Alexandre Motta fala sobre seletividade mágica do Judiciário

Em seu mais recente vídeo, o médico Alexandre Motta Câmara, que atua em Natal (RN), fala sobre a seletividade do Judiciário brasileiro; "Dentro do TSE parece que existe um consenso para condenar Dilma e absolver Temer como se a chapa fosse divisível. E o mais curioso: Temer indicou um dos ministros; Alexandre lembra que o ministro Gilmar Mendes tem se confraternizado e encontrado com Temer fora dos tribunais; "Minha pergunta: 'O julgador pode se reunir com o quem será julgado, de maneira casual e corriqueira. No Brasil, pelo visto, pode"

Em seu mais recente vídeo, o médico Alexandre Motta Câmara, que atua em Natal (RN), fala sobre a seletividade do Judiciário brasileiro; "Dentro do TSE parece que existe um consenso para condenar Dilma e absolver Temer como se a chapa fosse divisível. E o mais curioso: Temer indicou um dos ministros; Alexandre lembra que o ministro Gilmar Mendes tem se confraternizado e encontrado com Temer fora dos tribunais; "Minha pergunta: 'O julgador pode se reunir com o quem será julgado, de maneira casual e corriqueira. No Brasil, pelo visto, pode"
Em seu mais recente vídeo, o médico Alexandre Motta Câmara, que atua em Natal (RN), fala sobre a seletividade do Judiciário brasileiro; "Dentro do TSE parece que existe um consenso para condenar Dilma e absolver Temer como se a chapa fosse divisível. E o mais curioso: Temer indicou um dos ministros; Alexandre lembra que o ministro Gilmar Mendes tem se confraternizado e encontrado com Temer fora dos tribunais; "Minha pergunta: 'O julgador pode se reunir com o quem será julgado, de maneira casual e corriqueira. No Brasil, pelo visto, pode" (Foto: José Barbacena)

247 - Em seu mais recente vídeo, o médico Alexandre Motta Câmara, que atua em Natal (RN), fala sobre a seletividade do Judiciário e o julgamento da chapa Dilma/Temer pelo TSE.

"Os valores que o PSDB gastou na campanha foram muito próximos aos que o PT gastou. O PSDB considera que houve abuso de poder econômico só da chapa Dilma/Temer", diz.

"Dentro do TSE parece que existe um consenso para condenar Dilma e absolver Temer como se a chapa fosse divisível. E o mais curioso: Temer indicou um dos ministros. Alexandre lembra que o ministro Gilmar Mendes tem se confraternizado e encontrado com Temer fora dos tribunais.

"Minha pergunta: 'O julgador pode se reunir com o quem será julgado, de maneira casual e corriqueira. No Brasil, pelo visto, pode".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247