúncia feita pela revista Veja no fim de semana, que citou o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, como um dos beneficiados no esquema de corrupção da estatal. "Se ela (a pessoa) estiver comprometida, é afastamento", defendeu Dilma. "É prudente saber se isso é verdade. A própria revista que divulga os fatos não diz da onde tirou nem como tirou".

"É uma coisa engraçada. Um órgão da imprensa sabe as informações, e nós, que somos os acusados, não sabemos. Isso é inadmissível. Eu não quero dentro do meu governo quem esteja envolvido. Mas não quero dar à imprensa um caráter que ela não tem diante das leis brasileiras. Eu quero a informação a mais aprofundada possível", ressaltou. "É possível ficar divulgando sem a Justiça homologar a delação premiada?", questionou, acrescentando que as acusações de Costa têm que ser apuradas. "Porque quem faz delação pode não gostar de uma pessoa e acusá-la e proteger uma outra que é mais culpada. É possível que haja informações em controversa".

A candidata à reeleição também criticou que outros escândalos não tenham sido investigados com o mesmo rigor, como estão sendo as denúncias que envolvem o PT. "O que me estranha é que outros esquemas de corrupção não sejam investigados com o mesmo rigor. Como é o caso do mensalão do DEM, o caso do mensalão originário, que tem gente indiciado concorrendo ao governo", exemplificou. "Ninguém investigar uma plataforma de US$ 1,5 bilhão ter afundado? Foi durante o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso. Ninguém fez uma CPI sobre isso, ninguém investigou", criticou. Dilma citou ainda o caso da Repsol, também da gestão FHC.

"Equipe nova"

Questionada sobre a "equipe nova" que anunciou na semana passada, caso seja reeleita para o segundo mandato, o que causou um mal-estar com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, Dilma explicou que foi ele quem disse a ela que já não iria ficar em um eventual próximo governo, por "motivações pessoais". "Eu falei isso em tese, vale pra todo mundo", afirmou, sobre sua declaração. Sem citar o adversário do PSDB, Aécio Neves, que anunciou que Arminio Fraga será seu ministro da Fazenda caso seja eleito, Dilma comentou: "Quem anuncia ministro antes da hora dá azar".

Marina Silva

Ao falar sobre a adversária do PSB, Marina Silva, a presidente defendeu a "democracia" e ressaltou que só é possível governar com apoio no Congresso e do povo. "Quem acha que pode governar sem partidos, sem apoio popular, geralmente tem alguém muito poderoso por trás, geralmente os mais ricos", alfinetou. A presidente acrescentou que "não tem essa questão de nova política e velha política", como é pregado pela candidata, e sim que é preciso envolver a participação popular.

Dilma afirmou também ver Marina como "uma pessoa bem intencionada", mas critica suas propostas de como fazer política. Em relação à comparação que sua campanha fez em propagandas na TV entre Marina e os ex-presidentes da República Jânio Quadros e Fernando Collor, que não terminaram seus mandatos, a petista declarou que não está "personalizando" as críticas, mas "falando de política, sobre a falta de apoio no Congresso". "Não são acusações pessoais", defendeu.

"Volta Lula"

A presidente falou também sobre sua "relação fortíssima" com o ex-presidente Lula. "Convivi diariamente com ele, todo dia, o dia inteiro, enfrentando tudo o que foi problema", detalhou. Dilma mencionou ainda uma "imensa amizade". "Gosto muito do Lula e tenho certeza que ele tem o mesmo afeto por mim. Não me incomoda um milímetro o 'Volta Lula', o que ele quiser fazer eu apoiarei, em qualquer circunstância", ressaltou. Caso ele queira se candidatar novamente à Presidência em 2018, ela disse que também estará com ele. "Em 2018 e quando for necessário eu estarei com ele", garantiu.

Poder Ana Pupulin Mon, 08 Sep 2014 15:44:04 +0000 http://www.brasil247.com/152755
Marina: governo foi "conivente" com irregularidades http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152752 : Presidenciável pelo PSB diz que a presidente Dilma Rousseff (PT) tem "responsabilidade política" sobre o esquema de propina delatado pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e que seu governo foi "conivente" para que ocorressem atos irregulares dentro da estatal; já sobre o suposto envolvimento de Eduardo Campos, também citado por Costa como um dos beneficiados no esquema, fala em preocupação com a "verdade"; "Queremos que todas as investigações sejam feitas com todo o rigor, doa a quem doer"; ontem, ela pediu que não houvesse uma "segunda morte de Campos por leviandade" <br clear="all"> :

247 – A candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, afirmou nesta segunda-feira 8 que a presidente Dilma Rousseff tem "responsabilidade política" sobre o esquema de propina delatado pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. A presidenciável, que visitou uma creche em São Paulo, afirmou que o governo atual foi "conivente" com as supostas irregularidades.

"Quem manteve toda essa quadrilha que está acabando com a Petrobras é o atual governo, que, conivente, deixou que todo esse desmande acontecesse em uma das empresas mais importantes do nosso país", disse Marina Silva. "A presidente tem responsabilidade política. Eu não seria leviana de dizer que ela tem responsabilidade direta. Eu prefiro que as investigações aconteçam. Eu não vou querer ganhar uma eleição a qualquer custo e a qualquer preço", acrescentou.

Sobre o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), falecido no dia 13 de agosto, também ter sido citado por Costa como um dos beneficiados no esquema de corrupção operado pelo doleiro Alberto Youssef, ela afirmou que o partido, que era presidido por Campos, defende de que investigações "sejam feitas com todo o vigor".

"Estamos preocupados com a verdade. Queremos que todas as investigações sejam feitas com todo o rigor, doa a quem doer, seja o que for que tenhamos nestas investigações. Eu confio no trabalho da Polícia Federal, a Polícia Federal me ajudou muito quando eu era ministra do Meio Ambiente, me ajudou a desbaratar verdadeiras quadrilhas", disse. Neste domingo, a candidata pediu que não houvesse uma "segunda morte de Campos por leviandade" (leia aqui).

Abaixo, reportagem da Reuters a respeito:

Para Marina, Dilma tem "responsabilidade política" sobre corrupção na Petrobras


SÃO PAULO (Reuters) - A candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, afirmou nesta segunda-feira que a presidente Dilma Rousseff tem "responsabilidade política" no escândalo de corrupção da Petrobras.

"A presidente tem responsabilidade política. Eu não seria leviana de dizer que ela tem responsabilidade direta", disse Marina a jornalistas durante visita a uma creche na capital paulista.

Denúncias feitas pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, segundo reportagem da revista Veja, apontaram um esquema de pagamento de recursos da estatal a políticos de partidos da base aliada do governo. Para Marina, o governo federal foi "conivente" com a corrupção na estatal.

Entre os nomes que teriam sido citados por Costa no processo de delação premiada está o do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que morreu em um acidente aéreo em agosto quando fazia campanha como candidato à Presidência pelo PSB.

Questionado sobre o nome de Campos aparecer nas denúncias, Marina disse confiar no trabalho da Polícia Federal e pediu que todas as acusações sejam investigados.

"Conhecereis a verdade e ela nos libertará", disse a ex-senadora citando um trecho da Bíblia, pedindo que o caso seja apurado "doa a quem doer".

"Não queremos nenhum tipo de conivência por conveniência política", afirmou Marina.

Indagada se acreditava nas declarações do ex-diretor da Petrobras, Marina lembrou que ele decidiu falar em um processo de delação premiada, ou seja, para reduzir uma eventual pena.

"O Ministério Público não ia premiar aquilo que não tem base na realidade", afirmou.

A candidata do PSB garantiu que, num eventual governo seu, as indicações para a Petrobras serão "técnicas" e os nomes para ocupar cargos na estatal serão encontrados em "comitês de busca".

Marina criticou ainda o que classificou como "quadrilha" atuando na Petrobras e disse que os recursos do pré-sal devem ser usados na educação, e não para a corrupção.

Marina tem sido alvo de críticas da campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT), que tem afirmado que, se eleita, a candidata do PSB reduzirá os investimento na exploração do petróleo na camada pré-sal.

A candidata visitou nesta segunda-feira uma creche administrada por uma entidade em convênio com a Prefeitura de São Paulo, administrada pelo PT.

Ela disse tratar-se de uma "visita técnica" com o objetivo de conhecer experiências que deram certo com o intuito de transformá-las em políticas públicas e que não implicava em nenhuma vinculação política.

Marina lembrou a promessa feita por Dilma na eleição de 2010 de construir 6 mil creches e disse que apenas 400 foram construídas e outras 700 estão em andamento.

Ela reiterou seus compromisso de investir 10 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) em educação e com a educação "integral e em tempo integral".

(Por Eduardo Simões)

Poder Gisele Federicce Mon, 08 Sep 2014 15:00:25 +0000 http://www.brasil247.com/152752
Plebiscito ganha força sobre usina de escândalos http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152748 : Modelo político-eleitoral produz falcatruas em série, de ampla abrangência e fortes prejuízos; resultado nefasto do sistema de financiamento privado de campanhas e promiscuidade entre grandes empresas financiadoras e agentes públicos financiados se revela, agora, na forma da delação premiada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa; caso envolve mais de 60 políticos e somas que chegam aos R$ 3 bilhões; escândalos anteriores ainda reverberam e sempre há uma expectativa pelo próximo; "Sem a reforma política, teremos mais do mesmo em qualquer governo", afirma a jornalista Tereza Cruvinel; "E só há um agente que pode obrigar o Congresso a fazer essa reforma política: o povo" <br clear="all"> :

247 – As articulações nas redes sociais pela realização de um plebiscito, no próximo ano, para decidir pontos de uma reforma política ou, até mesmo, votar a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte estão em crescimento. As repercussões da delação premiada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa têm colaborado, pela amplitude de alcance e magnitude dos prejuízos, para injetar mais combustível nestas alternativas.

Neste escândalo em plena efervescência, mas de meia centena de políticos com mandatos foram denunciados, em esquemas que podem ter custado mais de R$ 3 bilhões aos cofres da estatal de petróleo.

O modelo político-eleitoral brasileiro está na base dessa e de outras falcatruas, já vistas e ainda por vir. Isso porque, a partir do financiamento privado de campanhas, o sistema político tornou-se uma verdadeira usina de escândalos, anota a colunista Tereza Cruvinel, de 247:

- Enquanto a elite política, que inclui todos eles, de todos os partido, não enfrentar a reforma política. E mais particularmente, a ferida do financiamento de campanhas, a usina de escândalos vai continuar em pleno funcionamento.

Para ela, só um plebiscito pode obrigar o Congresso a mudar radicalmente o atual modelo promíscuo de relacionamento entre os agentes públicos e os executivos do setor privado.

"Petrolão", "mensalão2" ou "caixão dois"?

por Tereza Cruvinel

As campanhas de Marina e Dilma entenderam a bomba de efeito antecipado das delações ainda não premiadas mas já vazadas de Paulo Roberto Costa e querem acesso ao inteiro teor das declarações. Premiado o delator será se suas acusações forem provadas mas isso vai demorar, o primeiro turno terá passado e o linchamento eleitoral terá sido executado.

Algo de podre existe mesmo no reino dos negócios do setor privado com a Petrobras.

Leia aqui a íntegra no blog da Tereza Cruvinel, no 247.

Poder Ana Pupulin Mon, 08 Sep 2014 13:11:23 +0000 http://www.brasil247.com/152748
Campos e Costa costuraram acordo em Pernambuco http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/152763 : Documentos obtidos pelo jornal O Globo revelam que Eduardo Campos, já falecido, e Paulo Roberto Costa, que era diretor da Petrobras, assinaram um termo de aditamento de tarifas da Petrobras ao Porto de Suape por conta do futuro uso do porto no transporte de produtos da refinaria Abreu e Lima; Costa concedeu vantagens financeiras, dilatou prazos e suprimiu compromissos assumidos por Pernambuco no acordo, que foi fechado diretamente com o então governador de Pernambuco <br clear="all"> :

247 – O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa costurou um acordo diretamente com o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, já falecido, que concedia benefícios ao estado em relação ao Porto de Suape. Tratava-se de um termo de aditamento de tarifas da Petrobras ao por conta do futuro transporte de produtos da refinaria Abreu e Lima, da estatal, segundo reportagem do jornal O Globo.

Documentos recebidos pelo jornal revelaram que o ex-diretor da petroleira concedeu vantagens financeiras, dilatou prazos e suprimiu compromissos assumidos por Pernambuco no acordo, que foi fechado diretamente com o então governador. "O termo foi assinado pelos dois em 18 de agosto de 2008 e cita repasses de R$ 475,7 milhões da estatal ao governo pernambucano", diz o texto.

No ano anterior, Pernambuco descumpriu um termo de compromisso que havia sido assinado com a empresa, o que levou a um aditivo validado por Costa e Campo. O estado se comprometia, nesse termo, a executar uma série de ações para garantir a implantação do projeto Abreu e Lima, cujo prazo de inauguração é em novembro desse ano. A transação começou a ser investigada em junho desse ano pela Controladoria Geral da União.

Pernambuco 247 Gisele Federicce Mon, 08 Sep 2014 17:00:50 +0000 http://www.brasil247.com/152763
PML: Marina usa dois pesos e duas medidas para 'novo' http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152717 : Candidata é dura ao apontar o que seriam, segundo ela, práticas da "velha política", como o "apadrinhamento" e a "corrupção" no caso da Petrobras, mas afirma que "não quer uma segunda morte de Eduardo Campos por leviandade"; ex-governador de Pernambuco foi citado pelo delator Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, como um dos beneficiados do esquema do doleiro Alberto Youssef em contratos com a estatal; e foi chamado por Costa para testemunhar em sua defesa, tarefa da qual que ele conseguiu escapar; "Isso acontece porque o moralismo — que é uso seletivo e maroto de princípios éticos com fins políticos — é uma moeda de troca eleitoral", constata Paulo Moreira Leite; ele lembra ainda, no blog do 247, do caso do jato fantasma, usado – mas não explicado – pela presidenciável do PSB <br clear="all"> :

247 – De um lado, a candidata do PSB, Marina Silva, condena o que chama de "velha política", que consiste no "apadrinhamento", "corrupção" e "uso político" na Petrobras, de outro, afirma que "não quer uma segunda morte de Eduardo Campos por leviandade", ao comentar a citação do nome do ex-governador de Pernambuco pelo ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa. "Pode?", questiona Paulo Moreira Leite, em seu blog no 247.

Ou a presidenciável "denuncia a leviandade" ou "utiliza argumentos de natureza emocional" para fugir do debate, avalia o jornalista. PML ressalta que Eduardo Campos "travou uma negociação difícil" para não ser obrigado a testemunhar em defesa do delator da Petrobras e acredita que Marina Silva agiu "de forma parecida" quando se descobriu que o avião que o PSB usava em sua campanha era registrado em nome de laranjas. "Prometeu solenemente dar explicações que nunca vieram. Mas segue falando em 'corrupção', 'apadrinhamento', 'uso político'", cobra o colunista.

"Isso acontece porque o moralismo — que é uso seletivo e maroto de princípios éticos com fins políticos — é uma moeda de troca eleitoral. O mensalão do PSDB-MG segue a grande prova definitiva a respeito", escreve Paulo Moreira Leite. Ele traz à tona ainda o fato de a coordenadora do programa de governo e amiga de Marina Silva ser Neca Setubal, herdeira do Itaú – "o programa de governo de Marina inclui pontos de extrema importância para os negócios da família Setubal" – e constata: "Não estamos falando de um negócio aqui, outro ali. Estamos falando de mudar o rumo de um país".

Leia a íntegra do texto em Dois pesos, duas leviandades em Marina Silva

Poder Ana Pupulin Mon, 08 Sep 2014 10:42:20 +0000 http://www.brasil247.com/152717
Kotscho: "delação premiada dá sobrevida a Aécio" http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/152713 : Fato novo provoca "outra reviravolta no cenário" eleitoral, avalia o colunista em seu blog; para Ricardo Kotscho, com a delação premiada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, "candidatura tucana sai da UTI e vai à luta novamente" <br clear="all"> :

247 - A candidatura do tucano Aécio Neves "sai da UTI" após as denúncias feitas pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, que atingem a presidente Dilma Rousseff (PT) e candidata do PSB, Marina Silva. A observação é do jornalista Ricardo Kotscho, que notou que o presidenciável, isolado na terceira posição nas pesquisas depois da entrada de Marina na disputa, estava "outra pessoa" no sábado, partindo para o ataque sem pensar duas vezes. Leia abaixo o post publicado em seu blog

Delação premiada dá sobrevida e Aécio vai à luta

Conseguiram. A quatro semanas da eleição, quando tudo parecia caminhar para uma disputa acirrada entre Dilma e Marina no segundo turno, com Aécio fora do jogo, sendo abandonado até pelos aliados, um fato novo provocou outra reviravolta no cenário. Com isso, a candidatura tucana sai da UTI e vai à luta novamente.

Desde sexta-feira, quando saíram as primeiras revelações nos portais, não se fala de outra coisa no país: quais serão as consequências na campanha presidencial da delação premiada feita por Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, que está preso em Curitiba, no Paraná?

Os três candidatos reagiram de formas bem diferentes à nova configuração do quadro, que desde já coloca as denúncias de corrupção na Petrobras no centro do debate nesta reta final de campanha.

Embora até aqui não tenham sido apresentadas provas de nada contra o ministro Edison Lobão, os ex-governadores Sergio Cabral e Eduardo Campos, a atual governadora Roseana Sarney, e os presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves, e do Senado, Renan Calheiros, além de uma penca de parlamentares da base aliada do governo Dilma, só a volta do tema da Petrobras às manchetes já causam mudanças nas campanhas dos presidenciáveis.

Num primeiro momento, a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição, sabendo que vai ser o principal alvo dos ataques, fechou seu time na defesa e só disse que está esperando "dados oficiais" para tomar "todas as providências cabíveis, mas não posso fazer isso com base apenas em especulações". Surpreendida mais uma vez, a presidente pediu informações ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e convocou uma reunião de emergência ainda na noite de sexta-feira.

Marina Silva preferiu ficar no meio de campo trocando passes: com o nome de Eduardo Campos também na lista dos beneficiários, a candidata do PSB espera o melhor momento de atacar sua principal adversária, sem saber ainda quais novas revelações serão feitas nos próximos dias. "Não queremos ver o Eduardo morrer duas vezes", limitou-se a dizer. Aliados de Marina alegam que o envolvimento de Eduardo no caso não tem fundamento.

Já Aécio Neves, que não tinha mais nada a perder, quase 20 pontos atrás de suas duas adversárias, parecia outra pessoa no sábado. Revigorado pela delação premiada, aguardada ansiosamente, junto com os colunistas amigos, que há dias soltavam notinhas ameaçadoras, o ex-governador mineiro foi logo ao ataque sem pensar duas vezes. "O Brasil acordou perplexo com as mais graves denúncias de corrupção da nossa história recente. Está aí o mensalão 2", foi logo comemorando. Sem bandeiras e sem rumo, sem mais ter o que falar ou propor, Aécio agora ganhou de bandeja pelo menos um discurso.

O curioso é que, até agora, como costuma acontecer nestes casos, só foram publicados nomes de possíveis corrompidos denunciados pelo ex-diretor, mas nenhum de empresas, as prováveis corruptoras e seus dirigentes, já que não há quem se venda se não houver alguém que compre. Como o processo corre em segredo de Justiça e as gravações de áudio e vídeo dos interrogatórios feitos com Paulo Roberto Costa estão guardadas num cofre forte, para saber o que realmente existe e quem tem culpa no cartório, vamos ter que esperar pela análise do ministro Teori Zavascki, do STF, que poderá ou não aceitar a delação premiada.

Aconteça o que acontecer, é disso que vamos ficar falando até o dia 5 de outubro, deixando em segundo plano os projetos de governo e as discussões sobre o futuro do país. Pobre país.

Vida que segue.

