Aras diz não ver relação entre inquérito de Bolsonaro e supostos relatórios da Abin para Flávio

Segundo o PGR, a suposta atuação da Abin para orientar a defesa de Flávio Bolsonaro no caso das “rachadinhas” não está relacionada às acusações de Sergio Moro que levaram a uma abertura de inquérito no STF

(Foto: ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que não vê conexão entre o inquérito que apura suposta interferência de Jair Bolsonaro na Polícia Federal, conforme acusação do ex-ministro da Justiça Sergio Moro, com a produção de relatórios pela Abin para orientar defesa de Flávio Bolsonaro no caso das rachadinhas.

Segundo o PGR, a suposta atuação da Abin para orientar Flávio não está relacionada às acusações de Sergio Moro que levaram a uma abertura de inquérito no STF.

Ao pedir demissão do governo, em abril do ano passado, Moro disse que Bolsonaro queria interferir politicamente no trabalho da PF e em inquéritos relacionados a familiares. 

Segundo Moro, Alexandre Ramagem, amigo da família, teria sido nomeado por Bolsonaro como chefe da Polícia Federal para ter acesso a informações de inquéritos sobre a própria família. Como o ministro do STF Alexandre de Moraes suspendeu a nomeação, Ramagem assumiu como diretor da Abin.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email