Bolsonaro desmonta biblioteca do Planalto para abrigar primeira-dama e equipe

Jair Bolsonaro determinou e a tradicional biblioteca da Presidência da República, que abriga um acervo de 42 mil itens e 3 mil discursos de presidentes, está tendo seu espaço reduzido pela metade. Objetivo é abrigar a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e a equipe do programa Pátria Voluntária

Bolsonaro desmonta biblioteca do Planalto.
Bolsonaro desmonta biblioteca do Planalto. (Foto: Divulgação)

247 - Jair Bolsonaro determinou e a tradicional biblioteca da Presidência da República, que abriga um acervo de 42 mil itens e 3 mil discursos de presidentes, está tendo seu espaço reduzido pela metade para abrigar a primeira-dama, Michelle Bolsonaro e a equipe do programa Pátria Voluntária. Com a “reforma” os espaços de estudo, convivência e leitura do local serão praticamente extintos.  A sala destinada à primeira-dama, porém, terá até banheiro privativo. 

Segundo reportagem do blog da jornalista Bela Megale, o valor e os detalhes da obra, bem como as razões para a redução da biblioteca, não foram informados pela Presidência da República. Os trabalhos foram iniciados na semana passada e devem ser concluídos em março.  Há sete meses, os cofres públicos foram abertos para a realização de obras no valor de R$ 330 mil no Ministério da Cidadania com o objetivo de adaptar várias salas para receber Michele e sua equipe.

No final de 2019, o programa Pátria Voluntária foi incorporado pela Casa Civil, que funciona nas dependências do Palácio do Planalto. “Nossa preocupação é o impacto dessa reforma na preservação da memória institucional do Brasil. Em todos os países, as bibliotecas presidenciais têm o objetivo de preservar o legado dos presidentes”, disse Fábio Cordeiro, presidente do Conselho Regional de Biblioteconomia da 1ª Região, à reportagem.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247