Barroso entrega o jogo: o povo não pode preferir Lula

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, que recentemente retirou do ex-presidente Lula o direito constitucional de se defender em liberdade, negando-lhe o habeas corpus, declarou publicamente que a sua finalidade no judiciário é “corrigir” as escolhas populares; o ministro disse ipsis litteris: “já estamos conseguindo separar o joio do trigo; o problema é a quantidade de gente que ainda prefere o joio”; essa declaração veio na sequência das mobilizações populares contrárias à prisão ilegal de Lula, feita sob mandado de encomenda do juiz Moro

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, que recentemente retirou do ex-presidente Lula o direito constitucional de se defender em liberdade, negando-lhe o habeas corpus, declarou publicamente que a sua finalidade no judiciário é “corrigir” as escolhas populares; o ministro disse ipsis litteris: “já estamos conseguindo separar o joio do trigo; o problema é a quantidade de gente que ainda prefere o joio”; essa declaração veio na sequência das mobilizações populares contrárias à prisão ilegal de Lula, feita sob mandado de encomenda do juiz Moro
O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, que recentemente retirou do ex-presidente Lula o direito constitucional de se defender em liberdade, negando-lhe o habeas corpus, declarou publicamente que a sua finalidade no judiciário é “corrigir” as escolhas populares; o ministro disse ipsis litteris: “já estamos conseguindo separar o joio do trigo; o problema é a quantidade de gente que ainda prefere o joio”; essa declaração veio na sequência das mobilizações populares contrárias à prisão ilegal de Lula, feita sob mandado de encomenda do juiz Moro (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Causa Operária - O ministro golpista Luís Roberto Barroso, do STF, que recentemente com objetivos políticos, retirou do ex-presidente Lula o direito constitucional de se defender em liberdade, negando-lhe o habeas corpus, declarou publicamente que a sua finalidade no judiciário é “corrigir” as escolhas populares.

O ministro disse ipsis litteris: “já estamos conseguindo separar o joio do trigo. O problema é a quantidade de gente que ainda prefere o joio”. Essa declaração veio na sequência das mobilizações populares contrárias à prisão ilegal de Lula, feita sob mandado de encomenda do juiz Moro.

A frase, se bem colocada em contexto, deixa claro que o objetivo do judiciário golpista é regular os mandatos e disputas eleitorais sob seus próprios critérios, considerando o voto popular uma mera formalidade que deve ser submetida à avaliação dessa casta de semideuses.

Mais ainda, excluído o conteúdo demagógico das declarações de Barroso, fica evidente que o pretexto do combate à corrupção servirá para eliminar os direitos democráticos de todo o povo. Anulando e refazendo interpretações da constituição tanto quanto for necessário para conduzir o cenário político de acordo com os interesses da burguesia e do imperialismo.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247