Brasil 24/7 http://www.brasil247.com/ O seu jornal digital 24 horas por dia 7 dias por semana pt Copyright 2014, Brasil 24/7 Fri, 29 Aug 2014 06:56:24 +0000 60 Newscoop http://www.brasil247.com/themes/publication_1/theme_4/assets/img/logo.png Brasil 24/7 http://www.brasil247.com/ 144 120 Cartel do metrô: Serra é formalmente investigado http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/151689 : Ex-governador de São Paulo José Serra faz parte da lista de 28 pessoas intimadas pelo delegado Milton Fornazari Junior para apurar o caso de conluio de multinacionais, denunciado pela Siemens, que atuou em governos do PSDB desde a gestão de Mario Covas (1998); a PF quer saber se Serra agiu a favor da CAF e Alstom, conforme indicam e-mails e o testemunho do executivo Nelson Branco Marchetti; depoimento foi marcado para 7 de outubro, dois dias após o primeiro turno das eleições; tucano lidera a disputa para o Senado em São Paulo  <br clear="all"> :

247 - A Policia Federal classificou o ex-governador José Serra entra os investigados no caso do cartel de trens e metrô em São Paulo. 
Pela primeira vez, Serra faz parte da lista de 28 pessoas intimadas pelo delegado Milton Fornazari Junior para apurar o caso de conluio de multinacionais, denunciado pela Siemens, que atuou desde a gestão de Mario Covas (1998). 

O ex-governador de São Paulo e atual candidato do PSDB ao Senado foi intimado a depor no 7 de outubro, dois dias após o primeiro turno das eleições. 

As investigações querem saber se ele atuou a favor das multinacionais CAF e Alstom, conforme indicam e-mails e o testemunho do executivo Nelson Branco Marchetti. Serra e o ex-secretário dos Transportes Metropolitanos José Luiz Portella teriam pressionado a Siemens a desistir de medidas judiciais para anular a vitória da espanhola CAF, em um certame para o fornecimento de 320 vagões. Caso a alemã avançasse nas ações judiciais, Serra anularia a licitação, segundo o delator.

Assessoria de Serra disse que "estranha muito a inclusão do nome dele nesse inquérito às vésperas da eleição, sobretudo depois que o Ministério Público Estadual, e até o procurador-geral de Justiça, arquivaram a mesma investigação".

Leia aqui reportagem de Lilian Venturini sobre o assunto.

SP 247 Roberta Namour Fri, 29 Aug 2014 06:39:30 +0000 http://www.brasil247.com/151689
Filha de Chico Mendes: Marina é ponto de interrogação http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/151688 : Angela Mendes considera uma “infeliz comparação” a declaração de Marina Silva de que Chico Mendes era representante da “elite nacional”; no Facebook, diz ainda que a trajetória de vida da ex-senadora não basta para governador o país: “minhas dúvidas são pra Marina, mas minhas esperanças são pra companheira Dilma, que ela consiga, se eleita, continuar melhorando o Brasil, com uma política que tem problemas mas que não admite dúvidas” <br clear="all"> :

247 – Depois de ser confrontada pelo Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Xapuri (Acre) por intitular Chico Mendes, uma de suas referências, de representante da “elite nacional”, Marina Silva passa por outra saia-justa.

A filha de Chico Mendes, Ângela Mendes, crava seu apoio a presidente Dilma Rousseff e diz que Marina é “um enorme ponto de interrogação”.

Leia a declaração feita pelo Facebook:

Ok, alguns amigos me pediram uma posição sobre a candidatura da Marina e a menção que ela fez ao meu pai como sendo ele da “elite”.

Vamos lá, eu respeito e admiro muito a Marina pela sua trajetória de vida, pelo esforço pessoal com que venceu todas as dificuldades impostas à ela como o analfabetismo, doenças e toda espécie de discriminação, até pelo modo com que consegue envolver a todos com seu discurso ecologicamente correto e bem acabado, mas pra mim isso não basta pra governar um Brasil como o de hoje, tenho muitas dúvidas, de todos os tipos, Marina pra mim ainda é um enorme ponto de interrogação, pra começar: desistiu do PT (utopia do passado) quando poderia ter resistido como fazem hoje tantos PTistas históricos mesmo não tendo o mesmo espaço que a elite que tenta dominar o partido, não resistiu à pressão enquanto ministra quem me garante que vai resistir à pressões ainda mais forte se eleita presidente? Com tantas concessões feitas pela cúpula do PSB, aliás todas as concessões possíveis, penso eu que será que tramam as cabeças pensantes desse partido caso consigam eleger Marina? Terá ela realmente liberdade pra governar? Não sei, como será esse mandato em rede, apenas com os melhores? Quem são esses melhores e quais critérios serão utilizados pra escolha desses “melhores”? minhas dúvidas são pra Marina, mas minhas esperanças são pra companheira Dilma, que ela consiga, se eleita, continuar melhorando o Brasil, com uma política que tem problemas mas que não admite dúvidas.

Ah, quanto ao fato do Chico ser da elite, considero que foi apenas uma infeliz comparação, nem precisa de todo esse mimimi.

Brasil Roberta Namour Fri, 29 Aug 2014 06:18:18 +0000 http://www.brasil247.com/151688
PT diz ter arrecadado R$ 80 mi em doações http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/151685 : Valor é 23% superior ao somado pelo comitê de Dilma Rousseff em 2010 no mesmo período – que foi de R$ 65 milhões; na primeira prestação de contas à Justiça Eleitoral, no começo de agosto, o PT havia declarado financiamento de R$ 9,6 milhões, abaixo dos R$ 14,7 milhões das eleições anteriores <br clear="all"> :

247 - O comitê pela reeleição da presidente Dilma Rousseff diz ter arrecadado até esta quinta-feira (28) cerca de R$ 80 milhões. O valor é 23% superior ao somado em 2010 no mesmo período – que foi de R$ 65 milhões.

Na primeira prestação de contas à Justiça Eleitoral, no começo de agosto, o partido havia declarado arrecadação de R$ 9,6 milhões, abaixo dos R$ 14,7 milhões das eleições anteriores.

Naquele momento, o presidenciável tucano Aécio Neves era o líder em doações, com R$ 11 milhões.

Na primeira etapa, a JBS foi a que mais liberou verba para os candidatos.

Brasil Roberta Namour Fri, 29 Aug 2014 05:27:48 +0000 http://www.brasil247.com/151685
Aranha é alvo de racismo de torcida gremista http://www.brasil247.com/pt/247/esporte/151690 : aranha “Estava no gol e começaram com palavras racistas. Me chamaram de preto fedido, seu preto. Depois fizeram coro de macaco. Pedi para o câmera filmar os torcedores, mas não filmaram. Fico puto de acontecer essas coisas aqui. Dói, dói muito”, lamentou Aranha, goleiro do Santos, em partida contra o Grêmio; nas redes sociais já circula um vídeo com pelo menos uma torcedora ofendendo o jogador <br clear="all"> : aranha

Band - Aranha deixou o gramado indignado com parte dos torcedores do Grêmio que o chamaram de macaco. Durante o jogo, o goleiro do Santos chegou a parar a partida e avisar o árbitro. Mas não deu em nada.

“Estava no gol e começaram com palavras racistas. Me chamaram de preto fedido, seu preto. Depois fizeram coro de macaco. Pedi para o câmera filmar os torcedores, mas não filmaram. Fico puto de acontecer essas coisas aqui. Dói, dói muito”, lamentou o goleiro.

“Sou preto sim. Sempre tem um racista no meio. Está dado o recado para ficar esperto para a próxima partida. O torcedor usa de várias maneiras para desestabilizar. Fiquei sentido, mas tinha que jogar e fazer minha parte”, prosseguiu.

Aranha afirmou que deve registrar boletim de ocorrência. “Mais do que a ocorrência, é falar e as pessoas saberem para lutar contra. A maioria do estádio não é assim, mas não é à toa que passaram no telão propaganda contra os racistas aqui”, finalizou.

Com a bola rolando, o Santos venceu o Grêmio por 2 a 0 e ficou em vantagem pela vaga às quartas de final da Copa do Brasil. O jogo de volta acontece na próxima quarta-feira, na Vila Belmiro.

Torcedores denunciados

Nas redes sociais já circula um vídeo com pelo menos uma torcedora ofendendo o jogador do Santos.

Pelo Instagram, um dos usuários divulgou o momento da transmissão em que uma menina aparece chamando claramente Aranha de “macaco”.

Esporte Roberta Namour Fri, 29 Aug 2014 06:47:32 +0000 http://www.brasil247.com/151690
Vídeo de artistas para Marina é resgatado de 2010 http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151683 : Montagem com depoimentos de artistas como Wagner Moura, Gilberto Gil e Caetano Veloso pedindo voto para Marina está sendo divulgado no WhatsApp com o logotipo da campanha do PSB deste ano; no entanto, foram gravados para a disputa de 2010; o partido nega autoria  <br clear="all"> :

247 - Um vídeo com depoimentos de artistas como Wagner Moura, Gilberto Gil e Caetano Veloso pedindo voto para Marina está sendo divulgado no WhatsApp com o logotipo da campanha dela deste ano.

Segundo a colunista Mônica Bergamo, eles foram gravados para a disputa de 2010. A assessoria da candidata diz que se trata de peça feita por "algum espertalhão" e que não endossa a iniciativa.

Uma nova leva de apoio de personalidades para a ex-senadora já estaria no forno para este ano.

Poder Roberta Namour Fri, 29 Aug 2014 06:55:17 +0000 http://www.brasil247.com/151683
JN: Marina teve menos audiência que Dilma e Aécio http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/151681 : Entrevista com Marina Silva, nova candidata do PSB à Presidência, ganhou apenas de Pastor Everaldo (PSC), que teve média de 20 pontos de audiência; no dia 18, uma segunda-feira, Dilma havia alcançado 27 pontos e, sete dias antes, Aécio obteve 22 pontos <br clear="all"> :

247 - A entrevista com Marina Silva, nova candidata do PSB à Presidência, no "Jornal Nacional", da TV Globo, registrou menor audiência que seus adversários direto: a presidente Dilma Rousseff (PT) e o senador Aécio Neves (PSDB).

O programa da quarta-feira (27) marcou 21 pontos de média. No dia 18, uma segunda-feira, Dilma havia alcançado 27 pontos e, sete dias antes, Aécio obteve 22 pontos. Cada ponto corresponde a 65 mil domicílios na Grande São Paulo.

Marina ganhou apenas de Pastor Everaldo (PSC), que teve média de 20 pontos.

Mídia Roberta Namour Fri, 29 Aug 2014 05:24:10 +0000 http://www.brasil247.com/151681
Por “fraude” em vídeo, PT vai à Justiça e ao MP http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151646 : Presidente do PT, Rui Falcão anunciou que partido entrará com representação na Justiça Eleitoral e no Ministério Público contra o vídeo fraudado, possivelmente por marineiros, para simular que o ex-presidente Lula pediria votos para a presidenciável Marina Silva (PSB); na mensagem eletrônica original, ele apoia a candidata ao Senado por Goiás Marina Sant'Anna, do PT; "O vídeo de hoje, que tem Lula apoiando Marina do PSB, é uma fraude", disse Falcão; PT também pediu ao Google para retirar peça do ar <br clear="all"> :

247 – O presidente do PT, Rui Falcão, convocou uma coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira 28 para anunciar que o partido entrará com representação na Justiça Eleitoral e no Ministério Público contra a "fraude" em um vídeo do ex-presidente Lula.

No vídeo original, Lula pede votos para a candidata ao Senado por Goiás Marina Sant'Anna, do PT, mas na versão editada, possivelmente por marineiros, o vídeo traz logomarca da campanha de Marina Silva, candidata à presidência pelo PSB.

"O vídeo de hoje, que tem Lula apoiando Marina do PSB, é uma fraude", disse Rui Falcão aos jornalistas. Questionado se atribuía a fraude ao PSB, ele evitou polemizar. "Eu não sei, precisa ser investigado. Não condenamos por antecipação", afirmou. "Nós não estamos atribuindo a responsabilidade a nenhum partido", disse ainda.

Segundo o dirigente petista, a legenda também pediu ao Google para que retirasse o vídeo do YouTube. Segundo o coordenador jurídico da campanha da presidente Dilma Rousseff, a empresa tem 24 horas para identificar o autor da publicação. Ele afirmou ainda que todas as medidas cabíveis estão sendo tomadas, inclusive ação civil.

"Uma medida é uma representação na justiça eleitoral, pois o vídeo pode levar o eleitor ao erro. Outra é junto ao Ministério Público. Essas são alunas medidas pra coibir esse tipo de prática", afirmou Rui Falcão. Os dois vídeos foram exibidos na coletiva. 

Assista abaixo o original, em que Lula diz que Marina trabalhará para combater as desigualdades sociais "em Goiás". No editado, esse trecho é retirado. 

 

Abaixo, o editado, com o logo de Marina Silva, do PSB:

Poder Gisele Federicce Thu, 28 Aug 2014 16:34:58 +0000 http://www.brasil247.com/151646
Dilma ironiza Marina: “achar os bons sem aferição não está certo” http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151657 Ichiro Guerra: Brasília - DF, 28/08/2014. Dilma Rousseff no encontro com trabalhadores da agricultura. Foto: Ichiro Guerra Em referência às declarações de Marina Silva de que irá governador com "os melhores", ou de que pretende procurar o PT e o PSDB para governar, presidente afirmou: "Essa história que você acha os bons ou os melhores sem aferição não está certa não. Como é que eu vou fazer uma política da agricultura familiar com quem não defende a agricultura familiar?"; questionamento foi feito enquanto Dilma Rousseff participava de evento na Contag (Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura); "Não é uma questão da pessoa ser boa ou ser ruim, é uma questão de que compromisso ela tem", acrescentou a petista <br clear="all"> Ichiro Guerra: Brasília - DF, 28/08/2014. Dilma Rousseff no encontro com trabalhadores da agricultura. Foto: Ichiro Guerra

247 - Em alusão às declarações da presidenciável pelo PSB, Marina Silva, a presidente Dilma Rousseff (PT) ironizou nesta quinta-feira 28 a possibilidade de a candidata reunir "os melhores" para governar, como tem dito em entrevistas. Recentemente, o conselheiro econômico da campanha do PSB, Eduardo Giannetti, também disse que Marina pretende procurar aliados do PT e do PSDB para governar, caso seja eleita.

"Essa história que você acha os bons ou os melhores sem aferição não está certa não. Como é que eu vou fazer uma política da agricultura familiar com quem não defende a agricultura familiar? A pessoa pode ser ótima, mas ela não tem nenhum compromisso com agricultura familiar. Ela não fará", disse Dilma, em evento da Contag (Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura), em Brasília.

"Não é uma questão da pessoa ser boa ou ser ruim, é uma questão de que compromisso ela tem. É melhor ter pessoas boas e compromissadas do que pessoas boas e sem compromisso", prosseguiu. A presidente afirmou também que, para ela, "os bons desse país são aqueles que têm compromisso com a distribuição de renda e inclusão social".

Leia abaixo reportagem da Reuters:

Dilma diz que os "bons" são os que têm compromisso com distribuição de renda

BRASÍLIA (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff, que tenta a reeleição pelo PT, afirmou nesta quinta-feira que os "bons" são aqueles que têm compromisso com a maioria do povo brasileiro, em referência a declarações da adversária Marina Silva (PSB), também candidata à Presidência, e que é necessário combater a campanha de "mentira" nessas eleições.

As declarações de Dilma ocorreram em evento da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), em Brasília, na qual recebeu documento com 13 diretrizes relacionadas ao desenvolvimento rural e ainda a declaração de apoio da entidade à sua reeleição.

"Os bons são aqueles que têm compromisso. Para mim, os bons nesse país são aqueles que têm compromisso com a distribuição de renda e a inclusão social", disse a presidente a jornalistas.

"Todas as pessoas podem ser boas ou podem ser más. Mas as boas pessoas podem não ter compromisso. A pessoa é muito boa, mas o compromisso dela é com outra coisa. Eu prefiro o bom com um compromisso com a maioria da população brasileira", afirmou, ao ser questionada sobre declarações de Marina de que chamará as pessoas boas para governar o país, caso eleita.

Dilma aproveitou o discurso, feito a uma plateia integrada por agricultores, integrantes de movimentos sociais e de entidades sindicais, para alfinetar adversários e afirmar que é necessário combater a desinformação na campanha.

"Agora nós estamos diante de uma campanha que vai estar baseada na mentira. Na mentira como eles fizeram durante a Copa do Mundo. E teve Copa", disse a presidente.

"Eles continuam fazendo um processo desses. E falam e falam e falam. E mostram o seu pessimismo, porque apostam no quanto pior, melhor... A gente tem de ser capaz de nessa disputa deixar clara qual é a realidade."

ECONOMIA

O "desinformação" dos adversários, segundo a presidente, centra fogo também na economia. Dilma afirmou que a inflação vem sendo reduzida e que no último mês "chegou a perto de zero" e criticou a ideia de que a política de aumento do salário mínimo pressione a inflação.

"Eu não pretendo, de maneira alguma, acabar com a política de valorização do salário mínimo, política de valorização do salário, que nós temos certeza que contribuiu para esse país chegar aonde chegou", disse a presidente, ao ser questionada por jornalistas se manterá o reajuste se for eleita.

Dentre os principais temas presentes nas diretrizes entregues à presidente pela Contag, estão a reforma agrária, o fortalecimento da agricultura familiar e da agroecologia, a previdência rural e a violência no campo, entre outros.

Dilma se comprometeu com a reforma agrária, com melhorias no crédito e assistência rural, além de aumentar o número de casas contratadas pelo Minha Casa, Minha Vida Rural.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

 

Poder Gisele Federicce Thu, 28 Aug 2014 18:06:13 +0000 http://www.brasil247.com/151657
Sindicato de Chico Mendes expõe contradições de Marina Silva http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/151640 : Nota publicada pelo Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Xapuri (Acre), fundado por Chico Mendes, contesta afirmações da candidata, como a de que ele seria representante da "elite nacional"; assinado pelo atual presidente do sindicato, José Alves, texto coloca Chico, morto por fazendeiros em 1988, como um sindicalista, não um ambientalista que se une ao capital; sindicato também condena a política ambiental "idealizada pela candidata Marina Silva enquanto Ministra do Meio Ambiente, refém de um modelo santuarista e de grandes Ong's internacionais" <br clear="all"> :

Blog do Esmael - Um texto que circula pelas redes sociais desde ontem (27), data da sua publicação, chama a atenção por expor contradições da candidata à presidência, Marina Silva, em relação a sua origem ambientalista no Acre. O texto é assinado pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Xapuri (Acre), José Alves e pelo assessor jurídico, Waldemir Soares. Chico Mendes foi um dos fundadores desse sindicato em 1975. Ele foi assassinado em 1988 por fazendeiros contrários a sua luta pelos direitos dos trabalhadores extrativistas da floresta.

Como o sindicato não possui página na internet, o Blog do Esmael entrou em contato por telefone com a entidade e em conversa com o presidente José Alves foi verificada a autenticidade do texto que reproduzimos a seguir:

Diante da declaração da candidata à Presidência da República para as próximas eleições, Marina Silva, onde esta coloca o companheiro Chico Mendes junto a representantes da elite nacional, o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Xapuri (Acre), legítimo representante do legado classista do companheiro Chico, vem a público manifestar-se nos seguintes termos:

Primeiramente, o companheiro Chico foi um sindicalista e não ambientalista, isso o coloca num ponto específico da luta de classes que compreendia a união dos Povos Tradicionais (Extrativistas, Indígenas, Ribeirinhos) contra a expansão pecuária e madeireira e a consequente devastação da Floresta. Essa visão distorcida do Chico Mendes Ambientalista foi levada para o Brasil e a outros países como forma de desqualificar e descaracterizar a classe trabalhadora do campo e fortalecer a temática capitalista ambiental que surgia.

Em segundo, os trabalhadores rurais da base territorial do Sindicato de Xapuri (Acre), não concordam com a atual política ambiental em curso no Brasil idealizada pela candidata Marina Silva enquanto Ministra do Meio Ambiente, refém de um modelo santuarista e de grandes Ong's internacionais. Essa política prejudica a manutenção da cultura tradicional de manejo da floresta e a subsistência, e favorece empresários que, devido ao alto grau de burocratização, conseguem legalmente devastar, enquanto os habitantes das florestas cometem crimes ambientais.

Terceiro, os candidatos que compareceram ao debate estão claramente vinculados com o agronegócio e pouco preocupados com a Reforma Agrária e Conflitos Fundiários que se espalham pelo Brasil, tanto isso é verdade, que o assunto foi tratado de forma superficial. Até o momento, segundo dados da CPT, 23 lideranças camponesas foram assassinadas somente neste ano de 2014. Como também não adentraram na temática do genocídio dos povos indígenas em situação alarmante e de repercussão internacional.

Por fim, os pontos elencados, são os legados do companheiro Chico Mendes: Reforma Agrária que garanta a cultura e produção dos Trabalhadores Tradicionais e a União dos Povos da Floresta.

Xapuri, 27 de agosto de 2014

José Alves – Presidente

Waldemir Soares – Assessor Jurídico

Brasil Gisele Federicce Thu, 28 Aug 2014 15:36:40 +0000 http://www.brasil247.com/151640
Mantega critica Arminio: “não entregou meta da inflação” http://www.brasil247.com/pt/247/economia/151637 : Ministro da Fazenda afirma que "tem gente" que diz que vai mudar o rumo atual da economia e que "isso é motivo de grande preocupação"; "Tem um candidato aí que era presidente do Banco Central e não entregou a meta da inflação", criticou Guido Mantega, em alusão à campanha do tucano Aécio Neves, que anunciou Arminio Fraga como seu ministro da Fazenda caso seja eleito presidente; Mantega também defendeu ações do governo Dilma – cumpriu o tripé econômico "mais do que outros" – e disse ter medo das propostas que têm ouvido na corrida presidencial <br clear="all"> :

247 – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, criticou nesta quinta-feira 28 o ex-presidente do Banco Central Arminio Fraga, que apoia a candidatura do tucano Aécio Neves à presidência, e disse ter medo de um governo diferente e das propostas que têm ouvido de candidatos da oposição que concorrem com a presidente Dilma Rousseff (PT).

Segundo ele, "tem gente" que diz que vai mudar o rumo atual da economia e que "isso é motivo de grande preocupação". "Tem um candidato aí que era presidente do Banco Central e não entregou a meta da inflação", afirmou, em referência à candidatura de Aécio, que anunciou que seu ministro da Fazenda será Arminio Fraga caso seja eleito presidente.

Mantega também disse que os personagens "são os mesmos" e que muito lhe preocupa a política monetária que tem ouvido nas propostas dos candidatos. Na avaliação do ministro, podemos voltar aos "juros estratosféricos", uma vez que "estão falando que vão combater a inflação de forma radical. "Impedimos a valorização cambial porque muita gente usou a valorização como âncora para baixar inflação, e nós não fizemos isso, que eu chamo de populismo cambial", criticou.

Segundo Mantega, "se estão criticando tudo isso, é porque vão fazer o contrário", e que o plano pode criar "recessão, desemprego e a população vai regredir". "Tudo isso que a população avançou corre o risco de ser revertido, é perigoso", ressaltou. O ministro defendeu as ações da política econômica do governo Dilma, que cumpriu o tripé econômico "mais do que outros", segundo ele.

Economia Gisele Federicce Thu, 28 Aug 2014 15:26:36 +0000 http://www.brasil247.com/151637
Marineiros fraudam vídeo de Lula e espalham na rede http://www.brasil247.com/pt/247/goias247/151652 : Ex-presidente aparece pedindo votos para "Marina, que eu conheço há mais de 30 anos", em vídeo com logotipos da campanha de Marina Silva, do PSB, no início e no fim; "Ela é a mais preparada para levar adiante os programa sociais do governo"; trata-se, porém, de uma fraude; a Marina a qual Lula se refere é a deputada federal Marina Sant'Anna (PT-GO), candidata ao Senado por Goiás; PT anuncia que entrará com representação na Justiça Eleitoral e no Ministério Público; o que parece uma brincadeira é, na verdade, crime eleitoral; suspeitas recaem sobre quem se beneficia da fraude do apoio do maior cabo eleitoral do País <br clear="all"> :

247 – Uma fraude eleitoral está circulando na internet. Envolve ninguém menos que o maior cabo eleitoral do País, o ex-presidente Lula e, por todos os ângulo que seja visto, beneficia a candidata a presidente Marina Silva, do PSB. Uma gravação oficial de Lula para o horário político do PT, no qual ele pede votos para Marina Sant'Anna (PT-GO), candidata ao Senado, que foi adulterado antes do início e do fim, com os acréscimos do logotipo de campanha de Marina.

- Eu conheço a Marina há trinta anos, diz Lula. "Ela é a mais preparada para levar adiante os programas sociais do governo e fazer a reforma política".

No curso do vídeo, não fica claro, à primeira vista, se Lula falou o nome inteiro da candidata a senadora ou apenas o primeiro nome, como foi publicado nas redes sociais. Não é difícil, com recursos de edição, tirar uma palavra da boca de um personagem. O certo é que, na peça fraudada, Lula diz que Marina "vai fazer um grande trabalho no governo federal".

A dimensão do alcance do vídeo falso ainda não pode ser medido, mas o presidente nacional da legenda, Rui Falcão, convocou uma entrevista coletiva no comitê de campanha da presidente Dilma Rousseff, em Brasília, para falar das providências que serão tomadas (leia aqui). O Instituto Lula foi informado sobre o vídeo pelo seu departamento jurídico.

A primeira suspeita de autoria recai, inevitavelmente, sobre os marineiros. A candidata, no debate entre presidenciáveis, na Rede Bandeirantes, elogiou Lula, a quem atribuiu, assim como ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, "visão estratégica". Mas não houve de Lula nenhuma frase pró-Marina, quanto mais um depoimento formal para passar em horário político. Se foi brincadeira, Lula não achou a menor graça. E tanto ele como o PT devem manifestar, nesta tarde, que houve crime eleitoral.

Assista:

Goiás 247 Thu, 28 Aug 2014 17:07:05 +0000 http://www.brasil247.com/151652
O que é mais grave: o voo de Vargas ou o jato do PSB? http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/151583 : O deputado André Vargas (sem partido-PR) teve sua cassação pedida pelo colega Júlio Delgado (PSB-MG), em razão de uma carona no avião do doleiro Alberto Youssef; no entanto, o PSB, partido de seu algoz, usava um jato comprado com recursos de caixa dois; uma das empresas que assumiu a compra do avião, a Bandeirantes Pneus, importava pneus chineses, causava danos ambientais e foi favorecida por benefícios fiscais do governo Eduardo Campos; diante da hipocrisia, Vargas protestou: "Júlio Delgado pediu minha cassação por um voo. Agora podia explicar por que seu partido usava um avião de empresas fantasmas" <br clear="all"> :

247 – Dois pesos e duas medidas. É assim que o deputado federal André Vargas (sem partido-PR) enxerga seu processo, quando o compara a outras atividades irregulares na política. Desta vez, o parlamentar, que teve sua cassação pedida pelo colega Júlio Delgado (PSB-MG) no Conselho de Ética da Câmara por ter tomado emprestado o avião do doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato, vê diferença de tratamento entre o episódio vivenciado por ele e o do jato do PSB.

O partido de Delgado, relator de seu processo de cassação na Câmara, usava desde maio um avião adquirido por recursos de caixa dois, pago por empresas fantasmas. Uma delas era uma peixaria falsa. Outra, que assumiu a compra da aeronave, a Bandeirantes Pneus, importava pneus chineses, causava danos ambientais e chegou a ser favorecida por benefícios fiscais pelo ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB).

O Cessna Citation levava Campos ao litoral paulista no último dia 13, quando caiu e causou a morte do então candidato e mais seis pessoas, trazendo também o escândalo à tona. O uso do avião pelo partido, que fala em empréstimo de empresários amigos de Campos, não era declarado à Justiça Eleitoral. A nova candidata do PSB, Marina Silva, defensora da "nova política", também usou a aeronave irregular durante a campanha.

Diante da hipocrisia, Vargas protestou: "Júlio Delgado pediu minha cassação por um voo. Agora podia explicar por que seu partido usava um avião de empresas fantasmas". Em entrevista concedida ao jornal O Estado de S. Paulo no início de agosto, ele lembrou de outro caso: a construção de um aeroporto pelo presidenciável Aécio Neves em terras que pertenciam a sua família quando era governador de Minas Gerais. E constatou: "se Aécio fosse do PT, já teriam pedido cassação".

Brasil Gisele Federicce Thu, 28 Aug 2014 10:30:20 +0000 http://www.brasil247.com/151583
Haddad vai criar ouvidoria contra abuso policial http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/151588 : Projeto do prefeito de São Paulo será enviado à Câmara ainda nesse semestre; entre outras atividades, objetivo é que grupo receba denúncias da população sobre abusos praticados por policiais; outros tipos de denúncias também serão recebidas, como agressão a idosos e mulheres <br clear="all"> :

SP 247 – O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), pretende criar uma ouvidoria que receberá denúncias da população sobre abusos praticados por policiais – civis ou militares. O projeto foi elaborado pela Secretaria de Direitos Humanos, que a firma que a população tem medo de fazer esse tipo de denúncia pelo fato de os órgãos responsáveis por recebê-las – as corregedorias – fazerem parte da própria polícia.

"Existe um medo das pessoas em acionar a corregedoria da polícia, de ter seu nome revelado, há receio por ser da polícia", explica Giordano Magri, autor do projeto e chefe de gabinete da Secretaria Municipal dos Direitos Humanos, segundo reportagem da Folha de S. Paulo. O projeto está sendo finalizado e deve ser apresentado à Câmara Municipal ainda nesse semestre.

O grupo também terá outras atribuições e receberá outros tipos de denúncias, como agressão a idosos e a mulheres, por exemplo. A ouvidoria também fará levantamentos com base nas denúncias de violência policial, além de cobrar investigações.

SP 247 Gisele Federicce Thu, 28 Aug 2014 10:00:24 +0000 http://www.brasil247.com/151588
FHC ataca: entendo por que Dilma não obteve mestrado http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151559 : "Agora vejo o motivo pelo qual a presidente Dilma Rousseff não conseguiu obter grau de pós-graduação na Unicamp: ela entende pouco de economia", disse FHC em artigo, ao rebater crítica da presidente Dilma Rousseff de que o PSDB quebrou o país por três vezes; segundo ele, em outubro de 1993, quando era ministro da Fazenda, conduziu uma renegociação da dívida externa; afirmou também ter feito um acordo de empréstimo com o FMI em 1998, pois o Brasil enfrentava as consequências da crise da Ásia e dificuldades internas; o último recurso, no 2º semestre de 2002, teria sido necessário para enfrentar o "efeito Lula" <br clear="all"> :

247 - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso rebateu a crítica da presidente Dilma Rousseff de que o PSDB quebrou o país por três vezes e ataca: "Agora vejo o motivo pelo qual a presidente Dilma Rousseff não conseguiu obter grau de pós-graduação na Unicamp: ela entende pouco de economia".

Em artigo no Observador Político, ele diz que, em outubro de 1993, quando era ministro da Fazenda, conduziu uma renegociação da dívida externa. Afirmou também ter feito um acordo de empréstimo com o FMI em 1998, pois o Brasil enfrentava as consequências da crise da Ásia e dificuldades internas. O último recurso ao FMI, no 2º semestre de 2002, teria sido necessário para enfrentar o "efeito Lula", segundo FHC.

Leia na íntegra: 

Dilma entende pouco de economia. Perdeu credibilidade.

Agora vejo o motivo pelo qual a presidente Dilma Roussef não conseguiu obter grau de pós-graduação na Unicamp: ela entende pouco de economia. E mesmo de números. Disse no debate de ontem (26/8), na Band, que o Brasil “quebrou três vezes” no governo do PSDB. De onde tirou tal falsidade?

O Brasil estava em moratória desde o final do governo Sarney (será que é a isso que ela se refere quando diz “quebrado”). Desde quando assumi o ministério da Fazenda, no governo Itamar, começamos a refazer a credibilidade do país. Em outubro de 1993 assinamos uma renegociação da dívida externa e voltamos aos mercados internacionais. Fizemos em 1994 o Plano Real, sem apoio do FMI, e erguemos a economia. Começava o período de construção da estabilidade, que durou todo meu primeiro mandato, passando por crises bancárias, Proer, renegociação das dívidas dos estados e municípios etc.

No início do segundo mandato, depois das consequências da crise da Ásia (1997), da crise argentina e toda sorte de dificuldades externas e internas –graças a atos políticos irresponsáveis da oposição e à incompletude do ajuste fiscal – sofremos forte desvalorização cambial em janeiro de 1999, apesar de havermos assinado em 1998 um acordo de empréstimo com o FMI (será que é isso que a Presidente chama de “quebrar o país?). A inflação não voltou, apesar das apostas em contrário, e antes do fim do primeiro semestre de 1999 já havíamos recuperado condições de crescimento, tanto assim que em 2000 o PIB cresceu 4,7%.

Nova dificuldade financeira, a despeito das restrições na geração de energia, só ressurgiu no segundo semestre de 2002. Por que? Devido ao “efeito Lula”: os mercados financeiros mundiais e locais temiam que a pregação do PT fosse para valer. Sentimos o efeito inflacionário (os 12% a que a Presidente sempre se refere, que devem ser postos à conta do PT). Aí sim, recorremos ao FMI, mas com anuência expressa de Lula e para permitir que seu governo reagisse em 2003, como fez. Do empréstimo, 20% seriam para usar no resto de meu mandato e 80% no de Lula… Não houve interrupção do fluxo financeiro internacional, nem quebradeira alguma.

É mentira, portanto, que o governo do PSDB tenha quebrado o Brasil três vezes. Por essas e outras, o governo Dilma Roussef perdeu credibilidade: em vez de informar, faz propaganda falsa.

Poder Roberta Namour Thu, 28 Aug 2014 06:11:26 +0000 http://www.brasil247.com/151559
Janot: Arruda não pode manter campanha http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/151556 : Segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, José Roberto Arruda (PR) terá de obter uma liberação no Supremo Tribunal Federal para seguir com campanha ao governo do DF; por cinco votos a um, o Tribunal Superior Eleitoral impugnou a candidatura com base na Lei da Ficha Limpa; Janot diz ainda que o ex-governador também poderá tentar, junto ao Superior Tribunal de Justiça, um recurso para suspender sua condenação por improbidade administrativa no Tribunal de Justiça do DF  <br clear="all"> :

247 - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, avalia que o ex-governador José Roberto Arruda (PR) não pode mais seguir com sua campanha.

Por seis votos a um, o Tribunal Superior Eleitoral impugnou a candidatura de Arruda com base na Lei da Ficha Limpa, pelo fato do ex-governador ter sido condenado  por órgão colegiado de Justiça. Arruda já havia sido considerado inelegível pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Distrito Federal.

Segundo Janot, uma vez o registrado negado pela mais alta corte da Justiça Eleitoral, para seguir como candidato Arruda terá de obter uma decisão no Supremo Tribunal Federal.

Diz ainda que o ex-governador também poderá tentar, junto ao Superior Tribunal de Justiça, um recurso para suspender sua condenação do Tribunal de Justiça do DF.

Durante discurso de 27 minutos, Arruda afirmou que "se fosse covarde [...], não tinha chegado até aqui". "Só não há jeito para a morte. Enquanto temos chance de recurso, por mais difícil que seja, me mantenho na luta", afirmou aos correligionários. Arruda brincou sobre o resultado das pesquisas eleitorais. "Quem sabe com essa decisão da justiça passamos dos 40%. Apesar de todas as dificuldades, a vitória no campo jurídico virá no último momento".

Brasília 247 Roberta Namour Thu, 28 Aug 2014 05:24:24 +0000 http://www.brasil247.com/151556
BC independente opõe PSB e banqueira de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151554 : Presidente do PSB, Roberto Amaral diz que os socialistas sempre foram "historicamente contra" a independência do Banco Central; aceno da presidenciável Marina Silva ao mercado financeiro foi anunciado por Neca Setúbal, coordenadora do programa da ex-senadora e acionista do Banco Itaú: "O BC tem que ser independente de quê? Dos banqueiros e do capital. O BC americano é independente e olha no que deu", questionou o socialista <br clear="all"> :

247 – O presidente do PSB, Roberto Amaral, revelou ser contra a proposta de Marina Silva feita para se aproximar do mercado financeiro.

Segundo a colunista Mônica Bergamo, ele diz que a independência do Banco Central "ainda está em discussão" na coligação de Marina. A medida, no entanto, foi confirmada por Neca Setubal, coordenadora do programa de Marina e acionista do Banco Itaú.

“Os socialistas sempre foram historicamente contra a proposta”, diz Amaral. "O BC tem que ser independente de quê? Dos banqueiros e do capital. O BC americano é independente e olha no que deu", acrescenta. Ele admite, no entanto, que deve ser voto vencido.

No debate da Band, Amaral apontava para Maurício Rands (PSB-PE), que participa da discussão do programa, e dizia, sobre a independência do BC: "Isso quem quer é ele!".

Poder Roberta Namour Thu, 28 Aug 2014 05:32:47 +0000 http://www.brasil247.com/151554
Polícia suspeita de crime aeronáutico no jato do PSB http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/151561 : Em operação de busca e apreensão na sede da AF Andrade, Polícia Civil encontrou um documento que sugere que o PSB teria alugado o jato da Cessna sem declarar, o que pode caracterizar crime aeronáutico; empresários pernambucanos que alegam ter comprado o avião pagaram cerca de R$ 700 mil antes de fecharem qualquer contrato; compromisso de compra foi assinado três dias depois por João Lyra de Melo Filho <br clear="all"> :

247 – Durante uma operação de busca e apreensão, a Polícia Civil encontrou na sede da AF Andrade um documento que sugere que o PSB teria alugado o jato da Cessna sem declarar, o que pode caracterizar crime aeronáutico.

O grupo diz ter vendido o avião que caiu com a comitiva de Eduardo Campos (PSB). No entanto, constaria nos papéis apreendidos que os empresários pernambucanos que alegam ter comprado o avião pagaram cerca de R$ 700 mil antes de assinarem qualquer contrato.

O sinal foi dado em 12 de maio e o compromisso de compra foi assinado três dias depois por João Lyra de Melo Filho. A polícia considera manobra incomum num negócio de R$ 18,5 milhões, o preço do jatinho.

Leia aqui reportagem de Mario César Carvalho sobre o assunto.

Pernambuco 247 Roberta Namour Thu, 28 Aug 2014 06:53:18 +0000 http://www.brasil247.com/151561
A aliados, Dilma se projeta no 2° turno com Marina http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151555 : Em reunião com líderes de partidos aliados, presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira que a nova candidata do PSB, Marina Silva, é a preferida do sistema financeiro e acredita que as duas disputarão o segundo turno: “Ela acha que o Aécio está desmanchando e acredita que vai enfrentar a Marina”, disse o presidente do PDT, Carlos Lupi; “Eu, o Rui Falcão, o Aloizio Mercadante e o Renato Rabelo, presidente do PCdoB, achamos que não, que a Marina vai desidratar”, afirma <br clear="all"> :

Por Jeferson Ribeiro
BRASÍLIA (Reuters) - Em reunião com presidentes dos partidos que compõem a aliança para a disputa da reeleição, a presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira que a nova candidata do PSB, Marina Silva, é a preferida do sistema financeiro e acredita que as duas disputarão o segundo turno.

Os aliados se dividiram na avaliação do novo quadro eleitoral, mas a maioria deles concordou com o diagnóstico de Dilma de que Marina será a concorrente do segundo turno, avaliando que o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, está vendo seu eleitorado migrar para a candidata do PSB.

“A percepção dela é que a Marina é a candidata escolhida pelo mercado financeiro, principalmente pela defesa da autonomia do Banco Central. Ela (Dilma) acha que a Marina tomou o lugar do Aécio Neves (nesse segmento)”, disse à Reuters o presidente do PDT, Carlos Lupi.

“Ela acha que o Aécio está desmanchando e acredita que vai enfrentar a Marina (num eventual segundo turno)”, acrescentou.
Pesquisa CNT/MDA, divulgada nesta quarta-feira, mostrou Dilma com 34,2 por cento das intenções de voto, seguida de Marina com 28,2 por cento e Aécio com apenas 16 por cento. 

Na véspera, sondagem do Ibope mostrou quadro semelhante, com Dilma somando 34 por cento das intenções de voto, Marina com 29 por cento e Aécio com 19 por cento. Em ambas as pesquisas, num segundo turno entre Dilma e Marina, a ex-senadora sairia vencedora. 

O presidente do PT, Rui Falcão, evitou comentar detalhes da reunião com jornalistas na saída do Palácio da Alvorada. Afirmou apenas que o encontro serviu para analisar o cenário político e avaliar o debate entre os candidatos na Band na terça-feira.

“Nossa avaliação é que a presidente Dilma se saiu melhor que os adversários”, disse Falcão, acrescentando que os demais candidatos participaram de um “conluio” para atacar o governo e Dilma.

Apesar da avaliação de Dilma sobre a possibilidade de enfrentar Marina no segundo turno, Lupi disse que ele e outros participantes da reunião discordaram e acreditam que a candidata do PSB ainda vai perder força nos próximos dias.

“Eu, o Rui, o (Aloizio) Mercadante (ministra da Casa Civil) e o Renato (Rabelo, presidente do PCdoB) achamos que não, que a Marina vai desidratar”, contou Lupi.

SEM GRANDES MUDANÇAS

Apesar do novo cenário eleitoral, os aliados não apontaram para grandes mudanças na estratégia da campanha, segundo Lupi.
Ele afirmou, entretanto, que falou para presidente mesclar no programa de TV a apresentação das conquistas do governo com propostas para o futuro.

“Eu sugeri que deveria haver mais propostas para o futuro. Ela gostou da sugestão, disse que já estava estudando novas propostas, mas não revelou quais”, comentou o pedetista.

“O povo tem que saber o que já conquistou, mas quer saber o que ainda pode conquistar”, argumentou Lupi.

Lupi afirmou que os partidos aliados avaliaram que a presidente não deve atacar Marina, porque Aécio terá que fazer isso no primeiro momento.

“Ela (Dilma) deve responder aos ataques, mas não deve assumir uma postura de atacar a Marina”, disse ele.

Poder Roberta Namour Thu, 28 Aug 2014 05:35:29 +0000 http://www.brasil247.com/151555
Ministro de Aécio critica “retórica populista do PT” http://www.brasil247.com/pt/247/economia/151558 : Armínio Fraga rebate declarações da campanha de Dilma Rousseff contra a gestão de FHC: “Em 2002, o Brasil quase quebrou, sim, em função do medo do que faria o PT no poder (e que Lula resolveu, para seu eterno mérito)”  <br clear="all"> :

247 – Nomeado pelo presidenciável tucano Aécio Neves como seu futuro ministro, Armínio Fraga rebate declarações da campanha de Dilma Rousseff contra a gestão de FHC. Leia: 

Mitos do PT

Populismo e mentira são inimigos da democracia. É preciso melhorar a qualidade do debate público, que deve ser baseado em fatos e dados

Não é de hoje que o PT adota uma retórica agressiva e populista para marcar suas posições. Em tempos de campanha, esta prática se radicaliza, adquirindo tons cada vez mais berrantes, e chegando frequentemente a se desentender com os fatos. Abaixo alguns exemplos.

O primeiro mito, mencionado em entrevista na televisão pela própria presidente Dilma, é que a culpa do baixo crescimento é da economia internacional. Não é verdade. Nos governos FHC e Lula, o Brasil cresceu a taxas médias muito próximas das da América Latina. Para os anos Dilma, o crescimento projetado está 2% ao ano inferior ao da região, o que demonstra que não foi problema externo, foi interno mesmo.

O segundo diz que "basta estimular a demanda e o resto se resolve". Não tem sido bem assim. Falta investimento, vítima de preconceitos ideológicos e má gestão. A produção e a importação de bens de capital afundaram nos últimos meses. A infraestrutura virou uma barreira ao crescimento. O investimento está flutuando em torno de 18% do PIB há anos, valor insuficiente para acelerar o ritmo de crescimento. É preciso elevar esse porcentual a 24% até 2018, que é a nossa meta.

O terceiro é que os problemas da indústria serão resolvidos com medidas pontuais. Na verdade, a indústria nunca esteve tão mal. As taxas de juros estão para cima e o câmbio para baixo. O complexo sistema tributário é custoso e cumulativo, prejudicando as exportações e o investimento. A logística não está à altura das necessidades do país.

O quarto é o "querem fazer um arrocho", em resposta à posição honesta de que (para voltar a crescer) o país necessita corrigir muitas de suas políticas. A verdade é que a economia está devagar quase parando, amarrada por uma enorme e crescente incerteza sobre seu futuro. As perspectivas para o ano que vem são sombrias, como mostram todos os indicadores de confiança disponíveis. O arrocho, com dispensas e suspensões de contrato de trabalho, já chegou, vamos cair na real.

O quinto é o estridente "vão fazer um tarifaço". Aqui cabe perguntar, antes de mais nada, que situação é essa e como chegamos nela.

Falo do irresponsável represamento dos preços de combustíveis e de energia, e da taxa de câmbio. No campo dos combustíveis, sofre a Petrobras asfixiada em seu fluxo de caixa, sofre o setor de etanol, onde as falências crescem, e sofre o meio ambiente, com o absurdo subsídio implícito a combustíveis fósseis. No setor elétrico, um movimento voluntarista de redução de tarifas saiu pela culatra, e vem gerando uma dívida bilionária com as distribuidoras de energia. Por último, a repressão da taxa de câmbio desestimula as exportações e pressiona ainda mais o deficit em conta corrente, hoje em 3,5% do PIB.

Em sexto lugar, há a acusação de que "o governo FHC sempre cortou o gasto social". Acusação falsa, como demonstra Samuel Pessôa em artigo recente nesta Folha. Medido como a soma de INSS, Lei Orgânica da Assistência Social, abono salarial, seguro-desemprego e bolsas, o gasto social cresceu cerca de 1,5 ponto do PIB em cada um dos governos Itamar/Collor, FHC, Lula e Dilma (esta em cerca de 1 ponto até agora). Na verdade, o governo FHC representou uma guinada no foco do gasto público na direção da educação e da saúde, ponto nunca reconhecido pelo PT.

Finalmente, o governo diz que "quebraram o país e nós pagamos o FMI". Em 2002, o Brasil quase quebrou, sim, em função do medo do que faria o PT no poder (e que Lula resolveu, para seu eterno mérito). No segundo semestre de 2002 o governo FHC (com anuência da oposição) tomou um empréstimo com o FMI de US$ 30 bilhões. Cerca de 80% do empréstimo foram reservados para o próximo governo, sendo 20% desembolsados (e não gastos) em dezembro de 2002 e o restante já durante o governo Lula. Portanto os recursos ficaram, na prática, à disposição do governo Lula.

O populismo e a mentira são inimigos da democracia e da boa política. Temos que melhorar a qualidade do debate público, que deve ser baseado em fatos e dados.

Economia Roberta Namour Thu, 28 Aug 2014 05:29:39 +0000 http://www.brasil247.com/151558
Marina voou em jato ilegal. E quer explicar no JN http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/151516 : "Na hora em que ele [William Bonner, âncora do Jornal Nacional] me perguntar eu darei a resposta", disse candidata do PSB, ao desembarcar no Rio, onde dará a entrevista ao noticiário da TV Globo; aeronave caiu em Santos (SP) no último dia 13, levando o então candidato Eduardo Campos à morte; reportagem do JN mostrou ontem que o jato foi pago por empresas fantasmas, entre elas uma peixaria falsa; Marina Silva também viajou com o Cessna Citation em mais de uma ocasião: para Juiz de Fora, em Minas, e para o Acre; PSB disse em nota que o jato foi emprestado por empresários amigos de Campos <br clear="all"> :

247 – A presidenciável pelo PSB, Marina Silva, disse que responderá sobre o uso do jato Cessna Citation usado pelo partido na bancada do Jornal Nacional, da TV Globo, na noite desta quarta-feira 27. O avião caiu em Santos (SP) no último dia 13, levando Eduardo Campos à morte. Questionada no aeroporto Santos Dumont, no Rio, se poderia adiantar sua explicação, Marina se limitou a responder: "na hora em que ele [William Bonner, âncora do Jornal Nacional] me perguntar eu darei a resposta".

Marina também usou a aeronave, no dia 26 de julho, quando desembarcou em Juiz de Fora, Minas Gerais, ao lado do ex-governador de Pernambuco. No dia, a então candidata a vice inaugurou junto com Campos uma Casa Eduardo Marina e cumpriu agenda com os candidatos do PSB da região. Ela também fez viagem ao Acre com o Cessna. O avião, avaliado em US$ 8,5 milhões, vinha sendo usado pela campanha do PSB desde maio.

Reportagem exibida ontem no Jornal Nacional apontou que a aeronave foi paga por meio de empresas fantasmas. Inquérito da Polícia Federal apurou que o Citation PR-AFA foi objeto de pagamentos de R$ 1,7 milhão à usina AF Andrade por seis CNPJs, em 16 transferências. Entre as empresas havia até uma peixaria falsa, a Geovane Pescados, cuja doação foi de R$ 15,5 mil (leia mais).

Em nota divulgada nesta terça-feira, o presidente do PSB, Roberto Amaral, afirmou que a aeronave era emprestada de empresários amigos de Eduardo Campos e que seu uso seria declarado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ao final da campanha, uma vez que o avião seria usado até lá. O partido tentará agora blindar Marina Silva das responsabilidades com a Justiça Eleitoral pelo uso indevido do jato, que pode resultar até na impugnação de sua candidatura.

Brasil Gisele Federicce Wed, 27 Aug 2014 17:18:55 +0000 http://www.brasil247.com/151516
STF nega prisão domiciliar a Roberto Jefferson http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/151512 : Por cinco votos a três, maioria do plenário do Supremo entendeu que o estado de saúde de Roberto Jefferson não justifica a mudança de regime; ex-deputado foi condenado na Ação Penal 470 a sete anos de prisão pelo regime semiaberto; ele cumpre a pena no Rio; em 2012, ele fez uma cirurgia para retirada de um tumor no pâncreas <br clear="all"> :

Da Agência Brasil

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou hoje (27) pedido do ex-deputado federal Roberto Jefferson para cumprir prisão domiciliar. Jefferson foi condenado a sete anos prisão em regime semiaberto na Ação Penal 470, o processo do mensalão. Ele está preso em um presídio do Rio de Janeiro.

Por cinco votos a três, a maioria dos ministros entendeu que o estado de saúde de Jefferson não justifica a mudança de regime. Em 2012, o ex-parlamentar fez uma cirurgia para retirada de um tumor no pâncreas. A prisão de Jefferson foi determinada em fevereiro pelo ex-ministro Joaquim Barbosa.

Para justificar a manutenção da prisão em regime semiaberto, o relator do recurso, ministro Luís Roberto Barroso, afirmou que médicos do Instituto Nacional do Câncer (Inca) concluíram, em dezembro do ano passado, que o estado de saúde de Jefferson não indica necessidade de cumprimento da pena em casa ou no hospital. O voto do relator foi seguindo pelos ministros Teori Zavascki, Rosa Weber, Cármen Lúcia e Celso de Mello.

Os ministros Marco Aurélio, Luiz Fux e Ricardo Lewandowski votaram a favor da concessão da prisão domiciliar. Segundo eles, o condenado deve cumprir o restante da pena em casa devido ao seu estado de saúde.

Rio 247 Gisele Federicce Wed, 27 Aug 2014 16:35:15 +0000 http://www.brasil247.com/151512
Aécio ataca Marina: “Brasil não é para amadores” http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/151495 Igo Estrela/Coligação Muda Brasil: Presidenciável tucano defende ser "mudança segura" e "qualificada" para os desafios do Brasil e afirma acreditar na "racionalidade", em crítica indireta à candidata do PSB, que está à frente do tucano nas últimas pesquisas eleitorais; em São Paulo, onde lançou um comitê de voluntários de sua campanha, Aécio Neves declarou ainda não confiar em ajustes "de última hora" e disse que a candidatura de Marina Silva representa um "conjunto de boas intenções que não consegue superar suas imensas contradições" <br clear="all"> Igo Estrela/Coligação Muda Brasil:

247 – Em defesa de uma "mudança segura, qualificada, preparada", o presidenciável pelo PSDB, Aécio Neves, criticou hoje a candidatura da adversária do PSB, Marina Silva, que ultrapassou o tucano nas pesquisas eleitorais divulgadas essa semana. Segundo ele, o PSDB é o único "com quadros extremamente qualificados para os desafios do Brasil". O candidato lançou em São Paulo, nesta quarta-feira 27, um comitê de voluntários de sua campanha.

"O Brasil não é para amadores. A complexidade dos problemas que temos pela frente demanda experiência e quadros. Quando vejo alguns aliados da própria candidata, com todo respeito, buscarem nos quadros do PSDB inspiração para o seu governo, isso só fortalece a minha convicção de que somos a melhor opção", disse Aécio, em referência às declarações do conselheiro econômico de Marina, Eduardo Giannetti, que disse que procuraria apoio de Lula e FHC para Marina governar.

Aécio disse ainda que a entrada de Marina Silva na disputa presidencial, no lugar de Eduardo Campos, "não muda" sua campanha. "Eu tenho uma proposta para o Brasil e eu acredito na racionalidade. Mas acredito firmemente. Se não, acho que quem perde é o Brasil". O senador disse a complexidade dos problemas que se herdará em 2015 "não comporta improviso" e acrescentou não confiar em ajustes "de última hora", em mais uma referência à candidatura do PSB. Para o candidato, Marina representa um "conjunto de boas intenções que não consegue superar suas imensas contradições".

Minas 247 Gisele Federicce Wed, 27 Aug 2014 15:28:18 +0000 http://www.brasil247.com/151495
Unidade nacional de Marina “só pode ser comédia” http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151476 : Paulo Moreira Leite classifica de "utopia de conveniência" o discurso de união pregado pela candidata do PSB; "Marina diz que o Brasil está cansado da polarização. Diz que o tempo de conflito entre PT e PSDB acabou", diz ele, em seu blog no 247; PML lembra que ideia é "fantasia que não cabe na biografia de Marina Silva", uma vez que a ex-ministra rompeu com Lula, com o PT, com o PV e agora isolou-se no PSB; discurso "ajuda a fingir que todos são equivalentes em virtudes e defeitos", como Neca Setúbal, herdeira do Itaú, e o seringueiro Chico Mendes, conforme colocou a candidata no debate de ontem à noite; mas argumentos são "tentativa de eliminar as conquistas e vitórias importantes dos últimos anos" e "preparar a revanche dos derrotados de 2002", afirma o jornalista <br clear="all"> :

247 – O discurso de união defendido pela candidata do PSB, Marina Silva, é definido como "utopia de conveniência" por Paulo Moreira Leite, em seu blog no 247. Segundo ele, os pontos pregados pela presidenciável, de que o Brasil cansou da polarização entre PT e PSDB, são uma "fantasia" que não cabe em sua biografia. A ex-ministra rompeu com Lula, com o PT, com o PV e agora isolou-se no PSB de Eduardo Campos, ressalta.

A "unidade", segundo o jornalista, "permite fugir do debate real" e "ajuda a fingir que todos são equivalentes em virtudes e defeitos, e podem ser colocados no mesmo nível", como fez Marina ontem à noite no debate da TV Bandeirantes, quando defendeu Neca Setúbal e Chico Mendes. "Este comportamento ajuda a criar a ilusão de que todos — banqueiros e seringueiros para começar — têm as mesmas ambições e mesmos projetos", diz PML.

"A mágica fica aqui: basta que surja uma liderança providencial — olha a força divina, de novo — para convencer todos a dar-se as mãos em nome do bem, sob liderança de Marina Silva. Não há projeto, não há o que fazer. Tudo pode ser o seu avesso, ao sabor das conveniências", escreve ainda o colunista.

A linha de argumentos de Marina "é uma tentativa de eliminar as conquistas e vitórias importantes dos últimos anos, passar uma borracha nos avanços obtidos e preparar a revanche dos derrotados de 2002", na opinião de Paulo Moreira Leite. "Por isso Marina fala de uma unidade que esconde dados reais", acrescenta.

Leia a íntegra em Marina fala em unidade nacional. Só pode ser comédia

Poder Gisele Federicce Wed, 27 Aug 2014 16:15:27 +0000 http://www.brasil247.com/151476
Aécio: Arminio na Fazenda sinaliza proposta consistente http://www.brasil247.com/pt/247/economia/151521 : "Quando eu anuncio que, se vencer as eleições, o ex-presidente do Banco Central Arminio Fraga será o meu ministro da Fazenda, estou sinalizando de forma muito clara que temos quadros qualificados e que a nossa proposta não é improvisada", declarou o candidato do PSDB, Aécio Neves, em São Paulo <br clear="all"> :

247 - O candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, afirmou nesta quarta-feira 27 que o anúncio do nome de Arminio Fraga para o Ministério da Fazenda, caso seja eleito, representa uma sinalização de mudança segura, rumo ao crescimento econômico, por parte de seu governo.

"Quando eu anuncio que, se vencer as eleições, o ex-presidente do Banco Central Arminio Fraga será o meu ministro da Fazenda, estou sinalizando de forma muito clara que temos quadros qualificados e que a nossa proposta não é improvisada", declarou Aécio, em São Paulo, onda lançou comitê de voluntários de sua campanha.

"Ela é consistente e é a partir da boa condução da economia que nós, brasileiros, vamos ver o Brasil voltar a crescer de forma sustentável e gerando mais bem-estar para todos", acrescentou o senador tucano.

Aécio anunciou o nome de Arminio Fraga na noite desta terça-feira, durante o debate entre os presidenciáveis na TV Bandeirantes. Hoje, o candidato disse que fez questão de indicar a forma como pretende conduzir a economia.

"Sinalizei de forma muito clara como quero conduzir a política econômica, com transparência fiscal, previsibilidade, respeito aos contratos para que possamos atrair os investimentos que deixaram o Brasil com desconfiança", afirmou.

Economia Gisele Federicce Wed, 27 Aug 2014 18:17:45 +0000 http://www.brasil247.com/151521
Doutrina Mainardi-FHC prega ódio e desmonte http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151472 : Tese do voto inútil para o Brasil ganha campo; debate sobre planos de governo passam a não interessar mais; o que importa é adiantar no 1º turno das eleições uma frente em torno de Marina Silva contra o PT; "Passarei a torcer contra ela um dia depois da posse", ensina colunista Diogo Mainardi; de Veneza, onde mora, ele sinaliza apoio "até a posse"; depois, jogará na desestabilização; ex-presidente Fernando Henrique aponta que fundamental é "não melindrar" a candidata do PSB; ele trabalha para tornar o PSDB linha auxiliar no eventual governo dela; movimento visa abater, na 2ª volta, presidente Dilma Rousseff, mas primeira vítima é o tucano Aécio Neves; para quem teve no avô Tancredo um mentor que dizia que a lealdade é a primeira regra da política, mineiro tem agora outra lição, a da traição <br clear="all"> :

247 – Uma doutrina política que prega o ódio ao PT, incentiva a instabilidade política e rebaixa o nível do debate de propostas entre os candidatos a presidente da República ganha campo nesta etapa da eleição. Batizada de Mainardi-FHC, tem no ex-colunista da revista Veja Diogo Mainardi e no ex-presidente Fernando Henrique seus principais garotos-propaganda. Complementares nos conceitos, eles representam os extremos que balizam o arco de ideias da corrente em formação.

Trata-se, na prática, de adiantar o caráter plebiscitário de um eventual segundo turno já para esta primeira rodada da eleição. Na esteira do crescimento da candidata Marina Silva, do PSB, a nova corrente defende o voto nela de imediato, sacrificando o senador Aécio Neves, do PSDB. O que menos importa, nesta orientação, é o debate de planos de governo dos candidatos ou a discussão sobre falhas e realizações do governo que tem a presidente Dilma Rousseff como candidata à reeleição.

Na baliza direita da doutrina cuja execução está em pleno curso, cercada pelas condições favoráveis de alta de Marina nas pesquisas, queda de Aécio e estabilidade de Dilma a referência é Mainardi. Espécie de exilado da revista Veja em Veneza, na Itália, ele perdeu a coluna que tinha na publicação do grupo Abril mas foi abrigado com conforto pelo grupo Globo. Com intervenções no programa Manhatan Conection, ele vai procurando nortear os que, como ele, perderam influência nos últimos anos. E anda irritado.

DECLARAÇÃO DE VOTO - Para Mainardi, a missão de derrotar o PT do ex-presidente Lula, seu desafeto pessoal, depois de 12 anos sem acesso às fontes do poder, admite o voto em uma candidatura com a qual não se tem nenhuma concordância – à exceção do espaço que essa chapa abre para a prática do ódio ao PT. É o que explica a declaração de voto de Mainardi em Marina:

- Não espero rigorosamente nada de seu governo e passarei a torcer contra ela um dia depois da posse, registrou ele no texto intitulado 'Sou Marina (até a posse)'.

O fundamental, fica claro, não é debater planos de governo, nem mesmo entre os que vão sendo apresentados por Marina e o tucano Aécio Neves, com quem o pregador se identificava até a ex-ministra entrar para a corrida presidencial na frente dele nas pesquisas. O fundamental é vencer, mesmo que "um dia depois da posse" a palavra de ordem já seja outra: fazer oposição à Marina. Os riscos de instabilidade política embutidos na bandeira "Marina até a posse" nem sequer são considerados pelo, digamos, analista. O que ele diz da Itália, com todas as letras, é que considera como ideal para as eleições brasileiras de 2014 a vitória de uma candidata à qual se começará a desconstruir assim que chegar ao poder.

Antes de Mainardi, o ex-presidente Fernando Henrique foi o primeiro a nortear o público anti-PT de que Marina é, neste momento, a grande alternativa da oposição para recuperar, mesmo que não totalmente, ao menos alguns nacos do poder perdido. "Não quero que ela fique melindrada comigo", defendeu-se FHC, quando disse que considerava, ao menos, que Aécio tinha mais experiência administrativa do que ela. Àquela altura, porém, o ex-presidente já havia discorrido longamente sobre a importância, para o PSDB, de não fazer oposição frontal à ex-ministra.

DURA LIÇÃO -  Foi o próprio Fernando Henrique que lançou Aécio para presidente, no final de 2012. Agora, o ex-presidente também sai na frente na marcha de esvaziamento da candidatura. O senador mineiro parece ter-se surpreendido com a rapidez de ação de FHC. Antes mesmo que as pesquisas o colocassem, como agora, atrás de Marina, Aécio já sofria com a habilidade dele. Agora, parece estar confuso entre defender sua campanha, enfrentar Marina e tentar seu lugar no segundo turno, ou arriar a bandeira e aderir à candidata do PSB, como insinua Fernando Henrique.

Para quem teve no avô Tancredo Neves um político que dizia que a lealdade é a regra número 1 da política, Aécio deve ter levado um susto e tanto com o FHC que surgiu depois da morte do ex-governador Eduardo Campos.

A orientação de Fernando Henrique vai sendo seguida por setores cada vez mais expressivos entre os tucanos. Depois que ele blindou Marina, a quem, repita-se, não quer "melindrar", até o presidenciável tucano ficou confuso sobre qual caminho seguir para voltar a ser ele, e não ela a alternativa oposicionista de ida ao segundo turno.

Aécio ainda não definiu se vai partir para o ataque a Marina ou se vai abrir passagem, candidamente, para a passagem dela. Enquanto ele pensa, as pesquisas já o vão levando para uma posição de distante terceiro lugar, numa perda de consistência que seu partido não tem se esforçado para conter.

Poder Ana Pupulin Wed, 27 Aug 2014 13:55:06 +0000 http://www.brasil247.com/151472
Avaliação positiva do governo Dilma é de 33,1% http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151487 : Percentual se manteve estável desde abril, quando foi divulgada a última pesquisa CNT/MDA; 33,1% do total dos entrevistados avaliaram como positivo o governo da presidente Dilma Rousseff (PT), pouco a mais do que o de quatro meses atrás (32,9%); em detalhes, Dilma teve agora 6,8% de ótimo, 26,3% de bom, 37,4% de regular, 11,8% de ruim e 17% de péssimo <br clear="all"> :

247 – O governo da presidente Dilma Rousseff recebeu avaliação positiva de 33,1% dos entrevistados na pesquisa realizada pelo instituto MDA e divulgado nesta manhã pela Confederação Nacional da Indústria (CNT).

O número é pouco maior do que o de quatro meses atrás (32,9%), mas considerado estável, uma vez que a pesquisa tem margem de erro de 2,2 pontos percentuais. Em detalhes, Dilma teve na mostra de agora 6,8% de ótimo, 26,3% de bom, 37,4% de regular, 11,8% de ruim e 17% de péssimo.

Em relação à aprovação pessoal da presidente, houve um empate exato entre os que aprovam e os que desaprovam: 47,4% para cada lado, de acordo com a pesquisa. Na primeira quinzena de agosto, segundo o mesmo instituto, esse percentual era de 48,8% de aprovação e 47,6% de desaprovação.

Poder Gisele Federicce Wed, 27 Aug 2014 14:36:47 +0000 http://www.brasil247.com/151487
Após 2.139 palestinos mortos, Netanyahu é criticado em Israel http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/151490 : Comentaristas ecoaram na mídia israelense ataques feitos por membros da coalizão de governo de Netanyahu, nos quais expressam decepção com a atuação do premiê durante o mais longo confronto violento entre israelenses e palestinos em uma década; conflito registrou a morte 2.139 palestinos, a maioria civis, incluindo mais de 490 crianças; número de mortos em Israel foi de 64 soldados e seis civis <br clear="all"> :

Por Nidal al-Mughrabi e Jeffrey Heller

(Reuters) - O cessar-fogo sem prazo para terminar na Faixa de Gaza continuou a ser obedecido nesta quarta-feira, enquanto o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, enfrenta duras críticas em Israel por causa de um custoso conflito contra militantes palestinos, do qual ninguém saiu claramente vitorioso.

Nas ruas do castigado enclave palestino controlado pelo Hamas, pessoas aproveitavam para ir às lojas e aos bancos, na tentativa de retomar um ritmo de vida normal após sete semanas de confrontos. Milhares de outros moradores, que fugiram do conflito e se abrigaram com parentes ou em escolas, retornaram para casa, alguns somente para encontrar o lar em escombros.

Em Israel, as sirenes de alerta para foguetes vindos da Faixa de Gaza ficaram em silêncio, mas comentaristas ecoaram na mídia israelense ataques feitos por membros da coalizão de governo de Netanyahu, nos quais expressam decepção com a atuação do premiê durante o mais longo confronto violento entre israelenses e palestinos em uma década.

"Após 50 dias de guerra, na qual uma organização terrorista matou dezenas de soldados e civis, destruiu a rotina diária e colocou o país em um estado de dificuldade econômica... poderíamos esperar muito mais do que o anúncio de um cessar-fogo", escreveu o analista Shimon Shiffer no Yedioth Ahronoth, jornal mais vendido de Israel.

"Poderíamos esperar que o primeiro-ministro fosse à residência do presidente e informasse a ele sobre sua decisão de renunciar a seu cargo", acrescentou.

Netanyahu, que enfrenta constante pressão de ministros direitistas em seu gabinete por uma ação militar para retirar o Hamas do poder na Faixa de Gaza, não emitiu nenhum comentário sobre o acordo de trégua, que foi mediado pelo Egito e começou a ter efeito na noite de terça-feira.

Autoridades de saúde palestinas disseram que 2.139 pessoas, a maioria civis, incluindo mais de 490 crianças, foram mortas no enclave desde 8 de julho, quando Israel lançou uma ofensiva com o objetivo declarado de interromper o lançamento de foguetes.

O número de mortos em Israel foi de 64 soldados e seis civis.

O acordo de cessar-fogo prevê uma interrupção sem prazo das hostilidades, a imediata abertura das passagens da Faixa de Gaza com Israel e o Egito, e o alargamento da área de pesca do território no Mediterrâneo.

Uma autoridade de alto escalão do Hamas expressou boa-vontade para que as forças de segurança do presidente Mahmoud Abbas, apoiadas pelo Ocidente, e a união de governo articulada por ele controlem as passagens de fronteira.

Israel e Egito encaram o Hamas como uma ameaça à sua segurança e buscam garantias de que armas não vão entrar no território de 1,8 milhão de habitantes.

Em segundo estágio da trégua, que começaria após um mês, israelenses e palestinos começariam a discutir sobre a construção de um porto marítimo na Faixa de Gaza e a libertação de prisioneiros do Hamas na Cisjordânia ocupada, possivelmente em troca dos corpos de dois soldados israelenses que se acredita tenham sido capturados pelo Hamas, disseram autoridades.

Israel tem dito nas últimas semanas querer a completa desmilitarização da Faixa de Gaza. Os Estados Unidos e a União Europeia apoiaram a meta, mas não ficou esclarecido o que isso significaria na prática e o Hamas rejeitou a proposta como impraticável.

DECLARAÇÕES CONFLITANTES DE VITÓRIA

"Na terra da orgulhosa Gaza, o povo unido conquistou vitória absoluta contra o inimigo sionista", disse um comunicado do Hamas.

Israel afirmou ter desferido um duro golpe contra o Hamas, matando vários de seus líderes militares e destruindo túneis usados pelo grupo para atravessar a fronteira.

"O braço militar do Hamas foi gravemente atingido, sabemos disso claramente por meio de inequívocos dados de inteligência", disse Yossi Cohen, conselheiro de segurança nacional de Netanyahu, à estação Army Radio.

(Reportagem adicional de Ari Rabinovitch em Jerusalém)

Mundo Gisele Federicce Wed, 27 Aug 2014 14:54:16 +0000 http://www.brasil247.com/151490
Confiança da indústria volta a cair pela oitava vez http://www.brasil247.com/pt/247/economia/151467 Antônio Milena/ABr - 12.12.2004: Indústria Índice de Confiança da Indústria (ICI), da Fundação Getulio Vargas (FGV), apresenta queda de 1,2% entre julho e agosto ao atingir 83,4 pontos. Foi o oitavo recuo seguido e o mais baixo nível de avaliação desde abril de 2009 (82,2 pontos) <br clear="all"> Antônio Milena/ABr - 12.12.2004: Indústria

Marli Moreira - Repórter da Agência Brasil

O Índice de Confiança da Indústria (ICI), medido pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV), apresenta queda de 1,2% entre julho e agosto ao atingir 83,4 pontos. Foi o oitavo recuo seguido e o mais baixo nível de avaliação desde abril de 2009 (82,2 pontos). No entanto, a intensidade da queda diminuiu ante as três últimas pesquisas - com -3,2%, -3,9% e -5,1%.

A Sondagem da Indústria de Transformação indica pessimismo maior em relação ao momento presente. O Índice da Situação Atual (ISA) foi negativo em 3,6%, com 82,7 pontos, o menor nível desde março de 2009 (78,5). O Índice de Expectativas (IE) aumentou 1,4%, ao alcançar 84,1 pontos.

O superintendente adjunto de Ciclos Econômicos da FGV, Aloisio Campelo Jr., adverte que os empresários ainda se mantêm cautelosos quanto aos negócios em médio prazo. "A ligeira melhora das expectativas é insuficiente para sinalizar uma efetiva inversão da tendência negativa observada no ano. As previsões tornaram-se mais favoráveis para a produção, com a normalização do número de dias úteis após o fim da Copa, mas, no horizonte de seis meses, o pessimismo continua aumentando", destaca ele em nota.

O indicador de situação atual dos negócios mostra queda de 7,1% entre julho e agosto, com 78,8 pontos, o menor nível desde abril de 2009 (76,8). Para 8,1% dos consultados, a situação atual é boa ante 10,8% que tinham essa avaliação na apuração passada. Paralelamente, cresceu de 26% para 29,3% os que consideram o ambiente fraco para os negócios.

A proporção de empresas com projeção de aumento da produção teve leve crescimento, ao passar de 27,6% para 27,8%. E a parcela que prevê queda diminuiu de 20,8% para 16,1%. Na sondagem sobre os que esperam melhora para os seis meses seguintes, o percentual teve elevação de 25,6% para 30%, mas também aumentou a parcela dos que apontam piora (de 20,2% para 26,5%).

A pesquisa mostra ainda que o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) ficou estável em 83,2%, mas esse é o menor patamar desde outubro de 2009 (82,6%). As consultas foram feitas em 1.176 empresas entre os últimos dias 4 e 22.

Economia Gisele Federicce Wed, 27 Aug 2014 12:07:21 +0000 http://www.brasil247.com/151467
CNT/MDA: Dilma tem 34%, Marina 28% e Aécio, 16% http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151455 : Presidente Dilma Rousseff (PT) lidera a corrida presidencial, com 34,2% das intenções de voto, aponta pesquisa do instituto MDA divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) nesta manhã; Marina Silva, candidata pelo PSB, alcançou 28,2%, doze pontos à frente do candidato do PSDB, Aécio Neves, que registrou 16%; no segundo turno, Marina seria eleita com 43,7% dos votos, contra 37,8% de Dilma; já entre a presidente e o tucano, Dilma seria eleita com 43% dos votos, dez à frente de Aécio, que teria 33,3% <br clear="all"> :

247 – A presidente Dilma Rousseff (PT) lidera a corrida presidencial, com 34,2% das intenções de voto, aponta pesquisa divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) na manhã desta quarta-feira 27, realizada pelo instituto MDA.

A ex-senadora Marina Silva, candidata pelo PSB, alcançou 28,2% da preferência do eleitorado e assumiu a segunda posição no lugar de Aécio Neves, do PSDB, com 12 pontos de vantagem. O senador tucano registrou 16% das intenções de voto. Pastor Everaldo, do PSC, marcou 1,3%.

Numa simulação de segundo turno entre Dilma e Marina, a ex-senadora seria eleita com 43,7% dos votos, contra 37,8% de Dilma. A candidata do PSB também venceria Aécio, com 48,8% dos votos, contra 25,2% do tucano. Já em um embate entre a petista e Aécio Neves, a presidente seria eleita com 43% dos votos, dez à frente de Aécio, que teria 33,3%.

Na pesquisa de abril, ainda com Eduardo Campos na disputa, Dilma registrou 37% das intenções de voto, contra 21,6% do tucano Aécio Neves e 11,8% do então candidato do PSB. O levantamento divulgado hoje foi o primeiro do instituto após a morte do ex-governador de Pernambuco e com Marina Silva à frente da candidatura do PSB.

Foram entrevistadas 2.002 pessoas em 137 municípios de 24 estados das cinco regiões, entre os dias 21 e 24 de agosto. A MDA fez a pesquisa com o nome de Marina Silva entre as opções de voto um dia depois da oficialização da candidatura da ex-senadora à presidência pelo PSB. 

Confira abaixo a íntegra da pesquisa CNT/MDA:

Poder Ana Pupulin Wed, 27 Aug 2014 11:02:29 +0000 http://www.brasil247.com/151455
Petrobras dispara 5% e puxa Bovespa após pesquisa http://www.brasil247.com/pt/247/economia/151461 : Às 13h53, o índice registrava ganhos de 2,02%, aos 61.032 pontos, com as ações da Petrobras chegando a subir 5%, enquanto bancos e elétricas também sobem forte; pesquisa aponta liderança de Dilma no primeiro turno e vitória de Marina Silva sobre a presidente no segundo turno <br clear="all"> :

Por Lara Rizério

SÃO PAULO - Após a divulgação da pesquisa CNT/MDA, que confirmou o cenário apresentado pelo Ibope na noite de ontem com vitória de Marina Silva sobre Dilma Rousseff no segundo turno, o Ibovespa voltou a ganhar fôlego nesta quarta-feira. Às 13h53 (horário de Brasília), o índice registrava ganhos de 2,02%, a 61.032 pontos, com as ações da Petrobras (PETR3; PETR4) chegando a subir 5%, enquanto bancos e elétricas também sobem forte.

Ontem à noite, foi divulgada a pesquisa Ibope para a presidência: no primeiro turno, Dilma Roussef (PT) aparece com 34%, Marina com 29% das intenções de voto e Aécio com 19% em terceiro lugar. Já na simulação de 2º turno, Marina fica à frente de Dilma, para além da margem de erro. Se a eleição fosse hoje, a candidata do PSB seria eleita com 45%, contra 36% da petista. Há, porém, ainda 11% de indecisos e outros 9% que anulariam. Já contra Aécio, Dilma ainda seria reeleita: 41% a 35%. Nesse cenário, há mais indecisos e eleitores que anulariam: 12% em cada grupo.

E, hoje, a CNT/MDA mostrou que Marina ganharia de Dilma por 43,7% a 37,8% no 2º turno. No primeiro turno, em pesquisa estimulada, Dilma Rousseff teria 34,2%, a frente de Marina Silva, com 28,2% e de Aécio Neves (PSDB), com 16% dos votos. Em uma simulação de segundo turno com Aécio Neves, a petista teria 43% das intenções de voto, ante 33,3% do tucano. Destaque ainda para os debates entre presidenciáveis na noite de ontem, na TV Bandeirantes; hoje à noite, no Jornal Nacional da TV Globo, Marina será entrevistada por William Bonner e Patrícia Poeta.

Teles no radar do mercado

No cenário corporativo, a grande notícia fica para a Oi (OIBR4) de que a operadora quer fazer proposta para comprar a TIM(TIMP3) da Telecom Italia. A companhia informou que contratou na terça-feira o BTG Pactual (BBTG11) para viabilizar uma oferta pela TIM, num esforço para não ficar à margem na consolidação em curso no setor de telecomunicações no Brasil e um mês antes de um importante leilão de licenças de telefonia móvel de quarta geração (4G). As ações da Oi registram forte alta de 7%, assim como os ativos da TIM.

A Oi informou que o banco BTG Pactual atuará como comissário "para, agindo em seu próprio nome e por conta e ordem da Oi, desenvolver alternativas para viabilizar proposta para a aquisição da participação detida indiretamente pela Telecom Italia na TIM Participações".

Enquanto isso, a Vale (VALE5) vira para leves ganhos, após chegar a cair 0,7% em meio à queda da cotação do minério de ferro para o menor patamar desde setembro de 2012, a US$ 88,20 a tonelada. Já as ações da Natura (NATU3) têm uma das maiores perdas do índice, após o Santander rebaixar a recomendação dos ativos.

Economia Gisele Federicce Wed, 27 Aug 2014 11:28:54 +0000 http://www.brasil247.com/151461
Com Ibope, Marina racha PIB, mídia e até o PSDB http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151144 Edição 247/Fotos: Divulgação/Cris Castelo Branco/Governo do Estado de SP: Marina Silva nunca foi, nas eleições presidenciais de 2014, o Plano A do empresariado e da mídia familiar, que tinham como opção preferencial o senador Aécio Neves (PSDB-MG); no entanto, um dado do Ibope de ontem, que é o mais importante da pesquisa, fará refluir o desejo de desconstruir sua imagem; como ela, ao contrário de Aécio, supera a presidente Dilma Rousseff no segundo turno, setores da elite tendem a aderir à tese de que, contra o PT, vale tudo; especialmente no caso de empresas como a Globo, de João Roberto Marinho, e o Itaú, de Neca Setubal, que foram autuadas pela Receita Federal, por sonegação de impostos; atento à rachadura, o coordenador da campanha de Marina, o ex-tucano Walter Feldman, lança pontes em direção ao PSDB paulista, especialmente a nomes como José Serra e Luiz Carlos Mendonça de Barros; o discurso é de que mais vale uma Marina na mão do que um Aécio voando <br clear="all"> Edição 247/Fotos: Divulgação/Cris Castelo Branco/Governo do Estado de SP:

247 - Os empresários brasileiros sonharam com Aécio Neves, mas podem até engolir Marina Silva. Setores da mídia também tinham o senador tucano como plano A, mas podem rapidamente abraçar a candidatura socialista como seu plano B. E até mesmo quadros relevantes do PSDB podem preferir embarcar na nau marinista desde já.

Este é o quadro da sucessão presidencial desde a pesquisa Ibope de ontem, que trouxe, como dado mais relevante, a informação de que Marina, ao contrário de Aécio, já estaria apta a superar a presidente Dilma Rousseff no segundo turno. É esse cenário que faz crescer entre setores da elite a aposta no que seria uma espécie de "voto útil". Entre a perspectiva real de poder oferecida por Marina e a incerteza representada por Aécio, melhor apostar na primeira possibilidade.

Essa tendência é ainda mais importante para grupos empresariais, como a Globo e o Itaú, que se encontram em litígio com o governo federal. A Globo foi multada em mais de R$ 700 milhões pela Receita Federal. O Itaú, que tem uma das herdeiras, Neca Setúbal, como coordenadora do programa de Marina, levou uma multa de mais de R$ 18 bilhões. Ou seja: para as famílias Marinho e Setubal, qualquer candidato seria melhor do que Dilma.

Por isso mesmo, a aposta de que Marina será "desconstruída pela mídia tucana" nos próximos 50 dias parece ser improvável. Além do peso que a própria Globo possui na comunicação brasileira, o Itaú Unibanco é um dos principais anunciantes e credores de outros meios de comunicação tradicionais. Ou seja: o trabalho de desconstrução terá que ser feito pelos próprios candidatos, Dilma ou Aécio, caso queiram, de fato, evitar que a ex-senadora suba a rampa do Palácio de Planalto, em janeiro de 2015.

Curiosamente, os empresários podem acabar apoiando a candidata que mais os assusta. Uma pesquisa realizada num evento do jornal Valor Econômico nesta segunda-feira apontou que Aécio Neves teria 67% dos votos, contra 14% de Dilma e 12% de Marina nesse pequeno universo formado pelos figurões da economia. Marina afugenta o setor empresarial por razões já conhecidas: retardou o quanto pôde a construção de usinas hidrelétricas, faz campanha desde sempre contra o agronegócio e apoiou uma proposta de Código Florestal que reduziria em 20% a área plantada no Brasil. Ou seja: representa um risco real ao crescimento, à geração de riqueza e à economia do País.

No entanto, o ódio de setores da elite ao Partido dos Trabalhadores e à presidente Dilma Rousseff tem dado vazão à tese lançada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso de que, contra o PT, vale tudo. Até mesmo Marina.

Cooptação no ninho tucano

Atenta a essa rachadura na elite brasileira, Marina Silva tem feito movimentos inteligentes para cooptar setores da mídia, do empresariado e do próprio PSDB. Tendo um ex-tucano, Walter Feldman, como coordenador de campanha, ela ajusta suas promessas aos desejoso dos ouvintes.

Ontem, num evento do Itaú BBA, Feldman e representantes da Rede Sustentabilidade prometeram aos investidores a autonomia do Banco Central, o que pode submeter a economia brasileira a novos choques nas taxas de juros, transferindo riqueza justamente das camadas mais pobres da população aos setores rentistas, que apreciam a multiplicação de capital sem a contrapartida do trabalho.

Em relação aos meios de comunicação, não se deve esperar de Marina nenhuma política de democratização da mídia. A ela, será mais conveniente ser aceita pelo grupo de quatro ou cinco famílias que ainda sonham em controlar a informação no País.

Mas o movimento mais importante ocorre no próprio PSDB. Ex-tucano, mas sempre serrista, Feldman foi quem inspirou Marina Silva, em seu primeiro ato de campanha, a fazer um aceno a José Serra, no último fim de semana. Seu guru econômico, Eduardo Giannetti da Fonseca, também falou em conversar com FHC. Esses dois movimentos reforçam a tese lançada por outro tucano de quatro costados, o ex-ministro Luiz Carlos Mendonça de Barros, de que o governo Marina será uma repetição do governo Itamar Franco, onde os tucanos mandaram na economia e deram sustentação parlamentar.

Embora simbolize o "bem", Marina se coloca à direita de Aécio Neves na economia, prometendo reformas ainda mais liberais do que o próprio tucano, e se move com tanto ou mais pragmatismo do que a presidente Dilma na sua articulação política. É a sua inteligência política, num ambiente de profundas divisões na elite brasileira, que pode levá-la à presidência da República.

Poder Camila Nunes Wed, 27 Aug 2014 07:59:45 +0000 http://www.brasil247.com/151144
Será que o Brasil encontrou seu Pepe Mujica? http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151452 : Candidato à Presidência da República pelo Partido Verde, Eduardo Jorge abraçou a agenda uruguaia, defendendo legalização das drogas e aborto; ontem, no debate presidencial da Band, ele afirmou que a legislação atual do aborto é "cruel"; o candidato também defende que o uso da maconha tem de ser legalizado; o presidente do Uruguai, Pepe Mujica, se tornou conhecido mundialmente com ideias parecidas: descriminalizou o aborto no país e legalizou o plantio e uso da maconha; discurso de Eduardo Jorge gerou grande repercussão nas redes sociais na noite desta terça-feira <br clear="all"> :

247 – Dentre muitos fatos que chamaram atenção no debate de ontem à noite na TV Band, certamente um deles foi o discurso do candidato do PV, Eduardo Jorge. O ambientalista levantou bandeiras polêmicas, como a defesa da legalização do aborto – acredita ser inadmissível a prática ser considerada crime em um país como o Brasil – e do uso da maconha, com uma ressalva: "com trabalho de prevenção e tratamento".

Foi ele quem levantou a discussão sobre o aborto, ao perguntar ao candidato do PSDB, Aécio Neves, o que ele pretendia fazer com a legislação. O senador tucano respondeu: "prefiro manter a legislação como está". Irritado em sua réplica, Eduardo Jorge declarou que "a legislação atual é cruel". Eduardo Jorge diz que as brasileiras que abortam sofrem na clandestinidade e ainda são taxadas de criminosas.

Sobre a maconha, o candidato, que ao se apresentar lembrou ser médico há 40 anos, disse ser favorável à legalização como forma de acabar com o tráfico de drogas. Segundo ele, a política atual antidrogas só beneficia os barões do crime. Já sobre o crack, ele afirmou ser contra a legalização. Nas considerações finais, Eduardo Jorge defendeu uma cultura de "paz e amor".

A postura do candidato lembra o presidente do Uruguai, Pepe Mujica, famoso mundialmente pelas mesmas bandeiras. Ele fez do país o segundo da América Latina a descriminalizar o aborto (o primeiro foi Cuba) e, no ano passado, legalizou o uso da maconha e o cultivo de pequenas quantidades da erva.

As bandeiras e o jeito espirituoso de se expressar do candidato do PV geraram grande repercussão nas redes sociais, com dezenas de memes. A expressão "Esse Eduardo Jorge" figurou na segunda posição entre os temas mais comentados mundialmente no Twitter. Os internautas também apontaram semelhanças entre Eduardo Jorge e o candidato do PSOL à Presidência em 2010, Plínio de Arruda Sampaio (morto em julho desse ano).

Poder Ana Pupulin Wed, 27 Aug 2014 09:58:20 +0000 http://www.brasil247.com/151452
Marina chama Mais Médicos de "paliativo". Dilma rebate http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151332 : <br clear="all"> : Poder Gisele Federicce Tue, 26 Aug 2014 21:46:52 +0000 http://www.brasil247.com/151332 Por 6x1, TSE decide manter impugnação de Arruda http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/151420 Roberto Jayme_ASICS_TSE: Como relator, ministro Henrique Neves recomendou a rejeição ao recurso de José Roberto Arruda (PR) contra a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF) que o considerou inelegível com base na Lei da Ficha Limpa; Gilmar Mendes, único voto a favor do candidato, desabafou no plenário e classificou como "rastaquera" a política no Distrito Federal; Arruda ainda pode recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF)  <br clear="all"> Roberto Jayme_ASICS_TSE:

Brasília 247 - Por 5 votos a 1, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu manter a impugnação da candidatura de José Roberto Arruda (PR) ao governo do Distrito Federal, informa Cláudio Humberto, de Diário do Poder.

O ministro Henrique Neves foi quem primeiro votou e recomendou a rejeição ao recurso de Arruda contra a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF) que o considerou inelegível com base na Lei da Ficha Limpa. Neves assumiu a relatoria após a ministral Luciana Lóssio declarar suspeição por te r prestado serviços a Arruda em 2010, quando ela atuava como advogada.

Seguindo a posição do relator, o ministro Admar Gonzaga também votou contra Arruda, mas o ministro Gilmar Mendes, após longa explanação, votou a favor do candidato. Enquanto defendia sua posição, Mendes criticou duramente a classe política de Brasília e chegou a afirmar que o Distrito Federal nem sequer faz por merecer sua autonomia política. Como mostra o Diário do Poder, o ministro classificou a política no DF como “rastaquera” e ainda afirmou que a unidade federal “já deveria ter passado por processo de intervenção”, em razão dos sucessivos escândalos e do comportamento geral dos seus políticos. Gilmar Mendes também declarou, enfaticamente, que “o Distrito Federal não tem sequer dignidade para ter autonomia política”.

Em seguida, o ministro Luiz Fux se posicionou contra o registro da candidatura, assim como a ministra Laurita Vaz, que colocou o placar em 4 x 1 e sacramentou a decisão do TSE contrária à permanência do ex-governador no pleito de 5 de outubro. Com os votos dos ministros João Otavio de Noronha e Dias Toffoli, chegou a 6×1 o placar no TSE pela impugnação de Arruda ao governo do Distrito Federal. O político poderá ainda recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Brasília 247 Leonardo Araújo Wed, 27 Aug 2014 01:10:43 +0000 http://www.brasil247.com/151420
Em evento do Itaú, Marina promete reformas liberais http://www.brasil247.com/pt/247/economia/151432 : Equipe de Marina Silva se reuniu com investidores a convite do Itaú BBA, que tem entre seus sócios Neca Setúbal, responsável pelo programa de governo da candidata; acompanhado de Álvaro de Souza, ex-presidente do Citibank, e Bazileu Margarido, um dos tesoureiros da campanha, o coordenador Walter Feldman reforçou a promessa de dar autonomia ao Banco Central; garantiu ainda reformas tributária, com simplificação do sistema de impostos, e administrativa, com redução de ministérios e de cargos comissionados <br clear="all"> :

247 – Focado em se aproximar do agronegócio e do setor financeiro, o comitê de Marina Silva tem redobrado encontros com grandes nomes da aérea.

Nesta terça-feira, o grupo da presidenciável do PSB se reuniu com investidores nacionais e estrangeiros em evento realizado a convite do Itaú BBA, braço de investimentos do banco Itaú, que tem entre seus sócios Neca Setúbal, responsável pelo programa de governo da candidata.

Acompanhado de Álvaro de Souza, ex-presidente do Citibank, e Bazileu Margarido, um dos tesoureiros da campanha, o coordenador Walter Feldman reforçou a promessa de reformas liberais, com mais autonomia ao Banco Central por meio de lei.

Também garantiu o comprimento de promessas de Eduardo Campos (PSB) com reformas tributária, com simplificação do sistema de impostos, e administrativa, com redução de ministérios e de cargos comissionados.

Feldman prometeu ainda que governo Marina será do diálogo e montará uma equipe com nomes também de "PT, PSDB, PMDB, PDT e outros".

Economia Roberta Namour Wed, 27 Aug 2014 06:15:56 +0000 http://www.brasil247.com/151432
Empresários elegeriam Aécio no 1º turno http://www.brasil247.com/pt/247/economia/151434 : Levantamento realizado pelo Valor aponta que empresariado garantiria a vitória de Aécio Neves (PSDB) no 1° turno da disputa presidencial: tucano recebeu 192 votos - 67%, diante dos 14% destinados a presidente Dilma Rousseff e dos 12% atribuídos a Marina Silva; em um cenário de 2° turno entre as duas candidatas, o mais provável de acordo com os institutos de pesquisa, ambientalista seria eleita com 43% (124 votos) contra 14% (40) <br clear="all"> :

247 – Em um levantamento realizado pelo Valor, se a disputa eleitoral dependesse apenas dos empresários, o senador mineiro Aécio Neves (PSDB-MG) ganharia já no primeiro turno.

Das 284 que responderam à enquete, 192 votaram no presidenciável tucano, o que corresponde a 67%. A presidente Dilma Rousseff e Marina Silva tiveram preferências semelhantes: a petista recebeu 41 votos (14%) e a pessebista 36 (12%). Dois candidatos, entre eles Pastor Everaldo (PSC), receberam um voto cada (0,35%). Treze empresários (4,5%) se disseram indecisos ou votaram em branco ou anularam.

Em caso de segundo turno entre as duas candidatas, o mais provável de acordo com os institutos de pesquisa, a ex-senadora venceria: 43% (124 votos) contra 14% (40). No entanto, 42% preferiram não opinar (120 votos).

Em cenário com Aécio e Marina no 2° turno, o tucano bate a ex-senadora por 53% a 9%. Num duelo contra Dilma, senador mineiro conquista mais votos: 65% contra 16% da presidente.

Economia Roberta Namour Wed, 27 Aug 2014 06:46:56 +0000 http://www.brasil247.com/151434
SP: Serra tem um terço dos votos para o Senado http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/151429 : Segundo pesquisa Ibope, ex-governador José Serra (PSDB) cresce e atinge 33% das intenções de voto na disputa pela vaga de São Paulo no Senado; o senador petista Eduardo Suplicy (PT) fica com 24%; em terceiro lugar aparece o ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (PSD), com 7% <br clear="all"> :

247 – De acordo com recente pesquisa Ibope, o ex-governador José Serra (PSDB) tem 33% das intenções de voto na disputa pela vaga de São Paulo no Senado, o e o senador petista Eduardo Suplicy (PT), 24%. Em terceiro lugar aparece o ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (PSD), com 7%. No levantamento anterior, feito entre os dias 26 e 28 de julho, Serra tinha 30%, Suplicy, 23%, e Kassab, 5%.

Na sequência, aparecem a candidata do PSTU, Ana Luiza, que tem 2% das intenções; e Fernando Lucas (PRP), Kaka Wera (PV), Marlene Campos Machado (PTB) e Genildo Moreira (PSB) com 1% cada. Já Edmilson Costa (PCB), Senador Flaquer (PRTB) e Juaraci Garcia (PCO) ficaram abaixo deste patamar.

A somatória de votos brancos ou nulos alcança 12%, e a de indecisos, 18%.

Encomendada pela TV Globo e registrada no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) sob o número SP-00017/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob protocolo número BR-00419/2014, a pesquisa foi realizada entre os dias 23 e 25 de agosto, com 1.512 eleitores em 79 municípios do estado. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%.

SP 247 Roberta Namour Wed, 27 Aug 2014 05:31:54 +0000 http://www.brasil247.com/151429
Unicamp reage à declaração de guru de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/151427 : Professores da Universidade Estadual de Campinas rebatem declaração de Eduardo Giannetti, atual assessor econômico da presidenciável Marina Silva (PSB), que chamou instituição de “produto típico do regime militar” e defendeu que o ensino seja pago para os que podem arcar com as mensalidades; “o assessor liberal de Marina tem o discurso novo de um velho conhecido: o Estado mínimo”, responderam os professores  <br clear="all"> :

247 – Professores da Unicamp reagiram às recentes declarações de Eduardo Giannetti, atual assessor econômico da candidata à presidência, Marina Silva (PSB) sobre a instituição.

Segundo ele, a Unicamp é um “produto típico do regime militar”. Ele se referia à formação dos economistas da Universidade Estadual de Campinas, que tenderiam a defender a regulação da economia pelo Estado.

Ele defendeu ainda que o ensino seja pago nas universidades públicas aos estudantes que podem pagar, como “os que fizeram nível médio em escola particular”. 

As declarações provocaram uma reação de professores da Unicamp, que saíram em defesa da instituição. Leia abaixo o texto:

Eduardo Giannetti e a intolerância de um liberal

Em evento organizado na última segunda-feira pela consultoria Empiricus (que vem se notabilizando pelo pessimismo militante e previsões sobre o “fim do Brasil”), o porta-voz econômico da candidatura do PSB afirmou: “A Unicamp é um produto típico do regime militar”. O professor Eduardo Giannetti é um intelectual sofisticado, filósofo e economista, assumidamente um liberal – que a princípio defende e respeita a pluralidade de pontos de vista. Nesse episódio, esteve mais próximo de gente bem menos refinada, como o blogueiro Rodrigo Constantino.

De acordo com o relato da Rede Brasil Atual, quando questionado sobre a formação dos economistas do governo, suas palavras foram: “O regime militar é culpado disso (…) um grupo que se fecha religiosamente em torno de um pensamento desconectado do mundo”.

Indo além, sacou da cartola um suposto seminário “em 1978” em que Celso Furtado teria sido desqualificado em Campinas, com suas ideias consideradas “de interesse da ‘burguesia’, enquanto a preocupação dos presentes ao encontro seria‘a luta de classes, o imperialismo’”. Como cereja do bolo, teria afirmado que “o bolchevismo não aparece em países democráticos”.

Salvo algum engano do repórter, lamentamos o tom e os termos. Mas antes de tudo não conseguimos compreender o raciocínio do especialista em ideias econômicas. A desqualificação que procura obstruir o debate vem baseada em desconhecimento da instituição que critica de forma rasteira.

Celso Furtado foi o ponto de partida das reflexões originais dos fundadores do instituto, é Doutor Honoris Causa por esta instituição e parece pouco provável que suas ideias tenham algum dia sido contestadas aqui com este nível de argumento. Nem por este lado. A propósito, falar em “bolchevismo” e recorrer a este suposto episódio levanta a dúvida sobre quem está de fato com a cabeça em décadas passadas.

