Após derrota de Renan, MDB só terá uma cadeira na Mesa-Diretora do Senado

Apesar de ter a maior bancada no Senado, o MDB, de Renan Calheiros (AL), conseguiu apenas indicar um nome para a Mesa Diretora da Casa; a legenda, que sempre ocupou cadeiras importantes, não terá nenhuma das duas vice-presidências; mas Renan ainda tenta garantir pelo menos o comando da CCJ

Após derrota de Renan, MDB só terá uma cadeira na Mesa-Diretora do Senado
Após derrota de Renan, MDB só terá uma cadeira na Mesa-Diretora do Senado (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)

247 - Apesar de ter a maior bancada no Senado, o MDB de Renan Calheiros (AL) conseguiu apenas indicar um nome para a Mesa Diretora da Casa. A legenda, que sempre ocupou cadeiras importantes, não vai ocupar nenhuma das duas vice-presidências.

Segundo reportagem da Folha, o partido deve ocupar a Segunda Secretaria do Senado que, e acordo com o regimento interno, tem como função lavrar as atas das sessões secretas, lê-las e assiná-las depois do primeiro-secretário.

Na reunião com líderes de partidos, o senador Eduardo Braga (MDB-AM), atpe tentou argumentar que a Casa costuma seguir a proporcionalidade, ou seja, os maiores partidos escolhem primeiro as posições que vão ocupar, Mas enfraquecido pela derrota na disputa de Renan pela presidência, o senador optou por não polemizar.

"A proporcionalidade é um critério muito importante nas horas mais íngremes de um Parlamento. Se você não tem critério, acaba gerando impasses. Mas, obviamente, a gente reconhece que há uma circunstância política. Houve uma disputa, nós não a vencemos e eles estão colocando a Segunda Secretaria para o MDB", afirmou Eduardo Braga.

Ainda de acordo com o jornal, a primeira vice-presidência será ocupado pelo PSDB, sem nome definido. Antonio Anastasia (MG) é cotado para o cargo. A segunda vice vai para o Podemos.

A Primeira Secretaria ficará com o PSD. A Terceira será do PSL, que indicará Flávio Bolsonaro (RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro e alvo de investigação por causa de movimentações financeiras atípicas e suspeitas sobre funcionários de seu gabinete quando era deputado estadual no Rio de Janeiro.

A Quarta Secretaria pode ficar com o PP ou com o PT. Quem perder fica com a primeira suplência. Os demais suplentes serão de PDT, PSB e PPS.

 

De olho na CCJ

Ao que tudo indica, Renan preferiu jogar a toalha na discussão da Mesa, para jogar toda pressão na disputa da presidência da Comissão de Constituição e Justiça, a CCJ, a mais importante delas.

O MDB reivindica a presidência da comissão por ter a maior bancada, com 13 dos 81 senadores. Mas o grupo contrário a Renan Calheiros aceita apenas se o nome indicado for o de Simone Tebet (MDB-MS), que enfrentou o senador alagoano na disputa interna e depois no plenário pela presidência do Senado, o que acabou rachando a bancada. Simone declarou apoio ao Davi Alcolumbre, que acabou sendo eleito presidente.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247