Brasil 247: o seu jornal digital 24 horas por dia, 7 dias por semana.


Wadih Damous: Lava Jato é o Doi-Codi atual

Deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) comparou neste sábado, 23, a operação Lava Jato ao DOI-Codi, o órgão de inteligência e repressão da ditadura militar de 1964; "O traço fundamental em comum é que são dois territórios de exceção, onde a lei não impera, onde a Constituição não impera e onde não há direitos e garantias fundamentais", afirmou Damous em vídeo; "A Lava Jato, para ser igual ao DOI-Codi, não precisa ter pau-de-arara, nem choque elétrico. Basta que ela não respeite a lei como de fato não respeita. A defesa não é ouvida, é hostilizada, o juiz é claramente parcial, não tem qualquer isenção, e nisso a Lava Jato e o DOI-Codi são iguaizinhos. Num território onde não há lei, Constituição, direitos e garantias fundamentais, tudo é permitido", afirmou

Dilma: Globo tenta ser polícia, promotor e juiz

Presidente deposta Dilma Rousseff rebateu com veemência editorial do jornal O Globo deste sábado, 23, em que tenta atribuir a Dilma a culpa pela roubalheira dos aliados de Michel Temer; Dilma disse que o jornal da família Marinho "se investe do papel de polícia, promotor e juiz"; "Dizer que a presidenta beneficiou o grupo de Eduardo Cunha e o 'quadrilhão do PMDB' em esquemas de corrupção na Caixa Econômica é mentir mais uma vez para o público. A empresa rasga os fatos e encobre o seu próprio papel no impeachment e ainda no acordo que permitiu a ascensão do peemedebista – agora preso – à Presidência da Câmara dos Deputados, talvez em troca de um bloqueio à lei de regulação econômica da mídia", diz a Dilma em nota divulgada por sua assessoria de imprensa; "Vale lembrar que a condenação por tribunais midiáticos resulta muitas vezes na absolvição pela Justiça e pela História. Já o papel anti-democrático de empresas jornalísticas como a Globo é sempre lembrado pelo povo, que não esquece a raiz do fascismo nas hostes dos falsos moralistas de plantão. Depois, não adianta pedir perdão"


Fechar