A Unicamp foi um dos centros que aglutinou o pensamento crítico brasileiro durante o período militar. Assim como outros economistas hoje no campo liberal – como Edmar Bacha e Pedro Malan, por exemplo – seus professores discutiram rigorosamente o significado das opções econômicas da ditadura e denunciaram seu caráter excludente. Ao contrário de “fechamento”, o que marcou a instituição naquele período de pouca abertura para a contestação foi sempre a busca do debate público, a explicação da realidade brasileira e de seus problemas reais. E assim se manteve ao longo das décadas seguintes, em vários outros temas.

Se o conteúdo destas explicações hoje desagrada a quem não participou daquele debate, é outro problema. Discordamos de Giannetti e do discurso do “Estado que não cabe no PIB”, da privatização dos bancos públicos e da redução dos gastos sociais. Mas jamais vincularíamos suas ideias à falta de inteligência ou a motivações religiosas. Muito pelo contrário, são claros os interesses econômicos e financeiros a sustentar tais posicionamentos.

Além disso, a pluralidade política dos economistas da Unicamp desautoriza qualquer generalização ou associação direta. No instituto estudou a presidenta da República, mas também quadros que serviram a outros governos antes de 2003. São professores da casa o atual presidente do BNDES e o ministro da Casa Civil, mas também tiveram grande importância em sua história José Serra e Paulo Renato Costa Souza.

Do ponto de vista teórico, o curso de Economia, conhecido por apresentar Marx e Keynes a seus alunos, também estuda obviamente Hayek, Friedman e seus discípulos mais recentes. A existência de um eixo teórico que organiza o curso não significa bloqueio ou desconhecimento de outras abordagens.

Quem faz isso, aliás, é a maioria das escolas convencionais de economia, em atitude muito questionada nos últimos tempos. Se estar “conectado” significa este tipo de postura, agradecemos mas rejeitamos o conselho.

No final das contas, a caricatura geralmente feita dos economistas da Unicamp revela uma vontade de reinar sozinho em um debate onde só há uma alternativa, a do liberalismo econômico. E que todos que pensem diferentes sejam desqualificados. A “nova política”, no caso específico da política econômica, tem como ingrediente principal um velho conhecido: o Estado Mínimo.

Luiz Gonzaga Belluzzo
Ricardo de Medeiros Carneiro
André Biancarelli
Pedro Rossi

Brasil Roberta Namour Wed, 27 Aug 2014 06:06:09 +0000 http://www.brasil247.com/151427
Nassif vê enorme risco em governo Marina http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/151428 : Colunista Luis Nassif atribui a onda Marina Silva ao envelhecimento dos partidos, tanto do PT quanto do PSDB – que afastaram-se dos intelectuais e do sentimento das ruas; segundo ele, um eventual governo Marina é um enorme risco para o país: “Analistas já comparam a Jânio Quadros e Fernando Collor – pelo isolamento, pela falta de estrutura partidária, pela ausência de jogo de cintura para tratar com os políticos e pela falta de um projeto mais amplo de país” <br clear="all"> :

247 – No GGN, Luis Nassif alerta para o “enorme risco” de um governo Marina Silva e diz que o que está por da onda de sua popularidade é o envelhecimento dos partidos políticos, que se afastaram dos intelectuais e do sentimento das ruas. Leia:

O fator Marina e o envelhecimento dos partidos

No Twitter, Xico Graziano vibrava com as notícias do IBOPE sobre a explosão da candidatura Marina Silva, apesar de poder ser a pá de cal na candidatura do seu partido. Não se trata de um twiteiro convencional, mas do homem de confiança de Fernando Henrique Cardoso, que chegou a ser cogitado para comandar a campanha de Aécio Neves nas redes sociais.

Seu entusiasmo é uma demonstração eloquente da falta de substância no discurso oposicionista. Nesses doze anos, limitaram-se a brandir um anacrônico “delenda PT” em vez de buscar o discurso novo.

***

Nem se pense que do lado do PT houve alguma inovação.

As manifestações de junho de 2013 poderiam ter sido um presente para o partido e para Dilma. Com mais de um ano de antecedência, vinha o aviso das ruas: o povo já tem pão, já tem escola, já tem luz; falta participação.

***

Sabia-se que, fechado o ciclo de inclusão – promovido pelas políticas sociais de Lula e Dilma – apareceria em cena um novo cidadão, mais exigente em relação aos serviços públicos, mais consciente em relação aos seus próprios direitos, mais cético em relação às instituições convencionais da democracia representativa.

***

A onda Marina Silva é a comprovação maior de como os partidos – tanto o PT quanto o PSDB – afastaram-se dos intelectuais e do sentimento das ruas.

Hoje em dia, é comum ouvir de líderes partidários críticas a Dilma, por não ter interpretado devidamente o sentimento das ruas. Mas o próprio PT tratou a insatisfação popular como uma tentativa de golpe ou da direita ou de grupos de extrema esquerda. Quem ousasse dar legitimidade à insatisfação das ruas era execrado. Julgaram que o novo cidadão ainda levaria alguns anos para emergir. Não tiveram o menor sentimento de urgência.

Aliás, não conseguiram sequer divulgar – até agora – avanços inegáveis que aconteceram em diversas políticas públicas.

***

Do lado do PSDB, nem se diga. Desde Mário Covas o partido perdeu totalmente o sentimento de povo. As manifestações de junho mereceram apenas algumas análises óbvias de FHC e nenhuma forma de ação.

***

Com essa insensibilidade ampla, a bandeira do aprofundamento democrático e da democracia digital ficou exclusiva de Marina Silva – fortalecida pela demonização da política patrocinada esses anos todos pelos grupos de mídia.

Um eventual governo Marina Silva é um enorme risco para o país. Analistas já comparam a Jânio Quadros e Fernando Collor – pelo isolamento, pela falta de estrutura partidária, pela ausência de jogo de cintura para tratar com os políticos e pela falta de um projeto mais amplo de país.

Dilma e Aécio representam propostas de política econômica claras e conhecidas. Já Marina é cercada por grupos absolutamente heterogêneos, onde despontam desde “operadores” de mercado (no pior sentido), como André Lara Rezende, a um certo empresariado industrial paulista mais moderno, os nacionalistas do PSB, e ONGs do setor privado, de boa reputação. Juntos, não formam um projeto.

Mais que isso, sobre essa orquestra disforme paira a personalidade de Marina.

É imensamente mais teimosa e menos preparada que Dilma. Tem muito menos habilidade política e capacidade de escolha de equipe que Aécio.

O crescimento de sua candidatura não se trata de um fogo fátuo, como tantos outros da história recente do país. Que a onda irá refluir, não se tenha dúvida. Não se sabe apenas se refluirá antes de terminadas as eleições.

Mas sua eleição é inegavelmente uma aposta de altíssimo risco.

Mídia Roberta Namour Wed, 27 Aug 2014 05:18:27 +0000 http://www.brasil247.com/151428
Ibope: se eleições fossem hoje, Marina venceria http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151385 ERNESTO RODRIGUES: SP - ELEIÇÕES 2010/MARINA/COLETIVA - POLÍTICA - A candidata derrotada à Presidência da República, Marina Silva, do Partido Verde (PV), durante entrevista coletiva no   comitê de campanha do   partido, na zona oeste de São Paulo, na tarde desta segunda-fei Saem os números oficiais do Ibope na corrida presidencial: a presidente Dilma Rousseff, do PT, tem 34%, contra 29% de Marina Silva, do PSB, e 19% de Aécio Neves, do PSDB; no segundo turno, no entanto, a candidata do PSB seria eleita com 45%, contra 36% da petista; entre Dilma e Aécio, a presidente venceria por 41% a 35%; reviravolta deve esquentar o debate entre os candidatos, que ocorre nesta noite; foram entrevistados 2.506 eleitores entre 23 e 25 de agosto <br clear="all"> ERNESTO RODRIGUES: SP - ELEIÇÕES 2010/MARINA/COLETIVA - POLÍTICA - A candidata derrotada à Presidência da República, Marina Silva, do Partido Verde (PV), durante entrevista coletiva no   comitê de campanha do   partido, na zona oeste de São Paulo, na tarde desta segunda-fei

247 – Acabam de sair os números oficiais do Ibope. A presidente Dilma Rousseff (PT) segue na liderança, com 34% das intenções de voto, seguida pela candidata do PSB, Marina Silva, com 29%, enquanto o senador Aécio Neves, do PSDB, aparece com 19%. 

No entanto, no segundo turno, Marina seria eleita, com 45% dos votos, contra 36% de Dilma. Numa simulação entre Dilma e Aécio, a presidente venceria por 41% a 35%.

Foram entrevistados 2.506 eleitores, entre 23 e 25 de agosto.

Leia, abaixo, reportagem da Reuters:

Marina supera Aécio em 10 pontos no 1º turno e venceria Dilma no 2º turno, diz Ibope 

SÃO PAULO (Reuters) - A primeira pesquisa Ibope com Marina Silva oficialmente na corrida presidencial mostrou a candidata do PSB com 29 por cento das intenções de voto, 10 pontos percentuais à frente de Aécio Neves (PSB), que tem 19 por cento, e próxima da líder Dilma Rousseff (PT), com 34 por cento.

A sondagem, divulgada nesta terça-feira no site do jornal O Estado de S.Paulo, mostra Marina ainda com mais força do que em pesquisa Datafolha da semana passada, quando ela tinha 21 por cento, em empate técnico com Aécio, com 20 por cento, mas bem atrás de Dilma, que tinha 36 por cento.

Em simulação de segundo turno da pesquisa Ibope, Marina venceria Dilma por 45 a 36 por cento. Se o confronto fosse entre a presidente e o tucano, Dilma venceria por 41 a 35 por cento.

A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

(Por Alexandre Caverni)

Poder Gisele Federicce Tue, 26 Aug 2014 16:41:35 +0000 http://www.brasil247.com/151385
PSB reconhece que Campos e Marina voaram fora da lei http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/151391 : Em nota, partido afirma que o jato PR-AFA foi cedido à campanha por dois amigos de Eduardo Campos, os empresários João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho, parente de usineiros, e Apolo Santana Vieira, que importa pneus chineses; a situação fere a legislação porque a aeronave não estava registrada como táxi aéreo; sobre o fato de as despesas não terem sido declaradas ao TSE, o partido presidido por Roberto Amaral afirma que isso seria feito depois da campanha eleitoral; como a mudança na propriedade do avião não foi comunicada à seguradora, indenizações e reparações não devem ser pagas às vítimas do desastre <br clear="all"> :

247 – O PSB reconheceu em nota, nesta terça-feira 26, que Eduardo Campos e Marina Silva voaram sob irregularidades no jato de prefixo PR-AFA, em que estava o candidato do partido à Presidência da República quando morreu, no dia 13 de agosto. Foi o primeiro comunicado oficial do PSB sobre a polêmica que envolve irregularidades no uso da aeronave.

Assinado pelo presidente da legenda, Roberto Amaral, o comunicado informa que o avião foi emprestado por dois empresários, João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho e Apolo Santana Vieira, amigos do ex-governador de Pernambuco, à campanha. A situação fere a legislação, uma vez que a aeronave não estava registrada como táxi aéreo.

Em resposta à denúncia de que o partido não havia declarado as despesas de uso do jato ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o que é obrigatório, o PSB respondeu que isso seria feito após o término da campanha, "considerando o pressuposto óbvio" de que o avião seria usado até lá. 

Como a mudança na propriedade do avião não foi comunicada à seguradora, indenizações e reparações não devem ser pagas às vítimas do desastre, que deixou sete mortos em Santos, no litoral paulista. 

Leia abaixo a íntegra da nota:

NOTA OFICIAL - 26/08/2014
O Partido Socialista Brasileiro esclarece:

A aeronave de prefixo PR-AFA, em cujo acidente faleceu seu presidente, Eduardo Henrique Aciolly Campos, nosso candidato à presidência da República, teve seu uso — de conhecimento público -- autorizado pelos empresários João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho e Apolo Santana Vieira.

Nos termos facultados pela legislação eleitoral, e considerando o pressuposto óbvio de que seu uso teria continuidade até o final da campanha, pretendia-se proceder à contabilização ao término da campanha eleitoral, quando, conhecida a soma das horas voadas, seria emitido o recibo eleitoral, total e final.

A tragédia, com o falecimento, inclusive, de assessores, impôs conhecidas alterações tanto na direção partidária quanto na estrutura e comando da campanha, donde as dificuldades enfrentadas no levantamento de todas as informações que são devidas aos nossos militantes e à sociedade brasileira.

Brasília, 26 de agosto de 2014

Roberto Amaral, presidente Nacional do Partido Socialista Brasileiro

Brasil Gisele Federicce Tue, 26 Aug 2014 17:18:06 +0000 http://www.brasil247.com/151391
FHC fez consulta pró-Arruda a Gilmar Mendes http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/151404 : Ex-presidente Fernando Henrique admite em nota ter procurado ministro do STF para saber se julgamento do candidato impugnado a governador de Brasília José Roberto Arruda (PR) seria apreciado pela corte a tempo de ele concorrer às eleições; "Apenas indaguei ao ministro Gilmar se havia chance de isso ocorrer", admitiu o líder tucano; em 2012, ex-presidente Lula foi cercado de críticas sob acusações de ter procurado Mendes para discutir o processo do chamado mensalão; "Fiquei escandalizado", disse Gilmar; agora, ministro reconhece que "praticamente todos os políticos" querem saber sua opinião sobre aplicação da Ficha Limpa; Arruda está sendo julgado esta noite pelo TSE <br clear="all"> :

247 – O ex-presidente Fernando Henrique admitiu em nota divulgada nesta terça-feira 26 ter procurado o ministro Gilmar Mendes, do STF, a pedido do candidato a governador de Brasília José Roberto Arruda, do PR. A intenção era saber se havia condições de o Supremo julgar o recurso de Arruda contra a cassação de sua candidatura, com base na lei da Ficha Limpa.

- O ex-governador Arruda falou comigo a respeito de seu recurso ao TSE. Queria que o julgamento ocorresse a tempo de, se favorável, concorrer ao governo de Brasília. Como sempre, sou muito cuidadoso nessas matérias. Apenas indaguei o ministro Gilmar se havia chance de isso ocorrer. Fui informado de que haveria um julgamento anterior que pré-julgaria o caso. Nada mais pedi a ninguém nem nada mais me foi dito, disse FHC em texto ao jornal Folha de S. Paulo.

O problema, para ele, é que, em 2012, protagonista de uma situação do mesmo tipo, o ex-presidente Lula foi execrado por ter supostamente pressionado o mesmo ministro a trabalhar para adiar a apreciação do julgamento do chamado mensalão, a Ação Popular 470.

- Fiquei escandalizado, resumiu, naquele momento, o ministro do STF.

Em um diálogo telefônico que foi gravado, o ex-governador Arruda disse ao advogado Eri Varela que o ex-presidente tucano estava "trabalhando" a seu favor. Em contas feitas a Varela, que também é advogado do ex-governador do DF Joaquim Roriz, Arruda disse estar temeroso pelo resultado de seu julgamento, marcado para esta terça-feira, a partir das 19h00, no Tribunal Superior Eleitoral:

- É mais difícil conseguir quatro votos no TSE do que um milhão de votos para governador de Brasilia.

O advogado concordou com o candidato que está impugnado pela Justiça de que as chances de vitória hoje são pequenas. Ele, no entanto, deu esperanças de que a situação pode ser revertida no Superior Tribunal de Justiça.

O ministro Mendes, que quando foi procurado por Lula revelou o encontro como um assédio à sua independência, afirmou, sobre o telefonema que FHC admitiu ter dado, que não se lembre especificamente desta ligação. Ele preferiu generalizar:

- Praticamente todos os políticos me perguntam sobre a lei da Ficha Limpa, procurou justificar.

Brasília 247 Aline Lima Tue, 26 Aug 2014 19:23:05 +0000 http://www.brasil247.com/151404
Filho de ex-deputado do PSB financiou avião de Campos http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/151402 : Os empresários João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho e  Apolo Santana Vieira, apontados pelo PSB como proprietários do jato PR-AFA, que caiu no último dia 13 matando o ex-governador e presidenciável Eduardo Campos e outras seis outras pessoas, realizaram vários empréstimos para poderem adquirir a aeronave. Lyra, que assumiu parte do financiamento, é filho do ex-deputado socialista Luiz Piauhylino e irmão de criação de Luiz Piauhylino Monteiro Filho, que emprestou R$ 325 mil para a aquisição da aeronave; uma das empresas ligadas a Apolo Santana, a Bandeirantes Companhia de Pneus, teve os seus incentivos fiscais mantidos em 2011 por meio do programa de incentivos fiscais pernambucanos, o Prodepe, durante o segundo mandato de Campos <br clear="all"> :

Pernambuco 247 - Os empresários apontados pelo PSB como proprietários do jato PR-AFA, que caiu no último dia 13 no litoral paulista matando o ex-governador e presidenciável Eduardo Campos e seis outras pessoas, realizaram vários empréstimos para poderem adquirir a aeronave que estava sendo utilizada na campanha socialista. Por meio de nota, os empresários João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho, parente de usineiros, e Apolo Santana Vieira, que importa pneus chineses; confirmaram que realizaram vários empréstimos para "honrar compromisso com a empresa A.F. Andrade", responsável pelo leasing junto a Cessna.Lyra, que assumiu parte do financiamento, é filho do ex-deputado socialista Luiz Piauhylino e irmão de criação de Luiz Piauhylino Monteiro Filho, que emprestou R$ 325 mil para a aquisição da aeronave. Uma das empresas ligadas a Apolo Santana, a Bandeirantes Companhia de Pneus, teve os seus incentivos fiscais mantidos em 2011 por meio do programa de incentivos fiscais pernambucanos, o Prodepe, durante o segundo mandato de Campos. 

Os empréstimos para o pagamento das parcelas em atraso do leasing foram confirmados pela empresa pernambucana Ele Leite Ltda, que depositou R$ 727.797,03 mil, através de TED, para a empresa paulista A.F. Andrade, no dia 15 de maio de 2014. "A referida quantia foi um empréstimo ao empresário pernambucano João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho", diz a nota enviada à imprensa.

Já o advogado pernambucano Luiz Piauhylino Monteiro Filho, também em nota, diz que firmou "contrato de empréstimo pessoal com o o sr. João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho, no valor de R$ 325 mil, para que ele honrasse compromissos empresariais. Por disposição contratual a transferência bancária (TED) no valor do empréstimo foi feita no mês de junho em favor da empresa A.F. Andrade".

Também por meio de nota, o empresário pernambucano João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho "confirmou, nesta terça-feira (26), que para honrar compromisso com a empresa A.F. Andrade, fez vários empréstimos junto a empresários pernambucanos. Os valores recebidos foram para pagar parcelas vencidas do leasing do avião Cessna Citation 560 XL, para permitir que a Cessna, financiadora da aeronave, agilizasse a operação de venda", diz o texto.

Em meio a empréstimos, também se especula se o fato da empresa bandeirantes Companhia de Pneus S.A. estar incluída no rol das empresas beneficiadas pelo Prodepe pode ter alguma ligação com o empréstimo da aeronave para o uso na campanha de Campos à Presidência da República.

A Bandeirantes Renovadora de Pneus teve os seus benefícios fiscais aprovados no final de 2006, pelo então governador e hoje deputado federal Mendonça Filho (DEM). Os benefícios fiscais eram válidos por sete anos, estendendo-se até 2013. Em 2011, porém, a empresa passou a chamar-se Bandeirantes Companhia de Pneus. Com a mudança, a empresa pediu a sua permanência do seu enquadramento no Prodepe. Campos assinou um decreto mantendo a fruição dos benefícios até o prazo incialmente previsto.

Confira abaixo as notas encaminhas à imprensa sobre o assunto:

Nota da empresa Ele Leite Ltda

A empresa pernambucana Ele Leite Ltda confirmou, nesta terça-feira (26), que depositou R$ 727.797,03 mil, através de TED, para a empresa paulista A.F. Andrade, no dia 15 de maio de 2014. A referida quantia foi um empréstimo ao empresário pernambucano João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho.

Nota do empresário João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho

O empresário pernambucano João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho confirmou, nesta terça-feira (26), que para honrar compromisso com a empresa A.F. Andrade, fez vários empréstimos junto a empresários pernambucanos. Os valores recebidos foram para pagar parcelas vencidas do leasing do avião Cessna Citation 560 XL, para permitir que a Cessna, financiadora da aeronave, agilizasse a operação de venda.

Nota do advogado pernambucano Luiz Piauhylino Monteiro Filho

Informo que no dia 14 de maio deste ano firmei contrato de empréstimo pessoal como o sr. João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho, no valor de R$ 325 mil, para que ele honrasse compromissos empresariais. Por disposição contratual a transferência bancária (TED) no valor do empréstimo foi feita no mês de junho em favor da empresa A.F. Andrade.

 

Pernambuco 247 Paulo Emílio Tue, 26 Aug 2014 19:45:58 +0000 http://www.brasil247.com/151402
Skaf cresce, mas Alckmin ainda venceria em 1º turno http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/151407 : Pesquisa Ibope para eleição de governador de São Paulo mostra manutenção de 50% de intenções de voto para o candidato do PSDB; mas ex-presidente da Fiesp, pelo PMDB, cresce nove pontos em relação a levantamento de julho, chegando agora a 20%; Paulo Skaf ganha fôlego; ex-ministro Alexandre Padilha, do PT, não decola e mantém os 5% registrados na pesquisa anterior; ele apresentou 26% de taxa de rejeição, contra 19% de Alckmin e 12% para Skaf <br clear="all"> :

247 – Manutenção, recuperação e parada. A pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira 26 apontou estas três situações para os três principais candidatos a governador de São Paulo. Com os mesmos 50% de intenções entre o levantamento de julho e o divulgado hoje, o governador Geraldo Alckmin estaria reeleito já em primeiro turno.

Por outro lado, o Ibope mostrou uma forte recuperação de fôlego do candidato Paulo Skaf, do PMDB. Ele subiu nove pontos em relação à pesquisa anterior e marcou 20% agora. Skaf tem posicionado sua campanha em críticas duras à gestão de Alckmin. O resultado estimula a acentuação desse discurso.

O levantamento mostrou que o ex-ministro Alexandre Padilha continua com dificuldades para decolar nas preferências do eleitorado. Com 5% no Ibope de julho, agora, mesmo depois do início do horário eleitoral gratuito, ele pontou outra vez no mesmo patamar. Um resultado considerado aquém do potencial histórico do PT no Estado.

No levantamento espontâneo, Alckmin marcou 29%, Skaf obteve 9% e Padilha ficou com 3%. Em termos de rejeição, Padilha teve o maior índice, de 26%, contra 19% para Alckmin e 12% de Skaf.

A pesquisa foi realizada entre os dias 23 e 25 de agosto. Foram entrevistados 1.512 eleitores em 79 municípios do estado.

SP 247 Aline Lima Tue, 26 Aug 2014 19:48:24 +0000 http://www.brasil247.com/151407
Defensoria cobra Richa após rebelião em Cascavel http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/151412 : Após cinco presos da Penitenciária Estadual de Cascavel (PR) terem sido mortos, 25 pessoas feridas e dois agentes penitenciários terem sido feitos reféns durante uma rebelião que durou mais de 40 horas e destruiu boa parte da unidade prisional, a Defensoria Pública do Paraná espera que o governo estadual adote medidas já reivindicadas há tempos, como a contratação de mais agentes penitenciários <br clear="all"> :

Alex Rodrigues - Repórter da Agência Brasil

Após cinco presos da Penitenciária Estadual de Cascavel (PR) terem sido mortos, 25 pessoas feridas e dois agentes penitenciários terem sido feitos reféns durante uma rebelião que durou mais de 40 horas e destruiu boa parte da unidade prisional, a Defensoria Pública do Paraná espera que o governo estadual adote medidas já reivindicadas há tempos, como a contratação de mais agentes penitenciários.

"Vamos procurar discutir com o governo formas de resolver problemas crônicos, como a falta de agentes penitenciários, mas não descartamos, se necessário, entrar com uma ação judicial", disse o defensor público Eduardo Abraão "A defensoria vai tomar as medidas que forem necessárias para tentar contornar esse problema, pois se certas medidas já eram necessárias, agora, se tornaram extremamente urgentes".

Abraão e uma equipe da Defensoria Pública de Cascavel acompanham a situação desde o início da rebelião. Ontem (25), ao entrar no presídio após o fim do motim, o defensor diz ter se deparado com "um cenário de calamidade; um quadro de guerra".

Segundo Abraão, os presos alegavam diversas razões para fazerem dois agentes penitenciários de reféns. "Não havia uma única suposta causa, assim como não havia uma liderança bem identificada. Eles reclamavam da falta de material de higiene, da má qualidade da comida e até do descumprimento de alguns direitos, como ao estudo, ao trabalho e até ao banho de sol. Direitos que vinham sendo limitados em função do diminuto número de agentes penitenciários na unidade".

De acordo com Abraão, a reclamação de presos quanto à impossibilidade de estudar e até trabalhar é recorrente entre presos de várias unidades prisionais do estado. "Pelo que acompanhamos no nosso dia a dia, o número limitado de agentes penitenciários nas poucas unidades tem paralisado ou diminuído a oferta desses direitos".

As observações do defensor público são reiteradas pelo presidente da seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Cascavel, Juliano Murbach. Segundo ele, a rebelião foi uma "tragédia anunciada" e a entidade apoiará qualquer medida que a Defensoria Pública julgar necessária para motivar o Poder Público a adotar medidas eficientes e concretas para garantir a segurança dos presídios.

"Se o estado [do Paraná] não fizer os investimentos necessário, corremos o risco de ver novos episódios como esse. A OAB e a imprensa, há tempos, vêm alertando para as dificuldades do sistema carcerário estadual – que não é o pior do país, melhorou muito, mas tem seus defeitos e não é de hoje. Faltam mais investimentos, faltam agentes penitenciários, presídios, qualidade", disse Murbach à Agência Brasil, confirmando que, durante a rebelião, as queixas mais comuns diziam respeito à má qualidade da comida e ao comportamento violento de alguns agentes.

"Essa rebelião foi um acontecimento catastrófico. Quer seja pelo número de presos envolvidos, quer seja pelo aparato policial necessário para reprimir essa rebelião. Claro que tivemos mortos, feridos e uma penitenciária gigante foi destruída, mas a tranquilidade dos negociadores, de ambos os lados, ajudou que o episódio não se tornasse ainda pior", concluiu Murbach.

Em nota, a Secretaria Estadual de Justiça informou que seis novas cadeias públicas e seis centros de integração social estão sendo construídos em conformidade com conceitos arquitetônicos que tornarão as novas unidades mais seguras e adequadas às exigências da Lei de Execução Penal.

Paraná 247 Gisele Federicce Tue, 26 Aug 2014 19:49:40 +0000 http://www.brasil247.com/151412
Marina, será que eles poderão trocar de CNPJ? http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151364 : Com multas bilionárias aplicadas pela Receita Federal, empresas como o banco Itaú, de Roberto Setúbal, grupo Globo, de João Roberto Marinho, e Natura, do ex-vice de Marina Silva Guilherme Leal, observam exemplo do PSB; partido fechou comitê financeiro anterior à nova candidata e agora abre outro CNPJ – o registro de pessoas jurídicas – para superar histórico de contas e arrecadações e começar vida nova, sem passivos a saldar; entre as três grandes empresas mordidas pelo Leão, todas apostam em Marina agora; será que ela vai apoiar mudanças de CNPJ como a que seu partido quer fazer? <br clear="all"> :

247 – Depois que o PSB anunciou a fórmula que está usando para encerrar o passado de arrecadações e despesas da campanha do ex-governador Eduardo Campos, com o fechamento formal do comitê financeiro e abertura de outro, com novo CNPJ (o número de registro de pessoas jurídicas), pelo menos três grandes empresas que pertencem ao campo de influência da candidata Marina Silva podem estar tentadas a fazer o mesmo.

Com uma multa a pagar de nada menos de R$ 18,7 bilhões à Receita Federal, por conta de impostos considerados não recolhidos pela fusão com o Unibanco, o banco Itaú tem esse problema em seu CNPJ. A alternativa encontrada pelo PSB, com a anuência de Marina, que já começa uma nova corrida de arrecadação, pode interessar.

No mesmo caso está uma companhia muito próxima da candidata. A Natura, do empresário Guilherme Leal, que foi candidato a vice de Marina em 2010, igualmente tem problemas com o Fisco. No ano passado, a empresa recebeu uma conta de R$ 628 milhões por IPI e Pis não recolhidos. Um CNPJ zero quilômetro também cairia bem para superar essa situação.

Para as Organizações Globo, que jamais esconderam sua oposição à presidente Dilma Rousseff e, nessa medida, veem com simpatia a opção Marina, uma suavização no apetite do Leão igualmente seria positiva. A emissora perdeu no ano passado recurso contra a receita de R$ 730 milhões, em razão de impostos não recolhidos pela transmissão da Copa do Mundo de 2002.

Se a moda lançada pelo PSB de Marina pegar, com o passado menos transparente sendo jogado no lixo da história para a abertura de um futuro novo em folha, a fila para trocar de CNPJ deverá ser grande.

Poder Aline Lima Tue, 26 Aug 2014 14:27:07 +0000 http://www.brasil247.com/151364
Veja adianta Ibope, que aponta “especulação” http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/151365 : Instituto divulga nota informando que resultado da pesquisa que será divulgada hoje à noite e foi adiantado pelo jornalista Lauro Jardim, da coluna Radar on-line, "trata-se de especulação, visto que a pesquisa ainda não foi finalizada"; colunista do Estadão José Roberto de Toledo fala em "jornalismo de imprecisão"; Veja diz que Marina Silva alcança a presidente Dilma na mostra <br clear="all"> :

247 – O instituto Ibope definiu como "especulação" o resultado da pesquisa presidencial adiantado nesta tarde pelo jornalista Lauro Jardim, da coluna Radar on-line. De acordo com o colunista, a candidata do PSB, Marina Silva, alcançou a presidente Dilma Rousseff (PT) na mostra que será divulgada hoje à noite, no Jornal Nacional.

"A pesquisa mostrará que Dilma tem entre 31% e 32%, Marina entre 27% e 28% e Aécio Neves entre 18% e 20% da intenção de votos. No segundo turno, Marina aparecerá com dois dígitos à frente de Dilma", escreve Lauro Jardim.

Ao republicar o resultado divulgado por Veja, que divulgou os números no Twitter com a frase: "Exclusivo – confira o resultado do Ibope", o colunista do Estadão José Roberto de Toledo criticou: "jornalismo de imprecisão". Em outra mensagem, escreveu: "'Barriga' todo jornalista está sujeito a dar. Publicar a correção, porém, é que são elas".

Confira abaixo a nota divulgada pelo Ibope:

Caros,

Em relação à nota publicada hoje às 12h58 pelo jornalista Lauro Jardim em seu blog, esclarecemos que trata-se de especulação, visto que a pesquisa do IBOPE ainda não foi finalizada.

Mídia Aline Lima Tue, 26 Aug 2014 14:35:18 +0000 http://www.brasil247.com/151365
FHC quer “aliança” com Marina caso Aécio seja eleito http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151342 : Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, principal cabo eleitoral de Aécio Neves, disse nesta segunda-feira que "gostaria de ter uma aliança" com a ex-senadora Marina Silva caso o tucano seja eleito presidente, informa a jornalista Mônica Bergamo; o ex-presidente comentava as declarações de Eduardo Giannetti, conselheiro econômico de Marina, que disse que buscaria FHC e Lula em um eventual governo da candidata do PSB; "No mandato do Aécio eu gostaria muito de ter a aliança da Marina", disse; "A recíproca é verdadeira", acrescentou <br clear="all"> :

247 – O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou nesta segunda-feira que "gostaria de ter uma aliança" com Marina Silva em um eventual governo de Aécio Neves (PSDB). A informação é da jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

FHC deu a declaração enquanto comentava o que disse Eduardo Giannetti, conselheiro econômico da candidatura de Marina, em entrevista nesta segunda-feira. Segundo ele, caso a ex-senadora vença as eleições, o PSB buscará o apoio de FHC e Lula para governar.

"A recíproca é verdadeira", respondeu Fernando Henrique. "No mandato do Aécio eu gostaria muito de ter a aliança da Marina", declarou, ao deixar evento da Comissão Global de Políticas sobre Drogas, na capital paulista.

Ontem, o candidato do PSDB, Aécio Neves, respondeu de forma diferente à declaração de Gianneti. O tucano ironizou a busca de apoio de FHC e Lula e declarou que o que irá prevalecer será o "software original" e que só o PSDB possui as "figuras qualificadas" e o melhor programa para governar o Brasil.

Poder Gisele Federicce Tue, 26 Aug 2014 11:46:42 +0000 http://www.brasil247.com/151342
A escolha de Aécio: reagir agora ou abrir passagem http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151267 : Presidenciável do PSDB está desafiado a ignorar conselhos de ex-presidente Fernando Henrique, que não quer ver adversária Marina Silva "melindrada", e avaliações como a do ex-ministro Luiz Carlos Mendonça de Barros, que vê "muitas semelhanças" entre plataforma econômica da candidata do PSB e a dos tucanos; após perder segundo posto para adversária em pesquisa Datafolha, Aécio Neves corre risco de aparecer mais atrás em próximos levantamentos dos institutos Ibope e MDA; o máximo que senador mineiro disse até agora foi que Marina parece uma onda; "as ondas vêm", lembrou, como quem quer dizer que também vão embora; estilo 'pega leve' pode garantir ultrapassagem definitiva de Marina sobre ele; como Aécio vai reagir diante da maior encruzilhada de sua vida política? <br clear="all"> :

Marco Damiani _ 247 – O presidenciável Aécio Neves está diante do maior desafio político de sua campanha – e, pelo tamanho do prêmio, de sua vida pública.

A percorrer o caminho suave apontado por conselheiros como o presidente Fernando Henrique, que não quer ver a candidata Marina Silva, do PSB, "melindrada", ou ouvir vozes influentes na formulação econômica tucana, como o ex-ministro Luiz Carlos Mendonça de Barros, que vê "muitos pontos em comum" na plataforma dos dois candidatos, Aécio pode estar frito. As fórmulas que preservam de crítica a nova concorrente servem, sem dúvida, a um certo projeto de tornar o PSDB uma legenda que, conscientemente, abriria passagem aos 'marineiros', agora, e daria apoio à eventual gestão, mais tarde, da adversária no Palácio do Planalto. Mas isso interessa mesmo a Aécio?

Nesta segunda-feira 25, ao mesmo tempo, em entrevistas para dois dos principais jornais do País, dois dos mais destacados envolvidos na campanha de Marina manifestaram agrado por essa estratégia que, a eles, soa como música. Tanto o presidente do PSB, o experiente Roberto Amaral, na Folha de S. Paulo, como o professor Eduardo Gianetti, credenciado como o maior formulador da plataforma econômica da candidata, no Valor Econômico, falaram em "governar com as franjas do PT e do PSDB", num recado que, a esta altura, só serve para os quadros qualificados desta última agremiação.

Ao contrário de chefes tucanos como FHC, não houve no PT quem manifestasse alguma simpatia pela candidatura de Marina. Ao contrário, a entrada na disputa correspondeu a respostas diretas e indiretas da própria candidata Dilma Rousseff na oposição ao nome do PSB. Citando Marina, a presidente disse que a ela falta "experiência administrativa".

Na tarde desta segunda 25, no Palácio do Planalto, respondendo a jornalistas, Dilma afirmou, de maneira enviesada, que um candidato que não se preocupa com a gestão não serve para ser presidente do Brasil, mas apenas "para Rainha da Inglaterra". Em outras palavras, para conter o esperado crescimento de Marina, Dilma começou a 'bater' nela. Em seguida, cobrou da candidata do PSB explicações formais sobre a situação do jatinho em que Eduardo Campos morreu - e o qual a própria Marina fez uma série de viagens de campanha.

E AÉCIO? A ele interessa a proposta de 'pegar leve' com a candidata do PSB, como pregam alguns de seus próprios correligionários que veem, nesta eleição, como objetivo maior, a derrota do PT? Terá valido a pena deixar uma eleição considerada segura para governador de Minas para, a esta altura, manter apenas Dilma como adversário e preservar Marina? Não seria está a maneira mais acertada de, apenas, ficar com um inútil terceiro lugar?

Em São Paulo, um Estado chave especialmente para os tucanos, que o governam a 20 anos, outros quadros importantes já se assanham com a iniciativa de preservar Marina. Ela é do interesse integral do ex-governador e candidato a senado José Serra, que poderia figurar, de acordo com as insinuações de Amaral e Gianetti, num futuro governo Marina. Também atendem aos projetos do governador Geraldo Alckmin. Uma vez reeleito, e com Aécio mantido como senador, o paulista seria a primeira alternativa tucana para a Presidência da República em 2018.

Ainda que com uns dias de atrás, e em seu estilo matreiro, o próprio Aécio parece estar percebendo que deixar Marina livre de críticas não é nada bom para ele mesmo. Depois de enfrentar uma reunião com o comando dos tucanos, em São Paulo, que chegou a uma conclusão em cima do muro – esperar as próximas pesquisas para ver como é que fica --, Aécio disse hoje, no Rio de Janeiro, sem citar Marina, que ela pode ser somente "uma onda nesse mar lindo", significando que o fenômeno eleitoral quem ela já representou na eleição passada tem chances de ser passageiro agora. Isso ainda é muito pouco, se é que é uma crítica.

Para esta semana, espera-se a divulgação de duas novas pesquisas eleitorais – Ibope e CNT/MDA. Segundo as projeções e rumores, Marina abriria margem sobre Aécio e ainda obteria um desempenho considerado excelente em São Paulo.

Até a publicação dos números, não há como dimensionar o tamanho do problema que o neto do presidente eleitTancredo Neves terá pela frente. Mas com o que se tem até aqui, já se sabe que ele não é pequeno.
Com a unção de Marina no lugar do ex-governador Eduardo Campos, morto em acidente aéreo na quarta-feira 13, Aécio pela primeira deixou, nesta corrida eleitoral, de ser a melhor perspectiva de poder para os que querem tirar do Palácio do Planalto a presidente Dilma e o PT. E também é ele que tem o desafio de renovar o entusiasmo do PSDB pela sua própria candidatura, antes que, à espera da próxima pesquisa, e da próxima e da próxima, os tucanos fiquem no muro assistindo Marina passar.

Poder Aline Lima Tue, 26 Aug 2014 10:22:03 +0000 http://www.brasil247.com/151267
Costa pode desistir de delação premiada http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/151326 : Ex-diretor da Petrobras, preso na Operação Lava Jato, havia decidido na última sexta-feira aceitar o acordo em que contaria tudo o que sabe em troca de uma pena menor; sua nova advogada, especialista no assunto, afirma agora que ainda não há nada definido; "Vamos avaliar qual a melhor linha de defesa e não há qualquer proposta de acordo", disse Beatriz Catta Preta; advogado Marcio Thomaz Bastos, ex-ministro da Justiça, foi contratado por um pool de empreiteiras liderado pela Camargo Corrêa para tentar fazer Costa desistir da delação <br clear="all"> :

247 – Quatro dias depois de ter anunciado a decisão de aceitar a delação premiada – quando o preso diz tudo o que sabe, às vezes entregando até provas, para que leve à condenação e prisão de outras pessoas – o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, preso na Operação Lava Jato, pode voltar atrás.

A informação é de que o ex-ministro da Justiça Marcio Thomaz Bastos foi contratado como advogado por um pool de empreiteiras, liderado pela Camargo Corrêa, para tentar fazer Costa desistir da decisão. Caso aceite o acordo, o ex-diretor da Petrobras irá expor a relação da estatal com diversas empresas.

A nova advogada de Costa, especialista em delação premiada, diz agora que ainda não há nenhum acordo definido. "Esta é uma decisão muito pessoal do denunciado e nada foi definido. Vamos avaliar qual a melhor linha de defesa e não há qualquer proposta de acordo", disse Beatriz Catta Preta.

"Se optar pela delação premiada, Costa terá de negociar as bases do acordo com o Ministério Publico Federal, que vai avaliar quais informações relevantes que ele poderá prestar em troca de atenuantes à sua condição de denunciado", acrescentou.

A decisão anunciada na sexta-feira levou o atual advogado do caso, Nélio Machado, a ameaçar deixar a causa, por ser contra o acordo. Ele acredita que Paulo Roberto Costa não comentou nenhum crime e por isso não concorda com o regime.

Brasil Ana Pupulin Tue, 26 Aug 2014 09:34:48 +0000 http://www.brasil247.com/151326
Veritá: Marina Silva venceria as eleições no DF http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/151328 : Pesquisa aponta candidata do PSB na liderança da disputa ao Planalto no Distrito Federal, com 43,8% das intenções de votos válidos; presidente Dilma Rousseff aparece em segundo lugar, com 26,6%, seguida de perto por Aécio Neves, com 25,8%; nas eleições para governador, José Roberto Arruda (PR) venceria, com 44,5% dos votos válidos, seguido de Rodrigo Rollemberg (PSB), com 23,2%, e do governador Agnelo Queiroz (PT), com 22,9%; números, no entanto, podem mudar caso o TSE rejeite a candidatura de Arruda <br clear="all"> :

Brasília 247 – A candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, venceria a disputa no Distrito Federal caso as eleições ocorressem hoje. A ex-senadora lidera a disputa ao Palácio do Planalto, com 43,8% das intenções de votos válidos, de acordo com a pesquisa do Instituto Veritá divulgada nesta terça-feira 26.

Em segundo lugar está a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, com 26,6% das intenções de voto. Ela é seguida de perto pelo candidato do PSDB, senador Aécio Neves, que registrou 25,8% dos votos válidos no DF. Pastor Everaldo, do PSC, teria 2,3% dos votos. Os outros candidatos registraram menos de 1%.

Nas eleições para governador, o candidato do PR, José Roberto Arruda, continua na liderança isolada, com 44,5% das intenções de votos válidos, aponta o Veritá. Ele é seguido do senador Rodrigo Rollemberg (PSB), que registrou 23,2%. O atual governador do DF, Agnelo Queiroz (PT), tem pouca diferença do pessebista: 22,9%.

Os números da disputa pelo Palácio do Buriti, no entanto, podem mudar completamente caso o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeite a candidatura de Arruda. A Procuradoria Geral Eleitoral se manifestou essa semana contra o registro do candidato com base na Lei da Ficha Limpa devido a condenação por improbidade administrativa. Se ele deixar a corrida eleitoral, pode ser substituído pelo senador Gim Argello (PTB), de acordo com aliados.

Confira abaixo a íntegra da pesquisa do Instituto Veritá:

Brasília 247 Gisele Federicce Tue, 26 Aug 2014 10:19:40 +0000 http://www.brasil247.com/151328
Wagner: "Marina tirou de Aécio a chance de 2º turno" http://www.brasil247.com/pt/247/bahia247/151330 : Governador da Bahia é mais um dos que avaliam que a entrada da ex-senadora Marina Silva (PSB) na disputa pela presidência da República prejudica o candidato do PSDB, Aécio Neves, que sonha em levar as eleições para segundo turno e derrotar a presidente Dilma Rousseff; "Ela (Marina) teve um desempenho em 2010 bastante significativo, com quase 20 milhões de votos. É cedo para saber se esta comoção (com morte de Eduardo Campos) vai se sustentar. Mas, sem dúvida, se tivermos segundo turno, teremos duas mulheres disputando as eleições <br clear="all"> :

Bahia 247 - O governador Jaques Wagner (PT) é mais um dos que avaliam que a entrada da ex-senadora Marina Silva (PSB) na disputa pela presidência da República prejudicam o candidato do PSDB, Aécio Neves, que sonha em levar as eleições para segundo turno e derrotar a presidente Dilma Rousseff, que tenta se reeleger. 

Wagner pondera que "ainda é muito cedo para avaliar o desempenho dos candidatos à presidência", mas reafirma que Marina deve continuar sua escalada na disputa. 

"Ela (Marina) teve um desempenho em 2010 bastante significativo, com quase 20 milhões de votos. É cedo para saber se esta comoção (com morte de Eduardo Campos) vai se sustentar. Mas, sem dúvida, se tivermos segundo turno, teremos duas mulheres disputando as eleições. Vamos aguardar as próximas pesquisas, até porque teremos mais programas de televisão. No segundo turno a disputa é Dilma e Marina".

Como petista que se preze, Jaques Wagner dá uma alfinetada no PSDB. "A temperatura e a preocupação no ninho tucano foi lá para cima".

Em entrevista à rádio Metrópole, o governador da Bahia admite que Marina "é o grande empecilho para Dilma". Ele acredita que ambas as candidatas são fortes concorrentes pelas histórias de vida semelhantes. "Marina deslocou Aécio no primeiro turno. Ela está chegando ao segundo turno. Aí serão duas mulheres com histórias parecidas".

O petista, contudo, vê Marina Silva vulnerável quando o assunto é articulação política com seus aliados. "Marina não tem uma coligação forte".

Bahia 247 Romulo Faro Tue, 26 Aug 2014 10:34:39 +0000 http://www.brasil247.com/151330
PSB blinda Marina e troca CNPJ do comitê financeiro http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151299 : Em meio à polêmica sobre o avião fantasma usado na campanha de Eduardo Campos, partido usa manobra jurídica para afastar pressão sobre nova candidata à presidência, Marina Silva; a responsabilidade de esclarecer caso será do comitê financeiro de Campos, que tinha CNPJ próprio e foi desativado logo após sua morte; ontem, o deputado Marcio França (PSB/SP) afirmou que os documentos sobre a propriedade da aeronave estavam dentro dela e, portanto, foram destruídos; caso se confirme a irregularidade na campanha, Marina poderá ter seu registro impugnado <br clear="all"> :

247 – O PSB quer usar uma manobra jurídica para blindar Marina Silva, nova candidata do partido à Presidência, na polêmica em torno do avião fantasma usado na campanha de Eduardo Campos e da própria Marina.

Sem dono declarado, caso não consiga demonstrar de quem é o avião em que o ex-governador de Pernambuco morreu e como ele era pago pela campanha, o partido estará sujeito à impugnação de sua candidatura.

Mas a sigla acredita ter encontrado um meio de distanciar Marina do caso. A responsabilidade pelos esclarecimentos será do comitê financeiro de Campos, que tinha CNPJ próprio e foi desativado logo após a sua morte.

Um novo comitê financeiro, com outro CNPJ, foi registrado no nome de Marina.

O PSB contratou um escritório de advocacia para cuidar do caso e, até agora, nenhum integrante do partido deu explicações claras sobre o assunto.

Marina pediu mais tempo para esclarecimentos e seu tesoureiro, o deputado Márcio França (PSB/SP), afirmou que os documentos poderiam estar dentro da aeronave (leia mais em "PSB debocha do País: documento estava no avião").

Como o PSB não pretende indicar um dono para a aeronave, as vítimas do acidente, seja os que perderam seus imóveis em Santos (SP) ou os parentes dos ex-colaboradores de Campos que perderam a vida, tendem a ficar sem direito a reparações e indenizações.

Poder Roberta Namour Tue, 26 Aug 2014 06:21:54 +0000 http://www.brasil247.com/151299
Aécio dá prazo de 20 dias para se isolar no 2° lugar http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/151300 : Presidenciável tucano diz que Marina Silva, nova candidata do PSB, vive uma “onda” que vai passar: “As pesquisas que virão após os debates, em 15 ou 20 dias, darão um quadro mais real”, afirmou Aécio Neves; ele lembra que no início do ano ninguém achava que teria segundo turno e a eleição estava ganha pela atual presidente Dilma Rousseff; 'Depois surgiu o fenômeno de uma candidatura nova do Eduardo Campos, que seria avassaladora, o que acabou não acontecendo. Veio o avanço nosso, se consolidando o lugar no segundo turno. Agora vem o episódio Marina', completou <br clear="all"> :

247 – O presidenciável tucano Aécio Neves voltou a minimizar o impacto do crescimento de Marina Silva nas pesquisas. Segundo ele, a nova candidata do PSB vive uma “onda” que vai passar e deu um prazo de até 20 dias para se isolar no 2° lugar:

“As pesquisas que virão após os debates, em 15 ou 20 dias, darão um quadro mais real. Política e eleições funcionam muitas vezes como esse mar maravilhoso que banha o Rio de Janeiro. As ondas vêm”, disse em entrevista à Rádio Saara.

“No início do ano ninguém achava que teria segundo turno e a eleição estava ganha pela atual presidente, na avaliação inclusive de especialistas. Depois surgiu o fenômeno de uma candidatura nova do Eduardo (Campos), que seria avassaladora, o que acabou não acontecendo. Depois veio o avanço nosso, se consolidando o lugar no segundo turno. Vem o episódio Marina agora”, completou.

O tucano também comentou a recente entrevista dada pelo economista Eduardo Gianetti da Fonseca. Guru de Marina, ele disse que, caso seja eleita, Marina pretende buscar apoio no PT e PSDB para formar suas equipes.

“Não sei se é um bom começo para quem tem que apresentar ou viabilizar propostas. Nós temos as melhores para o Brasil. Temos os melhores quadros para colocá-las em prática, para resolver o drama da saúde pública, melhorar a qualidade da educação e para gerir a economia. Eu fico muito honrado em ouvir referências positivas aos nossos quadros. Mas o que acho que vai prevalecer é o software original. Quem vai governar é o PSDB com seus aliados e, obviamente, com figuras qualificadas e também de outros partidos”, disse.

Minas 247 Roberta Namour Tue, 26 Aug 2014 06:00:12 +0000 http://www.brasil247.com/151300
MP quer que Costa revele relações com políticos http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/151289 : Procuradores esperam obter no acordo de delação premiada com o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa provas de que esquema de propina comandado pelo doleiro Alberto Youssef, preso na operação Lava Jato, beneficiou campanhas eleitorais; Costa apresentou recentemente pedido para que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região reconheça a incompetência do juiz federal Sergio Fernando Moro para acompanhar o caso <br clear="all"> :

247 - O Ministério Público Federal vai priorizar no acordo de delação premiada com o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa a relação do esquema que gerou a operação Lava Jato com políticos. 

Os procuradores querem saber como o suborno do esquema de desvios comandado pelo doleiro Alberto Youssef, também preso, chegava aos servidores públicos. O órgão espera obter provas de que houve desvio para campanhas eleitorais.

Paulo Roberto Costa entrou com um pedido para que o TRF reconheça a incompetência do juiz federal Sergio Fernando Moro para acompanhar o caso.

Leia aqui na matéria de Felipe Luchete, do Consultor Jurídico, sobre o assunto:

Preso há mais de 130 dias, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa apresentou pedido para que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região reconheça a incompetência do juiz federal Sergio Fernando Moro para acompanhar o caso. A defesa dele considera “inquestionável que a 13ª Vara Federal de Curitiba jamais poderia se ocupar das Ações Penais propostas em desfavor do paciente”, pois nenhum dos fatos imputados a ele em meio à operação lava jato ocorreu no Paraná.

O documento afirma que os autos só fazem referências a São Paulo, Rio de Janeiro — onde fica a sede da Petrobras e a empresa de consultoria de Costa — e Pernambuco — pois a acusação aponta superfaturamento em contratos para a construção da refinaria Abreu e Lima. Ainda segundo a defesa, a ausência de fatos no Paraná foi assumida pela Polícia Federal durante audiência promovida em julho.

O advogado Nelio Machado, um dos que assinam o documento, também argumenta que o cliente “está em condição desumana, encarcerado em dependências da Polícia Federal em Curitiba, longe de seus familiares, os quais podem, pasme-se, visitá-lo às quartas-feiras, por apenas 15 minutos, em parlatório”. Machado não está mais à frente da defesa de Costa desde sexta-feira (22/8) — o HC foi impetrado um dia antes.

Em abril, a revista Consultor Jurídico revelou que Costa (foto) escrevera uma carta a seus advogados relatando ter sido ameaçado por um agente da PF. Ele chegou a ser transferido para a Penitenciária de Piraquara, na região metropolitana da capital paranaense, mas voltou à superintendência da PF cinco dias depois, com apoio da defesa.

Costa foi preso em março, quando foi deflagrada a operação, sendo liberado em maio por decisão do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal. Após as oito Ações Penais sobre o caso voltarem à primeira instância, o juiz Sergio Moro determinou nova prisão do ex-diretor da Petrobras. Os advogados disseram ao TRF-4 que não havia fato novo para adotar “tão drástica medida” e que o cliente não poderia fugir, pois entregara seus passaportes.

Denúncia

O Ministério Público Federal aponta supostos crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas envolvendo empresas que seriam controladas pelo doleiro Alberto Youssef, pivô da operação. Ao receber uma das denúncias, Moro disse que planilhas dessas empresas apontam repasses a Costa quando ele ainda ocupava o cargo de diretor de abastecimento da Petrobras. A defesa nega.

Paraná 247 Roberta Namour Tue, 26 Aug 2014 04:51:34 +0000 http://www.brasil247.com/151289
Youssef não fará acordo de delação premiada http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/151306 : “Não vamos aderir a qualquer acordo que venha a ser fechado com Paulo Roberto Costa. Meu cliente não tem nada a colaborar com a Justiça”, o advogado do doleiro Alberto Youssef, Antônio Figueiredo Basto; preso há cinco meses na operação Lava Jato, ele é acusado de comandar esquema que movimentou aproximadamente R$ 10 bilhões com propina e desvio de verbas <br clear="all"> :

247 - O doleiro Alberto Youssef, preso há cinco meses pela operação Lava Jato, não vai pedir benefícios de delação premiada no processo sobre evasão de divisas e lavagem de dinheiro. As investigações apontam que Youssef e outros três doleiros movimentaram aproximadamente R$ 10 bilhões em esquema de propina e desvio de verbas.

A estratégia de sua defesa não vai seguir a do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, também preso pela Policia Federal.

“Não vamos aderir a qualquer acordo que venha a ser fechado com Paulo Roberto Costa. Meu cliente não tem nada a colaborar com a Justiça. Tivemos uma longa conversa nesta tarde e meu cliente concordou comigo. Sou contra um acordo de delação premiada neste momento. Compreendemos a posição do Costa, e caso ele decida fazer é um direito dele”, disse o advogado Antônio Figueiredo Basto.

O advogado não descartou, porém, uma mudança de ideia ao longo do processo.

Brasil Roberta Namour Tue, 26 Aug 2014 07:04:31 +0000 http://www.brasil247.com/151306
Mantega: "Que crise é essa, com pleno emprego?" http://www.brasil247.com/pt/247/economia/151291 : “Que crise é essa com quase pleno emprego, com valorização da Bolsa [de Valores] há mais de seis meses e com estabilização cambial, entre outros atributos?”, disse o ministro da Fazenda, Guido Mantega, a plateia de empresários; segundo ele, já existem indícios de que a economia voltará a crescer na segunda metade do ano: “É inadequado falar em estagnação, em recessão e, muito menos, em crise da economia brasileira” <br clear="all"> :

Daniel Mello - Repórter da Agência Brasil - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse na noite de ontem (25) que é “inadequado” falar que a economia brasileira passa por uma crise ou mesmo está estagnada. “Que crise é essa com quase pleno emprego, com valorização da Bolsa [de Valores] há mais de seis meses e com estabilização cambial, entre outros atributos?”, enfatizou ao discursar em uma premiação a empresários promovida pelo jornal Valor Econômico, na capital paulista.

De acordo com o ministro, já existem indícios de que a economia voltará a crescer na segunda metade do ano. “Após a desaceleração do segundo trimestre, já está sendo detectada neste segundo semestre a recuperação do nível de atividade. Nestas circunstâncias, podemos falar em crescimento moderado”, avaliou. “É inadequado falar em estagnação, em recessão e, muito menos, em crise da economia brasileira”.

A recuperação foi possível, segundo Mantega, após a desaceleração da inflação que permitiu que o Banco Central afrouxasse a política monetária. “Com a inflação em queda livre e o IPCA [Índice de Preços ao Consumidor Amplo] tendo chegado a praticamente zero em julho, iniciou-se a descompressão da política monetária”. O IPCA de julho foi 0,01%.

Os aumentos da taxa básica de juros e outras medidas tomadas pela autoridade monetária foram, de acordo com Mantega, necessários para combater a alta dos preços, impulsionada pela estiagem de 2013. “A política monetária foi um sucesso como instrumento para combater a pressão inflacionária, mas resultou na queda vertiginosa no crédito às empresas e aos consumidores”, ressaltou.

Apesar da queda no crescimento, Mantega acredita que o país teve um bom desempenho e superou o momento adverso causado, principalmente, pela turbulência no cenário internacional. “Não se pode negligenciar o fato de que vivenciando uma crise internacional tão grave quanto a de 1929 e o Brasil tenha se saído tão bem em comparação com as crises do passado”, analisou.

“Apostamos na queda dos juros, na redução de tributos, mantivemos o câmbio flutuante evitando o excesso de valorização do Real”, citou sobre as medidas tomadas para combater os efeitos da crise. Mesmo assim, Mantega ressaltou que o governo não abriu mão do sistema de metas de inflação e da sustentabilidade macroeconômica. “Temos cumprido à risca as metas de inflação, pois não ultrapassamos o limite superior da meta nenhuma vez nos últimos dez anos”, enfatizou.

O discurso do ministro foi uma resposta a críticas que as decisões tomadas pelo governo na área da economia vem recebendo de jornalistas, economistas e analistas econômicos e de mercado.

Economia Roberta Namour Tue, 26 Aug 2014 06:44:45 +0000 http://www.brasil247.com/151291
SP tem o 14º aumento consecutivo de roubos http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/151294 : Em junho, houve 25.825 casos de roubos no Estado, ante 22.931 em 2013, o que representa uma alta de 12,6%, ja na capital, crescimento atingiu 20,2% no período, chegando a 13.689 ocorrências; apesar disso, o governo de Geraldo Alckmin (PSDB) vê o balanço como positivo; secretário da Segurança, Fernando Grella, fala em tendência de desaceleração no aumento desse crime devido a operações de saturação no policiamento promovidas pela PM; os homicídios também registraram alta – a primeira em cinco meses; de 6,75% no Estado, com 322 casos; e 3,61% na cidade, com 86 casos <br clear="all"> :

247 - O Estado e a capital de São Paulo registraram no mês de julho a 14ª alta consecutiva de roubos, segundo dados divulgados nesta segunda-feira (25) pela SSP (Secretaria da Segurança Pública).

No mês passado, houve 25.825 casos de roubos no Estado, ante 22.931 de julho de 2013, o que representa uma alta de 12,6%. Na cidade, o número de roubos cresceu 20,2% no período, chegando a 13.689 casos.

Apesar disso, o governo de Geraldo Alckmin (PSDB) vê o balanço como positivo. O secretário da Segurança, Fernando Grella, fala em tendência de desaceleração no aumento desse crime devido a operações de saturação no policiamento promovidas pela Polícia Militar, chamadas de PrevPaz (Política de Prevenção Criminal e Manutenção da Paz e da Ordem Pública).

Quanto aos homicídios, os casos também registraram alta – a primeira em cinco meses. No Estado, o aumento foi de 6,75%, com 322 casos. Na cidade de São Paulo foi de 3,61%, com 86 casos.

SP 247 Roberta Namour Tue, 26 Aug 2014 05:00:50 +0000 http://www.brasil247.com/151294
Ucrânia convoca eleições para 26 de outubro http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/151290 REUTERS/Mykola Lazarenko/Pool: Ukrainian President Petro Poroshenko chairs a meeting in Kiev July 17, 2014. Ukrainian armed forces were not involved in the Malaysia Airlines passenger plane MH17 being brought down in eastern Ukraine, the presidential press service said on Thursday. Int “Eu decidi prematuramente por fim aos poderes do Parlamento”, informou o presidente ucraniano, Petro Porochenko; ele justificou ainda a sua decisão dizendo que alguns dos atuais deputados são "partidários da rebelião separatista e favoráveis à língua russa na Ucrânia meridional e oriental" <br clear="all"> REUTERS/Mykola Lazarenko/Pool: Ukrainian President Petro Poroshenko chairs a meeting in Kiev July 17, 2014. Ukrainian armed forces were not involved in the Malaysia Airlines passenger plane MH17 being brought down in eastern Ukraine, the presidential press service said on Thursday. Int

Da Agência Lusa - O presidente ucraniano, Petro Porochenko, dissolveu hoje (25) o Parlamento, convocando eleições antecipadas na Ucrânia para 26 de outubro. “Eu decidi prematuramente por fim aos poderes do Parlamento”, informa o site oficial de Porochenko.

A decisão do presidente era esperada, depois do fim da coligação governamental no Parlamento e após o empenho de Porochenko, em 1º de agosto, de convocar eleições legislativas para o outono e não para 2017, como estava inicialmente previsto.

O presidente ucraniano declarou hoje ter o direito de dissolver o Parlamento na medida em que, passado um mês, não se conseguiu formar uma coligação. Porochenko justificou ainda a sua decisão dizendo que alguns dos atuais deputados são "partidários da rebelião separatista e favoráveis à língua russa na Ucrânia meridional e oriental".

Os combates entre forças pró-russas e forças leais a Kiev resultaram em mais de 2.200 mortos, milhares de feridos e centenas de milhares de deslocados e refugiados em quatro meses. Os Serviços de Segurança Ucranianos informaram hoje que os militares prenderam dois paraquedistas russos no Leste da Ucrânia. Os russos serão interrogados em um inquérito criminal.

Em comunicado, os Serviços de Segurança se referiram a soldados da 98ª Divisão Aerotransportada, localizada na Rússia central, que foram presos perto da cidade de Donetsk, o foco das forças pró-russas. “A entrada ilegal na fronteira de cidadãos russos é o motivo que levará as autoridades ucranianas a abrirem o inquérito”, informa o comunicado.

Mundo Roberta Namour Tue, 26 Aug 2014 06:49:48 +0000 http://www.brasil247.com/151290
Temer: Skaf estará com Dilma em palanque de SP http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/151293 : Candidato ao governo de SP pelo PMDB, Paulo Skaf se recusara, até então, a vincular campanha a presidente Dilma Rousseff; o encontro dos dois acontecerá em Jales, no interior paulista, no próximo sábado: “Nós temos aqui, na verdade, uma candidatura de Paulo Skaf que apoia a presidente, por mais que se diga que não. Quando ele declara que vota em Michel Temer, então também vota em Dilma”, garantiu o vice-presidente Michel Temer (PMDB), que tenta minimizar o impasse no Estado <br clear="all"> :

247 - O vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), garantiu a presença do candidato do partido em SP, Paulo Skaf, no palanque da presidente Dilma Rousseff (PT), no próximo sábado.

Até então, Skaf se recusara a fazer campanha ao lado de Dilma. Em debate na TV, ele, inclusive, se recusou a dizer que votaria pela reeleição do PT: “O presidente do meu partido, Michel Temer, é vice na chapa da Dilma. Então, por questão de coerência, meu voto é para o Michel Temer”.

O encontro dos dois acontecerá em Jales, no interior paulista. “Nós temos aqui, na verdade, uma candidatura de Paulo Skaf que apoia a presidente, por mais que se diga que não. Quando ele (Skaf) declara que vota em Michel Temer, então também vota em Dilma”, garantiu Temer, que tenta neutralizar a rebeldia do candidato.

SP 247 Roberta Namour Tue, 26 Aug 2014 06:33:29 +0000 http://www.brasil247.com/151293
Aécio sobre PSB: vai prevalecer o "software original" http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/151263 : Presidenciável tucano ironizou intenções do PSB de Marina Silva; coordenador econômico da campanha, Eduardo Giannetti, disse em entrevista que pretende buscar o apoio de FHC e Lula para governar; Aécio Neves afirmou que a Coligação Muda Brasil, do PSDB, é a única, no entanto, a ter o "software original" para governar o País com eficiência; "Não vejo nenhuma proposta mais bem acabada, bem elaborada e consistente do que a nossa", afirmou o candidato <br clear="all"> :

247 – A Coligação Muda Brasil, que lança o senador Aécio Neves (PSDB) à Presidência, é a única que tem o "software original" para governar o País com eficiência, disse o candidato nesta segunda-feira 25. A declaração foi feita em ironia às intenções demonstradas hoje pelo coordenador econômico da campanha de Marina Silva, do PSB. Ele disse que Marina quer o apoio de FHC e Lula, do PSDB e do PT, para governar.

Aécio, que cumpriu agenda no Rio de Janeiro hoje, com caminhada na região da Saara, disse ficar "muito honrado" em ver sempre "referências positivas aos nossos quadros", mas defendeu que o PSDB é que tem "os melhores quadros para melhorar a qualidade da educação e para gerir a economia".

"Não vejo nenhuma proposta mais bem acabada, bem elaborada e consistente do que a nossa. O Brasil vem vivendo dificuldades graves em relação ao improviso que foi o último governo. Eu tenho certeza que temos a experiência de quem já fez, e quem já fez tem melhores condições de dizer o que vai fazer", declarou ainda Aécio Neves.

Minas 247 Gisele Federicce Mon, 25 Aug 2014 19:02:17 +0000 http://www.brasil247.com/151263
Novo presidente do Supremo tomará posse no dia 10 http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/151259 Fellipe Sampaio/STF: Ministro Ricardo Lewandowski ocupará a cadeira de Joaquim Barbosa, que se aposentou em julho. O mandato será de dois anos <br clear="all"> Fellipe Sampaio/STF:

Da Agência Brasil

A posse do ministro Ricardo Lewandowski no cargo de presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) foi marcada para o dia de 10 de setembro. O ministro ocupará a cadeira de Joaquim Barbosa, que se aposentou em julho. O mandato será de dois anos.

Nascido no Rio de Janeiro, o ministro tem 66 anos e foi nomeado para o STF pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2006.

Lewandowski formou-se em direito pela Universidade de São Paulo (USP). No Supremo, foi o revisor da Ação Penal 470, o processo do mensalão, e relatou processos sobre a proibição do nepotismo no serviço público e das cotas raciais nas universidades federais.

Lewandowski foi eleito simbolicamente pelo plenário do Supremo no dia 13 de agosto. Na gestão de Barbosa, ele ocupou a vice-presidência da Corte.

Brasil Gisele Federicce Mon, 25 Aug 2014 18:36:34 +0000 http://www.brasil247.com/151259
Presos fazem acordo por fim de rebelião no Paraná http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/151257 : De acordo com a Secretaria Estadual de Justiça, os dois agentes penitenciários mantidos reféns devem ser liberados após cerca de 600 presos serem transferidos para outras unidades prisionais do estado; o motim teve início na manhã deste domingo 24; as primeiras informações são que quatro presos foram mortos – dois deles degolados <br clear="all"> :

Da Agência Brasil

Presos rebelados e autoridades do Paraná chegaram a um acordo para o fim da rebelião na Penitenciária Estadual de Cascavel, informou a Secretaria Estadual de Justiça.

De acordo com a secretaria, os dois agentes penitenciários mantidos reféns devem ser liberados após cerca de 600 presos serem transferidos para outras unidades prisionais do estado. O motim teve início na manhã de ontem (24). As primeiras informações são que quatro presos foram mortos – dois deles degolados.

Um levantamento dos estragos na unidade só será feito após os agentes serem libertados e a rebelião encerrada, mas, de acordo com a secretaria, boa parte da penitenciária de Cascavel foi danificada, pois os presos quebraram telhas, queimaram colchões e danificaram celas.

Parentes dos presos rebelados chegaram a bloquear o tráfego de veículos na Rodovia BR-277, que dá acesso ao presídio. O grupo se queixa da falta de informações a respeito de parentes e amigos que cumprem pena na unidade.

A Penitenciária de Cascavel tem capacidade para 1.116 presos e mantinha 1.038 detentos no momento em que a rebelião foi deflagrada.

Paraná 247 Gisele Federicce Mon, 25 Aug 2014 18:35:27 +0000 http://www.brasil247.com/151257
PT suspende vereador suspeito de matar palmeirense http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/151253 : Em decisão unânime, Executiva do PT paulista suspendeu por 60 dias, nesta segunda-feira, os filiados Leonardo Gomes dos Santos, Gentil Chaves Siani e Raimundo Cesar Faustino, o vereador Capá, pela suspeita de envolvimento em briga entre torcedores; segundo o presidente do diretório estadual, Emidio de Souza, o vereador teve direito de se explicar, mas os indícios de hoje já eram "suficientes para a suspensão" <br clear="all"> :

247 - O PT paulista decidiu nesta segunda-feira 25, por unanimidade, suspender por 60 dias os suspeitos de envolvimento em briga de torcedores que aconteceu em Franco da Rocha no domingo 17 e que resultou no espancamento e morte do palmeirense Gilberto Torres Pereira, de 30 anos. Leia abaixo a íntegra da nota divulgada pelo partido:

Comissão Executiva PT-SP suspende filiados envolvidos em briga
Decisão foi unânime e recomendou ainda encaminhamento do caso à Comissão de Ética do partido

A Comissão Executiva do PT-SP decidiu, de maneira unânime, em reunião nesta segunda-feira (25/08), suspender por 60 dias os filiados Leonardo Gomes dos Santos, Gentil Chaves Siani e Raimundo Cesar Faustino, o vereador Capá, pela suspeita de envolvimento em briga entre torcedores de futebol, ocorrida em Franco da Rocha no último dia 17 de agosto.

A Executiva também aprovou que o caso seja encaminhado para a Comissão de Ética do PT-SP, que terá também 60 dias para analisar o episódio e propor outras ações. "Enquanto isso, iremos aguardar as investigações da Polícia e da Justiça para verificar se novas medidas serão necessárias. No momento, os filiados estão suspensos", explicou o presidente estadual do PT-SP, Emidio de Souza.

Emidio esclareceu ainda que o vereador teve direito a participar da reunião e dar suas explicações. "Os indícios que existem hoje são suficientes para a suspensão. Não temos tolerância para violência e não vamos compactuar com qualquer tipo de agressão".

Emidio de Souza, presidente PT-SP

SP 247 Gisele Federicce Mon, 25 Aug 2014 18:26:20 +0000 http://www.brasil247.com/151253
Marina sobre jato do PSB: falou, mas não explicou http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/151247 : Em sua primeira declaração sobre a polêmica que envolve a propriedade do jato que levava Eduardo Campos no dia em que o candidato morreu, Marina Silva diz que o PSB "está juntando as informações e, entre hoje e amanhã, estará dando as explicações necessárias"; na Bienal do Livro, em São Paulo, a ex-senadora acrescentou que "é preciso que haja tempo necessário para que essas explicações tenham as devidas bases legais"; partido chegou a contratar escritório de advocacia para cuidar do caso, mas a verdade é que está sem saída para explicar quem é o dono da aeronave e por que não declarou seu uso ao TSE  <br clear="all"> :

247 – A candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, falou nesta segunda-feira 25 pela primeira vez sobre a polêmica do jato que levava Eduardo Campos no dia de sua morte. O episódio, no entanto, continuou sem explicação.

Segundo ela, que cumpria agenda na 23ª Bienal do Livro, em São Paulo, o PSB "está juntando as informações e, entre hoje e amanhã, estará dando as explicações necessárias".

A ex-senadora acrescentou que o partido "tem a preocupação de que os esclarecimentos sobre as razões do acidente sejam dados", além das explicações legais sobre o uso da aeronave. O PSB contratou um escritório de advocacia para tratar do caso.

A Polícia Federal investiga a possibilidade de o jato ter sido comprado com dinheiro de caixa 2 empresarial ou do PSB. O uso da aeronave nas prestações de contas da campanha do PSB ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Até o momento, a propriedade do avião ainda é uma incógnita.

"Queremos que sejam dadas as explicações de acordo com a materialidade dos fatos e, para termos a materialidade dos fatos, é preciso que haja tempo necessário para que essas explicações tenham as devidas bases legais", disse ainda a candidata.

Abaixo, reportagem da Agência Brasil a respeito:

Marina diz que partido reúne informações sobre avião que caiu em Santos

Flávia Albuquerque - A candidata à Presidência da República Marina Silva (PSB) visitou hoje (25) a Bienal do Livro, em São Paulo. Ela e o candidato a vice-presidente na chapa, Beto Albuquerque, disseram que o partido está investigando denúncia de que o jato usado por Eduardo Campos no acidente ocorrido no último dia 13, em Santos (SP), que matou o ex-governador pernambucano e mais seis pessoas, foi comprado com o uso de recursos não contabilizados.

De acordo com informações publicadas ontem (24) pelo jornal A Folha de S.Paulo, a Polícia Federal investiga se o jato Cessna Citation PR-AFA foi comprado com dinheiro de caixa 2 do partido. Além disso, há denúncias de que o partido não declarou nenhuma informação sobre o jatinho à Justiça Eleitoral.

Marina destacou que tem a preocupação de que todos os esclarecimentos sejam dados. "Tanto quanto as razões do acidente, quanto do ponto de vista legal. Esse é um esforço que o partido está fazendo com o senso de responsabilidade que temos que ter com uma questão como essa. Nós queremos que sejam dadas explicações de acordo com a materialidade dos fatos, e para isso é preciso que tenhamos o tempo necessário para que essas explicações tenham a devida base legal".

"Espero que, entre hoje e amanhã, através do escritório de advocacia que contratamos, possamos dar ao Brasil todos os esclarecimentos. Estamos juntando as informações para que isso não deixe qualquer dúvida para ninguém. Não devemos passar dessa semana sem dar as explicações e esclarecimentos devidos", disse Albuquerque, após visita à 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, na capital paulista, ao lado da sua candidata à Presidência, Marina Silva.

Marina ressaltou que a visita à Bienal ocorreu em função do espaço destinado à educação em seu programa de governo. Para ela é preciso deixar claro que a educação passa por dois processos: a entrada na escola na idade certa e da maneira certa, com ensino em período integral; e o [processo] exercido pela comunidade escolar, que envolve familiares e outros agentes educacionais.

"Queremos uma educação que seja capaz de alfabetizar com competência, de formar com capacidade, para que as pessoas possam acessar ocupações que melhorem suas vidas, e [capaz de] formar cidadãos de acordo com as necessidades do nosso país. Queremos também valorizar a leitura como forma complementar de formação da criança, do adolescente e do jovem", disse.

Brasil Gisele Federicce Mon, 25 Aug 2014 17:50:47 +0000 http://www.brasil247.com/151247
Serra diz que "cartel não é sinônimo de delito" http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/151250 : Ex-governador de São Paulo, que foi intimado a depor sobre contratos mantidos pelo estado com empresas que participaram do esquema de cartel do metrô, disse que não se pode "olhar do ponto de vista moral"; "As empesas se articulam", minimizou o candidato ao Senado; segundo o tucano, o cartel "é um fenômeno super comum no mundo inteiro" <br clear="all"> :

247 – O candidato ao Senado pelo PSDB José Serra minimizou nesta segunda-feira a investigação da Polícia Federal sobre o cartel entre empresas que prestaram serviços no setor de trens e metrô no estado de São Paulo.

"Cartel não é sinônimo de delito", disse o tucano. "Você não pode olhar do ponto de vista moral. As empresas se articulam", acrescentou.

Serra foi intimado a depor no caso sobre contratos que manteve com as empresas que faziam parte do esquema quando era governador de São Paulo. A PF que saber se ele favoreceu as multinacionais CAF e Alstom em licitação.

Questionado sobre monopólio de veículos de comunicação no País, em um evento com empresários, o ex-governador afirmou:

"Você não me perguntou isso, mas posso dizer aqui para a mídia: cartel virou sinônimo de delito, mas cartel não é nada mais nada menos que monopólio. São empresas que combinam um preço, não que tomam o preço. Esse é um fenômeno super comum no mundo inteiro".

SP 247 Gisele Federicce Mon, 25 Aug 2014 18:10:43 +0000 http://www.brasil247.com/151250
Kennedy: 'Marina e PSB têm de se explicar sobre jato' http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/151230 : Candidata do PSB "não está acima do bem e do mal", comenta jornalista; "Precisa, por exemplo, dar explicações sobre a propriedade do jato que caiu e ocasionou a morte de Eduardo Campos. É necessário saber como ele entrava nas contas eleitorais do PSB", defende Kennedy Alencar; segundo ele, "como candidata do partido e proponente de uma 'nova política', Marina não pode tratar o assunto de forma obscura" <br clear="all"> :

247 – Como candidata do PSB à Presidência, Marina Silva precisa dar explicações sobre a propriedade do jato que caiu e causou a morte do presidente do partido e ex-presidenciável, Eduardo Campos, defendeu o jornalista Kennedy Alencar em comentário na CBN nesta segunda-feira 25.

Marina "não está acima do bem e do mal", disse ele. "Precisa, por exemplo, dar explicações sobre a propriedade do jato que caiu e ocasionou a morte de Eduardo Campos. É necessário saber como ele entrava nas contas eleitorais do PSB", acrescentou o comentarista.

Segundo Kennedy Alencar, "como candidata do partido e proponente de uma 'nova política', Marina não pode tratar o assunto de forma obscura". O jornalista diz também que a presidente Dilma Rousseff e o candidato do PSDB, Aécio Neves, tem atacado o que julgam ser a maior vulnerabilidade da ex-senadora: ter menos experiência administrativa.

Ouça aqui a íntegra.

Mídia Gisele Federicce Mon, 25 Aug 2014 15:40:01 +0000 http://www.brasil247.com/151230
MP pede que candidatura de Arruda continue barrada http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/151237 : Ministério Público Eleitoral enviou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) parecer contra o registro de candidatura de José Roberto Arruda (PR) ao governo do Distrito Federal. Segundo o órgão, Arruda deve ter o registro cassado, uma vez que foi condenado pela Justiça em segunda instância, uma das causas de inelegibilidade na Lei da Ficha Limpa <br clear="all"> :

Da Agência Brasil

O Ministério Público Eleitoral (MPE) enviou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) parecer contra o registro de candidatura de José Roberto Arruda (PR) ao governo do Distrito Federal. Segundo o órgão, Arruda deve ter o registro cassado, uma vez que foi condenado pela Justiça em segunda instância, uma das causas de inelegibilidade na Lei da Ficha Limpa.

De acordo com parecer assinado pelo vice-procurador eleitoral Eugênio Aragão, a situação dos candidatos deve ser analisada no momento do julgamento do registro. A posição é contrària à atual jurisprudência do TSE, que permite o andamento normal da campanha enquanto não houver condenação em terceira e última instância, quando a matéria é considerada "transitada em julgado". Segundo Aragão, é inconstitucional entender que as causas de inelegibilidade são aferidas no momento da apresentação do registro no protocolo.

"Não há como se olvidar que o Artigo 11 da Lei 9.504/97 (Lei das Eleições), na forma como vem sendo interpretado por esta corte superior, conflita com o novo regime de inelegibilidades (Lei da Ficha Limpa), e mais, conflita com a Constituição ao permitir o deferimento do registro de um candidato improbo, em relação ao qual a Justiça Comum, por meio de decisão proferida por órgão colegiado apenas cinco dias após a apresentação de seu pedido, retificou a sentença que reconheceu a prática de ato doloso de improbidade administrativa, que importou em enriquecimento ilícito e dano ao erário", argumentou Aragão.

No recurso do candidato, que será apreciado pelo TSE, a defesa de Arruda alega que o candidato não está inelegível e deve ter o registro concedido. No dia 12 de agosto, o Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) indeferiu a candidatura pelo fato de ele ter sido condenado por improbidade administrativa pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT).

A defesa do candidato argumentou que a condenação ocorreu antes do dia 5 de agosto, quando terminou o prazo para o pedido de registro de candidatura na Justiça Eleitoral e que, portanto, não poderia ser enquadrado pela lei.

No dia 9 de julho, o tribunal condenou Arruda na ação referente à Operação Caixa de Pandora, que investigou o esquema de corrupção que ficou conhecido como mensalão do DEM.

Brasília 247 Gisele Federicce Mon, 25 Aug 2014 16:20:52 +0000 http://www.brasil247.com/151237
Em crise, Abril corta no comercial e editorial http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/151226 : Grupo Abril anuncia em boletim interno desligamento de cinco altos executivos; referência da revista Veja no mercado publicitário, Thais Chede Soares, diretora da revista Exame, Cláudia Vassalo, e presidente da Casa Cor, Ângelo Derenze, saem em nome de reestruturação "profunda, relevante e necessária", nas palavras do presidente Alexandre Caldini (abaixo, à esquerda); no ano passado, pouco antes de demitir 150 profissionais, empresa também iniciou cortes pelas chefias; plano dos presidentes Giancarlo Civita, Fabio Barbosa encolhe companhia e mexe com sua reputação <br clear="all"> :

247 – Em comunicado interno nesta segunda-feira 25, o Grupo Abril anunciou cinco demissões dentro de sua cúpula comercial e editorial. Tiveram suas saídas comunicadas pelo presidente Alexandre Caldini a publicitária Thais Chedes Soares, conhecida como uma referência da revista Veja no mercado publicitário, a jornalista Cláudia Vassalo, diretora de redação da revista Exame, o presidente da Casa Cor, Ângelo Derenze, o diretor do grupo Veja/Exame, Fernando Costa, e a diretora do núcleo de revistas jovens, Helena Bagnoli.   

No ano passado, logo depois de anunciar demissões entre seu comando de executivos, a Abril promoveu uma rodada de cortes que envolveu 150 profissionais de todas as áreas. O ponto curioso é o fato de que a mesma empresa que se esforça para sair de uma crise profunda pela fórmula do encolhimento de sua estrutura e sangria de sua imagem, tem quatro presidentes: Gianca Civita, presidente executivo, Titti Civita, presidente do Conselho de Administração, Fábio Barbosa, presidente da Abril Mídia e, agora, Alexandre Caldini, presidente do Grupo Abril. Este último declarou ao boletim interno que o que está em curso é uma “reestruturação. Profunda, relevante e necessária”. Detalhes serão revelados, segundo o próprio Bolex, às 17h00.

Os cortes desta fase do plano concebido com o apoio do consultor Vicente Falconi, conhecido como ‘Mãos de Tesoura’, segue o modelo do executado em 2013, antes da contratação dele. Há, por isso, tensão e nervosismo nas redações do Novo Edifício Abril. Sem forte organização interna e com pouco entrosamento com os sindicatos de suas categorias profissionais, os funcionários da editora têm sido presas fáceis para a sanha corporativa dos herdeiros de Roberto Civita. Para eles, o quadro de 9 mil funcionários é muito numeroso e não consegue ser sustentado pelas receitas publicitárias atuais.  O caminho escolhido sempre foi menos democrático possível, apesar da pregação que inunda as páginas de sua principal revista, a Veja. O diretor da publicação, Eurípedes Alcântara, foi mantido no cargo, mas, formalmente, passa a ter suas decisões submetidas ao presidente da Abril Mídia, Fábio Barbosa.  

Mídia Aline Lima Mon, 25 Aug 2014 14:58:53 +0000 http://www.brasil247.com/151226
Graça Foster é convidada outra vez a ir ao Senado http://www.brasil247.com/pt/247/economia/151227 : Senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) quer que presidente da Petrobras preste esclarecimentos sobre contrato pelo qual a estatal pagará US$ 434 milhões ao governo boliviano pelo excedente energético do gás natural exportado do Brasil <br clear="all"> :

Por Paula Barra

SÃO PAULO - A presidente da Petrobras (PETR3; PETR4), Maria das Graças Foster, deve comparecer no Senado novamente, mas desta vez para explicar sobre o contrato pelo qual a estatal pagará US$ 434 milhões ao governo boliviano pelo excedente energético do gás natural exportado do Brasil, segundo coluna Radar, da Veja, desta segunda-feira (25).

O convite foi feito pelo senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), que requer uma audiência conjunta entre as comissões de Infraestrutura e de Relações Exteriores. Ferraço quer que Graça comprove que tal gás é mesmo capaz de gerar mais energia, como afirma o governo boliviano.

O acordo com a Bolívia foi firmado na semana passada depois de um impasse de sete anos pelo envio de excedente energético do gás natural exportado do Brasil. Em nota, a estatal informou que o acordo provocará perda de US$ 268 milhões no terceiro trimestre, mas que seu efeito final, no ano, terá "um valor positivo de US$ 128 milhões". O Brasil é o maior comprador de gás natural boliviano e, no passado, gerou fortes disputas durante as negociações de contratos de compra e venda de hidrocarbonetos.

Vale mencionar que, em abril deste ano, Graça Foster foi ao Senado para prestar esclarecimentos sobre denúncias envolvendo a estatal em relação à compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, em 2006. A transação é investigada pela Polícia Federal e pelo Tribunal de Contas da União por suspeita de superfaturamento.

Economia Gisele Federicce Mon, 25 Aug 2014 14:47:13 +0000 http://www.brasil247.com/151227
Por Ibope, Petrobras sobe 5% e Bovespa dispara http://www.brasil247.com/pt/247/economia/151224 : Impulsionado pela alta de mais de 5% das ações da estatal, o Ibovespa registrou hoje o melhor pregão desde 18 de julho, com alta de 2,27%, aos 59.735 pontos, com o mercado de olho nas eleições presidenciais; pesquisa Ibope em São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro será divulgada nesta terça-feira e poderá mostrar a candidata do PSB, Marina Silva, à frente de Aécio Neves (PSDB); outra mostra, a CNT/MDA será divulgada na quarta-feira; nova pesquisa Datafolha também será realizada esta semana; política domina mercado financeiro <br clear="all"> :

Por Lara Rizério • Rodrigo Tolotti Umpieres

SÃO PAULO - Após encerrar uma sequência de altas na última sessão, o Ibovespa iniciou a semana de forma bastante positiva, impulsionado pela alta de mais de 5% das ações da Petrobras (PETR3; PETR4). De olho no exterior e aguardando a pesquisa Ibope de amanhã, o índice fechou esta segunda- feira (25) com alta de 2,27%, aos 59.735 pontos, renovando seu maior patamar desde fevereiro de 2013 e registrando seu melhor pregão desde 18 de julho deste ano, quando subiu 2,12%. As ações de bancos também registraram fortes altas, com destaque para Banco do Brasil (BBAS3), Bradesco (BBDC4) e Itaú Unibanco (ITUB4). O volume na Bovespa atingiu R$ 6,149 bilhões.

Nesta semana, o mercado fica de olho nas próximas pesquisas eleitorais. Uma nova pesquisa Ibope, a primeira após a confirmação de Marina Silva como candidata do PSB, deve ser divulgada amanhã e uma nova pesquisa Datafolha está agendada para ser realizada esta semana. De acordo com o Bom Dia Mercado, da Agência Estado, o Ibope poderá mostrar amanhã Marina Silva bem à frente de Aécio Neves, com um porcentual em torno de 27% das intenções de voto.

Enquanto isso, Dilma Rousseff estaria mantendo um teto de 38% das intenções de voto. Conforme destaca o boletim, o Ibope será decisivo para confirmar a tendência mostrada no Datafolha, onde Marina venceria Dilma por 47% a 43%. De acordo com José Roberto de Toledo, em coluna para o Estado de S. Paulo, a divulgação da pesquisa será amanhã, às 18h no site do jornal e deve mostrar "Marina Silva surfando uma onda de opinião pública de proporções havaianas". Além disso, o mercado aguarda ainda pelo primeiro debate presidencial, também amanhã, e pela entrevista da candidata do PSB no Jornal Nacional, na próxima quarta-feira.

Segundo informações do blog Radar On-line, da Veja, uma pesquisa telefônica realizada por uma das campanhas constatou que Marina Silva não só disparou para o 1º lugar em São Paulo como ainda por cima venceria as eleições no 1º turno caso elas fossem hoje. A expectativa agora é saber se o que o Ibope de amanhã vai confirmar em relação a São Paulo e ao Brasil.

No cenário econômico nacional, destaque para a pesquisa Focus. A expansão do PIB (Produto Interno Bruto) em 2014 diminuiu para 0,70%, ante 0,79% da semana anterior - esta é a 13ª semana consecutiva que os economistas diminuem as estimativas para o crescimento da atividade econômica brasileira. Para 2015, os economistas mantiveram a projeção do PIB, para 1,20%. Em relação à inflação medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) em 2014, os economistas aumentaram a projeção para 6,27%, ante 6,25%, e continuou abaixo do teto da meta, enquanto para o próximo ano a projeção aumentou para 6,28%.

Já no cenário internacional, os benchmarks da Europa subiram com possível estímulo econômicos após comentários de Mario Draghi, presidente do BCE (Banco Central Europeu), em Jackson Hole. O presidente da autoridade monetária falou que as apostas em alta da inflação na região da zona do euro têm caído significativamente. Draghi disse que o banco central está preparado para responder com todas as ferramentas "disponíveis" caso a inflação recue mais.

Destaques de ações

No noticiário corporativo, o destaque ficou mais uma vez para a Petrobras, após o ex-diretor da estatal, Paulo Roberto Costa, aceitar um acordo em que ele faria delação premiada com procuradores da Operação Lava Jato, da Polícia Federal. A presidente Dilma Rousseff disse no domingo que "não se pode confundir as pessoas com as instituições" e que a Petrobras está acima de eventuais desvios de conduta cometidos por seus integrantes.

A decisão de Costa, na última sexta-feira, ocorreu no mesmo dia em que a Justiça autorizou a busca e apreensão em 13 empresas no Rio de Janeiro que pertencem a uma filha, um genro e um amigo do empresário. Essa decisão pode mudar o rumo das investigações sobre a petrolífera já que Costa teria afirmado na prisão que se contasse tudo que sabe à Justiça, as eleições deste ano não ocorreriam. As ações registram ganhos nesta sessão.

Com apenas 8 ações, destaque positivo também para as ações das imobiliárias, que ficaram entre as maiores altas do Ibovespa. Entre os principais destaques, os papéis da Cyrela (CYRE3, R$ 13,57, +2,49%) e Rossi (RSID3, R$ 1,30, +3,17%), que subiram mais de 2%.
Enquanto isso, as ações da Oi recuaram. Um laudo contratado pela Portugal Telecom sugere que seus acionistas aprovem a fusão proposta com a Oi , segundo documento ao qual a Reuters teve acesso na sexta-feira. Enquanto isso, a Vale (VALE5) registrou baixa, após o minério de ferro cair perto da cotação mínima do ano.

Economia Gisele Federicce Mon, 25 Aug 2014 16:57:53 +0000 http://www.brasil247.com/151224
'Ermírio de Moraes sempre acreditou no desenvolvimento do Brasil' http://www.brasil247.com/pt/247/economia/151221 : Em nota, presidente Dilma elogiou a trajetória do empresário que morreu nessa madrugada e se solidarizou com a família e amigos; "Foi com tristeza que recebi a notícia da morte do empresário e presidente de honra do Grupo Votorantim, Antônio Ermírio de Moraes. Líder nato, Antônio Ermírio sempre acreditou no desenvolvimento do Brasil", diz parte do texto <br clear="all"> :

Luana Lourenço - Repórter da Agência Brasil 

A presidenta Dilma Rousseff lamentou hoje (25) a morte do empresário Antônio Ermírio de Moraes, presidente de honra do Grupo Votorantim. Em nota, ela elogiou a trajetória do empresário e se solidarizou com a família e amigos.

"Foi com tristeza que recebi a notícia da morte do empresário e presidente de honra do Grupo Votorantim, Antônio Ermírio de Moraes. Líder nato, Antônio Ermírio sempre acreditou no desenvolvimento do Brasil. Aos familiares e amigos, meus sentimentos por esta perda", diz o texto.

Ele morreu na noite de ontem (24), em São Paulo, aos 86 anos, por insuficiência cardíaca. O corpo está sendo velado no Salão Nobre do Hospital Beneficência Portuguesa, na capital paulista. O enterro será às 16h no Cemitério do Morumbi.

Economia Gisele Federicce Mon, 25 Aug 2014 14:57:34 +0000 http://www.brasil247.com/151221
Com Marina, política regride em direção a Jânio http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151205 : Paulo Moreira Leite afirma, em seu blog no 247, que "a vantagem comparativa de Marina sobre Aécio é a falta absoluta de compromissos reais"; em sua caravana, diz o jornalista, "cabe tudo"; "Através dela, a política brasileira regride em direção a Jânio Quadros. É a candidata que condena a 'velha política' mas não consegue explicar-se sobre um simples avião de campanha"; para PML, "o universo de Marina é o populismo que não tem referências claras, cresce nas emoções e na confusão política", algo que acontece, segundo ele, "quando o conservadorismo disputa uma eleição na qual não pode mostrar a própria face"; leia íntegra <br clear="all"> :

247 – O enfraquecimento do candidato do PSDB, Aécio Neves, na disputa presidencial desde a morte de Eduardo Campos mostra o "caráter superficial dos compromissos políticos de seus aliados de véspera", avalia Paulo Moreira Leite, em novo artigo no blog do 247. Nesse cenário, a vantagem de Marina Silva, que acaba de entrar na corrida ao Palácio do Planalto, sobre o tucano, "é a falta absoluta de compromissos reais".

"Cabe tudo em sua caravana. Através dela, a política brasileira regride em direção a Jânio Quadros. É a candidata que condena a 'velha política', mas não consegue explicar-se sobre um simples avião de campanha. Mantém com o PSB relações típicas de um partido de aluguel – que usará enquanto lhe for conveniente — mas agora mostra-se como o 'novo'", escreve o jornalista.

"Existe coisa mais antiga do que "socialista" que não acredita em "socialismo" e não sai de perto de banqueiro?", questiona ainda PML. Em sua opinião, o universo da nova candidata do PSB é o populismo que não tem referências claras, cresce nas emoções e na confusão política. Por isso se fala em governar com FHC e Lula". Para ele, "isso sempre acontece quando o conservadorismo disputa uma eleição na qual não pode mostrar a própria face".

Leia a íntegra do artigo em Adivinhe quem trouxe Jânio Quadros para votar?

Poder Ana Pupulin Mon, 25 Aug 2014 12:15:35 +0000 http://www.brasil247.com/151205
Abdelmassih fez 20 mil vítimas, diz promotor http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/151214 : Práticas ilegais vão desde o não envio de contratos até o estupro de pacientes pelo médico Roger Abdelmassih e podem render processos individuais contra práticas abusivas e pedidos de indenização por parte de 20 mil mulheres, segundo estimativa do promotor Roberto Senise Lisboa, que cita levantamento do Ministério Público; "Se elas quiserem entrar com uma ação indenizatória têm esse direito contra práticas abusivas que sofreram da clínica e do então dono dela", afirmou; principal grupo de vítimas, que ajudou na captura do criminoso, na semana passada, diz não querer indenização <br clear="all"> :

247 – O médico que teve sua licença cassada após condenação por 56 estupros a pacientes, Roger Abdelmassih, pode ter vitimado 20 mil vítimas, estima o promotor Roberto Senise Lisboa, com base em um levantamento feito pelo Ministério Público. As ações ilegais, no entanto, não são apenas de abusos sexuais, mas incluem até irregularidades em contratos entre sua clínica de reprodução assistida e os casais que tentavam ter filhos.

"Foram detectadas práticas abusivas, ilícitas como não fornecer exames aos pacientes, não fornecer segunda via de contrato, mandá-las assinar autorizações enquanto estavam sedadas e não mostrar a elas o destino dos embriões não utilizados nas fertilizações", enumerou o promotor. "Cerca de 20 mil pessoas foram vítimas, segundo levantamento do Ministério Público", afirmou.

Segundo ele, as ex-pacientes, caso queiram recorrer à Justiça com ações indenizatórias por danos físicos e morais, terão de fazer isso individualmente. De acordo com reportagem do portal G1, o grupo de vítimas que contribuiu com a captura de Abdelmassih não quer indenização pelos crimes.

Brasil Gisele Federicce Mon, 25 Aug 2014 12:56:43 +0000 http://www.brasil247.com/151214
Simon vai disputar Senado no lugar do vice de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/rs247/151207 Edilson Rodrigues/Senado: Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa ordinária. 

Em discurso, senador Pedro Simon (PMDB-RS). 

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado Senador desiste de aposentadoria e decide se candidatar à reeleição no lugar de Beto Albuquerque (PSB), que deixou a disputa para ser vice na chapa presidencial de Marina Silva; coligação encabeçada pelo PMDB avalia que Pedro Simon não apenas tem condições de contribuir para alavancar a candidatura de José Ivo Sartori (PMDB) ao governo do Rio Grande do Sul como também de fazer com que os percentuais de Marina influenciem na eleição estadual <br clear="all"> Edilson Rodrigues/Senado: Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa ordinária. 

Em discurso, senador Pedro Simon (PMDB-RS). 

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Rio Grande do Sul 247 – O senador Pedro Simon (PMDB-RS) desistiu de se aposentar para concorrer à reeleição no lugar de Beto Albuquerque, da mesma coligação, que deixou a disputa para ser vice na chapa presidencial de Marina Silva pelo PSB.

A coligação encabeçada pelo PMDB avalia que o senador não apenas tem condições de contribuir para alavancar a candidatura de José Ivo Sartori (PMDB) ao governo do Rio Grande do Sul como que a sua ligação com Marina pode fazer com que os percentuais da candidata influenciem na eleição estadual.

A cúpula peemedebista vinha fazendo forte pressão para que Simon disputasse novamente o Senado. O senador teria ouvido que estava "livremente coagido a aceitar" a proposta de concorrer novamente como parlamentar.

