Articulador do decreto sobre posse, Onyx recebeu meio milhão em doações da indústria de armas

Dados do Tribunal Superior Eleitoral mostram que as doações da indústria armamentista nas eleições de 2014, quando as empresas ainda podiam financiar campanhas eleitorais, chegaram a cerca de R$ 2 milhões; "De 2006 até 2014, o porquinho do deputado Onyx Lorenzoni foi recheado com mais de meio milhão de reais da indústria armamentista", aponta o jornalista Gilvandro Filho

Articulador do decreto sobre posse, Onyx recebeu meio milhão em doações da indústria de armas
Articulador do decreto sobre posse, Onyx recebeu meio milhão em doações da indústria de armas (Foto: Wilson Dias/Agênicia Brasil)

247 - Pouco depois do presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinar o decreto que flexibiliza a posse de armas no país, permitido que um cidadão tenha até quatro armas, as ações da Taurus, uma das maiores empresas de armas, disparam. A expectativa de assinatura do decreto fez os papéis da fabricante de armas se valorizarem em 104,94% só nesses primeiros dias de 2019.

Para chegar a esse resultado, empresas de armas e munições investiram pesado no lobby junto à chamada bancada da bala. Dados do Tribunal Superior Eleitoral mostram que as doações da indústria armamentista nas eleições de 2014, quando as empresas ainda podiam financiar campanhas eleitorais, chegaram a R$ 1,91 milhão, com valores distribuídos a 21 candidatos ao cargo de deputado federal, sendo que todos foram eleitos ou ao menos conseguiram vaga de suplente.

O atual ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, um dos responsável pela elaboração do decreto está entre os candidatos financiados.

Em artigo publicado no Brasil 247, o jornalista Gilvandro Filho, destaca que Lorenzoni sempre contou com a indústria de armas.

"De 2006 até 2014, último pleito em que foi permitida a doação de empresas a candidatos, o porquinho do parlamentar foi recheado com mais de meio milhão de reais da indústria armamentista", destaca Gilvandro.

O jornalista detalha alguns desses valores. Segundo ele, com base em dados da Agência Lupa, o ministro de Bolsonaro recebeu, em 2006, doação de R$ 110 mil da Taurus, a mesma que viu as suas ações dispararem na bolsa após a assinatura do decreto.

Em 2008, a empresa manteve a doação em apoio a sua candidatura a prefeito de Porto Alegre (RS). Mass em 2010, o investimento em campanha saltou para R$ 150 mil, quando ele contou com o incremento da Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições que entrou com R$ 100 mil.

Como disse o também jornalista João Paulo Charleaux, "quem planta colhe". Desde 2014, o então deputado federal Onyx apresentou três projetos de leis que pretendiam flexibilizar a posse de armas. "Hoje [com a assinatura do decreto], a segunda parte da entrega", afirmou Charleaux.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247