Mídia Gisele Federicce Mon, 08 Sep 2014 10:20:17 +0000 http://www.brasil247.com/152713
"Marina cedeu aos setores mais reacionários" http://www.brasil247.com/pt/247/rs247/152726 : A presidenciável pelo PSOL, Luciana Genro (RS), voltou a criticar duramente a sua adversária Marina Silva (PSB) ao dizer que a ex-senadora "se rendeu aos agronegócio ao defender os transgênicos e aos banqueiros ao defender a autonomia do Banco Central"; "Ele cedeu aos setores mais reacionários da política nacional e jogou no lixo o seu programa LGBT e a luta contra a homofobia 24 horas após quatro twittes do pastor Silas Malafaia", disparou Luciana <br clear="all"> :

Renato Dias, Diário da Manhã - Dona de belos olhos azuis, madeixas-afro, com um sotaque gaúcho inconfundível, a bela Luciana Genro diz, com exclusividade ao Diário da Manhã, que a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva (PSB) rendeu-se ao mercado privado e não representa o novo. Advogada e professora, a candidata do Partido Socialismo e Liberdade (PSol) ao Palácio do Planalto abençoa a proposta de realização de uma Assembleia Nacional Constituinte Exclusiva para aprovar uma Reforma Política com financiamento público de campanhas eleitorais.

Além de aprovar a regulação social da mídia, é, hoje, a única a defender a revisão da Lei de Anistia. Para que as graves violações dos Direitos Humanos ocorridas à época da ditadura civil e militar (1964-1985) não fiquem impunes. A sua referência é a resolução da Corte Interamericana de Direitos Humanos que classifica a tortura crime imprescritível e o desaparecimento forçado, método universalizado no Cone-Sul nas décadas de 1960, 1970 e 1980, crime de sequestro permanente, continuado, não passível de anistia ou perdão.

Filha do atual governador do Rio Grande do Sul que disputa a reeleição com reais chances de vitória, o petista Tarso Genro, considerado o nome mais qualificado e à esquerda do PT Institucional, ela já exerceu os mandatos de deputada estadual e federal, abriu, com Heloísa Helena, a ex-senadora barulhenta da CPMI do mensalão, escândalo que abalou as hostes petistas no turbulento anos de 2005, uma dissidência no Partido dos Trabalhadores e fundou, em 2014, o PSol, legenda que possui, hoje, três deputados federais e um senador.

História

Integrante da tendência interna Movimento de Esquerda Socialista (Mes), que sofre influências das ideias do revolucionário ucraniano, nascido em 1879 em Yanovka, mas que liderou a insurreição vermelha de outubro de 1917 na Rússia, Liev Davidovich Bronstein, Leon Trotsky, a ex-parlamentar afirma ao Diário da Manhã, sob os olhares atentos dos militantes socialistas Weslei Garcia, Cíntia Dias, Elber Sampaio, Reinaldo Pantaleão, Henrique Lemos e Fernando Leite que o socialismo ainda é uma utopia possível. Uma socialista radical que sonha com um novo amanhã.

Marina Silva

Esse é o caminho para manter tudo o que está. Até para piorar. A política proposta por Marina Silva, de manter o tripé econômico da "Era Fernando Henrique Cardoso", de responsabilidade fiscal, câmbio flutuante e metas de inflação, trará arrocho nos gastos públicos. Em contradição com o humor das ruas, das manifestações públicas de maio, junho e julho de 2013. Que é mais verbas para a Saúde, para a Educação de qualidade e por um transporte público decente. Marina Silva propõe o oposto disso: a contenção de gastos para fazer o superávit primário. Trocando em miúdos: economia do dinheiro público para pagar juros da dívida pública.

Independência do BC
A proposta de Marina Silva de independência do Banco Central significa passar de papel passado a política monetária e financeira do País para o mercado, para o capital financeiro, para os bancos e os mercados. É o que definirá os empregos, o crédito, a inflação. É abrir mão do direito constitucional de governar de fato o Brasil.

Perfil
Quando Marina Silva saiu do PT, nós a procuramos, para estabelecermos um diálogo. Acreditávamos que ela estava fazendo uma ruptura à esquerda em relação ao PT, como nós fizemos com a criação do Partido Socialismo e Liberdade (PSol). De não aceitar governar com Sarney, com Collor. De não aceitar a continuidade da política econômica de Fernando Henrique Cardoso. Ela nos disse que não tinha identidade com a esquerda, com o PSol. Segundo ela, a sua ruptura era para unificar PT e PSDB. Hoje, as propostas que Marina Silva apresenta estão coerentes com a plataforma de quando ela saiu do PT.

Flexibilização do PSB
A flexibilização de seu programa é o resultado da cessão às pressões. Ela se rendeu aos agronegócio ao defender os transgênicos. Marina Silva já havia cedido às pressões dos usineiros, afirmando que era preciso aumentar o preço do álcool. A ex-ministra recuou em relação aos banqueiros ao defender a autonomia do Banco Central. Ele cedeu aos setores mais reacionários da política nacional e jogou no lixo o seu programa LGBT e a luta contra a homofobia 24 horas após quatro twittes do pastor Silas Malafaia.

Previsão
Se antes de ganhar as eleições ela já cede a essas pressões, imagine quando Marina Silva estiver governando!

Estratégia do PSol
A estratégia é aumentar nossa bancada. A ideia é fortalecer o PSol nos Estados. A minha missão é auxiliar o partido, em Goiás, a se desenvolver (Com Weslei Garcia, Cíntia Dias, Elber Sampaio, Fernando Leite, Henrique Lemos, Reinaldo Pantaleão). A tática é dobrar a nossa bancada federal e triplicar as bancadas estaduais. Independentemente do resultado das eleições porém, o PSol continuará nas lutas sociais urbanas e rurais. Para mudar o Brasil.

Diferenças políticas
Diferença total (entre Luciana Genro, Marina Silva, Aécio Neves e Dilma Rousseff). Elas (e Aécio Neves) defendem uma política econômica que beneficia os bancos. Em 2014, os bancos aumentaram os seus lucros. Uma política que privilegia o pagamento dos juros da dívida pública. Uma dívida ilegítima. Uma dívida que precisa ser auditada. De forma independente. Além de manter um sistema tributário que privilegia o capital e joga a crise em cima da classe trabalhadora.

Reforma Política
O PSol defende a realização de uma Reforma Política por uma Assembleia Nacional Constituinte Exclusiva para abordar o tema. Para aprovar o financiamento público exclusivo de campanhas eleitorais. Contra o abuso do poder econômico. A Consulta Popular e o MST deflagraram, e têm o nosso apoio, um movimento por uma Assembleia Constituinte Exclusiva para aprovar a Reforma Política. Para acabar com o financiamento privado, a desigualdade no tempo de televisão e rádio, a venda de partidos que se oferecem aos grandes.... Constituinte exclusiva para fazer as reformas estruturais... É fundamental para que tenhamos uma verdadeira democracia!

Federalização
A federalização da Celg é uma necessidade para que o abastecimento de energia ocorra de forma adequada. Mas é preciso garantir os direitos dos trabalhadores e dos usuários. Além de acabar com os aumentos abusivos das tarifas.

Projeto de poder
Os setores estratégicos da economia devem continuar sob tutela estatal.

Ditadura civil e militar
A nossa luta é para que a Lei de Anistia (Promulgada em 28 de agosto de 1979, por João Baptista Figueiredo, o general-presidente de plantão) não seja um obstáculo à persecução penal àqueles agentes públicos responsáveis crimes contra a humanidade, crimes hediondos, como torturas, assassinatos e desaparecimentos forçados. Isso é uma determinação da Corte Interamericana de Direitos Humanos. À qual o Brasil aderiu voluntariamente.

Socialismo
Sem dúvida nenhuma. O socialismo sempre será uma possibilidade histórica. Enquanto o capitalismo continuar fracassando, sustentando a sua determinação de manter a exploração, a desigualdade social, de renda e o abismo entre ricos e pobres.

2016
Se meu pai for reeleito governador do Rio Grande do Sul (é Tarso Genro) não poderei disputar nada.

 

Rio Grande do Sul 247 Leonardo Lucena Mon, 08 Sep 2014 11:37:44 +0000 http://www.brasil247.com/152726
Mais de US$ 30 bi deixam o Brasil de forma ilícita por ano http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152728 Image Source/Richard Lewisohn: Twenty dollar banknotes Dado é de um estudo do grupo Global Financial Integrity (GFI), que defende a transparência financeira; dinheiro sujo é ligado ao crime, à corrupção e à evasão de impostos e significa o dobro de uma década atrás, segundo a pesquisa <br clear="all"> Image Source/Richard Lewisohn: Twenty dollar banknotes

Por Stella Dawson

WASHINGTON (Reuters) - Mais de 30 bilhões de dólares em dinheiro sujo ligado ao crime, à corrupção e à evasão de impostos sai do Brasil todos os anos, o dobro de uma década atrás, mostrou um estudo.

A precificação comercial irregular é o modo principal como esse dinheiro deixa o país, respondendo por 92,7 por cento dos 401,6 bilhões de dólares que saíram do Brasil entre 1960 e 2012, de acordo com a Global Financial Integrity (GFI), um grupo de pesquisa baseado em Washington que defende a transparência financeira.

As perdas anuais são equivalentes a 1,5 por cento da produção econômica brasileira, com média de 33,7 bilhões de dólares por ano no período de 2010 a 2012, um aumento em relação aos 14,7 bilhões de dólares na primeira década do século 21.

Mas as perdas são provavelmente anda maiores, disse a GFI, considerando que suas estimativas não incluem grandes quantias de contrabando de dinheiro, um método favorito de movimentar dinheiro por parte de traficantes de drogas e outros criminosos, ou em negociações por serviços ou transferências financeiras entre ramificações de corporações multinacionais.

"O Brasil tem um sério problema com fluxos financeiros ilícitos, e combatê-lo deve ser uma prioridade para qualquer administração que vencer as próximas eleições", disse Raymond Baker, presidente da GFI.

A presidente Dilma Rousseff adotou uma postura firme publicamente contra a corrupção, removendo ministros e outras autoridades acusadas de atitudes irregulares. Mas os esforços de seu governo foram ofuscados por denúncias de suborno corporativo, especialmente durante a construção de projetos da Copa do Mundo.

A Petrobras, por sua vez, está envolvida em um caso de suborno envolvendo contratos para plataformas de produção que o Brasil, a Holanda e os Estados Unidos estão investigando.

Além disso, a economia tem patinado sob o governo de Dilma, que enfrenta uma dura eleição presidencial em outubro. Fluxos ilícitos de saída de dinheiro enfraqueceram ainda mais a economia, ao drenar recursos do Brasil que poderiam, de outra forma, ser utilizados no crescimento nacional.

O dinheiro é movimentado internacionalmente através de precificação comercial irregular, ao cobrarem a menos ou a mais por bens e produtos. No mundo todo, isso representa cerca de 80 por cento dos fluxos financeiros ilícitos, embora no Brasil a taxa seja ainda maior.

No Brasil, a economia informal encolheu para 21,8 por cento do PIB oficial, à medida que a economia regular do país cresceu, em comparação ao pico de 55 por cento nos anos 1970, de acordo com a GFI. Apesar desta melhora, a receita alta nos fluxos de dinheiro sujo é uma preocupação.

"Por muitos anos, temos observado a reticência do Brasil de se dirigir a problemas de fuga de capital e fluxos ilícitos", disse Baker.

Ele recomendou mais cooperação entre governos para encerrar os canais de lavagem de dinheiro e maior transparência em transações financeiras internacionais.

Economia Gisele Federicce Mon, 08 Sep 2014 11:42:41 +0000 http://www.brasil247.com/152728
Pequeno investidor reduz participação na Bovespa http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152723 : País registrou, no fim de agosto, 551,1 mil investidores pessoa física, número menor do que no auge da BM&amp;FBovespa (610,9 mil), em 2010; meta lançada há cinco anos pelo presidente da bolsa, Edemir Pinto, era chegar com uma base de cinco milhões de aplicadores em 2014; fatores como a crise internacional e o desaquecimento na economia brasileira influenciaram os investidores, segundo reportagem do Valor Econômico <br clear="all"> :

247 – O Brasil tem registrado uma diminuição da participação do pequeno investidor pessoa física na BM&FBovespa. No fim de agosto, eram 551,1 mil investidores, número menor do que no auge da BM&FBovespa (610,9 mil), em 2010. Há cinco anos, a meta do presidente da Bolsa, Edemir Pinto, era chegar com uma base de cinco milhões de aplicadores em 2014.

De acordo com reportagem do jornal Valor Econômico desta segunda-feira 8, alguns dos fatores que “desanimaram os aplicadores” foram a crise internacional, o desaquecimento da economia brasileira desde 2011 e a intervenção do governo nos preços das empresas de energia. Aplicadores são “normalmente avessos a risco”, diz a matéria.

De acordo com levantamento realizado pelo Valor, as empresas do setor elétrico, que costumavam figurar entre as preferidas do investidor, estão entre as que mais viram diminuir sua base acionária formada por pessoas físicas.

Um levantamento feito com dados da Comissão de Valores Mobiliários aponta que, em 2003, havia apenas 85 mil pessoas investindo em ações. Cinco anos depois, no auge da euforia da bolsa e três meses antes do início da crise mundial, esse número era de 1,38 milhão. 

Economia Gisele Federicce Mon, 08 Sep 2014 11:17:54 +0000 http://www.brasil247.com/152723
Contra o PT, Noblat retoma discurso do "mar de lama" http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/152681 : Mais de 60 anos da crise política que culminou no suicídio de Getúlio Vargas, o jornalista Ricardo Noblat, colunista do Globo, recorre ao mesmo mote do incendiário Carlos Lacerda, da antiga UDN, para atacar o PT; segundo Noblat, a Petrobras está coberta por um "mar de lama"; criada por Vargas na campanha "o petróleo é nosso", a Petrobras foi um dos símbolos do governo Lula e da campanha da presidente Dilma, em 2010, com as descobertas do pré-sal; agora, está de novo no centro do debate político nacional <br clear="all"> :

247 - O colunista Ricardo Noblat, do jornal O Globo, retomou o mote do jornalista e político Carlos Lacerda, da antiga UDN, para traçar sua análise sobre a delação premiada de Paulo Roberto Costa. De acordo com Noblat, a Petrobras está coberta por um "mar de lama". Usada à exaustão por Lacerda nos idos de 1954, para retratar supostos escândalos de corrupção no governo de Getúlio Vargas, a expressão "mar de lama" ficou marcada como símbolo do radicalismo político de uma era que terminou com o suicídio do político trabalhista.

Na coluna "Um mar de lama ameaça a Petrobras", Noblat ironiza a presidente Dilma Rousseff e pergunta quando ela pedirá desculpas e dirá que foi traída por subordinados, a exemplo do que fez o ex-presidente Lula fez em 2005, quando eclodiu o escândalo do chamado "mensalão". "No mínimo é o que se espera dela, ex-ministra de Minas e Energia, ex-presidente do Conselho de Administração da Petrobras e presidente da República em final de mandato", afirma Noblat.

Ao usar a expressão "mar de lama", Noblat fez uma escolha política arriscada, ciente do seu significado histórico. Na prática, ele deu o tiro de largada para uma nova onda de ataques ao PT, que serão cada vez mais intensos até 5 de outubro, dia do primeiro turno.
Criada no governo Vargas, após a campanha "o petróleo é nosso", a Petrobras se tornou também um dos símbolos do governo Lula, graças às descobertas do pré-sal. Não por acaso, o ex-presidente Lula repetiu um dos gestos mais conhecidos de Vargas ao sujar as mãos de óleo. E foi com essas mesmas mãos que ele ungiu a então ministra Dilma Rousseff como candidata à presidência da República, numa foto que se tornou emblemática da campanha de 2010.

Já como presidente, Dilma implantou regras mais nacionalistas no setor de petróleo, com o modelo de partilha, que dá maior espaço à Petrobras na exploração do pré-sal, de onde a companhia já extrai mais de 500 mil barris/dia. Seus adversários têm abordagens distintas. O tucano Aécio Neves fala em retomar o modelo de concessões, enquanto Marina Silva, do PSB, coloca o pré-sal em segundo plano, priorizando energias alternativas.

Com a delação premiada de Paulo Roberto Costa, sobre um suposto esquema de corrupção na empresa, a estatal volta ao centro do debate político. Os tucanos, que já foram acusados de querem privatizar a Petrobras, depois da tentativa de mudança de nome para Petrobrax, agora falam na necessidade de reestatizá-la. Aécio já prometeu até tirá-la "das garras do PT". O mote dado por Noblat sobre o "mar de lama" irá radicalizar esse discurso.

Mídia Roberta Namour Mon, 08 Sep 2014 05:26:58 +0000 http://www.brasil247.com/152681
PT e PSB preparam reação a vazamentos http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152680 : Candidata à reeleição, presidente Dilma Rousseff vai solicitar acesso ao depoimento de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, para tomar providências em relação a membros do seu governo; no PSB, da presidenciável Marina Silva, o vice da chapa, deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), já prepara defesa de Eduardo Campos, entre os suspeitos de recebimento de propina de contratos da estatal; ele vai usar argumento de que família do falecido tem sofrido com o caso e que o ex-governador sempre apoiou investigações de eventuais ilegalidades na empresa <br clear="all"> :

247 – A menos de um mês das eleições, PT e PSB, que lideram as pesquisas de intenções de voto, preparam estratégia de reação aos vazamentos da delação premiada de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras.

Costa teria citado senadores e deputados da base aliada, além do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, como beneficiários do recebimento de propina de contratos da estatal. O ex-candidato à Presidência pelo PSB Eduardo Campos, morto em agosto, também faz parte da lista.

O governo pretende solicitar acesso ao depoimento, mas isso só pode ser feito após o fim da delação, que não tem prazo para acabar.
A presidente Dilma Rousseff disse neste domingo que aguardará pela informação oficial dos órgãos de investigação para tomar providências em relação a membros do seu governo. "Eu acho que não lança suspeita nenhuma sobre o governo, na medida em que ninguém do governo foi oficialmente acusado. O governo tem tido em relação a essa questão uma posição extremamente clara. Aliás, foi órgãos do governo que levaram a essa investigação, foi a polícia federal, não caiu do céu. Foi uma iniciativa da Polícia Federal e também de outros órgãos, como ministério público e judiciário. O governo está investigando esta questão", ressaltou.

Do lado do PSB, da presidenciável Marina Silva, o vice da chapa, deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), já se posicionou sobre o caso: "O PSB já requereu acesso ao processo. Ele é sigiloso, mas queremos ler, saber exatamente com detalhes o que foi feito", afirmou.

Ele afirma que a família de Campos tem sofrido com as suspeitas e vai usar o argumento de que o ex-governador sempre apoiou investigações de eventuais ilegalidades na estatal.

Poder Roberta Namour Mon, 08 Sep 2014 05:47:17 +0000 http://www.brasil247.com/152680
Pesquisas dos partidos indicam queda de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152682 : Após anteciparem estabilização da candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, sondagens encomendadas pelo PT, da presidente Dilma Rousseff, e pelo PSDB, de Aécio Neves agora indicam os primeiros sinais de queda da adversária; desde que assumiu o lugar de Eduardo Campos, ex-senadora passou a ocupar lugar no 2° turno contra a presidente Dilma Rousseff, segundo o Ibope e o Datafolha  <br clear="all"> :

247 – A “onda Marina” está prestes a recuar. É o que apontam pesquisas internas do PT, da presidente Dilma Rousseff, e do PSDB, de Aécio Neves.

Segundo o colunista Bernardo Mello Franco, as sondagens encomendadas pelas siglas, que anteciparam a estabilização de Marina na semana passada, passaram a indicar os primeiros sinais de queda da adversária.

Na semana passada, a ex-senadora parou de crescer nas enquetes do Datafolha e do Ibope, mas ainda ameaça a reeleição da presidente Dilma.

Poder Roberta Namour Mon, 08 Sep 2014 06:02:53 +0000 http://www.brasil247.com/152682
PT concentra 68% das dez maiores doações privadas http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152686 : Campanha pela reeleição da presidente Dilma Rousseff recebeu maior parte dos repasses das dez maiores financiadoras das eleições, somando R$ 123,6 milhões; tucano Aécio Neves ficou com 23% e R$ 46,5 milhões; e Marina Silva, do PSB, só recebeu 9% da verba, chegando a R$ 23 milhões; grupo JBS é o líder do ranking dos maiores doadores, seguido das construtoras Andrade Gutierrez, OAS e Odebrecht <br clear="all"> :

247 – Até o final de agosto, a campanha da presidente Dilma Rousseff concentrou a maior parte das doações dos dez maiores financiadores da corrida pela Presidência – 68% da verba total. 