Rio Grande do Sul 247 Leonardo Lucena Mon, 25 Aug 2014 11:37:12 +0000 http://www.brasil247.com/151207
Sarney e Renan fora. Mas e Bornhausen e Heráclito? http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151166 : Aliados de Marina Silva colocaram em marcha, nesta segunda-feira, um discurso "engana-eleitor"; em duas entrevistas, Eduardo Giannetti da Fonseca, guru da candidata, e Roberto Amaral, presidente do PSB, afirmaram que, como José Sarney e Renan Calheiros estarão na oposição, os bons do PSDB e do PT serão chamados a governar na "nova política" de Marina; o discurso é falso por várias razões, a começar pelo fato de que Sarney, que não é candidato a nada, estará aposentado; Renan, por sua vez, representa a maioria de uma democracia representativa que Marina parece desprezar; sobre os neosocialistas Jorge Bornhausen e Heráclito Fortes, que são a cara da velha política, ela não se pronuncia  <br clear="all"> :

247 - A candidata Marina Silva, do PSB, deflagrou, nesta segunda-feira, um plano para enganar os eleitores. A ideia consiste em vender um discurso fácil, que já vinha sendo ensaiado por Eduardo Campos: o de que as velhas raposas da política, como os senadores José Sarney (PMDB-AP), Renan Calheiros (PMDB-AL) e Fernando Collor (PTB-AL), serão empurradas para a oposição.

Esse discurso foi vocalizado em duas entrevistas publicadas nesta segunda, que repetem a mesma tese. Na Folha, quem falou foi Eduardo Giannetti da Fonseca, guru econômico de Marina. No Valor, Roberto Amaral, presidente do PSB. Ambos, num tom ensaiado, disseram que, na ausência de Sarney, Collor e Renan, será preciso dialogar com os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, para que tanto PSDB como PT deem governabilidade ao governo Marina e forneçam também quadros para a gestão da máquina pública.

A proposta bate num alvo fácil, o PMDB, mas é ilusória do início ao fim. A começar pelo fato de que Sarney não irá para a oposição. Irá vestir o pijama, uma vez que não é candidato a absolutamente nada nestas eleições. Renan, por sua vez, não representa apenas o PMDB, mas o Congresso como um todo, uma vez que foi eleito pela maioria esmagadora de seus pares, contando com votos de todos os partidos, para presidir o Poder Legislativo numa democracia representativa que Marina Silva e seus aliados parecem desprezar.

Outro ponto é a inconsistência do discurso do próprio PSB, que acolheu diversas "velhas raposas" da política, quando Eduardo costurava suas alianças para tentar chegar à presidência da República. Em Santa Catarina, o partido se aliou à família de Jorge Bornhausen, que falava em "acabar com essa raça", referindo-se ao PT. No Piauí, o neosocialista é Heráclito Fortes, que construiu sua carreira política no DEM. Há, de fato, alguma pureza ou alguma lógica em empurrar Sarney e Renan para a oposição, acolhendo Bornhausen e Heráclito?

Não há, mas a candidata Marina Silva acredita que poderá levar adiante seu discurso "engana-eleitor".


 

Poder Leonardo Attuch Mon, 25 Aug 2014 10:00:12 +0000 http://www.brasil247.com/151166
Economistas veem inflação mais alta e PIB menor http://www.brasil247.com/pt/247/economia/151191 : De acordo com a pesquisa Focus do Banco Central divulgada nesta segunda-feira, a estimativa para o IPCA em 2014 passou a 6,27%, 0,02 ponto percentual a mais do que o levantamento anterior; já a projeção para o crescimento econômico neste ano entrou na 13ª semana de queda, com a expansão do PIB estimada em 0,70%; instituições financeiras mantiveram previsão da Selic a 11% no final desse ano <br clear="all"> :

SÃO PAULO (Reuters) - Economistas de instituições financeiras voltaram a ver que a Selic encerrará 2015 a 12 por cento, ao mesmo tempo em que passaram a projetar maior alta dos preços neste ano e no próximo e crescimento econômico ainda mais fraco em 2014.

De acordo com a pesquisa Focus do Banco Central divulgada nesta segunda-feira, até então a projeção era de que a taxa básica de juros encerrasse o ano que vem a 11,75 por cento. As contas para o final deste ano, no entanto, não mudaram, indicando que a Selic ficará estável em 11 por cento.

Para os economistas consultados, o início do ciclo de aperto monetário será em março que vem, com alta de 0,50 ponto percentual, sem alteração sobre a pesquisa anterior.

O Focus mostrou ainda que a expectativa é de mais inflação neste ano, mas ainda sem arrefecer em 2015. A estimativa para o IPCA em 2014 passou a 6,27 por cento, 0,02 ponto percentual a mais do que o levantamento anterior e interrompendo cinco semanas seguidas de queda nas contas. Para 2015, as estimativas subiram a 6,28 por cento, contra 6,25 por cento.

Para os preços administrados, que vêm sendo um dos principais vilões da inflação neste ano e devem continuar em 2015, as projeções de inflação subiram em 0,05 ponto percentual para este ano, a 5,10 por cento, e continuaram em 7,0 por cento para 2015.

O aumento das tarifas de energia elétrica já pressiona a inflação, principal impacto de alta no IPCA-15 de agosto. Embora tenha desacelarado a 0,14 por cento na base mensal, em 12 meses o índice permaneceu muito próximo do teto da meta do governo, de 4,5 por cento pelo IPCA, com margem de 2 pontos percentuais para mais ou menos.

Para os próximos 12 meses, o Focus mostrou que o mercado elevou em 0,03 ponto percentual a previsão do IPCA, a 6,24 por cento.

O Top-5 de médio prazo, com as instituições que mais acertam as projeção, calcula que o IPCA ficará em 6,27 por cento em 2014, contra 6,32 por cento, e fechará 2015 em 6,48 por cento, inalterado ante o levantamento anterior.

PIB

Já a projeção para o crescimento econômico neste ano entrou na 13ª semana de queda, com a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) estimada em 0,70 por cento, contra 0,79 por cento, bem aquém dos 2,5 por cento vistos em 2013.

A mediana para o crescimento do PIB em 2015, por outro lado, permaneceu em 1,20 por cento pela segunda semana seguida.

O IBGE divulga na sexta-feira os dados do PIB do segundo trimestre e economistas não descartam que mostrem contração sobre os três meses anteriores e até que a economia tenha entrada em recessão técnica --quando há dois trimestres seguidos de contração da atividade.

(Por Camila Moreira)

Economia Gisele Federicce Mon, 25 Aug 2014 10:27:06 +0000 http://www.brasil247.com/151191
Guru de Marina: queremos Lula e FHC como aliados http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151152 : "Se José Sarney, Renan Calheiros e Fernando Collor de Mello vão para a oposição, com que se governa e com quem se negocia? É com Lula e FHC"; diz o economista Eduardo Giannetti da Fonseca sobre um eventual mandato de Marina Silva; segundo ele, o PT tem técnicos de excelente qualidade, que trabalharam no primeiro mandato de Lula: “a gente adoraria trazê-los. Nossa ideia é governar com os melhores na política e na gestão de políticas públicas" <br clear="all"> :

247 – O economista Eduardo Giannetti da Fonseca, guru da campanha de Marina Silva, afirma que a candidata vai procurar aproximação com o PT e o PSDB se eleita. "Se [José] Sarney, Renan [Calheiros] e [Fernando] Collor [de Mello] vão para a oposição, com que se governa e com quem se negocia? É com Lula e FHC."

Segundo ele, o PT tem técnicos de excelente qualidade, que trabalharam no primeiro mandato de Lula; “a gente adoraria trazê-los. Nossa ideia é governar com os melhores na política e na gestão de políticas públicas."

Em entrevista à Folha de S. Paulo, ele também se diz animado com o resultado de pesquisas feitas pelo PSB e pelo mercado financeiro que sugeriam crescimento da ex-senadora Marina Silva.

Quanto ao governo Dilma, afirma que “cometeu uma grave barbeiragem na condução da política do BC, que foi deixar claro, no início do mandato, que a inflação no teto da meta [de 4,5%, com tolerância até 6,5%] estaria de bom tamanho. “Se diz que o teto está bom, ele vira o novo centro. Foi o que aconteceu”, diz o economista, que voltou a defender mais autonomia para o BC (leia mais).

Poder Roberta Namour Mon, 25 Aug 2014 05:19:20 +0000 http://www.brasil247.com/151152
Beto Albuquerque recebeu doação da indústria bélica http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151161 : Candidato a vice na chapa de Marina Silva à Presidência, pelo PSB, Beto Albuquerque (PSB-RS) recebeu doação de R$ 30 mil da Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições (Aniam), na campanha eleitoral de 2010, de acordo com prestação de contas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE); 'O valor é pequeno. Eu votei favoravelmente ao desarmamento, no Referendo de 2005', se justifica; recentemente, Marina estabeleceu que campanha não iria receber nenhum tipo de doação da indústria do tabaco e da indústria bélica. “Queremos trabalhar com a ideia de promoção da saúde” <br clear="all"> :

247 - Candidato a vice na chapa de Marina Silva à Presidência da República, Beto Albuquerque (PSB-RS) contraria a linha antibélica da ex-senadora. Ele recebeu doação de R$ 30 mil da Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições (Aniam), que tem como filiadas a Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC) e a Taurus, na campanha eleitoral de 2010, quando se elegeu deputado federal, de acordo com prestação ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Recentemente, Marina reiterou ao PSB sua posição sobre a questão: "Estabelecemos que não iríamos receber nenhum tipo de doação da indústria do tabaco e da indústria bélica. Esses compromissos nós continuamos com eles. É uma mensagem de que defendemos uma cultura de paz. Queremos trabalhar com a ideia de promoção da saúde", afirmou.

Em entrevista ao Valor, o candidato se justifica: "É claro que ela sabe. Ela não veio para o PSB para ser PSB, assim como não nos coligamos com o Rede para sermos Rede. Nós somos de partidos diferentes" afirmou. "Essa contribuição [doação] veio de conhecidos que trabalhavam na Taurus. E o valor, R$ 30 mil, é pequeno", justificou. "Eu votei favoravelmente ao desarmamento, no Referendo de 2005", disse (leia mais).

Poder Roberta Namour Mon, 25 Aug 2014 07:05:10 +0000 http://www.brasil247.com/151161
Crescimento de Marina faz PT rever estratégia http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151155 : Pesquisas encomendadas pelo PT indicam que Marina Silva ampliou sua vantagem sobre o tucano Aécio Neves nos últimos dias e chance de um segundo turno de Dilma Rousseff contra a ex-ministra já beira os 90%; orientação é deixar o discurso polarizado contra o PSDB para explorar contradições de Marina; partido pretende dizer que suas propostas são inconsistentes e lembrar que ela passou cinco anos no governo do PT, como ministra do Meio Ambiente <br clear="all"> :

247 – Pesquisas encomendadas pelo PT indicam que Marina Silva ampliou sua vantagem sobre o tucano Aécio Neves nos últimos dias. Segundo o colunista Bernardo Mello Franco, para a equipe de Dilma Rousseff, a chance de um segundo turno contra a ex-ministra já beira os 90%.

A equipe de Dilma Rousseff vai se reunir nesta semana para discutir como lidar com o novo cenário. Petistas estudam abandonar o discurso de polarização com o PSDB, que pode beneficiar a candidatura de terceira via da ex-senadora.

O colunista diz que eles pretendem explorar suas contradições para desconstruir sua imagem; dizem que suas propostas de campanha são inconsistentes e lembram que ela passou cinco anos no governo do PT, como ministra do Meio Ambiente.

 

Poder Roberta Namour Mon, 25 Aug 2014 05:27:41 +0000 http://www.brasil247.com/151155
Paiva sobre ditadura: "não digerimos a violência" http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/151160 André Conti: Filho de Rubens Paiva, deputado desaparecido no regime militar, escritor Marcelo Rubens Paiva diz que os mais jovens não têm ideia do que foi a ditadura: “A gente não digere a violência”; ele critica a Comissão da Verdade: “é a cara do Brasil: pode investigar, mas não pode punir” <br clear="all"> André Conti:

247 – O escritor Marcelo Rubens Paiva voltou a condenar o regime militar no Brasil. Segundo ele, os mais jovens não têm ideia do que foi a ditadura: “A gente não digere a violência”.

Filho de Rubens Paiva, deputado desaparecido no regime militar, ele também criticou a Comissão da Verdade: “é a cara do Brasil: pode investigar, mas não pode punir”.

Quanto à polêmica em que se envolveu com Roger, do Ultraje a Rigor, pelo Twitter, disse em entrevista à Folha de S. Paulo lamentar o episódio:

‘Há pessoas que nos surpreendem, que nos eram importantes como intelectuais, como amigos até e que, nas redes sociais, você descobre que ficam mais reacionárias, rancorosas. As redes sociais permitem às pessoas fazer confissões que não fariam cara a cara’, disse (leia mais).

Brasil Roberta Namour Mon, 25 Aug 2014 06:46:25 +0000 http://www.brasil247.com/151160
Janot é contra prisão domiciliar de Jefferson http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/151153 : Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, baseou-se em parecer da Divisão Médico Ambulatorial da secretaria de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro, que disse ter condições de atender o ex-deputado federal Roberto Jefferson, “sem qualquer impedimento para a realização da dieta e da medicação do sentenciado”; condenado na AP 470, ele tenta cumprir a pena em casa, sob o argumento de que precisa de cuidados especiais após cirurgia de câncer  <br clear="all"> :

Consultor Jurídico - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou parecer ao Supremo Tribunal Federal contra a concessão de regime domiciliar ao ex-deputado federal Roberto Jefferson. Condenado a sete anos e 14 dias de prisão na Ação Penal 470, o processo do mensalão, o ex-presidente do PTB tenta cumprir a pena em casa, sob o argumento de que precisa de cuidados especiais após ter passado por uma cirurgia de retirada de um câncer no pâncreas.

Roberto Jefferson está hoje em um presídio de Niterói (RJ), mas diz que nenhuma unidade prisional do país pode “garantir os cuidados nutricionais e higiênicos minimamente necessários” para sua sobrevivência. Ele apontou que a própria Secretaria de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro reconheceu que nenhuma unidade de regime semiaberto tem condições de preparar a sua dieta — alguns dos gêneros alimentícios prescritos estão fora do cardápio nos processos licitatórios da pasta.

Apesar dos argumentos, Janot baseou-se em parecer da Divisão Médico Ambulatorial da secretaria, que disse ter condições de atender Jefferson, “sem qualquer impedimento para a realização da dieta e da medicação do sentenciado”. O procurador disse não haver qualquer motivo para o ex-deputado conseguir a medida excepcional solicitada.

Eventuais alimentos que não estejam no cardápio prisional podem ser levados por familiares, afirmou Janot. Ele disse que, se Jefferson ficasse em casa, seriam seus familiares responsáveis por fornecer a comida. Assim, o parecer diz que não se pode aceitar o pedido apenas com base no preparo da alimentação no presídio. A decisão está agora nas mãos do ministro Luís Roberto Barroso, relator da AP 470.

Rio 247 Roberta Namour Mon, 25 Aug 2014 05:23:13 +0000 http://www.brasil247.com/151153
Morre empresário Antônio Ermírio de Moraes http://www.brasil247.com/pt/247/economia/151158 : Aos 86 anos, o empresário Antônio Ermírio de Moraes, do conglomerado industrial Votorantim, morreu nesta madrugada por insuficiência cardíaca; corpo será velado a partir das 9h desta segunda-feira (25) no Salão Nobre do Hospital Beneficência Portuguesa; ele deixa a esposa, Maria Regina Costa de Moraes, e nove filhos <br clear="all"> :

247 – Morreu na noite deste domingo (24) em São Paulo, aos 86 anos, o empresário Antônio Ermírio de Moraes, do conglomerado industrial Votorantim, por insuficiência cardíaca.

O corpo será velado a partir das 9h desta segunda-feira (25) no Salão Nobre do Hospital Beneficência Portuguesa. O sepultamento será às 16h no cemitério do Morumbi, zona oeste de São Paulo.

Engenheiro metalúrgico formado pela Colorado School of Mines (EUA), ele iniciou sua carreira no Grupo em 1949, sendo o responsável pela instalação da Companhia Brasileira de Alumínio, inaugurada em 1955.

Deixa a esposa, Maria Regina Costa de Moraes, e nove filhos.

Economia Roberta Namour Mon, 25 Aug 2014 05:58:32 +0000 http://www.brasil247.com/151158
Aécio promete reajuste de aposentadorias http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/151157 : Durante visita ao Abrigo Cristo Redentor, na zona norte do Rio de Janeiro,  candidato à Presidência da República Aécio Neves (PSDB), disse que, caso venha a ser eleito, vai reajustar o valor das aposentadorias não só com base no aumento real do salário mínimo mas também considerando o aumento dos preços dos medicamentos: “Isso é absolutamente essencial para que os idosos possam viver com um mínimo de dignidade” <br clear="all"> :

Paulo Virgílio, da Agência Brasil - O candidato à Presidência da República da coligação Muda Brasil, Aécio Neves (PSDB), prometeu neste domingo (24), durante visita ao Abrigo Cristo Redentor, em Higienópolis, na zona norte do Rio de Janeiro, caso venha a ser eleito, reajustar o valor das aposentadorias não só com base no aumento real do salário mínimo mas também considerando o aumento dos preços dos medicamentos. “Isso é absolutamente essencial para que os idosos possam viver com um mínimo de dignidade”, disse o candidato, em entrevista à imprensa após percorrer as instalações do abrigo.

Aécio Neves também anunciou a intenção de reajustar o benefício de prestação continuada, criado no governo do então presidente Fernando Henrique Cardoso. “Será a primeira sinalização clara de que os aposentados e os idosos no Brasil começarão a ter um tratamento diferenciado, condizente com o respeito que a sociedade deve ter para come eles”.

O candidato da coligação Muda Brasil pretende adotar, em nível federal, o programa Digna Idade, que implantou quando governador de Minas Gerais. Segundo Aécio, o programa terá como primeira vertente ampliar e qualificar os cuidadores, e em segundo lugar um apoio mais efetivo às unidades, principalmente as que atendem idosos que foram abandonados em hospitais ou pelas próprias famílias.

“O Brasil vem envelhecendo e não se preparou para cuidar de seus idosos. Nós temos poucas casas como este abrigo que estamos visitando hoje. Vamos ampliá-las Brasil afora”, prometeu. De acordo com o candidato tucano, os recursos para melhorar a atenção aos idosos virão de “um Estado com uma política fiscal austera, que não desperdice, que não aumente os gastos correntes de forma avassaladora e irresponsável”.

Logo após chegar ao Abrigo Cristo Redentor, Aécio Neves confraternizou com os idosos da instituição. Cantou com eles a canção Amizade fraterna, de Renato Teixeira, e dançou ao som de sambas, entre eles A dança do bole-bole, cantados por Arlete dos Santos, de 73 anos, sentada em sua cadeira de rodas, e Ladir Rodrigues, de 67 anos.

Fundado há 78 anos, no governo de Getulio Vargas, o Abrigo Cristo Redentor inicialmente recebia menores e idosos e funcionava como um grande complexo de assistência social. Ao longo dos anos foi mudando de perfil e, na década de 1980, passou a abrigar apenas idosos. O espaço pertence ao governo federal, mas desde 2008 é administrado pela Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos.

Minas 247 Roberta Namour Mon, 25 Aug 2014 06:08:19 +0000 http://www.brasil247.com/151157
Veja questiona potencial eleitoral de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/151046 : Revista sugere que a candidata terá uma boa largada, mas não força suficiente para chegar à frente na disputa eleitoral em outubro; publicação destaca seus pontos frágeis, como sua oposição ao agronegócio, seu processo decisório lento e a falta de base política; segundo o redator-chefe André Petry, das condições necessárias para se chegar à presidência, ela tem apenas uma: o carisma; isso significa que, para os editores de Veja, Marina é mais uma miragem do que uma opção real de poder <br clear="all"> :

247 - Marina Silva é mais uma miragem do uma opção real de poder. Essa é a mensagem da capa de Veja deste fim de semana, dedicada ao potencial eleitoral da ex-senadora, que assumiu o lugar de Eduardo Campos como candidata do PSB à presidência da República.

A reportagem principal, de Mariana Barros, Adriano Ceolin e Kaleo Coura, já pergunta "Quão sustentável ela é?". Embora destaque a história de vida de Marina, ex-seringueira que se tornou líder nacional, como uma espécie de "Lula de saias", a revista destaca seus pontos frágeis. Entre eles, a oposição ao agronegócio e à construção de usinas hidrelétricas como as do Rio Madeira e de Belo Monte, o processo decisório lento e uma postura típica de dona da verdade. De acordo com a reportagem, os métodos de Marina "têm a ineficiência como efeito colateral".

Numa segunda reportagem, de Malu Gaspar, Veja aborda o "casamento em crise" de Marina com o PSB. O racha interno, que já provocou a debandada de vários aliados de Eduardo Campos, poderia fragilizar sua corrida ao Palácio do Planalto.

Por fim, numa análise sobre o processo político, o redator-chefe André Petry avalia que a candidata pode se perder no "labirinto sonhático". Petry afirma que, das condições necessárias para se chegar ao poder, ela tem apenas uma: o carisma. O que talvez não seja suficiente.

Mídia Aline Lima Sat, 23 Aug 2014 07:22:34 +0000 http://www.brasil247.com/151046
Souto promete 'doar' helicóptero de Wagner à PM http://www.brasil247.com/pt/247/bahia247/151048 : "Diante da maior crise de segurança da história da Bahia", o candidato a governador Paulo Souto (DEM) anunciou "a doação" do helicóptero do governador Jaques Wagner (PT) para o Grupamento Aéreo da Polícia Militar; "Comprometido a trabalhar de corpo e alma para diminuir os índices de violência no nosso estado", Souto quer marcar esse compromisso com inclusão "dessa importante iniciativa no programa de campanha"; "Esse helicóptero vai ser muito mais útil ajudando a combater a violência no interior do estado" <br clear="all"> :

Bahia 247 - "Diante da maior crise de segurança da história da Bahia", o candidato a governador Paulo Souto (DEM), da coligação 'Unidos pela Bahia', anunciou "a doação" do helicóptero que serve ao governador Jaques Wagner (PT) para o Grupamento Aéreo da Polícia Militar, durante o horário eleitoral da tevê, na noite de sexta-feira (22).

"Comprometido", se eleito, "a trabalhar de corpo e alma para diminuir os índices de violência no nosso estado", Paulo Souto quer marcar esse compromisso com a inclusão "dessa importante iniciativa no programa de campanha".

"Esse helicóptero vai ser muito mais útil ajudando a combater a violência no interior do estado", afirmou Paulo Souto.

O ex-governador democrata recepcionará o candidato a Presidência da República, Aécio Neves (PSDB), neste sábado (23) no lançamento do Programa Nordeste Forte, no Espaço Unique, em Salvador, às 10 h.

Bahia 247 Romulo Faro Sat, 23 Aug 2014 00:29:00 +0000 http://www.brasil247.com/151048
Novo relator do recurso de Arruda também poderá alegar impedimento http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/151047 : O recurso apresentado pelo candidato ao governo do Distrito Federal José Roberto Arruda (PR) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) após impugnação de sua candidatura pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF) tem um novo relator, o ministro Henrique Neves. A substituição ocorreu porque a ministra Luciana Lóssio declarou sua suspeição por ter prestado serviços a Arruda em 2010, quando atuava como advogada. No entanto, Neves pode vir a adotar a mesma saída de Lóssio, já que é sócio de um escritório de advocacia que defende um réu em processos similares àquele ao qual o político do PR responde, sobre o mensalão do DEM <br clear="all"> :

Brasília 247 - O recurso apresentado pelo candidato ao governo do Distrito Federal José Roberto Arruda (PR) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem um novo relator, o ministro Henrique Neves. A substituição ocorreu porque a ministra Luciana Lóssio, para a qual o recurso havia sido automaticamente distribuído na quarta-feira (20), declarou sua suspeição para atuar no processo por razões de foro íntimo. Em 2010, a ministra atuava como advogada e prestou serviços a Arruda, então governador do DF. No entanto, Neves pode vir a adotar a mesma saída de Lóssio. Isto porque, segundo reportagem de O Globo, o ministro é sócio de um escritório de advocacia que defende um réu em processos similares ao que Arruda responde, sobre o caso que ficou conhecido como o mensalão do DEM.

Questionado pelo por O Globo, Neves disse ainda não ter recebido o processo sobre Arruda e por isso não quis comentar se pretende se declarar impedido. O escritório Lacombe e Neves da Silva Advogados Associados faz a defesa de Marcelo Carvalho de Oliveira em sete processos relativos ao escândalo. Carvalho, assim como Arruda, aparece em imagens gravadas pelo delator Durval Barbosa recebendo dinheiro do esquema. Ele era assessor de Paulo Octávio, vice-governador quando o escândalo que levou à prisão de Arruda veio à tona. A defesa de Carvalho é assinada por Tatiana Zenni. O ministro Henrique Neves é um dos sócios do escritório e continua atuando no local, fato que é permitido pela legislação do TSE.

No recurso, Arruda questiona a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF) que impugnou sua candidatura às Eleições 2014 com base na Lei da Ficha Limpa, considerando-o inelegível devido à condenação em segunda instância no julgamento do caso que ficou conhecido como mensalão do DEM.

A defesa de Arruda argumenta que a decisão de segundo grau do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), que confirmou a suspensão de seus direitos políticos por oito anos, é posterior ao seu pedido de registro de candidatura e não pode surtir efeitos.

Arruda requereu seu registro no dia 4 de julho passado e a decisão do TJDFT foi tomada em 9 de julho. Sua defesa sustenta que as condições de elegibilidade e as causas de inelegibilidade são aferidas no momento do pedido de registro. “A jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral, em diversos julgados relativos às eleições de 2012, portanto, sob a égide da Lei da Ficha Limpa, reconheceu que fato superveniente não poderá ser discutido em sede de registro”, argumenta a defesa do candidato. Os advogados do ex-governador afirmam que o TRE-DF mudou esta jurisprudência justamente para atingir sua candidatura.

O ex-governador do DF tem declarado otimismo quando fala sobre o recurso junto ao TSE. Em sabatina realizada pelo Jornal de Brasília, afirmou não ter plano B e disse acreditar em vitória no primeiro turno.

Brasília 247 Leonardo Araújo Fri, 22 Aug 2014 23:59:14 +0000 http://www.brasil247.com/151047
Costa, ex-Petrobras, parte para a delação premiada http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/151035 : No mesmo dia em que a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão em 13 empresas ligadas a Paulo Roberto Costa, na sexta fase da Operação Lava Jato, o ex-diretor da Petrobras decide conceder informações para a Justiça em troca de uma pena menor; Costa foi preso pela primeira vez em março e solto 59 dias depois; na segunda vez, a Justiça denunciou que ele tinha US$ 23 milhões na Suíça; o alvo da PF é acusado de ter facilitado negociações da Petrobras com o doleiro Alberto Youssef, que está preso; segundo a coluna Radar Online, ele depõe nesse momento na Polícia Federal de Curitiba; recentemente, ele teria dito a interlocutores: "Se eu falar, não vai ter eleição" <br clear="all"> :

247 – O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, alvo da Operação Lava Jato, decidiu nesta sexta-feira 22 fazer um acordo de delação premiada para pegar uma pena menor. A decisão foi tomada no mesmo dia em que a PF deflagrou a sexta fase da operação no Rio, cumprindo mandados de busca e apreensão em 13 empresas ligadas e ele. Elas pertenciam a uma filha, a um genro e a um amigo de Costa.

De acordo com a coluna Radar Online, de Veja, Costa está neste momento depondo na Polícia Federal de Curitiba, onde está preso. Seu advogado, Nélio Machado, deixou o caso por discordar da estratégia da família, que o quer longe da cadeia o quanto antes. "A defesa do Paulo Roberto é absolutamente viável. Estão trocando uma defesa certa por uma aventura", disse ele à Folha de S. Paulo.

Ainda de acordo com a coluna Radar Online, Costa disse recentemente a interlocutores, quando ainda não havia decidido pela delação: "Se eu falar, não vai ter eleição".

Costa foi preso pela primeira vez em março, quando ficou 59 dias na cadeia e depois foi solto pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki. Na ocasião, a acusação contra ele era de ocultação de provas da Operação Lava Jato. Em junho, ele foi preso novamente depois que autoridades suíças informaram à Justiça brasileira que ele tinha US$ 23 milhões no país europeu. 

Na Lava Jato, Paulo Roberto Costa é acusado de, quando diretor da Petrobras (entre 2004 e 2012), ter facilitado negociações entre a estatal e o doleiro Alberto Youssef, que está preso e é o principal alvo da investigação. A suspeita é de que ele tenha superfaturado obras da refinaria Abreu e Lima, de Pernambuco, e recebido como suborno o valor pago a mais pela estatal.

Paraná 247 Gisele Federicce Fri, 22 Aug 2014 18:45:03 +0000 http://www.brasil247.com/151035
STF instaura inquérito contra Paulinho da Força http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151038 : Deputado é suspeito de corrupção; Procuradoria-Geral da República o acusa de comercializar 'cartas sindicais', espécie de autorizações do Ministério do Trabalho para a criação de sindicatos, por R$ 150 mil; decisão de abertura de investigação foi do ministro Gilmar Mendes; recentemente, o parlamentar defendeu xingamentos à presidente Dilma feitos na abertura da Copa; "O povo mandou ela para o lugar que tinha que mandar", disse <br clear="all"> :

247 – O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a instauração de um inquérito contra o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), suspeito de corrupção.

De acordo com denúncia da Procuradoria-Geral da República, ele é acusado de comercializar autorizações do Ministério do Trabalho para criar sindicatos, as chamadas "cartas sindicais", por R$ 150 mil.

A decisão foi tomada pelo ministro Gilmar Mendes, que determinou à Polícia Federal que apure se Paulinho participava do esquema de venda.

Recentemente, Paulinho, que fundou o partido Solidariedade, defendeu os xingamentos feitos à presidente Dilma Rousseff no Itaquerão, no jogo de abertura da Copa do Mundo.

"Quando ela sai e aparece no telão, o povo esculhamba porque vai na televisão pra mentir", disse, dias depois do ocorrido. "O povo mandou ela para o lugar que tinha que mandar", defendeu o parlamentar, que apoia o tucano Aécio Neves à Presidência (leia mais aqui).

Poder Gisele Federicce Fri, 22 Aug 2014 19:11:11 +0000 http://www.brasil247.com/151038
Aécio sobre PSB: não vou fazer “cooptação a quem quer que seja” http://www.brasil247.com/pt/247/poder/151023 Marcos Fernandes: Presidenciável pelo PSDB nega que pretende fazer ação junto ao PSB para cooptar setores que não apoiam a candidata Marina Silva; Não vou fazer nenhuma ação junto ao PSB de cooptação a quem quer que seja. Se ao longo da caminhada a nossa proposta sensibilizar setores do PSB ou ligados ao PSB obviamente que são bem-vindos, mas não muda", disse, enquanto cumpria agenda no Rio; sobre a política econômica, Aécio Neves disse ser uma "falácia" o governo dizer que temos pleno emprego no Brasil; "Não é verdade. A sinalização para o futuro é extremamente preocupante", ressaltou <br clear="all"> Marcos Fernandes:

247 – O senador Aécio Neves, candidato do PSDB à Presidência, negou nesta sexta-feira 22 que irá cooptar junto ao PSB apoio de setores que não querem apoiar a candidatura de Marina Silva, oficializada essa semana postulante ao Planalto no lugar de Eduardo Campos.

"Tenho enorme respeito pelo PSB. Não vou fazer nenhuma ação junto ao PSB de cooptação a quem quer que seja. Se ao longo da caminhada a nossa proposta sensibilizar setores do PSB ou ligados ao PSB obviamente que são bem-vindos, mas não muda", declarou Aécio, no Rio de Janeiro, onde cumpria agenda.

O tucano disse continuar "extremamente animado" com a campanha. "Nossa estratégia é apresentar um Brasil eficiente, meritocrático, ousado nas políticas públicas, com a redução dessa gigantesca máquina para que o Estado funcione melhor. Essa é a nossa proposta. E acho que ela vai ao encontro de sentimento de grande parte da população brasileira. Continuo extremamente animado", disse.

Aécio voltou a fazer críticas à política econômica do governo ao dizer que é uma "falácia" o discurso de que o País tem quadro de pleno emprego. "País que não cresce não gera empregos. É uma falácia o governo dizer que temos pleno emprego no Brasil, não é verdade. A sinalização para o futuro é extremamente preocupante", criticou.

Poder Gisele Federicce Fri, 22 Aug 2014 17:41:36 +0000 http://www.brasil247.com/151023
Erundina viu em Marina “negação da política” http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150992 : Agora chefe de campanha do PSB, Luiza Erundina sempre considerou Marina Silva "uma pessoa maravilhosa", mas igualmente dirigiu a ela uma crítica política de fundo; "Marina não escapa ao senso comum de negar a política, negar o partido", demarcou em entrevista ao jornalista Kennedy Alencar, em outubro passado; Erundina disse à época que Marina "desorganiza e deseduca a sociedade"; sobre suas próprias escolhas, afirmou: "minha opção é pelo socialismo"; agora, em campanha, novas contradições rondam as duas aliadas; PSB tem candidata que ainda planeja sair da agremiação em 2015, coordenadora eleitoral nitidamente de esquerda e time econômico ortodoxo com Eduardo Giannetti e poder de mando para herdeira do Itaú Neca Setúbal; engrenagem vai funcionar? <br clear="all"> :

Marco Damiani _ 247 – A crise interna aberta no PSB com a saraivada de ataques desferidos pelo secretário-geral Carlos Siqueira à candidata Marina Silva – "grosseira", "hospedeira" – se resolveu com a criação de uma nova contradição partidária. Mesmo sendo muito amigas, a candidata e sua nova coordenadora de campanha, a ex-prefeita Luiza Erundina, guardam diferenças políticas de fundo.

"Marina é uma pessoa maravilhosa, mas ela não escapa ao senso comum de negar a política, negar o partido. Tanto que é Rede, não é partido", respondeu, em outubro do ano passado, ao jornalista Kennedy Alencar, a nova coordenadora. "Minha opção é pelo socialismo". Como tal, a deputada federal campeã de votos pelo PSB paulista tem a incumbência de levar à vitória uma candidata de baixa nitidez ideológica, cujo programa econômico está sendo comandado pela herdeira do maior banco privado do País, Neca Setúbal e o Itaú Unibanco, e uma dupla de economistas insuspeitos de serem de esquerda, Eduardo Giannetti e André Lara Resende.

Erundina surgiu como nome de consenso entre a imposição de Marina pelo nome do ex-deputado Walter Feldman e a saia justa criada no partido em capitular ao estilo da candidata logo à primeira hora. A tarefa dela, no entanto, é repleta de espinhos.

Em São Paulo, onde tem imagem consolidada e é desde sempre uma campeã de votos, a ex-prefeita já sabe que Marina não subirá no palanque tucano-socialista do governador Geraldo Alckmin. Terá, assim, uma faixa bem mais estreita para percorrer.

Nacionalmente, Erundina, na prática, não tem nenhum trânsito nos setores da política tradicional e do agronegócio nos quais o ex-governador Eduardo Campos firmou suas principais alianças. Seu nome, somado ao de Marina, ajuda a afastar ainda mais essa base, que já ruma para outras candidaturas, do campo do PSB.

Pelo tipo de campanha que sabe fazer, de muito corpo a corpo com o eleitorado, especialmente o mais pobre, Erundina tende a sugerir para Marina roteiros e discursos que estarão mais próximos do ideário do PT e da presidente Dilma Rousseff. Mas em termos de propostas econômicas, a candidata já tem na ponta da língua, e dito por seus porta-vozes, um discurso pró-mercado – e de, digamos, difícil assimilação pelo chamado povão.

Experiente e corajosa, Erundina tem um belo desafio de bastidores pela frente. 

Poder Gisele Federicce Fri, 22 Aug 2014 14:22:52 +0000 http://www.brasil247.com/150992
Marina leva Aécio a buscar Alckmin e Pezão http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150987 : O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, durante caminhada em que conheceu o Projeto Mananciais, em São Paulo, neste sábado (19/07). Ele estava acompanhado do governador Geraldo Alckmin, candidato à reeleição, e do c Efeito da candidatura da ex-senadora à presidência faz tucano intensificar presença em São Paulo, onde deve reforçar agenda ao lado do governador Geraldo Alckmin, que tem 55% das intenções de voto, e no Rio, onde tem a chapa "Aezão"; campanha de Aécio Neves trabalha para casar material do candidato com nomes que concorrem a cargos de deputado no estado, trabalho que vem sendo feito mais pelo PMDB; cúpula do PSDB se reuniu ontem na capital paulista para discutir o novo cenário eleitoral; tucanos avaliam que Marina Silva deve crescer nas próximas pesquisas eleitorais, mas que Aécio tem todas as condições de chegar ao segundo turno <br clear="all"> : O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, durante caminhada em que conheceu o Projeto Mananciais, em São Paulo, neste sábado (19/07). Ele estava acompanhado do governador Geraldo Alckmin, candidato à reeleição, e do c

247 – A campanha do candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, pretende reforçar a agenda em São Paulo e no Rio de Janeiro, temendo o efeito da candidatura de Marina Silva pelo PSB. Na avaliação dos aliados, esses seriam os estados mais suscetíveis a sofrer um eventual impacto com a entrada da ex-senadora na disputa ao Planalto.

Em São Paulo, o plano é intensificar a presença de Aécio ao lado do governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tem 55% das intenções de voto. No Rio, onde foi criada a chapa "Aezão" pelos dissidentes do PMDB que não concordam com o apoio à presidente Dilma Rousseff no âmbito nacional, a campanha trabalha para colocar mais pessoas na rua e casar os materiais de Aécio com candidatos a deputados.

A cúpula do PSDB se reuniu ontem na capital paulista para discutir o novo cenário eleitoral, após a reviravolta com a morte de Eduardo Campos e a candidatura de Marina Silva. Os tucanos avaliam que a ex-ministra deve crescer nas próximas pesquisas eleitorais, mas que Aécio tem todas as condições de chegar ao segundo turno.

Poder Gisele Federicce Fri, 22 Aug 2014 13:03:25 +0000 http://www.brasil247.com/150987
Vítima de Abdelmassih decide processar Gilmar http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/151007 : Vanuzia Leite Lopes, de 54 anos, conta ter piorado da síndrome do pânico que desenvolveu, após ser violentada por Roger Abdelmassih, quando o ministro do STF Gilmar Mendes o tirou da cadeia, em 2009; "Decidi que vou entrar com uma representação contra Mendes, por sofrimento desnecessário", anuncia a vítima, que disse ter começado a estudar direito para entender "como podem ter soltado um homem que foi condenado com a maior pena por estupro"; à época presidente do Supremo, ministro soltou Abdelmassih sob o entendimento de que, como ele estava impedido de exercer a profissão, não fazia mais sentido mantê-lo preso <br clear="all"> :

247 – Uma das 39 mulheres que denunciaram terem sido abusadas por Roger Abdelmassih, Vanuzia Leite Lopes, de 54 anos, anuncia que decidiu processar o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. Em 2009, o então presidente da Corte foi responsável por soltar Abdelmassih, na véspera de Natal, sob a alegação de que, como ele estava impedido de exercer a profissão, não fazia mais sentido mantê-lo preso.

O médico, que tinha uma das maiores clínicas especializadas em reprodução assistida no Brasil, estava preso preventivamente desde agosto daquele ano, sob a acusação de estuprar pacientes. "O argumento de que, em liberdade, poderia o paciente voltar a cometer a mesma espécie de delito em sua atividade profissional assenta-se em mera especulação, sem mínima base fática", justificou Gilmar Mendes à época.

Após a prisão de Abdelmassih no Paraguai essa semana, relatos das vítimas vieram à tona e Vanuzia contou que, por conta dos dois estupros que sofreu do então médico, desenvolveu síndrome do pânico. Segundo ela, os sintomas do problema vinham melhorando, mas quando o criminoso foi solto por Mendes, ela piorou de novo.

Em 1993, ano do crime, ela disse ter ido à delegacia e ao conselho de medicina, mas ninguém lhe deu ouvidos. "Em 2008, sofri outro estupro, digamos assim. Tive que contar minha história na frente da juíza, enfrentar os advogados dele, enfrentar esse homem de novo. Aí que eu desenvolvi síndrome do pânico", disse Vanuzia à Folha de S. Paulo.

"Depois de dois anos comecei a melhorar. Então, o Gilmar Mendes [ministro do STF] soltou ele. Piorei de novo", prossegue. "Decidi que vou entrar com uma representação contra Mendes, por sofrimento desnecessário. Sofremos abuso, a sequela do abuso, a exposição durante processo. E sofremos agora, de novo, para colocá-lo na cadeia".

A vítima relata ainda ter decidido estudar direito para entender como uma decisão como essa era possível. "Eu comecei a estudar direito para justamente entender como podem ter soltado um homem que foi condenado com a maior pena por estupro, que pegou as vítimas no momento mais vulnerável".

Brasil Gisele Federicce Fri, 22 Aug 2014 15:44:07 +0000 http://www.brasil247.com/151007
BNDES tem maior lucro da história no primeiro semestre http://www.brasil247.com/pt/247/economia/151006 Divulgação: BNDES, empréstimo, Minas Gerais Lucro líquido registrado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social no período foi R$ 5,47 bilhões, com aumento de 67,8% em comparação com o resultado do primeiro semestre do ano passado; resultado é o maior da história da instituição, superando o recorde anterior de R$ 5,3 bilhões em igual semestre em 2011 <br clear="all"> Divulgação: BNDES, empréstimo, Minas Gerais

Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil

O lucro líquido registrado pelo Sistema BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) no primeiro semestre deste ano foi R$ 5,47 bilhões, com aumento de 67,8% em comparação com o resultado do mesmo período do ano passado. Divulgado hoje (22), o lucro é o maior da história da instituição, superando o recorde anterior de R$ 5,3 bilhões em igual semestre em 2011.

Contribuiu para o resultado do Sistema BNDES o desempenho da subsidiária de participações Bndespar, cujo lucro, de R$ 2,148 bilhões, ficou 236,4% acima do resultado dos seis primeiros meses de 2013.

Segundo a assessoria de imprensa do BNDES, o aumento do lucro líquido consolidado resultou de três fatores: alta de 31,8% da receita com dividendos e juros sobre capital próprio, totalizando R$ 2,634 bilhões no primeiro semestre dese ano, contra R$ 1,999 bilhão em 2013; melhora do resultado com derivativos, que subiu de R$ 187 milhões para R$ 657 milhões no acumulado janeiro a junho de 2014; e queda de 57,7% da despesa com provisão para perdas em investimentos (de R$ 795 milhões para R$ 336 milhões).

Adicionalmente, "o resultado de intermediação financeira do banco contribuiu com R$ 1 bilhão de aumento", disse à Agência Brasil o chefe do Departamento de Contabilidade do BNDES, Carlos Frederico Rangel. A expansão do resultado de intermediação financeira ficou em 19,3%, passando de R$ 5,025 bilhões no primeiro semestre de 2013 para R$ 5,994 bilhões em igual período de 2014.

Além do resultado apresentado pela Bndespar, o lucro líquido do Sistema BNDES foi composto pelos resultados do banco e da Finame (linha de crédito do BNDES que financia a produção e comercialização de máquinas e equipamentos nacionais). Enquanto a holding do Sistema BNDES teve lucro no semestre de R$ 2,994 bilhões, contra R$ 1,969 bilhão em junho de 2013, a Finame lucrou R$ 330,9 milhões, mostrando redução ante o lucro de R$ 443,9 milhões registrado em junho do ano passado.

Economia Gisele Federicce Fri, 22 Aug 2014 15:07:51 +0000 http://www.brasil247.com/151006
Chega de intermediárias: Neca para presidente! http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150945 : No dia em que Maria Alice "Neca" Setúbal, herdeira do Itaú e financiadora de Marina Silva, decidiu falar em nome da candidata do Partido Socialista Brasileiro, o PSB, Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, foi direto ao ponto: "Maria Alice fala do ponto mais importante: autonomia do Banco Central, medida que, nós sabemos, concentra o ponto fundamental da campanha de 2014 — permitir ao sistema financeiro recuperar o controle absoluto da política econômica, definindo a taxa de juros conforme análises e projeções de instituições privadas que atuam no mercado"; se é assim, por que não entregar a faixa presidencial à banqueira que coordena o programa de Marina?; será subir os juros? <br clear="all"> :

247 - O jornalista Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, defende que o socialista PSB lance Neca Setúbal, a banqueira do Itaú, como candidata no lugar de Marina Silva. Afinal, para que intermediárias? Nesta sexta, em entrevista à Folha, Neca falou em nome da candidata e prometeu medidas como a autonomia do Banco Central e a redução das metas de inflação (leia aqui).

Eis um trecho da análise de Paulo Moreira Leite:

"Na década de 1960, quando o embaixador norte-americano Lincoln Gordon dava seguidas e constrangedoras demonstrações de poder junto aos generais que tentavam dar a impressão de mandar no Brasil após o golpe militar, o jornalista Paulo Francis cunhou uma frase que ficou famosa: “chega de intermediários. Lincoln Gordon para presidente.”

Sessenta anos se passaram e o Brasil mudou bastante desde então. Morto em 1997, o próprio Paulo Francis tornou-se um barítono da direita brasileira, servindo de mestre para um conservadorismo que não conseguia renovar-se por si próprio.

O país se democratizou, os brasileiros fizeram uma constituição democrática e, dentro de poucas semanas, irão votar para presidente pela sétima vez consecutiva, em ambiente de paz e plena liberdade de expressão — isso nunca aconteceu na república brasileira, em período algum.

Com um histórico de desigualdade e exclusão, na última década o país conseguiu avanços memoráveis na luta contra a pobreza, por uma melhor distribuição de renda. É inegável.

Mas nem tudo se modificou, como mostra Fernando Rodrigues, na Folha de hoje.

A entrevista de Maria Alice Setúbal, a herdeira do Itaú, que, manda a tradição aristocrática brasileira, prefere ser tratada em público como Neca, apelido familiar, é um assombro.

Educadora, por profissão, Neca é, também, bilionária por herança. É uma conversa sem rodeios nem inibições. Desde a confirmação da candidatura Marina, a herdeira do Itaú foi confirmada como coordenadora do programa de governo. Lembra de Antonio Palocci, que teve um papel essencial na estruturação do governo Lula, depois da vitória de 2002, inclusive com a Carta ao Povo Brasileiro? Seu lugar no organograma era o mesmo. Imagine o poder de Neca.

Maria Alice fala do ponto mais importante: autonomia do Banco Central, medida que, nós sabemos, concentra o ponto fundamental da campanha de 2014 — permitir ao sistema financeiro recuperar o controle absoluto da política econômica, definindo a taxa de juros conforme análises e projeções de instituições privadas que atuam no mercado.
Nós sabemos que, hoje, o governo Dilma procura manter a inflação sob controle e tem obtido vitórias importantes — há quatro meses os preços estão em tendência de queda e as projeções indicam um movimento semelhante no próximo levantamento. Apesar disso, o governo não abre mão de proteger os salários e de tomar toda medida a seu alcance para manter o emprego, em seu mais baixo nível da história. Isso só é possível porque, mesmo sem dar ordens ao Banco Central, a presidência da República tem o poder de indicar e demitir seu presidente.

A autonomia do BC é a senha para se mudar isso. Em vez de deixar a política econômica em mãos de tecnocratas que respondem a uma autoridade eleita, o que se quer é dar independência aos diretores do banco, que passam a ter mandato e assim por diante. Independência de quem? Das autoridades que de uma forma ou outra expressam a soberania popular.

Leia a íntegra no blog de Paulo Moreira Leite

 

 

 

Poder Ana Pupulin Fri, 22 Aug 2014 11:02:01 +0000 http://www.brasil247.com/150945
Para Reinaldo, Marina consegue ser "pior que o PT" http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/150954 : Blogueiro de Veja chama de "fábula de Esopo" a dupla formada por Marina Silva e Neca Setúbal, sócia do Itaú: "A Socialista e a Banqueira"?; em resposta aos que defendem que Marina Silva é melhor que Dilma, afirma: "nem tudo o que não é PT me serve. E me serve menos ainda algo que, sob certos aspectos, pode ser ainda pior" <br clear="all"> :

247 – Em nova crítica a Marina Silva, o blogueiro de Veja Reinaldo Azevedo refere-se a uma "fábula de Esopo" a dupla formada pela nova candidata à Presidência da República e Maria Alice "Neca" Setúbal, sócia do Itaú. "A Socialista e a Banqueira"?, provoca ele.

Em resposta às defesas de que a ex-senadora seria melhor do que a presidente Dilma Rousseff, ou "essa gente daí", ele rebate: "Como vocês sabem, por mim, essa gente nunca teria entrado. Mas nem tudo o que não é PT me serve. E me serve menos ainda algo que, sob certos aspectos, pode ser ainda pior".

"A irracionalidade do PT, vá lá, é deste mundo. Ademais, quanto mais insistirem em tratar Marina como um ser etéreo, mais eu meu ocuparei de suas características terrenas", prossegue o blogueiro.

O colunista diz ainda que o Brasil corre o risco de dar ao mundo mais uma "jabuticaba", ou seja, algo que só existe aqui: eleger pela terceira vez um presidente sem partido. Reinaldo cita Jânio Quadros, que era "udenista apenas no papel", e Fernando Collor de Mello.

Mídia Gisele Federicce Fri, 22 Aug 2014 10:12:59 +0000 http://www.brasil247.com/150954
Mantega descarta crise: "economia saudável" http://www.brasil247.com/pt/247/economia/150949 : Ministro da Fazenda diz trabalhar com expectativa de crescimento no segundo semestre, uma vez que "vários problemas que ocorreram no primeiro semestre estão sendo superados", como a seca e a inflação que acelerou até março e de abril para cá está em queda; "Então o que vejo é uma economia saudável, estruturalmente sólida e que se defronta com problemas conjunturais"; ele aponta "contradição" em previsões de recessão para o Brasil; "Se você me disser que a economia está em crise com pleno emprego, é uma contradição" <br clear="all"> :

247 – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, prevê um "cenário de recuperação do crescimento neste segundo semestre", uma vez que "vários problemas" que ocorreram no primeiro "estão sendo superados". As declarações foram feitas em entrevista ao jornal Valor Econômico, publicada nesta sexta-feira 22.

"Vários problemas que ocorreram no primeiro semestre estão sendo superados. A seca, a inflação que acelerou até março e de abril para cá está em queda. Chegamos a zero de inflação no mês passado, o que mostra que ela está sob controle e nessa inflação tem o aumento da energia", justificou o ministro.

"Então o que vejo é uma economia saudável, estruturalmente sólida e que se defronta com problemas conjunturais", avaliou Guido Mantega, que aponta "contradição" nas previsões de "recessão" no País. O ministro admitiu que o País "poderia estar crescendo mais", mas ressaltou que "isso não é tudo".

"A economia é um conjunto de dados. Se você me disser que a economia está em crise com pleno emprego, é uma contradição. A economia está em crise com a bolsa subindo há vários meses consecutivos? A economia está em crise com grande fluxo de investimento externo direto? Bom, que raio de crise é essa?", questionou.

Sobre 2015, Mantega recomendou uma política fiscal "um pouco mais apertada" e, ao falar de reajuste de combustíveis, descartou uma "automatização" dos preços. "Isso influi no mercado. Nenhum governo fez isso. Agora, não tem um ano sem aumento", completou. Leia a íntegra aqui.

Economia Gisele Federicce Fri, 22 Aug 2014 09:25:04 +0000 http://www.brasil247.com/150949
Lula: mídia é o principal partido de oposição http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150930 : No programa eleitoral do PT desta quinta-feira (21), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou "uma das piores campanhas negativas de certa imprensa que se tornou o principal partido de oposição"; segundo ele, a mídia esconde os feitos do governo Dilma e voltou a pedir voto para sua afilhada política; ele se referia a grandes obras não mostradas, como a da transposição do rio São Francisco: "Eu tenho certeza que você já está surpreso com tanta coisa que a Dilma fez e que você não sabia"; "Essa campanha vai servir exatamente para isso. Para você ver como certa imprensa gosta mais de fazer política do que informar bem" <br clear="all"> :

247 - No programa eleitoral do PT desta quinta-feira (21), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou "uma das piores campanhas negativas de certa imprensa que se tornou o principal partido de oposição".

Segundo ele, a mídia esconde os feitos do governo Dilma e voltou a pedir voto para sua afilhada política. Ele se referia a grandes obras não mostradas, como a da transposição do rio São Francisco, em PE.

"Eu tenho certeza que você já está surpreso com tanta coisa que a Dilma fez e que você não sabia", disse.

"Essa campanha vai servir exatamente para isso. Para você ver como certa imprensa gosta mais de fazer política do que informar bem. Como só consegue falar mal e é capaz de esconder obras fundamentais, que estão transformando o Brasil", atacou Lula.

O ex-presidente disse que sua sucessora fez "muita coisa, muita mesmo" e que só conseguiu isso porque fez um governo de continuidade. Ao mesmo tempo, não esqueceu do desejo de mudança expresso pela maioria da população em pesquisas.

"Por isso eu lhe peço: não deixe a mudança parar, não deixe o Brasil parar de mudar."

Poder Roberta Namour Fri, 22 Aug 2014 05:51:16 +0000 http://www.brasil247.com/150930
Neca, do Itaú, já dá as cartas no governo Marina http://www.brasil247.com/pt/247/economia/150929 : Coordenadora do programa de governo de Marina Silva, Maria Alice Setubal, herdeira do Itaú, assegura que a candidata socialista dará autonomia ao Banco Central e irá perseguir uma meta de inflação de 4,5% no primeiro ano, que cairá para 3% nos anos seguintes, o que demandaria taxas de juros maiores; ela também minimizou a falta de experiência de Marina, que, segundo ela, contará com "operadores de mercado" em sua equipe; por fim, atacou a presidente Dilma; “Toda essa fala da Dilma gestora se desfez ao longo de quatro anos", afirmou <br clear="all"> :

247 – Madrinha de Marina Silva, Maria Alice Setubal, a Neca, coordenadora do programa de governo do PSB, minimiza a falta de experiência da candidata e sinaliza aproximação com o mercado.

Em entrevista à Folha, ela afirma que a presidenciável manterá os compromissos feitos anteriormente por Eduardo Campos a respeito de conceder autonomia formal, por lei, ao Banco Central. Diz que, ao longo da campanha, mais economistas "estarão se aproximando".

“Hoje, temos uma presidente cujo perfil é de gestão, pragmático, racional. Talvez o oposto da Marina. E o resultado que nós temos é bastante insatisfatório. Toda essa fala da Dilma gestora se desfez ao longo de quatro anos. O mercado visualizando as pessoas que estão ao lado dela vai ter muito mais segurança. Ela já tem vários economistas. Terá outras, mais operadoras", afirma.

Neca disse que a meta de inflação num eventual governo Marina permanecerá em 4,5%, com foco em chegar a 3% a partir de 2019.
Quanto à gestão de Dilma Rousseff, avalia que a petista "tem uma incapacidade de ouvir. Desagrega" (leia mais).

Economia Roberta Namour Fri, 22 Aug 2014 04:46:26 +0000 http://www.brasil247.com/150929
Aécio pede calma e busca 'órfãos de Campos' http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/150931 : Presidenciável tucano Aécio Neves tem ligado pessoalmente para aliados para pedir que mantenham a "serenidade" diante do "fenômeno Marina"; em reunião convocada na noite de quarta-feira com a cúpula do PSDB e principais partidos da coligação, a orientação foi “atuar nas divergências” do PSB para fortalecer palanques estaduais, enquanto Marina promove um verdadeiro racha no partido; para o vice Aloysio Nunes, os apoios virão naturalmente onde o eleitorado é incompatível com as ideias da ex-senadora <br clear="all"> :

247 - O presidenciável Aécio Neves (PSDB) tentou transmitir calma a seus aliados diante da ameaça do ‘tsunami Marina’. Pediu a todos que mantenham a "serenidade". 

Segundo o colunista Bernardo Mello Franco, sondagens encomendadas pelos tucanos indicam que a rival já o ultrapassou e se isolou em segundo lugar. "Pesquisa agora só vale depois do Sete de Setembro", repete Aécio, tentando animar aliados por telefone.

"Estamos tranquilos. Numa eleição difícil como esta, se o candidato claudica, isso repercute na tropa", afirma o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM).

Enquanto isso, o tucano parte para o ataque atrás dos ‘órfãos de Campos’. Em reunião convocada na noite de quarta-feira com a cúpula do PSDB e principais partidos aliados, a orientação foi “atuar nas divergências” do PSB, enquanto Marina promove um verdadeiro racha.

Além de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina, onde os atritos entre PSB e Rede já são explícitos, ele também procura novas alianças em Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e Alagoas.

O Nordeste receberá uma atenção especial para impedir que a presidente Dilma Rousseff herde os votos de Campos. 

Para o vice do PSDB, Aloysio Nunes, não é preciso avançar o sinal. "Os apoios virão naturalmente nos Estados onde o eleitorado é incompatível com as ideias de Marina. Não vamos assediar ninguém", afirma.

Minas 247 Roberta Namour Fri, 22 Aug 2014 05:13:20 +0000 http://www.brasil247.com/150931
Após racha, Erundina assume campanha de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150928 : Deputada Luiza Erundina (SP) foi designada para substituir Carlos Siqueira, que abandonou a coordenação-geral da campanha do PSB após divergências com Marina Silva; Erundina era a aposta da ex-senadora para disputar o governo de São Paulo e assim, impedir a aliança com o PSDB de Geraldo Alckmin, mas foi barrada pelo diretório estadual do partido; aos poucos, Marina traz ao centro da campanha seus principais aliados, se distanciando da herança política deixada por Eduardo Campos  <br clear="all"> :

Da Agência Brasil - A deputada Luiza Erundina (SP) foi designada pelo presidente nacional do PSB como coordenadora-geral da campanha da coligação Unidos Pelo Brasil, que tem Marina Silva como candidata à Presidência e Beto Albuquerque como vice. A notícia foi divulgada na noite de ontem (21) em nota oficial no site do PSB.

Luiza Erundina substitui Carlos Siqueira, que abandonou a coordenação-geral da campanha de Marina Silva pouco após a nomeação da ex-senadora como candidata à Presidência no lugar de Eduardo Campos, morto em um acidente aéreo no litoral de Santos no último dia 13.

Nascida em Uiraúna (PB), Erundina é professora e está em seu quarto mandato como deputada federal por São Paulo, todos pelo PSB, partido ao qual é filiada desde 1997. Antes de entrar no PSB, ela passou 17 anos no PT (1980-1997). Como petista foi vereadora e prefeita de São Paulo e deputada estadual. Ela esteve no ato de filiação de Marina Silva ao PSB.

Leia a nota do PSB:

Comunicado Oficial

O Presidente Nacional do Partido Socialista Brasileiro, Roberto Amaral, designou a deputada Luiza Erundina (SP) para coordenar a campanha da Coligação "Unidos Pelo Brasil". Luiza Erundina substitui Carlos Siqueira na coordenação geral da campanha.

Poder Roberta Namour Fri, 22 Aug 2014 04:29:02 +0000 http://www.brasil247.com/150928
Jato de Campos violava a lei eleitoral http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150936 : Segundo autoridades da Justiça Eleitoral, o jato não poderia ser usado na campanha, já que, pela resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), uma empresa que não presta serviço aéreo não pode ceder avião para um candidato; aeronave era operada pelo AF Andrade, grupo de usineiros de Ribeirão Preto; além disso, os gastos com o avião também não foram incluídos na primeira prestação de contas do PSB <br clear="all"> :

247 - O avião Cessna PR-AFA que caiu em Santos no último dia 13, com a comitiva de Eduardo Campos (PSB), violava a lei eleitoral.

Segundo autoridades da Justiça Eleitoral, o jato não poderia ter sido usado na campanha, já que está registrado na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em nome da AF Andrade, um grupo de usineiros de Ribeirão Preto.

Pela resolução 23.406 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), uma empresa que não presta serviço aéreo não pode ceder avião para um candidato. Além disso, os gastos com o avião também não foram incluídos na primeira prestação de contas do PSB ao TSE.

O avião também está envolvido em outra irregularidade: foi colocado à venda por cerca de US$ 7 milhões, mas o grupo Andrade está em recuperação judicial e só poderia ser vendido com autorização judicia (aqui).

Leia aqui reportagem de Jailton de Carvalho sobre o assunto. 

Pernambuco 247 Roberta Namour Fri, 22 Aug 2014 06:49:21 +0000 http://www.brasil247.com/150936
PSB agradece apoio de Alckmin em tragédia http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/150934 : No mesmo dia em que a nova candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, reafirmou que não dividirá palanque com Geraldo Alckmin em SP, partido envia carta de agradecendo ao governador tucano pela atenção dada na morte precoce de Eduardo Campos <br clear="all"> :

247 – Se dependesse de Marina Silva, o PSB caminharia sozinho em São Paulo. Ela se opôs, desde o início, à aliança pela chapa de reeleição do governador Geraldo Alckmin (PSDB) fechada por Márcio França.

No entanto, segundo a colunista Mônica Bergamo, no mesmo dia em que reafirmava que não fará campanha ao lado do tucano em SP, o PSB, partido ao qual está filiada, aprovava carta agradecendo ao governador paulista pela atenção que deu à tragédia.

Alckmin foi quase todos os dias ao IML (Instituto Médico-Legal) acompanhar o reconhecimento dos corpos.

SP 247 Roberta Namour Fri, 22 Aug 2014 06:39:53 +0000 http://www.brasil247.com/150934
Guru de Marina: Brasil vive crise de confiança http://www.brasil247.com/pt/247/economia/150933 : Economista Eduardo Giannetti admite “pitada de exagero na oscilação do ânimo coletivo”, mas afirma que, “para além da piora do quadro econômico, o Brasil encontra-se às voltas com uma crise de confiança em seu futuro e uma onda generalizada de descrença na política como forma de enfrentamento e superação das dificuldades”; segundo ele a saída está nas urnas  <br clear="all"> :

247 – O economista Eduardo Giannetti, guru da candidata Mariana Silva (PSB) diz que, enquanto o mundo vira a página da crise financeira, o Brasil amarga uma estagflação.

Segundo ele, há uma pitada de exagero na oscilação do ânimo coletivo. No entanto, diz que o fato capital permanece: “Para além da piora do quadro econômico, o Brasil encontra-se às voltas com uma crise de confiança em seu futuro e uma onda generalizada de descrença na política como forma de enfrentamento e superação das dificuldades”.

A saída, segundo ele, estão nas eleições: ‘A virada virá de baixo para cima e de fora para dentro. Ela virá da nossa participação’ (leia mais).

Economia Roberta Namour Fri, 22 Aug 2014 06:17:47 +0000 http://www.brasil247.com/150933
PML: por que Marina não pode falar sobre apagão http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150878 : Paulo Moreira Leite diz que cobranças da candidata por ações no setor elétrico "ajudam a encobrir seu próprio papel na história", uma vez que, "como ministra do Meio Ambiente, ela fez o possível para atrapalhar o esforço legítimo do governo Lula para garantir o suprimento de energia"; ontem, ela disse ser "lamentável" que tenhamos ameaça de apagão desde 2002; para o jornalista, Marina Silva "fala do que não entende" ao mencionar "fantasmas criados pela oposição"; "Compreensivelmente em busca de espaço na campanha", interpreta PML, em seu blog no 247; agora, sete anos depois de ter deixado o governo, Marina quer mais energia; "Seria mais honesto fazer uma autocrítica, certo?", questiona <br clear="all"> :

247 – A ex-senadora Marina Silva cobrou nesta quarta-feira 20, em sua primeira entrevista como candidata do PSB à Presidência da República, ações do governo no setor elétrico. Para o jornalista Paulo Moreira Leite, a ex-ministra do Meio Ambiente "fala do que não entende" e se mostra "desatualizada" quando menciona o temor de "apagões" no País desde 2002. A ameaça, define ele, é um "fantasma criado pela oposição".

Em seu blog no 247, PML afirma que as críticas da presidenciável ajudam a "encobrir seu próprio papel nessa história", uma vez que, quando ministra, "fez o possível para atrapalhar o esforço legítimo do governo Lula para garantir o suprimento de energia que permite a uma pessoa assistir TV, tomar banho quente, ligar o computador e até ler um livro à noite" e "impedir investimentos que iriam ajudar os brasileiros pobres a vencer atrasos históricos".

Para o colunista, Marina estava "apoiada numa visão excludente do meio ambiente, pela qual o progresso social pode ser sacrificado em nome da preservação ambiental". E agora, "sete anos depois de deixar o governo Lula, Marina quer mais energia. Em vez de cobrar, seria mais honesto fazer uma autocrítica, certo?", questiona Paulo Moreira Leite.

Leia a íntegra do artigo em Marina fala do que não entende

Poder Aline Lima Thu, 21 Aug 2014 15:21:21 +0000 http://www.brasil247.com/150878
Sem dono, jato de Campos é investigado pela PF e Anac http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150867 : Propriedade obscura de Citation 560 XL em que Eduardo Campos cruzava o Brasil em campanha desperta suspeitas na Polícia Federal e na Anac; sem seguro e com equipamentos fora de funcionamento, avião ainda pertencia à fabricante/vendedora Cessna Finance Export Corporation, mas era operado por grupo usineiro com sede em Ribeirão Preto; impostos podem não terem sido recolhidos; ao mesmo tempo, voava em regime de leasing para uma distribuidora de pneus; agora, diante da movimentação causada pelo acidente no qual sete pessoas morreram, grupo de empresários de Pernambuco anunciará, em nota, compra do que restou do avião; dono de factoring em Recife, João Carlos Pessoa de Melo assumirá fatura estimada em US$ 7 milhões; parafusos comerciais à volta da tragédia <br clear="all"> :

247 – A Polícia Federal e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) estão investigando a situação legal do jatinho Cessna Citation 560 XL, prefixo PRF-AFA, em que o ex-governador Eduardo Campos morreu, na quarta-feira 13, em Santos, ao lado de outras seis pessoas. O aparelho servia para todas as viagens da campanha do candidato, mas sua propriedade é obscura.

Agora, em razão das apurações da PF, um grupo de empresários de Pernambuco vai sair a público, com nota oficial, para informar que estará comprando a titularidade do aparelho destruído, que hoje existe apenas nos destroços e nos papéis comercias. Ele deverá ser assumido pelo dono de uma factoring em Recife, João Carlos Pessoa de Melo.

Em maio, antes do início das viagens eleitorais de Campos, Melo procurou a corretora que representa o grupo usineiro Andrade, com sede em Ribeirão Preto, para formalizar uma promessa de compra. Esse grupo foi o primeiro operador do avião, avaliado em US$ 7 milhões. Os papéis oficiais do jatinho, no entanto, ainda mostram que ele pertence à Cessna Finance Export Corporation, a vendedora diretamente ligada à fábrica do avião. Há a suspeta da Polícia Federal de que o jato não teve seus impostos recolhidos para operar no Brasil.

A Anac justificou em nota oficial a investigação a respeito da propriedade do jatinho:

"A aeronave era de propriedade da Cessna Finance Export Corporation e era operada pela empresa privada AF Andrade Empreendimentos e Participações Ltda. por meio de arrendamento operacional (leasing). A Anac informa que solicitou apoio da PF para localização do operador a fim de verificar informações sobre eventual venda da aeronave, ainda não comunicada à Agência", ressaltou o órgão.

Sem seguro e com aparelhos fora de funcionamento, como o gravador de voz da cabine, o avião estava, no momento do acidente, em regime de leasing para a Bandeirantes Companhia de Pneus.

Esses sucessivos parafusos comerciais em torno do jatinho que vitimou Campos e mais seis pessoas podem, é claro, ter relação com a situação de aparente falta de manutenção em que o avião voava. Dias antes da tragédia, o próprio Campos registrou num encontro político em Londrina, no Paraná, que o aparelho havia apresentado falha de ignição na decolagem.

- Ainda bem que não pegou em solo, porque, se não, não estaríamos aqui agora, disse ele.

Pernambuco 247 Ana Pupulin Thu, 21 Aug 2014 13:13:08 +0000 http://www.brasil247.com/150867
Marina causa 1º racha em núcleo do PSB: “grosseira” http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150849 : Militante histórico e secretário-geral do PSB, Carlos Siqueira deixa, furioso, a coordenação nacional da campanha da legenda; "Pela maneira grosseira como ela me tratou", disse, justificando a atitude; segundo Siqueira, a substituta de Eduardo Campos foi "muito deselegante" com ele na reunião de ontem; "Se ela comete uma deselegância no dia em que está sendo anunciada candidata, imagine no resto. Com ela não quero conversa", rebateu; "Não estou e não estarei em hipótese alguma na campanha desta senhora", acrescentou; deputado Walter Feldman, homem de confiança da ex-senadora, assume a coordenação; Marina Silva vai impondo estilo sobre o presidente da sigla, Roberto Amaral <br clear="all"> :

247 – A ex-senadora Marina Silva acaba de provocar o primeiro grande racha no PSB depois de entrar no lugar de Eduardo Campos como candidata a presidente da República. Carlos Siqueira, secretário-geral e militante histórico da legenda, deixou a coordenação nacional da campanha que agora é de Marina. "Pela maneira grosseira como ela me tratou", disse ele ao jornal Folha de S. Paulo, justificando a atitude.

Siqueira contou que a nova candidata, que era vice de Campos, o tratou de maneira "muito deselegante" na reunião ocorrida entre lideranças do partido nesta quarta-feira 20. Marina teria dito a Siqueira que ele não precisaria mais se preocupar com a coordenação do projeto político. Na avaliação dele, se ela "comete uma deselegância no dia em que está sendo anunciada candidata, imagine no resto". "Com ela não quero conversa", ressaltou. E prosseguiu:

- Eu havia anunciado que minha função estava encerrada com a morte do meu amigo. Na reunião ela foi muito deselegante comigo. Eu disse que não aceitaria aquilo e afirmei: 'a senhora está cortada das minhas relações pessoais' ", disse Siqueira. "Não houve engano nenhum. Não estou e não estarei em hipótese alguma na campanha desta senhora."

A saída do coordenador da campanha é um sinal de como será espinhosa a relação entre a ex-senadora e militantes pessebistas e mostra o quão era limitada a Eduardo Campos, ex-presidente do partido e morto num trágico acidente aéreo na semana passada, a aliança com a líder da Rede. "Perdemos a eleição hoje", disse ontem um auxiliar do PSB, logo após Marina ser oficializada candidata, segundo relato do jornalista Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília (leia aqui).

O PSL, que fazia parte da coligação da campanha de Campos, também já anunciou sua saída depois da oficialização do nome de Marina. O partido, presidido por Luciano Bivar, anunciou que está liberando seus diretórios para apoiarem os candidatos que julgarem melhor. Em Pernambuco, o deputado federal Mendonça Filho, líder do DEM na Câmara, também mandou o recado de que não estará mais no palanque da ex-senadora.

Abaixo, reportagem da Reuters:

Marina deve escolher novo coordenador de campanha, diz socialista que trabalhava para Campos

BRASÍLIA (Reuters) - O socialista Carlos Siqueira, que coordenava a campanha de Eduardo Campos, afirmou nesta quinta-feira que a ex-senadora Marina Silva, que encabeça a candidatura do PSB à Presidência, deve escolher outra pessoa para coordenar a corrida pela disputa presidencial.

Marina, oficializada candidata pelo partido na quarta-feira após a trágica morte de Campos na semana passada, assumiu a liderança da chapa em meio a intensas negociações e teria se desentendido com Siqueira.

Ao chegar à sede do PSB nesta quinta-feira, Siqueira disse a jornalistas que com a nova candidata inicia-se uma nova fase.

"Eu estava numa coordenação de uma pessoa que era do meu partido e que eu tinha restrita confiança e agora terminou essa fase", afirmou, referindo-se a Campos.

"Vai continuar a campanha com uma nova candidata e daí que essa nova candidata deve escolher o seu novo coordenador."

Muito próximo à ex-senadora, Bazileu Margarido, que passa a comandar o comitê financeiro da campanha, confirmou nesta quinta que durante as negociações, a ex-senadora pediu algumas mudanças na estrutura da campanha.

Dentre elas, havia o pedido de que Walter Feldman, então porta-voz do partido ainda pendente de oficialização Rede Sustentabilidade, assumisse a coordenação-executiva na campanha, ao lado de um nome indicado pelo PSB.

Segundo Margarido, isso foi interpretado por Siqueira como uma maneira "elegante" de destituí-lo do cargo, embora não tenha sido essa a intenção de Marina, segundo o novo coordenador do comitê financeiro.

"Ele entendeu como um desprestígio, nas palavras dele", disse Margarido ao chegar à sede do PSB em Brasília, onde Marina terá reunião com dirigentes dos partidos que compõem a coligação.

Marina filiou-se ao PSB em outubro do ano passado, no último dia permitido por lei para que candidatos que pretendiam disputar a eleição deste ano se filiassem a algum partido.

Ela decidiu se aliar a Campos após não conseguir viabilizar junto à Justiça Eleitoral a criação de seu próprio partido, a Rede Sustentabilidade.

Após sua entrada e de boa parte de seu grupo político no PSB, Marina disse que ela e seus partidários tinham data para sair do partido e que pretendia se dedicar à oficialização da Rede.

A ex-senadora se opôs a algumas das alianças regionais firmadas pelo PSB, como a feita em São Paulo com o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e a fechada no Rio de Janeiro, com o candidato do PT ao governo do Estado, Lindbergh Farias.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Poder Gisele Federicce Thu, 21 Aug 2014 11:36:20 +0000 http://www.brasil247.com/150849
Saída de Siqueira foi "mal-entendido", diz Marina http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150882 : Candidata ao Palácio do Planalto pelo PSB descartou racha interno no partido e disse que saída do coordenador da campanha, Carlos Siqueira, se tratou de um "mal-entendido"; saída se deu após Marina Silva colocar Walter Feldman (PSB-SP), seu homem de confiança, no lugar de Bazileu Margarido, que era coordenador adjunto de Siqueira; aliados da presidenciável na Rede se disseram perplexos com o rompimento e com as críticas de Siqueira feitas à ex-senadora <br clear="all"> :

Pernambuco 247 – Após o secretário-geral do PSB, Carlos Siqueira, deixar a coordenação da campanha presidencial da legenda, a candidata ao Palácio do Planalto pelo partido, Marina Silva, descartou um racha interno e disse que tudo se tratou de um "mal-entendido". Em reunião na Fundação João Mangabeira, em Brasília, a ex-senadora afirmou que não faria alterações na equipe formada anteriormente pelo ex-presidenciável da sigla, Eduardo Campos, falecido no último dia 13, como consequência de acidente aéreo em Santos (SP).

De acordo com Marina, a única mudança que ocorreu foi a ida do deputado federal licenciado Walter Feldman (PSB-SP) para o lugar de Bazileu Margarido, que era coordenador adjunto de Siqueira. Agora, Margarido coordena o comitê financeiro.

"O que foi dito na reunião do PSB é que ele (Siqueira) está mantido da forma como Eduardo Campos deixou. A única mudança que aconteceu foi no comitê financeiro, porque nós tínhamos que criar um novo comitê financeiro", afirmou hoje a ex-senadora. "É logico que estamos diante de uma situação em que tem um mal-entendido e o próprio PSB deve esclarecer", acrescentou.

Segundo Margarido, com a nova função atribuída a Feldman, a intenção da ex-senadora era apoiar Siqueira como coordenador da campanha. "Ele entendeu errado o gesto de Marina. A indicação de Walter Feldman como adjunto era uma forma de chancelar Siqueira como coordenador", disse.

Apesar de esclarecer o motivo que levou à saída de Siqueira, Margarido afirmou que são remotas as chances de ele voltar à sua função. Tanto o seu posicionamento como o de Marina vieram depois que o ex-coordenador da campanha socialista acusou a ex-senadora de lhe tratar de maneira "grosseira" e, como consequência, ele decidiu cortar as relações pessoas com a presidenciável (leia mais aqui).

Feldman também tentou acalmar os ânimos dentro do partido. "Estamos perplexos, foi um mal-entendido. Ele [Siqueira] tinha a expectativa de que a Marina o indicasse, mas a Marina apenas lembrou que essa indicação caberia ao PSB. A Marina vai tentar demovê-lo, o queremos como coordenador-geral, não há absolutamente nenhuma disputa de cargos na campanha", declarou.

Pernambuco 247 Paulo Emílio Thu, 21 Aug 2014 15:39:21 +0000 http://www.brasil247.com/150882
Garotinho alfineta a Globo em entrevista ao RJTV http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/150864 : "Quero deixar bem claro aqui que eu nunca fui preso, como divulgou a Globo", disse o candidato ao governo do Rio pelo PR, ao falar sobre o caso do ex-chefe de polícia civil de seu governo, Álvaro Lins, condenado por formação de quadrilha; Anthony Garotinho disse que o caso já está "esclarecido"; candidato falou ainda sobre os novos corredores de metrô que pretende criar se for eleitor e lembrou aos eleitores ter sido "o homem do restaurante popular, do cheque cidadão e do café da manhã na estação de trem" <br clear="all"> :

Rio 247 - O candidato do PR ao governo do Rio de Janeiro, deputado Anthony Garotinho, alfinetou a Globo em entrevista concedida nesta quarta-feira 20 no RJTV 2ª Edição. "Eu quero deixar bem claro aqui que eu nunca fui preso, como divulgou a Globo", afirmou Garotinho, ao responder sobre o caso do ex-chefe de polícia civil de seu governo, Álvaro Lins, que foi condenado a 28 anos de prisão por formação de quadrilha.

O candidato esclareceu que o caso "está esclarecido" e que o "envolveram politicamente nesse assunto". Quanto às perguntas referentes às acusações contra Lins, afirmou: "têm que ser perguntadas para ele". "Quem investigou essa quadrilha foi o nosso governo", ressaltou ainda o candidato, antes de lembrar os eleitores de que nunca foi preso.

Garotinho também falou ainda sobre os quatro novos corredores de metrô que pretende criar se for eleitor e lembrou ter sido "o homem do restaurante popular, do cheque cidadão e do café da manhã na estação de trem", alguém que tem feito "bem ao povo". Assista à íntegra da entrevista aqui.

De acordo com as últimas pesquisas eleitorais feitas no Rio, Garotinho lidera a disputa ao governo estadual. Datafolha divulgado na semana passada apontou o ex-governador com 25% das intenções de voto, seguido de Marcelo Crivella (PRB), que tem 18%, e do atual governador, Luiz Fernando Pezão (PMDB), com 16%.

Rio 247 Ana Pupulin Thu, 21 Aug 2014 12:36:15 +0000 http://www.brasil247.com/150864
93% dos reajustes salariais ficaram acima da inflação http://www.brasil247.com/pt/247/economia/150869 : Quase todos os 340 acordos coletivos de trabalho assinados no primeiro semestre resultaram reajustes salariais acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), calculado pelo IBGE; na maior parte houve aumentos reais, sendo a maioria na faixa de 1% a 2%, segundo informações do Dieese <br clear="all"> :

Marli Moreira - Repórter da Agência Brasil

Quase todos os 340 acordos coletivos de trabalho assinados no primeiro semestre resultaram reajustes salariais acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A informação faz parte do estudo Sistema de Acompanhamento de Salários do Departamento Intersindical de Estudos de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), divulgado hoje (21). O levantamento mostra que em 93% das negociações houve aumentos reais, sendo a maioria na faixa de 1% a 2%.

Essa parcela é ligeiramente acima da registrada no ano passado, quando 83,5% da negociações levaram a reajustes acima do INPC. A maior parte dos reajustes em que os trabalhadores só conseguiram repor a perda inflacionária situou-se no segmento dos serviços (7%). No setor industrial, 5% das negociações tiveram correção abaixo do índice.

Na média, os aumentos reais chegaram a 1,5% na indústria; 1,57% no comércio e 1,51%, no setor de serviços. Em 45% dos casos analisados, houve aumentos entre 1,01% e 2%.

Na indústria, os ganhos reais na faixa 2,01% e 3% atingiram 19,4% das negociações e, no topo, na faixa entre 4,01% e 5%, estão apenas 2,1% dos empregados.

No comércio, em 46 acordos foram constatados 95,7% de ganhos reais; 2,2% de salários mantidos em taxa iguais ao do INPC; 2,2% abaixo da inflação e aumento real médio de 1,57%.

No setor de serviços foram estudadas 138 negociações coletivas de trabalho, em que se verificou que o percentual de reajustes acima do INPC, em 93% dos casos, igualou-se a 2012, ano considerado como o melhor da série desde 2008. O aumento real médio, no entanto ficou abaixo daquele período, em 1,57% ante 2,05%.

Economia Gisele Federicce Thu, 21 Aug 2014 12:59:15 +0000 http://www.brasil247.com/150869
IBGE aponta quadro de pleno emprego no Brasil http://www.brasil247.com/pt/247/economia/150832 : Taxa de desocupação em julho ficou estável nas quatro regiões metropolitanas pesquisadas – São Paulo (4,9%), Recife (6,6%), Rio de Janeiro (3,6%) e Belo Horizonte (4,1%) – e mostram mínimas histórias de desemprego no País; a despeito de todas as previsões de recessão na economia, dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) apontaram essa semana que rendimento real médio do trabalhador cresceu 3,18% em 2013 e que o Brasil gerou 1,49 milhões de empregos formais no período; para o ministro do Trabalho, Manoel Dias, números refletem que o mercado de trabalho continua em expansão e não há indícios de retração <br clear="all"> :

247 – Dados divulgados nesta quinta-feira 21 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam para uma situação de pleno emprego no País. As quatro regiões metropolitanas pesquisadas mostraram estabilidade na taxa de desocupação de junho para julho desse ano: Recife (6,6%), Belo Horizonte (4,1%), Rio de Janeiro (3,6%) e São Paulo (4,9%). Em relação a julho de 2013, houve estabilidade em Recife e Belo Horizonte, e recuos no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Este foi o terceiro mês que o IBGE não divulgou os dados completos da mostra em razão da greve de seus servidores. Ficaram faltando as regiões metropolitanas de Salvador e Porto Alegre. Em abril, última vez que o instituto divulgou a pesquisa completa, o índice de desemprego registrado foi de 4,9%, o menor da história para o mês.

Mesmo diante de todas as previsões negativas para a economia brasileira, por parte de analistas e consultorias econômicas, dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) apontaram um cenário inverso essa semana. O rendimento real médio do trabalhador brasileiro cresceu 3,18% em 2013, alcançando R$ 2.265,71 em dezembro contra R$ 2.195,78, registrado em dezembro de 2012.

No ano passado, o Brasil também gerou 1,49 milhão de empregos formais, segundo a Rais. O número é superior aos dados de 2012, quando foram registrados 1,14 milhão de empregos. O montante de vínculos empregatícios também cresceu, passando de 47,45 milhões em 2012 para 48,94 milhões em 2013.

Na avaliação do ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, os dados positivos refletem que o mercado de trabalho no Brasil continua em expansão e não há indícios de retração. "Nossos percentuais em todos os setores da economia são altamente positivos. O País vem mantendo a geração de postos, seguindo o crescimento do PIB. Criamos vagas de emprego e tivemos ganhos reais de salários, como demonstra a Rais", afirmou.

Economia Gisele Federicce Thu, 21 Aug 2014 10:02:50 +0000 http://www.brasil247.com/150832
PSL anuncia saída da coligação de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150827 : Passados oito dias da morte de Eduardo Campos, os primeiros problemas internos colocam em risco as alianças nacional e estadual costuradas por ele; em nível nacional, o PSL anunciou que está liberando seus diretórios para apoiarem os candidatos que julgarem melhor; em Pernambuco, o deputado federal Mendonça Filho (DEM) mandou o recado de que não estará mais no palanque de Marina Silva; o presidente do PSL, Luciano Bivar, diz que Marina deverá perder entre seis e oito segundos, dos dois minutos e três segundos hoje à sua disposição no guia eleitoral; "Mas a perda maior serão os 780 vereadores e 36 prefeitos", ressaltou Bivar  <br clear="all"> :

Pernambuco 247 - Passado pouco mais de uma semana da morte do ex-governador de Pernambuco e presidenciável pelo PSB, Eduardo Campos, os primeiros problemas internos começam a aparecer e colocam em risco as alianças nacional e estadual que Campos costurou lenta e duramente de maneira a manter a legenda competitiva nestas eleições. Em nível nacional, o PSL anunciou que está liberando seus diretórios para apoiarem os candidatos que julgarem melhor. Em Pernambuco, o deputado federal Mendonça Filho (DEM) mandou o recado de que não estará mais no palanque de Marina Silva.

Embora seja um partido pequeno, a saída do PSL deverá impactar diretamente o tempo de televisão que a coligação Unidos pelo Brasil tem atualmente. O presidente do PSL, Luciano Bivar, diz que marina deverá perder entre seis e oito segundos, dos dois minutos e três segundos hoje à sua disposição. "Mas a perda maior serão os 780 vereadores e 36 prefeitos", ressaltou Bivar segundo o jornal Folha de Pernambuco. O PSL se queixou da falta de diálogo com o PSB após a morte de Campos em um acidente aéreo ocorrido na quarta-feira (13), em Santos (SP). 

Em Pernambuco o deputado federal e presidente do DEM, Mendonça Filho, justificou a sua saída do palanque de Marina alegando que com a sua ligação era com Eduardo Campos e que irá deixar a coligação por não possuir afinidades com a candidata.

Embora o DEM esteja aliado em nível nacional com a candidatura do senador mineiro Aécio Neves (PSDB), Mendonça havia sido libertado para apoiar a candidatura de Campos à Presidência da República. O deputado, porém, confirmou que continuará apoiando Paulo Câmara (PSB) para o Governo do Estado.

Pernambuco 247 Paulo Emílio Thu, 21 Aug 2014 10:05:37 +0000 http://www.brasil247.com/150827
UERJ: Marina é 'queridinha' da mídia http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/150823 : Marinômetro, ferramenta criada pelo Laboratório de Estudos de Mídia e Esfera Pública (LEMEP), vinculado à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), analisa cobertura de Marina Silva na grande mídia a partir da morte trágica de Eduardo Campos; segundo o blog O Cafezinho, números revelam que a mídia passou a endeusar Marina, com referências positivas; “Ela é a esperança de levar as eleições para um segundo turno” <br clear="all"> :

Por Miguel do Rosário, do blog O Cafezinho

Outra novidade do Laboratório de Estudos de Mídia e Esfera Pública (LEMEP), vinculado ao Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Chegou o Marinômetro, que mede a cobertura da grande mídia ao nome de Marina Silva no cenário eleitoral.

Os números revelam o que a gente já sabia. A mídia passou a endeusar Marina. As referências a sua pessoa são todas positivas.

Ela é a esperança de levar as eleições para um segundo turno.

Abaixo, o texto explicativo do Laboratório, com os gráficos.

Marinômetro, apresentação

Por falta de nome melhor, batizamos essa página de Marinômetro. Seu propósito principal é apresentar um estudo de caso da cobertura da grande mídia a partir da morte trágica de Eduardo Campos em um acidente de avião no dia 13 de agosto de 2014. Tal evento causou um alvoroço na cobertura jornalística; uma enxurrada de especulações e opiniões acerca do futuro da chapa do PSB para a presidência da república e do resultado das eleições que se aproximam.

Para bem avaliar esse evento político-midiático resolvemos empregar uma metodologia diferente daquela usada nas outras páginas do Manchetômetro. Ao invés da análise de valência, identificamos cinco enquadramentos na cobertura: Pró-Marina, Ambivalente, Candidato PSB, Descritiva e Elogio (a Eduardo Campos). O enquadramento pró-Marina foi assinalado nos textos que mostravam claro entusiasmo ou predileção pela escolha de Marina da Silva para substituir Eduardo Campos na chapa do PSB. O enquadramento ambivalente corresponde àquele em que o texto elenca prós e contras da potencial escolha de Marina, mas não manifesta posição decidida. Já a categoria descritiva foi usada quando o texto se exime de tomar qualquer posição quanto à candidatura. Por fim temos a categoria elogio, que foi assinalada quando o texto fazia elegia a Eduardo Campos. Os quatro primeiros enquadramentos foram codificados de maneira mutuamente excludente, ou seja, se uma categoria foi escolhida, as outras necessariamente ficaram de fora. Já o enquadramento “Elogio” foi codificado independente dos outros enquadramentos, pois há na cobertura textos dessa natureza que, ao mesmo tempo, tocam na questão sucessória.

Outra inovação em relação ao restante do Manchetômetro foi o fato de a base de dados não se restringir às capas. Nesse estudo de caso consideramos todos os textos sobre o assunto na edição integral de cada jornal.

Cobertura agregada

Nesta página encontra-se o gráfico que representa a cobertura total dos três jornais estudados (Folha de S. Paulo, O Globo e Estado de S. Paulo), agregados, no que toca os quatro enquadramentos na cobertura: Pró-Marina, Ambivalente, Descritiva e Elogio (a Eduardo Campos). Os dados analisados referem-se a cobertura que teve início no dia 14 de agosto de 2014. Esse gráfico é atualizado diariamente.

Série Temporal

Nesta página encontra-se o gráfico que representa a série temporal da cobertura total dos três jornais estudados (Folha de S. Paulo, O Globo e Estado de S. Paulo), agregados, no que toca os quatro enquadramentos na cobertura: Pró-Marina, Ambivalente, Descritiva e Elogio (a Eduardo Campos). O enquadramento “Candidato PSB” não apareceu em nenhum texto. Assim, resolvemos retirá-lo do gráfico. Os dados analisados referem-se a cobertura que teve início no dia 14 de agosto de 2014. Esse gráfico é atualizado diariamente.

Jornais impressos

Nesta página encontram-se os gráficos que representam a cobertura agregada por tipo de texto (Texto de Capa, Editorial, Coluna e Reportagem) para cada um dos três jornais estudados (Folha de S. Paulo, O Globo e Estado de S. Paulo), separadamente, no que toca os quatro enquadramentos na cobertura: Pró-Marina, Ambivalente, Descritiva e Elogio (a Eduardo Campos). O enquadramento “Candidato PSB” não apareceu em nenhum texto. Assim, resolvemos retirá-lo do gráfico. Os dados analisados referem-se a cobertura que teve início no dia 14 de agosto de 2014. Esse gráfico é atualizado diariamente.

Textos de Capa

Nesta página encontra-se o gráfico que representa a cobertura dos textos de capa dos três jornais estudados (Folha de S. Paulo, O Globo e Estado de S. Paulo), agregados, no que toca os quatro enquadramentos na cobertura: Pró-Marina, Ambivalente, Descritiva e Elogio (a Eduardo Campos). O enquadramento “Candidato PSB” não apareceu em nenhum texto. Assim, resolvemos retirá-lo do gráfico. Os dados analisados referem-se a cobertura que teve início no dia 14 de agosto de 2014. Esse gráfico é atualizado diariamente.

Editoriais

Nesta página encontra-se o gráfico que representa os editoriais dos três jornais estudados (Folha de S. Paulo, O Globo e Estado de S. Paulo), agregados, no que toca os quatro enquadramentos na cobertura: Pró-Marina, Ambivalente, Descritiva e Elogio (a Eduardo Campos). O enquadramento “Candidato PSB” não apareceu em nenhum texto. Assim, resolvemos retirá-lo do gráfico. Os dados analisados referem-se a cobertura que teve início no dia 14 de agosto de 2014. Esse gráfico é atualizado diariamente.

Colunas

Nesta página encontra-se o gráfico que representa as colunas de opinião dos três jornais estudados (Folha de S. Paulo, O Globo e Estado de S. Paulo), agregados, no que toca os quatro enquadramentos na cobertura: Pró-Marina, Ambivalente, Descritiva e Elogio (a Eduardo Campos). O enquadramento “Candidato PSB” não apareceu em nenhum texto. Assim resolvemos retirá-lo do gráfico. Os dados analisados referem-se a cobertura que teve início no dia 14 de agosto de 2014. Esse gráfico é atualizado diariamente.

Reportagens

Nesta página encontra-se o gráfico que representa as reportagens dos três jornais estudados (Folha de S. Paulo, O Globo e Estado de S. Paulo), agregados, no que toca os quatro enquadramentos na cobertura: Pró-Marina, Ambivalente, Descritiva e Elogio (a Eduardo Campos). O enquadramento “Candidato PSB” não apareceu em nenhum texto. Assim, resolvemos retirá-lo do gráfico. Os dados analisados referem-se a cobertura que teve início no dia 14 de agosto de 2014. Esse gráfico é atualizado diariamente.

Jornal Nacional

Nesta página encontra-se o gráfico que representa o tempo agregado da cobertura do Jornal Nacional no que toca os cinco enquadramentos na cobertura: Pró-Marina, Ambivalente, Candidato PSB, Descritiva e Elogio (a Eduardo Campos). Os dados analisados referem-se a cobertura que teve início no dia 13 de agosto de 2014. Esse gráfico é atualizado diariamente.

Mídia Roberta Namour Thu, 21 Aug 2014 07:50:51 +0000 http://www.brasil247.com/150823
Aécio convoca reunião contra ‘tsunami Marina’ http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/150811 : Foram convocados na noite desta quarta-feira para discutir o novo cenário eleitoral o ex-presidente FHC, o governador Geraldo Alckmin, o prefeito ACM Neto, o vice Aloysio Nunes, o ex-governador José Serra, e o presidente do DEM, José Agripino; há trackings circulando no mercado em que Marina Silva está cinco pontos percentuais à frente de Aécio Neves no país; em Minas, suas intenções de voto triplicaram em relação a Eduardo Campos; o temor é que o tucano deixe de ser o veículo de voto da oposição nas cidades grandes e médias; dirigente da oposição alerta que “no Brasil, o que começa com marola pode terminar num tsunami” <br clear="all"> :

247 – Diante da oficialização da candidatura da ex-senadora Marina Silva à Presidência pelo PSB, o presidenciável tucano Aécio Neves convocou uma reunião de emergência com seu comitê de campanha na noite desta quarta-feira.

Segundo ressalta o colunista Ilimar Franco, desde de a morte precoce de Eduardo Campos, Marina tem conquistado votos da juventude e dos setores médios, que antes estavam com Aécio. Ao mesmo tempo, o desempenho do governo Dilma melhora a cada pesquisa. Com isso, o temor é que o tucano deixe de ser o veículo de voto da oposição nas cidades grandes e médias.

Em 2010, Marina venceu em Belo Horizonte e Brasília. Chegou em segundo no Rio de Janeiro, em Salvador, Recife e Fortaleza. Há trackings circulando no mercado em que ela está cinco pontos percentuais à frente de Aécio no país. Em Minas, as intenções de voto triplicaram em relação a Eduardo Campos.

Ao comentar a mudança do quadro eleitoral com a entrada da ex-ministra, um dirigente político da oposição afirmou que “no Brasil, já vimos o surgimento de ondas. O que começa com marola pode terminar num tsunami”.

Foram convocados para a reunião o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), o prefeito ACM Neto, o vice Aloysio Nunes Ferreira, o ex-governador José Serra, e o presidente do DEM, José Agripino.

O coordenador-geral da campanha, Agripino Maia (DEM-RN) apresentou um relatório sobre a situação em cada Estado.

Minas 247 Roberta Namour Thu, 21 Aug 2014 04:53:14 +0000 http://www.brasil247.com/150811
PF intima Serra a depor sobre cartel do metrô http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/150814 : Investigações querem saber se o ex-governador José Serra atuou a favor das multinacionais CAF e Alstom, conforme indicam e-mails e o testemunho do executivo Nelson Branco Marchetti; o tucano e o ex-secretário dos Transportes Metropolitanos José Luiz Portella teriam pressionado a Siemens a desistir de medidas judiciais para anular a vitória da espanhola CAF, em um certame para o fornecimento de 320 vagões; depoimento foi marcado para 7 de outubro, logo após a votação do primeiro turno das eleições <br clear="all"> :

247 – O ex-governador de São Paulo e atual candidato do PSDB ao Senado, José Serra, foi intimado pela Polícia Federal a depor sobre o cartel de trens e metrô que vigorou em gestões tucanas desde 1998.

As investigações querem saber se Serra atuou a favor das multinacionais CAF e Alstom, conforme indicam e-mails e o testemunho d o executivo Nelson Branco Marchetti. Serra e o ex-secretário dos Transportes Metropolitanos José Luiz Portella teriam pressionado a Siemens a desistir de medidas judiciais para anular a vitória da espanhola CAF, em um certame para o fornecimento de 320 vagões. Caso a alemã avançasse nas ações judiciais, Serra anularia a licitação, segundo o delator.

O depoimento foi marcado para 7 de outubro, logo após a votação do primeiro turno das eleições.

Assessoria de Serra disse que "estranha muito a inclusão do nome dele nesse inquérito às vésperas da eleição, sobretudo depois que o Ministério Público Estadual, e até o procurador-geral de Justiça, arquivaram a mesma investigação".

SP 247 Roberta Namour Thu, 21 Aug 2014 05:26:52 +0000 http://www.brasil247.com/150814
Presidenciável Marina dá sinais ao mercado http://www.brasil247.com/pt/247/economia/150810 : Em primeira entrevista como candidata do PSB, Marina Silva prometeu que, se eleita, seu esforço será pela estabilização da economia do país: "Sabemos que os investimentos têm que acontecer no nosso país e isso vai acontecer quando tivermos uma nova base política que dê credibilidade"; reafirmou também o compromisso com o sistema de metas de inflação, câmbio flutuante e autonomia do Banco Central; ela criticou ainda a presidente Dilma Rousseff pela crise no setor energético: "É lamentável que tenhamos desde 2002 a ameaça de apagão. Eu digo lamentável porque nós temos há 12 anos a mesma pessoa à frente da política energética do nosso país" <br clear="all"> :

Por Jeferson Ribeiro, BRASÍLIA (Reuters) - A nova candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, criticou a presidente Dilma Rousseff pela crise no setor energético e prometeu que, se eleita, seu esforço será pela estabilização da economia do país.

