Alexandre de Moraes, do STF, classifica postura do governo Bolsonaro como "lamentável"

"É lamentável que em assuntos essencialmente técnicos, de tratamento uniforme em âmbito internacional, haja discrepâncias políticas entre entes federativos", afirmou Alexandre de Moraes

Ministro do STF Alexandre de Moraes
Ministro do STF Alexandre de Moraes (Foto: Nelson Jr./SCO/STF)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, classificou como "lamentável" a postura do governo Jair Bolsonaro no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

"É lamentável que em assuntos essencialmente técnicos, de tratamento uniforme em âmbito internacional, haja discrepâncias políticas entre entes federativos, haja discrepâncias políticas e de opiniões ou do "achismo, como alguns vem denominando, entre autoridades do mesmo âmbito e falte cooperação e coordenação", disse o ministro durante sessão virtual do Plenário que analisou as medidas restritivas determinadas por governadores e prefeitos. 

"Se houve excessos ou se há excessos das regulamentações estaduais e municipais, isso deve ser analisado.  Mas a verdade é que se isso ocorreu oi porque não há até agora uma regulamentação geral da União sobre a questão do isolamento. /sobre o necessário tratamento écnico-científico dessa pandemia gravissíma que vem aumentando o número de mortos a cada dia", acrescentou.

Em sessão alcançou maioria de seis votos a favor da validade de medidas restritivas determinadas por governadores e prefeitos. O julgamento ainda não foi encerrado.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247