O presidenciável tucano Aécio Neves aparece em segundo, com 23% de recursos recebidos. Já Marina Silva, candidata do PSB, que assumiu o lugar de Eduardo Campos e já é apontada pelas pesquisas como principal adversária de Dilma, ficou com apenas 9% das doações. 

As informações foram coletadas pelo Estadão Dados, que aponta o grupo JBS como o líder do ranking de financiadores, com R$ 31 milhões até agora. Do total, 65% foi para a campanha do PT. Já a construtora OAS destinou R$ 23,6 milhões para as eleições, segundo 85% para o comitê de Dilma. 

Em contrapartida, o Itaú Unibanco, da família de Neca Setúbal, coordenadora do programa de governo de Marina Silva, não destinou nem um centavo para a candidata petista, repartindo igualmente verba entre seus dois principais adversários.

Economia Roberta Namour Mon, 08 Sep 2014 06:08:38 +0000 http://www.brasil247.com/152686
Dilma muda campanha com Rossetto à frente http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152687 : Segundo reportagem do Globo, em meio à polêmica da delação premiada de Paulo Roberto Costa, presidente Dilma Rousseff teria nomeado o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, como coordenador geral de sua campanha; cargo era dividido entre presidente nacional do PT, Rui Falcão, e Giles Azevedo, que foi seu chefe de gabinete <br clear="all"> :

247 – Diante da repercussão do vazamento da delação premiada de Paulo Roberto Custa, ex-diretor da Petrobras preso na operação Lava Jato da Policia Federal, a presidente Dilma Rousseff já teria mudado o comando de sua campanha.

Segundo reportagem do Globo, o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, vai assumir o cargo que era dividido pelo presidente nacional do PT, Rui Falcão, e por Giles Azevedo, que foi seu chefe de gabinete.

Intenção da mudança seria afastar a presidente da ala do PT citada no novo escândalo. Em delação, Costa teria citado senadores e deputados da base aliada, além do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, como beneficiários do recebimento de propina de contratos da estatal.

Rossetto era vice-governador do Rio Grande do Sul quando Dilma era secretaria de Minas, Energia e Telecomunicações do Estado. Ele foi um dos principais responsáveis por sua saída do PDT para integrar o PT.

Abaixo, reportagem da Agência Brasil sobre o desligamento de Rossetto do ministério:

Rossetto se desliga de ministério para atuar na campanha de Dilma

Yara Aquino - Repórter da Agência Brasil - A edição de hoje (8) do Diário Oficial da União publicou a exoneração, a pedido, do ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, e a autorização de férias do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho. Os dois se afastam, a partir desta segunda-feira, das atividades de governo para atuar na campanha eleitoral pela reeleição de Dilma.

Rossetto assumiu o ministério em março. A assessoria do ex-ministro informou que por não ter o prazo mínimo necessário para adquirir o direito a férias, ele decidiu deixar o cargo. A previsão é que Miguel Rossetto retorne ao cargo futuramente, de acordo com a assessoria. O atual secretário-executivo, Laudemir André Muller, será o ministro interino do Desenvolvimento Agrário.

O ministro Gilberto Carvalho fica de férias de hoje a 3 de outubro. As férias foram autorizadas por despacho da presidenta.

Outro ministro que estará de férias durante o período de campanha eleitoral é Paulo Bernardo, das Comunicações. Casado com Gleisi Hoffmann, ex-ministra da Casa Civil, que concorre ao governo do Paraná pelo PT, ele ficará fora de 3 a 12 de setembro para se dedicar à campanha.

Poder Roberta Namour Mon, 08 Sep 2014 06:36:14 +0000 http://www.brasil247.com/152687
Aécio cogitou rótulo "petrolão" para escândalo http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/152683 : Otimista com a polêmica aberta pelo depoimento do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, presidenciável tucano Aécio Neves usará seu programa de TV para atacar o PT; cogitou nomear novo escândalo de "petrolão", mas achou melhor apontar semelhanças com o chamado “mensalão” de 2005, que resultou na AP 470 e na prisão de políticos petistas como José Genoino e José Dirceu  <br clear="all"> :

247 – O presidenciável tucano Aécio Neves acredita ter encontrado a ocasião ideal para virar o jogo eleitoral. Isolado no terceiro lugar nas pesquisas de intenção de voto, ele apostará todas as fichas no ataque ao PT, usando a polêmica aberto pelo depoimento do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto.

Segundo o colunista Bernardo Mello Franco, sua equipe estudou rótulos alternativos para o novo escândalo, como "petrolão", mas concluiu que evocar o chamado “mensalão” de 2005 seria entendido mais facilmente pelo eleitorado.

O episódio resultou na AP 470 no Supremo Tribunal Federal, que condenou políticos petistas como José Dirceu, José Genoino.

No programa do PSDB, Roberto Costa seria comparado a Marcos Valério, o operador do mensalão. O tesoureiro petista João Vaccari Neto viraria uma nova versão de Delúbio Soares.

O tucano, no entanto, deve poupar Eduardo Campos, citado por Costa. "Ele tá fora, morreu. O que fez de certo ou errado não passa a Marina", diz Alberto Goldman, coordenador do comitê tucano em São Paulo.

Minas 247 Roberta Namour Mon, 08 Sep 2014 06:10:35 +0000 http://www.brasil247.com/152683
Capa de Veja é a bala de prata das eleições de 2014? http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/152586 : Reportagem deste fim de semana sobre a delação premiada de Paulo Roberto Costa repete a estética já usada com Marcos Valério; objetivo é fazer com que o escândalo atual tenha, no imaginário nacional, o mesmo peso do chamado mensalão e mude o rumo das eleições; embora tenham sido citados nomes de deputados, senadores, governadores de estado, como Sergio Cabral, Roseana Sarney e o falecido Eduardo Campos, além do ministro Edison Lobão, não são apontadas provas de que os políticos mencionados receberam propinas; próximos dias serão decisivos <br clear="all"> :

247 – A capa da revista Veja deste fim de semana, que traz a delação premiada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, tem a mesma estratégia – e até a estética, com fundo vermelho – já usada com Marcos Valério, em setembro de 2012. O objetivo da "edição memorável", como chama a própria publicação em carta ao leitor, é fazer com que o escândalo atual tenha, no imaginário nacional, o mesmo peso do chamado mensalão e mude o rumo das eleições de 2014.

Costa, que foi preso duas vezes durante investigação da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, começou a falar na sexta-feira 29, depois de um acordo de delação premiada com a Justiça para diminuir sua pena. Os depoimentos têm sido longos, os primeiros de cerca de quatro horas, relatou ontem o serviço Broadcast da Agência Estado. De um homem eficiente a todos na diretoria de Abastecimento e refino da petroleira entre 2004 e 2012, Costa contou temer, quando soube que a delação estava sendo noticiada na imprensa, ser uma espécie de 'arquivo vivo'.

O esquema partia de grandes empresas – a maior citada por ele é a Camargo Corrêa – que, para fechar contratos milionários com a Petrobras, transferiam parte do lucro a funcionários da estatal, a partidos da base do governo e a políticos. Estes, antes de receber, tinham o dinheiro lavado por doleiros. Por envolver nomes que, na Justiça, teriam foro privilegiado, o assunto passou a ser acompanhado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Nas mais de 40 horas de depoimento à Polícia Federal, Paulo Roberto Costa menciona, segundo a revista, governadores, como Sergio Cabral (PMDB), ex-governador do Rio, Roseana Sarney (PMDB), atual governadora do Maranhão, e o falecido Eduardo Campos (PSB), ex-governador de Pernambuco; seis senadores, o ministro Edison Lobão, de Minas e Energia, e pelo menos 25 deputados federais como parte do esquema. Nesta sexta-feira 5, a imprensa divulgou que o número de deputados poderia chegar a 62.

Entre os deputados estão Cândido Vanccarezza (PT-SP) e João Pizzolatti (PP-SC); entre os senadores, Ciro Nogueira (PP-PI) e Romero Jucá (PMDB-RR). O ex-ministro das Cidades e ex-deputado federal Mário Negromonte, do PP, é citado como destinatário da propina.

O texto de Veja compara o esquema atual com o chamado mensalão – "lembrará em muito outro grande escândalo recente da política" – e envolve o ex-presidente Lula, que teria conversas diretas com Paulo Roberto Costa. A verdade é que, como um diretor importante da maior estatal do País, nada há de anormal em tratar com o presidente da República. E apesar dos depoimentos, nenhuma prova do envolvimento dos políticos mencionados foi apresentada até aqui.

Mídia Gisele Federicce Sat, 06 Sep 2014 06:49:02 +0000 http://www.brasil247.com/152586
Folha aponta ilegalidade na campanha de Benito http://www.brasil247.com/pt/247/bahia247/152685 : Segundo o jornal de Otavio Frias, o candidato a deputado federal pela Bahia, o presidente nacional do PTB, Benito Gama, gastou R$ 2,2 milhões de sua campanha com aliados que terceirizam serviços; eles receberam até R$ 300 mil para subcontratar cabos eleitorais em suas regiões; segundo o parlamentar, a prática não é novidade: ‘Tem uma legislação que prevê isso com detalhes. Não estou inventando nada, estou cumprindo a lei. Não é doação de dinheiro, é trabalho. O que fiz foi uma coisa racional, de facilitar minha gestão [de recursos]’  <br clear="all"> :

247 – O jornal de Otavio Frias acusa o candidato a deputado federal pela Bahia, o presidente nacional do PTB, Benito Gama, de gastar R$ 2,2 milhões de sua campanha com aliados que terceirizam serviços.

Segundo a “Folha de S. Paulo”, esses pagamentos foram incluídos na primeira prestação de contas ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e o procedimento é vedado por lei.

Cada aliado recebeu até R$ 300 mil para subcontratar serviços para a campanha. O ex-prefeito de Cícero Dantas, Zelito Ribeiro (PDT), a pastora Ana Cláudia Leite, o dentista Olympio Júnior e o advogado Erivan Rodrigues, teriam confirmado o esquema.

Questionado, o presidente do PTB, Benito Gama, disse prática não é novidade em campanha: ‘Tem uma legislação que prevê isso com detalhes. Não estou inventando nada, estou cumprindo a lei. Não é doação de dinheiro, é trabalho. O que fiz foi uma coisa racional, de facilitar minha gestão [de recursos]’ (leia mais).

Bahia 247 Roberta Namour Mon, 08 Sep 2014 06:29:31 +0000 http://www.brasil247.com/152685
Ricardo Melo cobra Aécio pelo "mensalão 1.0" http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/152684 : Colunista diz que "soam como ideias fora de lugar declarações" do candidato tucano Aécio Neves sobre novo escândalo envolvendo ex-diretores da Petrobras e parlamentares: "E o mensalão 1.0, nascido em Minas, pai tucano de todos os mensalões reais ou imaginários, onde é que fica? O tucano Eduardo Azeredo e seus companheiros fazem de tudo para alongar o processo até as calendas para prescrever condenações. Já o dito mensalão do PT acabou tal qual mula sem cabeça" <br clear="all"> :

247 – O colunista Ricardo Melo sugere cautela ao presidenciável tucano Aécio Neves sobre o novo escândalo envolvendo o PT e o PSB. Segundo ele, ‘soam como ideias fora de lugar declarações do candidato tucano Aécio Neves, ao dizer que estamos diante "das mais graves denúncias da história recente"’, ironizando que o candidato “adora um aeroporto”.

Ele lembra que as suspeitas levantadas por suposto depoimento do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, em delação premiada, também atingem partidos aliados ao PSDB. 

Também cobra o senador pelo “mensalão 1.0, nascido em Minas, pai tucano de todos os mensalões reais ou imaginários”: “O tucano Eduardo Azeredo e seus companheiros fazem de tudo para alongar o processo até as calendas para prescrever condenações. Já o dito mensalão do PT acabou tal qual mula sem cabeça” (leia mais).

Mídia Roberta Namour Mon, 08 Sep 2014 05:54:33 +0000 http://www.brasil247.com/152684
Lula vê eleição atual como a mais difícil para o PT http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152589 Ricardo Stuckert/ Instituto Lula: Em discurso durante plenária do PT para mobilizar a tropa nos últimos 30 dias antes da eleição, ex-presidente disse nesta sexta-feira que a eleição atual é a mais difícil da história do PT desde a fundação do partido em 1980 e pediu que a militância petista se mobilize para impulsionar a presidente Dilma Rousseff em São Paulo; o cabo eleitoral de Dilma também cutucou o programa de governo da adversária do PSB, Marina Silva, à frente da petista nas pesquisas realizadas no estado; "Não existe do ponto de vista sociológico..."; segundo ele, proposta de autonomia do Banco Central é "papagaiada" <br clear="all"> Ricardo Stuckert/ Instituto Lula:

Por Eduardo Simões

SÃO PAULO (Reuters) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira que a eleição atual é a mais difícil da história do PT desde a fundação do partido em 1980 e pediu que a militância petista se mobilize para impulsionar a presidente Dilma Rousseff em São Paulo.

Em discurso durante plenária do PT para mobilizar a tropa nos últimos 30 dias antes da eleição, Lula disse ser "uma questão de honra para nós" que Dilma vença Marina no Estado. As últimas pesquisas mostraram a presidente bem atrás da candidata do PSB em terras paulistas.

O ex-presidente também disse que não tem "divergências pessoais" com Marina, que foi sua ministra de Meio Ambiente, mas cutucou o programa de governo da adversária.

"Não existe do ponto de vista sociólogico... nenhuma explicação para a Dilma estar perdendo a eleição aqui em São Paulo", disse Lula, que avaliou que ainda levará muito tempo para que sociólogos e especialistas entendam o "fenômeno" que aconteceu na disputa presidencial deste ano após a morte de Eduardo Campos, que era o candidato do PSB ao Planalto.

"Falta discutir política... nós precisamos debater", pediu ele aos militantes.

Lula, que disse estar "destrinchando" o programa de governo apresentado por Marina no fim de agosto, fez críticas às propostas defendidas por sua ex-ministra e disse ter dúvidas se ela tinha lido o programa.

"Eu sinceramente não sei se a companheira Marina leu o programa que fizeram para ela", disparou. "Se ela leu, ela não aprendeu nada com as discussões que nós tivemos", emendou,

Os principais pontos do programa marineiro criticados por Lula foram a defesa da redução do papel dos bancos públicos, a intenção, segundo ele, de Marina reduzir investimentos no pré-sal e a defesa da institucionalização da autonomia do Banco Central.

"O que a elite brasileira quer é que a gente se eleja presidente para a elite governar", disse Lula ao comentar a proposta de autonomia formal do BC defendida por Marina,

Antes do discurso de Lula, outros petistas que usaram o microfone também atacaram Marina por sua defesa da institucionalização da autonomia do BC.

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, por exemplo, disse que no PT, quando um banqueiro quer discutir política com o partido, tem de fazer numa plenária como a realizada nesta sexta e que os petistas não vão deixar que um banqueiro redija "o nosso programa de governo".

Já o presidente do PT, Rui Falcão, disse que o partido jamais daria um "cheque em branco ao Banco Itáu". Os dois se referiam ao fato de Neca Setúbal, uma das herdeiras do Itaú Unibanco , ser uma das coordenadoras do programa de governo de Marina.

Em seu discurso, Lula disse que não falaria sobre o candidato do PSDB, Aécio Neves, atualmente numa distante terceira posição nas pesquisas, enquanto Dilma e Marina disputam a liderança no primeiro turno.

Mas não perdeu a chance de ironizar a entrevista dada pelo tucano ao Jornal da Globo nesta semana, na qual o tucano repetiu diversas vezes que era preciso ter "previsibilidade".

"Ele falou, acho que umas 200 vezes, a palavra previsibilidade. Todas as perguntas que faziam para ele, ele falava 'é preciso ter previsibilidade'. Mas e a seleção brasileira? Previsibilidade", ironizou.

Para Lula, apesar de Aécio gostar tanto de previsibilidade, quando os tucanos governaram "acabaram com o país", numa crítica ao governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso quando o Brasil teve de recorrer ao Fundo Monetário Internacional.

Poder Gisele Federicce Sat, 06 Sep 2014 07:31:18 +0000 http://www.brasil247.com/152589
Sensus: Marina venceria Dilma no 2º turno; 44% são indecisos http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152598 : Primeira pesquisa do Instituto Sensus, divulgada pela revista Istoé, depois da entrada de Marina Silva na disputa mostrou que, mesmo com a candidata atraindo votos de indecisos e dos que querem mudanças, eleição não está definida, já que 44,4% dos eleitores ainda podem mudar de voto; Marina tem 29,5% no primeiro turno, empatada com a presidente Dilma Rousseff (PT), que tem 29,8%; em um eventual segundo turno, ela venceria a petista por 47,6% a 32,8%; Aécio Neves tem 15,2% <br clear="all"> :

Por Lara Rizério

SÃO PAULO - A primeira pesquisa realizada pelo Instituto Sensus depois da morte do presidenciável Eduardo Campos (PSB) e com a entrada de Marina Silva na disputa mostrou que, mesmo com a candidata atraindo votos de indecisos e dos que querem mudanças, a eleição não está definida, já que 44,4% dos eleitores admitiram poder mudar de voto até a eleição. A pesquisa foi publicada na revista Istoé.

Com menos de um mês de campanha, Marina tem 29,5% das intenções de voto no primeiro turno, empatada tecnicamente com a presidenta Dilma Rousseff (PT), que tem 29,8% das intenções de voto. Em um eventual segundo turno, Marina venceria Dilma, com 47,6% contra 32,8% dos votos válidos, uma diferença de 14,8 pontos percentuais.

Já Aécio Neves (PSDB) caiu 6,2 pontos percentuais em relação à última pesquisa, passando de 21,4% para 15,2%. Numa simulação de segundo turno com a candidata petista, Dilma aparece com 39,3% ds votos enquanto Aécio aparece com 35,4%.

Vale destacar, contudo, que o tucano é o menos conhecido entre os três principais presidenciáveis e também o que possui menor taxa de rejeição. Segundo a pesquisa, quase 20% do eleitorado não conhece o senador mineiro. Já a presidenta Dilma é conhecida por 90,8% dos eleitores e Marina Silva por 89%. Com relação à rejeição, 31,5% dos eleitores não admitem votar em Aécio, 44,3% não votariam em Dilma de jeito nenhum e 22,3%, não votariam em Marina. "O histórico mostra que rejeições acima de 40% são impeditivos para a eleição", afirma Ricardo Guedes, diretor do Sensus.

Por outro lado, o número de eleitores que aprovam a atuação de Dilma passou de 40,5% para 46,3% mas, no mesmo período, a intenção de voto na candidata do PT caiu quase 4% e sua rejeição cresceu 2%. A pesquisa foi feita com dois mil eleitores entre os dias 1 e 4 de setembro.

Poder Gisele Federicce Sat, 06 Sep 2014 09:25:05 +0000 http://www.brasil247.com/152598
Entidade questiona versão de Marina sobre plágio http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/152587 : Coordenação do Movimento Nacional dos Direitos Humanos (MNDH) diz nunca ter sido procurada pela equipe de campanha da candidata do PSB, que disse ter utilizado propostas do movimento em seu programa de governo; a justificativa de Marina Silva veio depois de o presidenciável pelo PSDB, Aécio Neves, ter acusado a adversária de copiar projeto lançado por FHC em 2002; Marina então respondeu que os trechos eram "reivindicações históricas" do MNDH; "Seus dirigentes jamais foram procurados ou tiveram quaisquer tratativas para a utilização das suas propostas", manifestou-se a entidade <br clear="all"> :

247 – A coordenação do Movimento Nacional dos Direitos Humanos (MNDH) rebateu, em carta enviada à Folha de S. Paulo, a versão dada pela candidata Marina Silva, do PSB, para justificar a acusação de plágio em seu programa de governo. O movimento afirma nunca ter sido procurado pela equipe de campanha da presidenciável.

Marina foi acusada pelo adversário do PSDB, Aécio Neves, de ter copiado trechos do Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH), lançado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em 2002. "Ela poderia ter pelo menos dado crédito aos autores verdadeiros da proposta e a FHC", alfinetou Aécio.