"Sabemos que os investimentos têm que acontecer no nosso país e isso vai acontecer quando tivermos uma nova base política que dê credibilidade para os investimentos", disse Marina em sua primeira entrevista coletiva depois de o PSB formalizar sua candidatura à Presidência.

"Poderemos combinar os instrumentos da macroeconomia com a microeconomia para que o Brasil possa voltar à estabilidade econômica, esse será o nosso esforço", acrescentou a ex-senadora, que substituiu Eduardo Campos, morto num acidente aéreo na semana passada, como cabeça de chapa do PSB.

Marina reafirmou também o compromisso com o sistema de metas de inflação, câmbio flutuante e autonomia do Banco Central, lembrando que já defendia essas posições em 2010, quando foi candidata à Presidência pelo PV e teve quase 20 milhões de votos.

A candidata também repetiu o compromisso com as reformas anunciadas por Campos, como a tributária, e mostrou confiança de que poderão ser realizadas com o apoio da sociedade brasileira.

Ela defendeu as conquistas alcançadas pelo país com os governos Fernando Henrique Cardoso (PSDB) --controle da inflação-- e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) --redução das desigualdades sociais--, mas foi bastante dura ao criticar Dilma, lembrando que Campos dizia que a presidente vai entregar um país pior do que recebeu.

E partiu para o ataque contra a petista, que busca a reeleição, quando falou sobre a crise do setor energético.

"É lamentável que tenhamos desde 2002 a ameaça de apagão. Eu digo lamentável porque nós temos há 12 anos a mesma pessoa à frente da política energética do nosso país, inicialmente como ministra (de Minas e Energia), depois como chefe da Casa Civil e agora como presidente da República", disparou.

Marina disse que irá resolver o problema de "forma estrutural" e defendeu um maior uso de energias alternativas, mas admitiu que tudo isso não é algo "que se faça da noite para o dia".

Pesquisa Datafolha divulgada na madrugada de segunda-feira mostrou no cenário de primeiro turno Dilma com 36 por cento das intenções de voto, seguida por Marina com 21 por cento e Aécio Neves, candidato do PSDB, com 20 por cento. A margem de erro da sondagem é de 2 pontos percentuais.

Em simulação de um eventual segundo turno com a presidente Dilma, Marina apareceu na pesquisa com 47 por cento contra 43 por cento da petista.

Na entrevista, Marina falou ainda de um assunto sensível para ela, ambientalista conhecida por suas posições firmes. Questionada se faria mudanças no novo Código Florestal, a candidata defendeu sua implementação. Mas lembrou que as leis que não são cláusulas pétreas e estão sujeitas a alterações.

"Nesse momento nosso compromisso é de implementar (o código), que infelizmente não está sendo implementado."

(Reportagem de Jeferson Ribeiro)

 

Economia Roberta Namour Thu, 21 Aug 2014 05:01:31 +0000 http://www.brasil247.com/150810
Cunha sobre Marina: era o cacareco, agora é vista como opção http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/150816 : Líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, minimiza o desempenho inicial da campanha de Marina Silva (PSB): ‘Não abalou a Dilma em nada, não abalou o Aécio em nada (...) Em 2010 ela teve 19 milhões de votos, mas era o cacareco, era o voto em branco e nulo de quem não queria a Dilma ou o [José] Serra [PSDB]. Agora ela é vista como opção, e como opção ela vai ser debatida’ <br clear="all"> :

247 - Líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, minimiza o desempenho inicial da campanha de Marina Silva (PSB). "A pesquisa que saiu do Datafolha não foi boa para a Marina. Ela empatou com o Aécio, mas já começa no teto. Não abalou a Dilma em nada, não abalou o Aécio em nada", afirmou. 

Em entrevista ao Valor, ele diz que ela apenas manteve o patamar de Campos, somado aos votos dos eleitores indecisos, tomados pela “emoção” de sua morte trágica: "Isso não é bom para ela. Em 2010 ela teve 19 milhões de votos, mas era o cacareco, era o voto em branco e nulo de quem não queria a Dilma ou o [José] Serra [PSDB]. Agora ela é vista como opção, e como opção ela vai ser debatida", afirma.

Cunha se referia a um rinoceronte do zoológico de São Paulo que teve milhares de votos na eleição para vereador em 1959 de eleitores insatisfeitos. Virou sinônimo de voto de protesto (leia mais).

 

Rio 247 Roberta Namour Thu, 21 Aug 2014 06:21:40 +0000 http://www.brasil247.com/150816
Janio acusa Marina de usar 'morto como um cabo eleitoral' http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/150818 : Colunista Janio de Freitas diz que a “própria Marina Silva e os interessados na projeção eleitoral do PSB saem da comoção para a apelação, sem limite algum, ao morto reduzido a cabo eleitoral”, em referência ao ex-governador Eduardo Campos <br clear="all"> :

247 – O colunista Janio de Freitas acusa Marina Silva de explorar a trágica morte de Eduardo Campos: “A própria Marina Silva e os interessados na projeção eleitoral do PSB saem da comoção para a apelação, sem limite algum, ao morto reduzido a cabo eleitoral”.

Ele cita como ‘imoral’ atitude do candidato ao governo de Pernambuco, Paulo Câmara: "Agora, quem está com Eduardo Campos está com Paulo Câmara e quem não está com Paulo Câmara não está com Eduardo Campos".

Critica também Roberto Amaral, novo presidente do PSB, por colocar a viúva de Campos como liderança do partido. “Não é a falta de temas que leva Marina Silva e seus aliados, forçados ou não, a fazerem da morte de Eduardo Campos o seu marketing”, diz (leia aqui).

Mídia Roberta Namour Thu, 21 Aug 2014 06:38:10 +0000 http://www.brasil247.com/150818
CPI: Diretor nega propina a funcionários da Petrobras http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/150813 Geraldo Magela: Segundo o gerente de Segurança Empresarial, Pedro Aramis de Lima Arruda, a comissão analisou os documentos referentes a todos os contratos da SBM Offshore com a Petrobras, ouviu 24 funcionários das duas empresas, listados em documentos encontrados na empresa holandesa durante visita da comissão; “O resultado final é que ela não identificou qualquer tipo de pagamento de propina para empregado da Petrobras,” disse aos parlamentares <br clear="all"> Geraldo Magela:

Luciano Nascimento - Repórter da Agência Brasil - O gerente de Segurança Empresarial, Pedro Aramis de Lima Arruda, negou ontem (20), em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito Mista (CPMI) da Petrobras, que funcionários da empresa tenham recebido propina da empresa holandesa SBM Offshore. Arruda disse que a comissão interna da Petrobras criada para analisar a suspeita de pagamento de propina não encontrou indícios de corrupção.

Na mesma sessão foi ouvido o depoimento do gerente jurídico internacional da Petrobras, Carlos Cesar Borromeu de Andrade, que disse que não houve irregularidades na compra da Refinaria de Pasadena (EUA).

Segundo Arrruda, a comissão analisou os documentos referentes a todos os contratos da SBM Offshore com a Petrobras, ouviu 24 funcionários das duas empresas, listados em documentos encontrados na empresa holandesa durante visita da comissão. “O resultado final é que ela não identificou qualquer tipo de pagamento de propina para empregado da Petrobras,” disse aos parlamentares.

Arruda disse que foram encontrados dois documentos sigilosos da Petrobras em formato PDF na SBM. Os documentos estavam vinculados com a senha pessoal de Jorge Luiz Zelada, ex-diretor da Área Internacional da estatal. “Na sede da empresa da Holanda, havia dois arquivos em PDF gerados com a chave [eletrônica] do diretor Zelada”, disse Arruda que classificou como “grave” o vazamento das informações, mas que as investigações não permitiram concluir se Zelada tinha algum tipo de responsabilidade.

Ainda de acordo com Arruda, há a possibilidade de que pelo menos um dos documentos tenha passado pelas mãos de Julio Faerman, à época representante da SBM no Brasil e suspeito de pagar propina aos funcionários da Petrobras. "Os documentos foram gerados a partir da chave de Jorge Zelada. O que nos foi possível avançar foram os recursos usados para o envio desses documentos. Não conseguimos o rastreamento desse documento entre a Petrobras e a SBM. Um desses documentos passou pelo senhor Faerman", disse.

Brasília 247 Roberta Namour Thu, 21 Aug 2014 05:14:18 +0000 http://www.brasil247.com/150813
Dilma sobre selfies: ‘não sou marciana, sou humana’ http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/150815 : Em visita a escola do Senai, em BH, presidente Dilma nega mudança de imagem ao aparecer cozinhando e em selfies com eleitores; defende ainda a participação de Lula em sua campanha: “O meu governo é continuidade do dele”; e diz que povo saberá separar o governo federal da candidatura da ex-ministra Marina Silva (PSB) <br clear="all"> :

247 – Em visita a uma escola Senai, em Belo Horizonte, a presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira (20) que está “amando” o contato com os eleitores.

Ela negou mudança de imagem ao aparecer cozinhando e em selfies, e brinco: “não sou marciana, sou humana”.

No entanto, que não contou com a presença da impresa, ela falou sobre a presença do ex-presidente Lula em sua campanha: “Lula faz campanha comigo porque defendemos o mesmo projeto. O meu governo é continuidade do dele”.

Além disso, disse que o "povo saberá" separar o governo federal da candidatura de Marina Silva (PSB), que foi ministra do Meio Ambiente na gestão Lula. "O povo saberá fazê-lo", disse.

Minas 247 Roberta Namour Thu, 21 Aug 2014 05:59:33 +0000 http://www.brasil247.com/150815
Mantega pode esquentar a economia na eleição? http://www.brasil247.com/pt/247/economia/150784 : Ministro da Fazenda anuncia medidas de incentivo ao setor imobiliário; Banco Central libera R$ 10 bilhões para bancos darem mais crédito ao público; depois de ver inflação recuar para 0,14% na segunda quinzena de agosto, governo busca confirmar "indicadores antecedentes" para levantar o PIB até o final do ano; missão é árdua, mas possível; confiança da população aumenta, chegando a ser a maior entre 24 países pesquisados agora; estratégica, indústria automobilística prevê elevação de 14% nas vendas no segundo semestre; mas previsões do mercado financeiro para o PIB são todas declinantes; Guido Mantega repica aposta na economia real para aquecer ambiente; vai conseguir? <br clear="all"> :

247 – Um problema resolvido, outro pela frente. O IBGE anunciou nesta quarta-feira 20 que a inflação nos primeiros 15 dias de agosto deverá ficar em 0,14%, o que confirma a tendência de queda e tira da frente do governo o que fora apresentado como um questão insolúvel. Agora que a inflação demonstra não ser um ponto negativo da política econômica, o desafio do governo está em aquecer a atividade a tempo, ainda este ano, de escapar das projeções pessimistas do mercado financeiro. As previsões para o PIB de 2014 caíram nas últimas 22 semanas.

Na tentativa de levantar as expectativas em pleno momento eleitoral, e ter respostas imediatas na atividade da economia, o ministro Guido Mantega anunciou também hoje medidas para o setor imobiliário. Ao mesmo tempo, o Banco Central liberou para os bancos nada menos que R$ 10 bilhões do compulsório, para serem destinados ao crédito.  

- É justamente porque a inflação está absolutamente controlada que estamos tomando essas medidas de flexibilização, a fim de irrigar com crédito alguns setores da economia", explicou o ministro, sobre a nova aposta na economia real. 

As chances de funcionar não são desprezíveis, mas não há garantias, é claro. Nos “indicadores antecedentes”, o que se tem é a redução na inadimplência da famílias e a elevação do otimismo. O Brasil ficou em primeiro lugar, entre outros 23 países, num ranking sobre expectativas formadas para a economia.

Num setor estratégico, o de automóveis, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos (Anfavea) acredita que, no segundo semestre, as vendas irão aumentar em até 14%, como resposta às medidas de incentivo baixadas antes pelo governo. 

Para o setor imobiliário, a iniciativa de simplificação no processo de compra e venda e ampliação de garantias para o crédito do sistema bancário pode significar até mais R$ 25 bilhões em circulação no setor, a médio prazo. O desafio do governo é fazer com que as medidas surtam efeito de imediato.

Abaixo, notícia da Agência Brasil a respeito:

Wellton Máximo e Pedro Peduzzi – Repórteres da Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou, há pouco, medidas que facilitarão o crédito imobiliário e reduzirão a inadimplência. As ações envolvem a simplificação jurídica, a criação de títulos com isenção de Imposto de Renda e o fortalecimento de garantias.

As ações entrarão em vigor gradualmente. Segundo Mantega, o governo editará duas medidas provisórias, resoluções do Conselho Monetário Nacional (CMN) e fará emendas a projetos de lei em tramitação no Congresso Nacional.

A primeira medida envolve a simplificação da aquisição de imóveis, cujas informações passarão a ser centralizadas em um único cartório. De acordo com Mantega, a centralização reduzirá os custos operacionais e acelerará o processo de compra e concessão de financiamentos imobiliários. A medida provisória com a alteração deve sair até o início da próxima semana.

O governo também lançará uma nova modalidade de títulos privados para fornecer recursos para os financiamentos imobiliários. Chamado de Letra Imobiliária Garantida, o novo papel será emitido pelos bancos e terá isenção de Imposto de Renda e dupla garantia, com cobertura da instituição financeira emissora e carteira imobiliária separada dos demais ativos do banco, caso a instituiçãos seja liquidada. Investidores estrangeiros também poderão comprar o papel.

O novo título complementará as letras de Crédito Imobiliário (LCI), que atualmente movimentam R$ 100 bilhões. “O novo papel tem vantagens em relação à LCI porque tem mais garantias e está dentro dos padrões internacionais, o que permite que a poupança estrangeira passe a financiar a aquisição de imóveis no Brasil”, disse o ministro. A criação do título depende de medida provisória.

O governo também anunciou um incentivo para que imóveis quitados sejam usados como garantia em qualquer tipo de operação de crédito. Agora, até 3% dos recursos da caderneta de poupança aplicados no mercado imobiliário poderão ser usados para operações de crédito, de qualquer finalidade, que tenham imóveis quitados como garantia. De acordo com o Ministério da Fazenda, a medida poderá gerar até R$ 16 bilhões em novas operações. A mudança passa a valer a partir quando o governo editar resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN).

Além de estimular o crédito imobiliário, o governo incentivará o crédito consignado privado. Atualmente, a maior parte do crédito consignado (com desconto na folha de pagamento) é concedido a aposentados e a servidores públicos. Para os trabalhadores privados, essa modalidade de crédito não decolou, segundo Mantega, porque, muitas vezes, as empresas trocam de banco por meio do qual pagam os salários dos empregados.

Agora, o tomador do crédito poderá autorizar a instituição financeira a debitar o valor da prestação no mesmo momento em que o salário é depositado na conta corrente. Hoje, a  empresa desconta a parcela do salário do empregado e repassa o dinheiro para o banco que concedeu o empréstimo num momento posterior.

De acordo com o ministro, na prática, a medida permite que a empresa troque de banco para o pagamento dos salários, mas a conta que recebeu o empréstimo deve permanecer na instituição financeira original. A mudança será implementada por meio de medida provisória.

O governo facilitou ainda a tomada de bens móveis (carros, caminhonetes, caminhões, ônibus, tratores e máquinas) pelos bancos em caso de inadimplência. O tomador do empréstimo poderá autorizar diretamente a recuperação do bem financiado em caso de inadimplência, dispensando ações na Justiça. Segundo Mantega, a mudança será feita por meio de emenda a projetos de lei em tramitação no Congresso e permitirá que os bons pagadores consigam financiamentos com juros mais baixos e maior segurança jurídica.

O secretário executivo da Fazenda, Paulo Rogério Caffarelli, explicou melhor a medida: o governo decidiu simplificar a cobrança de crédito em atraso. As instituições financeiras não precisarão mais entrar na Justiça para pedir a dedução de tributos referentes a prejuízos com empréstimos em inadimplência. A medida beneficiará operações de crédito sem garantia de até R$ 100 mil e operações com garantia de até R$ 50 mil. Acima desses valores, continua a necessidade de cobrança judicial. A nova regra depende de medida provisória para passar a valer.

De acordo com Mantega, as medidas contribuirão para aumentar a produtividade da economia e melhorar a competitividade do sistema financeiro. “As medidas melhoram a regulação do crédito brasileiro. O que todo mundo quer no Brasil é aumentar a competitividade, reduzir custos e simplificar as transações”, explicou.

Economia Gisele Federicce Wed, 20 Aug 2014 18:15:30 +0000 http://www.brasil247.com/150784
TSE: propaganda de Dilma deve incluir nome da coligação http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150786 : Ministra Maria Thereza de Assis Moura, do Tribunal Superior Eleitoral, determinou que a coligação Com a Força do Povo, da candidata à reeleição, deve identificar os programas eleitorais com o nome da coligação; medida foi tomada a pedido da Coligação Muda Brasil, do candidato Aécio Neves (PSDB); de acordo com a decisão, os programas devem ser claramente identificados para não confundir o eleitor <br clear="all"> :

Da Agência Brasil

A ministra Maria Thereza de Assis Moura, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou que a coligação Com a Força do Povo, da candidata à Presidência Dilma Rousseff (PT), deve identificar os programas eleitorais com o nome da coligação. A medida foi tomada a pedido da Coligação Muda Brasil, do candidato Aécio Neves (PSDB).

De acordo com a decisão, os programas devem ser claramente identificados como eleitorais. Segundo a ministra, a medida é necessária para não confundir o eleitor e explicitar que não se trata de propaganda institucional da Presidência da República.

"Cabe à Justiça Eleitoral, ante a falta de norma sancionadora, apenas advertir a representada para que, em seus programas futuros, identifique de forma clara e legível o nome da coligação responsável pela peça veiculada", decidiu a ministra.

Poder Gisele Federicce Wed, 20 Aug 2014 18:15:45 +0000 http://www.brasil247.com/150786
MMX, de Eike, paralisa produção e ações despencam http://www.brasil247.com/pt/247/economia/150782 : Mineradora informou que vai paralisar de forma temporária a sua produção de minério de ferro, em meio a uma queda nos preços da commodity que agravam a situação financeira da empresa; companhia do grupo de Eike Batista concederá férias coletivas a seus colaboradores envolvidos diretamente na operação da mina Serra Azul, em Minas Gerais, por 30 dias <br clear="all"> :

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A mineradora MMX informou nesta quarta-feira que vai paralisar de forma temporária a sua produção de minério de ferro, em meio a uma queda nos preços da commodity que agravam a situação financeira da empresa.

Um dia depois de negar que esteja avaliando um pedido de recuperação judicial, a mineradora do grupo de Eike Batista afirmou que planeja apresentar uma revisão do seu plano de negócios ao mercado, junto com a divulgação dos resultados do segundo trimestre, em 15 de outubro.

A empresa concederá férias coletivas a seus colaboradores envolvidos diretamente na operação da mina Serra Azul, em Minas Gerais, por 30 dias, a partir da primeira semana de setembro. Esse é o único ativo da mineradora atualmente em produção.

A decisão de interromper as atividades, segundo a MMX, foi motivada pela prolongada e acentuada queda dos preços do minério de ferro no mercado internacional, além de restrições operacionais impostas pelo órgão ambiental de Minas.

Em comunicado, a MMX disse que, para minimizar os efeitos dos preços baixos do minério, buscará redução de custos, otimização de recursos e modernização das instalações.

A empresa vem enfrentando dificuldades financeiras similares aos de outras companhias do grupo EBX.

A Óleo e Gás (ex-OGX) pediu no ano passado recuperação judicial, assim como a sua empresa irmã, a OSX, numa derrocada que se acelerou após a petroleira reconhecer não ter encontrado tanto petróleo como havia informado ao mercado.

"A gente não sabe se a empresa (MMX) vai conseguir postergar (a recuperação judicial) por muito tempo", disse William Araújo, executivo da equipe de análise da On Investimentos.

Em esclarecimento ao mercado na véspera, após notícia sobre um plano de pedido de recuperação judicial, a MMX disse que "não há qualquer deliberação em curso acerca dessa matéria junto à companhia".

"Quando olhamos a situação financeira, a geração de caixa, e todos os outros problemas (...), a gente diz que a situação da empresa está cada vez mais difícil", completou Araújo.

À Reuters, a MMX informou que, levando-se em consideração o estoque pré-existente e a produção do mês de agosto, a empresa dispõe de cerca de 300 mil toneladas de minério de ferro --esse volume é pequeno até mesmo comparado à exportações diárias do Brasil, que somaram 1,3 milhão de toneladas em julho, em média.

"O destino de suas vendas será estabelecido pelo departamento comercial da companhia buscando, obviamente, maximização do resultado", afirmou em nota.

Para a analista da Concórdia, Daniela Martins, o cenário internacional para as mineradoras não é positivo, ainda mais para empresas de menor porte.

As pequenas, ela explicou, são as que sofrem mais com os menores preços do minério de ferro. A solução tem sido buscar redução de custos e melhorias operacionais.

Nesta quarta-feira, as ações da companhia operam no seu pior nível da sua história, com perdas de 99 por cento ante o maior nível. Às 16h45, caíam 9,4 por cento.

A companhia vem tomando medidas para melhorar suas finanças desde o início do ano.

Dentre as operações que trouxeram algum alívio à MMX está a conclusão, em fevereiro, da operação de investimento de Trafigura e Mubadala no Porto Sudeste do Brasil (ex-MMX Porto Sudeste).

Além disso, em julho a MMX celebrou com a Vetria Mineração o arrendamento de direitos minerários localizados em Corumbá, Mato Grosso do Sul, e a cessão de determinados contratos à Vetorial Mineração.

(Por Marta Nogueira)

Economia Gisele Federicce Wed, 20 Aug 2014 17:29:43 +0000 http://www.brasil247.com/150782
“Mal-criado e feio”, Bonner ironiza críticos no twiiter http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/150748 : Esqueçam o bom moço e galã; William Bonner assumiu que tem outro lado; depois de interromper a presidente Dilma Rousseff 21 vezes em 15 minutos de entrevista, na qual sua primeira pergunta ocupou dez por cento do tempo total, o apresentador do Jornal Nacional garante que sempre foi durão; pelo twitter, chama de "robôs partidários", "corruptos" e "blogueiros sujos" os que apontaram desequilíbrio, parcialidade e até mesmo grosseria na atuação dele e de Patrícia Poeta diante da presidente; já visto nas redes sociais com a faixa presidencial no peito, Bonner vira o mais novo agente político da praça; isso faz sentido? <br clear="all"> :

247 – William Bonner assumiu. No últimos 18 anos, ele cultivou a imagem de equilíbrio e imparcialidade, de bom moço e de galã, no comando da bancada do Jornal Nacional – a instituição jornalística da Rede Globo que, mesmo perdendo 20 pontos de audiência nos últimos anos, ainda é um dos veículos de mídia mais poderosos do País. Mas agora é diferente.

Pelo twitter, ironizando as críticas sobre a maneira como conduziu a entrevista de 15 minutos com a presidente Dilma Rousseff, anteontem, Bonner avisa que "sempre" foi durão, que nunca pegou leve com seus entrevistados e que está disposto a novas incursões do mesmo tipo. Cuidado com ele, é como se o próprio avisasse. 

Na verdade, a crítica a Bonner se deu pelo fato de ele ter interrompido, por 21 vezes, a presidente em suas respostas. Pelo fato de sua primeira pergunta ter durado dez por cento do tempo total da entrevista. Por ter conduzido uma entrevista que derivou para dedo em riste na direção da presidente e vozes exaltadas entre os perguntadores. 

No trato de "tio" para "sobrinhos" com seus seguidores no twitter, Bonner vem sustentando desde a entrevista, com ironia e sarcasmo, que quem não gostou de sua postura foram os "corruptos", os "robôs partidários" e os "blogueiros sujos". Dá, neste sentido, uma lista de perguntas que estes gostariam que fossem feitas para o candidato "DELES", tais como "Aceita um cafezinho?". Ele tem bom humor.

Bonner não admite, porém, a surpresa dos quem enxergam, no Jornal Nacional, um veículo com múltiplos compromissos e uma história de sustentação ao regime ditatorial e a governos alinhados com os interesses da própria Globo. Os mesmos que veem no próprio Bonner um âncora notadamente acrítico no dia a dia. Seus comentários quase não existem, e quando são pronunciados para marcar alguma notícia, no mais das vezes soam como genéricos. 

Com o apoio de seus seguidores, Bonner está dizendo que nunca deixou de ser durão. E que vai continuar sendo. A depender do resultado das eleições presidenciais, é de se acompanhar se essa garantia vai se sustentar.

Abaixo, artigo do jornalista Ricardo Amaral sobre a entrevista da presidente Dilma Rousseff ao JN:

Globo deu seu recado: faz campanha contra Dilma

Por Ricardo Amaral

A entrevista com a presidenta Dilma Rousseff expôs, com rara contundência, a parcialidade da Globo na cobertura do governo e do PT. Utilizando manhas de quem passou pelo pau-de-arara, Dilma pôs abaixo a tentativa da Globo de parecer “isenta” nesse capítulo das eleições. Isso não é banal, no momento em que a credibilidade da imprensa hegemônica segue abalada pelo fiasco histórico da “operação Copa”.

A credibilidade do jornalismo da Globo saiu mais uma vez arranhada pelos esgares de William Bonner e Patrícia Poeta. As expressões de contrariedade, os dedos em riste e as interrupções grosseiras falaram mais ao telespectador do que o conteúdo de perguntas e respostas. Por algum tempo, tudo que se disser no JN contra Dilma será recebido com suspeita, porque a mensagem mais forte do programa foi: eles não gostam dela. 

Dos 16 minutos cronometrados, Dilma falou 10 minutos e meio; Bonner, 4 e meio, e Patrícia quase 1 minuto. Dá 65% para ela e 35% para eles. Dilma pronunciou 1.383 palavras, contra 980 da dupla (766 só do Bonner), o que dá 60% x 40%. Isso é escore de debate, não de entrevista. A dupla encaixou 26 acusações ao governo e ao PT; algumas, com ponto de exclamação.

Nos quatro blocos temáticos (corrupção, mensalão, saúde e economia) Bonner lançou no ar 13 pontos de interrogação, e Patrícia, dois. A presidenta foi interrompida 19 vezes. Tomou dedo na cara de Bonner e de Patrícia, que reclamou de uma resposta com um soquinho na mesa. Isso não é comportamento de jornalista. Na entrevista com Aécio Neves – que muitos acharam “dura”, embora tenha sido apenas previsível – a dupla fez quatro interrupções e cinco reiterações de perguntas.

Aprendi ainda foca que o segredo de uma entrevista ao vivo é dominar o assunto e buscar a pergunta seguinte na resposta do entrevistado. É uma arte difícil. Patrícia Poeta nunca soube fazer. Bonner acha que sabe – e que sabe muito. Por isso saiu-se ainda pior que a colega. Basta discordar do enunciado para desnorteá-los. Não sabem do que estão falando; seguem o roteiro e fazem cara de argúcia (com Dilma, usavam ponto eletrônico!). 

Maus entrevistadores são incapazes de ouvir respostas e dialogar com o argumento do entrevistado. Não é só amadorismo; é presunção. Globais se consideram mais importantes que os candidatos. Acham-se a própria notícia. Diante da contradita, repetem a pergunta até se perderem. No limite, apelam para a fórmula binária: “eu digo isso; sim ou não?” Eduardo Campos saiu-se muito bem dessa briga com bêbados. Aécio tropeçou e caiu. 

Para a Globo, pouco importa expor os editores chefe e assistente do JN a mais um vexame profissional. A Globo não quer ouvir respostas; quer repetir (e tentar sancionar) o próprio discurso. Bonner deve ter ensaiado em casa o que considerava seu momento de glória: chamar de corruptos os petistas do mensalão (“Eram corruptos!”), na cara da presidenta da República. Que audácia, hein, patrão…

Na primeira pergunta (69 segundos), a palavra corrupção  foi repetida sete vezes; e estamos conversados. Depois de 12 anos (“mais de uma década, candidata!”) há “filas e filas nos hospitais”, cidadãos “muitas vezes são atendidos em macas”, “muitas vezes não conseguem fazer um exame de diagnóstico”. O país tem “inflação alta, indústrias com estoques elevados, ameaça de desemprego ali na frente”. 

Repetir os mantras do noticiário negativo – sem de fato abrir a discussão sobre eles – era o primeiro dever de casa. O segundo era desconcertar a entrevistada, e foi aí que a bomba explodiu no colo dos entrevistadores. Dilma não abriu mão de responder as perguntas, retomando o fio da meada a cada interrupção. Advertida, fez-se de sonsa e continuou respondendo o que quis.

O jogo foi chato na maior parte do tempo, mas Dilma não entregou a posse de bola, não cedeu o controle da entrevista. E foram eles, William e Patrícia, que ficaram visivelmente desconcertados, a ponto de perder o respeito pela entrevistada – que o merecia, mesmo que não fosse presidenta da República.

Dilma não disse aos interrogadores o que eles queriam que ela dissesse, exceto ao concordar com Patrícia Poeta que “a saúde no país não é minimamente razoável”. Um pontinho vencido, foi tudo que conseguiram arrancar da interrogada. Por isso, o destaque nos sites da Globo foi o previsível silêncio de Dilma sobre o julgamento do mensalão – outra evidência de que eles consideram suas perguntas mais importantes do que as respostas da presidenta da República.

Qualquer analista dirá que a presidenta desperdiçou a oportunidade de ter sido mais assertiva da propaganda de seu governo. Quinze minutos no JN são uma grande chance de falar para milhões de eleitores, mas Dilma preferiu debater com Patrícia Poeta e William Bonner. 

Ela passou informações relevantes: a inflação de julho ficou próxima de zero; o Mais Médicos atende 50 milhões de pessoas; o SAMU atende 149 milhões. Disse que o país enfrenta a crise sem demitir, sem arrochar salários e até diminuindo impostos. Podia ter dito muito mais, mas a disputa foi mais concentrada na forma que no conteúdo. E foi aí que Dilma venceu.

Dilma sorriu na medida certa e manteve-se serena durante todo o programa. Impôs-se um comportamento de presidenta da República, que contrastou, aos olhos dos telespectadores, com a atitude desrespeitosa e antiprofissional dos entrevistadores.  Mesmo restrita a um cerimonial televisivo, foi uma sinalização relevante para uma imprensa cada vez mais assanhada no papel de oposição: digam o que quiserem, mas respeitem a presidenta eleita de todos os brasileiros.

Mídia Aline Lima Wed, 20 Aug 2014 15:30:23 +0000 http://www.brasil247.com/150748
Aécio: Marina "não muda absolutamente nada" http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/150757 : Presidenciável do PSDB diz ter "extrema confiança" de que estará no segundo turno e que vencerá a eleição em outubro; questionado se a entrada de Marina Silva como candidata pelo PSB dificultava a disputa, Aécio Neves disse que "isso não muda absolutamente nada"; "O nosso adversário é o governo que está aí", afirmou, durante evento de campanha em São Paulo; tucano acrescentou que não atacará A ou B; "Temos extrema confiança de que vamos para o segundo turno e no segundo turno vamos vencer" <br clear="all"> :

SÃO PAULO (Reuters) - O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, mostrou confiança nesta quarta-feira de que estará num eventual segundo turno e que será o vencedor da corrida presidencial.

Questionado se a entrada da ex-senadora Marina Silva como candidata pelo PSB dificultava a disputa, Aécio disse a jornalistas que "isso não muda absolutamente nada".

"O nosso adversário é o governo que está aí", afirmou o candidato, em evento de campanha em São Paulo, dizendo que não atacará A ou B. "Temos extrema confiança de que vamos para o segundo turno e no segundo turno vamos vencer."

Marina será oficializada nesta tarde pelo PSB como candidata no lugar de Eduardo Campos, que morreu num acidente aéreo na semana passada.

Na primeira pesquisa eleitoral após a morte de Campos, realizada pelo Datafolha, a presidente Dilma Rousseff apareceu com 36 por cento das intenções de voto, seguida por Marina com 21 por cento e Aécio com 20 por cento.

Na pesquisa anterior, Dilma e Aécio tinham o mesmo percentual, mas o então candidato do PSB, Eduardo Campos, aparecia com apenas 8 por cento.

(Reportagem de Renan Fagalde)

Minas 247 Gisele Federicce Wed, 20 Aug 2014 15:15:11 +0000 http://www.brasil247.com/150757
Câmara de SP instala CPI para investigar contratos da Sabesp http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/150761 : Sem acordo, a escolha do vice-presidente e do relator da CPI ficou para a próxima quarta-feira 27; segundo os vereadores, o objetivo da comissão parlamentar de inquérito é investigar por que está faltando água em vários pontos da capital paulista; a Sabesp é a empresa responsável pelo fornecimento de água <br clear="all"> :

Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil

A Câmara Municipal de São Paulo instalou hoje (20) comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar contratos firmados entre a prefeitura de São Paulo e a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Sem acordo entre os vereadores, a escolha do vice-presidente e do relator da CPI ficou para a próxima quarta-feira (27), às 10h.

Criada no dia 6 deste mês, a CPI da Sabesp é composta por nove vereadores: Laércio Benko, candidato do PHS ao governo de São Paulo, que presidirá os trabalhos, Paulo Batista dos Reis, do PT, José Police Neto, do PSD, Milton Leite, do DEM, Roberto Trípoli, do PV, Paulo Frange, do PTB, Nelo Rodolfo, do PMDB, Ari Friedenbach, do PROS, e Mário Covas Neto, do PSDB.

Segundo os vereadores, o objetivo da comissão é investigar por que está faltando água em vários pontos da capital paulista. A Sabesp é responsável pelo fornecimento de água, coleta e tratamento de esgotos de 364 municípios do estado de São Paulo, atendendo, segundo a própria empresa, cerca de 27,7 milhões de pessoas abastecidas com água e 24,7 milhões de pessoas com coleta de esgotos. Desde o começo do ano, a capital paulista e várias outras cidades do estado vivem uma crise de abastecimento de água.

"Em tese, o PT, por ser a maior bancada, deveria ficar com a relatoria, mas é preciso haver acordo", explicou o vereador petista Reis. De acordo com Reis, os nomes do relator e do vice-presidente da CPI precisam, além da indicação, ser aprovados em votação por pelo menos cinco vereadores.

Mário Covas Neto disse que pleiteia a relatoria do caso, embora haja um acordo entre os vereadores para evitar que os relatores sejam do PSDB, que comanda o governo estadual, ou do PT, que comanda a prefeitura da capital. "Isso é para não ter extremos, não ter polarização e evitar que se contamine a CPI", explicou. "Prefiro uma relatoria isenta, do que uma relatoria parcial."

Indagado se, com a retirada do PT e do PSDB da disputa, a relatoria não poderia ficar nas mãos de vereadores que disputam as eleições deste ano, o que também poderia provocar uso político da CPI, Covas Neto concordou. "Ninguém é isento nisso. Esta é uma casa política, e cada um tem um olhar sobre isso, mas como há prazo de duração, tanto melhor que as investigações não sejam contaminadas por uma questão eleitoral ou partidária", afirmou. Covas disse preferir que nem seu partido nem o PT assumam a relatoria.

SP 247 Gisele Federicce Wed, 20 Aug 2014 15:31:59 +0000 http://www.brasil247.com/150761
De FHC a Merval, tese do voto útil tensiona PSDB http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150705 : Tucanos pedem estratégia comum entre candidatos do PSDB e do PSB; de olho nos humores de Marina Silva, ex-presidente FHC usa máxima delicadeza; "Não quero que ela tome essas palavras como restrição a ela", disse ele ontem; Merval Pereira se esforça para indicar benefício para Aécio Neves com o "voto útil", mas admite que Marina pode ser a grande depositária; agências Reuters noticia plano tucano; mas realidades estaduais indicam que Marina não fará menção a uma futura aliança; será mesmo que a tese do voto útil, lançada a esta altura, é mesmo boa para Aécio? <br clear="all"> :

247 – O PSDB está com o lápis sobre o papel. Contas de trás para a frente, adições, subtrações, divisões e multiplicações vão sendo feitas, com bases em pesquisas e trackings, para projetar como, afinal, ganhar a eleição no novo quadro desenhado com a entrada de Marina Silva, do PSB, na disputa presidencial. Se não der, o que pode ser feito pelo partido, ao menos, para apear o PT do poder?

A conclusão dos cálculos políticos é a mesma tanto para o maior chefe da legenda, o ex-presidente Fernando Henrique, quanto para um porta-voz informal do partido como o colunista imortal Merval Pereira, das Organizações Globo: o voto útil entre PSDB e PSB é preciso, tanto para elevar o presidenciável Aécio Neves, como para bater a candidata à reeleição Dilma Rousseff.

Primeiro Fernando Henrique, ontem, e agora Merval, hoje, adicionaram tensão ao campo tucano a partir da certeza de que apenas a união de votos em torno de um candidato de oposição – Aécio ou Marina – dará a vitória contra o PT de Dilma e do ex-presidente Lula. O problema do resultado dessa conta é a sua aplicação no momento presente.

Para alcançar um segundo turno com chances de obter, para Aécio, o apoio real de Marina, que estaria ausente, contra Dilma, os tucanos já sabem que não podem, desde já, melindrar a ex-ministra. Uma missão nada fácil, não apenas em razão do humor peculiar da candidata socialista, como pelas realidades políticas regionais que a afastam, naturalmente, dos tucanos.

Um segundo problema, talvez ainda maior do que o primeiro, é a projeção de que, sem bater em Marina – e o PT, que poderia fazê-lo, não mostra a menor disposição para tanto --, o PSDB e seu candidato correm o risco, simplesmente, de perderem em primeiro turno para a própria Marina. Nesse caso, a disputa passaria a ser, na volta definitiva, entre ela e Dilma. A tese do voto útil, assim, teria de ser praticada pelos tucanos em benefício da ex-ministra.

PALAVRA DE FHC: NÃO 'ANTAGONIZAR' COM MARINA - Fernando Henrique já se prepara, solenemente, para a hipótese de apoiar Marina lá na frente.

- Havendo segundo turno, há chances reais de alternância de poder, registrou FHC, frisando que o importante mesmo, para os tucanos, é mandar o PT para longe do poder.

- Não acho que tem de antagonizar com Marina. Ambos (ela e Aécio) estão contra Dilma, manifestou o ex-presidente, para completar:

- O importante é que os dois no segundo turno estejam unidos.

Sempre em muitas linhas, o colunista Merval Pereira parece ter pegado a deixa e, hoje, em coluna na página virtual de O Globo, dá o seguinte título para sua coluna – Voto útil. Para justificá-lo, faz inúmeras ilações sobre o que pode acontecer. A certa altura, diz que quem não gosta de Marina, como a turma do agronegócio, por exemplo, pode passar a apoiar Aécio. Em outra, cita o caso do ex-líder dos governos Lula e Dilma, Romero Jucá, como emblemático de uma possível romaria do PMDB para o lado do ex-governador de Minas. E segue em seu melhor estilo até, no finzinho, admitir que, sim, o voto útil pode beneficiar Marina já no primeiro turno, o que representaria o esvaziamento de Aécio.

Mais ainda, num momento em que tantos têm tanta certeza de que o segundo turno já está contratado, Pereira escreve que, sim também, há o risco, para ele, de Dilma vencer em primeiro turno, dada a divisão da oposição. Anota o imortal que um indício nessa direção é a elevação na aprovação do governo de Dilma, segundo dados da pesquisa Datafolha.

PARA MARINA, CONTAS DO PSDB NÃO FECHAM - A confiança de tucanos como Fernando Henrique de que Marina pode representar, ao menos em parte, os anseios do PSDB, especialmente o de retirada do PT do Palácio do Planalto, não é correspondida pela própria Marina. A ex-ministra já mandou avisar que não subirá, em hipótese nenhuma, no mesmo palanque do governador Geraldo Alckmin, candidato à reeleição em São Paulo. O mesmo vai ocorrer, como um efeito dominó, nos Estados nos quais ela discorda da política de alianças amarrada por Eduardo Campos, morto na quarta-feira 13.

Para se manter como a esperança viva dos sem esperança, Marina, que aparece no Datafolha na frente de Aécio, com 21% de intenções contra 20% para o tucano, não deverá amaciar para o lado do partido do ex-governador de Minas. Ela está capturando, segundo o levantamento, as intenções dos que pretendiam votar branco ou nulo.

Aqueles que se sentiam desesperançados com o quadro anterior de candidatos, mas que agora veem em Marina a imagem que os representa, não deverão ficar satisfeitos se ela mesma, agora, conciliar com os tucanos. O ex-ministra é a primeira a saber disso. Marina nunca agiu publicamente nessa direção. Não vai ser agora que mudará radicalmente seu discurso. A candidata do PSB pode vir a ser, como o próprio Merval, lá no fizinho de seu artigo atual, admite, a maior beneficiada pelo voto útil cantado pelo próprio colunista e insinuado por FHC. Mas Marina está dizendo, com a mensagem de que não subirá em palanques tucanos, que eles que pratiquem o voto útil em benefício dela, mas que ela mesma não está pensando nisso agora. Quer, isso sim, se consolidar como alternativa a Dilma e... aos tucanos também.

Para Marina, as contas que o PSDB anda fazendo simplesmente não fecham.

Abaixo, notícia da Agência Reuters a respeito:

EXCLUSIVO-PSDB apoiaria Marina em eventual 2º turno entre ex-senadora e Dilma

Por Brian Winter

SÃO PAULO (Reuters) - O PSDB apoiaria formalmente a ex-senadora Marina Silva (PSB) em um eventual segundo turno da eleição presidencial caso seu candidato, o senador Aécio Neves, fique fora da disputa final, disse à Reuters uma fonte do partido.

A avaliação é que tal aliança diminuiria as chances de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) no segundo turno, ao unir dois grandes grupos díspares de eleitores que desejam mudança após mais de uma década de governo petista.

A disputa eleitoral tem sido acompanhada de perto por investidores, que esperam por uma mudança no governo após quase quatro anos de baixo crescimento econômico sob a política econômica de Dilma.

"O Brasil precisa de uma mudança, uma renovação. O país não pode tolerar mais quatro anos" de Dilma, disse uma fonte tucana de alto escalão, sob condição de anonimato.

Marina vai ser oficializada como candidata do PSB nesta quarta-feira, ao aceitar a indicação do partido após a morte do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, candidato original dos socialistas, em um trágico acidente aéreo na semana passada.

O acidente agitou a eleição de 5 de outubro, levando alguns eleitores a reconsiderarem o voto e também ameaçando as alianças políticas cuidadosamente costuradas nos bastidores da campanha.

Uma pesquisa divulgada pelo Datafolha na segunda-feira mostrou Dilma estável na primeira posição com 36 por cento das intenções de voto, e Marina e Aécio em empate técnico na segunda colocação com 21 por cento e 20 por cento, respectivamente.

O cenário levaria a decisão para um segundo turno em 26 de outubro, já que Dilma ficaria com menos de 50 por cento dos votos válidos.

Sob a liderança de Campos, PSB e PSDB mantinham plataformas similares, mais ao centro e voltadas ao mercado. Os dois partidos negociaram algumas alianças nas corridas estaduais e era esperado que se unissem contra Dilma em um eventual segundo turno.

Marina, por outro lado, é associada a uma agenda de certa maneira mais à esquerda. Ela se filiou ao PSB somente em outubro do ano passado, no que ela mesma descreveu como um arranjo temporário, até que consiga aprovar a criação de seu próprio partido, a Rede Sustentabilidade.

Dada a reputação de Marina de tomar decisões imprevisíveis e as ressalvas de setores da mais conservadores em relação à ex-ministra do Meio Ambiente do governo Lula, alguns analistas têm especulado que o PSDB se manteria neutro em um eventual segundo turno entre Dilma e a ex-senadora.

A fonte do PSDB, no entanto, afirmou algo diferente à Reuters. "Esperamos que Aécio esteja no segundo turno e vença a eleição. Mas se for Marina, o PSDB vai apoiá-la", disse a fonte, sob condição de anonimato.

A maioria dos eleitores de Aécio apoiaria Marina em um segundo turno, mesmo sem o endosso oficial do PSDB, segundo as pesquisas mais recentes. Mas um apoio formal pode ainda assim ser decisivo, pois mobilizaria a robusta máquina partidária tucana, incluindo uma rede de prefeitos, governadores e parlamentares significativamente maior e melhor organizada do que a do PSB.

Na mais recente pesquisa do Datafolha, Marina aparece com 47 por cento das intenções de voto no segundo turno, acima dos 43 por cento de Dilma, num empate técnico no limite da margem de erro da pesquisa. No cenário com Dilma e Aécio, a petista ficaria com 47 por cento, ante 39 por cento do tucano.

Poder Ana Pupulin Wed, 20 Aug 2014 12:09:55 +0000 http://www.brasil247.com/150705
Reuters: PSDB apoiaria Marina em eventual 2º turno http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150724 Pedro França/Senado: Mesa E/D:
Ex-senadora Marina Silva;
senador Aécio Neves (PSDB-MG). Caso o presidenciável Aécio Neves fique fora da disputa final, os tucanos apoiariam formalmente a ex-senadora Marina Silva, candidata pelo PSB, contra a presidente Dilma Rouseff, disse uma fonte do partido à agência Reuters; "O Brasil precisa de uma mudança, uma renovação. O país não pode tolerar mais quatro anos" de Dilma, disse a fonte tucana de alto escalão, sob condição de anonimato; avaliação é que tal aliança diminuiria as chances de reeleição da petista <br clear="all"> Pedro França/Senado: Mesa E/D:
Ex-senadora Marina Silva;
senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Por Brian Winter

SÃO PAULO (Reuters) - O PSDB apoiaria formalmente a ex-senadora Marina Silva (PSB) em um eventual segundo turno da eleição presidencial caso seu candidato, o senador Aécio Neves, fique fora da disputa final, disse à Reuters uma fonte do partido.

A avaliação é que tal aliança diminuiria as chances de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) no segundo turno, ao unir dois grandes grupos díspares de eleitores que desejam mudança após mais de uma década de governo petista.

A disputa eleitoral tem sido acompanhada de perto por investidores, que esperam por uma mudança no governo após quase quatro anos de baixo crescimento econômico sob a política econômica de Dilma.

"O Brasil precisa de uma mudança, uma renovação. O país não pode tolerar mais quatro anos", de Dilma, disse uma fonte tucana de alto escalão, sob condição de anonimato.

Marina vai ser oficializada como candidata do PSB nesta quarta-feira, ao aceitar a indicação do partido após a morte do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, candidato original dos socialistas, em um trágico acidente aéreo na semana passada.

O acidente agitou a eleição de 5 de outubro, levando alguns eleitores a reconsiderarem o voto e também ameaçando as alianças políticas cuidadosamente costuradas nos bastidores da campanha.

Uma pesquisa divulgada pelo Datafolha na segunda-feira mostrou Dilma estável na primeira posição com 36 por cento das intenções de voto, e Marina e Aécio em empate técnico na segunda colocação com 21 por cento e 20 por cento, respectivamente.

O cenário levaria a decisão para um segundo turno em 26 de outubro, já que Dilma ficaria com menos de 50 por cento dos votos válidos.

Sob a liderança de Campos, PSB e PSDB mantinham plataformas similares, mais ao centro e voltadas ao mercado. Os dois partidos negociaram algumas alianças nas corridas estaduais e era esperado que se unissem contra Dilma em um eventual segundo turno.

Marina, por outro lado, é associada a uma agenda de certa maneira mais à esquerda. Ela se filiou ao PSB somente em outubro do ano passado, no que ela mesma descreveu como um arranjo temporário, até que consiga aprovar a criação de seu próprio partido, a Rede Sustentabilidade.

Dada a reputação de Marina de tomar decisões imprevisíveis e as ressalvas de setores da mais conservadores em relação à ex-ministra do Meio Ambiente do governo Lula, alguns analistas têm especulado que o PSDB se manteria neutro em um eventual segundo turno entre Dilma e a ex-senadora.

A fonte do PSDB, no entanto, afirmou algo diferente à Reuters. "Esperamos que Aécio esteja no segundo turno e vença a eleição. Mas se for Marina, o PSDB vai apoiá-la", disse a fonte, sob condição de anonimato.

A maioria dos eleitores de Aécio apoiaria Marina em um segundo turno, mesmo sem o endosso oficial do PSDB, segundo as pesquisas mais recentes. Mas um apoio formal pode ainda assim ser decisivo, pois mobilizaria a robusta máquina partidária tucana, incluindo uma rede de prefeitos, governadores e parlamentares significativamente maior e melhor organizada do que a do PSB.

Na mais recente pesquisa do Datafolha, Marina aparece com 47 por cento das intenções de voto no segundo turno, acima dos 43 por cento de Dilma, num empate técnico no limite da margem de erro da pesquisa. No cenário com Dilma e Aécio, a petista ficaria com 47 por cento, ante 39 por cento do tucano.

Poder Gisele Federicce Wed, 20 Aug 2014 13:14:14 +0000 http://www.brasil247.com/150724
Abdelmassih será transferido para o Tremembé http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/150722 : Sob custódia da Polícia Federal, o médico Roger Abdelmassih chega a São Paulo, vindo de Foz do Iguaçu (PR), no início da tarde desta quarta-feira; assim que desembarcar, deverá ser entregue à Polícia Civil e encaminhado à Penitenciária 2 do Tremembé, no Vale do Paraíba; ele foi condenado a cumprir 278 anos de prisão por 56 estupros em 2010; advogados Márcio Thomaz Bastos e José Luis Oliveira Lima dizem que decisão ainda não transitou em julgado <br clear="all"> :

247, com Agência Brasil - Sob custódia da Polícia Federal, o médico Roger Abdelmassih, deve chegar ao Aeroporto de Congonhas, na zona sul da cidade de São Paulo, entre as 13h e as 14h, vindo de Foz do Iguaçu, no Paraná. Assim que desembarcar, ele deverá ser entregue à Polícia Civil de São Paulo e encaminhado à Penitenciária 2 do Tremembé, no Vale do Paraíba.

O especialista em reprodução humana, Abdelmassih foi preso ontem (19), em Assunção, no Paraguai, por agentes da Secretaria Nacional Antidrogas paraguaia e da PF brasileira. Ele foi condenado, em 2010, a cumprir 278 anos de prisão por 56 estupros, crimes cometidos contra as próprias pacientes, entre 1995 e 2008. O médico teve o registro profissional cassado em agosto de 2009.

No entanto, o médico continuou em liberdade, na época, por ter obtido habeas corpus concedido pelo então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes. O benefício foi cassado pelo próprio STF, em fevereiro de 2011. Desde então, Abdelmassih estava foragido. O nome dele constava na lista dos mais procurados pela polícia internacional (Interpol).

O paradeiro de Abdelmassih foi descoberto, após investigações feitas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaedo) - Núcleo Bauru, do Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP).

Em nota, os advogados de Abdelmassih, Márcio Thomaz Bastos e José Luis Oliveira Lima, informaram que aguardam "o julgamento da apelação interposta perante o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo contra a decisão que o condenou, portanto, a decisão não transitou em julgado, bem como do habeas corpus em trâmite perante o Supremo Tribunal Federal". Os criminalistas não quiseram comentar a prisão.

Segundo o MP-SP, as pistas surgiram durante a apuração de novos crimes praticados pelo ex-médico e por terceiros, tais como favorecimento pessoal, falsidade ideológica e falsidade material, em cidades do interior paulista, entre elas, a de Avaré. Durante buscas em uma propriedade rural, foram encontrados indícios de que ele estaria no país vizinho. As informações foram então compartilhadas com a PF.

SP 247 Gisele Federicce Wed, 20 Aug 2014 12:29:10 +0000 http://www.brasil247.com/150722
Brasil lidera ranking de confiança do consumidor http://www.brasil247.com/pt/247/economia/150692 : Índice de confiança dos consumidores brasileiros em relação à melhoria da economia foi o que mais subiu em julho entre 24 países pesquisados; seis em cada dez pessoas no Brasil (62%) acreditam em um fortalecimento econômico nos próximos seis meses; uma em cada quatro pessoas ouvidas considerou "boa" a situação econômica do País no mês passado; dados são da consultoria Ipsos, que entrevistou mil brasileiros na primeira quinzena de julho <br clear="all"> :

247 – O Brasil lidera o ranking de 24 países que retrata a confiança dos consumidores em relação à melhoria da economia. De acordo com um levantamento feito pela consultoria Ipsos, a confiança do consumidor brasileiro foi a que mais subiu em julho (62%), seguida por Índia (62%), Arábia Saudita (54%), Egito (50%) e China (36%). A média global foi de 25%.

Seis em cada dez brasileiros responderam em julho acreditar em um fortalecimento econômico nos próximos seis meses, um crescimento de cinco pontos percentuais superior ao índice de junho (57%). O avanço foi maior, na América Latina, do que o do México, que cresceu três pontos, e o da Argentina, que subiu dois.

O estudo aponta ainda que uma em cada quatro pessoas ouvidas considera "boa" a situação econômica do País. Neste quesito, o Brasil registrou uma queda de sete pontos na comparação com o mês anterior. A pesquisa foi feita com mil brasileiros pela Ipsos entre os dias 1º e 15 de julho e reproduzida pela coluna Mercado Aberto, da Folha de S. Paulo.

Cenário positivo

A economia brasileira recebeu hoje mais uma notícia positiva: o anúncio, pelo Banco Central, de novas medidas para estimular o mercado de crédito, com potencial para injetar ao menos mais R$ 10 bilhões na economia. Em comunicado, o BC explicou que elevou para 60%, sobre 50%, a parte do recolhimento compulsório a prazo que pode ser cumprida com operações de crédito. E decidiu restabelecer em 75% o Fator de Ponderação de Risco (FPR) para todas as operações de crédito de varejo, independentemente do prazo (leia mais aqui).

Economia Gisele Federicce Wed, 20 Aug 2014 10:31:24 +0000 http://www.brasil247.com/150692
BC injeta mais R$ 10 bilhões para reanimar economia http://www.brasil247.com/pt/247/economia/150693 Divulgação: Banco Central Banco Central anunciou nesta quarta-feira novas medidas para estimular o mercado de crédito; em comunicado, a instituição explicou que elevou para 60%, sobre 50%, a parte do recolhimento compulsório a prazo que pode ser cumprida com operações de crédito; também decidiu restabelecer em 75% o Fator de Ponderação de Risco (FPR) para todas as operações de crédito de varejo, independentemente do prazo <br clear="all"> Divulgação: Banco Central

SÃO PAULO (Reuters) - Em meio a um cenário de atividade econômica fraca, o Banco Central anunciou nesta quarta-feira novas medidas para estimular o mercado de crédito e que têm potencial para injetar pelo menos mais 10 bilhões de reais na economia.

Em comunicado, o BC explicou que elevou para 60 por cento, sobre 50 por cento, a parte do recolhimento compulsório a prazo que pode ser cumprida com operações de crédito.

Também decidiu restabelecer em 75 por cento o Fator de Ponderação de Risco (FPR) para todas as operações de crédito de varejo, independentemente do prazo.

"Os ajustes consideram a fase atual do ciclo de crédito no Brasil e se inserem nos processos de revisão das medidas macroprudenciais adotadas a partir de 2010 e de continuidade da convergência da regulação brasileira aos parâmetros internacionais de Basileia", informou o BC.

As ações de agora foram tomadas menos de um mês depois de ter anunciado medidas semelhantes que, na época, tinham potencial para estimular o mercado de crédito em até 45 bilhões de reais, sendo 30 bilhões de reais com mudança nos compulsórios e o restante com alterações no FPR. [nL2N0Q00ZC]

Naquele momento, especialistas já acreditavam que as medidas não teriam muito impacto na oferta de empréstimos.

Nas medidas anunciadas nesta manhã, o BC explicou que 60 por cento dos valores recolhidos no compulsório a prazo podem ser usados em novas operações de crédito e na compra de carteiras diversificadas (pessoas jurídicas e físicas).

Além disso, decidiu que, para as novas operações de financiamento de veículos, essa dedução considerará "incremento em relação a média praticada no primeiro semestre de 2014".

Sobre o requerimento mínimo de capital para risco de crédito, o BC explicou que "foram ampliados os critérios de exposição e receita máximas para classificação de operações como varejo e foram reduzidos os fatores de conversão em crédito de operações de comércio exterior e de garantias de performance".

Além disso, com o objetivo de reduzir obstáculos à internacionalização das instituições financeiras brasileiras, o tratamento de exposições a governos centrais de países estrangeiros também foi ajustado.

(Por Patrícia Duarte; Edição de Camila Moreira)

Economia Gisele Federicce Wed, 20 Aug 2014 10:07:51 +0000 http://www.brasil247.com/150693
Marina deve deixar de apoiar Suplicy em São Paulo http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/150716 : Candidata a presidente pelo PSB no lugar de Eduardo Campos dirá que a aliança que representa apoia a candidatura do tucano José Serra ao Senado no estado; notícia é da colunista Mônica Bergamo <br clear="all"> :

247 – A ex-senadora Marina Silva, que será oficializada como candidata a presidente da República pelo PSB, no lugar de Eduardo Campos, não deverá apoiar a candidatura do petista Eduardo Suplicy ao Senado em São Paulo. Em vez disso, dirá que a aliança que representa apoiará o adversário José Serra, do PSDB. Leia abaixo na nota da colunista Mônica Bergamo, da Folha:

NA REAL

Marina Silva não apoiará mais Eduardo Suplicy, do PT, ao Senado em SP. E sim dirá que a aliança que representa apoia José Serra, do PSDB. Em Alagoas, não apoiará Heloisa Helena, do PSOL, ao Senado. E sim afirmará que sua aliança está na chapa ao governo de Benedito de Lira, que começou carreira na Arena, foi do PFL e hoje é do PP. "É o mínimo que ela pode fazer em respeito aos partidos que dão a ela essa missão [de substituir Eduardo Campos como candidata à Presidência]", diz Roberto Freire, presidente do PPS

SP 247 Gisele Federicce Wed, 20 Aug 2014 12:10:03 +0000 http://www.brasil247.com/150716
Amaral, do PSB, detona Noblat: "direita alugada" http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/150660 : Em resposta ao artigo de Ricardo Noblat, que diz que Roberto Amaral conspira contra a candidatura de Marina Silva, o novo presidente do PSB se diz "vítima de ataque" da "direita alugada", que o acusou de "suposta conspiração" contra a ex-senadora; ele classifica como "óbvia" a escolha da substituta e diz que "o mau jornalismo já estava açodado" desde quarta-feira, dia da morte de Eduardo Campos; dirigente ressalta que líderes já haviam decidido que só cuidariam de "novos caminhos" após o sepultamento; sobre o PT, escreveu: "não faço de adversários eventuais inimigos de carreira", lembrando de sua amizade com o ex-presidente Lula <br clear="all"> :

247 – O novo presidente do PSB, Roberto Amaral, rebateu o artigo de Ricardo Noblat que o acusa de conspirar contra a candidatura de Marina Silva. O socialista se diz “vítima de ataque”. Leia a nota oficial publicada nesta terça-feira: 


Hoje (19/08), fui agredido pelo pasquim eletrônico assinado pelo ex-jornalista Ricardo Noblat.

A direita alugada não compreende minha integridade. Irrita-lhe minha coerência política e meu papel como Presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSB), de cuja refundação fui responsável em 1985.

Fui vítima de ataque, que me apontou como artífice de suposta conspiração contra Marina Silva.

Noblat pretendeu, em sua manifestação tornar verídica sua infundada tese, valendo-se de frase que atribuiu a Eduardo Campos, hoje morto.

Mortos não se defendem, tampouco atacam.

Logo que a tragédia da morte de Eduardo Campos se abateu sobre o meu País e meu partido, nessa ordem, começou o assédio para que o PSB anunciasse sua escolha óbvia para a recomposição da chapa presidencial.

A primeira cobrança foi feita ainda no aeroporto de Congonhas quando me deslocava para saber do nosso líder. O mau jornalismo já estava açodado na noite daquela quarta-feira fatídica. E não mais parou.

O partido e eu pessoalmente tomamos e mantivemos a decisão ética - incompreensível aos que carecem dessa matéria prima - de que só cuidaríamos de novos caminhos quando tivéssemos enterrado nosso amigo. Vivíamos um luto e pedíamos respeito.

Distribui nota com esses esclarecimentos, bem como dei fartas explicações aos que nos procuravam por definições.

Além da política, existem a vida e a morte, além da fofoca, o respeito humano pelos que se foram e pelos que choravam.

Os idiotas de plantão desconheciam que eu havia conversado com Marina Silva sobre esse procedimento, com meus colegas de Executiva Nacional e com a família de Eduardo Campos.

Sepultado o líder, não cessam as dores. Mas os entendimentos foram abertos, começando por conversar com Renata Campos e, em seguida, com Marina.

Amanhã será a vez dos partidos que integram nossa coligação.

Nesse meio tempo, ouvi os companheiros dirigentes e nossos principais quadros. Não cabe a um presidente socialista ter candidato, mas conduzir o partido ao encontro da melhor solução e esta é aquela que mais nos une e nos faz vencer o transe e a campanha.

Cabe-me construir, ouvindo. Buscar a melhor alternativa partidária para a cabeça de chapa e seu vice. É o que estou fazendo.

Cabe-me levar o resultado aos partidos coligados e submeter nossa proposta.

Tal decisão não é ato de exclusiva vontade do PSB. Muito menos pertence à imprensa, como alguns parecem acreditar.

E o PSB decide e só decide através de suas instâncias partidárias e meu dever é preservar essas instâncias e suas autonomias e exigir que elas sejam respeitadas.

Sempre procurei fazer a grande política, deixando a política miúda, da troca de favores, afagos e comissões para o baixo-clero. E não faço de adversários eventuais inimigos de carreira.

Tanto eu quando Eduardo sempre preservamos a amizade de Lula, de cujo governo fomos ministros dedicados. Isso jamais impediu um legítimo projeto político do PSB e inclusive disputar com ele as eleições de 2002.

Mídia Roberta Namour Wed, 20 Aug 2014 05:14:21 +0000 http://www.brasil247.com/150660
Jovens judeus vivem ruptura com sionismo http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/150700 Sandra Caselato/Divulgação: Eles não apoiam o Estado de Israel. Mesmo vindo de famílias judaicas tradicionais, seus corações e mentes são solidários à causa palestina. Parentes e amigos reagem com rancor, mas este grupo de jovens rechaça as crenças sionistas <br clear="all"> Sandra Caselato/Divulgação:

Patricia Dichtchekenian, do Opera Mundi

Yuri Haasz, Elena Judensnaider, Shajar Goldwaser, Bruno Huberman e Bianca Neumann Marcossi gostam dos quadrinhos pró-palestinos de Joe Sacco e têm simpatia pelo polêmico "A Invenção do Povo Judeu", de Shlomo Sand. Aplaudem filmes como "Lemon Tree" e documentários como "Defamation" ou "The Gate Keepers", narrativas críticas ao Estado de Israel.

Para além de um repertório cultural pouco comum entre os judeus, os cinco chamaram atenção quando se reuniram, no dia 8 de julho, junto com outros colegas, para repudiar a ação militar de Israel na Faixa de Gaza. Diante do consulado desse país em São Paulo, ergueram cartazes de protesto que horrorizaram parte da comunidade judaica.

Estes jovens, em roda de conversa com Opera Mundi, relataram sua trajetória de contestação ao sionismo e a reação que sua atitude provoca entre familiares. Discutiram também o que é ser judeu no século 21, problematizando a proposta de dois Estados para dois povos e repensando a própria existência de um lar nacional judaico encarnado por Israel.

"Queremos deixar claro, em nossa condição judaica, que não compactuamos com a opressão ao povo palestino e o massacre de civis em Gaza", afirma Yuri Haasz. "Israel não atua em autodefesa, mas com a intenção de ocupação territorial, para inviabilizar a criação de dois Estados."

"Eu queria entender a raiva dos palestinos"

Yuri é o mais velho integrante deste recém criado grupo de jovens que romperam com o sionismo. Nasceu na cidade israelense de Haifa, em 1972. Seus pais, filhos de judeus imigrantes que escolheram viver no Brasil, tinham retornado a Israel em 1967, a bordo de um navio, porque acreditavam ter o dever de defender o país na guerra então travada contra nações árabes. Quando chegaram, o conflito já tinha acabado, após seis dias. Mas permaneceram até 1985, quando retornaram ao Brasil.

Quando estava em idade de serviço militar, Yuri repetiu o movimento dos pais. Voltou a Israel para se alistar na Força Aérea. Era a época da primeira Intifada, irrompida em 1987 e que se estenderia até 1993. Tinha muitos pesadelos e, aos poucos, começou a se sentir atormentado pela escolha que fizera. Deu baixa antes de se apresentar e retornou ao Brasil.

A tensão árabe-israelense, porém, se já não o animava a pegar em armas, continuava a ser de seu interesse como estudo, para entender sua lógica. "Li muito dos novos historiadores israelenses e autores da sociologia crítica", relata. "Eu queria entender a raiva dos palestinos. Fui encontrar essas explicações em escritores como Ilan Pappe e Schlomo Sand, que descreviam a criação do Estado de Israel de forma antagônica aos sionistas, mostrando a expulsão dos árabes de suas terras e o processo de limpeza étnica inerente à construção de um Estado judaico."

Yuri fez mestrado em Relações Internacionais, decidido a estudar resoluções de conflito. Foi parar em Tóquio, já casado com Sandra Caselato, uma brasileira goy (uma não-judia, em hebraico). A bolsa incluía uma pesquisa de campo para passar seis meses em Jerusalém e nos territórios palestinos ocupados na Cisjordânia.

"Foquei minha pesquisa nos principais ativistas judeus pró-Palestina e como lidavam com sua educação sionista padrão", explica. "Muitos vinham de famílias religiosas tradicionais e tinham experiência militar. Viram absurdos que ocorriam nos territórios palestinos, praticados pelas forças de segurança ou colonos israelenses, e se sentiam sozinhos. Alguns entrevistados confessaram tentativas de suicídio. Uma situação dramática, na qual se perde a identidade que você sempre acreditou que deveria ter."

"O problema de fundo é o sistema erguido pelo sionismo"

"Apesar de não ser religioso, sou muito judeu", brinca Shajar Goldwaser, de 21 anos. Assim como Yuri, ele nasceu em Israel. Mais precisamente, em Jerusalém. Aos quatro meses, partiu para Buenos Aires e em 2001 chegou a São Paulo, sempre frequentando escolas judaicas tradicionais. "Volto para Israel ao menos uma vez por ano. Sempre falei hebraico em casa, é minha língua materna", conta.

O estudante de Relações Internacionais relata que um momento decisivo para sua guinada crítica foi quando participou da Marcha da Vida, em 2011. Trata-se de uma viagem de duas semanas que engloba colégios judaicos de todas as partes do mundo com o intuito de conhecer antigos campos de concentração na Polônia e destinos sagrados em Israel.

"Na volta da viagem, a professora pediu para escrevermos uma redação e 'A hipocrisia judaica' foi o título que dei a meu trabalho", relata Goldwaser. "A viagem me fez questionar se o sentimento dos palestinos não seria, atualmente, o mesmo dos judeus naquela época."

A partir de suas reflexões acerca dessa experiência, Shajar começou a repensar o papel de Israel. Militante do Dror, movimento juvenil sionista alinhado com setores mais progressistas, seus questionamentos passaram a ir além de questionar eventualmente politicas do governo israelense. "O problema de fundo é o sistema erguido pelo sionismo, cujos resultados não podem ser diferentes que a segregação e o colonialismo", ressalta.

Saindo do armário

"Falar que deixou de ser sionista, na maioria dos ambientes judaicos, é como sair do armário: você já sabe, sempre sentiu, mas quando fala para a família, é pura tensão", brinca a socióloga Elena Judensaider, de 22 anos.

Embora tenha frequentado o clube Hebraica na infância, Elena se desligou da instituição após a separação dos pais e se afastou da convivência com a comunidade judaica. Por muito tempo manteve-se distante de qualquer discussão sobre o tema Israel-Palestina.

"Sabia que, se fosse enfrentar esta questão, iria me incomodar com suas contradições", relata Elena. "Um dia, porém, acordei assim, do nada, e decidi estudar esse conflito – e meu trabalho de conclusão do curso foi sobre isso. Minha opinião era clara: o Estado de Israel era a origem de tanto ódio e sofrimento do povo palestino." Lembra-se que não demorou a sofrer retaliações, na medida em que começou a difundir suas opiniões críticas nas redes sociais.

"Uma amiga de infância colocou mensagens em hebraico, no mural do meu Facebook", recorda. "Eram frases do tipo 'você tem que morrer com esses terroristas'. Até uma prima me ligou chorando e berrando que eu era antissemita."

Sua relação com a mãe, porém, passou por transformações positivas. "Nunca tínhamos conversado a respeito de Israel", conta Elena. "Quando eu passei a estudar sobre o tema, ela via os filmes e lia os livros que eu deixava no meu quarto. Um dia, escreveu em seu blog que, pelo exemplo da filha, tinha mudado a cabeça em seis meses sobre temas que tinha acreditado por 40 anos."

"Pra quê você foi para a Palestina?"

Ao contrário de Elena, a professora de história Bianca Neumann Marcossi, de 25 anos, teve uma formação sionista forte. Após o suicídio da mãe e do pai, a comunidade judaica foi um dos seus principais alicerces. "Aprendi na escola que tinha que salvar Israel e tinha pesadelos com palestinos", relata.

A mudança viria ao ingressar no curso de história, na USP (Universidade de São Paulo). O ambiente crítico às atitudes tomadas pelo governo de Israel foi um verdadeiro choque. "Fiquei assustada. Ou eu estava no meio de antissemitas e precisava sair dali ou era a ignorante e precisava estudar", conta.

Durante a formação universitária, Bianca descobriu um programa que tinha como objetivo levar pessoas estrangeiras para passar uma temporada na Cisjordânia e reportar os problemas da região para ONGs de direitos humanos. "Estar na Palestina mudou tudo. Ficou tudo muito claro. Ver as leis da ocupação, as terras roubadas. Sofri bastante", suspira.

O problema mesmo viria depois da excursão. Bianca dava, à época, aulas de História Geral em um colégio judaico. Quando voltou da viagem aos territórios ocupados, foi informada que tinha sido demitido. A direção da escola não lhe deu satisfações sobre os móvitos, mas descobriu que muitos pais pediram para ela ser afastada. "Foi um choque muito grande quando voltei. Eu tinha tanto a dizer, mas ninguém queria ouvir minhas histórias", conta.

"Nem vamos conversar que vai dar merda"

O espaço para discutir sobre a vivência na região também afetou o jornalista e mestre em Relações Internacionais Bruno Huberman, de 26 anos. Ele conta que em 2011 foi pela primeira vez a Israel por meio do Taglit, uma excursão de 10 dias organizada por entidades judaicas. "Foi uma imersão sionista, uma lavagem cerebral", classifica.

Huberman aproveitou a viagem para fazer um especial sobre territórios palestinos para a revista Carta Capital. "Foi o primeiro choque. Muitos primos me xingaram", conta. A tensão na família piorou depois do ato diante do consulado. "Fui ao aniversário de uma priminha e minha tia já veio falando: 'nem senta aqui, nem vamos conversar que vai dar merda'."

Como a recusa ao sionismo é encarada como uma verdadeira subversão, situações como essas com familiares e amigos fazem parte da rotina de Yuri, Shajar, Elena, Bianca e de Bruno. "Eles não querem entrar em uma discussão sobre o conflito. Se entrarmos em uma conversa mais profunda, nem sei aonde isso vai chegar", rebate Bruno.

Voz dissidente

Aos poucos estes cinco jovens judeus, ao lado de mais duas ou três dezenas de outros colegas com trajetórias similares, foram se agrupando para estudar coletivamente o tema e organizar sua participação no debate dentro da comunidade.

O primeiro espaço no qual se aglutinaram foi no Forum 18, ironicamente incentivado pela B'nai B'rith, a mais antiga organização sionista e dedicada a temas de direitos humanos. Disposta a enfrentar o debate sobre um conflito que permeia a juventude judaica no Brasil, a entidade resolveu abrir uma série de seminários que abrigassem as distintas narrativas sobre Israel e a questão palestina. Incluindo os pontos de vista não-sionistas.

"Aqueles que haviam rompido com o sionismo foram criando uma nova identidade, dissidente da posição majoritária na comunidade", explica Yuri Haasz. "Não nos definimos por uma solução específica para o problema, ainda que sejamos favoráveis à criação de um Estado palestino soberano e viável. A verdade, porém, é que não acreditamos no comprometimento de Israel com essa solução. A natureza do sionismo, ao longo do tempo, se afirmou como expansionista e colonizadora. Muita gente se assusta, mas essa situação nos faz defender claramente o direito de resistência do povo palestino."

O grupo não tem nome, ainda que brinquem de se auto-reconhecer como o "jewish block", mesmo que não recorram a coquetéis molotov ou a máscaras. Vários de seus integrantes trabalham em programas de solidariedade aos palestinos, como a FFIPP (em inglês, Faculty for Israeli-Palestinian Peace, conhecida no Brasil como Rede Educacional pelos Direitos Humanos na Palestina e em Israel). A associação organiza anualmente estágios para quem quiser conhecer de perto a realidade do conflito, a partir de um roteiro que se contrapõe à versão sionista.

"Nós trabalhamos e nos organizamos para denunciar os crimes cometidos pelo Estado de Israel", afirma Haasz. "Queremos que mais judeus possam enxergar o que se passa e romper com os dogmas de sua formação, abrindo-se para a solidariedade anticolonial com o povo palestino."

Mundo Gisele Federicce Wed, 20 Aug 2014 10:55:28 +0000 http://www.brasil247.com/150700
Trackings põem campanha de Aécio em alerta http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/150664 : Nova candidata do PSB à Presidência, Marina Silva tirou votos de Dilma Rousseff, mas em maior proporção de Aécio Neves (PSDB); a ex-senadora, que tem 21% das intenções de voto no Datafolha, frente aos 20% do tucano, estreou bem em Minas Gerais, seu reduto político, além de São Paulo, maior colégio eleitoral do Brasil; especialistas alertam que esse movimento não se encerrou já que ela ainda vai estrear na TV <br clear="all"> :

247 – O presidenciável tucano Aécio Neves garante que o PT continua a ser seu principal adversário nas urnas. No entanto, primeiros trackings com a estreia de Marina Silva já colocam sua campanha em alerta. 

A nova candidata do PSB à Presidência, ela tirou votos da presidente Dilma Rousseff, mas em maior proporção de Aécio Neves (PSDB). A ex-senadora, que tem 21% das intenções de voto no Datafolha, frente aos 20% do tucano, estreou bem em Minas Gerais, seu reduto político, além de São Paulo, maior colégio eleitoral do Brasil. Apesar de ainda considerarem o cenário precoce, especialistas alertam que esse movimento não se encerrou já que ela ainda vai estrear na TV.

Leia a nota do colunista Ilimar Franco sobre o assunto:

Esperando para atacar

O crescimento de Marina Silva nas pesquisas só terá consistência se Aécio Neves perder aquele eleitor de oposição menos comprometido com o ideário tucano. Mesmo assim, a campanha do PSDB não partirá para o ataque. Marqueteiros avaliam que o melhor é esperar pela investigação minuciosa que será feita pela mídia. Eles dizem que, desta vez, Marina poderá ter viabilidade e, por isso, não será tratada com nenhuma condescendência.

Minas 247 Roberta Namour Wed, 20 Aug 2014 06:18:46 +0000 http://www.brasil247.com/150664
Banco americano aposta em vitória de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/economia/150665 : Em relatório divulgado nesta terça-feira, Brown Brothers Harriman (BBH) avalia que Marina Silva (PSB) tem uma chance superior a 50% de vencer as eleições deste ano; segundo a instituição, a ex-ministra "é a única grande candidata capaz de estimular eleitores desencantados com o sistema político" e seu eventual governo pode ser "muito positivo para o Brasil, tanto para os mercados como para o país como um todo"; o banco observa ainda que vários de seus assessores, como Eduardo Giannetti, são "muito respeitados por economistas do 'mainstream'"; e a compara com Narendra Modi, o reformista que ganhou as eleições da Índia em maio e ganhou fama de bom administrador <br clear="all"> :

247 – Em um relatório divulgado nesta terça-feira, o banco americano Brown Brothers Harriman (BBH) avalia que Marina Silva (PSB) tem uma chance superior a 50% de vencer as eleições deste ano.

Segundo a instituição, a ex-ministra "é a única grande candidata capaz de estimular eleitores desencantados com o sistema político" e seu eventual governo pode ser "muito positivo para o Brasil, tanto para os mercados como para o país como um todo".

O banco observa ainda que vários de seus assessores, como Eduardo Giannetti, são "muito respeitados por economistas do 'mainstream'". E a compara com Narendra Modi, o reformista que ganhou as eleições da Índia em maio e ganhou fama de bom administrador.

Leia aqui reportagem de Sérgio Lamucci sobre o assunto.

Economia Roberta Namour Wed, 20 Aug 2014 06:31:36 +0000 http://www.brasil247.com/150665
Do que têm medo a Globo e os três Marinhos? http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/150554 : A postura agressiva dos apresentadores do Jornal Nacional, que atingiu seu ápice quando Patrícia Poeta colocou o dedinho no rosto da presidente Dilma Rousseff, escancara que as Organizações Globo farão o que estiver a seu alcance para impedir sua reeleição; aparentemente, os irmãos Roberto Irineu, João Roberto e José Roberto Marinho tratam esta eleição como uma questão de vida ou morte; entre os motivos possíveis, estão a autuação da Receita Federal, o receio de que o país avance na democratização da mídia e a percepção de que a Globo, alvo dos protestos de junho por ter apoiado a ditadura, não é mais capaz de ditar os rumos do país <br clear="all"> :

Marco Damiani, 247 – Donos do maior patrimônio pessoal entre todos os empresários de mídia do mundo, como o australiano Ruppert Murdoch, do grupo Media News, ou o americano Ted Turner, da rede CNN, os três irmãos Marinho – João Roberto, Roberto Irineu e José Roberto – consideram ter mais de um bilhão de motivos para atuarem, com sua poderosa máquina editorial, contra a reeleição da presidente Dilma Rousseff. Nota sobre nota, eles têm, juntos, uma fortuna estimada pela revista Forbes em US$ 28,9 bilhões (R$ 74,2 bilhões de reais). Porém, com mais quatro anos de Dilma no Palácio do Planalto, os três temem perder dinheiro, prestígio e influência em doses imprevisíveis. Podem ser bastante fortes.

No ano passado, a Receita Federal venceu no Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) uma disputa com a Globo de R$ 713 milhões. Hoje, a conta ainda não saudada está em mais de R$ 1 bilhão. Por outro lado, a reeleição da presidente vai, necessariamente, aquecer o debate sobre a regulação do funcionamento do setor de mídia no Brasil. Pilares da base do gigantismo da Globo, como propriedades cruzadas e presença majoritária em múltiplas áreas de atuação, configuram um oligopólio que fatura, anualmente, cerca de R$ 10 bilhões. É essa espécie de fábrica de fazer dinheiro, erguida a partir do período dos militares no poder do Brasil (1964-1985) e movida pelo B.V. (o famoso bônus de veiculação), que se vê ameaçada pela presidente candidata.

Um terceiro, mas não menos importante elemento, é o público em si. Em junho do ano passado, uma parte do vandalismo em que as manifestações degeneraram foi dirigido contra a Globo. Esterco chegou a ser jogado nas paredes da sede da emissora em São Paulo. A pressão popular sobre carros adesivados da emissora passou a ser um fato cotidiano, e sempre arriscado, na vida dos profissionais da empresa.

BELIGERÂNCIA NO DNA - É natural, na defesa de seus interesses bilionários, que os Marinho usem todos os canhões ao seu dispor. A beligerância, de resto, está no DNA do grupo empresarial que eles herdaram do pai. A Globo nasceu com obsessão pelo poder. A estratégia do empresário Roberto Marinho foi, desde as primeiras transmissões, em abril de 1965, exatamente um ano depois de os militares brasileiros derrubarem o presidente João Goulart, a de servir ao regime. Não há interpretação histórica que possa superar esse fato.

A Globo, apesar de algumas linhas de autocrítica publicadas no jornal O Globo por ocasião do cinquentenário do golpe militar, no ano passado, não quer cortar suas raízes com o autoritarismo. Pelo simples motivo de que foi a antítese da democracia que estabeleceu o modelo de concentração que a beneficiou. As Organizações enxergam a democracia como o regime que necessariamente vai enfraquecer seu poder, à medida em que permite a existência e o florescimento de outras fórmulas empresariais.

O nervosismo do âncora William Bonner e a descortesia da apresentadora Patrícia Poeta, ontem, diante de Dilma, na entrevista no Jornal Nacional, revelaram apenas a ponta do iceberg de interesses escondidos pela Globo em sua propalada isenção editorial. Não está no DNA da emissora ser isenta, ao contrário. Muito menos têm havido equilíbrio por parte da emissora no noticiário da atual sucessão presidencial. Pesquisadores da Uerj já havia mostrado que o JN dedicou, entre 1º de janeiro e 31 de julho, 83 minutos de noticiário avaliado por ele como negativo para Dilma contra 3 minutos de informações apontadas como positivas. 

JN PERDEU IBOPE NOS ÚLTIMOS ANOS - Para tomar-se, apenas, os investimentos do governo federal em publicidade, o que se tem é que eles diminuíram para a Globo a partir da introdução continuada de filtros técnicos para a aplicação das verbas. Acontece que a audiência da Globo como um todo, e em horários nunca antes ameaçados, está diminuindo. Apenas o Jornal Nacional, por exemplo, perdeu mais de 20 pontos no Ibope nos últimos anos. A introdução de novos mecanismos de medição de público, de outra parte, também mostra que o poderio real das Organizações Globo é declinante, no sentido do alcance e influência sobre público.

Em 1982, a Globo tentou ditar o resultados das eleições para governador do Rio de Janeiro, no que ficou conhecido como o escândalo da pró-consult – a assessoria que contava os votos em paralelo à Justiça Eleitoral. Em 1989, como o então todo poderoso global Boni admitiu em biografia festiva, a emissora manipulou o debate presidencial entre os candidatos Lula e Collor e usou, claro, o Jornal Nacional para desequilibrar ainda mais a cena real daquele disputa. Em ambos os casos, a Globo procurou interferir na disputa em seus momentos finais. 

Ontem, com a chamada entrevista em que a presidente Dilma foi interrompida 21 vezes, em 15 minutos de conversa, pelo âncora do JN, a Globo mostrou que partiu para o ataque desde o primeiro minuto. Certamente porque sabe, com seus sofisticados instrumentos de aferição dos humores da população, que enfrenta cada vez mais dificuldade para impor a vontade de seus herdeiros ao público. 

Mídia Ana Pupulin Tue, 19 Aug 2014 20:23:43 +0000 http://www.brasil247.com/150554
FHC aconselha Aécio a não polarizar com Marina http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/150667 Antônio Cruz / ABr: Brasília - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso participa de evento que reuniu os prefeitos eleitos do PSDB Ex-presidente FHC lembra que "ambos estão contra" a reeleição da presidente Dilma Rousseff e podem apoiar um ao outro após o primeiro turno: "Por causa dos muitos erros do PT, do presidente Lula e da presidente Dilma, criou um clima no Brasil de que muita gente deseja mudar. Havendo segundo turno, há possibilidades reais de alternância do poder. Não acho que tem que antagonizar com a Marina. Ambos estão contra a Dilma. [...] O importante é que os dois no segundo turno estejam unidos" <br clear="all"> Antônio Cruz / ABr: Brasília - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso participa de evento que reuniu os prefeitos eleitos do PSDB

247 – Um de seus conselheiros mais próximos do presidenciável, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso aconselhou nesta terça-feira (19) o senador Aécio Neves (PSDB) a não polarizar a disputa com Marina Silva (PSB) por uma vaga no segundo turno.

Ele lembra que "ambos estão contra" a reeleição da presidente Dilma Rousseff e podem apoiar um ao outro após o primeiro turno.
"Por causa dos muitos erros do PT, do presidente Lula e da presidente Dilma, criou um clima no Brasil de que muita gente deseja mudar.

Havendo segundo turno, há possibilidades reais de alternância do poder. Não acho que tem que antagonizar com a Marina. Ambos estão contra a Dilma. [...] O importante é que os dois no segundo turno estejam unidos. Acho que é necessário mudar quem está no governo", disse.

Ele, no entanto, não deixou de ressaltar que Aécio tem como vantagem a "experiência administrativa". "Tenho muita confiança em Aécio porque ele mostrou em Minas do que foi capaz. Ele pode mostrar do que foi capaz. Acho que ele vai ganhar, porque tem mais estrutura e pode mostrar com mais força ao país que ele sabe governar. Porque não é fácil governar. Tenho muito respeito pela Marina. Não quero que ela tome essas palavras como se fosse restrição a ela", afirmou ele.

Minas 247 Roberta Namour Wed, 20 Aug 2014 06:45:32 +0000 http://www.brasil247.com/150667
Freire: Marina deve aceitar apoio do PSDB no 2° turno http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150663 : Candidata do PSB à Presidência, Marina Silva decidiu abrir mão do apoio a antigos aliados estaduais da Rede: "É o mínimo que ela pode fazer em respeito aos partidos que dão a ela essa missão de substituir Eduardo Campos como candidata à Presidência", diz Roberto Freire, presidente do PPS; segundo ele, caso Marina chegue ao segundo turno, a expectativa é que ela aceite apoio de partidos de oposição como o PSDB <br clear="all"> :

247 – Candidata do PSB à Presidência, Marina Silva decidiu não apoiar mais aliados na Rede nos estados. "É o mínimo que ela pode fazer em respeito aos partidos que dão a ela essa missão [de substituir Eduardo Campos como candidata à Presidência]", diz Roberto Freire, presidente do PPS.

Segundo a colunista Mônica Bergamo, ela não apoiará mais Eduardo Suplicy, do PT, ao Senado em SP. E sim dirá que a aliança que representa apoia José Serra, do PSDB. Em Alagoas, não apoiará Heloisa Helena, do PSOL, ao Senado. E sim afirmará que sua aliança está na chapa ao governo de Benedito de Lira, que começou carreira na Arena, foi do PFL e hoje é do PP.

Freire diz que ninguém vai pedir que Marina faça campanha [para candidatos de alianças costuradas por Campos] nem que fuja de seus princípios: "Mas ela não pode apoiar adversários. Afinal, não está sendo ungida, não é uma candidatura nova. Ela substitui [Campos] e tem que entender esse papel."

O presidente do PPS indica ainda que, caso Marina chegue ao segundo turno, a expectativa é que ela aceite apoio de partidos de oposição como o PSDB "para dar consequência à missão de derrotar o que ela combate".

Poder Roberta Namour Wed, 20 Aug 2014 06:07:31 +0000 http://www.brasil247.com/150663
Guru de Marina prevê recessão no Brasil http://www.brasil247.com/pt/247/economia/150668                                 : Economista Eduardo Giannetti defendeu o ajuste rápido dos preços das tarifas públicas no ano que vem: "Quando o carimbam como 'tarifaço' soa como uma maldade, uma maldade contra a população. Maldade será quando faltar energia ou quando o setor de etanol quebrar e despedir centenas de milhares de pessoas"; segundo ele, se a gestão de Dilma Rousseff insistir na linha de aumento gradual, “vai nos encaminhar para uma crise financeira” e os mercados retirar recursos do Brasil <br clear="all">                                 :

247 – Prevendo cenário de recessão no Brasil, o economista Eduardo Giannetti, guru de Marina Silva (PSB), defendeu o ajuste rápido dos preços das tarifas públicas no ano que vem.

"Não será agradável [o ajuste], mas o erro veio antes. Quando o carimbam como 'tarifaço' soa como uma maldade, uma maldade contra a população. Maldade será quando faltar energia ou quando o setor de etanol quebrar e despedir centenas de milhares de pessoas."

Em palestra na Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, ele disse que, a exemplo de 1999 e 2003, as correções duraram pouco tempo e o país retornou ao crescimento econômico com inflação mais baixa.

O governo tem se mostrado contra a estratégia, defendendo o ajuste gradual dos preços. Segundo o economista a gestão de Dilma Rousseff insistir nessa linha, “vai nos encaminhar para uma crise financeira”: “os mercados não vão assistir a esse tipo de comportamento sem adotar uma política defensiva [retirar recursos do Brasil]".

Economia Roberta Namour Wed, 20 Aug 2014 06:47:08 +0000 http://www.brasil247.com/150668
Vice assumirá alianças que Marina rejeitar http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150658 : “Fizemos alianças no Brasil de acordo com a realidade de cada região. O presidente Eduardo Campos construiu o que foi possível, o máximo de acordos. Alguns estados não houve acordo e isso não mudará nada. As decisões já foram tomadas. Onde a Marina não estiver, estarei eu representando o Partido Socialista Brasileiro [PSB] e as decisões que o companheiro Eduardo tomou na condição de candidato a presidente”, disse o deputado Beto Albuquerque (PSB-RS); é o caso de São Paulo, com a bandeira Edualdo <br clear="all"> :

Ivan Richard - Enviado especial da Agência Brasil - O deputado Beto Albuquerque (PSB-RS) confirmou ontem (19) que será vice de Marina Silva na chapa do partido à Presidência da República, que será oficializada hoje (20) e disse há pouco, no Recife, que Marina, ao substituir Eduardo Campos na corrida ao Palácio do Planalto, não fará o que ela quer, mas o que o Brasil precisa. Ele, que recebeu hoje durante o dia o apoio de Renata Campos, viúva do ex-governador de Pernambuco para compor a chapa ao lado de Marina, disse que representará a legenda nos estados em que Marina não concordar com as alianças.

“Marina não será presidenta para fazer o que ela quer, será presidenta para fazer aquilo que o Brasil precisa, o que o povo exige, o que o povo quer, seja na agricultura, na indústria, na geração de emprego, no desenvolvimento urbano, no transporte público. Vamos dialogar com todos os setores, apresentando o nosso programa de governo”, disse Albuquerque após a missa de sétimo dia em memória de Campos.

Preocupado em manter os acordos firmados por Campos, Beto Albuquerque disse que ele representará o PSB nos palanques em que Marina não apoiar o candidato ao governo estadual. “Fizemos alianças no Brasil de acordo com a realidade de cada região. O presidente Eduardo Campos construiu o que foi possível, o máximo de acordos. Alguns estados não houve acordo e isso não mudará nada. As decisões já foram tomadas. Onde a Marina não estiver, estarei eu representando o Partido Socialista Brasileiro [PSB] e as decisões que o companheiro Eduardo tomou na condição de candidato a presidente”.

Segundo o gaúcho, Renata Campos abriu mão do convite do partido para ser vice de Marina e apoiou seu nome por entender que terá “uma outra tarefa” na disputa. “No diálogo com o partido em Pernambuco, com a família Campos - com a Renata, os filhos, dona Ana [Arraes, mãe de Eduardo], entenderam que a melhor composição que está sendo recomendada à Executiva Nacional [amanhã] é a de Marina, como presidente, e do meu nome como vice. Saio de Pernambuco tendo recebido uma grande missão”, disse Beto Albuquerque.

Poder Roberta Namour Wed, 20 Aug 2014 05:10:44 +0000 http://www.brasil247.com/150658
Lula fala de Campos na TV: “Jamais desistir do Brasil” http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/150601 : Abertura do horário eleitoral gratuito tem um não candidato como destaque; ex-presidente Lula fechou programa do PT, lembrando ligação com Eduardo Campos; "Tínhamos uma relação de pai para filho", disse; de olho no espólio eleitoral de seu ex-ministro, pediu ao povo para guardar últimas palavras dele; "Nunca, jamais desistir do Brasil"; PSB abriu espaço com homenagem, palavras e cenas de Campos com a população e em família; dono do maior tempo, com mais de 11 minutos, PT mostrou realizações do governo e a presidente Dilma; "Segundo mandato será melhor do que o primeiro", garantiu ela; Aécio Neves, pelo PSDB, fez foco na economia; "As pessoas perderam a confiança"; etapa decisiva da eleição está no ar <br clear="all"> :

247 – Os partidos políticos inauguraram nesta terça-feira 19 o horário eleitoral gratuito pelo rádio e televisão. À exceção de Marina Silva, ainda não indicada oficialmente pelo PSB, os adversários presidente Dilma Rousseff e senador Aécio Neves mostraram suas armas, mas o diferencial maior ficou para um não candidato: o ex-presidente Lula.

Depois ter ocupado uma pequena parte do programa de Dilma, no qual afirmou ter feito "um segundo mandato melhor do que o primeiro", e o mesmo ocorreria com a candidata à reeleição, Lula voltou na parte final do horário.

"Eu pedi à Dilma para falar aqui do Eduardo Campos", justificou Lula, de camisa social azul, em close para a câmera do marqueteiro João Satana, responsável pelo programa petista.

- Tínhamos uma relação de pai para filho, disse Lula sobre sua ligação com Campo, que foi ministro da Ciência e Tecnologia em seu governo.

De olho em obter para Dilma para do espólio eleitoral de Campos, Lula registrou que o povo deve lembrar das últimas palavras do candidato morto na quarta-feira 13, em acidente aéreo, em Santos.

- Nunca, jamais desistir do Brasil. É assim, querido Eduardo, que vamos guardar sua memória para sempre, concluiu Lula.

O horário eleitoral foi aberto com a imagem estática de Eduardo Campos, cena que se repetirá nesta noite, às 20h30. O PSB foi a agremiação sorteada pelo TSE para aparecer em primeiro lugar. Nos menos de dois minutos a que o partido tem direito, os socialistas mostraram imagens de Eduardo Campos em campanha e em família. Como adiantara o presidente do PSB Roberto Amaral, Marina Silva não apareceu.

Pelo PT, a presidente Dilma Rousseff foi mostrada em cenas do Palácio da Alvorada, residência oficial do cargo, e falando sobre seu "orgulho" de ser presidente. Ela foi mostrada entregando chaves de casas populares do governo aos moradores e em confraternização com a população. "As bases estão prontas para um novo ciclo de desenvolvimento", afirmou Dilma.
No programa do PSDB, o presidenciável Aécio Neves foi o condutor de toda a apresentação. Ele fez foco na política econômica. "As pessoas perderam a confiança", disse Aécio.

Mídia Ana Pupulin Tue, 19 Aug 2014 14:39:53 +0000 http://www.brasil247.com/150601
Preso Roger Abdelmassih, foragido nº 1 do Brasil http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/150618 : Condenado a 278 anos de prisão por 56 estupros e quatro tentativas de abuso a 39 mulheres, médico Roger Abdelmassih foi capturado no Paraguai pelo governo do país, com apoio da Polícia Federal, na tarde desta terça-feira 19; procurado há quatro anos, ele vivia na capital, Assunção, com a mulher e dois filhos gêmeos de três anos; Abdelmassih é acusado de atacar as pacientes depois de sedá-las; brasileiro estava na lista dos procurados da Interpol <br clear="all"> :

247 – Foragido há quatro anos, o médico brasileiro Roger Abdelmassih foi capturado na tarde desta quinta-feira 10 na capital do Paraguai, Assunção, informou a Polícia Federal. Ele foi preso pelo governo paraguaio, com o apoio da PF, próximo à escola onde deixaria seus filhos, dois gêmeos de três anos, junto com a mulher, Larissa.

A previsão é que ele chegue às 17h em Foz do Iguaçu, cidade do Paraná que faz fronteira com o Paraguai, e depois será transferido para São Paulo.

Abdelmassih foi condenado a 278 anos de prisão por 56 estupros e quatro tentativas de abuso a 39 mulheres. A acusação é de que ele, que é especialista em reprodução assistida, atacava as pacientes depois de sedá-las. Ele diz ter ajudado a gerar cerca de oito mil bebês. Cerca de 20 mil mulheres teriam passado por sua clínica.

O médico chegou a ser preso em 2009, mas foi liberado pelo então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, às vésperas de Natal. Em 2011, foi decretado um novo pedido de prisão contra Abdelmassih, mas ele não foi mais encontrado. O médico entrou então para a lista de procurados da Interpol.

Brasil Gisele Federicce Tue, 19 Aug 2014 15:32:37 +0000 http://www.brasil247.com/150618
Autoridades homenageiam Campos e Marina defende "legado" http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/150612 Marcello Casal Jr/Agência Brasil: Ex-senadora, que será confirmada na quarta-feira candidata à Presidência da República pelo PSB, afirmou nesta terça-feira que os ideais de Eduardo Campos devem ser tratados como um legado, e não como uma herança; "(Um) legado em que quanto mais pessoas puderem se apropriar dele maior ele fica", afirmou à imprensa, após missa de sétimo dia ao candidato; homenagem reuniu autoridades do governo e do PSB na Catedral Metropolitana de Brasília <br clear="all"> Marcello Casal Jr/Agência Brasil:

BRASÍLIA (Reuters) - A ex-senadora Marina Silva, que será confirmada na quarta-feira candidata à Presidência da República pelo PSB após a morte trágica do presidenciável Eduardo Campos, afirmou nesta terça-feira que os ideais de Campos devem ser tratados como um legado, e não como uma herança.

"Nosso esforço, de todos nós brasileiros, independentemente de partido, é de que todo o seu esforço, sua trajetória, sua insistência em renovar a política não seja tratada como uma herança, onde cada um pega um fragmento do despojo, mas que seja tratada como um legado", disse Marina.

A ex-senadora fez um pronunciamento à imprensa em Brasília após a missa de sétimo dia de Campos, morto no dia 13 em um acidente de avião no litoral de São Paulo.

