Aneel multa transmissora em R$ 3,6 milhões por apagão no Amapá

A concessionária LMTE foi multada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em R$ 3,6 milhões por conta do apagão que ocorreu no estado do Amapá em novembro de 2020

(Foto: Reprodução / Twitter)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A concessionária Linhas de Macapá Transmissora de Energia (LMTE) foi multada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em R$ 3,6 milhões por conta do apagão que ocorreu no estado do Amapá em novembro de 2020. A LMTE, em nota, afirmou que vai recorrer da medida.

A Aneel disse que a “multa representa 3,54% do valor da Receita Operacional Líquida (ROL) da concessionária”, mas o órgão não detalhou quando o auto de infração foi aplicado.

Em novembro, o sistema elétrico de 89% do Amapá entrou em colapso no primeiro blecaute na principal subestação do estado de responsabilidade da LMTE.

Confira a seguir a íntegra da nota da LMTE:

No Auto de Infração cabe recurso e a empresa irá recorrer dentro do prazo estipulado.

As causas que levaram a contingências múltiplas, paralisando dois transformadores na subestação Macapá, no dia 3 de novembro de 2020, ainda estão sendo apuradas;

Já se sabe, contudo, que um conjunto de fatores levou à perturbação do sistema de eletricidade do Amapá, entre eles falta de redundância, falta de planejamento setorial, falta de sistema especial de proteção (SEP), que deveria estar previsto no projeto original, conforme recentemente recomendado no Relatório de Análise e Perturbações (RAP) do ONS.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email