Em nota, a equipe de Marina afirmou que as propostas estavam em "absoluta sintonia com as reivindicações históricas do Movimento Nacional dos Direitos Humanos". A candidata chamou de "maliciosas" as acusações. A entidade, porém, não avaliza o discurso dos pessebistas.

"O MNDH vem manifestar sua surpresa e discordância com a afirmação da candidata de que foram utilizadas em seu programa as propostas do movimento. Seus dirigentes jamais foram procurados ou tiveram quaisquer tratativas para a utilização das suas propostas", respondeu a coordenação da entidade em carta.

A direção do Movimento ressalta não ter entendimento com "quaisquer" candidatura e afirma que a apropriação de suas propostas é "de faculdade daquele que o faz". A entidade alfineta Marina ao dizer que sua pauta prima pelo "reconhecimento do direito de união estável de pessoas do mesmo sexo" e a "criminalização da homofobia", temas que foram retirados do programa da candidata depois de pressão do movimento evangélico.

Além do programa de FHC, o plano de governo de Marina copiou trechos inteiros de um artigo da USP, sem citar a fonte, conforme noticiou o 247 essa semana, e utilizou partes de uma palestra feita pela própria candidata quatro anos atrás, em Nova York, também sem citar que tratava-se de uma fala de 2010, segundo a Folha de S. Paulo.

Brasil Gisele Federicce Sat, 06 Sep 2014 07:21:12 +0000 http://www.brasil247.com/152587
PT insinua que Marina pode fazer privatizações http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/152593 : Para o presidente do partido, Rui Falcão, a candidata do PSB abre caminho para a privatização da Petrobras ao defender a redução no papel do pré-sal na matriz energética brasileira e a mudança no atual sistema de partilha na exploração de petróleo; "Passo seguinte é vender", disse Falcão, que define a presidenciável como ortodoxa na economia; entram na lista do PT de estatais ameaçadas de serem privatizadas por Marina a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil <br clear="all"> :

247 – A nova estratégia do PT de ataque à candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, envolve a possibilidade de privatização da Petrobras e outras instituições, como a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil. Ontem, durante reunião da cúpula petista em São Paulo, o presidente do partido, Rui Falcão, definiu a presidenciável como conservadora nos direitos individuais, regressiva na reforma política e ortodoxa na economia.

Segundo ele, a candidata abre caminho para a privatização da Petrobras ao defender a redução no papel do pré-sal na matriz energética brasileira e a mudança no atual sistema de partilha na exploração de petróleo. Marina disse ontem estar sendo vítima de "difamação e destruição" pelos adversários.

"Vamos lembrar que não faz muito tempo que isso foi proposto. Se você substituir o regime de partilha do petróleo e trocar a metade por concessões, (isso) fortalece as petroleiras estrangeiras e enfraquece a Petrobras. E a empresa que se debilita o passo seguinte é vender", disse Falcão nesta sexta-feira 5.

Segundo Falcão, a proposta de Marina de reduzir o papel dos bancos públicos na oferta de crédito também pode facilitar a venda das instituições. "Enfraquecer a Caixa e o Banco do Brasil pode mais tarde abrir campo para a privatização dessas instituições", argumentou o dirigente petista.

Brasil Gisele Federicce Sat, 06 Sep 2014 08:31:39 +0000 http://www.brasil247.com/152593
Neymar garante vitória do Brasil na reestreia de Dunga http://www.brasil247.com/pt/247/esporte/152588 Rafael Ribeiro/ CBF: Com uma cobrança de falta perfeita no final da partida, o capitão da seleção brasileira garantiu a vitória do Brasil por 1 x 0 sobre a Colômbia, nesta sexta-feira à noite, em amistoso disputado nos Estados Unidos; "Foi um começo de trabalho com o pé direito, e espero que a gente possa evoluir ainda mais", disse Neymar após a partida <br clear="all"> Rafael Ribeiro/ CBF:

(Reuters) - Com uma cobrança de falta perfeita no final da partida, Neymar garantiu a vitória do Brasil por 1 x 0 sobre a Colômbia, na sexta-feira à noite, em amistoso disputado nos Estados Unidos que marcou a reestreia do técnico Dunga à frente da equipe.

O atacante do Barcelona colocou a bola com categoria no ângulo esquerdo, aos 37 minutos da etapa final, no reencontro com o adversário que o tirou da Copa do Mundo no mês passado, devido a uma lesão provocada por uma entrada dura de Zúñiga.

"Foi um começo de trabalho com o pé direito, e espero que a gente possa evoluir ainda mais", disse Neymar após a partida.

"A seleção não é só de um jogador, é de 11 jogadores mais os demais (reservas). Essa força do grupo faz com que a gente consiga as vitórias, não importa quem faça os gols o importante é a seleção vencer", acrescentou.

Neymar e Zúñiga, capitães de suas equipes no jogo em Miami, se abraçaram antes mesmo do apito inicial e o colombiano se desculpou pelo lance no Mundial que tirou Neymar do restante da competição.

"Ele pediu desculpas, falou que não tinha sido com má intenção. Então está tudo certo", disse Neymar, que na Copa sofreu uma fratura numa vértebra devido à entrada de Zúñiga.

A partida desta sexta, uma repetição do duelo das quartas de final da Copa do Mundo vencida por 2 x 1 pelo Brasil antes de ser goleado por 7 x 1 pela Alemanha na semifinal, foi disputada com bastante vigor pelas duas equipes, que fizeram faltas duras e levaram juntas sete cartões amarelos.

O colombiano Cuadrado foi expulso aos quatro minutos da etapa final ao receber o segundo amarelo do árbitro por falta cometida em Neymar na entrada da área.

O camisa 10 e capitão da seleção brasileira foi o alvo preferido dos colombianos, mas permaneceu em campo até o final ao contrário do jogo contra a Colômbia no Mundial.

Chamado para voltar à seleção brasileira, que comandou entre 2006 e 2010, para substituir Luiz Felipe Scolari, Dunga manteve a base da equipe que disputou a Copa do Mundo no primeiro jogo da seleção desde o Mundial.

No entanto, apesar de ter oito titulares que também estiveram no Mundial em casa, a seleção jogou de forma diferente, com uma dupla de ataque formada pelos velozes Neymar e Diego Tardelli e com a defesa melhor protegida pelos volantes Luiz Gustavo e Ramires.

A partida também marcou a estreia pela seleção do meia-atacante do Cruzeiro Éverton Ribeiro, que entrou em campo no segundo tempo assim como Robinho, Marquinhos, Fernandinho, Elias e Phillippe Coutinho.

Mesmo sem brilho, o Brasil comemorou ter vencido no início de um novo ciclo de quatro anos visando o Mundial de 2018 na Rússia.

"Nosso objetivo era a vitória, começar bem, e felizmente isso aconteceu. Agora a torcida brasileira precisa ter paciência porque é o inicio do trabalho, mas o nosso time fez a parte dele", disse após a partida o zagueiro Miranda, uma das caras novas do time em relação ao que disputou a Copa do Mundo.

A seleção brasileira voltará a campo no dia 9 para enfrentar o Equador também nos Estados Unidos, em Nova Jersey.

(Por Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro)

Esporte Gisele Federicce Sat, 06 Sep 2014 07:07:22 +0000 http://www.brasil247.com/152588
Com Lula, PT quer 2 milhões em campanha por Dilma http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152539 : "Agora é rua, rua e rua", disse o presidente do partido, Rui Falcão, sobre estratégia que terá à frente o ex-presidente Lula nos últimos 30 dias da campanha da presidente Dilma Rousseff; reta final da corrida ao Planalto foi tema de reunião do Diretório Nacional, em São Paulo, nesta sexta-feira; legenda pretende chamar os quase dois milhões de militantes para grande mobilização nas ruas em apoio a Dilma; "Vamos mobilizar o partido nos estados nesta reta final da campanha", reforçou Falcão; três ministros devem se afastar do governo para integrar o comitê; petistas também divulgaram hoje longa cartilha com números e avaliações sobre o que mudou no Brasil nos últimos 12 anos de gestão do PT <br clear="all"> :

247 – A reta final da campanha da presidente Dilma Rousseff terá como estratégia principal a mobilização da militância nas ruas. O presidente nacional do PT, Rui Falcão, ressaltou nesta sexta-feira 5 em reunião extraordinária do Diretório Nacional, em São Paulo, que o partido chamar os quase dois milhões de militantes para sair nas ruas, em porta de fábrica, escolas e bancos em apoio a Dilma. "Agora é rua, rua e rua", destacou o dirigente petista.

A força-tarefa nesses últimos exatos 30 dias antes da eleição deverá ter à frente o principal cabo eleitoral da candidata à reeleição, o ex-presidente Lula. "Vamos mobilizar o partido nos estados nesta reta final da campanha", destacou ainda Falcão. A presidente lidera as pesquisas no primeiro turno, mas perde para a candidata do PSB, Marina Silva, no segundo. O encontro de hoje reuniu as principais lideranças do partido e da campanha de Dilma.

Três ministros também deve se afastar do governo temporariamente para reforçar o comitê de campanha da petista: Ricardo Berzoini, das Relações Institucionais, Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência, e Miguel Rossetto, do Desenvolvimento Agrário. "Um dos objetivos é visitar mais os estados e melhorar a relação com os partidos aliados", disse Berzoini. Falcão também falou em "mobilizar o partido nos estados".

Segundo o senador Jorge Viana (PT-AC), o partido já trabalhava como se estivesse no segundo turno. "O nosso foco tem que ser a Marina", disse ele, acrescentando que a candidatura do tucano Aécio Neves "está se inviabilizando". Em sua avaliação, a campanha de Dilma já mudou de tom, partindo para o ataque direcionado à candidata. Vice-presidente do PT, Alberto Cantalice afirmou que o partido tem "pesquisas internas em que ela está caindo".

Além da militância, o partido tem reforçado sua estratégia também na internet e nas redes sociais. O ex-presidente Lula criou uma conta no Twitter recentemente que acompanha todas as suas atividades e viagens durante a campanha, além de divulgar dados sobre a gestão petsita. Hoje, a legenda divulgou uma cartilha intitulada "O Brasil de Lula a Dilma – Os números que mostram a realidade do País". O documento traz números e avaliações que mostram mudanças no País de 2003 até hoje.

Confira: 

Poder Gisele Federicce Fri, 05 Sep 2014 15:19:18 +0000 http://www.brasil247.com/152539
"Palavra 'macaco' não foi racismo", diz torcedora http://www.brasil247.com/pt/247/rs247/152532 : Patrícia Moreira, que chamou de "macaco" o goleiro do Santos, Aranha, pediu desculpas ao atleta e ao Grêmio, que, após o ato de racismo por parte de vários torcedores, foi expulso da Copa do Brasil; "Aquela palavra macaco não foi racismo de minha parte, foi no calor do jogo, o Grêmio estava perdendo", disse a gremista, chorando muito; "Eu quero pedir desculpas ao goleiro Aranha. Perdão de coração. Eu não sou racista. Perdão. Perdão. Peço desculpas" <br clear="all"> :

Rio Grande do Sul 247 - A torcedora do Grêmio Patrícia Moreira, que chamou de "macaco" o goleiro do Santos, Aranha, pediu desculpas ao atleta e ao Grêmio, que, após o ato de racismo por parte de vários torcedores, na semana passada, foi expulso da Copa do Brasil. Chorando muito, a gremista voltou a dizer que o seu ato foi no "calor" da torcida. O advogado da torcedora, Alexandre Rossato, disse que "macaco, no contexto dentro do jogo, não se tornou racista".

"Eu quero pedir desculpas ao goleiro Aranha. Perdão de coração. Eu não sou racista. Perdão. Perdão. Peço desculpas", disse a jovem, nesta sexta-feira (5), durante entrevista coletiva em Porto Alegre. A partida ocorreu pelas oitavas de finais do torneio no jogo de ida. O Grêmio perdeu em casa por 2x0. "Aquela palavra macaco não foi racismo de minha parte, foi no calor do jogo, o Grêmio estava perdendo", acrescentou Patrícia.

Ao pedir desculpas ao Grêmio, a torcedora disse que é apaixonada pelo clube. "Minha paixão mesmo. Eu vivi sempre indo ao jogo do Grêmio. Largava tudo para ir ao jogo. Peço desculpas para o Grêmio, para a nação tricolor. Eu amo o Grêmio. Desculpas para o Aranha. Perdão, perdão, perdão mesmo", afirmou.

Por sua vez, Alexandre Rossato, advogado de Patrícia, relatou como está a vida da sua cliente. "A Patrícia já sofreu ameaças. Só não vem sofrendo ameaças porque saiu das redes sociais, saiu da casa dela. A Patrícia perdeu a vida dela", disse.

Segundo o advogado, o xingamento de Patrícia ocorre dentro do "contexto do futebol". "Macaco, no contexto dentro do jogo, não se tornou racista. Isso se torna um xingamento dentro do futebol. Uma das expressões dentro do futebol. As próprias mães dos árbitros são xingadas historicamente dentro do futebol", disse.

Rio Grande do Sul 247 Leonardo Lucena Fri, 05 Sep 2014 15:39:32 +0000 http://www.brasil247.com/152532
Inflação deve ficar perto de 6%, diz secretário http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152531 Elza Fiúza/Agência Brasil: "Será mais um ano em que vamos atingir as metas anunciadas", afirmou o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland, que afirmou que a inflação deve convergir para um valor muito próximo de 6% este ano, de acordo com expectativa do governo e do mercado <br clear="all"> Elza Fiúza/Agência Brasil:

Kelly Oliveira – Repórter da Agência Brasil

A inflação deve convergir para um valor muito próximo de 6% este ano, de acordo com expectativa do governo e do mercado, disse hoje (5) o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland.

"Será mais um ano em que vamos atingir as metas anunciadas", afirmou o secretário. A meta de inflação é 4,5%, com limite superior em 6,5%. Hoje, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), fechou agosto em 0,25%. Nos 12 meses encerrados em agosto, o IPCA chegou a 6,51%, pouco acima, portanto, do teto da meta.

Holland destacou que, pelo terceiro mês seguido, houve queda nos preços de alimentação e bebidas. No ano, o segmento acumula alta de 4,76%, inferior aos 5,68% registrados no mesmo período de 2013, acrescentou o secretário. Ele enfatizou que o Índice de Preços por Atacado (IPA-DI) Agrícola "vem demonstrando comportamento benigno com deflação", o que indica melhora.

O secretário também argumentou que este ano a seca vem afetando menos a produção agrícola do que em 2013. Segundo Holland, no ano passado, 1,2 mil municípios foram afetados pela seca, com concentração em áreas produtoras. Neste ano, de acordo com ele, cerca de 700 municípios foram afetados, mas os efeitos são menos intensos na produção agrícola.

Quanto à alta dos preços da energia (11,66%, no acumulado de janeiro a agosto), Holland disse que a maior parte do aumento já ocorreu e, portanto, não deve se repetir até o final do ano. De acordo com o secretário, pode haver alta no preço das passagens áreas neste mês, mas não será como no período anterior à Copa do Mundo.

Economia Gisele Federicce Fri, 05 Sep 2014 14:41:41 +0000 http://www.brasil247.com/152531
ONU: uma em cada 10 meninas sofre abuso sexual http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/152545 : Cerca de 120 milhões de meninas no total já foi forçadas a ter relações sexuais ou participar de outros atos sexuais, e as taxas são ainda maiores na África subsaariana, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), que analisou dados de 190 países <br clear="all"> :

Por Katie Nguyen

LONDRES (Reuters) - Uma em cada 10 meninas em todo o mundo – ou cerca de 120 milhões no total – já foi forçadas a ter relações sexuais ou participar de outros atos sexuais, e as taxas são ainda maiores na África subsaariana, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU).

Analisando dados de 190 países, um relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) afirmou que os molestadores sexuais mais frequentes de meninas de menos de 18 anos são atuais ou ex-maridos, namorados e companheiros.

O estudo, que filtrou a maior compilação de dados sobre violência infantil já realizada, também descobriu que uma de cada cinco vítimas de assassinato é criança ou adolescente de menos de 20 anos.

O homicídio foi a causa principal de mortes de homens entre 10 e 19 anos no Panamá, Venezuela, El Salvador, Trinidad e Tobago, Brasil, Guatemala e Colômbia.

"A violência contra crianças ocorre todos os dias, em todo lugar: os tapas de um pai aborrecido para controlar uma criança 'levada', a perseguição sexual de adolescentes por parte de um colega ou vizinho, o assédio de uma criança por outra no parquinho da escola, a degradação emocional de uma noiva ainda menina por parte de seu marido", declara o relatório.

"Em todo o mundo, crianças demais são afetadas por essas formas de violência, e ainda assim isso raramente é admitido, em parte por ser tão trivial. As repercussões não são insignificantes, elas se disseminam como ondas pela sociedade, assim como em futuras gerações", acrescenta o estudo.

Em comparação com a média global, foi relatada uma proporção maior de meninas forçadas a fazer sexo em 13 dos 18 países da África subsaariana: Camarões, República Democrática do Congo, Uganda, Zimbábue, Malauí, Guiné Equatorial, Gana, Zâmbia, Gabão, Tanzânia, Libéria, Ruanda e Quênia.

A Unicef disse que os meninos também sofrem violência sexual, mas em grau muito menor do que as meninas.

A violência infantil está acontecendo em locais onde as crianças deveriam estar seguras – suas comunidades, escolas e lares, afirmou a Unicef.

"Acontece cada vez mais na Internet, e é levada a cabo por familiares e professores, vizinhos e estranhos e outras crianças", disse o diretor-executivo da agência, Anthony Lake, segundo a rede BBC.

Mundo Gisele Federicce Fri, 05 Sep 2014 16:00:45 +0000 http://www.brasil247.com/152545
Manchetômetro de capas: 18 pró-Dilma, 234 contra http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/152525 : Medição é do Laboratório de Estudos de Mídia da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Lemep/UERJ); entre 1º de janeiro e ontem, nos jornais O Globo, Folha e Estadão, presidente Dilma Rousseff foi personagem de 1ª página 252 vezes; destas, 18 notícias em destaque foram consideradas positivas para a imagem dela, mas em 234 oportunidades a chamada de capa foi negativa; presidenciáveis Marina Silva e Aécio Neves desfrutaram de equilíbrio; em matéria de notícias econômicas, quase 20 notícias publicadas nas capas dos três jornais foram favoráveis à política econômica oficial – e perto de 500, contrárias; pessimismo vendido em larga escala afeta expectativas da população e busca influir diretamente no resultado eleitoral; números derrubam definitivamente mito da imparcialidade da mídia tradicional   <br clear="all"> :

247 - A campanha eleitoral de 2014 está servindo para acabar com um mito: o da mídia tradicional imparcial e equilibrada. De acordo com medição do Laboratório de Estudos de Mídia e Esfera Pública (Lemep), da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, um forte desequilíbrio tem marcado a cobertura da movimentação dos presidenciáveis em campanha eleitoral e, também, antes dela.

Desde 1º de janeiro e até ontem, a quinta-feira 4, a presidente Dilma Rousseff foi personagem de 252 notícias veiculadas pelos jornais O Globo, da família Marinho, Folha de S. Paulo, do clã dos Frias, e O Estado de S. Paulo, dos Mesquita. Pelo critério de "valência", que aponta o efeito do modo de edição das informações sobre o prestígio do candidato, das 252 chamadas de capa – como também é chamada a primeira página de um jornal -, nada menos que 234 foram "negativas", enquanto apenas 18 se classificaram como "positivas".

Para Marina Silva, do PSB, e Aécio Neves, do PSDB, o tratamento tem sido bem diferente. O tucano experimentou, no mesmo período, 22 notícias de 1ª página a seu favor, contra 25 que podem ser chamadas de negativas. Uma relação que foi um pouco pior para Marina (16 chamadas positivas, contra 35 negativas). Nada semelhante ao verdadeiro massacre midiático sofrido pela presidente, como atestam os números.

A situação de desequilíbrio prossegue na cobertura da economia. O mesmo manchetômetro do Lemep/UERJ apurou que, entre janeiro e agosto, os destaques dos três jornais apontaram problemas macroeconômicos em quase 500 retrancas – como são chamadas nas redações as notícias em fase de edição – contra menos de 20 apontadas como positivas.