"(Um) legado em que quanto mais pessoas puderem se apropriar dele maior ele fica, porque se multiplica no coração, nas mentes e, principalmente, na ação daqueles que não desistem que esse mundo possa ser socialmente justo, economicamente próspero, culturalmente diverso, politicamente democrático e ambientalmente sustentável", acrescentou Marina.

(Por Jeferson Ribeiro)

Autoridades e membros do PSB prestam homenagem em missa de sétimo dia de Campos

BRASÍLIA (Reuters) - Autoridades do governo e integrantes do PSB prestaram em Brasília suas homenagens em missa de sétimo dia de Eduardo Campos, morto em trágico acidente de avião na semana passada, enquanto lideranças do partido discutiam em Recife a composição da nova chapa presidencial.

Várias personalidades do PSB, como o líder da bancada no Senado e candidato ao governo do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, o deputado Júlio Delgado (MG), a ex-prefeita de São Paulo e deputada Luiza Erundina e Maurício Rands estavam entre os presentes na missa nesta terça-feira.

Marina Silva, que era vice na chapa do PSB e será anunciada oficialmente na quarta-feira candidata no lugar de Campos, também compareceu à cerimônia religiosa realizada na Catedral Metropolitana de Brasília. O anúncio da candidatura de Marina será feiro após reunião da Executiva do partido.

Nesta terça-feira, lideranças dos partidos que compõem a coligação devem se reunir em Brasília. É necessário que pelo menos quatro deles apoiem o novo nome para encabeçar a chapa.

"Nós estamos conversando, o partido está conversando, fazendo as consultas", disse Delgado a jornalistas ao chegar na Catedral.

Enquanto era celebrada a missa em Brasília, dirigentes do partido se reuniam em Recife para definir a composição da nova chapa do PSB para disputa presidencial.

O presidente da legenda, Roberto Amaral, o secretário-geral do partido, Carlos Siqueira, e o líder do PSB na Câmara, Beto Albuquerque, participam dessa reunião na capital pernambucana.A viúva de Campos, Renata, também está sendo ouvida sobre a nova chapa. Albuquerque é o favorito para assumir a vaga de vice.

Em Brasília, Rands disse que Marina deve reafirmar os compromissos já firmados por Campos, uma sinalização positiva aos aliados de que acordos não serão quebrados.

"Esse momento todos avaliaram que é importante uma explicitação, um reforçamento, uma ratificação de compromisso para que os brasileiros que querem votar num novo projeto, que querem votar na Marina, votem com transparência, votem com clareza de quais são os passos concretos que estão ratificados nessa nova fase que a campanha passa a viver", disse.

Rands acrescentou que o programa de governo da coligação deve ser apresentado nos próximos dias.

O vice-presidente da República, Michel Temer, e o secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, foram algumas das autoridades governamentais presentes.

(Reportagem de Maria Carolina Marecello, Jeferson Ribeiro e Silvio Cascione)

Brasília 247 Gisele Federicce Tue, 19 Aug 2014 14:49:49 +0000 http://www.brasil247.com/150612
Bonner interrompeu Dilma 21 vezes. Entrevista? http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/150590 : Apresentador do Jornal Nacional aparece como presidente da República nas redes sociais; um dia depois de interromper a presidente Dilma Rousseff 21 vezes em entrevista de 15 minutos, William Bonner é visto não como jornalista, mas como político; primeira pergunta dele, com a expressão "escândalo de corrupção" citada sete vezes, durou um minuto e 39 segundos, quase 10% do tempo total do encontro; tentativa de massacre teve caretas, um dedo em riste de uma transtornada Patrícia Poeta e gesto em dobro do próprio Bonner; desequilíbrio histórico <br clear="all"> :

247 – O editor-chefe e âncora do Jornal Nacional, William Bonner, nunca foi tão mencionado nas redes sociais – e mesmo nos portais de notícias – como na noite desta segunda-feira 18, após sua entrevista com a presidente Dilma Rousseff, na companhia de Patrícia Poeta.

Como noticiou o 247, a entrevista foi, na verdade, uma ação eleitoral do principal noticiário da televisão brasileira, com direito a interrupções, perguntas quilométricas e dedo em riste por parte dos apresentadores. Em sua primeira pergunta, Bonner repetiu sete vezes a palavra "corrupção".

No cálculo do jornalista Jeff Benício, que escreve no blog Sala de TV no portal Terra, o âncora interrompeu a candidata à reeleição nada menos que 21 vezes em 15 minutos e 52 segundos. O embate entre ele e a presidente durou 7 minutos e 15 segundos, diz o blogueiro.

Depois da única pergunta de Patrícia Poeta, que até então era espectadora, Bonner interrompeu Dilma ainda mais cinco vezes para, como disse ele, "falar de economia". Houve momentos em que a petista precisou continuar sua resposta da pergunta anterior quando já estava na seguinte. "Então, Bonner, como eu estava dizendo...", alfinetou.

Pouco depois, outro embate deixou o momento mais tenso. Enquanto Dilma apresentava suas declarações finais como candidata, Bonner a cortou novamente: "nosso tempo está acabando". Ela reagiu com a pergunta: "acabou?". Mais de uma vez os apresentadores agradeceram a presença da presidente no programa enquanto ela ainda falava.

Da parte de Dilma Rousseff, em nenhum momento a candidata perdeu a calma, apensa tentava terminar seu raciocínio quando era cortada ao vivo. Entre as três entrevistas – o JN também chamou à bancada o candidato Aécio Neves, do PSDB, e Eduardo Campos, que era postulante pelo PSB, mas morreu em um acidente aéreo no dia seguinte – certamente essa foi a mais incisiva.

Nas redes sociais, Bonner foi alvo de elogios, críticas e até de pedidos para que se candidate à Presidência da República. Imediatamente após a entrevista, os quatro primeiro assuntos mais comentados no Twitter nacional se referiam ao tema, sendo o primeiro deles o nome do âncora: "Bonner".

Mídia Gisele Federicce Tue, 19 Aug 2014 12:34:45 +0000 http://www.brasil247.com/150590
PML: Dilma tem mais a ganhar no horário político http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/150568 : Programa eleitoral, que começa hoje, servirá de "contraponto" para que a presidente Dilma Rousseff mostre um governo "muito melhor do que o retrato produzido pelos meios de comunicação", escreve Paulo Moreira Leite, em seu blog no 247; segundo ele, "jornais, revistas e emissoras de TV inverteram a fórmula consagrada no lançamento do Plano Real por um ministro do PSDB. Mostram o que é ruim e escondem o que é bom"; na propaganda política, os eleitores podem ser surpreendidos: "Irão descobrir um país que desconheciam" <br clear="all"> :

247 – A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, é quem mais tem a ganhar no horário político eleitoral, que começa a ser transmitido nesta terça-feira 19 em cadeia nacional de rádio e televisão. E não porque ela tem mais tempo do que os adversários na disputa ao Planalto, mas porque "pode se beneficiar do efeito surpresa, de uma certa novidade". A análise é do jornalista Paulo Moreira Leite, em seu blog no 247.

Segundo o jornalista, enquanto os discursos dos candidatos da oposição devem mostrar uma continuidade entre o que já vinha sendo feito durante a campanha, Dilma terá a oportunidade de mostrar o que foi realizado durante seu governo, que "com toda certeza" é "muito melhor do que o retrato produzido pelos meios de comunicação até aqui", opina Paulo Moreira Leite.

Numa crítica à falta de "jornalismo plural e equilibrado", PML diz ainda que "nossos jornais, revistas e emissoras de TV inverteram a fórmula consagrada no lançamento do Plano Real por um ministro do PSDB. Mostram o que é ruim e escondem o que é bom". E que a entrevista da presidente ao Jornal Nacional, na noite desta segunda-feira, foi apenas uma "amostra" da postura de nossas emissoras.

Uma vez, então, que a mídia espontânea só apresenta informações sobre o Brasil "de forma distorcida", a candidata do PT terá, em seus minutos de propaganda eleitoral, o "contraponto ao pensamento único".

Leia a íntegra do artigo em Dilma tem mais a ganhar no horário político

Mídia Gisele Federicce Tue, 19 Aug 2014 10:17:47 +0000 http://www.brasil247.com/150568
Jabor prega golpe e compara PT ao Jango de 63 http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/150552 : “Está na hora de abrirmos os olhos, porque está em curso o desejo de Dilma e seu partido de tomar o governo para mudar o Estado”, diz o colunista Arnaldo Jabor; segundo ele, “petistas querem refazer o tempo do Jango, quando não conseguiram levá-lo para uma revolução imaginária, infactível. Os petistas querem a democracia do Comitê Central, o centralismo democrático, o eufemismo que Lênin inventou para controlar Estado e sociedade” <br clear="all"> :

247 – O colunista Arnaldo Jabor comparou o PT atual ao Jango de 1963. Segundo ele, o desejo da presidente Dilma Rousseff e de seu partido é tomar o governo para mudar o Estado. Leia:

O califado petista 

As eleições para presidente não serão “normais” – apenas uma disputa entre dois partidos para ver quem fica com o poder. Não. Trata-se de uma batalha entre democratas e não democratas. Está na hora de abrirmos os olhos, porque está em curso o desejo de Dilma e seu partido de tomar o governo para mudar o Estado. Não tenho mais saco para tentar análises políticas sobre a “não política”. Não aguento mais tentar ser “sensato” sobre a insensatez. Por isso, só me resta fazer a lista do que considero as doenças infantis do petismo, cuja permanência no poder pode arrasar a sociedade brasileira de forma irreversível.

O petismo tem a compulsão à repetição do que houve em 1963; querem refazer o tempo do Jango, quando não conseguiram levá-lo para uma revolução imaginária, infactível. Os petistas querem a democracia do Comitê Central, o centralismo democrático, o eufemismo que Lênin inventou para controlar Estado e sociedade. Eles não confiam na “sociedade”; só pensam no Estado, na interferência em tudo, no comportamento dos bancos, nos analistas de mercado e principalmente no velho sonho de limitar a liberdade de opinião. Assinam embaixo da frase de Stálin: “As ideias são muito mais poderosas do que as armas. Nós não permitimos que nossos inimigos tenham armas, por que deveríamos permitir que tenham ideias?” Nossa maior doença – o Estado canceroso – será ignorada e terá uma recaída talvez fatal. Não fazem autocrítica e não querem ser criticados. A teimosia de Dilma é total – vai continuar errando com galhardia brizolista. Sua ideologia é falha, mal-assimilada nessa correria sindicalista e pelega. Até agora governaram um país capitalista com regras e métodos anticapitalistas – dá no desastre econômico a que assistimos. Eles odeiam a competência.

Acham que administrar é coisa de burguês – vejam o estrago atual. Acham que planejam a História, que “fazem” a História. Por isso, adotaram a mui útil “mentira revolucionária”. Assim, podem ocultar tudo da sociedade para o “bem dela”. Aliaram-se ao que há de pior entre os reacionários brasileiros e vivem a volúpia de imitá-los, com um adorável “frisson” perverso ao cometerem malfeitos para “fins justos”. Aliás, nem sabem o que são seus “fins”; têm uma vaga ideia de “projeto”, que não passa de um sarapatel de “gramscianismo” vulgar com getulismo tardio e um desenvolvimentismo dos anos 60. Foi assim que criaram a “roubalheira de esquerda”, que chamam de “desapropriação” de dinheiro da burguesia. Isso justificou o mensalão, feito para eleger Dirceu presidente em 2010. Fracassaram. Aliás, o PT abriga muitos fracassados porque, ao se dizerem “revolucionários”, sentem-se superiores a nós, os alienados, os neoliberais, os direitistas, os vendidos ao imperialismo.

Não entendem o mundo atual e continuam com os pressupostos de uma política dos anos 30 na URSS. Leiam os livros do período e constatem se um Gilberto Carvalho não pensa igualzinho ao Molotov. Para eles, a oposição é a união da “burguesia” contra o “povo”. No entanto, quem se aliou à pior burguesia patrimonialista foram eles; ou Sarney, Renan, Jucá, Maluf e Severino do macarrão são bolcheviques? Petistas só pensam no passado como vítimas ou no futuro como salvadores e heróis. O presente é ignorado, pois eles não têm reflexão crítica para entendê-lo. Adoram estar num partido que pensa por eles. Dá um alívio não ter de pensar – só obedecer. A mediocridade sonha com o futuro onipotente. A morte súbita de Eduardo Campos pirou os “hegelianozinhos de pacotilha” que descobriram que a História é intempestiva e não obedece ao Rui Falcão. Agora, rumam em massa para Pernambuco para elogiar quem chamavam de “traidor e menino mimado”.

Querem criar os tais “conselhos” sociais, para adiar os problemas, fingindo uma “humildade democrática” para “ouvir” a população, de modo a ocultar seu autoritarismo renitente. Vivem a ideia de um futuro socialista como o substituto do sonho de “imortalidade” dos cristãos. Comunista não morre; vira um conceito. O homem é um ser social, e o “ser social” nunca morre. Para eles (e para o Kim da Coreia do Norte), o indivíduo é uma ilusão que criou essa dor melodramática. Quem morre é pequeno-burguês. Muitos intelectuais e artistas que sabem dessas doenças infantis preferem cavalgar o erro a mudar de ideia. Consola a consciência ter uma estrelinha vermelha pendurada na alma.

Os petistas têm uma visão de mundo deturpada por conceitos compartimentados e acusatórios: luta de classes, vitimização, culpados e inocentes, traidores e traídos. Acham que a complexidade é um complô contra eles, acham a circularidade inevitável da vida uma armação do neoliberalismo internacional. Confundem simplicidade com simplismo. Nunca fazem parte do erro do mundo; sentem-se superiores a nós, tocados pelo dedo de Deus.

Agora, no mundo modificado pelo fim do socialismo real, pelos impasses do Oriente Médio, pela crise financeira do capitalismo, pela revolução digital, sentem falta de uma ideologia que os justifique e absolva. E como não existe nenhuma disponível (social-democracia, nem pensar...), apelam para o tosco bolivarianismo que nos contamina aos poucos. É inacreditável como batem cabeça para ditadores e criminosos, de Ahmadinejad a Maduro, de Putin a Fidel, tudo em volta do fascismo populista de Chávez.

Dilma se acha Brizola, Lula imita Getúlio: nacionalismo, manipulação da liberdade, ódio a estrangeiros, desconfiança dos desejos da sociedade. Nada pior do que o brizolismo-getulista neste momento do país. Estávamos prontos para decolar no mundo contemporâneo, mas seguraram o avião e voltamos para trás.

Por isso, repito a frase oportuna de Baudrillard:

“O comunismo, hoje desintegrado, tornou-se viral, capaz de contaminar o mundo inteiro; não por meio da ideologia, nem do seu modelo de funcionamento, mas por meio do seu modelo de des-funcionamento e da desestruturação da vida social”.

Mídia Roberta Namour Tue, 19 Aug 2014 07:32:26 +0000 http://www.brasil247.com/150552
No 1º dia no rádio, propagandas homenageiam Campos http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/150586 : Propaganda eleitoral gratuita, inaugurada nesta manhã no rádio, foi marcada por homenagens do PSB e dos adversários a Eduardo Campos, que morreu na última quarta-feira 13; partido usou fala do próprio Campos para sinalizar que a escolha de Marina Silva, ainda não oficializada, está certa: "Eu e Marina estamos prontos para fazer a mudança para o futuro do Brasil"; ex-presidente Lula também homenageou Campos ao falar da dor pela perda do político, por quem disse sentir "afeto de pai e filho"; tucano Aécio Neves, além de lamentar a morte, ressaltou a relação de amizade e respeito que tinha com o ex-governador <br clear="all"> :

Karine Melo – Repórter da Agência Brasil

A propaganda eleitoral gratuita, inaugurada na manhã desta terça-feira (19) no rádio, foi marcada por homenagens de vários partidos e coligações ao ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, além das apresentações dos candidatos e suas plataformas de governo.

Por ordem de sorteio, a coligação Unidos pelo Brasil, liderada pelo PSB, partido de Campos, usou os dois minutos e três segundos a que tem direito para homenagear o candidato morto na última quarta-feira (13) em um acidente de avião.

"O Brasil perdeu Eduardo Campos, um candidato a presidente em quem os brasileiros queriam, mas não puderam votar. Eduardo se foi, mas seus valores e ideais ficaram. Dentre eles, a esperança para seguir em frente", destacou o programa.

Apesar de ainda não apresentar oficialmente Marina Silva como sucessora de Eduardo Campos na chapa, o PSB usou uma fala do próprio Eduardo Campos para sinalizar que a escolha está certa. "Vamos precisar unir o Brasil e as boas pessoas do Brasil. O Brasil tem jeito, quem vai dar jeito ao Brasil é o povo brasileiro. Eu e Marina estamos prontos para fazer a mudança para o futuro do Brasil".

O tempo da Coligação Muda Brasil, encabeçada pelo PSDB, também começou com uma homenagem ao ex-governador de Pernambuco feita pelo presidenciável Aécio Neves. Além de lamentar a morte de Eduardo Campos e das outras seis vítimas, o tucano ressaltou a relação de amizade e respeito que tinha com o ex-governador de Pernambuco desde a década de 80, na campanha pelas Diretas.

"Colocar em prática as ideias e os ideais que tínhamos em comum será a melhor forma de celebrar a vida do grande governador, do pai, do marido do amigo, do brasileiro Eduardo Campos", disse Aécio enfatizando que, mesmo em partidos diferentes, os dois tinham sonhos parecidos.

Além de apresentar Aécio como ex-deputado federal, ex-governador de Minas Gerais, senador e neto de Tancredo Neves, o tucano foi mostrado, nos quatro minutos e 35 segundos de programa, como uma alternativa de mudança.

"Hoje, o Brasil está pior que há quatro anos. O Brasil, que vinha bem, vinha avançando, perdeu o rumo, mas é importante que fique claro: o problema não é o Brasil, o problema é a forma como o Brasil está sendo governado", destacou o presidenciável.

Com o maior tempo de programa (11 minutos e 24 segundos) a candidata à reeleição Dilma Rousseff, da coligação Com a Força do Povo, que reúne o PT e oito partidos, disse que pretende fazer "uma campanha de alto nível, positiva e com discussão de ideias".

O programa propôs uma comparação do governo atual com anteriores e destacou a queda na taxa de desemprego e também os números de geração de empregos formais nos governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da atual Dilma Rousseff.

Na área de moradia destacou a construção de 600 mil casas pelo Programa Minha Casa, Minha Vida e de obras importantes em parceria com o estado de São Paulo e com as prefeituras como o Rodoanel e a linha 17 do Metrô da capital.

Na área de saúde, Dilma destacou que São Paulo foi estado que mais recebeu profissionais do Programa Mais Médicos (2.156). "Criamos a maior rede de proteção social do mundo, o Brasil sem Miséria, que vem acabando com a pobreza extrema. Estamos realizando o maior conjunto de obras de infraestrutura de nossa história recente e vamos fazer do pré-sal o nosso passaporte pro futuro: 75% dos royalties do petróleo serão investidos na educação e 25% na saúde", lembrou a candidata.

O ex-presidente Lula participou ativamente do programa, sugerindo aos eleitores comparações dos governos do PT com anteriores e pedindo votos para a companheira de partido. Lula também homenageou Eduardo Campos ao falar da dor pela perda do político, por quem disse sentir "afeto de pai e filho". "Sua luta sempre foi e continuará sendo a nossa luta. E suas últimas palavras precisam ser incorporadas pelo povo brasileiro, nunca, jamais desistir do Brasil. É assim, querido Eduardo, que vamos guardar sua memória para sempre", disse Lula.

Até o dia 2 de outubro a propaganda eleitoral está dividida em dois blocos diários. Nas rádios, a transmissão vai das 7h às 7h25 e das 12h às 12h25. Na televisão, o primeiro bloco se inicia às 13h e vai até as 13h25. À noite, a propaganda é retomada das 20h30 às 20h55. Terça-feira, quinta-feira e sábado estão destinados à propaganda de candidatos à presidência e segunda-feira, quarta-feira e sexta-feira às campanhas estaduais.

Mídia Gisele Federicce Tue, 19 Aug 2014 11:47:13 +0000 http://www.brasil247.com/150586
JN: Dilma já enfrentou torturadores piores http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/150542 : “O que se viu na noite de segunda-feira, 18 de agosto de 2014, na TV Globo, não foi uma entrevista dura como foram – em alguma medida – aquelas a que foram submetidos Aécio Neves e Eduardo Campos. Foi uma agressão, um desrespeito”, disse Eduardo Guimarães, do blog da Cidadania, sobre ação de William Bonner e Patrícia Poeta no Jornal Nacional; segundo ele, presidente Dilma Rousseff reagiu como uma mulher ciente de suas responsabilidades: “Se Dilma não cedeu nem à tortura física da ditadura, não seriam um mauricinho e uma patricinha de quinta que iriam dobrá-la” <br clear="all"> :

Por Eduardo Guimarães, do blog da Cidadania

A presidente da República bem que poderia ter incorporado o espírito de Leonel Brizola e, após ter dito tudo que tantos brasileiros têm a dizer sobre a Globo, deixado William Bonner e Patrícia Poeta fazendo suas caras e bocas (de nojo) sozinhos. Se não fosse uma dama, poderia ter dito que recebeu o Jornal Nacional para ser entrevistada, não para ser agredida.

O que se viu na noite de segunda-feira, 18 de agosto de 2014, na TV Globo, não foi uma entrevista dura como foram – em alguma medida – aquelas a que foram submetidos Aécio Neves e Eduardo Campos. Foi uma agressão, um desrespeito.

E não só pelo tom dos entrevistadores, mas pelo tempo que gastaram com suas perguntas. Bonner e Poeta gastaram um terço dos 15 minutos que durou a entrevista. Mais especificamente, 4 minutos e 48 segundos. Isso sem contar o tempo das interrupções. Não houve nada igual nas entrevistas com Aécio Neves e Eduardo Campos.

Aqui se poderia questionar o teor das perguntas. No caso da pergunta sobre saúde, por exemplo, com Poeta fazendo caras e bocas (de nojo), opinou que 12 anos seria “tempo demais” para Dilma não consertar problemas que a saúde pública no Brasil ostenta há 500 anos.

Dilma poderia ter respondido isso, que os problemas da saúde do país não têm 12 anos e que não serão solucionados completamente por governante nenhum em um, dois ou três mandatos, mas preferiu se restringir às suas responsabilidades em respeito ao público.

Sobre corrupção, Dilma também poderia ter respondido à pergunta de Bonner com outra. Poderia ter perguntado que governante brasileiro, entre prefeitos e governadores, não tem problemas de corrupção entre seus comandados.
Dilma poderia, por exemplo, ter dito que o escândalo dos trens em São Paulo envolve “módicos” 11 bilhões de reais e que não houve nada sequer parecido em seu governo.

Mas Dilma é uma dama e uma mulher ciente de suas responsabilidades. Não seria uma sessão de tortura psicológica levada a cabo por aprendizes de torturadores que iria fazê-la perder a linha ou esmorecer. Faltou competência ao casal de energúmenos até para exercer o poder dos torturadores.

Mas se Dilma não cedeu nem à tortura física da ditadura, não seriam um mauricinho e uma patricinha de quinta que iriam dobrá-la.

Em 18 de agosto de 2014, com seu casalzinho de torturadores perfumados, a Globo fez lembrar ao país que continua sendo aquela mesma Globo que rastejou aos pés da ditadura para que esta lhe enchesse os bolsos com dólares que os americanos aqui despejaram para destruir a nossa democracia, para seviciar nosso povo durante mais de vinte anos.

A data dessa sessão de tortura midiática entra agora para a história do jornalismo brasileiro como exemplo de falta de compostura profissional. Bonner e Poeta teriam feito papel menos odioso se emulassem os energúmenos que, na abertura da Copa, vociferaram o infame “Dilma, VTNC”. Só faltou berrarem isso diante da presidente da República.

Mídia Roberta Namour Tue, 19 Aug 2014 04:43:09 +0000 http://www.brasil247.com/150542
Lula pedirá confiança em segundo mandato 'melhor' http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150543 VALTER CAMPANATO-ABR            : Na estreia da propaganda eleitoral na TV, ex-presidente Lula vai pedir para que eleitor vote pela reeleição de Dilma Rousseff “sem medo”, assim como fizeram com ele em 2006, pois ela fará um segundo mandato “melhor”; ele também homenageará o socialista Eduardo Campos; campanha de Dilma terá o dobro de tempo de TV de Aécio Neves (PSDB) e do PSB juntos, com 11 minutos e 24 segundos, e ressaltará que o país passou pela crise econômica, com empregos e estabilidade <br clear="all"> VALTER CAMPANATO-ABR            :

247 – Começa nesta terça-feira o programa eleitoral na TV. O PT deve estrear com a imagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pedindo confiança do eleitor para que vote pela reeleição de Dilma Rousseff "sem medo". 

Segundo Lula, Dilma fará um segundo mandato "melhor", usando sua reeleição em 2006 como exemplo de que ninguém se arrependeu de ter lhe dado mais quatro anos.

A propaganda pela campanha de Dilma Rousseff terá o dobro de tempo de TV de Aécio Neves (PSDB) e do PSB, com 11 minutos e 24 segundos.

O PT não deve fazer ataques aos adversários e também deve exibir depoimento do ex-presidente em homenagem ao socialista Eduardo Campos, que morreu em um acidente aéreo na última quarta-feira (13).

Sob o mote “Mais Mudança, Mais Futuro”, no programa comandado pelo marqueteiro João Santana, Dilma ressaltará que o país passou pela crise econômica mantendo empregos e estabilidade, contradizendo críticas de “pessimistas”.

Leia aqui reportagem de Andréia Sadi sobre o assunto. 

Poder Roberta Namour Tue, 19 Aug 2014 05:07:48 +0000 http://www.brasil247.com/150543
Datafolha: Morte de Campos não mudou pesquisa http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150547 : Mauro Paulino, diretor-geral do Instituto Datafolha, afirma que a comoção gerada pela morte de Eduardo Campos teve impacto reduzido ou até nulo no desempenho de Marina Silva (PSB), que apareceu em sondagem na segunda posição, atrás de Dilma Rousseff e tecnicamente empatada com Aécio Neves: "Nada é inevitável. A gente acabou de ter uma reviravolta, mas, mesmo considerando que não mude muita coisa, é uma eleição que ainda está muito aberta" <br clear="all"> :

247 - O diretor-geral do Instituto Datafolha, Mauro Paulino, afirmou em entrevista na noite desta segunda-feira (18) ao "Roda Viva", da TV Cultura, que a comoção gerada pela morte de Eduardo Campos teve impacto reduzido ou até nulo no desempenho de Marina Silva (PSB) na recente pesquisa sobre os presidenciáveis.

Na primeira sondagem testada após a tragédia e com Marina Silva pelo PSB, a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição, obteve 36% das intenções de voto, contra 21% da ex-senadora e 20% do senador Aécio Neves (PSDB-MG). Na pesquisa anterior, realizada pelo Datafolha há um mês, Dilma tinha os mesmos 36%, Aécio, 22%, e Campos, 8%.

"Acredito que [o impacto da morte] foi muito pouco, talvez nenhum. Marina obteve percentual muito parecido com o que ela obteve em 2010 (18%) e próximo ao que ela obteve na pesquisa anterior (27%, em abril deste ano). A proporção de votos da Marina praticamente não alterou, o que nos leva a crer que isso (os 21%) é um capital eleitoral que ela tem", afirmou Paulino.

Ele diz que a eleição atual é muito peculiar, citando os protestos de 2013, a Copa do Mundo e agora a morte precoce de Campos. "Nada é inevitável. A gente acabou de ter uma reviravolta, mas, mesmo considerando que não mude muita coisa, é uma eleição que ainda está muito aberta", afirmou.

Poder Roberta Namour Tue, 19 Aug 2014 06:21:50 +0000 http://www.brasil247.com/150547
JB entra no circuito de palestras e pareceres http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/150546 Marcos Oliveira/Senado: O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, chega ao Senado para encontro com o presidente da Casa, Renan Calheiros, a fim de tratar sobre o Novo Código de Processo Civil Ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa volta ao país para ciclo de palestras remuneradas, a começar por um congresso internacional de shopping centers; posteriormente, pretende trabalhar na área jurídica, elaborando pareceres <br clear="all"> Marcos Oliveira/Senado: O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, chega ao Senado para encontro com o presidente da Casa, Renan Calheiros, a fim de tratar sobre o Novo Código de Processo Civil

247 – Após período de férias em Miami, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa volta ao país para um ciclo de palestras remuneradas, a começar por um congresso internacional de shopping centers.

Segundo a colunista Mônica Bergamo, JB deve proferir outras quatro na sequência, em Santa Catarina, agendadas pela ATA Palestras.

Posteriormente, o ex-magistrado pretende trabalhar na área jurídica, elaborando pareceres.

Nesta segunda-feira, o ministro Luís Roberto Barroso derrubou mais uma de suas decisões a frente da Corte na Ação Penal 470, que determinava leilão dos bens do empresário Marcos Valério (leia aqui).

Brasil Roberta Namour Tue, 19 Aug 2014 06:11:26 +0000 http://www.brasil247.com/150546
Feldman recusa acordo com Alckmin em SP http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/150549 : Porta-voz da Rede, Walter Feldman avisa que Marina Silva, que será anunciada a candidata do PSB à Presidência, não se associará ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) em São Paulo; a aliança foi fechada por Eduardo Campos e por Márcio França (PSB-SP): "Já tivemos a chapa Edualdo, mas a Marinaldo não vai existir", afirma <br clear="all"> :

247 – A Rede de Marina Silva começa a dar os primeiros sinais de rebeldia ao pré-acordo firmado com o PSB para lança-la como candidata à Presidência, como substituta de Eduardo Campos. 

Marina teria se comprometido a manter compromissos de Campos. No entanto, segundo o colunista Bernardo Mello Franco, o porta-voz da Rede, Walter Feldman, avisou que ela não se associará ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) em São Paulo.

A aliança foi fechada quando o tucano convidou Márcio França (PSB-SP) para assumir a vaga de vice de sua chapa pela reeleição: "Já tivemos a chapa Edualdo, mas a Marinaldo não vai existir", afirma.

SP 247 Roberta Namour Tue, 19 Aug 2014 06:47:35 +0000 http://www.brasil247.com/150549
TV Globo vai convidar Marina para o JN http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/150548 : Apontada como a nova candidata do PSB à Presidência, Marina Silva deve ser a próxima entrevistada de Wiliam Bonner e de Patrícia Poeta; um dia antes de morrer em um acidente de avião, o então presidenciável do partido, Eduardo Campos, usou o espaço no Jornal Nacional para lançar o slogan “Não vamos desistir do Brasil”, que deixaria de herança  <br clear="all"> :

247 – Segundo a colunista Mônica Bergamo, a TV Globo vai convidar Marina Silva para dar entrevista no "Jornal Nacional". A emissora, que faz rodada de conversa com presidenciáveis, espera apenas que a candidatura dela seja oficializada pelo PSB.

Um dia antes de morrer em um acidente de avião, o então presidenciável do partido, Eduardo Campos, usou o espaço no Jornal Nacional para lançar o slogan “Não vamos desistir do Brasil”, que deixaria de herança (leia mais).

Mídia Roberta Namour Tue, 19 Aug 2014 06:33:09 +0000 http://www.brasil247.com/150548
Noruega aponta avanço na conservação da Amazônia http://www.brasil247.com/pt/247/ecologia/150550 : Relatório da Agência Norueguesa de Cooperação para o Desenvolvimento mostra avanços do governo brasileiro na conservação da região amazônica; diz que o Brasil teve sucesso em evitar o desmatamento de 6.2 milhões de hectares entre 2007 e 2013, impedindo a emissão de três bilhões de toneladas de dióxido de carbono <br clear="all"> :

por Portal Brasil

Relatório da Agência Norueguesa de Cooperação para o Desenvolvimento (Norad, na sigla em inglês) mostra avanços do governo brasileiro na conservação da região amazônica. De acordo com o documento, divulgado nesta segunda-feira (18), houve uma forte queda na taxa de desmatamento do Brasil e nas emissões de gases-estufa do país.

Projetos financiados com dinheiro norueguês no Brasil estão "traçando o caminho para futuras reduções", afirma o relatório. Segundo a agência, o Brasil teve sucesso em evitar o desmatamento de 6.2 milhões de hectares entre 2007 e 2013, impedindo a emissão de três bilhões de toneladas de dióxido de carbono.

A Noruega é um dos principais parceiros do Brasil em projetos de conservação ambiental. Com economia fortemente lastreada pela produção de petróleo e gás, a Noruega investiu 10,3 bilhões de coroas (o equivalente a US$ 1,7 bilhão) entre 2008 e 2013 no combate ao desmatamento de regiões tropicais. Só o Brasil recebeu 720 milhões de dólares em apoio a programas ambientais.

O país nórdico atua em parcerias com o Ministério do Meio Ambiente, dentro do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em projetos que beneficiam populações que dependem da floresta para sobreviver.

Ecologia Roberta Namour Tue, 19 Aug 2014 06:50:42 +0000 http://www.brasil247.com/150550
Amaral: Renata não quer ser vice do PSB http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150541 : Presidente da sigla, Roberto Amaral disse que a viúva de Eduardo Campos não demonstrou interesse em ser candidata à vice-presidência ao lado de Marina Silva: "Ela jamais me disse dessa intenção"; ele disse que encara essa possibilidade como "especulação" e que esse tema só será definido depois que Marina for confirmada <br clear="all"> :

Reuters - O presidente do PSB, Roberto Amaral, disse nesta segunda-feira (18) que a mulher de Eduardo Campos, Renata, não demonstrou interesse em ser candidata à vice-presidência ao lado de Marina Silva, depois que seu marido morreu em um trágico acidente aéreo na quarta-feira (13).

"Ela jamais me disse dessa intenção (de concorrer como vice na chapa com Marina)", afirmou Amaral à Reuters nesta segunda, um dia após o funeral de Campos.

Amaral disse que encara essa possibilidade como "especulação" e que esse tema só será definido depois que Marina Silva for confirmada como nova candidata à Presidência pelo PSB. 

Segundo ele, até quarta-feira (27) o partido já terá tomado essa decisão e nesse momento está havendo um processo de consulta aos governadores do PSB, candidatos a governos estaduais da legenda e a partidos aliados para chegar à reunião da comissão executiva do partido sem divergências. "Essa decisão não passa de quarta", disse.

Campos, 49 anos, morreu quando o avião que voava caiu em Santos (SP) na manhã de quarta-feira. Apesar dos cuidados de Amaral para não formalizar a decisão antes da reunião da comissão executiva do partido, não há mais dúvidas no partido de que Marina será a candidata.

No sábado (16), o líder do PSB na Câmara, Beto Albuquerque (RS), disse à Reuters que Marina já havia sinalizado que assumiria a cabeça de chapa. 

Albuquerque, aliás, é o nome mais cotado para formar a dobradinha com Marina, já que o partido quer um nome que tenha ligação orgânica com a legenda, que defenda o legado de Campos e tenha proximidade com Marina --que entrou no PSB porque não conseguiu registrar seu partido, Rede Sustentabilidade a tempo de disputar as eleições neste ano. 

Mesmo antes de ser oficializada como candidata, Marina foi incluída numa pesquisa do Datafolha e apareceu em segundo lugar, em empate técnico com o candidato do PSDB, Aécio Neves, ela com 21% das intenções de voto e ele com 20%, diferença dentro da margem de erro da sondagem, de dois pontos percentuais. Dilma segue na liderança com 36%.

Na pesquisa anterior do Datafolha, Campos, então cabeça de chapa do PSB, tinha apenas 8% das intenções de voto.

 

Pernambuco 247 Roberta Namour Tue, 19 Aug 2014 06:39:16 +0000 http://www.brasil247.com/150541
Eleição deve correr sob signo da recessão http://www.brasil247.com/pt/247/economia/150316 : Boletim Focus, do BC, registra nesta segunda-feira 18 a 12ª queda consecutiva na previsão de crescimento da economia para 2014, agora de apenas 0.79%; forte elemento econômico se instala no campo político; após dois recúos do PIB, em maio e junho, Brasil pode estar cumprindo agora terceiro mês de ausência de crescimento; tecnicamente, está caracterizada a recessão; discurso dos candidatos de oposição Aécio Neves e, perto de ser indicada pelo PSB, Marina Silva, ganha nova sustentação; presidente Dilma Rousseff, mesmo vencendo a batalha contra a inflação e com folga na criação de empregos desde o início de seu mandato, vê novo flanco para ataques; na eleição mais surpreendente e dramática desde a redemocratização, economia volta a ser determinante <br clear="all"> :

247 – Uma palavra forte, capaz de esquentar o discurso da oposição e dominar manchetes econômicas vai entrando para ficar na eleição presidencial: recessão. Nesta segunda-feira 18, o Boletim Focus, do BC, apresentou queda, pela 12ª semana consetiva, na expecativa de crescimento da economia, do ponto de vista dos agentes do mercado financeiro. Desta vez, a mediana das projeções passou de 0,81%, apurada na semana passada, para 0,79%. 

Segundo dados divulgados na sexta-feira 15, pelo Banco Central, a atividade recuou 0,8% em maio sobre abril. Em junho, o resultado foi 1,48% abaixo do apurado em maio. Agora, em julho, caso haja nova redução, o Brasil estará, tecnicamente, em recessão. Na comparação entre junho deste ano e junho do ano passado, o recuo da economia foi ainda maior, de 2,68%. No acumulado do ano até agora há leve alta de 0,08%. 

Os reflexos da nova situação, caso não haja uma recuperação em julho, o que não é esperado pelos analistas, serão diretos na sucessão presidencial. Crítico de primeira hora da política econômica, Aécio Neves terá mais munição, pelo PSDB, para ressaltar a importância da troca de governo como única forma de devolver a confiança aos investidores. Perto de ser confirmada pelo PSB, Marina Silva poderá dizer, com renovada autoridade, que ela e Eduardo Campos sempre estiveram certos em romper com um projeto que estaria esgotado. Em diferentes setores da sociedade, quem apostou no fracasso poderá se sentir vitorioso. 

O momento também deve ser criticado duramente pelo presidenciável Aécio Neves, do PSDB. O partido carrega de primeira hora a bandeira da mudança na economia. Seu principal porta-voz neste campo, o ex-presidente do BC Armínio Fraga tem batido na tecla de que os investimentos só voltarão com força em caso de troca de governo. Agora, com a ultrapassagem ensaiada por Marina nas pesquisas de opinião, o discurso tucano tende a ser ainda mais agressivo durante o horário eleitoral gratuito.

A presidente Dilma Rousseff, porém, que naturalmente é quem tem mais a perder eleitoralmente com a maré vazante da economia, tem argumentos para assegurar que a situação é transitória. A economia esfriou, mas a inflação foi controlada. Essa era a pauta anterior da oposição, que, em meio a manobras ousadas do Banco Central no câmbio e nos juros, foi, a rigor, resolvida. O índice de preços está dentro da meta pactuada com o Congresso, e mesmo é declinante nas projeções para até o final do ano.

Dilma pode dizer que o Brasil teve uma “soft landing”, a aterrissagem suave, mas, na prática, situações como recuo, no primeiro semestre, de 7,6% nas vendas de veículos, levou a crise para a indústria automobilística. Uma série de artifícios como férias coletivas e interrupção por tempo determinado das linhas de produção está em curso para evitar demissões mais amplas. No setor de construção civil, por outro lado, o saldo de criação de empregos até é maio é positivo em 1,13% sobre o ano passado. Nada muito espetacular.

O Japão experimentou, no mês passado, um recuo de 6% em sua atividade econômica. Um verdadeiro crash. No Brasil, mesmo que se entre  vagarosamente na recessão, isso será o de menor importância. Nesta campanha presidencial mais marcante e surpreendente dos últimos 25 anos, desde Collor X Lula, em 1989, será um fator decisivo.

Abaixo, notícia da agência Reuters: 

Por Camila Moreira

SÃO PAULO (Reuters) - A economia brasileira recuou 1,20 por cento no segundo trimestre sobre o primeiro, ao cair 1,48 por cento em junho sobre maio, indicando que a economia brasileira pode ter entrado em recessão no primeiro semestre do ano e sem perspectivas de recuperação com vigor em breve.

No primeiro trimestre, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) recuou 0,02 por cento em relação aos três meses anteriores, número revisado nesta sexta-feira, de alta de 0,03 por cento informada antes.

Ao mostrar dois trimestres seguidos de contração, a economia entra em recessão técnica. O resultado de junho veio pior do que o esperado em pesquisa Reuters, cujas projeções indicavam recuo mensal de 1,30 por cento.

A queda de junho do indicador --considerado espécie de sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB)-- foi a quinta seguida na comparação mensal, com contrações de 0,8 e 0,01 por cento em maio e em abril, respectivamente. Foi também o pior resultado mensal desde maio do ano passado.

Logo após a divulgação, o diretor de Política Econômica do BC, Carlos Hamilton de Araújo, buscou evitar conexão direta entre o IBC-Br e o PIB, afirmando que "não é correto afirmar, nem informar, com base no IBC-Br, que a variação do PIB foi negativa no segundo trimestre".

Participando de evento em São Paulo, ele destacou que a projeção do BC para o PIB é a que consta do Relatório de Inflação, de expansão de 1,6 por cento para 2014. O mesmo vale para as contas sobre a inflação.

INDÚSTRIA E VAREJO

O IBC-Br é mais uma indicação de perda de força da economia brasileira no segundo trimestre, já reforçada pelos resultados do varejo e da indústria que, respectivamente, recuaram 2 e 0,6 por cento sobre o primeiro trimestre.

Em junho destacadamente notaram-se os efeitos negativos da Copa do Mundo sobre ambos os setores, devido à redução de dias úteis e fechamento do comércio.

"O fato é que a economia já vinha em processo acentuado de enfraquecimento nos últimos meses e, sobre esses fatores, somaram-se as paralisações e feriados por conta da Copa", disse o diretor de pesquisa econômica da GO Associados, Fabio Silveira. "A Copa foi o tiro de misericórdia".

As expectativas dos especialistas, ouvidos em pesquisa Focus do BC, são de que o PIB crescerá apenas 0,81 por cento em 2014, bem aquém dos 2,5 por cento vistos em 2013. O cenário deste ano, em que a presidente Dilma Rousseff busca a reeleição, também envolve inflação e juros elevados, além de baixa confiança dos agentes econômicos.

Os dados oficiais do IBGE são de que o PIB cresceu apenas 0,2 por cento no primeiro trimestre sobre os últimos três meses de 2013. Mas boa parte dos analistas não descarta a possibilidade de que esse número seja revisado para mostrar contração com a divulgação do resultado do PIB do segundo trimestre, marcada para o próximo dia 29.

"Temos uma situação que mostra estrangulamento da capacidade produtiva, e não conseguimos ver à frente melhora muito rápida porque precisaria haver mais investimentos", disse o economista sênior do Espírito Santo Investment Bank, Flávio Serrano.

Para ele, o segundo trimestre deve ter queda de 0,1 por cento sobre os três meses anteriores e o dado do primeiro trimestre seria revisado para zero, embora não descarte números piores.

O IBC-Br de junho teve queda de 2,68 por cento na comparação com igual período de 2013 e acumula alta de 1,41 por cento em 12 meses, ainda segundo dados dessazonalizados.

Economia Aline Lima Mon, 18 Aug 2014 17:13:52 +0000 http://www.brasil247.com/150316
PT-SP aciona TRE para Padilha ter cobertura da Globo http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/150501 : Diretório paulista do partido entrou com representação no TRE-SP com pedido de liminar contra a emissora, que decidiu não veicular a agenda do candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, em seu noticiário, transmitindo apenas as atividades dos primeiros colocados nas pesquisas, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o candidato do PMDB, Paulo Skaf <br clear="all"> :

SP 247 – O PT paulista acionou a Justiça eleitoral contra a Globo, para tentar fazer com que o candidato do partido ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, também tenha sua agenda divulgada nos noticiários da emissora.

A TV decidiu que cobriria apenas as atividades de candidatos que tivessem acima de 6% das intenções de voto nas pesquisas eleitorais. O ex-ministro da Saúde registra 5% da preferência do eleitorado, segundo a última pesquisa Datafolha.

Representantes petistas foram até a emissora tentar uma negociação para obter a cobertura diária do candidato nos jornais, mas a empresa dos Marinho foi irredutível.

O PT então entrou nesta segunda-feira com um pedido de liminar no TRE-SP contra a Globo, alegando que a emissora descumpriu com os critérios de isonomia e de garantia de oportunidade igualitária a todos os candidatos. Leia abaixo nota assinada pelo presidente do PT-SP, Emídio de Souza:

PT-SP aciona TRE para garantir cobertura da TV Globo a Padilha

O PT-SP ingressou com representação com pedido de liminar no TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) contra a TV Globo pela decisão da emissora de não veicular diariamente nos seus noticiários a agenda de campanha de Alexandre Padilha, mantendo apenas divulgação dos dois primeiros colocados candidatos ao governo do Estado de São Paulo.

Na peça, o PT-SP argumenta que a emissora descumpre com os critérios de isonomia e de garantia de oportunidade igualitária a todos os candidatos e que "como se sabe, dos veículos de comunicação social, o rádio e a televisão são os que mais abrangem aos domicílios brasileiros, operam sob o regime de concessão conferido pelo poder público federal. Estando seus bens afetos à realização de finalidade pública, não podem, até por isso, ser usados para beneficiar esse ou aquele candidato, essa ou aquela candidatura; devendo pautar sua atuação durante as eleições pela imparcialidade".

Em 2012 a TV Globo também tentou limitar a participação de postulantes à Prefeitura de São Paulo e a Justiça julgou que todos os candidatos teriam o mesmo direito à cobertura diária da emissora.

A liminar pede que a emissora representada abra espaço diariamente em sua programação normal para todos os candidatos ao cargo de Governador do Estado de São Paulo ou se abstenha de cobrir a agenda de qualquer um deles, sob pena de sofrer com todas as sanções advindas pela pratica de tal conduta, tendente.

Emidio de Souza, presidente PT-SP

SP 247 Gisele Federicce Mon, 18 Aug 2014 17:01:47 +0000 http://www.brasil247.com/150501
Renata não cita Marina e se coloca à disposição do PSB http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150486 Fernando Frazão/ Agência Brasil: Viúva de Eduardo Campos rompe silêncio em evento convocado por ela, com lideranças e militância da coligação Frente Popular de Pernambuco; acompanhada dos cinco filhos, Renata Campos prometeu não "desistir" do Brasil, como pediu o candidato em entrevista ao Jornal Nacional, um dia antes de morrer; "Fica tranquilo, Dudu, teremos a sua coragem para mudar o Brasil", disse; "Como participei a vida toda [da política], não terá diferença dessa vez. Tenho a sensação que tenho de participar por dois. Contem com a gente", acrescentou, sem citar o nome de Marina Silva, principal cotada a ser candidata a presidente; ontem, Renata e os filhos fizeram as últimas homenagens durante o sepultamento de Campos <br clear="all"> Fernando Frazão/ Agência Brasil:

247 – Em um discurso curto e sem citar uma só vez o nome de Marina Silva, provável candidata do PSB à Presidência da República, a viúva de Eduardo Campos, Renata, se colocou hoje à disposição do partido. "Tenho a sensação que tenho de participar por dois. Contem com a gente", disse, cercada pelos filhos na casa de eventos Blue Angel, no bairro do Derby, no Recife.

O encontro foi convocado pela própria Renata para reunir lideranças e a militância de todos os partidos da coligação Frente Popular de Pernambuco, que lançaria Eduardo à presidência. Na primeira fala após a morte do marido, ela prometeu não "desistir" do Brasil, como pediu o candidato um dia antes de morrer, em entrevista ao Jornal Nacional. "Fica tranquilo, Dudu, teremos a sua coragem para mudar o Brasil. Não desistiremos do Brasil. É aqui que cuidaremos dos nossos filhos", discursou.

Renata Campos também estava acompanhada do candidato do PSB ao governo de Pernambuco, Paulo Câmara, e o candidato a vice, Raul Henry, além do ex-ministro Fernando Bezerra Coelho, que disputa uma vaga no Senado.

"Depois da tragédia, lembro que perguntaram: 'O que faremos?'", disse Renata. "Mantém tudo como ele queria!", prosseguiu. "Como participei a vida toda [da política], não terá diferença dessa vez. Tenho a sensação que tenho de participar por dois. Foi da vontade dele de eleger Paulo, Raul e Fernando", afirmou. "Estou aqui com meus filhos para dizer que Paulo, Raul e Fernando contem com a gente".

Cotada a participar da chapa com Marina, a viúva de Campos foi recebida pela militância aos gritos de "vice-presidente". Segundo o irmão de Eduardo, Antônio Campos, ela tem resistido à ideia. Ontem, Renata e os cinco filhos fizeram as últimas homenagens a Eduardo Campos no cemitério de Santo Amaro, no Recife. Passaram pelo velório e sepultamento, ao longo da madrugada do sábado e de todo o domingo, cerca de 140 mil pessoas, segundo a polícia.

Abaixo, reportagem da Agência Brasil sobre o evento:

"Tenho que participar da campanha por dois", diz viúva de Eduardo Campos

Ivan Richard, enviado especial - Ao falar publicamente pela primeira vez desde a morte do marido Eduardo Campos, a viúva Renata Campos disse hoje (18), no Recife, que a partir de agora dará prosseguimento aos sonhos e projetos do ex-governador pernambucano. "Participei a vida inteira de campanha, não será diferente com esta. Com uma diferença: tenho que participar por dois", disse Renata, apontada como possível candidata à vice na chapa do PSB na disputa à Presidência. "Depois de todos esses anos sabendo que muitas coisas precisam ser feitas ainda, precisamos garantir essa vitória para esse sonho ir adiante", acrescentou Renata, acompanhada de três dos cinco filhos.

O presidente da sigla, Roberto Amaral, disse que, com a morte de Eduardo Campos, Renata passou a ser "a grande liderança do PSB". "Depois de Arraes e de Eduardo, nosso partido tem uma nova liderança. Essa liderança magnífica que é a alma do nosso partido, das nossas entranhas, que representa o povo brasileiro. A grande liderança do partido é Renata Campos", discursou. "Quem olhar para Renata verá Eduardo comandando a campanha", acrescentou o presidente do partido. "A maior prova de amor por Eduardo será fazer o que ele desejava, que era eleger o novo presidente do Brasil e o novo governador de Pernambuco".

Aparentando timidez, Renata optou por ler um discurso previamente pronto. Agradeceu o apoio e as manifestações de carinho dos pernambucanos e ordenou aos correligionários que mantenham "tudo como Eduardo deixou".

Em evento de campanha para o governo de Pernambuco, várias lideranças do PSB usaram a morte de Eduardo Campos como mote eleitoral do partido. "Nosso líder, nosso guerreiro não morreu. Ele está vivo nos nossos corações", discursou Fernando Bezerra Coelho, candidato ao Senado pelo PSB. "A partir de agora, quem não está com Paulo Câmara não está com Eduardo Campos", acrescentou o próprio Paulo Câmara, candidato do PSB ao governo do estado.

No último final de semana, o presidente do PSB antecipou que o primeiro programa eleitoral do partido na televisão e no rádio, que começa a ser veiculado amanhã, será "plástico" em homenagem à memória do ex-presidenciável, que morreu no último dia 13, em um acidente aéreo na cidade de Santos, em São Paulo.

Pernambuco 247 Gisele Federicce Mon, 18 Aug 2014 15:03:00 +0000 http://www.brasil247.com/150486
PML: Marina é terceira via ou linha auxiliar tucana? http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150471 : Enfeitar a virtual candidata Marina Silva com adereços que a façam parecer uma 'terceira via' cria uma ilusão: a de que a ex-ministra marca uma posição equidistante entre o PT, de Dilma Rousseff, e o PSDB, de Aécio Neves; isso não corresponde aos fatos; a nova concorrente, a ser anunciada nos próximos dias pelo PSB, pode até tomar o lugar que Aécio sonha ocupar num possível segundo turno, mas mesmo assim continuará bem mais próxima do ideário tucano do que de seu passado petista; a candidatura de Marina também atende o desejo do PSDB, na frente política, de tirar o PT do poder, além de preencher a área econômica com seus quadros; "Não temos três vias, mas duas contra uma", demonstra o diretor do 247 em Brasília, Paulo Moreira Leite; "Este é o ponto" <br clear="all"> :

247 – Imaginar que a virtual candidata do PSB a presidente, Marina Silva, represente uma "terceira via" na eleição, quebrando a polarização PT-PSDB, é uma fantasia que leva ao erro. A ex-ministra vai cumprir, sim, o papel de "linha auxiliar" do projeto tucano de, no campo político, bater o PT da maneira como for possível.

- Para ser uma verdadeira "terceira" opção entre dois pólos, seria preciso imaginar Marina numa posição equidistante entre PT e PSDB. É claro que isso está longe de acontecer. Com ela, o PSB pode até pegar o lugar de Aécio Neves num eventual segundo turno mas estará cada vez mais perto do PSDB, registra, em seu blog, o diretor do 247 em Brasília, Paulo Moreira Leite.

- Não temos três vias. Mas 2 vias contra 1, crava ele.

PML dá bastidores da saída de Marina do governo Lula e do PT, em 2008, para ilustrar as divergências frontais da ex-ministra com a atuação dos governos do partido, agora com Dilma Rousseff à frente. Nítida e real, a polarização da disputa de 2014 “ajuda o eleitor a participar de uma eleição que não é um concurso de personalidades nem torneio de retóricas belas e vazias — mas uma disputa em torno de prioridades e interesses profundos”.

Confira a íntegra desta reflexão em Marina Silva e o mito da terceira via

Poder Marco Damiani Mon, 18 Aug 2014 12:26:52 +0000 http://www.brasil247.com/150471
Datafolha: Aécio diz que “já antevia” segundo turno http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/150479 Alan Marques/0621 FOLHAPRESS: BRAS�LIA, DF, BRASIL, 26-04-2012, 12h30: Fernando Rodrigues entrevista o senador Aecio Neves. O programa � uma realiza��o em parceria da Folha de S.Paulo, do portal UOL e da Folha.com. O programa � sempre gravado aqui no est�dio do Grupo Folha em Bras�lia Presidenciável tucano afirma que "ficou claro", com a pesquisa eleitoral divulgada nesta segunda-feira 18, que haverá segundo turno nas eleições de outubro; "Ficou claro nessa pesquisa e eu já antevia isso, que vamos ter segundo turno. O segundo turno era uma perspectiva cada vez mais provável, e hoje é uma certeza", declarou Aécio Neves (PSDB), durante coletiva no Rio de Janeiro, onde visitou nesta manhã a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro Santa Marta; tucano também disse ter "certeza" de que estará no segundo turno <br clear="all"> Alan Marques/0621 FOLHAPRESS: BRAS�LIA, DF, BRASIL, 26-04-2012, 12h30: Fernando Rodrigues entrevista o senador Aecio Neves. O programa � uma realiza��o em parceria da Folha de S.Paulo, do portal UOL e da Folha.com. O programa � sempre gravado aqui no est�dio do Grupo Folha em Bras�lia

247 – O candidato do PSDB à Presidência da República, senador Aécio Neves (MG), afirmou nesta segunda-feira 18, ao comentar pesquisa Datafolha, que "ficou claro" que haverá segundo turno nas eleições de outubro, algo que ele "já antevia".

"Ficou claro nessa pesquisa e eu já antevia isso, que vamos ter segundo turno. O segundo turno era uma perspectiva cada vez mais provável, e hoje é uma certeza", disse o tucano, durante coletiva de imprensa no Rio de Janeiro, onde visitou a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro Santa Marta, na Zona Sul.

Pesquisa eleitoral divulgada hoje apontou a presidente Dilma Rousseff (PT) com 36% das intenções de voto, seguida de Marina Silva, provável candidata do PSB, com 21%, e de Aécio, que empata tecnicamente com a ex-senadora ao registrar 20% da preferência do eleitorado (leia aqui).

Sobre o fato de estar a apenas um ponto percentual de Marina Silva, o tucano afirmou que a mudança no quadro eleitoral, com a morte do candidato Eduardo Campos e a entrada de Marina na disputa, "já reflete" na mostra. "É claro que há uma mudança no quadro eleitoral e já reflete nas pesquisas. O que não muda é a nossa determinação e convicção de que temos o melhor projeto para o Brasil", afirmou.

O tucano acrescentou, no entanto, que o que não muda é a "determinação" e a "convicção" do PSDB de que tem o "melhor projeto para o Brasil". "Tenho muita confiança que estaremos no segundo turno e, do segundo turno, estaremos prontos para vencer as eleições", afirmou o presidenciável.

Rio 247 Gisele Federicce Mon, 18 Aug 2014 13:13:53 +0000 http://www.brasil247.com/150479
Kennedy: PSDB deve apoiar Marina em eventuais 2º turno e governo http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/150477 : Jornalista afirma que "PT e PSDB ensaiam uma desconstrução da virtual candidata do PSB ao Palácio do Planalto"; segundo ele, "se Marina for para o segundo turno, o PSDB deverá apoiá-la contra a presidente Dilma Rousseff (PT)"; e se a ex-senadora vencer a disputa, "os tucanos tendem a hipotecar apoio a ela no Congresso", avalia Kennedy Alencar <br clear="all"> :

247 - Os tucanos devem apoiar a provável candidata do PSB à presidência, Marina Silva, em um eventual segundo turno e caso ela vença as eleições. A análise é do jornalista Kennedy Alencar. Ele resgata declaração do ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso, que em novembro passado, afirmou que não seria uma "tragédia" se o PSB, então com Eduardo Campos, tomasse o lugar do PSDB na polarização com o PT. Leia abaixo artigo publicado em seu blog:

PSDB deve apoiar Marina em eventuais 2º turno e governo

KENNEDY ALENCAR
Brasília

Com maior tempo de TV e rádio e com máquinas partidárias mais robustas, PT e PSDB ensaiam uma desconstrução da virtual candidata do PSB ao Palácio do Planalto, Marina Silva. Será uma missão dura.

Se Marina for para o segundo turno, o PSDB deverá apoiá-la contra a presidente Dilma Rousseff (PT), que, de acordo com as pesquisas atuais, parece ter assegurada uma das duas vagas. Se Marina vencer a disputa, os tucanos tendem a hipotecar apoio a ela no Congresso.

Em novembro passado, numa entrevista ao blog, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso comentou a possibilidade de o PSB, então ancorado no projeto presidencial de Eduardo Campos, tomar o lugar do PSDB na polarização com o PT. Eis a resposta: "Não acredito nessa possibilidade, mas, se ela ocorrer, não será nenhuma tragédia".

Na época, o tucano priorizava a saída de Dilma da Presidência. "O que eu acho é que temos de ter alternância de poder. O PT está há muito tempo no poder", disse FHC. E emendou: "[Eduardo Campos] tem de se encorpar. Se ele não encorpar, não teremos segundo turno".

Enquanto foi candidato, Campos não conseguiu crescer a ponto de garantir uma segunda etapa. A pesquisa Datafolha desta segunda-feira mostra que Marina aumenta consideravelmente a chance de haver segundo turno.

No domingo, durante o velório de Campos, já se ouvia aliados de Aécio vaticinando que Marina subiria no Datafolha por causa da comoção e que o tucano voltaria a liderar a oposição ao se vender como "mudança com segurança".

Petistas avaliavam que o imenso tempo de TV e rádio de Dilma na propaganda política que começará nesta terça permitiria ao partido melhorar a avaliação do governo federal e, por consequência, a intenção de voto da candidata. O sentimento mundancista de mais de dois terços do eleitorado pode ser fatal para a petista num confronto com Marina.

Há obstáculos evidentes para Marina. As contradições do PSB que existiam com Eduardo Campos continuam aí com ela. São reais as resistências do agronegócio e de empresários de infraestrutura, mas esses setores não decidem a eleição.

Falar em nova política aliada a representantes da velha política é contraditório. No entanto, apesar de ser uma política com experiência tradicional, porque foi ministra e senadora, ela transmite a imagem de antipolítica. Marina atende aos anseios de uma parcela que participou das manifestações de junho e julho. Tem maior apoio espontâneo nas redes sociais do que Dilma e Aécio.

Se as próximas pesquisas mantiverem Marina à frente de Aécio, poderá haver uma onda de voto útil para atender ao desejo que FHC manifestou em novembro. Os tucanos poderão ceder apoio político na segunda etapa e fornecer quadros para um eventual mandato.

Rumo ao PSB, haverá uma romaria daqueles políticos dispostos a apoiar qualquer governo. Um inchaço da legenda socialista seria provável, enquanto Marina criaria a Rede para continuar a entoar, digamos assim, a bandeira de maior pureza política.

Será um erro PT e PSDB subestimarem Marina Silva, apostando na vantagem que terão no horário eleitoral gratuito.

Mídia Gisele Federicce Mon, 18 Aug 2014 13:03:03 +0000 http://www.brasil247.com/150477
Mendonção vê Marina como espécie de Plano B tucano http://www.brasil247.com/pt/247/economia/150454 : Voz poderosa na formulação econômica do PSDB, Luiz Carlos Mendonça de Barros aposta que um eventual governo Marina Silva contaria com quadros tucanos na economia, como André Lara Resende e Eduardo Giannetti da Fonseca; ex-ministro do governo FHC, ele projeta que a virtual candidata do PSB, em substituição a Eduardo Campos, "deverá seguir esta cartilha (trazer inflação para a meta, realinhamento de preços administrados, disciplina fiscal, etc...)"; Mendonção, como é conhecido, prevê que a ex-ministra do Meio Ambinete teria "dificuldade de diálogo com o establishment político", mas, ao mesmo tempo, acredita que "diversos quadros de melhor qualidade, assim como o próprio PSDB, se aliariam a Marina e ao PSB para lhe dar suporte no Congresso"; tucanos constróem plano B <br clear="all"> :

247 – Uma das estrelas do comando econômico do PSDB, Luiz Carlos Mendonça de Barros enxerga um eventual governo de Marina Silva, que deve ser oficializada candidata a presidente pelo PSB até a quarta-feira 20, como uma espécie de Plano B tucano, caso o candidato do partido, senador Aécio Neves, não vença as eleições.

Em um texto publicado em sua página no Facebook, o economista, que foi ministro do Desenvolvimento e presidente do BNDES no governo de Fernando Henrique Cardoso, aposta que Marina contaria com quadros tucanos para administrar a economia.

"Marina buscou advisory (assessoria) de economistas como André Lara Resende e Eduardo Gianetti da Fonseca no ciclo eleitoral anterior, e deverá seguir esta cartilha (trazer inflação para a meta, realinhamento de preços administrados, disciplina fiscal, etc...)", registrou Mendonção, como também é chamado.

O economista afirma ainda acreditar que os tucanos chegariam a se aliar a Marina e ao PSB para formar base no Congresso, diante de um receio de "dificuldade de diálogo com o establishment político".

- Opinião consensual é que diversos quadros de melhor qualidade, assim como o próprio PSDB, se aliariam a Marina e ao PSB para lhe dar suporte no Congresso, ressalta.

- Esta visão suportaria uma percepção mais favorável do balanço de riscos depois da tragédia que alterou o quadro eleitoral, opina, por fim, o conselheiro tucano, referindo-se ao acidente que matou o presidenciável Eduardo Campos, do PSB.

Leia abaixo a íntegra do post econômico de Mendonça de Barros:

Percepções a respeito de um eventual Governo Marina Silva

• Gestão econômica muito mais ortodoxa e pró-mercado que Dilma. Marina buscou advisory de economistas como André Lara Resende e Eduardo Gianetti da Fonseca no ciclo eleitoral anterior, e deverá seguir esta cartilha (trazer inflação para a meta, realinhamento de preços administrados, disciplina fiscal, etc...);
• Risco é a falta de base política e a dificuldade de diálogo com o establishment politico;
• Receio é a repetição do Governo Collor (não na questão ética, pelo contrário, mas na falta de diálogo/ base no Congresso);
• Opinião consensual é que diversos quadros de melhor qualidade, assim como o próprio PSDB, se aliariam a Marina e ao PSB para lhe dar suporte no Congresso. O Governo Itamar Franco (que FHC integrou) passa a ser o modelo de referência, e não o Governo Collor. As forças mais arejadas de toda a sociedade ajudariam este Governo para selar a remoção do PT do poder.

Esta visão suportaria uma percepção mais favorável do balanço de riscos depois da tragédia que alterou o quadro eleitoral. Nesta análise não se faz prognóstico das chances de cada candidato, mas tão somente do risco Marina.

Luiz Carlos Mendonça de Barros

Economia Gisele Federicce Mon, 18 Aug 2014 10:42:28 +0000 http://www.brasil247.com/150454
"PSB não tomará decisão com base em pesquisas" http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150463 : roberto amaral Presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, taxou de "idiotas" as especulações de que teria resistências contra o nome da ex-senadora Marina Silva como candidata no lugar de Eduardo Campos; "Não tomamos decisão em função de pesquisa. Respeito muito os institutos, mas escolhemos nossos candidatos em função dos seus perfis", disse nesta segunda-feira; segundo ele, qualquer decisão passará por Renata Campos e Marina; Datafolha de hoje apontou Marina com 21%, empatada tecnicamente com Aécio Neves (PSDB); presidente Dilma Rousseff (PT) tem 36% <br clear="all"> : roberto amaral

Pernambuco 247 - O presidente Nacional do PSB, Roberto Amaral, disse, nesta segunda-feira (18), no Recife, que o partido não tomará nenhuma decisão acerca da chapa presidencial, que será alterada em função da morte de Eduardo Campos, tendo como base pesquisas de intenção de voto.

De acordo com pesquisa divulgada nesta segunda-feira pelo Datafolha, Marina Silva, que era vice na chapa socialista, aparece com 21% da preferência do eleitorado, estando empatada tecnicamente com o senador mineiro Aécio Neves (PSDB). A presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, tem 36%. Amaral voltou a afirmar que a viúva de Campos, Renata Campos, pode ser candidata ao que quiser e taxou de "idiotas" as especulações de que teria resistências contra o nome da ex-senadora.

"Não tomamos decisão em função de pesquisa. Respeito muito os institutos, mas escolhemos nossos candidatos em função dos seus perfis. Nós temos um projeto que quer combater a injustiça social", ressaltou Amaral. Sobre a pesquisa Datafolha, o dirigente foi enfático. "Os números que nós tínhamos há pouco, antes da tragédia, eram diferentes desses, e nós tínhamos a mesma esperança que temos hoje da vitória", disse.

Sobre uma possível resistência sua ao nome de Marina Silva encabeçar a chapa socialista, Amaral atacou "Isso só pode ter partido de um idiota. O PT não procurou para aproximação. Meu pai dizia: 'o boi só fura a cerca que conhece'. Quem vai dizer o melhor nome é a comissão nacional", disparou.

Segundo ele, o partido só tomará uma decisão sobre o assunto na próxima quarta-feira (20), após uma reunião da Executiva Nacional, em Brasília. "Na quarta-feira vamos decidir todos os pontos presentes do partido, qual a melhor maneira de manter viva essa mensagem que Eduardo deixou, mas não abandonar o país. Não deixaremos o país", afirmou. Ele também negou ter preferência por algum nome específico para ocupar a vaga de vice.

Abaixo, reportagem da Agência Brasil em que Amaral afirma que qualquer decisão do partido passará por Renata Campos e Marina Silva: 

Qualquer decisão passará por Renata e Marina, diz presidente nacional do PSB

Ivan Richard, enviado Especial - O presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, disse há pouco, em reunião do partido no Recife, que qualquer decisão da sigla sobre o nome que substituirá Eduardo Campos na disputa à Presidência passará por Renata Campos, viúva do ex-presidenciável, e por Mariana Silva, vice na chapa Unidos pelo Brasil.

"Vamos conversar com os cinco partido e depois vamos conversar com a Marina e com a Renata para tomarmos nossa decisão", disse Amaral.

O presidente do PSB de Pernambuco, Celino Guedes, destacou que Eduardo Campos morreu fazendo política. "Então, com certeza, ele iria querer que continuássemos a campanha", disse ao responder se é cedo para tal discussão.

Sobre especulações de que Renata pudesse integrar a chapa como vice de Marina, Amaral disse que a viúva de Campos "pode ser o que ela quiser", mas que o partido aguarda uma posição dela. "Não posso dizer nada antes de conversar com ela e respeitá-la. É uma mulher que vocês estão vendo, que se supera com as dificuldades". Renata Campos é filiada ao PSB de Pernambuco.

Um dia após o enterro do ex-governador de Pernambuco, o PSB no estado decidiu pormover uma reunião hoje, que havia sido convocada por Eduardo. Segundo Amaral, a própria viúva pediu a manutenção do encontro para tratar de questões estaduais, como forma de mostrar unidade em torno do nome de Paulo Câmara na disputa pelo Palácio do Campo das Princesas.

O presidente do PSB voltou a dizer que o substituto de Campos deve ter o compromisso com os ideais dele e com o combate às desigualdades sociais.

Pernambuco 247 Paulo Emílio Mon, 18 Aug 2014 11:38:12 +0000 http://www.brasil247.com/150463
Marina: "essas coisas acontecem em nome de algo maior" http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/150449 : Sem evitar discurso messiânico, a provável candidata à presidência Marina Silva volta a falar de Deus ao comentar por que não estava no avião que caiu em Santos e causou a morte de Eduardo Campos; "Essas coisas não acontecem por acaso, mas sim em nome de algo maior", desabafou neste domingo, durante o velório do ex-governador de Pernambuco, ao ex-ministro Ciro Gomes, que não respondeu; ela o olhou nos olhos e acrescentou: "Tenho saudade do Ciro que me ajudou" <br clear="all"> :

247 – Depois de atribuir sua ausência no avião que caiu em Santos na última quarta-feira 13, causando a morte de Eduardo Campos, à "mão de Deus", a provável candidata a presidente Marina Silva afirmou, durante o velório do ex-governador de Pernambuco neste domingo, que "essas coisas não acontecem por acaso".

"Essas coisas não acontecem por acaso, mas sim em nome de algo maior", desabafou ao ex-ministro Ciro Gomes, na cerimônia que aconteceu no Recife. Segundo relatos do jornal Valor Econômico, seu interlocutor não respondeu. Ela o olhou nos olhos e acrescentou: "tenho saudade do Ciro que me ajudou".

Marina, que é evangélica – frequenta a Assembleia de Deus – não tem evitado o discurso messiânico para justificar por que não morreu junto com Campos. A declaração pode significar que a ex-senadora tem encarado o choque da morte do ex-companheiro de chapa como parte da missão que acredita que deva cumprir a partir de agora.

Brasil Gisele Federicce Mon, 18 Aug 2014 09:57:11 +0000 http://www.brasil247.com/150449
Latuff: Brasil e EUA têm em comum a "violência policial" http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/150443 : Cartunista Carlos Latuff traz à tona o caso do jovem negro que foi morto por um policial branco em Ferguson, no estado americano de Missouri; violência policial é problema comum entre os dois países <br clear="all"> :

Mundo Gisele Federicce Mon, 18 Aug 2014 09:22:08 +0000 http://www.brasil247.com/150443
Datafolha: Marina empata com Dilma no 2° turno http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150420 : Candidata substituta de Eduardo Campos pelo PSB, Marina Silva obtém 21% das intenções de voto na pesquisa realizada após a morte do ex-governador e ultrapassada o tucano Aécio Neves, que marcou 20%; presidente Dilma tem 36%; na simulação de segundo turno, a ex-senadora fica numericamente à frente de Dilma, com 47% contra 43% – resultado é considerado empate técnico diante da margem de erro de dois pontos para mais ou para menos; já contra Aécio, Dilma venceria na segunda fase por 47% a 39% <br clear="all"> :

SÃO PAULO (Reuters) - A ex-senadora Marina Silva apareceu em empate técnico na corrida presidencial com Aécio Neves (PSDB) no primeiro turno e com Dilma Rousseff (PT) no segundo turno, nas duas situações à frente dos adversários dentro da margem de erro, mostrou a primeira pesquisa eleitoral após a trágica morte do candidato Eduardo Campos (PSB).

Segundo o Datafolha, Marina, que deve ser confirmada candidata do PSB à Presidência da República nesta semana, aparece na disputa com 21 por cento das intenções de voto, acima dos 20 por cento de Aécio e atrás de Dilma, com 36 por cento.

Já na simulação de segundo turno, Marina fica numericamente à frente de Dilma, com 47 por cento das intenções de voto contra 43 por cento da presidente que busca a reeleição.

No primeiro turno contra Aécio e no segundo contra Dilma, trata-se de uma situação de empate técnico, já que a margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

De acordo com o Datafolha, em um segundo turno entre Dilma e Aécio, a presidente venceria por 47 por cento a 39 por cento, o que representa uma vantagem da petista sobre a sondagem anterior em julho, que mostrava 44 por cento a 40 por cento, com empate técnico naquela ocasião dentro da margem de erro.

Os números do Datafolha afastam a hipótese de conclusão da eleição presidencial no primeiro turno, porque Marina tem quase três vezes as intenções de voto de Campos, que aparecia com 8 por cento, com a ex-senadora atraindo eleitores que antes se diziam sem candidato.

O presidenciável do PSB morreu na última quarta-feira, dia 13, em um acidente de avião no litoral de São Paulo. A morte repentina de Campos colocou Marina, sua vice na chapa, como nome natural a assumir a candidatura pelo PSB.

A entrada da ex-senadora na corrida presidencial não tira votos dos dois principais adversários: Dilma aparecia com os mesmos 36 por cento e Aécio com 20 por cento na pesquisa anterior feita pelo Datafolha.

As intenções de voto nulo ou em branco caíram de 13 por cento na pesquisa anterior para 8 por cento, enquanto os indecisos recuaram de 14 por cento para 9 por cento agora, disse o Datafolha.

O Datafolha ouviu 2.843 eleitores em 176 municípios em 14 e 15 de agosto. Números da pesquisa foram disponibilizados em reportagem no site do jornal Folha de S. Paulo na madrugada desta segunda-feira.

(Por Cesar Bianconi)

Poder Roberta Namour Mon, 18 Aug 2014 03:39:48 +0000 http://www.brasil247.com/150420
Aprovação ao governo Dilma sobe 6 pontos http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150427 : Brasília - DF, 09/07/2014. Presidenta Dilma Rousseff durante entrevista para a rede de TV CNN. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR Segundo pesquisa Datafolha, 38% classificam a administração da presidente Dilma Rousseff como boa ou ótima; após a Copa do Mundo, porcentagem era de 32%; reprovação diminuiu também seis pontos: para 23%, governo é ruim ou péssimo; 38% consideram gestão regular; a região do Norte passou o Nordeste como área de maior aprovação ao governo; melhora na avaliação é sentida em todos os segmentos do eleitorado, com exceção do grupo dos mais ricos, que oscilou 1% para baixo <br clear="all"> : Brasília - DF, 09/07/2014. Presidenta Dilma Rousseff durante entrevista para a rede de TV CNN. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

247 – De acordo com pesquisa Datafolha desta segunda-feira, a taxa de aprovação do governo Dilma Rousseff teve alta de seis pontos percentuais no intervalo de um mês. A reprovação diminuiu também seis pontos.

Após a Copa do Mundo, 32% dos eleitores consideravam a administração da presidente petista como boa ou ótima. Agora são 38% - índice mais alto desde abril.

No mesmo período, a porcentagem dos que classificavam o governo como ruim ou péssimo foi de 29% para 23%.

Para 38%, o governo Dilma é regular, o mesmo número apurado no mês passado.

Melhora na avaliação é sentida em todos os segmentos do eleitorado, com exceção dos mais ricos, que representam apenas 4% da amostra e oscilaram um ponto para baixo (de 25% para 24%).

O Norte passou o Nordeste como área de maior aprovação ao governo (leia mais).

Poder Roberta Namour Mon, 18 Aug 2014 05:08:23 +0000 http://www.brasil247.com/150427
De um eleitor a Campos: "Não desisti do Brasil" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150418 : Numa carta aberta a Eduardo Campos, o eleitor pernambucano Carlos Francisco da Silva, de Bezerros (PE), questiona a frase "Não vamos desistir do Brasil", que vem sendo citada como o "testamento político" do ex-governador; "Depois da tua entrevista no Jornal Nacional, eu fiquei com muita vontade de te encontrar, de apertar a tua mão, olhar no teu olho e te perguntar: Quem disse que eu desisti do Brasil, Eduardo?", questiona; "Quem desistiu do Brasil foram setores da política e da mídia brasileira, quando promoveram o golpe militar de 1964 (...) quem desistiu foi a classe média alta que vaiou uma chefe de Estado num evento de dimensões como a abertura de uma copa do mundo porque não se conforma com o Brasil que distribui renda e possibilita a ricos e pobres, negros e brancos as mesmas oportunidades"; leia a íntegra <br clear="all"> :

CARTA A EDUARDO CAMPOS

Por Carlos Francisco da Silva, de Bezerros (PE)

Eduardo, você não imagina o quanto eu e todo povo pernambucano estamos lamentando a tua trágica e inesperada partida. Temos muitos motivos para isso. Primeiro, pela falta que irás fazer a tua família e aos teus amigos. Depois, pelo exemplo de homem público que representavas para o nosso estado e para o Brasil.

No entanto, eu tenho um motivo particular para lamentar a tua morte. Depois da tua entrevista no Jornal Nacional, eu fiquei com muita vontade de te encontrar, de apertar a tua mão, olhar no teu olho e te perguntar: Quem disse que eu desisti do Brasil, Eduardo?  Infelizmente, no dia seguinte, ocorreu o trágico acidente e eu nunca vou poder te dizer isso.

Eduardo, não fui eu, nem o povo brasileiro que desistimos do Brasil.

Quem desistiu do Brasil foram setores da política e da mídia brasileira, quando promoveram o golpe militar de 1964 que mergulhou o nosso país em 21 anos de ditadura militar e que submeteu o povo brasileiro aos anos mais difíceis de nossa história. Inclusive, sua família foi vítima na carne daquele momento, quando o seu avô e então governador de Pernambuco, o inesquecível Miguel Arraes, foi retirado à força do Palácio do Campo das Princesas e levado ao exílio.

Eduardo, você não imagina o que essa mesma mídia está fazendo com a tragédia que marcou a queda do teu avião. Eu nunca pensei que um dia pudesse ver carrascos do jornalismo político brasileiro como Willian Bonner, Patrícia Poeta, Alexandre Garcia e Miriam Leitão falando tão bem de um homem público. Os mesmos que, um dia antes do acidente, quiseram associar a tua imagem ao nepotismo no Brasil choram agora a tua morte como se você fosse a última esperança do povo brasileiro ver um Brasil melhor. Reconheço as tuas qualidades, governador, mas não sou ingênuo para acreditar que sejam elas o motivo de tanta comoção no noticiário político brasileiro.

A pauta dos veículos de comunicação conservadores do Brasil sempre foi e vai continuar sendo a mesma: destruir o projeto político do partido dos trabalhadores que ameaça por fim às concessões feitas até então a eles. O teu acidente, Eduardo, é só mais uma circunstância explorada com esse fim, do mesmo jeito que foi o mensalão, os protestos de julho e a refinaria de Pasádena. Se amanhã surgir um escândalo “que dê mais ibope” e ameace a reeleição de Dilma, a mídia não hesitará em enterrar você de uma vez por todas. Por enquanto, eles vão disseminando as suposições de que foi Dilma quem sabotou o teu avião, e que fez isso no dia 13 justamente pra dizer que quem manda é o PT. Pior do que isso é que tem gente que acredita e multiplica mentiras e ódio nas redes sociais.

Lamentável! A Rede Globo e a Veja não estão nem aí para a dor da família, dos amigos e dos que, assim como eu, acreditavam que você não desistiria do Brasil. Você é objeto midiático do momento.

Eduardo, não fui eu quem desistiu do Brasil. Quem desistiu foi o PSDB, que após o regime militar teve a oportunidade de construir um novo projeto de nação soberana e, no entanto, preferiu entregar o Brasil ao FMI e ao imperialismo norte americano, afundando o Brasil em dívidas, inflação, concentração de renda e miséria. O mesmo PSDB que, antes do teu corpo ser enterrado, já estava disseminando disputas entre o PSB e REDE para inviabilizar a candidatura de Marina, aliança que custou tanto a você construir.

Eu não desisti do Brasil, Eduardo. Quem desistiu foi a classe média alta que vaiou uma chefe de Estado num evento de dimensões como a abertura de uma copa do mundo porque não se conforma com o Brasil que distribui renda e possibilita a ricos e pobres, negros e brancos as mesmas oportunidades.

E tem mais uma coisa, Governador. Se ao convocar o povo brasileiro para não desistir do Brasil o senhor quis passar o recado de que quem desistiu foi Lula e Dilma, eu gostaria muito de dizer que nem eu, nem o povo e, nem mesmo o senhor, acredita nisso. Muito pelo contrário. A gente sabe que o PT resgatou o Brasil do atraso imposto pelo nosso processo histórico de colonização, do intervencionismo norte americano e da recessão dos governos tucanos. Ao contrário de desistir do Brasil, Lula e Dilma se doaram ao nosso povo e promoveram a maior política de distribuição de renda do mundo, através do bolsa família. Lula e Dilma universalizaram o acesso às universidades públicas através do PROUNI, do FIES e do ENEM. Estão criando novas oportunidades de emprego e renda através do PRONATEC e estão revolucionando a saúde com o programa mais médicos.

Eduardo, eu precisava te dizer: não fui eu, nem o povo brasileiro, nem Lula, nem Dilma que desistimos do Brasil. Quem desistiu do Brasil, meu caro, foram os mesmos que hoje estão chafurdando em cima das circunstâncias que envolvem o acidente que de forma lamentável tirou você do nosso convívio. Fazem isso com o motivo único e claro de desgastar a reeleição de Dilma e entregar o país nas mãos de quem, de fato, desistiu do Brasil.

Descanse em paz, Eduardo. Por aqui, apesar da falta que você vai fazer a todo povo pernambucano, eu, Lula, Dilma e os brasileiros que acreditam no futuro do Brasil vamos continuar na luta, porque NÓS NUNCA DESISTIREMOS DO BRASIL.

Poder Leonardo Attuch Sun, 17 Aug 2014 19:28:44 +0000 http://www.brasil247.com/150418
Folha aclama retorno "reconfortante" de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/150428 : Segundo jornal de Otávio Frias, a recandidatura da ex-senadora Marina Silva, que herdou vaga de Eduardo Campos à Presidência, "é reconfortante por representar uma parcela importante no espectro das opiniões e amplia o leque de escolhas viáveis à disposição do eleitor"; ressalta, no entanto, que ela terá de bater o tucano Aécio Neves, que "está enraizado no coração demográfico e econômico do país"; os dois aparecem em empate técnico no primeiro turno segundo Datafolha <br clear="all"> :

247 – A “Folha de S. Paulo” saúda a volta de Marina Silva para a disputa à Presidência, com desempenho de 21% das intenções de voto no Datafolha. Segundo o jornal de Otavio Frias, seu nome parece o mais identificável com o desejo de mudança. Leia:

O retorno de Marina

Sagrada candidata pelo desastre, a ex-senadora aparece com vantagem sobre a presidente Dilma, mas antes teria de bater Aécio

O súbito desaparecimento de Eduardo Campos exerce o efeito que se antevia sobre a corrida presidencial. Pesquisa Datafolha publicada nesta edição mostra que Marina Silva, sua vice e agora substituta pelo PSB, faz quase triplicarem as intenções de voto na chapa.

Marina aparece empatada com Aécio Neves, o candidato do PSDB (21% x 20%). Num provável segundo turno da eleição, porém, a candidata ambientalista teria leve vantagem (47% x 43%) sobre a própria presidente Dilma Rousseff (PT), até aqui favorita em todas as sondagens.

Como se a confirmar certo clima de misticismo em redor da ex-senadora, a brutalidade de um desastre aéreo a recolocou no caminho da Presidência da República, do qual fora arredada pela própria incompetência e pela Justiça Eleitoral, quando não reconheceu as assinaturas suficientes para o registro partidário de sua Rede.

Seu nome parece o mais identificável com o desejo de mudança, latente, mas poderoso, que as pesquisas de opinião têm constatado desde as maciças manifestações de protesto em junho do ano passado. Seu respaldo é maior nos setores que multiplicam influência eleitoral: os mais jovens, mais escolarizados e habitantes das grandes cidades brasileiras.

Ainda assim, será preciso mais do que a intervenção do imponderável. O adversário imediato da ex-ministra do Meio Ambiente, senador Aécio Neves, conta com melhor estrutura partidária e está enraizado no coração demográfico e econômico do país, o Sudeste. Conta, ainda, com o dobro do tempo reservado a Marina na TV (enquanto a presidente tem quase o triplo do que dispõe o tucano).

Além disso, Dilma e Aécio parecem formular mensagens mais claras do que as ensaiadas pela "terceira via", cheia de contradições que o discurso um tanto vago de Marina mal oculta.

Como conciliar o anticapitalismo de muitos ambientalistas com o liberalismo econômico dos conselheiros da candidata? Como combinar sua filiação evangélica com o liberalismo comportamental de tantos de seus simpatizantes? Como manter-se impoluta tendo de manobrar as famigeradas engrenagens da baixa política?

Um líder com as qualidades de Eduardo Campos fará falta, sobretudo, pelo muito que poderia ter feito. Sua ausência torna a competição ainda mais acirrada, e o resultado, mais imprevisível.

Ocasionada pelo pior dos motivos, a recandidatura de Marina Silva é ainda assim reconfortante, por representar uma parcela importante no espectro das opiniões e ampliar o leque de escolhas viáveis à disposição do eleitor.

Mídia Roberta Namour Mon, 18 Aug 2014 05:41:22 +0000 http://www.brasil247.com/150428
Sócio da Natura promete ajudar campanha de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/150426 : Vice de Marina na eleição de 2010 pelo PV, empresário Guilherme Leal procurou aliados da ex-ministra, após a morte de Eduardo Campos (PSB) para dizer que gostaria de contribuir com a chapa; ele não concorre nessas eleições, mas participa ativamente do financiamento das campanhas de aliados de sua ex-companheira de chapa; já foram R$ 882 mil em doações ao partido PSB, especialmente no Distrito Federal <br clear="all"> :

247 - O empresário Guilherme Leal, sócio da Natura, indicou que pretende atuar na campanha de Marina Silva, que foi escolhida pela PSB para substituir Eduardo Campos na disputa à Presidência.

Após a morte do ex-governador de Pernambuco, o empresário, que foi vice de Marina na eleição de 2010 pelo PV, procurou aliados da ex-ministra para dizer que gostaria de contribuir.

Leal não concorre nessas eleições, mas participa ativamente do financiamento das campanhas de aliados de sua ex-companheira de chapa. Como pessoa física, no sistema de prestação de contas eleitorais do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), constam R$ 882 mil em doações ao partido de Eduardo Campos, especialmente no Distrito Federal.

Foram R$ 400 mil somente para o Diretório Nacional do PSB. Para o candidato de Marina e Eduardo ao governo do DF, Rodrigo Rollemberg, Leal fez duas doações, de R$ 200 mil e R$ 150 mil. Na corrida pela vaga de senador, Reguffe (PDT), que integra a coligação do PSB na capital do país, recebeu R$ 102 mil para sua campanha. Já o candidato a deputado distrital João Francisco Araújo (PSB), recebeu R$ 30 mil.

Brasil Roberta Namour Mon, 18 Aug 2014 05:12:24 +0000 http://www.brasil247.com/150426
Aécio pretende usar experiência como trunfo contra Marina http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/150431 : Campanha de Aécio Neves (PSDB) se prepara para minar a imagem de Marina Silva, candidata do PSB à Presidência no lugar de Eduardo Campos, colocando em xeque seu preparo para lidar com a economia; segundo interlocutores, ela não tem ideias inovadoras nem experiência para mostrar nessa área  <br clear="all"> :

247 – Em sua primeira campanha como cabeça de chapa do PSB, Marina Silva ultrapassou as intenções de voto do presidenciável tucano Aécio Neves – 21% contra 20%. Na última sondagem com Eduardo Campos como candidato, o partido não ultrapassada o um dígito.

O comitê do tucano diz não temer o avanço de Marina, que estaria, nesse primeiro momento, impulsionada pela comoção em torno da morte precoce de Campos. No entanto, já preparam um argumento contra a ex-senadora.

O PSDB vai explorar a capacidade e a experiência de Aécio para discutir temas econômicos. "Não vemos a Marina entrando nesse assunto porque não é um assunto que ela domina", disse um integrante da campanha de Aécio. "Ela não tem ideias inovadoras nem experiência para mostrar nessa área", acrescentou. 

Leia aqui reportagem de Fernando Taquari sobre o assunto.

 

Minas 247 Roberta Namour Mon, 18 Aug 2014 06:33:41 +0000 http://www.brasil247.com/150431
RJ: PCdoB cogita abandonar Lindberg por Garotinho http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/150432 : Com o candidato petista ao governo do Estado, senador Lindberg Farias, patinando nas pesquisas, partido pode migrar já no primeiro turno para a chapa do ex-governador Anthony Garotinho (PR); ele lidera a disputa com 25% das intenções de voto, segundo nova pesquisa Datafolha <br clear="all"> :

247 – O senador Lindberg Farias, candidato do PT ao governo do Rio de Janeiro, não consegue decolar nas pesquisas e pode perder seu primeiro grande aliado.

Segundo o colunista Claudio Humberto, do Diário do Poder, o PCdoB já cogita apoiar Garotinho ainda no primeiro turno.

O ex-governador Anthony Garotinho (PR) lidera a disputa ao governo do Rio de Janeiro com 25% das intenções de voto, segundo nova pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (15).

No levantamento anterior, Garotinho aparecia com 24%. Em segundo lugar, com 18%, aparece o senador Marcelo Crivella (PRB), que, por conta da margem de erro de três pontos porcentuais para mais ou para menos, está tecnicamente empatado com o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), que teve 16%. Crivella caiu seis pontos porcentuais em relação ao último levantamento, enquanto Pezão subiu dois.

Em quarto lugar na disputa está Lindberg (PT), com os mesmos 12% de intenções de voto apontados na pesquisa anterior. Tarcisio Motta (PSOL), Dayse Oliveira (PSTU) e Ney Nunes (PCB) têm 1% cada um. Brancos e nulos somaram 17% e outros 10% não sabem ou não opinaram. No cenário de segundo turno entre Garotinho e Crivella, o senador lidera com 44%, enquanto o ex-governador aparece com 32%.

Rio 247 Roberta Namour Mon, 18 Aug 2014 06:48:19 +0000 http://www.brasil247.com/150432
Funeral vira comício: "fora Dilma, agora é Marina" http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150413 : As cerimônias fúnebres para homenagear o ex-governador Eduardo Campos, falecido em um acidente aéreo na última quarta-feira 13, terminaram como ato político em torno das candidaturas de Marina Silva, que ocupava a vaga de vice na chapa de Campos, e de Paulo Câmara, candidato socialista ao governo de Pernambuco; do lado de fora, militantes gritavam: "Fora Dilma, agora é Marina"; no carro do corpo de bombeiros, além dos familiares de Campos, estavam os candidatos Marina e Paulo Câmara <br clear="all"> :

Paulo Emílio, Pernambuco 247 - As cerimônias fúnebres para homenagear o ex-governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos (PSB) e seus assessores, falecidos em um acidente aéreo na última quarta-feira (13), em Santos, litoral paulista, acabaram por virar um ato político em torno das candidaturas de Marina Silva, que ocupava a vaga de vice na chapa de Campos, e de Paulo Câmara, candidato socialista ao Governo do Estado. A missa campal em homenagem às vítimas, celebrada pelo arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, foi acompanhada por cera de 100 mil pessoas, segundo o Governo do Estado.

As manifestações políticas começaram logo no início da manhã. Muitos populares presentes ao velório, realizado em frente ao Palácio do Campo das Princesas, gritavam palavras de ordem a todo instante. "Eduardo guerreiro do povo brasileiro" foi o bordão mais utilizado pelos populares presentes ao local da cerimônia. Com políticos das mais diversas correntes ideológicas e de vários partidos, aliados ou não ao PSB, a cerimônia religiosa teve início nomeio da manhã.

Momentos antes, a presidente Dilma Rousseff (PT) havia chegado, acompanhada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e foi recebida com vaias pela população que acompanhava a cerimônia. As vaias, porém, foram abafadas por aplausos poucos instantes depois.

"Ela (Dilma) não tinha nada que vir aqui. É falso. Ela não gostava mais de Eduardo, queria manter distância de Eduardo. Eu não viria aqui para fazer uma falsidade dessas", disse o ex-governador e senador por Pernambuco Jarbas Vasconcelos (PMDB), um dos maiores críticos da presidente Dilma. O parlamentar ressaltou que as vaias não eram endereçadas a Lula. "Lula gostava de Eduardo", disse.

Bastante emocionados, Lula e Dilma assistiram toda a cerimônia e foram embora sem falar com a Imprensa. Lula e Dilma falaram com a viúva de Campos, Renata Campos, em pelo menos duas ocasiões: na chegada ao palácio e ao término da cerimônia. Após cumprimentar Lula, que estava visivelmente emocionado, Renata entregou o filho Miguel, de apenas oito meses, para que Lula o segurasse.

O presidenciável Aécio Neves (PSDB) chegou momentos após o início dos ritos religiosos. O tucano cumprimentou Lula e Dilma, bem como os familiares das vítimas do acidente. Ele disse que não podia imaginar um "projeto de novo Brasil" sem estar ao lado de Campos. "Nunca imaginei construir um projeto de um Brasil novo, independentemente de posições em que estivéssemos, em que não estivéssemos juntos. Todas nossas conversas apontavam nessa direção", disse o senador mineiro.

O presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, disse que o partido tem "coragem e dignidade para manter vivo o legado de Eduardo". Em relação a uma nova composição da chapa presidencial, Amaral disse que o momento não "era para isso" e que "como presidente do PSB só irei pensar em sucessão na próxima quarta-feira, às 15", observou em referência a reunião que a Executiva do partido fará em Brasília para definir se a ex-senadora Marina Silva será ou não a cabeça de chapa.

Segundo ele, não existe pressa por parte do PSB para definir esta questão. "O programa (de governo) já está pronto. Não tem prazo correndo, assegurou Amaral. Marina, que ao longo do velório permaneceu o tempo inteiro ao lado da família de Campos, evitou falar sobre o seu futuro político.

A ex-prefeita de São Paulo, Luiza Erundina (PSB), que tem o seu nome cotado internamente como uma opção da legenda para disputar a presidência, negou que haja uma divisão no seio da legenda no que diz respeito a resistências ao nome de Marina. "Não há divisão. Meu nome só foi lembrado pelo fato de eu ser amiga de Eduardo, de Marina e de ser também uma socialista histórica", disse. "O que for decidido pela Executiva Nacional será acatado pelo partido", complementou referindo-se a reunião que será realizada pela Executiva do partido.

Ela também negou que queira assumir a posição de cabeça da chapa."Eu não disputo nada. Apenas me coloco à disposição do partido. O que aconteceu com Eduardo nos impõe grande responsabilidade", declarou. Ela reafirmou que os compromissos firmados por Campos serão mantidos. "O que já foi acordado está mantido. Como, por exemplo, as alianças regionais".

O ex-presidente do PT de Pernambuco, deputado Pedro Eugênio, também foi ao velório e fez sua análise sobre o impacto político da tragédia. "A perda é grande e muda todo o cenário", disse ele. "Mas toda discussão, agora, é prematura. Precisamos aguardar as decisões que serão tomadas pelo PSB na próxima quarta-feira."

O ex-deputado Maurício Rands, que trocou o PT pelo PSB, disse que uma das missões dos integrantes do PSB será manter acesa a mensagem de Campos de que "não vamos desistir do Brasil". Rands disse que há um "clamor nacional" para que Renata Campos seja a candidata a vice na chapa socialista. "Há um clamor não só em Pernambuco, mas no Brasil, para que Renata venha a integrar a chapa de Marina como vice", afirmou. "Ela (Renata Campos) tem todas as qualidades para representar o PSB nesta chapa", disse. "É uma decisão que cabe à ela e o Brasil saberá a decisão que ela a venha tomar", completou.

A possibilidade, porém, foi descartada pelo governador de Pernambuco, João Lyra (PSB). "Renata sempre foi e será uma mulher política e participativa. Mas a prioridade nela neste momento é ser mãe dos cinco filhos que teve com Eduardo. Ela vai continuar participando da vida pública, mas tenho convicção que a prioridade dela é ser mãe. Campos levou 29 anos para se firmar como uma liderança e ninguém pode ser assim, substituindo-o de uma hora para outra", ressaltou.

Renata Campos, porém, marcou uma reunião para esta segunda-feira, no Recife, com a cúpula nacional e estadual do PSB para que o partido assegure que irá manter as composições idealizada por Campos, tanto em nível nacional como estadual.

Também estiverem presentes ao velório o governador de Alagoas, Teotônio Vilela, o ex-governador de São Paulo, José Serra, o senador Aloísio Nunes, candidato a vice na chapa de Aécio; o ministro da Casa-Civil, Aloizio Mercadante, o candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha; Francisco Falcão, ministro do STJ e os governadores Agnelo Queiroz, do Distrito Federal, Renato Casagrande, do Espírito Santo, o prefeito de São Paulo, Fernando Hadad, o ex-ministro da Saúde e candidato ao governo paulista, Alexandre Padilha, o prefeito do Recife, Geraldo Julio, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, entre outros.

