Bolsonaro adotou o tiroteio como política de governo

Para o jornalista Bruno Boghossian ao assinar o decreto que facilita o acesso a armas de fogo, o presidente Jair Bolsonaro jogou para cima dos "cidadãos comuns uma responsabilidade que deveria ser do Estado" e "adotou de vez o tiroteio como diretriz de governo"; ele ressalta que o "abre caminho para que 20 grupos andem armados, incluindo políticos,  caminhoneiros, advogados e jornalistas", o que abre caminho para o aumento da violência

Bolsonaro adotou o tiroteio como política de governo
Bolsonaro adotou o tiroteio como política de governo (Foto: Marcos Corrêa/PR)

247 - Para o jornalista Bruno Boghossian ao assinar o decreto que facilita o acesso a armas de fogo, o presidente Jair Bolsonaro jogou para cima dos "cidadãos comuns uma responsabilidade que deveria ser do Estado" e "adotou de vez o tiroteio como diretriz de governo".

Em sua coluna no jornal Folha de S. Paulo, Boghossian ressalta que o "abre caminho para que 20 grupos andem armados, incluindo políticos, caminhoneiros, advogados e jornalistas", além de liberar a prática de tiro em clubes por menores de idade autorizados pelos pais".

Ele destaca, porém, que "o decreto de Bolsonaro pode ser revisto no Congresso. Parlamentares dizem que uma flexibilização na dimensão prevista no texto só poderia ser alterada em projeto de lei aprovado pela Câmara e pelo Senado".

Ainda segundo o jornalista, "o drible caiu no colo de Sergio Moro. O ministro da Justiça e da Segurança admitiu que houve divergências sobre a norma e tentou sair pela tangente. "Não tem a ver com a segurança pública. Foi uma decisão tomada pelo presidente em atendimento ao resultado das eleições", afirmou.

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247