Após repercussão negativa, Bolsonaro admite ir a debates

O candidato da extrema-direta à Presidência, Jair Bolsonaro, disse nesta quinta-feira que participará dos debates com presidenciáveis, conforme sua agenda de campanha permitir; "Desde o início temos atendido gentilmente a diversos convites para entrevistas, sabatinas e debates no Brasil inteiro, quase sempre em ambientes conhecidamente desfavoráveis. Seguiremos buscando atender aos convites com boa fé, sem comprometer nossa agenda", tuitou Bolsonaro nesta tarde

Após repercussão negativa, Bolsonaro admite ir a debates
Após repercussão negativa, Bolsonaro admite ir a debates (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)

Da Reuters - O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, disse nesta quinta-feira que participará dos debates com presidenciáveis, conforme sua agenda de campanha permitir, ressaltando que já foi a encontros em ambientes "conhecidamente desfavoráveis", ao mesmo tempo em que seu companheiro de chapa afirmou que os adversários baixam o nível da discussão.

"Desde o início temos atendido gentilmente a diversos convites para entrevistas, sabatinas e debates no Brasil inteiro, quase sempre em ambientes conhecidamente desfavoráveis. Seguiremos buscando atender aos convites com boa fé, sem comprometer nossa agenda", tuitou Bolsonaro nesta tarde.

O candidato a vice, general da reserva do Exército Hamilton Mourão (PRTB), disse que o próprio Bolsonaro acredita que sua ausência não teria impacto sobre os eleitores que busca conquistar.

"Toda decisão tem prós e contras. O contra seria esse aí (parecer que está fugindo do debate), mas na avaliação dele, ele julga que, nos eleitores que está buscando, isso não vai influenciar", acrescentou.

Mourão argumentou que a campanha de Bolsonaro depende de voos de carreira e muitas vezes é difícil conciliar os compromissos. "Ele (Bolsonaro) precisa estar em outros lugares, a campanha dele está muito agitada, praticamente está dormindo no avião. E lembrar que a nossa campanha é uma campanha feita em companhias aéreas, não é de jatinho", disse.

Mais cedo, o presidente do PSL, Gustavo Bebiano, disse à Reuters que a participação do candidato nos debates televisivos "não é uma prioridade", mas ressalvou que o comando da campanha ainda não tinha tomado uma decisão sobre não comparecer a esses eventos.

"Não é prioridade. Esses debates não favorecerem em nada, não acrescenta em nada. A formatação nivela todo mundo por baixo, parece concurso de Pinóquio: todo mundo tem solução milagrosa", disse Bebiano.

Em vídeo divulgado em junho por meio de suas redes sociais, o próprio Bolsonaro —ainda pré-candidato a presidente na ocasião— havia dito que iria participar de todos os debates na televisão. Até o momento, ele compareceu aos dois realizados na televisão, promovidos por Band e RedeTV!.

Segundo Bebiano, há uma deliberação da campanha em privilegiar as agendas de Bolsonaro com o povo e que na próxima semana Bolsonaro terá agendas de segunda a domingo no Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Acre e Rondônia.

"Quando se assume o compromisso em comparecer a debates e convites, você não faz campanha", disse o presidente do PSL, acrescentando que Bolsonaro é o único candidato que não perdeu o contato com a realidade do povo. "O resto da classe política está alheia ao Brasil."

Perguntado se o não comparecimento de Bolsonaro mostraria um "telhado de vidro" do candidato, o presidente do partido rejeitou. "Cada um interpreta as coisas do jeito que quer. O que trouxe o candidato até aqui foi a espontaneidade, não fica em cima do muro, concorde-se ou não com as posições dele."

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247