Após mudar depoimento e incriminar Lula sem provas, Leo Pinheiro deixa prisão

Após modificar sua delação por diversas vezes até atender aos anseios dos procuradores em incriminar Lula, o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro teve a sua delação homologada pelo ministro Edson Fachin e foi solto nesta terça-feira (17). Sua delação sem provas no caso do trúplex do Guarujá foi base para o então juiz Sergio Moro condenar Lula

(Foto: Reprodução)

247 - Depois de ter a sua delação premiada homologada, o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro foi solto nesta terça-feira (17). O executivo conseguiu deixar a carceragem da Polícia Federal paranaense após ter seu acordo de delação premiada homologado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin.

No entanto, a delação de Léo Pinheiro foi modificada por diversas vezes para incriminar e sustentar as convicções sem provas dos procuradores da Lava Jato de Curitiba contra Lula.

Antes de ser preso, o empreiteiro sempre negou qualquer envolvimento do ex-presidente. Encarcerado por três anos, a delação foi a única base para fundamentar a condenação e prisão de Lula no caso do tríplex, em Guarujá (SP).

Agora, o ex-presidente da OAS ficará preso em casa com monitoramento de tornozeleira eletrônica. Segundo reportagem do O Globo, produzido pela colunista Bela Megale, um familiar foi a Curitiba buscar Léo que seguirá para São Paulo, onde mora sua família.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247