 

Pernambuco 247 Paulo Emílio Sun, 17 Aug 2014 18:24:08 +0000 http://www.brasil247.com/150413
Dilma, Lula e Aécio dão último adeus a Campos http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150400 : Presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegaram ao velório pouco antes das 10h; Lula deu um forte abraço nos filhos de Eduardo Campos; quando Dilma chegou, houve um princípio de vaia, rapidamente abafado por aplausos; governador Geraldo Alckmin entregou à viúva Renata Campos cinco medalhas que foram encontradas pelas equipes de resgate em Santos; José Serra também foi ao velório, assim como o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), vice na chapa de Aécio Neves, que chegou por volta de 10h30, quando teve início a missa campal, que foi assistida por cerca de 60 mil pessoas <br clear="all"> :

Paulo Emílio, Pernambuco 247 - O velório de Eduardo Campos se transformou num ato ecumênico da política. Por volta de 10h, chegaram ao Palácio das Princesas a presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, além do ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante.

Quando Dilma chegou, houve um princípio de vaia, rapidamente abafado por aplausos. Lula abraçou com força os filhos de Eduardo de Campos. Dilma fez o mesmo com a viúva Renata Campos.

Pouco depois chegaram ao local lideranças do PSDB, como o governador Geraldo Alckmin, o ex-governador José Serra e o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), vice na chapa de Aécio Neves, cuja chegada era esperada para esta manhã.

Alckmin entregou cinco medalhas que foram encontradas pela equipe de resgate em Santos à viúva Renata.

Às 10h28, teve início a celebração da missa campal, em memória de Eduardo Campos, quando o senador Aécio Neves chegou ao local.

Leia, abaixo, reportagem da Reuters:

 

Milhares de pessoas se despedem de Campos em missa em Recife

 

RECIFE (Reuters) - Milhares de pessoas fizeram fila neste domingo para se despedir do candidato do Partido Socialista Brasileiro (PSB) à Presidência da República, Eduardo Campos, e participaram de uma missa campal em homenagem ao político, em Recife (PE).

Campos, 49 anos, morreu em um acidente de avião na manhã de quarta-feira no litoral de São Paulo junto com outras seis pessoas que estavam na aeronave.

O avião levava o socialista do Rio de Janeiro a Santos, onde ele cumpriria agenda de campanha, quando caiu sobre prédios em um bairro residencial. Campos deixa a mulher, Renata, e cinco filhos.

Em uma missa de corpo presente na praça da República, celebrada pelo arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, filhos de Campos também prestaram homenagem ao pai.

Além de familiares e da população, diversos políticos e autoridades foram se despedir de Campos, cujo corpo começou a ser velado na noite de sábado no Palácio Campo das Princesas, sede do governo pernambucano.

A presidente Dilma Rousseff participou das homenagens, assim como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o candidato à Presidência pelo PSDB, Aécio Neves. A ex-senadora Marina Silva, candidata a vice de Campos que vai assumir a chapa, também foi se despedir do político.

Muitos dos que foram ao velório e assistir à missa campal carregavam bandeiras do PSB e da campanha de Campos, além de cartazes prestando homenagem ao candidato. Segundo estimativa da Polícia Militar, 100 mil pessoas estão no local da missa.

O corpo de Campos será levado em cortejo da Praça da República, na região central de Recife, até o cemitério de Santo Amaro, onde será enterrado no túmulo de seu avô, o político Miguel Arraes, que foi um dos ícones da esquerda na resistência à ditadura militar no Brasil.

Os corpos do assessor de imprensa de Eduardo Campos, Carlos Percol, e o fotógrafo da campanha, Alexandre Severo, também estão sendo velados e serão enterrados em Recife.

(Por Paulo Whitaker)

Leia, abaixo, reportagem da Agência Brasil:

Ivan Richard - Enviado Especial 

Começa, neste momento, em frente ao Palácio das Princesas, sede do goveno de Pernambuco a missa campal de corpo presente, que será celebrada pelo arcebispo de Recife e Olinda, dom Fernando Saburido.

A presidenta Dilma Rousseff e o ex-presidente lula chegaram há pouco ao local para o velório de Eduardo Campos, que morreu vítima de acidente aéreo, em Santos (SP). Dilma chegou a ser vaiada, mas, em seguida, foi apçaudida pelas mihares de pessoas que ocupam a Praça da República para a cerimônia. O ex-presidente pegou no colo o filho mais novo de campos, Miguel, de 6 meses, e abraou os outros filhos do ex-governador e a viúva Renata Campos.

Neste momento, também prestam condolências à família de Campos o ex-governador de São Paulo José Serra, o ex-ministro da Saúde e candidato ao governo paulista Alexandre Padilha, entre outras autoridades.

A todo instante, as pessoas que estão na fila se emocionam ao ver o caixão de Campos. Algumas fazem reverências ao ex-governador.


Pernambuco 247 Leonardo Attuch Sun, 17 Aug 2014 10:39:13 +0000 http://www.brasil247.com/150400
Antônio Campos: "Marina pode ganhar no 2° turno" http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150403 : “Acabei de ver uma pesquisa telefônica do PSB, com 30 mil ligações, que coloca Marina empatada no primeiro turno com o Aécio Neves e no segundo turno vencendo Dilma Rousseff”, contou Antônio Campos, irmão do ex-governador Eduardo Campos; sobre a tragédia, ele ressalta que um advogado irá acompanhar as investigações da tragédia, para descartar qualquer hipótese de sabotagem <br clear="all"> :

247 – O primeiro a levantar a bandeira de Marina Silva como candidata natural do PSB, Antônio Campos afirma que a ex-ministra pode ganhar de Dilma Rousseff no 2° turno.

“Eduardo fez uma aliança programática com ela, e a escolhe para ser sua vice. Na declaração dele, na véspera de sua morte, ele fala fortemente sobre Marina. Então, na ausência dele, quem tem densidade política, eleitoral e liderança para, nesse momento segurar a bandeira do PSB é a Marina Silva”, disse ao El Pais o irmão do ex-governador Eduardo Campos.

Segundo ele, para assumir a vaga, Marina terá de aceitar algumas imposições do PSB, mas que sondagens internas do partido mostram que ela tem grandes chances de vitória.

“Acabei de ver uma pesquisa telefônica do PSB, com 30 mil ligações, que coloca Marina empatada no primeiro turno com o Aécio Neves e no segundo turno vencendo Dilma Rousseff”, contou.
Sobre a tragédia, ele ressalta que um advogado irá acompanhar as investigações da tragédia, para descartar qualquer hipótese de sabotagem (leia aqui).

Pernambuco 247 Roberta Namour Sun, 17 Aug 2014 11:49:52 +0000 http://www.brasil247.com/150403
Especialista diz não haver evidência de explosão http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/150397 : Chefe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), brigadeiro-do-ar Dilton Schuck diz pessoas são 'sugestionáveis', ao comentar queda do avião com a comitiva de Eduardo Campos, em Santos; segundo ele, esse acidente é complexo, revertido num clima de mistério <br clear="all"> :

247 – Em meio à polêmica criada em torno da trágica morte de Eduardo Campos, o chefe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), brigadeiro-do-ar Dilton Schuck, afirma que não é possível confirmar se o Cessna 560 XL pegou fogo antes de cair na quarta-feira (13) em Santos (SP).

Testemunhas teriam visto a aeronave explodir antes de cair, com mais seis pessoas, além do ex-governador de Pernambuco.
"Não podemos confirmar que o avião pegou fogo ainda no ar, porque não há nenhuma evidência disso, só testemunhas leigas. As pessoas são muito sugestionáveis. A gente acha que viu algo que não é o que a gente efetivamente viu", disse o especialista. Segundo ele, esse acidente é muito mais complexo, revertido num clima de mistério.

O gravador de voz do jato Cessna 560XL em que viajava a comitiva do candidato do PSB à Presidência da República não registrou as conversas ou sons ambientes durante o último voo da aeronave.

Segundo a assessoria da Aeronáutica, as duas horas de áudio gravadas e já analisadas por peritos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) não correspondem ao voo.

Leia aqui a matéria de Eliane Cantanhêde sobre o assunto.

Brasil Roberta Namour Sun, 17 Aug 2014 09:52:39 +0000 http://www.brasil247.com/150397
Luiza Erundina ao 247: "PSB não está dividido" http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150395 : A ex-prefeita Luiza Erundina, cujo nome foi lembrado para disputar a presidência da República no lugar de Eduardo Campos, negou qualquer divisão no partido; "meu nome só foi cogitado porque sou socialista histórica e muito amiga de Eduardo e de Marina", disse ela; Erundina afirmou ainda que o partido acatará o que for decidido pela Executiva Nacional; presidente da legenda, Roberto Amaral, afirmou que só irá pensar na sucessão depois da missa de sétimo dia, na próxima quarta-feira; "não há nenhuma necessidade de correr com isso" <br clear="all"> :

Paulo Emílio, Pernambuco 247 - A ex-prefeita Luiza Erundina, cujo nome foi lembrado como uma opção do PSB para disputar a presidência da República, negou qualquer divisão no partido.

"Não há divisão. Meu nome só foi lembrado pelo fato de eu ser amiga de Eduardo, de Marina e de ser também socialista histórica", afirmou.

Segundo ela, a definição sobre os rumos eleitorais do PSB será tomada na próxima quarta-feira. "O que for decidido pela Executiva Nacional será acatado pelo partido".

Erundina negou que tenha qualquer intenção de disputar a presidência da República ou ser indicada a vice numa chapa encabeçada por Marina Silva. "Eu não disputo nada. Apenas me coloco à disposição do partido. O que aconteceu com Eduardo nos impõe grande responsabilidade."

Segundo ela, haverá pequenos ajustes no programa do PSB, redimensionamento das propostas, mas nada muda no essencial. "O que já foi acordado está mantido. Como, por exemplo, as alianças regionais".

Também presente ao evento, o presidente do PSB, Roberto Amaral, voltou a dizer que qualquer decisão será tomada apenas na quarta-feira. "Não há necessidade de correr com isso, precisamos respeitar o legado de Eduardo Campos", afirmou. Segundo Amaral, a decisão será tomada numa reunião na quarta-feira, às 15h00, em Brasília, após uma missa de sétimo dia.

Outro dirigente do PSB, Carlos Siqueira, afirmou que não há nenhuma resistência ao nome de Marina Silva no PSB.

Reação do PT

O presidente do PT de Pernambuco, deputado Pedro Eugênio, também foi ao velório e fez sua análise sobre o impacto político da tragédia. "A perda é grande e muda todo o cenário", disse ele. "Mas toda discussão, agora, é prematura. Precisamos aguardar as decisões que serão tomadas pelo PSB na próxima quarta-feira."

O político Maurício Rands, que trocou o PT pelo PSB, disse que uma das missões dos integrantes do PSB será manter acesa a mensagem de que "não vamos desistir do Brasil".

Pernambuco 247 Leonardo Attuch Sun, 17 Aug 2014 10:06:56 +0000 http://www.brasil247.com/150395
Reprovação ao governo Dilma cai nos Estados http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150394 : Taxa dos que consideram o governo de Dilma Rousseff ruim ou péssimo em SP, no maior colégio eleitoral do Brasil, caiu de 39% em julho para 35% neste mês; no Rio de Janeiro, a reprovação a presidente também caiu, de 32% no último mês para 29%; em Minas, reduto eleitoral do tucano Aécio Neves, a aprovação é maior que a reprovação - 34% contra 26% <br clear="all"> :

247 - A reprovação ao governo da presidente Dilma Rousseff (PT) recuou em São Paulo, o maior colégio eleitoral do Brasil, e no Rio de Janeiro.

Segundo pesquisa Datafolha, a taxa dos paulistas que consideram seu governo ruim ou péssimo caiu de 39% em julho para 35% neste mês. Já os que consideram o governo ótimo/bom somam 24%, uma oscilação de um ponto percentual em relação ao levantamento anterior (23%).

A margem de erro da pesquisa no caso de São Paulo é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

No Rio de Janeiro, a reprovação a Dilma também caiu, de 32% no último mês para 29% agora. A margem de erro é de três pontos percentuais. Os que avaliam o governo como ótimo/bom passou de 25% em julho para 24% neste mês.

Em Minas, reduto eleitoral do tucano Aécio Neves, a aprovação ao governo é maior que a reprovação - 34% contra 26%.

No Nordeste, Ceará e Pernambuco têm as maiores taxas de aprovação ao governo, 55% e 39% respectivamente.

No Distrito Federal, Dilma teve a maior taxa de reprovação (40%) e recebeu a nota mais baixa (4,7).

 

Poder Roberta Namour Sun, 17 Aug 2014 09:37:43 +0000 http://www.brasil247.com/150394
Velório de Campos mistura emoção e propaganda http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150378 Clélio Tomaz: 16-08-2014 - PE - EDUARDO CAMPOS/VELÓRIO - POLÍTICA - Cortejo dos caixões saindo da Base Aerea do Recife e vai passar pelas ruas do Recife a caminho do Palácio do Campo das Princesas local onde será realizado o velório do ex governador, Eduardo Campos e s Ao receber o caixão do pai com camisas estampadas com a frase "Não vamos desistir do Brasil", que também estava afixada ao caminhão do corpo de bombeiros que transportou o féretro, os filhos de Eduardo Campos contribuíram para que o velório se transformasse num ato político, o primeiro da campanha de Marina Silva à presidência da República; do lado de fora do Palácio das Princesas, militantes gritavam "Justiça", como se Campos tivesse sido assassinado; a frase "Não vamos desistir do Brasil", dita pelo ex-governador pernambucano no Jornal Nacional, vem sendo tratada como testamento de Campos e será usada exaustivamente na propaganda eleitoral do PSB para tentar reduzir o voto nulo <br clear="all"> Clélio Tomaz: 16-08-2014 - PE - EDUARDO CAMPOS/VELÓRIO - POLÍTICA - Cortejo dos caixões saindo da Base Aerea do Recife e vai passar pelas ruas do Recife a caminho do Palácio do Campo das Princesas local onde será realizado o velório do ex governador, Eduardo Campos e s

Pernambuco 247 - O velório de Eduardo Campos, iniciado ontem à noite, quando os restos mortais do ex-governador de Pernambuco chegaram ao Recife, foi também um ato político, o primeiro da campanha de Marina Silva à presidência da República.

No caminhão do corpo de bombeiros, estava colada a frase "Não vamos desistir do Brasil", a última dita por Eduardo Campos, no Jornal Nacional, na véspera de sua morte.

Ao receber o caixão do pai, os filhos de Eduardo Campos também usavam uma camisa amarela, estampada com os mesmos dizeres. Estavam de luto, mas vestiam algo que transmitia uma mensagem política.

A frase "Não vamos desistir do Brasil" vem sendo tratada por integrantes do PSB e colunistas da mídia como o "testamento político" de Eduardo Campos. Visa atingir uma grande parcela do eleitorado, que hoje parece mais propensa a anular o voto. A esperança, entre os integrantes do PSB que apoiam a candidatura de Marina Silva, é que a ex-senadora consiga fisgar esses eleitores desencantados com a política tradicional.

Do lado de fora do Palácio das Princesas, que recebeu o caixão de Eduardo Campos, militantes gritavam "Justiça" e outras palavras de ordem, como se Eduardo Campos tivesse sido assassinado - e não vítima de um trágico acidente. Na transmissão, o maior foco se dava em Marina Silva, herdeira do espólio político de Campos.

Pernambuco 247 Roberta Namour Sun, 17 Aug 2014 06:11:24 +0000 http://www.brasil247.com/150378
Aécio Neves: segundo turno agora é "um fato" http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/150380 Divulgação: Aécio, mensalão, Lula, PT À jornalista Dora Kramer, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) fez sua primeira análise sobre a entrada de Marina Silva na disputa presidencial; "O que era uma tendência passa a ser um fato", disse ele, referindo-se à possibilidade de segundo turno; ele avalia que as próximas pesquisas podem mostrar Marina com um percentual de votos duas vezes maior do que o de Eduardo Campos, mas não demonstra preocupação; "Não tem essa história de que o jogo ficou zerado", disse; "isso vai atrasar o meu crescimento" <br clear="all"> Divulgação: Aécio, mensalão, Lula, PT

247 - Embora tenha suspendido as atividades de campanha, em luto pela morte de Eduardo Campos, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) fez sua primeira análise sobre o impacto da entrada de Marina Silva na corrida presidencial, numa rápida entrevista com a jornalista Dora Kramer, do Estado de S. Paulo.

Na sua avaliação, ele próprio se fortalece na disputa presidencial, porque agora passa a existir a certeza de segundo turno. "O que era uma tendência passa a ser um fato", afirmou.

O presidenciável tucano, no entanto, discorda da análise de que a sucessão volta à estaca inicial. "Não tem essa história de que o jogo ficou zerado", disse. "Isso vai atrasar o meu crescimento".

Aécio acredita que perderá alguns votos para Marina Silva, assim como a presidente Dilma Rousseff. Mas aposta que a maior parte dos eleitores da provável nova candidata do PSB virá do contingente que previa anular o voto. O que, na sua visão, seria positivo porque ajudaria a consolidar a tendência de segundo turno.

O tucano diz ainda que a grande incógnita é a intensidade do discurso oposicionista de Marina Silva, uma vez que ele espera ter seu apoio num eventual segundo turno contra a presidente Dilma Rousseff.

Ele prevê que Marina poderá aparecer com o dobro das intenções de voto nas próximas pesquisas, mas aposta que ela não terá força nem estrutura política para ultrapassá-lo.

Minas 247 Roberta Namour Sun, 17 Aug 2014 06:30:22 +0000 http://www.brasil247.com/150380
Para Folha, PT teme mais Marina do que Aécio http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/150379 : Segundo a publicação de Otavio Frias, interlocutores do comitê pela reeleição da presidente Dilma admitem temer a "zona nebulosa e imprevisível'' da candidatura de Marina Silva; ela poderia se apropriar de eleitores que se identificaram com a onda de protestos de junho do ano passado; além disso, se ultrapassar o tucano Aécio Neves nas pesquisas, tornaria o movimento "volta, Lula" incontrolável no PT <br clear="all"> :

247 – Para o jornal “Folha de S. Paulo”, o PT prefere enfrentar Aécio Neves num eventual 2° turno do que Marina Silva, que herdou a vaga do PSB após a morte trágica de Eduardo Campos. 

Segundo a publicação de Otavio Frias, interlocutores do comitê pela reeleição da presidente Dilma admitem temer a "zona nebulosa e imprevisível'' da candidatura da ex-senadora.

No primeiro turno de 2010, Marina conseguiu quase 20 milhões de votos. Neste ano, o grupo petista acredita que Maria se apropriará de eleitores que se identificaram com a onda de protestos de junho do ano passado, o que pode ampliar sua votação.

Ainda segundo o jornal, para alguns assessores da presidente, Marina enfrentará dificuldades com seu "conservadorismo comportamental". Ela já se posicionou contra o aborto e disse ser favorável ao ensino religioso nas escolas. 

No entano, caso as pesquisas a mostrem à frente de Aécio, o movimento "volta, Lula" pode ficar incontrolável.

Mídia Roberta Namour Sun, 17 Aug 2014 06:30:04 +0000 http://www.brasil247.com/150379
França: 'o PSB que terá crédito por aceitar Marina' http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/150382 : Vice na chapa pela reeleição de Geraldo Alckmin (PSDB), Márcio França (PSB-SP) evidencia diferenças com Marina Silva: ‘Marina tem um outro jeito de fazer política, que não é o nosso. Antes ela criou crédito, pois era a mais famosa. Neste instante, criou o débito. Nós é que iremos acolhê-la para ser candidata a presidente. Agora ela se torna nossa candidata para dirigir o país’, disse  <br clear="all"> :

247 – Tesoureiro da campanha de Eduardo Campos à Presidência e candidato a vice na chapa pela reeleição de Geraldo Alckmin (PSDB) em São Paulo, Márcio França evidencia diferenças com Marina Silva.

Ela foi escolhida para assumir a chapa do PSB à Presidência após a morte de Campos.

“Ela era a principal puxadora de votos. Agora Campos é o grande puxador. O que ficou dele, as falas, a entrevista ao “Jornal Nacional”, serão usados como nosso mantra. Ser candidata depende mais dela. Marina precisa expressar que quer ser candidata. Ela não disse “quero ser”. Marina tem um outro jeito de fazer política, que não é o nosso. É dela e do partido dela », disse em entrevista ao Globo.

França saiu vencedor de um duelo travado com Marina em São Paulo para dividir palanque com os tucanos. Agora, ela se comprometeu a cumprir os compromissos assumidos por Campos.

“Ela tem de nos acolher e temos de acolhê-la. Antes ela criou crédito, pois era a mais famosa. Neste instante, criou o débito. Nós é que iremos acolhê-la para ser candidata a presidente. Agora ela se torna nossa candidata para dirigir o país”, completou (leia aqui).

SP 247 Roberta Namour Sun, 17 Aug 2014 06:56:45 +0000 http://www.brasil247.com/150382
Ferreira Gullar: "no primeiro turno, ninguém ganhará" http://www.brasil247.com/pt/247/cultura/150384 foto: Aline Massuca/ Valor: 11.05.2010
EDITORIA: Cultura
PERSONAGEM: Ferreira Gullar
PAUTA: Entrevista 
REPORTER: Maria Luiza Mandes Furia
LOCAL: Rio de Janeiro, RJ.
FOTO: Aline Massuca/Valor 
Poeta Ferreira Gullar também analisa a morte de Eduardo Campos e avalia que a presidente Dilma Rousseff é a mais prejudicada, uma vez que não teria mais condições de vencer as eleições de outubro no primeiro turno; "Pode ser que a candidatura dela [Marina Silva] introduza no combate eleitoral o fator emocional que estava faltando. Mas uma coisa é certa: no primeiro turno ninguém ganhará as eleições presidenciais de outubro", diz ele <br clear="all"> foto: Aline Massuca/ Valor: 11.05.2010
EDITORIA: Cultura
PERSONAGEM: Ferreira Gullar
PAUTA: Entrevista 
REPORTER: Maria Luiza Mandes Furia
LOCAL: Rio de Janeiro, RJ.
FOTO: Aline Massuca/Valor

247 - O poeta maranhense Ferreira Gullar também publicou sua análise sobre a entrada de Marina Silva na disputa presidencial. Segundo ele, "bagunçou o coreto" e a presidente Dilma Rousseff não será mais capaz de vencer as eleições no primeiro turno.

Eis um trecho:

Tanto Dilma quanto Aécio, na hipótese de Marina se candidatar, terão de rever seu projeto de campanha eleitoral. Digo isso porque, até aqui, um dos principais problemas dos candidatos é a indiferença de grande parte do eleitorado.

Quase a metade dele se mostra desinteressada das eleições, uma vez que nenhum dos candidatos tem conseguido empolgá-la.

É que nem Dilma, nem Aécio, nem Eduardo têm significado, para essa parte do eleitorado, a alternativa capaz de mudar de fato o rumo tomado pela política no país e impor-se como uma alternativa renovadora.

Em circunstâncias normais, tampouco Marina Silva representaria isso; no entanto, em face da morte trágica de Eduardo Campos, pode ser que a candidatura dela introduza no combate eleitoral o fator emocional que estava faltando. Mas uma coisa é certa: no primeiro turno ninguém ganhará as eleições presidenciais de outubro.

Cultura Leonardo Attuch Sun, 17 Aug 2014 07:09:48 +0000 http://www.brasil247.com/150384
História é dramática para herdeiros de nomes fortes http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150373 Edição 247/Fotos: Divulgação/Shutterstock: As sucessões entre políticos marcantes que viraram lendas depois de mortos apontam para trajetórias dramáticas também para seus herdeiros; foi assim nos Estados Unidos de John e Bob Kennedy, na Argentina de Juan Domingo e Isabelita Perón e de Nestor e Cristina Kirchner e, ainda, na Venezuela de Hugo Chávez e Nicolás Maduro; ungidos à frente das massas pela emoção e ligações pessoais e de sangue com seus antecessores, escolhidos para carregar bandeiras de seus patronos tiveram gestões e destinos tumultados <br clear="all"> Edição 247/Fotos: Divulgação/Shutterstock:

247 – Nunca é fácil, na história, a vida política dos herdeiros de líderes carismáticos que foram ungidos à condição de verdadeiras lendas em seus países e no mundo. Destinos trágicos chegaram até mesmo a se repetir, como a morte, por assassinato, dos irmãos John F. Kennedy e seu irmão Robert Kennedy. O primeiro foi morto em 1963, quando era presidente, e sua imagem projetou a do irmão, Robert. Este, no entanto, morreu em 1967 quando parecia avançar por um caminho sem volta para a Casa Branca. A América Latina conhece bem a dramaticidade que uma sucessão feita à base da emoção, acima do racionalismo ou por determinação do testamento político do líder desaparecido, por causar na vida de pelo menos duas de suas maiores nações.

Na Argentina do caudilho Juan Domingo Perón, sacudida na década de 1950 pela morte de Eva Perón, mergulhou numa das mais sangrentas ditaduras militares do continente depois que, nos anos 1970, Isabelita Perón, eleita como vice-presidente na chapa do marido Juan Domingo. Sob descontrole da economia, ela foi deposta pelos militares, que interromperam a democracia.

Mais recente, o exemplo marcante é o da Venezuela. Com câncer terminal, o então presidente Hugo Chávez apontou para Nicolás Maduro, um ex-motorista de ônibus, como seu herdeiro direto. Numa eleição vencida por diferença de pouco mais de 1% dos votos, em 2012, Maduro assumiu o poder, mas não tem tido vida fácil. Com forte oposição nas ruas, ele vem precisando ter forte controle sobre o aparato repressivo para conseguir uma certa estabilidade política.

Os exemplos históricos vêm à tona diante da brusca mudança de rumo experimentada pela eleição presidencial brasileira. A morte do presidenciável Eduardo Campos encheu o ambiente de emotividade, que tende a crescer ainda mais em razão da escolha, a esta altura praticamente definida, da ex-ministra Marina Silva para seu lugar como candidata a presidente.

Fortemente religiosa, em declaração pública quando embarcava para Recife, no sábado 16, para participar das cerimônias fúnebres para Campos, Marina disse que não morreu com ele por "providência divina". Para ela, foi a mão de Deus que a orientou para não subir naquele avião. O motivo conhecido foi o de que Marina não queria encontrar com o governador Geraldo Alckmin, no evento de campanha que esperava por Campos.

A declaração de Marina, em tudo de fundo religiosa, demonstra que, se ela vier a ser a candidata a presidente pelo PSB, como já admite o presidente da legenda, Roberto Amaral, fará questão de empregar, o mais fortemente possível, um tom de determinismo histórico sobre a tragédia. O que houve com Campos poderá, por esse aspecto, ampliar o carisma de Marina. Se isso é capaz de empolgar muitos eleitores, também pode ser motivo de rejeição para quem deplora o voto com matriz religiosa ou espiritual.

Pelo que se viu especialmente na América Latina, a sucessão por herdeiros diretos de grandes lideranças desaparecidas de maneira abrupta carrega o signo do drama. Foi assim com Perón, Kirchner e Chávez. Num canto do mundo onde a religiosidade e a paixão são marcas registradas da maioria do povo, e a estabilidade política e econômica são traços recentes, não havia muito como ser diferente. 

Poder Camila Nunes Sat, 16 Aug 2014 20:48:40 +0000 http://www.brasil247.com/150373
Roberto Amaral: "definição do PSB só sai na quarta" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150372 : “É a Executiva Nacional que vai decidir o nosso candidato à Presidência e à vice. Nos reuniremos na quarta-feira, às 15h, na sede do partido, em Brasília. Antes disso, qualquer coisa é especulação. Não tomaremos nenhuma decisão antes de enterrar o Eduardo”, disse Amaral ao deixar a casa da família de Campos, no Recife; Ele demonstrou irritação com a insistência sobre uma definição do partido. “Se vocês não sabem, o Eduardo morreu"; neste sábado, Jarbas Vasconcelos afirmou que Marina já deveria ser ungida candidata na terça, quando começa o horário eleitoral <br clear="all"> :
Ivan Richard – Enviado Especial da Agência Brasil a Recife
 
A decisão do PSB sobre o candidato do partido à Presidência da República no lugar de Eduardo Campos, vítima de um acidente aéreo na última quarta-feira (13), será tomada apenas na próxima quarta-feira (20), em reunião da Executiva Nacional, em Brasília. O presidente nacional da sigla, Roberto Amaral, negou qualquer possibilidade de a decisão ocorrer antes desse prazo. Sobre o vice na chapa, Amaral não descartou o nome de Renata Campos, viúva do ex-governador de Pernambuco.
 
“É a Executiva Nacional que vai decidir o nosso candidato à Presidência e à vice. Nos reuniremos na quarta-feira, às 15h, na sede do partido, em Brasília. Antes disso, qualquer coisa é especulação. Não tomaremos nenhuma decisão antes de enterrar o Eduardo”, disse Amaral ao deixar a casa da família de Campos, no Recife.

Ele demonstrou irritação com a insistência sobre uma definição do partido. “Se vocês não sabem, o Eduardo morreu, sofreu um acidente. Nós éramos amigos dele, ele era presidente do partido, nosso líder. Estamos feridos, doídos. Qual conversa podemos ter nesse momento?”, indagou.

O presidente do PSB disse que o papel dele até a próxima quarta-feira é “construir a unidade do partido”. Até o momento, destacou, não há outra opção para a cabeça de chapa, além da ex-ministra Marina Silva. Perguntado sobre as especulações acerca da indicação de Renata Campos para compor a chapa, Amaral não descartou a possibilidade e ressaltou que o vice será do PSB, que “tenha experiência administrativa”.

Dentro do partido, o nome do deputado federal Beto Albuquerque (RS) surge com grande força para ocupar a vaga de vice, apesar do apelo em torno do nome da viúva. “A Renata pode ser candidata à vice, à Presidência, ela é um quadro excepcional. Vocês não fiquem vendo a Renata como a esposa de Eduardo. Ela é um quadro político da maior importância e uma fortaleza extraordinária. Se ela autorizar [o nome será considerado]”, frisou Amaral.

O presidente do PSB informou ainda que o primeiro programa eleitoral do partido na TV e no rádio será uma homenagem a Eduardo Campos.

Poder Leonardo Attuch Sat, 16 Aug 2014 19:35:25 +0000 http://www.brasil247.com/150372
Cúpula do PSB discute com viúva rumos da legenda http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150371 Thays Cabette : Os dirigentes do PSB que estiveram hoje no Recife para visitar Renata Campos, viúva do ex-governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos afirmaram que a vice da chapa socialista, a ex-senadora Marina Silva, deverá mesmo ser a candidata da legenda na disputa presidencial.; apesar disso, o anúncio formal deverá acontecer na próxima quarta-feira, após uma reunião da Executiva do partido discutir o assunto; na próxima segunda, Renata também marcou uma reunião com a cúpula do PSB e dos partidos aliados ao PSB na eleição pernambucana para pedir empenho Paulo Câmara (PSB), como era o desejo de Campos <br clear="all"> Thays Cabette :

Pernambuco 247 - Os dirigentes do PSB que estiveram hoje no Recife para visitar Renata Campos, viúva do ex-governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos afirmaram que a vice da chapa socialista, a ex-senadora Marina Silva, deverá mesmo ser a candidata da legenda na disputa presidencial. Apesar disso, o anúncio formal deverá acontecer na próxima quarta-feira, após uma reunião da Executiva do partido discutir o assunto. Na próxima segunda, Renata também marcou uma reunião com a cúpula do PSB e dos partidos aliados ao PSB na eleição pernambucana para pedir empenho Paulo Câmara (PSB), como era o desejo de Campos.

"A Marina vai honrar o legado de Eduardo. A Marina não é mulher de fugir da luta. Tenho certeza que ela será nossa timoneira", afirmou o líder do PSB na Câmara dos Deputados, Beto Albuquerque (RS). Segundo ele, a viúva de Campos, Renata Campos, poderia vir a ser a vice na chapa encabeçada por Marina, mas o assunto não teria sido tratado durante o encontro. "É um grande quadro, mas não sei se ela quer", disse.

“Ela pode ser o que quiser, desde que queira, presidente, governadora”, afirmou o presidente do PSB, Roberto Amaral. Apesar da declaração, ele disse que as supostas discussões sobre o assunto não passam de especulações e que o partido só irá se pronunciar oficialmente sobre o assunto na próxima quarta-feira.

Renata deverá se reunir com os integrantes da Frente Popular- formada por 21 partidos - , em uma casa de eventos do Recife, para pedir que os partidos e seus representantes mantenham o apoio à candidatura de Paulo Câmara, ao seu vice Raul Henry (PMDB) e ao postulante ao Senado, o ex-ministro Fernando Bezerra Coelho. O objetivo do encontro é fazer valer a vontade de Campos de maneira a alavancar a candidatura de Câmara, que aparece com ampla desvantagem em comparação com o adversário Armando Monteiro Neto (PTB).

Uma outra razão seria por fim as especulações de que o PSB pernambucano estaria perto de rachar. Este racha estaria sendo alimentado pelo baixo desempenho de Câmara nas pesquisas de intenção de voto, o que teria levado a alguns membros da legenda a cogitarem sua substituição por um outro nome mais conhecido pelo eleitorado pernambucano.

 

Pernambuco 247 Paulo Emílio Sat, 16 Aug 2014 20:27:54 +0000 http://www.brasil247.com/150371
PT espera que Marina cole em Aécio http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150347 : Reunidos no Alvorada nessa sexta-feira para avaliar o novo cenário eleitoral, ministros e lideranças petistas apostam que a ex-senadora subirá nas pesquisas por causa da comoção nacional provocada pela trágica morte de Eduardo Campos (PSB) e se aproxime do presidenciável tucano Aécio Neves; na última sondagem Datafolha, divulgada em julho, a presidente Dilma Rousseff (PT) marcou 38% das intenções de voto, o tucano ficou com 20%, e o socialista teve 9%  <br clear="all"> :

247 – A expectativa do PT em torno da primeira pesquisa com Marina Silva na disputa à Presidência após a morte precoce de Eduardo Campos (PSB) é que ela cole em Aécio Neves, candidato do PSDB.

Reunidos no Alvorada nessa sexta-feira para avaliar o novo cenário eleitoral, ministros e lideranças petistas apostam que a ex-senadora subirá por causa da comoção nacional provocada pela tragédia.

Na última sondagem Datafolha, divulgada em julho, a presidente Dilma Rousseff (PT) cresceu de 34% para 38% em um mês. No mesmo intervalo, o tucano oscilou de 19% para 20%. Já o então candidato do PSB variou de 7% para 9%, deixando assim a posição de empate técnico com o candidato Pastor Everaldo Pereira (PSC), estacionado em 4%.

 

Poder Roberta Namour Sat, 16 Aug 2014 10:55:06 +0000 http://www.brasil247.com/150347
Pasadena dá lucro e pode virar o caso no TCU http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/150346 : Refinaria do Texas lucra US$ 130 milhões no 1° semestre, impulsionada pelo uso do petróleo não convencional produzido nos EUA; para ex-dirigentes, dado prova que compra realizada pela Petrobras em 2006 não foi ruim e pode sustentar defesa no TCU; ministro José Jorge responsabilizou os executivos que estavam no cargo na época do polêmico negócio por um prejuízo calculado em US$ 792,3 milhões  <br clear="all"> :

247 – A refinaria Pesadena, do Texas, registou um lucro de US$ 130 milhões no 1° semestre. O bom desempenho é visto por ex-dirigentes da Petrobras como prova favorável contra uma decisão do Tribunal de Contas da União.

Baseado em relatório do ministro José Jorge, o órgão responsabilizou os executivos que estavam no cargo em 2006, durante a compra da refinaria americana pela estatal, por um prejuízo calculado em US$ 792,3 milhões

Entre eles, estão os ex-diretores da área internacional Nestor Cerveró e de abastecimento Paulo Roberto Costa, preso em uma operação da Polícia Federal sob a suspeita de esquema de lavagem de dinheiro com o doleiro Alberto Youssef.

Os ex-diretores querem usar o argumento de que o negócio não foi ruim e que os prejuízos decorrem do não cumprimento da arbitragem da Corte Americana, que repercutiu no pagamento de multas em uma segunda fase do processo de aquisição.

Brasil Roberta Namour Sat, 16 Aug 2014 10:32:48 +0000 http://www.brasil247.com/150346
Fux sinaliza que votará contra Arruda no TSE http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/150344 : Segundo o ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Fux, recém-empossado como titular do Tribunal Superior Eleitoral, após o julgamento do ex-governador José Roberto Arruda (PR-DF), líder das pesquisas no Estado e réu no chamado mensalão do DEM, todas as brechas sobre a aplicação da Lei da Ficha Limpa deverão ser resolvidas <br clear="all"> :

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Fux, recém-empossado como titular do Tribunal Superior Eleitoral, sinaliza que vai votar contra a candidatura do ex-governador José Roberto Arruda (PR-DF), líder das pesquisas no Estado.

Segundo ele, após o julgamento de Arruda, réu no chamado mensalão do DEM, todas as brechas sobre a aplicação da Lei da Ficha Lima deverão ser resolvidas.

De acordo com o Poder Online, o grande impasse sobre o qual os ministros terão de opinar é se, pela Lei da Ficha Limpa – da qual Fux foi relator em 2012, no STF – a data do registro de candidatura vale ou não como critério para anular a inelegibilidade imediata de candidatos condenados em órgão colegiado após o pedido de registro junto à Justiça Eleitoral.

Brasília 247 Roberta Namour Sat, 16 Aug 2014 09:30:57 +0000 http://www.brasil247.com/150344
TRE concede a Kátia direito de resposta à Época http://www.brasil247.com/pt/247/tocantins247/150343 : O desembargador Eurípedes Lamounier, do Tribunal Regional Eleitoral, acatou nessa sexta-feira, 15, a representação da senadora Kátia Abreu, candidata à reeleição, e determinou à revista Época que publique o direito de resposta de Kátia nas mesmas páginas da revista em que foi veiculada a reportagem "O roteiro do charme", considerada ofensiva pela Justiça Eleitoral e sem fundamento na verdade; não cumprimento da decisão, conforme a sentença, incorrerá numa multa diária de R$ 3 mil à Editora Globo, responsável pela publicação; veículo dirigido por Hélio Gurovitz acusou a senadora de rodar o mundo ao lado do namorado, Moisés Pinto, funcionário do seu gabinete no Senado com recursos públicos <br clear="all"> :

Tocantins 247 - O Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins acatou na tarde desta sexta-feira, 15, pedido da senadora Kátia Abreu, candidata à reeleição da coligação "A experiência faz a mudança", e determinou à Revista Época que publique direito de resposta da parlamentar sobre matéria publicada na edição da semana passada.

Kátia foi acusada pela revista de rodar o mundo ao lado do namorado, Moisés Pinto, funcionário do seu gabinete no Senado com recursos públicos.

Na decisão desta sexta, o desembargador Eurípedes Lamounier determina que o direito de resposta seja publicado nas mesmas páginas da revista em que foi veiculada a reportagem "O roteiro do charme", considerada ofensiva pela Justiça Eleitoral e sem fundamento na verdade. O não cumprimento da decisão, conforme a sentença, incorrerá numa multa diária de R$ 3 mil à Editora Globo, responsável pela publicação.

Argumenta o desembargador na decisão que as críticas em período eleitoral não podem descambar para a calúnia, difamação ou injúria. "No caso concreto, ao ler a matéria, convenci-me da existência de afirmação caluniosa e difamatória haja vista que em determinados trechos, a representada buscou denegrir a imagem da requerente utilizando-se de frases de caráter ofensivo com o intuito único de difamar a candidata", escreve o magistrado na decisão.

A questão já tinha sido objeto de parecer do Ministério Público Eleitoral que ressaltou ter sido a matéria de caráter ofensivo à senadora Kátia Abreu.

Leia também: Kátia vai à Justiça por direito de resposta à Época

A volta ao mundo de Kátia com dinheiro público

Em carta à Época, Kátia nega "Roteiro do Charme"

Tocantins 247 Aquiles Lins Sat, 16 Aug 2014 09:24:00 +0000 http://www.brasil247.com/150343
Justiça rejeita impugnar candidatura de Agnelo http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/150348 : Pedido de impugnação foi feito pela candidata a deputada federal Raquel Costa Ribeiro (PR), alegando que Agnelo Queiroz (PT)  não apresentou certidões negativas de processos no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e que o atual governador responde a ações de improbidade na Justiça; desembargadores entenderam que não há nenhum fato que o torne inelegível <br clear="all"> :

Da Agência Brasil - O Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) negou ontem (15), por unanimidade, um pedido de impugnação do registro de candidatura de Agnelo Queiroz (PT) ao governo do Distrito Federal. Os desembargadores entenderam que não há nenhum fato que torne inelegível o candidato à reeleição. Após a decisão, o registro de Agnelo foi autorizado.

O pedido de impugnação foi feito pela candidata a deputada federal Raquel Costa Ribeiro (PR). No pedido de impugnação, a acusação alegou que Agnelo não apresentou certidões negativas de processos no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e que o atual governador responde a ações de improbidade na Justiça. A defesa do candidato afirmou que ele está apto a concorrer por ter apresentado todas as certidões negativas e não ter sido condenado em decisão colegiada, conforme previsto na Lei da Ficha Limpa.

Brasília 247 Roberta Namour Sat, 16 Aug 2014 11:10:43 +0000 http://www.brasil247.com/150348
Amaral cede e Marina será mesmo candidata http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150333 : "A candidatura de Marina contempla nosso projeto. Será uma solução de continuidade. O PSB indicará o novo vice", afirmou o novo presidente do PSB, Roberto Amaral, que era visto como o principal obstáculo para o acerto; ex-senadora teria vencido resistências internas após encontro com a cúpula do partido em que sinalizou que vai manter os compromissos de Eduardo Campos, inclusive em São Paulo e no Rio de Janeiro; deputado gaúcho Beto Albuquerque, hoje candidato ao Senado, indica que é favorito para a vaga: "Não estou reivindicando, mas eu posso ser o vice" <br clear="all"> :

247 – Após o encontro com Marina Silva em São Paulo, a cúpula do PSB confirmou sua candidatura no lugar de Eduardo Campos. Ela deverá ser anunciada oficialmente na próxima quarta-feira (20).

Até o novo presidente do PSB, Roberto Amaral, visto como o principal obstáculo para o acerto, confirmou a escolha. "A candidatura de Marina contempla nosso projeto. Será uma solução de continuidade. O PSB indicará o novo vice", disse em entrevista ao colunista Bernardo Mello Franco

Agora, o partido discute quem será lançado como vice na chapa. O deputado gaúcho Beto Albuquerque, hoje candidato ao Senado, indica que é favorito para a vaga.

Em entrevista a Josias de Souza diz: “Não estou reivindicando, mas eu posso ser” o vice da nova chapa. Segundo ele, o PSB não pode ter um candidato a presidente pensado em fazer um novo partido, para mudar de partido depois. “Marina tem que incorporar todas as propostas do Eduardo. Inclusive as questões de gestão.”

Poder Roberta Namour Sat, 16 Aug 2014 06:56:09 +0000 http://www.brasil247.com/150333
Comitê de Aécio defende candidatura de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/150332 : Para o presidenciável tucano Aécio Neves, passado o momento de comoção em torno da trágica morte de Eduard Campos, Marina vai perder fôlego entre eleitores; partido já projeta aliança com o PSB no segundo turno para impedir aproximação da ex-senadora com o PT; “Não temos que atacar Marina. Nosso adversário a ser batido continua sendo Dilma e o PT”, disse o candidato a vice na chapa de Aécio Neves, senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) <br clear="all"> :

247 – De olho em um acordo no segundo turno contra a presidente Dilma Rousseff, o PSDB já se declarou a favor da candidatura de Marina Silva no lugar de Eduardo Campos pela chapa do PSB.

Ainda que Marina possa ser uma ameaça para o presidenciável tucano Aécio Neves, o próprio candidato acredita que, passado o momento de comoção entre eleitores pela trágica morte de Campos, que deve projetar a ex-senadora ao patamar de 20% das intenções de voto, segundo ele, ela pode começar a cair.

“Não temos que atacar Marina. Nosso adversário a ser batido continua sendo Dilma e o PT”, disse o candidato a vice na chapa de Aécio, senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP).

Segundo o presidente do PSDB de Minas, deputado Marcus Pestana, Marina vai procurar se diferenciar de Dilma e Aécio, colocando-se como uma suposta nova política. “Nossa estratégia não mudará”, garante.

Minas 247 Roberta Namour Sat, 16 Aug 2014 06:16:36 +0000 http://www.brasil247.com/150332
Reviravolta eleitoral reacende 'Volta, Lula' http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150334 : Ala defensora da candidatura de Lula afirma que resultado do Datafolha que vai testar o poder de urna de Marina Silva sobre a reeleição de Dilma será decisivo para pressionar uma substituição no PT; grupo, composto por lideranças petistas, mas também por empresários descontentes com a gestão atual, teme que a ex-senadora apareça nas próximas pesquisas eleitorais com chances reais de vitória <br clear="all"> :

247 – Principais defensores do ‘Volta, Lula’ veem na substituição de Eduardo Campos (PSB) por Marina Silva como um sinal de alerta para o PT. 

O grupo, composto por lideranças petistas, mas também por empresários descontentes com a gestão de Dilma Rousseff, teme que a ex-senadora apareça nas próximas pesquisas eleitorais com chances reais de vitória, impulsionada pela comoção da trágica morte de Campos e pelo desejo de mudança.

Lulistas afirmam que resultado do Datafolha que vai testar o poder de urna de Marina Silva sobre a reeleição de Dilma será decisivo para pressionar a substituição. A lei eleitoral permite que isso aconteça até 20 dias antes do primeiro turno, ou até15 de setembro.

Poder Roberta Namour Sat, 16 Aug 2014 07:13:28 +0000 http://www.brasil247.com/150334
A morte de Eduardo Campos é um ponto de mutação? http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150323 : Em artigo especial para o 247, o jornalista Luís Pellegrini, editor da revista Oásis, tenta desvendar os significados da morte de Eduardo Campos; "Como bem sabem os homens e mulheres sábios, sejam gregos antigos ou de qualquer outro tempo, não há renascimento sem morte que o anteceda, seja ela real ou simbólica. Uma morte é sempre sinal de que um ciclo novo tem de acontecer", diz ele; "O que provoca a ruptura da ordem natural das coisas? Em primeiro lugar a arrogância, a vaidade, o descomedimento, a perda da consciência de limites. Todos eles fatores perversos que o pensamento grego abrigava sob um mesmo denominativo: a hybris"; leia a íntegra <br clear="all"> :

Por Luís Pellegrini, editor da revista Oásis

Na Grécia Antiga, cuja cultura deu origem a quase tudo que somos ou pretendemos ser em termos de seres pensantes, a morte sempre foi entendida e acatada como sinal de mutação, de mudança de ciclo pessoal, social ou histórico. Percebida – da mesma forma que o nascimento - como fenômeno natural inerente à própria dinâmica da existência, ela nunca foi vista como "fim", mas sim como ponte necessária para se alcançar um recomeço. Portanto, como um "meio". E para os gregos,inventores da filosofia ocidental, os meios sempre foram muito mais importantes do que os fins.

Como bem sabem os homens e mulheres sábios, sejam gregos antigos ou de qualquer outro tempo, não há renascimento sem morte que o anteceda, seja ela real ou simbólica. Uma morte é sempre sinal de que um ciclo novo tem de acontecer, e toca a todos que a testemunham agir para que o ciclo novo aconteça.

Esta reflexão é importante e necessária, no momento em que todos nós, brasileiros, nos defrontamos com a morte brusca e prematura de um jovem político candidato a ocupar o posto supremo da cidadania nacional, a Presidência da República. Eduardo Campos não era apenas um políticojovem, inteligente e brilhante como todos a ele se referem agora. Ele representava, a cada dia mais, a possibilidade do surgimento em nosso país de uma nova casta de homens públicos diferenciados, caracterizados não necessariamente pela santidade – pois a política é muito mais arena de gladiadores do que panteão de santos – mas sim por um entusiasmoalegre e quase ingênuo, por um desejo honesto de mudar as coisas, típico dos idealistas que ainda não conhecem bem a espessura das barreiras que tentam impedir o avanço das reformas e das revoluções. Sabemos todos que as grandes utopias têm poucas chances de se realizar. Mas idealistas como Eduardo Campos são absolutamente necessários, sempre, esobretudo quando uma nação cai no descrédito em relação ao mundo do poder, da política e dos políticos em geral. Alguém, honestamente, poderá negar que isso está acontecendo aqui e agora no Brasil?

O destino matou Eduardo Campos. Alguns comentaristas adjetivam seu súbito desaparecimento de "morte estúpida". Mas basta subir uma oitava na escala do pensamento para se perceber que nenhuma morte é estúpida.Toda morte encerra uma lição, uma mensagem, um significado que deve ser decifrado, se não quisermos – como tantas vezes já fizemos e continuamos a fazer - perder o cavalo sem rabo do ensinamento que a existência quer nos dar.

No caso do Brasil, para se chegar a tal leitura, convém começar pelo recurso à raiz, à própria origem e base da alma nacional: o sincretismocorporal, psíquico, mental e anímico que nos caracteriza. Este sincretismo, queiramos ou não, gostemos ou não, é europeu-africano-indígena. Nele pontifica o orixá Olodumarê, o senhor supremo do destino. Ao lado dele, atuando como seu fiel servidor, está o orixá Exu, seu mensageiro, o encarregado da execução na Terra, e entre os homens, dos desígnios de Olodumarê.

Exu, que a santa ignorância dos missionários cristãos identificou com o diabo, nada mais é do que o braço regulador do destino. O princípio de poder que é ativado toda vez que a ordem natural das coisas é subvertida e quebrada, e que age – isento de qualquer consideração compassiva - para que essa ordem seja restabelecida.

O que provoca a ruptura da ordem natural das coisas? Em primeiro lugar a arrogância, a vaidade, o descomedimento, a perda da consciência de limites. Todos eles fatores perversos que o pensamento grego abrigava sob um mesmo denominativo: a hybris.

Não apenas a política brasileira, mas o mundo como um todo, vive hoje sob a égide da hybris. Não é por acaso falta de consciência de limites o que estamos fazendo ao dilapidar e poluir nossa própria casa, o planeta Terra? Não é descomedido o modelo de civilização que criamos,inteiramente assentado na escravidão da produtividade e do consumismo insustentáveis? Não será, por acaso, forrado de arrogância o mercado persa em que se tornou nosso mundo político, verdadeiro ringue de MMA vale tudo para o embate de todos os tipos de fisiologismos, de acordos e de alianças espúrias e pouco recomendáveis, praticados por legiões de políticos transformados em peagadês da Lei de Gérson?

Faz parte da ordem natural das coisas, no entanto, o fato de que carreira política é quase sinônimo de sacerdócio. Na sua etimologia original, política significa: "Arte ou ciência da organização, direção e administração de nações ou Estados". Será possível conceber-se a prática dessa arte ou ciência de modo dissociado do conceito de SacrumOfficium, ofício sagrado, significando a submissão dos desejos do ego pessoal às necessidades do bem comum?

Quando, no mundo, uma função sagrada - seja ela a do professor, a do médico, a do sacerdote, a do homem público – é vilipendiada e descaracterizada, isso configura ruptura da ordem natural das coisas. Isso ativa o poder de Exu. O princípio regenerador se manifesta, quase sempre de forma violenta e cega, desfazendo na sua fúria cega coisas, valores e pessoas que num instante estavam íntegras e no instante seguinte viraram pó. É este o momento em que, com frequência, os inocentes pagam pelos pecadores...

É o momento em que o inexorável Olodumarê, ao tirar de nós Eduardo Campos e aquilo que ele representava, talvez esteja querendo nos dizer: "Ambições mundanas, impulsos competitivos, a ânsia de status, poder ou bens materiais, tudo tende a dissipar-se quando visto contra o pano de fundo da morte potencialmente iminente. É como escreveu Carlos Castaneda, ao descrever os ensinamentos do feiticeiro yaki Don Juan: "Uma quantidade imensa de mesquinhez é abandonada quando a tua morte te acena ou a entrevês num breve relance. (...) A morte é a única conselheira sábia que possuímos".

Poder Leonardo Attuch Fri, 15 Aug 2014 20:21:06 +0000 http://www.brasil247.com/150323
Saito: 'não estamos escondendo nada sobre avião' http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/150335 : Brigadeiro Juniti Saito defende o trabalho da Aeronáutica na investigação do acidente que matou o presidenciável socialista Eduardo Campo; a caixa-preta do jato não teria gravado a conversa na cabine de pilotagem no momento do acidente: “Não estamos escondendo nada. Nosso trabalho é muito sério e reconhecido mundialmente”; ele afirma que o piloto Marcos Martins não indicou preocupação à rádio da Base Aérea do Guarujá no último contato antes da queda da aeronave; deputado Julio Delgado (PSB) vai pedir investigação independente <br clear="all"> :

247 – O brigadeiro Juniti Saito negou que a Aeronáutica esteja escondendo informações sobre a queda do avião que matou o presidenciável socialista Eduardo Campos (PSB).

A caixa-preta do jato não teria gravado as conversas da cabine de pilotagem durante o voo.

Segundo ele, no último contato com o piloto Marcos Martins disse ao operador de rádio da Base Aérea do Guarujá, apenas que estava arremetendo: "Vou aguardar a melhoria de condições do tempo", completou.

“Nosso sistema de investigação é reconhecido internacionalmente como um dos melhores do mundo. Só ficamos atrás do Canadá e empatamos com a União Europeia, com 96 a 97% de aprovação. Peço que confiem na Força Aérea, não vamos entrar no jogo político”, afirma.

O deputado Julio Delgado (PSB-MG) afirmou que o partido vai requerer na Justiça que a investigação seja acompanhada por advogados contratados pela sigla. "Sobre um acidente desses, não pode haver suspeição", disse. 

Brasil Roberta Namour Sat, 16 Aug 2014 07:32:52 +0000 http://www.brasil247.com/150335
Datafolha: cai vantagem de Serra ao Senado em SP http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/150337 : Sondagem desta sexta-feira aponta ex-governador José Serra (PSDB) com 33% e o senador Eduardo Suplicy (PT) com 30%; levando a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, eles podem ser considerados em empate técnico; em julho, a vantagem do tucano sobre o petista era de 34% a 29% <br clear="all"> :

247 – A pesquisa Datafolha desta sexta-feira aponta queda na vantagem do ex-governador José Serra (PSDB) na disputa pela vaga de São Paulo no Senado.

O tucano tem 33% e o senador Eduardo Suplicy (PT) aparece com 30%. Levando a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, eles podem ser considerados em empate técnico. Em julho, a vantagem de Serra sobre Suplicy era de 34% a 29%.

No interior, Serra mantém a liderança com 38% a 25%; já nos municípios da região metropolitana (incluindo a capital), Suplicy vence por 34% a 28%.

SP 247 Roberta Namour Sat, 16 Aug 2014 08:03:44 +0000 http://www.brasil247.com/150337
César Maia empata com Romário na briga pelo Senado http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/150336 : Segundo pesquisa Datafolha, com 29% das intenções de voto, o deputado federal do PSB e ex-jogador Romário aparece na liderança da corrida ao Senado pelo Rio de Janeiro; já o vereador e ex-prefeito do DEM César Maia soma 23%; margem de erro é de três pontos; ou seja: empate técnico <br clear="all"> :

247 – A pesquisa Datafolha desta sexta-feira sobre a disputa pelo Senado no Rio de Janeiro aponta César Maia na cola de Romário. 

Com 29% das intenções de voto, o deputado federal do PSB e ex-jogador segue na liderança das intenções de voto. No entanto, o vereador e ex-prefeito do DEM já aparece com 23%.

Foram entrevistados 1.317 eleitores em 31 municípios. A margem de erro é de três pontos, o que indica a possibilidade de empate técnico.

Maia será candidato da chapa do governador Pezão (PMDB). Já Romário representa a chapa de Lindbergh Farias (PT).

Rio 247 Roberta Namour Sat, 16 Aug 2014 07:48:34 +0000 http://www.brasil247.com/150336
MG: 64% desconhecem caso de pista em Cláudio http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/150338 : Levantamento realizado pelo Datafolha sobre a construção do aeroporto de Cláudio por Aécio Neves, quando era governador de Minas, nas terras que pertenceram à sua família, aponta que 64% dos eleitores mineiros disseram desconhecer o caso; questionados se a população da região se beneficiou com a obra, 14% consideram que foi muito beneficiada, 18% que foi pouco e 18%, nada  <br clear="all"> :

247 – O instituto de pesquisa Datafolha testou o conhecimento dos eleitores sobre a construção do aeroporto de Cláudio por Aécio Neves, quando era governador de Minas, nas terras que pertenceram à sua família.

Segundo levantamento realizado entre terça (12) e quinta-feira (14), após a divulgação da obra polêmica nos jornais, 64% dos eleitores mineiros disseram desconhecer o caso. Apenas 12% afirmaram estar bem informados e 9% disseram conhecer o caso, porém estão mal informados.

Reportagem da Folha de S. Paulo acusou o hoje presidenciável tucano de gastar R$ 13,9 milhões da verba do Estado para fazer a obra em terreno desapropriado de um tio-avô de Aécio. Ainda não foi homologada pela Agência Nacional de Aviação Civil, o senador tucano reconheceu que já usou a pista em viagens à região.

Questionados se a população da região de Cláudio se beneficiou com a obra, 14% consideram que foi muito beneficiada, 18% que foi pouco beneficiada e 18%, nada beneficiada. Metade dos consultados não soube responder.

O Datafolha ouviu 1.238 eleitores em 50 cidades mineiras. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Minas 247 Roberta Namour Sat, 16 Aug 2014 08:20:38 +0000 http://www.brasil247.com/150338
Mercado vê DNA tucano em Marina e bolsa dispara http://www.brasil247.com/pt/247/economia/150265 : Bolsa tem alta de 2% diante da possibilidade de ex-ministra assumir lugar, no PSB, de candidata a presidente; papéis da Petrobras experimentam alta de 8%; mesma matriz de pensamento de economistas ligados a ela e de formuladores do programa econômico do PSDB é reconhecida pelo mercado financeiro; ex-presidente do BNDES André Lara Resende, um dos pais do Plano Real, e professor do Insper Eduardo Gianetti fazem parte do núcleo econômico de Marina; “Temos fortes convergências com o PSDB”, admite Gianetti, que já fala como porta-voz da possível candidata <br clear="all"> :

247 – O mercado financeiro está eufórico diante da possibilidade de a ex-ministra Marina Silva se tornar a candidata do PSB à Presidência da República no lugar do ex-governador Eduardo Campos. Nesta sexta-feira 15, a Bovespa apresentou alta de 2,12%, quebrando duas semanas de sequência negativa. O motivo básico, segundo a unanimidade dos analistas, é a fina sintonia entre os formuladores do programa de governo que Marina defenderá, se escolhida, e o do presidenciável Aécio Neves, do PT. Qualquer uma das duas alternativas é melhor, para o mercado, do que a reeleição da presidente Dilma Rousseff – é o que o movimento de alta está a registar. A Petrobras, no dia, experimentou alta de de 8%.

À frente do programa de governo que poderá vir a ser defendido por Marina estão os economistas André Lara Resende e Eduardo Gianetti da Fonseca. O primeiro é tucano de quatro costados, um dos pais do Plano Real e ex-presidente do BNDES na gestão de Fernando Henrique Cardoso. Ele é amigo e próximo de Armínio Fraga, ex-presidente do BC de FHC e porta-voz informal do presidenciável Aécio Neves.

Gianetti, professor do Insper, já dá entrevistas como economista mais próximo a Marina. Ele admite que o programa dos seus sonhos “tem forte convergência” com o ideário defendido pelo PSDB. É oposição frontal à atual política econômica. “Vamos corrigir equívocos que têm sido cometidos pelo governo”, diz ele. Como se vê pela agitação financeira, frases como essa soam como música para os investidores, chamados por uns, e especuladores, como são classificados por outro os agentes do mercado.

Leia reportagem do portal Infomoney sobre o comportamento da Bolsa nesta sexta-feira:

Bolsa tem alta de 2% com "efeito Marina"

Por Rodrigo Tolotti Umpieres

SÃO PAULO - Em uma semana marcada pela tragédia envolvendo a morte do candidato à presidência Eduardo Campos, o Ibovespa conseguiu encerrar a sequência de duas quedas semanais e subiu 2,50% - nesta sexta-feira a alta foi de 2,12% -, aos 56.963 pontos, atingindo sua melhor semana nas últimas 4 semanas. Os últimos dias também foram marcados pela grande quantidade de resultados corporativos, com muitas empresas do índice divulgando seus balanços. O destaque neste pregão ficou com a Petrobras, que disparou 8% com as expectativas maiores de um segundo turno caso Marina seja candidata.

Seguindo o cenário dos últimos dois dias, esta sessão ficou marcada pelas especulações sobre o novo cenário político após a morte de Campos. Diante disso, o benchmark da bolsa ganhou força hoje em meio às sinalizações de que a candidatura de Marina Silva está ganhando forças para substituir Eduardo Campos. Com isso, aumenta a possibilidade de segundo turno, conforme ressalta o analista da XP Investimentos, Thiago Souza.

Logo após a morte de Campos, havia especulações de que talvez a ex-senadora não se candidatasse por apresentar divergências com o PSB,o que diminuiria as chances de uma segunda etapa nas eleições. "Neste momento, o que interessa é que haja um segundo turno", diz o analista. Além disso, mesmo não sendo a candidata dos sonhos do mercado, os quadros econômicos apresentados por ela, tendo assessores econômicos mais alinhados às medidas

No cenário internacional o dia foi de instabilidade, após a calmaria na véspera com a fala do presidente russo Vladimir Putin indicando que quer trabalhar para a paz na Ucrânia. No fim da manhã as tensões aumentaram depois da artilharia ucraniana destruir parte "significativa" de uma coluna de blindados russos que atravessou a fronteira da Ucrânia durante a noite, disse o presidente Petro Poroshenko ao primeiro-ministro britânico, David Cameron, nesta sexta- feira, de acordo com o site da Presidência.

Diante das incertezas internacionais, as bolsas internacionais fecharam o dia de forma mista, com o Nasdaq registando alta e os índices S&P 500 e Dow Jones com leves perdas. Enquanto isso, ativos de menor risco, como o dólar, também oscilaram, chegando a registrar alta, mas virando durante a tarde, fechando com leve queda de 0,24%, cotada a R$ 2,2625 na compra e R$ 2,2640 na venda.

Entre os indicadores, o dia ficou marcado pela divulgação do IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), considerado espécie de sinalizador do PIB (Produto Interno Bruto), que recuou 1,48% em junho sobre maio, fechando o segundo trimestre com queda de 1,20% contra o período anterior, de acordo com dados dessazonalizados, informou o BC. Com isso, diversas consultorias revisaram as suas perspectivas do PIB para baixo, com o Fator cortando a previsão do PIB de alta de 0,8% para 0,6%.

Resultados e Petrobras guiam sessão Diante das novas expectativas do cenário eleitoral, as ações da Petrobras (PETR3; PETR4) dispararam neste pregão, fechando com alta de mais de 8%. "O mercado está comprando a ideia de que a Marina garante o segundo turno, mas ainda aposta que a disputa final ficará entre Aécio Neves e Dilma Rousseff", disse o profissional de uma corretora no Rio de Janeiro ouvido pela agência Reuters. Como o mercado não gosta das medidas intervencionistas de Dilma Rousseff, sempre que se vislumbra um cenário de maior competitividade nas eleições.

Junto com a Petrobras, as ações da MRV (MRVE3, R$ 7,82, +7,12%) também subiram forte após a companhia reportar lucro líquido de R$ 134 milhões, ante R$ 117 milhões um ano antes, informou a companhia nesta quinta-feira. O lucro líquido no trimestre foi de R$ 401 milhões, beneficiado pela revisão para cima do valor atribuído à subsidiária Log. Segundo a equipe de análise da XP Investimentos, o resultado veio em linha com as estimativas do mercado.

Entre outros destaques, as ações da BRF (BRFS3, R$ 57,45, -1,69%) ficaram entre as maiores quedas do Ibovespa. Ontem a companhia informou que seu conselho de administração anunciou que o atual CEO Global, Claudio Galeazzi manifestou seu interesse em antecipar o início do processo de sucessão. De acordo com o comunicado, assinado pelo presidente do Conselho Abilio Diniz, a decisão do presidente se deu dado o bom momento vivido atualmente para a companhia e após a conclusão do ciclo inicial de transformação da empresa. Galeazzi deverá permanecer como CEO na BRF até o dia 31 de dezembro e contribuirá com o Conselho no processo sucessório.

Economia Ana Pupulin Fri, 15 Aug 2014 18:31:35 +0000 http://www.brasil247.com/150265
Dentista de Campos: "Corpos foram pulverizados" http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/150314 : Dentista de Eduardo Campos há 25 anos, Fernando Cavalcanti descartou nesta sexta-feira, 15, o reconhecimento do corpo do ex-governador de Pernambuco pela arcada dentária; segundo Cavalcanti, só exames de DNA poderão identificar de quem são os corpos; “É um trabalho difícil de quebra-cabeças. Infelizmente não encontraram corpos, encontraram partes de corpos. Foi impossível identificar, porque não temos sequer a arcada, pelo estrago em que estava [o local]”, explicou o dentista <br clear="all"> :
Ivan Richard, da Agência Brasil – O dentista Fernando Cavalcanti, que atendia Eduardo Campos há 25 anos, disse hoje (15) que não foi possível fazer o reconhecimento do corpo do ex-governador de Pernambuco pela arcada dentária. Segundo ele, as vítimas do acidente aéreo de quarta-feira (13) em Santos, no litoral paulista, só serão identificadas com exames de DNA.

“Vão ter que armar um quebra-cabeças e vão ter que montar. Os corpos foram pulverizados. É um trabalho difícil de quebra-cabeças. Infelizmente não encontraram corpos, encontraram partes de corpos. Foi impossível identificar, porque não temos sequer a arcada, pelo estrago em que estava [o local]. Levei a documentação, radiográfica completa, mas, infelizmente a explosão foi muito grande”, explicou o dentista, que é casado com uma prima de Renata Campos, viúva do ex-governador e candidato à Presidência da República pelo PSB.

Cavalcanti esteve hoje na casa da família de Eduardo Campos. Desde o acidente, Renata e os cinco filhos têm recebido visitas de parentes e amigos, além de políticos, na casa da família, que fica no bairro Dois Irmãos, no Recife.

Brasil Aquiles Lins Fri, 15 Aug 2014 19:25:12 +0000 http://www.brasil247.com/150314
Marina dá aval para consulta de seu nome no PSB http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150296 : Ex-senadora foi procurada pela cúpula do partido e autorizou o presidente, Roberto Amaral, a consultar os dirigentes da legenda sobre a hipótese de sair candidata no lugar de Eduardo Campos; ela se encontrou com Amaral e com o coordenador da campanha de Campos, Carlos Siqueira, e, segundo relatos, não teria colocado objeção sobre a consulta de seu nome a governadores, parlamentares e principais prefeitos pessebistas <br clear="all"> :

247 – A ex-senadora Marina Silva deu aval para que o presidente do PSB, Roberto Amaral, consulte as principais lideranças do partido sobre a hipótese de ela sair candidata a presidente da República no lugar de Eduardo Campos.

Marina foi procurada hoje por Amaral e pelo coordenador da campanha de Campos, Carlos Siqueira, e, segundo reportagem da Folha de S. Paulo, não teria colocado objeção sobre a proposta do dirigente nacional da legenda.

Amaral, que assumiu a presidência da legenda no lugar de Campos, consultará governadores, parlamentares e os principais prefeitos do PSB. O resultado da consulta será levado à reunião da Executiva, marcada para a próxima quarta-feira.

Segundo o deputado Gonzaga Patriota (PE), que está em Recife, caso Eduardo Campos seja enterrado no domingo, o encontro pode acontecer já na segunda-feira.

Desde a morte de Campos, de quem ela era candidata a vice, Marina vinha evitando falar de política.

Poder Gisele Federicce Fri, 15 Aug 2014 16:47:31 +0000 http://www.brasil247.com/150296
PT nega que tenha pressionado líderes do PSB http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150301 Partido dos Trabalhadores-Direto: Em nota, presidente do PT diz que partido "continua chocado e de luto" pela morte de Eduardo Campos e "reitera que não tem feito nenhuma interlocução eleitoral com o PSB"; texto assinado por Rui Falcão diz ainda que "assediar lideranças em um momento de tamanho choque" não seria a forma do PT de fazer política <br clear="all"> Partido dos Trabalhadores-Direto:

247 – O PT negou em nota nesta sexta-feira 15 que tenha articulado com líderes do PSB nos estados para conseguir apoio e assim enfraquecer a provável candidatura de Marina Silva, conforme publicou o jornal O Globo, com relatos de líderes pessebistas.

"O PT continua chocado e de luto pela tragédia que causou a morte do presidenciável Eduardo Campos e reitera que não tem feito nenhuma interlocução eleitoral com o PSB", diz o comunicado, assinado pelo presidente do partido, Rui Falcão.

"Não é, nunca foi e jamais seria a nossa forma de fazer política assediar lideranças nacionais ou regionais em um momento de tamanho choque", prossegue a nota.

O dirigente assegura que a legenda não procurou lideranças do PSB para tratar o assunto e informa que o partido só retomará suas atividades na segunda-feira.

Poder Gisele Federicce Fri, 15 Aug 2014 18:30:09 +0000 http://www.brasil247.com/150301
Piauí: Marina quer Renata Campos como vice http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150315 : Repórter da revista Piauí Daniela Pinheiro diz que a ex-senadora, principal nome para substituir Eduardo Campos na candidatura à presidência, gostaria de ter ao seu lado a ex-primeira dama e viúva de Campos, Renata; família do pernambucano já externou seu apoio para que Marina seja escolhida cabeça de chave na chapa do PSB <br clear="all"> :

247 – A ex-senadora Marina Silva, mais cotada a assumir o lugar de Eduardo Campos e se candidatar a presidente pelo PSB, gostaria de ter como vice em sua chapa a viúva do ex-governador de Pernambuco, Renata Campos. A informação é da repórter Daniela Pinheiro, da revista Piauí (leia aqui).

"Considera que ela, auditora do Tribunal de Contas de Pernambuco, gosta de política e entende de administração pública. Sua candidatura seria também uma maneira de homenagear o marido e manter viva a imagem da família na própria chapa presidencial. Seria, sobretudo, um tremendo lance de marketing", diz o texto da Piauí.

A família de Campos já externou seu apoio para que Marina saia candidata. Primeiro o irmão, nesta quinta-feira, Antônio Campos, se disse favorável ao seu nome. Depois a viúva, Renata. Marina foi procurada hoje pelo presidente do PSB e, segundo relatos, não teria colocado objeção para que o partido consulte lideranças a respeito de seu nome.

 

Poder Gisele Federicce Fri, 15 Aug 2014 19:11:14 +0000 http://www.brasil247.com/150315
Mônica Bergamo: PSB pode lançar Luiza Erundina http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150286 Fernando Borges/Terra: S�o Paulo, SP, 24/07/2012 - EST�DIO 1 - A Deputada Federal Luiza Erundina � a entrevistada do Jornal do Terra.

Foto: Fernando Borges/Terra A colunista Mônica Bergamo, uma das jornalistas mais bem informadas do País, publicou, nesta tarde, uma nota que representa uma guinada nas especulações eleitorais; segundo ela, o PSB estuda lançar a candidatura de Luiza Erundina, ex-prefeita de São Paulo e filiada ao partido, como candidata à presidência da República; Marina Silva permaneceria como vice; sinal de que não há consenso em torno do nome da ex-senadora, que enfrenta resistência do atual presidente da legenda, Roberto Amaral <br clear="all"> Fernando Borges/Terra: S�o Paulo, SP, 24/07/2012 - EST�DIO 1 - A Deputada Federal Luiza Erundina � a entrevistada do Jornal do Terra.

Foto: Fernando Borges/Terra

247 - A colunista Mônica Bergamo, uma das jornalistas mais bem-informadas do País, publicou, nesta tarde, uma informação que pode alterar os rumos da sucessão presidencial.

Segundo ela, uma ala do PSB estaria inclinada a lançar Luiza Erundina, ex-prefeita de São Paulo, ao Palácio do Planalto (leia aqui).

É uma indicação clara de que não há consenso no PSB em torno do nome de Marina Silva, que enfrenta resistência do próprio presidente da legenda e sucessor de Eduardo Campos no cargo, Roberto Amaral.

Nacionalista e defensor de teses contrárias às de Marina, como a energia nuclear, Amaral é aliado do ex-presidente Lula e, no passado, foi contrário à candidatura do próprio Eduardo Campos. Ele defendia o apoio à reeleição de Dilma.

Amaral também foi contrário à aliança entre o PSB e a Rede, de Marina Silva.

O lançamento de Luiza Erundina seria uma saída para evitar a candidatura da ex-senadora.

Poder Leonardo Attuch Fri, 15 Aug 2014 15:49:02 +0000 http://www.brasil247.com/150286
PML: disputa presidencial não é questão de família http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150253 : Em análise sobre os dilemas do PSB, o jornalista Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, afirma que a definição de uma candidatura não se faz por laços de sangue, como defendeu Antônio Campos, ao se colocar como voto mais importante na definição de quem sucederá seu irmão Eduardo Campos, na corrida presidencial; "Mesmo comandado com mão firme por Eduardo Campos, o PSB jamais ficou exibido como troféu na sala de visitas de sua casa. Era partido político real", diz ele; "Toda tentativa de resolver, de cima para baixo, uma disputa que envolve uma máquina política com essa dimensão lembra práticas típicas do coronelismo político, tradição nefasta contrária a toda noção de "nova política" que Eduardo Campos defendeu com muito empenho na campanha presidencial"; presidente do PSB, Roberto Amaral, defende mais cautela antes da definição da candidatura, ou não, de Marina Silva <br clear="all"> :

247 - O jornalista Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, publica importante análise sobre os dilemas atuais do PSB, antes da definição da candidatura ou não de Marina Silva, que pode ter como vice Antônio Campos, irmão do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

No texto "PSB não pode ser tratado como assunto familiar", ele afirma que a definição dos rumos do partido a partir de laços de sangue "lembra práticas típicas do coronelismo político, tradição nefasta contrária a toda noção de “nova política” que Eduardo Campos defendeu com muito empenho na campanha presidencial".

Leia, abaixo, um trecho:

Lembrando a imensa dor da tragédia do Guarujá, cabe registrar que uma candidatura presidencial está longe de ser uma questão de família.

Os laços de sangue, sabemos todos, se mostram muito importantes na hora de enfrentar uma tragédia. O calor dos parentes, com frequência, é um dos poucos elementos que podem servir de consolo.

Seu lugar na vida política é outro, porém. Laços de sangue são ingredientes naturais das monarquias e demais regimes aristocráticos onde a sucessão política se resolve pela genética do trono.

No Brasil, isso não acontece há muito tempo. Ninguém procurou familiares de Luiz Inácio Lula da Silva para saber sobre o futuro do PT no momento em que se descobriu um tumor maligno em sua laringe e ninguém adivinhava suas chances de recuperação.
Ninguém defendeu que a família de Tancredo Neves tivesse prerrogativas especiais depois que uma doença trágica impediu a posse do fundador da Nova República.

Mesmo comandado com mão firme por Eduardo Campos, o PSB jamais ficou exibido como troféu na sala de visitas de sua casa. Era partido político real. Fundado por Antonio Houaiss, um de nossos intelectuais mais relevantes e cultos, o PSB reúne, conforme o último levantamento disponível, um total de seis governadores de Estado, 327 prefeitos, 4 senadores, 32 deputados federais, 71 estaduais, 3484 vereadores.
Toda tentativa de resolver, de cima para baixo, uma disputa que envolve uma máquina política com essa dimensão lembra práticas típicas do coronelismo político, tradição nefasta contrária a toda noção de “nova política” que Eduardo Campos defendeu com muito empenho na campanha presidencial.

Íntegra no blog de Paulo Moreira Leite

Poder Leonardo Attuch Fri, 15 Aug 2014 12:15:03 +0000 http://www.brasil247.com/150253
Marina enfrenta problemas dentro e fora do PSB http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150248 : Tendência do partido é lançar Marina Silva candidata, mas antes a ex-senadora terá de superar divergências internas na legenda, agora presidida por Roberto Amaral; racha passa pela transformação da própria candidata, que deve se tornar menos personalista e mais identificada com o projeto partidário; fora do PSB, ela enfrentará a migração de candidatos a governos fortes no agronegócio, que antes apoiavam Campos, para a candidatura de Aécio Neves (PSDB), como Pedro Taques (PDT), no Mato Grosso, e Ivo Sartori, no Rio Grande do Sul; PSB convocou para a próxima quarta-feira 20 reunião para decidir candidato <br clear="all"> :

247 – À espera das últimas homenagens a Eduardo Campos, que deve ser sepultado no início da semana que entra, Marina Silva, que está hospedada em um apartamento na capital paulista, pede um "momento de luto" antes de voltar a discutir o cenário político. Todos sabem, porém – ela e a direção do PSB, ao menos – que seu nome é o mais provável a ser lançado no lugar do ex-governador de Pernambuco, que seria candidato não fosse o trágico acidente aéreo que causou sua morte na quarta-feira 13.

A formalização de sua candidatura, porém, passa por enfrentamento de problemas dentro e fora do PSB. Quanto mais a cúpula do partido demora a dar um sinal de como será o futuro, mais fica claro o racha da legenda. A legenda convocou para a próxima quarta-feira 20 uma reunião para decidir como ficará a candidatura. Ontem, o irmão de Eduardo Campos, Antônio, se posicionou favoravelmente à candidatura de Marina. Pouco depois, o partido mandou um recado, por meio de nota, ao dizer que estava de luto e a decisão se daria por "exclusivo critério" do PSB.

O cenário dá sinais de que a divisão vai além de marineiros e eduardistas. Já havia, antes mesmo do anúncio da chapa Campos-Marina, diferenças em diversas alianças estaduais e em pontos de vista, a exemplo da aliança com o setor do agronegócio. O ponto mais importante para a direção pessebista agora, no entanto, seria a garantia, por parte da ex-senadora, de que ela daria continuidade ao projeto do líder incontestável do partido, sem fazer uma campanha personalista, como fez em 2010, e sim mais identificada com o projeto partidário.

Fora do partido, a ex-ministra tem como principais desafios a resistência de candidatos de governos fortes no agronegócio. No Mato Grosso, Pedro Taques (PDT), que apoiava Campos, já rechaçou uma eventual candidatura de Marina e afirmou que migrará para a candidatura do tucano Aécio Neves (PSDB). A cúpula do PMDB avalia que seus dois candidatos a governos estaduais que apoiavam Eduardo Campos não ficarão ao lado de Marina. Nelson Trad (MS) e Ivo Sartori (RS) também são de estados com forte atuação do agronegócio. Eles sabem que, se apoiarem a líder da Rede, perdem votos.

Recentemente, Eduardo Campos acalmou os ânimos dos empresários do setor ao discursar em sabatina na Confederação Nacional da Agricultura (CNA). Sua fala foi focada no "diálogo" e contra o "preconceito" ao agronegócio, com várias citações a Marina Silva. Ele foi o candidato mais aplaudido no evento. Cabe agora a ela dispersar o clima de preocupação que se criou sem Campos no páreo.

Poder Ana Pupulin Fri, 15 Aug 2014 11:40:58 +0000 http://www.brasil247.com/150248
Jô Soares está com suspeita de câncer no pulmão http://www.brasil247.com/pt/247/cultura/150261 : Estado de saúde do apresentador da Globo é grave, informa colunista do jornal O Dia, do Rio; segundo ele, o oncologista Dráuzio Varella foi chamado para acompanhar o caso; Jô está internado desde o dia 25 de julho no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, para tratar de uma pneumonia <br clear="all"> :

247 – O apresentador da Globo Jô Soares, 76, está com suspeita de câncer no pulmão, publicou nesta sexta-feira 15 o colunista Leo Dias, do jornal O Dia, do Rio de Janeiro. Segundo ele, o estado de saúde de Jô é grave. O apresentador está internado desde o dia 25 de julho no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, para tratar de uma pneumonia.

O hospital não divulga boletins médicos a pedido da família. A princípio, o departamento de Comunicação da Globo informou que o caso não era grave e que Jô estava se recuperando bem. Segundo a emissora, a alta deve acontecer em breve. Sem poder gravar com Jô, a Globo tem passado reprises de entrevistas do "Programa do Jô".

O oncologista Dráuzio Varella teria sido chamado às pressas para acompanhar o caso, ainda de acordo com a coluna do O Dia. O apresentador teria tido uma parada cardíaca na noite de quarta-feira 13, segundo uma fonte ouvida pelo colunista.

Cultura Gisele Federicce Fri, 15 Aug 2014 12:35:18 +0000 http://www.brasil247.com/150261
Irmão de Campos se move para ser vice de Marina http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150212 : Antônio Campos, o irmão de Eduardo Campos que ontem foi o primeiro a lançar Marina Silva à presidência da República, quer ser vice na chapa da coligação Unidos pelo Brasil; seria uma forma de preservar o comando do PSB entre os herdeiros de Miguel Arraes e formar uma chapa Campos-Marina, mas com posições invertidas; em entrevista nesta sexta-feira, ele voltou a defender Marina como presidenciável; "Pela escolha de Eduardo quando fez a aliança, na ausência dele, Marina assumiria a Presidência. Ela tem densidade política e eleitoral para fazer o debate do Brasil neste momento", afirma; desafio de Antônio Campos é superar resistências internas no próprio PSB, cujo novo presidente, Roberto Amaral, sempre foi próximo a Lula e refratário à aliança com Marina <br clear="all"> :

247 – O irmão de Eduardo Campos, Antônio Campos, que sempre auxiliou o ex-governador de Pernambuco nos bastidores da política, quer agora assumir a herança política da família Arraes.

Segundo informações obtidas por 247, ele se articula para ser vice na chapa de Marina Silva. Assim, a coligação Unidos pelo Brasil teria ainda uma chapa Campos-Marina, mas com inversão de papéis; ela presidente, ele vice. 

Ontem, Antônio Campos foi o primeiro a lançar a candidatura de Marina, numa nota pública chamada "Não vamos desistir do Brasil". "Como filiado ao PSB, membro do Diretório Nacional com direito a voto, neto mais velho vivo de Miguel Arraes, presidente do Instituto Miguel Arraes – IMA e único irmão de Eduardo, que sempre o acompanhou em sua trajetória, externo a minha posição pessoal que Marina Silva deve encabeçar a chapa presidencial da coligação Unidos Pelo Brasil liderada pelo PSB, devendo a coligação, após debate democrático, escolher o seu nome e um vice que una a coligação e some ao debate que o Brasil precisa fazer nesse difícil momento, em busca de dias melhores. Tenho convicção que essa seria a vontade de Eduardo", disse ele.

Logo depois, Antônio Campos foi repreendido pelo presidente do PSB, Roberto Amaral, que afirmou que o momento "é de luto". Disse ainda que a decisão se dará por "exclusivo critério" do PSB, um partido que, como todos os outros, é presidencialista em seu processo decisório. Aliado histórico de Lula, Amaral sempre foi refratário à aliança com Marina Silva.

O futuro do PSB é incerto, mas Antônio Campos voltou a defender o nome de Marina Silva. “Pela escolha de Eduardo quando fez a aliança, na ausência dele, Marina assumiria a Presidência. Ela tem densidade política e eleitoral para fazer o debate do Brasil neste momento”, afirmou, em entrevista ao Globo. Segundo seu vice deve ser um quadro do partido que complemente seu perfil.

“Coloco o debate de que o partido precisa definir antes do prazo legal essa questão. E que a morte de Eduardo seja não apenas o luto e o choro, mas também signifique que o Brasil que está tão descrente com a política, com o voto nulo tão forte, desperte”, disse (leia aqui).

Poder Roberta Namour Fri, 15 Aug 2014 07:37:25 +0000 http://www.brasil247.com/150212
Ibope: Collor e Dilma lideram com folga em AL http://www.brasil247.com/pt/247/alagoas247/150227 : Pesquisa Ibope contratada pela TV Gazeta de Alagoas aponta uma folgada liderança do candidato ao Senado, Fernando Collor (PTB), e da presidente Dilma Rousseff (PT) na disputa em Alagoas; Collor abriu 17 pontos de vantagem sobre a segunda colocada, enquanto Dilma apresenta 41 pontos de diferença para o segundo colocado; pesquisa foi realizada antes do acidente que vitimou Eduardo Campos <br clear="all"> :

Alagoas247 - O Ibope divulgou, na manhã desta sexta-feira (15), a pedido da TV Gazeta de Alagoas, pesquisa de intenção de votos para o Senado e para a Presidência da República. Fernando Collor (PTB), que tenta a reeleição, lidera com ampla vantagem e tem 17 pontos de diferença para a segunda colocada. Dilma Rousseff (PT) abre 41 pontos de diferença para o segundo colocado, que era o então candidato Eduardo Campos (PSB). A pesquisa foi realizada antes do acidente aéreo que vitimou o presidenciável, na última quarta-feira (13).

Foram entrevistados 812 eleitores, em 39 municípios, entre os dias 10 e 12 de agosto. O nível de confiança utilizado no levantamento é de aproximadamente 95% e a pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o protocolo Nº AL-00006/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral sob protocolo Nº BR-00368/2014.

Na pesquisa estimulada para o Senado, Fernando Collor (PTB) tem 43% da preferência do eleitorado alagoano; Heloísa Helena (PSol) está em segundo lugar, com 26%; Eduardo Magalhães (PSDB) e Omar Coelho (DEM) estão empatados, com 2% cada; Coronel Brito (PEN), Helias Barros (PTC) e Marcos Aguiar (PTN) somaram 1% cada. Brancos e nulos totalizaram 13%, enquanto o item "Não sabe ou não respondeu" foi marcado por 11% dos entrevistados.

Na corrida à Presidência da República, Dilma Rousseff (PT) aparece com 51%; Eduardo Campos (PSB) pontuou com 10%; Aécio Neves (PSDB) tem 9%; Pastor Everaldo (PSC) tem 6%; Rui Costa Pimenta (PCO), Zé Maria (PSTU) e Eduardo Jorge (PV) pontuaram com 1% cada. Brancos e nulos somam 11%, enquanto o item "Não sabe ou não respondeu" foi assinalado por 8% dos entrevistados. É importante destacar que, neste cenário, o nome de Eduardo Campos é citado no questionário. O levantamento do Ibope foi concluído no dia 12 de agosto e o acidente que matou o candidato aconteceu no dia 13.

Perguntados sobre como classificam a administração de Teotonio Vilela Filho (PSDB), só 3% apontaram a gestão como ótima; 27% disseram considerar a administração boa; 27% classificaram como regular; 9% avaliam como ruim; e 27% consideram péssima o governo Vilela. O item "Não sabe ou não respondeu" corresponde a 6%.

Os entrevistadores perguntaram se os eleitores aprovam ou desaprovam a maneira como o Vilela vem administrando o estado de Alagoas. O levantamento Ibope revela que 41% dos entrevistados aprovam e que 49% desaprovam o modelo de gestão, enquanto 10% marcaram o item "Não sabe ou não respondeu". Quando questionados se confiam ou não no governador, 53% dos entrevistados disseram não confiar em Teotonio Vilela e 37% afirmaram confiar. 10% disseram não saber ou não responderam.

Nessa quinta-feira à noite, a TV Gazeta de Alagoas divulgou pesquisa que mostra Renan Filho (PMDB) à frente na disputa pelo governo de Alagoas. No levantamento estimulado, Renan Filho aparece com 46% das intenções de voto contra 23% do segundo colocado, o candidato Benedito de Lira (PP). Júlio Cezar (PSDB) e Mário Agra (Psol) apareceram 2%; Coronel Goulart (PEN), Gobery Lessa (PCB), Luciano Balbino (PTN) e Joathas Albuquerque (PTC) com 1% cada. À época da pesquisa, o PTC ainda não havia formalizado a saída de Joathas Albuquerque da disputa ao governo do Estado, o que só aconteceu no dia 12 de agosto. Brancos e nulos somam 16%. Não sabe ou não respondeu 11%.

Na pesquisa para o governo foram entrevistados 812 eleitores, em 39 municípios, entre os dias 10 e 12 de agosto. O nível de confiança utilizado no levantamento é de aproximadamente 95% e a pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o protocolo Nº AL-00006/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral sob protocolo Nº BR-00368/2014.

Com gazetaweb.com

Alagoas 247 Voney Malta Fri, 15 Aug 2014 09:31:05 +0000 http://www.brasil247.com/150227
"Foram todos juntos, voltam todos juntos" http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150226 : A ex-primeira dama e viúva do ex-governador de Pernambuco e candidato Eduardo Campos, Renata Campos, pediu que os corpos do marido e dos outros três pernambucanos - o jornalista e assessor de imprensa Carlos Percol, o fotógrafo Alexandre Severo e o cinegrafista Marcelo Lyra - que morreram no acidente de avião de quarta-feira 13 em Santos, litoral de São Paulo, sejam trasladados juntos para seu estado natal; "Foram todos juntos, voltam todos juntos", disse <br clear="all"> :

Pernambuco 247 - A ex-primeira dama e viúva do ex-governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos, Renata Campos, pediu que os corpos do marido e dos outros três pernambucanos - o jornalista e assessor de imprensa Carlos Percol, o fotógrafo Alexandre Severo e o cinegrafista Marcelo Lyra - que morreram em um acidente de avião nesta quarta-feira (13), em Santos, litoral de São Paulo, sejam trasladados juntos para seu estado natal. "Foram todos juntos, voltam todos juntos", pediu Renata aos membros da comitiva que viajou a São Paulo para providenciar a identificação e liberação dos restos mortais das vítimas da tragédia. Ao todo, sete pessoas morreram na queda da aeronave.

"Estamos num esforço concentrado para contactar as famílias e ajudar no processo de identificação dos restos mortais, que tem uma dinâmica própria. Eu estou em contato com a família de um dos pilotos, que era de Minas. Renata falou que deveríamos cuidar de todas as vítimas, para evitar qualquer privilégio que Eduardo Campos poderia ter", disse em entrevista o deputado federal Julio Delgado (PSB-MG).

A previsão é que os corpos sejam liberados neste sábado e, neste caso, o velório e o funeral seriam realizados no domingo. O velório deverá acontecer em frente ao Palácio do Campo das Princesas, sede do Governo de Pernambuco, onde também está prevista a realização de uma missa campal. Além do ex-governador, também deverão ser velados na mesma cerimônia os corpos do jornalista Carlos Percol e do fotógrafo Alexandre Severo. A família do cinegrafista Marcelo Lyra não confirmou se ele também será velado na mesma ocasião.

 

Pernambuco 247 Paulo Emílio Fri, 15 Aug 2014 09:44:40 +0000 http://www.brasil247.com/150226
Datafolha: Alckmin vence no 1° turno com 55% http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/150198 : Pesquisa Datafolha aponta reeleição do governador Geraldo Alckmin (PSDB) em 1° turno, com 55% - 1% a mais do que o levantamento anterior; na sequência, aparecem Paulo Skaf (PMDB), que se manteve estável com 16%; e o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha (PT), com 5% - tinha 4%; margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos; em uma simulação de 2° turno entre Alckmin e Skaf, o tucano também venceria com 63%, frente ao peemedebista com 26% <br clear="all"> :

247 – A pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (15) aponta reeleição do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), no 1° turno com 55% das intenções de voto.

Na sequência, aparece o presidente licenciado da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf (PMDB), com 16%. O ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha (PT) tem 5%.

No levantamento anterior, realizado pelo instituto nos dias 15 e 16 de julho, Alckmin tinha 54%, seguido por Skaf (16%) e Padilha (4%).

A pesquisa foi realizada nos dias 12 e 13 de agosto. Foram entrevistados 2.045 eleitores em 56 municípios do estado. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%.

Veja os números:

Geraldo Alckmin (PSDB) – 55% 
Paulo Skaf (PMDB) – 16%
Alexandre Padilha (PT) – 5%
Gilberto Natalini (PV) – 1%
Raimundo Sena (PCO) – 1%
Wagner Farias (PCB) – 1%
Laércio Benko (PHS) – 0%
Gilberto Maringoni (PSOL) – 0%
Walter Ciglioni (PRTB) – 0%
Brancos e nulos: 12%
Não sabe: 7%

Pesquisa espontânea

Na parte da pesquisa em que os entrevistadores do Datafolha perguntaram ao eleitor em quem votará, sem apresentar as alternativas, 20% mencionaram Alckmin:

- Geraldo Alckmin: 20%
- Paulo Skaf: 4%
- Alexandre Padilha: 2%
- Menções ao candidato do PT ou ao candidato da Dilma: 1%
- Brancos/nulos: 12%
- Outras respostas: 2%
- Não sabe: 59%

Segundo turno

Em uma simulação de 2° turno entre Alckmin e Skaf, o tucano teria 63%, o peemedebista 26%, branco/nulo: 8%, e indecisos 3%.

Rejeição

A maior rejeição dos eleitores entre os candidatos é com o petista Alexandre Padilha, que tem 28% (em julho, eram 26%). Na sequência aparecem Skaf (20%), Alckmin (19%), Natalini (12%), Maringoni (12%), Sena (12%), Farias (12%), Benko (11%), Ciglioni (9%).

SP 247 Roberta Namour Fri, 15 Aug 2014 05:32:08 +0000 http://www.brasil247.com/150198
RJ: Garotinho lidera disputa com 25% dos votos http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/150199 : Pesquisa Datafolha aponta Anthony Garotinho (PR) com 25% das intenções de voto; Marcelo Crivella (PRB) despenca de 24% para 18% e corre risco de ser ultrapassado pelo governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), agora com 16%; Lindberg Farias (PT) tem 12% das intenções de voto; mantida a tendência atual das pesquisas, segundo turno seria disputado entre Garotinho e o atual governador Pezão <br clear="all"> :

247 – A pesquisa Datafolha sobre a disputa pelo governo do Rio de Janeiro, divulgada nesta sexta-feira (15), aponta o candidato Anthony Garotinho (PR) na liderança com 25% das intenções de voto. Na sequência, aparecem Marcelo Crivella (PRB) com 18%, e o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), com 16% das intenções de voto. O petista Lindberg Farias tem 12%.

Na pesquisa anterior, realizada nos dias 15 e 16 de julho, Garotinho e Crivella estavam empatados com 24%. Pezão tinha 14% e Lindberg se manteve em 12%.

A nova sondagem foi feita entre os dias 12 e 13 de agosto com 1.317 eleitores em 31 cidades do Estado do Rio. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%.

Rio 247 Roberta Namour Fri, 15 Aug 2014 05:50:39 +0000 http://www.brasil247.com/150199
Renata Campos sinaliza apoio a Marina na disputa http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150200 : Companheira de Eduardo Campos desde os 13 anos, a viúva Renata tenta se manter firme diante dos cinco filhos; revelou a amigos que todos estavam tão felizes antes do acidente que nada indicava que algo ruim pudesse ocorrer; depois de o cunhado, Antônio Campos, declarar publicamente apoio para que Marina Silva assuma chapa do PSB, ela sinaliza que ex-senadora é a candidata natural para dar continuidade ao projeto do marido <br clear="all"> :

247 – Firme e serena, a viúva de Eduardo Campos (PSB) procura se manter forte diante dos cinco filhos. Renata e Eduardo estavam juntos desde os 13 anos e passou a última noite ao lado do presidenciável socialista jantando de mãos dadas, no Rio de Janeiro. 

Optou em não seguir o marido a Santos com o caçula Miguel, na viagem em que perderia sua vida num acidente de avião, para voltar a Pernambuco e cuidar dos outros filhos. Foi acompanhada por Rodrigo Molina, o sobrinho de Campos. 

"Não parece verdade", repete ela com frequência aos familiares. Segundo ela, todos estavam tão felizes e confiantes que nada indicava algo ruim. "Por isso estou com essa sensação de que a morte bateu na porta errada. Não era para ser eles. Não era."

Ainda abalada pela tragédia, Renata já sinaliza apoio para que Marina Silva substitua o marido na disputa, para dar continuidade a seu projeto. Seu voto terá grande peso na decisão do PSB. O único irmão de Eduardo, Antônio Campos, foi o primeiro integrante da família a se pronunciar sobre o assunto. 

"Tenho convicção de que essa seria a vontade de Eduardo", disse, antes de ser reprendido no PSB. Leia aqui reportagem de Natuza Nery sobre o assunto. 

 

Pernambuco 247 Roberta Namour Fri, 15 Aug 2014 05:36:50 +0000 http://www.brasil247.com/150200
MG: Pimentel, com 29%, pode levar no 1° turno http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/150204 : Candidato do PT ao governo de Minas Gerais, Fernando Pimentel aparece em vantagem na pesquisa Datafolha, com 29%, seguido de Pimenta da Veiga (PSDB), com 16%; Tarcísio Delgado (PSB) soma 4%; a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos; entre os candidatos com maior rejeição dos eleitores, Fidélis (PSOL) aparece com 16%, Pimenta com 14% e Fernando Pimentel e Cleide Donária com 10% cada <br clear="all"> :

247 – A pesquisa Datafolha desta sexta-feira (15) aponta o candidato Fernando Pimentel (PT) com 29% das intenções de voto na corrida pelo governo de Minas Gerais, seguido de Pimenta da Veiga (PSDB), com 16%. Tarcísio Delgado (PSB) aparece na sequência com 4%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 12 e 14 de agosto. Foram entrevistados 1.238 eleitores. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. 

