“As pessoas lá fora imaginam que esse país é um 'paiseco'”, diz Temer

Durante discurso nesta quinta-feira, 20, a formandos do Instituto Rio Branco, Michel Temer quis criticar a presidente deposta Dilma Rousseff, que que tem denunciado o golpe parlamentar do qual foi vítima em 2016, mas acabou sendo sincero; "As pessoas lá fora imaginam que esse país é um 'paiseco' que vai fazendo as coisas sem amparo legal, constitucional", disse Temer; "Essa é a hora que os senhores terão a oportunidade de falar sobre o Brasil, um novo país de oportunidades, que nasce dessa reforma, do vigor das instituições", completou

Durante discurso nesta quinta-feira, 20, a formandos do Instituto Rio Branco, Michel Temer quis criticar a presidente deposta Dilma Rousseff, que que tem denunciado o golpe parlamentar do qual foi vítima em 2016, mas acabou sendo sincero; "As pessoas lá fora imaginam que esse país é um 'paiseco' que vai fazendo as coisas sem amparo legal, constitucional", disse Temer; "Essa é a hora que os senhores terão a oportunidade de falar sobre o Brasil, um novo país de oportunidades, que nasce dessa reforma, do vigor das instituições", completou
Durante discurso nesta quinta-feira, 20, a formandos do Instituto Rio Branco, Michel Temer quis criticar a presidente deposta Dilma Rousseff, que que tem denunciado o golpe parlamentar do qual foi vítima em 2016, mas acabou sendo sincero; "As pessoas lá fora imaginam que esse país é um 'paiseco' que vai fazendo as coisas sem amparo legal, constitucional", disse Temer; "Essa é a hora que os senhores terão a oportunidade de falar sobre o Brasil, um novo país de oportunidades, que nasce dessa reforma, do vigor das instituições", completou (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - O presidente Michel Temer disse em discurso a formandos do Instituto Rio Branco nesta quinta-feira que a política externa do Brasil é universalista, sem influências ideológicas, e aproveitou para alfinetar a ex-presidente Dilma Rousseff, que tem falado no exterior que foi vítima de um golpe.

"As pessoas lá fora imaginam que esse país é um 'paiseco' que vai fazendo as coisas sem amparo legal, constitucional", disse Temer no Itamaraty. "Essa é a hora que os senhores terão a oportunidade de falar sobre o Brasil, um novo país de oportunidades, que nasce dessa reforma, do vigor das instituições."

Ao falar do fortalecimento do Mercosul, o presidente fez menção à democracia e livre mercado, no que pode ser visto como uma referência à suspensão da Venezuela --sob grave crise política e econômica-- do bloco formado também por Argentina, Uruguai e Paraguai. E defendeu uma maior aproximação com a Aliança do Pacífico (Chile, Colômbia, México e Peru) e acordos comerciais.

"É nesse espírito que na nossa região estamos revitalizando o Mercosul, resgatando a sua vocação original de democracia e livre mercado", disse. "Estamos nos aproximando dos parceiros da Aliança do Pacífico. Não devemos ter divisões, devemos ter, isso sim, união entre vários países da América do Sul e da América Latina", disse.

"É nesse espírito, ainda que estamos impulsionando negociações econômicas já existentes, como aquela entre o Mercosul e a União Europeia e inaugurando novas frentes mundo afora."

O presidente usou o discurso também para voltar a defender as reformas propostas pelo governo, entre as quais está a previdenciária, que tem mobilizado todos os esforços do Executivo para garantir sua aprovação no Congresso.

(Reportagem de Lisandra Paraguassu)

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247