Em seu endereço eletrônico www.manchetometro.com.br, os pesquisadores ensinam que os critérios de valência das notícias dizem respeito "a sua orientação em relação ao assunto noticiado. Como define Aldé (2003), nos estudos de valência procura-se avaliar "o efeito potencial para cada candidato, procurando esclarecer se (a notícia) beneficia ou prejudica a candidatura em questão".

Abaixo, artigo do colaborador de 247 Ernesto Pereira, com análise sobre os efeitos nocivos do noticiário desequilibrado nas expectativas sobre a economia brasileira:

Há um pessimismo exagerado na economia? 

por Ernesto Pereira

Os índices de confiança dos agentes na economia, que vinham se recuperando após desabar em meados de 2013 com a onda de manifestações que se espalhou pelo país, inverteram o movimento e passaram a cair fortemente desde o início do ano. Não é fácil, todavia, justificar essa queda com base apenas na situação. Isso porque, se nos últimos meses nenhuma das variáveis centrais que afetam a lucratividade das empresas e a renda das famílias melhorou de forma expressiva, a maioria tampouco se deteriorou significativamente.

De fato, embora a um ritmo inferior ao do passado recente, as vendas no comércio, o volume de crédito e os salários continuaram crescendo. As taxas de desemprego se mantêm em níveis historicamente baixos. Os custos tributários em vários setores caíram e as taxas de juro, mesmo aumentando no último ano, são baixas em relação ao histórico do país. A inflação, apesar de flutuar acima do centro da meta para ela fixada, se situa em níveis semelhantes aos que vigoraram nos últimos anos. A taxa de câmbio, mesmo em patamar sobrevalorizado para muitos setores, permanece estável. A economia internacional, não obstante persistam agudas incertezas e alguns segmentos tenham sido especialmente afetados pela desaceleração argentina, vem se recuperando lentamente. Uma deterioração moderada dos índices de confiança não seria, assim, surpreendente, mas seu desabamento chama a atenção. Estariam os agentes excessivamente pessimistas?

Para responder, devemos notar que a queda forte e abrupta dos índices gerais de confiança que caracteriza esse pessimismo não se verificou, na mesma magnitude, naqueles índices ligados à experiência particular e concreta de cada agente. Isso pode ser visto, por exemplo, ao comparar o Índice de confiança do empresário industrial – ICEI/CNI em relação a sua própria empresa com o índice que busca captar a confiança desse mesmo empresário sobre a economia brasileira.

Se até o início de 2013 ambos os índices pareciam relativamente estáveis e flutuavam, como esperado, próximos um do outro, passaram desde então, e mais ainda em 2014, a se afastar, com o índice geral recuando significativamente mais que aquele que reflete as perspectivas das empresas e melhor espelha.

A  mesma situação se verifica ao comparar a evolução do Índice nacional de expectativa do consumidor – INEC/CNI com a de um de seus componentes, o da expectativa de compras de bens de maior valor. Ambos evoluíam, também como previsto, de forma semelhante até meados de 2013. Desde então, contudo, enquanto o índice de expectativa de compras, que tende a melhor refletir a percepção do consumidor sobre sua condição objetiva, se manteve estável, o índice geral de confiança na economia, que traduz essa condição de forma muito mais imperfeita, caiu consideravelmente.

Estes exemplos revelam o afastamento entre, por um lado, os níveis de confiança captados pelos índices baseados em percepções e expectativas formadas com forte influência da experiência concreta dos próprios agentes e, pelo outro, a confiança capturada pelos índices agregados, que não possuem essa base e se apóiam em percepções e expectativas moldadas com a contribuição decisiva das análises e informações fornecidas pelos grandes meios de comunicação. Estes, especialmente nos últimos meses, têm projetado sobre o país um cenário de crise econômica aguda, como mostra o levantamento das manchetes sobre assuntos econômicos publicadas em 2014 até meados de agosto.

Tal cenário é amplamente difundido em um contexto que, se não é tão sombrio como o por ele projetado, tampouco é particularmente favorável, e, além disso, permanece carregado de incertezas, aguçadas ainda pela proximidade do processo eleitoral. Logo, não surpreende que mesmo com a maioria dos indicadores da situação econômica objetiva em níveis historicamente favoráveis, embora relativamente estagnados, os índices de confiança agregados desmoronem, traduzindo um pessimismo generalizado.

Em sua origem, tamanho pessimismo não possui bases reais sólidas e, por isso, é de fato exagerado. Todavia, sua permanência por um período prolongado é capaz, ao adiar as decisões de investimento e de consumo, de criar essas bases, justificando-o ex-post. O desafio da política, para evitar que isso ocorra, é o de apontar essa fragilidade, ao mesmo tempo em que busca solucionar os problemas reais que o alimentam.

Mídia Ana Pupulin Fri, 05 Sep 2014 13:00:05 +0000 http://www.brasil247.com/152525
'Programa da Marina atende ao sistema financeiro' http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/152527 : Afirmação é da presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Juvandia Moreira, que vê com tristeza e preocupação o programa da candidata do PSB; documento prevê, segundo ela, um sistema financeiro mais descomprometido com o crescimento do País; sobre Neca Setubal, coordenadora do programa de governo de Marina Silva, não ser do setor, como defende, e sim da educação, ela rebate: "se alguém quiser acreditar nisso, acredite" <br clear="all"> :

por Paulo Donizetti de Souza, da Rede Brasil Atual

São Paulo – Para a presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Juvandia Moreira, o programa de governo da candidata do PSB à presidência da República, Marina Silva, privilegia interesses do sistema financeiro. O texto tem entre seus coordenadores economistas ligados à era FHC e Neca Setúbal, do Itaú: "Não adianta você chegar e dizer 'eu sou o novo', 'eu vou mudar a política'. O novo que prevê terceirização? Redução do papel dos bancos públicos? Diminuição do crédito? Da importância do pré-sal? De onde vai sair receita para mudar o financiamento da educação e da saúde? Isso não é novo. A gente já viveu há muito tempo e foi muito ruim para o Brasil", diz a sindicalista.

Nos últimos anos houve uma mudança na condução da economia do país. Com mais gente incluída no trabalho formal, com renda em alta, aumenta também o número de pessoas com conta corrente e fazendo poupança. Os bancos não deveriam estar satisfeitos com a economia do país?

Deveriam, porque eles ganharam muito dinheiro, como sempre, mas tiveram de trabalhar mais, por exemplo, para ampliar a oferta de crédito. Para emprestar mais cobrando menos juros, os bancos, de um jeito ou de outro, tiveram de ampliar o quadro de funcionários. Se você compara com dez anos atrás, aumentou o número de bancários. Agora, o setor voltou a apresentar redução do nível de postos de trabalho. Eles preferem ganhar o dinheiro mais fácil, com títulos da dívida pública pagando juros maiores, sem ter de aumentar o quadro. No momento em que a Dilma fez a redução da taxa Selic, isso desagradou completamente o mercado. Eles ganham dinheiro com crescimento ou com recessão, mas no crescimento eles têm que trabalhar mais, têm que ampliar o quadro, têm que expandir a capacidade de atendimento, com margem menor nos juros, precisam emprestar mais para manter a rentabilidade alta. E vêm mantendo.

Quando o governo Dilma assumiu em janeiro de 2011, a Selic estava em 11,25% ao ano. Entre 2012 e 2013, chegou ao piso histórico de 7,25%. Mas voltou a subir. Está em 11% há quatro reuniões do Copom e estima-se que acabe o ano assim. Se mesmo com juros mais baixos a receita com operações de crédito cresceu, por que parou aquela queda-de-braço que o governo teve com os bancos?

Os bancos fizeram inclusive campanha internacional contra o Brasil, fizeram uma queda-de-braço porque reduzir muito a Selic para eles é ruim, aumentar o crédito para eles é ruim. Eles continuariam a ganhar, mas teriam de ampliar a escala. Reduzir a margem de lucro para que todos ganhem – a população também – não é com eles. Parecem não se importar se o setor produtivo perde, se a população perde. É a cultura dos bancos sobre a sociedade.

Os bancos têm se posicionado no ambiente eleitoral. Teve o episódio do Santander, que associou valorização na Bolsa de Valores à queda de Dilma nas pesquisas. Sócios do Itaú estão na campanha da Marina Silva. O que explica isso se o país vive um ambiente tão saudável para o sistema financeiro?

Tem o mercado que especula com ações e tem o mercado que especula com juros altos. Investir no setor produtivo, para que mais atividades saiam ganhando com o fortalecimento da economia, não é a praia deles. A presidenta Dilma representa a continuidade da política de crescer apostando no mercado interno, com distribuição de renda, tanto com programas sociais que estimulam economias locais com o estímulo ao mercado de trabalho aquecido, com baixo desemprego. Isso incomoda quem prefere o caminho da especulação. Eu vejo com tristeza e preocupação o programa de governo da Marina porque prevê um sistema financeiro mais descomprometido com o crescimento do país. Prevê a legalização das terceirizações que tão mal fazem ao mundo do trabalho. Isso é a pauta do Itaú. Há mais de um ano o economista-chefe do Itaú vive dando entrevista pondo isso em pauta.

O mercado financeiro sempre argumentou que a valorização do salário mínimo e o mercado de trabalho aquecido causam inflação. Uma bobagem, porque a inflação jamais ultrapassou o teto da meta nos últimos dez anos. Para a população, essa política é muito importante, garantia de renda. Com mercado de trabalho estável e aquecido, mais de 90% dos acordos salariais vêm conseguindo aumentos acima da inflação – porque esse ambiente favorece o trabalhador nas negociações. O Itaú defende a interrupção dessa política, o mercado financeiro defende uma política de aperto. Que o governo gaste menos e economize mais para pagar juros. E que a inflação seja combatida com falta de dinheiro no bolso das pessoas, ou seja, com arrocho e desemprego, como era nos anos FHC. Isso já aparecia no programa do Aécio Neves e está no da Marina. A independência do Banco Central está lá, o que significa dizer "eu sou eleita e abro mão de controlar a inflação, de controlar a moeda, o câmbio, para entregar para os banqueiros controlarem". É temerário.

A Maria Alice Setúbal, a Neca, diz que não é do sistema financeiro, que o negócio dela é educação...

Se alguém quiser acreditar nisso, acredite. Mas veja o programa de governo da Marina, como reflete tudo o que os bancos defendem: terceirização, superávit primário (sobra de caixa destinada a pagamento de juros), abrir mão da gestão do câmbio, BC independente... o programa abre mão até do controle sobre a condução da política fiscal. A gente já vem discutindo isso com os bancos há muito tempo, e eles defendem com todas as letras o PL 4330 (projeto de lei do deputado Sandro Mabel, PMDB-GO, que liberara a terceirização em todas as atividades). E está lá no programa da Marina. E uma das coordenadoras é a Neca Setúbal, mas não é só ela. É o Roberto Setúbal. É o Itaú. São os bancos que estão incluindo essa pauta. BC independente, a quem interessa? Independente de quem? Dos interesses da sociedade? É isso que significa um BC independente: o governo abrir mão de fazer a política, e deixar a tarefa de regulação dos juros, dos preços, do ritmo de crescimento e da proteção da moeda para o sistema financeiro privado fazer.

O programa prevê também acabar com a política de crédito direcionado, aquele que estabelece regras para o financiamento imobiliário; que determina que uma parte dos depósitos dos correntistas e poupadores que estão nos bancos seja destinada ao trabalhador que vai comprar sua casa própria; ou a operações de microcrédito, de empreendedorismo, de crédito rural etc. É o que possibilita taxas de juros menores e prazos maiores para atividades produtivas. Eliminar o crédito direcionado significa reduzir as oportunidades e deixá-las à mercê dos juros ditados pelo mercado bancário.

Hoje, no Banco do Brasil predomina o crédito rural e na Caixa Federal predomina o habitacional. E os bancos públicos acabam puxando os privados. Porque ou eles usam essa fatia reservada da poupança e do compulsório para esses fins, ou não podem usar para outros fins. Então, o ideal é que o direcionamento do crédito seja ainda maior para estimular outras atividades produtivas, quer criem empregos e renda. Se acabar, ficar tudo por conta do crédito livre, vai diminuir a oferta, e as taxas de juros vão ser muito maiores.

Aliás, também faz parte do programa de governo da Marina diminuir o papel dos bancos públicos. Se você pega o período depois da crise de 2008, foram os bancos públicos que seguraram a oferta de crédito, e acabaram puxando os banco privados. Isso foi fundamental para proteger o mercado interno e os empregos, enfim, para que o trabalhador brasileiro não tivesse de pagar a conta da crise financeira internacional, como estão pagando os europeus.

E por que a Marina entrou tão forte na disputa, mesmo sem nunca ter apresentado claramente seus projetos de governo?

Isso tem a ver com a insatisfação das pessoas com a política, e com a criminalização da política feita por parte da imprensa nos últimos anos. É criminalização com desinformação. A verdadeira mudança não é uma única pessoa que vai fazer. O que precisa mudar é o conjunto de regras que compõem o sistema político. Não adianta você chegar e dizer "eu sou o novo", "eu vou mudar a política". O "novo" que prevê terceirização? Redução do papel dos bancos públicos? Diminuição do crédito? Da importância do pré-sal, de onde vai sair receita para mudar o financiamento da educação e da saúde? Isso não é novo. A gente já viveu há muito tempo e foi muito ruim para o Brasil. Interromper a política de distribuição de renda é o velho. O povo brasileiro quer mudança, e essa mudança passa por mudar um monte de coisas. Financiamento de campanhas, por exemplo, tem de mudar, senão a maioria do Congresso vai continuar sempre subordinada aos interesses de quem financia as campanhas. É isso que tem sido ruim para o Brasil.

Como o sindicato vê essa campanha do plebiscito pela Constituinte exclusiva para fazer reforma política?

É o caminho. Estamos passando em todos os locais de trabalho colhendo votos e levando esse debate. É uma proposta muito viável, e a população tem de compreender que para mudar as coisas na política é preciso mudar um conjunto de regras, e também mudar a postura das pessoas, acompanhar mais os movimentos, candidaturas, governos, entender os programas de governo para escolher com qual se identifica, e eleger que vai tocar esses programas. Não adianta votar numa pessoa e depois não acompanhar se ele vai cumprir o que está naquele programa. Enfim, uma pessoa que diz que vai mudar as coisas não vai mudar nada, não vai trazer o novo, se o seu programa está repleto do velho. Volta no tempo e acolhe o descompromisso dos bancos com o país.

 

Brasil Gisele Federicce Fri, 05 Sep 2014 13:08:56 +0000 http://www.brasil247.com/152527
Volkswagen monitorou Lula durante a ditadura http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/152517 : Documentos descobertos recentemente e vistos pela agência Reuters revelam que a montadora espionou ativistas sindicais brasileiros, seus próprios trabalhadores, na década dos anos 1980 e passou informações sobre reivindicações salariais e outras discussões privadas à ditadura militar do País; objetivo era suprimir a agitação trabalhista; um dos alvos da empresa alemã era o ex-presidente Lula, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo à época <br clear="all"> :

Por Brian Winter

SÃO PAULO (Reuters) - A Volkswagen espionou ativistas sindicais brasileiros na década dos anos 1980 e passou informações sobre reivindicações salariais e outras discussões privadas à ditadura militar do país, de acordo com documentos recentemente descobertos que foram vistos pela Reuters.

A montadora monitorou secretamente seus próprios trabalhadores, bem como dirigentes sindicais proeminentes da época. Um dos alvos da Volkswagen foi Luiz Inácio Lula da Silva, que viria a ser presidente do Brasil de 2003 a 2010 e continua sendo um dos políticos mais influentes na cena nacional.

Os documentos foram recentemente descobertos em arquivos do governo por pesquisadores que estão contribuindo com os trabalhos da Comissão Nacional da Verdade (CNV), que investiga abusos ocorridos durante o regime militar de 1964 a 1985 a pedido da presidente Dilma Rousseff.

A Reuters informou no mês passado que a comissão encontrou indícios de que diversas empresas, incluindo a Volkswagen e outras montadoras estrangeiras, ajudaram os militares a identificar ativistas sindicais na década de 1980 para suprimir a agitação trabalhista.

Agora, de acordo com líderes da CNV, 20 páginas de documentos marcados como "confidencial" que a Volkswagen deu aos militares em 1983 e 1984 fornecem a prova ainda mais clara de que algumas empresas foram mais longe, ao recolher de sua própria inteligência informações sobre atividades sindicais para então compartilhar esse material com autoridades.

Nos documentos, a Volkswagen forneceu dados extensos de mais de uma dezena de reuniões sindicais na Grande São Paulo. A empresa retransmitia planos de trabalhadores sobre greves, bem como suas demandas por melhores salários e condições de trabalho.

A empresa divulgou alguns nomes de trabalhadores da Volkswagen que participaram de eventos de sindicato e, em pelo menos dois casos, forneceu a marca e a placa de veículos presentes em atos sindicais.

A Volkswagen também relatou a exibição de um filme com temática socialista na sede de um sindicato; o conteúdo de folhetos distribuídos do lado de fora de sua fábrica e os nomes daqueles que distribuíram os panfletos; e um incidente em que "vários funcionários viciados foram surpreendidos fumando maconha".

Tais informações foram tipicamente usadas pela polícia para monitorar, constranger e deter sindicalistas na esperança de desencorajar agitações trabalhistas futuras, disse Sebastião Neto, membro da CNV. Ele citou o material que a comissão reuniu a partir do depoimento de trabalhadores que sofreram esse tipo de tratamento.

"Os documentos mostram com clareza excepcional como as empresas esperavam que o governo as ajudasse a resolver problemas com seus trabalhadores", disse Neto, que está supervisionando a investigação da CNV sobre as relações entre as empresas e os militares.

As empresas podem enfrentar processos cíveis ou demandas de reparação caso sejam consideradas culpadas por terem contribuído para violações de direitos humanos de seus trabalhadores durante a ditadura, segundo afirmam alguns promotores.

Outros duvidam que a prova obtida até agora seja suficiente para levar adiante um processo judicial. Eles dizem que o verdadeiro valor do trabalho da CNV reside na construção de um relato mais completo de abusos cometidos no passado para que o Brasil, que é agora uma democracia estável, nunca sofra um período tão obscuro novamente.

Os documentos foram encontrados em um arquivo nacional por historiadores profissionais contratados por um sindicato local para trabalhar em coordenação com a CNV. Neto disse que os documentos serão incluídos no relatório final da comissão da verdade, previsto para dezembro.

VOLKS PROMETE INVESTIGAÇÃO PRÓPRIA

Em resposta a perguntas da Reuters sobre os novos documentos, a Volkswagen repetiu uma promessa que fez quando da publicação da primeira reportagem exclusiva sobre o assunto em agosto, afirmando que vai "investigar todos os indícios" de que funcionários forneceram informações aos militares.

Nenhuma outra empresa de grande porte com operações no Brasil tem um compromisso público para uma iniciativa desse tipo.

"A Volkswagen é reconhecida como um modelo por tratar seriamente a sua história corporativa", disse a empresa em um comunicado. "A empresa irá lidar com este assunto da mesma forma", acrescentou.

A Volkswagen tem aparecido repetidamente como uma fornecedora de informações aos militares durante a ditadura no Brasil.

A montadora, contudo, não foi a única empresa que relatou atividades sindicais para militares, segundo pesquisadores e acadêmicos. A ditadura suprimiu os esforços de trabalhadores por melhores salários como uma parte central de seu modelo de crescimento econômico e viu as greves como uma ameaça comunista à estabilidade. Inúmeras empresas enfrentaram pressão para colaborar.

A Volkswagen foi uma das 19 empresas brasileiras e estrangeiras que participaram de reuniões regulares com autoridades militares e policiais na região do Vale do Paraíba, uma área industrial a cerca de 90 quilômetros da cidade de São Paulo. As reuniões começaram em julho de 1983, em um momento de crescente agitação trabalhista na área.

Nas reuniões, as empresas trocaram informações sobre o planejamento de greves e demissões em massa, de acordo com relatórios dos encontros feitos pelo Ministério da Aeronaútica.

Nas atas dos encontros, que foram fornecidas à Reuters por pesquisadores da CNV, a Volkswagen foi a única companhia que apresentou relatórios por escrito sobre atividades sindicais em pelo menos três ocasiões.

