Ayres Britto: STF pode ser instado a interferir no impeachment

Ministro aposentado do STF (Supremo Tribunal Federal) Carlos Ayres Britto disse ser "previsível que o tribunal seja instado a intervir no rumoroso processo de impeachment"; "Nesse pressuposto de a Câmara escolher um rito de votação que viole a Constituição, por exemplo, o Supremo estará de "standby", pronto. O tribunal estará permanentemente à disposição das partes", afirmou; segundo ele, ‘peculiaridades no caso de Dilma Rousseff demandam muito cuidado’; Ayres Britto se posicionou contra novas eleições e sobre Michel Temer afirmou que "a Constituição prevê crime de responsabilidade para o vice, mas a lei sobre o impeachment silencia sobre o assunto"

Ministro aposentado do STF (Supremo Tribunal Federal) Carlos Ayres Britto disse ser "previsível que o tribunal seja instado a intervir no rumoroso processo de impeachment"; "Nesse pressuposto de a Câmara escolher um rito de votação que viole a Constituição, por exemplo, o Supremo estará de "standby", pronto. O tribunal estará permanentemente à disposição das partes", afirmou; segundo ele, ‘peculiaridades no caso de Dilma Rousseff demandam muito cuidado’; Ayres Britto se posicionou contra novas eleições e sobre Michel Temer afirmou que "a Constituição prevê crime de responsabilidade para o vice, mas a lei sobre o impeachment silencia sobre o assunto"
Ministro aposentado do STF (Supremo Tribunal Federal) Carlos Ayres Britto disse ser "previsível que o tribunal seja instado a intervir no rumoroso processo de impeachment"; "Nesse pressuposto de a Câmara escolher um rito de votação que viole a Constituição, por exemplo, o Supremo estará de "standby", pronto. O tribunal estará permanentemente à disposição das partes", afirmou; segundo ele, ‘peculiaridades no caso de Dilma Rousseff demandam muito cuidado’; Ayres Britto se posicionou contra novas eleições e sobre Michel Temer afirmou que "a Constituição prevê crime de responsabilidade para o vice, mas a lei sobre o impeachment silencia sobre o assunto" (Foto: Roberta Namour)

247 - O ministro aposentado do STF (Supremo Tribunal Federal) Carlos Ayres Britto disse ser "previsível que o tribunal seja instado a intervir no rumoroso processo de impeachment".

"Nesse pressuposto de a Câmara escolher um rito de votação que viole a Constituição, por exemplo, o Supremo estará de "standby", pronto. O tribunal estará permanentemente à disposição das partes", afirmou, em sabatina da ‘Folha de S. Paulo’.

Segundo ele, ‘peculiaridades no caso de Dilma Rousseff demandam muito cuidado’.

Ayres Britto se posicionou contra novas eleições e sobre Michel Temer afirmou que "a Constituição prevê crime de responsabilidade para o vice, mas a lei sobre o impeachment silencia sobre o assunto" (leia aqui).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247