Bolsonaro confirma viagem e diz que vai à ONU “enfrentar” europeus

Em sua live semanal pelas redes sociais, Jair Bolsonaro confirmou que irá participar da Assembleia Geral da ONU na terça-feira, 24, em Nova York. “Pode ter algum problema lá, mas vocês terão um presidente falando com coração, com patriotismo”, disse Bolsonaro em relação aos protestos do mundo contra sua política de destruição

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Metrópoles - Em sua transmissão semanal pelo Facebook, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou a confirmar que vai viajar para Nova York, nos Estados Unidos, na próxima semana para discursar na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) e “defender o Brasil”. A viagem chegou a ser colocada em dúvida por pessoas próximas ao presidente devido à recuperação pela qual passa Bolsonaro após a quarta cirurgia desde o atentado do qual foi vítima, ainda na campanha eleitoral do ano passado.

“Pode ter algum problema lá, mas vocês terão um presidente falando com coração, com patriotismo, defendendo a soberania nacional, que está ameaçada”, disse o presidente, prevendo embates com chefes de Estado dos países europeus sobre a crise ambiental na Amazônia. “Mas se eu resolver amanhã demarcar 20 reservas indígenas e 50 quilombolas, os incêndios acabam imediatamente na região amazônica”, provocou Bolsonaro, para quem o interesse europeu é preservar a Amazônia para no futuro explorar seu subsolo.

“Vou apanhar da mídia de qualquer maneira, mas vou falar o que está acontecendo. Se a nossa agricultura cair, vai ser bom pra outros países que vivem disso. Mas acredito no Brasil, esses números [de queimadas] são mentirosos sim, apesar de existirem incêndios criminosos sim. Eu vou enfrentar as críticas, vou enfrentar os chefes de Estado dos países que estão nessa campanha. O Brasil está fazendo seu dever de casa”, prosseguiu.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247