Os documentos foram anexados às atas dos encontros. Eles não indicam como a Volkswagen obteve a informação, mas o nível de detalhe sugere que a empresa pode ter enviado pessoal de segurança para monitorar eventos sindicais ou recebeu informações de trabalhadores infiltrados, segundo pesquisadores.

Por exemplo, a Volkswagen informou às autoridades sobre a exibição de um filme sobre a revolução russa na sede de um sindicato. Em um memorando, a montadora descreveu como trabalhadores bloquearam as portas para a sala de projeção e desativaram o elevador do edifício "para evitar uma possível apreensão da fita por parte do Departamento do Censura da Policia Federal".

O memorando diz ainda que "vinho quente, pipoca e chocolate" estavam disponíveis durante a exibição do filme e o nome do trabalhador que vendeu os produtos.

A Volkswagen também documentou amplamente um comício sindical de 19 de junho de 1983, que contou com Lula. Ele não era um empregado da empresa, mas era uma estrela em ascensão no movimento trabalhista nacional na época. A Volkswagen citou Lula como um crítico à "pouca vergonha do governo" e por incentivar trabalhadores a interromper, como gesto de protesto, os pagamentos de prestações ao Banco Nacional da Habitação (BNH) pela compra de imóveis.

A companhia registrou o número da placa de um ônibus que transportava trabalhadores para Brasília após o comício sindical, bem como o nome da empresa que o operou.

Um porta-voz de Lula se recusou a comentar sobre os documentos.

Geovaldo Gomes dos Santos, um ex-oficial de controle de qualidade que se aposentou da Volkswagen em 2003, foi nomeado nos documentos como tendo organizado uma reunião em 21 de junho de 1983 para tratar de um encontro regional de metalúrgicos.

O nome dele também apareceu em uma "lista negra" de ativistas sindicais na Grande São Paulo que a polícia preparou no início dos anos 1980, cuja existência a Reuters revelou no mês passado.

Ao ser informado que tinha seu nome citado em um novo conjunto de documentos, Santos disse: "Isso é um absurdo".

Ele afirmou que, à luz das informações, pode tentar processar a Volkswagen ou ex-executivos da montadora por danos morais.

"Eu não quero dinheiro", disse ele. "É tão nojento o que eles fizeram. Nós não estávamos fazendo nada de anormal. Por quê eles estavam nos espionando? Sindicatos deve ser apenas uma parte normal do capitalismo", afirmou.

Brasil Gisele Federicce Fri, 05 Sep 2014 12:15:44 +0000 http://www.brasil247.com/152517
Marina vê “frente” contra sua candidatura http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152526 REUTERS/Paulo Whitaker : Candidata à Presidência dlo PSB, Marina Silva, durante debate na  Band. 26/8/2014  REUTERS/Paulo Whitaker "O que está acontecendo é que há uma situação quase que de desespero por parte dos meus adversários", disse a candidata do PSB; "Querem manter tudo no controle entre a polarização PT-PSDB, porque eles se sentem muito confortáveis. É interessante que agora o governador Aécio, a presidente Dilma, eles dois fazem uma frente contra mim", afirmou, em entrevista nesta manhã; Marina Silva também criticou Dilma por problemas no setor elétrico <br clear="all"> REUTERS/Paulo Whitaker : Candidata à Presidência dlo PSB, Marina Silva, durante debate na  Band. 26/8/2014  REUTERS/Paulo Whitaker

BRASÍLIA (Reuters) - A candidata à Presidência pelo PSB, Marina Silva, afirmou nesta sexta-feira que faltou planejamento estratégico e investimentos em novas fontes de geração de energia na gestão do setor elétrico do país, que tem sido conduzido há mais de uma década pela presidente Dilma Rousseff.

Questionada durante entrevista à rádio CBN sobre acusações de que a atual baixa oferta de energia hídrica deve-se em parte à sua atuação como ministra do Meio Ambiente durante governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, quando teria privilegiado as chamadas usinas de fio d'água em detrimento das hidrelétricas a partir de grandes reservatórios, Marina lembrou que estava à frente da pasta quando foram concedidas as licenças prévias para as hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio.

"O setor elétrico é responsabilidade dela (Dilma) há 12 anos, como ministra (de Minas e Energia), como chefe da Casa Civil, como presidente da República. Ela esteve nos espaços de poder mais importantes para a agenda de energia. Como podem dizer que a responsável pelos problemas que tem no setor elétrico é uma pessoa que saiu do governo desde 2008?", argumentou a candidata em entrevista nesta manhã. Marina foi ministra do Meio Ambiente de 2003 a 2008.

"O problema é que nós temos uma situação em que a falta de visão estratégica está nos levando a poucas fontes de geração, e quando não tem as chuvas, que não é culpa de ninguém, aí a gente fica na dependência apenas das termelétricas tradicionais", acrescentou.

A presidenciável aproveitou a entrevista para criticar o que considera ser uma "frente" contra sua candidatura formada por seus dois principais adversários na corrida presidencial: Dilma, que tenta a reeleição pelo PT, e Aécio Neves, candidato do PSDB.

"O que está acontecendo é que há uma situação quase que de desespero por parte dos meus adversários", disse Marina. "Querem manter tudo no controle entre a polarização PT-PSDB, porque eles se sentem muito confortáveis. É interessante que agora o governador Aécio, a presidente Dilma, eles dois fazem uma frente contra mim", afirmou.

Aécio utilizou seu programa eleitoral na quinta-feira para reprisar o discurso sobre o que chama de contradições de Marina, afirmando que a ex-senadora muda de posições "ao sabor das circunstâncias", citando, inclusive, sua passagem pelo PT e eventual "omissão" em relação ao escândalo do mensalão.

Dilma também tem utilizado o espaço obrigatório na TV aberta para criticar a adversária. Seu programa insinuou semelhanças entre Marina e os ex-presidentes Jânio Quadros e Fernando Collor de Mello —que não concluíram seus mandatos— para questionar a governabilidade da ambientalista caso seja eleita.

(Por Maria Carolina Marcello)

Poder Gisele Federicce Fri, 05 Sep 2014 12:46:40 +0000 http://www.brasil247.com/152526
Clube Militar fecha com Marina: "fio de esperança" http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/152500 : Agremiação de generais da reserva lança manifesto de apoio à candidata do PSB; "Esperança de algo novo e diferente"; com sede no Rio de Janeiro, Clube Militar é uma das entidades mais conservadoras do País; boa parte dos sócios estava na ativa durante o regime militar (1964-1984); posicionamento é contrário a qualquer revisão na Lei da Anistia, que Marina Silva disse apoiar, mas depois recuou, e à Comissão Nacional da Verdade, de apuração dos crimes de tortura e morte acontecidos no período; presidenciável "navega em mar calmo e vento muito favorável, enquanto o tempo, cada vez mais curto, corre a seu favor", diz autor do texto, o ex-general Clovis Puper Bandeira; arco de apoio à ex-ministra ganha peso à direita; leia o manifesto <br clear="all"> :

247 – Depois de receber o apoio oficial do deputado pastor Marco Feliciano (PSC-SP), conhecido e duramente criticado por entidades que lutam pelos direitos humanos, por suas posições radicais e polêmicas contra os homossexuais, Marina Silva recebe o voto de um setor ainda mais conservador: o Clube Militar do Rio de Janeiro.

Em manifesto divulgado na última quarta-feira, o clube mais conservador do Exército trata a candidata do PSB como "um fio de esperança" para derrotar o PT. "Esperança de algo novo e diferente, que rompa com a tradição negativa representada pelos atuais homens públicos", diz trecho do texto.

Autor do documento, o general da reserva Clóvis Purper Bandeira diz que os militares veem Marina como a grande aposta para tirar os petistas do poder. Entre as reivindicações dos militares está a preservação da Lei da Anistia, para que se evite que os agentes da ditadura militar sejam punidos enquanto ex-militantes da esquerda armada contra o regime permaneçam impunes.

Embora defina Marina como a esperança, o manifesto também aponta "uma nova política misteriosa" comandada pela "figura messiânica" da eventual presidente da República. A candidata, segundo o Clube Militar, faz "declarações vagas" e "propostas esquerdistas e ambientalistas", com "cheiro de bolivarianismo", em referência à maior participação popular, como por meio de plebiscitos. Depois, acrescenta que "ser uma incógnita camaleônica é uma vantagem".

Leia abaixo ou no site do Clube Militar a íntegra do texto:

UM FIO DE ESPERANÇA

As surpresas que o destino nos reserva são assustadoras. Tudo corre num determinado sentido quando, de repente, um acontecimento totalmente inesperado muda nossa história, nossa vida.

O terrível acidente aéreo que, no meio de agosto (sempre agosto) ceifou a vida do Senador Eduardo Campos, candidato à Presidência da República, bem como as da tripulação e de assessores que o acompanhavam, mudou em duas semanas todo o panorama e as previsões para as eleições de outubro, em nível federal e estadual.

Subitamente elevada à condição de presidenciável, a até então candidata a Vice Presidente, Marina da Silva, foi talvez a pessoa diretamente mais atingida pelas consequências da tragédia.

Relembremos.

Tendo obtido 20 milhões de votos nas últimas eleições presidenciais, em 2010, Marina despontou como um fenômeno eleitoral, séria pretendente ao cargo nas próximas eleições.

Para conseguir ser apontada como candidata, procurou fundar um partido próprio, a Rede de Sustentabilidade, ou simplesmente Rede. No entanto, a burocracia – e os problemas reais ou criados pelos cartórios para o reconhecimento de centenas de milhares de firmas necessárias para a criação de um partido – terminaram por impedir que o mesmo viesse à luz no prazo legal para permitir o registro de seus candidatos.

Assim, sem uma sigla que a apresentasse, Marina teve que se contentar em aderir ao PSB, que já apontara Eduardo Campos como candidato a Presidente da República. Ela teve, então, que limitar-se à Vice Presidência.

A morte do cabeça da chapa do PSB a menos de dois meses das eleições determinou sua substituição por Marina, que imediatamente decolou nas pesquisas de intenção de votos.

Atualmente, já empata com Dilma Roussef no primeiro turno e vence folgadamente por dez pontos percentuais no segundo turno.

Na verdade, a nova candidata incorporou o desejo vago de mudanças que levou o povo às ruas em junho do ano passado. Que tipo de mudança, isso já é outro problema.

Não tendo ainda sido atacada pelos demais candidatos – pois sua candidatura não foi, inicialmente, percebida como grande ameaça – navega em mar calmo e vento muito favorável, enquanto o tempo, cada vez mais curto, corre a seu favor.

Sua figura messiânica, suas declarações vagas, suas promessas iniciais muito generosas, mas fora do alcance do cofre nacional, acenam com uma "nova política" misteriosa, mistura de propostas esquerdistas e ambientalistas, entre as quais maior participação direta, governar com pessoas e não com partidos, participação direta popular no governo, por meio de plebiscitos e consultas populares (cheiro de bolivarianismo), criação de conselhos do povo (cheiro dos sovietes petistas), orçamento participativo etc.

Cálculos preliminares orçam suas promessas – entre as quais 10% do orçamento para a saúde, outros 10% para a educação, aumento da bolsa esmola, do efetivo da Polícia Federal – em quase 100 bilhões de reais por ano, cuja origem não é esclarecida.

Seu calcanhar de Aquiles é o fraco apoio político, pois na verdade não tem o apoio firme de nenhum partido. Seus apoiadores são aqueles interessados em pegar carona em sua súbita popularidade, sem nenhum compromisso com a realidade política durante seu possível governo.

Mas uma excelente candidata não será, necessariamente, uma excelente Presidente.

No governo, terá que descer das nuvens "sonháticas" onde flutua e lutar na arena do dia a dia da Praça dos Três Poderes, enfrentando as feras insaciáveis que fazem as leis, sempre cobrando algum preço político por seu apoio.

Na verdade, os políticos temem o populismo de suas propostas e os desvios que promete adotar, para evitar o isolamento de seu governo pelos partidos, percebendo uma ameaça de autoritarismo na ideia de governar sem os mesmos. Será real isso ou será apenas uma ameaça para angariar apoios mais fortes dos partidos, que seriam enfraquecidos com um governo mais populista?

Dona de um discurso inatacável, é a favor de tudo que é bom e contra tudo que é ruim. Como, aliás, todos os candidatos.

Ser uma incógnita camaleônica é uma vantagem, pois o que é conhecido da política e dos políticos é rejeitado pelos eleitores.

A esperança de algo novo e diferente, que rompa com a tradição negativa representada pelos atuais homens públicos, parece impulsionar a subida de Marina nas pesquisas eleitorais.

A desilusão popular procura o novo. As mudanças podem ser para melhor ou para pior, desde que interrompam a malfadada corruptocracia instalada no poder pelo lulopetismo.

Como está não pode continuar. Há expectativa de que novos rumos e novos governantes tragam melhores dias e maior esperança para os eleitores desiludidos.

É um fio de esperança, mas parece que as pessoas a ele se agarram com fé, apostando no futuro para esquecer o presente.

Gen Clovis Purper Bandeira – Editor de Opinião do Clube Militar

Brasil Gisele Federicce Fri, 05 Sep 2014 10:41:07 +0000 http://www.brasil247.com/152500
Dilma lidera intenções de voto no reduto de Aécio http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/152511 : Presidente Dilma Rousseff (PT) é a preferida do povo mineiro para vencer as eleições de outubro deste ano, segundo levantamento do Instituto Datafolha; petista possui 35% das intenções de voto, contra 27% de Marina Silva, do PSB, e 22% do presidenciável Aécio Neves (PSDB), ex-governador de Minas <br clear="all"> :

Pautando Minas - A presidente Dilma Rousseff é a preferida do povo mineiro para vencer as eleições de outubro deste ano, segundo levantamento do Instituto Datafolha, divulgado nesta semana. Segundo informações, a petista possui 35% das intenções de voto, contra 27% de Marina Silva, do PSB, e 22% de Aécio Neves, do PSDB.

Dilma ainda vence em mais dois estados pesquisados, além de Minas. No Ceará a candidata tem 57% das intenções, contra 24% da pessebista, e apenas 4% de Aécio Neves. Marina vence em outros quatro estados no levantamento. A média nacional, portanto, mostra Dilma com 35% das intenções de voto, contra 34% de Silva e 14% de Aécio.

Minas 247 Leonardo Lucena Fri, 05 Sep 2014 11:31:31 +0000 http://www.brasil247.com/152511
Garotinho vai processar Globo: "esses mentirosos" http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/152501 : Candidato ao governo do Rio informou que vai processar as Organizações Globo pela publicação de uma frase atribuída a ele "totalmente fora de contexto"; "Garotinho se compara a Jesus Cristo", diz título de reportagem no site do jornal O Globo; deputado disse ainda que não vai mais "conceder nenhuma entrevista a esses mentirosos de plantão"   <br clear="all"> :

Rio 247 – O candidato ao governo do Rio pelo PR, Anthony Garotinho, informou, nesta quinta-feira (4), que vai processar a Globo por atribuir a ele uma frase "totalmente fora de contexto". Reportagem publicada na versão online do jornal tem como título: "Garotinho se compara a Jesus Cristo”. O parlamentar disse que não vai mais “conceder nenhuma entrevista a esses mentirosos de plantão”. 

Em seu blog, o deputado, que lidera as intenções de votos, criticou duramente a empresa, ao dizer que “o jornalismo marrom da Globo não tem limites para atingir os seus objetivos”. “Talvez só mesmo a Justiça possa conter o ímpeto difamatório e mentiroso que move os interesses da família Marinho. Jamais diria uma tolice como essa de querer me comparar a Jesus Cristo”, disse o deputado.

Garotinho afirmou que tem sido “paciente e suportado uma quantidade de mentiras, que só mesmo alguém disposto ao diálogo seria capaz de suportar”. Mas, de acordo com o republicano, é necessário acionar a Justiça Eleitoral “diante das últimas matérias mentirosas como esta, por exemplo, tirada totalmente do contexto”.

A Globo reproduziu uma entrevista a uma rádio evangélica na qual o candidato atacou o adversário Marcelo Crivella (PRB), que havia citado algumas pendências judiciais do parlamentar.

“Quero saber se essas acusações são verdadeiras. De todas que fizeram contra mim, 99% resultaram em nada. Essa única que houve condenação que eu estou recorrendo era o seguinte: o juiz que me condenou, o irmão dele era nomeado em cargo confiança pelo Sérgio Cabral. O irmão dele também é árbitro de futebol da Fifa, amigo de Ricardo Teixeira, meu inimigo a quem eu estou investigando por desvio de verba da CBF”, disse Garotinho na rádio.

Segundo o deputado, as acusações de Crivella são “perseguição política”. “Se você quiser falar em processo, vamos voltar para Bíblia. Você conhece alguém mais processado do que Jesus? Mais caluniado do que Jesus? Não vamos julgar as outras pessoas”, afirmou.

Rio 247 Leonardo Lucena Fri, 05 Sep 2014 10:55:09 +0000 http://www.brasil247.com/152501
Inflação oficial fecha agosto em 0,25% e acumulado passa teto da meta http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152492 : Em julho, a taxa havia ficado em 0,01% e em agosto do ano passado, a taxa foi 0,24%; segundo dados do IBGE, o IPCA acumula taxas de 4,02% no ano e 6,51% em 12 meses, pouco acima portanto do teto da meta do governo, que é 6,5% <br clear="all"> :

Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil 

A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), fechou agosto em 0,25%. Em julho, a taxa havia ficado em 0,01% e em agosto do ano passado, a taxa foi 0,24%.

Segundo dados divulgados hoje (5) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA acumula taxas de 4,02% no ano e 6,51% em 12 meses, pouco acima portanto do teto da meta do governo, que é 6,5%.

A inflação em agosto continuou sendo puxada pelo grupo de despesas habitação que, com taxa de 0,94%, respondeu por mais de metade do IPCA. Os principais itens individuais responsáveis pela alta do índice foram o de empregados domésticos, 1,26% mais caro, e energia elétrica com variação de 1,76% em agosto.

Os alimentos, por sua vez, com uma deflação (queda de preços) de 0,15%, foram os principais responsáveis por evitar uma alta mais acentuada do IPCA.

Economia Gisele Federicce Fri, 05 Sep 2014 09:50:49 +0000 http://www.brasil247.com/152492
Ensino médio de Goiás assume liderança do Ideb http://www.brasil247.com/pt/247/goias247/152502 : Estado obteve nota 3,8 e saltou da 5ª posição em 2011 para o 1º lugar; em 2009, Goiás era o 16º colocado; melhorias no setor coincidem com o terceiro mandato do governador Marconi Perillo (PSDB), candidato à reeleição, que desenvolve o programa Pacto pela Educação, um conjunto de medidas que visa a melhoria dos indicadores educacionais; nos anos finais do ensino fundamental, Goiás ficou na segunda colocação, atrás de Minas Gerais, e superando estados como São Paulo e Rio de Janeiro <br clear="all"> :

Goiás247 - Goiás alcançou o primeiro lugar no ranking nacional do Índice de Desenvolvimento do Ensino Básico (Ideb) no ensino médio, atribuição principal dos estados na educação. A informação é do jornal O Popular, de Goiânia, que obteve com exclusividade partes do relatório a ser divulgado nesta sexta-feira (5) pelo Ministério da Educação. Em 2011, Goiás ocupava a 5ª colocação depois de ter saltado da 16ª posição na avaliação de 2009. As melhorias coincidem com o terceiro mandato do governador Marconi Perillo (PSDB), candidato à reeleição, que desenvolve o programa Pacto pela Educação, um conjunto de medidas que visa a melhoria dos indicadores educacionais no Estado.

Segundo os dados transcritos na publicação goiana, a nota de Goiás na rede pública estadual de ensino médio subiu de 3,6 para 3,8. O primeiro lugar foi alcançado também devido à queda na nota de estados imediatamente à frente, a exemplo de Santa Catarina, que teve o índice reduzido de 4,0 para 3,6. As notas do ensino médio público pioraram em 16 estados e em dois se mantiveram estáveis.

O avanço do estado goiano no Ideb se deveu especialmente à taxa de rendimento, que aufere indicadores como aprovação reprovação e abandono. Nesse quesito, Goiás ficou em primeiro lugar, com o índice 0,88. A nota do Ideb é calculada através da multiplicação da taxa de rendimento pela nota média de proficiência em Língua Portuguesa e Matemática, que em Goiás ficou em 4,33, pequeno recuo em relação a 2011, que foi de 4,37.