Veja os números:

Fernando Pimentel (PT) – 29% 
Pimenta da Veiga (PSDB) – 16%
Tarcísio Delgado (PSB) – 4%
Eduardo Ferreira (PSDC) – 2%
Professor Túlio Lopes (PCB) – 2%
Fidélis (PSOL) – 1%
Cleide Donária (PCO) – 0%
Brancos e nulos: 14%
Não sabe: 31%

Entre os candidatos com maior rejeição dos eleitores, Fidélis aparece com 16%, Pimenta da Veiga com 14%, Fernando Pimentel e Cleide Donária com 10% cada, Tarcísio Delgado com 9%, Eduardo Ferreira e Professor Túlio Lopes com 8% cada.

Minas 247 Roberta Namour Fri, 15 Aug 2014 06:05:25 +0000 http://www.brasil247.com/150204
DF: Arruda e Agnelo fariam segundo turno http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/150202 : Pesquisa do Datafolha aponta ex-governador José Roberto Arruda (PR) com 35% das intenções de voto, frente aos 19% do atual governador, Agnelo Queiroz (PT); Rodrigo Rollemberg (PSB) tem 13%; margem de erro da pesquisa é de quatro pontos percentuais; réu no processo do mensalão do DEM, Arruda foi impugnado pelo TRE/DF, em razão da Lei da Ficha Limpa, mas ainda cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral <br clear="all"> :

247 – Impugnado pelo TRE/DF de se candidatar em 2014, em razão da Lei da Ficha Limpa, o ex-governador José Roberto Arruda (PR) ainda segue na liderança da disputa a governador do Distrito Federal. Pesquisa do Datafolha desta sexta-feira mostra que ele tem 35% das intenções de voto.

O atual governador, Agnelo Queiroz (PT) aparece na sequência com 19% e Rodrigo Rollemberg (PSB) com 13%. Os demais candidatos marcaram 11%. Brancos e nulos somaram 12%, e indecisos, 10%.

A margem de erro da pesquisa é de quatro pontos percentuais. Foram ouvidos 736 eleitores, entre terça (12) e quarta-feira (13).

Embora tenha sido derrotado no TRE/DF, Arruda irá recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral para se manter na disputa.

Brasília 247 Roberta Namour Fri, 15 Aug 2014 06:11:24 +0000 http://www.brasil247.com/150202
Após notificação, SP libera mais água para o Rio http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/150208 : Cesp reduziu de 30 m³/s para 10 m³/s a vazão na bacia por meio da Jaguari e foi notificada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), após queixa do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) sobre estocagem de água; estatal do governo de Geraldo Alckmin (PSDB) decidiu utilizar a represa Paraibuna para compensar a vazão do rio Paraíba do Sul, que abastece 15 milhões de pessoas, sendo 10 milhões no Estado de Luiz Pezão <br clear="all"> :

247 – Diante do impasse entre São Paulo e Rio de Janeiro sobre a questão do abastecimento de água, a companhia energética do governo de Geraldo Alckmin (PSDB) decidiu utilizar outra represa para compensar a vazão do rio Paraíba do Sul, que abastece 15 milhões de pessoas, sendo 10 milhões no Rio.

A Cesp reduziu de 30 m³/s para 10 m³/s a vazão na bacia por meio da Jaguari e foi notificada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) após queixa do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) sobre estocagem de água.

Segundo a ANA (Agência Nacional de Águas), desde domingo (10), dias depois do começo da crise, a diferença de 20 m³/s passou a ser compensada pela liberação de água na represa Paraibuna, que deságua no rio Paraíba do Sul. De 61 m³/s, a vazão nesse ponto aumentou para 80 m³/s.

 

SP 247 Roberta Namour Fri, 15 Aug 2014 07:03:31 +0000 http://www.brasil247.com/150208
Jarbas: “Coligação deve anunciar Marina de imediato” http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150201 : Ex-adversário político de Eduardo Campos, senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) diz que desaparecimento é uma perda irreparável para a política brasileira e que “a hora é de chorar e trabalhar”: “A coligação deve anunciar Marina e tem que fazer de imediato” <br clear="all"> :

247 - O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), ex-prefeito de Recife e ex-governador de Pernambuco, era um antigo desafeto de Eduardo Campos, mas reconciliou-se com o líder do PSB em 2012.

Na última quarta-feira, os dois almoçaram juntos: "Ele disse que estava contando nos dedos as horas e os minutos para começar o programa eleitoral na TV. Estava entusiasmado, botou na cabeça que podia fazer algo novo", lembra o senador.
Jarbas defende que a coligação de Campos lance a candidatura de Marina Silva à Presidência. "A hora é de chorar e trabalhar. A coligação deve anunciar Marina e tem que fazer de imediato".

Em artigo, ele diz que Campos foi o político mais brilhante de sua geração. “Seu desaparecimento é uma perda irreparável para a política brasileira, mas é uma perda ainda maior para seus familiares e amigos”, afirma.

Segundo ele, o desempenho firme e sóbrio de Eduardo na entrevista ao "Jornal Nacional" foi mais uma demonstração exemplar dessa sua capacidade diferenciada de comunicação, do seu carisma e da sua facilidade em expressar suas ideias e seus ideais.

“Eduardo tinha um projeto para o Brasil, tinha sonhos que a gente tem a obrigação de levar adiante”, afirma (leia mais).

Pernambuco 247 Roberta Namour Fri, 15 Aug 2014 05:40:28 +0000 http://www.brasil247.com/150201
Datafolha/PE: vitória de Monteiro Neto com 47% http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150207 : Candidato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Estado, senador Armando Monteiro Neto (PTB) seria eleito hoje no 1° turno, segundo pesquisa Datafolha; Paulo Câmara (PSB) aparece com 13% das intenções de voto; com a morte precoce do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, ele perde seu maior cabo eleitoral no Estado <br clear="all"> :

247 – O senador Armando Monteiro Neto (PTB) seria eleito hoje governador de Pernambuco no primeiro turno, de acordo com pesquisa Datafolha desta sexta-feira. Ele aparece com 47% das intenções de voto, seguido de Paulo Câmara, afilhado político do ex-governador Eduardo Campos (PSB) com 13%. Os outros quatro candidatos somam 5%.

Pesquisa ouviu 1.198 eleitores, entre os dias 12 e 13. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.
Ex-presidente da CNI (Confederação Nacional da Indústria), Monteiro é o candidato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Estado.

Datafolha avaliou ainda o governo de João Lyra Neto (PSB), que assumiu o cargo há quatro meses, com a licença de Campos para a disputa presidencial. Gestão foi aprovada por 24% dos entrevistados;12% o consideram ruim ou péssimo.

Com a morte precoce do presidenciável socialista, PSB de Pernambuco perde seu maior cabo eleitoral.

Pernambuco 247 Roberta Namour Fri, 15 Aug 2014 06:43:17 +0000 http://www.brasil247.com/150207
Lula sobre Campos: "Nós éramos dois companheiros" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150169 : Ex-presidente fala sobre sua relação com Eduardo Campos; "Nossa amizade extrapolava a política. Éramos mais do que dois políticos amigos, éramos dois companheiros", afirmou; para Lula, presidenciável morto em acidente aéreo, ontem, era "uma figura extremamente promissora" e "um político excepcional"; em campanha, Campos sempre se referiu de maneira positiva ao governo de Lula, do qual fez parte como ministro, e à pessoa do ex-presidente; ligação pessoal acima da disputa eleitoral; Lula espera ida dos restos mortais de Campos para Pernambuco para acompanhar o sepultamento; e diz que vai procurar presidente do PSB, Roberto Amaral, e Marina Silva para transmitir condolências; articulação política marcada para depois das cerimônias fúnebres <br clear="all"> :

247 – Ao falar nesta quinta-feira 14 no Instituto Lula, em São Paulo, o ex-presidente Lula declarou que sua relação com o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos ia além da política. A morte de Campos, vítima de um acidente aéreo na manhã de ontem, em Santos (SP), é uma "perda muito, mas muito grande para o Brasil", disse ele.

"Todos vocês sabem que a minha relação com o Eduardo Campos extrapolava a política. Nós éramos mais do que dois políticos amigos. Nós éramos dois companheiros que eu tive o prazer de conhecer ainda muito menino, que eu tive o prazer de ter afinidade ideológica com seu avô (Miguel Arraes) e de conviver com sua mãe, mulher e filhos", disse Lula.

Segundo Lula, Campos sabia "de alguns pensamentos" seus. O petista contou ter dito ao conterrâneo que não haveria "divergência política" que pudesse "arranhar a relação de amizade" construída por eles. Durante a campanha, Campos nunca criticou o governo Lula, nem a pessoa do ex-presidente, se limitando a disparar críticas contra a gestão da presidente Dilma Rousseff.

"Aquele companheiro jamais deveria ter morrido", lamentou Lula. Emocionado, o ex-presidente contou que dentro do PT existia até "ciumeira" por sua relação com ele, quando era governador de Pernambuco. Para Lula, "o Brasil não merecia isso". O ex-presidente definiu o amigo como "uma figura extremamente promissora" e "um político excepcional".

Lula afirmou estar esperando informações do Instituto Médico Legal (IML) para partir para o Recife com sua esposa, Marisa, e acompanhar o funeral e o sepultamento de Campos.

Ouça abaixo a íntegra do áudio: 

Poder Gisele Federicce Thu, 14 Aug 2014 17:39:31 +0000 http://www.brasil247.com/150169
FAB fala em drones em Santos (SP); Aeronáutica nega http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150167 : A Força Aérea Brasileira alertou tripulação do jato que levava Eduardo Campos sobre a existência de aeronaves não tripuladas (os chamados drones ou vants) nas imediações da base aérea de Santos (SP), onde ocorreu o acidente que matou o candidato; a Aeronáutica, porém, negou a hipótese de esse tipo de equipamento ter derrubado o avião <br clear="all"> :

Pernambuco 247 - Um alerta sobre pousos e decolagens da Força Aérea Brasileira (FAB), batizado de Notice to Airman (Notam), informava a tripulação que levava o candidato Eduardo Campos sobre a existência de aeronaves não tripuladas (os chamados drones ou vants) nas imediações da base aérea de Santos, litoral paulista, onde ocorreu o acidente que matou o ex-governador e mais seis pessoas.

O jornal Correio Braziliense, que afirmou ter tido acesso ao documento, noticiou que a nota técnica aponta a existência de drones naquela área do espaço aéreo onde ocorreu o acidente entre os dias 11 e 31 de agosto. O jornal aventou a possibilidade de que um vant tenha se deslocado da área permitida para o local onde o avião de Campos trafegava.

A Aeronáutica negou, no entanto, a possibilidade de um aparelho desse tipo ter derrubado a aeronave. A equipe do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) continua a investigar as causas do acidente.

Pernambuco 247 Paulo Emílio Thu, 14 Aug 2014 17:55:58 +0000 http://www.brasil247.com/150167
Candidato do PV pede suspensão do horário eleitoral http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/150162 : Eduardo Jorge, que também disputa a presidência, enviou carta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo para que o tribunal dê mais tempo para que a família de Eduardo Campos possa se recuperar da tragédia; o candidato pede a suspensão por três dias da propaganda, que começa na próxima terça-feira 19 <br clear="all"> :

247 – O candidato à Presidência da República pelo PV, Eduardo Jorge, enviou uma carta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo a suspensão por três dias da campanha eleitoral que começa na próxima terça-feira 19.

O candidato argumenta que o tempo seria necessário para que a família de Eduardo Campos, que se candidataria pelo PSB e morreu tragicamente ontem num acidente aéreo, e das outras vítimas que estavam na aeronave, se recuperassem.

O horário eleitoral gratuito é o momento crucial da campanha, uma vez que todos os candidatos têm alguns minutos na TV e no rádio para se tornarem conhecidos e exporem suas propostas. Na propaganda de Dilma, haverá uma homenagem a Campos.

Eduardo Jorge pediu também ao TSE que a chapa do PSB que lançaria Campos tenha mais tempo para a mudança de programa de governo caso decida lançar Marina Silva, que seria candidata a vice, como a postulante principal.

Brasil Gisele Federicce Thu, 14 Aug 2014 18:15:01 +0000 http://www.brasil247.com/150162
PSB contém irmão de Campos: momento de luto http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/150146 : Com uma nota intitulada "luto", presidente do partido, Roberto Amaral, já sinaliza que há uma disputa no PSB; enquanto o irmão de Eduardo Campos, Antônio, lança Marina Silva à presidência, ressaltando ser "filiado ao PSB, membro do diretório nacional com direito a voto", direção nacional comandada por Amaral manda recado de calma; "[O partido] recolhe-se, neste momento, (...) cuidando tão somente das homenagens devidas ao líder que partiu"; legenda "tomará, quando julgar oportuno, e ao seu exclusivo critério, as decisões pertinentes à condução do processo político-eleitoral", diz ainda o texto; cúpula se reuniu hoje em São Paulo e decidiu que qualquer anúncio só será feito após o sepultamento de Campos <br clear="all"> :

247 – Uma nota divulgada nesta tarde pelo PSB já dá sinais de disputa interna no partido. Por meio de carta, o irmão de Eduardo Campos, Antônio, defendeu hoje a candidatura de Marina Silva no lugar do ex-governador de Pernambuco, que sofreu ontem uma morte trágica. Antônio ressalta ser "filiado ao PSB, membro do diretório nacional com direito a voto" e defende que Marina "deve encabeçar a chapa da coligação Unidos pelo Brasil liderada pelo PSB".

A nota do partido intitulada "luto" saiu pouco tempo depois e manda um recado para o irmão de Campos: que se mantenha a calma. "[O partido] recolhe-se, neste momento, irmanado com os sentimentos dos seus militantes e da sociedade brasileira, cuidando tão somente das homenagens devidas ao líder que partiu", diz trecho do texto, assinado por Roberto Amaral, dirigente nacional do partido.

"A direção do PSB tomará, quando julgar oportuno, e ao seu exclusivo critério, as decisões pertinentes à condução do processo político-eleitoral", diz ainda o comunicado. Caciques do PSB se reuniram nesta manhã para discutir os rumos do partido na campanha presidencial e decidiram, antes de tudo, que qualquer anúncio oficial só deverá ser feito após o sepultamento de Campos, que pode acontecer no fim de semana.

Leia abaixo a íntegra da nota do PSB:

Luto - 14/08/2014

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) está de luto pela trágica morte de seu Presidente Nacional, Eduardo Henrique Accioly Campos, ocorrida em 13 de agosto de 2014. Recolhe-se, neste momento, irmanado com os sentimentos dos seus militantes e da sociedade brasileira, cuidando tão somente das homenagens devidas ao líder que partiu.

A direção do PSB tomará, quando julgar oportuno, e ao seu exclusivo critério, as decisões pertinentes à condução do processo político-eleitoral.

Roberto Amaral
São Paulo, 14 de agosto de 2014

Partido Socialista Brasileiro

Estiveram na reunião da capital paulista o presidente Roberto Amaral, o senador Rodrigo Rollemberg, candidato pelo PSB ao governo do Distrito Federal, o líder do PSB na Câmara, deputado Beto Albuquerque (RS), além do deputado Roberto Freire, presidente do PPS, que compõe a chapa do PSB nas eleições.

Na avaliação do deputado Júlio Delgado, presidente do PSB em Minas, se Eduardo Campos estivesse vivo, escolheria Marina para disputar o Planalto em seu lugar. "É um sentimento que tenho, pela relação que eles construíram ao longo dos últimos meses", disse ao jornal O Globo.

Beto Albuquerque disse achar "natural" a candidatura de Marina, mas ressaltou que não houve diálogo ainda com a ex-senadora. "Não sei se Marina, que é a nossa grande companheira, aceita ou não. Não a consultamos", afirmou o líder. 

SP 247 Gisele Federicce Thu, 14 Aug 2014 15:56:25 +0000 http://www.brasil247.com/150146
Blog da Cidadania aponta "escalada do ódio político no Brasil" http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/150154 : "Provocações surgem entre grupos que controlam os grandes meios e os que não têm mídia – ou que, hoje, têm pequenas mídias graças à internet", escreve o blogueiro Eduardo Guimarães, que traz à tona o post de um usuário no Facebook pedindo a morte de Dilma e de "todos os simpatizantes do PT"; segundo ele, "não há dúvida" de que a grande imprensa "é culpada por exacerbar o ódio político" no País desde o advento da República <br clear="all"> :

Por Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania

"Cinquenta (...) anos atrás [1957], um jovem fotógrafo do Arkansas Democrat (...) foi cobrir o primeiro dia de aula de um grupo de estudantes negros na maior e melhor escola média de Little Rock [Arkansas, EUA]. Esse pedaço de história ficou gravado no negativo de número 15.

Eram apenas nove os jovens negros selecionados pela direção do principal colégio da cidade, o Central High School, para cumprir a ordem judicial de integração racial no país. Segundo David Margolick, autor do recém-publicado Elizabeth and Hazel: Two Women of Little Rock (ainda inédito no Brasil), a peneira foi cautelosa. A busca se concentrou em colegiais que moravam perto da escola, tinham rendimento acadêmico ótimo, eram fortes o bastante para sobreviver à provação, dóceis o bastante para não chamar a atenção e estoicos o suficiente para não revidar a agressões. Como conjunto, também deveria ser esquálido, para minimizar a objeção dos 2 mil estudantes brancos que os afrontariam.

Assim nasceu o grupo que entraria na história dos direitos civis americanos como 'Os Nove de Little Rock'. Eram todos adolescentes bem-comportados, com sólidos laços familiares, filhos de funcionários públicos e integrantes da ainda incipiente classe média negra sulista. Entre eles, a reservada Elizabeth Eckford, de 15 anos.

Os pais dos nove pioneiros foram instruídos a não acompanharem os filhos naquele 4 de setembro de 1957, pois as autoridades temiam que a presença de negros adultos inflamasse ainda mais os ânimos. Por isso, os escolhidos agruparam-se na casa de uma ativista dos direitos civis e de lá seguiram juntos para o grande teste de suas vidas. Menos Elizabeth, que não recebera o aviso para se encontrar com os demais e partiu sozinha rumo a seu destino.

De longe ela avistou a massa de alunos brancos passando desimpedidos pelo cordão de isolamento montado pela Guarda Nacional do Arkansas. Ao tentar fazer o mesmo, foi barrada por três soldados que ergueram seus rifles. Elizabeth recuou, procurou passar pela barreira de soldados em outro lugar da caminhada e a cena se repetiu. Alguém, de longe, gritou 'Não a deixem entrar' e uma pequena multidão começou a se formar às suas costas. Foi quando Elizabeth se lembra de ter começado a tremer. Com a majestosa fachada da escola à sua frente, ela ainda fez uma terceira tentativa de atravessar o bloqueio em outro ponto do cordão de isolamento.

Como pano de fundo, começou a ouvir invectivas de 'Vamos linchá-la!', 'Dá o fora, macaca', 'Volta pro teu lugar', frases proferidas por vozes adultas e jovens. Atordoada, dirigiu-se a uma senhorinha branca – a mãe lhe ensinara que em caso de apuro era melhor procurar ajuda entre idosos. A senhorinha, porém, lhe cuspiu no rosto.

Como não conseguisse chegar à escola, a adolescente então tomou duas decisões: não correr (temeu cair se o fizesse) e andar um quarteirão até o ponto de ônibus mais próximo. Um aglomerado de cidadãos brancos passou a seguir cada passo seu. Imediatamente às suas costas vinha um trio de adolescentes, alunas do colégio. Entre elas, Hazel Bryan: "Vai pra casa, negona! Volta para a África!'.

Segundo o autor do livro centrado no episódio, foi este o instante em que a câmera de Will Counts captou a imagem que se tornaria histórica [vide foto no alto da página]. Hazel, de quinze anos e meio, não carregava qualquer livro escolar. Apenas uma bolsa e um inexplicável jornal. Ela não planejara nada para aquela manhã. Vestira-se com o esmero que era sua marca – roupas e maquiagem ousadas para uma adolescente daquela época – e arvorou-se de audácia ao ver tantos fotógrafos e soldados da Guarda Nacional. Nada além disso. O resto pode ser debitado à formação que recebera em casa – família de origem rural, ideário fundamentalista cristão, atitude racial aprendida com o pai (...)"

 

O relato acima foi escrito pela jornalista brasileira Dorrit Harazim, que já trabalhou na Veja, no Jornal do Brasil e na revista Piauí, que, em sua edição 62, publicou o artigo "Ódio Revisitado", do qual você acaba de ler um trecho.

Em princípio, pode-se dizer que um artigo sobre ódio "racial" contra negros em um país de maioria branca não nos diz respeito. Contudo, a causa do ódio nunca é o mais importante. O ódio precisa de uma causa, qualquer causa...

Porém, basta que o leitor substitua ódio "racial" por ódio religioso, de classe social, político ou ideológico para ver que o mecanismo é sempre o mesmo. Começa com a formação de turbas incomodadas com portadores de diferença de "raça", religião, classe social, naturalidade ou nacionalidade, opinião política ou ideologia.

O segundo passo das escaladas de ódio consiste na generalização contra portadores de diferenças como as exemplificadas acima. Todo negro, judeu, cristão, muçulmano, espírita, pobre, rico, nordestino, petista ou comunista passa a ser previamente definido com base em estereótipos.

O terceiro passo começa com a segregação voluntária dessas tribos conflitantes, que se distanciam conforme vão apurando a "razão" para não coexistir com quem não divide crenças, características físicas, estrato social ou posição geográfica.

O quarto passo do crescimento do ódio entre grupos é sua chegada aos meios de comunicação – antes impressos e depois eletrônicos. Provocações surgem entre grupos que controlam os grandes meios e os que não têm mídia – ou que, hoje, têm pequenas mídias graças à internet.

O quarto passo é o transbordamento para o mundo real do ódio virtual que se espalhou pelos meios de comunicação com a ascensão de líderes e figuras-símbolo a encarnar centenas, milhares, muitas vezes milhões ou dezenas de milhões de contrários. Esse ódio passa a se traduzir em trocas públicas de insultos.

O quinto passo começa tímido e, se não for interrompido, pode chegar ao sexto. Insultos e provocações já produzem agressões físicas aqui e ali. Incialmente tidas como fatos isolados, muitas vezes adquirem proporções epidêmicas, como vem ocorrendo há mais de uma década na Venezuela, onde, mais recentemente, dezenas perderam a vida em confrontos entre grupos políticos pró e contra o governo.

Abaixo, um dos exemplos dessa exacerbação do ódio que o Blog colheu no Facebook horas antes de publicar este post.

 

No Brasil, a escalada do ódio cresce há 500 anos por conta da assimetria de renda em um país consumista ao extremo, no qual, sem dinheiro, o cidadão torna-se um pária, um símbolo de fracasso pessoal premeditado. Mas como tudo que é ruim pode – ou tende a – piorar, eis que o ódio passa a decorrer da mais perigosa das divisões, a divisão político-religiosa-ideológica, origem majoritária das guerras.

O grande problema do brasileiro, neste momento, é assumirmos, cada um, nosso quinhão de responsabilidade por uma escalada do ódio que, para alguns, em lugar de ameaça representa prova de seu poder de contaminação da sociedade, a ser comemorado.

Outro jornalista brasileiro que deixou a revista Veja é Fred Di Giacomo, que hoje toca um site chamado Gluck Project. Di Giacomo, recentemente, escreveu "A história do Ódio no Brasil". Trecho do texto ilustra a tese deste post.

" 'Achamos que somos um bando de gente pacífica cercados por pessoas violentas'. A frase que bem define o brasileiro e o ódio no qual estamos imersos é do historiador Leandro Karnal. A ideia de que nós, nossas famílias ou nossa cidade são um poço de civilidade em meio a um país bárbaro é comum no Brasil (...)"

Poucos de nós são responsáveis pelo ódio político que tanto cresceu no país, mas boa parte de nossa sociedade é responsável por ter aderido a ele. Vale para o que espalha provocações na internet, vale para o que se deixa contaminar por elas e responde à altura.

Nos ambientes minimamente adequados ao debate político, vá lá que as coisas acabem esquentando. O problema é quando o ódio político ultrapassa qualquer limite aceitável e passa a ser espargido onde é, no mínimo, inaceitável que exista.

Mais de uma dezena de horas antes de compor o texto abaixo, seu autor teve uma experiência pessoal – e assustadora – com o crescimento do ódio político que fatores variados – e mais adiante elencados – produziram no país. O texto a seguir foi publicado por este que escreve em sua página no Facebook.

"Nunca vou parar de me surpreender com o potencial desolador da ignorância. Minha mulher participava de uma "comunidade" virtual de mães de meninas com síndrome de Rett (doença de [minha filha] Victoria) e essas mulheres começaram a postar sem parar acusações ao PT de ser responsável pela morte de Eduardo Campos por o partido ter o número 13 e o falecimento ter ocorrido num dia 13.

Minha mulher protestou contra esse absurdo e recebeu de volta uma saraivada de insultos. Mas o que é mais impressionante é que mães de meninas com doença igual à de minha filha começaram a atacar a menina perguntando se ela também "é petista" e dizendo que até imaginam que "tipo de mãe" minha mulher deve ser, sendo "petista".

A que ponto chegamos? Conseguiram envenenar este país ao impensável. Essas mesmas mulheres xingavam Dilma furiosamente e apelando para insultos que são sempre usados contra mulheres usando a própria condição feminina – puta, vaca, vadia, vagabunda, prostituta, sapatão etc., etc., etc.

Ver mães de crianças especiais atacando crianças especiais por política, ver mulheres usando o mais vil recurso do machismo contra mulheres, tudo por causa de política, dá vontade de chutar tudo pro alto e fugir pro outro lado do mundo, bem longe dessa loucura que essa direita assassina, que jogou o país em 20 anos de ditadura, trouxe de volta para a nação"

O desabafo (justificável pelo que relata), porém, não deixa de ser uma pitada de combustível na escalada do ódio ao debitar a um grupo ideológico (a direita) o comportamento espantoso de seus personagens. Mesmo sendo verdade, poderia ter feito o desabafo sem aumentar o potencial de conflagração que encerra naturalmente? Reflito que poderia, sim...

Para não acusar a terceiros, o blogueiro acusa a si mesmo na esperança de que cada um faça o mesmo, caso enxergue o crescimento do ódio no país.

Alguns dirão, com propriedade, que a grande imprensa, ao tomar partido político, levou a situação a esse ponto. Não há dúvida de que é culpada por exacerbar o ódio político no Brasil desde o advento da República, mas não se constrói uma casa sem tijolos. Se a mídia é construtora, quem são os tijolos dessa escadaria do ódio que estão edificando?

Em outras palavras, a mídia não poderia edificar essa escalada do ódio no Brasil se não tivesse farta matéria-prima. O mais dramático é que há tanta dessa matéria-prima espalhada por aí que não se sabe mais como recolhê-la em quantidade suficiente para que falte aos entusiasmados construtores do ódio. Nesse aspecto, sugestões serão mais do que bem-vindas.

Brasil Gisele Federicce Thu, 14 Aug 2014 16:39:07 +0000 http://www.brasil247.com/150154
Filho de Campos quer manter vivos ideais do pai http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150148 Alexandre Severo: RECIFE - 12/06/2014 - Eduardo Campos se prepara para assistir a estreia do Brasil na Copa do Mundo com a sua familia na sua casa no Recife. FOTO: ALEXANDRE SEVERO João Campos, filho mais velho do ex-governador de Pernambuco que faleceu nesta quarta-feira 13 em um acidente aéreo ocorrido em Santos (SP), prometeu continuar lutando pelos ideais defendidos por seu pai; de acordo com o primo Joaquim Pinheiro, que visitou a família nesta manhã, João Campos disse: "Perdi um pai e um líder, mas tem que se dar um jeito para que a bandeira dele não caia porque os ideais dele são o futuro do Brasil" <br clear="all"> Alexandre Severo: RECIFE - 12/06/2014 - Eduardo Campos se prepara para assistir a estreia do Brasil na Copa do Mundo com a sua familia na sua casa no Recife. FOTO: ALEXANDRE SEVERO

Pernambuco 247 - João Campos, filho do ex-governador de Pernambuco e presidenciável pelo PSB, Eduardo campos, que faleceu nesta quarta-feira (13) em um acidente aéreo ocorrido em Santos (SP), prometeu continuar lutando pelos ideais defendidos por seu pai. De acordo com o primo Joaquim Pinheiro, que visitou a família, na manhã desta quinta-feira, João campos teria dito que "Perdi um pai e um líder, mas tem que se dar um jeito para que a bandeira dele não caia porque os ideais dele são o futuro do Brasil". Nenhum dos filhos de Eduardo se pronunciou diretamente sobre o ocorrido ou sobre o seu legado político.

João Henrique Campos é filiado e militante do PSB desde 2013. Neste ano, ele chegou a ser cotado para assumir a direção da Juventude Socialista Brasileira (JSB-PE), mas desistiu de assumir o cargo em função da polêmica criada com a alegação de que ele estaria sendo favorecido pela cúpula partidária. O nome do jovem foi cotado para disputar uma vaga nas próximas eleições para deputado estadual.

Na época ele, ele emitiu uma nota onde dizia que precisava se preparar para fazer jus à herança política deixada pelo pai e pelo avô Miguel Arraes e que iria terminar o curso de Engenharia na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Pernambuco 247 Paulo Emílio Thu, 14 Aug 2014 15:50:27 +0000 http://www.brasil247.com/150148
Passageiros de avião sumido têm dinheiro sacado no banco http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/150145 : Polícia da Malásia investiga os saques de 111 milringgit (US$ 35 mil) de contas de quatro passageiros que viajavam no avião da Malaysia Airlines que desapareceu em 8 de março no Oceano Índico <br clear="all"> :

EFE - A polícia da Malásia investiga os saques de 111 milringgit (US$ 35 mil) de contas de quatro passageiros que viajavam no avião da Malaysia Airlines que desapareceu em 8 de março no Oceano Índico.

"Os bancos perceberam a retirada do dinheiro em 18 de julho. Realizaram uma investigação interna antes de denunciá-lo à polícia, em 2 de agosto", explicou o ajudante do diretor do Departamento de Investigação de Delitos Comerciais, Izany Abdul Ghany, publicou nesta quinta-feira o jornal malaio "Star".

Izany assinalou, em entrevista coletiva na quarta-feira, que as imagens gravadas pelo circuito de câmaras de vigilância estão sendo analisadas, e que nesta fase da investigação nenhuma possibilidade pode ser descartada.

O Boeing da Malaysia Airlines que realizava o voo MH-370 decolou de Kuala Lumpur na madrugada de 8 de março com 227 passageiros e 12 tripulantes a bordo. Ele deveria chegar em Pequim seis horas depois, mas desapareceu dos radares com 40 minutos de voo.

Segundo os dados identificados por satélite, o avião mudou de rumo em uma "ação deliberada" e atravessou a Península de Malaca no sentido contrário ao trajeto inicial e acredita-se que pode ter caído no sul do oceano Índico.

As operações de busca em uma área remota do Índico devem ser retomadas em setembro, desta vez a cargo de uma companhia especializada em rastreamento submarino.

Mundo Gisele Federicce Thu, 14 Aug 2014 15:23:16 +0000 http://www.brasil247.com/150145
Irmão de Campos lança Marina à presidência http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150136 : "Como filiado ao PSB, membro do Diretório Nacional com direito a voto, neto mais velho vivo de Miguel Arraes, presidente do Instituto Miguel Arraes – IMA e único irmão de Eduardo, que sempre o acompanhou em sua trajetória, externo a minha posição pessoal que Marina Silva deve encabeçar a chapa presidencial da coligação Unidos Pelo Brasil liderada pelo PSB", disse, em nota, Antônio Campos, irmão de Eduardo, que faleceu ontem; "Não vamos cultivar as cinzas desses dois grandes líderes, mas a chama imortal dos ideais que os motivava", disse ele, referindo-se ao irmão e ao avô Miguel Arraes, que também faleceu num 13 de agosto <br clear="all"> :

247 - O irmão de Eduardo Campos, Antônio Campos, acaba de lançar Marina Silva à presidência da República. Leia, abaixo, nota divulgada por ele:

“NÃO VAMOS DESISTIR DO BRASIL”

A minha perda afetiva do único irmão é imensa, mas é grande a perda do líder Eduardo Campos, politico de talento e firmeza de propósitos.

A nossa família tem mais de 60 anos de lutas políticas em defesa das causas populares e democráticas do Brasil. O meu avô Miguel Arraes foi preso e exilado, não se curvando à ditadura militar. Eduardo Campos continuou o seu legado com firmeza de propósitos, tendo trazido uma nova era de desenvolvimento para Pernambuco. Desde 2013 vinha fazendo o debate dos problemas e do momento de crise por que passa o Brasil, querendo fazer uma discussão elevada sobre nosso país. Faleceu em plena campanha presidencial, lutando pelos seus ideais e pelo que acreditava.

O mundo está nas mãos daqueles que têm coragem de sonhar e de correr o risco para viver os seus sonhos pessoais e coletivos. Ambos faleceram, no dia 13 de agosto, e serão plantados no mesmo túmulo, no Cemitério de Santo Amaro, em Recife, túmulo simples, onde consta uma lápide com a frase do poeta Carlos Drummond: “ tenho duas mãos e o sentimento do mundo”. Essas sementes de esperança e de resistência devem inspirar uma reflexão sobre o Brasil, nesse momento, para mudar e melhorar esse país, que enfrenta uma grave crise, sendo a principal dela a crise de valores. Não vamos cultivar as cinzas desses dois grandes líderes, mas a chama imortal dos ideais que os motivava.

Como filiado ao PSB, membro do Diretório Nacional com direito a voto, neto mais velho vivo de Miguel Arraes, presidente do Instituto Miguel Arraes – IMA e único irmão de Eduardo, que sempre o acompanhou em sua trajetória, externo a minha posição pessoal que Marina Silva deve encabeçar a chapa presidencial da coligação Unidos Pelo Brasil liderada pelo PSB, devendo a coligação, após debate democrático, escolher o seu nome e um vice que una a coligação e some ao debate que o Brasil precisa fazer nesse difícil momento, em busca de dias melhores. Tenho convicção que essa seria a vontade de Eduardo.
Agradeço, em nome da minha família enlutada, as mensagens do povo brasileiro e de outras nacionalidades.

Antônio Campos
Advogado e escritor

Recife, 14 de agosto de 2014

Pernambuco 247 Leonardo Attuch Thu, 14 Aug 2014 13:40:27 +0000 http://www.brasil247.com/150136
Dilma fará homenagem a Campos em programa de TV http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150132 : Filme que será transmitido na TV durante o programa eleitoral gratuito da presidente Dilma Rousseff trará uma breve homenagem ao ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, que morreu ontem em um trágico acidente aéreo e disputaria a presidência com a petista; mensagem deve ser gravada pelo ex-presidente Lula, que foi padrinho político de Campos, era seu amigo e ficou abalado com a morte <br clear="all"> :

247 – Um dos filmes da propaganda eleitoral da presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, terá uma homenagem a Eduardo Campos, que disputaria a presidência pelo PSB. O horário eleitoral gratuito começa na próxima terça-feira 19. Campos sofreu uma morte trágica na manhã de ontem, após a queda da aeronave em que estava, no litoral paulista. Nenhuma das sete pessoas a bordo sobreviveu.

A mensagem deverá ser gravada pelo ex-presidente Lula, segundo reportagem da Folha de S. Paulo. O cacique petita foi padrinho político de Campos, era amigo dele e ficou bastante abalado com a morte. Ele fazia gravações para a propaganda de Dilma quando soube do acidente nesta quarta-feira. O ex-presidente cancelou a filmagem e toda a agenda dos próximos dias para acompanhar o velório no Recife, que deve acontece no fim de semana.

Bastante emocionada, a presidente Dilma também fez um pronunciamento para comentar a morte de Campos. "O Brasil está de luto", disse a presidente. "O Brasil perde uma jovem liderança com um futuro extremamente promissor pela frente. Um homem que poderia galgar os mais altos postos do país", acrescentou a presidente, dizendo que "fomos afetados pela fragilidade da vida, mas também pela força do exemplo das pessoas".

Leia abaixo nota de pesar divulgada por Lula e pelo Palácio do Planalto, antes do pronunciamento de Dilma:

Como todos os brasileiros, estou profundamente entristecido com a trágica morte de Eduardo Campos. Um grande amigo e companheiro.

Conheci Eduardo através de seu avô, Miguel Arraes, um memorável líder das causas populares de Pernambuco e do Brasil.

O país perde um homem público de rara e extraordinária qualidade. Tive a alegria de contar com sua inteligência e dedicação nos anos em que foi nosso ministro de Ciência e Tecnologia. Ao longo de toda sua vida, Eduardo lutou para tornar o Brasil um país mais justo e digno.

O carinho, o respeito e a admiração mútua sempre estiveram presentes em nossa convivência.

Nesse momento de dor, eu e Marisa nos solidarizamos com sua mãe, Ana Arraes, sua esposa, Renata, seus filhos e toda a sua família, amigos e companheiros.

Também prestamos solidariedade às famílias dos integrantes da sua equipe e dos tripulantes que falecerem nesse terrível acidente.

Luiz Inácio Lula da Silva


Nota do Planalto

O Brasil inteiro está de luto. Perdemos hoje um grande brasileiro, Eduardo Campos. Perdemos um grande companheiro.

Neto de Miguel Arraes, exemplo de democrata para a minha geração, Eduardo foi uma grande liderança política. Desde jovem, lutou o bom combate da política, como deputado federal, ministro e governador de Pernambuco, por duas vezes.

Tivemos Eduardo e eu uma longa convivência no governo Lula, nas campanhas de 2006, 2010 e durante o meu governo.

Estivemos juntos, pela última vez, no enterro do nosso querido Ariano Suassuna. Conversamos como amigos. Sempre tivemos claro que nossas eventuais divergências políticas sempre seriam menores que o respeito mútuo característico de nossa convivência.

Foi um pai e marido exemplar. Nesse momento de dor profunda, meus sentimentos estão com Renata, companheira de toda uma vida, e com os seus amados filhos. Estou tristíssima.

Decretei luto oficial de 3 dias em homenagem à memória de Eduardo Campos. Determinei a suspensão da minha campanha por 3 dias.

Está cancelada a entrevista que seria concedida ao Jornal Nacional.

Durante os três primeiros anos do governo Dilma, o PSB, de Campos, foi um dos principais aliados do governo Dilma.

 

Poder Gisele Federicce Thu, 14 Aug 2014 13:28:10 +0000 http://www.brasil247.com/150132
Três razões explicam por que Marina será candidata http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150109 : Mesmo em luto, chefes do PSB já reconhecem que não têm margem de manobra para evitar substituição do falecido Eduardo Campos por Marina Silva; 1) Hipótese de outro nome representaria ofensa à pessoa que o próprio Campos escolheu para ser sua parceira; 2) Nomes alternativos como os do ex-ministro Ciro Gomes e seu irmão Cid Gomes, governador do Ceará, trocaram o partido pelo PROS, 3) Hipótese de desistência da eleição sinalizaria ao eleitorado capitulação diante do PT; nessa situação, de acordo com o consenso que vai se formando no comando dos socialistas, PSB cometeria suicídio como partido; paliativo à falta de confiança no comportamento político de Marina deve ser indicação de ex-deputado Maurício Rands, ex-secretário de Governo de Campos em Pernambuco, como vice; prazo de dez dias para formalização da dura mudança corre <br clear="all"> :

247 – Três motivos, segundo integrantes da direção nacional do PSB ouvidos por 247, explicam por que, mesmo sob a desconfiança do partido, a ex-ministra Marina Silva será mesmo indicada para substituir Eduardo Campos como candidata a presidente pela legenda:

1) O próprio Campos escolheu Marina para secundá-lo. Rechaçar Marina, na atual circunstância, seria um ofensa não apenas a ela, como também à liderança e à memória dele;

2) Falta de alternativa dentro do próprio partido. O comando do PSB se ressente da ida dos irmãos Cid Gomes, governador do Ceará, e Ciro Gomes, ex-ministro, para o PROS. Caso eles ainda tivessem dentro da legenda socialista, a margem de manobra para uma troca existiria. Com ambos fora, não há nome de filiado que seja capaz de convencer o eleitorado sobre a ultrapassagem à ex-senadora; 

3) Uma eventual desistência da eleição passaria para o eleitorado a mensagem de que o PSB teria se "vendido", na expressão de um dirigente, ao PT. O partido adversário seria o mais beneficiado pelo fato de Marina, forte em todas as pesquisas eleitorais, não concorrer.

Diante desses três pontos, mesmo sob luto, a cúpula do PSB já sabe que não possui espaço para fazer algo diferente do que se mostra como a solução mais natural.

A forte ligação estabelecida durante a campanha entre Eduardo e Marina leva os socialistas e sonharem, em meio ao pesadelo, com um cenário inicial de suspensão das críticas dela à política de alianças do partido e outros aspectos. Marina deverá fazer uma campanha, imaginam eles, com base na emoção, no que ela é especialista.

Mas para não deixá-la com o comando absoluto da nova situação, o paliativo estudado é a nomeação do ex-deputado e ex-secretário de Governo de Pernambuco, na gestão de Campos, Maurídio Rands. Muito ligado ao presidenciável que morreu na quarta-feira 13, em acidente aéreo, em Santos, Rands foi do PT. Na prática, funcionará como contraponto à renovada força da futura candidata. O prazo legal de dez dias para as novas indicações está correndo.

Poder Ana Pupulin Thu, 14 Aug 2014 11:14:41 +0000 http://www.brasil247.com/150109
Sepultamento de Campos pode ser só no domingo http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150111 : "Possivelmente, o sepultamento deve ocorrer ou no sábado ou no domingo", afirmou o governador de Pernambuco, João Lyra Neto (PSB), que embarcou para São Paulo nesta manhã e irá acompanhar o traslado do corpo do IML, na capital paulista, para o Recife; após reunião com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), Lyra terá o cronograma definitivo da liberação dos corpos <br clear="all"> :

Pernambuco 247 – O sepultamento do ex-governador de Pernambuco e candidato a presidente Eduardo Campos (PSB) pode acontecer apenas no domingo 17, informou nesta manhã o governador do Estado, João Lyra Neto (PSB). "Possivelmente, o sepultamento deve ocorrer ou no sábado ou no domingo", disse Lyra, em entrevista à Rádio Jornal. Campos morreu na manhã de ontem após a queda do jato particular que o levava em Santos, no litoral paulista.

Segundo Lyra, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), informou o governo de Pernambuco que as buscas no local do acidente devem terminar no início desta tarde. O material ficará sob análise no Instituto Médico Legal (IML) Central, na capital paulista, e a expectativa é que demore até dois dias para que o processo seja finalizado. Para facilitar o trabalho, o governo de Pernambuco coletou informações de DNA das vítimas que estavam na aeronave. Além de Campos, morreram sete pessoas, sendo quatro da equipe da campanha de Campos, além do piloto e do copiloto.

João Lyra Neto voou nesta manhã para São Paulo e, depois de se reunir com o governador Geraldo Alckmin, tomará conhecimento do cronograma sobre a liberação do corpo. Eduardo Campos será enterrado no cemitério de Santo Amaro, no centro de Recife. O velório acontecerá no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual. A família do ex-governador decidiu realizar uma missa campal na Praça da República, em frente ao Palácio.

No cemitério, funcionários da Prefeitura preparam o local onde será sepultado o corpo de Campos, no mesmo túmulo onde está o corpo de seu avô, o ex-governador Miguel Arraes. Os túmulos no entorno do de Arraes estão mal conservados e ganham pintura de última hora.

Pernambuco 247 Gisele Federicce Thu, 14 Aug 2014 11:17:54 +0000 http://www.brasil247.com/150111
FHC soube da morte de Campos por José Roberto Marinho http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150115 : Ex-presidente estava em casa, em São Paulo, quando soube do acidente que provocou a morte de Eduardo Campos em Santos, no litoral paulista; quem o avisou por telefone foi José Roberto Marinho, vice-presidente das Organizações Globo, segundo a coluna Painel; FHC deu entrevista ao Jornal Hoje, da Globo, quando disse que a perda do candidato era "um choque para a República" <br clear="all"> :

O ex-presidente da República soube da tragédia que causou a morte de Eduardo Campos por José Roberto Marinho. O vice-presidente das Organizações Globo o telefonou em casa. A notícia é da coluna Painel, da Folha de S. Paulo:

Na linha Fernando Henrique Cardoso estava em casa quando soube da tragédia em Santos. Quem o avisou por telefone foi José Roberto Marinho, vice-presidente das Organizações Globo.

Pouco tempo depois, FHC deu entrevista ao Jornal Hoje, que começa às 13h20 na Globo, quando disse que a morte do candidato era "um choque para a República". "É uma perda grande, de um líder jovem, um homem que abria esperanças para o Brasil", disse o tucano (leia aqui).

 


Poder Gisele Federicce Thu, 14 Aug 2014 11:34:38 +0000 http://www.brasil247.com/150115
PML: fator Marina complica campanhas de Aécio e Dilma http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150060 : Em análise sobre o impacto político da morte precoce de Eduardo Campos, o jornalista Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, avalia que Marina Silva será a nova aposta de setores conservadores em razão de um grande receio, o "de que Aécio Neves já tenha chegado a seu limite eleitoral"; no entanto, ela avalia que as dificuldades e incertezas criadas pela eventual entrada de Marina na disputa atingem tanto Aécio como a presidente Dilma Rousseff; segundo ele, Marina "pode atropelar Aécio"e tirá-lo da briga; Dilma também perde porque contava com o apoio histórico do PSB numa eventual disputa contra o tucano, no segundo turno <br clear="all"> :

247 - Em artigo sobre o impacto da morte precoce de Eduardo Campos, Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, avalia que a eventual entrada de Marina Silva na disputa eleitoral cria problemas tanto para o tucano Aécio Neves, como para a presidente Dilma Rousseff.

No texto "É fácil entender por que os conservadores preferem Marina", ele aponta dificuldades imediatas para Aécio no primeiro turno e problemas para Dilma num segundo turno.

"A falta de cerimonia exibida por tantos colunistas conservadores para emplacar Marina Silva de qualquer maneira como candidata presidencial do PSB, menos de 24 horas depois da morte de Eduardo Campos, é um sintoma de vários elementos da campanha de 2014. O maior é o receio de que Aécio Neves já tenha chegado a seu limite eleitoral – muito longe daquilo que seria necessário para dar a seus aliados esperanças reais de vencer o pleito – e é preciso encontrar um atalho para tentar derrotar Dilma. Desse ponto de vista, a oportunidade-Marina veio a calhar", diz ele.

Segundo PML, Aécio estaria correndo o risco de não disputar o segundo turno. "A popularidade de Marina provoca justo temor no PSDB, pois pode transformar-se numa candidatura capaz de atropelar Aécio e jogá-lo para terceiro lugar e fora da campanha no segundo turno, o que seria, para os tucanos, uma derrota pior que todas as outras desde 2002", afirma.

Na sua análise, Dilma também perde, em razão dos riscos que um incerto segundo turno trariam para a sua reeleição. "Os petistas sempre estiveram convencidos de que, num segundo turno, a maioria dos parlamentares, dirigentes e eleitores do PSB não serão capazes de abandonar a própria história para votar no PSDB, que sempre denunciaram como partido conservador, e farão o caminho de volta para uma aliança com o PT. Era com essa possibilidade que Dilma e Lula sempre trabalharam nos últimos meses. Evitaram atitudes hostis e indelicadas, reservado a artilharia mais pesada para Aécio. Qualquer mudança, neste horizonte, irá atrapalhar os planos de Dilma".

Leia, a íntegra, no blog de Paulo Moreira Leite.


 

Poder Aline Lima Thu, 14 Aug 2014 06:29:59 +0000 http://www.brasil247.com/150060
Datafolha testa cenário eleitoral com Marina http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150067 : Em meio à tragédia com Eduardo Campos, instituto de pesquisa sairá a campo a partir desta quinta-feira para realizar mais um levantamento sobre a corrida eleitoral, com dois novos cenários: um com a ex-senadora Marina Silva, atualmente vice chapa do PSB, assumindo no lugar de Campos; e um outro em que a coligação desiste da disputa; segundo o diretor do Datafolha, Mauro Paulino, a morte abrupta do candidato precipita o foco da opinião pública na corrida presidencial e torna a eleição ainda mais imprevisível <br clear="all"> :

Eduardo Simões

SÃO PAULO (Reuters) - A morte abrupta do candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, em um acidente aéreo nesta quarta-feira, precipita o foco da opinião pública na corrida presidencial e torna ainda mais imprevisível uma eleição já recheada de incertezas, disse à Reuters o diretor do Datafolha, Mauro Paulino.

O instituto sairá a campo a partir desta quinta-feira para realizar mais um levantamento sobre a corrida eleitoral, mas agora com dois novos cenários: um com a ex-senadora Marina Silva, atualmente vice chapa do PSB, assumindo no lugar de Campos; e um outro em que a coligação encabeçada pelo PSB desiste da disputa.

"(A morte de Campos) muda a lógica da eleição", disse Paulino à Reuters, acrescentando que dados levantados anteriormente, como o potencial de crescimento de Campos e as intenções de voto em Marina antes de sua confirmação como candidata a vice, deixam de ter validade.

"É uma lógica que pertence ao passado", explicou.

No último levantamento do Datafolha, de meados de julho, Eduardo Campos aparecia em terceiro lugar, atrás de Dilma Rousseff (PT) e de Aécio Neves (PSDB), com 8 por cento das intenções de voto.

Paulino lembrou que, até então, a maior parte do eleitorado ainda não estava atenta à disputa eleitoral deste ano, e isso só deveria acontecer a partir do dia 19, quando começa o horário eleitoral gratuito.

A morte trágica de Campos, no entanto, muda radicalmente esse cenário. "Todos vão acordar assustados com essa eleição", comentou.

A nova pequisa do Datafolha, encomendada pelo jornal Folha de S.Paulo e registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta quarta-feira, será realizada entre quinta e sábado, mas a divulgação só poderá ser feita a partir da próxima segunda-feira, por conta da legislação eleitoral, explicou Paulino.

Campos morreu na manhã desta quarta quando o avião em que estava com mais seis pessoas --dois pilotos, dois assessores de imprensa, um fotógrafo e um cinegrafista da campanha -- caiu em Santos quando fazia o trajeto do Rio de Janeiro para o Guarujá, onde o ex-governador de Pernambuco faria uma agenda de campanha.

O instituto Ibope, por sua vez, informou que não fará nenhuma pesquisa sobre a disputa pela Presidência até que o PSB tome uma decisão sobre o futuro da candidatura.

O partido, e as demais legendas que compõem sua coligação, têm até o dia 23 para escolher um substituto para Campos ou desistir da disputa.

Poder Roberta Namour Thu, 14 Aug 2014 05:26:07 +0000 http://www.brasil247.com/150067
PSB sofre perda e dilema: ser ou não ser Marina? http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150058 : Apesar de ter força nas pesquisas, ex-ministra não é candidata natural dentro do PSB para substituir Eduardo Campos; relações entre Marina Silva e chefes da legenda vinham sendo ásperas durante toda a campanha; chefe do Rede discordou frontalmente de alianças regionais feitas pela agremiação; atual vice-presidente, Roberto Amaral nunca escondeu insatisfação com críticas dela; candidato a vice-governador de São Paulo, Márcio França foi pivô de descontentamento da vice de Campos, que não aceitou coligação com PSDB; deputada Luiza Erundina é aliada de Marina, mas sempre foi minoria no comando do partido; prazo legal para substituição é de dez dias; o que fazer? <br clear="all"> :

Paulo Emílio, Pernambuco 247 - A morte do presidenciável Eduardo Campos estabelece de imediato, em meio à dor da família e ao choque do País, uma questão política crucial para o partido que ele presidia: o PSB deve insistir e persistir numa candidatura própria, ausentar-se da sucessão ou instalar a vice Marina Silva, filiada ao partido mas pertencente ao grupamento Rede, no lugar dele?

A hipótese de prevalecer a solução que alguns consideram natural - a escolha de Marina -, não é tão simples de ser concretizada. Ao longo de toda a campanha presidencial até aqui, ela se posicionou frontalmente contrária à maioria das alianças regionais feitas pelo PSB, inclusive a de São Paulo, que colocou um candidato a vice socialista, Márcio França, na chapa de reeleição de Geraldo Alckmin.

Marina não fez questão de esconder que, assim que terminasse a eleição presidencial, ela retomaria seu projeto de tornar o Rede um partido político. Ficou claro que ela deixaria o PSB qualquer que fosse o resultado das urnas.

Eduardo Campos sempre procurou evitar criticar as posições de Marina, mas, na cúpula do partido, ela amelhou adversários.
O maior deles, internamente, é exatamente o vice-presidente da agremiação, Roberto Amaral, a quem recairá a direção do partido. Ele terá peso decisivo na batida do martelo sobre qual será o rumo que o partido tomará nos próximos dias.

Político com forte posicionamento ideológico de esquerda, Amaral diverge em grande parte do ideário defendido por Marina. Ao longo da pré-campanha e na etapa de definição da vice foram trocadas farpas entre eles. Em agosto de 2013, Amaral publicou um artigo com críticas ácidas direcionadas a Eduardo Giannetti da Fonseca e André Lara Resende, principais gurus de Marina na área econômica.

Diante da insistência dela e do Rede em aceitar as alianças articuladas pelo PSB, Amaral atuava para demarcar a diferença das duas posições. "Se não tiver consenso em algum Estado, é possível que o PSB tenha um candidato e a Rede apoie outro nome".

A estas divergências soma-se o fato de que o ingresso de Marina e seus partidários nas hostes do PSB aconteceu de maneira inusitada. Sem conseguir registrar o Rede Sustentabilidade na Justiça Eleitoral, a ex-ministra ingressou na legenda socialista e, em troca, ficou com a vaga de vice.

Para o PSB, a entrada da ex-senadora na chapa majoritária representava a oportunidade de abocanhar uma boa parte do capital eleitoral de Marina, que nas últimas eleições presidenciais teve 20 milhões de votos. Esta transferência de votos, contudo, acabou não acontecendo na velocidade esperada. As pesquisas de intenção de voto colocavam Campos em terceiro lugar, atrás da presidente Dilma Rousseff (PT) e de Aécio Neves (PSDB), oscilando em torno de 10% da preferência do eleitorado. Por outro lado, o PSB sempre apontou crescimento nas pesquisas quando o nome de Marina era colocado à frente da chapa.

RELACIONAMENTO ÁSPERO - Com a definição do PSB em torno do nome de Campos, Amaral terá que decidir se o partido vai escolher um outro nome capaz de assumir a cabeça de chapa e ainda ter competitividade o bastante para enfrentar o PT e o PSDB no pleito de outubro. A alternativa seria entregar a candidatura diretamente a Marina Silva, que continua tentando viabilizar a criação da Rede enquanto partido, independentemente de estar no PSB.

Um outro fator que o partido deverá levar em consideração são os arranjos estaduais costurados em grande parte por Campos. Em muitos Estados, o PSB abriu mão de candidatura próprias por conta da pressão exercida pela Rede e em outros como o caso de Pernambuco, a figura de Campos era mais do que necessária para alavancar a candidatura dos socialistas nas disputas regionais.

O presidente do PSB em São Paulo, Márcio França, destacou que a legenda manterá uma candidatura própria ao Planalto. "Não há a possibilidade de abrirmos mão de candidatura própria", disse no início desta tarde. Apesar desta defesa, ele evitou comentar a possibilidade de quem poderá assumir a cabeça da chapa, o que deixa ainda nebuloso o futuro da legenda. "Ninguém tem cabeça para pensar nisso agora", observou.

"Primeiro, vamos enterrar o nosso presidente. Depois, assumo a presidência e convoco o diretório nacional do partido", disse Roberto Amaral ao embarcar em um voo no Aeroporto Santos Dumont com destino a Santos, para acompanhar os trabalhos de resgate.

Caso opte por Marina, muitos palanques estaduais do PSB, além das postulações a Câmara e ao Senado, correm o risco de terem seus palanques enfraquecido. Caso lance um candidato de maior tradição dentro do PSB, em lugar de Marina, a legenda também corre o risco de não conseguir força suficiente para se firmar como um partido de peso no Congresso Nacional.

É com essas questões que Amaral e o PSB já se deparam e têm dez dias, como prazo legal, para definir o substituto de Campos. Pode até dar Marina, mas não pelo motivo de de ela ter se tornado uma 'candidata natural'. Para a cúpula do PSB, essa figura desapareceu com o ex-governador Eduardo Campos. O que eles terão de pesar é o fato de que Marina aparece, em todas as pesquisas nas quais foi testada como candidata a presidente, em segundo lugar. Ao indicam os levantamentos, com ela concorrendo haveria uma chace muito mais forte de haver segundo turno na eleição. O PSB poderá mesmo abrir mão desta oportunidade.

Poder Aline Lima Wed, 13 Aug 2014 20:23:32 +0000 http://www.brasil247.com/150058
Jato foi vendido há 3 meses e já apresentou falha http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/150075 : Aeronave modelo Cessna 560 XL, prefixo PR-AFA, que caiu com Eduardo Campos (PSB) a bordo, foi vendida há três meses, por US$ 7 milhões para um empresário de Alagoas - que o teria emprestado à campanha; ela ainda está registrada no nome do grupo Andrade, de Ribeirão Preto; líder do PSB na Assembleia Legislativa do Paraná, deputado estadual Wilson Quinteiro, lembra que jatinho já apresentara falha, no dia 17 de julho, durante visita de Campos a Londrina; na ocasião, candidato decidiu fazer o trajeto de carro <br clear="all"> :

247 - O avião que caiu ontem na região de Santos matando o ex-governador Eduardo Campos, com mais seis pessoas a bordo, está registrado no nome do grupo Andrade, de Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo).

A aeronave modelo Cessna 560 XL, prefixo PR-AFA, foi vendida há cerca de três meses, por US$ 7 milhões, para um empresário de Alagoas - que o teria emprestado à campanha, com cerca de 350 horas de voo.

Segundo Fabiano de Camargo Peixoto, que foi co-piloto do avião por um ano e meio, a aeronave era nova quando foi comprada pela Andrade e não havia histórico de defeitos.

No entanto, o líder do PSB na Assembleia Legislativa do Paraná, deputado estadual Wilson Quinteiro, lembra que jatinho já apresentara falha, no dia 17 de julho.

Segundo ele, na época, Campos visitou Londrina, no norte do Paraná, para uma reunião e seguiria para Maringá, a cerca de 100 quilômetros. Por problemas na ignição, o candidato decidiu fazer o trajeto de carro. 

"O fato que choca é a mesma aeronave. Quando soube do acidente, fui saber o modelo. Me espantei quando soube que era o mesmo. É um momento muito triste para todo o Brasil".

Leia aqui reportagem da Folha sobre o assunto. 

Brasil Roberta Namour Thu, 14 Aug 2014 06:05:19 +0000 http://www.brasil247.com/150075
Morte de Eduardo Campos repercute no mundo http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/150068 : Em nota, governo de Barack Obama lamenta o ocorrido e diz que “os pensamentos e orações do povo americano estão com o Brasil nessa trágica ocasião"; presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Luis Alberto Moreno, ressalta gestão de Eduardo Campos como governador de Pernambuco; na mídia internacional, o britânico "The Guardian" já cogita a hipótese de candidatura de Marina Silva: "Ela conta com forte apoio dos eleitores jovens e dos evangélicos" <br clear="all"> :

247 - O governo dos Estados Unidos divulgou nota lamentando a morte do candidato Eduardo Campos, com condolências à sua família e à população brasileira. A porta-voz Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, Caitlin Hayden, escreveu: "Nós ficamos profundamente tristes ao saber do acidente de avião que parece ter tirado a vida do candidato presidencial brasileiro Eduardo Campos bem como de seus companheiros de viagem. Os pensamentos e orações do povo americano estão com o Brasil nessa trágica ocasião".

O presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Luis Alberto Moreno, também se despediu de "um grande político, amigo e ser humano". No mês de janeiro, Campos foi a Washington receber dois prêmios concedidos pelo BID por ações no governo de Pernambuco: a desburocratização de procedimentos para abertura de empresas e o Pacto pela Vida, plano de prevenção e combate à violência.

"Dono de uma trajetória política impressionante, Eduardo Campos desenvolveu um trabalho profundo de gestão em Pernambuco, promovendo grandes transformações econômicas e sociais no Estado, como na área de segurança pública, com o desenvolvimento e implantação do Pacto pela Vida", disse Moreno em nota.

Na imprensa internacional, o britânico "The Guardian" destacou a trajetória do ex-governador e o apoio que tinha de setores da indústria e do mercado financeiro. O jornal já cogita a hipótese de candidatura de Marina Silva: "Ela conta com forte apoio dos eleitores jovens e dos evangélicos".

A rede britânica BBC lembra que a família de Campos, neto do também ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes (1916-2005), lutou ativamente contra a ditadura militar (1964-85).

O jornal espanhol "El País" e o francês "Le Monde" também destacaram a tragédia.

A revista americana "Slate" lembra que Campos era o terceiro colocado nas pesquisas eleitorais para a disputa da Presidência.

Brasil Roberta Namour Thu, 14 Aug 2014 05:40:23 +0000 http://www.brasil247.com/150068
Petrobras bate recorde na produção em julho http://www.brasil247.com/pt/247/economia/150073 : Produção total de petróleo atingiu 2,152 milhões de barris por dia, informou a estatal dirigida por Graça Foster; a média diária, sem a participação dos parceiros, foi de 2 milhões e 49 mil barris ao dia, 2% a mais do que o mês anterior; no pré-sal, foi registrado novo recorde diário de 546 mil barris com apenas 25 poços produtores <br clear="all"> :

por Portal Brasil
A produção total de petróleo da Petrobras no Brasil bateu recorde mensal em julho, com 2,152 milhões de barris por dia, informou a estatal nesta segunda-feira (11). Esse valor inclui o montante que resulta das operações da empresa para seus parceiros. A média diária, sem a participação dos parceiros, foi de 2 milhões e 49 mil barris ao dia, 2% a mais do que o mês anterior (2 milhões e 8 mil bpd).

A produção de petróleo e líquido de gás natural (LGN) no Brasil atingiu a média de 1 milhão 947 mil barris por dia no semestre, 1,4% superior à produção do 1º semestre de 2013. Segundo a empresa, esse aumento foi impulsionado pela entrada em operação dos novos sistemas de produção: P-63 (Papa-Terra), P-55 (Roncador), P-62 (Roncador) e P-58 (Jubarte), e pelo aumento da produção nos FPSOs Cidade de Itajaí (Baúna), Cidade de Paraty (Lula NE) e Cidade de São Paulo (Sapinhoá).

Produção também bate recorde no pré-sal

Em junho, a Petrobras bateu novo recorde de produção mensal no pré-sal, atingindo 477 mil barris de petróleo por dia, e em 13 de julho, foi registrado um recorde diário de 546 mil barris com apenas 25 poços produtores.

A empresa interligou, até junho de 2014, 30 novos poços, número próximo ao total de poços interligados em todo o ano de 2013. Neste ano já foram incorporados três novos navios do tipo Pipe Laying Support Vessel (PLSV) à frota da Petrobras, aumentando a disponibilidade de equipamentos necessários ao crescimento da produção.O PLSV, ou navio lançador de linha, são embarcações que lançam e recolhem linhas no mar, utilizadas para conectar as plataformas a sistemas de produção de petróleo.

No refino, a Petrobras aumentou a carga processada e a produção de derivados, alcançando, em junho, recorde de processamento de petróleo nas refinarias no Brasil de 2 milhões 172 mil barris de petróleo por dia.

Programas de eficiência

Segundo a Petrobras, o Programa de Aumento da Eficiência Operacional da Bacia de Campos (Proef) contribuiu com uma produção adicional de petróleo de 96 mil barris por dia no semestre. A eficiência operacional chegou a 80% na Unidade Operacional Bacia de Campos (UO-BC) no fim do semestre, tendo atingido em maio o recorde de eficiência operacional dos últimos 47 meses, de 81,2%.

Os programas estruturantes (Prodesin, Procop, Infralog, PRC-Poço e PRC-Sub) impactaram positivamente o caixa em R$ 5,6 bilhões no 1º semestre deste ano, relatou a diretoria da empresa.

Economia Roberta Namour Thu, 14 Aug 2014 05:54:30 +0000 http://www.brasil247.com/150073
Centrais e MST lembram ligação de Campos com trabalhador http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/150070 : Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST) lamentou a morte do "amigo" e "apoiador da luta pela terra e pela reforma agrária, fato que o fez ganhar notável confiança dos trabalhadores rurais do estado de Pernambuco"; "O país fica politicamente empobrecido com a perda de um de seus representantes mais promissores, cujo histórico familiar está intrinsecamente ligado às lutas em defesa das aspirações democráticas", afirmou também o presidente da UGT, Ricardo Patah <br clear="all"> :

Da Rede Brasil Atual
São Paulo – As centrais sindicais também lamentaram a morte do candidato e ex-governador Eduardo Campos, ontem (13) pela manhã. A CTB, que tem parte de seus dirigentes ligada ao PSB, declarou-se de luto. Para a central, o político e o partido "possuem uma trajetória de luta sem dimensões no cenário político brasileiro e sempre foram grandes apoiadores da CTB, contribuindo inclusive para a sua fundação", diz a entidade, em nota. Para a central, a morte de Campos "representa uma imensa perda política por sua postura, histórico político e compromisso com a classe trabalhadora e a população brasileira".

A CUT também lamentou "profundamente a morte precoce e trágica" de Eduardo Campos. O presidente da central, Vagner Freitas, manifestou em nota solidariedade as famílias do candidato e das demais vítimas do acidente.

"O país fica politicamente empobrecido com a perda de um de seus representantes mais promissores, cujo histórico familiar está intrinsecamente ligado às lutas em defesa das aspirações democráticas", afirmou, também em nota, o presidente da UGT, Ricardo Patah.

"O Brasil perde um grande líder e os trabalhadores, um amigo leal."

"Eduardo Campos foi um grande homem, de valores herdados e levados com dignidade e honra por toda sua exitosa trajetória política", declarou o presidente da Força Sindical, Miguel Torres, que o definiu como um "político de princípios, que sempre defendeu as causas populares".

MST

O Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST) lamentou a morte do "amigo" e "apoiador da luta pela terra e pela reforma agrária, fato que o fez ganhar notável confiança dos trabalhadores rurais do estado de Pernambuco". Segundo a entidade, em muitos momentos "o jovem político agiu com ousadia e coragem a favor" dos sem-terra e contra o latifúndio. "Conhecia a questão agrária brasileira, e como candidato à presidência, tinha clareza da necessidade de resolver o problema da concentração da terra no Brasil e os males causados pelo latifúndio", diz o MST.

Brasil Roberta Namour Thu, 14 Aug 2014 06:25:37 +0000 http://www.brasil247.com/150070
Merval e Jabor pressionam: tem que ser Marina http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/150031 : Poucas horas depois de um acidente trágico, que vitimou Eduardo Campos, dois colunistas da Globo assumiram o lobby para que Marina Silva seja candidata à presidência da República pelo PSB; "ela assume um protagonismo natural nessa tragédia", disse Merval Pereira, na CBN; Arnaldo Jabor foi ainda mais explícito, na mesma emissora: "Não acredito que o PSB seja tão burro a ponto de não indicar Marina"; escute os áudios <br clear="all"> :

247 – Os comentaristas da Globo Merval Pereira e Arnaldo Jabor assumiram o papel de defensores de Marina Silva como candidata, depois da tragédia que provocou a morte do candidato a presidente da República Eduardo Campos. A ex-senadora era candidata a vice na chapa do ex-governador de Pernambuco. Merval disse que "ela assume um protagonismo natural nessa tragédia". Jabor foi mais explícito: "Não acredito que o PSB seja tão burro a ponto de não indicar Marina".

"Muda completamente a campanha eleitoral, o cenário político brasileiro", comentou Merval sobre a morte de Campos, na rádio CBN. "Marina passa a ser a figura central nessa tragédia e ganha um protagonismo natural nessa tragédia. Já dá para dizer que ela é a indicada [a substituir Campos]", afirmou ainda o colunista.

"Tenho a impressão que o comando da campanha e desta nova opção política passa automaticamente para a Marina e a união da Rede e do PSB ganha uma nova história daqui pra frente", acrescentou. Segundo Merval Pereira, a sucessão presidencial "fica sem perspectiva diante de fatos tão trágicos" e a perda de Eduardo Campos "vai ter consequências profundas nessa campanha", em sua avaliação.

Já Arnaldo Jabor afirmou que "certamente" Marina será indicada pelo PSB nesse novo cenário eleitoral. "Tem gente achando que vai prejudicar o [candidato do PSB], Aécio Neves, tem gente achando que vai prejudicar a [presidente] Dilma, tem gente achando que fará um segundo turno sem dúvida, porque a Marina certamente vai ser indicada pelo PSB, apesar de ter diferenças com o PSB, não acredito que o PSB seja tão burro a ponto de não indicá-la".

O comentarista comentou ainda que "estamos perplexos diante da imprevisibilidade das coisas", e acrescentou: "aliás, é até bom viver assim porque... não adianta ter certezas". Arnaldo Jabor disse que espera "que as eleições sejam justas, porque o Brasil está precisando de uma benção". O colunista aproveitou para criticar o PT, partido que, segundo ele, "está no poder e se agarra no poder como se o poder fosse a salvação da humanidade, quando na verdade é a salvação deles".

Ouça aqui o comentário de Merval Pereira.

E aqui o de Arnaldo Jabor.

Mídia Gisele Federicce Wed, 13 Aug 2014 17:53:48 +0000 http://www.brasil247.com/150031
Latuff: o PSB se despede de Eduardo Campos http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/150037 : A pomba socialista diz adeus ao presidente do PSB, Eduardo Campos, vítima de um trágico acidente aéreo no mesmo dia em que faleceu Miguel Arraes <br clear="all"> :

Pernambuco 247 Leonardo Attuch Wed, 13 Aug 2014 17:49:46 +0000 http://www.brasil247.com/150037
Dilma sobre Campos: "O Brasil está de luto" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150026 : Visivelmente emocionada, a presidente Dilma Rousseff fez um pronunciamento em que lamentou a morte de Eduardo Campos; "Fomos afetados pela fragilidade da vida, mas também pela força do exemplo das pessoas", disse a presidente Dilma, com a voz embargada, ao anunciar o luto oficial de três dias; "O Brasil perdeu uma jovem liderança; um homem que poderia galgar os mais altos postos da República", completou; presidente também suspendeu atividades de campanha, após a morte trágica de Eduardo Campos num acidente aéreo <br clear="all"> :

247 - A presidente Dilma Rousseff fez, nesta tarde, um pronunciamento sobre a morte de Eduardo Campos. "Era uma referência para mim. Eu convivi com ele como ministra do presidente Lula, mas também nas campanhas de 2006 e 2010", disse ela. "O Brasil perdeu uma jovem liderança; um homem que poderia galgar os mais altos postos da República".

A presidente afirmou ainda que "o Brasil inteiro está de luto". Ela lembrou do último encontro entre ambos, no funeral de Ariano Suassuna. "A quem fui apresentado por Dona Renata", referindo-se a Renata Campos, viúva de Eduardo Campos, e sobrinha de Ariano.

"Eu gostaria de dar os mais profundos pêsames a Ana Arraes, Renata e a toda a sua família, que era uma grande família".

"Fomos afetados pela fragilidade da vida, mas também pela força do exemplo das pessoas", disse a presidente Dilma, com a voz embargada, ao anunciar o luto oficial de três dias. "O Brasil vai agora prantear este grande brasileiro que morreu no dia de hoje".

Leia, abaixo, reportagem da Agência Brasil:

Paulo Victor Chagas – Repórter da Agência Brasil 

A presidenta Dilma Rousseff voltou a se manifestar nesta tarde sobre a morte do ex-governador de Pernambuco e candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos. Segundo ela, Campos era um político promissor que poderia galgar os mais altos postos do país. “Em nome do governo brasileiro e do povo brasileiro, gostaria de dar os mais profundos pêsames à família de Eduardo Campos; à sua mãe, Ana Arraes; à dona Renata, como ele carinhosamente chamava sua esposa; a seus filhos e a toda família”, disse há pouco, no Palácio do Planalto.

Dilma disse que ainda não conseguiu falar com a família do ex-governador, apesar de tentar contato com Ana Arraes, ministra do Tribunal de Contas da União, mas telefonou ao governador do estado, João Soares Lyra Neto, colocando à disposição de Pernambuco todas as condições materiais que puderem ser fornecidas pelo governo federal. Consternada, a presidenta garantiu que irá ao velório do político “sem sombra de dúvidas”.

“O Brasil perde uma jovem liderança com um futuro extremamente promissor pela frente. Um homem que poderia galgar os mais altos postos do país”, afirmou. A presidenta disse esperar que o exemplo de Campos sirva para mantê-lo vivo nas memórias e corações dos brasileiros. “Devemos acatar com reconhecimento que nós, seres humanos, somos afetados pela fragilidade da vida, mas também pela força e exemplo das pessoas”.

Dilma também estendeu condolências às famílias dos assessores que acompanhavam o político na tragédia e dos tripulantes. “Para além das nossas divergências, sempre mantivemos uma relação de respeito mútuo”, disse.

Conforme nota oficial divulgada anteriormente, Dilma frisou o luto de três dias e a suspensão de sua agenda por três dias. “O Brasil vai agora prantear esse grande brasileiro que morreu no dia de hoje”, disse.

Poder Leonardo Attuch Wed, 13 Aug 2014 17:00:13 +0000 http://www.brasil247.com/150026
FHC sobre Campos: “é um choque para a República” http://www.brasil247.com/pt/247/poder/150030 : Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso diz que morte de Eduardo Campos "é uma perda grande, de um líder jovem, um homem que abria esperanças para o Brasil"; segundo o tucano, "ganhasse ou não ganhasse" as eleições, Campos "certamente teria uma presença marcante no futuro do País" <br clear="all"> :

247 – O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso lamentou nesta tarde a morte do candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, segundo ele, "um homem que abria esperanças para o Brasil". A perda do ex-governador de Pernambuco, na avaliação do tucano, "é um choque para a República".

"Conheci Eduardo, fui amigo do avô dele, fui amigo da Violeta, tia avó dele. Nessas horas, a gente tem de se lembrar dos familiares, do Eduardo, dos que o acompanhavam, dos pilotos que conduziam o avião. É um choque para a República, uma perda grande, um líder jovem, um homem que abria esperanças para o Brasil", disse FHC, em entrevista ao Jornal Hoje, da TV Globo.

Para Fernando Henrique, "ganhasse ou não ganhasse" as eleições desse ano, Eduardo Campos "certamente teria uma presença marcante no futuro do país. Uma pessoa com a capacidade de compreender a situação e não guardar ódio, rancor". O ex-presidente afirmou achar "importante renovar a política brasileira e via nele um caminho em comum (juntamente com Aécio Neves), que seria bom para o Brasil".

Poder Gisele Federicce Wed, 13 Aug 2014 17:29:53 +0000 http://www.brasil247.com/150030
Alckmin: "Brasil perdeu uma liderança jovem, promissora" http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/150024 RENATO ARAUJOABr: Em Santos, onde morreu o candidato a presidente Eduardo Campos em um acidente aéreo, o governador de São Paulo lamentou a tragédia que o "entristeceu", conforme disse; "Nosso sentimento em nome da população aos familiares. O Brasil perdeu uma liderança jovem, promissora, que tinha muito a contribuir, uma figura admirável. Ele teve grande contribuição para o nosso país", afirmou; Geraldo Alckmin cancelou a agenda e voou para o litoral paulista assim que soube do acidente <br clear="all"> RENATO ARAUJOABr:

SP 247 – O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), lamentou nesta tarde a morte do candidato a presidente pelo PSB, Eduardo Campos, uma tragédia que o "entristeceu", conforme suas palavras. Alckmin está em Santos, onde ocorreu o acidente Aéreo que provocou a morte do ex-governador de Pernambuco.

"Nosso sentimento em nome da população aos familiares. O Brasil perdeu uma liderança jovem, promissora, que tinha muito a contribuir, uma figura admirável. Foi uma tragédia que me entristeceu. Eu, por meio do Marcio França, acabei conhecendo melhor o Eduardo e o admirava. Ele teve grande contribuição para o nosso país", disse o governador de São Paulo.

SP 247 Gisele Federicce Wed, 13 Aug 2014 17:06:49 +0000 http://www.brasil247.com/150024
Morte de Campos choca Brasil e muda sucessão http://www.brasil247.com/pt/247/poder/149965 : O desaparecimento abrupto, aos 49 anos, do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos suspendeu, no instante do acidente aéreo em Santos, na manhã desta quarta-feira 13, a respiração do País; jato fretado que levava o candidato do PSB à Presidência da República tinha sete ocupantes, cinco passageiros e dois pilotos; autoridades e políticos se dirigem ao local do acidente; presidente Dilma Rousseff suspende agenda de todo o dia e prepara pronunciamento à Nação; Campos estava animado com momento de sua campanha; agora, responsabilidade deve recair sobre os ombros da vice Marina Silva; luto em todos os setores da vida nacional <br clear="all"> :

247 – A morte de Eduardo Campos, na manhã desta quarta-feira 13, chocou o Brasil. Em silêncio até às 13h30, como se estivessem assimilando a dura notícia, confirmada pouco antes do meio-dia, as principais lideranças políticas do País ainda digeriam a tragédia que envolveu o presidenciável, o neto dele, Pedro Valadares, e mais cinco pessoas, entre os quais os dois tripulantes. Todos estavam a bordo do jato executivo Citation GLS, que saiu do Rio de Janeiro por volta das 9h00 e não conseguiu pousar na Base Aérea do Guarujá.

A presidente Dilma Rousseff cancelou sua agenda oficial, assim como o candidato do PSDB, Aécio Neves. O vice-presidente Michel Temer divulgou nota oficial lamentando “a tragédia”. 

O vice-presidente e o ministro chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, se dirigiram de Brasília para Santos. O governador Geraldo Alckmin cancelou todos os compromissos e também se deslocou para o cidade do litoral paulista. O PSDB informou que o presidenciável Aécio Neves também se dirigia para a cidade. Em nota, o presidente do PPS afirmou que a morte do presidenciável “infelicita o País, que perde um de seus melhores homens públicos”.

Numa triste coincidência, Campos morre num dia 13 de agosto assim como seu avô, o ex-governador Miguel Arraes. Campos estava animado com sua performance na campanha eleitoral. A responsabilidade sobre a candidatura deve recair, agora, sobre a vice dele, Marina Silva. 

Abaixo, notícia da Agência Brasil a respeito:

Carolina Gonçalves - O deputado federal Julio Delgado (PSB-MG) confirmou a morte do candidato à Presidência Eduardo Campos em um acidente aéreo, em Santos.

Delgado deixou o Conselho de Ética emocionado e disse que falou com o presidente do PSB de São Paulo, Marcio França, que confirmou que não houve sobreviventes na queda do avião.

A aeronave caiu por volta das 10h. De acordo com o Comando da Aeronáutica, o Cessna 560XL, prefixo PR-AFA, decolou do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino ao Aeroporto de Guarujá (SP). O avião estava com o certificado de aeronavegabilidade e a inspeção anual de manutenção em dia. Quando se preparava para pouso, a aeronave arremeteu devido ao mau tempo. Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com o avião.

Marina Silva, vice na chapa de Eduardo Campos, não estava no avião.

Pernambucano e neto de Miguel Arraes, era filho de Maximiliano Arraes e da ex-deputada federal e ministra do Tribunal de Contas da União Ana Arraes. Duas vezes governador de Pernambuco, Eduardo Campos também foi deputado estadual, três vezes deputado federal, secretário estadual de Governo e de Fazenda e ministro no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Formado em economia na Universidade Federal de Pernambuco, Campos concorria pela primeira vez ao cargo mais importante da política brasileira.

Ontem (12), Campos cumpriu agenda de campanha no Rio de Janeiro de onde decolou hoje pela manhã para São Paulo. Ele teria agenda em Santos, no litoral do estado. Estava prevista entrevista coletiva na Praia do Mercado, às 10h30, e depois participaria de um seminário. No final da tarde, daria nova entrevista em São Paulo.

Com grande popularidade em Pernambuco e bom trânsito entre todas as correntes políticas, campos começou a carreira política ainda na universidade, como presidente do Diretório Acadêmico da Faculdade de Economia da Universidade Federal de Pernambuco.

Abaixo, notícia anterior da Agência Estado a respeito:

O deputado federal Marcio França (PSB-SP) e sua equipe passam por momentos de tensão desde que souberam da queda de uma aeronave em Santos, no litoral paulista, na manhã desta quarta-feira, 13. No momento do acidente o candidato à Presidência pelo seu partido, Eduardo Campos, se deslocava para um evento no Guarujá, no jatinho da campanha.

França, que está no Guarujá à espera de Campos, diz ter visto o jatinho de Campos sobrevoar o local, mas a informação inicial é de que a aeronave do candidato teria arremetido e voltado em direção a Santos.

Segundo o corpo de bombeiros de Santos, foi um helicóptero que caiu, mas ninguém da equipe consegue contatar o assessor de Campos ou o próprio candidato desde as 9h30.

"Ele está há mais de uma hora sem contato", comentou França. 

Até o momento não há informação sobre para onde se deslocou a aeronave de Campos.

Poder Felipe L. Goncalves Wed, 13 Aug 2014 12:01:06 +0000 http://www.brasil247.com/149965
Dilma: "O Brasil está de luto. Perdemos um companheiro" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/149980 : Presidente Dilma Rousseff suspende todos os seus compromissos e divulgou uma nota sobre a tragédia; "O Brasil inteiro está de luto. Perdemos hoje um grande brasileiro, Eduardo Campos. Perdemos um grande companheiro", disse ela; "Sempre tivemos claro que nossas eventuais divergências políticas sempre seriam menores que o respeito mútuo característico de nossa convivência" <br clear="all"> :

Paulo Victor Chagas e Yara Aquino – Repórteres da Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff decretou luto oficial de três dias pelo falecimento do candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos. Em nota oficial, ela disse que o Brasil inteiro está de luto e que o político era um exemplo de democrata e uma grande liderança política. “Perdemos hoje um grande brasileiro, Eduardo Campos. Perdemos um grande companheiro”, afirmou.

Em nota, Dilma disse que Campos e ela tiveram longa convivência no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante as campanhas presidenciais de 2006 e 2010 e durante o governo da presidenta. “Sempre tivemos claro que nossas eventuais divergências políticas seriam menores que o respeito mútuo característico de nossa convivência”.

Ao prestar condolências aos familiares de todas as vítimas da tragédia, Dilma Rousseff disse que Campos foi um pai e marido exemplar. “Nesse momento de dor profunda, meus sentimentos estão com Renata, companheira de toda uma vida, e com os seus amados filhos. Estou tristíssima”, declarou, ainda na nota.

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, também lamentou o falecimento do candidato. Ele elogiou as características de Eduardo Campos e desejou força à esposa de Campos, Renata, e a toda família do político “por essa perda dolorosa”. “Tive o privilégio de conviver com ele no governo do presidente Lula e sua capacidade de trabalho, mas sobretudo, de fazer amigos, e sua capacidade de sedução, sempre foram marcas muito profundas de sua personalidade".

Gilberto Carvalho antecipou em uma hora o retorno da Bolívia, onde participa nesta quarta-feira da abertura do Fórum de Participação Cidadã da União de Nações Sul-Americanas, conhecida como Unasul. Ele desembarca em Brasília às 19h.

*Atualizada às 14h46 para inclusão dos dois últimos parágrafos

Leia, abaixo, notícia anterior:

247 - A presidente Dilma Rousseff suspendeu todos os seus compromissos de campanha e fará um pronunciamento nesta quarta-feira, sobre a morte de Eduardo Campos. Antes soltou nota sobre a tragédia.Leia abaixo:

O Brasil inteiro está de luto. Perdemos hoje um grande brasileiro, Eduardo Campos. Perdemos um grande companheiro.

Neto de Miguel Arraes, exemplo de democrata para a minha geração, Eduardo foi uma grande liderança política. Desde jovem, lutou o bom combate da política, como deputado federal, ministro e governador  de Pernambuco, por duas vezes.

Tivemos Eduardo e eu uma longa convivência no governo Lula, nas campanhas de 2006, 2010 e durante o meu governo.

Estivemos juntos, pela última vez, no enterro do nosso querido Ariano Suassuna. Conversamos como amigos. Sempre tivemos claro que nossas eventuais divergências políticas sempre seriam menores que o respeito mútuo característico de nossa convivência.

Foi um pai e marido exemplar. Nesse momento de dor profunda, meus sentimentos estão com Renata, companheira de toda uma vida,  e com  os seus amados filhos. Estou tristíssima.

Decretei luto oficial de 3 dias em homenagem à memória de Eduardo Campos. Determinei  a suspensão da minha campanha por 3 dias.  

Está cancelada a entrevista que seria concedida ao Jornal Nacional.

Durante os três primeiros anos do governo Dilma, o PSB, de Campos, foi um dos principais aliados do governo Dilma.

Poder Leonardo Attuch Wed, 13 Aug 2014 13:36:43 +0000 http://www.brasil247.com/149980
Aécio sobre Campos: "estamos todos perplexos" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/149985 : O presidenciável Aécio Neves reagiu com perplexidade à notícia da morte de Eduardo Campos; "Estamos todos absolutamente perplexos com as notícias de um acidente envolvendo o ex-governador e meu amigo Eduardo Campos. Estamos cancelando, naturalmente, toda a nossa programação aqui no Rio Grande do Norte e as outras que teríamos", afirmou; "O Brasil perde um dos seus mais talentosos políticos, que sempre lutou com idealismo por aquilo em que acreditava" <br clear="all"> :

247 - O presidente Aécio Neves reagiu com perplexidade à morte de Eduardo Campos. Leia, abaixo, sua nota oficial:

 

 

É com imensa tristeza que recebi a notícia do acidente que vitimou o ex-governador e meu amigo Eduardo Campos. O Brasil perde um dos seus mais talentosos políticos, que sempre lutou com idealismo por aquilo em que acreditava.

 

 A perda é irreparável e incompreensível. Nesse momento, minha família e eu nos unimos em oração à  família de Eduardo, seus amigos e a milhões de brasileiros que, com certeza, partilham a mesma perplexidade e pesar.

Leia, abaixo, trechos de entrevista distribuída por sua assessoria:

Sobre acidente aéreo com Eduardo Campos.

Estamos todos absolutamente perplexos com as notícias de um acidente envolvendo o ex-governador e meu amigo Eduardo Campos. Estamos cancelando, naturalmente, toda a nossa programação aqui no Rio Grande do Norte e as outras que teríamos. Vamos aguardar que as notícias que venham possam ser melhores que as notícias iniciais. Estamos todos absolutamente perplexos com essas notícias. Nesse momento não há nada a fazer senão aguardar que as informações oficiais possam vir. Esperando e rezando todos para que as notícias possam ser positivas.

O senhor vai para onde?

A agenda toda foi cancelada. Pretendo ir para São Paulo. 

Poder Leonardo Attuch Wed, 13 Aug 2014 14:02:05 +0000 http://www.brasil247.com/149985
Coligação tem 10 dias para indicar substituto de Campos. Será Marina? http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/149989 ERBS JR.: RJ - ENCONTRO PSB REDE E PPS - POL�TICA - Marina Silva (Rede) e o governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) durante encontro program�tico dos partidos e do PPS, realizado na manh� de hoje (15/03) no Cento de Conven��es Sulam�rica, no Rio de Janeiro. 1 O Tribunal Superior Eleitoral, comandado pelo ministro Dias Toffoli, esclareceu que, em caso de morte de candidato, os partidos têm prazo de dez dias para fazer substituição. Com a morte de Eduardo Campos, em um acidente aéreo em Santos, a coligação Unidos para o Brasil pode escolher a candidata a vice, Marina Silva, para substituí-lo, mas não há certeza quanto a isso <br clear="all"> ERBS JR.: RJ - ENCONTRO PSB REDE E PPS - POL�TICA - Marina Silva (Rede) e o governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) durante encontro program�tico dos partidos e do PPS, realizado na manh� de hoje (15/03) no Cento de Conven��es Sulam�rica, no Rio de Janeiro. 1
Isabela Vieira - Repórter da Agência Brasil 

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) esclareceu que, em caso de morte de candidato, os partidos têm prazo de dez dias para fazer substituição. Com a morte do candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB), em um acidente aéreo hoje (13), a coligação Unidos para o Brasil pode escolher a candidata a vice, Marina Silva, para substituí-lo.

Em caso de morte do candidato que for de coligação, a lei eleitoral dá preferência à substituição por outro do mesmo partido, neste caso, o PSB, e orienta para que a mudança seja definida por maioria absoluta dos partidos coligados. A legislação também diz que é obrigação do partido dar ampla divulgação à troca de nomes e esclarecer o eleitorado sobre as mudanças da coligação.

As regras para substituição de candidatos constam da Resolução 23.405, de fevereiro deste ano, e também permitem a troca de candidato caso o registro da candidatura tenha sido indeferido - inclusive por  ineligibilidade - cancelado ou cassado. Nesses casos, a coligação tem até 20 dias antes do pleito para indicar o nome do substituto na chapa concorrente. 

Integram a coligação Unidos para o Brasil PSB, Rede Sustentabilidade, PPS, PPL, PRP e PHS.

Brasil Leonardo Attuch Wed, 13 Aug 2014 14:23:21 +0000 http://www.brasil247.com/149989
Congresso decreta luto oficial de três dias por Campos http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/149996 Marcos Oliveira/Ag. Senado: Presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL), durante promulgação da Emenda Constitucional 82, que disciplina a segurança viária no âmbito dos Estados, do DF e dos Municípios Presidente do Senado, Renan Calheiros, destacou que a Presidência da Casa proporá também uma sessão solene para conceder a ordem do mérito do Congresso Nacional ao ex-governador. O parlamentar ressaltou que "o país sofre a dor coletiva da perda de uma das mais promissoras lideranças da política brasileira" <br clear="all"> Marcos Oliveira/Ag. Senado: Presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL), durante promulgação da Emenda Constitucional 82, que disciplina a segurança viária no âmbito dos Estados, do DF e dos Municípios

Agência Senado - Em nota divulgada no início da tarde desta quarta-feira (13), o presidente do Senado, Renan Calheiros, informou que o Congresso Nacional decretará luto oficial por um período de três dias devido à morte do candidato à Presidência Eduardo Campos.

Renan Calheiros destacou que a Presidência do Senado proporá também uma sessão solene para conceder a ordem do mérito do Congresso Nacional ao ex-governador. Renan ressaltou que "o país sofre a dor coletiva da perda de uma das mais promissoras lideranças da política brasileira".

O presidente do Senado afirmou que Eduardo Campos foi um "homem respeitável em todos os aspectos de sua personalidade, um pai exemplar e uma referência como homem público nos cargos que exerceu".

"É com profundo pesar que lamento a morte tão precoce e trágica do candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos. Uma tragédia que deixa o Brasil chocado e surpreso", disse.

Veja a íntegra da nota:

"É com profundo pesar que lamento a morte tão precoce e trágica do candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos. Uma tragédia que deixa o Brasil chocado e surpreso. O país sofre a dor coletiva da perda de uma das mais promissoras lideranças da política brasileira.

Eduardo Campos foi um homem respeitável em todos os aspectos de sua personalidade, um pai exemplar e uma referência como homem público nos cargos que exerceu.

Em nome do Congresso Nacional e em meu próprio envio condolências à família, ao PSB e ao governo do Estado de Pernambuco.

Informo, ainda que o Congresso Nacional decretará luto oficial por um período de três dias.

A Presidência do Senado proporá também uma sessão solene para conceder a ordem do mérito do Congresso Nacional ao ex-governador Eduardo Campos.

Renan Calheiros
Presidente do Senado Federal"

Brasília 247 Gisele Federicce Wed, 13 Aug 2014 15:09:45 +0000 http://www.brasil247.com/149996
Pressão federal coloca espada sobre Alckmin http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/149929 : Decisão do Operador Nacional do Sistema Elétrico de impor pesadas multas à Cesp caso não seja ampliada a vazão de suas usinas amplia a pressão sobre o governador Geraldo Alckmin; ele argumenta que a prioridade da água deve ser o consumo humano e que a energia hídrica pode ser substituída por térmicas; no entanto, especialistas afirmam que, para estar legalmente amparado, Alckmin deve antes decretar situação de emergência em São Paulo, o que daria munição a seus adversários Paulo Skaf, do PMDB, e Alexandre Padilha, do PT; o que fará o governador paulista? <br clear="all"> :

247 - O governador Geraldo Alckmin, de São Paulo, vive um dilema: decretar ou não situação de emergência, em São Paulo, diante da escassez de recursos hídricos no estado, e, ainda, iniciar um racionamento imediato.

Isso porque, na tarde de ontem, o Operador Nacional do Sistema Elétrico, um órgão federal, divulgou ontem uma dura nota contra o governo paulista e a Cesp, prevendo colapso do abastecimento de água não apenas em regiões de São Paulo, mas também em municípios de Minas Gerais e do Rio de Janeiro (leia aqui).

O alerta se deve ao fato de Cesp ter reduzido a vazão de algumas de suas usinas, favorecendo o abastecimento de água para consumo humano em determinadas regiões de São Paulo. De acordo com o governo paulista, a prioridade na gestão de recursos hídricos deve ser o consumo humano e não a geração hidrelétrica, que pode ser substituída por outras fontes, como as termelétricas. Mas para ao ONS, se a vazão não for imediatamente aumentada, a Cesp sofrerá pesadas multas. Além disso, a Agência Nacional de Energia Elétrica também defende o aumento da vazão para as usinas hidrelétricas.

A questão é técnica e complexa e tem claros impactos políticos. Reportagem publicada hoje pela Folha de S. Paulo (leia aqui) aponta que a prioridade da água para o consumo humano só pode ser oficializada pelo poder público quando a estiagem é oficial. Ou seja: Alckmin e prefeitos de várias cidades deveriam decretar situação de emergência em São Paulo. Além disso, o Ministério Público Federal defende que o racionamento seja implantado desde já no estado.

O problema é que a decisão teria efeitos políticos imediatos. Se as eleições fossem hoje, Alckmin seria reeleito, no primeiro turno, de acordo com as pesquisas. Um fator que poderia alavancar seus dois principais adversários, Paulo Skaf, do PMDB, e Alexandre Padilha, do PT, seria a percepção maior, na sociedade, de que a crise da água se instalou de vez em São Paulo.

O plano de Alckmin é atravessar o período eleitoral utilizando o chamado "volume morto" do sistema Cantareira e chegar até o período de chuvas, quando obras já iniciadas pela Sabesp interligarão bacias hidrícas do estado. Haverá tempo para isso?

SP 247 Leonardo Attuch Wed, 13 Aug 2014 08:24:20 +0000 http://www.brasil247.com/149929
Inútil, Roger debocha de mortos pela ditadura http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/149928 : Vocalista do "Ultraje a Rigor", Roger Moreira debocha de vítimas da ditadura no Twitter em crítica a Marcelo Rubens Paiva, que teve o pai assassinado na época: "Seu bosta: minha família não foi perseguida pela ditadura. Porque não estava fazendo merda" <br clear="all"> :

Pragmatismo Político - O vocalista Roger Moreira, do Ultraje a Rigor, usou o Twitter para atacar o jornalista e escritor Marcelo Rubens Paiva, que há dez dias citou o líder do Ultraje durante uma participação na 12ª Flip (Feira Literária Internacional de Paraty), em Paraty (RJ).

Paiva, que participava de uma mesa sobre os 50 anos do golpe militar, lamentou o fato de muitas pessoas não saberem sobre a ditadura que comandou o Brasil por mais de duas décadas. O escritor citou Roger como exemplo, questionando que se até o roqueiro, que antes escrevia músicas a respeito do movimento das Diretas Já e críticas ao regime militar, hoje se converteu ao conservadorismo, o que esperar de muitos jovens que não têm acesso à informação sobre o tema?

“É compreensível que você considere o comunismo legal. Mas daí a me usar de exemplo na Flip foi canalha de sua parte. E errado”, escreveu Roger, em mensagem que foi posteriormente deletada no Twitter nesta terça-feira.

Irritado, o músico seguiu rebatendo as observações de Paiva e também publicou ofensas contra o jornalista. “E tem mais, seu bosta: minha família não foi perseguida pela ditadura. Porque não estava fazendo merda”, concluiu.

Desaparecimento de Rubens Paiva

O jornalista Marcelo Rubens Paiva é filho do engenheiro civil e político brasileiro Rubens Paiva, desaparecido na época da ditadura militar.

Em um dos mais importantes e verossímeis depoimentos já prestados por agentes da ditadura, o coronel reformado Paulo Malhães confessou ter desenterrado em 1973 a ossada do desaparecido político Rubens Paiva.

No testemunho, o veterano da repressão também afirmou que ele e seus parceiros cortavam os dedos das mãos, arrancavam a arcada dentária e extirpavam as vísceras de presos políticos mortos sob tortura antes de jogar os corpos em rio onde jamais viriam a ser encontrados.

Ostracismo

Roger Moreira e sua banda caíram no ostracismo musical e não conseguiram emplacar mais nenhum sucesso desde meados da década de 90. O cantor, que se refere a Dilma Rousseff como ‘terrorista’ e dedica a maior parte do seu tempo para alardear na internet sobre os perigos da ‘ascensão comunista no Brasil’, trabalha hoje com o apresentador Danilo Gentili, no SBT. Ambos são admiradores confessos de Olavo de Carvalho – uma espécie de guru da nova direita brasileira.