Nos primeiros anos do ensino fundamental, em que o governo estadual responde por 30% dos alunos matriculados (a responsabilidade maior é dos municípios), a nota deste último Ideb passou de 5,3 para 6,0, atingindo patamar médio dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A nota 6,0 é a meta estabelecida  pelo Instituto Nacional de Pesquisas e Estudos Educacionais (Inep) para 2021. A reportagem de O Popular não informa o ranking nacional nos primeiros anos do ensino fundamental, que vai do 1º ao 5º ano.

Nos anos finais do ensino fundamental, a rede estadual pública de Goiás ficou com nota 4,7, o que rendeu asegunda posição, atrás apenas de Minas Gerais. O Estado ganhou as posições antes ocupadas por São Paulo, Acre Mato Grosso e Santa Catarina.

Na rede particular de ensino, a nota do Ideb ficou em 5,5, ante 5,7 em 2011 e 5,8 em 2009. Ainda assim, o Estado ganhou as posições de quatro estados, que tiveram piora na nota. No ensino fundamental, a nota rede privada subiu de 6,6 para 6,7 nos primeiros anos se manteve estável em 5,8 nos anos finais.

Os dados aos quais O Popular teve acesso não revelam as notas obtidas pelas redes municipais goianas no ensino fundamental.

Goiás 247 Realle Palazzo-Martini Fri, 05 Sep 2014 10:54:22 +0000 http://www.brasil247.com/152502
Doleiro Youssef surge no jato do PSB, que muda CNPJ http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/152469 : Uma das parcelas do jato em que voaram Eduardo Campos e Marina Silva no início da campanha eleitoral foi paga com recursos de uma empresa ligada ao doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava-Jato; Polícia Federal investiga se aeronave foi comprada com recursos de caixa dois do PSB; recentemente, o deputado socialista Júlio Delgado (PSB-MG) pediu a cassação de André Vargas (sem partido-PR) alegando que ele pegou carona num avião do doleiro; como será encarado, agora, o caso em que os dois presidenciáveis do PSB usaram um jato pago com recursos de Youssef? Partido trocou o CNPJ do comitê financeiro da campanha para tentar desvincular Marina da polêmica  <br clear="all"> :

247 – O "avião fantasma" usado na campanha dos presidenciáveis do PSB, Eduardo Campos e Marina Silva, é agora vinculado a um conhecido nome da Justiça: o doleiro Alberto Youssef. Preso na Operação Lava-Jato, ele é acusado de comandar um esquema de lavagem de dinheiro e suborno de servidores públicos que pode ter movimentado R$ 10 bilhões nos últimos anos. 

A Polícia Federal investiga se a aeronave foi comprada com recursos de caixa dois do PSB. O uso do avião não constava na declaração de gastos do partido à Justiça Eleitoral. 

Entre os 16 depósitos bancários recebidos pela AF Andrade, de Ribeirão Preto (SP), na venda do Cessna, que caiu com a comitiva de Campos em Santos, consta uma empresa que também fez negócios com uma consultoria de Youssef, considerada de fachada pela PF. A reportagem de Adréia Sadi aponta que a Câmara & Vasconcelos pagou R$ 159,9 mil à AF Andrade (leia aqui). 

O PSB afirma que nem o partido nem Campos sabiam da relação de Youssef com uma das empresas que depositou para a AF Andrade.

Recentemente, o deputado socialista Júlio Delgado (PSB-MG) pediu a cassação de André Vargas (sem partido-PR) alegando que ele pegou carona num avião do doleiro.

Como será encarado, agora, o caso em que os dois presidenciáveis do PSB usaram um jato pago com recursos de Youssef?

O PSB tenta desvincular Marina Silva da polêmica. Trocou inclusive o CNPJ do comitê financeiro da campanha para jogar a responsabilidade do caso para o falecido Eduardo Campos. A mudança não é obrigatória por lei.

Pernambuco 247 Roberta Namour Fri, 05 Sep 2014 06:17:38 +0000 http://www.brasil247.com/152469
Programa de Marina também plagiou gestão Lula http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152470 : Plano de governo de Marina Silva é uma sequência de imitações; candidata do PSB também reproduziu, na íntegra, três propostas de Lula para a saúde em 2006; em um dos textos copiados, promete "ampliar o Sistema de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), estendendo, com o apoio das Forças Armadas, o atendimento a regiões de difícil acesso"; o texto também aproveita trechos de um discurso feito por ela há mais de quatro anos, em Nova York; outras acusações foram de plágio de trechos inteiros do capítulo "Educação, cultura e ciência, Tecnologia e Inovação" de um artigo da USP sem citar a fonte e o autor; e ainda de parte do Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH), lançado por FHC em 2002 <br clear="all"> :

247 – Em mais um falso passo que indica despreparo em concorrer à Presidência do Brasil, depois de copiar artigo da USP e programa de FHC, Marina Silva plagiou também o ex-presidente Lula.

Segundo o colunista Bernardo Mello Franco, seu plano de governo reproduziu na íntegra três propostas de Lula para a saúde em 2006. O texto copiado prometia "ampliar o Sistema de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), estendendo, com o apoio das Forças Armadas, o atendimento a regiões de difícil acesso".

Outra promessa repetida fala em apoiar a "criação das Centrais de Regulação, garantindo o acesso dos cidadãos, de forma mais rápida e humanizada, à rede hierarquizada de atenção integral à saúde".

Reportagem da Folha de S. Paulo publicada hoje aponta que o texto também aproveita trechos de um discurso feito pela candidata há mais de quatro anos, em Nova York, sem citar que trata-se de uma fala da própria Marina realizada em 2010.

Ontem, veio à tona a cópia de trechos usados no "eixo 3", sobre "Educação, cultura e ciência, Tecnologia e Inovação", de um artigo publicado (acesse aqui) pela edição número 89 da Revista da USP (março/maio 2011), sem citar a fonte nem o autor, como é comum em casos de plágio.

Nessa semana, o candidato do PSDB à Presidência, senador Aécio Neves, também acusou Marina de plagiar parte do Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH), lançado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em 2002. "O capítulo do programa de Marina é uma cópia exata do PNDH de FHC.

"Não se teve sequer o cuidado de alterar palavras. Isso é apenas mais uma sinalização do improviso, e da enorme contradição que ronda essa candidatura", acrescentou o tucano.

Poder Roberta Namour Fri, 05 Sep 2014 06:30:42 +0000 http://www.brasil247.com/152470
Agro pede para Marina mudar trecho do programa http://www.brasil247.com/pt/247/agro/152475 : Setor faz pressão para que a candidata do PSB, Marina Silva, mude promessa de criar índice de produtividade agrícola para facilitar desapropriação para reforma agrária; tema é considerado como "fora da realidade" e "contrassenso"; presidente da Associação Brasileira do Agronegócio, Luiz Carlos Correa Carvalho, diz que "história parece a do bode que colocam na sala, para retirar em seguida, quando a situação se torna insuportável"; Marina vai ceder assim como fez com Malafaia?  <br clear="all"> :

247 – Ao escolher o deputado Beto Albuquerque como vice de sua chapa à Presidência, Marina Silva levantou um sinal de trégua com o setor do agronegócio e demonstrou deixar antigas rixas da época de ministra para trás.

A conturbada relação, no entanto, esbarrou em um novo impasse. O setor agora condiciona o apoio à candidata a uma mudança em seu programa de governo. Marina promete de rever indicadores de produtividade agrícola para facilitar desapropriação para reforma agrária.

A questão foi considerada por ruralistas como “fora da realidade” e um “contrassenso”. Segundo Roberto Rodrigues, ex-ministro da Agricultura do governo Lula, o índice de produtividade gera insegurança jurídica, “combatida há muito tempo e que ex-senadora havia incorporado em seu discurso”.

Já o presidente da Associação Brasileira do Agronegócio, Luiz Carlos Correa Carvalho, diz que assunto causou “espanto”: “Parece a história do bode que colocam na sala, para retirar em seguida, quando a situação se torna insuportável”.

Essa não seria a primeira vez que Marina Silva abriria mão de suas convicções para ceder a interesses de seus aliados. Após divulgar programa em favor da causa gay, a candidata foi pressionada pelo pastor Silas Malafaia e, logo em seguida, publicou uma errata alterando o plano de governo.

Leia aqui a reportagem de Roldão Arruda sobre o assunto. 

Agro Roberta Namour Fri, 05 Sep 2014 06:57:40 +0000 http://www.brasil247.com/152475
Máquina sindical se mobiliza contra Marina http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/152472 : Federação Única dos Petroleiros, filiada à CUT, organiza ato do pré-sal contra ‘ameaça Marina Silva’, que defende mudanças na política energética; bancários da Caixa e do Banco do Brasil também preparam manifestação contra proposta da candidata do PSB de propor maior financiamento privado a programas de habitação; principal líder do MST, João Pedro Stédile, levanta classe sobre tema da reforma agrária  <br clear="all"> :

247 – Ligadas ao PT da presidente Dilma Rousseff, centrais sindicais preparam série de mobilizações contra a candidata do PSB, Marina Silva.

Segundo o colunista Bernardo Mello Franco, a Federação Única dos Petroleiros, filiada à CUT, organiza ato do pré-sal contra ‘ameaça Marina’, que defende mudanças na política energética. "Temos uma chance para investir na educação. Não podemos fazer como a Marina, que desdenha essa riqueza", diz José Maria Rangel, dirigente da entidade.

Já os bancários da Caixa e do Banco do Brasil preparam manifestação contra proposta da candidata do PSB de propor maior financiamento privado a programas de habitação: "A proposta da Marina é enfraquecer os bancos públicos e torná-los mais atrativos para serem vendidos".

O principal líder do MST, João Pedro Stédile, também tem levantado amigos com críticas ao programa de Marina para a reforma agrária: "Um corolário de perfumarias" que não afetará a "concentração de terra e os interesses do agronegócio".

Brasil Roberta Namour Fri, 05 Sep 2014 06:41:52 +0000 http://www.brasil247.com/152472
Lula tenta evitar voto de Meirelles ao PSB http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152474 Renato Araujo/ABr               : Campanha da presidente Dilma Rousseff colocou o ex-presidente Lula em ação para impedir que Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central em seu governo, declare voto em Marina Silva; com promessas ao financiamento privado, a candidata do PSB se aproxima do setor bancário e já conta com o apoio de parte da família Setubal, do Itaú Unibanco <br clear="all"> Renato Araujo/ABr               :

247 – Diante da aproximação de Marina Silva com o setor bancário, a campanha de Dilma Rousseff colocou o ex-presidente Lula em ação para evitar que Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central em seu governo, declare voto na candidata do PSB. A manobra foi divulgada pela colunista Mônica Bergamo.

“Uma manifestação de Meirelles selará de vez o apoio do mercado financeiro à adversária, na visão da equipe de Dilma Rousseff. Marina abraçou a tese mais cara ao setor --a independência do Banco Central-- e tem apoio de parte da família Setubal, do Itaú Unibanco”, disse.

Economia Roberta Namour Fri, 05 Sep 2014 06:49:38 +0000 http://www.brasil247.com/152474
Setubal nega apoiar Marina: Itaú não tem candidato http://www.brasil247.com/pt/247/relacoes_com_investidores/152473 : Após declarar torcida pela candidatura de Marina Silva, Roberto Setubal, presidente do Itaú Unibanco, volta atrás: afirma que a instituição não tem candidato e colaborará financeiramente "com as campanhas, de Marina, Dilma e Aécio, de forma igualitária"; o mesmo fará no segundo turno <br clear="all"> :

247 – Em festa de 90 anos de fundação do banco Itaú Unibanco, a maior instituição financeira do País, o presidente Roberto Setubal não deixou dúvidas sobre sua aposta para a sucessão presidencial.

Em discurso, disparou elogios às "mudanças" que Marina Silva significa e ataques velados aos seus adversários dela dos PSDB e do PT.
Agora, volta atrás e usa tom mais contido. Ele afirmou à coluna de Mônica Bergamo que que a instituição não tem candidato e colaborará financeiramente "com as campanhas, de Marina, Dilma e Aécio [Neves], de forma igualitária". O mesmo fará no segundo turno.

Ele nega que a fala foi uma declaração de voto e diz que fez apenas uma "constatação", a de que ela pode vencer Dilma. "Na época da primeira eleição do Lula, em 2002, muitos achavam que o mundo ia acabar. Fiz o mesmo, falei coisas parecidas sobre ele, mas não declarei apoio", afirma. Pedro Moreira Salles, sócio de Setubal, afirmou à coluna: "Ele não falou o que estão entendendo [que apoia a campanha de Marina Silva]. Conheço bem o Roberto, não é nada disso".

Para o governo, a declaração de Setubal caiu mal. De acordo com ministro da equipe de Dilma Rousseff, o banqueiro fez "pior" do que declarar voto: tratou Marina Silva como já eleita.

Relações com Investidores Roberta Namour Fri, 05 Sep 2014 06:46:47 +0000 http://www.brasil247.com/152473
Arminio promete acabar com o bolsa empresário http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152471 : “Ministro” do presidenciável Aécio Neves afirma que, se eleito, tucano pretende “eliminar ao longo do tempo a parte injustificada das medidas de proteção, subsídio e desoneração voltadas a empresas e direcionar esses recursos para programas de maior retorno social, com relevantes benefícios distributivos”; ele também rebate críticas do PT sobre suas declarações; disse que o “salário mínimo subiu muito, não demais”   <br clear="all"> :

247 – Guru de Aécio Neves e cotado para ser seu ministro, o economista Arminio Fraga afirma que, caso eleito, o governo tucano pretende “eliminar ao longo do tempo a parte injustificada das medidas de proteção, subsídio e desoneração voltadas a empresas e direcionar esses recursos para programas de maior retorno social, com relevantes benefícios distributivos”. Leia:

Ainda sobre a verdade no debate público

Ninguém tem o monopólio da indignação e do repúdio à pobreza e à desigualdade. Nada justifica o descuido com os fatos no debate público
Estamos em época de debate. Como mencionado em meu artigo "Mitos do PT", publicado na quinta-feira (28/8) nesta página, alguns simpatizantes daquele partido insistem em distorcer os fatos. Um perfeito exemplo surge no artigo desta última segunda-feira (1º), de Jorge Mattoso e Pedro Rossi, no qual manipulam duas frases minhas e erram, propositalmente ou não, sobre um dado público e fundamental. Não por acaso, essas criações são pilares da argumentação dos autores.

Os autores põem duas vezes entre aspas que acusei o governo de "preconceito ideológico com o investimento", quando escrevi que "falta investimento (no Brasil), vítima de preconceitos ideológicos e má gestão". Trata-se de tema de artigos e entrevistas que concedi ao longo de quatro anos.

Registre-se aqui também meu protesto contra outras aspas indevidas com que me brindou recentemente a deputada Margarida Salomão do PT em uma rede social. Ela pôs em minha boca que "o salário mínimo subiu demais", quando eu disse, em entrevista ao jornal "O Estado de S. Paulo" que tinha subido "muito". Sutil talvez, mas bem diferente. Essa mesma frase é convenientemente repetida pelos autores citados acima em seu artigo, demonstrando um padrão de desonestidade ou, no mínimo, de descuido.

Ainda sobre o investimento, constatei apenas que os resultados foram pífios, pois permanece deprimido como porcentagem do PIB. Não há preconceito ideológico contra o investimento, apenas contra o mercado, e incompetência em mobilizá-lo. O governo mascara seu fracasso quando a candidata oficial lista com valores inúmeros investimentos e programas, sem registrar que no agregado foi pouco. Equivale a dizer que fez dois gols e omitir que levou cinco. A propósito, cabe registrar que, de acordo com o IBGE, a taxa de investimento em 2013 foi de 17,9% do PIB, e não de 20,9%, como publicado no artigo dos autores (chegando hoje a 16,5% do PIB).

Os autores prosseguem cobrando uma série de respostas a perguntas que, para um leitor desavisado, podem dar a impressão de que tudo vai bem na economia, e que nós somos uma ameaça, uma certa cara de pau dado que a economia está em recessão, inclusive com perda de emprego na indústria.

Uma dessas perguntas liga a falsa referência aos salários à nossa postura quanto à distribuição de renda no Brasil. Aqui faltou reconhecerem os ganhos sociais do fim da hiperinflação e os ganhos de produtividade das muitas reformas de FHC, da mesma maneira que nós reconhecemos o mérito de Lula ao turbinar os programas sociais (alguns criados por FHC) e preservar em seu primeiro mandato os fundamentos da estabilidade macroeconômica e a agenda de reformas.

No campo da distribuição e igualdade de oportunidade, além de continuar com bons programas como o Bolsa Família, pretendemos se nos for dada a chance focar na qualidade da educação, saúde, transportes e segurança públicos. Pretendemos também eliminar ao longo do tempo a parte injustificada das medidas de proteção, subsídio e desoneração voltadas a empresas (o chamado bolsa empresário do atual governo) e direcionar esses recursos para programas de maior retorno social, com relevantes benefícios distributivos.

Nem tudo deu errado no âmbito da economia durante os anos do PT no poder, mas o modelo de Dilma nos deixou mal parados, precisando urgentemente de uma correção de rumo. No mais, sigo enjoado com a maneira desonesta pela qual pessoas como Mattoso e Rossi se colocam. Ninguém tem o monopólio da indignação e do repúdio à pobreza e à desigualdade. Nada justifica o descuido com as palavras e os fatos no debate público.

Economia Roberta Namour Fri, 05 Sep 2014 06:36:46 +0000 http://www.brasil247.com/152471
PT sobe aposta e coloca ministros na campanha http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152443 : Ministros das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, e do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, devem se afastar do governo para integrar a campanha da presidente Dilma Rousseff; saída deve se dar por meio de licença ou férias, a partir da semana que vem; equipe da candidata à reeleição ganha nomes graúdos do PT depois de Marina Silva ter alcançado Dilma nas pesquisas no primeiro turno; levantamentos apontam vitória da candidata do PSB no segundo turno <br clear="all"> :

247 – O comitê de campanha da presidente Dilma Rousseff deverá receber integrantes graúdos do PT a partir da semana que vem. Os ministros das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, e do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, devem se afastar do governo para integrar a equipe que trabalha pela reeleição da petista.

O afastamento deve acontecer por meio de licença ou férias, segundo informa a Folha de S. Paulo. De acordo com o jornal, eles não devem receber como ministros durante o período em que estiverem trabalhando pela campanha, por ser um trabalho de militância.

Gilberto Carvalho será responsável por dialogar com os movimentos sociais, algo que já havia sido discutido no início da campanha, mas descartado para manter o petista no cargo.

A inclusão dos ministros na equipe acontece depois de a candidata do PSB, Marina Silva, ter crescido e se aproximado de Dilma nas pesquisas eleitorais. No Ibope e Datafolha de ontem, ela vence a disputa presidencial no segundo turno.

Poder Gisele Federicce Thu, 04 Sep 2014 18:25:29 +0000 http://www.brasil247.com/152443
Marina critica "factoide" contra sua "empresinha" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152424 : Foi como a candidata do PSB chamou hoje sua empresa criada para ministrar palestras e que faturou R$ 1,6 milhão em três anos; a presidenciável não revela, porém, o nome de seus clientes; hoje, em entrevista em Porto Alegre, ela lamentou que a presidente Dilma Rousseff use a empresa como assunto de campanha; "O desespero está fazendo com que eles façam esse tipo de coisa", disse, classificando a situação de "vale tudo"; "A minha 'empresinha', que é uma empresa que foi criada para fazer palestras, teve um faturamento nesses três anos de R$ 1,6 milhão. Nós pagamos todos os encargos, está na Receita Federal", justificou Marina Silva; revelação foi feita no domingo, em reportagem da Folha; comitê de Dilma pedirá ao Ministério Público Eleitoral investigação de eventual omissão da candidata com ganhos <br clear="all"> :

247 – A empresa criada para Marina Silva ministrar palestras, e que faturou R$ 1,6 milhão nos últimos três anos, foi chamado hoje de "empresinha" pela candidata do PSB. Segundo reportagem da Folha de S. Paulo do último domingo, a M. O. M. da S. V. de Lima foi registrada em 2011, mas Marina não abre os nomes de seus clientes porque seus contratos teriam cláusulas de confidencialidade.

"A minha 'empresinha', que é uma empresa que foi criada para fazer palestras, teve um faturamento nesses três anos de R$ 1,6 milhão. Nós pagamos todos os encargos, está na Receita Federal", disse hoje Marina Silva, em entrevista ao Canal RBS, em Porto Alegre. Ela lamentou que a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição e empatada com Marina nas pesquisas, use o tema na campanha. 

O comitê da campanha de Dilma pedirá ao Ministério Público Eleitoral (MPE) que investigue eventual omissão da candidata sobre os ganhos que obteve com as palestras. A campanha petista argumenta que o patrimônio declarado por Marina Silva ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não parece compatível com seus rendimentos, levando em conta o faturamento de sua empresa.

Reportagem publicada hoje pela Folha lembra que a candidata "declarou à justiça eleitoral um patrimônio de R$ 135 mil e listou, ainda, a empresa M.O.M. da S.V. de Lima com um capital social de R$ 5.000. Os rendimentos da empresa de Marina somaram, somente no ano passado, R$ 584,1 mil. Quando disputou a eleição presidencial em 2010, Marina estimava o valor de seus bens em R$ 149 mil".

Marina classificou a situação como "vale tudo". "O desespero está fazendo com que eles façam esse tipo de coisa. Lamento profundamente que a presidente Dilma se submeta a esse tipo de lógica", declarou a presidenciável na sabatina desta quinta-feira. Segundo ela, o PT criou um "factoide" sobre o caso. 

Poder Gisele Federicce Thu, 04 Sep 2014 17:00:26 +0000 http://www.brasil247.com/152424
Banco pergunta se Marina é o Ciro Gomes de 2002 http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152444 : Equipe de análise do Brasil Plural diminuiu as chances de vitória da candidata do PSB, de 65% para 55%, e a comparou com o político cearense, em meio à perda de impulso da candidatura de Marina Silva; em 2002, ele conseguiu aparecer na frente de Lula entre 2 e 5 pontos até meados de agosto no segundo turno, embora atrás no primeiro; banco ressalta, porém, que Ciro Gomes "derreteu" e lembra de análises que diziam que José Serra, ao desconstruir a candidatura do candidato acabou ajudando Lula <br clear="all"> :

SÃO PAULO - A candidata do PSB à presidência, Marina Silva, já foi comparada a muitos outros presidenciáveis e presidentes das últimas eleições: "Lula de saias", "FHC de saias", Fernando Collor de Melo, Jânio Quadros e até mesmo Ernesto Geisel e Emilio Garrastazu Medici (estes últimos comparações feitas por Paulo Maluf).

Porém, Marina está sendo comparada com outro político de destaque em 2002, o cearense Ciro Gomes, em meio à perda de impulso da candidatura.

A equipe de análise do Brasil Plural destacou, em nota anterior, uma chance de 65% de Marina ser eleita, enquanto Dilma teria uma probabilidade de 35% de ser reeleita. A ex-senadora também poderia ganhar no primeiro turno se ela conseguisse resistir aos ataques desencadeados tanto por Dilma quanto por Aécio Neves (PSDB), que está em terceiro lugar na disputa.

Porém, dado que ela parece estar falhando neste teste, os analistas Mario Mesquita, Priscilla Burity e Rafael Ihara revisaram as suas estimativas para as eleições, com 55% de chances de Marina e 45% de Dilma ser reeleita, uma vez que as duas pesquisas que saíram ontem, Datafolha e Ibope, mostraram uma perda de impulso da pessebista, com alguma recuperação da petista.

O cenário que se desenha é bastante volátil, apontam os analistas, o que pode sinalizar que a eleição deve ser decidida mesmo em 2º turno. Além disso, outro ponto a salientar é que a boa notícia para Dilma já veio no Datafolha da semana passada, com melhor índice de aprovação do governo mesmo com todas as notícias ruins na área econômica. Se a sua aprovação de governo voltar para a casa dos 40%, ela voltará a ser a candidata a ser batida: ela subiu 2 pontos no último Ibope, para 36%.

"Os recentes acontecimentos, inevitavelmente, trazem à mente a mais famosa onda de 'falha' em política nas eleições brasileiras, a do ex-ministro Ciro Gomes em 2002. Naquela época, como agora, o clima no País era de mudança, mas os índices de aprovação do governo estavam em 26%, dez pontos a menos do que hoje", ressaltam os analistas. Neste momento da campanha - de acordo com o Datafolha -, a aprovação da administração do presidente Fernando Henrique Cardoso em seu segundo mandato foi de 31%, chegando a cair para apenas 23% no momento da votação.

O ano de 2002 mostrou uma certa reticência dos eleitores que queriam mudanças em resolver votar no candidato do PT de então, Luís Inácio Lula da Silva, que se tornaria o candidato a incorporar este desejo. O momento em que Ciro Gomes entrou foi anterior, mas não muito mais cedo do que Marina. Segundo Ibope, Datafolha e Sensus, ele conseguiu aparecer na frente de Lula entre 2 e 5 pontos até meados de agosto no segundo turno, embora atrás no primeiro.

"Em seguida, com o peso de ataques de candidatos com mais peso na TV, José Serra (PSDB) e o próprio Lula, além de seus problemas e gafes na campanha, 'Gomes derreteu', e nem chegou perto do segundo turno. E chegou a ser ressaltado muitas vezes que Serra, ao desconstruir a candidatura de Ciro, acabou ajudando Lula", afirmam.

A analogia não é perfeita, dizem os analistas, Dilma é atual presidente, Serra não era, enquanto Aécio aparece como um candidato mais fraco que Serra em 2002 nesta etapa da campanha. "Além disso, Marina tem sido menos propensa a gafes do que Ciro. Mas o fato é que os ataques de Aécio parecem estar fazendo mais mal às chances de Marina do que bem para as suas próprias perspectivas imediatas de se tornar presidente".

Com isso, há quatro questões a serem monitoradas. A primeira é: Aécio vai manter o ataque contra Marina ou se concentrar em defender Minas Gerais, cujo governo do PSDB está ameaçado no estado justamente para o PT?

A segunda é: o tempo de televisão de Dilma vai realmente ajudá-la? Já m terceiro lugar: será que o índice de aprovação da presidente vai continuar melhorando? Por fim, há a questão: será que a "mudança" será o maior motor para a campanha?

Ainda há um mês para eleições mas, até lá, muita coisa pode acontecer.

Economia Gisele Federicce Thu, 04 Sep 2014 19:01:23 +0000 http://www.brasil247.com/152444
Supremo abre ação penal contra Jayme Campos http://www.brasil247.com/pt/247/matogrosso247/152433 Lia de Paula/Agência Senado: Senador Jayme Campos (DEM-MT) durante eleição do senador Luiz Henrique (PMDB-SC) para o cargo de vice-presidente da comissão, que era ocupado por Sérgio Souza (PMDB-PR) e estava vago desde o retorno da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), da qual Souza é sup Senador pelo DEM de Mato Grosso é acusado de peculato; denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República aponta que Campos participou, com outros dois denunciados, de supostos desvios de verbas da União, repassadas por meio de convênio com a Secretaria de Saúde de Mato Grosso; os fatos ocorreram em 1994, quando o parlamentar era governador do estado <br clear="all"> Lia de Paula/Agência Senado: Senador Jayme Campos (DEM-MT) durante eleição do senador Luiz Henrique (PMDB-SC) para o cargo de vice-presidente da comissão, que era ocupado por Sérgio Souza (PMDB-PR) e estava vago desde o retorno da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), da qual Souza é sup

André Richter - Repórter da Agência Brasil

O Supremo Tribunal Federal (STF) abriu hoje (4) ação penal contra o senador Jayme Campos (DEM-MT) pelo crime de peculato. De acordo com denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), Campos participou, com outros dois denunciados, de supostos desvios de verbas da União, repassadas por meio de convênio com a Secretaria de Saúde de Mato Grosso. Os fatos ocorreram em 1994, quando o parlamentar era governador do estado.

Ao decidirem pelo recebimento da denúncia, os ministros entenderam que há indícios de que os recursos não foram aplicados na finalidade prevista no convênio. Na fase de inquérito, a defesa do parlamentar afirmou que foi necessário dispensar licitação devido à situação de emergência, causada por um surto de cólera. Os advogados também negaram os desvios e superfaturamento de equipamentos comprados com recursos do convênio.

Mato Grosso 247 Leonardo Lucena Thu, 04 Sep 2014 17:25:18 +0000 http://www.brasil247.com/152433
Vanessa: "autonomia do BC levaria o País à recessão" http://www.brasil247.com/pt/247/amazonas247/152436 : Senadora do PCdoB criticou a proposta dos presidenciáveis Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB) de tornar independente o Banco Central; segundo Vanessa Graziotin, um banco central autônomo não é uma simples questão de gestão administrativa, mas um conceito neoliberal que teria como consequências juros elevados, arrocho salarial e recessão <br clear="all"> :

Agência e Rádio Senado - A senadora Vanessa Graziotin (PCdoB-AM) criticou a proposta de candidatos à Presidência da República de tornar independente o Banco Central. Para a senadora, um banco central autônomo não é uma simples questão de gestão administrativa, mas um conceito neoliberal que teria como consequências juros elevados, arrocho salarial e recessão.

- Garantir a autonomia do Banco Central significa o governo abrir mão de sua condição de definir os rumos da nação, os rumos do país, ou seja: um governo que foi legitimamente eleito pela maioria do povo brasileiro passaria as rédeas da nação, o poder decisório a um conjunto de tecnocratas dirigentes do Banco Central do Brasil - disse a senadora.

A maioria desses dirigentes, no entendimento de Vanessa Grazziotin, é ligada ao mercado fionanceiro e aos ricos. Com o Banco Central no controle da política monetária, restaria ao governo administrar os recursos dos impostos e as grandes decisões seriam tomadas pelos dirigentes do banco.

Para Vanessa Grazziotin, a população precisa entender o que significam as propostas dos candidatos e analisar que impactos terão sobre a sua vida. Ela disse acreditar que o voto não deve ser em pessoas, mas em programas.

Amazonas 247 Leonardo Lucena Thu, 04 Sep 2014 17:33:07 +0000 http://www.brasil247.com/152436
Eduardo Jorge pede fim de acordo nuclear entre Brasil e Alemanha http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152437 : Candidato do PV à Presidência protocolou, no Palácio do Planalto e na Embaixada da Alemanha, um pedido de audiência com a presidente Dilma e o novo embaixador alemão, Dirk Brengelmann, para propor que não se renove o acordo de cooperação entre os dois países na área de energia nuclear; Eduardo Jorge defendeu um outro acordo, na área de energia solar; pedido também foi assinado pela ONG Greenpeace Brasil e pela Coalizão por um Brasil Livre de Usinas Nucleares <br clear="all"> :

Danilo Macedo – Repórter da Agência Brasil

O candidato do PV à Presidência da República, Eduardo Jorge, protocolou hoje (4), no Palácio do Planalto e na Embaixada da Alemanha, em Brasília, um pedido de audiência com a presidenta Dilma Rousseff e o novo embaixador alemão, Dirk Brengelmann, que assumiu o posto em agosto, para propor que não se renove o acordo de cooperação entre os dois países na área de energia nuclear.

Assinado em 1975, o acordo é renovado automaticamente a cada cinco anos, caso nenhuma das partes se posicione contrariamente no máximo um ano antes da renovação. Para que não seja renovado em 2015, essa posição deve ser evidenciada até 18 de novembro, explicou Eduardo Jorge, que defendeu um outro acordo, na área de energia solar.

O pedido também foi assinado por representantes da organização não governamental (ONG) Greenpeace Brasil e da Coalizão por um Brasil Livre de Usinas Nucleares.

De acordo com Eduardo Jorge, representantes dessas entidades vão participar da futura audiência com a presidenta e o embaixador. Além da não renovação do acordo nuclear, que, segundo ele, teve "resultados pífios e perigosos" em quase 40 anos, serão discutidos no encontro os protocolos de segurança das usinas nucleares. "As informações que temos indicam que eles são muito antigos e superados, o que causa preocupação em relação à segurança necessária nas usinas Angra 1 e 2, por exemplo", disse o candidato à Agência Brasil.

Por último, o candidato pretende propor um novo acordo entre Brasil e Alemanha, prevendo investimentos em pesquisas sobre energia solar. "A Alemanha está na vanguarda nas pesquisas e investimentos em energia solar. Essa associação seria boa para nós e para eles, que teriam como parceiro um país poderoso em energia solar, como o nosso", disse. O candidato destacou que apenas 0,01% da matriz energética brasileira tem como fonte a energia solar. Na Alemanha, a representatividade já chega a 5% e tem elevadíssima taxa de crescimento. Em 2011, após o desastre ocorrido na usina japonesa de Fukushima. o governo alemão anunciou o fechamento de todas as usinas atômicas até 2022.

Eduardo Jorge disse que o PV acredita que, em dez anos, a energia solar será a principal energia renovável, a mais limpa e mais eficiente. "A eficiência cresce e os preços caem de forma acelerada", afirmou o candidato, que cobra pressa nos investimentos na área. Ele citou um estudo do Greenpeace, segundo o qual a produção de energia solar é viável em 80% do território brasileiro.O estudo diz também que o Brasil tem potencial para se tornar "campeão mundial" no setor.

Eduardo Jorge ressalta que o grande diferencial da Alemanha em termos de energia solar é a "democratização de sua produção energética". "Até hoje, produzir energia sempre foi coisa de empresas muito grandes. A energia solar pode ter fazendas solares grandes também, mas você, na sua casa, eu, na minha casa, ela, na pequena fábrica dela, podemos, captando a energia fotovoltaica no telhado e em áreas livres no campo, produzir energia descentralizada. Além de ser a mais limpa de todas, e inesgotável, ela tem a vantagem de democratizar a produção e quebrar os monopólios de energia, o que nenhuma outra tem."

O próximo compromisso de campanha do candidato do PV será amanhã (5), em Alagoas, no município União dos Palmares, próximo à capital, Maceió, onde visitará o Parque Memorial Quilombo dos Palmares e discutirá políticas sociais e de ação afirmativa para a população negra.

Poder Gisele Federicce Thu, 04 Sep 2014 17:36:53 +0000 http://www.brasil247.com/152437
Setubal, do Itaú, assume torcida e voto em Marina http://www.brasil247.com/pt/247/poder/152404 : Na festa de 90 anos de fundação do banco Itaú Unibanco, a maior instituição financeira do País, presidente Roberto Setubal assume seu lado; "Estamos diante de uma eleição presidencial que mudará os rumos do país", saudou ele, deixando claro seu voto em Marina Silva, do PSB; "O país não aguenta mais gestões medíocres e populistas", continuou o banqueiro, em referência aos governos dos presidentes Fernando Henrique, do PSDB, e Lula, do PT; Setubal tem na irmã Neca a responsável pelo programa de governo de Marina e braço direito da candidata; o pai deles, Olavo Setubal, foi prefeito de São Paulo por indicação do regime militar e ministro no governo Sarney; política no sangue; eventual vitória de Marina será, assim, vitória do titular e da herdeira do Itaú; em tempo: na gestão Dilma Rousseff, banco foi autuado pela Receita Federal em R$ 18 bilhões por sonegação de impostos <br clear="all"> :

247 – O presidente do maior banco privado do País, Roberto Setubal, do Itau Unibanco, assumiu em definitivo seu lado na sucessão presidencial. Ele aproveitou a festa dos 90 anos de fundação da instituição para fazer um anúncio solene, cheio de palavras fortes entre elogios às "mudanças" que Marina significa e ataques velados aos seus adversários dela dos PSDB e do PT.

- Estamos diante de uma eleição presidencial que vai mudar os rumos do país, garantiu Setubal, para surpresa dos cerca de mil convidados presentes.

Em seguida, para não deixar dúvidas, prosseguiu com críticas aos governos anteriores, exercidos pelos presidentes Fernando Henrique, do PSDB, e Lula, do PT:

- O País não aguenta mais governos medíocres e populistas.

A festa foi realizada na Sala São Paulo, no centro da cidade, e reuniu pelo menos mil convidados, entre empresários, executivos do setor, clientes, fornecedores e políticos.

A política é uma paixão antiga da família Setubal. O pai de Roberto e Neca, Olavo Egydio Setubal, foi prefeito de São Paulo, indicado pelo regime militar, entre 1975 e 1979. Mais tarde, tornou-se ministro das Relações Exteriores do governo do presidente José Sarney, entre 1986 e 1987.

O aniversário do banco, no dia 27, é do antigo Unibanco, que foi fundado como uma casa comercial em 1924, em Poços de Caldas (MG), pelo comerciante João Moreira Salles. Presidente-executivo do banco, Setubal recebeu os convidados ao lado de Pedro Moreira Salles, neto do fundador e atual presidente do conselho do Itaú Unibanco.

Sob a regência do francês Louis Langrée, a Osesp (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) interpretou a Sinfonia nº 7 de Beethoven e o Concerto nº 1 Para Piano de Brahms, com a participação da pianista francesa Hélène Grimaud.

O discurso de Setubal na festa de 90 anos foi tão forte que até gerou ilustrações que estão circulando na rede, como abaixo:

Poder Nicolas Iwashita Thu, 04 Sep 2014 14:37:25 +0000 http://www.brasil247.com/152404
Atividade industrial tem maior alta do ano: 2,6% http://www.brasil247.com/pt/247/economia/152393 : Após quatro meses consecutivos de queda, a atividade industrial voltou a crescer em julho; as horas trabalhadas na produção aumentaram 2,6% e o faturamento da indústria cresceu 1,2% frente a junho; utilização da capacidade instalada subiu para 81%, 0,6 ponto percentual acima do registrado em junho; números são da pesquisa Indicadores Industriais, divulgada pela CNI, presidida por Robson Andrade <br clear="all"> :

Portal da Indústria - Após quatro meses consecutivos de queda, a atividade industrial voltou a crescer em julho. As horas trabalhadas na produção aumentaram 2,6% e o faturamento da indústria cresceu 1,2% em julho frente a junho, na série livre de influências sazonais. As informações são da pesquisa Indicadores Industriais, divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), nesta quinta-feira (4).

O crescimento na atividade do setor elevou a utilização da capacidade instalada para 81% em julho, 0,6 ponto percentual acima do registrado em junho. No entanto, destaca a pesquisa, parte do crescimento desses indicadores deve-se ao menor número de dias úteis afetados pela Copa do Mundo em julho na comparação com junho.

"Mesmo com o crescimento das horas trabalhadas, do faturamento e do uso da capacidade instalada, a indústria continua desaquecida", assinala a pesquisa. A tendência é confirmada nos indicadores de emprego e de massa salarial, que registraram a quinta queda consecutiva. Tanto o emprego quanto a massa salarial recuaram 0,2% em julho ante junho, segundo dados dessazonalizados.

QUEDA FRENTE A JULHO DE 2013 – Com exceção do rendimento médio real, todos os indicadores registraram queda em julho deste ano frente ao mesmo mês do ano passado. Nessa comparação, as horas trabalhadas caíram 2,3%, o emprego retraiu 0,6% e a massa salarial recuou 0,2%. Já a utilização da capacidade instalada ficou 1,4 ponto percentual menor que em julho de 2013.

Embora o rendimento seja 0,4% maior em julho deste ano frente ao mesmo mês do ano passado, houve forte desaceleração nos últimos quatro meses nessa mesma base de comparação, destacou a pesquisa Indicadores Industriais.

Economia Gisele Federicce Thu, 04 Sep 2014 12:19:46 +0000 http://www.brasil247.com/152393
Vencedor do Nobel da matemática pede mais verbas para ciências http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/152406 Antonio Cruz/ Agência Brasil: Presidente Dilma recebeu hoje o ganhador da Medalha Fields, o brasileiro Artur Avila, e representantes do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa) e da Academia Brasileira de Ciências; o matemático Jacob Palis, presidente da Academia, disse que o grupo defendeu que os investimentos no setor passem de 1,2% a 2% do PIB <br clear="all"> Antonio Cruz/ Agência Brasil:

Luana Lourenço – Repórter da Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff recebeu hoj