Vídeo de Marcelo Rubens Paiva na Flip:

 

Brasil Roberta Namour Wed, 13 Aug 2014 09:01:07 +0000 http://www.brasil247.com/149928
MP nega arquivamento de caso contra Paes denunciado por 247 http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/149941 : Ministério Público do Rio negou pedido de arquivamento do inquérito que investiga se a família do prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), cometeu alguma irregularidade na compra de duas empresas no Panamá, em 2008; conforme denúncia do 247, as empresas offshore Conval Corporation e Vittenau Corporation têm, cada uma, um capital social de US$ 4 milhões (US$ 8 milhões); 5ª Promotoria alegou que não foram encontrados indícios de improbidade administrativa; peemedebista confirmou que seu pai, Valmar Souza Paes, possui uma empresa no exterior <br clear="all"> :

Jornal do Brasil - O pedido de arquivamento feito pela 5ª Promotoria de Tutela Coletiva do inquérito que investiga se a família do prefeito Eduardo Paes (PMDB) cometeu alguma irregularidade na compra de duas empresas no Panamá, em 2008, foi negado pelo Conselho Superior do Ministério Público do Rio de Janeiro.

A 5ª Promotoria alegava que não foram encontrados indícios de improbidade administrativa no caso.

O caso das empresas da família de Eduardo Paes no Panamá veio à tona em dezembro de 2013, pelo site Brasil 247. A denúncia dava conta de que duas empresas offshore pertencem à família do prefeito do Rio de Janeiro. As empresas se chamam Conval Corporation e Vittenau Corporation. A primeira foi constituída em 12 de junho de 2008 e a segunda uma semana depois, em 19 de junho daquele ano - o mesmo em que Eduardo Paes se elegeu pela primeira vez para governar a cidade. Hoje elas pertencem a Valmar Souza Paes, pai do prefeito, Consuelo da Costa Paes, a mãe, e Letícia da Costa Paes, a irmã caçula, segundo a denúncia do Brasil 247.

Cada uma delas tem um capital social de US$ 4 milhões, ou seja, US$ 8 milhões, que, hoje, equivaleriam a cerca de R$ 20 milhões. Ambas foram constituídas pelo escritório Morgan y Morgan, um dos mais atuantes no Panamá.

Na ocasião, o prefeito Eduardo Paes (PMDB) confirmou parte da informação publicada  pelo Brasil 247 ao dizer que seu pai, o advogado Valmar Souza Paes, possui uma empresa no exterior. Paes não informou o país, no entanto, e garantiu que a empresa funciona sem irregularidades e está declarada no Imposto de Renda de Valmar.

Paes negou, no entanto, que sua mãe, Consuelo da Costa Paes, e sua irmã, Letícia da Costa Paes, também tenham empresas no exterior. "Aí já começa a mentira", respondeu, quando questionado sobre o assunto. 

O prefeito também não mencionou  o nome de Jose Eugenio Silva Ritter, panamenho que chegou a ser dono das empresas da família de Paes. Ritter foi apontado pelo Jornal Nacional como sócio 'laranja' do Hotel Saint Peter, de Brasília, que ofereceu emprego ao ex-ministro José Dirceu, condenado na Ação Penal 470.

Os contratos das empresas da família do prefeito do Rio foram elaborados pelo escritório Morgan y Morgan, também do Panamá e que tem Ritter como empregado.

Rio 247 Leonardo Lucena Wed, 13 Aug 2014 10:15:38 +0000 http://www.brasil247.com/149941
Kennedy: afastamento de Marinho dá munição ao PT http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/149911 : Segundo o colunista Kennedy Alencar, a decisão não é definitiva, mas faz do ex-secretário da Casa Civil no governo Mário Covas, Robson Marinho, o primeiro nome graúdo com ligações com o PSDB a receber punição no caso Alstom: “O PT ganha munição na eleição paulista para tentar atacar os tucanos no campo ético, porque Marinho só foi punido devido a provas que vieram do exterior, da Suíça e da França” <br clear="all"> :

247 – O colunista Kennedy Alencar vê no afastamento do conselheiro Robson Marinho do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo um passo a favor do PT contra o PSDB. Ele é acusado de receber propina da Alstom para facilitar contratos sem licitação na área de energia.

Kennedy lembra que a decisão não é definitiva, mas faz de Marinho o primeiro nome graúdo com ligações com o PSDB a receber punição no caso Alstom. Ele foi secretário da Casa Civil no governo Mário Covas e também foi filiado ao PSDB até entrar no Tribunal de Contas do Estado.

“O PT ganha munição na eleição paulista para tentar atacar os tucanos no campo ético, porque Marinho só foi punido devido a provas que vieram do exterior, da Suíça e da França. Em algumas ocasiões, o PSDB chegou a barrar investigações sobre o caso Alstom em São Paulo”, afirma (assista aqui).

Mídia Roberta Namour Wed, 13 Aug 2014 05:43:01 +0000 http://www.brasil247.com/149911
Eletrobras tem prejuízo de R$ 105 milhões no 2º tri http://www.brasil247.com/pt/247/economia/149945 : Resultado da estatal de energia reverteu o resultado positivo de um ano antes pressionada por custos maiores gerados por energia comprada para revenda <br clear="all"> :

SÃO PAULO (Reuters) - A Eletrobras encerrou o segundo trimestre com prejuízo consolidado de 105 milhões de reais, revertendo resultado positivo de um ano antes pressionada por custos maiores gerados por energia comprada para revenda.

A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros impostos, depreciação e amortização (Ebitda) consolidada somou 465 milhões de reais. A empresa não forneceu comparação para o Ebitda consolidado do trimestre passado.

O Ebitda das empresas controladas pela Eletrobras caiu 42 por cento no segundo trimestre sobre os três primeiros meses do ano, para 1,109 bilhão de reais, mas avançou sobre os 501 milhões divulgados pela companhia na publicação do resultado do mesmo período de 2013.

As empresas do grupo que registraram Ebitda negativo no segundo trimestre foram Chesf (-79 milhões), CGTEE (-96 milhões) e a Eletronuclear (-500 mil).

As distribuidoras de energia da Eletrobras tiveram Ebitda positivo de 123 milhões de reais entre abril e junho.

A receita operacional da maior empresa de energia do Brasil subiu 14,5 por cento, para 6,867 bilhões de reais no período de abril a junho. Mas o custo da energia comprada saltou quase 36 por cento ante o segundo trimestre de 2013, para 2 bilhões de reais.

O faturamento com geração somou 5,31 bilhões de reais e as receitas com transmissão foram de 1,09 bilhão. Já a área de distribuição teve receita de 1,45 bilhão.

O resultado também foi impactado negativamente por despesas judiciais de 360 milhões de reais e por provisão de 131 milhões de reais para perdas no ativo financeiro, disse a empresa no balanço. No primeiro trimestre, a Eletrobras havia tido lucro líquido de 986 milhões de reais.

A Eletrobras terminou o segundo trimestre com dívida líquida de 5,048 bilhões de reais, mais que duas vezes o endividamento apurado ao final do ano passado.

O governo federal aprovou na véspera empréstimo de 6,5 bilhões de reais para a Eletrobras, a ser concedido por Banco do Brasil e Caixa. Fonte do governo que acompanhou a negociação do empréstimo informou que a operação está sendo remunerada a 119 por cento do CDI, correspondente a cerca de 13,1 por cento ao ano.

(Por Alberto Alerigi Jr., Edição de Camila Moreira)

Economia Gisele Federicce Wed, 13 Aug 2014 10:26:26 +0000 http://www.brasil247.com/149945
Número de mortos na Ucrânia passa de 2 mil, diz ONU http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/149944 REUTERS/Roman Baluk: Caixão de general ucraniano Kulchytsky durante funeral em Lviv. 31/05/2014 REUTERS/Roman Baluk Número estimado de mortos no conflito na Ucrânia praticamente dobrou para 2.086 até 10 de agosto, ante 1.129 registrados até 26 de julho, disse o escritório de Direitos Humanos da ONU em Genebra nesta quarta-feira; em média, mais de 60 pessoas foram mortas ou feridas por dia desde o início do conflito em meados de abril no leste da Ucrânia <br clear="all"> REUTERS/Roman Baluk: Caixão de general ucraniano Kulchytsky durante funeral em Lviv. 31/05/2014 REUTERS/Roman Baluk

(Reuters) - O número estimado de mortos no conflito na Ucrânia praticamente dobrou para 2.086 até 10 de agosto, ante 1.129 registrados até 26 de julho, disse o escritório de Direitos Humanos da ONU em Genebra nesta quarta-feira.

"Isso corresponde a uma clara tendência de escalada (da violência)", disse a porta-voz para Direitos Humanos da ONU, Cecile Pouilly, após ser questionada pela Reuters.

Em média, mais de 60 pessoas foram mortas ou feridas por dia desde o início do conflito em meados de abril no leste da Ucrânia, disse ela.

Aproximadamente 5 mil pessoas ficaram feridas até o momento.

Os dados sobre as vítimas do conflito englobam soldados ucranianos, grupos armados e civis, mas "são estimativas muito conservadoras", disse ela. Não ficou claro se soldados russos teriam entrado na conta.

(Reportagem de Stephanie Nebehay)

Mundo Gisele Federicce Wed, 13 Aug 2014 10:17:46 +0000 http://www.brasil247.com/149944
Por 5 x 2, TRE diz não à candidatura de Arruda http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/149904 : Candidato do PR, José Roberto Arruda teve seu registro negado com base na Lei da Ficha Limpa, o que também aconteceu com Jaqueline Roriz (PMN), candidata a deputada federal; ele foi condenado em primeira instância no julgamento do mensalão do DEM; cabe recurso junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE); Toninho do Psol, que também concorre ao Palácio do Buriti e é autor do pedido de impugnação, comemorou decisão nas redes sociais <br clear="all"> :

Brasília 247 - O Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) decidiu negar o registro da candidatura de José Roberto Arruda (PR) ao governo do DF, nesta terça-feira (12). Ele foi enquadrado na Lei Complementar nº 135/2010, a Lei da Ficha Limpa, ainda que o julgamento por um colegiado (o Tribunal de Justiça), como prevê a lei, tenha sido realizado dias depois do pedido de registro da candidatura. O placar foi 5×2 votos, como informa o colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder. 

Com o quarto voto desfavorável, proferido pela desembargadora Maria de Fátima, a derrota do ex-governador foi sacramentada. Votaram pela impugnação da candidatura de Arruda o relator, desembargador Cruz Macedo, e seus colegas Olindo de Menezes, Leila Arlanch, Maria de Fátima Aguiar e o presidente Romão Cícero Oliveira. A favor de Arruda, votaram Cléber Lopes de Oliveira e Josaphá Francisco dos Santos. 

O candidato do PR foi condenado em primeira instância no julgamento do mensalão do DEM e teve a sentença confirmada pelo Tribunal de Justiça do DF nove dias depois do pedido de registro da sua candidatura. 

Jaqueline Roriz (PMN) também teve sua candidatura a deputada federal negada pelas mesmas razões. No caso de Jaqueline, a aceitação do pedido de impugnação se deu por seis votos a um.

A parlamentar foi condenada em segunda instância também por envolvimento no mensalão do DEM, resultado de investigações da operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal. Arruda e Jaqueline poderão recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Com direito a poema, Toninho comemora e endurece, mas sem perder a ternura

Nas redes sociais, poucas horas atrás, o candidato a governador do DF Toninho do Psol comemorou a impugnação das candidaturas de Arruda e Jaqueline. "Graças à pressão da população e da representação do PSOL-DF contra as candidaturas dos fichas sujas, Jaqueline Roriz e Arruda estão IMPUGNADOS", diz o post de Toninho no Facebook. "Uma grande vitória do povo, vitória da democracia, respeito à Lei da Ficha Limpa. O PSOL sempre lutou contra a corrupção e pela ética e transparência na política e mantemos nossa coerência e intransigência nesta luta".

Exultando a decisão do TRE-DF, Toninho do Psol aproveitou para disparar sua "metralhadora giratória", com críticas ao também ex-governador Joaquim Roriz (PRTB) e aos atuais adversários na corrida pelo Palácio do Buriti, Agnelo Queiroz (PT), que busca a reeleição, e Rollemberg (PSB).

 

Leia abaixo os versos publicados por Toninho do Psol nas redes sociais:

Brasília me diz como se sente
Em ter o Arruda pra votar
Te juro que esse ficha suja
Nunca mais irá te envergonhar

Se Roriz te loteou
Se Agnelo te enganou
Rollemberg também quer te enganar

Mas memória a gente tem
E vergonha temos também
Só Toninho do PSOL vai transformar

Nossa luta é pra valer
À esquerda vocês vão ver
Vamos ter um GOVERNO POPULAR!!!

O diretório do PSOL no DF entrou com pedidos de impugnação das candidaturas de Arruda e de Jaqueline Roriz (PMN) a deputada federal em 10 de julho, um dia depois de o político do PR ter sido condenado em segunda instância por improbidade administrativa pelo envolvimento no esquema que ficou conhecido como o mensalão do DEM.

Brasília 247 Leonardo Araújo Wed, 13 Aug 2014 01:25:26 +0000 http://www.brasil247.com/149904
Em casa, Genoino planeja livro sobre Constituinte http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/149915 : Transferido para o regime aberto, ex-deputado José Genoino (PT-SP), condenado no processo do chamado ‘mensalão’ deve se dedicar de imediato a um livro de memórias sobre a Assembleia Constituinte (1987-1988) e se preparar para o depoimento que deverá prestar à Comissão Nacional da Verdade sobre a participação dele na Guerrilha no Araguaia, entre os anos 1960 e 1970  <br clear="all"> :

247 – Após cumprir 8 meses e 27 dias de prisão, o ex-deputado José Genoino (PT-SP), condenado no processo do chamado ‘mensalão’, foi transferido para o regime aberto.

A progressão foi autorizada pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), na quinta-feira passada.
De volta para casa, segundo reportagem do Globo, ex-deputado planeja se dedicar de imediato a um livro de memórias sobre a Assembleia Constituinte (1987-1988), e se preparar para o depoimento que deverá prestar à Comissão Nacional da Verdade sobre a participação dele na Guerrilha no Araguaia, entre os anos 1960 e 1970.

Pelas normas, Genoino deverá permanecer em sua residência das 21h às 5h, incluindo domingos e feriados, não deixar o Distrito Federal sem autorização da Justiça e não ter contato com condenados no mesmo processo.

Brasil Roberta Namour Wed, 13 Aug 2014 05:57:12 +0000 http://www.brasil247.com/149915
Campos ao JN: "O Brasil está perdendo de 7 a 1" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/149900 : O presidenciável Eduardo Campos, do PSB, foi o segundo a ser entrevistado pelo Jornal Nacional; ele bateu duro na economia e na presidente Dilma Rousseff; "não perdemos de 7 a 1 só na Copa; estamos com 7% de inflação e 1% de crescimento";  no depoimento a William Bonner e Patrícia Poeta, ele rebateu acusações de nepotismo, como na escolha de Ana Arraes, sua mãe, para o Tribunal de Contas da União; "se a nomeação fosse minha, seria nepotismo; ela disputou uma eleição no parlamento e venceu"; entrevista foi mais branda do que a de Aécio Neves <br clear="all"> :

247 – Na segunda entrevista com presidenciáveis ao Jornal Nacional, o candidato do PSB, Eduardo Campos, conseguiu responder às perguntas com tranquilidade suficiente para intercalar diferentes slogans de sua campanha. Frases como “só há uma promessa, a de a melhorar a vida do povo brasileiro”, “nosso compromisso número um é retomar à inflação à meta” ou “esse é o único governo que vai entregar o país pior do que pegou” foram ditas por ele, entre as respostas a William Bonner e Patrícia Poeta, com bastante naturalidade.

Na promessa de abordar temas polêmicos, Bonner atalhou uma resposta de Campos sobre sua plataforma econômica – “com um crescimento fiscal que vai abrir espaço para um Banco Central independente e a formação de um comitê de responsabilidade fiscal”:

- Vamos a uma questão ética. O sr. considera que foi ético seu apoio a Ana Arraes, sua mãe, para um cargo vitalício no Tribunal de Contas?, perguntou o âncora do JN.

Campos não se abalou. Explicou que sua mãe era funcionária concursada da Justiça, portanto em condições de pleitear cargos eletivos na carreira jurídica. Como deputada federal eleita duas vezes por Pernambuco, “com votações crescentes”, como frisou o presidenciável em sua resposta, Campos confirmou que, sim, “torci por ela”, mas que não tinha poderes sobre os deputados federais para comandar-lhes do voto.

- O sr. acha então que não fez nada de errado nesse caso?, insitiu Bonner.

- Não, resumiu Campos, levando a entrevista para outro assunto.

Foi a vez, então, de Patrícia Poeta questionar o ex-governador sobre “a nomeação de dois primos para fiscalizar suas próprias contas, no Tribunal de Contas do Estado (de Pernambuco)”.

Para responder, em nítido sinal de ironia, Campos abriu um sorriso, expirou mais longamente e posicionou que os personagens citados eram sim seus parentes, mas um não fora indicado por ele, mas sim eleito para o cargo pela Assembleia Legislativa. E admitiu que nomeou o segundo "na vaga do Executivo", mas ressalvou que o currículo era adequado para o cargo.

- Eu baixei um decreto anti-nepotismo no meu Estado, registrou Campos, que não foi mais questionado.

Talvez o melhor momento do candidato aconteceu quando ele conseguiu, em meio a uma resposta sobre crescimentoa, encaixar um disparo na política econômica da presidente Dilma Rousseff:

- Assim como o Brasil perdeu de 7 a 1 na Copa, estamos perdendo de 7 a 1 entre a inflação e o crescimento. 

A pergunta que prometia ser a mais difícil de responder foi feita por Bonner, na parte final da entrevista de 15 minutos:

- O sr. e a candidata a vice Marina Silva tem posições antagônicas sobre muitos assuntos. Como vai ser essa convivência?

- Por isso é que firmamos uma aliança em torno de um programa de governo, que será lançado na próxima semana, retrucou Campos. O que pretendemos fazer, estará lá.

- Mas, num caso concreto, o do Código Florestal, o PSB e o partido de Marina tiveram posições completamente antagônicas, espetou Bonner.

- Sim, a nossa banca, a do PSB, rachou sobre esse tema. Marina foi contra a aprovação do Código Florestal. Foi um longo debate.

- Nesse caso, os dois cederam?

- Não. Eu fiquei com a posição de Marina, votei, como deputado, contra a aprovação do Código.

- Foram dois votos contrários no PSB, completou Bonner.

- Exatamente, o meu entre eles, retomou Campos.

Com calma e concentração, a olho nu, do ângulo da poltrona do sofá da sala de estar, a avaliação geral pode muito bem ser a de que Campos, pouco apertado pelos entrevistadores, se saiu bem na sabatina do JN, da Rede Globo.

Nesta quarta-feira 13, com os mesmos 15 minutos de tempo, será a vez da presidente Dilma Rousseff responder às questões levantadas pelos apresentadores do Jornal Nacional. Segundo o manchetômetro da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), que apurou o volume e a orientação do noticiário do JN sobre o governo desde o dia 1º de janeiro, o placar era de 83 minutos de notícias consideradas negativas à presidente Dilma Rousseff e 3 minutos de espaço classificado como positivo ao governo, até o dia 9 de agosto.

Abaixo, notícia anterior:

247 - O socialista Eduardo Campos foi o segundo presidenciável entrevistado pelo Jornal Nacional. Nesta terça-feira, ele falou a William Bonner e Patrícia Poeta sobre diversos temas. Confira:

Sobre promessas de ampliar benefícios sociais (como passe livre) e, ao mesmo tempo, reduzir a inflação:

Só há uma promessa, que é melhorar a vida do povo brasileiro. O passe livre, que é nossa promessa para os estudantes, custa menos do que meio ponto na taxa Selic. Meio ponto custa R$ 14 bilhões. Estamos, sim, fazendo contas.

Combate à inflação

Ela não pode ser combatida só com taxa de juros. É preciso ter regras seguras. A falta de logística encarece o Brasil e o Custo Brasil. O Brasil precisa enfrentar a inflação porque ela está corroendo os salários.

Remédios amargos para 2015?

O ano difícil está sendo este. Estamos perdendo de 7 a 1 na economia. São sete de inflação e 1 de crescimento.

Reajuste de energia

Estamos com problemas na energia. Porque não criar um esforço de eficiência energética, como acontece em vários países da Europa.

Nepotismo com a nomeação de Ana Arraes, mãe de Eduardo Campos, para o TCU

Se a nomeação fosse minha, seria nepotismo. A Câmara foi chamada a eleger um parlamentar. Ela disputou uma eleição com vários deputados. Foi a única mulher a disputar no voto e ganhou.

Marina Silva e o agronegócio

Marina não tem nada contra o agronegócio, contra a indústria ou contra o desenvolvimento econômico. O que Marina defende, e eu também, é o desenvolvimento, com proteção da natureza e proteção das pessoas mais pobres.

Ambição de poder

Não se trata de ambição, mas de um direito. Ninguém é obrigado a apoiar um projeto ou um governo quando você não acredita mais nesse projeto. Já vínhamos num projeto de afastamento. Esse é o único governo que vai entregar o Brasil pior do que recebeu. Estamos pior na economia, na violência. Tantas pessoas votaram na Dilma e se frustraram. Este governo está fazendo derreter os empregos.

Mensagem final

Governei pernambuco por duas vezes, fui reeleito com 89% dos votos e deixei o cargo com 90% de aprovação. Agora, ao lado da Marina Silva, quero representar o seu sonho de um Brasil melhor. Por isso, é preciso coragem. E uma nova agenda. Com o passe live, o ensino integral... O Brasil tem jeito.



Poder Aline Lima Tue, 12 Aug 2014 20:49:57 +0000 http://www.brasil247.com/149900
Ministro desiste de votar punição a Graça http://www.brasil247.com/pt/247/poder/149921 : Ministro do TCU (Tribunal de Contas da União) José Jorge volta atrás na inclusão da presidente da Petrobras, Graça Foster, entre os responsáveis por prejuízos apurados pelo órgão na compra da Refinaria de Pasadena, nos EUA; medida previa o bloqueio de seus bens, mas foi contestada pelo ministro da AGU (Advocacia-geral da União) Luis Inácio Adams, já que o processo ainda está na fase da defesa dos diretores <br clear="all"> :

247 – O ministro do TCU (Tribunal de Contas da União) José Jorge desistiu de levar à votação nesta quarta (13) o processo que prevê a inclusão da presidente da Petrobras, Graça Foster, entre os responsáveis por prejuízos apurados pelo órgão na compra da Refinaria de Pasadena, nos EUA.

No mês passado, o órgão atribuiu a 11 diretores e ex-diretores da Petrobras a responsabilidade pela polêmica compra da refinaria, deixando o Conselho, na época presidido por Dilma Rousseff, de fora do caso. Após a decisão, Jorge indicou que poderia incluir Graça na lista de responsáveis, mas depois, voltou atrás.

A medida bloquearia os bens da presidente da Petrobras, mas foi contestada pelo ministro da AGU (Advocacia-geral da União) Luis Inácio Adams, já que o processo ainda está na fase da defesa dos diretores.

 

Poder Roberta Namour Wed, 13 Aug 2014 06:56:43 +0000 http://www.brasil247.com/149921
Tolmasquim: queda da tarifa de energia é permanente http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/149920 : Presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Mauricio Tolmasquim lembra que desde o fim do ano passado, “profetas do apocalipse” erraram ao anunciar racionamento e desorganização do setor: “A medida provisória 579, recepcionada e convertida em lei pelo Congresso, proporcionou uma redução estrutural na tarifa de energia. Isso significa queda permanente da tarifa” <br clear="all"> :

247 – O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Mauricio Tolmasquim, critica previsões erradas dos “profetas do apocalipse” sobre o setor elétrico e garante que queda de tarifas promovida pela presidente Dilma Rousseff é permanente:

Profetas do apocalipse

A MP 579, recepcionada e convertida em lei pelo Congresso, proporcionou uma redução estrutural na tarifa de energia

Há dois anos, a presidenta Dilma Rousseff prometeu reduzir as tarifas de energia. Cumpriu. Desde o fim do ano passado, profetas do apocalipse anunciam um racionamento. Erram. Agora, travestidos de analistas de videoteipe, realinham suas baterias e acusam: o setor elétrico foi desorganizado. Erram novamente.

Continuam confundindo a opinião pública --ao misturar conceitos e dados-- e distorcendo a realidade, na tentativa de emprestar alguma sustentação às teses que formulam. A quem interessa essa desinformação?

A medida provisória 579, recepcionada e convertida em lei pelo Congresso, proporcionou uma redução estrutural na tarifa de energia. Isso significa queda permanente da tarifa devido à apropriação pelo consumidor de parte do bônus oferecido por um parque gerador e transmissor amortizado e à retirada da tarifa de custos de políticas públicas (Luz para Todos, subsídios à baixa renda).

Como os livros de economia ensinam, tais custos devem ser debatidos pelo Parlamento e, portanto, suportados preferencialmente pelo Orçamento da União.

Não se confunda essa queda estrutural com variações conjunturais de custo devidas à escassez de chuva. Sem a medida provisória, a tarifa de energia seria igualmente afetada pelo aumento do custo de produção imposto pela conjuntura climática adversa --basicamente, aumento da geração térmica, fato característico de um sistema hidrotérmico como o brasileiro.

Teríamos um impacto tarifário de efeitos nefastos, já que os reajustes necessários ao custeio das térmicas se dariam sobre uma base 20% mais alta. A normalização da hidrologia restabelecerá as condições operativas do sistema e inverterá o sinal das variações conjunturais de custo.

Argumentam os ex-profetas, agora analistas, que a MP 579 quebrou um dos pilares do modelo implantado em 2004, cujo sucesso, saliente-se, tem reconhecimento internacional. Nada mais falacioso.

De fato, a partir de 2013, com a decisão das geradoras Cesp, Cemig e Copel de não aderir às condições da MP 579 e de não participar dos leilões daquele ano, uma parte da demanda das distribuidoras ficou sem cobertura, ou, no jargão do setor, exposta.

Isso gerou custos altos porque a energia não contratada teve de ser comprada no mercado de curto prazo, onde os preços se elevaram em razão da escassez de chuvas. Foi uma aposta arriscada. Se não fosse a medida provisória, o nível de exposição seria muito maior. Afinal, outras geradoras também não ofereceriam sua energia nos leilões. Ou seja, a MP evitou aumento de custo ainda maior!

Toda essa situação será normalizada no próximo ano, quando vencerão as concessões das usinas das três geradoras e as respectivas produções serão alocadas às distribuidoras ao preço de custo.

Isso traz um viés de baixa à tarifa, em sinal contrário à elevação devida à exposição e à geração térmica. Nessas situações, a solução natural é fazer uma "ponte", de modo que um aumento de custo transitório possa ser absorvido sem maiores traumas pela sociedade.

A redução da tarifa não deve ser confundida com os aportes do Tesouro Nacional e o financiamento do pool de bancos às distribuidoras, que visou mitigar um forte impacto tarifário de curto prazo ocasionado por seca extraordinária.

O prolongamento da seca não foi apenas mais um detalhe, mas, sim, fator capital na elevação dos custos de produção. Pago de uma vez ou amenizado no tempo em razão dos empréstimos, o aumento dos custos de produção será repassado ao consumidor.
Como se vê, ao contrário do que querem fazer crer, a MP 579 evitou um custo social ainda mais alto. Definitivamente, uma medida corajosa e acertada!

Brasil Roberta Namour Wed, 13 Aug 2014 06:46:18 +0000 http://www.brasil247.com/149920
"Jornal Nacional" vai até Dilma em Brasília http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/149918 : Entrevista da presidente Dilma Rousseff, prevista para esta quarta-feira, no Jornal Nacional, terá um cenário diferente do oferecido aos seus adversários Aécio Neves (PSDB), Eduardo Campos (PSB) e pastor Everaldo (PSC), na Rede Globo; Desta vez, os apresentadores William Bonner e Patrícia Poeta irão ao Palácio da Alvorada, residência oficial da presidente em Brasília; formato repete a entrevista feita com Lula em 2006, quando o ex-presidente disputou a reeleição <br clear="all"> :

247 - A entrevista da presidente Dilma Rousseff, prevista para esta quarta-feira, no Jornal Nacional, terá um cenário diferente do oferecido aos seus adversários Aécio Neves (PSDB), Eduardo Campos (PSB) e pastor Everaldo (PSC), na Rede Globo.

Segundo o colunista Lauro Jardim, desta vez, os apresentadores William Bonner e Patrícia Poeta irão ao Palácio da Alvorada, residência oficial da presidente em Brasília.

O restante do telejornal será tocado na bancada por Heraldo Pereira.

O formato repete a entrevista feita com Lula em 2006, quando o ex-presidente disputou a reeleição.

Mídia Roberta Namour Wed, 13 Aug 2014 06:35:11 +0000 http://www.brasil247.com/149918
Lobão sobre tarifaço: 'Não falo do que não existe' http://www.brasil247.com/pt/247/economia/149910 : Ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, descartou a possibilidade de reajuste na tarifa de energia elétrica e gasolina, alvos de críticas de Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), adversários da presidente Dilma Rousseff; “Não falo de algo que não existe”, disse <br clear="all"> :

247 – O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, descartou a possibilidade de reajuste na tarifa de energia elétrica e gasolina, alvos de críticas dos adversários da presidente Dilma Rousseff.

“Não falo de algo que não existe”, disse ele, segundo o Poder Online, enquanto participava do lançamento do site “O Brasil da Mudança”, do Instituto Lula.

A presidente Dilma indicou recentemente a possibilidade de aumento do combustível, mas afirmou que decisão cabe ao Conselho da Petrobras.

Economia Roberta Namour Wed, 13 Aug 2014 05:09:56 +0000 http://www.brasil247.com/149910
Aécio: Nordeste e segurança são prioridade http://www.brasil247.com/pt/247/maranhao247/149909 : Em Imperatriz (MA), candidato à Presidência da República Aécio Neves (PSDB) disse que os índices de violência no Nordeste estão crescendo “em razão do governo federal não cuidar das nossas fronteiras e não atuar na repressão do tráfico de drogas, tráfico de armas, matrizes para muitas dessas mortes”; tucano prometeu que irá transformar o Ministério da Justiça em Ministério da Segurança Pública e Justiça e que não haverá contingenciamento de recursos para a área <br clear="all"> :

Iolando Lourenço - Repórter da Agência Brasil - O candidato à Presidência da República Aécio Neves (PSDB) disse ontem (12) que a segurança pública será uma das prioridades de seu governo, caso eleito, com a adoção de políticas no setor, reforma dos códigos Penal e de Processo Penal. “Segurança pública será uma prioridade absoluta do nosso governo”, disse em entrevista em atos em Imperatriz (MA).

O candidato disse ainda que os índices de violência no Nordeste estão crescendo “em razão do governo federal não cuidar das nossas fronteiras e não atuar na repressão do tráfico de drogas, tráfico de armas, matrizes para muitas dessas mortes”.

Em entrevista coletiva, Aécio Neves prometeu que irá transformar o Ministério da Justiça em Ministério da Segurança Pública e Justiça e que não haverá contingenciamento de recursos para a área de segurança. Segundo ele, é possível que parte dos policiais que está trabalhando em serviços administrativos possa ir para as ruas e, com isso, o governo federal ajude os estados com financiamentos para o pagamento de pessoal administrativo, que substituiria os policiais.

Conforme o candidato, o Programa Bolsa Família será mantido e transformado em política de Estado. O tucano elogiou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que ampliou o programa, mas lembrou que o Bolsa Família foi iniciado no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso com o Bolsa Escola, o Bolsa Alimentação e outros programas.

Além da manutenção do Bolsa Família, Aécio disse que irá trabalhar para que as famílias beneficiárias recebam qualificação. “Quero essas famílias mais qualificadas, quero fazer o Brasil voltar a crescer e se desenvolver para gerar empregos cada vez de melhor qualidade”.

Ao falar sobre as políticas para o desenvolvimento do Nordeste, o candidato disse que a região será uma das prioridades de seu governo, com melhoria da infraestrutura para tornar a região mais competitiva e investimentos em diversas áreas. Ele lembrou que há 60 anos, Juscelino Kubitschek percebeu o potencial da região e com a construção da rodovia Belém-Brasília permitiu que o Nordeste encontrasse um caminho para o desenvolvimento econômico e social.

“O que quero oferecer ao Nordeste brasileiro é um pacto. Um pacto de solidariedade permanente, não de solidariedade eleitoral, que passa fundamentalmente por investimentos em infraestrutura, por um grande salto na qualidade da educação e da saúde, mas também pelo retorno e resgate da autoridade no que diz respeito à segurança pública”, disse Aécio Neves. Na noite de hoje, o tucano tem compromissos de campanha em Teresina.

Maranhão 247 Roberta Namour Wed, 13 Aug 2014 05:51:12 +0000 http://www.brasil247.com/149909
ONS alerta: Alckmin pode causar colapso no Rio http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/149896 : Comandado por Hermes Chipp, o Operador Nacional do Sistema Elétrico, um órgão federal, emitiu nesta terça-feira uma dura nota contra a Cesp e o governo de São Paulo; de acordo com o ONS, a decisão da Cesp de reduzir a vazão da usina de Jaguari, no interior do Estado, pode levar ao "colapso no abastecimento de água" de diversos municípios do Rio de Janeiro e de São Paulo; reservatórios Paraíbuna, Santa Branca e Funil podem secar; ONS informou que Cesp está descumprindo ordens e sofrerá multa pesada se persistir; caso é inédito; guerra da água cresce; leia a íntegra da nota <br clear="all"> :

247 – Em nota dura, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) apontou nesta terça-feira 12 a "desobediência" da Cesp, estatal de energia do governo de São Paulo, diante da determinação de aumentar a vazão de água do sistema hídrico do rio Paraíba do Sul para três usinas hidrelétricas que produzem energia para diversas cidades do Rio de Janeiro e, também, de São Paulo. A atitude da Cesp pode, segundo a autoridade, causar um "colapso do abastecimento de água". Ao dar a ordem para a companhia retomar níveis mais altos de vazão de água dos reservatórios que controla, o ONS reforçou que, se não for atendida, poderá impor pesada multa à estatal.

Abaixo, a íntegra da manifestação da ONS: 

Brasil Leonardo Attuch Tue, 12 Aug 2014 18:34:37 +0000 http://www.brasil247.com/149896
PT reage a relatório de consultoria: “provocação” http://www.brasil247.com/pt/247/poder/149893 : Vice-presidentes do partido rebatem análise da consultoria econômica Rosenberg Associados, que prevê a "continuidade da mediocridade" com a reeleição da presidente Dilma Rousseff; deputado José Guimarães (CE) diz que relatório é "armadilha"; "Eles fizeram isso em 2002, na eleição do ex-presidente Lula, e tentam reeditar isso agora, mas estamos preparados para o debate", afirmou; Alberto Cantalice diz que consultoria quer "surfar" nas eleições para ganhar protagonismo e chama documento de provocação; "Eles querem nos provocar para ver se a gente reage, mas sabemos que a análise deles não tem influência no eleitorado"; texto é assinado por Thaís Zara, economista-chefe da Rosenberg, e mais três economistas <br clear="all"> :

247 – A cúpula do PT reagiu nesta terça-feira 12 à previsão da consultoria econômica Rosenberg Associados, que em relatório divulgado aos seus clientes, previu a "continuidade da mediocridade" como cenário mais provável para o País, uma vez que acredita que a presidente Dilma Rousseff (PT) será reeleita em outubro.

Para o deputado federal e vice-presidente do partido José Guimarães (CE), trata-se de mais um movimento dos "pessimistas", que tentam prejudicar a gestão da presidente Dilma em período de eleições. Para o partido, a análise da consultoria está alinhada com a estratégia da oposição, de espalhar o "medo", segundo reportagem da Folha de S. Paulo.

"Não vamos cair mais uma vez nessa armadilha. Eles fizeram isso em 2002, na eleição do ex-presidente Lula, e tentar reeditar isso agora, mas estamos preparados para o debate", disse Guimarães. Segundo ele, a análise não é compatível com a realidade do Brasil e a empresa é "mais uma" a serviço das políticas neoliberais defendidas pelos tucanos.

Alberto Cantalice, também vice-presidente do PT, o documento representa uma provocação. "Eles querem nos provocar para ver se a gente reage, mas sabemos que a análise deles não tem influência no eleitorado", afirmou. Para ele, a empresa quer "surfar" na onda das eleições para tentar ganhar protagonismo.

Poder Gisele Federicce Tue, 12 Aug 2014 18:20:44 +0000 http://www.brasil247.com/149893
Manchetômetro vai comparar coberturas de Dilma e FHC http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/149895 : Idealizada pelo cientista político João Feres Júnior, pesquisa da UERJ para medir o comportamento da mídia vai comparar agora a cobertura das eleições durante a reeleição do ex-presidente FHC e a atual, da presidente Dilma; ao mensurar o Jornal Nacional, pesquisadores concluíram que 82 minutos foram dedicados a reportagens consideradas negativas para a petista, contra três de noticiário positivo <br clear="all"> :

Por Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania

Causou furor a reedição de tradicional iniciativa da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) de medir o comportamento da mídia durante processos eleitorais. A ideia foi criada em 2006 e, em sua versão de 2014, foi apelidada de "Manchetômetro".

O estudo, desta feita (2014), foi desenvolvido pelo Laboratório de Estudos de Mídia e Esfera Pública (LEMEP-UERJ), coordenado por João Feres Júnior.

Em 2006, foi criado na mesma Uerj o Observatório Brasileiro de Mídia, coordenado pelo Laboratório de Pesquisas em Comunicação Política e Opinião Pública (Doxa), ligado ao Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj).

O Observatório mensurou o comportamento da mídia durante a disputa entre o então presidente Lula e o, à época, ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin.

Em seu último relatório de 2006, que versou sobre o período de 7 a 13 de outubro, o Observatório revelou que os cinco jornais de maior tiragem do país (Folha de São Paulo, O Globo, O Estado de S. Paulo, Jornal do Brasil e Correio Braziliense) haviam dedicado 533 abordagens à cobertura dos dois principais candidatos a presidente – Lula e Alckmin.

Sobre a totalidade de abordagens de cada candidato, Lula teve 27,3% menções positivas na mídia e 45,1% de negativas. Sobre abordagens dedicadas à candidatura de Alckmin, 27,1% foram positivas e 42,4%, negativas.

Quando o assunto era o governo de Lula, 73,3% das abordagens da mídia foram negativas. No mesmo período, do total das 103 abordagens da Folha de S. Paulo para cada candidato, o presidente Lula teve 33,3% de abordagens positivas e 66,7% de negativas.

Sobre o total de abordagens a sua candidatura, Alckmin teve 27,5% de positivas; 32,5% de neutras e 40% de negativas.

O caso que mais chamou atenção, naquele ano, foi o do jornal O Globo, que dedicou 122 abordagens à cobertura dos dois candidatos. O governo Lula teve 100% de abordagem negativa. Do total de abordagens para cada candidato, Lula teve 45,4% de negativas e Alckmin, 48,8%.

Já segundo o Doxa, que fez uma pesquisa de 1º de fevereiro até 1º de outubro de 2006, a frequência de aparições do então presidente Lula no noticiário de O Globo apresentou abordagens negativas e neutras com frequência que variava entre 30% e 50%, e a frequência de abordagens positivas esteve sempre abaixo de 20%.

Em 2014, por incrível que pareça a situação para o candidato petista a presidente é bem pior. Estudo do Lemep mostra, no gráfico abaixo, uma situação avassaladoramente pior para Dilma Rousseff no conjunto da mídia.

 

De acordo com o estudo, desde janeiro foram veiculadas 195 manchetes negativas sobre Dilma, enquanto que apenas 15 foram consideradas positivas. Já Aécio Neves (PSDB) recebeu 19 manchetes positivas e 19 negativas. Eduardo Campos (PSB) teve 11 manchetes positivas e 16 negativas.

Apesar dos dados surpreendentes – para os não-iniciados em acompanhamento da mídia –, os grandes meios de comunicação sob escrutínio do laboratório da UERJ não deram uma linha sobre o assunto. O público está sendo "poupado" da notícia de que há estudos científicos que fundamentam a acusação de que a mídia brasileira age como partido de oposição.

Apesar disso, segundo o coordenador da pesquisa a repercussão do "Manchetômetro" o surpreendeu. Feres Júnior relata que o site contendo o estudo, ao completar uma semana no ar, teve cerca de 100 mil acessos.

"Como dizem hoje em dia, estamos bombando! No Facebook e no site. Nós temos página no Facebook e no Twitter. Todo mundo que tem uma razoável boa-fé desconfia de que existe um viés na cobertura que temos na grande mídia no Brasil. Isso é histórico", ressalta o coordenador do "Manchetômetro".

Apesar do silêncio sepulcral da mídia sobre um assunto que ela deveria ser a primeira a comentar e, sobretudo, explicar, intramuros esses grandes veículos têm uma explicação para os números escandalosos do "Manchetômetro".

Feres Júnior relata que, segundo a mídia, os números do estudo não seriam suficientes para afirmar que a presidente da República tem sido injustiçada. Os grandes meios de comunicação – Globo à frente – afirmam que por Dilma ocupar o cargo de presidente seria "natural" que esteja "mais presente" na imprensa que os concorrentes.

Apesar de não ser adequado dizer que ela está "mais presente", pois o fato é que apanha muito mais, com números que sugerem um verdadeiro linchamento midiático, Feres Júnior anuncia uma iniciativa tira-teima que irá retirar da grande mídia a retórica para "explicar" seu partidarismo. Abaixo, o coordenador da pesquisa explica o que será feito.

"O que vamos fazer em breve para tentar resolver essa questão é analisar a eleição de 1998, em que Fernando Henrique Cardoso concorreu à reeleição. As situações são parecidas e invertidas: antes era o PSDB concorrendo à reeleição, agora é o PT. Aí poderemos comparar melhor. Se descobrirmos que há uma diferença, vai ficar mais do que provado que é, sim, um viés da mídia. Já existem outros trabalhos que mostram que a imprensa se calou naquelas eleições, que ela publicou pouco sobre política. O que queremos é testar isso com nosso trabalho"

O Blog conhece esses estudos, ainda que não os tenha localizado na internet. É possível, entretanto, garantir de antemão que se for pesquisado o comportamento da mídia durante o ano eleitoral de 1998, o resultado será escandaloso. O favorecido, naquele ano, não foi a oposição, mas o governo.

Esses dados poderão ser apurados até com certa facilidade pelo "Manchetômetro". Em 1998 – e durante os oito anos do governo Fernando Henrique Cardoso –, Globo, Folha de São Paulo, Veja e O Estado de São Paulo eram o que hoje chamam de "chapa-branca", ou seja, apoiavam furiosamente o governo federal.

Quem diz isso não é o Blog, mas um dos jornalistas mais respeitados do país: Janio de Freitas, colunista do jornal Folha de São Paulo. Em 6 de agosto de 2012, em entrevista ao programa Roda Viva, Janio deu uma declaração que revela o que o "Manchetômetro" irá apurar quando fizer a comparação da cobertura da reeleição de Lula e de Dilma com a de FHC:

"Jornais e revistas serviram de suporte político para o governo Fernando Henrique Cardoso".

Mais do que isso, à época Janio explicou que, além de apoiar abertamente o então presidente tucano, ajudando-o a se reeleger em 1998 escondendo dos brasileiros que o Brasil estava quebrado, a mídia ajudou a esconder a corrupção e se calou sobre as iniciativas daquele governo para se proteger de investigações.

Episódio ocorrido na mesma semana em que Janio foi entrevistado pelo Roda Viva mostra bem o que foi o governo FHC.

Em agosto de 2012, o ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, afirmou publicamente que "A corrupção não está mais debaixo do tapete" e que, "Hoje, há mais autonomia dos órgãos de fiscalização e controle como o Ministério Público, a Controladoria Geral da União (CGU) e a Polícia Federal".

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, de pronto, rebateu a afirmação de Carvalho. À noite, no Jornal Nacional, a reportagem mostrou parte das declarações do ministro e do ex-presidente sobre o assunto. FHC, visivelmente alterado, qualificou como "leviandade" a declaração do adversário político.

Vejamos, pois, quanto de motivos teve o ex-presidente para se irritar assim com a declaração do ministro de Dilma.

FHC, quando governou, foi beneficiário da cumplicidade da mídia, que ajudou a acobertar descaradamente a corrupção ao sonegar ao público notícias sobre escândalos que dispensariam o bom e velho "domínio do fato" devido à vastidão de provas que havia.

Além de FHC ter mudado as regras de jogo com ele em andamento ao propor ao Congresso a emenda da reeleição – o que Lula não se permitiu fazer apesar de ser tratado pela mídia tucana como se tivesse tentado e não conseguido –, ainda teve uma denúncia muito bem fundamentada, com provas materiais, de que deputados foram pagos para apoiá-lo.

Além da Folha de São Paulo, nenhum veículo de peso deu destaque ao escândalo. E o procurador-geral da República de então, que o presidente tucano manteve no cargo por oito anos – Lula, nesse período, nomeou QUATRO procuradores-gerais –, não esboçou a menor reação.

Controladoria Geral da União? No governo FHC chamava-se Corregedoria, em vez de Controladoria, e jamais incomodou o governo, enquanto que a CGU de Lula e Dilma tem sido uma pedra no sapato deles, pedra colocada por eles mesmos no âmbito do esforço hercúleo que fizeram para dar transparência ao que o antecessor tucano escondia.

Polícia Federal? Essa só serviu mesmo para ajudar o governo, ou melhor, o candidato do governo FHC à própria sucessão. Ou alguém esqueceu que a PF só incomodou políticos da oposição durante a era tucana e que seu maior feito foi em 2002, quando destruiu a candidatura de Roseana Sarney para ajudar o candidato governista, José Serra?

FHC esbofeteou a nação ao comparar a omissão criminosa dos órgãos de controle de seu governo (no que tangia a investigá-lo) com a atuação deles hoje. E esse crime foi cometido com o concurso de praticamente toda a grande imprensa, que não só fechou os olhos para a corrupção da era tucana como levantou escândalos só contra a oposição petista.

E se você, leitor, acha que exagero, assista, abaixo, vídeo (completo) de entrevista que o dito "decano do colunismo político brasileiro", Janio de Freitas, da Folha de São Paulo, concedeu ao programa Roda Viva. Na ocasião, como se pode ver no vídeo, afirmou que a mídia funcionou como "suporte político" do governo FHC.

Após o vídeo, veja matéria de 2001 da Folha de São Paulo que mostra quem FHC nomeou para a Procuradoria Geral da República, mantendo-o por 8 anos no cargo, período durante o qual sepultou, uma a uma, qualquer tentativa de investigar um governo repleto de escândalos.

Roda Viva | Janio de Freitas | 06/08/2012

 

 

Mídia Gisele Federicce Tue, 12 Aug 2014 18:18:11 +0000 http://www.brasil247.com/149895
Brasileiro ganha o "Nobel da matemática" http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/149894 : Medalha Fields, a mais alta distinção da disciplina, foi concedida ao carioca Artur Ávila, pesquisador do Impa; "Há vários anos existia uma expectativa nessa direção, e realmente eu sentia isso como uma pressão sobre mim, também pela sua importância para o Brasil, que de maneira um pouco estranha nunca teve prêmios internacionais desse porte, como um Nobel. Assim, ficava um pouco pesado. A notícia da medalha teve, para mim, um primeiro efeito de alívio", disse ele <br clear="all"> :

247 - Um pesquisador brasileiro, de 35 anos, ganhou, nesta terça-feira, a mais alta distinção da matemática, equivalente ao Nobel da disciplina. Foi o carioca Artur Avila, que receberá a Medalha Fields, na Coréia do Sul.

“Artur Avila fez notáveis contribuições no campo dos sistemas dinâmicos, análise e outras áreas, em muitos casos provando resultados decisivos que resolveram problemas há muito tempo em aberto. Quase todo seu trabalho foi feito por meio de colaborações com cerca de 30 matemáticos de todo mundo. Para estas colaborações, Avila traz um formidável poder técnico, a engenhosidade e tenacidade de um mestre em resolver problemas e um profundo senso para questões profundas e significativas. Os feitos de Avila são muitos e abrangem uma ampla gama de tópicos. Com sua combinação de tremendo poder analítico e profunda intuição sobre sistemas dinâmicos, Artur Avila certamente continuará um líder na matemática ainda por muitos anos”, escreveu o comitê da União Internacional de Matemática, ao justificar o prêmio.

O vencedor disse ter recebido a notícia com certo alívio. "Há vários anos existia uma expectativa nessa direção, e realmente eu sentia isso como uma pressão sobre mim, também pela sua importância para o Brasil, que de maneira um pouco estranha nunca teve prêmios internacionais desse porte, como um Nobel. Assim, ficava um pouco pesado. A notícia da medalha teve, para mim, um primeiro efeito de alívio".

 

Brasil Leonardo Attuch Tue, 12 Aug 2014 18:12:41 +0000 http://www.brasil247.com/149894
Horário eleitoral pode ter aeroporto X Petrobras http://www.brasil247.com/pt/247/poder/149828 : Presidenciável tucano considera incluir nos programas partidários na TV, que vão ao ar a partir do dia 19 em cadeia nacional, denúncias envolvendo a Petrobras, alvo de duas CPIs no Congresso; "Não há ainda uma definição específica sobre o tema Petrobras. Mas ela entra no diagnóstico do quanto faz mal ao País o aparelhamento da máquina pública em benefício de um projeto de poder, não de um país", disse Aécio Neves no fim de semana; do outro lado, a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, deve trazer à tona a construção do aeroporto em Cláudio (MG), próximo a terras da família do candidato do PSDB <br clear="all"> :

247 – O horário eleitoral gratuito, que começa a ser transmitido em cadeia nacional de rádio e televisão a partir do dia 19 de agosto, deve trazer uma disputa de denúncias entre os dois principais candidatos, a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, e o presidenciável pelo PSDB, senador Aécio Neves.

O candidato tucano estuda a possibilidade de incluir em seus programas, que já começaram a ser gravados, denúncias que envolvam a Petrobras, alvo de duas CPIs no Congresso. A presidente da estatal, Graça Foster, chegou a ter cogitada a saída do cargo caso o Tribunal de Contas da União (TCU) decidisse bloquear seus bens.

"Não há ainda uma definição específica sobre o tema Petrobras. Mas ela entra no diagnóstico do quanto faz mal ao País o aparelhamento da máquina pública em benefício de um projeto de poder, não de um país", disse Aécio no fim de semana, em passagem por Manaus (AM).

"O governo dito nacionalista é o governo que mais fragilizou nossas principais empresas. Eletrobras quebrada e a Petrobras nessa situação que está hoje", acrescentou. O tucano é crítico ferrenho da gestão da empresa pelo governo do PT e reforça com frequência o discurso de que pretende "reestatizar" a companhia.

Do lado da presidente Dilma, também devem vir disparos no período de propaganda eleitoral. O tema que mais tem sido abordado contra o presidenciável tucano é a construção de um aeroporto no município de Cláudio (MG) em terras que pertenceram à família de Aécio, quando ele foi governador de Minas Gerais.

A avaliação interna na campanha de Dilma, coordenada pelo presidente do PT, Rui Falcão, é que o abalo na imagem do tucano com o episódio foi apenas "leve". Por isso, estrategistas da reeleição estão estudando um caminho para utilizar o tema na propaganda gratuita, sem que isso pareça um ataque gratuito.

Antes mesmo do programa eleitoral, o PT buscou outras formas de manter o tema em discussão permanente, como na ação judicial movida contra o candidato por improbidade administrativa e por colocar em risco o tráfego aéreo, ao pousar em uma pista não homologada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O PT terá 11 minutos diário da propaganda eleitoral.

Poder Gisele Federicce Tue, 12 Aug 2014 17:10:11 +0000 http://www.brasil247.com/149828
Campanha da Folha contra cotas revolta blogueira http://www.brasil247.com/pt/247/favela247/149847 Foto: Reprodução: Peças publicitárias integram série "O que a Folha pensa", na qual o jornal se posiciona sobre temas polêmicos como cotas, aborto, casamento gay, voto obrigatório e pena de morte. Letícia Peçanha, em artigo para o Blogueiras Negras, questiona: "Nós estamos aqui falando de séculos de exclusão e marginalização da população NEGRA. (...) Estamos falando de mais da metade da população desse país sendo excluída da universidade e ainda ousam questionar a injustiça que é alguns dos brancos não terem acesso à universidade?" <br clear="all"> Foto: Reprodução:

Favela 247 – A campanha “O que a Folha pensa”, lançada na última semana pelo jornal Folha de S.Paulo, na qual assume posicionamento sobre diversos temas polêmicos (como aborto, casamento gay, voto obrigatório e pena de morte), revoltou a estudante de Direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Letícia Peçanha, devido à peça que trata do tema “Sistema de cotas”. No vídeo publicitário, uma modelo negra, representando a publicação, diz que “não deve haver reserva de vagas a partir de critérios raciais. (...) Mas são bem-vindas experiências baseadas em critérios raciais objetivos, como renda ou escola de origem. A Folha é contra as cotas raciais”. Em artigo publicado pelo site Blogueiras Negras, Letícia Peçanha desabafa contra a posição do veículo: “Estamos falando de mais da metade da população desse país sendo excluída da universidade e ainda ousam questionar a injustiça que é alguns dos brancos não terem acesso à universidade? Nós somos maioria na população e minoria na universidade e ainda temos que ficar pedindo licença pra entrar? Chega! Já deu!”. Como o vídeo deixa claro que a posição contrária à reserva de vagas também é extensiva ao serviço público, a blogueira firma posição. “Sou a favor de cotas não só na universidade, como no serviço público”.

 

Por Letícia Peçanha, para o Blogueiras Negras

Folha, eu discordo de você e não te sigo! Cotas sim!

É de uma desonestidade intelectual tremenda querer discutir cientificamente sobre as cotas e a existência das raças, como se uma porcentagem de genes definisse quem é negro. Uma pessoa que tem mais da metade de genes de origem caucasiana-européia, mas, ainda sim, manifesta fenótipos negros, terá sobre si o peso do racismo. Ninguém precisa fazer um exame de DNA em mim pra saber que eu sou negra. Esse papo de herança genética, de não existência de raças, é, pra mim, enfurecedor. Tamanha falácia.

Acho engraçado também quando eu escuto a imensa preocupação com possíveis fraudes na autodeclaração. Para negar direitos ao povo negro, a autodeclaração é tornada um óbice… Mas ser declarado negro por essa sociedade, ser marginalizado, preso, exterminado, não é problema nenhum. As cotas nas penitenciárias andam a pleno vapor e ninguém se importa com a fraude que é esse sistema perverso e racista. Quanta hipocrisia.

Ah, mas e as cotas sociais e os brancos pobres? Nós estamos aqui falando de séculos de exclusão e marginalização da população NEGRA. Chega de falar de branco! Estamos falando de mais da metade da população desse país sendo excluída da universidade e ainda ousam questionar a injustiça que é alguns dos brancos não terem acesso à universidade? Nós somos maioria na população e minoria na universidade e ainda temos que ficar pedindo licença pra entrar? Chega! Já deu!

Estamos falando de uma meritocracia fajuta, que exclui mais sistematicamente pessoas negras da universidade. Não há que se falar em mérito quando as oportunidades são desiguais. Você, branco, com seu pré-vestibular maravilhoso, com curso de inglês, francês, intercâmbio, competindo com um cara que mal tinha uma carteira pra sentar, que dirá um professor. Covardia, né, campeão?

EU estou falando de reconhecimento. EU estou falando de andar nos corredores da faculdade de Direito da UERJ e olhar os quadros com as fotos dos formandos antes das cotas e ver, no máximo, um negro pingado nas fotos. EU estou falando de nunca ter tido uma professora negra. Estou falando de andar no fórum onde trabalho e só encontrar meus iguais com o uniforme de terceirizado, trabalhando na limpeza, no elevador ou de segurança. Aliás, por isso, sou a favor de cotas não só na universidade, como no serviço público.

Já perdi a conta das vezes que debati essa questão. E já vi que vou passar muitos anos da minha vida ainda tendo que debater, rs… paciência!

“Acima de tudo, não iremos nos calar diante de qualquer ataque aos nossos direitos.”

Folha, eu discordo de você e não te sigo! Cotas sim!


Assista abaixo ao vídeo da campanha:

Favela 247 Silvia Baisch Tue, 12 Aug 2014 15:01:27 +0000 http://www.brasil247.com/149847
Ironia e agressões crescem na crítica econômica http://www.brasil247.com/pt/247/economia/149849 : Resistência da presidente Dilma Rousseff em manter o primeiro lugar nas pesquisas e chance de vitória em primeiro turno despertam fúria no mercado financeiro; de fora, jornal inglês Financial Times se diverte com o que chamou de "dança da cordinha"; é a regressão na expectativa do PIB projetada por profissionais de bancos e corretoras; guia dos banqueiros lamenta que a avaliação do governo Dilma "cresceu no Ibope"; de dentro, perdendo a classe, consultoria Rosenberg &amp; Associados, de Luiz Paulo Rosenberg (foto menor), deplora informar a seus clientes que Dilma tem 60% de chances de se reeleger; "Cenário mais provável é a continuidade da mediocridade"; e diz ainda que Dilma seria "poste que se transformou em porrete contra o senso comum"; análise ou torcida? <br clear="all"> :

247 – O mercado financeiro continua reagindo mal à associação de fatos que indicam a resistência da presidente Dilma Rousseff em manter-se à frente nas pesquisas de opinião, com chances reais de vencer a disputa em primeiro turno, a projeções sobre a economia feitas pelo próprio mercado financeiro.

Entre o que é a realidade política e o que pode ser uma ficção econômica – já há expectativas de analistas, nem sempre identificados, de que até 2018 o Brasil terá PIB baixo e inflação alta, como está na manchete do jornal Folha de S. Paulo desta terça-feira 12 --, a verdade é que os nervos estão à flor da pele entre banqueiros, consultores e executivos do poderoso ramo financeiro da economia.

Do exterior, o jornal inglês Financial Times voltou a mostrar suas unhas de ironia. Nota na seção sobre países dos Brics classificou como "dança da cordinha" a redução das expectativas de crescimento criadas pelo próprio mercado financeiro para o Brasil. No Boletim Focus publicado na segunda-feira 11, a mediana das projeções de economistas ouvidos pelo Banco Central mostrou redução, pela 11ª semana consecutiva, das expectativas de crescimento para 2014. Elas convergem, agora, para 0,81% de elevação do PIB neste ano.

Divertindo-se a valer com isso, o FT não demonstrou nenhum senso de humor, na mesma nota, ao lembrar seus leitores que "a avaliação do governo" da presidente Dilma Rousseff "subiu no Ibope". O dado indicou que ela não está sofrendo nas pesquisas como seus adversários gostariam que estivesse. O FT, por isso, se mostrou amuado logo depois da fazer sua imagem.

BAIXARIA - Por aqui, a consultoria Rosemberg & Associados, de um dos formuladores do Plano Cruzado – aquele que começou congelando preços, em 1986, e logo depois das eleições para governador terminou com uma chuva de aumentos de tarifas públicas, no governo José Sarney -, Luiz Paulo Rosemberg, partiu para esmurrar o estilo. Entre conceitos vagos e descompromisso com o respeito ao adversário, perpetrou mais uma análise financeira, assinada por quatro economistas, em tudo mal humorada, mal sustentada e francamente resignada.

O relatório da Rosemberg transmitido a clientes da casa, entre os quais os bancos Itaú e Santander, parte de uma análise política assumidamente de oposição.

- [Dilma] está plantada numa sólida diferença para os demais [candidatos] que, se não é confortável, é desencorajante", assegura o texto, que passa a lamentar uma regra da eleição, a distribuição do horário eleitoral pela televisão de acordo com regras de proporcionalidade partidária garantidas pelo TSE.

- [Dilma] vai dispor de muito mais tempo que os outros para 'alertar' a classe baixa de que a elite está tentando anular suas conquistas e trazer de volta um passado de dificuldades, reclamam os analistas.

O passo seguinte é um golpe baixo, desferido a partir de conceitos vagos e termos grosseiros

- É por isto que, visto de hoje, o cenário mais provável é a continuidade da mediocridade, do descompromisso com a Lógica, do mau humor prepotente do poste que se transformou em porrete contra o senso comum.

Vale perguntar: Lógica de quem, cara pálida? Da banca ou do pato? Senso comum de quem? Dos espertos ou dos trouxas?

Economia Ana Pupulin Tue, 12 Aug 2014 14:41:25 +0000 http://www.brasil247.com/149849
Guerra da água: Alckmin tem de aumentar a vazão http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/149859 : Aneel notificará a Cesp para que ela aumente a quantidade de água enviada da represa do rio Jaguari para o rio Paraíba do Sul; companhia paulista estaria segurando mais água no reservatório do que a determinação; água que sai do Jaguari abastece a capital do Rio de Janeiro, do governador Luiz Fernando Pezão, Minas Gerais, governado por Alberto Pinto Coelho, e o interior paulista; Pezão pediu "diálogo" e afirmou que "São Paulo não pode tomar uma decisão unilateral" sobre a questão da água <br clear="all"> :

247 - A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) notificará a Cesp (Companhia Energética de São Paulo) nesta terça-feira 12 para que a estatal cumpra determinação do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) sobre estocagem de água no reservatório da hidrelétrica do rio Jaguari (SP). Será determinado que a empresa aumente a quantidade de água enviada da represa do Jaguari para o rio Paraíba do Sul.

Segundo o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, a Cesp estaria segurando mais água no reservatório do que a determinação do ONS. "Ela operou a usina com defluência diferente da orientada, produzindo menos energia e, consequentemente, com vazão menor", disse ele a jornalistas. Essa foi a primeira vez, segundo Rufino, que uma hidrelétrica descumpre determinação do ONS.

A Cesp terá prazo de 15 dias para explicar sua posição. "A partir daí, a área de fiscalização vai analisar os comentários do agente e se posicionar. Pode punir ou não", disse, explicando que as punições vão de advertência a multa.

Reportagem da Folha de S. Paulo do último sábado apontou que a Cesp, do governo paulista, estava liberando apenas um terço do volume de água determinado pelo ONS. A estatal paulista alegou ter recebido ordens do DAEE (Departamento de Água e Energia Elétrica), ligado à gestão do governador Geraldo Alckmin (PSDB), para não alterar a vazão da represa.

A água que sai do rio Jaguari, no interior de São Paulo, vai para o rio Paraíba do Sul, que abastece o Rio de Janeiro e Minas Gerais, além do interior paulista. Para o ONS, que controla o sistema de energia brasileiro, a decisão da Cesp vai causar um "colapso" no abastecimento de água das cidades que ficam na bacia do rio Paraíba do Sul. Segundo dados oficiais, 15 milhões de pessoas recebem água por meio do Paraíba do Sul, sendo 10 milhões apenas na capital do Rio.

Ao comentar o episódio, o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), pediu "diálogo" e afirmou que "São Paulo não pode tomar uma decisão unilateral" sobre a questão da água. "Eu confio muito no diálogo. Tenho certeza de que o governo federal, através da Agência Nacional de Águas, vai determinar o que tem que ser feito no Rio Paraíba do Sul, como sempre foi feito, há mais de 60 anos", disse.

SP 247 Gisele Federicce Tue, 12 Aug 2014 14:58:16 +0000 http://www.brasil247.com/149859
Após saga judicial, Genoino volta para casa http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/149820 : Após ter cumprido em regime fechado, no Complexo da Papuda, um sexto de sua pena de 4 anos e 8 meses, o ex-deputado José Genoino obteve o direito à progressão de pena; nesta terça-feira 12, pela manhã, ele deixou, em definitivo, o Complexo Penitenciário da Papuda; seu destino, para cumprir o resto da pena que lhe cabe, é o de sua casa; ao 247, Miruna Genoino relatou a alegria com que a família recebeu a notícia do estabelecimento da prisão domiciliar, mas afirmou que "o sentimento de injustiça nunca vai passar"; lei, agora, vai sendo cumprida sem arroubos de personalismo autoritário como nos tempos de Joaquim Barbosa na presidência do STF <br clear="all"> :

247 – O ex-deputado José Genoino deixou a penitenciária da Papuda na manhã desta terça-feira 12, e passará a cumprir o restante de sua pena em casa, sob regime domiciliar. Genoino foi condenado a 4 anos e 8 meses pelo crime de corrupção ativa. Após ter cumprido um sexto da pena, ele progrediu do regime semiaberto para o aberto, que em Brasília é automaticamente convertido para o domiciliar. O ex-tesoureiro do antigo PL (atual PR) Jacinto Lamas também deixou o presídio para cumprir o restante da pena em casa.

Depois de deixar a prisão, o ex-presidente do PT assinou, na Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, o termo que estabelece as condições do regime semiaberto. Entre as normas que ele deverá cumprir, está o recolhimento à sua residência das 21h às 5h, permanecer em casa aos domingos e feriados, não deixar o Distrito Federal sem autorização da Justiça e não ter contato com condenados no mesmo processo.

Na última quinta-feira 7, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso autorizou a progressão do regime para Genoino, depois de ter obtido parecer favorável da Procuradoria-Geral da República. A decisão acontece também depois que a juíza Leila Cury, da VEP do DF, eliminou 34 dias da pena de Genoino, o que permitiu com que ele cumprisse um sexto do total da pena, exigência para a progressão.

Em entrevista ao 247 na noite de sexta-feira, a filha mais velha do ex-deputado, Miruna Genoino, relatou a felicidade com que a família recebeu a notícia de que ele deixaria a prisão, uma vez que sofre de um grave problema cardíaco. Mas afirmou que o sentimento de injustiça nunca irá passar (leia a íntegra qui).

Brasília 247 Gisele Federicce Tue, 12 Aug 2014 10:41:59 +0000 http://www.brasil247.com/149820
Historiador tucano prevê “jihad” do PT contra opositores http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/149835 : Marco Antonio Villa diz que partido "tem um verdadeiro exército de jihadistas prontos para o ataque" e que "o uso da internet para desqualificar seus opositores é realizado há um bom tempo"; para o colunista, "o PT usará de todos os meios para se manter no poder" <br clear="all"> :

247 – Na avaliação do historiador tucano Marco Antonio Villa, "o PT usará de todos os meios para se manter no poder". Segundo ele, "o auge do jogo sujo será justamente na breve campanha do segundo turno, onde calúnia tem muito mais efeito eleitoral". Villa diz em artigo no Globo que "o partido vai abrir a sua caixa de ferramentas, como o fez em 2006 e 2010". "O uso da internet para desqualificar seus opositores é realizado há um bom tempo. O PT tem um verdadeiro exército de jihadistas prontos para o ataque", escreve.

Leia abaixo:

Os jihadistas tupiniquins

Estamos a menos de dois meses das eleições. Mas não parece. Há um clima de desânimo, de desinteresse, de enfado. Acreditava-se que, após o fim da Copa do Mundo, as atenções estivessem concentradas no processo eleitoral. Ledo engano. A pasmaceira continua a mesma. Agora, o divisor de águas é o horário gratuito que começa dia 19. Para o PT, este é o clima ideal para a eleição presidencial. Quanto menor o interesse popular, maior a chance de permanecer mais um quadriênio no poder. O partido tem, inclusive, estimulado discretamente campanha pelo voto nulo ou branco. Sabe que muitos eleitores estão desanimados com a política, justamente com as mazelas produzidas pelo próprio petismo.

A desmoralização das instituições foi sistematicamente praticada pelo partido. A compra de maioria na Câmara dos Deputados, que deu origem ao processo do mensalão, foi apenas o primeiro passo. Tivemos a transformação do STF em um puxadinho do Palácio do Planalto. O Executivo virou um grande balcão de negócios e passou a ter controle dos outros dois poderes. Tudo isso foi realizado às claras, sem nenhum pudor.

Não há área do governo que nos últimos anos tenha permanecido ilesa frente à sanha petista. Todos os setores da administração pública foram tomados e aparelhados pelo partido. Os bancos, as empresas estatais e até as agências reguladoras se transformaram em correrias de transmissão dos seus interesses partidários.

Imaginava-se que, após a condenação dos mensaleiros, o ímpeto petista de usar a coisa pública ao seu bel-prazer pudesse, ao menos, diminuir. Nada disso. Os episódios envolvendo a Petrobras demonstram justamente o contrário. E mais: neste caso levaram ao descrédito total os trabalhos de uma Comissão Parlamentar de Inquérito e desmoralizaram mais uma vez o Legislativo.

As ações seguem um plano de que o partido é o elemento central da política, nada pode ocorrer sem a sua anuência. Esta estrutura tentacular tem enorme dificuldade de conviver com a democracia, a alternância no governo e com o equilíbrio entre os poderes. A insistência em impor o projeto dos conselhos populares — uma espécie de sovietes dos trópicos — faz parte desta visão de mundo autoritária.

O maior obstáculo para o PT é a existência do Estado Democrático de Direito. O partido tem como objetivo estratégico miná-lo diuturnamente. Suas ações chocam-se com a "institucionalidade burguesa".

O PT usará de todos os meios para se manter no poder. Manteve até aqui a campanha em banho-maria, como era do seu interesse. Mas com a permanência de Dilma em um patamar que vai levar a eleição para o segundo turno — isto hoje é líquido e certo —, o partido vai abrir a sua caixa de ferramentas, como o fez em 2006 e 2010.

O uso da internet para desqualificar seus opositores é realizado há um bom tempo. O PT tem um verdadeiro exército de jihadistas prontos para o ataque. O recente episódio de mudanças no perfil de jornalistas na Wikipedia é café pequeno frente ao que vem por aí. O auge do jogo sujo será justamente durante a breve campanha do segundo turno, onde uma calúnia tem muito mais efeito eleitoral, principalmente se divulgada às vésperas da eleição.

As modificações ocorridas no Tribunal Superior Eleitoral passaram em branco. É bom que a oposição fique atenta, pois quem vai presidir a eleição é um ex-funcionário do Partido dos Trabalhadores e ex-advogado de um sentenciado no processo do mensalão, José Dirceu. O presidente do TSE é o ministro Dias Toffolli.

Neste processo chama a atenção a ação de Lula, seu líder máximo — e único, na verdade. Tem se mantido — até o momento — discreto na campanha eleitoral. Visitou alguns estados e mesmo em São Paulo tem participado pouco das atividades. Pode ser que tenha sentido um cheiro de derrota no ar e está buscando preservar sua figura. No caso da eleição paulista, isto já é definitivo. Seu candidato já está derrotado. Esperto como é, pode já estar iniciando a campanha de 2018. E com o figurino de salvador da pátria.

Frente a este quadro é que a oposição precisa exercer o seu papel. Nesta eleição tem agido com mais consistência, buscando alianças regionais e um discurso mais simples e compreensível para o eleitor. Tem atuado melhor, mas distante do que se espera de uma oposição no grave momento histórico que vivemos.

Eduardo Campos tenta — mas tem muita dificuldade — de encarnar o figurino oposicionista. Afinal, permaneceu mais de um decênio apoiando o governo, inclusive exercendo função ministerial. Mas teve ousadia em se lançar candidato.

É Aécio Neves que tem de exercer o papel de opositor do petismo. Tem se esforçado, é verdade, porém a campanha ainda não empolgou. Conseguiu habilmente construir bons palanques estaduais. Diversamente de 2010 rachou o apoio petista no trio de ferro da política brasileira. Em Minas Gerais deve ter uma grande vitória. Em São Paulo, se conseguir colar a sua candidatura à de Geraldo Alckmin, pode ter a maior vitória do partido no estado desde o restabelecimento das eleições diretas. Conseguiu um raro feito no Rio de Janeiro, rachando o bloco de apoio à petista que foi importante em 2010. Deve surpreender no Nordeste tendo uma boa votação, rompendo com o domínio petista, como na Bahia. Mas ainda é pouco.

A máquina autoritária petista pode ser derrotada. Os dois próximos meses são decisivos. O PT vai usar todas as suas armas. Sabe que é uma batalha de vida ou morte, pois longe do aparelho de Estado não consegue mais sobreviver.

Mídia Gisele Federicce Tue, 12 Aug 2014 12:22:45 +0000 http://www.brasil247.com/149835
Argôlo se complica: contadora vai depor http://www.brasil247.com/pt/247/bahia247/149865 : Conselho de Ética da Câmara vai ouvir nesta quarta-feira 13 a contadora Meire Bonfim da Silva Poza, dona da empresa Arbor Consultoria e Assessoria Contábil, no processo contra o deputado federal Luiz Argôlo (SD-BA); Meire era contadora do doleiro Alberto Youssef, preso na operação Lava Jato; segundo ela, Argôlo "era cliente e ao mesmo tempo sócio de Beto" (apelido de Youssef) e os dois "tinham parcerias em obras e negócios" <br clear="all"> :

Idhelene Macedo, da Agência Câmara - O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados vai ouvir nesta quarta-feira (13) a contadora Meire Bonfim da Silva Poza, dona da empresa Arbor Consultoria e Assessoria Contábil. A reunião está marcada para as 10 horas, no plenário 11.

Segundo reportagem da revista Veja divulgada nesta semana, Meire era contadora do doleiro Alberto Youssef, preso na operação Lava Jato, da Polícia Federal.

Segundo a revista, Meire afirmou que o deputado federal Luiz Argôlo (SD-BA) "era cliente e ao mesmo tempo sócio de Beto" (apelido de Alberto Youssef). A ex-contadora teria dito ainda que os dois "tinham parcerias em obras e negócios" e que ela, pessoalmente, teria feito muitos pagamentos para Argôlo. "Ele vivia no escritório", teria afirmado Meire Poza.

Em seguida, o Conselho de Ética ouvirá o funcionário da Caixa Econômica Federal Douglas Alberto Bento, testemunha de defesa de Argôlo.

Bahia 247 Gisele Federicce Tue, 12 Aug 2014 15:43:06 +0000 http://www.brasil247.com/149865
PML: desculpas de Israel ridicularizam vira-latas http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/149803 : Quando o porta-voz da chancelaria israelense Yigal Palmor classificou o Brasil como "anão diplomático", ganhou o inusitado apoio de colunistas neoconservadores como Reinaldo Azevedo, Rodrigo Constantino e Demétrio Magnoli; agora, depois que o presidente de Israel, Reuven Rivlin, pediu desculpas ao Brasil e à presidente Dilma Rousseff pela grosseria, o episódio revela como são ridículos os nossos vira-latas; leia a análise de Paulo Moreira Leite sobre o episódio <br clear="all"> :

247 - E agora? Depois que o presidente de Israel, Reuven Rivllin, pediu desculpas ao Brasil pela grosseria de um porta-voz, Yigal Palmor, que rotulou o País como "anão diplomático", o que dirão colunistas neoconservadores que, naquele momento, saíram em defesa de Israel (leia aqui as posições de Reinaldo Azevedo e Rodrigo Constantino e aqui a de Demétrio Magnoli)?

Para Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, o episódio ridiculariza os nossos vira-latas. Leia abaixo:

DESCULPAS DE ISRAEL RIDICULARIZAM VIRA-LATAS BRASILEIROS

Por Paulo Moreira Leite

Depois que o próprio Reuven Riulin, o novo presidente de Israel, telefonou para Dilma Rousseff para pedir desculpas, não custa recordar a reação dos adversários do governo brasileiro, que há duas semanas se alinharam com o porta-voz da chancelaria israelense que definiu o Brasil como “anão diplomático.”

Em poucas horas o Brasil foi inundado por vídeos, artigos e comentários de ar grave, palavras duras e retórica pedante, de grande utilidade para encobrir uma postura típica de vira-latas.
Falou-se que era uma definição com “incrível precisão” de nossa diplomacia. Mesmo quem admitiu que a postura do governo brasileiro diante dos ataques do Exército Israelense a Gaza podia estar certa, justificou o “anão diplomático” porque o Itamaraty carece “de credibilidade mesmo quando faz declarações corretas.”

O telefonema de Riulin mostra com precisão realmente incrível o ridículo dessa reação. Para azar de quem levou o “anão diplomático” a sério, a atitude do presidente de Israel deixa claro que era uma definição menor, de um funcionário sem qualificação para emitir conceitos em nome do governo, alguma coisa que se poderia chamar de “gafe” — o que torna ainda mais curioso que tenha sido aceita e divulgada com tanta facilidade.

Riulin deixou claro pelo gesto que o Brasil está longe de desempenhar um papel desprezível na diplomacia do século XXI, para infelicidade daqueles que enxergam o mundo pelo olhar da inferioridade e da submissão.

Continue lendo no blog de Paulo Moreira Leite

 

Mundo Leonardo Attuch Tue, 12 Aug 2014 09:13:12 +0000 http://www.brasil247.com/149803
Lula: "Nenhum presidente tem o caráter de Dilma" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/149781 : "Conheço muita gente. De Geisel, de Collor, de Sarney, de Itamar, de tantos presidentes, de Fernando Henrique Cardoso. Posso dizer para vocês que nenhum tem o caráter que tem a companheira Dilma e nenhum tem o compromisso que tem a companheira Dilma", afirmou Lula durante a inauguração da nova sede do Sindicato dos Metalúrgicos de Jundiaí; o ex-presidente lembrou que o país vivia uma era de desemprego antes do seu governo e se disse orgulhoso por nos seus mandatos e no da presidenta Dilma terem sido gerados 21 milhões de empregos com carteira assinada <br clear="all"> :

247 – Durante a inauguração da nova sede do Sindicato dos Metalúrgicos de Jundiaí e região, nesta segunda-feira (11), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva lembrou de sua ascensão política e pediu confiança da classe trabalhadora à presidente Dilma Rousseff.

Lula lembrou que o país vivia uma era de desemprego antes do seu governo e se disse orgulhoso, por nos seus mandatos e no da presidenta Dilma terem sido gerados 21 milhões de empregos com carteira assinada.

"Eu posso olhar no rosto de cada metalúrgico e dizer que eu certamente não fiz tudo que eu queria, mas fizemos muito mais do que eles pelos trabalhadores".

Segundo ele, as vezes, o preconceito que se tem com Dilma Rousseff é porque ela é mulher. Mas diz que, desde o fim da Ditadura, nenhum presidente do Brasil teve o caráter e o compromisso que a presidente tem.

"Conheço muita gente. De Geisel, de Collor, de Sarney, de Itamar, de tantos presidentes, de Fernando Henrique Cardoso. Posso dizer para vocês que nenhum tem o caráter que tem a companheira Dilma e nenhum tem o compromisso que tem a companheira Dilma", afirmou Lula.

Poder Roberta Namour Tue, 12 Aug 2014 05:12:04 +0000 http://www.brasil247.com/149781
Justiça de SP afasta Robson Marinho do TCE http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/149779 : Para a juíza Maria Gabriella Pavlópoulos Spaolonzi, da 13ª Vara da Fazenda Pública da capital, Robson Marinho deve deixar o cargo no TCE imediatamente diante de indícios de recebimento de propina da Alstom em troca de contratos sem licitação com estatais do setor de energia de São Paulo em 1998, durante o governo de Mário Covas (PSDB); provas vindas da Suíça e da França indicam que ele recebeu como suborno da empresa, em contas de paraísos fiscais, US$ 2,7 milhões (o equivalente a R$ 6 milhões) entre 1998 e 2005 <br clear="all"> :

247 - A Justiça de São Paulo determinou o afastamento de Robson Marinho do cargo de conselheiro do TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo), suspeito de receber propina da Alstom.

O Ministério Público apontou que ele ajudou a multinacional francesa a fechar contratos sem licitação com estatais do setor de energia de São Paulo em 1998, no governo de Mário Covas (PSDB).

Segundo a juíza Maria Gabriella Pavlópoulos Spaolonzi, da 13ª Vara da Fazenda Pública da capital, liminar determina a saída imediata de Marinho do cargo.

Provas vindas da Suíça e da França indicam que ele recebeu como suborno da empresa, em contas de paraísos fiscais, US$ 2,7 milhões (o equivalente a R$ 6 milhões) entre 1998 e 2005.

SP 247 Roberta Namour Tue, 12 Aug 2014 05:10:06 +0000 http://www.brasil247.com/149779
Presidente de Israel pede desculpas a Dilma http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/149772 : O presidente recém-eleito de Israel, Reuven Rivlin, tentou consertar o estrago causado nas relações com o Brasil, depois que um porta-voz da chancelaria israelense classificou o País como "anão diplomático"; num telefonema nesta segunda-feira, ele esclareceu que as expressões usadas por esse funcionário "não correspondem aos sentimentos da população de seu país em relação ao Brasil"; Rivlin justificou os ataques a Gaza como autodefesa, mas a presidente Dilma voltou a condenar a desproporcionalidade dos bombardeios ordenados pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu; leia nota do Planalto <br clear="all"> :

247 - O governo de Israel tentou, nesta segunda-feira, consertar o estrago causado por um porta-voz da chancelaria que classificou o País como "anão diplomático". Nesta segunda-feira, o presidente recém-eleito Reuven Rivlin telefonou para a presidente Dilma Rousseff e pediu desculpas pela grosseria. Leia, abaixo, nota do Planalto:

Nota à imprensa

Presidente de Israel chama por telefone Presidenta Dilma Rousseff

A Presidenta Dilma Rousseff recebeu hoje chamada telefônica do recém-eleito Presidente de Israel, Reuven Rivlin.

Na conversa dos dois mandatários, o Chefe de Estado israelense apresentou desculpas pelas recentes declarações do porta-voz de sua Chancelaria em relação ao Brasil. Esclareceu que as expressões usadas por esse funcionário não correspondem aos sentimentos da população de seu país em relação ao Brasil. A Presidenta fez referência aos laços históricos que unem os dois países há várias décadas.

Na conversação dos dois dirigentes foi evocada a grave situação atual da Faixa de Gaza. O mandatário israelense afirmou que o país estava defendendo-se dos ataques com mísseis que seu território vinha sofrendo.

A presidenta Dilma afirmou que o governo brasileiro condenara e condena ataques a Israel, mas que condena, igualmente, o uso desproporcional da força em Gaza, que levou à morte centenas de civis, especialmente mulheres e crianças. Reiterou a posição histórica do Brasil em todos os foros internacionais de defesa da coexistência entre Israel e Palestina, como dois Estados soberanos, viáveis economicamente e, sobretudo, seguros.

Manifestando sua esperança de que a continuidade do cessar-fogo e as negociações atuais entre as partes possam contribuir para uma solução definitiva de paz na região, a Presidenta do Brasil enfatizou que a crise atual não poderá servir de pretexto para qualquer manifestação de caráter racista, seja em relação aos israelenses, seja em relação aos palestinos.

Mundo Leonardo Attuch Mon, 11 Aug 2014 21:24:20 +0000 http://www.brasil247.com/149772
Ministro do TCU recua de bloqueio de bens de Graça http://www.brasil247.com/pt/247/poder/149787 : Relator do processo que analisa a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) José Jorge justifica mudança dizendo que Graça Foster, atual presidente da Petrobras, participou apenas da tomada de uma decisão secundária, que provocou uma pequena parcela de US$ 92,3 milhões do prejuízo total de US$ 792,3 milhões à estatal <br clear="all"> :

247 – O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) José Jorge sinaliza que vai recuar do pedido de bloqueio de bens da presidente da Petrobras Graça Foster. 

Relator do processo que analisa a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, ele justifica mudança por ela ter participado apenas da tomada de uma decisão secundaria, que provocou uma pequena parcela de US$ 92,3 milhões do prejuízo total de US$ 792,3 milhões à estatal. 

No mês passado, o órgão atribuiu a 11 diretores e ex-diretores da Petrobras a responsabilidade pela polêmica compra da refinaria, deixando o Conselho, na época presidido por Dilma Rousseff, de fora do caso. Após a decisão, Jorge indicou que poderia incluir Graça na lista de responsáveis, mas depois, voltou atrás. 

Leia aqui reportagem de Fabio Brandt sobre o assunto.

Poder Roberta Namour Tue, 12 Aug 2014 06:51:29 +0000 http://www.brasil247.com/149787
Dilma aos jovens: “vocês serão meu combate” http://www.brasil247.com/pt/247/poder/149782 : Em encontro com estudantes em São Paulo, a presidente Dilma Rousseff disse se identificar com os movimentos estudantis atuais: "Eu olho pra vocês e vejo minha juventude. Eu confio em vocês que representam uma parte da luta, em nova escala, em nova dimensão em que foi nossa luta do passado. Confio que vocês que serão meu combate que vão defender o sentido desse projeto"; na ocasião, ela resgatou era FHC para rebater críticas da oposição: “O Brasil quebrou três vezes naquela época. Hoje os jornais falam da Argentina, mas a situação, naquele momento, era mais grave” <br clear="all"> :

247 - Durante encontro com jovens, no Dia do Estudante, no auditório da Uninove, em São Paulo, nesta segunda-feira (11), a presidente Dilma Rousseff lembrou seus tempos de juventude e fez uma comparação entre os anseios daquela época e da atual.

"Eu olho pra vocês e vejo minha juventude. Eu me enxergo um pouco em vocês. Vocês podem não acreditar, mas o Aldo Rebelo (ministro dos Esportes), o Rui Falcão e eu fomos bem assim", disse a presidente.

Segundo ela, no passado, durante a ditadura militar, a meta era conquistar a democracia, afirmar a soberania do Brasil e mudar radicalmente as condições de desigualdade. Hoje, a presidente enxerga o grupo como protagonista de um processo democrático, iniciado em 2003, com o presidente Lula.

"Foi um sonho de que poderíamos transformar o Brasil de forma profunda e radical. Nós queríamos não só a democracia, queríamos afirmar a soberania do país, queríamos mudar radicalmente as condições de desigualdade que o nosso país vivia", disse.

Para Dilma, ninguém perdeu com essas mudanças, apenas ganhou. “Agora, o filho da empregada doméstica pode ser doutor”, disse.

A presidente também pediu o engajamento dos jovens em sua campanha. "Eu confio em vocês que representam uma parte da luta, em nova escala, em nova dimensão em que foi nossa luta do passado. Confio que vocês que serão meu combate que vão defender o sentido desse projeto".

A presidente aproveitou a ocasião para rebater as críticas feitas pela oposição em relação à sua política econômica. Ela lembrou os tempos em que o governo FHC recorria ao Fundo Monetário Internacional (FMI) para tomar empréstimos e comparou a situação vivida à época com a atual crise na Argentina.

“O Brasil quebrou três vezes naquela época. Hoje os jornais falam da Argentina, mas a situação, naquele momento, era mais grave”, afirmou.

Poder Roberta Namour Tue, 12 Aug 2014 05:15:54 +0000 http://www.brasil247.com/149782
Aécio ao JN: Cláudio (MG) "precisava do aeroporto" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/149761 : Candidato tucano abre série de entrevistas, de 15 minutos cada, com candidatos feitas pelos apresentadores do Jornal Nacional, da Rede Globo; primeiro tema foi economia; "Vivemos uma crise de confiança no Brasil", disse Áecio Neves; William Bonner retrucou que questão sobre aumento de tarifas públicas não fora respondida; "Vamos realinhar os preços, quando e como isso se tornar necessário", prosseguiu tucano; jornalistas perguntaram ainda sobre o polêmico aeródromo de Cláudio (MG); "O que vale mais: uma fazenda com ou sem aeroporto?", perguntou Bonner; "É um sítio", respondeu Aécio; perguntas duras <br clear="all"> :

247 - Foi mais dura do que o previsto a primeira entrevista com um presidenciável na bancada do Jornal Nacional, da Rede Globo. Diante do tucano Aécio Neves, os apresentadores William Bonner e Patrícia Poeta optaram por abordar temas delicados para o candidato, como a construção do aeroporto de Cláudio, em Minas, ao lado de fazenda da família do ex-governador, e até o apoio que ele vem recebendo o ex-governador Eduardo Azeredo. Patrícia lembrou que o tucano é acusado de ser o pivô do chamado mensalão mineiro.

No início dos quinze minutos de perguntas e respostas, Bonner quis saber se Aécio está disposto a fazer reajustes em tarifas públicas. Aécio respondeu que a economia brasileira vive uma crise de confiança, mas Bonner retrucou que considerava que a questão não foram respodida. O tucano, então, afirmou que "haverá realinhamento de preços" quando sua equipe econômica julgar necessário, sem se comprometer com as chamadas "medidas amargas" no início da gestão.

- Eu prometo uma gestão que resgate a ética e a moral pública, com eficiência de governo, disse o candidato do PSDB.

O tema da construção do aeroporto de Cláudio ocupou cerca de um quatro de todo o tempo da entrevista. Não era bem o que Aécio esperava. Pelo menos três questões sobre o assuntos foram dirigidas a ele por William Bonner, sendo a última a mais direta:

- O que vale mais, candidato, uma fazenda com um aeroporto ao lado ou sem um aeroporto ao lado?

Aécio respondeu que a propriedade está no patrimônio de sua família há 150 anos. Com 30 alqueires, segundo ele, "é um sítio". Ele afirmou que fez o aeroporto para dinamizar a economia regional.

Sobre Azeredo, rebateu: "Você disse bem, ele me apóia", sem se comprometer com o passado político do ex-governador.

Abaixo, notícia anterior:

247 - O candidato tucano Aécio Neves abriu a série de entrevistas do Jornal Nacional. Na entrevista, conduzida por William Bonner e Patrícia Poeta, foram abordados diversos pontos, como a economia, a corrupção e a polêmica construção do aeródromo de Cláudio (MG). Eis alguns pontos:

Sobre economia

"O brasileiro quer transparência. Quer um governo com coragem de fazer o que é necessário. Vamos enxugar o estado. Na política externa, o alinhamento ideológico foi prioridade para o atual governo".

Sobre tarifas públicas

"Vai ter previsibilidade. Haverá, sim, um realinhamento de preços, quando for necessário e tivermos todas as informações sobre o quadro econômico".

Sobre corrupção

"No PT houve uma condenação, as pessoas foram presas. É uma situação diferente da do PSDB. Em relação ao PSDB, se houver denúncias consistentes, tem que ser investigado. E se alguém for condenado, não será tratado como herói nacional. Por uma razão muito simples: isso deseduca".

Sobre o aeroporto de Cláudio (MG)

"Fizemos um programa, o ProAero, que ligou 29 cidades. [Enquanto Aécio fazia sua explicação, Bonner perguntou: o que vale mais: uma fazenda com aeroporto ou sem aeroporto ao lado?] Essa fazenda tem 14 cabeças de gado, é um sítio. Essa cidade precisava desse aeroporto. Se houve algum prejuízo, foi desse meu tio-avô. Ele pediu R$ 9 milhões pela área desapropriada e a avaliação do estado foi muito menor. A população daquela cidade sabe a importância do aeródromo. Eu usei todos os aeroportos do estado, a trabalho".

Sobre governo transformador

"O ex-presidente Lula tomou a decisão correta de unificar os programas sociais criados durante o governo do presidente Fernando Henrique. Governar é reconhecer acertos. No nosso governo, vamos adensar esses programas sociais. Fiz um governo transformador em Minas Gerais e também farei um governo transformador no Brasil.


Poder Aline Lima Mon, 11 Aug 2014 20:44:19 +0000 http://www.brasil247.com/149761
EUA prometem à Libéria soro contra ebola http://www.brasil247.com/pt/247/saudeebemestar/149785 : “A Casa Branca e a Agência Norte-Americana de Fármacos [FDA, na sigla em inglês] aprovaram o pedido da Libéria para a disponibilização de doses do soro experimental para tratar os médicos liberianos atualmente infectados pelo vírus ebola”, informou a Presidência liberiana em comunicado divulgado em Monrovia, capital do país; acordo surge na sequência de um pedido feito pelo presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf, no dia 8 de agosto, ao presidente norte-americano Barack Obama <br clear="all"> :

Da Agência Lusa - A Libéria, um dos países afetados pelo surto de ebola, vai receber dos Estados Unidos amostras de um soro experimental, enquanto a Organização Mundial da Saúde deverá pronunciar-se nesta terça-feira (12) sobre a utilização dos medicamentos não aprovados.

“A Casa Branca e a Agência Norte-Americana de Fármacos [FDA, na sigla em inglês] aprovaram o pedido da Libéria para a disponibilização de doses do soro experimental para tratar os médicos liberianos atualmente infectados pelo vírus ebola”, informou a Presidência liberiana em comunicado divulgado na noite de ontem em Monrovia, capital do país.

Segundo o comunicado, divulgado ontem (11), o acordo surge na sequência de um pedido feito pelo presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf, no dia 8 de agosto, ao presidente norte-americano Barack Obama. O tratamento experimental deve ser levado por um enviado do governo norte-americano em uma semana, acrescentou a presidência liberiana.

Já a OMS apresenta nesta terça, em Genebra, as conclusões dos debates sobre a oportunidade de utilizar os medicamentos não aprovados. Segundo o comunicado da Presidência da Libéria, a diretora executiva da Organização Mundial de Saúde (OMS), Margaret Chan, autorizou também o envio para o país de doses suplementares do soro experimental para ajudar a melhorar o tratamento. As doses adicionais de soro serão também levadas para o país por especialistas da OMS durante a semana.

Atualmente não existe nenhum tratamento ou vacina específica contra a febre hemorrágica causada pelo vírus ébola, que se transmite por contato direto com o sangue e fluídos corporais de pessoas ou animais infectados.

Nos últimos dias, vários Estados manifestaram o desejo de utilizar o medicamento experimental ZMapp, desenvolvido em um laboratório privado nos Estados Unidos. O fármaco foi aplicado em dois norte-americanos infectados na Libéria, que foram transferidos para os Estados Unidos e colocados em quarentena.

Um padre espanhol, também contaminado com ebola, foi enviado para o seu país, onde deverá ser tratado com o soro experimental, que a Espanha foi autorizada excepcionalmente a importar.

Hoje, a indústria farmacêutica que desenvolveu o ZMapp disse que tinha enviado a totalidade das doses disponíveis para a África Ocidental, sem precisar países, informando que o tratamento tinha sido fornecido "gratuitamente em todos os casos”.

Até a semana passada, mais de 960 pessoas morreram de ebola em quase 1.800 casos prováveis ou suspeitos, a maioria na Guiné, na Libéria, em Serra Leoa e na Nigéria.

Saúde e Bem Estar Roberta Namour Tue, 12 Aug 2014 06:37:05 +0000 http://www.brasil247.com/149785
Íntegra da fita serviu para Petrobras achar espião http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/149619 : Cobrada por ter editado a fita sobre a suposta farsa na CPI da Petrobras, a revista Veja publicou, neste fim de semana, a íntegra das imagens de uma reunião ocorrida da empresa; ao que tudo indica, o dono da caneta espiã é o advogado Bruno Ferreira; é ele quem, nos momentos mais importantes da gravação, tenta induzir seus superiores a indicar a suposta trama denunciada pela revista; perícia contratada pelo senador Delcídio Amaral (PT-MS) contestou edição das imagens; em entrevista, o ministro Ricardo Berzoini classificou o escândalo como "cortina de fumaça" para encobrir o que chamou de "aécioporto"; internamente, na Petrobras, o caso foi classificado como "molecagem" <br clear="all"> :

247 – A direção da Petrobras já tem praticamente a convicção formada sobre quem utilizou uma caneta espiã para filmar uma reunião interna da empresa e repassar as imagens, em tom de escândalo, para a revista Veja. Trata-se, ao que tudo indica, do advogado Bruno Ferreira.

As provas foram fornecidas pela própria revista Veja, que, nesta semana, decidiu publicar a íntegra da fita. Veja se viu forçada a publicar as imagens completas depois que uma reportagem do 247 contestou a sua edição parcial. Uma perícia realizada por um dos principais institutos do Mato Grosso do Sul, a pedido do senador Delcídio Amaral (PT-MS), demonstrava inconsistência nos diálogos divulgados pela revista (leia mais aqui).

Nas imagens, o advogado Bruno Ferreira, em diversas ocasiões, tenta induzir seu superior, o chefe do jurídico da Petrobras, José Eduardo Barrocas, a confirmar algum tipo de armação. É ele, por exemplo, quem tenta, em vários trechos, demonstrar alguma proteção ao ex-diretor Nestor Cerveró.

Assista aqui a íntegra da reunião e confira também aqui as imagens antes divulgadas pela revista.

Na edição da semana passada, os trechos em que Bruno Ferreira tenta induzir respostas foram suprimidos, o que parece ter sido uma tentativa da publicação de proteger sua fonte.

Nesta semana, a revista volta a falar em “farsa”, mas a tese não é corroborada pelas imagens, nem pelos áudios. A denúncia, classificada pelo jornalista Janio de Freitas como "escândalo da banalidade", tende a cair no vazio. Segundo o ministro Ricardo Berzoini, foi publicada apenas para criar uma "cortina de fumaça" destinada a encobrir o que chamou de "aécioporto".

Internamente, na Petrobras, o caso foi classificado como "molecagem".

Mídia Realle Palazzo-Martini Mon, 11 Aug 2014 16:58:17 +0000 http://www.brasil247.com/149619
Dilma: "politizar" caso Petrobras é "gravíssimo" http://www.brasil247.com/pt/247/poder/149733 : Presidente volta a defender a dirigente da estatal, Graça Foster, e afirma ser "gravíssimo politizarem uma discussão desse tipo", ao abordar denúncias contra a Petrobras; "Gravíssimo e não acho muito responsável. Espero que não se faça política nesse assunto. Mas espero mesmo. A Petrobras é a maior empresa desse país. A Maria das Graças Foster tem méritos inequívocos e não há dúvida disso"; as declarações foram feitas em entrevista ao Grupo RBS, do Rio Grande do Sul; neste domingo, Dilma condenou "factoides" contra a empresa <br clear="all">